Aécio, um mero instrumento da revanche de FHC

Aécio reassumiu sua cadeira no Senado prometendo cobrar “violentamente” os compromissos de campanha de Dilma. Não basta cobrar assertivamente, persistentemente. Tinha que ser “violentamente”.

Depois, registrou seu repúdio “mais violento e radical” aos manifestantes que pedem a volta da ditadura militar.

Finalmente, repetiu o mantra da “campanha honrada” que teria feito em contraposição à “campanha perversa” de Dilma. Corta! O baixo nível da campanha foi similar nas duas pontas. O figurino de “moralista honrado” não cabe em quem, nos debates, tratava as adversárias – Dilma e Luciana Genro – como “levianas”.

Com sua agressividade reiterada, Aécio abriu a guarda para Dilma, orientada por João Santana, encaixar meia dúzia de uppercuts fatais.

***

Com a morte de Eduardo Campos e o posterior esvaziamento de Marina Silva, Aécio saltou de quase nada para quase tudo. Tornou-se conhecido no curtíssimo período a partir dos dois últimos debates do primeiro turno.

Mais natural na televisão, durante alguns dias Aécio incorporou a imagem do bom moço de família mineira. Perdeu até o olhar malicioso-agressivo que o perseguia em todas as fotos na fase inicial da campanha.

Retomou o segundo turno na liderança. Aí incorporou a euforia bélica de seu guru, FHC. Foi o estilo bélico que o fez perder a liderança e as eleições.

***

Agora, novamente mostra uma notável falta de timming político, ao pretender manter o estilo bélico durante a trégua que se segue a toda campanha encarniçada.

Não entendeu nada.

A grande marca política de Aécio parecia ser a arte da composição, a habilidade política que demonstrou quando se compôs com Fernando Pimentel, do PT, para o pacto mineiro. Ali aparentemente desenhava-se o futuro grande político nacional, o estadista da conciliação, herdeiro da tradição política mineira.

Leia também:  O projeto nacional e as indústrias de bem estar, por Luis Nassif

***

Engano.

Em um momento em que a disputa deveria se dar na conquista do público novo, não alinhado, cansado da política tradicional, Aécio incorporou em si a pior cara do PSDB: a de José Serra e sua tropa de vikings da terceira idade, Aloysio Nunes, Alberto Goldman, e do inexcedível Roberto Freire.

***

Não se vá exigir de Aécio o que escapa à sua compreensão.

Assim como no varguismo, o lulismo é composto de duas partes: o lulismo e o antilulismo. O antilulismo não tem vida própria, não tem projeto próprio, é apenas um apêndice do lulismo.

O próximo momento político brasileiro é o do pós-lulismo. Para a história, FHC sempre será o apenas anti-Lula, a parte derrotada do passado. Grupos de mídia, mercado, o establishment só investiram em sua imagem porque o antil-ulismo precisava de uma cara. Apenas isso.

Assim como o mito Marina, o personagem FHC é muito menor do que o mito criado em torno dele.

***

Ao contrário de Aécio, Alckmin é duríssimo na ação, conservador até a medula, anacrônico até o fundo da alma; mas cordato nas palavras e gestos.

Seu aceno para uma trégua visou não apenas reduzir as críticas contra as barbeiragens da Sabesp, mas ocupar o espaço na oposição.

Quando acontecer o segundo tempo do jogo – na tentativa futura de tentar alijar Dilma no rastro da Operação Lava-Jato – a liderança será de quem simulou o entendimento inicial; não de quem se comportou “violentamente” antes da hora.

114 comentários

  1. Então Aécio junta-se a Serra

    Então Aécio junta-se a Serra no setor “políticos que enganaram o Nassif.” No caso de Aécio, ele só tem aparência. Pelo que li, quem realmente fazia as coisas andarem admnistrativamente é o Anastásia. Aécio, seria, na melhor das hipóteses, uma espécie de rei da inglaterra pra inglês ver (rs). 

    Bem, há um ditado que diz que o pior pode ser piorado. Só faltava em 2018 dar Alckimin presidente. Aí eu peço asilo político no Uruguai (rs). 

  2. Bem definiu o Jacques Wagner:

    Bem definiu o Jacques Wagner: Aécio é um pastel de vento. Não sei se a coluna que ele escrevia (na Folha?) era do seu próprio punho, mas ficava absolutamente claro que refletia um vazio de ideias, falta de projetos e falta de compreensão dos problemas do país que chegava ao ridículo. Não se aproveitava nada. Só o anti-petismo e o lacerdismo exacerbados explicam a votação que teve, porque se fosse pelos projetos….Ia ficar atrás o Levy Félix.

  3. Violência é DNA do PSDB e não especificamente de candidatos

    Vamos recordar Alckmim em 2006 na campanha presidencial:

    “Candidato Lula, de onde veio o dinheiro sujo – R$ 1,750 milhão em dólares e reais – para comprar o dossiê fajuto?”

    “O mundo do candidato Lula é virtual. Ele anda é de Aerolula e não conhece a realidade (das estradas do Brasil)”.

    “O presidente da França não tem avião, o Papa não tem avião, o Lula tem quatro. Eu quero dizer que vou vender estes aviões e construir cinco hospitais.”

    “Vou cortar primeiro na corrupção”

    “Não minta, Lula, não foi o PFL ou o PSDB que disse que eu iria privatizar, foi você quem falou.”

    http://noticias.terra.com.br/eleicoes2006/interna/0,,OI1180423-EI6652,00.html

    • “É errado pegar um aeroporto

      “É errado pegar um aeroporto feito com dinheiro público e colocar na fazenda de um tio. Não se faz isso. É feio” 

      Eu, candidata, não dirijo sob álcool e droga. E isso é uma questão que não afeta só a mim, afeta a todos os brasileiros” 

      Hoje, é proibido o nepotismo. Você, Aécio, tem uma irmã, um primo, uma prima e um tio no seu governo. Eu não tenho parentes no meu.

       

      Nada como uma candidata que pega leve…

       

      • repetitas juvant

        Sem meias palavras, te rotular como desinformado é um elogio à ignorância, portanto não se orgulhe por este tipo de tratamento. Má-fé tampouco te pertence, pois é das pessoas muito perversas, aquelas que podem, tem um plano e uma finalidade, as que têm o verdadeiro poder.

        Para falar, escrever e divulgar bobagens os argumentos invocados devem ser apresentados como algo que na duvida possa despertar duvidas para o leitor, quase uma verdade a ser avaliada em seguida. Agora como troll de direita morta(n)dela, um goebbel caricato o efeito é: quais os idiotas que pagam este coiso?

      • Pois é, e tome “Petrolão” em cima dela, baseado em ilações…

        Deu até capa de revista que lá dentro do texto, dizia não ter provas…

        Mas a capa…

  4. Devagar com o andor….

    ¨A grande marca política de Aécio parecia ser a arte da composição, a habilidade política que demonstrou quando se compôs com Fernando Pimentel, do PT, para o pacto mineiro. Ali aparentemente desenhava-se o futuro grande político nacional, o estadista da conciliação, herdeiro da tradição política mineira.¨

     

    Estadista da conciliação? mas foi isto mesmo que praticou ao longo do dois manadatos no governo de Minas? Perseguição à imprensa e a jornalistas. farta distribuição de verbas para a comunicação beneficiando sempre os grandes mídias, tratamento policial aos sindicatos de funcionários públicos, emasculação do judiciário e das polícias. É esta a prática que o distingue como projeto de grande estadista?

    Pera aí Nassif, faltou coerência com os fatos.

  5. Não foi o estilo bélico que o

    Não foi o estilo bélico que o fez perder a liderança.

    Aécio é totalmente inexpressivo, sustentado apenas por marketing.

    Não fosse a mídia monopolizada ele não passaria de S.João Del Rey.

     

  6. Aécio Cunha (alguém lembrou

    Aécio Cunha (alguém lembrou do sobrenome aqui) não encarou a face obscura do PSDB. Nisso Nassif errou. Ele é, ele faz parte, ele sempre foi da face mais retrógrada deste partido. É só vir para Mians e verificar o estado de abandono que estamos nele. As políticas públicas foram substituídas pelas políticas de apadrinhamento. As estatais mineiras, no seu ‘xoque de jestão’ são ricas, poderosas mas não revertem suas riquezas para o povo mineiro. Desde muito a Cemig deixou de ser a melhor energia do Brasil. A Copasa não investe em pequenos municípios que não dão ‘retorno’. A educação básica, se não associada à ajuda de prefeitos, simplesmente desandou. Temos jovens na 5ª ou 6ª séries que simplesmente não sabem ler.

    Pimentel prometeu uma auditoria nas contas públicas e dar destaque na imprensa do que for encontrado. Duvido muito. Eles são amigos de longa data e não seria Pimentel que iria defenestrar a administração PSDB 12 anos. É pena! Com 6bilhões de reais a menos para gastar de 2015 em diante devido ao pagamento de dívidas do estado, o governo de MInas na era PT já começa com o pires na mão!

  7. (Nassif, eu nao me

    (Nassif, eu nao me preocuparia muito nao:  Aecio nao tem a “blindagem” de Serra para a leviandade.  So que leviandade eh sinal de tragedia vindoura.  Aecio eh uma tragedia aa espera de acontecer.)

  8. E depois ainda dizem que o

    E depois ainda dizem que o brasileiro não sabe votar. Faz quatro eleições que o povo quer enterrar FHC, mas ele é como Freddy Krueger e sempre tá de volta. Todo e qualquer possível candidato do PSDB perdeu eleição para o PT depois do governo FHC; qualquer coincidência não é mera semelhança. Quem será o próximo?

    O pior é que é exatamente no anti-petismo ou anti-lulismo que se encontram a extrema direita e a extrema esquerda, embora com a ressalva do bom comportamento demonstrado pelo PSOL no segundo turno. Eles queriam ser o que o PT foi e é na política brasileira, só que não conseguem porque seus discursos não ressoam nos ouvidos brasileiros. Brasileiro não quer sair do capitalismo; brasileiro não quer revolução operária; brasileiro não quer governo TFP ou Opus Dei (com exceção dos paulistas, claro). Um governo social-democrata tá de bom tamanho pros brasileiros. Nesse caso, pode-se até pensar que a rejeição eleitoral do PSDB é a prova da verdade sobre a pretensa social-democracia tucana. E creio que brasileiro também não vai querer Rede porque nunca saberá exatamente o que será a Rede: um partido sem sexo, sem cor, sem gosto, sem cheiro (ou com cheirinho de Natura), sem política. No meu chutômetro, o percentual de votos de Marina (Marina=Rede) será sempre esse porque toda sociedade tem sua parcela de gente assim, que não gosta de política, isso se não morrer mais ninguém em meio aos pleitos eleitorais. Mas espero sinceramente que essa fase de enojamento da política seja superada para o bem do mundo.

    Claro que se formos perguntar isso aos eleitores a maioria não se expressará nesses termos, mas essa é uma leitura possível dos resultados. Ou não.

  9. Discordo de um ponto: Aécio

    Discordo de um ponto: Aécio não perdeu pelo estilo, perdeu pela biografia que teve e tem. Nem Alckmim ou mesmo Serra têm tamanho telhado de vidro, totalmente comprovado, como o Aécio.

    • Sim

      Falar em Alckmin e Aécio é falar de engavetamentos de CPIs, bem como de bilhões de reais da despoluição do Tietê viraram pó.,,.Sabesp idem…trensalão….etc…só que ninguem vê. O telhado deles é de vidro fumê…kkk

  10. Varguismo,Lulismo.como se

    Varguismo,Lulismo.como se nomeia os anos FHC ? entreguismo?

    Cara o comportamento do FHC nessas eleições não deixou duvidas,ele tem um odio mortal do Lula.

    Odio mortal  do povo na cabeça dele,depois de anos de arrocho e miséria que o povo sofreu nos seus governos este ainda lhe deveria ser grato.

    A prova maior que ele é um mesquinho desejoso de uma revanche,foi a punhalada no Aecio ainda no 1 turno,diante da possibilidade de Marina ser a Força a derrotar o PT.

    Falando da Marina ela é astuciosa,percebeu rapidinho que o FHC gosta de ter o ego acariciado.

  11. Tropa de vikings da terceira

    Tropa de vikings da terceira idade foi ótima Nassif.  E que tropa carrancuda essa daí. Semblantes serenos, os desonestos não mais exibem.

  12. Geraldo Alckmin

    A capacidade do atual governador de São Paulo em manter inabalada sua imagem de gestor, mesmo que injustificada, é tão inexcedível como a comparação que Nassif faz com o péssimo caráter de Roberto Freire.

    Podem contar que, nos próximos 4 anos, Alckmin manterá a mesma imagem, o mesmo palavreado silabado, a mesma blindagem no Legislativo, a postura de diálogo com o Executivo Federal, e será o candidato do tucano à Presidência.

    Aposto.

  13. Pior

    Pior. Incorporou a cara da revista Veja. Aquele mar de golpismo. Eu sinceramente gostaria de ver no Brasil uma oposição que apresentasse alguma coisa consistente, um projeto que não representasse uma volta ao passado mais sombrio nem um simplório e raivosos antilulismo …  

  14. Nassif
    Que isto Nassif.
    Voce

    Nassif

    Que isto Nassif.

    Voce já colocou vários post elogiando Aécio aqui no Blog. Em Minas Gerais o PT fez uma campanha de baixissimo nível contra Aécio e agora vc quer o que????? Agora que o barco está afundando vc quer o que???? Aécio está fazendo o que os seus eleitores querem ” OPOSIÇAO’. Se comparado a oposição que o PT fazia no passado Aécio parece um pinto.

      • Exemplo de que meu caro.
         
        Se

        Exemplo de que meu caro.

         

        Se for de baixaria na eleição basta ver o discurso do Lula aqui em BH (foi um estupro a realidade e um absurdo). Se for do PT na oposição basta ver que o PT votou contra o plano real e fez muito barulho contra inúmeras medidas que eram necessárias e hoje são praticadas pelo PT. Lembra do fora FHC logo após as eleições???

        • Ser contra o plano real e

          Ser contra o plano real e contra medidas que na sua opinião eram necessarias é baixaria? mesmo o fora FHC depois de desvalorizar a moeda em 70% depois de eleito é baixaria?

          Ora Carlos, quando O PSDB diz que a economia esta uma anarquia, mesmo que eu discorde, está no papel dele de oposição. Quando discorda das políticas sociais também é um direito e esta dentro do papel de oposição.

          Baixaria é atribuir inverdades como tem feito a oposição como por exemplo grampo que não existe, fazendas, acusações falsas etc.

          Você precisa saber diferenciar baixaria de crítica política.

    • Baixíssimo nível vc quer

      Baixíssimo nível vc quer dizer, tentar mostrar tudo o que a grande imprensa escondeu ? E olha que muita coisa ficou de fora. Mas para mim, deixar que um heicóptero cheia de drogas, ficasse impune, sem nenhuma “averiguação” foi a morte do Aécio p/ os mineiros, assim como os 2 aeroportos de família tb.

  15. Gostei da leitura
    As melhores figuras do PSDB, infelizmente já partiram. Concordo plenamente com o Nassif, não existe uma figura de oposição com carisma e força para criar uma marca própria. O problema do pós-lulismo é que gerará solavancos no voo Brasil, pois não existe espaço vazio quando o assunto é poder.

  16. São ruins… Muito ruins!

    No fundo Nassif, continuamos a chover no molhado… Por mais que se queira enxergar estratégias e táticas no comportamento dos demotucanos, sejam de Minas ou de São Paulo, jovens ou velhos, a única coisa consistente que se pode ver em torno deles é a blindagem e o envolvimento direto e explícito que recebem da grande Imprensa familiar. Fora dela, eles não existem… São tão ruins, mas tão ruins que conseguem ser batidos pelo PT pela quarta vez consecutiva praticamente com o monopólio da grande Imprensa fazendo o diabo para criminalizar o PT usando e abusando de factóides, mentiras deslavadas e até espalhando boatos, como o da morte do Doleiro no dia da eleição. Vão com tudo agora pelo tal “impeachment” constitucional aos moldes do Paraguai. É o que lhes restou…

    • Exatamente. Vejo do mesmo
      Exatamente. Vejo do mesmo modo.
      Eo Nassif duvidando que essa oposição ja passou do ponto de retorno há muito.
      Mandaram a presidente tomar no Itaú numa cerimônia oficial e o Nassif esperando civilidade dessa gente (incluindo a máfia midiática).

  17. FHC está gagá. Portanto,

    FHC está gagá. Portanto, Aécio é um instrumento da senilidade alheia o que faz dele algo bem pior do que seu mestre. Afinal, pode-se perdoar um velho gagá por ser gagá. Mas um homem supostamente saudável que se coloca sob o controle de um gagá é alguém muito desprezível. 

    • Excelente observação, Fábio:

      Excelente observação, Fábio: “Aécio é um instrumento da senilidade alheia”.

      Também a achei muito bom o que o Nassif escreveu, notadamente: “Em um momento em que a disputa deveria se dar na conquista do público novo, não alinhado, cansado da política tradicional, Aécio incorporou em si a pior cara do PSDB: a de José Serra e sua tropa de vikings da terceira idade, Aloysio Nunes, Alberto Goldman, e do inexcedível Roberto Freire.” O “inexcedível” Roberto Freire é sensacional.

      Com textos como este, quem precisa consultar os jornais tradicionais, que só escrevem baboseiras?

  18. BBC apresenta uma outra verdade sobre Dilma

    “Empresários elogiam diálogo com Dilma; movimentos sociais se queixam”

    “Tivemos conversa muito fácil com o governo e conseguimos levar até eles nossos pleitos”, diz José Velloso, presidente executivo da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq).

    Opinião semelhante é expressada pelo diretor superintendente da Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e Confecção), Fernando Valente Pimentel. Ele diz que o diálogo com o governo foi bom e que demandas do grupo foram atendidas.

    http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/11/141111_dialogo_governo_jf

    • É hora de mostrar as Verdades

      Assis, parabéns pelo material.

      Em tempos de Gilbertinhos, Martas, e, até mesmo Lulas, está na hora de mostrar quem é quem.

      Dilma (e Equipe) é péssima em Comunicação.

      Acompanhe no que vai dar o Processo de Aprovação da Alteração da LDO.

      Em Resumo (nas Empresas chamaríamos de Análise de Variação “Orçado” x Realizado):

      – Uma parte do Valor é PAC, portanto Investimento

      – Outra Parte foi Desoneração, portanto DEVERIA ser “Mais Empregos/PIB”.

      Só que os Empresários transformaram (eles estão na deles) as Desonerações em Ganhos de Margem/Lucro.

      A Dilma deveria, pelo menos, “dividir” esta parte da Conta com os Empresários.

      Do jeito que vai, ela vai ficar com a Imagem que levou os Bilhões para casa, além de ser uma Gestora Incompetente…

  19. Qualquer um que a globo

    Qualquer um que a globo escolher para ser seu candidato terá uma boa votação. Quando a globo desistiu do Aécio no primeiro turno e decidiu pela Marina, ela chegou a ultrapassar a Dilma. Quando viu que não dava, voltou para o Aécio e ele teve boa votação. O candidato escolhido pela globo sempre terá boa votação. 

  20. Segundo zanchetta, nada de

    Segundo zanchetta, nada de verdades podem ser ditas sobre o aócio. Construir aeroportos com dinheiro público para uso familiar, dirigir com carteira vencida, dirigir bêbado, helicóptero utlizando o aecioporto com quase 500Kg de cocaína e ninguém ser investigado, punido e tantas outras coisas do santo áécio, não podem ser questionadas. Isso não é assunto para “aparecer” sobre alguém que queria ser presidente do país, segundo zancheta, No USA, o aécio não poderia nem ser candidato. Será que a gente dá um pirulito pro zanchetta?

  21. É uma estratégia para se

    É uma estratégia para se consolidar como lider da oposição. Se não faz, o Serra faz, e consolida como lider no lugar dele. Gostemos o não, a parte da população derrotada espera exatamente este comportamento

    • Liderança

      Aécio é por natureza um seguidor, não há nele a dedicação e energia para trabalhar que acompanham a verdadeira liderança. Muitas vezes, é preciso renunciar ao próprio projeto para abraçar o projeto do grupo. Verdadeiros líderes podem viver na gandaia aos 20 anos, mas não na casa dos 50.

  22. O FHC sabe que a sua real

    O FHC sabe que a sua real importância no cenário político nacional, só tem representatividade nas cabeças dos coxinhas baba ovos e na mídia parasita do estado. Sua vaidade o consome pois sabe que ao deixar de existir, será lembrado somente como coadjuvante dos verdadeiros protagonistas de uma época.

  23. A eleição está terminada.

    A eleição está terminada. Aécio disse; agora estou na oposição.

    Pilatos dizia o que está escrito está escrito; isso tinha um sentido terrivelmente determinado.

  24. Aécio e Fhc mais fracos que caldo de bila

    Meu Cândido Nassif não dá o braço a torcer – mas isso não muda a realidade -.

    Primeiro: Fhc aproveitou a oportunidade e surfou no Real, que Itamar bancou e indicou o dito sujo como candidato. 

    Segundo: Aécio é ainda mais fraco que a Ofélia da política brasileira – Fhc -.

    Portanto, só em delirius tremilis dá para aceitar que: …”foi o estado bélico que o fez perder a liderança e a eleição”

    De fato, essa liderança nunca existiu, a não ser nas pesquisas divulgadas pelo GAFE – Globo, Abril, Folha, Estadão -.

    Hoje, no Brasil a oposição é a mídia, a banca e os sanguessugas que posam de empresários.

    Agora, reafirmo, Dilma ganhou porque….

    Abaixo o que escrevi antes da reeleição.

    http://blogdobriguilino.blogspot.com.br/2014/08/porque-dilma-sera-reeleita.html

     

    • Muito bom

      Reproduzindo aqui: 

      Porque Dilma será reeleita

       Primeiro: Porque o Povo é mais inteligente do que a Elite oposicionista imagina.

      Segundo: Porque Lula/Dilma e o PT fizeram muito, tem o que mostrar na campanha eleitoral.

      Terceiro: Porque nossa oposição é antes de atrasada, continua com os dois pés fincados no século 19.

      Essencialmente é isso. 

      O mais é blablablá…

       

  25. É como o Nassif vivia dizendo:

    O FHC quando joga para a plateia beira o patético. Longe vai o tempo do intelectual, que sabe discutir questões públicas com racionalidade – como no livro Conversas Políticas, Desafios Públicos, com FHC, Haddad e Aldo Fornazieri.

    Fernando Henrique, por si mesmo, dá um fim tragicômico e melancólico à sua história de vida enquanto homem público. E, tristemente, leva Aécio junto com ele (ou este quem deixou-se levar).

  26. A relação entre o professor

    A relação entre o professor doutor Fernando Henrique Cardoso e o doutor,ainda não,professor,Aécio Neves da Cunha,portanto,um cunhão,é puramente uma questão de química ou químioterápica.

  27. “Quando acontecer o segundo

    “Quando acontecer o segundo tempo do jogo – na tentativa futura de tentar alijar Dilma no rastro da Operação Lava-Jato”. 

    Nassif, o POVO não quer “alijar” Dilma do governo, se quisesse,  o teria feito nesta eleição,  portanto quem deve tomar cuidado para não arrebentar o elastico é a oposição.  

  28. É Nassif, possivelmente o

    É Nassif, possivelmente o Aécio começou a perder a eleição quando mal terminou o primeiro turno, e o FHC invés de comemorar a surpreendente votação do tucano, desqualificou os eleitores da adversária.

    Aquela de dizer que o eleitor do PT é ignorante porque é pobre ou pobre porque é ignorante, selou definitivamente o Aécio como candidato dos ricos contras os pobres, que a despeito da melhoria de vida do povo, ainda é maioria.

    Obrigado FHC

  29. Ótimo post

    Nassif continua sendo, cada vez mais, o jornalista brasileiro que melhor é capaz de fazer esse tipo de leitura política dos fatos e das pessoas na imprensa brasileira. A isso chamamos de talento. Com uma visão crítica apurada e pertinente leitura da conjuntura e das motivações, ele conseguiu destrinchar com maestria o panorama atual da oposição tucana.

    Analisar a evolução do perfil exibido por Aécio Neves durante essa campanha eleitoral de 2014, acrescida das manifestações de FHC que pipocavam vez ou outra na imprensa, casa completamente com a leitura política feita no post. Foi isso mesmo. Era o tacape de FHC, o longa manus que concretizaria os ressentimentos políticos de quem sempre terá contas a acertar com os adversários.

    Em tempo: Eu disse durante a campanha que Aécio perdeu a eleição no exato momento em que tripudiou de Dilma quando ela passou mal no debate do SBT. Cheguei a comentar isso no meu perfil no Facebook. Ali ele começou a se mostrar, de forma clara a todos, detentor de um perfil grosseiramente inadequado para um presidente da república. Muita gente percebeu isso também.

    • Concordo

      Coaduno com sua opinião e disse o mesmo a alguns aecistas, ele assinou sua derrota nas urnas a partir desse momento,mostrou quem é de verdade, sem máscaras e semmaquiagem.

  30. Kd o Fora de Pauta

    Então vai aqui mesmo

    Os números de whatsApp do site Muda Mais

    http://mudamais.com/ruas-e-redes/nosso-whatsapp-ainda-esta-ativo-vem-com-gente

    Nosso Whatsapp ainda está ativo. Vem com a gente!

    As eleições terminaram, o fluxo de  “ataques” referentes a  Dilma Rousseff   também diminuiu, mas uma coisa que não terminou foi o Whatsapp doMuda Mais. É isso mesmo, ele ainda continua funcionando normalmente, enviando informações e tirando dúvidas!

    Durante a campanha, o nosso modelo de uso do Whatsapp foi fundamental no combate à boataria livre que inundou as redes naquele período, na divulgação de informação para fazer frente às opiniões sempre ~imparciais~ da nossa grande imprensa e na organização da militância. Nos tornamos referência por abastecer a militância com agilidade e disputar os assuntos ~polêmicos~ que brotavam do PIG e de algumas correntes fakes.  Consolidamos uma base de contatos impressionante  e compartilhamos dezenas de materiais por dia. Dessa maneira, atingimos milhares de usuários com nossas mensagens em uma velocidade viral e ao mesmo tempo orgânica (ao contrário do que outros faziam por ai né). Em pouco tempo,  nosso conteúdo estava espalhado pelos celulares de todo Brasil. O Whatsapp foi a cereja do bolo de nossa campanha, uma estratégia importante de divulgação de informação, e por isso será mantido. 

    Nessa nova fase, o fluxo de informações enviadas diminuiu, mas ainda contamos com disparos diários. São mensagens relacionandas aos assuntos do momento, divulgando a verdade e informando sobre mobilizações em seu Estado.

    Continuamos utilizando os cinco números, um para cada região do país: Norte, Sul, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste

    Quem ainda não recebe nosso whatsapp pode se cadastrar! Envie uma mensagem para o número da sua região e passe a receber nossos envios diários!

    Esses aí embaixo os números do Whatsapp. Entra em contato com a gente por lá!

    (69) 8110-7526 – NORTE
    (79) 9161-2368 – NORDESTE
    (61) 9180-6847 – CENTRO OESTE
    (37) 8417-3104 – SUDESTE
    (51) 9909-4240 – SUL

    WhatsApp

     

  31. A galinha ainda não sabe voar
    Pois é. Esta galinha, tenta, tenta, mas não consegue voar. São as verdades mentirosas e as mentiras verdadeiras. E tudo se repete. Enquanto isto o projeto ribanceira continua seguindo seu curso. Acrescido do projeto tesourão. Haja corte !

  32. Oposição

    Tanto o comentarista, quanto o a maior parte dos comentaristas de esquerda, parecem ignorar um fato, como é tipico da esquerda ignorar fatos, que o Aecio teve 51 milhões de voto. Ou seja, 51 milhoes de pessoas não queriam e nao querem Dilma ou o PT. Sim, os Conservadores ou a Direita, ou os Reacionários, como queiram chamar, resolveram sair da toca e lutar por um País melhor, e que tire o Brasil do Século 19, do Marxismo e so Socialismo, que não funciona e nãoi funcionou em lugar nenhum do Planeta. E não vamos desistir. Em 2018, depois do desatre que serão os proximos 4 anos, a religião Petista será definitivamente deixada de lado.

    • Olavo de Carvalho, a papisa

      Olavo de Carvalho, a papisa da extrema direita, analisou melhor: Aécio não teve e não tem 51 milhões de votos. Esses são votos anti-petistas ou anti-lulistas, e que são um apêndice do Lulismo ou do pestismo. Esse pessoal votaria em qualquer um: Marina, Eduardo ou Aécio ou o escambau. Não pensam no país melhor nem, como você diz, em tirar o país do século 19. Só têm um pensamento: tirar o PT do poder. E aí esteve, está e estará sua derrota. É só escrever.

    • Ignorando fatos

      IRONIC ON

      ô lôco José !!!

      Ainda bem que você me avisou ! E eu que pensava que a ditadura militar que durou longos e penosos 21 anos havia conseguido seu intento: 

      Retirar o país do Comunismo, Marxismo e outros “ismos” igualmente perigosos. Fora perigo vermelho!!!

      Então fracassamos??! Ainda estamos precisando livrar o país do Socialismo, Comunismo, Marxismo (que nomes feios! me dá arrepios só de escrever…)

      Século 19? 

      IRONIC OFF

      Certas cabeças precisam adentrar o Século XXI  mesmo, mas acho que tem uns casos perdidos escrevendo por aqui.

       

    • Assim como foi a seita

      Assim como foi a seita antipetista, dos preconceituosos e daqueles que desejam ganhar s/ trabalhar, só investindo. A oposição teve sucesso, mas não o suficiente  para fazerem a a festa preparada. Vc mesmo, assim como o Bornhausem, mostra o que é o ódio destilado pelos “bons”, e do que é capaz para eliminarem o Partido dos Trabalhadores. A revistinha de esgoto que o diga.

    • Pobre de direita

      “Esse país não pode dar certo: aqui prostituta se apaixona, cafetão tem ciúme, traficante se vicia e pobre é de direita”. Tim Maia (1990).

    • Jose p machado

      Me entristece essa direita forjada a base de leituras de blogueiros veja ou de textos insanos de bolsonaro. Antes de falar “socialismo nao funcionou em nenhum lugardo mundo”, aprenda a diferenciar nosso sitema, socIal democrata (capitalismo) do socialimso que voce quer comparar onde o mercado e a livre inciativa sao suprimidos. 

       

      Sem conhecimento disso, nao o aconselharia a sair ruminando tantas questoes que lhe fogem o entendimento.

      a direita ja foi melhor…

  33. Entre Tancredo e FHC. Aécio fez a escolha errada.

    “E agora, José?”, inescapáveis os versos de Drummond, do mineiro Drummond. Como Shakespeare, universais, pois falam do homem que chegou a uma situação limite e tem, agora, de repensar sua vida. Inescapável relacioná-los com o momento atual de Aécio Neves.

    E agora, José? 

    A festa acabou, a luz apagou, o povo sumiu, e agora, José?

    Está sem mulher, está sem discurso, está sem carinho. Já não pode beber, já não pode fumar.

    A noite esfriou, o dia não veio, não veio a utopia, e agora, José? 

    Com a chave na mão quer abrir a porta, não existe porta. Quer morrer no mar, mas o mar secou. Quer ir para Minas, Minas não há mais.

    José, e agora?

    Aécio é um político nascido em Minas Gerais.  É neto de Tancredo Neves que era um político mineiro. Nada os une, no entanto, enquanto políticos.

    Lembro-me de memória algumas frases de Tancredo:

    “Um louco não é um problema. Em Minas, há muitos loucos. Nascem loucos, são meninos louquinhos, crescem, casam, têm filhos e morrem. Sempre loucos. Um louco não é um problema. Um louco só é problema quando assume o poder”.

    “Um político, quando assume o executivo, deve pensar duas vezes em tudo que faz. Até para descer da calçada deve ter cuidado. Pode escorregar bater a cabeça, morrer e colocar o governo em uma situação de crise”. Tristemente profético.

    Esse era Tancredo, que, acima de mineiro, soube-se fazer um político brasileiro. Seus contrapontos, Brizola e Ulisses eram apaixonados. Quando o país esteve em crise institucional, soube ser a resposta institucional à crise. A solução ponderada. Seja com Jango, seja ao final da Ditadura.  Sempre apresentou à nação ideias, uma alternativa, quando não um sonho, como solução aos impasses. O parlamentarismo e a “Nova República”, jamais buscou o confronto.  A ideia, a solução ou o sonho eram seus argumentos.

    Mas Aécio não foi formado para ser Tancredo. Sua carreira de político não passou pela forja da adversidade, da necessidade de sobreviver e manter a coerência e a integridade ideológica frente a um poder adversário maior e ameaçador. Desde o começo protegido pelo sobrenome, o que construiu, construiu em Minas.  Fora de Minas, seu sobrenome não lhe bastou. Parecia ser um conciliador como o avô, seria apenas fraco.  Quando não, indolente como os herdeiros da fortuna costumam ser.

    Seu desafio não foi os dois mandatos de governador. Estava em Minas. Seu desafio foi o mandato de senador. O de se fazer uma liderança no Congresso.  O pensamento conservador estava órfão em 2010. Hoje, têm muitos pais de caras feias e cinta na mão. E mais ainda, com os desdobramentos dos protestos de junho de 2013, havia um palanque armado para o discurso conservador, mas Aécio não estava pronto para ele. Porque que não basta saber que o povo quer mudança. O líder a aponta.

    Era, então, ter voltado aos livros de economia, às bases do liberalismo americano, aos clássicos do pensamento econômico inglês. Era então, ter ouvido nossos conservadores. Eles estão aí, de Delfim a Bresser-Pereira, passando por Lembo.  Era, então, ter formatado uma proposta alternativa a socialdemocracia encampada pelo PT. Haveria muito espaço e aceitação popular para a centro-direita em um país que passa, já há alguns anos, por viés conservador, inclusive nos costumes. Onde estão os fios-dentais das garotas de Ipanema? Só nos restou a deselegância discreta das meninas de Sampa.

    Mas não, passou quatro anos exercendo a política do “besouro rola-bosta”. Nenhuma proposta, só acusações ao partido no poder. Falou dos outros, não falou de si. Tornou-se o anti-PT e não o pró-Aécio.

    Na campanha, propriamente dita, cometeu o erro que nem Serra, nem Alckmin cometeram. Permitiu colar sua imagem a imagem de FHC. Trouxe imediatamente para a discussão a comparação dos governos Lula X FHC. Sua adversária era Dilma.

    FHC é um buraco negro na política, uma enorme gravidade no centro do PSDB, suga toda a energia que está ao seu redor e não emite nenhuma luz.

    A partir desse “pecado original”, não mais conduziu sua campanha. Foi conduzido, paradoxalmente, pelo PT.  Aécio deve ao PT ter chegado ao 2º turno das eleições de 2014. Marina Silva foi destroçada pelo PT. O PT o escolheu, Aécio, como adversário.

    No pós-eleição, cometeu seu “pecado capital” – a ira. Aliou-se aos loucos problemáticos. Permitiu sua imagem ser associada ao que não se curva a vontade das urnas, ao antidemocrático – ao golpismo.

    Cuspindo na biografia do avô, recusou-se ao diálogo. Sua última esperança. Dilma fez-lhe passar o cavalo encilhado à porta. Ele não montou. Onde a prudência de quem desce da calçada cuidadosamente?

    A noite esfriou, o dia não veio, não veio a utopia, e agora, José?

    Agora? Agora a roda rodou e é Alckmin outra vez. Alckmin é o delfim da plutocracia paulista, é a sua cara.

    Dezembro está logo aí, as festa de fim de ano, janeiro em férias de verão, o carnaval em fevereiro e a nova legislatura em 2015, a partir de março. O velho Senado com outros nomes.

    E se Anastasia, agora, tão senador quanto Aécio, mas com fama de bom administrador e com uma trajetória vencedora, em seu primeiro discurso no plenário, trouxer uma proposta viável e independente? O que fazer com ele? Despacha-lo para BH?

    O que ser agora, ser o Aloysio Nunes, fazer o serviço sujo? Já há Aloysio Nunes.  E ser o que então, após o leviano dedo em riste?

    Fora isso, Aécio é um problema pra a candidatura Alckmin. Será bombardeado pela grande imprensa sediada em São Paulo. Não poderá dar as costas a José Serra – seu escorpião desde sempre e agora no mesmo Senado que Aécio.

    Quer ir para Minas, Minas não há mais.

    Ser ele o candidato a prefeito em 2016, tentar o governo mineiro em 2018, conformar-se com o Senado? Viver a maldição do eterno retorno de Nietzsche? Um samba de Vanzolini para dar a volta por cima ou a única coisa a fazer é tocar um tango argentino de Manuel Bandeira?

    Entre Tancredo e FHC. Na encruzilhada da vida, Aécio fez a escolha errada.

    E agora, José?

    Sua doce palavra, seu instante de febre, sua gula e jejum, sua biblioteca, sua lavra de ouro, seu terno de vidro, sua incoerência, seu ódio – e agora?

    Sozinho no escuro, qual bicho-do-mato, sem teogonia, sem parede nua para se encostar, sem cavalo preto que fuja a galope, você marcha, José!

    José, pra onde?

  34. pior é que o aécio e alguns

    pior é que o aécio e alguns tucanos podem ser respomsabilizados

    historicamente por um retrocesso impensável.

    digo historicamente porque supõe-se que são todos eles impunes.

  35. “Ao contrário de Aécio,

    “Ao contrário de Aécio, Alckmin é duríssimo na ação, conservador até a medula, anacrônico até o fundo da alma; mas cordato nas palavras e gestos.

    Seu aceno para uma trégua visou não apenas reduzir as críticas contra as barbeiragens da Sabesp, mas ocupar o espaço na oposição.

    Quando acontecer o segundo tempo do jogo – na tentativa futura de tentar alijar Dilma no rastro da Operação Lava-Jato – a liderança será de quem simulou o entendimento inicial; não de quem se comportou “violentamente” antes da hora.”

    Resta saber se a fuleiragem que sequestrou o PSDB é capaz de entender que o importante são as ações, e não as palavras e gestos.

    Por que a imprensa tem deseducado a base tucana para que tome a forma pelo conteúdo, a superfície pelo fundo, de tal forma e com tal intensidade, que próceres tucanos já começam a ser hostilizados simplesmente por ainda serem minimamente razoáveis. E já começamos a ver acusações de que a Folha de São Paulo é “petralha”, também.

    Aqueles que os deuses pretendem destruir, primeiro enlouquecem, dizia a sabedoria clássica.

    Talvez seja o caso.

  36. O PSDB se uniu, durante a

    O PSDB se uniu, durante a campanha, contra o PT. Agora, continuarão a luta entre eles. Alckmin já está em campanha. 

  37. Aécio é carta fora do

    Aécio é carta fora do baralho. Perdeu as chances de ser candidato à presidência pelo PSDB no futuro ao perder para Dilma agora em Minas. Ele foi o grande derrotado nessas eleições. Quem sabe o PSB, órfão com a morte de Eduardo Campos, não lhe oferece a legenda em 2018. É esperar para ver.

  38. Uai, e em 2018 é para votar em quem?

    Vamos supor que um eleitor não queira manter projeto neodesenvolvimentista. Que goste da ideia de um social-liberalismo com “pegadas” de eficiência e sustentabilidade. 

    Podem chamar de “Guinada à direita”, mas é um direito de qualquer cidadão. E uns 2/3 a 3/4 das classes médias estão propensos a isso.

    Falta convencer aos mais pobres, mas com maiores chances do que as do PT recuperar a confiança da classe média.

    Aí a análise da situação é:

    “Serra é pior cara”, “Aécio não serve”, “Marina é mito”, “Alckmin é anacrônico”

    Não muda nada.

    Quem não desejar votar em Lula em 2018 vai cair em algum desses por gravidade.

    E se o PMDB, cuja agenda é muito mais parecida com a do PSDB que com a do PT, desejar lançar candidato próprio (reduzindo o tempo de TV e palanques do PT), em um 2º turno também irá por aí.

    Não dá para inventar a roda agora, não há uma geração de expoentes surgindo.

    Alguém será eleito em 2018, eu espero que seja Marina, na pior das hipóteses Alckmin.

    Lula é o favorito de sempre, claro.

    Mas Aécio ainda tem chances. No cenário atual até Serra ainda tem chances…

    Então vamos torcer para que em 2018 não façam tanto boicote a Marina, pois ela não é “mito” não, é, ao contrário, a política mais capaz no momento de promover alguma conciliação nacional.

     

     

     

    • A primeira prova de

      A primeira prova de capacidade para promover essa “conciliação” nacional não é a palavra mansa recheada de metáforas e alegorias lúdicas, e sim, a firmeza nas decisões e a coerência nas ações, dois quesitos em que Marina foi reprovada. 

      • JB, isso é um diagnóstico possível

        Essa reprovação da qual você fala é uma suposição. Política é ciência humana e existe a hipótese alternativa.

        Sem muito maior tempo de TV (2 min versus 1 min), candidatura lançada em última hora, com o problema de usar um programa que não era todo dela, com o bombardeio (que não aconteceu em 2010) vindo tanto do governismo como da mídia tucana, com o boicote da esquerda (que se arrependerá disso, acho),

        Marina:

        – assustou o governismo

        – em nenhuma pesquisa de 2º turno ficou atrás de Aécio

        – manteve os 20% de outra eleição (nunca um 3a. via pontuou bem em duas eleições seguidas)

        – está com um recall bom.

        Em 2010 sequer faziam simulações de 2º turno com Marina!

        Em 2010, passados 10 dias do 1º turno ninguém mais falava em Marina também.

        Este ano ainda se fala.

        Os números parecidos na apuração de 1º turno (47/19/33 em 2010, 42/21/34 em 2014) escondem uma coisa:

        houve uma mudança qualitativa no apoio a Marina e uma maior resiliência no pós-eleição.

        Agora, do mesmo modo que eu posso dizer “em 2018 vai”

        Os tucanos também poderão dizer “em 2018 vai” (e se Aécio ou alckmin forem a 2º turno posso apoiar)

        E os petistas podem dizer “em 2018 vai” ocorrer a sonhada conscientização da população de que esse projeto é o melhor, independentemente de desconstruções ou udenismos.

        Está tudo em aberto.

        O que eu quis dizer antes é que não muda nada tanta adjetivação.

        O governismo pode não gostar de nenhum nome da oposição, seu direito (do governismo)

        Mas são nomes que chegaram a pontuar de 39 a 48,4% nas urnas e até 56% em simulações.

        Então, menos gente. 

        Sem esse menosprezo por oposição e sem salto alto.

        Saiam desse discurso autocentrado de governismo incondicional que há um Brasil todo e real fora dos blogs progressistas.

        Eu posso ser o único comentarista que fala disso por aqui, mas há muito mais ex-governistas do que a situação pensa.

        • Caro Gunter,
          Saiam desse

          Caro Gunter,

          Saiam desse discurso autocentrado de governismo incondicional que há um Brasil todo e real fora dos blogs progressistas.

          Sinceramente, isso é apelar para a ad-hominem. Construo meu senso crítico a partir do particular para o geral; e não o contrário. Se as minhas visões, percepções e categorizações por acaso se correlacionam com a de outras pessoas, ou grupos, não irei mudá-las.

          Leio com toda a atenção necessária as avaliações acerca da Marina Silva e as circunstâncias(2010/2014) que a envolveram. Nada me removeu ainda de um posicionamento bastante restritivo com relação a ela como pessoa e política. 

           

          • Ok, JB

            Eu me referia a esta imposição de diagnóstico: “dois quesitos em que Marina foi reprovada.”

            Como expliquei estamos com ciência humana em pauta, não existe essa confirmação de tese de que ela foi “reprovada”.

            Se eu chamar isso, impor um diagnóstico como o único possível, de autocentrismo você considera ad hominem…

            Bom, eu não a achei reprovada em nada. Achei boicotada e solapada, só isso.

            Ela ainda não ganhou, assim como Lula não foi “reprovado” em 1994 e 1998, ele ainda não havia ganho.

            Mas eu não estou tentando impor isso. Estou expondo como um diagnóstico possível.

            De qualquer modo, deixemos para em 2018 os candidatos trabalharem suas imagens e a população escolher quem deseja.

            Vida que segue.

        • Marina já Elvis

          Gunter, acorda… essa Marina é uma página virada da política nacional… nem com uma eleição que ‘caiu no colo’ dela chegou ao 2o turno… ela e a tal “Rede” NUNCA SERÃO!

          • Se é você quem diz, beleza.

            Se acha que eu preciso acordar, beleza também.

            Só que eu não apoio, trabalho por ou voto em quem “pode ganhar” por ganhar, ainda mais quando precisa “desconstruir” para isso. E mostrar só depois das eleições o estado das contas nacionais…

            Se os brasileiros estão felizes por terem acreditado nessa campanha, maravilha. É o consciente coletivo da maioria que decide e assim maximiza a felicidade.

            Eu apoio, trabalho por ou voto em quem eu acredito. Se demorar para a população ter a mesma opinião, paciência. 

            Se eu estiver errado, se ela e Rede “nunca serão”, está bom pra mim. Eu não vou é votar em quem não acredito e pronto.

            E hoje estou aliviado de Marina não ter ganho.

            Com Congresso muito fisiológico, PT hostil, economia em estado muito duvidoso, iam falar que ela é um novo Collor.

            Prefiro que Dilma e PT se ocupem agora nestes 4 anos em ajeitar a casa.

            Até pouparam Aécio desse desgaste, de virar vidraça.

             

        • Se nem com a “fraca” Dilma e

          Se nem com a “fraca” Dilma e toda a imprensa a favor, fazendo malabarismos e muitas cabeças de última hora, o que vc queria ?  MG conheceu muito bem o Aécio e abriu os olhos, mesmo levando em conta a mediocridade do candidato do PSDB. Quanto a sua candidata, ela perdeu dela mesmo, não foi culpa do PSDB e mt menos do PT, que apenas falaram de sua  “nova política” alinhada com banqueiros e a incoerência dos seu  discursos. Só não viu, quem não quis ver.

  39. Não sei mais de nada. Tendo a

    Não sei mais de nada. Tendo a não crer mais em nada. A política brasileira, ao contrário das outras esferas, entrou numa espiral de mediocricidade, lugares-comuns, estupidez e egoísmo. Até Lula hoje não é mais o Lula de sempre. 

    Quanto á oposição, muito pior. 

  40. Nassif

    Não entendo sua voracidade anti PSDB, pois há argumentos concretos e reais de ambos os lados mas, ao seu ver, os erros de um dos lados parece sempre ser maiores que os do outro lado!

    Do dicionário:

    “le·vi·a·no 

    adjetivo

    1. Que julga de leve.

    2. Pouco .refletido.

    3. Precipitado, imprudente.

    4. Namoradeiro e inconstante.

    adjetivo e substantivo masculino

    5. Que ou quem se preocupa com coisas fúteis ou que age sem pensar. = FRÍVOLO

    “leviana”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/DLPO/leviana [consultado em 12-11-2014].”

    Qual é a suposta agressão ou violência em dizer que alguém age de forma imprudente, precipitada,sem refletir o bastante? Esstes são, claramente, os significados cabíveis (qq um, exceto o #4).

    Santo nenhum deles é.

    Se fosse nos EUA, se Aécio nã poderia ser candidato, muito menos Dilma e Lula.

    Teríamos, assim, eleições certamente mais qualificadas, pois nenhum deles me agrada!

  41. Não bastasse a apertada

    Não bastasse a apertada margem pela quel se deu a vitória do PT, pela primeira vez o candidato derrotado não sai da disputa para o ostracismo. Pela primeira vez o candidato derrotado tem um mandato de Senador e a possibilidade de capitalizar seus votos fazendo oposição. 

    E está fazendo certo em posicionar-se como está fazendo. É assim em qualquer democracia.

    Alckmin é outro papo, Saiu da eleição como um dos maiores vencedores. Venceu no primeiro turno de maneira inconteste e tem um estado para governar.

    Agora, promover a cizânia na oposição pode ? Quando alguém escreve algum texto contra a unidade lulo-petista é quase um criminoso.

     

     

     

  42. Pura bobagem…Uma parte

    Pura bobagem…

    Uma parte minúscula da decisão sobre o candidato tucano daqui a quatro anos caberá a este ou aquele comportamento. Até lá com ou sem água muita coisa ocorrerá debaixo da ponte.

    Principalmente, não o modo que os tucanos se comportam, mas o modo que o governo resolverá a questão econômica e a derrocada do modelo assistencialista.

    Dependendo dos resultados podem colocar até o Serra candidato novamente que vencerão as eleições esteja do outro lado o Papa, o Santo ou o Lula.

    .

    Outro fator desconsiderado embora salte aos olhos é a concentração de forças políticas e econômicas em São Paulo e um tanto menos no Rio.

    Os tucanos tem organicidade nacional com a cabeça do planejamento em São Paulo e isso é quase o que mais importa (somente não importa mais porque, justamente, a falência do modelo assistencialista conta mais).

    Do mesmíssimo jeito com o PT. Um é do FHC e o outro é do Lula. De um saiu agora a indicação do Aécio e do outro saiu antes a Dilma. Ou por acaso houve a relização de prévieas?

    Então, a tese do tomar as rédeas do partido mediante comportamento “adequado” é o mesmo que pedir ao príncipe que governe o castelo do lao de fora de suas muralhas.

    Não é difícil entender isso, posso dizer inclusive sobre a legislação partidária e a obrigatoriedade nacional. Ou seja, organizam-se assim porque em determinado momento não se permitiu partidos regionais no país.

    Nada contra os paulistas, portanto, mas tudo contra a concentração injusta de poder numa federação de enormes proporções.

    .

    E o Aécio não será jamais considerado sequer um notável homem público porque não tem cabedal de conhecimentos em administração, orienta-se por elevados padrões morais ou destrezas acmuladas ao longo de sua carreira. 

     

  43. A quem interessar possa: a

    A quem interessar possa: a oposição política não se credencia, não ganha valoração, apenas pelo número de votos que recebe no pleito no qual foi derrotado. Essa desculpa de Aécio Neves, ou de quem quer que seja, de que vai partir para uma oposição virulenta, ou nas palavras do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, “sem tréguas”, é, na melhor das hipóteses, um enorme equívoco com relação ao entendimento do verdadeiro espírito da democracia, ou na pior(o que parece ser o caso), a emanação de uma irresponsabilidade em forma de exortações mais próprias para grêmios estudantis. 

    Um dos princípios mais rasos da democracia é o que prevê a assunção ao Poder daquele(a)s que obtiveram a maioria(não interessa o “delta”) dos escrutínios. Por consequência, aos perdedores resta, não as batatas, mas a opção de se compor com a maioria, o que não seria conveniente, ou então – o saudável – ir para a oposição. A partir desse momento, não há mais vencedores nem vencidos, mas “ex”, considerando que o pleito terminou,  e sim, os que governarão  para TODOS os compatriotas e os que farão oposição(fiscalização, cobranças, proporão alternativas etc).

    Assim, é pura estultice, quando não apenas o interesse mesquinho de permancer em evidência visando já a próxima eleição, o derrotado que apela para tal tipo de retórica vazia. Sem esquecer que o processo político é dinâmico enquanto as eleições são estáticas; refletem  momentos de reflexão e tendências do eleitorado. 

    Ao apelar para discursos do gênero, quem o faz deprecia o processo democrático e ao cabo e ao final prejudica o país. 

     

     

     

     

    • AHAHAHAHHAHAHA

      Que coisa mais patética. Pueril. Infantil mesmo.

      No mundo inteiro, em qualquer democracia quem perde é oposição e representa uma parcela da população, medida sim, pelos votos que recebeu.

      Já ouviu falar em Shadow Cabinet ?  Existe em qualquer lugar do mundo e são formados para deixar sim a oposição em evidência. Uma evidência que é muito saudável para a democracia.

      E no Brasil quem fez isso foi o Lula com seu governo paralelo ou gabinete paralelo em 1990.

      Agora, se for para falar de oposição virulenta mesmo, vamos falar da greve dos petroleiros patrocinada pelo PT em 1995 para parar o país, inviabilizar o governo FHC e o plano de estabilização econômica.

      Vou te contar viu, é cada um que aparece querendo dar aula de moral e civismo por aqui.

      Faz o seguinte, acaba com o congresso e vamos fundar a democracia do catch-all. Piada isso aí.

      • Primeiro: me trate com o

        Primeiro: me trate com o mesmo respeito que te tratei. Segundo: não sou “cada um que aparece por aqui”. Há quase dez anos leio e comento neste espaço(antes blog, agora portal). Agora tu……tu…….quem és mesmo? Vou te ajudar a te auto-conhecer. 

        Terceiro: és um típico representante do que conceituo como “ignorante esclarecido”: tem alguma educação formal, talvez até alguma “pós”, certa cultura geral e de certa maneira contextualizado. Essa é a parte “boa”. A ruim, a da ignorância, é que contrapõe a esse conhecimento, parco, pouco profundo, mas conhecimento, uma ignorância(no sentido de rudeza, grosseria) assimilada das fontes de onde sorve visões e conceituações impregnadas do radicalismo mais tosco. Uma suma: um lídimo leitor/seguidor de um Reinaldo Azevedo, Olavo de Carvalho e por aí vai.

        Em momento algum no meu comentário deixei entrever que a oposição não representa aquela parcela do eleitorado que foi derrotada. Frisei, e repito, que quem ganhou a eleição também governa para oTODO; inclusive esse naco derrotado. Besteira, e muita, esse negócio de “governo paralelo”. Isso não tem fundamentação política nem prática. O PT usou? E daí? Sou obrigado a festejar só por cauda disso? 

        O que preconizo é uma oposição responsável, republicana e honesta. Mais: deve ser também dura, desde que não ultrapasse o limite da civilidade e da racionalidade. Princípios que passam ao largo da atual. 

        Por fim um conselho: deixe de ser pedante, metido a besta. Usar expressões em outra língua não vai fortalecer teus argumentos para torná-los mais críveis. 

  44. Lembranças de 2010

    Lembro-me de ter lido, em 2010, que se o candidato do PSDB tivesse sido Aécio em vez de Serra, a petista decerto teria encontrado mais dificuldades  para vencer.

    Indesculpavelmente não me lembro do analista, mas seu argumento era de que Aécio teria muitas facilidades para incorporar a personagem “pós-Lula”, que era o oposicionismo que o Brasil aceitaria naquela época, diferente do tipo de oposição estúpida proposta por Serra.

    Na época me pareceu uma leitura acertada.

    O problema é que os candidatos são, no mais das vezes, engolfados pelas circunstâncias.

    Se não estou enganado, o próprio Serra quis bancar um pós-Lula ainda na pré-campanha, mas, ao que parece, foi empurrado para uma oposição mais selvagem – não sei se pela mídia, ou pelos correligionários ou por simpatizantes.

    Seja o que tenha acontecido neste 2014, mas ao que parece Aécio gostou de ser um Serra piorado.

  45. Que desânimo!

    É de doer o Alckmin ser o melhor nome do PSDB atual. Falta água em São Paulo e ele não fez nada para mudar isso. Não da para saber o que vai acontecer em 2018. Certeza eu tenho que se Lula sair candidato será muito difícil ganhar dele, porque a um desânimo terrível no Brasil hoje, o ex-presidente parece o único capaz de mudar isso. Mas no geral todos tem chances de vencer, até o Alckmin. E dele desânimo!

  46. Vc como eleitor do PT que não
    Vc como eleitor do PT que não entendeu nada. Quem não aguenta mais esse governo ( + de 51M de pessoas) querem oposição forte sim. Oposição que faltou nos ultimos anos e que deixou esse país quase destruido.

  47. Levianas

    Nassif, não pague esse mico. Temos à disposição o vídeo doLula chamando o Alckmin de “leviano” trocentas vezes em debate.

    Só pq em algum livro do Jorge Amado podemos ler que nos confins de sei lá onde “leviana” é sinônimo de prostituta não quer dizer que a palavra não possa ser usada no contexto usual da língua quando uma mulher estiver sendo… leviana.

  48. Sobre Aécio

    Aqui em Minas, o Aécio  tem uma fama bastante incompatível  com a pretensão que ele tem, que é o de ser o líder da oposição. Além de ter sido muito agressivo com as candidatas mulheres na campanha presidencial, aqui em Minas ele  tem fama de farrista e coisas mais. Quando governador,  ele controlou a imprensa mineira para não publicar críticas ao seu governo, fez acordos financeiros ilegais para maquiar as contas do estado,  desviou dinheiro da saúde, superfaturou obras. A sua maior obra foi construir um centro admnistrativo suntuoso,  apelidado de BRASILINHA DO AÉCIO, uma obra desnecessária, superfaturada, feita numa várzea, correndo riscos de desmoronar tal como ele tá construindo sua megalomania de líder super-herói e que pode cair. Além disso, ele e seu sucessor deixou o estado quebrado, com uma dívida gigantesca, usou de uma pesquisa suspeita quando disse quue seu governo teve aprovação de 92% dos mineiros. Nenhum professor, funcionário público, petistas, agraciados pelos programas da Dilma votaram nele. E quem o conhece também não votou. Ele só conseguiu ir para o 2o turno, porque teve uma excelente capacidade de se sair bem nos debates e encampar a idéia que faria um governo que iria acabar com a corrupção, mas neste quesito todos que votaram nele erraram. 

    POSTURA VIOLENTA NÃO COMBINA COM LIDERANÇA NO BRASIL!  Pelo menos na liderança que o Brasil precisa para avançar. Ele o FHC está cultivando uma imagem negativa que está prejudicando o Brasil e as expectativas dos empresários brasileiros. Se continuarem nesta postura, acabarão lquebrando mesmo o Brasil

  49. Por essas e outras boquinha
    Por essas e outras boquinha no Congresso é comparado como viver no paraíso sem morrer. Dilma foi dito não está familiarizada com as regras de boa convivencia dos congressistas. Estratégia de bandido é sair gritando primeiro para confundir todo mundo. Na tribuna pra subir audiência pode desce o nível, tem prerrogativas. Fato registrado as pesquisas, exceto aquela explicada sem querer fajutar, até véspera não indicava sobrevida para a dupla do PSDB, Mas eis que inexplicavelmente passaram pernada na Marina,  em tempo, somente por obra divina, tal como o fatal acidente de avião. Plim, plim, converteu a mosquitinho sangue-suga. Mas no final  faltou obra divina para  faturar a peleja, então nada de senadorizar a bem do Brasil, uai levantar cedo não é a praia deles, xi, não tem praia em Brasília,  com esforço e bem remunerados tem 4 anos pra palanques mais tribunas tirinho de espingarda,  terceiro, quarto, quinto… até ter eleição chegar pra valer,

     

  50. Precisava alguém que

    Precisava alguém que observando de longe pudesse fazer análise tão precisa do quadro de selvageria e guerra quase que declarada ao povo. A mídia oficial que tantas programas possuem: rádio, televisão – principalmente televisão, nos bombardeiam com o dito que a campanha de um, no caso do partido do governo, foi selvagem e agressiva. Não vi nada de boazinha, educada, esclarecedora do outro lado. Pelo contrário, acho até que a agressividade começou pela direita. Quanto a corrupção que nos assola, ela sempre existiu, só que ela não vinha à tona e se por um acaso a corrupção quisesse colocar um pouquinho a cabeça do lado de fora, logo lhe decepavam a vontade com os arquivamentos. Acho que a parte do povo que sempre ficou de fora deu o seu recado. Claro que existe a outra parte que também precisa ser beneficiada.

    Ai está uma boa oportunidade para o governo e os políticos do congresso analise as eleições e mais ainda o seu povo e assumam de vez a tarefa de resolver nossas aspirações.  

  51. Derrota eleitoral do Aécio

    Tenho idade suficiente,pois,tive a oportunidade de viver os momentos dificeis das décadas de 60,70,80,existia uma 

    esperança desconfiada ,veio a constituição,esperança renovada,cheia de otimismo,vieram os tempos da democracia,

    mais esperança,ajustes na economia anos 90 Collor,condenado , depois absolvido pelo SUPREMO,FHC,novas tenta-

    tivas,resultados minusculos para a população,LULA , euforia total,mais esperança,o BRASIL respondeu,produziu,expor-

    tou,arrecadou como nunca,de novo esperança,otimismo e nada,entramos na era do eu não sabia eu não via e nem tão

    pouco ouvia,chegamos a Presidencia exercida históricamente por uma mulher,o primeiro tempo foi desastroso.Aí vem

    o segundo tempo, o resultado das eleições ,reconduzem a PRESIDENTE  DILMA ao poder,não entendi nada,começam

    as descobertas e escandalos envolvendo a maior empresa brasileira,surjem denuncias contra outros organismos go-

    vernamentais,BNDES etc…,aí eu entendi ,aPRESIDENTE DILMA ,precisava desta oportunidade para abrir todas as caixas pretas e passar a limpo um PAÍS que não tem culpa e um povo que também não tem e demonstrou nas urnas

    toda confiança que deposita na PRESIDENTE,nossa nação não se importa com partidos,direita,esquerda,centro, só

    siglas  não resolvem nada ,basta de utopia,PRESIDENTE mostre que sua luta do passado era por PATRIOTISMO não

    um impulso de juventude e tenha independencia e mostre ao mundo que o BRASIL é o PAÍS do FUTURO ou de ao

    AÉCIO amaior vitória da vida dele.   BOA SORTE     viva o BRASIL.     

     

  52. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome