Instalação de câmeras tinha aval da Prefeitura, diz empresa do Carnaval

Dream Factory nega responsabilidade na morte de estudante eletrocutado e diz que teve autorização da gestão Doria para instalar equipamentos nos postes 
 
lucas_lacerda.jpg
(Fecebook Reprodução)
 
Jornal GGN – A Dream Factory, responsável pela instalação de câmeras de monitoramento para o Carnaval em São Paulo, disse que tinha autorização da gestão João Doria. A informação é da Folha de S.Paulo, obtidas hoje do advogado da empresa, Marcelo Rocha Leal, nesta quinta-feira (08), após depoimento do diretor da Factory, Duda Magalhães, no 4º DP (Consolação).
 
O inquérito foi aberto para investigar a responsabilidade da morte do universitário Lucas Antônio Lacerda da Silva, no domingo (03), eletrocutado ao encostar em um poste na região central de São Paulo, entre a Rua da Consolação e a Rua Matias Aires. 
 
A instalação indevida de câmeras no local teria contribuído para o acidente, defende-se a prefeitura que, ainda, acusa a Dream Factory de ter feito a instalação das duas câmeras do local capitando energia de um poste da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) sem autorização.
 
Os serviços, na verdade, foram realizados pela GWA Systems, terceirizada da Dream Factory para instalar as câmeras. “Se não tivesse autorizado, as câmeras não teriam sido instaladas”, afirmou Leal. “É evidente que todos os serviços foram autorizados”, completou.
 
A Prefeitura multou nesta quinta-feira (08) a Dream Factory em R$ 15.800 pela instalação supostamente irregular. E, no início da semana, tinha afirmado que as empresas não tinham autorização da CET para colocar as câmeras no poste, nem da Ilume para esticar um fio de um a outro poste.
 
A Dream Factory venceu a concorrência para instalar 200 câmeras de monitoramento em locais de maior aglomeração no Carnaval de rua contratando a GWA Systems como terceirizada para realizar o serviço. Segundo o dono da Systems, Arthur José Malvar de Azevedo, a instalação foi feita com autorização verbal de funcionários da CET. Faltava a Factory afirmar se teve ou não autorização. 
 
Ainda, segundo a Folha, o teor do depoimento no 4º DP não foram divulgados pela defesa nem pela polícia, que colocou em sigilo o inquérito. 
 
 

3 comentários

  1. “Os serviços, na verdade,

    “Os serviços, na verdade, foram realizados pela GWA Systems, terceirizada da Dream Factory para instalar as câmeras. “Se não tivesse autorizado, as câmeras não teriam sido instaladas”, afirmou Leal. “É evidente que todos os serviços foram autorizados”, completou”

    Irrelevante.  Se alguem morreu eh obvio e evidente que a instalacao foi mal feita.  Quem esta na linha de tiro eh so a terceirizada, pois eh como o Brasil (nao) funciona.

  2. “teor do depoimento no 4º DP

    “teor do depoimento no 4º DP não foram divulgados pela defesa nem pela polícia, que colocou em sigilo o inquérito”:

    Que bom saber que rolou propina…

  3. instalação….

    Quem está respondendo por homicidio? Onde está o indiciamneto das Autoridades Públicas?  Ou o Judiciário Estadual fará o papel de Advogado do Poder Politicoe Público e retirará o maior responsável dos Processos Legais? Outra Santa Maria/RS? E a FEBRE AMARELA? No Carnaval, a doença e o mosquito saem de férias?  

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome