O software brasileiro

Por marlon

Nassif,

duas notas dadas em rodapé em jornais do interior:

1. Por meio da holding MAP, o empresário Miguel Abuhab (foto) comprou, por 5,5 milhões de euros, a Vivacadena, fornecedora holandesa de soluções para software da gestão da cadeia de suprimentos.

O negócio foi realizado por meio da Agentrics, empresa americana focada no varejo, que a holding já tinha comprado em agosto, por R$ 700 milhões, depois de ter vendido a Datasul para a Totvs.

A solução apresentada pela Vivacadena coordena automaticamente os níveis de inventário de mercadorias, capacidade de resposta dos fornecedores e níveis de estoque por toda a cadeia de suprimentos. Este mercado, no mundo, cresce 40% ao ano.

O apetite de Abuhab está longe do fim. Clique aqui.

Comentário

O Miguel é um visionário e um cabeça dura, que se estrepou com o banco de dados que escolheu (qual era o nome mesmo?) e, depois, fez uma baita reengenharia na sua empresa para dar a volta por cima. Mesmo assim, achei exagerado esse valor de US$ 700 milhões. Quem tiver mais dados, façavor.

the talk of the town

Olha só o pro ai foi a/o jornalista que escreveu na correria. 700 milhoes de reais, dizem que foi o valor da compra da Datasul pela Totvs. Só que em outros lugares li 95 milhoes. Ai eu nao sei. Clique aqui.

http://computerworld.uol.com.br/negocios/2008/07/22/totvs-fecha-a-compra-da-datasul-por-cerca-de-r-700-milhoes/

A Agentrics foi comprada por 50 milhoes de dolares.

http://www.terra.com.br/istoedinheiro/edicoes/569/artigo99665-1.htm

9 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Muchacho

- 2009-01-21 23:35:36

O cara foi visionario, ganhou
O cara foi visionario, ganhou muito dinheiro com o tal Magnus (por conta das ferramentas de correcao monetaria de balanco e US GAAP principalmente), sou ex-auditor dos anos 90, e posso dizer que qualquer auditor ficava tranquilo quando sabia que o sistema era esse. A Datasul tinha muito cuidado com os detalhes de toda a legislacao fiscal e trabalhista no Brasil, bem como suas atualizacoes para garantir a integridade e fidedignidade do produto. Nunca ouvi dizer de problemas de implementacao de Datasul como ouco hoje com os ERPs "internacionais", os quais nao preciso nomear. Ouvi dizer que o ERP atual que substitui o Magnus (se chama EMS), ja roda com banco de dados Oracle.

Geraldo Milagre

- 2009-01-21 19:29:47

No época em que o Magnus
No época em que o Magnus (primeiro ERP da Datasul) foi criado, o desenvolvimento de software era tipicamente atrelado a um banco de dados. A Datatul tinha de escolher um. O Progress foi uma boa escolha naquele momento, tanto que o Magnus se tornou um produto de sucesso. O erro da Datasul foi insistir no Progress por tanto tempo, enquanto os fornecedores de ERP mundo afora já estavam todos criando versões multi-banco para os seus softwares. Se fosse criar um software corporativo do zero hoje, o Abuhab, ou qualquer outro empresário de TI bem informado, provavelmente desenvolveria uma camada de acesso a banco de dados baseada em linguagem SQL padrão, permitindo que seu cliente possa escolher o banco de dados de sua preferência.

Paulo Travaglini

- 2009-01-21 17:38:04

Se 1% dos empresários
Se 1% dos empresários brasileiros tivesse a "fome de bola" do Abuhab, o Brasil teria crescido tanto quanto a Coréia nos últimos 20 anos. Teríamos produtos próprios (alguém viu um carro brasileiro depois da Brasília?) e fatias importantes de mercados de outros países. Os outros 99% pegam os R$ 700 milhões e compram um pijama. Já o Abuhab "torrou" tudo para começar tudo de novo... Tem minha admiração.

Daniel Campos

- 2009-01-21 14:52:41

O Progress é uma "gambiarra"
O Progress é uma "gambiarra" que começou como base de dados, englobou recursos para criar e gerenciar interfaces de usuário, foi inchando e acabou virando algo que não consegue fazer bem nem uma coisa nem outra (ser banco de dados / ser interface com o usuário). Só sobrevive nas corporações mais antigas porquê seria muito caro e/ou trabalhoso trocar toda a base de código baseada nele por algo mais atual.

the talk of the town

- 2009-01-21 13:16:39

Olha só o pro ai foi a/o
Olha só o pro ai foi a/o jornalista que escreveu na correria. 700 milhoes de reais, dizem que foi o valor da compra da Datasul pela Totvs. Só que em outros lugares li 95 milhoes. Ai eu nao sei. http://computerworld.uol.com.br/negocios/2008/07/22/totvs-fecha-a-compra-da-datasul-por-cerca-de-r-700-milhoes/ A Agentrics foi comprada por 50 milhoes de dolares. http://www.terra.com.br/istoedinheiro/edicoes/569/artigo99665-1.htm

Matosalém de Freitas Jr

- 2009-01-21 12:59:39

O software de Gestão
O software de Gestão Integrado Magnus foi baseado no banco de dados Progress

André

- 2009-01-21 12:57:00

O banco de dados era o
O banco de dados era o Progress

Ho

- 2009-01-21 12:53:57

Nassif, Cama-se Progress
Nassif, Cama-se Progress

Bene

- 2009-01-21 12:02:25

Era o PROGRESS. Foi uma boa
Era o PROGRESS. Foi uma boa opção na época e ainda é hoje para o mercado de empresas de tamaho médio usuárias de UNIX (Linux, FreeBSD). Não é "widely used" mas existe. E é bom tecnicamente falando, mas ruim de marketing. Acho que na época que o Datasul começou era uma opção melhor que Oracle (muito caro) ou SQLServer (caro e limitado a Windows). Hoje acho que ele optaria por um software livre (PostgreSQL, provavelmente).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador