As perdas das exportações na década perdida, por Luis Nassif 

Em relação aos 12 meses acumulados até julho de 2012, os 12 meses até julho de 2022 acumularam uma queda de 38,1% no valor das exportações.

Leve-se em conta que em 2012 estava-se em um boom das commodities, embora atualmente ocorre fenômeno semelhante devido à guerra da Ucrânia. Mesmo assim, as grandes quedas não pouparam produtos industrializados.

Compare os dados abaixo.

Em relação aos 12 meses acumulados até julho de 2012, os 12 meses até julho de 2022 acumularam uma queda de 38,1% no valor das exportações.

A queda maior, catastrófica, foi no ítem Fabricação de Veículos Automotores, com uma queda de 65,7%. O mesmo ocorreu com Fabricação de Peças e Acessórios para Veículos automotores, com queda de 45,6% e com fabricação de pneus e tubos, com queda de 26,6%.

Salvaram-se Fabricação de Metais Preciosos (+32%), Fabricação de polpa, papel e cartão (+25,6%) e Fabricação de outros produtos metálicos (+41,6%).

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

José de Almeida Bispo

- 2022-08-06 22:54:24

Mas a nobreza das cinzas(reis, príncipes, condes, barões e marqueses de monte de cinza), em sua maioria permanece imóvel quanto à estupidez que patrocinaram com ápice 6 anos atrás, mesmo sentindo no órgão onde mais dói. Morrem teso, mas sem perder a elegância.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador