A receita depois do pesadelo Bolsonaro, por Luis Nassif

Prêmio Nobel de Economia em 2006, Edmund Phelps publicou um artigo instigante sobre as razões do dinamismo, ou da perda de dinamismo nas economias ocidentais.

Ele critica a dificuldade dos economistas em trabalhar com a incerteza. Tratam a economia como se fosse um processo cumulativo, calculado, em que o futuro é previsto a partir do passado. É o manual do cabeça de planilha. Em momentos de ruptura, de crise sistêmica, dançam.

O desenvolvimento do Ocidente, diz Phelps, sempre esteve ligado à noção da incerteza, e da busca do novo. A revolução se deu através da inovação na base, envolvendo todas as pessoas, trabalhadores, empresários, e todo tipo de indústria.

Ele atribui a Robert Solow, do MIT, a consagração da tese de que a taxa de progresso técnico era exógena à economia. Lembra em muito o ex-Ministro Pedro Malan, que minimizava políticas científico-tecnológicas, afirmando que bastaria importar máquinas modernas, que já vinham com o conhecimento embutido.

Aí se volta à noção da economia e do desenvolvimento como um sistema, uma engrenagem que produz desenvolvimento quando todos os fatores avançam na mesma direção.

No início dos anos 90, quando começaram os primeiros movimentos pela qualidade, parecia que esse sentimento tinha tomado conta de amplos setores. Aliás, no alvorecer do período democrático, Fernando Collor acertou em cheio com o conceito de câmaras setoriais – juntando, em um mesmo ambiente, produtores, fornecedores, trabalhadores em torno do objetivo de conferir competitividade ao setor.

Leia também:  Reportagem mostra como bolsonaristas atuam em linchamentos virtuais

Atrás de sua estratégia, havia conceitos claramente definidos pelo maior – e mais desconhecido – economista brasileiro da época, Júlio Mourão, do quadro do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social). Coube a ele lançar as bases da política da integração competitiva, entendendo o desenvolvimento como um processo sistêmico.

No governo Fernando Henrique Cardoso, avançaram-se nos conceitos de Arranjo Produtivo Local e nas bases dos primeiros programas de inovação, muito devido ao então Ministro Luiz Carlos Bresser Pereira.

No governo Lula, as conferências nacionais se constituíram em poderosíssimo instrumento de coordenação federativa. As conferências de inovação deram início a um pacto envolvendo associações empresariais, trabalhadores, sindicatos. Ganharam corpo os movimentos pela educação e pela inovação. A Confederação Nacional da Indústria chegou a montar o MEI (Movimento Empresarial pela Inovação), pelo qual grandes empresas – nacionais e multinacionais – implementariam programas para levar a qualidade aos pequenos.

O governo Dilma lançou alguns programas relevantes de inovação, como o Brasil Competitivo, em parceria com a CNI, estimulando institutos de pesquisa a atuarem em rede resolvendo problemas estruturais da indústria. E foi relevante com o MEI (Microempreendedor Individual), permitindo a formalização de milhares de microempresários por todo o país.  As políticas de compras da Petrobras estimulavam pequenas empresas.

Todos esses movimentos, uma construção social e econômico penosa – dado o ambiente negativo das políticas monetária e cambial – ruíram com a perda de rumo do governo Dilma. A própria Dilma poderia ter promovido uma correção de rumos. As eleições seguintes garantiriam a alternância de poder, necessária em toda democracia, com o esgotamento do ciclo petista.

Leia também:  Ou o Brasil acaba com Bolsonaro ou Bolsonaro acaba com o Brasil, por Sebastiao Nunes

Mas, aí, sobreveio o golpismo, com Ministério Público Federal, através da Lava Jato, e com a complacência cúmplice do STF (Supremo Tribunal Federal), dando início à destruição do sistema partidário e da economia nacional.

Agora, o pesadelo de Bolsonaro traz uma nova divisão, que irá se consolidar gradativamente: entre o Brasil moderna, de esquerda e direita, e o país dos subterrâneos e das milícias.

Seria relevante que as lideranças mais racionais, de lado a lado, começassem a construir a ponte para o recomeço, que se dará um ponto qualquer do futuro.

Assim que passar o pesadelo bolsonariano, o trabalho de reconstrução terá que se dar em torno de um amplo pacto nacional juntando movimentos, sindicatos, empresas, mercado, universidades, institutos.

O político, ou o pacto, que lograr essa síntese dominará o próximo ciclo político.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

38 comentários

  1. Você está muito otimista Nassif
    Eu acho que o pesadelo não é Bolsonaro, mas sim a chamada “Nova Democracia”. Os filhos da revolução resolveram retomar o poder e contaram com os votos do eleitorado mais alienado do mundo. Agora estou achando difícil esse pessoal sair.

    • Também acho!

      Trocar a cavalgadura por um grupo de fascistas mais inteligentes, mas igualmente medievais, não trará ao Brasil quaisquer benefícios a médio e longo prazos!

  2. Nassif, faz uma semana que
    Nassif, faz uma semana que seus artigos dão como certa a queda do presidente. Não sei até que ponto isso pode ser positivo, visto que sobram Mourão, Moro, Damares, Pontes, Guedes, Velez, Araújo, congresso e senado com uma enorme quantidade de ignorantes… Você teria como jogar o xadrez do dia depois da possível queda do Bolsonaro, levando em consideração que não cairá?
    Atenciosamente,
    Montagna.

    • Xadrez do dia

      Montanha,

      Xadrez não é tarô.

      Sabe como é, o xadrez é racional, exige horas de reflexão e pode não culminar em previsões dadas como certas.

      No caso, o melhor é consultar um oráculo.

      Se a mulher que disse que o bozo ia ser presidento porque o seu destino estava entremeado com o destino do brasil for consultada agora, “possa ser” que ela diga a data e a hora do desenlace, digo, do desembarque do coiso do planalto.

      Aqui o link para as previsões e o vídeo

      https://www.1news.com.br/noticia/527017/noticias/astrologa-que-previu-atentado-a-bolsonaro-faz-novas-previsoes-assustadoras-muito-pior-01112018

      Cá pra nós, ela disse que o coiso fica e que o brasil será feliz com ele.

      Minha reação:

      Misericórdia!

      • Kkkk, eu sei que xadrez não é
        Kkkk, eu sei que xadrez não é tarô, mas xadrez também se joga! E acho que o Nassif tem as qualidades necessárias para bem jogar o xadrez. Agora, se a moça disse que o coiso fica e que seremos felizes, então está dito!

        Misericórdia²

        Abs,
        Montagna

  3. Pacto?
    Com o partido do judiciário? Nunca vão largar o osso.

    Com a midia golpista? Veja o que a Globo esta fazendo com o capetao que housou enfrenta-la

    Com esse congresso? Que corrupto afastou Dilma a honesta

    Com os bolsominions que querem sangue de Lula?

    Com os evangélicos do dinheiro benzido?

    Com os militares das mamatas pros filhos e filhas?

    Ta dificil hein Nassif?

  4. Cambada de ignorantes,

    Cambada de ignorantes, burros, selvagens, que tomaram o poder, e misturando insensibilidade com maldade e egoísmo querem acabar com os mais vulneráveis socialmente, os desprovidos, pela ganância de terem mais poder, força e dinheiro. A insistência na deformação da previdência,  é uma estratégia de repetição de uma necessidade de reforma que não existe na prática. Mas com a ajuda da banca e da mídia querem empurrar goela abaixo do povo, fazendo-o acreditar que é para seu bem.  

    Já disse que estou com o saco cheio e há 6 meses de garantir minha aposentadoria, não vou aceitar passivamente nenhuma mudança nese meu direito. Caso ocorra, não descansarei enquanto não pegá-los um a um. Chega de passividade, esgotou. Agora é pra,valer.

  5. Com os poucos elementos que

    Com os poucos elementos que tenho para analisar, penso que Bolsonaro não vai cair por enquanto. As condições que o levaram à presidência estão todas aí. Há um desgaste prematuro inegáve de sua imagem de xerife da moral e bons costumes, mas essa faceta era cohecida de todas as grandes forças que o avalizaram em detrimento do PT/Lulismo. Talvez seu enorme despreparo, que aos poucos revela uma inépcia total, tem assustado mais seus partidários mais espertos.  A cada dia que passa avançamos uma página na saga de Simão Bacamarte. 

  6. “Racional”
    A minha curiosidade é sobre qual “liderança racional” o Nassif se refere no campo golpista. Ora, TODOS se juntaram depois de uma, duas, tres, quatro vitorias eleitorais do “lulopetismo”. O Sr. FH é o primeiro da lsta. Depois da ressaca eleitoral de 2010 ainda, pregou “bater bumbo” pra classe media. Em setembro de 2012 percorreu todos os saloes movendo mundos e funndos pelo “todos contra o PT”… A partir de 2013 foi aquilo que todos viram…

    A tomada do poder foi mais importante que qualquer outra coisa, pouco importando se arregaçassem as instituiçoes antes de uma quinta derrota consecutiva…

    O pessoal quer é MANDAR, e assim fazerem seus negócios. Falam mal dos governos, do Estado e da Politica porque querem o governo, o Estado e a Politica para ELES. Essa é a “racionalidade”.

    • Poucos estão considerando
      Poucos estão considerando a hipotese de que essa geração que está chegando ao fim se lançou a uma disputa tao encarniçada pelo poder que fez com que muita gente voltasse a acreditar que os estamentos militar e judiciário, com seus empregos e salarios garantidos, fossem os “fieis da balança” de uma ilusoria pacificação social.

      Eles, os militares e as facçoes judiciárias, acreditam ou fingem acreditar nisso. Muita gente está com eles nao é à toa.

  7. Nesse trecho do post ” Assim

    Nesse trecho do post ” Assim que passar o pesadelo bolsonariano, o trabalho de reconstrução terá que se dar em torno de um amplo pacto nacional juntando movimentos, sindicatos, empresas, mercado, universidades, institutos” faltou mais um ator pra esse pacto = os militares. Hoje no Brasil na prática vivemos um governo regido por militares. E se a família Bolsonaro se tornar uma pedra no sapato insuportável, os miitares não terão dúvidas em tirá-lo do caminho pra que Mourão seja o presidente. E aí, se Mourão-Militares fizerem a economia diminuir drasticamente o desemprego, aí esquece pacto. Os militares se tornam os donos da bola a partir desse momento  vão escolher os civis que jogarão no time deles – desde que não tenha ideias tidas de esquerda. A elite brasileira, miserável como sempre, conseguiu a façanha ( e o golpe pra isso foi tirar Lula da disputa de 18 )  de fazer o povo escolher um regime militar pelo voto. Se os militares tiverem o mínimo de competência, vão dizer que a classe política do país, no executivo, só serve pra gerar crise e assim o  Brasil caminha pra que só militar seja escolhido presidente, numa espécie de PRI abaixo do Rio Grande. Um PRI que aqui seria um PFA – partido das Forças Armadas. 

  8. A receita depois do pesadelo Bolsonaro

    -> Lembra em muito o ex-Ministro Pedro Malan, que minimizava políticas científico-tecnológicas, afirmando que bastaria importar máquinas modernas, que já vinham com o conhecimento embutido.

    FHC e seus Chicago’s Boys, assim como hoje pretende ser Bolsonaro e seu Chicago’s Oldie, foi o príncipe gestor da perpetuação do pacto maldito brasileiro: entre a SELIC da Av. Paulista e o boi branco na Amazônia transformada em cerrado.

    enquanto o Brasil não romper este pacto maldito entre os banqueiros e os exportadores de commodities, não iremos a parte alguma, senão à extinção de nossa soberania nacional e à catástrofe ecológica.

    -> E foi relevante com o MEI (Microempreendedor Individual), permitindo a formalização de milhares de microempresários por todo o país.  As políticas de compras da Petrobras estimulavam pequenas empresas.

    a estratégia para um desenvolvimento sustentado economicamente, ecologicamente sustentável e socialmente includente é clara:

    – toda a espinha dorsal deve ser estatal sob estrito controle público, com a iniciativa privada se integrando na cadeia de suprimentos, mas sempre sob forte regulação contra cartelização e oligopolização.

    ao longo de nossa História, o grande empresário brasileiro mostrou-se como incapaz para dirigir o país, e mesmo um dos principais entraves ao desenvolvimento nacional.

    dos que aí estão, praticamente não se salva nenhum. o lugar que lhes cabe é em Curitiba.

    -> Assim que passar o pesadelo bolsonariano, o trabalho de reconstrução terá que se dar em torno de um amplo pacto nacional juntando movimentos, sindicatos, empresas, mercado, universidades, institutos. O político, ou o pacto, que lograr essa síntese dominará o próximo ciclo político.

    qualquer pacto só se viabiliza a partir de uma posição de força e num cenário de absoluta falta de outras opções.

    um pacto não se impõe por si só, pela certeza de suas propostas, pela razoabilidade de seus argumentos, pela racionalidade de suas análises.

    o “diálogo” e a “negociação” com a lumpenburguesia no Brasil só se viabiliza por uma coexistência nada pacífica garantida por uma permanente dissuasão “armada”.

    a força só entende a linguagem da força. o poder só teme o poder. a hegemonia só pode ser derrotada pela contra-hegemonia.

    enquanto a lumpenburguesia brasileira não estiver toda na cadeia, como foi feito casuísticamente com os empreiteiros e os donos de frigorífico, não haverá nenhum pacto viável.

    o grande pacto de reconstrução do Brasil só se ergue a partir de determinadas circunstâncias. estas circunstância não acontecerão espontaneamente. precisam ser forjadas..

     

  9. BOZO é realidade

    O CLÃ Bolsonaro é coisa urdida, mantida e cultivada, não é sonho ou delírio, é realidade a ser enfrentada  ..deriva da ação e da OMISSÂO de radicais e de liberais.

    LEPROSO se trata ..não se esconde ou se finge que não esta ocorrendo nada como parece querer fazer os militares.

    Por enquanto, depois de DEZENAS e dezenas de vídeos aonde muitos dos membros dessa família protagonizam filmes, podemos dizer que o clã BOZO de psicopatas é composto por:

    – UM PAI que confessa ter mantido relações SEXUAIS com animais qdo jovem ..amante da ditadura, tortura, da eliminação de oponentes ..propagador de ódios e de preconceitos contra negros, índios, mulheres, pobres e gays ..mitômano inveterado que, inclusive, planejou atos terroristas após a lei da anistia.

    – um filho, o do caso mais emblemático, aliado a laranjas e MILICIANOS ..gente abusiva que corrompe, corrói e subtrai o direito dos cidadãos tal qual todo e qq outro BANDIDO.

    – um outro filho XENÓFILA, amante dos EUA e de Israel, e que faz dessa bandeira uma luta cega contra povos que JAMAIS nos fizeram mal.

    ..e outro que agora dizem HOMOSSEXUAL enrustido que, de característica, é JUSTAMENTE dos 3 filhos mais conhecidos o que mais clama preceitos homofóbicos contra seus adversários políticos.

    DE COMUM todos tem o senso de onipotência e de IMPUNIDADE latente em suas veias.

    REALMENTE, pras FFAA, fora MAIS UMA VERGONHA histórica após tantos GOLPES aplicados contra a sociedade CIVIL, falamos aqui de tratar e esclarecer, dentro dos limites da LEI, da ordem e da ética (embora os GOLPISTAS parecem ter dificuldade de compreender o significado da palavra LIMITES) todos os inúmeros episódios que cercam esta família, e que a décadas é de conhecimento, ou suspeito de ocorrer, com essa família.

    ..uma dica interessante seria analisarem com cuidado e divulgarem pra sociedade a real gravidade da tal “FAKEada” que, pra maioria, ainda parece tratar de obra planejada e ENCENADA.

    https://www.youtube.com/wat

     

  10. A selvageria em que os países

    A selvageria em que os países mais vulneráveis estão mergulhando deve-se à crise sistêmica do capitalismo.  Não acredito em pacto nacional com a participação dos atores que tomaram o Estado brasileiro. Sem Estado forte e nas mãos de grupos civilizados, não há salvação. A China resiste e cresce porque o Estado controla quase tudo e está sob o comando de um grupo articulado, inteligente, e mesmo assim são afetados pela crise sistêmica. 

  11. As viúvas do Pacto de Moncloa

    Ainda vivem.

    Pacto? Tentam um desde Sarney. Sempre tem a história de que o guarda chuva é grande , porém o único que sai molhado sou eu!

    Aqui não tem Felipe Gonzalez. Muito menos Santiago Carrillo.

    E Thêmis  aqui não é cega, é caolha!

     

  12. “No início dos anos 90,

    “No início dos anos 90, quando começaram os primeiros movimentos pela qualidade, parecia que esse sentimento tinha tomado conta de amplos setores”.

    Infelizmente nossos voos de galinha não se dão apenas na economia, mas principalmente no nosso avanço civilizatório. 

  13. “Seria relevante que as

    “Seria relevante que as lideranças mais racionais, de lado a lado, começassem a construir a ponte para o recomeço, que se dará um ponto qualquer do futuro.”

    Até quando? Esta ponte já foi construida e obteve excelentes resultados nos governos do prsidente Lula e da presidenta Dilma. No entanto,essa gente que tem em seu DNA o golpismo e a exploração ,não soube conviver com a democracia e muito menos com a ponte construida pelos presidentes Lula e Dilma e preferiu outra ponte,ironicamente chamada de futuro,em que levou o Brasil para trás e,agora com o atual mandatário,50 anos para trás,como vaticinou ainda em campanha.

    Neste momento não há a menor chance de construção de qualquer ponte,sequer uma pinguelinha.

    Se alguém tiver o mínimo de humildade,reconhecer o erro e liberarem o presidente Lula,aí sim,ele,com sua grandeza imensurável,poderá lançar as fundações para a execução desta ponte para tirar o Brasil do ébano em que se colocou,no voto,diga-se de passagem.

    Lula livre já!

  14. Não existe possibilidade de

    Não existe possibilidade de pacto algum. O fanatismo, ignorância e vira latismo da “elite do atraso” é tamanho que eles foram capazes de dar tiro no próprio pé só para derrubar um governo trabalhista e para eleger, depois, a pior escrotidão de pessoas que existe no Brazil. A besteira do PT e setores da esquerda foi acreditar que existe possibilidade de diálogo com a elite do atraso em função do bem comum. Não deve existir no mundo um “governante” tão desqualificado quanto o que a elite brazileira colocou no poder. Ele é a cara dessa gente.

    • Alguém num blog disse, aliás,

      Alguém num blog disse, aliás, muito bem dito ” pior que o Bolsonaro foi quem o elegeu “. Fecha aspas.

  15. bola de cristal

    Bolsonaro vai para o hospital reverter a colonostomia(?).

    Entra em cena a “solução Mourão” urdida com a globo, com os militares, com o supremo de fhrango, com tudo. Botafogo no topo da tabela da Câmara e liderando o Senadão, Renan velho de guerra. Segue o enterro.

    Bolço depois de longo internamento renuncia para tratamento de saude. Junto com ele serão renunciados os folclóricos e os bandidos. Dançam Guedes, Damares, Onix, o Chanceler…coisinho, etc. A famiglia imperial será preservada no acordo para continuar seus negócios. A embaixada não vai para Israel. Se os Brigadeiros tiverem alguma força a Embraer continua brasileira. Submarino nuclear vai depender do mar de Brigadeiros. Moro se salva, patrocinado pela globo para se tornar mais um sinistro do supremo da globo.

    Batedores de panela ficarão felizes porque nossa bandeira jamais será vermelha. Voltaremos à lesma lerda. Quem for contra eu prendo e arrebento!

    • Caçapa cantada ?

      Em 1 de novembro de 18, R. Jungmann  anuncia que a PF vai investigar  a existência de grupo criminoso que tenta atrapalhar as investigações do assassinato de Marielle. O pedido foi feito por Dodge que teria depoimentos, nesse sentido, de pessoas  envolvidas obtidas a um mês, ou seja, antes do primeiro turno. O exército provavelmente também teria essas informações já  que o secretário de segurança do Rio era o general  Richard Nunes. O exército viu no candidato da direita, alguém com cacife eleitoral, para desbancar o PT e depois viria o que fazer. A facada poderia, mesmo que não fosse fatal, ter resultado na substituição de Bolsonaro por Mourão antecipando sua previsão. Como não foi bem sucedida têm que passar pelo constrangimento de ter que suportar alguém por quem tem desprezo até que as trapalhadas, os graves fatos, providenciem a substituição. Talvez a bola sete entre na caçapa cantada pelo Sr.

  16. Estava pensando: se sair o

    Estava pensando: se sair o Bocó entra o general neoliberal louquinho pra fazer m*r*a….

    Sei não, mas acho que é melhor um Bocó fraco na presidência. Vai fazer um monte de fiasco, vai trazer prejuízos imensos pra economia (olha a Arábia Saudita, aí), mas também vai ser muito dificil ele aprovar qualquer coisa no Congresso, especialmente medidas muito impopulares. Olha o que foi o desgoverno Temer: depois que ele foi detonado parou tudo e a país se salvou de mais estrago… 

    Se o general assumir já viu….. Vão empurar tudo goela abaixo….

  17. Uma das bases …

    …de alguns estudos que faço voltados para o funcionamento de empresas (foi aliás a partir do livro Cabeças de Planilha e alguns livros do A.A.), apontam para o necessário “desequilíbrio dinâmico”. A boa Política Economica é como caminhar: O andar necessita de um desequilibrio inicial para que haja algum movimento.

  18. A Hora Em Que O Sino Toca

    “Ô, pavidos tendeiros, gentis burarinheiros, a Cidade é vossa. Pilhai com decência” — Afranio Zuccolotto

    Nassif: nem daBala, nem os daBalinha, deve assustar. O medo maior são os VerdeSauvas (*), para os quais ainda não se tem um agrotóxico eficiente. Porque chegar ao ponto de se associarem, mesmo que indiretamente (pois sabiam de antemão), aos milicianos para derrubar politicamente governo legalmente eleito é ser rasteiro demais. Pois o Messias não é causa. É consequência dos quarteis…

    Pelo andar da carruagem, vão deitar e rolar. Lotearão até o leito do RioAmazonas. Rifarão o CristoRedentor. Farão em Goyaz-de-Trindad construções dignas de Dachau ou Auschwitz para reeducação dos 91 milhões de opositores. Especialmente agora que o local tá administrado por um pessoal que domina a região há mais de 150 anos. E com a grana que entrar, vão encher as metrópolis de formigueiros, um em cada bairro.

    O bom disso tudo é que até a grande mídia, seus sócios e tão cúmplices quanto o Judiciário, ficará de boca calada.

     

    (*) “Ou o Brasil acaba com a Saúva ou a Saúva acaba com o Brasil” — Saint-Hilaire, botânico (1779-1853)

  19. O fator Forças Armadas

    Tudo a que o Brasil esta vivenciando, essa vergonha internacional que é o Bolsonaro, da qual a esquerda ja havia previsto, é o sintoma de quão leviana tornou-se as instituições e figuras publicas que deveriam ser responsaveis no Brasil e não são. Quem colocou essa pavorosa familia no centro do poder? Com quais intenções? Todos essesz sabiam das ligações de Bolsonaro e seus filhos com bandidos chamados de micilianos no RJ, tendo a simbolica comemoração macabra da quebra da placa rua Marielle Franco. Quem vota numa figura dessa é amplamente responsavel pela a violência que se intitucionaliza no Pais. 

    Quanto a um pacto, o que temos hoje de homens publicos republicanos? Acho que sobram Fernando Haddad, Guilherme Boulos, Manuela e mais uma meia-duzia. Fernando Henrique Cardoso, definitivamente, perdeu-se; João Doria faz parte do fascismo e o restante do partido esta sem rumo… Ciro Gomes esta louco para protagonizar esse pacto com uma frente, mas se mostra apenas como mais um rancosoro na politica e, por fim, os militares não vão abrir alas. 

    O assissanato de Marielle bateu às portas da presidência da Republica e é muito grave. Macbeth também tinha medo de fantasmas e com razão, ele sabia que eles voltavam para cobrar sua parte. 

  20. A “direita moderna” tem 5% dos votos. E só no primeiro turno; no segundo vão todos para o “pesadelo”.

    Fazer pacto com quem não existe? Por quê?

  21. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome