A situação da mulher no mercado de trabalho, por Luis Nassif

Ataques misóginos comprometem o trabalho investigativo de jornalistas mulheres. Créditos: Comittee to Protect Journalists.

A Pesquisa Mensal de Amostra por Domicílio Trimestral (PNADT) mostra um quadro desfavorável para as mulheres.

Acompanhe.

Aqui, os resultados referentes ao 1o Trimestre de 2020. São maior na População Economicamente Ativa, minoria na Força de Trabalho e da População Empregada, e maioria na população desempregada e Fora da Força de Trabalho.

Aqui, em percentuais. Enquanto as mulheres são 52% da População Economicamente Ativa, representam apenas 44% da Força de Trabalho e 42% da FT ocupada. Por outro lado, são 54% da FT desempregada e 65% da população Fora da FT.

Na comparação percentual com o 1o trimestre de 2021, percebe-se um crescimento de 0,6% na FT, uma alta de 1,1% na mão de obra Ocupada, mas uma alta de 0,6% na participação dos Desocupados e Fora da Força de Trabalho.

Em 10 anos, a situação ficaria assim: um crescimento de 1,4% na participação das mulheres na FT; de 1,3% na População Ocupada, mas uma queda de 2,6% na soma de Desocupados + Fora da Força de Trabalho. Em 2012 estava em 67% da PEA e agora está em 63% – dois números extraordinariamente elevados.

Luis Nassif:

View Comments (1)

  • Nassifao seria interessante uma entrevista com algum entendido sobre a SITUAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES À ÉPOCA NAZISTA,como a ideologia perguidora conseguiu penetrar na sociedade,vejo isso no Brasil,um florescer e naturalização do selvagem tanto socialmente como economicamente(pensamento Guediano empresarial)OBS.:É preciso ter um memorial ou museu do jornalismo no Brasil contando a mazelas e quem é quem aqui e AINDA FAÇO UM ADENDO,trazer um pesquisador para dizer como os jornais à época da escravidão relatavam os abusos dos senhores de escravos(normal?)OBS2.:Meu cérebro tá dando uns estalos, até eu tenho medo mim !