Pegue a pipoca vermelha: Cinegnose atualiza lista dos melhores filmes gnósticos

 

Por Wilson Ferreira

O Cinegnose apresenta a atualização dos melhores filmes gnósticos da história do cinema, que agora conta com 66 filmes. É uma atualização da lista anterior de 2013 onde constavam 41 filmes.  Atualmente esses filmes apresentam uma grande variação de interpretações da mitologia gnóstica clássica espalhado por diversos gêneros fílmicos.   Por isso, nessa atualização trouxemos uma novidade metodológica na classificação dos filmes: dividimos em subcategorias (CosmoGnósticos, PsicoGnósticos, TecnoGnósticos, AstroGnósticos e CronoGnósticos) e apontamos em cada filme os principais temas gnósticos abordados.

O conceito de “filme gnóstico” é relativo a Gnosticismo, do grego gnosis, “conhecimento” e gnostikos, “aquele que tem o conhecimento”. Conjunto de filmes de variados gêneros cuja característica unificadora é a recorrência de “elementos gnósticos” correspondentes tanto às narrativas míticas cosmogônicas e morais dos principais pensadores do Gnosticismo histórico (Basilides, Valentim e Mani) como a diversos simbolismos místicos ou esotéricos associados ao sincretismo do chamado Gnosticismo Hermético.

 A produção cinematográfica recente, principalmente norte-americana, conta com diversos filmes que giram em torno desta mitologia. Os temas incluem, freqüentemente, conspirações cósmicas, universos paralelos, amnésia e paranóia. Demonstra um interesse por uma ambivalente relação entre o sujeito e a realidade, consciência (especialmente alterada por estados de consciência iluminados) e revolta contra sistemas autoritários de controle. 

São filmes que apresentam a ideia geral de que o mundo que percebemos é uma ilusão criada por alguém que não nos ama e que a chave para revelar a ilusão e descobrir a realidade reside numa forma de autoconhecimento ou iluminação. 

Categorias dos filmes gnósticos

Desde os primeiros filmes como Matrix e Show de Truman percebeu-se que esses filmes diversificaram a abordagem das mitologias centrais do Gnosticismo criando, por assim dizer, subgênero que podemos dividir dentro das seguintes categorias: 

(1) CosmoGnóstico: filmes que parecem inspirar-se na Cosmologia basilidiana (Basilides -117-138 DC – Filósofo gnóstico de Alexandria, possivelmente originário de Antioquia. Admitiu um princípio incriado, o Pai, cinco hipóteses emanadas dele e trezentos e sessenta e cinco céus, um dos quais é o nosso mundo comandado pelo Demiurgo – Yahweh, Jeová ou Javé). Filmes como O Décimo Terceiro Andar (1999) sobre pluralidade de universos simulados, multiversos. Matrix e Show de Truman também entrariam nessa categoria, onde o protagonista encontra-se prisioneiro em realidades artificialmente produzidas;

(2) TecnoGnóstico: Baseia-se naquilo que chamamos de Gnosticismo cabalístico que é a motivação da atual agenda tecnognóstica de fazer uma cartografia e topografia da mente humana: a convergência das neurociências, Cibernética, Ciências Computacionais e Teoria da Informação para tentar simular digitalmente não só o funcionamento da mente, mas tentar emular a própria consciência. Filmes como Eva ou Transcendence são exemplos nessa categoria.

Um filme AstroGnóstico: “Earthling” (2010)

(3) PsicoGnóstico: Novamente vemos o protagonista como prisioneiro, mas dessa vez é uma prisão interior, psíquica ou onírica. Filmes como “Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças”, “A Passagem” e “Vanilla Sky” mostram personagens que sem saberem estão presos respectivamente, nas próprias memórias da mente, em um limbo entre a vida e a morte e em “sonhos lúcidos” artificialmente produzidos por uma corporação.

(4) AstroGnóstico: os seres humanos teriam sido o resultado de um enxerto na biologia dos primatas avançados feita por uma consciência alienígena espiritualmente superior. Os seres humanos estariam presos nesse planeta sofrendo, pois sua consciência não só é inadaptável como, apesar de viverem em um ambiente reconhecidamente belo, o atrito com essa existência cria estados emocionais que levam à depressão, assassinato em massa, loucura e destruição. Filmes como “O Homem Que caiu na Terra” (1974, onde um alien vem à Terra em busca de ajuda e é corrompido pela sociedade humana) com o gnóstico pop David Bowie e “The People” (1972 – onde uma comunidade isolada semelhante aos Amishs revela-se ser habitada por aliens que fugiram de um planeta em extinção) com o eterno Capitão Kirk de “Jornada nas Estrelas” William Shatner.

(5) CronoGnóstico: filmes que apresentam um multifacetamento da realidade ou universos alternativos por meio da concepção quântica ou caótica do tempo: paradoxos, efeitos exponenciais ou o tempo como um hipertexto criam uma pluralidade de mundos, algo semelhante aos filmes CosmoGnósticos. Porém, nessa categoria coloca-se ênfase à artificialidade do Tempo. Filmes como “Sr. Ninguém” ou “Cronocrimenes” são bons exemplos.

Abaixo a lista atualizada que iniciamos do número 42. Logo abaixo, a primeira lista com os 41 filmes :

 

42. Alucinações do Passado (Jacob’s Ladder, EUA, 1990)

Jacob é um ex-soldado no qual a Guerra do Vietnã deixou marcas profundas e irreversíveis. Constantemente, Jacob vê seres estranhos ameaçando-o de morte, com suas lembranças familiares do passado se misturando a alucinações desconexas de algo que aconteceu na guerra e alterou radicalmente sua percepção da realidade. 

Categoria: PsicoGnóstico

Temas gnósticos: amnesia, memória, confusão entre ilusão e realidade, estados alterados de consciência.

Diretor: Adrian Lyne

Elenco: Tim Robbins, Elizabeth Peña, Dany Aiello

 

 

43. Sense8 (série Netflix, EUA, 2015)

Oito pessoas díspares (etnicamente diversos e em diferentes pontos do planeta) progressivamente começam a unificar suas mentes, permitindo partilhar experiências e conhecimentos. Esses “sensates” são caçados por um personagem sombrio ligada a uma empresa de manipulações genéticas – já analisado pelo blog clique aqui.

Categoria: PsicoGnóstico

Temas gnósticos: Percepção, estados alterados de consciência, Sophia, Demiurgo e Gnose.

Diretor: Imãos Wachowski e J. Michael Straczynski

Elenco: Aml Ameen, Daryl Hannah, Doona Bae, Jamie Clayton, Tina Desai, Tuppence Middleton, Max Riemelt, Miguel Angel Silvestre, Brian Smith, Terrence Mann, Naveen Andrews

 

44. Lost River (EUA, 2014)

A história acontece no entorno surrealista de Lost River, uma cidade economicamente decadente e ameçada de desaparecimento. Quando um adolescente descobre um caminho secreto que leva a uma cidade subaquática, sua mãe vê-se arrastada a um macabro submundo de fantasia – já analisado pelo blog clique aqui.

Categoria: CosmoGnóstico

Temas gnósticos: Arcontes, Demiurgos, O Detetive, O Estrangeiro.

Diretor: Ryan Gosling

Elenco: Christina Hendricks, Iain De Caestecker, Matt Smith, Ben Medelsohn

 

45. Frequência do Medo (The Signal, EUA, 2014)

Três amigos estão em uma viagem pelo sudoeste americano à procura de um gênio da computação que conseguiu invadir os computadores do MIT e expôr uma série de falhas de segurança. Eles acabam indo parar em uma área isolada, onde, de repente, tudo fica escuro. Quando Nic enfim desperta, logo percebe que está em meio a um pesadelo com toques de Matrix.– já analisado pelo blog clique aqui.

Categoria: CosmoGnóstico

Temas gnósticos: Paranoia, Homem prisioneiro em uma realidade artificial, Demiurgo, Caverna digital de Platão.

Diretor: William Eubank

Elenco: Brenton Thwaites, Laurence Fishburne, Beau Knapp, Olivia Cooke

 

 

46. O Destino de Júpiter (Jupiter Ascending, EUA, 2014)

Júpiter é uma jovem que vive com a mãe e a tia em Chicago. Elas passam dificuldades e a garota parece sempre sonhar com o “mundo exterior”. Determinado dia, ela sofre um ataque de pequenas criaturas alienígenas e se descobre em meio a uma disputa familiar de poderosos donos de planetas. – já analisado pelo blog clique aqui.

Categoria: AstroGnóstico

Temas gnósticos: Demiurgo, Gnosticismo Pop, busca da identidade, mito da Criação, Queda e Ascensão; Mito de Sophia, Abraxás.

Diretor: Irmãos Wachowski

Elenco: Mila Kunis, Channing Tatum, Eddie Redmayne, Sean Bean, Douglas Booth

 

 

47. Borgman (Holanda, 2013)

Borgman, um suposto sem teto, bate na porta de uma arrogante família de classe media alta pedindo um banho e comida. Depois de ser agredido pelo marido, Borgman cria uma série de subterfúgios que o fazem cada vez mais entrar na vida daquela família, transformando suas vidas num crescente pesadelo psicológico com tons religiosos e demoníacos  – já analisado pelo blog clique aqui.

Categoria: PsicoGnóstico

Temas gnósticos: Paranoia, Incubus, Mal, Queda.

Diretor: Alex Van Wamerdam

Elenco: Jan Bijvoet, Hadewych Minis, Jeroen Perceval, Alex Van Warmerdam, Tom Dewispeleare

 

48. The Cars That Ate Paris (Austrália, 1973)

Filme cuja temática influenciaria mais tarde Veludo Azul de David Lynch e Show de Truman, do próprio diretor desse filme, Peter Weir. Dois irmãos viajam em uma estrada no deserto australiano em busca de emprego, até chegarem a uma cidadezinha chamada Paris. Aos poucos percebem que há um mistério sobre a cidade: o hospital vive cheio de vítimas de acidentes auomobilísticos e as pessoas parecem sair de lá como zumbis.  – já analisado pelo blog clique aqui.

Categoria: CosmoGnóstico

Temas gnósticos: Paranoia, Conspiração, Demiurgo, Estranha realidade por trás das ilusões.

Diretor: Peter Weir

Elenco: Terry Camilleri, John Meilon, Kevin Miles

 

 

49. I Origins (EUA, 2014)

O Dr. Ian Gray é um cientista que pesquisa sobre a íris ocular. Obcecado por descobrir a origem da visão, ele tenta provar que o desenvolvimento do olho humano faz parte da evolução natural, e não precisaria de um “designer inteligente” – ou seja, uma figura divina para criá-lo. Ele trabalha com a ajuda de sua estagiária Karen e de Kenny. Um dia, ele conhece Sofi, e os dois se apaixonam, apesar da diferença de convicções. A aproximação dos dois fará Ian buscar explicações além da ciência para os mistérios que o olho humano pode guardar.  – já analisado pelo blog clique aqui.

Categoria: PsicoGnóstico

Temas gnósticos: Mito de Sophia, O Viajante, Reencarnação, Ciência e Espiritualidade.

Diretor: Mike Cahill

Elenco: Michael Pitt, Steven Yeun, Astrid Bergès-Frisbey, Brit Marling

>>>>>>>>>>Leia mais>>>>>

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Sé filmes americanos??

    Holanda e Austrália nesta lista só comprovam a preferência pelo jeito americano de fazer cinema… triste redução para uma lista que teria tudo para ser realmente interessante…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome