A Lava Jato e a bolivarização das instituições

No ano passado, o Procurador do Ministério Público Federal de Goiás entrou com uma representação contra a publicidade do governo na Copa do Mundo. O mesmo Procurador entrou com medida exigindo que o Itamaraty investigasse informações de que a Venezuela estaria cooptando crianças brasileiras para trabalhos de propaganda política. O que motivou o Procurador foi um trabalho do governo da Venezuela na Vila Brasil, subúrbio de Caracas. Expôs o Ministério Público Federal a galhofa de jornais do mundo inteiro.

Agora outro Procurador de Goiás exigiu a suspensão imediata do comercial do governo sobre as Olimpíadas. A razão apresentada é que campanha se presta a desinformar os brasileiros sobre a “verdade” e estimular no “inconsciente coletivo” um sentimento favorável à Olimpíada e à presidente Dilma Rousseff.

Para quem quiser avaliar o nível do comercial: http://bit.ly/1SKN1jo.

A mesma tolice repetida no mesmo local, denotando que falta ao MPF o primeiro e mais importante fator de contenção de abusos: a rejeição da corporação a atos que deponham contra o órgão.

***

No Tribunal de Contas da União, um Procurador do Ministério Público de Contas resolveu questionar a Controladoria Geral da União e a Advocacia Geral da União pelo fato da Medida Provisória sobre acordos de leniência ter cometido o “flagrante descumprimento das disposições da Instrução Normativa 74/2015”.

Ou seja, confrontou a Presidente da República quando, no uso de suas atribuições constitucionais, editou uma Medida Provisória, porque, segundo ele, iria contra uma mera Instrução Normativa do TCU.

Qual o poder dessa pretensa autoridade jurídica? Ter acesso ao Jornal Nacional, da Globo.

***

Em Curitiba, a Polícia Federal solicita ao juiz Sérgio Moro o desmembramento de um inquérito sobre o tal sítio de Atibaia. E solicita expressamente que tudo seja mantido em sigilo para não prejudicar as investigações. No despacho, o juiz reitera a necessidade do sigilo. Alguns dias depois, o próprio juiz Moro publica a sentença sobre o inquérito, quebrando o sigilo. Diz que foi um ato involuntário. Mas, já que quebrou o sigilo, quebrado está e toca a dar publicidade a tudo.

***

Não se para nisso.

Advogados que ousam questionar as decisões da Lava Jato, do juiz, da Polícia Federal ou do Ministério Público, têm sido submetidos a verdadeiros assassinatos de reputação por órgãos de mídia que integram a organização policial-midiática da Lava Jato.

***

Independentemente de preferências político-partidária de quem quer que seja, o país está submetido a um processo de subversão de valores e de funções poucas vezes visto. Perdeu-se a noção da lei e dos ritos jurídicos. Invocando um fantasma bolivariano, sempre levantando por esse pessoal, na verdade Venezuela é aqui!

À medida em que o Procurador Geral da República Rodrigo Janot sancionou a parceria midiática da Lava Jato com a imprensa, abriu uma verdadeira Caixa de Pandora. Hoje em dia, qualquer jovem procurador, atrás de notoriedade, monta uma parceria com um jovem repórter, também atrás de notoriedade, e provoca um fato jurídico.

Devido ao fato de ser PGR pelo voto direto da categoria, o Procurador Geral não ousa definir limites para esse uso abusivo da imprensa.

***

A diferença entre um país moderno e uma república de bananas está na capacidade de, através das leis, impor regras de conduta. Quando as normas e leis passam a ser atropeladas, sem que os diversos poderes se interponham aos abusos, há algo de profundamente doente com a democracia.

97 comentários

  1. O Ministério Público como um

    O Ministério Público como um todo na figura do seu chefe, o PGR Janot , precisa dar uma resposta para esta bandalheira em que se converteu o MP.

    Publiquei os pensamentos do Procurador da República do DF disponíveis a qualquer mortal: um amontoado de frases desconexas e acima de tudo, desejo de ser para além dos requisitos republicanos.

    O silêncio já não mais basta pois sabemos quão loquaz é o MP naquilo que lhe é peculiar: brilhar na mídia.

    Pois que se explique aqui sem faróis, confetes e serpentinas se deseja ainda ser respeitado.

     

  2. Despreparo para a função, e muito poder.

    A utilização do cargo publico para defender interesses pessoais é corrupção.  Pois existe corrupção de dinheiro e corrupção de ídéias . E a corrupção é proporcional ao poder, que no caso é outorgado pelo povo, mas não votado pelo povo.  Em nome da não corrupção se populou um Ministerio Publico através de concursos publicos.  Mas  a instituição  está doente. Membros parecem  pequenos grandes ditadores. Usam seu cargo para implementar qualquer idéia pessoal.  Um reles mortal, sempre pode bater na antiga tecla, de que o futebol e o esporte são os opios do povo.  Mas como reles mortal não pode parar campenonatos , simplesmente tem que se submeter à maioria. Porém do jeito que o MP tem poderes, qualquer hora destas algum membro do MP vai i querer proibir o futebol,  e se bobear até o sexo durante a semana.  Se for crente vai tentar implementar  a leitura do evangelho. Se for demente vai querer implementa a loucura, simplesmente porque tem poder. Um poder outorgado pelao povo, e usurpado pelos que o detem. Portanto depois de um concurso um promotor qualquer do Ministério Publico, poderá dizer o que é bom paa toda a sociedade.Ou despreparado seguirá em qualquer direção que lhe apontarem.  O articulista fala em bolivarianismo. Como ironia vai bem, mas como realidade está equivocado, pois não se trata de nenhum direcionamento do estado mas sim um direcionamento personalista e pessoal e que por isto mesmo traz a tona o  um conflito de egos pessoais associados a interesses impessoais. Alguns destes estão  comprometidos com grupos de interesses politicos e financeiros , e outros são  apenas franco atiradores  que fazem não porque a literatura assim o permite, mas sim porque o poder outorgado assim o permite.  Se muitos falam da falta de autoridade do ministro da justiça, vê-se que hoje falta autoridade em outros lugares também  . O sr Procurador da Republica me parece  que tem autoridade apenas para aqueles que tem os mesmo objetivos que ele.  Quando um membro do ministério público reabre a questão dos caças, que já havia sido julgada pelo proprio ministério público, se torna necessário  concluir, que ou o MP não sabe o que quer ,  ou  sabe o que quer  , e o que quer não envolve a defesa do cidadão e da justiça, mas apenas o uso de um poder para defender interesses .  Com isso temos como o despreparo para a função e o poder desmesurado  destroi uma instituição. 

  3. A bandalheira não é um caso isolado de Goiás!

    Está mais do que claro que a banda podre é predominante no MP, em nível nacional, porque já estão até, enquanto instituição, fazendo campanha eleitoral para as eleições de 2016. Curioso imaginar de onde o MP consegue recursos para bancar campanha publicitária. Tanto eles se empenharam na parceria espúria ceelbrada com as empresas chantagistas de comunicações buscando a propagação da imagem de PALADINOS DA MORALIDADE que acabaram, eles mesmos, acreditando na própria fantasia por eles mesmos criada. Pois o tema da CAMPANHA ELEITORAL 2016 é o mesmo velho de guerra da antiga UDN. O moralismo e a LUTA CONTRA A CORRUPÇÃO! Eh certo que os atos de CORRUPÇÃO de seus pares, como a “pasta errada” e tantos outros, não serão tratados com o mesmo rigor com que eles se proppõe a tratar os supostos desvios dos inimigos do PMP – Partido do Ministério Público. Segue o link com a imagem da página da WEB da campanha.

    LINK PARA IMAGEM GOOGLE DRIVE https://drive.google.com/folderview?id=0B1D2QoXeJgXwNVhEdVhxR2xWQlU&usp=sharing_eid&ts=56bd8344

     

  4. Estão se sentindo os donos da bola
    Com esse complexo de donos da bola, esses juizecos de currutela e procuradores sem noção de ridículo pensam que têm poder para revogar até a lei da gravidade.
    O ridículo da ironia pública não é suficiente para inibi-los. É preciso ter ferramentas para barrar esses projetos de ditadores e coragem das instâncias superiores para usá -las.

  5. “Tá dominado, tá tudo dominado pela máfia demotucana”

    Já está mais que provado que o capanga Moro é um grande moleque tucano operando para esse partido. Diretores e donos da Andrade Gutierres são “da cozinha” de Aético e de outros tucanos  de Minas, há até uma obra de arte doada no gabinete do ex-governador. A soltura do ex-presidente dessa empresa comprova que não há isenção, não querem de forma alguma investigar o gangster Aético e a corja do seu partido. O mesmo acontece com Álvaro Dias, amigo íntimo de Youssef e que está sendo protegido por Moro, já que tem vários envolvidos junto com ele ligados ao ciclo de amizade do juiz. Uma vergonha o que presenciamos, uma briga de torcidas onde os políciais, a organização do estádio, a imprensa estão do lado dos “donos da casa (grande)”. São omissos, coniventes e até cúmplices ao ocultarem provas de seus aliados, ao mesmo tempo que perseguem seus adversários políticos. Abafa-rápido virou mais um  circo tucano. É muita hipocrisia, é muita injustiça, é muito descaramento! Não vem ao caso?????

     

  6. Quando a prostituição de 1988…

    …desabou sobre o Brasil, arregaçando tudo à sua frente, a grande maioria dos esquerdistas com mais de 45 anos considerou que foi um avanço.

    O monstro insaciável, que atende pelo nome de independência funcional do ministério público, foi introduzido à força no país para defender a cidadania contra os abusos públicos e privados. Os tolos acreditaram nisto.

    A assombrosa aberração, que atende pelo nome de garantia da magistratura, foi criada para que os juízes resistissem às pressões espúrias e defender a cidadania. Os idiotas acreditaram nisto.

    Estas duas lâminas foram inseridas profundamente com o apoio de praticamente todos os esquerdistas que agora reclamam. Seria uma forma de fazer reformas sem precisar da maioria do legislativo conservador e do executivo exposto aos interesses do toma lá dá cá da política ordinária.

    No seu desvario progressista pariram e embalaram duas aberrações, contando com elas para a transformação da sociedade através do ativismo judicial. 

    No caso dos petistas o que vemos são várias colheradas forçadas goela abaixo do remédio, que acreditavam ser contra o conservadorismo, que ajudaram a destilar.

    • Constituição

      O problema é a constituição do corpo de procuradores de um Ministério Publico e do judiciário.  Se se tem um corpo de procuradores pertencente a classes conservadoras e autoritárias, o MP vai ser conservador e autoritário, ainda mais se tiver um poder desmesurado.  Quando falo de classes, eu digo que existem também aqueles que viram no MP uma oportunidade para migrar de uma classe para outra. Estes podem ser os piores.  É verdade a esquerda defendeu autonomia,  afinal a autonomia seria a unica arma contra o Brindeiros, Gilmares , Mellos e outros, mas no fundo no fundo o que não se estabeleceu foi exatamente a autonomia. O MP continua refem dos mesmos.  O MP não se tornou autonomo,  e este é o problema crucial. Este MP é o mesmo que engavetava processos contra os seus. Este MP e também parte do judiciário e da PF, continua sendo o mesmo. Não foi a toa que  aumentaram o tempo para aposentadoria, querem que permaneçam os mesmos no STF. Se lida com atenção, temos motivos e dados suficientes para  apontar violações de direitos e da constituição. Mas como no  na Igreja, só alguns tem o direito de interpretar .  Em outras palavras os que se apossaram de instituições de Estado Brasileiro continuam sendo os mesmos  mas é interessante ver um conservador como Rebolla defender a ditadura do proletariado e acusar uma postura democrática de  desvario progressista.  Existe uma certa dialética nesta contradição.   

    • É fácil fazer essa leitura

      É fácil fazer essa leitura agora, mas durante o Congresso Constituinte as coisas não eram tão claras. Várias forças constribuíram para a aprovação da autonomia e da independência do Judiciário e do MP, inclusive suas respectivas associações corporativas. A OAB foi uma das mais interessadas nessa defesa, com o intuito de não permitir a repetição do que havia sido a ditadura em termos de direitos civis e políticos. Poucos personagens e organizações tinham uma visão de futuro quanto a isso, e um deles foi Nelson Jobim, que à época ainda era do PMDB. A esquerda pouco pensava nisso, por isso continua apanhando até hoje do sistema jurídico do país. 

      Acredito que não podemos, atualmente, nem mesmo atribuir à CF88 o que vivenciamos hoje; não existe uma linha direta entre esses eventos, mas muitas mediações que fizeram as coisas chegarem onde chegaram. E uma das mediações é exatamente a pouca ou nenhuma compreensào que os partidos de esquerda têm sobre a força que tem o sistema jurídico no mundo contemporâneo; ou melhor, os partidos de esquerda insistem em não ver os agentes jurídicos como agentes políticos. Enquanto insistirem no erro, pagarão muito caro por ele.

  7. É a bovinização das instituições
    Tinha um promoter do Pará que tinha como único objetivo na vida, impedir que Belo Monte fosse construída. Esse tem reconhecimento mundial e admiração dos eco rico, enquanto a polícia do Pará exterminava a população da periferia, trabalho e prostituição infantil correndo solta, a Vale destruindo o meio ambiente a vontade. O importante que ele faz seu pé de meia, vai dar palestras e aulas no mundo inteiro.

  8.   Nassif, Nassif… não faz

      Nassif, Nassif… não faz tempo você ficou pau da vida comigo quando eu te chamei de poliana. Não é mais o caso – até porque na época vc dizia que o MPF era uma instituição “como outra qualquer”, no sentido de ter os maus e os bons trabalhando lá dentro. Entendo que mudou de posição, e aí está: uma instituição DOMINADA por um corporativismo antenado a uma mentalidade retrógrada, que vê fantasmas até em propagandas institucionais, enquanto deixa passar batido os maiores abusos perpetrados por um setor do espectro político. MPF, PF, etc… Eduardo Cunha manda lembranças.

  9. Não são tolos, são bem articulados
    Eles não são tolos, pelo contrario, são bem articulados em todos os sentidos.

    Tolos são aqueles que acreditam neles. Conheço vários e por mais que voce argumente não entra na cabeça deles.

    E são gente com faculdade, pos graduação etc.

    Imagina como é fácil enganar os que não têm instrução.

    • São tolos bem articulados

      Quando um jornalista ou toda uma classe deixa de exercer o seu poder, que era conhecer os fatos e traze⁻los em primeira mão. Quando um jornalista se torna garoto propaganda de uma campanha de difamação . Quando um jornalista engana, falseia, e ainda coloca isto no proprio curriculo como se fosse um mérito e o site do jornal apresenta estes “furos” ( barrigadas) como mérito, O jornalismo vai perdendo o seu poder e vai se tornando apenas um instrumento de alguns. Estes jornalistas são tolos ( embora ricos e bem articulados)

      Quando juizes violam direitos de cidadãos, protegem bandidos. desequilibram a balança da justiça e a torna um mero instrumento de alguns. Estes juizes destroem a propria justiça e mais cedo ou mais tarde destroem o proprio poder. Estes são tolos , embora ricos e articulados.

      Quando promotores do MP, deixam de auxiliar a justiça e defender o cidadão, e a coisa publica, para se tornar instrumentos de algum, eles destroem o proprio MP. Estes também sao tolos embora ricos e articulados. 

      Observem como aumenta o clamor contra certo tipo de jornalismo, contra certo tipo de juiz , contra certo tipo de policial federal . Como todos pedem uma intervenção,  Cedo ou tarde vai haver um acerto de contas, e vai começar pelos mesmos que usaram estas instituições. Depois do linchamento, quem mais incitou  é sempre a primeira testemunha, contra quem linchou. Na possibilidade de um golpe dar certo, com certeza veremos pequenos ditadores exigindo maior e maior controle.

  10. Moro e Sanctis – Lava Jato e Satiagraha

    Moro está fazendo o que o Sanctis queria fazer. Só falta um delegado protagonista na Lava Jato. Naquela época era  Sanctis, De Grandis e Protógenes. Agora temos Moro e Dellagnol. A Satiagraha, como a CPI do Banestado (alô Paraná!) foi enterrada pelo  governo, oposição e a nossa querida mídia. Ao contrário desse governo, o memo, a oposição, a mesma, e a mídia, que é sempre a mesma. Por que será?

  11. Já passa da hora de alguém

    Já passa da hora de alguém colocar um freio no MP, PF, judiciário e TCU’s da vida.

    O nosso sistema judiciário é dos mais caros do mundo(custa mais de 1.8% do PIB enquanto em países civilizados e mais democráticos do que nós, como Alemanha, Inglaterra, França, Itália entre outros custa no máximo 0,4% do PIB), isto sem contar as sedes nababescas que estes poderes têmno Brasil

    Deste jeito e com o recente apoio da mídia com o objetivo de destruir o Pt e o Lula, nem que para isto tenha de destruir o país, este pessoal se acha onipotente. Mas também são absurdamente preguiçosos e improdutivos. Esticam qualquer feriado, se dão 2 meses de férias por ano e não decretam ponto facultativo quando é “aniversário do desembargador”.

    Além do mais, acredito ser inadmissível que os representantes eleitos(deputados, senadores, prefeitos,governadores e presidentes possam ser ameaçados por funcionários públicos concursados com base em notícias de jornal.

    Algo tem de ser feito antes que este pessoal lance o país nas trevas.

    Exemplo: Na lava jato investigam um suposto caso de desvio de R$ 2.5 bilhões.Recentemente ficamos sabendo que os juízes e procuradores tem a receber da União mais de R$ 20 bilhões de auxilio moradia para morarem em suas próprias residências. Mordomia criada por eles mesmos e que tem de ser paga pelo conjunto da sociedade que não recebe este tipo de benefício.

    Então: Quem é que rouba mais a sociedade? Os políticos corruptos com R$ 2.5 bi ou os ilibados do judiciário que criam mimos de R$ 20 bi para eles mesmos dando aparência de “roubo legal”?

  12. criam e caem no ridículo  e a

    criam e caem no ridículo  e a grande mídia os expõe ainda mais à

    ridcularia ao não dimensionar, como eles,a diferença entre função pública

    e a colusão de interesses privados que querem derrocar o governo popiular…

    o ridículo torna-se uma farsa e a consequencia disso mais uma infamia

    que macula toda a instituição, pela omissão da própria pgr….

  13. Antes eu imaginava que

    Antes eu imaginava que qualquer jovem procurador em busca de 15 minutos de fama aprontasse alguma, mas acho que estes sujeitos, na verdade, estão agindo sob orientação de outras pessoas. Por exemplo: será mesmo que a história do apartamento no Guarujá surgiu mesmo dentro da cabeça do procurador da veja ou ele apenas aceitou fazer um papel dentro da trama? O judiciário brasileiro mais parece criação de Dias Gomes para alguma coisa do tipo O Bem Amado ou Roque Santeiro.

      •   Nem esquenta com a versão

          Nem esquenta com a versão zikada do Guimarães Rosa, colega. É mais um em quem passam a mão na bunda e ainda agradece.

  14. Republicanismo

    O fato é que os governos do PT são péssimos em indicar ministros do STF e procuradores da República. Com esta falácia de republicanismo, da à raposa o galinheiro todo.

    Agora é a vez da Advocadia Geral da União ter a tal da lista tríplice. Do jeito que a coisa vai, deixar esta escolha nas mãos dos corporativistas em vez de a AGU defender o governo vai trabalhar é contra.

    • Republicanismo tosco é culpa

      Republicanismo tosco é culpa total da dupla dilma/lula. Não é de mais ninguem…Estão pagando um preço muito alto  por essa besteira infantil.

      Na política não se admite amadorismo… o congresso não é lugar de aspirante….é para profissionais…

    • Nem tanto.

      No caso da escolha para o STF a sua crítica ainda merece o benefício da dúvida. Porém, em relação ao PGR, vc tem que dizer o que fazer quando se vai a uma pocilga escolher um animal e nao se quer um PORCO?

    • A culpa não é dos governos do

      A culpa não é dos governos do PT. A culpa é dos ministros e procuradores que agem sem qualquer respeito pela insituição Justiça. A única “instituição” que respeitam é a imprensa. O país, a que servem, não existe frente aos interesses pessoais e megalomania que o cargo lhes proporciona. Falta cultura jurídica e ética a esses pavões. 

      Com meus profundos respeitos ao corajoso ministro Barroso.

    • E ele está cozinhando o pato

      E ele está cozinhando o pato da D.Marisa. Temperado com que? Com cheiro verde da D. Marisa. Sem contar a panela de trás  que está cheinha de couve picadinha.

      Como eu sei disso? O sobrinho do primo da dona da loja de material de construção que disse ter vendido 550 mil em material para a Odebrecht, mas agora parece que é a OAS, me contou.

    • ALVENARIA SUSPEITA!!!

      Aqueles tijolinhos ali atrás não me enganam. Devem ter sido assentados por algum pedreiro que já trabalhou em alguma construtora!!!

  15. Não é o fato de haver entre

    Não é o fato de haver entre nós, brasileiros, uma meia dúzia de “bananas”, entreguistas, que faz com que sejamos um “país de bananas”. Mais do que nunca é preciso,a meu ver, estarmos unidis e fortes contra essa imprensa e esse MPF nas suas tentativas de derrubarem nosso país… Sacanagem, derrubar um país todo para tentar derrubar um governo…

    Ô gentalha negativa, essa nossa elite… né?

    • Elite concursada

      Penso que esta elite concursada, na sua maioria fica esperando a sua hora para se locupletar.

      Por isto está cada vêz mais difícil encontrar os com vergonha na cara para não se corromper e punir os pares que se corrompem, principalmente nas funções inerentes ao Estado.

      Na verdade, com a crise, bate o desespero e a pressa em abocanhar a “sua” parte no botim, ninguém quer ficar para trás.

      Todo privilégio é odioso.

      Logo do ódio do povo eles não tem consideração e se guiam somente por seus interesses mesquinhos e pessoais.

      É preciso restaurar-se padrões mínimos de venalidade, ou a coisa vai para o buraco.

      Ah ! moral ? no capitalismo onde existe o dinheiro sexual produtivo, é questão de quantidade.

       

      • “Elite concursada” –

        “Elite concursada” – curiosidade

         

        No meio de comentários sobre essa tal “elite concursada”, dois comentaristas trataram dos concursos para juízes e procuradores. Um desses comentários mencionou “problemas” e até prisão por conta de “malfeitos”, se não me engano, acesso prévio ao conteúdo das provas por inscritos no concurso. Se houve esse “negócio”, a investigação foi exemplar no quesito sigilo. Nada vazou. 

    • E o Nassif tem feito muito

      E o Nassif tem feito muito bem a sua parte. Suas denúncias contra o uso abusivo nos poderes da república expõe de modo claro a manipulação que se faz nas nossas instituições. Seus argumentos claros fortalece a luta de todos nós que queremos um país democrático. 

    • O problema é que essa “meia

      O problema é que essa “meia dúzia de “bananas”, entreguistas”, tem muuuuita grana, o monopólio da imprensa, e algumas instituições raivosas, como o judiciário, a PF e o MP.

    • Quem forma a elite?

      Renato / Alexandre Vocês falam da elite, assim como o Lula, ainda, menciona a lite que parece ser maldita e culpada por todas as falcatruas desse país. O Lula se laçou na política como sendo o reméio para aniquilar essa tal elite, o que nos dava a entender que era formada pelos políticos que antecederam o PT no poder. Quem antecedu a Dilma foi o Lula e, ainda jogam a culpa na elite.

      Os Ptistas, o Lula e a Dilma dizem que as investigações acontecem porque são eles quem ordenam, por que antes, o Ministério Publico Federal e a Justiça jogam debaixo do tapete!

      Me respondam quem é a elite que quer derrubar a democracia e desestablizar o governo? Se não houvesse o desvio de dinheiro do povo brasileiro, haveria réu? Sem crime há criminoso! O pior cego é o que não quer enchergar!

  16. Todo homem têm seu preço

    Vivemos no Capitalismo!

    Agora uns trouxas que sonham em mudar o mundo, recusando-se a entender que existem alguns que são donos do Dólar e do dinheiro, ficam reclamando do óbvio, que se um milhão de Dólares não compra o sujeito, cem milhões ou mesmo um bilhão ou cem bilhões compram.

    A Democracia têm preço e só alguns podem pagar, apesar de como a ação destas instituições têm mostrado, é muito mais barato do que a maioria imagina.

    Precisamos de um piso no mercado da venalidade, ou a coisa esculhamba.

    A hipocrisia é o tributo que o vício paga à virtude.

    • Lamentavelmente, coerente.

      Leva-se anos, décadas tentando entender o que estaria por trás desses temas repetidos como mantra na defesa dos interesses do Mercado. Eleva-se o estresse dos três neurônios e um dia começa-se entender a lógica perversa por trás dessa verdadeira batalha travada em busca de defender a tal da “meritocracia, o “estado mínimo” e outros cliches dos discursos dos servidores do capital rentista. Agora temos a agradecer a essa rapaziada de Curitiba e tantos outros da numerosa banda podre instalada nos órgãos de controle que nos facilitaram sobremaneira o entendimento da preferência obcessiva do Mercado pelo “Estado Mínimo”.

      É porque as partes estruturais do Estado, principalmente o judiciário e o Legislativo, eles já controlam, porque compram, compraram ou comprarão todo mundo, algumas vezes ou o tempo todo. Estão todos “na gaveta” como diria o PGR. Daí é claro que se o Estado se amplia e estrutura na medida de atender as suas obrigações inscritas na CF, começam a aparecer e se destacar organizações sociais, conselhos, e tantas outras, até organizações de bairros e entidades representativas da sociedade em geral organizando-se para influenciar no rumo das políticas públicas e tomando consciência de cidadania e participação. ISSO É TUDO QUE O MERCADO NÃO QUER!! Então, é muito melhor ficar só nessa de judiciário, MP e otros órgãos baratinhos que tanto se “identificam” com os interesses do deus Mercado.

      • Risco moral

        Quando quem deveria zelar pela coerência e higidez da estrutura chuta o balde, o que se pode esperar, afora a total esculhambação geral?

        Agora, não existe escrito em lugar algum que o Brasil precisa usar este dinheiro fraudulento deles.

        Acorda, Dilma!

      • Bonobo fez Hegel sorrir na cova! Viva o estresse ! !

        Caracoless !!! Rapaz….,que dialética a sua ! Li o seu comentário e capote aqui atrás do meu pc! e o Hegel sorriu na cova rs O estresse dos seus 3 neurônios foi capaz de produzir em voce uma análise lógica e lúcida de uma triste realidade, amesma que ainda se constiui para a maioria do povo em puro mistério, mas que de mistério nao tem nada, e que me fez pensar aqui… sobre essas três maravilhas ou o resultado desses 3 neurônios em estado de estresse: tese, antítese e síntese….

        Santo estresse esse(!), que é o verdadeiro sonho de consumo do povo brasileiro. Sou pessimista com esse sonho, confesso. Mas quem sabe um dia… Eu já estarei mais viva prá ver, tenho certeza disso.

  17. Vácuo de poder do governo na

    Vácuo de poder do governo na âmbito do direito. Unica culpada: Dilma. Cardozo tá lá porque ela quer. Enquanto fica combatendo a zica, o Moro pica ela e a microcefalia lhe cai bem

  18. Eu sou a lei!! A Constituição

    Eu sou a lei!! A Constituição eu que a interpreto a meu bel prazer!!

    Meus amigos me protegem,eles mandam(querem)no Brasil( A Globo)!

    Democracia!?Estado Democrático de Direito!? NÃO VEM AO CASO!!

    EU SOU A LEI!! fFASCISTA!?NÓS!?NÃO!! Eles é que são BOLIVARIANOS!!!

    OBS: Alguém da Lava Jato pensando alto e mostrando seu caráter em “ato involuntário”!!

    JUDICIÁRIO DIGNO JÁÁÁ!!!!

     

  19. O Subsolo Brasileiro: Uma Fonte de Projeção Global do Poder

    No campo em que se disputa à hegemonia do poder mundial, crer na amizade entre nações é uma abstração, o que há de concreto são interesses nacionais defendidos por cada país. Quando vejo por em  dúvida projetos estratégicos para nação, tais como: o programa espacial brasileiro ,  cabo submarino  que ligará o Brasil X Europa apoiada em contenção de custos,  ou construção do submarino nuclear e integração do présal apoiada no combate/ punição  de comportamento aéticos de alguns, está-se  influenciando  a renuncia da soberania nacional expondo a nação a toda sorte de abusos.

    Energia, controle dos recursos naturais e territórios sempre foram fontes de conflitos entre nações. O petróleo tem poder para movimentar economia  sendo matéria-prima para manufaturados diversificados e combustíveis que transporta-os para  próximos do seu alcance mas, também,  movimentam todo um aparato militar. Caças de ultima geração, submarinos, navios, tanques, caminhões, de certa forma, são movidos por  combustíveis de origens fósseis. Trata-se de uma questão geopolítica de projeção/manutenção de poder para além das fronteiras, tão cobiçados pelos lideres das grandes potências. Num momento em que a hegemonia global da bandeira listrada com estrelas encontra-se em declínio e sendo confrontada pelo dragão asiático é ingenuidade pensar que a manutenção ou transferência do poder dar-se-á sem conflito.

    Em nosso território há grandes reservas de recursos minerais para fins pacíficos ou não, todas estas riquezas já apontaram a cobiça do mundo em nossa direção. A província do présal constitui-se uma das maiores descobertas dos últimos tempos e em exponencial crescimento, o submarino nuclear terá a capacidade de fechar o corredor do atlântico limitando o acesso a nossa costa, o Veículo Lançador de Satélite dará autonomia na monitoração território, o cabo submarino Brasil X Europa será um golpe contra a espionagem de nossas comunicações.

    Por fim, a operação  direcionada a apenas uma legendas partidária – tão explorada pela mídia nos últimos anos –  parece ter a intenção de ir além do que está ao alcance de nossas vistas. O que incomoda nisto é ver o Executivo totalmente imobilizado, quero crer que isto seja uma estratégia, pois, as reputações dos que se arvoram a atacar os petistas não sustentam uma pesquisa nos sites de busca sem que saiam arranhadas ou totalmente desconstruídas.

    É isso!

  20. Poder está decentralizado

    Existiram dois grandes erros na política nestes últimos 20 anos no Brasil, e ambos foram a decentralização do poder:

    FHC achou que dando plenos poderes ao mercado, tudo se resolveria, uma vez que o mercado consegue gerir bem suas fortunas. Ledo engano, o mercado dilapidou o Brasil, em proveito proprio, e não teve como ser chamado à ordem.

    Depois veio Lula, e achou que dando plenos poderes ao funcionalismo público, leia-se Ministério Publico e Policia Federal, tudo seria resolvido, afinal, na visão distorcida dos petistas, os funcionários públicos são perfeitos. Ledo engano, os funcionários públicos são seres humanos falhos. E agora, o MP e a PF  estão arruinando o país para compartilhar os holofotes da midia.

    A solução para isto seria a centralização de poder nas mãos dos três poderes apenas. Uma reforma costitucional resolveria isto. O Presidente não deveria ser investigado e regulado pelo ministério Público, mas sim pelo congresso, eleito por voto popular. E o judiciário deveria ser eleito por voto, popular, e não concursado, pois é o poder mais forte da República.

    • “FHC achou que dando plenos

      “FHC achou que dando plenos poderes ao mercado, tudo se resolveria, uma vez que o mercado consegue gerir bem suas fortunas. Ledo engano, o mercado dilapidou o Brasil, em proveito proprio, e não teve como ser chamado à ordem.”

        Colega, você acha MESMO que foi engano?

  21. Laerte Braga1

    Laerte Braga

    1 min ·  
    Assiste-se a um telejornal da GLOBO, BOM DIA BRASIL, por exemplo e tem-se a impressão que está diante de santos ungidos pelos céus para denunciar corrupção, falhas de governos, problemas essas coisas, nos trejeitos faciais de Ana Paula quando se fala da Venezuela, nas opiniões de Miriam Leitão e Alexandre Garcia, mas ninguém fala na sonegação de quase um bilhão da rede. Ou na casa construída numa reserva em Parati, ilegal, pelos gangsters chamados Irmãos Marinhos, versão brasileira dos Irmãos Metralhas. Já foram procurados várias vezes para serem intimados sobre a construção irregular e nunca são encontrados. São bandidos invisíveis. E o governo federal ainda paga publicidade a eles. O País do contra senso. Já estão fabricando outro Collor, o tal de Moro, um doidivano com mania de Napoleão. Só mania, pois Napoleão era um gênio político e militar e os Marinhos e Moro são bandidos da pior espécie.

     

    • Discordância

      Desculpe-me discordar de um dado importante do seu comentário, José Carlos. Não se trata, desde sempre, de “bom dia, Brasil”. Para quem não faz parte da “casa grande” ou não é um perfeito midiota, capaz de concordar com os argumentos daquela “casta superior” e repercutí-los, o programa não passa, sem a menor dúvida, de “mau dia, Brasil”. Sugiro, para o bem de seu humor, fazer como eu e muitos que conheço: deixe de perder seu tempo com tal programa chinfrim. Verá que seu dia será muito melhor.

    • Napoleão, um corno manso.

      José Carlos Lima:

      O pior é que Napoleão não era um gênio, mas apenas um porra-louca manipulado pelas “forças ocultas” da época (mas eternas enquanto durarem). Esse corno manso ganhava batalhas porque as “forças ocultas” da época (então a serviço da Inglaterra e atualmente a serviço dos Estados Unidos e Inglaterra) providenciavam informações valiosas sobre os exércitos contrários e providenciavam contrainformação (boicotes)  a esses exércitos contrários. Só podia dar Napoleão. Até eu, que sou pacifista, ganharia aquelas batalhas.

       

  22. Nos precisamos repensar

    Nos precisamos repensar seriamente o serviço público,  ´tá valendo à pena pagar 27.000 reais para essa gente gastar tempo com nada?

    • Como diriam os guris do MPL,

      Como diriam os guris do MPL, Não são só 27.000 reais. Na maioria dos casos passa de 72.000 (subsídios + auxilios: creche, paletó, transporte, moradia, assitencia médica, etc. Ê, mano, VAI LONGE essa sacanagem nas repartições “operadoras do direito”. Na verdade a operação é de emasculação do Direito. Justiça? Essa nem se fala.

  23. O senhor já imaginou um

    O senhor já imaginou um colega nos EUA enfrentado o mesmo tipo de processo com os mesmos ingredientes? Como o Senhor acha que o Juiz encarregado do caso reagiria? Os americanos saberiam sequer o nome do magistrado? Este seria carregado nos ombros como herói? Os procuradores agiriam como no filme “Os intocáveis”? A National Broadcasting Company (ou qualquer outra rede) teria matérias diárias em seus telejornais? O The New York Times (ou qualquer outro jornal) disponibilizaria uma dúzia de repórteres para cobrir a investigação?
    PORRA NENHUMA!!!!!!!!!!!
    Não invista no “quanto pior, melhor”. Aja republicanamente. Nos autos. Dentro da Lei.
    No futuro seus atos serão esquadrinhados e, aí, não tem rede esgoto que venha defendê-lo.
    Respeitosamente,
    Fernando Eugênia Loureiro 

     

  24. Confesso que não entendi.
    O

    Confesso que não entendi.

    O Nassif tem de explicar ou alguém explique por ele.

    AFINAL O TERMO “BOLIVARIZAÇÃO” É UM ELOGIO OU UMA CRÍTICA?

    Não era a Venezuela um exemplo a ser seguido? a PDVSA um modelo para o petróleo e Hugo Chaves o queridinho do Governo Lula e Dilma?

    Se as instituições estão sendo “bolivarizadas” não é motivo de comemoração e jubilo?

     

     

    • Você não entendeu mesmo. O

      Você não entendeu mesmo. O Nassif usa o termo “bolivarização” como ironia. É o seguinte: a imprensa sempre criticou o “bolivarianismo” que na Justiça se traduziria como a interferência de outros poderes neste pilar da república (enem é bem assim). A mesma imprensa que critica o “bolivarianismo” apoia agora a interferência indevida, e em desrespeito as Leis,  sobre os outros poderes da República por parte da Justiça brasileira. 

      Sua colocação sobre a companhia de petróleo da Venezuela não tem nada a ver com as políticas adotadas para a questão do petróleo brasileiro. Menos ainda a afirmação de que Chaves era o queridinho dos governos Lula e Dilma. O que sempre houve foi uma atuação independente da diplomacia e do governo brasileiro com relação a política de perseguição a Venezuela imposta pelos Estados Unidos aos seus aliados sul americanos. Cite um só motivo que impediria  a Venezuela de fazer parte do Mercosul;

  25. Memórias vivas de Brás Cubas

    Caros debatedores bom dia.

    Bom dia Nassif e equipe.

     

    Caro Nassif com o devido respeito,  vou  discordar e ao mesmo tempo concordar com a sua análise.

    Explicando melhor,  tentarei puxar uma corda imaginária  não para o lado oposto, mas sim para um ângulo de 90º de tal forma que o vetor  resultante( isto é, a  conclusão entre sua análise e minha opinião ) siga mais ou menos por um  ângulo de  45º.

    Vejamos.

    Sua conclusão no primeiro parágrafor: Expôs o Ministério Público Federal a galhofa de jornais do mundo inteiro.

    Meu comentário:  Discordo da sua conclusão por que o Ministério público NÃO está nem aí para isso. Ou melhor, não está e nem deve estar. Ministério público existe para cumprir suas atribuições e não deve se preocupar se vai ou não “agradar” este ou aquele. 

    Por outro lado, concordo por que uma atuação inadequada pode gerar sérios problemas para o país. 

    E o que  a presidência da república pode fazer diante disso? NADA. Ou mais precisamente , só pode fazer o que ESTÁ NA LEI. 

    Ocorre que  a lei maior assegura a unidade, a indivisibilidade e sobretudo, a AUTONOMIA FUNCIONAL  para aqueles que exercem as funções primárias do MP,  quer sejam esses da união, como dos estados, do DF, dos tribunais de contas 

    Nesse sentido,  penso  que sua excelência, ao contrário do que muitos dizem, está demonstrando ao país que respeita as instituições, respeita a democracia, respeita a CR/88 , mesmo sendo atacada cotidianamente pela mídia.

    Vale lembrar que o Brasil é daqueles países que  o PODER EXECUTIVO normalmente não costuma respeitar nada. Se o povo começa a exigir seus direitos vem logo uma ditadura para acabar com a farra!  Basta observar os diversos GOLPES de estado ao longo de nossa história. E não é que ainda hoje convivemos como está “ameaça” histórica…

    Lado outro, um problema sério no Brasil ( todos já estão “carecas de saber”)  é a grande mídia. Trata-se de uma forma PERPÉTUA de usar e abusar do PODER em FLAGRANTE DESACORDO com a  CR/88. Nem é preciso descer a detalhes para dizer isso.  Razoável, portanto, supor que  este seja o nosso maior problema, qual seja,  o problema da formação da opinião pública. 

    _______________________

    Dei um salto para o final do seu texto para não ficar cansativo. 

    Vejamos então a sua conclusão final:

    “A diferença entre um país moderno e uma república de bananas está na capacidade de, através das leis, impor regras de conduta. Quando as normas e leis passam a ser atropeladas, sem que os diversos poderes se interponham aos abusos, há algo de profundamente doente com a democracia.”

    Meu comentário:

    Caro  r. jornalista, mais uma vez estou discordando e ao mesmo tempo concordando. Isso porque os “países modernos” pelo mundo estão passando por isso.  Explico-me.

    Paises modernos são, a rigor, ESTADOS MODERNOS. Estamos exatamente atravessando a crise do ESTADO MODERNO. 

    O Estado moderno da forma como foi concebido, naquele romance iluminista etc etc etc,  parece que está com seus dias contados. 

    E nessa mesma linha vêm a REPÚBLICA e a  DEMOCRACIA.

    As leis? Ora, as leis cumprem o seu papel. Todavia,  a HERMENÊUTICA delas cumpre papel ainda mais relevante, qual seja: o de impor condutas de acordo com o “contexto”, de acordo com o “caso concreto”.

    E o “caso concreto” da atualidade parece ser o de desmoronamento das estruturas. As falácias de sempre não estão conseguindo segurar a peteca mais.  Uma boa parte do  povo –    normalmente, um bicho estúpido e manipulado – , não está mais aguentando de graça a enganação diária. O problema, supõe-se  é que há ainda uma boa parcela do povo( aquela que  ainda é extremamente estúpida e ignorante)  é descaradamente manipulada pelo SISTEMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL INSTALADO NO PAÍS( e no mundo ocidental que se diz “civilizado”) 

     

    Portanto, para não me delongar concluo:

     

    Discordo e ao mesmo tempo concordo com a sua opinião.

    Já sei… crises existenciais como estas, a minha, a do Estado moderno,  da república, da democracia, requerem análises.

    Farei minha parte. Estou a procura de um divã. 

    Resta saber qual será o divã do Estado moderno e suas “instituições” românticas, sobretudo, no eterno país de Brás Cubas.

     

    Saudações 

     

     

  26. sobre o que os comentaristas

    sobre o que os comentaristas disseram aí sobre o problema

    crucial do mpf, que é a falta de autonomia e o posicioonamento

    político dos procuradores contra um só partido, busquei no dicionário a definição

    de autonomia que comprova essa ideia dos excelentes comentaristas aqui do blog…

    só que ao invés de pegar o o termo autonomia com impessoalidade

    – weberiana, por exemplo- os procuradorews et caterva

     tomaram-no parcialmente como de costume

    ao pé da letra de kant,

    e querem com isso, justificar suas aberrações….

    conforme kant, autonomia é a vontade humana de se autodeterminar

    segundo uma legislação moral por ela mesma estabelecida, livre de qualquer fator estranho

    ou exógeno com uma influencia subjugante, tal como uma paixão ou uma inclinação afetiva incoercível…

    só pegaram a primeira parte da definição e estabelceram sua ´propria

    lei moral e depos aproveitaram a parte final para definir as siuas paixóes partidárias…

    sempre insubmissos à lei….

  27. A única conclusão que

    A única conclusão que cheguei, nesses meus sessenta anos acompanhando a política com isenção e sem nunca me filiar a qualquer partido: Eles(mídia tradicional + “justiça” dos tucanos Moro, Gilmar e Janot + P.F. aecista + M.P.F.) na verdade não querem o fim da corrupção, querem apenas a ALTERNÂNCIA DE PODER, e assim dar carta branca aos seus apadrinhados tucanos e C&A, para delapidarem o Brasil, sem ser incomodados.

  28. A Lava Jato e a bolivarização das instituições

    A responsabilidade sobre as condutas dos servidores federais é do governo federal.  Assim como a corrupção é um “malfeito”  a inação ante os desvios funcionais tambem o é.

    Numa organização seja lá qual for há comandantes e comandados.  Ou se exerce o comando ou se é comandado pela anarquia funcional.

    No Brasil atual impera o “republicanismo caolho”, isto é, não se pode processar a oposição nem com delações, listas e dinheiro na Suiça. Mas para processar os apoiadores do governo basta um “ouvi falar” mesmo que seja plantado pelo próprio processador.

    Não queremos orgãos federais a executar “operações lunus” mas tambem não queremos o voluntarismo partidário de alguns integrantes.

    E financiar seus algozes manipuladores e mentirosos com verbas bilionárias tambem deve ser muito “republicano”.

    Como é transferir bilhões de “quilos de gelo” do Tesouro Nacional aos endinheirados via SELIC criminosa.  O BACEN fabrica o gelo e o TESOURO enxuga. Tudo muito republicano.

    Voltamos ao tempo da República de século 18.

    Logo, logo vamos avançar até o tempo medieval: o 1% reina absoluto no maior republicanismo sobre o restante 99 %  . . .

    A República para poucos.

    Globo et caterva irão trombetear que a “democracia está salva ! “

    • Sua estrelinha está com

      O capitalismo é um corpo arbitrário (de deus) na organização dos espíritos, o qual se fecha no lado externo invisível, mas real ao governo. Reflete a situação das pessoas de serem escravas da dívida externa sem aparecer para as suas próprias ações.

      Se este sistema tivesse os méritos de um Deus teria fundado algum país verdadeiro ou entregaria esses espíritos aos povos.

      Mas não é assim. O capital surge para capitar o que os países têm disperso; o valor das ações. Ou seja: se tem produção obriga a exportar para pagar a dívida do valor externo do corpo, se ainda não tem valor dos objetos, tem que se endividar para produzir. O espírito e a soma das ações não se origina do povo.

      Um país pode ser fundado com o espírito do trabalhador, o valor da pessoa humana, mas o governo teria de abolir a esfera privada chamada bancos; pronunciar-se à mercê das coisas da sociedade e traçar as relações ideais do homem e o espirito que o anima. Isto é: libertaria todos os valores da sociedade que os espíritos animam num sistema em si e compartilharia sua consciência com os objetos.

      Assim, para se auto-sustentar das boas obras (organizadas) as instituições corrompidas cairiam do seu erro crasso, pois só uma eventual natureza externa de observação existe para consciência da luta comum de todas as convicções políticas de natureza de fato; as que deveriam estar sendo investidas de autoridade.

      Como se não bastasse, BC, mídia, deputados, senadores, ministros, juízes agem como pontos de partida de potestades e principados desses espíritos do mal, secretos ou públicos.

      Infelizmente não se aprende em economia que o país tem uma natureza e que, independentemente de qualquer expressão exterior dos especuladores, “toda natureza livre é um ser de suas determinações”. O seu dever ser na ciência dos valores morre justamente onde começam os investimentos financeiros.

      O corpo é, em si mesmo, uma natureza bruta de objetos do pensamento. A formulação mais completa na natureza exterior, o dever ser das ações no corpo, encontra-se na gratuidade da sua atividade formal externa – o espírito – como condição real da análise distributiva e sua acessível crítica de multiplicação para objetos, colocando-se a tutela e a origem das suas proposições constituintes no Estado.

      Os fenômenos econômicos que se danem.

      A salutar inversão de corrente exige o saber do Reino de Deus.

       

  29. Nassif, você tem adotado tom

    Nassif, você tem adotado tom crítico as operaçãoes da lava-jato, insinuando abusos. Percebo nos seus comentarios que você busca atacar os procuradores para indiretamente atacar a lava-jato. Claro que os denunciados devem ter direito a defesa, mas todos estão perdendo a paciencia com tanta pilantragem e gente cara de pau. Veja a odebrech, que até agora não explicou nos autos as contas secretas na Suiça, ao invés disso seus advogados buscam anular o envio das provas daquele pais. Quem tem paciencia com isso? Aliais, é assim  que se cria bons advogados nessa republica de bananas, são os especialistas em achar uma pequena falha no processo e anular as provas. Chega disso! 

    • Este é exatamente o problema

      Quando há uma escuta ilegal comprovada, todas as provas estão comprometidas. Portanto, o curioso é que seja a escuta exatamente na cela do  homem que mais falou. O mesmo homem que também falou no Banestado e  terminou premiado. Será que é pura incompetência ou se quer ao final de todo este circo absolver este homem.

      Qualquer juiz sabe que ao levar provas obtidas ilegalmente   contamina o processo, e de uma maneira tal que pode levar à anulação. Provas legítimas tem que ser tratadas com cuidade com competência ou se tornam ilegais. Mas será que a decisão de ir em frente é pura incompetência, ou será que estão preparando o caminho da anulação. Um juiz de primeira instância sabe muito bem que vai haver recursos. Portanto me parece que estes erros todos e esta incompetễncia toda vai terminar na absolvição de culpados e também de inocentes.  De novo eu pergunto se é pura incompetência ou um ato consciente. Afinal de contas ele já absolveu vários culpados, através da delação, que se torna mais premiada ainda quando o delator ainda sai rico.

       Como pode um juiz de primeira instância ,depois de manipulação de depoimentos através de transcrição, sequer vir a publico para  justificar os seus atos. E mesmo sendo tudo isto, explícito,  publico e notório, ele continua sempre em  frente. Ou ele se acha todo poderoso, ou ele conscientemente sabe o que está fazendo. 

      A tal ação dos advogados só existe devido a incompetência dos que levaram a cabo esta operação. Os advogados trabalham para defender os seus,  e devem trabalhar dentro da legalidade.  Mas a incompetência tem gerado ilegalidades

      Diferentemente do caso do mensalão tudo que foi julgado pode ser revisto, mas todo o caos criado, todo o assassinato de reputações, todo o cerceamento de direitos, toda a lenha para ser queimada na fogueira da imprensa, todo o desmanche , toda a carga contra Petrobŕas, toda a carga contra a ação do governo brasileiro  no exterior, toda a tentativa de comprometer a Eletronuclear e as empresas brasileiras com maior ação no exterior , tudo isto permanecerá.  Talvez esta incompetência toda seja uma forma competente de  criar este caos.  

      O pior de tudo é que corremos o risco de no final , aqueles que sempre gostam de falar dos brasileiros ( como se não fossem) vão dizer qua culpa disto tudo é do brasileiro, e vão ainda dizer que o Brazil  é uma republica de bananas.   Mas manu pulite é italiana e  lembrem bem do pizzaiolo de Curitiba, pois ele está preparando a massa.

      • A culpa é de quem?

        Se a culpa não é dos brasileiros é de quem então, dos americanos? Toda a corja de brasilia e todos os envolvidos são brasileiros, então a culpa é dos brasileiros. A legislação favorece a linha de defesa baseada na anulação de provas. Veja as 10 propostas contra a corrupção do MPF, muitas delas são justamente para diminuir os casos de anulação de processos. 

  30. Evidentemente há exceções.
    Mas a grande maioria desses senhores foi treinada a fazer concursos. Pensar e refletir por conta própria são outros quinhentos.

  31. Agora, é tarde não adianta

    Agora, é tarde não adianta reclamar.

    Essa bola ja foi cantada aqui várias vezes.

    A cada dia vão avançando mais e mais e não haverá – ou já não há – meios seguros de pará-los.

    Qual a lógica de um juiz do Parana autorizar investigação sobre um sítio em Atibaia ? O que tem a ver ? Nem o sítio é no Paraná, nem o Lula mora lá, nem os donos do Sítio moram no Parana, nem a empreiteira é do Parana. E ai ?

    Significa que ele tem jurisdição sobre todo o País ?

    NInguem questiona isso por que ?

    Deveriam haver questionamentos tanto na mídia quanto no judiciário.

    Virou um vale tudo sem nenhum nexo.

    Não sei qual a alternativa de Lula, mas talvez ameaçar Dilma de algum romplimento para ver se ela cria alguma vergonha na cara e comece a enfrentar esse vale tudo que virou a justiça de seu País.

     

     

     

  32. Nassif, sou teu fã, mas noto

    Nassif, sou teu fã, mas noto que quando faço alguma crítica à mídia tradicional, o meu comentário(hj por volta das 13:00 h) não é publicado, gostaria de saber se fica ao seu critério ou de outrem. Mui grato.

  33. O que fazer então??

    Leios os comentários e aquele que os deu origem e façoa seguinte pergunta? 

    Se a imprensa não divulga os fatos, doa a quem doer, pode represntar um ato contra a livre informação.

    Se a imprensa divulga, cada lado acha que está sendo perseguido e que existediversos complôs(MP, PF e outros) contra eles.

    Devemos ter sempre em mente que a informação é, e sempre vai ser, o melhor meio de saber e escolher o principal que é o juízo de valor do leitor, buscando sempre o lado certo das coisas.

    Esse lado certo está nas Leis e tem seus representantes nas diferentes instituições. Criticar isso, dizendo que x, y ou z está buscando os holofotes e querer ser tendencioso.

    No mais, viva a liberdade de ter acesso a informação, e que todos que estejam a margem da Lei pague por isso, indenpendente de partido.

  34. Só o PGR Janó e os tribunais
    Só o PGR Janó e os tribunais superiores e o ministro da Justiça e o CNJ poderiam por fim aos abusos cometidos pelo MPF, MP, PF e etc. Essa turma de procuradores e delegados e juízes usam do cargo e da instituição para perseguição política, são piores que policiais corruptos em serviço. O judiciário está alimentando um monstro e estão destruindo os direitos constitucionais, destruindo o Brasil e estão ganhando muita grana e prestígio para isso! É gravíssimo!

  35. E Goiás se notabilizando. E

    E Goiás se notabilizando. E figuras ridículas como essas ganhando os tubos pagar por todos nós. Na falta do q fazer. Só pode ser.

  36. Custos, ou “seria comico se não fosse trágico”

       Algumas diatribes proporcionadas por nossos caros Procuradores, em conjunto com alguns sabujos midiáticos, podem até lembrar arroubos adolescentes, manifestações pueris de ignorancia, uma tremenda necessidade de aparecer, de “mostrar as armas” ( atitude bem adolescente, tipica de ações com regua e compasso, exercidas em  mictórios colegiais), ou o simples ” Poder do Porteiro, do sindico “. Mas tem custo,

        Não apenas o custo dos processos, o tempo dos profissionais envolvidos é caro, procuradores, juizes, advogados, percebem ótimos salários e vantagens, os primeiros, inclusive são praticamente indemissiveis, aposentam-se cedo e com altos ganhos – um procedimento como estes de Goiás, custam como qualquer outro de maior relevancia -.

        O problema grave não é o custo direto destes processos “exóticos – midiáticos”, mas o que significam para quem esta de fora, para os que procuram “vender” projetos, captar investimentos externos, participar de PPPs, ou mesmo solicitar um PMI, pois se qualquer Procurador , no exercicio de suas funçoes e prerrogativas do cargo, pode instaurar um procedimento sobre qualquer ato, do mais corriqueiro e estapafurdio, até paralizar um projeto, uma obra já em andamento, o custo global destes projetos deverá tb. ser composto com esta variavel, é simples: vencer uma licitação no Brasil, não significa o fim do processo, pois a cada instante vc. pode ser intimado, e pior : jogado as feras da midia, levar lama, perder relevancia no mercado.

        Com certeza, mesmo oriundos da area juridica, qualquer procurador sabe.ou deveria saber, que quando uma empresa é envolvida em algum processo, mesmo que liminarnente, ou só por “ouvir dizer” (midia), o “mercado” baixa suas expectativas em relação a esta empresa/projeto, e se alguem esta “perdendo”, a matemática financeira é muito mais clara que as lides juridicas, alguem estará “ganhando”.

          A insegurança juridica tb. deve ser analisada e calculada em seus aspectos economicos, os MPs não são mais apenas “agentes de controle do estado”, tornaram-se tambem agentes do processo economico/financeiro.

  37. Bom dia, Nassif. Não fui o
    Bom dia, Nassif. Não fui o primeiro mas já acuso há anos a arrogancia desses concurseiros que mataram aula de Sociologia, Filosofia e Historia e se acham a inteligencia nacional. Ganham mais que Professor Doutor, Oficial General e Pesquisador da EMBRAPA, por exemplo e eles e outros acham isso muito natural.
    Como disse Werneck Vianna, autor do “Judicializacao da Política e das Relações Sociais” – de 99, diga-se: “ainda vamos ter muitas surpresas com esse pessoal”.

    • Concursos e vestibulares nobres (USP)

      Lucinei:

      Concordo contigo. E uma coisa que não tem sido notada pelos estudiosos (ou vítimas do atual sistema) é o seguinte: Concurso (e aviso que sou concursado) afere capacidade de memória. E só. Não afere capacidade real (competência), nem criatividade, e muito menos honestidade. É a mesma lambança dos vestibulares (com exceção do ENEM, no quesito Língua Portuguesa, com a exigência de redação). O cara entrou na Medicina da USP porque papai – ou mamãe – pagou caríssimo professor de… memorização. Médico brasileiro é um memorizador de sintomas e tratamentos (carniceiro – apud Kolia Krasotkin – ele aprende depois, nas residências ou nas cobaiagens do interior brasileiro). É porisso que o médico-memorizador brasileiro tem tanto ódio dos cubanos: medo de que o povo descubra a verdade, pela simples comparação de desempenho. A propósito, um exemplo: tive um problema de articulação (joelhos) e fui num ortopedista velho (japonês) que disse que eu não tinha nada. Fui depois num ortopedista jovem, que não descobriu o que eu tinha mas receitou, no chute, colágeno. Fui depois numa benzedeira (dona Arlinda, meio cega), que com suas mãos maravilhosas colocou as cartilagens no lugar (estavam fora, e nem doeu). Depois disto, e com a ajuda do colágeno (ao qual volto de vez em quanto), fiquei bom do joelho. Se o jovem ortopedista fosse cubano, eu voltaria lá para informar o que deu certo – colágeno e mãos de fada.

       

       

      • Gerard Lebrun sempre teve razão!

        Gostei muito do comentário. Pode ser lido como uma simples narrativa, mas eu preferi ver nele o cerne de uma questão político-filosófica atual: nossas instituições se fazem com dois positivismos, o da autoridade pura e simples (não legítima), e o do formalismo burocrático à moda burguesa.

        Ainda vão fazer longas teses sobre o país que preza “memorizadores”, com salários altos, em detrimento de trabalhadores/produtores. Um belo dia os pedreiros, os padeiros, os leiteiros, os catadores de lixo, os boias-frias, em conjunto, não poderão mais pagar os privilégios dos promotores! E, escreva, a culpa será desses proletários inertes e preguiçosos!

        Os liberais são contra uma máquina estatal inflada, querem eficiencia, mas se calam diante de um sistema de concursos que engessa o serviço público, já que no caso dos concursados a meritocracia vige até o dia da aprovação! E o mérito está na possibilidade do felizardo não ter que trabalhar cedo, não viver de salário, não andar de coletivo, ou seja, está no fato de que, com todas as necessidades adimplidas, ele é merecedor porque aproveitou a chance de se dedicar em cursinhos, ter comprado a obra do momento, contratar um coacher, ir de avião à Roraima concorrer a vaga de lá, para em seguida estar no Mato Grosso do Sul, etc…

        Na verdade um país pagando tão caro os filhinhos de papai que puderam ficar 4, 10, 12 anos (só) estudando tecnicamente para concurso, para que se infiltrem nas instituições para manter este sistema de privilégios, está totalmente equivocado quanto a um futuro digno. E ainda acusam o atual sistema de boliviariano. Deixem Bolivar em paz e curtam as férias em Campos do Jordão!  Enquanto vocês reclamam do fardo bolivariano, nós vamos nos acotovelar nas filas para lavar banheiros por 4 reais a hora!

        Só faço um “mea culpa”, de fato 140,00 reais da bolsa família estão causando o enriquecimento sem causa de quem não pretende brigar para lavar o banheiro fétido!

        Sabe, há muito o que fazer pelos proletários do Brasil. O duro, é que já perdemos de novo…

         

  38. Para que esse pessoal estuda

    Para que esse pessoal estuda tanto para passar em concurso? Só para depois fazer a gente morrer de vergonha e de raiva das palhaçadas que fazem para aparecer na mídia, que os usam como bem quer. Vida dura essa nossa, sustentar esses aparecidos pelo resto da vida.

    • O enfoque não é este. O que

      O enfoque não é este. O que eles acham problema é que o comercial valoriza demais o Brasil e não fala nem um pouco nos EUA. Para bom entendedor…

  39. Falta um Palavra.

    Nassif,

    Falta uma palavra no dicionários desss inistutuilções: Responsabilização. Quando não existe uma instãncia que faça efetivamente a correição dos atos esses servidores públicos, eivados de flagrantes desvios de finalidade, de meios, competência etc acontecem os abusos, não só por ação mais também por omissão. 

  40. Devido às últimas notícias

    Devido às últimas notícias publicadas pela imprensa marrom do Rio e São Paulo (Veja, Época, Globo, Folha de São Paulo e Estadão)  envolvendo o ex-Presidente Lula, cheguei a conclusão que todos os membros do Poder Judiciário, MPF e PF foram infectados pelo Zica vírus e padecem de microcefalia gravíssima.

  41. Pera aí..
    Deixa eu entender uma coisa…nós passamos anos criticando FHC e a compra da reeleição, Renan,Collor, Maluf e Sarney, seu coronelismo e corrupção… E agora quando vemos um contraponto que esperávamos viesse do PT e sua esperança contra as elites supracitadas, a culpa das mazelas do país recaem sobre o MP? Jaques Wagner está certo, houve lambança com o melaço! Não se deixem cegar por cores, sonho com o dia onde Lula e FHC dividam uma cela para pagar por toda a farsa que venderam ao povo, sonho com um dia onde as excelências peguem ônibus e sejam tratadas no SUS de qualidade, que não tenham verbas de gabinete e não usem o que é público como privado. Se o MP do São Paulo não pede a prisão de Maluf, será que ele está certo? Não existiram os desvios nas estatais e fundos de pensão? Não houve trabalhadores que perderam todo o FGTS DEVIDO A CORRUPÇAO? Enquantoo as cores e ideologia$ compram a imprensa e o povo, estaremos para sempre condenados.

  42. Essa bolivarização levou ao

    Essa bolivarização levou ao Compadrio de TOGA ou de TANGA… a justiça que sempre foi respeitada escolheu o caminho tendencioso da chicana dos bem nascidos.

  43. Pela forma como tem a agido

    Pela forma como tem a agido já deveriam ter fundado o PJ – Partido do Judiciário

  44. A diferença entre um país

    A diferença entre um país moderno e uma república de bananas está na capacidade de, através das leis, impor regras de conduta.” Mas, democracia não é dádiva, não nasce em árvores, não cai do ceu.

    Quem garante o funcionamento das instituições republicanas não é o embasamento teórico de suas leis, é a consistência da luta política dos que se esforçam para criá-las e preservá-las.

    Se chegamos nesse estado de coisas foi porque no PT e fora do PT, no amplo espectro das forças políticas de boa vontade, nos deixamos levar pelo canto de sereia da conciliação dos panos quentes, da ilusão de que luta política poderia ser de uma forma “civilizada”, idealização dos não querem ir muito fundo nas reais problemáticas brasileiras.

    Não se enfrentou a grande mídia, que nunca deixou de ser o que está sendo.

    Não se enfrentou o aparelhamento secular dos dispositivos de estado, que nunca deixaram de ser o que estão sendo.

    Não se enfrentou o grande capital concentrador, que é o que sempre foi e age com os métodos em que sempre operou.

    E não vou nem falar das forças exógenas, aquelas mesmas que provocam aquelas famosas “perdas internacionais” de Leonel Brizola.

    Seria preciso?

    Ah, em tempo, é inegável que haja uma banda podre no PT e no arco das esquerdas. É preciso mexer nisso também.

     

  45. Por que o governo não defende

    Por que o governo não defende Lula?

    12 de Fevereiro de 2016Compartilhe no Google +Compartilhe no TwitterCompartilhe no Facebook

    A primeira ofensiva do conservadorismo, depois de 2002, foi durante a crise do chamado “mensalão”, de 2005 em diante.

    O alvo imediato da coalizão entre a velha mídia e os setores mais reacionários, incluindo parte da base governista, era o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu.

    De lambuja, vinha a expectativa de criar as circunstâncias necessárias para o impedimento presidencial ou até sua renúncia.

    Não se tratava apenas de golpear a principal liderança orgânica do PT e da esquerda, além de possível sucessor de Lula em 2010. A meta também era quebrar a coluna vertebral da agremiação e desorganizar seu núcleo dirigente.

    O presidente Lula e seu partido, no entanto, decidiram evitar o confronto proposto por seus adversários. Dirceu foi decapitado e entregue à própria sorte, ainda que parte importante da militância de esquerda tenha, ao longo do tempo, se mantido solidária.

    Imperou a ideia de que o “republicanismo” – parido pelo conceito do Estado como terreno neutro, no qual as instituições não devem ser disputadas a ferro e fogo, ao contrário do que sempre fizeram as classes dominantes – permitiria compensar o sacrifício do principal general petista, além de outros dirigentes históricos, pois neutralizaria o impacto das denúncias entre as camadas médias e amenizaria a voracidade das tropas inimigas.

    Mais refinadamente, “republicanismo” expressava a busca por uma zona de intersecção que amenizasse o choque de classes e programas. Intento fracassado: os governos petistas abdicaram, por exemplo, de investigar as privatizações tucanas e deixaram seus oponentes confortáveis, liberados para operar organismos supostamente republicanos e lançar prolongada guerra de desgaste contra a esquerda.

    O fato é que, no episódio do “mensalão”, o governo teve sucesso ao avançar na construção de uma política desenvolvimentista para romper o cerco conservador, o prestígio acumulado desde os anos oitenta ainda era muito elevado e Lula foi reeleito presidente da República.

    No entanto, como dizia o ex-prefeito de Santos, David Capistrano Filho, nem tudo que dá certo, ou pareça certo, está certo.

    O conservadorismo perdeu sucessivas eleições presidenciais, porém se deu conta de algo essencial: o PT tinha plano de governo, mas não era um partido vocacionado a lutar, com todas as suas implicações, pela transferência do poder de Estado às classes sociais das quais nasceu como principal representação.

    Lula e seus correligionários não estavam dispostos a correr riscos, provocados principalmente pela situação de minoria da esquerda no parlamento, para reformar o sistema político, democratizar os meios de comunicação, disputar a hegemonia nos aparatos repressivos e judiciais, levar a cabo uma potente batalha político-ideológica contra as oligarquias ou mobilizar o povo como principal fator de governabilidade.

    O esgotamento do modelo econômico impulsionado a partir de 2006, depois do afastamento de Antônio Palocci do Ministério da Fazenda, contudo, acabou por criar as condições para nova ofensiva restauradora.

    De uma investigação pontual e fortuita sobre o doleiro Alberto Youssef, emergiu a Operação Lava Jato e veio se consolidando o instrumento fundamental para desestabilizar o projeto encarnado pelo petismo.

    A partir de fatos concretos indicando corrupção na Petrobras e no sistema de financiamento eleitoral, um festival de ilegalidades e manipulações fez a escalada conservadora subir de patamar, repetindo o contubérnio da AP 470 entre grupos de mídia, setores do Ministério Público, pedaços do poder judiciário e frações da Polícia Federal.

    A República de Curitiba, ao mesmo tempo que poupa a oposição de direita nas investigações sobre desvios e doações eleitorais, anima o golpismo contra a presidente Dilma Rousseff, mira o ex-presidente Lula e almeja a própria cassação do PT.

    A direita se sente à vontade, porque tem na sua conta que o PT ladra, mas não morde. E que o governo liderado pelos petistas nem sequer ladra.

    Até agora não se viu ou ouviu, por exemplo, qualquer gesto público da presidente ou seus ministros contra atropelos e abusos para incriminar, a qualquer custo, o operário cuja popularidade tornou possível a dupla vitória eleitoral da ex-guerrilheira.

    As proporções do ataque atual são muito superiores às do “mensalão”, mas o Palácio do Planalto responde com o aprofundamento do “republicanismo” que faz a alegria das forças reacionárias.

    Não há embate político a sério, não se pune funcionários do governo que violam estatutos de sua própria corporação, não se enfrenta a mídia, não se fala ao povo sobre o que está em jogo com o cerco ao maior líder histórico da classe trabalhadora.

    O que prevalece é a lenga-lenga sobre feitos governistas para garantir autonomia das investigações, como se isso fosse a questão mais relevante em curso.

    Marx dizia que a história se repete como farsa. Sorte a dele que não conhecia o país da jaboticaba. Aqui a história pode se repetir como tragédia ao quadrado.

    A postura de 2005 custou a cabeça de personagens centrais da geração de resistência à ditadura e da construção do PT.

    Sua repetição, nos dias que correm, pode levar de roldão a principal obra política do povo brasileiro desde a derrubada de João Goulart.

  46. Os caras roubam a Petrobras e
    Os caras roubam a Petrobras e de quem e a culpa? Os juízes e procuradores estão sendo muito malzinhos. Se um petista estuprar uma criança de dois anos vão dizer que a culpa e da crianca

  47. Os cargos de PGR e de

    Os cargos de PGR e de Ministro da Justiça não podem ser ocupados por líderes liberais que deixam tudo fazer, tudo passar esperando que tudo se ajuste por si mesmo. O PT já deveria ter aprendido esta lição no primeiro mandato do Lula. Agora, nem se quisesse poderiam designar um líder autocrático para botar ordem  no Ministério Público. Na PF, ainda dá tempo, basta um aceno de cabeça. 

    Mas pelo jeito, o barco continuará à deriva em alto mar com marujos motinados e os ratos apavorados . O  imediato e o comandante perderam a linha de comando. O comandante ainda segura o timão, mas com as velas abaixadas pelos marujos o barco irá para onde as ondas e correntes quiserem levar.

     

      

  48. o título é sugestivo e

    o título é sugestivo e permite reflexões.

     a minha é a seguinte:

    a direita ataca tanto osa governos chamados populares, ,

    como aqui e na venezuela, que cria um clima separatista, um clima de fla x flu, um climna de ódio…

    depois culpa a esquerda por isso.

    mais uma infamia  histórica…

    impossível não lembrar dos ataques a getulio e o seu suicídio em 54, a jango e o gope de 64,

    a tentativa d golpe na cenezuela contra chaves em 2002…

  49. o único valor é o monetário.

    “A subversão de valores e funções” não é só no poder judiciário. O executivo e o parlamento de todas as esferas e seus representantes dos mais diversos partidos também fazem parte dessa ‘subversão de valores e funções’. Admito que para um jornalista a causa seja buscada na necessidade aparecer na midia, mas para quem trabalha em outras áreas a causa pode ser buscada na redução de todos os valores a um só valor, o valor monetário.

  50. “Lavagem cerebral” – o que sobrou?

    O governo de Goiás criou um estado de ficção que só existe nas imagens de seus inúmeros comerciais*. É nesse “Goiás” que reside (bem contente e confortável) o promotor Cláudio Drewes – quem sabe, sonhando com Miami ? Trabalhando assim não será difícil conquistar, quem sabe, um visto de trabalho, de “colaborador”… dos USA.  
    Será que ele já viu a campanha dos USA para as Olimpíadas? Que reação tem ele quando ouve o hino americano? 

    Tal promotor estaria livrando nossas crianças e jovens da “lavagem cerebral” promovida pelo governo federal ao incentivar os atletas, as torcidas, o respeito à diferenças, os anfitriões, as conquistas… ?

    Será que podemos ter respostas para estas perguntas, visto que somos nós que pagamos uma pequena fortuna mensal para os Procuradores?

    *tem um sambinha apontando a esperteza: “eu quero morar… na propaganda do Governo de Goiás…” (clip no youtb).

  51. O Golpe está em curso final

    Não acho que as instituições estejam doentes, Doentes estão todos os brasileiros que aceitam essa bandidagem instituciuonal generalizada. Todas instituições com atitudes (várias e reiteradas de todas as instituiçõe seja pela ação ou omissão)) que se constituiem em desobediência às regras constitucionais e, portanto, em golpe de estado. Só que vocês, pouquisssimos jornalistas decentes que ainda sobram, que ainda não escreveram isso e insistem em fazer caras de paisagem. É golpe de estado – e está em seu curso final, dá pra entender? Acordem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Aliás tomara que termine logo para o pais e porvo não irem de vez proburaco.

  52. Não deixem os trabalhadores e a juventude acuada.

    “A diferença entre um país moderno e uma república de bananas está na capacidade de, através das leis, impor regras de conduta. Quando as normas e leis passam a ser atropeladas, sem que os diversos poderes se interponham aos abusos, há algo de profundamente doente com a democracia.”

    Que os abusos são evidentes, Nassif deixa claro. O que não está claro é porque os “diversos poderes” não se colocam contra os abusos.  Porque Dilma mantém um ministro da justiça que mais parece apoiar do que se preocupar com os abusos?  Se o governo Dilma mostrasse interesse em  colocar um fim a estes desrespeitos às leis, órgãos da sociedade civil e de outros poderes teriam mais chances e incentivos para agir. 

    É claro que tudo isto não terá um bom fim do ponto de vista dos interesses do povo e da democracia. A inanição do governo está provocando um tremento fosso entre a sociedade e os poderes democráticos.  Tudo está pronto para que, diante da total falta de espectativa de um mundo melhor,  e, descrentes com a democracia, mais e mais grupos sociais, principalmente a juventude,  passem a buscar outras alternativas de atuação política, e isto, todos sabemos, é  o pior que pode nos acontecer, principalmente  num mundo já conflagrado por tantos radicais. 

    Assim como o golpe de 64 lançou na clandestinidade e na luta armada, toda uma geração, penso que isto é o que pode  acontecer hoje.  Exemplos não faltam.

  53. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome