Mostra de Cinema de Tiradentes celebra 20 anos

Jornal GGN – Minas Gerais se transformará em um centro audiovisual, entre os dias 20 e 28 de janeiro, com a Mostra de Cinema de Tiradentes, que celebra 20 anos de história com o tema “Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção”, desenvolvido pelo curador Cleber Eduardo. Durante os nove dias de programação gratuita, a cidade histórica contará com a exibição de 108 filmes brasileiros, debates, mesas temáticas, oficinas, exposições, lançamento de livros, entre outras atrações artísticas. A criançada inda irá conferir a “Mostrinha de Cinema”.

A edição, que festeja a diversidade e a presença da mulher na produção nacional, terá três espaços de exibição: Cine-Tenda, Cine-Teatro e Cine-Praça. A abertura, no dia 20, às 21h, irá homenagear às atrizes, produtoras e diretoras Helena Ignez e Leandra Leal, que receberão o Troféu Barroco, no Cine-Tenda. A homenagem se estenderá ao longo dos dias, com a exibição dos filmes e com o debate “O percurso de Helena Ignez e Leandra Leal”, onde as artistas participarão de um bate-papo com a plateia.

Dos 108 filmes de pré-estreia nacional escolhidos para exibição estão 34 longas, dois médias e 72 curtas-metragens. A seleção de longas foi dividida em nove mostras temáticas: Aurora, Homenagem, Olhos Livres, Cinema em Reação, Horizonte, Praça, Bendita, Sessão-Debate e Mostrinha. E a seleção dos curtas em 10 sessões: Foco, Panorama, Homenagem, Praça, Cena Mineira, Cena Regional, Experimentos, Formação, Jovem e Mostrinha.

A seleção dos longas contou com a curadoria de Cléber Eduardo, que ressalta a marca inédita de longas dirigidos por mulheres: entre os 29 novos títulos selecionados, 12 são de realizadoras. O crescimento e a força feminina no audiovisual será reconhecida com o Troféu Helena Ignez, criado este ano, que será entregue à profissional que tenha se destacado em qualquer área na produção dos filmes em exibição.

Já a curadoria dos curtas-metragens ficou por conta de Francis Vogner, Pedro Maciel Guimarães e Lila Foster.  A novidade deste ano é a mostra Experimentos, que reúne filmes com novas proposições nas relações entre som e imagem. “Teve uma quantidade expressiva de filmes com essas propostas e um desejo potente de tomar o cinema como arte autorreferencial e em ligação direta com o trabalho de poetas literários e cinematográficos”, disse Lila Foster.

Leia também:  Eleições 2020: de 25 capitais, somente 1 elegeu mulher e 8 elegeram negros

Outro destaque é a Mostra Aurora, presente em nove edições passadas, que se dedica a novos realizadores que proponham novas formas de estética. Este ano ela conta com sete participantes, que serão avaliados pelo Júri da Crítica. O ganhador levará o Troféu Barroco e outros prêmios. Ainda, a fim de refletir a primeira década da Aurora e o impacto da mostra no cenário do cinema brasileiro independente, o público poderá conferir a mesa “Mostra Aurora 10 Anos: Percurso e Reflexão”, com a presença de cineastas.

A temática “Cinema em Reação, Cinema em Reinvenção”, pensada pelo curador Cleber Eduardo a partir do momento social e político de 2016, traz para debate um cinema que reage a seu espaço e a seu tempo histórico, refletido em duas mesas no evento “Questões de representatividade e proposta estética” e “Circulação e Visibilidade”.

“A discussão a se propor é que a reação aos recentes acontecimentos políticos ou sociais, através do cinema, só terá força se o cinema for colocado como carro-chefe, e não como palanque, megafone, hashtag ou militância”, diz o curador. “Se a militância estiver à frente dos filmes, o efeito será limitado. Para um cinema verdadeiramente político, a estética deve estar ao lado ou à frente do político”, comentou o curador. 

Outras atrações  

Nesta edição, o Cine-Teatro irá receber o 20º Seminário do Cinema Brasileiro, que contará com a presença de cerca de 60 profissionais do audiovisual, entre críticos, jornalistas, pesquisadores, cineastas, professores e curadores. A atividade irá incluir os debates da série “Encontros com Diretor, Crítica e Público”, onde um profissional convidado irá apresentar sua visão sobre algum filme exibido na Mostra, o realizador comentará seu trabalho e a plateia participará com perguntas.

Leia também:  Pandemia reduz os salários, aponta relatório da OIT

Durante a Mostra, dez oficinas irão disponibilizar 240 vagas (como direção e atuação, noções de montagem e edição, trilha sonora e realização em curta digital). Também acontecerá exposições, lançamentos de livros, cortejos, teatro de rua, performances audiovisuais e intervenções artísticas.

Cinema (ARTE) de Reação

A temática “Cinema em reação, Cinema em reinvenção”, também estará refletida no palco do SESC Cine Lounge (espaço interativo instalado no Complexo de Tendas que promove o encontro de todas as artes com o cinema). A programação desse espaço vai privilegiar o trabalho autoral e independente, a partir de uma proposta curatorial desenvolvida pela equipe do Sesc.

Essas atrações foram escolhidas por meio de quatro temas: a Identidade como processo, o Território como matéria-prima (em detrimento da representação), a Arte entre a política e a micropolítica e a Hibridização de linguagens. As apresentações acontecem no Sesc Cine Lounge e também no Largo das Fôrras, na praça principal de Tiradentes.

O tradicional “Cortejo das Artes” acontece no dia 21, sábado, às 16h30, com saída da Igreja do Rosário, e irá percorrer as ruas de Tiradentes espalhando cultura popular e tradicional com congados, folias de reis, blocos carnavalescos, palhaçaria, teatro de rua e bonecos.

O Sesc Cine Lounge ainda irá exibir a produção do coletivo #eufaçoaMOSTRA, que fará a cobertura do evento em mídias móveis. Outra novidade é a participação da artista “Criola”, conhecida por seu trabalho em favor do empoderamento da mulher negra, que com grafites pelas ruas de diversas cidades, revela formas e cores que remontam à ancestralidade da cultura africana. Criola fará parte do “Projeto Parede”, onde irá realizar um “work in process” aberto ao público durante os dias do festival.

Leia também:  A realidade é mais assustadora do que o sobrenatural em 'O Que Ficou Para Trás', por Wilson Ferreira

Serviço

20ª Mostra de Cinema de Tiradentes

Temporada: de 20 a 28 de janeiro

Onde: Tiradentes, MG

Programação gratuita. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome