Ibirapuera será concedido para iniciativa privada, diz Doria

 
Jornal GGN – O prefeito eleito da cidade de São Paulo, João Doria Jr., afirmou que o Parque do Ibirapuera está na lista de parques paulistanos que farão parte de um pacote de concessões. Ele disse que administração do parque, a principal área verde de São Paulo, será de responsabilidade uma empresa privada, que poderá explorar os quiosques de alimentação e realizar eventos no parque em contrapartida. 

 
“As quadras esportivas caindo aos pedaços e os banheiros imundos”, disse o tucano.
 
Os parques do Carmo e da Aclimação também farão parte do pacote. Doria não explicou qual será o modelo e o tempo de concessão dos parques e disse que estes locais continuarão tendo acesso gratuito. 
 
Em entrevista coletiva na última segunda-feira, Doria disse que irá privatizar o Anhembi, onde está localizado o Sambódromo, e o autódromo de Interlagos. O Pacaembu terá sua administração concedida para a iniciativa privada. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

17 comentários

  1. Uma empresa privada vai se

    Uma empresa privada vai se responsabilizar por administrar e conservar todo o Ibirapuera, faturando apenas o lucro dos quiosques de alimentação e “eventos”? Sei… Essa conta não fecha. Nem de longe isso daria a receita necessária, quanto mais então o lucro de dois dígitos que é o que as empresas buscam nas privatizações e concessões.

    Ou essa ideia vai morrer na praia, sem nenhum interessado, ou tem alguma pegadinha nessa história. Meu palpite é a segunda opção.

    • A pegadinha é a mesma da barcas rio Niterói e outros bens
      Vai haver garantia mínima de receita com a prefeitura complementando caso a receita não seja alcançada, o que provavelmente ocorrerá todo mês.

    • Precisa ver o que essa gente

      Precisa ver o que essa gente entende por manutenção. Se for só maquiagem,tudo bem,pode ser que quiosque e “grandes eventos” banquem a brincadeira.Agora,se a manutenção incluir o trato devido que a vegetação merece,a substiuição de árvores mortas,etc,etc,não tem iiciativa privada que resista,pelo menos de forma efetiva. 

      O que pode ocorrer é explorar e,como sempre,depois,passar a peteca para outro Haddad,ou Erundina e até mesmo a outra.

  2. Nenhuma novidade.A elite

    Nenhuma novidade.

    A elite paulista é capaz de pagar caro para entrar no Ibirapuera, desde que não precise ver preto e pobre lá dentro.

    No fundo São Paulo continua exatamente como quando foi fundada.

    A cidade onde eu nasci não passa  de uma pequena comunidade branca chinfrim, preconceituosa, ridícula e presunçosa que levantou paliçadas para separar-se dos “outros”. 

  3. Somente com quiosques nao

    Somente com quiosques nao fecha a conta pra manter todo um parque.

    Pra se tornar rentavel vai ter que cobrar entrada. Vai comecar a campanha midiatica dizendo que é normal cobrar entrada. Os parques em Tokyo por exemplo eu paguei 2 dolares pra dar uma espiada.

  4. Sempre fui contra as

    Sempre fui contra as privatizações mas mudei de idéia.

    Se quiser privatizar que privatize.

    Mas que as empresas compre tudo. Quer privatizar uma escola, tudo bem. Pague o terreno, o prédio, os livros, os equipamentos e fique com todos os funcionários e professores. Se quiser mandar todos embora pague as multa em ponto final. E cobre o valor que quiser pela mensalidade.

    Agora o que sempre acontece é que o poder público gasta um caminhão de dinheiro para reformar o prédio, manda tudo mundo embora (paga as multas) e daí da para a iniciativa privada tocar o negocio. Aí qualquer um toca.

    Essa história de privatizar parque, estádio não da lucro para ninguém. No máximo vai ser uma lavanderia de dinheiro. Ou será custeada pelo poder público.

  5. Av. Paulista

    Vai privatizar a Paulista aos domingos? Acho que a gente vai ter que pagar ingresso para passear por lá. Assim, evita que “gente diferenciada” usufrua daquele espaço público tão elegante.

  6. Isso vai ser….

    … mamão com açucar para as concessionárias, exatamente como é hoje para a CCR nos pedágios e na concessão da linha 4 do Metrô de Sp, onde o lucro é garantido, mesmo se não transportar uma únia alma viva.

    A PILANTRAGEM TUCANA não tem fim.

    Estes crápulas são adeptos de um “Estado Mínimo” para poder sugar-lhe até a úçtima moeda e quem paga as contas, afinal, são os trouxas que os elegeram.

    ACORDA SÃO PAULO!

     

  7. Depende

         Que é possivel conceder a exploração de todas as areas verdes de São Paulo, para a inciativa privada, assim como outros equipamentos tipo Anhembi/Sambodromo, são iniciativas interessantes, retirariam do orçamento do municipio encargos relevantes, o problema não é a concessão, mas a modelagem dela, a qual não foi explicitada durante a campanha.

           Já quanto ao Pacaembú *, ele terá que ser colocado em um “pacote”, pois é “caro” de manter, possui muitas restrições quanto sua utilização – moro perto, e a sociedade dos moradores é poderosa – shows noturnos lá estão fora de cogitação, já quanto a Interlagos, até Haddad estudou livrar-se, ou pelo menos “compartilhar”/ “parceirizar”, e a prospecção foi negativa.

    • Pacaembú – Anos 90 – shows

      Lembro-me, Junior, que o bafafá, o protesto contra eventos noturnos (não futebolísticos) no Pacaembú remete aos anos 90, quando eram organizados grandes shows, como o do Hollywood (Souza Cruz) Rock e o Phillips Monster. Acho que o problema não era o barulho dos shows per ser, apesar de estarem no palco bandas como Page&Plant, Iron Maiden, esse malucão do Ozzy Osbourne, Metallica, etc, etc. O grande lance era a o entorno que ficava mega estufado (trânsito, público, transeuntes, muita cerveja, camelôs, etc).  Acho que essa era a maior bronca aí do povo da redondeza.

  8. Uai … mas o povo do Capão Redondo, Sapopemba

    vão ficar na mão? Votaram em massa no Doriano … PqP que cara mal agradecido sô! Não vai deixar o povão entrar de graça no Ibirapuera?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome