São Paulo e Paris trocam experiências sobre programas sociais

Por Nina Santos

Do blog Mundoutro

O programa federal Bolsa Família foi usado em estudo de melhorias no Fundo de Assistência às Familias

A viagem do prefeito Fernando Haddad e da primeira-dama Ana Estela Haddad à Paris está servindo para São Paulo conhecer experiências internacionais, mas também revelando que políticas públicas brasileiras são bem vistas no exterior. Em reunião com Ana Estela, o chefe de gabinete do setor responsável pela área social da prefeitura, Sylvain Lemoine, afirmou que o Bolsa Família foi uma das referências utilizadas em estudos de aperfeiçoamento no Fundo de Assistência às Familias.

Lemoine demonstrou-se extremamente interessado na experiência brasileira de combate à pobreza, e também nas ações voltadas à primeira infância na Cidade de São Paulo. Ao ouvir que 40 mil novas vagas de creche haviam sido criadas nos últimos três anos em São Paulo, ele não escondeu o espanto, já que a meta da capital francesa é de criar cinco mil novas vagas até 2020. Hoje, em ambos os municípios, cerca de 50% das crianças de zero a três anos estão matriculadas em creches, mas é necessário considerar que a população de São Paulo é quase 10 vezes maior que a de Paris.

Além disso, Lemoine explicou que as mães francesas têm outras opções além da creche, como deixar as crianças na casa de pessoas credenciadas ou receber uma profissional em casa para essa tarefa. O estado francês subsidia parte destes gastos e por isso criou cursos para qualificar e certificar estes profissionais. Ana Estela e Lemoine ressaltaram que tanto na experiência brasileira quanto na francesa, o tema da infância tem sido tratado como uma política intersetorial. Áreas como assistência social, educação, saúde e habitação devem estar integradas para uma abordagem apropriada deste tema.

Leia também:  Democracia em vertigem ou vertigem da violência, por Dora Incontri

Na última sexta (26),  Haddad foi considerado como prefeito inovador pelo diretor da Sciences Po e a prefeita de Paris o elogiou por sua capacidade de correr riscos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. O que não tem remédio, remediado esta…

    Essa coisa da creche no Brasil é espantosa. A classe média prefere dizer que o filho “ja vai para a escolinha” e paga rios de dinheiro para colocar bebês em creches de luxo. Ai, quando se fala que é preciso construir mais creches, eles acham que não é com eles, não interessa a eles. Ao invés de lutar para que se façam creches em toda a cidade, para todos as classes sociais, preferem se arrebentar pagando tarifas carissimas, do que ver no mesmo espaço o filho e o filho da empregada, como é o caso na França.  

  2. Troca troca

    Daqui a pouco alguem vai propor uma outra troca de experiencia:

    Trazer a filha do Le Pen prá disputar a prefeitura paulista e levar o Haddad prá disputar em Paris.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome