Reitores paulistas criticam redução de recursos para a Fapesp

Jornal GGN – Por meio de nota, o Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (CRUESP) demonstrou preocupação com a redução de recursos transferiso para a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).

A Assembleia Legislativa decidiu diminuir o percentual constitucional das transferências do Tesouro estadual para a fundação de 1% para 0,89%, com perdas estimadas de R$ 120 milhões neste ano.

Os reitores afirmam que a decisão vai contra o “compromisso histórico de financiamento estável e perene à Fundação”, assegurada pela Constituição estadual. O CRUESP também ressalta a importância da FAPESP no desenvolvimento econômico e social e também de políticas públicas para São Paulo e o Brasil.

“O CRUESP espera que o governo do Estado consiga atender às demandas orçamentárias sem afetar a longa tradição de apoio do povo paulista à sua fundação de amparo à pesquisa”, afirma o CRUESP.

Leia a íntegra abaixo:

Nota do CRUESP

O Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (CRUESP) vem expressar sua preocupação com a decisão da Assembleia Legislativa que reduziu o percentual constitucional das transferências do Tesouro do Estado para a FAPESP. A redução, de 1% para 0,89%, representa uma perda significativa de receita para a FAPESP, perda essa estimada em R$ 120 milhões em 2017.

Tal medida contraria o compromisso histórico de financiamento estável e perene à Fundação, consagrado há 28 anos no artigo 271 da Constituição do Estado de São Paulo.

O CRUESP destaca o papel que a FAPESP vem cumprindo no desenvolvimento econômico-social do Estado, por meio do financiamento à ciência, tecnologia e inovação. Também deve ser ressaltada sua atuação no apoio ao desenvolvimento de políticas públicas para o Estado e para o Brasil, em áreas fundamentais como educação, saúde, meio ambiente, cultura, entre tantas outras.

Esse papel é reconhecido nacional e internacionalmente, sendo a Fundação apontada como modelo de agência de fomento à pesquisa. Para isso contribuiu, sem dúvida, a sua autonomia administrativa e científica, e o financiamento pelo Estado na forma como estabelece o citado Artigo 271 da Constituição.

Pode-se afirmar que os recursos provenientes da FAPESP são, ao lado da autonomia com vinculação orçamentária, em grande parte, responsáveis pela história de sucesso das universidades estaduais paulistas. Significativa, também, é a contribuição da FAPESP às demais instituições de pesquisa do Estado.

Por esses motivos, o CRUESP espera que o governo do Estado consiga atender às demandas orçamentárias sem afetar a longa tradição de apoio do povo paulista à sua fundação de amparo à pesquisa.

Prof. Dr. José Tadeu Jorge

Presidente CRUESP

 

1 comentário

  1. Este é um dos momentos mais tristes.

    Aventar esta possibilidade seria inimaginável,  mas vivemos tempos absurdos. Destroem obras de arte, segregam, desrespeitam e agora estão quase queimando livros. Afinal impedir ou criar empecilhos à criação de conhecimento é muito similar a queimar livros.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome