A tragédia paulista da falta de governo

São Paulo tornou-se um buraco negro institucional. Praticamente todos os vícios que os grupos de mídia apontam no governo federal vicejam em São Paulo com muito maior intensidade, devido à falta de vigilância tanto da mídia quanto dos demais poderes.

Por aqui consolidaram-se vícios de estados atrasados.

Por exemplo, no Ministério Público Estadual, o cargo de Procurador Geral do Estado é um trampolim para uma futura secretaria de governo. Apesar da existência de procuradores aguerridos, há uma evidente subordinação do PGE ao grupo político que controla o Estado.

No caso dos grupos de mídia, a ideia fixa em se apresentar como condutora da oposição bloqueou a fiscalização de todos os atos de governo.

***

É por isso que se chegou à iminência do maior crime já cometido contra a população de São Paulo, que será o racionamento desorganizado de água que se prenuncia.

A falta de água, especialmente em regiões menos assistidas, exporá a população a epidemias, aumento da mortalidade infantil. Se se chegar a esse ponto e as estatísticas apontarem essa letalidade, Alckmin, Mauro Arce, a Secretária Dilma Penna, o presidente da Sabesp estarão expostos a processos criminais, sim.

Quando foi depor na CPI da Assembleia Legislativa, Dilma Penna mostrou o desconforto com a situação, deixou claro que a irresponsabilidade vinha do governo do Estado, não dela. No dia seguinte, notas em jornais davam-na como demissionária por ter “perdido o comando”, sabe-se lá sobre o quê.

***

Leia também:  Recessão e o terraplanismo de economistas e empresários, por Luis Nassif

Incúria ocorreu nos últimos anos, com o descaso da Sabesp em relação a um problema anunciado desde 2004. Mas nos últimos dois anos, a crise estava posta e a falta de ação enquadra-se em crime muito mais grave.

Por conta do período eleitoral, o médico Alckmin não cuidou de planejar um rodízio preventivo, responsável. Pensasse um pouco maior, aproveitaria o momento para ser o verdadeiro líder, que não foge do problema e comanda a reação contra o adversário: a falta de água. Em vez disso, fugiu da questão e de suas responsabilidades por mero oportunismo eleitoral.

***

Nos últimos anos, São Paulo viveu a maior enchente da sua história. A razão foi a imprevidência do então governador José Serra, cortando verbas destinadas ao desassoreamento do Tietê. Essa razão básica foi sonegada dos paulistanos pela mídia.

Em nome da luta política maior, todos os demais problemas paulistanos foram varridos para baixo do tapete, o desmonte das universidades estaduais, dos institutos de pesquisa – Agronômico, Butantã -, das instituições de planejamento – Fundação Seade, Cepam, Emplasa -, do Museu do Ipiranga, do Instituto Butantã, da Fundação Padre Anchieta, o aparelhamento da estrutura cultural.

***

Além disso, o discurso viciado, preconceituoso e agressivo da mídia modelou o personagem médio mais execrável do cenário político brasileiro: o cidadão que tirou o preconceito do armário e invadiu as ruas armado da agressividade mais inaudita.

São Paulo não é isso.

Esse exército de zumbis floresce em uma sociedade organizada, com movimentos sociais de vulto, vida cultural dinâmica, uma parte da elite moderna, de ONGs que fazem trabalhos exemplares, algumas cabeças empresariais arejadas.

Leia também:  Recessão e o terraplanismo de economistas e empresários, por Luis Nassif

Esse circo de horrores foi modelado por uma mídia que perdeu qualquer noção de responsabilidade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

113 comentários

  1. Em matéria de política São

    Em matéria de política São Paulo sempre foi a vanguarda do atraso é só ver o ódio que os paulistas sentiam por Vargas e o apoio ao Golpe de 64. Pena. Sempre se diz que um povo com melhores condições financeiras tende a ser mais esclarecido. Com os paulistas acontece ao contrário: tornaram-se mais racistas, autoritários e obtusos. Fato é que  a presença da famijerada Revista Veja em todas as escolas públicas muito contribuiu para esta onda conservadora mas, pombas, a internet serve para quê?

    • VANGUARDA

      Marcos.

      Pior que SÃO PAULO na vanguarda do atraso são o PARANÁ e SANTA CATARINA que ainda são colônias de SÃO PAULO e seguem cegamente suas intruções.

    • Juntos os Venceremos, Acreditem.

      Muita calma com o andor que o santo paulista também é de barro. Aplausos ao artigo de LN, pois destaca que São Paulo é o inferno vizinho ao paraíso, é o atraso com o moderno, a vanguarda e o provinciano, quer no social, nas ciências, nas artes, na economia, no urbano, na paixão e no sexo. No essencial e no acessório, conservador e libertário, São Paulo é o cadinho do Brasil.

      Portanto é fundamental e extremamente necessário não generalizar e entender que aqui, há muito, muitos lutam em condições extremamente adversas contra inimigo preparado e hábil, daí ter-se aqui a mais preparada militância progressista no combate ao mais organizado e poderoso bastião da Casa Grande do conservadorismo deletério, no Brasil. É exatamente aqui que se trava a grande batalha do Brasil do futuro, democrático, justo e moderno, com a eliminação por completo das raizes da Casa Grande fincadas fortemente em São Paulo que ameaçam o Brasil, por isso, graças a essa resistência, não as há tão forte e, antes que em São Paulo, nem mesmo mais haverão, mesmo fracas, raizes dessa casa de intolerância, nos demais estados do país.

      Para quem não conhece, aqui a batalha da informação pela conquista das mentes é mais embaixo, não há contraditório, apenas a ditadura estabelecida pelo monopólio da mídia, levada a sua mais elevada potência. Combatem o inimigo, ou nominadamente seja, “O PT”, com as demais forças progressistas amarradas no mesmo nominado pacote, vinte e quatro horas por dia, todos os dias do ano, há décadas, em todas as ocasiões, em todas as oportunidades, em todas as situações ou acham que em outra situação, Alckmin ou o papa Francisco substituindo-o em mesma condição, reelegeria-se no primeiro turno, com o legado (de fato) que apresenta? 

      Não a toa, de São Paulo partiram os acontecimento e os movimentos progressistas, nos últimos cinquenta anos, o mais significativo deles a criação e estruturação do mais importante partido da história do Brasil. Mas também daqui parte agora o “Ódio ao PT” rumo ao coração de todo o Brasil, objetivando a reconquista do poder, que passa necessáriamente pela derrota do “PT” que o combate diuturnamente a partir de São Paulo. Portanto, muita hora de história nessa calma e vamos respeitar São Paulo que elegeu Haddad para governar a capital de todos os paulistas, que tem gente comprometida com “as coisas do Brasil”, e muita (perto de 40% dos paulistas em todas os segmentos de classe), que também lutam pelo mesmo Brasil que todos os brasileiros, que não precisam e nem sonham com as coisas da Casa Grande, desejam, nos demais estados da nação. Nosso São Paulo não é diferente, não está parte, é parte, portanto nos respeitem, pois juntos os venceremos a favor do Brasil de muitos, acreditem.           

  2. “Em nome da luta política

    “Em nome da luta política maior, todos os demais problemas paulistanos foram varridos para baixo do tapete, o desmonte das universidades estaduais, dos institutos de pesquisa – Agronômico, Butantã -, das instituições de planejamento – Fundação Seade, Cepam, Emplasa -, do Museu do Ipiranga, do Instituto Butantã, da Fundação Padre Anchieta, o aparelhamento da estrutura cultural”:

    Importantissimo, Nassif:  voce deixou a TV Cultura de fora.  Tudo que os tucanos aparelham eles destroem.

  3. Endireita, São Paulo

    Endireita, São Paulo: o depoimento de um pessedebista histórico sobre o governo Alckmin

     

       Postado em 04 abr 2013por :  

     

       

    A nomeação de Ricardo Salles, criador do Movimento Endireita Brasil, é só mais um sintoma da falta de rumo do partido.

    Salles, do Endireita Brasil

    Um pessedebista histórico, ex-presidente de diretório em São Paulo, escreveu para o Diário um depoimento sobre a guinada à direita do PSDB e do governado Geraldo Alckmin. Ricardo Salles está na companhia de outros conservadores que têm cada vez mais espaço em um governo que tucanos amigos classificam de “feijão com arroz” e tucanos inimigos de “medíocre”.

    O advogado Ricardo Salles, criador do movimento Endireita Brasil, é a mais recente aquisição do governador de São Paulo no balaio da direita, mas não é a única e não será a última. Nomeado secretário particular do governador, Salles defende o regime militar, é contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, contra o aborto, abomina o Estado e se define o único direitista assumido do Brasil, seja lá o que isso quer dizer. Geraldo já havia imposto na presidência do diretório estadual um deputado obscuro que brilha no papel de mascate, na base de promessas, tapinha nas costas e benesses às lideranças de pequenas e médias cidades do interior. O libanês Pedro Tobias, médico radicado em Bauru e que ganhou notoriedade fazendo consultas e partos gratuitos, é conhecido no meio político por sua visão estreita de mundo e nenhum compromisso ideológico. Mas quem se importa com isso se a massa de prefeitos quer mais é saber de verbas para a Santa Casa ou a reforma das praças com fonte luminosa?

    Salles, de 38 anos, é o terceiro secretário particular de Alckmin desde a posse, em janeiro de 2011. Antes dele, passaram pela função o ex-deputado Marco Antônio Castello Branco e Fábio Lepique, este oriundo da Juventude Tucana, hoje instalado no Comitê Paulista da Copa do Mundo e na tesouraria do diretório do PSDB na capital. Conservador, raso intelectualmente e cheio de formalidades, é natural que Alckmin, diferentemente da maioria dos líderes populares do país, faça questão de manter um secretário para cuidar da sua agenda (o prefeito Fernando Haddad, por exemplo, não tem essa figura).

    Ignorando a base partidária e vendo Serra nos estertores da aposentadoria após a humilhante derrota na corrida para a prefeitura do ano passado, Geraldo (é assim que ele é tratado nas internas) está finalmente livre para agir por conta própria, levando seu grupo e mais o que restou do partido aonde lhe convier. Desde 2006, quando ele e Serra digladiaram nos bastidores pela candidatura à presidência, os dois vivem às turras, um puxando o tapete do outro e ambos dando sinais cada dia mais claros de que caminham para o abraço dos afogados. No comando do partido na capital, o escolhido foi o deputado federal licenciado e atual secretário Estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Júlio Semeghini. Semeghini tirou licença médica durante o fogo-cruzado da campanha municipal de 2012 – chegou a ser chamado de covarde por membros do partido, menos por virar as costas para a campanha de Serra (o que para estava longe de ser uma exceção) e mais por evitar reuniões e se omitir nos permanentes embates por espaços de poder dentro da sigla.

    Geraldo

    Chefe de um governo que os tucanos amigos classificam de “arroz com feijão” e os tucanos inimigos de “medíocre”, Geraldo aposta que, na hora do vamos ver, em 2014, vai sair às ruas e fazer prevalecer a sua fama de bom moço, o famoso picolé de xuxu. Na base da camaradagem, visitando pequenos comércios, tomando café em boteco, falando com os populares, indo a missas dia sim, outro também, garante que ninguém tira dele a chance de dirigir pela quinta vez o estado mais rico e mais importante do país. 

    Para dar visibilidade e, principalmente, dinamismo à sua gestão, convenceu o veterano João Carlos Meirelles, que já ocupou a secretaria de Ciência e Tecnologia e coordenou sua campanha em 2006, a devolver o pijama à gaveta e voltar para o front, agora na condição de assessor especial de assuntos estratégicos. Legítimo representante dos quatrocentões paulistas, Doutor Meirelles, como Alckmin faz questão de tratá-lo, ostenta um bigodão impecável, usa abotoaduras douradas e uma bengala de madeira de lei e de cabo prateado. Certamente uma figura de referência para o jovem Ricardo Salles.

    Agora livre da sombra de Serra, mas também sabendo que não vai contar com os serristas no ano que vem, o governador está testando sua capacidade de liderança e de estrategista. Nas duas últimas vezes em que tentou isso, em 2006 e 2008, o resultado não foi lá grande coisa, com a derrota para Lula no segundo turno da eleição presidencial e o vexame do terceiro lugar na corrida pela prefeitura com Kassab e Marta. Geraldo se considera ungido e não ouve ninguém. O staff que está sendo montado com a chegada do reacionário Salles é uma amostra de que não ouve nem Fernando Henrique Cardoso, que criticou as alianças do partido com “setores conservadores”.

    Meirelles: bengala de madeira de lei com cabo prateado

    Educado à moda antiga, do tipo que sempre inicia uma conversa perguntando da família, o governador de São Paulo é um adepto das historinhas de salão. Principalmente aquelas relacionadas à ascensão e queda das antigas e tradicionais famílias de São Paulo. Narra com brilho nos olhos, e riqueza de detalhes, coisas como a teia de intrigas dos herdeiros de Luiz Dumont Villares na antiga gigante metalúrgica. Também gosta de se divertir lembrando da maior vaia que já presenciou na sua vida pública. Foi no Primeiro de Maio da Força Sindical de 2005, quando 1,5 milhão de trabalhadores não deixaram o então presidente da Câmara dos Deputados, Severino Cavalcanti, concluir o discurso. “O eco batia na serra da Cantareira e voltava num barulho ensurdecedor”, conta, rindo. “Uma coisa de louco”.

    É notória sua amizade com Campos Machado, dono do PTB e cacique do conservadorismo mais anacrônico. Campos Machado, autointitulado herdeiro de Jânio Quadros, foi candidato a vice na aventura fracassada de Alckmin de tornar-se prefeito de São Paulo em 2008 e foi também quem iniciou o colega na leitura da obra de Jânio. (Ele guarda com carinho os livros de JQ na sua estante pessoal em seu apartamento no Morumbi). Geraldo também gosta de convidar o comediante Sérgio Mallandro para visitar sua chácara em Pindamonhangaba, para divertir a família. Mallandro confidenciou a amigos que, na verdade, é ele quem ri dos Alckmin.

    Mallandro: ele faz visitas à chácara do governador

     

  4. Dilma ou a barbárie

     

    1932, Jânio, Golpe de  Estado de 64, Operação Bandeirantes,  Maluf, Pita, Collor, Mesquitas, Frias, Saads, Abravanel, Civitas, Tuta Amaral, Opus Dei, TFP, PSDB, Globo paulista.

    Não é demais para um estado só? E o pior o Paraná segue o mesmo caminho.

    DILMA OU A BARBÁRIE.

     

     

  5. tucanos e a falta d’água

    Nassif, você sabia que os tucanos (aves), além de comer frutas, destroem ninhos de outros pássaros e comem os ovos? Meu irmão e eu temos uma chacara em São Sebastião da Grama, onde observamos pássaros e, inclusive, já fotografamos isso. São predadores. Que símbolo mais apropriado para o PSDB!

    • Vaidosos… Acertaram.

      Vaidosos, os comensais do Massimo que escolheram a ave símbolo, escollheram-na pelo porte vistoso exterior e não é que por hábitos tortos, acertaram também em cheio em relação a prática, com o partido representado.    

  6. “Esse circo de horrores foi

    “Esse circo de horrores foi modelado por uma mídia que perdeu qualquer noção de responsabilidade.”

      Nassif, desculpe ficar te chateando (se bem que nem sei se você lê o que escrevo), mas é disso mesmo que falei quando você citou, outro dia, um suposto “desserviço” a “pacificação nacional” por parte da campanha de Dilma.

      E dá uma olhada nisso, como a “pacificação” é conduzida pelo partido no poder em SP, e não foi coisa de simples militante: “petista critica gestão tucana em São Paulo e é chamado de ‘vagabundo'” – Em debate da bancada petista na Assembleia Legislativa, o presidente da agência federal ANA, Vicente Andreu, criticou o governo Alckmin pela gestão da água. Andreu foi chamado de “vagabundo” pelo tucano José Aníbal

      http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/10/1536203-petista-critica-gestao-tucana-em-sao-paulo-e-e-chamado-de-vagabundo.shtml?cmpid=newsfolha

     

  7. Parabéns Nassif! Enquanto não

    Parabéns Nassif! Enquanto não moralizarmos a nossa justiça, nada vai mudar. E das academias o que se ouve? Não vai ter copa? Estão se dando conta da sede ou isso seria irrelavante perante a queda do PIB e da arrecadação do estado?

  8. Tristemente, isso vai

    Tristemente, isso vai reverberar no país, pois os danos à economia paulista trarão sérias consequências para todos, Isso deveria preocupar ao governo federal, que não pode ficar inerte, como tem acontecido.

    • Inerte? O governo federal?

      Inerte? O governo federal? Pra agir, além da cooperação que ofereceu, só com intervenção em SP.  E não tenho dúvidas de que se apenas mencionasse isso, a presidente é que perderia o cargo.  A responsabilidade por essa calamidade é exclusiva do estado de SP, do seu governo. A blindagem midiatica e até judicial gerou essa montruosidade. Essa montruosidade pode, sim, se alastrar pelo Brasil, a depender do resultado do dia 26. 

  9. Perfeito!

    Realista, contundente, preciso, cirurgico, Parabén Luis Nassif, fico orgulhoso de ser um dos integrantes do seu blog.

    Como cresci em conhecimento e assim nas minhas posições lendo seus artigos, permita-me chamar-lhe de Amigo. Obrigado Amigo por mais esse artigo, prova cabal do bom jornalismo! PARABÉNS!

    • Lata d’agua na cabeça lá vem o paulista.

      Estamos indignados pela falta de informação do governo, as quais sempre chegam a conta gotas na mídia paulista que ficou engessada durante o Governo de Alckmin,  assim como a de Minas Gerais durante o Governo de Aécio, isso parece um vicio de gestão que só tenta remediar as situações mais graves e não resolvem por definitivo, também gostei da argumentação do Luis Nassif, estas são as perguntas que todos os paulistanos querem saber a resposta real não a paleativa.

  10. Estoquem toda a água

    Estoquem toda a água possível, fechadas as urnas, secarão as torneiras. Diariamente aparecem muitas informações sobre fatos lamentáveis que envolvem os protegidos e comandados pela mídia corporativa. Este post é apenas o 4º que vi hoje (já li sobre a carteira de policial que Aécio obteve quando tancredo era governador, sobre o apoio “espontâneo” de Lindsay Lohan a Aécio e sobre o depoimento de um assistente de Youssef), mas nada disso chega ao grande público. Este é o muro a ser derrubado para devolver vida aos “zumbis” comandados pelo tal de pig.  Se apenas parte das informações que os blogs sujos (e fedorentos por culpa do apagão hídrico) chegasse ao grande público, o psdb já teria sido varrido do mapa, não sem antes se atolar na lama do sistema Cantareira.

  11. “Esse circo de horrores foi

    “Esse circo de horrores foi modelado por uma mídia que perdeu qualquer noção de responsabilidade.”

     

    É forçoso complementar que essa mídia, notadamente Folha, Estadão, Veja, Globo e seus repetidores, recebem muito dinheiro druto de inserções publicitárias dos governos estaduais e federal. Então, é preciso dizer que o governo alimenta essa situação toda.

     

    No mais, em vez de dizer que ”São Paulo não é isso” ou não é assim; melhor seria dizer que São Paulo também é isso. E deveria existir um poder judicial para agir nos casos de conflito com a lei. Sob pena de parecer que não existe gente ruim aqui e ali.

  12. Uma perguntinha ingênua: o

    Uma perguntinha ingênua: o governo de São Paulo e a Sabesp vão racionar exatamente o que?

    Mesmo com a “redução de pressão” que a Sabesp pratica há meses, a retirada de água do sistema Cantareira é superior a entrada. E isso não é de hoje.

    Há anos que o nível do sistema Cantareira vem caindo. Mesmo com os períodos de chuva, a entrada sempre ficou abaixo da saída.

    Mesmo que chova um dilúvio, o que parece ser uma possibilidade cada vez mais remota, o sistema não se recupera mais. No máximo, ganha uma pequena sobrevida.

    A água do sistema Cantareira vai acabar. Então não vai ser questão de racionar ou não, pois não vai ter nada para racionar.

    • Acabando Sao Paulo
      Matou!
      Destruicao eh o que PSDB estah fazendo com o futuro de todo estado, observa que nem gritar levantam a voz, sabemos que a floresta amazonica que leva a agua pelos andes ate a mata atlantica esta sendo levada para o estado. Portanto o estado esta trocando agua/chuva por madeira para elite e exportacao. Esta fronteira e vigilancia o PSDB nao se preocupa. Money money. Nada falam.
      A responsabilidade de pensadores, intelectuais, meios de informacao, comunidades, associacoes/ong, politicos e impresarios sao tao grandes como do governo paulista. Nao ha um movimento sincronizado sem diferencas politicas.
      Todo o futuro do estado esta sendo jogado de lado.
      Se gastarah tempo e muito dinheiro para recuperar.
      Se houvesse tido racionamento inicialmente seria outra historia e esta posicao politica tomada vai custar caro e sangue dos mais fracos.
      Acabou o cantareira.
      A insensibilidade politica matou a razao.

  13. Silêncio Constrangido
    Com é?

    Silêncio Constrangido

    Com é? O senhor está de brincadeira, senador? O senhor disse que o Sr. Alckmin é um bom gestor e que faltou cooperação do Governo Federal na gestão da água em SP? O Alckmin é um bom gestor porque criou o bônus para quem economizasse água? É sério? Não senador e, muito provavelmente, futuro presidente, o Sr. Alckmin é um péssimo gestor, o pior entre os piores.

    Há meses os blogs ditos “sujos” estão informando que a crise da água era muito séria tendo em vista os informes da Agência Nacional de Águas e suas tentativas de fazer com que a SABESP adotasse medidas de contingência. Eu mesmo avisei aos meus parentes do problema. Há várias matérias na internet que já alertavam para o problema, ao contrário da grande imprensa que dizia que a culpa era de São Pedro ou dos usuários, menos do Governador Alckmin.

    Senador, o que Sr. Alckmin cometeu não foi um erro, o que ele cometeu foi um crime. Ele levou mais de 10 milhões de pessoas a uma situação desesperadora por absoluta falta de água. Sabedor que o racionamento de água seria desastroso como fora o racionamento de energia do seu ídolo, o ex-presidente FHC, o Senhor Alckmin escondeu isso da população, e não adotou medidas de racionamento, que agora poderiam proteger o leito dos reservatórios sem expô-los aos raios solares, que vieram agora a rachar sua superfície pela falta de lâmina d’água. E senador, reconhecer isso também seria prejudicial a sua campanha presidencial e com certeza também pesou. Se mostrasse fraqueza, a população de São Paulo poderia se perguntar o porquê do problema, e poderia ficar sabendo antes da eleição que há dez anos foi indicado pela Agência Nacional de Águas as obras necessárias para garantia do abastecimento. Que ao invés disso os governos tucanos venderam as ações da SABESP na bolsa de New York distribuindo bilhões em lucros, ao invés de aplicar o dinheiro necessário para aumentar a capacidade do sistema de armazenamento de água, além de recuperar a rede de distribuição, que sozinha responde por 30% das perdas de água. Se a população de São Paulo soubesse disso, talvez o Senhor Alckmin não se elegesse para síndico.

    Eu sei que o Sr. Alckmin acredita que poderá se penitenciar pelo pecado de levar ao colapso hídrico o estado mais rico da federação. Como membro da Opus Dei, aquela organização de extrema direita nascida dentro do Facismo Espanhol. O Sr. Alckmin possivelmente irá para o seu quarto de penitência e se autoflagelará com o cilício. Só que ao término ele poderá ir até a geladeira da sua residência e pegar uma das várias garrafas de água mineral, possivelmente a francesa Perrier, pagas pelos 10 milhões de paulistas que estão com sede. Aliás, que o Sr. Alckmin é da Opus Dei é um fato bem escondido pela “Grande Imprensa Esclarecida, ao contrário de qualquer pastor que esteja no meio político.

    Senador, eu sei que a culpa não é só do Senhor Alckmin. A grande imprensa também tem sua parcela de culpa. A “Grande Imprensa Esclarecida” escondeu dos seus leitores os fatos importantes sobre a seca em São Paulo, interessada que os paulistas “esclarecidos” votassem certo. A “Grande Imprensa Esclarecida” não entendeu que a questão não era de esquerda ou de direita, de economia desenvolvimentista ou de neoliberalismo. Não, a questão era de sobrevivência. Não informou ao seu público que a fonte do elemento mais precioso para garantia de vida, depois do ar, estava seriamente comprometida por incompetência e negligência do Senhor Alckmin. Não demonstrou o mesmo comprometimento com o seu público que o jornal americano New York Times demonstrou ao reconhecer o grande trabalho dos médicos cubanos na contenção do ebola. E que este mesmo New York Times exigiu que o Presidente Obama ajudasse os médicos cubanos com recursos e que as diferenças deveriam ser deixadas de lado neste momento crítico. Sabe por que senador? Porque é uma questão de sobrevivência senador.

    Não senador a imprensa brasileira dos “esclarecidos” estava preocupada em atingir um objetivo de poder, em voltar a comandar o país após 12 anos. E que fossem às favas os seus leitores.

    É verdade que a grande imprensa após a reeleição do Senhor Alckmin passou a dar o nome aos bois, meio que envergonhada do que fez, mas só depois da reeleição e de forma tímida,  poupando o partido tucano e o senhor senador, e futuro presidente. A partir do que o senhor falou, dizendo que o Senhor Alckmin é um bom gestor e botando a culpa na Dilma, a grande imprensa deveria fazer campanha contra o senhor. A grande imprensa que apesar de adorar o PSDB deveria pedir que os paulistas dessem uma lição no partido tucano que há 20 anos governa São Paulo e que levou 10 milhões de pessoa a não terem água. A grande imprensa deveria fazer campanha para que ninguém vote no senhor senador, para que nunca mais ninguém expusesse pessoas ao flagelo como o Senhor Alckmin fez por um projeto de poder desmedido. Um governador que fez a população do maior estado do país a beber água de lama. No entanto, seria de mais esperar da “Grande Imprensa Brasileira” uma postura parecida com a do New York Times.

    Aliás, em falar em médicos cubanos, são eles que também estão ajudando no “Programa Mais Médicos”, não é senador? Os mesmos médicos cubanos que após três chamadas de médicos brasileiros foram aceitos para preencher as vagas em locais que nenhum médico “esclarecido” brasileiro queria ir. O Padilha, este derrotado pelo “competente” gestor que ora ocupa o cargo de Governador de São Paulo, foi contra sociedade “esclarecida” e bancou o programa. Entre a elite e o povo, o Padilha ficou com o povo. Perdeu a eleição, mas ajudou milhões de pessoas que não sabiam o que era ter um médico por perto. Quem é o bom gestor, senhor senador? Quem atende ao povo e arrisca perder a eleição pela saraivada de críticas que recebeu ou o atual e reeleito governador Alckmin que em detrimento do povo levou São Paulo, que é o estado mais rico da federação, ao colapso no abastecimento de água? Quando será a mea-culpa da imprensa, senador? Será que ela ocorrerá?

    Só para lembrar, apesar de uma das maiores secas dos últimos 80 anos, não houve o flagelo da seca no nordeste brasileiro. Será que foi obra divina, ou foi ação competente de combate à seca promovida pelo Governo da presidente Dilma ao implantar programas de mitigação, como a construção de cisternas?

    Eu não esperava nada do Governador Alckmin. Eu poderia dar-lhe vários nomes, mas acho que ele é um nada, não merece um nome. Nem zero ele é porque para os matemáticos puros o zero existe como número, apesar de representar a “falta”, assim como a falta de água em São Paulo. Não, o Senhor Alckmin é o nada representado pelo espaço entre os colchetes de um conjunto vazio. Do Senhor Senador, e futuro Presidente do Brasil eu esperava um pouco mais. É lógico que eu não esperava que o senhor reconhecesse o erro do Governador Alckmin, afinal não existe tucano que erra, ou que não seja honesto, não é mesmo? Assim como a compra da emenda da reeleição nunca existiu, o que seria o maior caso de corrupção do Brasil, não é mesmo? Pois afinal alterar a Constituição Brasileira seria o pior ato de corrupção já cometida em terras brasileiras, o que qualquer advogado poderia apontar isso.

    Não, eu não esperava do senhor senador nenhum gesto nesse sentido, mas fui surpreendido ao saber que o senhor defendeu um dos piores gestores de São Paulo, para mais uma vez perseguir o seu sonho de ser Presidente do Brasil. Tenha calma senador, eu acredito que o senhor será eleito Presidente do Brasil e com ajuda dos paulistas, que provavelmente devem sofrer da Síndrome de Estocolmo, encarcerados em uma Disneylândia Tucana, na terra da Democracia de Penas. Eu sinceramente esperava que o senhor senador tivesse aprendido alguma coisa com o avô famoso. Eu esperava um pouco mais do senhor senador e futuro presidente. Eu esperava apenas um silêncio constrangido.

  14. Excelente texto, Nassif. 
    No

    Excelente texto, Nassif. 

    No entanto, creio que a Dilma Pena não é secretária, mas presidente da Sabesp. Tambem não tenho certeza mas acho que CPI onde ela foi depor recentemente não foi na Alesp mas na Camara Municipal. 

    • Democracia ou ditadura

      Façam mea culpa com honestidade em relação a oposição, que foi ineficiente em patrocinar um nome que encarnasse a oposição.

      Marta foi prefeita de S.Paulo.

      Suplici foi senador por decadas.

      Hadad é prefeito de S.Paulo.

      E… Lula foi presidente por duas vezes e Dilma uma vez.

      Preconceito inverso e ameaça não fortalece democracia alguma e sim patrocina aas ditaduras.

  15. Só uma correção: o Chefe do

    Só uma correção: o Chefe do Ministério Público do Estado é o Procurador Geral de Justiça. O Procurador Geral do Estado é o Chefe da Procuradoria Geral do Estado, que tem status de Secretaria de Estado, cuja função é defender os interesses do Estado.

  16. Cairão os Mitos?
    Quando o ódio insuflado pela mídia manipuladora impede a razão de se sobrepôr à passionalidade, temos o melhor exemplo no Estado de São Paulo, de como um sentimento generalizado de rancor à ameaça do fim do exclusivismo da auto-imagem de superioridade social, econômica e cultural, lançam-nos no deserto seco e árido da realidade pura. Cairão os mitos e as fés cegas diante da tragédia da falta d’água que se anuncia? (SABESP, seguindo um modelo neo-liberal de gerenciamento econômico, abriu seu capital na Bolsa de valores de NY e pagou dividendos em monta de 4 bilhões de reais em 10 anos. Deu lucro a acionistas, aquele grupo de pessoas que não trabalha e vive do aluguel de seu dinheiro, e deixou milhões de paulistas sem água) e eu pergunto: Pode-se beber o lucro? 

    • Será que os editores dos

      Será que os editores dos principais jornais, revistas e telejornais enviarão seus intrépidos jornalistas investigativos a campo para descobrir quem são os tais acionistas da SABESP, se eles são membros de partidos, se possuem ligações com políticos ou fazem gordas doações em períodos eleitorais? Afinal, da minha conta d’água, mensalmente, saiu uma pequena contribuição ao que eles receberam em dividendos.

  17. Digna de ser lida na TV em horário nobre…

    Parabéns Nassif,

     

    Sempre acompanho seu blog, por considerá-lo mais um Oásis em meio a um deserto midiático em que vivemos.  Compactuo também com o pensamento de nosso colega Marcos K. (acima).  É incrível mas, ao contrário do que muitos exclamam, a realidade é que hoje o brasileiro mais pobre é o que tem mais noção da realidade e, de longe, o mais politizado.

  18. Nassif e amigos do

    Nassif e amigos do blog

     

    Estas condições de destruição e colapso são mais intensas na saúde pública: os hospitais públicos estão devastados por falta de verbas (além de faltar insumos básicos como gaze, merthiolate e iodo), falta de profissionais (a recusa em recdber médicos cubanos é ideológica e atende a interesses corporativos), estão infestados por terceirizações (como não tem peito de privatizar o SUS, vende partes: lavanderias, manutenção, pronto-socorro(!!) de hospitais públicos estão “terceirizados”), ou caíram na mão de OS´s (as “Organizações Sacanas”), onde há descontrole total: não se sabe quanto se enfie de grana na OS, nem o que a OS tem de prestar em troca.

    O sistema de vigilância sanitária e epidemiológica foi arrasado pelo agoar nobre senador eleito, quando foi governador: a estrutura existente (as DIR´s – Direções Regionais de Saúde – com estrutura administrativa, operacional, financeira e lega foram extintas; criando-se “grupos locais” de vigilância sanitária e vigilância epidemiológica, que atuam com baixa eficiência e com apoio administrativo precário)

    É uma pena ver o que era o Estado de São Paulo no final dos anos 80 e o que é hoje, depois de 20 anos de trevas tucanas. Quando digo Estado, penso na sociedade, sua economia, suas instituições públicas; que foram aniquiladas, sobrando este troço que vemos hoje. Acho que só países que passaram por guerras, com bombardeios e ocupação por tropas inimigas estiveram na mesma situação que São Paulo está hoje. 

    • Há luz no fim do túnel: Dilma

      Há luz no fim do túnel: Dilma em 2014; Haddad governador de São Paulo em 2018; Lula presidente em 2018 e 2022 e Haddad presidente em 2026.

      • Haddad 2018

        Batendo três vezes na madeira por Dilma 2014!

        Só discordo de você porque acho que Haddad 2018 para Presidente seria a melhor opção, já que tenho quase certeza que Lula não pretende voltar a ser candidato.

        Único obstáculo é que, sendo prefeito no Tucanistão, a reeleição de Haddad em 2016 será dificilíssima e fica difícil lançá-lo à Presidência tendo perdido reeleição para prefeito.

  19. A coluna da Mônica Bérgamo de

    A coluna da Mônica Bérgamo de ontem expõe de forma clara o que são os tucanos: esta faltando água em Higienópolis e o FHC foi para Paris onde tem um apartamento. Existe atitude mais “maria antonieta”; “se não tem pão que comam brioches” ou se não tem água em São Paulo vou para Paris. Essa é a figura referencial do Psbd incensado pela imprensa e que não tem uma só atitude referencial para ajudar o estado e a cidade que o idolatra.

    O que assusta é a cegueira coletiva que atinge esse estado. Em Bauru tem um hospital regional e para conseguir vaga só recorrendo ao escritório do deputado e médico Pedro Tobias (sei disso porque tive um parente internado e foi via contato do deputado),  reeleito e presidente do Psdb paulista. O esquema é assim: um paciente passa por um hospital  ou um PS de algum municipio da região e necessita de cuidados médicos mais especializados. O hospital ou o PS faz contato com Centro de Saúde da cidade e o secretário ou  prefeito liga para o escritório do deputado. Se o doente fizer parte de uma família grande ou for amigo do prefeito a vaga sai rapidinho, independente se tem doentes mais graves na espera de vaga hospitalar. É assim que se perpetua o fisiologismo e o esquema de poder do Psdb. O mesmo deputado Pedro já esteve citado em desvio de verbas do Hospital de Base de Bauru.

    E os médicos brasileiros tão “politizados” na questão dos médicos cubanos não são capazes de denúnciar essa absurda interferência do uso político na questão da saúde. Não são eles que determinam a gravidade e a necessidade do tratamento de saúde do paciente: é o deputado, o secretário de saúde e o prefeito da cidade que fazem isso.

    Volto a repetir que a questão do clima do estado e da falta de água deve ter um componente do uso do solo e não há uma fiscalização, uma atitude do governo para organizar o uso do solo. Na Serra dos Agudos, situada na região onde eu moro, nascem todos os rios da bacia hidrográfica do Rio Tietê-Batalha. Pois bem, permitiram o desmatamento e plantio de eucalipto no entorno de todas as nascentes. A água do Aquífero Guarani também aqui na região tem sido usada indiscriminadamente pelo indústria sem qualquer obrigação de tratamento no seu descarte. A longo prazo, tenho certeza, vai acontecer em São Paulo, estado com plantio intensivo de cana de açucar, laranja e eucalipto,  a desertificação que aconteceu na Austrália nas regiões de plantio de laranja.

     

  20. É desesperador viver em São

    É desesperador viver em São Paulo, a cada eleição a impressão que se tem é que o PSDB foi eleito com 100% dos votos, até quando nós os 43% que não elegemos estes trastes vamos ter que assistir essa tragédia em nome da democracia? 

    • Alerta amarelo

      Isadora, é extremamente perigosa essa sua postura.

      É exatamente isso o que dizem os paulistas contrariados com os legítimos e democraticamente eleitos governos de Lula e Dilma. Essa postura, então, acaba convalidando intenções golpistas, além de recrudescer a intolerância entre ambos.

      Isso é o que é desesperador para mim: a intolerância com a opinião e visão de mundo alheia. E é esse ambiente que estamos vivendo em São Paulo, principalmente entre a classe média histórica: é crime dizer que é petista ou apoia o governo do PT em muitos círculos por aqui.

      Como vencer essa intolerância é a grande questão e o maior desafio que se apresenta. Não acredito que seja combatendo fogo com fogo.

      Infelizmente, para quem acredita no mesmo que eu, o grande mediador da sociedade (nobre papel de uma imprensa plural e responsável) só traz mais gasolina.

      A sua frase, com os sinais invertidos, é o que eu mais ouço há 12 anos. Pior: ela interdita o debate.

      Não vejo outra forma para vencer a intolerância que se instalou na sociedade (disseminada pela nossa imprensa irresponsável) senão recuperando os espaços de debate. Debate honesto, com disposição de ouvir de todos os lados e com respeito à posição do outro mesmo quando contrária.

      Não acredito que esse espaço de debate venha da imprensa (repetindo, principal papel social dos meios de comunicação). Talvez venha das redes sociais. Mas o principal é que só será possível quando estivermos dispostos a deixar de lado a reiteração infinita das nossas próprias opiniões e nos abrirmos a ouvir o contraditório.

      Fácil não será, principalmente com nossa irresponsável imprensa jogando contra.

      Em suma, só venceremos a intolerância e aprimoraremos nossa democracia quando resgatarmos nossa civilidade.

    • Cara Isadora, há doze anos

      Cara Isadora, há doze anos sou obrigada a conviver com o (des)governo do PT em nome da democracia.

      • Cara Cyntia

        Se você odeia o PT, procure outro partido, que seja mais honesto, democrático e copmpetente para mnelhorar o Brasil; existem sim alguns deles, chamados “nanicos”…

        Porém jamais vote nos partidos mais corruptos que existem, o dem e o psdb de fhc, aécio, serra, aloysio nunes, bohnhauser, acm neto, 

        Creio que você não tem nenhuma saudade de FHC, aquele que quebrou o Brasil por 3 vezes, recorde mundial, acho eu. Chamou os professores de vagabundos, Queria doar a Petrobrás aos gringos (Cerra sugeria a Chevron). Comprou políticos vagabundos (R$ 200.000,00 cada – naquele tempo) para votarem a reeleição. Até hoje é o político mais odiado pelos brasileiros.

        Serra, ministro da Saúde de FHC demitiu todos os mata-mosquitos e o Brasil teve a maior epidemia de dengue da história. Serra também teve o escândalo das ambulâncias e dos sanguessugas. Roubou de antigos ministros os programas contra a AIDS e dos genéricos. Tremendo cara de pau, que ninguém sabe como Cerra vive sem trabalhar há muitos e muitos anos.

        A demotukanaria tem os partidos que possuem mais políticos cassados por corrupção. Veja em 

        http://www.pragmatismopolitico.com.br/2012/09/psdb-partido-mais-sujo-brasil-ranking-justica-eleitoral.html

        Boa sorte.

    • A Ditadura da “Democracia”Tucana

      Olá Isadora, moro em Fortaleza e sou cearense, mas já morei em SP por 11 anos, e o que vc está falando demonstra uma “repressão” social por ser de esquerda. Eu tenho lido no Facebook amigos que vêm se sentindo numa Ditadura da qual não podem expor suas posições de esquerda. Se falam que são esquerdidas e simpatizantes do PT são logo massacrados. Em SP está tendo além de uma ditadura há também esquerdafobia, PTfobia… tudo isso é muito estranho… precisamos que o Nassif encontre cientistas políticos e sociais para explicarem esse estranho fenômeno já que acreditamos que vivemos numa democracia e que temos direito a termos nossas próprias opiniões.

    • Nao, Mario.  Qualquer

      Nao, Mario.  Qualquer intervencao gratis do governo federal joga o problema nas costas do governo federal para os paulistas.  O governo federal instalou quase um milhao de cisternas no Brasil inteiro e levou agua pra 10 milhoes de nordestinos, nesse meio tempo, e aposto que os nordestinos nao estao lavando calcadas…

      Mais provavel, muito mais que provavel, eh a intervencao do exercito quando as revoltas comecarem.  Mas nem isso vai salvar Sao Paulo de nao ter agua por varios anos.

      • A responsabilidade não é da União.

        Embora a Presidencia da República tenha a atribuição e a prerrogativa de intervir em casos semelhantes, isso seria um deserviço à democracia federativa, e as responsabilidades dos governos estaduais, portanto está fora de cogitação, uma intervenção federal, neste sentido, exceto, se houver uma conflagração pública e a necessidade do uso de fôrça e de comando superior.

          

        • Rai, ja pensou se todo filho

          Rai, ja pensou se todo filho da puta governante do Texas ou Arizona ou California fosse aumentar em 10 e 15 por cento o lucro anual dos acionistas enquanto esvaziava os tanques de agua da populacao?

          O filho da puta terminaria em cana por muitos, muitos anos.

          Lembrete pra quem a carapuca cair perfeita:

          PAULISTADA DE MERDA, nao encham o saco do resto do Brasil com sua incompetencia, nos estamos de saco cheio.

          Alias, nos nem sequer te toleramos muito, ok?  Sai das costas, ok?

    • Intervenção ou impeachment.

      Constitucionalmente, a intervençaõ federal, seria uma afronta ao Estado de direito, porem o Congresso poderia(poderia, porem jamais autorizaria)autoriza-lo, e o que poderia ser feito a nível local, seria a Assembleia Legislativa, abrir um processo de impeachment, contra o atual e reeleito governaddor, o que tambem é uma utopia, por motivos óbvios, políticos e midiáticos

        

  21.  
    FORA DE PAUTA!(?!)
     
    BOMBA!

     

    FORA DE PAUTA!(?!)

     

    BOMBA! EXTRA! SENSACIONAL!

    Aécio ‘Never’ por Aécio ‘Never’!

    #####################

    JOVEM AÉCIO: “EU NUNCA FIZ MINHA PRÓPRIA CAMA”

    Com 17 anos, Aécio Neves passou uma temporada em um lugarejo de Nova Jersey, nos EUA, onde virou atração e deu entrevista ao jornal Franklin-News; segundo relato de Paulo Moreira Leite no 247, Aécio disse ao repórter “que a vida das mulheres é fácil no Brasil” e que elas não tinham “necessidade financeira de trabalhar”, podendo “passar a maior parte de seu tempo na praia ou fazendo compras”; o hoje candidato relatou ainda que “todo mundo tem uma empregada ou duas” por aqui; e contou outra novidade: “nunca fiz minha própria cama”; Aécio lamentou estar fora do País no Carnaval (fevereiro de 1977), segundo ele, “a única época em que a classe baixa e a classe alta se reúnem”

    22 DE OUTUBRO DE 2014 ÀS 09:27

    (…)

    FONTE: http://paulomoreiraleite.com/2014/10/22/jovem-aecio-eu-nunca-fiz-minha-propria-cama/

  22. Vidas secas: antes e depois
    “O Brasil está passando por uma das maiores secas de nossa história. Por que não vemos, como no passado, as cenas dramáticas de esquálidos retirantes nordestinos fugindo em massa para o “sul maravilha”, ou multidões famintas saqueando mercados em busca de comida? Por que não temos apagão de energia no país, como nos anos FHC? Por que as imagens mais expressivas desta estiagem estão ligadas ao sistema Cantareira e à iminência de colapso no abastecimento de água em São Paulo? Ah, sim. Porque a Sabesp preferiu distribuir lucros para acionistas a investir em reparos, controle de desperdício, planos de contingência e proteção dos mananciais.” Continua no link abaixo: 

    http://cafunarede.blogspot.com.br/2014/10/vidas-secas-antes-e-depois.html

     E para refrescar a memória, antes da escolha de domingo, o excelente documentário da Globo sobre a fome nos anos FHC:    http://cafunarede.blogspot.com.br/2014/10/a-fome-do-brasil-na-era-fhc-para-nao.html 

  23. Uma coisa só acaba, quando o

    Uma coisa só acaba, quando o consumo é MAIOR que a produção.

    Em termos monetários: Se eu tenho 10.000 reais numa conta bancária e anualmente deposito 1.000, mas gasto 2.000 por ano, então EM 10 ANOS NÃO TEREI O QUE GASTAR AINDA QUE CONTINUE COM OS DEPÓSITOS ANUAIS DE 1.000!

    Quando o governo de São Paulo foi alertado em 2004 é por que o consumo de água se parecia com os gastos acima!

    As chuvas desde 2004 não foram suficientes para a demanda do sistema cantareira!

    ELES CONTINUAM MENTINDO COLOCANDO O PROBLEMA NA CHUVA OU SUA FALTA!

    Ou seja: AINDA QUE CHOVA, SERÁ INSUFICIENTE PARA ATENDER A DEMANDA DA POPULAÇÃO NOS MOLDES DE UM NÃO-RACIONAMENTO!

    Serão alguns anos até que a solução DEFINITIVA venha acabar com o problema!

     

    • impecheament

      Na historia, pode se observar que o apogeu ou a degradação de um povo ocorreu por intermedio da manifestação das elites. Não menos verdade o mesmo ocorre atualmente no Brasil. Abordar o assunto da escasses hidrica em são paulo, como problema de fulano ou siclano é absurdamente irresponsavel quando não criminoso. Vindo do PT esperamos qualquer coisa, Alias é publico e notorio que o PT sustenta toda a corja de baderneiros dos movimentos sociais, sem terra e sem teto, mas com dignidade de carro na garaem e casa, ate ai nada de mais a não ser que quem os financia é o governo petista. Todos sabem do envolvimento do PT com o PCC e são paulo.

      Impechment minha cara porem opaca senhora acontecera com a Dilma se por um acaso ganhar as eleições. Com  escandalo do petrolão onde o Vaccari recebia 3% de comissão , sim o mesmo delegado da camapanha da dilminha terrorista da paz e do amor.

      Uma coisa eu tenho convicção., em SP o PT nçao se cria. Todos juntos farão um belo fora pt .  

      • Pelo jeito…

        Poucos se criarão em S.Paulo. Onde não há água, nada se cria. Esse comentário se anula, quando honestamente, se julga a trajetória de vida de Dilma e de Alckmin. Sem mais comentários!

      • Deve ser brincadeira de bolçal

        Acho que li uma piada contada por um boçal!!!!!!

        Há coisas que não são fáticas, são de fato!

        Lembre-se que já houve cavalos amarrados no obelisco paulista e não faz tanto tempo assim.

      • É sim um problema de fulanos e beltranos.

        Aqui neste jornal se discute a crise de água há mais de seis meses de forma técnica, e durante todo este tempo os Fulanos e Beltranos do PSDB tem solenemente ignorado o assunto, agora imagine, se num jornal de livre acesso a opinião, em que ninguém recebe nada para fiscalizar ou verificar o problema da água, o governo de São Paulo deveria no mínimo há um ano ter começado a pensar uma saída.

        Logo são fulanos e beltranos os irresponsáveis e não é o PT que começou aqui a discussão, são cidadãos consientes e preocupados!

      • QUE IRONIA!!

        Que ironia, não? Quem acusava o PT de ter jogado o Brasil em um mar de lama agora só tem lodo a oferecer à população de SPaulo.

        E quanto ao PCC, refresco sua memória, pois quando o PCC tocou o terror em SPaulo há alguns anos, quem fez acordo com os criminosos foi… foi… foi Geraldo Alkmin. Êle mesmo…Que coisa, não??

    • Oh, yeah.

      Das manifestações de junho só sobrou poeira do Cantareira e Alckmin governador.

      Quem apostou que as manifestações rumariam para a direita, acertou.

  24. Os aristocratas tucanos de

    Os aristocratas tucanos de São Paulo, que adoram passar férias em Paris, França, onde FHC tem um apezinho milionário, encontraram uma solução definitiva e chiquérrima para resolver o problema da seca no Estado governado pelo monarca Geraldo Alckmin : importar água do Canal du Midi.

    Dilma Rousseff está sendo ferozmente criticada por não apoiar esta proposta.

  25. A falta de renovação do PSDB e o fim do partido

    O PSDB dá mostras de fatiga do material, não investiram na renovação de seus quadros, vejo uma amostra aqui em Santos onde mesmo o novo já nasceu velho e com os vícios do autoritarismo.

    Como recursos são escassos não dá para contentar a todos ao mesmo tempo, assim o rodízio para participar do governo impede que ações realmente reformadoras e radicais possam ser adotadas.

    Uma crise como esta, junto com um candidato que estava já fora das eleições e teve de ser ressucitado do mundo dos Zumbis para concorrer será o último prego no caixão do PSDB. Sua única chance é entregar a política para o PSB que está lá com o Vice Governador, uma das estrelas da política nacional dos últimos tempos no Brasil, este sim, um político de mão cheia, que quando não se verga ao nepotismo e a soberba, consegue tirar leite de pedra.

    Aconteça o que acontecer, o PSDB terá de reinventar depois das eleições ou será absorvido por outra sigla de ocasião, que será criada por algum oportunista político para cavar um buraco no poder.

    • Alexandre sou da baixada e

      Alexandre sou da baixada e acabo sempre dando atençao a seus comenterios e me agradam

      Hoje tomei um susto Elogiar um sujeito como marcio frança que e um protofacista alojado e controlando

      o  PSB de SP o mais atrasado do Brasil que so tem uma socialista a Herundina o resto  poderia estar noPP ou DEM      

      nao entendi nada 

      • Uma coisa foi o governo do Márcio em São Vicente como prefeito

        Caro Tiago, o Márcio como todos os humanos é um poço de contradições, mas vejo nele, quando ocupando cargos do executivo, um talento raro em nossos políticos.

        O que ele fez com São Vicente, quando foi prefeito, está longe do trivial.

        Sua administração mudou o perfil da cidade e da baixada, não há como negar.

        Agora novamente no executivo, com a saúde recuperada, penso que ele pode se comprometer com a reestruturação do PSB a partir de São Paulo, temos excelentes quadros e uma aliança de longa data com o PT federal, o que pode facilitar em muito a tarefa para desarmar espíritos e consolidar novas alianças com adversários derrotados, porém valiosos.

        Política antes de tudo é a arte do possível, que fica muito mais fácil quando todos remam para o mesmo lado.

  26. Olá, Nassif
     
    Ótimo texto.

    Olá, Nassif

     

    Ótimo texto. Realmente, a situação é preocupante em São Paulo. Aqui do Paraná é possível ver “de fora” como a manipulação midiática deita raízes na apatia do paulistano em combater essa situação.

    Só gostaria de fazer uma pequena correção: o chefe do Ministério Público Estadual é o Procurador Geral de Justiça (PGJ). O Procurador Geral do Estado (PGE) representa os interesses do Estado de São Paulo.

  27. Volume ou povo morto.

     

    Os eleitores de Sampa,  descendentes dos  bandeirantes,  não entenderam até agora que morto é o governador Chuchu e não o Tietê

  28. Pequena correção

    Só uma pequena correção. No terceiro parágrafo existe referência ao Procurador Geral do Estado e ao Ministério Público Estadual. Na verdade, o chefe do Ministério Público do Estado é o Procurador Geral de Justiça (acho que é essa referência que o texto quis apontar). O Procurador Geral do Estado é o chefe da Procuradoria Geral do Estado que é órgão jurídico consultivo que atua também no contencioso das questões em que o Estado seja parte. Ambos são escolhidos pelo governador do Estado, dentre pessoas da carreira de cada instituição (MP e PGE). Do resto, o texto é ótimo como sempre.

    Abraços.

  29. Nassif, E esse seu

    Nassif, E esse seu comentário, nesse momento da disputa, não é Oportunismo Eleitoral não????

    Interessante como as máscaras caem quando a necessidade aparece…. O desespero está tomando conta das hordas petistas, que são obrigadas às mais sórdidas ações para diminuir os adversários. Sem conseguir sucesso no campo dos resultados – pífios – econômicos, éticos, políticos, sociais, buscam por meio da calúnia e do aproveitamento de tragédias o fundamento para suas críticas…. Vergonha, Nassif, Vergonha.

    • Quanta desinformação!

      O assunto da crise hídrica de São Paulo, tem sido discutido neste espaço, há meses. E todos que aqui comparecem, sabem que o Governo de São Paulo  ( José Serra e Alckmin ), foram alertados sobre o caos que se avizinhava, há extamente quase dez anos!  Providências?  Nenhuma!  Um verdadeiro desrespeito ao povo paulista!

      • No mínimo a seis meses!

        Coloquei no fora de Pauta uma referência aos artigos de Sérgio Reis, que são discussões técnicas e não político eleitoreiras (primeiro em 11/04/2014), agora quando surge “morte anunciada” o governo acusa de OPORTUNISMO, isto é uma verdadeira piada.

    • O uso da cangalha…

      Oportunismo seu.

      Frequento o Blog desde 2009 e nunca vi comentário seu por aqui, já o assunto Crise Hídrica de São Paulo faz tempo que é discutido aqui, e é denunciado o descaso (e picaretagem) do governo paulista.

      Preocupa-me porque embora viva no Rio, tenho uma filha pequena morando na capital, no bairro Paraiso. Ela é criança e não gostaria que ela e sua mãe passassem por falta d`água.

      O teu comentário denota o típico cidadão que o uso da cangalha faz a boca torta…oops! não era bem isso…

       

    • Oportunismo eleitoral ?

      Quem estaria se aproveitando eleitoralmente, da crise hídrica e do desgov~erno PSDBista de São Paulo ?

      Você, Nassif ?

      O PT, não é, pois não contamos com votos paulistas, nem almejamos derrubar nenhum político democraticamente eleito, embora por pessoas, que não enxergam um palmo, à fernte do nariz, como o comentarista que está indignado, com as críticas(apartidárias, diga-se de passagem)do Nassif, que não tem rabo preso com o governo paulista nem federal, apenas escreve sobre o que vê de arrado, e que afeta a todos.

      E “vergonha” companheiro, é um adm.público ser alertado para esta tragédia anunciada, e nada ter feito, para impedi-la, pois sabia que teria a reeleição garantida, com os votos dos paulistas politicamente esclarecidos e muito satisfeitos, co a atual administração do Estado de São Paulo.

      Espero que na sua casa, não falte água, pois…

        

  30. Já que o mauquimim se

    Já que o mauquimim se re-re-re-elegeu, vai para o quarto mandato, e teremos que aguenta-lo por mais intermináveis 4 anos – eu não votei nele – então sobra uma solução de curto prazo:

    Trocar o nome do Estado de São Paulo para Califado do Tucanistão.

    Ou esperar, sentado, que os deputados estaduais de oposição (existem?) votem o impedimento desse chuchu.

    É sempre assim: se não se discute política seriamente corre-se o risco de eleger uma vassoura ou um chuchu.

    • De onde saiu esse “califado”

      De onde saiu esse “califado” que eu nao vi?!  Se alguma coisa, Sao Paulo eh a Israel da America Latina.  Esses cricris profissionais estao sempre implicando e guerreando com o resto do Brasil e da America Latina mesmo que bebam agua de esgoto por incompetencia eleitoral.

      Ora, eles podem ir aa merda mais rapido.

  31. |Não vai ter água|

    Parabéns tucanada

    pode mudar a sigla do estado para CP, o estado de calamidade pública

    tem água pro condomínio do governdador mais não tem água suficiente  pra todo “informado” que votou no alckmin pode ter certeza

    direita masoquista

    taca lhe pau

  32. Não entendi

    Tem hora que  “falta …vigilância ….da mídia” (aliás, o que ela tem feito no âmbito federal e é demonizado aqui), mas ao mesmo tempo a mídia é a culpada, pelo seu discurso….

    Quanto ao racionamento, o mesmo se aplica ao governo federal, isto é, não precaver-se do rombo das distribuidoras e do apagão, fazendo um racionamento elétrico seletivo….

     

  33. Perfeito Nassif, é exatamente
    Perfeito Nassif, é exatamente o que venho falando. Antes de ser uma trama (estelionato) eleitoral esta crise é um crime de responsabilidade que, claro, não vai dar em nada pela frouxidão de um MP aparelhado. E por falar nisto, vejam alguns dos conselheiros de administração da Sabesp: Alberto Goldman – ex-governador sem cargo público. Valter Tesch – ex-subprefeito tucano do Serra pela cota do PV. Sidnei Franco da Rocha – ex-prefeito tucano de Franca.  Existem outros conselheiros nomeados recentemente, impostos pelas regras de governança da BM&V, que substituiram o Roberto Freire e Soninha Francine do PPS.

  34. correção

    Dilma Pena falou à CPI da Câmra Municipal de São paulo, não na Assembleia Legislativa. Nesta, há anos que não são instaladas CPIs relevantes, com exceção de uma sobre o trabalho escravo. A maioria governista inpede que se investigue o governo. E vai piorar  em 2015…Márai

  35. SP é o vaso sanitário do PSDB

    Nassif, o seu texto reflete o que eu penso sobre a real situação do estado de SP.

    Este oportunismo eleitoral beira o absurdo, mais do que isso, ver o Governador nos meios de comunicação rindo, falando como se todos fossemos completos leigos neste assunto é revoltante.

    Mas, isso não é a democracia? Ele terá mais 4 anos para desenrolar essa que não tem para quem repassar…..

    Infelizmente tudo que se fala ali não vale aqui onde é o quintal deles…

  36. Cantareira

    Enquanto Lula/Dilma lançaram o “Minha Casa – Minha Vida” e o “Bolsa Família”, o PSDB lançou o “Meu Banho – Minha Vida” e o “Balde Família”. É muita incompetência !

  37. A última frase do analista, traduz tudo.

    Numa sociedade democrática, a imprensa tem o condão de “conduzir” a formação das opiniões, porem deveria ter a responsabilidade, de não virar defensora inveterada, de um governo reconhecidamente incompetente, só pelo fato, deste governo, ser o seu melhor cliente.

    E é exatamente isso, que ocorre em São Paulo, especialmente nos últimos 20 anos das administrações PSDBistas, que mesmo cometendo as maiores improbidades administrativas, e de terem muitos descasos na bagagem, têm da parte desta imprensa “comprada” um tratamento parcimonioso, e uma aliança incomum numa democracia, que se quer moderna.

    Descasos com o dinheiro público, como o enriquecimento ilícito do Conselheiro Robson Marinho, do TCE, cujos desvios, comprovados a admitidos até no próprio TCE, não foi investigado como deveria, muito menos punido o seu autor, e este escabroso caso, só saiu nas entrelinhas da grande imprensa, assim como tambem já caiu no esquecimento, os contratos superfaturados e corrompidos, do cartel do Metrô e da CPTM.

    O descaso com o abastecimento dágua, e da incompetencia dos administradores da Sabesp, seguiu a mesma tônica. com a adm.estadual pouco ou nada preocupada com o abastecimento, e mais preocupada, com os dividendos prometidos aos acionistas.

    Que os eleitores paulistas não gostem do PT, é aceitável, o que é inaceitável, é que comandados por uma imprensa

    assumidamente oposicionista e partidária da adm. paulista, a ponto de perdoar a má adm. do atual governador, e deixar o Estado viver a pior crise hídrica, de sua existência, só por causa do governo PSDBista, não aceitar dividir os “louros” por qualquer obra de visibilidade, com a adm.federal petista.

    Paguemos então,os justos pelos pecadores, e aceitemos o fato, de não termos governos, e sim uma confraria entre maus políticos e uma imprensa irresponsável e anti-ética.   

      

  38. Há duas Procuradorias, a nível estadual: PGE e PGJ

    Só um pequeno reparo formal: no texto foi mencionada a Procuradoria Geral do Estado, que é um órgão de nível secretarial e parte do seu Poder Executivo – é uma espécie de consultoria juríodica do Executivo. Tem a tarefa de da defesa jurídica do Governo. E há a Procuradoria Geraal da Justiça do Estado, ocupada por um Procurador Geral da Justiça, que é o Chefe eleito do Ministério Público Estadual. Quer me parecer que a análise estava voltada a este segundo caso, embora existe o Procurador Geral do Estado – que é um dos secretários de estado, conforme antes mencionado.

  39. Jamais aconteceria tal

    Jamais aconteceria tal desastre ecológico se o PT fosse governo…independente de quem fosse o Governador – Haddad, Suplicy, Marta…etc – por uma simples razão: a mídia conhecida como PIG…iria esmiuçar tudo e todos da administração. Até unha encravada eles iriam reportar. Moral: por isso o PT por onde passa …faz uma boa administração. A nível federal, estadual e municipal. Àqueles adminstradores do PT que praticam qualquer ato ilícito são bombardeados e denunciados…, julgados e punidos – usam até bola de cristal “teoria do domínio do fato” pra incriminar. Assim deveria ser a mídia paulista: denunciar a tudo e a todos que praticam ilícitos. Como não fez o “dever de casa” com um jornalismo isento…pague o preço pela negligência.

  40. CHOQUE DE LODO: O MAR DE LAMA DO PSDB

    CHOQUE DE LODO: O MAR DE LAMA DO PSDB

    Conclui Saul Leblon, em editorial com o título acima na Carta Maior, em http://www.cartamaior.com.br/?/Editorial/Choque-de-lodo-o-mar-de-lama-do-PSDB/32059 :

    “As ironias da história podem ser demolidoras nessa reta final de campanha.

    Não deixa de ser potencialmente devastador que quem acusa o PT de jogar o país num mar de lama, agora só tenha 200 bilhões de litros de lodo a oferecer à população de SP para matar a sede.

    É essa a garantia de abastecimento de água na capital de um estado onde o festejado choque de gestão está no poder há 20 anos. Ininterruptos.

    O legado recomenda uma recidiva da receita para todo o Brasil?

    Com a palavra o discernimento popular.

    Bom voto.”

  41. Como é possivel?

    Eu moro em Sergipe,  um estado supostamente atrasado, cheio de vicios e mazelas. Mas nunca, nunca mesmo, nos meus 50 anos de vida, estivemos perto de sofrer uma situação de racionamento  como essa que ocorre  em São Paulo. Como é possivel que o estado mais rico do Brasil, a “locomotiva”, grande em tudo, seja obrigado e beber lama???Nem o flagelado mais miserável do nordeste esta nessa situação. Aqui a gente é pobre, temos seca todo ano, mas a água nossa de cada dia esta garantida, limpinha. Dá até pra lavar o carro e regar as plantas sem remorso. 

  42. SP cairá

    É inevitável que, no próximo período, haja uma debandada de empresas para fora do estadp de SṔ. Os motivos são, além dos pedágios mais caros da América Latina (o que aumenta os custos dos produtos e serviços), o provável desastre da falta d’água.

    A participação de SP no PIB nacional despencará de vez.

     

  43. E o “chuchu” ainda vem dizer
    E o “chuchu” ainda vem dizer que a crise está sendo explorada politicamente!! Uai, e a irresponsabilidade dele, a falta de ação, o descaso não foram por motivos eleitoreiros, portanto políticos? O que ele esperava? E li não sei onde que no condomínio onde ele mora há CINCO piscinas e todas estão cheias e os empregados lavam os pátios três vezes por semana. Vá ser cínico lá em… em… em… em Pindamonhangaba!!

  44. Tragédia anunciada a muitos anos

    Simplificando a catástrofe- O desaparecimento dos Mananciais com o  volume morto e a desertificação da  mata ciliar!! só isso por enqto!!!

    A Mídia é tão venal, que  vai  Cantareia filmar  seu esqueleto!!! depois das eleiçõs  off course!!!

  45. A tragédia paulista da falta de governo

    Os paulistanos deveriam perguntar-se por que burocratas encarregados da gestão de águas não preveniram a população da tragédia que secou torneiras de 15 milhões de pessoas. Do mesmo jeito que falharam as sirenes instaladas nos morros de Teresópolis (RJ) – por não anunciarem chuvas que soterraram moradores no ano de  2012 – falharam as autarquias encarregadas da administração de águas por não alertarem autoridades a tempo de providenciarem soluções efetivas para os problemas da seca, no lugar de medidas meramente paliativas como utilização de volume morto  e racionamento com rodízio de bairros.

  46. Os paulistanos deveriam

    Os paulistanos deveriam perguntar-se por que burocratas encarregados da gestão de águas não preveniram a população da tragédia que secou torneiras de 15 milhões de pessoas. Do mesmo jeito que falharam as sirenes instaladas nos morros de Teresópolis (RJ) – por não anunciarem chuvas que soterraram moradores no ano de  2012 – falharam as autarquias encarregadas da administração de águas por não alertarem autoridades a tempo de providenciarem soluções efetivas para os problemas da seca, no lugar de medidas meramente paliativas como utilização de volume morto  e racionamento com rodízio de bairros.

  47. Institutos de Pesquisa

    O mesmo descaso administrativo vem sendo aplicado nos Institutos de Pesquisa cujo trabalho é exatamente se adiantar aos problemas sanitarios. Porém o corte de verba sistemático e a falta de reposição de pesquisadores deixa SP à mercê das pragas e doenças que naturalmente atingirão nossas lavouras no futuro. Da mesma forma os hidrólogos sabiam qua a seca é uma ocorrência natural e para isso os reservatórios são constantemente avaliados, redimensionados e, caso necessário, conforme os tecnicos alertam há 10 anos, investistimentos devem ser feitos para enfrentar adequadamente os períodos secos que são estatisticamente previstos. A falta de manutenção dos institutos de pesquisa de SP deixa os agricultores sem opções agrícolas e população urbana vulnerável a falta de alimentos em quantidade, qualidade e preços adequados. Quando doenças eliminarem plantações e não houver variedades resistentes, a culpa não será das bactérias fitopatógenas, mas do sucateamento que o governo fez dos isntitutos que sempre tinham pronta a solução para os problemas da agricultura. Do mesmo modo que a doença não é culpada pelo sistema de saúde não funcionar adequadamente, a estiagem, prevista há muitos anos, não é a causa da falta de água em SP.

  48. Seca no sudeste

    A seca no sudeste deve proporcionar uma reflexão nos preconceituosos com o nordeste. Vejam que o povo do nordeste não tem culpa da seca e das dificuldades porque passam. São duas as causas: naturais e de irresponsabilidade dos nossos governantes. 

  49. Seca no sudeste

    A seca no sudeste deve proporcionar uma reflexão nos preconceituosos com o nordeste. Vejam que o povo do nordeste não tem culpa da seca e das dificuldades porque passam. São duas as causas: naturais e de irresponsabilidade dos nossos governantes. 

  50. O Califado Tucano.

    Quero que cada paulista sinta na pele por ter votado nessa pústula do PSDB. Que falte água! Quero ver os burguesinhos comprando caminhões pipas para lavar as suas bundas e a população na rua cobrando soluções. Não votaram 65% no Aécio, agora segure as consequências da “jestão tucana”.

  51. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome