A República dos Assassinos vêm à tona, por Luis Nassif

As descobertas de Matias Spektor nos arquivos da CIA, de que os próprios presidentes militares ordenavam a execução de “inimigos” do regime, torna verossímeis todas as suspeitas de mortes não explicadas do período. Os dois principais algozes foram Ernesto Geisel e João Baptista Figueiredo, presidentes da República.

Nos próximos meses haverá uma revisão geral e irrestrita de todos os mistérios do regime, inclusive da Lei da Anistia.

A saber:

  1. A morte de JK .

Um trabalho meticuloso de professores e alunos da Faculdade de Direito da USP, apontando diversos indícios de assassinato, foi ignorado pela Comissão Nacional da Verdade, que manteve a versão do acidente.

  1. A morte de Zuzu Angel.

A figurinista havia se transformado na mais influente voz a denunciar as torturas e mortes da ditadura junto à opinião pública mundial.

  1. A morte do delegado Sérgio Paranhos Fleury.

O mais notório torturador do regime era um arquivo vivo, que, com a redemocratização, poderia denunciar toda a estrutura de assassinatos comandada pela própria presidência da República. A versão oficial foi de acidente em um cais.

  1. A morte de João Goulart.

A suspeita da troca de remédios para um paciente cardíaco.

  1. Os autos de resistência.

Os sucessivos assassinatos disfarçados em resistência seguida de morte. Pelo menos esses nunca foram aceitos nem pela historiografia oficial.

  1. A morte do educador Anisio Teixeira.

Seria  Anísio um dos subversivos que mereceriam morrer, segundo o brigadeiro João Paulo Moreira Burnier, assessor do general Syzeno Sarmento, criador do Doi Codi? Aqui um vídeo com denúncias.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Coluna Econômica: Aumenta a corrente de comércio do Brasil com a China

80 comentários

  1. O Cruzeiro

    Não se pode esquecer tambem a estranha morte de um dos últimos donos da revista “O Cruzeiro”.

    Me parece que ele ele morreu no mar, vítima de um “acidente”.

    Para manter o projeto da revista de pé, parece que ele andou escorchando uns poderosos governantes da época, com a posse de informações que póderiam comprometetê-los.

    Seu sobrenome era Baungartem, ou coisa assim.

    Acompanhei um pouco o seu caso pela Veja. A Veja das antigas, diga-se

     

  2. Tudo isso é muito
    Tudo isso é muito grave.
    Agora,grave mesmo é essa submissão aos interesses imperialistas por parte de quem é pago justamente para defender contra este tipo de submissão.

  3. Redemocratização?
    Prepararação do terreno para a “abertura lenta, gradual e segura ” do regime militar. Incrível que há quem ache que disso resultou uma “constituição cidadã”

  4. Agora entendo porque tanta

    Agora entendo porque tanta preocupação com a integridade de Lula, preso sem provas, cuja defesa tem sido unânimimente negada  em todas as instâncias pelos tribunais do golpe de 2016. E temo mais ainda pelo fato dessas revelações aparecerem justo nesse momento em que a direita está órfã de líderes. Os abutres retornam.

  5. E desgraça pouca é bobagem,

    E desgraça pouca é bobagem, esse país que não consegue colocar a limpo o seu passado, tem um risco nada desprezível de eleger diretamente um boçal que defende com todas as forças – armadas – esse regime. Seria o fundo do fundo do poço. 

     

     

  6. Vale lembra a morte de Carlos

    Vale lembrar a morte de Carlos Lacerda também, por infarto no miocárdio, e que aconteceu na clínica São Vicente, no Rio. Era um dos três líderes da Frente Ampla e morreram todos em datas próximas. Todas, mortes polêmicas.

    Agora, o que levaria a CIA a disponibilizar esses arquivos a esta altura do campeonato?

    • Lacerda foi septicemia

      No romance-reportagem “O beijo da morte”, Cony explica direitinho como foi. Lacerda começou a passar mal após ter se ferido no jardim, cultivava rosas na região serrana, onde morava. Ligou para a filha avisando que ia para o hospital porque estava com uma gripe forte, internou-se, dali a um ou dois dias morreu. Uma enfermeira portuguesa que trabalhava no hospital, chegada recentemente de Portugal, comentou que “mortes estranhas como aquela eram comuns nos tempos da PIDE de Salazar”. (citando de memória)

    • Chantagem sobre as atuais chefias militares?

      Chantagem sobre as atuais chefias militares?

      Do tipo “olha aí uma amostra do que temos, temos mais sobre os tenentes e capitães da época, hoje generais no comando”. Com uma solicitação do tipo “olha, precisamos de vocês na Venezuela” ou “mantenham o Lula preso e continuem a entregar o petróleo e as outras coisas”.

    • Me pergunto o motivo de isso

      Me pergunto o motivo de isso ter sido divulgado?

      Seria alguém freiando os militares ou seria uma ameaça do que está por vir?

    • A República dos Assassinos vêm à tona

      -> Agora, o que levaria a CIA a disponibilizar esses arquivos a esta altura do campeonato?

      de fato, é uma boa pergunta. mas há uma outra ainda melhor: como a Esquerda pode usar estas revelações?

      quem não tem um adequado diagnóstico da crise, sempre será atropelado pela conjuntura.

      quem se recusa a tomar a iniciativa, sempre ficará a reboque de perguntas que jamais conseguirá responder.

      quem cultua mitos – sejam eles Lula, Getúlio ou Geisel – jamais se alçará como protagonista.

      .

      • Meu caro, os arquivos estão disponibilizados desde 2015.

        Esta teoria sobre um determinado tipo de conspiração não explica porque estes arquivos estão disponibilizados desde 2015.

        Parece simples, os norte-americanos estão sempre virando a página de seus crimes e por isto depois de um período conveniente disponibilizam tudo que ainda não os comprometem diretamente, é uma forma de manter a aparência de uma transparência tardia que aparece 40 anos depois de cometido os crimes.

        • A República dos Assassinos vêm à tona

          -> Esta teoria sobre um determinado tipo de conspiração não explica porque estes arquivos estão disponibilizados desde 2015.

          mas não dá no mesmo? e não é exatamente disto que estou falando?

          ou seja: se a repercussão política se dá com a divulgação, porque a Esquerda não se interessou em divulgar antes?

          tendo mais uma vez perdido a oportunidade, em nome de não criar atrito com os militares, a Direita de novo toma a iniciativa.

          é por isto que general manda Ministros do STF nomeados pelo Lulismo terem juízo, e eles obedecem batendo continência…

          .

      • Segredos de polichinelo.

        CAMARADA ARKX, desculpe a caixa alta, mas é de pasmar e de gritar mesmo!

        Alguém imagina que um regime civil-militar, instaurado para sufocar qualquer chance de vida social autônoma e qualquer resistência aos ditames do capital internacional poderia ter agido diferente?

        Os editores e pesquisadores “desvenderam” a pólvora, e esqueceram que foi nesse mesmo período (geisel-figueiredo) que:

        – Sérgio Macaco negou-se a explodir o Gasômetro;

        – Mataram Herzog;

        – Explodiram as bolas de um gorila no RioCentro.

        – Explodiram a moça da OAB;

        – Mataram aquele operário, Manoel Filho (se não me falha tico e teco);

        – O caso Baugarten foi quando mesmo?

        Então, foi nesse período de “distensão” e de “abertura” que o pau comeu solto na casa de noca.

        Eu fico assustado com a ingenuidade desse pessoal. Será ingenuidade? Não sei, não sei mais…

        Será que eles imaginavam que só porque geisel e figueiredo disseram que iriam “abrir” o regime a coisa ia ficar mais mansa?

        Será que eles acreditam mesmo que houve abertura?

        Com essa lei de anistia em vigor?

        Vai ver eles imaginam que restauramos a democracia com sarney, e que os EUA “esqueceram” de nós.

        A comissão foi DA e DE VERDADE!

        Não há dúvidas disso, pois nossa “verdade” é essa aí: Pau no lombo e memória curta!

        Piada de mau gosto, péssimo gosto, aliás.

         

        “Auto de resistência”? Tem até hoje, aos milhares.

        A polícia é MILITAR, repito, MILITAR!

        Aí temos, na sequência, em 1992, o “sumiço” de Jorge Antonio Carelli, Amarildo, recentemente, a prisão dos “terroristas” pelo lex luthor do stf, quando era xerife de temer, prisão de Rafael Braga, e por aí vamos indo.

        Olha a “intervenção federal” aí gente, chora cavaco!

         

        • A República dos Assassinos vêm à tona

          -> Alguém imagina que um regime civil-militar, instaurado para sufocar qualquer chance de vida social autônoma e qualquer resistência aos ditames do capital internacional poderia ter agido diferente?

          numa hierarquia extremamente centralizada e verticalizada, a última palavra é sempre do Comandante em Chefe. como então supor que Geisel, o “nacionalista”, e Figueiredo, Chefe do SNI, não sabiam de nada… faltavam apenas as provas documentais.

          o lema sempre foi: “aos amigos, tudo. aos inimigos, a tortura. aos demais, a lei.”

          -> “Auto de resistência”? Tem até hoje, aos milhares.

          de minha experiência de vida na periferia, posso afirmar: a chegada ostensiva da PM, ou daquelas veraneios antigas e amassadas da Civil, não trazia nenhuma percepção de segurança. ao contrário, inspirava medo.

          p.s.: meu vizinho de sítio é Detetive da Polícia Civil, numa das cidades pequenas próximas. um excelente detetive. ótima pessoa. melhor vizinho eu não poderia ter.

          .

    • OS MOTIVOS DA CIA

      Também estou curiosa! 

      Talvez os anglozionianques não queiram tomar posse de uma colônia comandada por militares? Sim, pq  os milicos estavam  todos assanhados, dando entrevistas e querendo votos.

    • Apenas uma sinalização para

      Apenas uma sinalização para que vejamos aonde estavam os atuais verde-oliva no processo de matança.

    • Vem coisa ai
      Quando, por exemplo, a rede globo publicou um editorial de mea culpa pelo golpe de 64, ela deflagrou açoes concretas de um novo golpe.

      Quando, porexemplo, o ali kamel circulou diretrizes para a cobertura da copa, ele deflagrou açoes concreta de um novo golpe.

      Sao bons alunos. A tatica vem de la. Enquanto fazem parecer que têm compromisso com a liberdade e a democracia preparam um novo golpe.

      Às vesperas da eleiçao, a fascistada e a trouxinhada estão zurrando: “é isso mesmo!”

      Tem muita gente por ai que nao sabe mesmo de quem e com quem estao lidando.

    • A Lei Norte Americana exige

      A Lei Norte Americana exige que gradativamente documnetos sejam analisados e desclassificados na medida em que o tempo passa e pessoas direta ou indiretamente envolvidas nos eventaos já tenham morrido e não possam mais ser envolvidas pela desclassificação das informações!

       

    • O decurso de prazo

      Os documentos confidenciais são classificados em vários graus, cada um com um prazo específico para permanecerem secretos. Decorrido este prazo, são liberados.

    • Porque a Cia liberou?

      Minha hipótese da liberação destes documentos, é que a milicada está colocando as manguinhas de fora e tudo está funcionando às mil maravilhas com o Moro. Não se pode mudar.

      Não é preciso matar, você os condena à prisão perpétua, incomunicáveis. Nem é necessário que as condenações sejam por muitos anos, basta que se invente novos crimes em cascata. O STF garante que bandidos sejam liberados, mas  não condenados do Moro, mesmo que sejam inocentes. Fachin está lá para fazer o trabalho.

      O final de Lula, será certamente nas masmorras de Curitiba.

  7. Assassino!
    Esta é a unica

    Assassino!

    Esta é a unica palavra que deve ser pichada nos túmulos dos generais/presidentes que mandaram matar brasileiros para se garantir no poder a fim de proporcionar uma “temporada de lucros gordos” aos capitalistas nacionais e estrangeiros após 1964.

    O que picharemos nos túmulos de Michel Temer e sua quadrilha, com o STF com tudo, será um pouco diferente. 

  8. Todas essas mentiras

    Todas essas mentiras históricas, esse não enfrentamento dos crimes cometidos produziram os heróis de hoje. A tolerância com a violência e o heroismo dos militares bolsomitos que vão salvar o Brasil.

    Por isso, mais do que nunca, é preciso enfrentar o arbítrio atual e denunciar, denunciar, denunciar as mortes e torturas causadas pelo atual estado ditatorial policial e juridico. Principalmente jurídico porque a essa instituição deveria caber a defesa dos cidadãos perseguidos pela policia.

    A morte do reitor Cancelier está aí impune esfregada na nossa cara. A de Marisa Letícia também. Quantas pessoas sairão destruidas das prisões arbitrárias e terão suas vidas abreviadas pelo arbítrio?

    E as mentiras e manipulações da imprensa brasileira mais uma vez foram escancaradas. A imprensa faz parte do arbítrio e da manipulação histórica deste trágico país.

    PS. A tolerância com as  mortes de anônimos moradores de periferia fazem parte desse rescaldo ditatorial mas essas pessoas sequer tem direito a uma leitura histórica sobre a violência que sofrem e quem tenta denunciá-las é executado como Marielle e o juiz Alexandre Martins de Castro Filho do Espírito Santo tal a brutalidade e desumanidade dominante nesse país.

  9. CONTEXTO EXPLOSIVO

    1) – Lula preso após decisão do STF depois de tweet ameaçador do Comandante do Exército;

    2) – Jair Bolsonaro candidato da extrema-direita com chances reais de ir ao segundo turno das eleições presidenciais em 2018, alijando um candidato do establishment da deposição de Dilma. Este possui discurso de defesa do Regime Militar e de suas práticas de tortura contra oposicionistas;

    4) – Intervenção Militar no estado do Rio de Janeiro seguida de assassinato de militante de esquerda;

    3) – Movimento de filiação de ex-militares das forças armadas a partidos conservadores visando às eleições de 2018,

    4) – Enquete da TV Cultura sobre apoio a um golpe militar para combater onda de criminalidade e

    5) – Divulgação de informação confidencial da CIA e portanto confiável de envolvimento como mandantes de presidentes militares dos dois últimos mandatos do Regime Militar para execução de assassinatos em massa de opositores.

     

     

  10. Cui Bono?

    A quem interessa, num momento já muito “delicado”, jogar gasolina na fogueira?

    Vejam bem o campo minado que vai surgindo, a partir de afirmações do tipo: “Nos próximos meses haverá uma revisão geral e irrestrita de todos os mistérios do regime, inclusive da Lei da Anistia.”.

    • Exato, LdD.
      O departamento de

      Exato, LdD.

      O departamento de estado publicou estas informações em 2015.

      Quem divulgou com estardalhaço agora foi Matias Spektor, professor de relações internacionais da FGV.

      Matias escreve desde 2016 textos sobre a lava jato e a corrupção no Brasil. Tipo isentão, só que não…É um defensor da lava jato e da juristocracia. Ao mesmo tempo que critica intensamente a política brasileira como um todo, com aquele discursinho nem direita nem esquerda… critica tb o apoio as nossas empresas  e por aí vai.

      Em maio deste ano publicou artigo sobre como a classe politica ameaça o futuro da lava jato.

      https://www.foreignaffairs.com/articles/brazil/2018-05-07/will-brazils-crackdown-corruption-continue

      Após o golpe de 2016 publicou um material com o título: 10 desafios da política externa brasileira

      http://midias.cebri.org/arquivo/10desafiosdaPEB.pdf

      A publicação teve apoio da Fundação Konrad Adenauer (cristã, conservadora, liberal), ligada a angela merkel e financiada majoritariamente pelo governo alemão, e  do Centro Brasileiro de Relações internacionais (CEBRI), um think tank que se diz apartidario, mas tem como presidente de honra FHC e como conselheiro pessoas do nipe de Arminio Fraga. Além disso, promove eventos com a casa das garças (think thank tucano). Todos de inclinação neoliberal e favoraveis a governança global, globalização.

      Sem, de foma alguma, tirar a importancia historica deste documento, é fundamental agora olhar o todo. Essa divulgação tem um proposito (qual?), só não nos deixemos manipular.

  11. Alguém com um mínimo de senso

    Alguém com um mínimo de senso crítico acreditava que a política de execuções de opositores do regime de 1964 não era sancionada nos níveis mais altos? Em sua série “A ditadura”, Elio Gaspari cita um diálogo de Geisel com o então chefe do Centro de Informações do Exército (CIE), Dale Coutinho, que deixa isso claro. Então, por que esse escarcéu em torno de um documento da CIA, que ainda por cima, não pode ser examinado diretamente? E a pergunta relevante é: a quem interessa a sua divulgação de forma tão retumbante, neste momento convulsionado do País? 

    • É um escândalo, mas não uma

      É um escândalo, mas não uma surpresa.

      Ou alguém acredita que para eles não valia a “Teoria do Domínio do Fato”?

      No mais, foi bom para o total constrangimento do golpista Elio Gaspari.

  12. Impunidade

    Um general de hoje, vem pelo twiter falar que as forças armadas não compactuarão com a impunidade. Verdade, General?

    • Pois é…

      Então porque estão participando e  “apoiando” o  desgoverno do entreguista e golpista temer? Porque são contra  Lula, um preso sem provas concretas, e ficam mudos em relação aos tucanos e golpistas do pmdb cujas provas existem até no exterior?  Para agradar os “patrões” do norte ou mediocridade mesmo?

      • É mediocridade mesmo. Com

        É mediocridade mesmo. Com raríssimas e honrosas exceções nunca passaram de medíocres incapazes de pensar O país e NO país. Mas sabem como ninguém decorar cartilhas do Departamento de Estado dos USA.

        Tem lógica. Vira-latas só conseguem reproduzir o que lhes ensinam.

  13. Enquanto os crimes da

    Enquanto os crimes da ditadura ficarem impunes, o país permanecerá subdesenvolvido, dominado por castas perversas e sujeito a golpes sucessivos.

  14. Qual o espanto?
    Até hoje
    Qual o espanto?

    Até hoje assistimos encenações pra ajudar apaniguados e prejudicar inimigos, a maioria com apoio da mídia, nenhuma novidade.

  15. Todos esses casos são

    Todos esses casos são mal-explicados realmente e há muitíssima suspeita sobre eles. Pelo menos no caso do Fleuri é bom ler o livro “Memórias de uma Guerra Suja”, onde o matador Cláudio Guerra confirma que foi queima de arquivo. Segundo o autor o Fleuri tornara-se viciado em cocaína, estava fora de controle e todo mundo temia que ele abrisse a boca.

    Ficam algumas questões:

    1. Porque esses arquivos estão vindo a luz agora?

    2. Será que vai demorar quanto tempo para aparecerem as provas de envolvimento da CIA com os “eRóiS” lavajatenses?

    3. Que faço com os livros do Hélio Gaspari sobre a Ditadura? Peço reebolso, dou fogo ou utilizo em aulas como exemplo de burrice, desfaçatez e hipocrisia da direitalha imbecil?

  16. O que acho estranho,é porque
    O que acho estranho,é porque só agora em que o Brasil sofreu um golpe de estado, essas informações sobre o exército e a Ditadura militar aparecem.

    Tem algo nebuloso no ar. Não é apenas uma informação que CIA permitiu que fosse divulgada.

    Será que a CIA descobriu que os militares estão querendo assumir o poder,e isso pode desestabilizar o continente com uma nova onda de ditadura militar sem o consentimento do do USA.

    Está tudo muito nebuloso. Até o que vem ocorrendo com o Lula no STF. Os ministros fazem protestos contra prisão,mas mesmo assim, votam contra a Constituição e mentém o Lula preso.

    Está tudo muito estranho.

  17. A ordem é: Parados! Fiquem onde estão!

    Interessante é que essas coisas venham a tona no momento que até o Barbosão, o ex-candidato disse que haveria uma forte possibilidade de golpe militar…

    A CIA que sabe tudo, que tudo vê…

    Deve ter ouvido e decodificado em grampos essa possibilidade…

    As nossas forças, são para eles de segunda classe – são como chacais, então eles lançam na lama o Ibope positivo, a opinião pública que considerava as forças como elemento confiável, é como se os mandassem parar, para que fiquem onde estão – nos quarteis pedindo a cabeça do LULA, por que o que os EUA querem mesmo é o petróleo, mais do que já conseguiram – só vão parar quando o pré-sal for deles, e mais outras riquezas minerais que serão entregues de mão beijada pelos golpistas que não aguentam viver sem malas de dinheiro, principalmente se estiverem recheadas de dólares…

    • É o tal “século do judiciário”…

      O plano do Departamento de Estado para América Latina desde a Hillary Clinton e por ela declarado em entrevista à CNN (no primeiro mandato de Obama) é o empoderamento dos togados. 

  18. Não assassinos, sim Terroristas Covardes.

    Assassinos é uma forma muito leve para tratar os militares golpistas, devem ser tratados como terroristas e covardes, pois na verdade quem pega um prisioneiro, que na época poderia ser julgado e recebido longas penas e os assassina sem a mínima capacidade de reação estão fazendo TERRORISMO DE ESTADO, até o Stalin era mais correto, obtinha confissões sobre pressão, fazia um julgamento público de seus ex-aliados (atenção a imensa maioria aceitava o quadro revolucionário legal que permitia as execuções) e depois executáva-os e pelo menos a família tinha o cadáver para enterrar.

    Os Terroristas de Estado brasileiro eram covardes porque nem assumiam seus crimes.

  19. Exatamente! Tempos obscuros voltam à tona!

    E temo muitíssimo pelo vida de Lula naquela solitária! Não à toa, ouço nos mais diferentes lugares, que podem matar o Lula. Haja vista,o assassinato de Marielle!  Vale lembrar Rubens Paiva ! Consegui vídeos do Repórter Brasil a respeito. Se nos lê, quero mandar saudações ao Guilherme Menezes que tão bem conduzia o Repórter Brasil! Também ele afastado nesse governo corrupto. Não mais vejo a TV Brasil. Saudações ao Lalo, Dines, Emir Sader e também, nosso Nassif! 

    [video:https://youtu.be/tutCQ980NQc%5D

  20. aqueles que tem o poder e quem executa as ordens

    Os babacas que na linha de frente executam as ordens dos patrões são eliminadas como arquivos vivos.

    O juizeco moro e os asseclas curitibobocas cuja utilidade caducou estão na lista dos indesejáveis e dispensáveis.

    • Outra quimera

      Outra quimera dos brasileiros, e não apenas de parte das esquerdas, é esperar que os atuais herdeiros dos porcos milicos assassinos irão defender o povo brasileiro contra qualquer coisa que o ameaça, como a injustiça social que leva ao aumento da criminalidade, a rapina das elites, a depredação da natureza e a entrega do patrimônio público ao capital financeiro internacional e, quiçá, até mesmo contra uma invasão de forças armadas imperialistas. No Brasil os militares são, essencialmente, um estamento de parasitas. O coco deles se encontra ruído desde a guerra fria; têm cagaço paranóico demais do fantasma do comunismo para raciocinar com o mínimo de inteligência. A consciência desses pulhas fardados foi sequestrada pelo pentágono.

  21. E o bolso nada raso do Bolsonaro pergunta onde estão os 104?

    Cinismo de quem sabe histórias de ossadas e cemitérios clandestinos aqui ali que sempre assombraram os assassinos da ditadura e seus defensores.

  22. O general golpista e tuiteiro

    O general golpista e tuiteiro com seu moralismo raso não vai comentar nada, ou ser assassino é virtude?

  23. A única coisa estranha nessa

    A única coisa estranha nessa história é a maneira como a CIA está sendo retratada. Ela não é e nunca foi um bastião da democracia e dos direitos humanos.

    A CIA fomentou e financiou o golpe de 1964. Quando os generais começaram a “sonhar grande” (Usinas Nucleares, bombas atômicas, etc…) a CIA sabotou o Regime Militar. Se fosse necessário os generais brasileiros seriam executados como Bin Laden e Saddan Hussein. Alguma dúvida?

  24. O Brasil

    De minha parte, sempre achei que nada se passava nos porões da ditadura sem que os generais não soubessem e que a anistia era uma chantagem que jamais a democria poderia aceitar. Mas quando se vê o que se tem dentro do Judiciario e do Ministério Publico brasileiros, além dos que comandam as instituições, como esperar que se faça, como a Argentina fez, o processo de todo esse perioso arbitrario, ilegal e violento? 

    Todas as pessoas que foram torturadas, mulheres estupradas, crianças e bebês torturados, assassinatos diversos, a perseguição de muitas pessoas, a tortura psicologica de artistas, tudo isso ficou em um diapasão da nossa historia sem processo, sem servir como exemplo de que tudo isso foi ilegitimo . 

    O resultado dessa falta de coragem e de vontade de que aqueles que torturaram e mataram, direta e indiretamente, paguem por seus crimes, faz com que tenhamos cada vez mais gerações conservadoras, com flertam com o fascismo.

  25. Se a CIA deixou vazar
    Se a CIA deixou vazar isso,foi mais um desrespeito ao Brasil(chutou cachorro morto)e uma coleirinha nos militares brasileiros tipo dizendo”Eu sei o q vcs fizeram no verão passado”,p bom entendedor meio vazamento basta,PF,MPF e Globo só estão ocupando os espaços deixados pelas outras instituições,a omissão dos militares neste momento é inexplicável,a não ser por rabo preso com algo do passado, não sou favorável a intervenção real militar,mas este é o único jeito de pôr ordem na casa,a instituição mor(militares) não podem deixar “peões”(MPF,PF,GLOBO)comandar este país,só tá saindo merda,sabem aquela coisa de “Começou errado,vai até o fim errado”então é isso,desculpem militares comandantes vcs são medíocres e eu não sinto prazer em dizer isso,sinto tristeza e vergonha!

    • The Guardian demonstra como o

      The Guardian demonstra como o Brasil é um lamaçal para um público global!

      Eles fizeram um desenho que não se desfaz mais no mundo!

      Juntou 1964 / 2016, as coisas agora tendem a piorar…

      Jogou as forças armadas, que não vai conseguir desmentir esse caso somado ao golpe militar e vai ficar no limbo!

      Este é o primeiro passo dentro da “Opinião Pública Mundial” para a internacionalização da Amazonia e outras riquezas do Brasil…

      O Ministro do Exército quando pregou para o LULA ficar preso, fez referência às “pessoas de bem”, o pior é que esses países centrais também têm as suas “Pessoas de Bem só que com prestigio Mundial” e eles que despejam misseis sobre países sobre os quais eles tem interesses hegemônicos…

      O que é a Rede Globo diante de uma mídia global?

      Basta o Departamento de Estado dos EUA soltar uma nota no caso FIFA e bye bye…

      O golpe expôs a fragilidade do Brasil ao mundo!

      O povo é fácil de ser enganado e esse país tem muita riqueza natural…

      Juntar Rico + Bobo = ser roubado…

      Nem a Turquia caiu nisso…

      Já estamos no radar dos interesses abutres das grandes potências!

      Vai ser difícil sair disso…

  26. Quando Bandeira e Mortalha se confundem

    Existe um povo que a bandeira empresta 

    P’ra cobrir tanta infâmia e cobardia!… 
    E deixa-a transformar-se nessa festa 
    Em manto impuro de bacante fria!… 
    Meu Deus! meu Deus! mas que bandeira é esta, 
    Que impudente na gávea tripudia? 
    Silêncio. Musa… chora, e chora tanto 
    Que o pavilhão se lave no teu pranto! …

    .

    Auriverde pendão de minha terra, 
    Que a brisa do Brasil beija e balança, 
    Estandarte que a luz do sol encerra 
    E as promessas divinas da esperança… 
    Tu que, da liberdade após a guerra, 
    Foste hasteado dos heróis na lança 
    Antes te houvessem roto na batalha, 
    Que servires a um povo de mortalha!…

     

    Castro Alves

     

    Nassif: o relatório e tão verdadeiro que os milicos até tentaram apagar. A declaração de que os documentos não mais existem, se verdadeira, é prova cabal dos atos narrados pelos gringos. E deve ter muito mais. Felizmente os donos do quintal mantinha seus pitbuls sob vigilância. Mesmo não interferindo na limpeza ideologica e social do seu latifúncio. E deve pintar mais coisas. A chamada “Anistia” não seria para os Kummunistas. Seria para os sanguinários Capitães do Mato, sedento de sangue e ódio. E já que não lhes era permitido participar das guerras externas, que não dispunham de armas e gente capacitada, nada melhor que praticar nos da casa.

    E vegonhoso é que não foi num campo de batalha, numa trincheira, num Front. Era contra aqueles que já estavam rendidos e torturados. Destruiam os espíritos. Depois, era só aniquilar a matéria.

    Deve ter sido assim por todas Casernas da Nação, seja no bunker da Praia Vermelha, seja na República do Galeão, seja nos porões dos encoraçados dos Cisnes Brancos, a situação parece ter sido a mesma. Só mudava a cor do uniforme ou o timbre da arma.

    Triste um Povo que tem seus soldados investidos em reles capangas, em sanguinários mercenários, que a custa da miséria popular serve de guardiões das espécies mais baixas de empresários e políticos e elites.

    Lembram as meretrizes que se deitam com os padres e geram as mulas-sem-cabeça que povoam quase todo território brasileiro…

  27. Três mortes suspeitas.

    Três mortes suspeitas. Alerta. Barbas de molho

    Que todos nós brasileiros – conservadores e progressistas/desenvolvimentistas – fiquemos preocupados:

    1. JK em 22/08/1976 – progressista/desenvolvimentista

    2. Carlos Lacerda em 21/05/1977 – conservador

    3. João Goulart (Jango) 06/12/1978, progressista/desenvolvimentista

    Principais lideres políticos dos conservadores (direita) e progressistas/desenvolvimentistas (esquerda) articuladores da denominada Frente Ampla, movimento político lançado pelo manifesto de 28/10/1966 onde se propugnava a redemocratização do país (eleições livres e diretas), reforma eleitoral (partidária e institucional), desenvolvimento econômico e defesa de uma política externa soberana.

    Nota: assista a entrevista de Carlos Lacerda in

    https://www.youtube.com/watch?v=2OVZE87Z3Iw

  28. Vi muitos comentários deles,

    Vi muitos comentários deles, dos que sofrem da patologia do militarismo na política, comemorando a notícia, para eles é motivo de júbilo saber que generais usurpadores tramavam na sede da República a execução de opositores políticos, mesmo depois de presos.

     Estes senhores são indefensáveis, se assenhoraram de uma nação por décadas e quando todo mundo acreditava ali no final dos estertores que estavam ao menos trabalhando para iniciar uma abertura democrática, sabe-se agora que a prática era completamente distinta do discurso, usando o dinheiro, a força, a máquina de espremer do estado (estado que não é deles.. o estado é de todos) prendiam, arbitravam quem era perigoso e matavam nos seus porões escuros e fétidos, nas suas casas da morte, mas antes de executar o indefeso o chefão dava o Ok.

     

    Não me interessa as razões da divulgação das informaçóes, só sei que não se pode continuar chamando Geisel e Figueiredo, ditadores sanguinários, sustentados pela máquina do estado, de democratas.

  29. A República dos Assassinos vem à tona
    Certamente quem sabe tudo é o segundo maior paladino da moralidade e cidadania, o ex-porta voz do Figueiredo, duplo golpista, Alexandre Garcia.

  30. Muito além do Cidadão Kane!!!!

    Os jornais da Globo e TV  podiam  se manifestar livremente com editoriais  defendendo os assassinos crués e covardes!!Globo sabia de tudo era  cúmplice  foi nesse momento  de horror  que cresceu   muito financeiramente e virou império midiático!!Muito além  do idadão Kane!!!O PIor  e  espantoso, é que  continua no ar  entrando na casa  dos brasileiros, que muitos,   da Missa  não sabem a metade!!!!

    • Globo: inimiga do Brasil

      Por tudo isso, creio que é justo defender que é imprescindível a destruição do poder político da Globo, se é que se pretende ter uma Democracia nesta terra.

  31. Curiosidade
    Longe de mim ter qualquer admiração por Bolsonaro, mas gostaria de ver uma análise das peças de xadrez de Nassif sobre este relatório da CIA ter aparecido justo agora com Lula fora do páreo e Bolsonaro liderando as pesquisas eleitorais… Quem estaria sendo beneficiado por esta “bomba da CIA manipulando o quadro eleitoral no Brasil? O super blindado Alckmin?

    • Nosso sempre impulso para ver

      Nossa velha mania de ver conspiração em tudo. O documento foi disponibilizado pela CIA. Aí veio um pesquisador, professor da FGV, Matias Spektor, descobriu e divulgou. Simples assim.

      • Disponibilizando

        Nós aqui nunca vemos com naturalidade os EUA disponibilizar papéis com informações restritas.Há alguma consequência negativa com a divulgação? Claro que não , antes pelo contrário.Que tal especular sobre os documentos que continuam top secret?

  32. CIA implode Bolsonaro

    Já foi dito aqui que os americanos vão implodir as prentenções presidenciais de Bolsonaro, a prova disso são as informações da CIA sobre a ditadura brasileira, por isso os candidatos progressistas das eleições 2018 devem gastar a energia com a desconstrução dos candidatos reacionários que querem herdar o espório governamental de Temer. 

  33. CIA implode Bolsonaro

    Já foi dito aqui que os americanos vão implodir as prentenções presidenciais do Capitão Bolsonaro, a prova disso são as mais recentes informações da CIA sobre a ditadura brasileira.

    Deve ser os próprios americanos que tiveram a idéia de jerico da intervenção militar no Rio para desmistificar a ‘pax instantânea’ através da ocupação territorial ineficaz das Forças Armadas, a inferir pela noticia de que Temer atuou como informante da embaixada dos EUA, segundo o Wikilileaks.

    Por isso os candidatos progressistas das eleições 2018 devem gastar toda energia com a desconstrução dos candidatos reacionários que querem herdar o espólio governamental de Temer. 

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2016/05/1771016-wikileaks-diz-que-michel-temer-atuou-como-informante-dos-eua.shtml

  34. A juventude por idealismo
    A juventude por idealismo sempre se contrapôs ao poder autoritário daqueles lhes tolhe a liberdade e assim a história se repete.No episódio da luta contra a ditadura brasileira sobre os jovens pesou a influência ideológica mundial que os empurrou para um abismo onde somente se vislumbrava o verde vale ao sopé da montanha.Vivi aquela época e pressentia o quanto de obstáculos teriam de ser superados.Os jovens,sempre eles , são as maiores vítimas, como assim é em todas as guerras. Algum dia ainda surgirão idealistas para reavivar os sonhos de liberdade autêntica .Aos jovens o sonho não pode acabar.

  35. No livro do Gaspari …

    No livro do Gaspari isto já era dito. “Este negócio dd matar” …

    Eles falavam de “perigosos subversivos sobre certas condições” ,

    Falam também em “métodos extralegais” …

    A “comichão da verdade” passou longe destes fatos pelo visto.

    O problema de um Estado sem credibilade é que mesmo quando ele fala a verdade ninguém acredita.

    • É preciso perder a inocência

      Sobre o Partidão (PCB) eu li que era uma organização CONTRA a luta armada.

      Portanto, a execução de seus dirigentes explica o caráter dos militares ditadores.

  36. Que país maravilhoso temos, mas que judiciário perverso…

    A república dos assaissinos e um stf covarde…. Esta é a história do Brasil.

    Ainda não se manifestou devido à covardia.

    Que país maravilhoso temos e que judiciário perverso e destruidor…  Que stf…

     

  37. O estardalhaço da mídia sobre os documentos da CIA

     

      

    Nilson Lage

    Quem viveu e acompanhava os acontecimentos durante os governos militares, sabe que as execuções de “subversivos”, a partir do combate em Araguaia, jamais cessaram.

     Reproduziram-se por este imenso país, com ou sem controle, e devem ter vitimado milhares – é incontável o número – de pessoas. O conhecimento que se tem é, quase sempre, de gente da classe média e de centros urbanos ou de militantes políticos de verdade. A tortura encontrava resistência entre os militares. As execuções, não: eles estavam convencidos de que lutavam uma “guerra suja” contra um inimigo o mais das vezes imaginário. Esse inimigo era tão “insidioso” que podia estar em qualquer livro, escola ou sindicato. As execuções diminuíram em frequência no governo Geisel, mas só deram uma parada – não sei se decisiva – após a intervenção dele demitindo o comandante do II Exército. Era uma política de governo, inserida no quadro de compromissos continentais e da guerra fria – que só era fria para fins publicitários. Geisel desenvolveu uma política nacionalista: fato. Geisel pôs fim às torturas no Doi-Codi de São Paulo: fato. O conflito com a linha dura (que sobrevive hoje, sem que a tenham contido) marcou os anos finais da ditadura militar: fato. Nesse contexto, o documento da CIA – que pode ou não ser verdadeiro ou exato – não surpreende; surpreenderia se informasse o contrário.  Sua divulgação agora – e o estardalhaço da mídia que sabia disso e calou, ainda nos anos em que podia falar – é que é, em si, é o fato político relevante. https://caviaresquerda.blogspot.com.br/2018/05/o-estardalhaco-da-midia-sobre-os.html 

  38. A verdade sobre o assassinato de JK, por Luis Nassif

     

    Em meados do ano passado, um grupo de professores da Faculdade de Direito do Largo São Francisco e de historiadores da USP decidiu investigar as circunstâncias da morte de Juscelino Kubitscheck. Resultou do trabalho um volume alentado com um conjunto significativo de indícios apontando para o assassinato.

    Presidida por Pedro Dallari, a Comissão da Verdade ignorou os estudos. Agora a Comissão da Verdade de Minas Gerais se junta à Comissão da Verdade de São Paulo endossando a tese do assassinato.

     

    Aqui, trechos da reportagem publicada pelo GGN ˆEntenda por JK foi assassinado” em 6 de julho passado, a partir de entrevista com Léa Vidigal Medeiros, coordenadora do projeto.

    Juscelino morreu em um acidente de carro em 22 de agosto de 1976, na Via Dutra, enquanto saía de São Paulo em direção ao Rio de Janeiro. Segundo notícias da época, estava indo ao encontro de uma amante. O veículo, um opala dirigido pelo motorista Geraldo Ribeiro, levou uma batida de um ônibus que vinha logo atrás e, no desvio, se chocou com uma carreta que ia em sentido contrário. 

    O acidente ocorreu em uma área plana, em linha reta e com um carro novo para a época, pontos que suscitaram dúvidas se o ex-presidente teria ou não sofrido um atentado.

    Enquanto preparava sua dissertação de mestrado sobre a importância do BNDES para o desenvolvimento Lea se deparou com o papel do banco na realização do Plano de Metas do governo Juscelino e acabou encontrando documentos esparsos sobre a morte do ex-presidente que revelavam indícios de um atentado planejado no âmbito da Operação Condor, uma aliança político-militar entre os regimes militares da América do Sul com apoio do governo norte-americano. 

    Documentos trocados entre embaixadas brasileiras e norte-americanas comprovam, por exemplo, que Juscelino era monitorado pelo serviço secreto norte-americano desde 1963. Nessas cartas os americanos destacavam que ele era o político mais popular da época, com grandes chances de ganhar novas eleições presidenciais. 

    A viagem para o Rio foi marcada para encontrar uma velha amiga e empresária portuguesa. JK pretendia fechar um negócio. “Juscelino, naquele período, estava sem um sustento garantido, ao contrário do que diziam, que tinha a sétima fortuna do mundo”.  Há provas de que dois dias após o atentado fatal tinha um encontro secreto com generais contrários ao governo golpistas marcado com a ajuda do seu primo Carlos Murilo, que está vivo e prestou depoimento para o Grupo de Trabalho JK. 

    “Ele tinha ambição de se candidatar e voltar a ser referência política para o Brasil”, pontuou Lea. Antes de ir para o Rio, JK tinha acabado de voltar de um encontro com governadores da Bacia do Prata  e chegou a ficar alguns dias na casa do jornalista e amigo Adolfo Bloch, dono da Manchete. 

    Pouco antes do acidente que o vitimou, JK parou no no Hotel-Fazenda Villa-Forte cujo proprietário era o brigadeiro Newton Junqueira Villa-Forte, amigo do general Golbery do Couto e Silva e um dos criadores do Serviço Nacional de Informação (SNI). 

    Segundo depoimento do filho de Villa-Forte, Gabriel, que estava presente naquela tarde de domingo, o hotel estava vazio e o ex-presidente ficou lá por quase duas horas. Depois ele e o motorista voltaram para a estrada e poucos minutos depois aconteceu o acidente. Um depoimento dado pelo manobrista do hotel, e registrado na época, destacou que o motorista Geraldo Ribeiro estranhou o carro assim que pegou para retomarem a viagem.

    A colisão com o ônibus também não teria acontecido.  “Tem fotografias revelando que a traseira esquerda do opala, onde a perícia disse que teria sido o ponto de colisão entre o carro e o opala estava inteira no momento seguinte da colisão, mas, no dia seguinte, a polícia fabricou outras fotos com a traseira esquerda avariada. Ou seja, a avaria do Opala que serviu de causa, digamos, do acidente, foi produzida depois do acidente, em algum momento posterior”.  Lea afirmou que existem cálculos matemáticos feitos para reproduzir o acidente na época demonstrando que as provas oficiais produzidas para fechar o caso foram “primitivas” e que claramente “adulteram o local do acidente”. 

    A imagem assassinada

    Antes de perder a vida, JK enfrentou tortura psicológica e assassinato de imagem. O boato de que seria dono da sétima fortuna do mundo, por exempla, foi diversas vezes espalhado em jornais da época como fruto de corrupção de dinheiro desviado da construção de Brasília. Mas a realidade de Juscelino naquela época era outra. 

    “O coronel Affonso Heliodoro, que está vivo, contou que o visitou algumas vezes no exílio para levar dinheiro. Ele viu Juscelino contar moedas”. O entrevistador Luís Nassif também lembrou que o banqueiro e empresário Walther Moreira Salles contou que chegaram a fazer “uma vaquinha” para um tratamento médico de JK. 

    Segundo Lea, as propagandas falsas contra o ex-presidente foram arquitetadas entre as embaixadas do Brasil e Estados Unidos. “Veículos de comunicação da época, como Jornal do Brasil, repetiam calunias e todas essas histórias falsas como se fossem verdade. Por exemplo, tinham notícias do tipo ‘saiu documentos que provam a corrupção na construção da Ponte da Amizade no Paraguai ‘, e o documento nunca apareceu, mas a notícia estava lá, repetida várias vezes até a exaustão”. JK chegou a ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal que o absolveu por falta de provas quanto ao crime de corrupção. 

    Clique aqui e tenha acesso aos dois volumes do Relatório da Comissão da Verdade Rubens Paiva sobre o assassinato do Presidente JK:

    Aqui, a entrevista com Léa Vidigal Medeiros, coordenadora do projeto, para o programa do GGN ‘Sala de Visitas com Luis Nassif’. Sua participação começa aos 24 minutos.

     

    https://jornalggn.com.br/noticia/a-verdade-sobre-o-assassinato-de-jk-por-luis-nassif

     

    Em meados do ano passado, um grupo de professores da Faculdade de Direito do Largo São Francisco e de historiadores da USP decidiu investigar as circunstâncias da morte de Juscelino Kubitscheck. Resultou do trabalho um volume alentado com um conjunto significativo de indícios apontando para o assassinato.

    Presidida por Pedro Dallari, a Comissão da Verdade ignorou os estudos. Agora a Comissão da Verdade de Minas Gerais se junta à Comissão da Verdade de São Paulo endossando a tese do assassinato.

     

    Aqui, trechos da reportagem publicada pelo GGN ˆEntenda por JK foi assassinado” em 6 de julho passado, a partir de entrevista com Léa Vidigal Medeiros, coordenadora do projeto.

    Juscelino morreu em um acidente de carro em 22 de agosto de 1976, na Via Dutra, enquanto saía de São Paulo em direção ao Rio de Janeiro. Segundo notícias da época, estava indo ao encontro de uma amante. O veículo, um opala dirigido pelo motorista Geraldo Ribeiro, levou uma batida de um ônibus que vinha logo atrás e, no desvio, se chocou com uma carreta que ia em sentido contrário. 

    O acidente ocorreu em uma área plana, em linha reta e com um carro novo para a época, pontos que suscitaram dúvidas se o ex-presidente teria ou não sofrido um atentado.

    Enquanto preparava sua dissertação de mestrado sobre a importância do BNDES para o desenvolvimento Lea se deparou com o papel do banco na realização do Plano de Metas do governo Juscelino e acabou encontrando documentos esparsos sobre a morte do ex-presidente que revelavam indícios de um atentado planejado no âmbito da Operação Condor, uma aliança político-militar entre os regimes militares da América do Sul com apoio do governo norte-americano. 

    Documentos trocados entre embaixadas brasileiras e norte-americanas comprovam, por exemplo, que Juscelino era monitorado pelo serviço secreto norte-americano desde 1963. Nessas cartas os americanos destacavam que ele era o político mais popular da época, com grandes chances de ganhar novas eleições presidenciais. 

    A viagem para o Rio foi marcada para encontrar uma velha amiga e empresária portuguesa. JK pretendia fechar um negócio. “Juscelino, naquele período, estava sem um sustento garantido, ao contrário do que diziam, que tinha a sétima fortuna do mundo”.  Há provas de que dois dias após o atentado fatal tinha um encontro secreto com generais contrários ao governo golpistas marcado com a ajuda do seu primo Carlos Murilo, que está vivo e prestou depoimento para o Grupo de Trabalho JK. 

    “Ele tinha ambição de se candidatar e voltar a ser referência política para o Brasil”, pontuou Lea. Antes de ir para o Rio, JK tinha acabado de voltar de um encontro com governadores da Bacia do Prata  e chegou a ficar alguns dias na casa do jornalista e amigo Adolfo Bloch, dono da Manchete. 

    Pouco antes do acidente que o vitimou, JK parou no no Hotel-Fazenda Villa-Forte cujo proprietário era o brigadeiro Newton Junqueira Villa-Forte, amigo do general Golbery do Couto e Silva e um dos criadores do Serviço Nacional de Informação (SNI). 

    Segundo depoimento do filho de Villa-Forte, Gabriel, que estava presente naquela tarde de domingo, o hotel estava vazio e o ex-presidente ficou lá por quase duas horas. Depois ele e o motorista voltaram para a estrada e poucos minutos depois aconteceu o acidente. Um depoimento dado pelo manobrista do hotel, e registrado na época, destacou que o motorista Geraldo Ribeiro estranhou o carro assim que pegou para retomarem a viagem.

    A colisão com o ônibus também não teria acontecido.  “Tem fotografias revelando que a traseira esquerda do opala, onde a perícia disse que teria sido o ponto de colisão entre o carro e o opala estava inteira no momento seguinte da colisão, mas, no dia seguinte, a polícia fabricou outras fotos com a traseira esquerda avariada. Ou seja, a avaria do Opala que serviu de causa, digamos, do acidente, foi produzida depois do acidente, em algum momento posterior”.  Lea afirmou que existem cálculos matemáticos feitos para reproduzir o acidente na época demonstrando que as provas oficiais produzidas para fechar o caso foram “primitivas” e que claramente “adulteram o local do acidente”. 

    A imagem assassinada

    Antes de perder a vida, JK enfrentou tortura psicológica e assassinato de imagem. O boato de que seria dono da sétima fortuna do mundo, por exempla, foi diversas vezes espalhado em jornais da época como fruto de corrupção de dinheiro desviado da construção de Brasília. Mas a realidade de Juscelino naquela época era outra. 

    “O coronel Affonso Heliodoro, que está vivo, contou que o visitou algumas vezes no exílio para levar dinheiro. Ele viu Juscelino contar moedas”. O entrevistador Luís Nassif também lembrou que o banqueiro e empresário Walther Moreira Salles contou que chegaram a fazer “uma vaquinha” para um tratamento médico de JK. 

    Segundo Lea, as propagandas falsas contra o ex-presidente foram arquitetadas entre as embaixadas do Brasil e Estados Unidos. “Veículos de comunicação da época, como Jornal do Brasil, repetiam calunias e todas essas histórias falsas como se fossem verdade. Por exemplo, tinham notícias do tipo ‘saiu documentos que provam a corrupção na construção da Ponte da Amizade no Paraguai ‘, e o documento nunca apareceu, mas a notícia estava lá, repetida várias vezes até a exaustão”. JK chegou a ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal que o absolveu por falta de provas quanto ao crime de corrupção. 

    Clique aqui e tenha acesso aos dois volumes do Relatório da Comissão da Verdade Rubens Paiva sobre o assassinato do Presidente JK:

    Aqui, a entrevista com Léa Vidigal Medeiros, coordenadora do projeto, para o programa do GGN ‘Sala de Visitas com Luis Nassif’. Sua participação começa aos 24 minutos.

     

    https://jornalggn.com.br/noticia/a-verdade-sobre-o-assassinato-de-jk-por-luis-nassif

     

  39. Pois é…

    Jornal Nacional. O caso Baumgarten. Reportagem Ilze Scamparin. 1985

    No video abaixo: Na Comissão Nacional da Verdade, o ex-policial, poderoso dos anos 70 e 80, contribuiu para o esclarecimento do atentado do Riocentro e a morte da estilista Zuzu Angel em acidente de carro. 

    delegado do Dops Claudio Guerra, matador implacável de quase uma centena de pessoas. Na Comissão Nacional da Verdade, o ex-policial, poderoso dos anos 70 e 80, contribuiu para o esclarecimento do atentado do Riocentro e a morte da estilista Zuzu Angel em acidente de carro. Os dois com o envolvimento dos agentes de repressão do DOI-CODI do Rio de Janeiro. Em entrevista ao apresentador Alberto Dines, o hoje pastor Claudio Guerra, conta como migrou do Esquadrão da Morte para eliminação de esquerdistas em 1973, no auge da repressão política. Ele foi o homem de confiança do coronel Freddie Perdigão, chefe do SNI, responsável por dezenas de vítimas durante os 21 anos do Regime Militar. Ele detalhou como descobriu uma maneira de ocultar os cadáveres da esquerda: incinerando os corpos em uma usina de açúcar em campos, no Rio de Janeiro. No programa, Claudio Guerra faz um apelo à Comissão Nacional da Verdade para aprofundar os depoimentos dos envolvidos na repressão. E diz que “não tem como restituir as vidas que foram tiradas, mas pode cooperar com o esclarecimento da verdade e reconhecer que foi um erro. Que não se repita”.

  40. Medíocres militares falam
    Medíocres militares falam grosso(no twitter!pasmem!)contra “comunistas brasileiros”e fino contra EUA/GLOBO(mesma coisa) se descuidarem podem até rebolar!
    Obs:Q tal abater pessoas rendidas agora tb pra dizerem q são machões!

  41. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome