Agência Xeque: o fakenews da privatização da Eletrobras

A economia é a maior fonte geradora de fakenews.

A jogada é simples. Como o cidadão comum não tem muita noção de valores, de proporção, montam-se jogadas em cima de números irrelevantes, visando preparar as grandes tacadas para os espertos.

É o caso da tentativa de privatização da Eletrobras.

Apenas o valor físico da capacidade de geração da Eletrobrás pode chegar a R$ 350 bilhões. Somando-se o custo imaterial das concessões, se chegaria aos R$ 700 bilhões. Empresas elétricas nacionais, de países de parque elétrico muito menor, como Espanha, Portugal e França, valem esse valor, conforme pode-se conferir no Xadrez da venda da Eletrobras.

A Eletrobras é empresa-chave para a segurança energética brasileira, pelo fato de ser grande geradora de energia barata, pois que proveniente de hidrelétricas já amortizadas.

No entanto, seu controle está sendo colocado a venda por R$ 12 bilhões. Chegou-se a esse valor através de uma manipulação, levando em conta apenas o valor contábil da empresa.

Nenhuma empresa é vendida por seu valor contábil, mas pelo seu fluxo futuro de resultados. O fluxo de resultados da Eletrobras é em cima de energia barata, vendida em contratos para as distribuidoras.

O que os espertos pretendem é simples:

  1. Vende o controle por uma ninharia.
  2. No momento seguinte, descontrata-se a energia. Ou seja, em vez de entregar a energia para distribuidoras, em contratos de longo prazo, permite-se que a energia seja colocada no mercado à vista.
  3. Esse movimento produzirá dois desastres no setor. O primeiro, a explosão das tarifas. O segundo, a explosão no mercado de energia livre, já que a Eletrobrás exerce um papel regulador e moderador de tarifas.
  4. Lucros astronômicos não apenas para quem comprar, mas para os sócios privados atuais: grupo Jabbur e 3G, de Jorge Paulo Lehman. Sem investir um centavo, o valor de sua participação se multiplicará por dezenas de vezes.
Leia também:  Entenda como a privatização dos Correios vai afetar a sua vida

Explicamos várias vezes que uma das formas mais utilizadas de fakenews são as informações econômicas descontextualizadas.

Tome-se o caso de Mansueto de Almeida, Secretário do Tesouro Nacional.

Incluiu no Projeto de Lei Orçamentária os R$ 12 bilhões da venda do controle da Eletrobras. E, agora, diz que se a Eletrobras não for vendida, o governo terá que retirar o dinheiro de outras áreas. E, portanto, |quem paga é a população|, como afirmou o inefável João Amoedo, em seu Twitter.

Vamos, primeiro, às informações sobre valores.

Para o próximo ano, há uma previsão de receita fiscal da ordem de R$ 3,4 trilhões de reais. Vamos comparar os dois valores da maneira correta:

A comparação não está muito clara? Vamos transformá-la em gráfico:

Ou seja, vende-se um patrimônio público dezenas de vezes mais valioso, cria-se um quadro de aumento expressivo das tarifas de energia (bancado por todos os consumidores), em troca de uma receita correspondente a 0,35% do orçamento previsto.

O segundo fakenews é a história de que a União terá que investir na Eletrobras. Trata-se de um sofisma recorrente, que pode ser manifestação de ignorância ou de má-fé. Amoedo não é ignorante em matéria financeira.

  1. O setor privado vai investir se houver retorno do investimento.
  2. Havendo retornou, há várias maneiras da Eletrobras conseguir se financiar no mercado. A forma mais usual de financiamento de investimentos de longo prazo é estimar o fluxo de resultados futuros e converter em títulos que são vendidos no mercado.
  3. Ao sugerir que o investimento na Eletrobras será retirado do orçamento público, Amoedo mostra ter tanto conhecimento do orçamento público quanto seu colega Paulo Guedes. São valores que não se misturam.

10 comentários

  1. Não se pode acusar Paulo
    Não se pode acusar Paulo Guedes e Amoedo de ignorância. São Picaretas!! Vão assaltar o País, a Eletrobras, vão ganhar milhões, bilhões com jogadas. O País vai pagar o preço, infelizmente não serão só os Bolsoidiotas que pagarão 3x mais caro pela mesma energia, mas todos… Mas infelizmente é essa corrupção que nosso hipócrita país gosta , a “corrupção santa”, o assalto do mercado e dos empresários.
    Deus nos livre de tanta ignorancia….
    PS: Qdo me refiro a Deus, refiro-me a essa Entidade toda Amor e Perdão, de Tolerância e acolhimento, de Sabedoria infinita, a Essência do TODO, o SAGRADO, e não a essa entidade sócia de Belzebu a que o Bozo, Magno Malta muitos bolsominions cultuam: essa do Ódio, da ânsia de Poder, do amor ao dinheiro, das Armas, da intolerância, da perseguição e condenacão ao semelhante, do culto a ignorância e a hipócrisia, do nós contra eles!

    • Caro Hermes
      O pior, o mais

      Caro Hermes

      O pior, o mais sem vergonha e sem caráter é JP Lemann, que age nas sombras; manipulando, mentindo  e corrompendo (quantos “jornalistas econômicos” devem haver na folha de pagamento dele?). Depois de destruir marcas clássicas de cerveja nacional, fechar fábricas, desempregar pessoas (e arruinar famílias), acabar com a Heinz nos EUA; agora essa criatura o Maligno quer por suas mãos na energia elétrica brasileira 

  2. Eles querem vender a

    Eles querem vender a Eletrobras (ou o que quer que seja), simplesmente pela “comissao perpetua” que uns poucos espertos terao para o resto de suas miseraveis vidas. O dinheiro que vai rolar por baixo dos panos (talvez pra sempre) e o que existe na mira deles.

    Afinal, houve um golpe – ou alguem acredita que o Brasil segue seu curso normal? – e esse golpe e pra satisfazer/tapear os otarios e os que investiram no golpe.

  3. Igual a privataria da telebras

    Que o PT teve a chance de desfazer e NAO FEZ

    E o Brasil segue mudando para ficar do mesmo jeito…

  4. Quadrilha


    Trata-se de uma quadrilha internacional de especuladores, ansiosos por meter a mão no nosso patrimônio público. No caso da Eletrobrás, cujo patrimônio não fica por menos de 400 bilhões de reais, agentes do Estado pretendem entregá-la por irrisórios 12 bilhões.. São usinas predominantemente hidrelétricas de todos os portes e sistema de linhas de transmissão de alta e extra-alta tensão, em operação e rendendo faturamento de bilhões de reais. O sistema Eletrobrás garante a segurança energética do nosso país. É pura e simplesmente  um crime de lesa pátria, talvez o maior de nossa história, a privatização da empresa e suas controladas. E os agentes responsáveis ficarão impunes? Muito estranho o silêncio sepulcral do MPF e da PGR.

  5. E esse roubo de um setor

    E esse roubo de um setor estratégico fundamental do país se fará debaixo das botas dos militares. Se isso de fato se concluir, o Brasil terá uma jabutica incrível = militar entreguista. Aí é pra fechar tudo mesmo. 

  6. Bingo. Explica-se o

    Bingo. Explica-se o afastamento do general Oswaldo Ferreira do governo Bolsonaro.

    A venda da Eletrobrás, já prevista em orçamento, bate de frente com a posição do general Oswaldo Ferreira de preservar empresas estratégicas para o país. E foi ele o general que fez o meio de campo para o apoio dos militares a campanha do Bolsonaro a presidência.

    O duro é que se eu falar “bem feito para todos” apanho também porque com a energia 3 vezes mais cara a minha empresa fecha. Eu gasto entre 4 e 5 mil reais por mês de energia. E se pagar o dobro disso a empresa não sobrevive. Tenho 5 funcionários que irão para a fila do desemprego, e eu também, enquanto Lemman estará na lista dos mais ricos do mundo.

    Enquanto isso a central dos evangélicos já passou a todos os pastores do país a explicação da saida dos cubanos: o Brasil estava para ser tomado pelo comunismo, os médicos eram espiões de Cuba. Ouvi isso ontem de um pastor. Pelo menos metade da população brasileira esta sendo manipulada pelo Grande Irmão do Orwell.

    MEDO.

    • MEDO

      “Pelo menos metade da população brasileira esta sendo manipulada…”

      Parece uma cena muito intrincada, cuja compreensão exigiria bastante informação qualificada, num momento em que verdades recebem o tratamento de fakenews, o que interdita o diálogo e debate sobre a falsa realidade a que se vêem condenadas as pessoas. A palavra manipulação chega a perder sentido, quando as verdades não podem ser referidas e somos obrigadxs a pisar um solo de inverdades sedimentadas. O caso Snowden, por exemplo:

      [video:https://youtu.be/OPLINR4P4eg%5D

  7. Além disso o empresário que

    Além disso o empresário que adquirir a Eletrobrás não terá concorrente (não se pode optar por comprar fornecimento de energia elétrica desta ou daquela firmas) e uma eventual agência reguladora será administrada por um outro empresário ou por algum preposto da iniciativa privada que, por sua vez, vai elaborar planilhas e power points tentando justificar preços abusivos e má qualidade do produto/serviço entregue. A “embalagem”, no entanto, será bonita, tanto quanto a propaganda comercial.

    O sofrimento decorrente da impotência ante o poder econômico pode se transformar em algo bom se a gente aprender a nunca mais votar em privatista e nunca mais deixar de cuidar do que é público.

    (***)

    Talvez seja melhor um truculentoestúpido como Bolsonaro, Mourão, Moro e aliados do que um refinado esperto como Alckmin, Amoedo, Paulo Skaf e que-tais. O assalto ao produto do trabalho das pessoas será o mesmo, ou seja, vai todo mundo empobecer para que poucos ganhem mais dinheiro. Mas truculentos anunciam suas truculências enquanto refinados as escondem. Com estúpidos pelo menos a gente tem clareza de que deve resistir e contra o que; com refinados muita gente sente afinidade e admiração, se deixa aliciar e seduzir.

  8. chocado mas não surpreso.

    Não entendo nada sobre energia mas uma coisa já aprendi:

    Nenhum pais soberano entrega o seu parque energetico a estrangeiros ( ou nacionais, que são testas de ferro dos mesmos).

    Vejamos o caso dos insuspeitos, EUA, Alemanha, França e por ai vai… 

    Não só vamos pagar mais caro como não termos nenhuma influência sobre o mesmo. E não me venham falar de “agencia reguladora” que nada regula.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome