A condução de Sérgio Cabral é um ponto de não-retorno, por Luis Nassif


 

As portas do inferno se abriram no dia 30 de novembro de 2015, quando o Ministro Teori Zavascki ordenou a prisão do senador Delcídio do Amaral. De um lado, um servidor público exemplar; do outro, um político menor e corrupto. Uma mistura que legitima todos os abusos bateu em um caráter momentaneamente contaminado pelo pecado capital da soberba. E resultou no gesto de exceção que marcaria o país dali para frente.

Gradativamente, as forças das profundezas passaram a testar limites, até que se chegou no dia nacional da infâmia, 13 de março de 2016, com a divulgação pelo juiz Sérgio Moro, com autorização do Procurador Geral da República Rodrigo Janot, de diálogos pessoais da presidente da República Dilma Rousseff com Lula.

Ambos, Moro e Janot, chegaram a ensaiar algumas desculpas balbuciantes, sabendo que haviam atravessado o Rubicão da ilegalidade e aguardando o fuzilamento pelos raios do Olimpo. O que chegou foi uma reprimenda de tio compreensivo. E o Supremo Tribunal Federal, se com Teoroi já era uma corte balbuciante, encontrou na atual presidente Carmen Lúcia a sua melhor tradução.

De lá para cá o que se viu foi o desmonte institucional inédito na história do país. Todos os vícios históricos vieram à tona, o corporativismo mais desbragado, as tacadas mais atrevidas contra o Estado brasileiro, as maiores negociatas da República e um punitivismo tresloucado que serve de álibi para todas as jogadas políticas e financeiras.

Os abusos têm sido constantes, sem nenhum sinal de reação.

Uma delegada irresponsável convoca 120 policiais da Polícia Federal, muitos do nordeste, para uma condução coercitiva em Florianópolis, humilhando professores e provocando o suicídio de um reitor de universidade. Abre-se uma investigação que a absolve, considerando que ela se conduziu de acordo com os procedimentos.

Leia também:  Porque a renda básica vai ajudar na recuperação do PIB, por Luis Nassif

Que procedimento poderia justificar a convocação de uma quase força nacional para conduzir seis pessoas inofensivas, em uma investigação de crime administrativo, que não requeria nenhuma ação espetaculosa?

Uma juíza federal de Belo Horizonte, igualmente irresponsável, autoriza a condução coercitiva de vários professores universitários, sob o argumento de que as investigações eram sobre crimes gravíssimos. Investigavam-se desvios de verbas públicas. Pelas informações até então disponíveis, foi apurado um desvio de R$ 100 mil em uma verba de R$ 6,5 milhões.

Nas redes sociais, procuradores espalham conceitos fakes, de que a condução coercitiva visa substituir medidas mais drásticas, como a prisão preventiva.

A prisão preventiva exige um conjunto de pré condições:

“Art. 312. A prisão preventiva poderá ser decretada como garantia da ordem pública, da ordem econômica, por conveniência da instrução criminal, ou para assegurar a aplicação da lei penal, quando houver prova da existência do crime e indício suficiente de autoria”.

Os fatos mostram que as conduções coercitivas têm sido aplicadas até em testemunhas convidadas a depor. E nada acontece.

Ontem, a condução do ex-governador Sérgio Cabral para Curitiba, algemado e com correntes nos pés, conduzido por mascarados fantasiados de traficantes do morro, marcou o novo momento de confronto com o Brasil formal.

Tudo de acordo com o figurino Globo de reportagens espetaculares.

Se não houver uma reação contra o episódio, as milícias curitibanas e seus seguidores não pouparão ninguém. E a reação não terá que vir do Palácio, comandado por uma organização criminosa. Teria que vir do Supremo Tribunal Federal.

Leia também:  Como organizar a ajuda internacional às economias emergentes, por Luis Nassif

Mas quem colocará o guizo no gato? Carmen Lúcia e seus provérbios mineiros? Luis Roberto Barroso e suas platitudes “iluministas”? Celso de Mello e suas perorações e menções aos saudosos falecidos? Luiz Fux, aquele que pretende prender e arrebentar os produtores de notícias fake? Rosa Weber, a que condena sem provas porque a doutrina do Sérgio Moro lhe permite? Edson Fachin e suas vulnerabilidades paranaenses?

São tempos bicudos, nos quais se misturam o atrevimento dos corruptos, a irresponsabilidade dos deslumbrados e o temor dos legalistas. Mas não haverá como fugir da batalha pela legalidade, antes que o Brasil se transforme em um enorme BBB.

O show montado com a prisão de Sérgio Cabral é um ponto de não-retorno. Se nada for feito, não haverá mais limites para as arbitrariedades da Polícia Federal e da Justiça Federal.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

93 comentários

  1. O MP e judiciário virou o

    O MP e judiciário virou o novo EI ( na Síria, EI é o Estado Islâmico. No Brasil é Estado Imoral), só que atuando dentro das Américas.

  2. Só bastaram dois anos de Lava

    Só bastaram dois anos de Lava a Jato para regredirmos cinquenta. Ou talvez mais. 

    Em particular, o mais lamentável é que muitos jovens, talvez a maioria, sejam entusiastas dessas barbáries, contaminados que estão pelo discurso de ódio que impesta o ar. 

    Os responsáveis por essa cena deplorável ficarão impunes? 

  3. Foi mal

    Em que pese as boas intencões, foi mal no artigo!….inos

     

    os agentes poderiam serem sudestinos!…e daria no mesmo!….

  4. Foi mal

    Em que pese as boas intencões, foi mal no artigo!….inos

     

    os agentes poderiam serem sudestinos!…e daria no mesmo!….

  5. Otimismo incrível…

    O otimismo do Nassif chega a me comover.

    Imagino que muitos tinham sentimentos parecidos às vesperas do AI-5.

    Na verdade  nem País nós temos de verdade. Somos um grupo muito grande de pessoas em um território delimitado.

    Este é o resultado atual e disfuncional de 500 anos da nossa historia.

    Já escrevi antes que para mudar algo motivos há de existir.

    Quais?

    Para quem manda as coisas estão ótimas.

    Se eu fosse eles não mexeria em nada.

    .

  6. E a coragem para investigar Globo/Fifa?

    Mais um texto brilhante, Nassif. Excelente sintese do estado de exceção que vivemos. Tem que aprovar a lei de abuso de autoridade (mas é dificil esperar algo positivo deste congresso). Tanta coragem para colocar algemas e correntes no Cabral e tanta frouxidão para investigar o caso Globo/Fifa. 

  7. A desmoralização absoluta das

    A desmoralização absoluta das instituições, do país enquanto nação civilizada, é o pântano moral e fétido do punitivismo e humilhação dos que não têm a proteção sobre si, como tem um Aécio Neves, que jamais passaria por tal degradação.

    A covardia pusilânime de tão poucos destruindo todo o arcabouço dos valores com que se constroi um país saudável e seguro para se viver.

    As famiglias de nossa grande mídia têm imensa responsabilidade nesse horror. Merecem ser execrados para todo o sempre.

  8. Nada será feito, Nassif;
    Nada será feito, Nassif; talvez uma promoção/punição, como no caso da delegada Marena.
    E o ponto de não-retorno se dará no dia 24 de janeiro.

  9. SWAT

    Esses quando meninos foram fãs da SWAT, cresceram em tamanho e se acham os tais em algum filmeco adolescente nas noites em frente à tv na rede esgoto de televisão. Muita bolinha de gude no carpete da mamãe,  excursões pelo play do condomínio e o futuro garantido em algum concurso para um cargo público qualquer.

    Deu nisso.

    As panelas berraram: Não passarão.

    Da cerca do condomínio pra lá, por favor, se não chamo a puliça.

    A Luta de Classes escancarada, com alguns séculos de atraso, sem mais maquiagem.

    A culpa, ora a culpa, é do PT, da Dilma e do Lula.

    Por isso, Viva o Partido dos Trabalhadores e o Lula, maior líder político do planeta na atualidade.

    Los hermanos já percebem isso mais do que nosotros, macaquitos.

    E os gringos, os ianques, e a banca também.

    Liquidem O Cara!

     

     

     

  10. O Supremo não está à altura

    O Supremo não está à altura das expectativas colocadas sobre ele. Simplesmente não fará nada porque é um cargo político onde não se indicaram os melhores, apenas os mais eficientes lobistas.

    ”De onde menos se espera é que não sai nada mesmo”, deveriam ser as baronesas palavras grafadas em placa de ferro sobre a entrada da Suprema Corte.

  11. O Supremo não está à altura

    O Supremo não está à altura das expectativas colocadas sobre ele. Simplesmente não fará nada porque é um cargo político onde não se indicaram os melhores, apenas os mais eficientes lobistas.

    ”De onde menos se espera é que não sai nada mesmo”, deveriam ser as baronesas palavras grafadas em placa de ferro sobre a entrada da Suprema Corte.

  12. O Supremo não está à altura

    O Supremo não está à altura das expectativas colocadas sobre ele. Simplesmente não fará nada porque é um cargo político onde não se indicaram os melhores, apenas os mais eficientes lobistas.

    ”De onde menos se espera é que não sai nada mesmo”, deveriam ser as baronesas palavras grafadas em placa de ferro sobre a entrada da Suprema Corte.

  13. Escondidos em Miami

    Começou com a remesa ilegal de dinheiro para o exterior (caso BANESTADO, julgado pelo mesmo Moro com a delação premiada do Youssef). Hoje, 250 mil brasileiros moram em Miami, onde os ricos e famosos ganham aqui como marajá para gastar lá como coxinha, fazendo a sua parte na colonização. Advogados de Curitiba como a Catta Preta fugem para Miami. Os Ministros do Supremo compram casa em Miami e se preparam para curtir aposentadoria em terras do Tio Sam. O Moro quer ir morar nos EUA, para que a sua esposa possa dizer: “I live with him”. Toda esta cambada de moralistas não amam o Brasil nem desejam ficar morando por aqui. Estão defendendo o que? O povo deve acreditar nas suas chamadas “elites”?

  14. O Brasil segue inovando na
    O Brasil segue inovando na teoria jurídica mundial, agora criamos a penhora de bens que não pertence ao devedor, o céu ( ou seria o inferno?) é o limite.

  15. Injustificável
    Os abusos cometidos pela PF,MP, entre outros, em nome de se fazer justiça,são injustificáveis. Mas também é preciso lembrar que quebrar um estado com renúncias fiscais, atrasar pagamento aos funcionarios publicos da ativa e principalmente aos aposentados, e viver no luxo e na ostentação e enquanto a população que o elegeu passa fome, adoece e vive insegura, isso também conta.

  16. Próximo passo

    O próximo passo será a criminalização da mídia alternativa mais conhecida como mídia suja. Aqueles que tem alguma pendência com a justiça mesmo que irrelevante que ponha as suas barbas de molho. A neutralização da mídia alternativa será o chek mate final. 

  17. Nassif, eu nao imagino o

    Nassif, eu nao imagino o supremo dos EUA sequer tendo chance de tomar uminha decisao se algo assim acontecesse aqui, simplesmente porque o ministerio da Justica tomaria as redeas MUITO antes.

    Acho que voce ta batendo na porta errada.

  18. Pra mim é bastante claro que,

    Pra mim é bastante claro que, além de destroçar a estrutura produtiva do país, a Lava-Jato tem outro objetivo menos claro: estigmatizar a classe política e os políticos.

    Por óbvio. Não é de hoje a opinião violentamente negativa que a população tem dos políticos . Em resumo, pode-se dizer que para o povaréu os políticos são todos iguais e todos marginais, sem exceções. Isto posto a Lava-Jato, com providencial ajuda da Globo, apenas apliou e reforçou enormemente esta percepção, produzindo verdadeiro asco a política em todos os meios sociais, pelo menos nos que convivo…

    Se a classe política é amaldiçoada, o desfecho é claro: abre caminho para qualquer aventureiro de qualquer tipo. Afinal, o ‘pobrema” do “Brasiu” é a “corrupição” dos políticos. E, de acordo com o raciocínio raso da maioria, extintos estes, está extinta a corrupção.

    Mas, não. Sem política não há futuro. E a política for destruída estaremos entrando no Inferno.

     

  19. A imagem comparativa entre a

    A imagem comparativa entre a prisão do cabral e a do degolador do estado islâmico é perfeita pra ilustrar comparativamente o brasil justiceiro atual. É somar globo+lavajato+povo zumbi e teremos isto aí. Como disse o Pedro Cardoso, estamos habitando o nascimento tupiniquim do fascismo. 

    E, não em volta. A depender destes do supremo, adeus legalidade.

  20. Eu respeitosamente
    Eu respeitosamente discordo.
    A prisão do Delcídio Amaral foi uma consequência e não uma causa da abertura das portas do inferno.
    Elas foram abertas quanto, diante das câmeras de TV, os membros do STF rasgaram a constituição para condena é José Dirceu porque ele não provou sua inocência (Luíz Fux), porque a literatura permite (Rosa Webber) com base numa versão distorcida da teoria do fato não prescrita pela legislação penal brasileira em razão da presumida ordem para cometer crimes dada pelo réu (Joaquim Barbosa).
    A gravidade desta decisão não pode ser esquecida. Ela transformou o princípio da presunção de inocência em presunção de culpa, revogou o princípio da necessidade de prévia definição legal do crime, desobrigou os juízes de decidirem de acordo com as provas existentes nos autos e criou a possibilidade de condenações criminais baseadas em presunções.
    Tudo o que ocorreu depois disso é mera consequência.

    • Eu respeitosamente

      concordo…

      Na notória AP470 tivemos de tudo um pouco. Teorias importadas a meia boca, agressões à Constituição e marco legal infra, visível parcialidade nos julgamos dos mensalões, persecução judicial a grupo ideológico abriram as portas do cinismo judicial às claras,  não se pejaram em obrar à luz do dia e publicamente.

      Foi o início do horror.

      Pouco a pouco vicejou o joio.

      Hoje estamos a beira do caos.

      Há quem acredite que as instituições estão funcionando.

      Só se for a disfunção proporcionada pelos mequetrefes da hora.

      Cada um a seu estilo e fora da normalidade legal.

       

  21. Tratamento Politico
    Concordo com Nassif.
    Políticos não podem receber o mesmo tratamento aplicado à população em geral.
    Gilmar Mendes já havia proibido isso na operação Satiagralia, quando algemaram Daniel Dantas.
    Apesar das democracias pregarem que a justiça é igual para todos, nos sabemos que isso não ocorre.
    Por isso um regime a esquerda com maior controle das instituições é necessário.

  22. Ponto de nao retorno
    O ponto de nao retorno foi não afastar Cunha antes do golpe contra Dilma, ou antes ainda quando JEC nao mandou trocar toda a equipe em Curitiba no primeiro vazamento seletivo ou quem sabe quando Snowden disse claramente que Dilma é a Petrobras eram espionadas pelo big brother norte-americano e nada fez para proteger-se ou ao país, ou quando Lula não enfrentou Gilmar e abandonou Protogenes e desterrou Paulo Lacerda quando podia ter posto todos os tucanos na cadeia. Foram muitos erros e não apenas um.

  23. A HISTÓRIA ESTA EM CURSO

    Antes do episódio do duplo absurdo – grampear e vazar para a Rede Globo conversas da presidente da república – ocorrido no dia 13 março de 2016 , Moro já havia testado o ambiente nacional com a condução coercitiva de Lula no dia 04 do mesmo mês. Apesar de seu plano de encarcerar Lula naquele mesmo dia ter dado errado , pela reação que provocou , ainda assim sentiu-se confiante em cometer mais uma aberração , pelos compromissos firmados com a Globo e demais golpistas. 

    Apesar de ter falhado nos objetivos daquela ação específica , no geral o plano estava funcionando. Conseguiu-se instalar entre a população mais ignorante – politicamente , e não economicamente – sobretudo a classe média que pensa que é elite (nas palavras de Jessé de Souza)  , um clima exaltado contra o governo Dilma , associando-se o combate ao seu governo como o fim da corrupção no Brasil . 

    Nas redes sociais ,sites como o VEM PRA RUA – financiado pelo bilionário Jorge PAulo Lehman , esse mesmo que agora vai levar a Eletrobras de bandeija – e na televisão propagandas com os artistas da rede globo , convocavam a população a ir às manifestações de rua pedindo pelo impeachment . Janaína Paschoal fazia o tresloucado discurso da cobra no LArgo São Francisco. Aécio e FHC compareciam às manifestações , e depois se diziam indignados com a corrupção do governo petista entre os amigos do programa Manhattan Connection. O ex jogador Ronaldo e o agora semi presidenciável Luciano Huck , junto a uma penca de ” celebridades ” , vestiam camisetas com os dizeres ” A CULPA NÃO É MINHA , EU VOTEI NO AÉCIO ” . 

    O resto da história , e a tragédia institucional que se abateu sobre a nação ,  são conhecidos e ainda estão se desenrolando.

  24. Falta luta..

    .. na minha opinião, o pior problema brasileiro da atualidade é a falta de uma esquerda combativa.. desde o mensalão, a elite brasileira estabelece a agenda política, econômica, social, etc.. não há alternativa.. não há contraproposta.. na verdade, não há nada, apenas reação (limitada) às fustigadas da máfia..

    .. para vencer o sistema, as atuais lideranças, Lula inclusive, teriam que se aproximar do povo, compartilhar o poder político, e criar, a partir daí, uma força inexpugnável: uma rede ampla, aberta, transparente, democrátiva e autosustentável..

    … é óbvio..

    .. mas “ninguém” quer..

    .. as lideranças dentro do PT (eu sou petista, ativo) fogem dessa ideia como o diabo foge da cruz.. eles acham que “tudo vai passar” e eles retomarão o poder.. não vem sentido em compartilhar nada.. e não deixam ideias desse tipo prosperar..

    .. Pc do B é um apêndice do PT.. não tem vontade própria.. quando saiu a candidatura da Manuela, fiquei muito feliz.. alegria que durou menos de 48 horas.. o Pc do B é um pedaço do PT com outro nome..

    .. Psol e PSTU são descolados da realidade.. é a esquerda boutique (se é que podem ser chamados de esquerda).. não ajudam..

    .. PCO é o partido de 1 militante.. o Rui Pimenta.. rs.. sacanagem da minha parte.. não é assim.. tem mais uns 5..

    Mas eu apresentei minha ideia para “eles” também: foi ignorada.

    Considerem, em parte, um misto de ignorância e tecnofobia, ok?

    Mas o desafio maior é compartilhar poder político.

    Levei o projeto para todos esses partido.. todos me ignoraram.. não querem..

    O conceito principal que apresentei sugere que nessa nova fase do sistema capitalista (se é que podemos chamar esse modelo de capitalista) exige uma nova relação do povo com o estado.. saem as celebridades políticas, entram as redes.. é uma coisa básica, óbvia, já devia ter sido implementada..

    Como não consegui, tentei criar uma rede interna altamente capilarizada dentro das setoriais do PT: eles não aceitam..

    .. mesmo sendo aceito pela maioria dos militantes, o projeto não anda.. existem formalidades burocráticas que impedem a evolução.. como se fosse areia movediça..

    Sonham com a vitória do Lula, sonham com os palácios em Brasília..

    .. porque compartilhar se logo ali na frente teremos tudo de volta, não?

    É uma ilusão..

    .. estamos sendo levados ao caos. Esse é o projeto.

    Tudo começou com uma farsa.

    É preciso reconhecer a responsabilidade das esquerdas brasileiras nesse processo.. foram as esquerdas que aceitaram esse jogo.. engoliram a farsa sem luta.. e estão nos conduzindo precipício abaixo.

    • Opa!!

      Minha tese é de que em municípios pequenos (até 50 mil habitantes) não precisamos de prefeituras nem de vereadores, as instituições funcionam muito bem sem estes. A administração passaria por comissões de bairro que se reuniriam na câmara para decidir o quê fazer durante a semana ou mês.

      O povo brasileiro tem maturidade para implementar isto? nunca saberemos…

      • minha tese é que antes da

        minha tese é que antes da democracia direta, a humanidade precisa experimentar e dominar o “Parlamentarismo Online”..

        .. o político continua existindo, mas o mandato dele pertence aos eleitores, que tem poder para substituí-lo a qualquer tempo..

        .. online..

        Democracia direta não funciona agora..

        .. até porque o planeta está dominado pela estupidez..

        .. as pessoas se autodestruiriam..

        .. temos que passar por um processo de aprendizagem..

        .. enquanto isso, os políticos são o seguro contra desastre..

        .. daqui uns 100 anos, investindo pesado na educação, talvez já dê para implantar democracia direta..

        .. eu acho..

         

        PS.: Parlamentarismo Online pode e deve ser implantado o mais rápido possível.. temos tudo à nossa disposição.. sem falar no oportunismo: um novo sistema político é bandeira que une coxinhas e petralhas. Tem tudo para virar um movimento avassalador, inclusive em outros países..

  25. Discordo da data. O ponto de

    Discordo da data. O ponto de não retorno foi 31 de agosto de 2016, dia em que o Senado ratificou a decisão da assembleia de bandidos de afastar Dilma sem que ela tenha cometido crime de responsabilidade e o povo não encheu as ruas para dar um basta na escalada do arbítrio e cobrar o funcionamento decente das instituições.

  26. Retrato da balburdia

    Nassif o retrato é perfeito. Ele leva as instituições de poder ao mais profundo descrédito. País acefalo, império do oportunismo. moro joga tudo de si para abocanhar a infâmia. A crise econômica internacional no momento é irrelevante. Sem saída.

  27. Pequena vingança entre amigos…..

    Cabral cometeu a suprema audacia, desrespeitou os semideuses e não podia ficar impune…..

    Ousou tecer comentários sobre o ganha pão da familia do  “clonedomoro” Bretas…….

    imperdoável……..

    Açoite, cavalete, balcão de estiramento nele…….

     

     

  28. A condução de Sérgio Cabral é um ponto de não-retorno

    já passamos por vários pontos de não retorno. eles tem sido ultrapassados apenas para provar o quanto fundo se pode descer num poço cavado por nós mesmos.

    exemplo:

    após sofrer condução coercitiva, Lula concede longa entrevista coletiva, na qual promete a “volta da Jararaca” para de novo percorrer as ruas do Brasil. como sempre, rapidamente voltou a ser o velho e pacato Lulinha Paz e Amor. afinal, como afirma categoricamente num dos grampos: “Eu não quero incendiar o país. Eu sou a única pessoa que poderia incendiar este país”. o Brasil acabou incendiado do mesmo jeito, com Lula chorando abraçado com Dilma.

    enquanto Sérgio Cabral e Amigos dos Amigos de Lula são ultrajados, como troféus da caça à corrupção alheia promovida pela Lava Jato & Associados, uma pergunta paira incomodamente no ar: onde está Cunha?

    mas não seria o caso de requisitar uma prova judicial de Cunha estar realmente na prisão? e por que não se faz isto? porque tudo não passa de uma grande farsa! e todos dela fazem parte, em maior ou menor grau.

    ainda vai ser preciso bastante sofrimento até a aceitação do óbvio: não existe mais nenhuma possibilidade de reedição de algum Pacto à la Brasil. por muito tempo não haverá qualquer coisa do tipo Centro Democrático na política brasileira.

    em 24-JAN-2018, próxima quarta-feira, teremos mais um  momento da repugnante repetição no Brasil da histórica maldição de farsas e tragédias entrelaçadas, girando em círculos num vazio sem redundar em nada, senão desgaste, frustração, impotência, depressão, derrotas, suicídios, torturas, mortes, genocídios.

    .

  29. Sobre organizações criminosas

    Sabendo que a Rede Globo cometeu vários crimes tributários e serve de suporte para as ilegalidades de alguns tribunais, não é nenhum exagero classificar suas “parcerias” com o Judiciário como organização criminosa.

  30. Assim como em 1964 a elite e

    Assim como em 1964 a elite e a classe média sentiram no lombo o que os pobres sentiam desde sempre quando encarcerados, a tortura como método preferencial de confissão, as elites e os políticos alvejados pelo golpe de 2016 passaram a sentir o peso com o qual a “justiça” sempre atingiu aqueles que não têm como recorrer a grandes escritórios de advocacia para se defender. (Alguns bem mais que outros, é verdade). Tratamento esse que na verdade começou no julgamento do “mensalão”, quando o próprio PT lavou as mãos em relação aos companheiros condenados, desde que se mantivesse no poder. Entregou os aneis, em seguida perdeu os dedos e muito mais.

    Contribuíram para aceitação pelo sujeito comum, lobotomizado diante da tv, vendo os excessos como “naturais” décadas de programas de tv apresentando linchamentos públicos. Horas e mais horas repetindo-se o jargão “direitos humanos = direito de bandidos”.

    Como esperar, agora, que gente simples compreenda que os abusos contra Cabral, Garotinho, Lula ou qualquer outro que possuiu alguma parcela de poder reforçam os abusos historicamente cometidos contra o cidadão comum, despossuído de direitos?

    Ainda mais quando a mídia hegemônica reforça o sentimento de vingança que as pessoas parecem sentir diante de tais situações, quando o humilhado é um privilegiado, e não alguém do povo.

  31. Parece que ato está tendo sucesso.

    Esta desmoralização pública de qualquer cidadão, é uma demonstração de força, mas mais do que isto, ao humilhar um cidadão qualquer, estes querem reforçar que desconsideram qualquer cidadão. Que querem humilhar uma nação inteira. Como se vê, nos comentários, o ato parece estar tendo sucesso. Vários dos comentários se aproveitam  para atacar todos os brasileiros, a moral do brasileiros, usando inclusive alguns excepcionais brasileiros, como alvo. Assim sob o pretenso ar da crítica a culpa do ponto de retorno segundo estes somos nós os brasileiros. E assim após passar por um golpe, ver todas as nossas instituições destruídas, por membros de uma elite oligárquica que sempre se jactou de estar acima de todos os brasileiros, aos quais não tem nenhuma consideração, eu vejo aqui comentaristas fazerem o mesmo.

    A desmoralização de Cabral faz parte do mesmo sadismo e demonstração de poder de alguns que não se importam em ver seu nome associado à condenação de uma mulher que roubou um shampoo, por 1 ano. Ou de uma mulher que roubou um bico de mamadeira e um litro de leite, ou outra que roubou uma mochila e mais alguns cadernos. Obviamente , estes que condenam, não se importam em ganhar algumas diárias, e ou benesses, estranhas como a ajuda de moradia que já possuem. Mas quando questionados, falam que está tudo dentro da lei. E eu me pergunto porque então compactuam com violações da lei, pois prender por furto famélico é contra lei. Dar penas com uma dosimetria subjetiva e pessoal é contra a lei.  Violar direitos de qualque cidadão é contra a lei. Mas para estes,  obviamente o roubo de um bico de mamadeira e um litro de leite é um crime.

      Para um comentarista abaixo todo criminoso deve ser tratado deste jeito.  Cercado de pessoas cuja culpa, vergonha, ou cinismo é tanto que escondem a própria cara. Quem pensa que estamos vendo a destruição moral de Cabral, saiba que o que estamos vendo é de fato uma demonstração do terror. Como na foto, estão apenas dizendo que o que fazem com Cabral podem fazer com qualquer um de nós.Destruir a moral de todos os brasileiros é um dos objetivos centrais deste golpe, e alguns comentaristas parecem ir sempre nesta tônica. Alguns me parecem até que são pagos para isto, pois me parece uma campanha infinda. Outros fazem parte apenas da mesma elite que tem asco do povo brasileiro, e outros são apenas instrumentos desta elite.

    Isto que anda acontecendo se chama barbárie.

    • O Brasil está rachado desde 2014…

      Isto vai continuar pois sabemos agora que o país está dividido em duas vertentes, a vertente Direita (colonial) e a vertente esquerda (capitalista). Infelizmente a vertente direita (colonial) conseguiu lograr sucesso via justiça para poucos, batedores de panela e golpe de estado. Para mim o ponto sem retorno foi o grampo da presidência, estamos agora do lado de lá da curva. Lula será condenado certamente, mas sem prisão, irá ao STF. O ano será perdido em relação ao diálogo eleitoral positivo. O governo que iniciará ano que vem será pior que este pois mostrará uma esperança para um futuro somente na casca, internamente será um governo de degradação social.

      Estamos vivendo o ciclo eterno da Luta de Canudos!!! 

  32. Modelo americano

    Você já viu essa imagem antes mitas vezes. É um clássico americano. Talvez a coisa seja mais simples. Ridiculamente mais simples. Apenas nossa Polícia Federal fazendo cosplay. 

  33. Pena do Cabral? Pena de Bandido? Pena de Ladrão?

    Bandido tem que ser tratado como tal (era para ser válido independente da classe do Cidadão). Ou o Cabral não fez nada que justifique tal procedimento pela PF? Será que devemos esquecer de seus atos como Político? Se o bandido comum (o Zé) é tratado sempre dessa forma, as vezes, por ter feito algo muito menor, por que o Rico, o que tem amigos poderosos nos 3 poderes não pode ser tratado como Ladrão Comum? A falta de caráter iguala o “zé ninguém” com o “rico alguém”. Mas, não fiquem tristes os apoiadores do Cabral pois, quando sair da prisão ainda terá dinheiro para gastar em Paris e, claro, com guardanapo na cabeça.

    • Corrente nos pés é só para bandido com risco de fugir correndo

      Você acredita mesmo que Cabral em uma transferência de presídio poderia fugir correndo destes policiais? A única coisa que justifica corrente nos pés seria isso ou haver um grupo armado tentando resgatá-lo. Você acredita que Cabral tem uma quadrilha armada fiel (como narcotraficantes tem) que tentaria resgatá-lo para fuga durante o transporte?

      Se acredita, nem corrente nos pés seria adequado, pois precisaria de contingente maior, com viaturas blindadas, os ninjas deveriam estar com fuzis em punho e bala na agulha preparados para reagir a qualquer ataque, e o horário da transferência deveria ser secreto, sem que a imprensa soubesse.

      É claro que Cabral não se enquadra em nenhum dos dois casos. Portanto nenhum preso nas mesmas condições deve ter esse tratamento. Então o objetivo é meramente de ostentação de poder (poder medieval), o que só tira legitimidade do poder judiciário, criado para ser um instrumento civilizatório e não de barbárie.

      • Equidade!

        Defina então o que seja um Bandido Perigoso? Por que não se levantam clamor na mídia quando acontece com um “Fernadinho Beira-Mar” ou um traficante qualquer? Na realidade, os Ricos e os que se acham intocáveis estremecem quando sentem que, as suas portas, estão acontecendo o que é mais comum nas favelas.

        • Porque Beira-Mar lidera bando armado

          Bandido perigoso são aqueles que já protagonizaram crimes violentos, reagiram a prisão com violência, fizeram fugas ou rebeliões.

          Traficantes armados que trocam tiros com a polícia já foram resgatados de hospitais quando feridos, já foram resgatados em traslado para o fórum ou para outro presídio, teve resgate de helicóptero, já teve ataque a presídio, justamente por facções criminosas do tráfico armadas.

          Quem resgataria Cabral? A Polícia Militar que não gosta dele? Os traficantes presos no governo dele? Ele e a esposa tem o histórico de fugas e matança de Bonnie e Clyde?

    • Entendo perfeitamente que

      Entendo perfeitamente que bandidos tipo Cabral causam muitos danos a muitas pessoas pela “drenagem” de recursos que serviriam ao público. Mas bandidos tipo Cabral não estupram, não esfaqueiam, não invadem casas, não colocam pistolas na cabeça de ninguém. São bandidos, digamos, “civilizados” ou não violentos. Então devem ser tratados como tal. Não vejo o que ganhe a sociedade com esses espetáculos, tampouco com a prisão quase perpétua dessas pessoas. Recupere-se o roubado, imponha-se uma pesada multa pecuniária como pena, obriguem-nos a trabalhar como a maioria para ganhar seu pão honesto, proíbam-nos de exercer qualquer cargo importante. Cadeia é para outro tipo de criminoso.

  34. Mais um ponto de não retorno:

    Mais um ponto de não retorno: o dialogo civilizado não é maravilhoso?

    Lembrando que o Bretas twitou que o Limbergh esta fazendo apologia da violencia. Esta nada! O que ele fala não clama violencia alguma.

    Quando houver um lider que, esse sim, levante o povo para uma revolução onde e quando essa corja deixará o sangue dela na sarjeta, ai sim, ele tera de se preocupar.

    Mas cade ele?

    Enquanto ele não surge, dialoguemos.

  35. Recado?

    Se, como disse o Deputado Wadih Damous, a humilhação a qual foi submetido o ex-governador Sérgio Cabral foi um recado para Lula, tenho a impressão que o tiro poderá sair pela culatra.

    Imaginem a repercussão internacional de uma foto semelhante na qual no lugar de Cabral quem aparece é o Lula. 

    Sustentar toda a farsa do golpe por muito mais tempo somente será possível por um endurecimento a níveis pouco vistos nos últimos tempos.

    Acho que os golpistas imaginam que basta impor o choque e pavor (“shock & awe”) em nível nacional para se sustentarem no poder. Acredito que as coisas não se passarão assim tão fáceis.  Internacionalmente os golpistas não terão sossego. Mesmo o governo norte-americano, talvez originalmente na origem do golpe, tal como em 1964, terá dificuldades em sustentar publicamente seus prepostos. Talvez, inicialmente, ainda durante a administração Trump, não tenham escrúpulos em assumir seu apoio. Mas depois o escândalo será muito difícil de abafar.

    Algo tal como ocorreu com a subida de Jimmy Carter ao poder. E o governo Trump já tem data para terminar.

    Entretanto, os tempos hoje são diferentes. Tanto que os métodos golpistas também são. O golpe, hoje, independe do governo a ser eleito em 2018. O estado policial que presenciamos não é sustentado pelo atual governo fraco de Temer. Este quase caiu, em maio deste ano e também é refém das falanges golpistas. O golpe não se encerrará se Lula, o PT ou a esquerda vencerem as eleições.

    Os golpistas responsáveis pelo estado policial e que hoje detêm o poder encontram-se, supostamente, protegidos nas sombras das togas. Mas estas também se encontram esgarçadas.

    Se forem inteligentes não cometerão o erro de publicamente expor Lula a fotografias e a situações humilhantes.

    Com ou sem a humilhação pública de Lula, a história não terminará com uma condenação ou eventual prisão de Lula. O mais provável é que ela esteja apenas começando.

    A previsão é a de que teremos tempos muito instáveis pela frente.

    • repercussão internacional?

      Nenhum país sério do mundo interfere em assuntos internos de outro país. É dogma.

      Um exemplo entre vários. Erdogan claramente inventou (ou favoreceu) um golpe de araque apenas para justificar, no contragolpe em defesa do seu governo eleito e constitucional, a aniquilação do kemalismo na Turquia (expurgando os kemalistas de seus maiores redutos: as forças armadas e as universidades), abrindo as portas para implantar um Estado religioso no país. 

      A única reação séria a esse golpe turco foi fornecer a desculpa que faltava para a União Europeia engavetar a pretensão da Turquia de ingressar no grupo (projeto kemalista que pelo jeito Erogan não aprova, o que no caso junta a fome com a vontade de comer).

      A única reação diante de uma possível prisão de Lula virá de países bolivarianos (notadamente Maduro) e das trocentas mil entidades libertárias (não governamentais) do mundo, que clamam no deserto há uns 50 anos. Além, é claro, dos gurus libertários de sempre, que o mainstream considera folclóricos e inócuos (como de fato são).

      De todo modo, é melhor mesmo que não haja interferências externas nas coisas do Brasil.

      Esse imbroglio é nosso e cabe a nós encontrarmos um jeito de sair dele.

       

      • Oxente AF!!! E o que fazem

        Oxente AF!!! E o que fazem esses destrabelhados agentes quinta-colunas, à soldo do Tio Sam espalhados em tudo que é lugar do mundo? 

        Por acaso. Tu faz fé nessa lavajatense operação anti-corrupção fajuta? Quiçá, vosmecê tá de gozação… e eu, não percebi….

        Isso sem considerar que, em abril de 1964 ainda no primeiro turno do combate à corrupção no Brasil. a moralista campanha encetada por imorais subalternos dos honéstíssimos agentes do  Tio Sam, aceitaram calados, a quarta frota da armada norte-americana fundeada nas costas do Nordeste. Na certa pros marines tomar banho de mar…né? 

        Não diga que vosmecê acredita nessa lorota de combate à corrupção. Ontonce. Como explicar em quase 4 anos de permanente carnavalização do rei momo, digo, Moro, onde o carnavalesco juizeco de Curitiba se revelou incapaz de fisgar um banqueiro sequer, muito menos, um tucano de bico longo. Ora! Me deixe viu?

        A propósito. Tu faz ideia de quem tenha sido Simón Bolívar? Por certo não o confude, com um Silvério dos Reis, ou, um Michel Temer, um fhc qualquer…pois não?

        Orlando

  36. Em sua ‘Divina Comedia’,

    Em sua ‘Divina Comedia’, Dante Aleghieri e seu companheiro de viagem, o poeta Virgilio, atravessam o rio Caronte e dali entram no primeiro círculo do Inferno. Juntos, descem, círculo por círculo, até o nono e último – que é frio e é, por acaso, onde ficam os traidores, todos sempre devorados por Lúcifer! -. Apenas chegando ao centro da Terra é que conseguem encontrar o tunel que sobe e leva à saída. Por sinal, é desse túnel que eles vislumbram quatro estrelas – curiosamente o Cruzeiro do Sul -, que indicam o rumo do Paraíso, e mesmo assim, para lá chegar ainda é necessário passar pelo Purgatório.

    Moral da história: tem muito chão pela frente ainda!

  37. As elites no Brasil, ou ao

    As elites no Brasil, ou ao menos parte delas, resolveram assumir um claro valor popular: a de que para se obter a justiça os fins justificam os meios.

    O povo brasileiro sempre achou “frescura” coisas como ‘direitos humanos para criminosos’; ‘prisão apenas em flagrante’; ‘provas só são válidas se obtidas de forma legal’; ‘prisão é para retirar da sociedade e privar de liberdade, e não para torturar com uma vida dura e sem conforto’ e, mais do que tudo, ‘todos devem ser considerados inocentes até que haja provas reais e críveis do contrário’.

    Para o povo (que raramente se beneficia desses conceitos legais, diga-se), essas são estratégias que a elite usa para sempre se dar bem, para sempre sair ilesa dos crimes que comete.

    Essa nova safra de juízes federais e procuradores resolveram usar esse senso-comum para relativizarem a legislação.

    No país onde tradicionalmente há leis que pegam e leis que não pegam, a lei da presunção de inocência deixou de pegar.

    Se “todos sabem” que alguém é corrupto, o processo é mera formalidade que não necessita de fatos de provas da corrupção: objetivo é a condenação e ponto.

    E quem pauta esse “todos sabem” é a grande mídia, essas grandes corporações neoliberais absolutamente engajadas na luta contra o trabalhismo no Brasil.

    Demos um passo brutal para trás em nossa estrutura civilizacional. A barbárie popular foi abraçada por parte das elites.

    Vemos setores das elites – conservadores em vários aspectos, mas orgulhosamente legalistas – estupefatos com tudo isso, sem saber o que fazer.

    Sinceramente, fica claro como o PT jamais esteve à altura da tarefa que assumiu em 2002.

    Paralisado pelos várias setores que se degladiam pelo seu controle e travado no “volta Lula” como solução mágica, não vemos o partido articulando as forças legalistas do país (muitas delas tucanas) para restabelecer a democracia. 

    Estamos sem rumo. É nessas horas que condutores aparecem para guiar (e cegar) as massas. Entre Dorias e Bolsonaros, pode surgir coisa ainda pior…

     

     

     

  38. Essa foto é marcante mesmo.

    Essa foto é marcante mesmo. Fico eu a me perguntar perplexo porque esses policiais se fantasiam de ninja para conduzir um senhor cinquentão desarmado e debilitado?! 

    Não é questão de ter pena do Cabral. Nem de relativizar sua culpa. Mas para que essa palhaçada? Ridículo, e é bom lembrar que somo nós contribuintes que pagamos para esses marmanjos ficarem brincando de filme policial americano. Vão à merda! (junto com o Cabral)

    • Sérgio Cabral e sua Prisão!

      Sérgio Cabral é um bandido perigoso! Quem trabalha no Governo do Estado do Rio de Janeiro e acompanhou a trajetória deste crápula é que sabe o mal que este sujeitinho com a sua gang fez ao Estado do Rio de Janeiro e à sua população! O slogan que seus marqueteiros criaram (“SOMANDO FORÇAS”), era na verdade a senha para o assalto! Este artigo é uma defesa deslavada de um criminoso igual ou pior que o Fernandinho Beira-mar e o Marcola! Os policiais não estavam usando tocas ninjas, o nome militar da ferramenta é BALACLAVA! Ele deve ser usada para impedir a identificação dos agentes e assim protegê-los e à sua família! Não esqueçam que este marginal ameaçou em uma audiência o Juiz Marcelo Bretas e sua Família! Vocês não tem ideia da rede criminosa que este homem criou junto com o MDB e aliados! O Rio de Janeiro está no sufoco por causa dele e de quem o apoiou! Sou marido de uma servidora estadual concursada, que encontra-se com o seu salário atrasado por causa deste gangster e seu cúmplices! Não venham pedir carinho e respeito para bandido! Peçam respeito para os milhares de SERVIDORES ESTADUAIS que estão passando fome e morrendo à mingua!

  39. Porque defender bandidos?
    A poucos dias vi um comentário atribuído ao Gilmar Mendes, que dizia soltar os bandidos em defeza do povo, porque amanhã pide “ser você “nesta situação. Bem, eu não devo, por isto não temo e tem mais, sou pobre e este ministro só tem soltado rico, enriquecido pela corrupção e também não sou corrupto. Desta forma, não me enquadro em nenhuma das prerrogativas do Gilmar para ser solto, por isto, amanhã não serei eu a ser solto e finalmente, não entendo que preciso defender bandido. Agora uma pergunta: Será que amanhã será você que escreveu esta matéria em defesa de bandidos e contra a acão (finalmente) da lei e da justiça? Ou amanhã será você Gilmar, que vai precisar de uma canetada de um juiz leniente para fugir da justiça?

  40. Justiça ou Injustiça?

    A comparação entre as fotos do Cabral sendo tranferido e de uma execução sendo cometida pelo Estado Islâmico é um dos pontos mais baixos da carreira do Nassif como jornalista. Haja limite para o sensacionalismo e a forçação de barra! Outro dia, o Nassif, “inocentemente”, disse ignorar a natureza política do Garotinho em uma matéria. Da mesma forma, ignora nesta matéria o absurdo de o Cabral continuar a subornar e até nomear aliados mesmo dentro da prisão. Aliás, o sistema prisional corrupto continua lá intacto, apenas o Cabral foi transferido.

    Mas, transferir o Cabral era necessário. Pode-se criticar a questão das algemas, da exposição … Mas, no fundo, fingir que não se via a esculhambação do tráfico de influência e dos subornos do Cabral é vergonhoso!

    O blog está correto em denunciar a juíza que manda pra cadeia ladrões de galinhas e pequenos consumidores de drogas. Mas, não sejamos hipócritas, como Gilmar Mendes, ao confundir a falta de direitos humanos para os mais pobres, historicamente discriminados por nossos sistemas jurídicos, com a impunidade reinante aos mais poderosos. E até que ponto os que denunciam um certo desvio da Justiça ao punir preferencialmente Petistas, não estão mais preocupados em garantir a impunidade dos aliados, do que estender a justiça a todos igualmente. Fica no ar um certo cheiro de crítica preventiva, com segundas intenções. Às vezes, até elogiam o Gilmar Mendes, especialista em ações preventivas pros seus amigos.

    Mas, o ponto central aqui é: foi justo ou injusto transferir o Cabral para Curitiba?

    No atual momento do país, vozes de esquerda a defender que isto foi injusto nada mais fazem do que se demoralizar e fornecer argumentos aos imbecis bolsonaristas.

    • Prezadoum mínimo de

      Prezado

      um mínimo de discernimento de sua parte não lhe faria mal. É óbvio, evidente, achapantemente claro que não estou criticando a remoção da Sérgio Cabral para Curitiba, mas o espetáculo dantesco de um preso algemado, acorrentado, sendo conduzido por policiais fantasiados de segurança de presidiário.

      Capriche mais na próxima crítica, me criticando pelo que eu digo, não pelo que você imagina que eu disse.

    • Por que transferir e não prender quem ele subornava?

      Sem querer você faz uma denúncia grave: “… no fundo, fingir que não se via a esculhambação do tráfico de influência e dos subornos do Cabral é vergonhoso!”

      Ora, se havia tudo isso dentro do presídio, tem algo de errado também com a Vara de Execução Penais (do poder judiciário) e do Ministério Público (com poderes de investigar e fiscalizar até dentro do presídio se lá se comete crimes).

      Em vez de investigar quem traficava influência e era subornado, transferiram para não investigar e encerrar o assunto?

  41. Povo

    Nos temos um grande problema a resolver: o povo. Para sairmos dessa época de trevas nos precisaremos do povo. Precisamos ser Nação e quebrarmos as algemas que nos colocaram para dizermos que Pais queremos ser: que não é esse que ora temos. Mas como falar em povo, nação, se sabemos que o povo esta distraido com o facebook, novela, futebol, séries, qualquer coisa que não o deixe pensar… E que manipulem suas opiniões. Nem seria preciso ler Jessé de Souza para entender o tamanho da cratera que temos entre uma grande parte da população e aquela instruida historica e politicamente. Se ha algo que espero que aconteça em um proximo governo popular é que reformem com vigor a educação. Não precisa-se de computadores, materiais complexos, super profissionais. Precisa-se de um professor bem formado, bem remunerado e que se acentue o cuidado no ensino de historia, sociologia, literatura, poesia, musica, teatro…

    Sem um povo minimamente instuido, que leia e que entenda, estaremos fadados a sermos marionetes nas mãos dos que controlam o poder.

    • Maria Luisa,
      Leio sempre seus

      Maria Luisa,

      Leio sempre seus comentários, todos ponderádos e lúcidos. Concordo com a maioria deles.

      Mas sobre este, colocando a educação como um atributo que leva um povo à prosperidade econômica e cultural, faço algumas restrições. Não é difícil apontar países com educação primorosa que têm populações alarmantemente alienadas do mundo e de seus graves problemas. A educação de que falo – aquela proporcionada por uma boa formação escolar – é decisiva em alguns aspectos, como desenvolvimento científico e tecnológico, a formação de mão-de-obra, etc. Mas nunca será suficiente para a formação da consciência política e, especialmente, seu aspecto eleitoral. 

      Sempre me pareceu que a escola, no Brasil, tem um ranço elitista, uma idéia de que cada um tem que se formar para ter “sucesso na vida”, ignorando o social, a importância de educar para o coletivo e para o social. Igualmente sempre me pareceu evidente que uma educação realmente eficiente para a formação do “humano” nunca se pode dissociar de um padrão de vida decente para todos. Crianças mal nutridas, morando em locais insalubres e carentes de infraestrutura, com pouca atenção da família, que precisa trabalhar exaustivamente para conseguir criá-las, terão muitas dificuldades para “render” na escola e assimilar valores de cidadania essenciais à vida em sociedade.

      Por isso não  vejo a educação como antecedente, mas como concomitante com a melhora de outros índices civilizatórios.

      Um abraço.

      • Cara Zuleica

        A discussão é justamente essa: nos formamos pessoas para o trabalho, mas não formamos pessoas com conhecimento da critica e da razão.

        Meu filho de oito anos estuda numa escola publica num bairro meio classe média meio popular em Paris. Ele estuda numa escola com crianças de origens diversas, algumas mal falam francês. Na escola eles têm coral, instrumento, pintura, toda semana uma poesia, toda semana traz um livro da biblioteca para casa, no mês de outubro a classe dele à uma livraria onde cada criança pode escolher um livro de até 15 euros. Além das saidas aos museus e outros passeios culturais pelo menos uma vez por mês. E vejo o quanto a escola francesa trabalha textos, retira trechos de textos de grandes autores e trabalha em sala de aula com as crianças, assim como poesia e musica. A professora da classe de meu filho faz duas vezes por semana um ateliê de filosofia com as crianças. E trabalha-se também bastante matematica. Eu tinha pensado em colocar meu filho numa escola particular com uma outra proposta pedagogica, mas finalmente o deixei na escola publica porque senti o interesse e compromisso da maioria dos professores e diretora da escola com aquelas crianças. E para aqueles que não falam francês bem ou tem problemas de aprendizagem, eles têm o acompanhmento de um professor que vai trabalhar com um grupo reduzido de no maximo 6 alunos os pontos fracos dessas crianças.   

  42. O dia nacional da infâmia,
    O dia nacional da infâmia, sim Nassif, pra mim esse foi o auge do golpe como disse em outras oportunidades aqui no seu espaço.

    Foi tão chocante ver aquela cena dantesca no jornal nacional veiculando uma conversa particular entre dois presidentes da república, ou melhor dizendo, grampearam e divulgaram a figura da presidência da república, ali foi o ponto de não retorno, o irresponsável do Janot inventou uma viagem ao exterior como se não fosse nada com ele, e o Salvanarola tupiniquim autorizou o grampo e disse que era de interesse público a divulgação dele, como se não houvesse constituição federal que manda nesses casos o processo para o STF; O STF é o órgão de todos estes aí que mais está faltando com a república, o Moro era pra estar preso desde então tamanha ousadia e irresponsabilidade, como não tem ninguém no supremo com coragem e responsabilidade pra fazer valer a lei maior do nosso país estamos nessa, o Teori mesmo só fez uma mera repreensão e aí o Salvanarola achou que fosse Deus mesmo e desde então as nossas instituições se reduziram a pó, ninguém respeita nada e aí vamos de golpe em golpe.

  43. Não estou aqui para defender
    Não estou aqui para defender nenhum dos acusados, o que me preocupa é o novo código penal instituído no Brasil, sem a alteração ser votada no legislativo, e sem decreto do executivo, “entendimentos” nunca vistos antes, com andar desta carruagem a população não sabe onde poderemos chegar, desta maneira poderemos atingir o dia em que, quando formos nos casar, o digníssimo “entenderá” que o direito da primeira noite é dele, que deveremos buscar a noiva no dia seguinte, não há contestação, não existe outra opinião, apenas da República Judicial, não defendo o Cabral, não sou louco, mas exageros estão ocorrendo, o que fizeram tb com o Garotinho, clara perseguição Judiciária. Meus irmãos, nosso exemplo é Cristo, não homens que se vangloria, tenho defeitos todos tem, vc tem?, caso tenha reflita e veja se estes homens que ganham fábulas acima do teto salarial tem o minimo de moral para exigir qualquer coisa.

  44. Quando o erro é grotesco, deve ser álibi p/ prisão domiciliar

    Quando o erro é grotesco demais, há grande chance de ser de propósito: criar um álibi para os tribunais superiores mandarem-no para prisão domiciliar com tornozeleira.

    Cabral tem amigos no judiciário (apadrinhou ministros nos tribunais superiores e como governador nomeou e apadrinhou desembargadores e procuradores de justiça). Dizem que tem até gente graúda de toga a quem delatar. É do time do governo golpista, que não tem o menor interesse em execrá-lo em praça pública. Os maiores problemas de Cabral são na 1a. instância. Quando subir, não ficará impune mas deve responder por crimes mais leves (só os que ele admitiu e os que tiverem batom na cueca).

    Então alguém monta esse circo todo. Deixa indignado até quem é contra Cabral, mas não é bárbaro. Aí vem algum Gilmar chamando as falas quem fez isso (cujo comando não aparece, como no caso da gravação sem áudio) e, para conter o estado policial e restabelecer o estado de direito, manda Cabral para prisão domiciliar na sua mansão em Mangaratiba.

    • O que ganha a sociedade

      O que ganha a sociedade trancafiando Cabral e outros criminosos do mesmo tipo? Por mim, o confisco dos roubados e mais uma multa pesada, perda de direitos políticos a par da divulgação dos atos, já seria pena suficiente. Cadeia é para assassinos, estupradores, assaltantes à mão armada.

      • Também penso que só perde.

        Como cidadão, prefereria que um corrupto (que rouba por dinheiro) perdesse todo o dinheiro do que deixá-lo preso e rico (geralmente preso em cela por pouco tempo). Me lembro até daquele filme “O último imperador”. No final, a pena do imperador chinês corrupto foi voltar a ser um cidadão trabalhador normal, perdendo tudo o que tinha.

        O que quiz dizer é que pode ter havido um golpe de esperteza da defesa de Cabral, e de seus amigos na PF e no judiciário, para fazer as correntes nas pernas serem passaporte para uma tornozeleira.

  45. Caro jornalista, vamos por

    Caro jornalista, vamos por partes destrinchar seu texto.

    Apenas lhe informando, um texto jornalista deveria entregar a notícia, não tentar persuadir pessoas a terem o mesmo apreço político de quem o escreverá.

    Acerca da interceptação telefônica, foi solicitada pelo mencionado juiz, para integrar a investigação criminal que compõem o processo do sr. Luiz Inácio. Informo que não houve erro de processo nem ao menos abuso por parte da autoridade que solicitou. Reafirmo para que fique claro, o alvo da interceptação era Luiz Inácio, e qualquer ligação realizada ou recebida pelo mesmo é alvo de interceptação. A excludente só vale para as conversar entre o acusado e seu advogado, Dilma Rousseff não era advogada do acusado, e caso o advogado esteja envolvido com o crime o sigilo não existirá. Pesquise um pouco a CF/88, a Lei 8.296/96 e Info. 541 do STJ-2014.

    Sobre a investigação de desvio na faculdade, você diz: “Que procedimento poderia justificar a convocação de uma quase força nacional para conduzir seis pessoas inofensivas, em uma investigação de crime administrativo, que não requeria nenhuma ação espetaculosa? ”. Quem desvia 100 mil não é inocente, quem desvia R$1000, também não é inocente, nem quem desvia R$1 é inocente também.

    Trataremos agora o assunto condução coercitiva, a lei não é tão clara, ERA permitida em qualquer momento, sobre qualquer circunstância, tendo o alvo sido intimado ou não. Apenas no dia 19/12/2017, o STF, proíbe a condução coercitiva sem prévia intimação. Após a data, não foi realizada nenhuma condução fora dos NOVOS padrões.

    Para concluir, na figura, foi vexaminoso comparar a transferência de Sergio Cabral, um criminoso, com a execução de um inocente pelo EI. Para que tome ciência, os policias podem e devem usar a vestimenta na cabeça. Caso, fosse o jornalista, um concursado da PF, participando de investigações, ações, prisões, dentre outros, não iria querer ter sua cara exposta, pois pode sofrer represália e ter a família como alvo de um atentado ou ameaça. Militares e policiais devem ser o mais discretos possíveis!

    • Prezado:
      1. Já ouviu falar em

      Prezado:

      1. Já ouviu falar em jornalismo opinativo? De onde tirou que jornalista não pode ter opinião? Não consegue diferenciar reportagem de artigo?

      2. A gravação foi feita depois de encerrada a autorização, por isso ilegal. O fato do juiz ter dado divulgação, sabendo que na outra ponta havia uma presidente da República, seria considerado crime em qualquer país minimamente democrático.

      3. A condução coercitiva é abusiva, mesmo se fosse legal. E não é legal porque vocÊs usam, por analogia, a prisão preventiva e não obedecem aos seus requisitos.

      4. Faça um curso de interpretação de texto. Se o desvio fosse de R$ 100 mil ou de R$ 1 milhão, convocar mais de uma centena de policiais para uma mera operação de condução de testemunhas à delegacia é desperdício. Que raios de PF é você? O tamanho da equipe deve ser proporcional à complexidade do caso, ,não aos valores. 100 pessoas para conduzir 6 professores à delegacia é desperdício de recursos públicos em qualquer circunstância.

    • Sente o drama , meu querido !

      1) “O texto jornalistico deveria entregar a notícia, não tentar persuadir pessoas a terem o mesmo apreço político de quem o escreverá” , se conseguir citar um único veículo de mídia da atualidade brasileira – seja da internet ou da TV paga ou aberta – que siga isso que citou , então eu concordo com você.

      Ao menos neste blog – ao que parece –  o jornalista não se utilizou de vazamentos de autoridades para tentar persuadir seus leitores , como tem sido pratica de alguns juizes , procuradores e delegados ao se aliarem e elegerem alguns veículos de mídia como vazadores oficiais da LAva JAto para conseguirem persuadir o apoio da população para seus objetivos políticos. Isso sim é grave , já foi denunciado e passa ao largo de investigação. Num dos depoimentos de Lula , o advogado de defesa denunciou ao vivo que a audiência estava sendo vazada on line para o site O ANTAGONISTA. Esse foi apenas um entre inumeros casos. 

      2) Há de se ressaltar ainda , em relação ao grampo da conversa Lula – Dilma , a velocidade recorde com que foi identificada no sistema de grampos da Policia Federal  e divulgada para a Rede Globo . No site Conversa Afiada do PHA , ele é esclarecedor : 

      ‣ às 11h00 se encerrou prazo para o Juiz Imparcial de Curitba poder grampear Lula e a Presidenta;
      ‣ às 13p0, o Juiz Imparcial de Curitiba grampeou uma conversa entre os dois, ou seja, duas horas e meia DEPOIS DO PRAZO que a Justiça tinha concedido ao Imparcial de Curitiba;
      ‣ às 15p0 a GloboNews Investment BV divulgou o grampo: com áudio e texto.
      Portanto, DUAS HORAS DEPOIS DE O GRAMPO TER VISTO FEITO, ILEGALMENTE!
      Numa das audiências do Imparcial de Curitiba, Zanin perguntou a um dos delegados federais incumbidos de comprar, instalar e fazer funcionar o Guardião (que já nasceu na sombra…), o sistema que a Polícia Aecista Federal e o Ministério Público (sic) Federal compartilham: quanto tempo, NA MÉDIA, o sistema Guardião leva para localizar e identificar um grampo?
      Depois de feito o grampo, quanto tempo leva a Polícia ou o MPF para localizar um único, entre os milhares, milhões, trocentos grampos feitos?
      Resposta: na média, QUINZE DIAS!
      QUINZE DIAS!

      https://www.conversaafiada.com.br/brasil/quem-ajudou-moro-a-achar-grampo

      3) Ainda que , por uma abstração , se conclua que tenha sido legal o grampo – conforme alegado pelo leitor –  sua divulgação – sem sombra à dúvida – extrapolou os limites de poder de Sergio Moro , conforme explicou o advogado Cezar Roberto Bitencourt, professor de Direito Penal da PUC do Rio Grande do Sul, lembrou que (em reportagem no site Consultor Jurídico), “no momento em que o telefone interceptado conecta-se com autoridade que tem foro privilegiado, o juiz não pode dar-lhe publicidade”.

      4) Quem desvia R$1 , R$ 100 mil ou  R$ 1 milhão  , são todos culpados.

      E assim como ao judiciário cabe ministrar a pena em proporção ao agravo cometido , não cabe igualmente à administração pública empregar recursos em proporcionalidade ao que se espera investigar e reverter ao patrimônio público? Isso não vale tanto para a Policia Federal , quanto para a Receita Federal e todos os demais órgãos?  Não há a diretriz consagrada do  princípio da proporcionalidade.

      Segundo o mestre Dirley da Cunha Júnior, a proporcionalidade “é um importante princípio constitucional que limita a atuação e a discricionariedade dos poderes públicos e, em especial, veda que a Administração Pública aja com excesso ou valendo-se de atos inúteis, desvantajosos, desarrazoados e desproporcionais”.

      Um reitor é suspeito de desviar R$ 100 mil , monta-se uma operação de guerra.

      Um senador da República tem meia tonelada de cocaina encontrada em seu helicoptero , fica todo mundo quieto , devolve-se o helicopetro a ele e ainda lhe pedem desculpas. 

      Consegue ver alguma coisa errada aí , no funcionamento dessa instituição , meu senhor ? 

    • A condução de Sérgio Cabral é um ponto de não-retorno

      antes de mais nada, arkx declara de livre e espontânea vontade ter sido este comentário postado sob o IP 192.168.43.115.

      em artigo sobre a Operação Mãos Limpas, Sérgio Moro demonstra plena consciência de um grotesco desdobramento político daquela ação judicial:

      “Tendo ou não Berlusconi alguma responsabilidade criminal, não deixa de ser um paradoxo que ele tenha atingido tal posição na Itália mesmo após a operação mani pulite.”

      Sérgio Moro, “Considerações sobre a operação Mani Pulite”, 2004

      com efeito, assim como acabou sendo na Itália também foi o mesmo no Brasil.

      há um cadáver no meio da sala: uma seletiva, autoritária e partidarizada Lava Jato tendo como resultado anunciado conduzir à Presidência do Brasil um político impopular, inelegível e incapaz de resistir a qualquer investigação isenta, repetindo os mesmo catastrófico desdobramento da “Mãos Limpas” italiana, em cujo rastro Berlusconi chegou ao poder.

      a Lava Jato é um processo imbricado inevitavelmente com a política. não pode ser reduzida a seus aspectos puramente técnicos jurídicos. trata-se fundamentalmente de financiamento empresarial de campanha eleitoral, com objetivo de apropriar-se de recursos públicos.

      os grandes empreiteiros financiam as campanhas eleitorais como um investimento cujo retorno se dá por inúmeros favorecimentos em concorrências, aditivos de contratos, superfaturamentos. este mecanismo foi exposto pela Lava Jato.

      os banqueiros obtém o retorno de seu investimento nas campanhas eleitorais através da Selic,  dos swaps cambiais, do spread bancário e da política econômica voltada para os interesses do mercado financeiro. seus  operadores são o Copom, o BC e o Ministério da Fazenda, fazendo com que 45% do orçamento público se destine ao pagamento de juros.

      apesar disto, a Lava Jato jamais ousou penetrar no coração das trevas da corrupção do sistema financeiro, para investigar também as doações eleitorais vindas dos banqueiros.

      após quase 4 anos de Lava Jato os banqueiros ainda se mantém, como contra-partida de seu financiamento de campanhas, como os verdadeiros “donos” de uma política econômica anti-democrática e claramente lesiva aos interesses da maioria da população e mesmo à própria soberania nacional.

      após quase 4 anos de Lava Jato a corrupção continua escancarada, com a compra de votos à vista de todos para manter Temer e sua quadrilha no governo e aprovar as contra-reformas regressivas que convertem o Brasil numa neo-colônia semi-escravocrata.

      a Lava Jato prometeu passar a limpo o Brasil, e tão somente reproduziu um secular Judiciário fora da lei. anunciou-se como instrumento de superação de um capitalismo de cumpadrio, e gerou a infame indústria das delações premiadas. seu resultado final será a definitiva descrença popular no Judiciário brasileiro.

      a tragédia dos gigantescos prejuízos sociais, econômicos e políticos acarretados pela Lava Jato são a consequência inevitável e proporcional de sua farsa no combate à corrupção. e disto nenhum de seus participantes, seja em qual nível for, estará isento de ser responsabilizado.

      não esqueceremos. não temos misericórdia.

      .

    • Pelo teor do texto, carregado de arrogância típica de

      bacharel brasileiro, e um português ampolado deixando a mostra relentos de pensamento cripto-fascista, o autor deve ser delegado da gestapinho tupiniquim, quiçá procurador do SD tupiniquim.

      O nosso LN tem essa capacidade de atrair essas moscas com alguns dos seus textos.

      Aliás é tão descarado que só quando trata do judiciário tupiniquim que aparecem aqui essas moscas. No resto nos deixam em paz.

      • Eh Lionel, vosmecê

        Eh Lionel, vosmecê identificou bem o perfil do gajo pelo o nhe nhe nhe. É isso mesmo. Essa é a linguagem típica do bacharelzinho autoritário e boçal, incapaz de ocultar o pendor fascistóide de seu limitado repertório intelectual.

        São os famosos concurseiros. Novos espécimes que proliferam como praga voraz, que tem infestado, preferêncialmente as pastagens do serviço público no Brasil. São os Moros, Bretas e Dalagnoll. Todos, ancorados e bem abrigados sob o guarda-chuva estatal. No: judiciário, no mp, na pf, et caterva.

        Orlando

    • Nao tem base para levantar o grampo

      O poder judiciario é independente justamente para não ser exposto as pressoes e nem se partidarizar. O afastamento do sigilo da interceptação de Dilma foi um crime. A lei de intercepação telefônica diz que o juiz deve preservar o sigilo e o que não interessar a investigação deve ser destruído. Ele criou um grande estrago político quando mandou o grampo de Dilma para a globo. O grampo foi anulado depois por Teori justamente pela atitude inconsequente do juiz de levantar o sigilo, ainda mais para uma autoridade com prerrogativo de foro. 

  46. Uma estratégia avassaladora
    Uma estratégia avassaladora para desmascarar o MPF e associados é Lula perdoar publicamente ao Palocci,abrir-lhe todas as portas e pedir q denuncie publicamente o achacamento no cárcere,podem ter a certeza q somente por causa deste meu comentário,sairá o acordo de delação do Palocci pq quem tem,tem medo!
    Obs: Comentário efeito Tacla Duran !

  47. Nassif, fica tranquilo. Agora
    Nassif, fica tranquilo. Agora o povo vai poder dizer o que é preciso fazer para que o Brasil se torne o país que todos queremos. Temos que agradecer mais uma vez à patriota nacionalista e desinteressada Rede Globo. Produção gratuita de conteúdo, pesquisa qualitativa de graça e os que não resistem aos 15 min globais vão trabalhar de graça por 30 segundos no ar. Campanha por um voto consciente? Votar bem para o CONGRESSO? Não. O importante é escolher gente do porte do Meirelles ou Huck – gente competente e bem sucedida. Que m*** Será que importa em quem vamos votar para presidente? Vamos ter eleição para o cargo? A experiência dos últimos 04 anos – na verdade dos ultimos 500 –
    mostrou que temos uma questão, uma vulnerabilidade no Congresso. E somos responsáveis sim por tudo o que está rolando. E pelo que vai rolar. E me cheira muito mal…

  48. E o TRF 4 na farsa?

    Quais os argumentos que os desembargadores usarão para condenar o Lula? Irão encampar o ato de “oficio indeterminado”? Irão referendar “propriedade de fato” mas sem registro e sem posse ? Como enfrentar o trecho da sentença que Lula é culpado porque não negou na epoca uma reportagem do Jornal O Globo (credibilidade abaixo de zero) sobre o triplex? E dizer que o dinheiro saiu de uma conta que o juiz de piso não autorizou rastrear e depois nos embargos afirmou que não tem nenhuma relação do dinheiro da OAS com contratos com a Petrobras? Se os argumentos dos desembargadores forem tão pífios quanto esses do Moro, o poder judiciário que será condenado, Simples assim e Lula dormirá o sono dos justos.

      

     

  49. A partir de agora eu só me

    A partir de agora eu só me referirei àquele dito juiz paranaense como “Caifás” de Maringá.

    Vamos ver se na quarta teremos um novo “julgamento baseado na infâmia” como já tivemos ao longo da história: Dreyfus 1894, Rosenberg 1948, Mandela 1964.

    Que a lata do lixo da história, tão pródiga e lotada com os McCarthy, Hoover e Cabo Anselmo da vida, esteja mais pronta do que nunca para acolher Moro, Bretas, Dallagnoll e quetais.

  50. Sobre a marchinha do

    Sobre a marchinha do Gilmar

     

    Se o ministro Gilmar Mendes esgrimava em busca da glória, já pode vestir o pijama e relaxar. Seu nome estará gravado para sempre no anedotário brasileiro, consagrado em uma indestrutível marchinha de Carnaval. Olhando para este episódio, é impossível não lembrar da marchinha, composta sobre a melodia de “Marcha, soldado, cabeça de papel”, que foi sucesso no Carnaval de 1915: ”A minha sogra morreu em Caxambu/ Foi pela urucubaca/ Que lhe deu o seu Dudu./Ai Filomena/ Se eu fosse como tu/ Tirava a urucubaca/ Da careca do Dudu”. Até hoje esta marchinha é cantada, embora já todos desconheçam quem seria o personagem glosado por ela. Dudu era o apelido do controverso presidente Hermes Rodrigues da Fonseca e a marchinha, que tinha a intenção de evitar que Hermes fizesse seu sucessor, funcionou ao contrário, dando-lhe tal popularidade que seu candidato à presidência, Venceslau Brás, obteve 90% dos votos.

    A marchinha do Gilmar foi composta por um gigante da música popular brasileira, João Roberto Kelly, um rei coroado quando se trata de marchinhas de Carnaval. Autor dos clássicos  “Mulata Bossa Nova” e de “Cabeleira do Zezé”. Isto garante que daqui há cem anos o Gilmar ainda será cantado e só consultando os registros é que se saberá quem teria sido ele na História do Brasil.    

    Claro que a marchinha pretende espinafrar o ministro Gilmar, chegando ao ponto de com malícia ferina por em dúvida a honestidade do ministro, especificamente por seus seguidos Habeas Corpus.  Mas, aos que estão cantando felizes a marchinha de J. R. Kelly, cabe lembrar as palavras do professor Lenio Streck, que pondera: “Quem vibra com gol de mão não pode se queixar se seu time perder com gol de mão.”

    O professor Lenio Streck publicou um artigo recente no Consultor Jurídico, intitulado “A lavajatolatria, o Carnaval e os Habeas Corpus de Gilmar Mendes”, no qual puxa as orelhas de quem pretende atacar o Gilmar por seus Habeas Corpus e acaba atacando o próprio instituto do Habeas Corpus, demonizando-o como sendo um instrumento para soltar ricos.

    Tentei levar esta questão ao meu Conselho de Amigos, e um amigo mais afobado logo falou que o professor Streck “vá problematizar na Cochinchina, porque não se está atacando o Habeas Corpus e sim falando que o Gilmar é um traste!”  

    Mas aí, ponderei, o Professor a ele responderia com esse trecho de seu artigo:

    “Será que o carnavalesco autor da pândega marchinha sabia que a maioria dos Habeas Corpus de mães com filhos menores de 12 anos foram concedidos pelo ministro Gilmar Mendes? Muitos de forma monocrática. Os exemplos são muitos. O que dizer do HC 141.201 (furto de uma correntinha avaliada em R$ 15)? E da tentativa de furto de uma barra de chocolate (HC 141.410)? Furto de 18 tijolos (HC 139.248), no valor de meia dúzia de mirreis? Isso daria marchinha, não? “Iscondoô lelê, furtou uns tijolinhos para construir seu puxadinho e foi emparedado…”. E do furto de roupas em varal (HC 127.266)? Céus. Como isso chegou ao STF? Isso tudo daria uma boa marchinha de Carnaval. Alô, alô, justiça, por que tem 726 mil presos no Brasil, dos quais 280 mil ainda não foram julgados?”

    Pensei que o amigo afobado estaria finalmente na lona, quando ele retrucou:

    “Não me diga! Ô homem santo, esse Gilmar! Só faz coisas boas! Que menino bonzinho…!”

    Ainda me deu vontade de dizer que o busilis da questão seria o momento político. No atual momento político não se deve estimular nada que venha a ameaçar a burla ou a perda de direitos, principalmente um direito jurídico tão fundamental. Pensando nisso, selecionei o que o Professor Streck falou em seguida:

    “O interessante é que, hoje, o juiz ou tribunal, para conceder HC, sente vergonha e tem medo da opinião pública (quem é ela, afinal?). Teme-se também o primeiro comentário (eles sempre sabem antes de todos) disparado pela Globo News (que só se interessa, é claro, se o réu for rico). Na escala “Richter-Raiva” de terremotos discursivos, dos jus filósofos Merval e Camarotti, uma concessão de HC alcança facilmente os 8 pontos dessa escala.”

    Mas ao ver que o amigo já armava o cenho para responder na bucha fosse lá o que eu dissesse, resolvi desconversar.

  51. Pústula Suprema

    Súmula Vinculante 11

    Só é lícito o uso de algemas em casos de resistência e de fundado receio de fuga ou de perigo à integridade física própria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros, justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena de responsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da autoridade e de nulidade da prisão ou do ato processual a que se refere, sem prejuízo da responsabilidade civil do Estado.

     

  52. Condenação de Lula

     

    Com relação a essa perseguição política contra Lula e contra um governo popular no Brasil, só posso lembrar uma leitura que fiz, que diz o seguinte:

    “Podem rasgar a Bíblia e a Constituição, porque, o mau venceu”. 

     

  53. Cabral de cabeça erguida e mascarados com ela abaixada: aí tem!

     

    Luis Nassif,

    Não vi o episódio da transferência de Sergio Cabral. Talvez a minha conclusão, apenas com base na foto, seja precipitada. De todo modo, só com base na foto eu fiquei com a impressão de que há uma tentativa, não de esconder, mas de mostrar uma realidade com propósitos ocultos e, em meu juízo, esses propósitos precisariam ser investigados.

    Enfim, a foto de Sergio Cabral de cabeça erguida e de dois mascarados de cabeça abaixada deixou-me a impressão de que se tratou de foto preparada em que os dois lados foram previamente avisados para se comportarem como tal.

    Já comentei antes junto ao seu post “Xadrez do fator Marun e dos fake prosecution, por Luis Nassif” de sábado, 09/12/2017 às 19:54, sobre a possibilidade de o Poder Executivo buscar criar na população um antagonismo em relação a essas operações em que estão associados a Polícia Federal, o Ministério Público e o Poder Judiciário. O endereço do post “Xadrez do fator Marun e dos fake prosecution, por Luis Nassif” é:

    https://jornalggn.com.br/noticia/xadrez-do-fator-marun-e-dos-fake-prosecution-por-luis-nassif

    Em comentário que enviei domingo, 10/12/2017 às 18:52, para você, junto ao post “Xadrez do fator Marun e dos fake prosecution, por Luis Nassif”, eu enfoquei alguns pontos que discordava da forma como você escrevera alguns trechos do seu post. E no final do meu comentário, sem se tratar propriamente de uma discordância, eu faço menção ao episódio da condução coercitiva do reitor da UFMG.

    Vou transcrever do meu comentário um parágrafo que ficou com a redação truncada e aproveito a oportunidade para expressar de modo mais compreensível o que eu quis dizer. Além disso, vou transcrever também a parte final do meu comentário. O parágrafo com frase final parecendo um tanto solta na sua redação original está assim:

    “O que me interessa discutir aqui nesta terceira ponderação é avaliar o quanto de possibilidade que se tem no entendimento da condução coercitiva do reitor da UFMG na operação denominada “Esperança Equilibrista”. Existe a possibilidade de a operação ter o dedo do general Sérgio Westphalen Etchegoyen.”

    A frase com uma redação um pouco diferente, mas ao fim e ao cabo expressando o mesmo sentido, ficaria, sem o ponto após o título da operação “Esperança Equilibrista” e com pequena alteração na redação assim:

    “O que me interessa discutir aqui, nesta terceira ponderação, é avaliar o quanto de possibilidade que se tem no entendimento da condução coercitiva do reitor da UFMG na operação denominada “Esperança Equilibrista”, de existir a possibilidade de a operação ter o dedo do general Sérgio Westphalen Etchegoyen.”

    A explicação para a referência ao general Sérgio Westphalen Etchegovern fora feita em parágrafos anteriores e decorre do fato de que as ações dele tanto podem ser fruto de uma bem urdida estratégia como decorrentes de uma estratégia má urdida ou mesmo da falta de estratégia.

    Seria preciso averiguar mais as intenções na atuação do general Sérgio Westphalen Etchegovern, mas o acúmulo dessas ações de consequências muito vezes nocivas ao que seria aparentemente o propósito delas levanta a suspeita de ser outro o propósito.

    Assim, cabe então relembrar como eu finalizei o meu comentário para você junto ao post “Xadrez do fator Marun e dos fake prosecution, por Luis Nassif”. Disse eu lá, nos três últimos parágrafos do meu comentário:

    “Ai surge a indagação: foi um erro fortuito que criou uma animosidade gratuita ou há alguma estratégia em dar o nome que foi dado à operação na UFMG? Mesmo que se imagina que não há o dedo do Sérgio Westphalen Etchegoyen, a idéia de uma estratégia torna-se mais pertinente, ainda mais quando se sabe que há estratégias que se revelam de uma estupidez sem tamanho. Aqui, entretanto, eu imagino uma estratégia que não seria estúpida e teria dois objetivos.

    Podemos considerar como estratégia dessa operação “Esperança Equilibrista” até três objetivos. Um agradar a direita que fica satisfeita com as campanhas contra as universidades. Dois criar um ponto de conflito na sociedade com a ideia de universidade pública gratuita, de tal modo a facilitar a cobrança de anuidade. E três e que me parece que como estratégia eu avalio como inteligente foi que o nome foi escolhido para criar exatamente essa resistência na sociedade contra essa forma de agir da Polícia Federal com o apoio do Poder Judiciário.

    Desmoralizadas essas operações contra a Universidade, por princípio da isonomia, fica mais fácil desmoralizar operações semelhantes intentadas contra os políticos.”

    No caso da transferência da Sergio Cabral em que ele aparece de cabeça erguida, pelo menos na foto mostrada, e os policiais mascarados e com a cabeça abaixada tive a impressão que ali havia autores previamente treinados a atual. O propósito seria criar cada vez mais na mente do cidadão certa ojeriza com a forma de atuação dos poderes envolvidos na Operação Lava Jato.

    É claro que tudo isso pode ser só uma pobre teoria conspiratória. Ainda assim há que se ter mais cuidado na interpretação dos acontecimentos que nos são mostrados. Haveria necessidade de o fato ser mostrado? Há outros fatos mais importantes que deveriam ter mais destaque? Quem teve interferência na construção dos fatos tais quais eles foram mostrados? Muitas vezes não teremos como saber a resposta, mas devemos evitar deixar que os fatos aconteçam, sem que saibamos o mais mínimo significado a respeito desses fatos.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 23/01/2018

  54. O FIM DE UMA NAÇÃO

    Perfeito o seu artigo. Vivemos um momento impar. O DIREITO sendo trucidado por um conjunto de interesses escusos. Quadrilha governa e não há qualquer manifestação popular, mesmo vilipendiando os direitos do cidadão brasileiro. Juizes buscando estrelato, como verdadeiros PALADINOS. Um povo ensandecido pelo ódio plantado por um cheirador de cocaína. Negociatas que são controladas por banqueiros e biliardários, realizadas à luz do dia e nenhuma reação de qualquer instituição. O julgamento de Porto Alegre já tem o seu “prato feito”. Todos já sabem o que vai acontecer. Não será uma decisão que estará assentada no DIRIETO. Será uma decisão que atenderá certos interesses particulares e específicos. As instituições estão falidas e essa mídia podre, tenta acobertar o óbvio.Viraram serviçais de interesses exclusivamente economicos e o povo que se exploda. Poucos, muito poucos, são os Juizes sérios. Todos os nossos valores éticos e morais estão sendo jogados à lata do lixo. Em nome de que? Ao interesse de quem? Tenho comigo que o tempo irá provar toda essa farra e farsa. Um povo iluidido e manipulado. Essa bomba vai estourar em determinado momento. É só aguardar.

  55. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome