As vitórias pouco divulgadas do Brasil

O pessimismo geral do país é um caso clássico de esquizofrenia, alimentado por uma mídia do eixo Rio-São Paulo que perdeu a noção da notícia.

Durante dois anos, martelaram diariamente atrasos em obras da Copa, realçaram detalhes de obras inacabadas, uma campanha diuturna sobre a suposta incapacidade do país em se preparar para a Copa – como se depreciando a engenharia brasileira, os grupos privados envolvidos com as obras, os governos estaduais corresponsáveis pelo processo, a criação do clima de derrotismo se abatesse exclusivamente sobre o governo Dilma Rousseff.

À medida que a Copa se aproxima, que os tapumes das obras são retirados, os usuários descobrem aeroportos de primeiro mundo, arenas esportivas de qualidade invejável, novas estatísticas mostrando o potencial financeiro do jogos.

E os jornais passam a se dar conta que a Copa será a maior vitrine do país em toda sua história, com os 14 mil correspondentes, os recordes de visitantes e da audiência esperada para o televisionamento dos jogos.

Por esse sentimento permanente de baixa autoestima, provavelmente não se dará o devido valor a um feito extraordinariamente superior ao de abrigar a maior Copa do mundo da história (na opinião da Fifa): o atingimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, comprovando que o Brasil entrou em um novo estágio civilizatório.

***

O conceito de Metas do Milênio nasceu em 2000, quando líderes mundiais acertaram uma agenda mínima global de compromissos  pela promoção da dignidade humana e de combate à pobreza, à fome, às desigualdades de gênero, às doenças transmissíveis e evitáveis, à destruição do meio ambiente e às condições precárias de vida.

Leia também:  O que falta para Bolsonaro renunciar, por Álvaro Miranda

***

Conforme os dados do 5º Relatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, com quatro anos de antecedência, o país conseguiu alcançar a meta de redução de dois terços a mortalidade infantil, que caiu de 53,7 mortes por mil nascidos vivos em 1990, para 17,7 em 2011.

No saneamento, em 1990 70% da população tinham acesso à agua e 53% à rede de esgotos ou fossa séptica. Em 2012, os indicadores saltaram para 85,5% e 77% respectivamente.

***

Outro indicador, o da redução da pobreza extrema, caiu para 3,5% da população, próxima à meta de 3%.

Segundo o Ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos Marcelo Nery, um dos principais fatores foi a formalização do mercado de trabalho. No período 2002-2005, a formalização girou em torno de 46% da população ocupada. Em 2012 alcançou 58%.

Entre os ocupados a pobreza extrema é de 1,3%; entre os ocupados com carteira de trabalho, de 0,1%.

***

Em que pese os avanços que ainda faltam na qualidade do ensino, a taxa de escolarização no ensino fundamental, para crianças de 7 a 14 anos, está próxima de 100%; assim como a taxa de alfabetização de jovens de 15 a 24 anos.

Apesar do analfabetismo funcional, os estudantes de 9 a 17 cursando a série adequada à sua idade saltaram de 50,3% para 79,6%. Parte do avanço foi devido a distorções, como a aprovação automática.

140 comentários

  1. Franceses quebram recorde no número de visitantes para a Copa

     

    http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/numero-de-torcedores-franceses-que-vai-para-a-copa-no-brasil-e-recorde/

    Número de torcedores franceses que vai para a Copa no Brasil é recorde

    Postado em 22 de maio de 2014 às 11:18 pminShare

     

    Contagem regressiva para a Copa no Brasil. Mas, a julgar pelos jornais franceses, a poucos dias do pontapé inicial, o clima entre os torcedores franceses e os torcedores brasileiros é bem diferente.

    Segundo o jornal Aujourd’hui en France, a empolgação dos franceses com a Copa do Mundo é histórica. Nunca um número tão grande se deslocou para um torneio de futebol que acontece a 10 mil quilômetros do país. Na África do Sul, 6 mil franceses viajaram para a Copa. No Mundial do Japão e da Coreia do Sul, foram 8 mil. E agora, para o Brasil, eles serão 17 mil – um recorde.

    Agências que fizeram pacotes específicos para a Copa comemoram o sucesso. Um pacote com 5 diárias de hotel, passagem e ingresso custa, em média, € 2.900 (cerca de R$ 9.000). E, segundo profissionais de turismo, eles foram vendidos rapidamente.

    O primeiro motivo para tanto entusiasmo dos franceses é o “fator Brasil”. O país continua a ser uma viagem dos sonhos para muitos franceses. O outro é a organização da Federação Francesa de Futebol que promete dar “todo apoio” aos torcedores franceses e não deixá-los abandonados. Para isso, a entidade vai construir nas cidades onde na França vai jogar “a casa azul”, um lounge para beber uns drinques, ver os jogos e torcer. E o melhor: a entrada nesses locais é gratuita.

    Já para o jornal econômico Les Echos: “Em São Paulo, a Copa tem um gosto amargo”. Esse é o título de uma reportagem que aparece com destaque na primeira página. Thierry Ogier, correspondente do jornal no Brasil, acompanhou as últimas manifestações em São Paulo e tenta fazer um balanço do clima social no país. Para o jornalista, a três semanas do começo do Mundial, a tensão social não perde força. Ao contrário, as manifestações têm um tom cada vez mais político e colocam a presidente Dilma Rousseff sob pressão.

    Na avaliação do diário, é emblemático o ativismo do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), que elegeu a construção da Arena Corinthians como símbolo do desperdício de dinheiro público. O palco da abertura da Copa custou R$ 1,2 bilhão. “Com esse dinheiro, dava pra construir casas para todos aqui”, diz um dos líderes do movimento ao jornal.

    As obras para a Copa do Mundo, que deveriam deixar um legado de boas infraestruturas para os brasileiros, também são questionáveis. A modernização de vários os aeroportos, como o de Viracopos, em São Paulo, por exemplo, está longe de ser concluída.

    Diante de tudo isso, a sorte está lançada. Será que os brasileiros vão se empolgar nessa reta final da Copa? Essa é a pergunta feita pelo jornal. Les Echos conclui que a “febre da Copa” começa a se espalhar pelo Brasil.

    Saiba Mais: rfi

     

  2. Excelente

    Como vem sendo debatido aqui no blog a grande mídia se tornou um partido político, fato confirmado pela declaração de Maria Judith Brito, presidente da Associação Nacional de Jornais (ANJ) e executiva do grupo Folha de S.Paulo:

    “A liberdade de imprensa é um bem maior que não deve ser limitado. A esse direito geral, o contraponto é sempre a questão da responsabilidade dos meios de comunicação e, obviamente, esses meios de comunicação estão fazendo de fato a posição oposicionista deste país, já que a oposição está profundamente fragilizada. E esse papel de oposição, de investigação, sem dúvida nenhuma incomoda sobremaneira o governo.”

    O que ocorre com a grande mídia ao elaborar as suas matérias na base do pessimismo geral abordado por Nassif em seu artigo “As vitórias pouco divulgadas do Brasil” é o mesmo observado nas campanhas dos políticos que concorrem ao cargo de Presidente da República.

    Trata- se de campanha política, e na impossibilidade real de apresentarem as suas propostas para o Brasil, dada a impopularidade delas, partem para a omissão das realizações,  ataques e tentativa de destruição de tudo o que está sendo realizado pelos governos Lula/Dilma.

    Sim, as propostas que os candidatos Campos e Aécio defendem são as mesmas vistas diariamente nas matérias da mídia tradicional.

    O que lê e se ouve nos jornais e TVs são propagandas dos princípios implícitos nos axiomas como “eficiência dos mercados”, “austeridade”, “Privatização”, “disciplina de mercado”, “redução de despesas públicas”, “menos estado”; nitidamente de cunho neoliberal.

    Mas, como defender de forma clara e honesta uma política que tem levado milhões ao desemprego na Europa atual contra as realizações de aumento de salário mínimo e gastos públicos com o social dos últimos governos que tirou da pobreza  40 milhões de pessoas desde 2003?

    Como negar que a política, contrária ao neoliberalismo que defendem, de Estado forte como agente indutor e regulamentador da saúde social, política e econômica do país, realizando gastos com o social, geração de emprego, e com  bancos públicos e empresas nacionais fortes conseguiu tirar o Brasil da miséria e alcançar avanços há muito tempo não vistos?

    Essa é uma das grandes dificuldades que a mídia tradicional, Campos e Aécio encontram, em outras palavras,  como definir um projeto político mais sedutor que as políticas dos governos do PT?

    Não tendo alternativas para criticar a política do governo e apresentar as soluções é que partem para a omissão das realizações, aos ataques e tentativa de destruição de tudo o que está sendo realizado pelos governos Lula/Dilma.

  3. Relativizando um pouco a educação

    Nassif, sem dúvida nenhuma os avanços devem ser celebrados, sobretudo para se contrapor ao pesimismo generalizado amplamente difundido pela grande imprensa. Os avanços nos indicadores de mortalidade infantil, saneamento básico e pobreza extrema devem ser saudados como grandes vitórias e passos importantes rumo a um estágio mais humano e digno para a maioria da população.

    Entretanto, cabe relativizar os ganhos na área educacional, onde infelizmente o foco tem sido colocado na quantidade em detrimento da qualidade. O nível do ensino fundamental e médio em regra geral é muito baixo ; como você bem mencionou no caso do ensino médio, a aprovação automática tem provocado distorções importantes nos indicadores, que não refletem a nossa realidade. Isso se tornará um freio gigantesco para o progresso daqui para frente: a educação é o que garante o futuro do país, seja em termos econômicos ou políticos. E nesse quesito continuamos muito mal colocados.

  4. Curto e claro

    Muito bom o artigo do Nassif e abre espaço para essa questão de fundo, a clássica teoria da metade vazia do copo. O PIG está gerando meios noticiosos para ávida leitura de gatunos brasileiros em Miami. Já era para ter edição em “ingrés”, Será que tem?

  5. As mentiras divulgadas, as

    As mentiras divulgadas, as frustradas chamadas para as últimas manifestações de rua contra a copa, e o resultado da pesquisa do Datafolha que resultou em uma queda vertiginosa de apoio às mesmas obrigaram a mudança de abordagem feita pela grande mídia.

    Como negar os resultados obtidos pela pactuação das Metas do Milênio?

    Como refutar os dados da redução da pobreza, do aumento da escolaridade, da mortalidade infantil, do avanço no saneamento?

    As mentiras ou omissões em tempos de internet são rapidamente desmascaradas…

    tais como a bolinha de José Serra.

  6. A hora da verdade para a

    A hora da verdade para a nossa grande Imprensa está chegando… Tudo bem que eles tem um público cativo grande, de cerca de 10 milhões de brasileiros ávidos por factóides e mentiras. Mas até a ficção enfrenta seu momento da verdade, que é a verossimilhança. Até onde eles irão com a ficção da Copa que eles criaram? 

    • Maria, penso eu que o ponto

      Maria, penso eu que o ponto de inflexão vai ser o primeiro gol da Canarinho… aí esses calhordas (dessa porca mídia e desses new-revoltadinhos que usam hugo boss e andam de cherokee) vão se tocar e guardar o rabinho entre as pernas… a explosão de alegria vai ser tão grande e asfixiante que esses pulhas vão se tocar.

  7. .

    Eles não se dão conta de quanto esta copa no Brasil carrega em potencial economico, sobretudo considerando o país como uma força mundial em futebol. Em todos os países do mundo o evento está como assunto principal nas mídias locais. Mesmo empresas que não fazem parte do pool de patrocinadores oficiais da FIFA estão pegando o gancho e fazendo propagandas tendo como o tema o Brasil, sem mencionar o evento. Fazer uma copa de paz e alegria, uma grande festa é o maior crédito que o país pode receber do mundo. Com isso ganham todos, independente de posição ou interesses políticos, pois é um ganho sustentável que ajudará no futuro. O fato de futebol ser o esporte preferido no país e maior paixão do povo é apenas um detalhe para reforçar os motivos de união, de uma trégua pelo menos até meados de julho.

  8. Já virou fator de irritação

    Já virou fator de irritação para mim ouvir algo tão pretensioso como não vai ter Copa. Até mesmo blogueiros ditos esquerdistas dizem que a Copa é grande oportunidade para cobrar direitos. Isso é típico da esquerda infantil, que ainda se faz de rejeitadora incondicional do Capital e dá munição para a Direita criticá-la em qualquer tipo de ação posteriror envolvendo valores, quem não sabe do “brilhantes” slogam dado pelo menino maluquino econimistas: esquerda caviar. Esse tipo de combate contra o dragão do Capitalismo torna algumas pessoas mais insuportáveis do que os direitistas mais raivosos. Não se trata de não gostar de ganahar dinheiro, a FIFA tem todo o direito de ganhar dinheiro gente. É um evento capitalista e o lucro é o norte. Não há o porque do espanto.

    Como o Nassif lista no post, os benefícios da Copa são inegáveis para os que não fazem parte das alas extremitas da duas igrejas. O desepespero da velha mídia é incamuflável(essa palavra existe?), todos aqui estão carecas de saber disso. O que nos resta é que mais gente perceba e se toque quem está de fato contra o Brasil.

    • Pensando!

      “Até mesmo blogueiros ditos esquerdistas dizem que a Copa é grande oportunidade para cobrar direitos.”

      Realmente temos oportunidades de cobrar de cada estado suas responsabilidade perante a Federacao, o Brasil nao eh o Governo Central, sao as assembleias dos estados e o Congresso Nacional, quem sao seus senadores e deputados federais. Qual o vereador e deputado estadfual que voce voto?

  9. A verdade, nada mais que a verdade

    Nassif, estou enviando para muitas pessoas esta sua matéria. Ainda existem alguns jornalistas que fazem jornalismo e que falam a verdade neste país. Você, sem dúvida, é um deles. E não se trata de fazer propaganda política para este ou aquele partido, mas de mostrar  simplesmente a verdade. Mais uma vez, meus parabéns. Que você tenha longa vida.

     

     

     

  10. Uma das coisas que os jornais

    Uma das coisas que os jornais NAO estao falando eh a respeito da agua de SP.  Acabei de conferir estadao, oglobo, e folha.  NADA.

    • Talvez eu possa lhe dar uma

      Talvez eu possa lhe dar uma pista : nos bairros de classe média alta e altíssima de Sao Paulo a vida transcorre normalmente …a hora que faltar água nos Jardins, no Itaim Bibi e no Morumbi ( parte proxima ao palácio dos Bandeirantes, onde mora o governador), aí pode ser que saia alguma notinha de rodapé… 

  11. Do que sabemos, caberia ao

    Do que sabemos, caberia ao Governo Federal disponibilizar as verbas para a construção de estádios e aeroportos, bem como para as obras de infraestruturas, etc. Sobrava para os estados-sede cumprir os cronogramas, fazendo a sua parte. Se estamos vendo atrasos nessas obras, a responsabilidade maior recai sobre os governos estaduais, é claro. só não está claro para os que odeiam Dilma, e desejam que ela seja derrotada nas próximas eleições, tudo combinado com a imprensa maldita e os políticos que já estão em campanha se valendo de qualquer coisa para aparececerem e desconstruirem a imagem de Dilma. Nesse vale-tudo, surgem grupos formados para garantirem a baderna, como se estivessem, de fato, demonstrando algum sentimento de patriotismo, quando, em realidade, preparam-se para promover a desordem.

     

  12.  
    O Brasil tem um problema

     

    O Brasil tem um problema sério de gestão pública muito clara. Todos os Estados que atrasaram as obras tem culpa no cartório, mas faltou ao governo federal uma melhor coordenação disso tudo, lógico que tem a lei 8666 que é um saco, mas por que teve estados que cumpriram bem o planejado? Como o Estado de Minas, por exemplo. Penso que tenha faltado uma cobrança mais forte por parte do governo federal.  O país é rico, pagamos impostos altíssimos, mas os governos não conseguem entregar serviços de qualidade, esse é que é o problema.

    Saiu FHC, entrou Lula e agora a Dilma, e a qualidade da educação e saúde melhora a passos muito lentos, sem contar a violência que só aumenta a cada dia. O próximo governo, tem que parrtir pra resolver essas coisas de forma definitiva. Sediaremos uma Copa, mas com muitos problemas ainda por resolver.

    • Eh dos Estados

      Estas responsabilidades sao dos Estados e nada a ver com Governo Federal:

      Saiu FHC, entrou Lula e agora a Dilma, e a qualidade da educação e saúde melhora a passos muito lentos, sem contar a violência que só aumenta a cada dia.

      Quem sera seu futuro Governador?

    • Você deveria conhecer a Constituição brasileira.


      Caro Bruce, eu ia pedir pra vc. lê a resposta do João, postada abaixo, porem não me contive, e lá vai: Procure ler(e entender) a nossa Constituição, que reza o seguinte: É prerrogativa “exclusiva” dos Estados, a educação de ensino médio(assim como é obrigação dos municípios, o ensino básico) cabendo à União, o ensino profissionalizante, e o ensino superior, e este jamais teve tanto crescimento, quanto nos últimos 12 anos, concorda ?

      O mesmo aplica-se à saúde pública, e à segurança pública, que repito, são prerrogativas dos Estados, e a União, não pode, nem deve ingerir-se nesta questão, quando muito, pode ampliar o atendimento,investindo em parceria, nunca sosinha, pois isso seria uma intromissão inconstitucional.

      Temos um problema com os maus governadores, que não cumprem prazos nem entregam serviços de qualidade? Temos, e aí, quem resolve é o eleitor, e não o Presidente da República, que não pode colocar um interventor federal, afinal a ditadura já acabou. 

      • Raí, é verdade que a educação

        Raí, é verdade que a educação é de responsabilidade dos Estados e dos Municípios e não uma prerrogativa federal. Também é verdade que, com raras exceções, a competência dos eleitos nos Estados e Municípios está abaixo da crítica.

        Por isso acredito que a única solução passa por uma coordenação em nível federal das políticas educacionais. As grandes linhas, metas e critérios devem ser propostas pelo Governo Federal, deixando aos Estados e Municípios a implementação. Sem isso nunca conseguiremos avançar nesse ponto que é o mais crítico para o desenvolvimento sustentável do país.

        Acho uma pena o Governo não ter avançado nesse sentido.

        • Mas esta coordenação existe

          Mas esta coordenação existe !! Vc é um completo desinformado e/ou não entende nada de gestão pública num país federativo.

          Os Governos Lula, principalmente, e Dilma se esforçaram para estabelecer políticas nacionais em vários setores: educação e saneamento são duas delas, com metas e definição de responsabilidades.

          As metas existem, mas se elas não forem cumpridas por Estados e Municípios, o Governo federal vai fazer o que? Intervir ? Cortar recursos ?

          Fala aí, gênio !!

  13. O Governo não tem comunicação

    Além do partidarismo da grande imprensa, que já nos é conhecido há tempos, isso tudo revela uma grande falta de iniciativa do governo federal na área da comunicação! E’ fundamental realizar melhorias para a população, mas no jogo político e’ muito importante saber comunicar isso para o conjunto da nação.

    inclusive com relação ‘a copa do mundo, o governo deveria ter realizado uma grande campanha de comunicação, desde o início do ano, promovendo a copa, incentivando a participação e estimulando a prática de esportes nas escolas, nas praças, nas ruas e nos clubes!

    E o mesmo com relação ‘as olimpíadas, em que o grande legado poderia ser o de criar um clima favorável ‘a prática de esportes no Brasil! Imagina que maravilha se, além das obras e das medalhas conquistadas, o pais inteiro entrasse num clima de praticar esportes, o quanto isso se repercutiria na saúde de todos de um modo geral e na auto-estima do pais!

    E isso era algo que estava na mão do governo! Foi uma falta de visão lamentável que não consigo compreender!

     

  14. O Brasil continua devendo ao Brasil

    [[Outro indicador, o da redução da pobreza extrema, caiu para 3,5% da população, próxima à meta de 3%.]]

    Mudando-se os conceitos tudo se encaixa. O que seria pobreza extrema? A mesma farra de conceitos hibridos, fez com que quem ganha R$ 1.000,00 ascendesse, no Brasil, à classe “média”. Na minha cidade quem ganha R$ 1000,00 mora na favela, periferias ou guetos sociais. Sendo assim, caberia perguntar: O que é classe média?

    O Brasil continua, com efeito, precário em saúde, educação, transportes, distribuição de renda [bolsa família não vale], segurança pública etc. E mudança de conceito não muda isso.

    Sobretudo, essa será, segundo a FiFA, a maior copa do mundo: 1. É feita em um país com cerca de 200.000 de habitantes; 2. Futebol é o esporte mais popular do Brasil. No entanto, a melhor copa tem que ter a melhor organização e, sobretudo, o melhor custo benefício para todos.

    • Direto ao ponto

      Acredito que a pobreza extrema realmente diminuiu. O conceito é definido por uma renda inferior a US$ 1,25 por dia per capita, pouco mais de R$ 80 por mês. Esse indicador tem padrão definido pelo Banco Mundial e vale para o mundo inteiro.

      Agora achar que quem ganha R$ 1.000 por mês virou classe média, embora continue morando na favela ou no fim do fundo da periferia, é autoengano.

      Quanto à educação, como comentei mais abaixo, forçar os indicadores através de aprovação automática, sem contemplar a questão da qualidade da formação, é muito fácil.

      E não estou nem falando das questões de distribuição de renda nem de (in)segurança pública.

  15. Pode ser o óbvio, mas precisa

    Pode ser o óbvio, mas precisa ser relembrado: uma coisa é a crítica animada apenas pelo interesse comum ou comoção cívica. Outra bem diferente, é a oportunista-niilista que camulfla intenções outras, muitas inconfessáveis. 

    Um caso recente, esse da Petrobrás. A gana, a verve para cima dessa estatal pouco ou nada teve, ou tem, a ver com ela própria ou uma alegado combate a atos de corrupção. Subjacente estavam o utilitarismo econômico-financeiro e até mesmo os relacionados com a recorrente tentativa de enfraquecê-la enquanto estatal e assim abrir caminho para sua pivatização. 

    Em algum ponto entre o fosso, o enorme hiato que se forma entre essa corrente e a que apregoa e sustenta que está tudo bem e que nada precisa mudar, estará a sensatez, o bom-senso, o ponto de equilíbrio. 

  16. Parece que a tatica

    Parece que a tatica funcionou, sexta feira uma professora disse que estava com medo do futuro, medo do que eu não sei, não estamos em guerra não estamos com uma hiperinflação, não estamos com um desemprego galopante, as portas de uma copa do mundo, se preparando para realizar a proxima olimpiadas, qual é o medo eu não sei; o governo foi muito passivo, deveria fazer um programa diario para prestar contas da copa, das obras dos estadios, o Aldo Rebelo quando aparece na tv parece que esá “anestesiado”, não tem perfil para cuidar dos esportes, muito passivo, o governo fez tudo errado e a copa no Brasil perdeu o principal que é a expectativa da copa, o frisson que a antecede, sempre em todas as copas as tv mostram o que o país tem de melhor, aqui fizeram o contrario.

    • Discordo
      O Aldo Rebelo é o melhor ministro do Brasil. Sempre que o governo tá em apuros, ele é escalado, desde Severino Cavalcanti na presidência da Câmara, passando pelo Código Florestal e finalmente a Copa das Copas.
      O astral brasileiro já melhorou com a intensificação das campanhas publicitárias e isso certamente esvaziar o balão do pessimismo inflado pela mídia.

      • Mais um candidato a piada do ano

        Nem o petista mais fanático, nem a mulher do Aldo Rebelo deve achar que ele é o melhor ministro do Brasil

  17. Não sei de onde foram

    Não sei de onde foram extraídos esses dados de saneamento, mas eles são ESCANDALOSAMENTE mentirosos.

     

    http://www.unog.ch/80256EDD006B9C2E/(httpNewsByYear_en)/E48E62989912D5D3C1257C4700363476?OpenDocument

    UN EXPERT SAYS THAT NOBODY IN BRAZIL MUST BE LEFT BEHIND WHEN IT COMES TO WATER AND SANITATION20 December 2013

    Brasilia/Geneva (20 December 2013): The United Nations Special Rapporteur on the human right to safe drinking water and sanitation, Catarina de Albuquerque, today urged the Brazilian authorities at federal, state and local levels to give further priority to the poorest and most marginalized, “to ensure that inequalities in the country are progressively eliminated and all receive access to sanitation and water.” 

    “Nobody must be left behind,” Ms. de Albuquerque said at the end of her first official mission to Brazil to evaluate the improvements and challenges the country still faces in realizing the human rights to water and sanitation. 

    The expert welcomed Brazil’s significant progress regarding the realization of the right to water and sanitation. “PlanSab – the recently adopted National Water and Sanitation Plan – is an excellent document that will guide nation-wide action in the coming 20 years,” she said. “Moreover, the financial commitments to the sector, with 300 billion reais (150 billion USD) being allocated from the federal budget to the sector in the coming 20 years also very positively impressed me.” 

    “But Brazil is a country of contrasts,” the Special Rapporteur said. “I was shocked by the misery I saw and by the lack of access to sanitation and water by significant portions of the population. These are fundamentally people living in favelas or in rural areas.” 

    “The situation of people in favelas or informal settlements cannot be forgotten. And even though I acknowledge progress in this regard, the truth is that still millions of Brasilians live in deplorable conditions where access to sanitation and water is still only a distant dream.” 

    “Despite the positive examples of social participation in some social programmes, and government institutions, I was especially touched by my interaction with many Brasilians, who repeatedly – in the different regions I visited – told me that they still felt invisible and forgotten by public powers.” 

    Ms. de Albuquerque documented deep inequalities in access to water and sanitation among different regions in the country, where the Northern region is the most affected. While in Sorocaba (São Paulo) the rate of sewerage treatment is of 93.6 per cent, in Macapá (Amapá) is just 5.5 per cent.” 

    In the area of sanitation, the expert explained, “the low coverage does not match the advances of modern Brazil, where 52 per cent of the Brazilian population still doesn’t have sewage collection, and only 38 per cent of the sewage generated is treated.” 

    “The fact that Brazil still has almost 8 million people defecating daily in the open is unacceptable and an affront to human dignity,” Ms. de Albuquerque stressed. This lack of access to sanitation is particularly serious in the North, where less than 10 per cent of the population has sewage collection. 

    During her fact-finding mission, the Special Rapporteur received numerous complaints of people suffering from diarrhea and other water and sanitation-borne diseases due to the bad quality of water. 

    “Another concern of many people is the high value of the water and sanitation tariffs, especially in places where these services have been delegated to companies that are making significant profits,” she said. “People told me they felt suffocated by the high bills they have to pay.” 

    “I end my mission to Brazil with a sweet and sour feeling,” Ms. de Albuquerque noted. “Sweet, because of the progresses made, the vision the government has for the sector and public commitment to support the most vulnerable. Sour, because I remember the voices and faces of the many Brazilians I met and talked with over the past 10 days and for whom the human right to water and sanitation still is a distant reality and who still live in the shadows of a rapidly advancing society.” 

    “I believe, however, that Brazil is well positioned do make even more progress in realising the human right to water and sanitation, while giving priority to the most vulnerable, poor and marginalized populations,” the expert highlighted. 

    From 9 to 19 December, the independent expert visited Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza and Belém do Pará, where she met with federal and local authorities, civil society organizations and service providers. She also visited several rural areas and informal settlements, to get first-hand information regarding the outstanding challenges in the realization of this human right. 

    The Special Rapporteur will present a comprehensive report to a forthcoming session of the UN Human Rights Council, which will include her final findings and recommendations to the Government of Brazil. 

    Read the full end-of-mission statement: http://www.ohchr.org/EN/NewsEvents/Pages/DisplayNews.aspx?NewsID=14127&LangID=E 

    Catarina de Albuquerque is the first UN Special Rapporteur on the right to safe drinking water and sanitation. She was appointed by the Human Rights Council in 2008. Ms. de Albuquerque is a Professor at the Law Faculties of the Universities of Braga, Coimbra and of the American University’s Washington College of Law. She is a senior legal advisor at the Prosecutor General’s Office. Learn more, log on to: 
    http://www.ohchr.org/EN/Issues/WaterAndSanitation/SRWater/Pages/SRWaterIndex.aspx 

    UN Human Rights, country page – Brazil:http://www.ohchr.org/EN/Countries/LACRegion/Pages/BRIndex.aspx 

    For more information and press inquiries, please contact: 
    In Brasilia: Denise Hauser (+55 61 8188 0422 / dhauser@ohchr.org
    In Geneva: Madoka Saji (+41 79 201 0124 / msaji@ohchr.org) or write to srwatsan@ohchr.org 
 

    For media inquiries related to other UN independent experts: 
    Xabier Celaya, UN Human Rights – Media Unit (+ 41 22 917 9383 / xcelaya@ohchr.org

    UN Human Rights, follow us on social media: 
    Facebook: https://www.facebook.com/unitednationshumanrights 
    Twitter: http://twitter.com/UNrightswire 
    Google+ gplus.to/unitednationshumanrights 
    YouTube: http://www.youtube.com/UNOHCHR 
    Storify: http://storify.com/UNrightswire 

    For use of the information media; not an official record

    HR13/391E 
     

     

    • O texto mostra a realidade

      O texto mostra a realidade terrível de regiões do Brasil sem saneamento, mas não colide com os números apresentados. A única diferência estatística é que o trabalho menciona o percentual dos que tem coleta de esgoto; e o trabalho do IPEA soma coleta de esgoto mais fossa séptica.

      • Tudo bem, nao vou entrar em

        Tudo bem, nao vou entrar em discussões onde qualquer coisa que se apresente pode ser comprovada por algum relátório.

        Apenas vou ficar com os dados da ONU e do ITB que não condizem com esse cenário maravilhoso que você pintou no tocante ao saneamento básico.

        Se analisarmos os dados dos registros de atendimentos do SUS por doenças gastro-intestinais, 93% delas causadas pela falta de saneamento básico, veremos que esse quadro não condiz com a verdade. Ou, seríamos um caso excepcional onde o saneamento básico não estaria surtindo o efeito desejado, que é melhorar a qualidade de vida das pessoas. E, se assim fosse, estaríamos perdendo tempo numa discussão inócua.

        De nada adianta a rede de esgoto passar diante de um favela, se favela adentro o esgoto gerado não é devidamente canalizado para a rede coletora, e também não adianta muito coletar e não tratar, despejando em rios ou no mar.

        Mas tudo bem, o espaço é seu e cada um propagandeia o que acha que deve. 

        • Prezado
          existem duas maneiras

          Prezado

          existem duas maneiras de analisar indicadores. Uma, o valor absoluto. É evidente que faltam léguas e léguas para o país atingir níveis civilizados de saneamento. Outra, os valores relativos: quanto se avançou. As Metas do Milênio referem-se a valores relativos, definir metas que permitam reduzir a distância do ponto ideal. E o país cumpriu essas metas. É sobre isso que estamos falando, não sobre um mundo perfeito.

          Se julga que não cumpriu, traga os dados corretos, que serão publicados. 

          • Nassif, em dezembro do ano

            Nassif, em dezembro do ano passado foi lançado o PNSB pelo governo federal, que prevê um investimento de R$ 508 bilhões até 2033 para o saneamento básico.  

            Esse plano é resultado do “não atingimento” de parte do objetivo 7.9, que trata da coleta e tratamento do esgoto. Basta ler o introdutório do plano, onde estão decritos os níveis atuais de atendimento ao saneamento básico para se chegar a essa conclusão.

            AGora, claro que é tudo muito subjetivo, se quiser considerar que fossa séptica ou coleta sem tratamento, coleta aqui e joga no rio ali na frente, como atendimento as necessidades de sanemaneto básico, tudo bem, até porque a ODM não especifica objetivamente o que seria esse atendimento.

            Mas aí, debite-se na conta do “jeitinho brasileiro”. 

            De qualquer maneira, não considero boa prática comemorar-se algo baseado numa informação baseada naquilo que afirma um dos interessados, que é o Governo Federal. Isso tem mais cara de propaganda de governo.

            Obrigado, mas prefiro ficar com as informações do IBGE, através do PNAD e das diversas fontes da sociedade civil que estudam o assunto e são unânimes em dizer que não se atingiu o objetivo de reduzir pela metade o número de domicílios atendidos satisfatóriamente com saneamento básico.

             

             

             

             

             

          • TÁ BEM, PACHECÃO. Eu sou o FLA e você o FLU

            Tá muito bem, Pachecão.

             

            Eu sou o Fla, time mais chegadão ao povão, a Senzala. E você é o FLU, de nascente mais próxima das classes mais privilegiadas, a Casagrande.

            Perdemos o nosso tempo.

            Não queira, no entanto, desmerecer que melhoramos e muito os problemas sociais de nosso País, dentro do que a União tem competência.

            Sou da geração anterior a Baby Boomer. E já vi como era e como ficou.

            Em 1976, em uma administração municipal de uma cidade do interior paulista. Eu participei ativamente dela. Hhavia um grave problema com a mortalidade infantil, causada nas vilas mais afastadas da cidade, pelo saneamento básico. Largamos tudo. Não dava votos, falavam. Mas fizemos nossa parte,, com os parcos recursos , colocando o saneamento básico para toda aquela população, rede de esgoto e água tratada. A mortalidade infantil caiu vertiginosamente, sem auxílio do governo estadual, que era de outro partido. E nada nadinha de nada do governo federal.

            Ah, perdemos, depois, a eleição, porque a fila de pedido de remédios terminou.

            Se os governos anteriores ao atual tivessem o mesmo empenho em ajudar prefeituras, como o de agora, e posso afirmar porque Dilma é REPUBLICANA, não interessa o partido do município ou do estado que é auxiliado. Ela auxilia a todos,  existindo, é claro, o problema.

            Infelizmente,  Pachecão, você gosta de textos em inglês. Eu sei inglês, francês e até latim. Mas prefiro mesmo ler aqui o Nassif, pois a informação neste blog tem imparcialidade. Se o governo não estiver correto,tenha a certeza de que o Nassif não irá perdoar. A imparcialidade é o fundamento do jornalismo mais importante. Torcer as notícias, como você o fez, para atingir dados que mostram que melhoramos e muito, é o que não posso concordar. 

          • Meu amigo, sem blá-blá-blá de

            Meu amigo, sem blá-blá-blá de governos anteriores, DIlma republicana e outras  besteiras.

            Os objetivos do milênio foram traçados em 2000 e assumidos por governos do mundo inteiro e são compromissos não só do governos federais, mas também dos estaduais, provinciais, municipais e outros.

            Neste item estamos voando no piloto automático, o dinheiro não é do governo federal, o dinherio vem de organismos externos, como o BID e o Banco Mundial. Todo o acompanhamento é feito pela ONU através do PNUD feito no Brasil pelo IBGE. E todo o acompanhamento é feito individualizadamente, por município.

            A contrapartida da aceitação desses objetivos foi o perdão de dívidas externas. O Brasil não deve mais, nem o México, nem a Argentina ( que em 2001 havia declarado moratória ), nem a Turquia e nem os países africanos. Por isso eles tem o direito de mandar seus enviados aos países para verificar o andamento dos esforços. Foi o que postei acima. Essa moça em 2012 foi empedida pelo governo federal de vir fazer seu trabalho aqui, depois tiverma que aceitá-la na marra. Agora o governo armou uma ofensiva contra o IBGE para evitar a realização e divulgação do PNUD. Lastimável não querer se conforntar com a verdade.

            Esse governo federal tem muito pouco a ver com tudo isso. Essas melhorias estão ocorrendo no mundo todo, onde esses organismos estão enfiando dinheiro a rodo. Inclusive os programas de transferência de renda que ocorrem em todo o mundo, como o Bolsa-Família, são parte desse esforço mundial para obtenção e manutenção da pobreza aceitável.

            Para se saber a verdade há que se acessar as bibliotecas on-line desses organismos e pesquisar, comparar o que está acontecendo em outros países, quais relamente estão sabendo tirar mais vantagens dessa etapa 2000/2015 para se alavancarem. E nem precisamos ir até a África, onde estão acontecendo os melhores resultados, com crescimentos econômicos passando dos 10% AA e em alguns casos, como Costa do Marfim,  beirando os 20% AA, além das melhorias de GINI e IDH. Basta analisar os nosso vizinhos sulamericanos, os caras da aliança do Pacífico estão crescendo 5% AA e melhorando GINI e IDH muito mais que nós, graças a incompetência deste (des)governo federal.

             

        • Perdoe-me Nassif, mas tenho responder ao Pachecão

          Diz Pachecão:

          ‘De nada adianta a rede de esgoto passar diante de um favela, se favela adentro o esgoto gerado não é devidamente canalizado para a rede coletora, e também não adianta muito coletar e não tratar, despejando em rios ou no mar.’

          Ora, essa tarefa é, como todos sabemos, das Prefeituras.

          O governo tem feito sua parte, são milhões e milhões entregues às Prefeituras para auxiliar o trabalho do saneamento. Ademais, com as milhares de novas moradias do programa Minha Csa Minha Vida, o problema vem sendo diminuido, pois todas as moradias devem estar providas de toda a infra-estrutura, máxime o saneamento básico.

          E aindi dia:

          ‘Se analisarmos os dados dos registros de atendimentos do SUS por doenças gastro-intestinais, 93% delas causadas pela falta de saneamento básico, veremos que esse quadro não condiz com a verdade’

          Primeiro, era importante o Pachecão ter mostrado de onde é que colheu esse percentual, bem como o estabelecimento da ligação deste percentual, nas doenças gastrointestinais com a ausência de saneamento básico.

          Primeiro, acho que começou equivocadamente, pois doenças gastrointestinais existem, e são muitas, que não tem ligação alguma com o saneamento básico, mas com a tomada de medidas higiências pessoas. Por vezes, como o a enterite regional  e a retocoligte ulcerativa, estas que sequer tem causa específica. Outras tem causas totalmente divorciadas do saneamento, como a síndrome do colon irritável, ligadas à alimentação, as doenças celíacas, ao glúten, a constipação, a as hemoorróidas, que a causa máxime pelo estilo de vida, a má alimentação, ausência de fibras, etc. E a gastrite, ora bola, terei que ficar aqui citando-as todas?

          Talvez, o comentarista Pachecão possa ter aludido às infecções intestinais. Realmente, no caso,  o saneamento básico tem importante papel. Porém, é importante lembrar que as infecções intestinais não tem tão somente causa na ausencia do saneamento, mas também na higiene pessoal de cada um de nós, máxime ao não lavar as mãos antes das refeiições. Basta saber que há milhares de bactérias presentes nas cédulas do dinheiro. Ainda, na higiene de bares, restaurantes e hotéis, estes que as Prefeituras devem fazer fiscalização sanitaria eficaz. São tantas as causas que mereceriam um artigo. É o não é.

          Não se pode, assim, Pachecão, atribuir-se totalmente ao governo central toda as causas de doenças gastrointestinais, máxime 93% é percentual inacreditável, mesmo que seja infecções intestinais.

          Ademais, o que acontece, e aí devemos bater forte, que a vontade política dos prefeitos em combater a ausência de saneamento básico é patente. Temos visto isto, inclusive em estados mais adiantados como São Paulo, hoje entregue quase que totalmente à SABESP  ( conhece-a?), uma autarquia estadual a quem deveríamos exigir mais, muito mais. Porém, neste País, tudo é culpa da Dilma, é ou não é?

          Então, por favor, busque melhores informações e comprove-as, por favor.

          • Querido,  quem falou que é

            Querido,  quem falou que é culpa da DIlma ? ou só do governo federal ?  Eu não fui, com certeza. 

            Por outro lado, se você considera que a responsabilidade é das prefeituras, então, já que acham que atingimos o objetivo, louvem-se a todos os governos municipais, e não o governo federal, não é mesmo ? 

            Mas não vou entrar nesse seu fla-flu imbeci, divirta-se praticando ele com o restante de mediocres que comentam por aqui.

          • O velho conflito de

            O velho conflito de competências, Dude! O cidadão quer que a Presidência da República lhe pavimente a rua; ligue-o nas redes elétrica, de água e telefônica; quiçá, interfira até na empresa prestadora de TV a cabo e de serviços wi-fi de internet… é um desastre a cidadania deste país.

            Em 2001 pus um portal de internet no ar, relativo à minha cidade. E lá pus os dados sobre Transferências Constitucionais da União para o Município. Os administradores regionais não gostaram. É que eles estavam acostumados a comprarem e não pagar; no mínimo, adiarem os pagamentos. E quase sempre punham a culpa no não repasse das sobreditas transferências. Só sabia sobre a operacionalização delas o prefeito, o secretário municipal de fazenda e o tesoureiro, além de um ou dois funcionários dos bancos onde as contas municipais eram localizadas.

            E porque os prefeitos plantavam a mentira e o povo acreditava? Ora, porque todos sofrem desse problema com o conflito de competências.

  18. O curioso é que o pessimismo

    O curioso é que o pessimismo é mais efeito de manada do que tática eleitoral. As melhorias podem até não ficar prontas até a Copa. Mas até as eleições elas irão aparecer. Daí o governo diz que o bem-estar do povo brasileiro é mais importante do que “mostrar pros ingleses”. Então o jogo inverte e os disseminadores do pessimismo serão considerados apenas maus brasileiros. Azar deles.

    E o que o Nassif disse está ao alcance de qualquer um com um mínimo de conhecimento do que está se passando. Azar deles, mais uma vez. Ou talvez esse seja simplesmente o preço da má-fé. Ou o castigo por disseminar inadvertidamente um pessimismo indevido que se tornou a principal arma da direita brasileira. Essa que não consegue enfrentar de frente nem a esquedinha mequetrefe do PT. 

  19. O Brasil vive uma desinformação por interesse.

    Temos um setor responsalvel pela situação em que vivemos, A “Grande midia” anda ao contrario da sua função, que é informar a verdade, esta midia apoiou e se beneficiou da Ditadura, em Governos que elegeu ou indicou ministros, assaltou os cofres Publico, neste periodo, manipulou informações e a cultura, ficando os militares e Governos eleitos por ela, para dar uma migalha de pão a midia era o circo, hoje a nossa geração descobriu este processo, estamos lutando contra o que sobrou dessa manipulação, estes Jovens não conhece a historia por que mesmo na escola não ensinado a verdade do Brasil. Usarei uma celebre fraze usado pelo circo ontem.
    “Ame-o o Brasil ou deixem”

  20. A grande mídia, não mostra estes números.

    Nassif, qualquer analista político, que não esteja comprometido com o PIG, e que tenha um mínimo de coerencia com os fatos reais, que ocorreram ultimamente, e que estão ocorrendo no Brasil, atualmente, teria que ter o discernimento, de entender, que mesmo estando ainda distante de chegarmos ao patamar de estágio de desenvolvimento sonhado e esperado, pela maioria, tivemos efetivamente, grandes avanços, especialmente nas áreas sociais e de inclusão da cidadania, porem a divulgação deste números, pela grande mídia, daria uma visibilidade política ao atual governo, fato inaceitável aos Barões da mídia, e aos partidos oposicionistas, para quem a tese do Ricúpero, ” O que é ruim, a gente divulga, e o que é bom(para a situação) a gente omite”

    Ficamos então na dependencia e alguns poucos jornalistas independentes e corajosos, como o dono deste blog, e de outros blogs, ditos “sujos”que são as únicas fontes de informações sérias, dos fatos relevantes, como os citados e numerados orretamente, por você.  

  21. Novos índices

    Adorei saber desses novos índices! Realmente, há uma concentração de notícias e pensamentos em tudo o que negativo, gerando e aumentando o clima de terror. Mas é muito bom que alguém realce os pontos positivos do nosso momento. Precisamos disso! 😉

  22. O time que nos salvou da série B…

    … não será o time que nos manterá na série A.

    Qualquer torcedor de futebol (como eu) cujo time esteve na série B entendeu a analogia. Você torce, sente que está todo mundo no mesmo barco, e quando finalmente retorna a séria A, tem que mandar embora aqueles caras que foram heróis em situação difícil e contratar gente mais preparada. Isso sempre é cruel.

    O governo Lula teve inegáveis avanços. O clima no final do FHC realmente era depressivo, era no espírito jamais vamos ser nada. O Lula de fato mudou isso. A questão é que do mesmo modo que muita coisa melhorou, o governo implementou um clima, na minha opinição irresponsavelmente, de vamos ser potência, de se comparar com a China (com a ajuda da grande mídia), mas paradoxalmente não se preparou p/isso. Estou falando especificamente da Sra Roussef e da calamitosa Equipe Econômica. Não é por acaso que eles comparam o FHC com os últimos doze anos, porque não há como esconder que não apenas não avançamos nada estes últimos quatro anos, como retrocedemos tremendamente. Isso é mais grave ainda na medida em que ela é a gerentona. Não adianta eu discorrer aqui sobre a incompetência cavalar na Petrobrás (o Nassif já comentou isso),  setor elétrico (o Nassif já comentou isso), renúncia fiscal  (o Nassif já comentou isso), BNDES escolhendo campeões nacionais  (o Nassif já comentou isso) etc.

    Não adianta ficar falando em PIG, o sentimento de que o país está retrocendendo fica claro para qualquer pessoa que viva nas grandes capitais. Não há dúvida de que a Dilma é incompetente, e não  tem nenhuma capacidade para liderar, o problema (e é um enorme problema) é saber se o Campos ou o Aécio seriam melhores. 

    Entendo perfeitamente o sentimento de quem acha que tirar a Dilma é anular os acertos dos últimos doze anos, mas dizer que esse governo atual é competente, dizer que o Aldo Rebelo é o melhor ministro do Brasil… Realmente beira o deboche…

    • “tem que mandar embora

      “tem que mandar embora aqueles caras que foram heróis em situação difícil e contratar gente mais preparada.”

      Especificamente em relação à afirmação acima que destaquei do seu texto, gostaria que o sr. apontasse, na sua opinião e levando em conta o cenário geopolítico e econônico mundial, quem seria exatamente essa “gente mais preparada”.

      Estou obviamente falando de nomes de candidatos e de propostas concretas ja definidas por estes candidatos para continuar melhorando a situação do povo brasileiro.

      Abs

       

  23. “O pessimismo geral do país é

    “O pessimismo geral do país é um caso clássico de esquizofrenia, alimentado por uma mídia do eixo Rio-São Paulo que perdeu a noção da notícia”

    Discordo do geral

    Dramatizando: 1- Dois irmãos gêmeos recebem presentes de aniversário; um uma bicicleta o outro uma caixa de sapato dentro com estrume de cavalo.

    Chii agora vão pedir para dar uma volta, o pneu vai furar, se cair estraga a pintura, tem muita subida……Af.  O outro: Opa onde está o meu cavalo!!!!!

    2 – Alguem abre a janela: Nossa quanta poluição, quanta gente feia passando, que transito, que sujeira, etc, etc Alguem se aproxima e diz: Da licensa……Que é isso embaixo do seu nariz…Nossa é cocô……

    3 – Do sucesso da auto ajuda do Segredo comparando com a figura-rio.

    Qual é o Segredo para ter uma vida saudável?

    Simplesmente PARAR DE REMAR CONTRA A CORREENTE que o fluxo natural da vida-rio induz a direção.

    4- Essa de agora: No limite até numa Noruega, onde usam o pré sal deles para a igualdade social pode haver um “copo meio cheio ou meio vazio” dependendo do cocô ou do complexo de vira latas

  24. Sobre a matéria do Luis Nassif
    Bato palmas pelo excelente e didático texto do Luis Nassif a respeito das vitórias alcançadas pelo Brasil não divulgadas pela mídia. Lembro-me que bem pouco tempo atrás as pessoas comentavam que depois da copa realizada aqui em 1950, jamais nosso país sediaria um campeonato mundial de seleções e que olimpíadas neste país seria algo impossível de acontecer. As respostas aos céticos estão aí, mas infelizmente eles lutam agora para encontrar defeitos em um sonho que se tornou realidade.
    Ninguem se recorda que a primeira partida do Brasil pela Copa dos EUA foi realizada em um estádio projetado para jogos de inverno e que os organizadores não conseguiram instalar ar refrigerado no equipamento esportivo a tempo e a partida realizada próximo do meio dia local, foi uma infeliz e terrível experiência para atletas e espectadores que passaram 2 horas dentro de uma sauna infernal.
    Parece brincadeira. Mais é a pura realidade

  25. O dia que eu ver o Nassif

    O dia que eu ver o Nassif divulgar que no Brasil o conceito de investimento externo (pagar ao estrangeiro o produto da sociedade)  mudou para o significado de ” investimento é o valor do trabalho do povo que o país administra sem ser o dono” – para garantir o nosso autêntico desenvolvimento -, o desenvolvimento não vai passar primeiro pelas mentiras na imprensa. 

  26. Guinada!..

    Caro Nassif, a chamada grande mídia “de repente não mais que de repente” mudou o tom. Estou aqui com meus botões tentando uma explicação.

    Levanto três hipóteses:

    1 – Os patrocinadores anunciantes foram pra cima.  Afinal, são muitos investimentos cujo retorno depende do pleno êxito do evento. Não tem sentido as empresas pagarem rios de dinheiro em anúncios à grande mídia, se esta detona o mesmo.

    2 – A grande mídia enfim tomou consciência da primeira hipótese. Quer dizer, gerar cenário sem valor econômico para ela mesma ou como se diz no popular “rasgar dinheiro”.

    3 – A Dilma venceu. Caros amigos demo-tucanos, disse a grande mídia, fizemos todo o possível pelo nosso candidato, mas para a nossa tristeza não deu certo garantir antes da Copa o Segundo Turno. Corremos o risco de perder muito dinheiro nessa aventura em que nos metemos por amor a causa. Não dá mais! Temos que pensar agora em nossos bolsos e dos nossos patrocinadores. Chega de pregar o caos na cabeça dos brasileiros, afinal, de fato, ele não existe, nós é que tentamos construí-lo. O Brasil é lindo, maravilhoso. VIVA A COPA DO MUNDO 2014!..VIVA O BRASIL!…

    • Concomitantemente a mudança

      Concomitantemente a mudança de postura da mídia, há que se observar uma mudança de ótica por alguns jornalistas formadores de opinião. Depois que o Juca Kfouri se encontrou com a Dilma, houve uma guinada de 360 graus em seus comentários. Quem acessar o UOL hoje, terá entre suas cinco matérias mais vistas a de Juca com o seguinte título: Ronaldo diz ter vergonha do Brasil, para apoiar Aécio. Não precisa dizer mais nada.

  27. Entrei aqui pensando que ia

    Entrei aqui pensando que ia falar alguma coisa boa…

    Qual o percentual dos brasileiros que vai se aproveitar desses novos estádios e aeroportos maravilhosos?
    Talvez nem 10%.

    E os outros 90% vivem uma situação ridícula de segurança, educação e saúde…

    Pensa antes de escrever.

    Mais uma vez o sentimento egoísta  brasileiro que não prima pela coletividade, querendo enaltecer um evento

    e gastos extraordinários.

    Se a saúde, educação e segurança fossem de níveis suíços, eu estaria aqui em pé aplaudindo você.

    Será que você é jornalista mesmo?  Vê a realidade além do próprio nariz?

     

    • De onde vc tirou este “numero

      De onde vc tirou este “numero magico” de 10% ? Os numero estão a disposição, basta ver o resto do mundo, Europa e America do Norte se acabando em desemprego e o Brasil falando em Record de empregos ?? Não que a Copa trouxe investimento e segurança salaraial ???

      Isso pra falar apenas de um aspecto…sai da “caixinha” para pensar amigo… Abraços

    • De onde vc tirou este “numero

      De onde vc tirou este “numero magico” de 10% ? Os numero estão a disposição, basta ver o resto do mundo, Europa e America do Norte se acabando em desemprego e o Brasil falando em Record de empregos ?? Não que a Copa trouxe investimento e segurança salaraial ???

      Isso pra falar apenas de um aspecto…sai da “caixinha” para pensar amigo… Abraços

    • Vá murar na Suiça!
      Meu caro, o Brasil tem 8 515 767 km². Já a Suiça tem 41 285 km².O Brasil tem cerca de 198,7 milhões de habitantes. Já a Suiça tem cerca de 7.997 milhões. 
       Observe, portanto, que a Suiça tem menos habitantes que a cidade de São Paulo! É, portanto, até obrigação a Suiça ser um país de primeiro mundo! 

      Já que administrar um país com 8 515 767 km² e 198,7 milhões de habitantes é fácil, candidate-se na próxima eleição. Ou mude-se para a Suiça e vá aplaudi-los. 
       Você diz sobre “sentimento egoísta brasileiro” e você se encaixa perfeitamente nisso. Aliás, além de egoísta você sofre da “complexo de vira-lata”. 

      Conforme sua própria sugestão: olhe para o seu próprio nariz. 

      • É isso aí!

        Sem falar que a Suiça é um velha senhora, não é uma adolescente como  o Brasil, que tem somente 514 aninhos. Querer comparar um país continental com países minúsculos e antiquíssismos,é brincadeira. Levando-se em conta o tipo de colonização que foi feita aqui, temos motivos para comemorar a atual situação de nosso país. 

    • Sabe qual a população da

      Sabe qual a população da Suiça? Não chega a 8 milhões. Sabe do que vive a Suiça? De abrigar dinheiro sujo. Descontando a pré-história a ocupação do território suiço remonta ao Império Romano. Nosso país difere em tudo da Suiça. Então não existe nível de comparação.

      Não temos a situação ideal mas estamos melhorando e é disto que trata o artigo do Nassif. Historicamente esta não é a primeira vez que temos no poder governos preocupados com a questão social. Por isso Vargas foi levado ao suicidio e João Goulart foi deposto. Os resultados ruins do país vem deste fato. Um governo republicano, que não olhe somente para o interesse dos ricos e das potencias americanas e européias, nunca tem grande sequência.

      E se considera que somente 10% dos brasileiros vão usar os aeroportos e os estádios você não deve viver no Brasil. E não é verdade que 90% dos brasileiros vivem numa situação ridícula de segurança, educação e saúde. O problema existe mas é bem menor.

      E porque o Brasil não pode sediar uma Copa? Houve gastos mas haverá retorno. Aliás já houve com a geração de empregos e negócios.

       

      • autoestima

        Puxa, Vera!  Então nós brasileiros deveríamos ter uma autoestima maior, já que nós não abrigamos dinheiro sujo na quantidade que a Suiça abriga, e, por sua vez, os suiços deveriam ter uma autoestima bem pequenininha por seu país ser assim tão terrível.  Mas ao invés disso, mantêm estranhas práticas, como colecionar Prêmios Nobel, fabricar chocolate valorizado no mundo inteiro, etc.  

        • Não disse nada disso que você

          Não disse nada disso que você esta afirmando mas vá lá. Devemos ter uma auto estima maior sim. O Brasil é um grande país, tem um povo trabalhador e esta no caminho certo. Nossos indices sociais estão melhorando, somos a quinta economia do mundo o que prova nossa capacidade de trabalho e na abertura da Copa um dos nossos cientistas fará uma demonstração de um trabalho cientifico que vai dar qualidade de vida a milhões de pessoas com problemas físicos.

          Não existe povo melhor que o outro. E se você acredita nisso, tem complexo de vira lata.

          • O cientista pode ser

            O cientista pode ser brasileiro,mas a grana e as condicoes sao de onde?

    • O Brasil não tem copa do

      O Brasil não tem copa do mundo há exatos 64 anos ! Nesse meio tempo, evoluimos na saúde e educação ao seus tão sonhados níveis suíços ?

      Portanto é balela achar que um evento esportivo, que acontece de 4 em 4 anos, em qualquer país do mundo, seja o obstáculo para qualquer melhora em alguns índices brasileiros.

      Me desculpe, mas esse discursinho politicamente correto é hipócrita.

    • Você imagina que vive num

      Você imagina que vive num estado unitário ? Vivemos numa federação. Existe separação de poderes e de competências legislativas e administrativas. Segurança pública não é função privativa da União. Está mais para os estados. Saúde e educação também são funções dos estados e municipios. Ou por acaso imagina que vivemos numa ditadura, onde o Presidente da República pode tentar resolver todos os problemas por Decreto ? Vá se informar, leia livros. Suas fontes de informação estão deformando sua capacidade de raciocínio crítico e entendimento da realidade.

      • Aqui na minha cidade existem

        Aqui na minha cidade existem 4 ou 5 hospitais federais incluindo ai um universitario que estao iguais ou piores aos municipais ou estaduais sendo que um deles esta em greve.

    • Caro, Suiça é um paraíso

      Caro, Suiça é um paraíso fiscal que drena a riqueza de quem trabalha. É um prostíbulo financeiro.

  28. Cultivando um pomar chamado Brasil

    Há um Brasil novo diante dos nossos olhos e a ideia de que ninguém parece vê-lo é enganosa.

    Esse é o Brasil que Luis Nassif descreveu tão bem sob o título “As vitórias pouco divulgadas do Brasil“.

    Mas é o Brasil dos pobres.

    Não creio que haja estatísticas, mas poderíamos incluir aos seus dados o número de famílias onde pela primeira vez há, pelo menos, uma pessoa com grau universitário, graças ao PROUNI.

    Ocorre, como comentei certa vez com um descrente dessas ações, que a promoção social demora tempo, uma geração ao menos.

    É como cultivar um pomar, 20 anos de trabalho para que as primeiras árvores comecem a dar frutos.

    Em 2014 são 12 anos, provavelmente em 2018 serão 16 anos de um continuísmo que em nada fará mal ao Brasil, ao contrário. Mas é fácil difundir a ideia de que nada foi feito, ou até que o Brasil piorou, quanto se trata de um processo de mudança necessariamente lento.

    Basta que esqueçamos o estágio inicial, o fim dos anos FHC, onde havia um salário mínimo de menos de US$ 100, ou seja, onde aposentados e trabalhadores de baixa renda tinham, para sustentar suas famílias, menos de US$ 3,33/dia. Em dezembro de 2002 era de US$ 53,62. Só para termos de comparação, o Índice Big Mac da época era de US$ 1,55. Isso e nenhuma complementação de renda, então. Um Big Mac por dia para dividir e alimentar a família e, no mais, andar nus e morar na rua.

    Ah, havia “Vale Gás”, medida de “alto” alcance social que o governo FHC foi obrigado a adotar após eliminar o subsídio ao gás de cozinha e ver a população carente voltar a cozinhar com madeiras apanhadas nas ruas. De quanto era o tal do Vale Gás? De 15 reais a cada dois meses para famílias com renda familiar de até meio salário mínimo.

    Hoje parece escárnio, R$ 7,50 a mais para famílias que ganhavam até R$ 100,00 por mês. Já, então, era mesquinho.

    E há quem chame o Bolsa Família de bolsa esmola e a valorização do salário mínimo de inflacionária. Há candidatos propondo que voltemos à situação anterior.

    E como era a situação anterior?

    A classe média que hoje pede qualquer coisa “Padrão FIFA” estava enviando seus filhos para ser decasséguis no Japão, para limpar privadas nos EEUU e Canadá ou para trabalhar como operários da construção civil na Itália e Espanha. 

    O Brasil mudou, basta que comparemos essa situação com a descrita no post “Em 2012, Brasil concedeu 73 mil vistos de trabalho a estrangeiros”.

    Não seria difícil listar uma longa série de dados comparativos, da dívida externa à forma da nossa pirâmide social, passando pelo índice e qualidade do emprego, para demonstrar porque, apesar de tanto derrotismo midiático, a situação é favorita nas próximas eleições presidenciais.

    Há um Brasil novo diante dos nossos olhos e a ideia de que parece que ninguém o vê é enganosa. 

    Só uma coisa não mudou, a mentalidade de certa porção depravada de nossa sociedade que continua ensinando que para melhorar de vida nossas filhas devem apreender a agarrar um gringo rico

    Em outubro desde ano, é bom não esquecermos que isso, em passado recente, já foi projeto de vida para muita moça loirinha que hoje está nas passeatas carregando cartazes de protesto contra a Copa.

    PS.: 1 – Havia ainda, no governo FHC, o Bolsa Escola. Mas foi um programa concebido com uma série de limitantes. Para beneficiar-se dele, a família deveria residir em município inscrito no programa com seu próprio programa de garantia de renda, entre outras condicionantes. Pagava, em 2001, R$ 15,00 por criança para famílias com renda de até meio salário mínimo (R$ 90,00) e com crianças entre 6 e 15 anos frequentando a escola, porém, estava limitado ao máximo de 3 crianças por família.

    2 – Em “As vitórias pouco divulgadas do Brasil”, a adoção do mecanismo da promoção automática nas escolas é citada com algo que distorceria os índices de escolaridade. A promoção automática não é um mal em si. Ao contrário, promove a autoestima necessária ao aprendizado, ninguém progride sendo considerado um derrotado aos 7 anos de idade, permite a recuperação continuada do aluno com dificuldades e é um fator de diminuição da evasão escolar. Se foi mal implementada, é outra história.

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=5u4ttIA6aBY%5D

    • Resposta

      Parabéns Sérgio Saraiva excelentes palavras ! É lamentável a mentalidade de grande parte da população em que só vive o momento e esquece o passado.

    • Bela análise. Só discordo num

      Bela análise. Só discordo num ponto:

      2 – Em “As vitórias pouco divulgadas do Brasil”, a adoção do mecanismo da promoção automática nas escolas é citada com algo que distorceria os índices de escolaridade. A promoção automática não é um mal em si. Ao contrário, promove a autoestima necessária ao aprendizado, ninguém progride sendo considerado um derrotado aos 7 anos de idade, permite a recuperação continuada do aluno com dificuldades e é um fator de diminuição da evasão escolar. Se foi mal implementada, é outra história.

      Não vamos discutir o mérito dessa medida. O impacto prático é que muitas crianças avançam sem saber o conteúdo mínimo. Muitas não sabem nem ler e escrever. Isso não é vitória ou derrota, é aprendizado, ademais, dentro de uma sala de aula é quase impossível o convívio com alunos que já se sabem aprovados, e por isso se sentem livre para fazerem o que querem. Vira um caos. Tente entram numa sala e ensinar alguma coisa para alguém que não quer nada com nada e só perturba. Você vai ver que a teoria não corresponde a prática. Aliás, o PT tem muitos méritos, mas me convenço cada vez mais que a política educacional tem sido seu pior e maior erro do PT. Erro pelo qual o país pagará muito caro.

  29. Olha, a culpa da não

    Olha, a culpa da não divulgação é do Governo!

    O PT nasceu e cresceu apanhando da velha mídia; mas, em sua esmagadora maioria, todos sempre pensaram serem beneficiários da mesma. Sempre acreditaram “na impacialidade da revista semanal”, como diz o Max Gonzaga em sua música. (Sou classe média). Como o partido nunca foi, nem nunca será sócio dos donos da velha mídia na manutenção do poder, era fácil saber que, mesmo pagando, a publicidade governamental seria eclipsada pelo negativismo clássico da mídia, que, como as religiões, vender o terror. O medo. A insegurança. Busca excitar os instintos mais primitivos do ser, para assim vender o seu peixe. “Alerta” para o mal, e depois de prender todo o mundo no alerta, parte para oferecer o “paraíso”; a solução. A mídia não apenas informa; ela forma. Pior, deforma, à medida que busca manipular para sua própria sobrevivência e glória. Como as religiões, a mídia é indispensável; porém, isenta de verdade, quase sempre escamoteada em proveito próprio. A mídia mente! Qualquer governo deve saber disso. Em 1498 Portugal conseguiu um tento na história humana como poucos; mas, quem dominava a Igreja Católica, a mídia única da época era a Espanha dos Borjas, incluindo Alexandre VI, que então reinava no Vaticano. Como resultado, a nação que deu o ponta-pé à globalização, perdeu para a que tinha o domínio da Igreja; logo, da opinião. Henrique VIII, na Inglaterra resolveu isso fácil, fácil: simplesmente rompeu com Roma, apesar de conservar praticamente intacta a estrutura dentro da Inglaterra, agora como “sua” Igreja. Nos Países Baixos, estados alemães… Lutero, Zwiglio e principalmente Calvino resolveram.

    O informação. Crucial em qualquer situação. O PT deveria saber muito bem, que não poderia apenas ficar de Ana Maria Braga e Fantastico o tempo inteiro. Especialmente num país de mídia tão e extremamente cartelizada como o nosso. Não pode, pois, reclamar de falta de informação: já sabia que seria assim. Em geral, ninguém fala bem de ninguém sem que este não lhe incense o ego. Ou o bolso. Melhor ainda se ambos. É a velha sociedade humana, nua e crua.

  30. Não é que a mídia no eixo Rio

    Não é que a mídia no eixo Rio – São Paulo perdeu a noção da notícia. A mídia quis perder a noção da notícia. Existe um planejamento por trás da desinformação. Não houve gratuidade quando Vargas foi atacado, não houve gratuidade quando João Goulart foi atacado, assim como não é gratuito o cerco aos governos Lula e Dilma.

    Quanto a não dar atenção a questão da mortalidade infantil ou do saneamento básico, quando as elites brasileiras, que a mídia tão bem representa, estiveram preocupadas com o Brasil dos menos favorecidos? O Brasil dos “baianos”, “paraíbas”, “pretos”, só lhes interessa para limpar a sujeira que fazem visto que são tão imprestáveis que nem para limpar a própria sujeira prestam. Nunca prestaram sequer para perceber que melhores condições de consumo num país grande como o nosso os fariam mais ricos. O atraso, a desinformação desta elite é tão grande que até hoje não chegaram ao estágio das elites americanas do inicio do século passado.

    E se eu tinha um profundo descrédito com relação à imprensa brasileira, agora com a questão da Copa fiquei com ojerisa. São traidores da pátria. Querem passar para os estrangeiros a visão que eles próprios, porque são incompetentes, preconceituosos e incultos, tem do Brasil.

  31. Simplesmente RIDÍCULO. O pior

    Simplesmente RIDÍCULO. O pior cego é aquele que não quer ver. Ainda bem que a esmagadora maioria da população não é cega como este artigo.

    É a tïpica brasilidade misturar tudo numa tigela para tentar justificar o que é injustificável. O fiasco, o desperdício e o CRIME que estão cometendo com a Copa não será apagado com dados estatïsticos, gerados por órgãos nada independentes geridos pelo próprio governo.

    Mandou mal Nassif.

    • Ridículo, muito ridículo é

      Ridículo, muito ridículo é você, FÜLÖP SCHÉGERIN, querer nos convencer estar preocupado com o futuro do Brasil .

      Vá tentar enganar trouxas lá na casa do Cara..cas .

       

    • “A esmagadora maioria da

      “A esmagadora maioria da população” ? Nossa! não eu não sabia que o Aécio estava com 80% de intenção de votos.

    • Não sei onde você mora, mas

      Não sei onde você mora, mas saia da sua casa e dê uma volta na cidade onde você mora. O Brasil está em obras e as periferias das cidades são hoje lugares muito melhores para se viver graças as obras do PAC. Compare o Brasil de hoje com o Brasil de 10 anos atrás.

      Se temos problemas também temos um governo disposto a resolve-los. E a realização da Copa no Brasil é apenas um evento que o país tem plena condição de sediar porque temos engenharia de ponta, povo trabalhador e capacidade de gestão e realização.

      Só não podemos retroceder e apoiar candidatos que em nome de contenção da inflação venham com a balela do desemprego. Sem qualquer objeção ao pagamento de juros altos a uma banca que nada constróe e nada fabrica.

       

      • Podem sim terem ocorridas

        Podem sim terem ocorridas algumas mudancas, mas aqui na minha cidade as favelas continuam iguais ou piores e ha invasoes de terrenos para novas favelas e as periferias continuam da mesma maneira .

         

    • Pra deixar de ser ridículo…

      Conteste os números então. Cite outras fontes. O que diz a Veja, a Folha, a Globo? O que é que você vê que os “cegos” não conseguem? Qual sua fonte pra afirmar que “esmagadora maioria da população”, apesar do diário bombardeio midiático, concorda com você?

      Conteste os números abaixo do “CRIME que estão cometendo com a Copa” ou apague-se você e para de encher o saco:

      • A FIFA pagará US$ 7,2 bilhões (R$ 16 bilhões) em impostos: o dobro do custo dos 12 estádios.
      • Dos 12 estádios, apenas 6 extrapolaram os custos do orçamento inicial. Os outros tiveram custos abaixo do orçamento.
      • A construção/reforma dos estádios criou 50 mil novos empregos.
      • Considerando tudo o que foi feito no país desde 2010 para a copa, são 3, 6 milhões de empregos com um movimento de R$142 bilhões na Economia.
      • Só a Copa das Confederações acrescentou R$ 9,7 bilhões ao PIB.
      • A Copa do mundo tem previsão de acréscimo de R$ 30 bilhões ao PIB. 

      Fontes: Ernst & Young Consultoria, Fundação Getúlio Vargas (FGV), Fundação de Pesquisas Econômicas (Fipe)

    • PRA DEIXAR DE SER RIDÍCULO…

      Conteste os números então. Cite outras fontes. O que diz a Veja, a Folha, a Globo? O que é que você vê que os “cegos” não conseguem? Qual sua fonte pra afirmar que “esmagadora maioria da população”, apesar do diário bombardeio midiático, concorda com você?

      Conteste os números abaixo do “CRIME que estão cometendo com a Copa” ou apague-se você e para de encher o saco:

      • A FIFA pagará US$ 7,2 bilhões (R$ 16 bilhões) em impostos: o dobro do custo dos 12 estádios.
      • Dos 12 estádios, apenas 6 extrapolaram os custos do orçamento inicial. Os outros tiveram custos abaixo do orçamento.
      • A construção/reforma dos estádios criou 50 mil novos empregos.
      • Considerando tudo o que foi feito no país desde 2010 para a copa, são 3, 6 milhões de empregos com um movimento de R$142 bilhões na Economia.
      • Só a Copa das Confederações acrescentou R$ 9,7 bilhões ao PIB.
      • A Copa do mundo tem previsão de acréscimo de R$ 30 bilhões ao PIB. 

      Fontes: Ernst & Young Consultoria, Fundação Getúlio Vargas (FGV), Fundação de Pesquisas Econômicas (Fipe)

  32. A palavra “desordem”

    Tá na pauta com a revista Veja e com o ianque Willian Waack a palavra desordem, ou, o estado de desordem em que se encontra o país. Incrível, como é que Willian põe palavras na boca de professores – segundo a Globo News – da USP.

     

  33. “O pessimismo geral do país é

    “O pessimismo geral do país é um caso clássico de esquizofrenia, alimentado por uma mídia do eixo Rio-São Paulo que perdeu a noção da notícia.”

    perfeito!

     e é nessas horas e para essas horas difíceis de pessimismo amargo – para com o nosso Brasil – forjado forçado retrô-alimentado por essa mídia fora de eixo sem-noção, que nos faz falta, pero si, com sinal ideológico trocado: …a falta que nos faz de um amaral netto, o repórter.

    • Como diria Januário de

      Como diria Januário de Oliveira ao narrar mais um gol do Super-Ézio :”Crueeeeeeel, muito cruel !” hehehe

       

  34.  Agência Brasil, do Governo

     

    Até a Agência de Notícias do Governo Federal perdeu a noção da notícia ?

     

    19/03/2014 13p6

    Na última década, o acesso à coleta de esgoto aumentou 4,1% – abaixo da média histórica de 4,6%Marcello Casal Jr / Arquivo Agência Brasil

    Apesar de ser a sétima economia do mundo, o Brasil ocupava a 112ª posição em um conjunto de 200 países no quesito saneamento básico, em 2011, segundo aponta um estudo divulgado hoje (19) pelo Instituto Trata Brasil e pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável, durante o fórum Água: Gestão Estratégica no Setor Empresarial.

    O objetivo do estudo foi apontar benefícios que poderiam ser obtidos com mais investimentos em saneamento básico, melhorando a qualidade de vida do brasileiro e elevando a economia do país.

    De acordo com esse trabalho, o Índice de Desenvolvimento do Saneamento atingiu 0,581, indicador que está abaixo não só do apurado em países ricos da América do Norte e da Europa como também de algumas nações do Norte da África, do Oriente Médio e da América Latina em que a renda média é inferior ao da população brasileira. Entre eles estão o Equador (0,707); o Chile (0,686) e a Argentina (0,667). O índice é mensurado com base no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), do Programa  das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

    Na última década, o acesso de moradias à coleta de esgoto aumentou 4,1%, nível abaixo da média histórica (4,6%). Em 2010, 31,5 milhões de residências tinham coleta de esgoto. A região Norte foi a que apresentou a melhor evolução, apesar de ter as piores condições no país com 4,4 milhões de casas sem coleta. Somente o estado do Tocantins conseguiu ampliar o atendimento em quase 21%.

    No Sul, mais 6,4 milhões de residências também não contavam com os serviços de coleta e os estados com os maiores déficits foram: Rio Grande do Sul (2,8 milhões) e Santa Catarina (1,9 milhão).  Já no Sudeste, com os melhores índices de cobertura, ainda existiam 8,2 milhões de moradias sem coleta

    No Nordeste, um universo de 13,5 milhões não contavam com esses serviços e em mais de 6 milhões de lares não havia água tratada. O maior número de residências sem coleta foi registrado no estado da Bahia (3,3 milhões), seguido pelo Ceará (1,9 milhão). 

    Segundo advertem os organizadores do estudo, “a situação do saneamento tem reflexos imediatos nos indicadores de saúde”. Eles citam que, em 2011, a taxa de mortalidade infantil no Brasil chegou a 12,9 mortes por 1.000 nascidos vivos, superando às registradas em Cuba (4,3%), no Chile (7,8%) e na Costa Rica (8,6%).

    Outro efeito direto da precariedade do saneamento, conforme destaca o estudo, refere-se à expectativa de vida da população (73,3 anos) em 2011, que ficou abaixo da média apurada na América Latina (74,4 anos). Na Argentina, a esperança de vida atingiu 75,8 anos e no Chile 79,3 anos.

    O estudo destacou ainda que, se houvesse cobertura ampla do saneamento básico, as internações por infecções gastrintestinais que, segundo dados do Ministério da Saúde atingem 340 mil brasileiros, baixariam para 266 mil. Além da melhoria na qualidade da saúde isso representaria redução de custo, já que as internações levaram a um gasto de R$ 121 milhões, em 2013.

    Pelos cálculos desse trabalho, a universalização traria uma economia das despesas públicas em torno de R$ 27,3 milhões ao ano e mais da metade (52,3%) no Nordeste. Outros 27,2% no Norte e o restante diluído nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste.

    Conforme os dados, em 2013, 2.135 vítimas de infecções gastrintestinais perderam a vida – número que poderia cair 15,5%. A universalização do saneamento também diminuiria os afastamentos do trabalho ou da escola em 23% , o que poderia implicar em queda de R$ 258 milhões por ano. Em 2008, 15,8 milhões de pessoas ou 8,3% da população brasileira faltaram ao serviço ou às aulas por pelo menos um dia, sendo que 6,1% ou 969 mil por problemas causados por diarreias.  Deste total, 304,8 mil eram trabalhadores e 707,4 mil frequentavam escolas ou creches.

    Outro benefício apontado pelo estudo, seria a dinamização do turismo com a criação de quase 500 postos de trabalho e renda anual de R$ 7,2 bilhões em salários, além de incremento na formação do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma da riqueza gerada no país, da ordem de R$ 12 bilhões.

     

     

    • O BRASIL PRETENDE A UNIVERSALIZAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO

      Pachecão

      Acredito que você, como eu, temos um ideal. Já lhe relatei abaixo minha experiência com este tema em minha cidade. Sei a importância do saneamento básico para a saúde pública. Com nosso trabalho, por volta de 1976, fizemos uma derrubada grandiosa nos índices de mortalidade infantil. Fomos vitoriosos, sem auxílio de governo algum Por sinal, naquela tempo, o governo estadual e federal só auxiliavam aqueles governos municipais que lhe davam apoio. Não como agora, como faz Dilma.

      A vontade política de um prefeito, de um camara legislativa, de um município é suficiente para resolver a questão do saneamenbo básico. É importante que tenhamos determinação. Que façamos isto uma bandeira.

      É certo que os governos, seja estaduais como a União, devem auxiiar e muito. Há estados que tiram dos municípios, a pretexto de que eles não possuem condições técnicas e financeiras suficientes, a gestão e administração deste importante serviço público, para se apresentarem com entidade estatal de economia mista, com a finalidade torpe de cobrar “os olhos” da cara dos contribuintes e darem lucros extraordinários aos acionistas. É o caso da Sabesp, v. gratia, que lucra mais de um bilhão de reais por ano, mas pouco faz para melhorar as condições de saneamento.

      Agora, este governo federal, através de lei federal de 2007, pretende universalizar o saneamento básico, dando obrigatoriamente ao cidadão direito a ele. Estará injetando bilhões, como já começou, em todo o País, buscando auxiliar as Prefeituras e os Estados para chegar ao objetivo de em 2030 sanar de vez a questão. 

      Insisto que, infelizmente, o saneamento básico é administrado e gerido pelos governos municipais e estaduais. Aqui em S.Paulo a SABESP, empresa pública de economia mista, detém mais de 60% de todo o serviço. O mesmo acontece em Minas e Rio de Janeiro. Em todos os municípios brasileiros, infelizmente, os governos municipais não têm tido preocupação com este tema, mas é importante esclarecer, eles poderiam ter feito a diferença. Um governo federal não pode resolver todos os problemas deste País.

      Veja São Paulo – a tão prometida e descumprida despoluição do rio TIetê.- é este um fato que todos conhecemos profundamente. Hoje está a cidade de S.Paulo por culpa da SABESP e não de S.Pedro como quer o governo do estado fazer-se acreditar. Estamos na iminência da falta d´agua, mas os jornais só falam na possibilidade do apagão. E ele lucra, renito, mais de um bilhão de reais por ano e tem, segundo é voz corrente, milhares de empregados apadrinhados que fervem a folha de pagamento, com um retorno totalmente infame para a população.

      Pachecão, estamos no mesmo barco. Apenas que eu sou Fla e você é Flu.

      Não podemos combater um governo que é a esperança de nosso povo. O inferno neoliberalista fará, cada vez mais, o estado se apequenar e perder o rumo, se deixar-se cair nas mãos do setor privado. Conheço muitas cidades que cederam a este desejo e hoje choram arrependidas por terem entregue seus serviços básicos de saneamento a empresas privadas, que buscam lucro e lucro e lucro. Tão só isto.

      Precisamos cobrar. Você o está fazendo, no que está certo. Mas sei que é importante que a cobrança seja feita diretamente aos estados e municípios, que infelizmente estão legando graves dificuldades ao bom desenvolvimento deste direito do povo brasileiro.

      Temos que cobrar do Ministerio das Cidades, esta também é verdade, uma forte aporte de recursos aos estados e municípios para auxiliá-los, mas também é verdade que Dilma está buscando repassar o máximo possível, eis que nossos problemas acumularam-se ao longo da inação da ditadura e do neoliberalismo Collor/FHC. Há muito que fazer e esta década, queira ou não, trouxe-nos muita recuperação, máxime naquilo que dependeu do governo federal. Se os municípios e estados ficaram vendo a banda passar é uma questão que deve ser resolvida pelo povo nas eleições, exigindo dos governantes que lhes tragam melhorias nas áreas básicas, como a Saúde Pública, onde concordo  o saneamento básico fundamental. 

      Todavia, não podemos deixar de perceber que assertivas de entidades civis, como o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável, que você mencionou sejam entendidas como verdades incontestáveis, pois a elas interessam, sobretudo, apoderarem-se dos serviços públicos e buscarem, na verdade, o lucro. E uma das metas é abater o governos de centro esquerda, que não se deixam privatizar, pois o custo para a população é alto.

      Não estamos de lados opostos, pois estamos preocupados em ter nosso povo melhores condições de vida e desenvolvimento, dias melhores, melhor alimentação, mais nutrição, mais saúde para todos.

       

  35. Reflexos do pessimismo na comunicação

    Esse pessimismo anunciado pelo Luis Nassif, reflete na nossa postura e no nosso comportamento, nos sentimos enfraquecidos, pobres, e impotêntes. Com a revelação das obras (citada na matéria) teremos um sentimento de não pertencermos ao novo Brasil pós Copa, de não sermos parte disso. Ainda uma pergunta no ar: Como seráo utilizados os estádios chamados de elefantes brancos de cidades mais distantes? É preciso ter respostas posityivas contra denuncias negativas.

    Um abraço,

    Márcia Salgado

  36. Acho muito triste ler alguns

    Acho muito triste ler alguns comentários totalmente sem noção que são postados aqui no blog.

    A insistência de comparar o Brasil com países de extensão territorial insignificante, com um baixo adensamento populacional é totalmente ridículo.

    Como também foi citado, além do Brasil ser um país jovem, este foi um país onde sua elite escravagista não se preocupou com a industrialização, preferiu importar tudo e ainda da preferencia à importar.

    Tivemos 500 anos de total abandono tecnológico e industrial. Assim abrimos espaço para empresas de outros países se estabelecerem aqui e explorar nosso mercado. O mal já foi feito e não ha retorno, hoje é necessário ampliar este mercado interno que ainda é muito fraco e localizado no eixo sul/suldeste. Aos poucos esta se se levando empresas para norte nordeste e centro-oeste.

    Todo o problema de mobilidade urbana são destes 500 anos de concentração do investimentos nas grandes metrópoles atraindo assim mão de obra de todo o país para elas, este problema não será resolvido por uma canetada, mas, por um processo longo de investimentos e planejamento para diminuir esta concentração nos grandes centros.

    Enquanto não for muda a forma de visão de nação e a forma de como será feito o investimento a nível nacional teremos insegurança nas cidades, um enorme fluxo migratório para os grandes centros urbanos atrás de empregos e uma melhor condição de vida.

    Foi neste governo para ser exato neste últimos 12 anos que vi mudanças nesta atitude, o dinheiro está indo para regiões antes abandonadas pelo Estado, assim começando a corrigir as distorções seculares deste país, e isto, está incomodando muita gente que quer tudo para si.

    Até mesmo quem critica o Mercosul não tem a menor ideia de como estrategicamente é importante estes laços, precisamos de uma porta de saída para o pacifico para diminuir o tão aclamado custo Brasil, sem parcerias, estradas, ferrovias para interligar nosso interior aos portos no pacifico este custo não diminuirá, muito menos, levaremos desenvolvimento para estas áreas afastadas da costa e dos portos brasileiros.

    Eu particularmente não acredito que estarei vivo para ver tudo isto que falta ao país pronto mesmo com governos comprometidos com o desenvolvimento, são séculos de atrasos, que não será consertado em décadas, demandam investimentos pesados e longo caminho de construção e implantação.

    Vejo que nos últimos anos entramos no caminho certo, nele devemos permanecer, para que o país possa continuar a se desenvolver de forma mais homogênea.

    É preciso acabar com o conceito de que para o país crescer basta o eixo sul crescer e levar de carona o resto do país, precisamos reverter o fluxo migratório, desinchar as cidades, pois, do jeito que está, será sempre um caos e um saco sem fundo para os investimentos.

    Tem um cidadão ai que criticou as fossas céticas, meu amigo, quem em sã consciência irá implantar uma rede de esgoto que percorre quilômetros para fazer uma única coleta, este é o caso em milhares de cidade espalhadas pelo nosso território.

    O Brasil é um país enorme e com problemas enormes, não será em uma gestão e muito menos em algumas décadas que será tudo resolvido. Mas do pessimismo que tinha até inicio dos anos 2000 vejo com otimismo nosso futuro. Para isto devemos continuar no caminho atual.

     

     

    • “Enquanto não for muda a

      “Enquanto não for muda a forma de visão de nação e a forma de como será feito o investimento a nível nacional teremos insegurança nas cidades,” 

      Mudar a forma de como será feito o investimento a nível nacional é como dizer que a força do desenvolvimento do Brasil vai ser igual a massa vezes a aceleração.  

      • Miguel, posso até ser meio

        Miguel, posso até ser meio lento… Mas, massa vezes a aceleração para mim não quer dizer nada!

        Desenvolvimento em massa, seria mais fácil compreender, ai sim, nos levaria a acelereção do crescimento. O que eu tentei dizer é que não existirá mais crescimento sem o desenvolvimento das cidades do interior e de todas as regiões afastadas das grandes metropoles brasileiras. Que os novos investimento não devem priorizar a região sul e sudeste, mas, promover um diversificação estratégica pelo território nacional para promover um equilibrio no desenvolvimento nacional.

         

         

         

        • Você e o pessoal da economia

          Você e o pessoal da economia parecem que têm medo da realidade que está contaminada.

          As palavras essenciais não estão restritas a uma só formula, porque o agente da força pode determinar a natureza da sua operação como sujeito próprio da ação. 

          Assim como a sua ideia condiz com a minha observação e não fez sentido para você, a mesma formula para mim pode ter os números certos de interpretação com a causa eficiente; onde há a ação da força na medida da preordenação: na qual a força torna-se um fim do agente.

          Por isso, suas noções estão viciadas no princípio da própria força da natureza sem o homem. Ou seja nunca se fez uma clara distinção de que o fim (a força) é a sua causa (para o agente), e que o agente possa ser a força (essência) do trabalho; logo, a massa e a velocidade final é propriamente dita pela natureza sobre o homem.

          Logicamente, existe para o agente a força das funções de distinçao na massa (causas) que se movem com as partes das ações de finalidade e eles se determinam, mas precisam ainda ser indicadas para velocidade do tempo (na natureza real).

          O tempo irá determinar realmente a sua preordenação sobre a força total, por meio da qual a operação tende na direção do fim. Qual? o valor tomado pelo presente conhecimento – a razão formal da propriedade do agente e pelo fim que se age = valor do trabalho sobre a ordem da relação social que concorre para certa unidade. 

          A formula do tempo sobre as causas da  força é o meu mister, porém não revelarei a quem esteja observando apenas do ponto de vista inferior da massa.

      • Um cara que se reconhece no

        Um cara que se reconhece no Bispo da Dama e Cazuza, como genialidade filosófica de sua vida, tem a razão que chamo de “causado; isto é, ser diferente de si mesmo. É extrínseco a ele sem a possibilidade de ser, e é uma ofensa ao princípio de identidade antes de qualquer coisa.

  37. É mais que hora de colocar os barões da mídia no seu nicho

    Para o caso de se confirmar a vitória de Dilma, seria muito importante que a presidenta sinalizasse algumas coisas para os barões da mídia. Eu penso que a PRIMEIRA ENTREVISTA de Dilma deveria ser para os blogueiros de esquerda, que no dia a dia estão contradizendo as mentiras e suprindo a omissão da mídia tradicional. Não é mais possível que continuem a ocorrer aquelas entrevistas exclusivas ao Jornal Nacional da GLOBO, onde os entrevistadores são deselegantes e recebem a Presidente da República como se estivessem fazendo um favor.

  38. Pra mim o Brasil nunca deixou

    Pra mim o Brasil nunca deixou de ser o país do caos, todavia aos trancos e barrancos a coisa anda. Mas o problema não é esse, é outro. É a brutal desonestidade da mídia. Pergunto:

    1. Os problemas que o país enfrenta são de hoje?

    2. Essa cobertura maligna seria tão pessimista se no comando do poder federal estivesse um partido de direita, capacho dos EUA? Sim, porque na época de FHC vivemos o mesmo caos, mas só faltava dizer que o Brasil era o paraíso terrestre. Além disso o país foi desmoralizado no exterior (que se esquece do Lampréia tirando os sapatos em New York e a Globo apoiando os norte-americanos?); 

    3) Porque essa mídia maligna não assume sua co-responsabiolidade pelos males que o país enfrenta? Sim, porque ao que eu saiba ela nunca ajudou a resolver nenhum problema do país, mas muito contribuíu para agravar os já existentes.

    Todos sabem as respostas para essas perguntas, mas é sempre bom tê-las a mente.

     

     

    • Comentário acima

      Meu caro, quanto ao item 02 acho que seria melhor você dar uma olhada em um comentário acima em que há uma coleçãod de reportagens do chamado PIG. Você vai ver que não era bem assim…

  39. Não tenho nehuma dúvida

    Não tenho nehuma dúvida quanto aos ganhos  e sucesso da copa.  E acredito,  se a copa fosse realizada em outro País, teriamos um grande e maior  numeros de brasileiros, torcedores  deixando o Pais para assistir a copa. Digo isso,  pelo bom  momento que passa o Brasil nos últimos dez anos. É cada vez maior a presença de turistas brasileiros em vários Países. No  Brasil, a copa veio festejar, premiar  esse novo momento,  onde as  classes menos  favorecidas e  semrpe esquecidas, em fim,  sairam do anonimato e os governos trabalhistas de LULA e DILMA,  fizeram a  desigualdade social sair do discurso.  E quem não estiver sentindo-se seguro, prestigiado e lembrado, é porque não aprendeu a  viver em sociedade, onde “conflitos”  são inevitáveis, sendo muitos deles infelizmente,  por conta do ano eleitoral. 

    Governos democraticos procuram sempre promover o bem comum e a  estabilidade  social. É bom não esquecer que o futebel é uma paixão nacional…

  40. O complexo de vira-latas

    O complexo de vira-lata de uma grande parcela da população prevalece, embora perto dos 3%. Com tudo de bom que se faz, obras e mais obras, crescimento, emprego para todos, distribuição de riqueza, ataque a miséria, etc, ainda tem aqueles que detestam o que ai está e são pessimistas. Não adianta mil provas, para eles não está bom. As obras estão “atrasadas”(????).

    Está certo que a nossa imprensa é de niu iorque, este pig bandido e seus jornalistas miquinhos amestrados, mas tem grande contribuição dos bobos que nela se apoiam.

    Turma de vira-latas pessimistas! Mas vão ter que engolir um Brasil mais brasileiro e maior!

    • Problema de FARTURA!!!

      O problema, que vocês chamam de COMPLEXO DE VIRA-LATA, está associada a palavra Fartura: Fartura de Corrupção, Fartura de Bolsas Ajuda, Fartura de Dinheiro do povo sendo mal utilizado, Fartura de Incopotência…. Que o seu “Brazil” tem avançado nós sabemos, mas pela arrecardação de impostos, deveria esta disputando contra os ianques. O tal Complexo de vira-lata, nada mais é, que não aceitamos escolher o político “menos pior”. Eu quero e mereço políticos BONS, e não aceito nada abaixo disto!!!!

      • Carga tributária.

        Para reflexão.

        “Carga tributária no Brasil:  36% do PIB.

        Carga tributária na Suécia: 49% do PIB.

        PIB Da Suécia: 558 Bilhões de Dólares Arrecadação de impostos: 258 Bilhões de dólares

        PIB do Brasil: 2,07 Trilhões de Dólares. Arrecadação de impostos: 1,8 trilhões de dólares

        Parece que o estado Brasileiro tem mais pra gastar, né?

        Aí a gente sai da pegadinha:

        População da Suécia: 9 milhões e meio de habitantes

        População do Brasil: 201 milhões de habitantes.

        Arrecadação per capita Suécia/mês: 2080 Dólares por mês.

        Arrecadação per capita Brasil/mês: 360 dólares.

        Portanto a Suécia tem 6 vezes mais para gastar com seu cidadão.É por isso que lá tem Saúde e educação de qualidade.

        Com esses menos de 800 reais/pessoa o estado Brasileiro teria que dar educação, saúde, justiça, segurança, asfalto… para todo mundo.

        Quanto custa o plano de saúde do Gilmar, que não faz nem transplante, nem vacinação em massa, nem faz vigilância sanitária, nem dá remédio de alto custo?

        Quanto custa a escolinha dos netos do Gilmar (se é que existem netos, mas vcs entendem o ponto).

        E já que ele usou a Suécia como exemplo:

        Que tal todo mundo ter acesso ao imposto de renda de todo mundo (abolição do sigilo fiscal, como lá?).

        Que tal alíquota de imposto de renda de 58% para os mais ricos, como lá?”

  41. Venha conhecer Itaquera

    Acho que o sr Jornalista deveria passear por Itaquera – SP e conhecer melhor seus arredores e nao vista area de estadio …. quem sabe ele consegue ver esse desenvolvimento ao intorno. 

    • Leia melhor o texto

      Joel, please, leia melhor o texto.

      Nassif fala sobre outro assunto e não sobre o “intorno” do Itaquera. Por sinal, como corinthiano, eu protesto. É Arena Corínthians.

       

  42. Mezzo pizza, mezzo mussarela

    Independentemente do fato de, no geral, o Brasil ainda não tenha chegado a um grau razoável e difusão de direitos e cidanização, são inegáveis alguns avanços, infelizmente reduzidos pela mídia em geral por interesses de poder, e mais infelizmente ainda pelo próprio governo ao não efetuar os controles necessários dos valores investidos, isso a bem da “governabilidade”. Esperemos que, reeleita Dilma, haja disposição para uma guinada virtuosa. Senão, serão mais 4 anos de sofrimento, sem poder escancarar de fato o apoio a um governo que parece gostar de cometer erros primários para depois consertá-los… piorando-os ainda mais.

  43. Sempre é bom lembrar para os agora saudosos dos demo-tucanos.
     Publicado em 26/05/2014

    TEM SAUDADE DO FANTASMA 
    FHC ? LEMBRA DO QUE ELE FEZ ?

    Medidas impopulares ? É o princípio ativo dos tucanos.

    COMPARTILHEVote:  (+129)|  Imprimir 

     

     

    Fernando ​Henrique Cardoso governou o Brasil por 8 anos. Entre 1995 e 2002, colecionou fracassos e terminou o seu segundo mandato com 26% de aprovação.

    ​(​Lula, apenas como comparação, saiu do Governo aprovado por ​87% dos brasileiros.)

    Príncipe da Privataria​ não empolgou nem seus correligionários. Tanto que Padim Pade ​​Cerra e Geraldo Alckmin não defenderam o legado de FHC em suas disputas eleitorais. Ambos o esconderam e não dividiram o palanque com o grão-tucano.

    Afinal, como se sabe, o FHC vendeu as joias da família e aumentou a dívida da família. Um jênio !

    Mas o tempo passa e, 12 anos depois de seu mandato, inúmeros feitos de FHC foram esquecidos. O Conversa Afiada, sempre preocupado em ajudar, relembra momentos marcantes do tucano. As manchetes da época são suficientes para matar a saudade de FHC.

    DESEMPREGO


     

    PRIVATARIA

    (Clique aqui para ler que Bornhausen, agora, está com Dudu).

    Clique aqui para ver que o Cerra foi decisivo na privatização da Vale (e da Light).

    QUALIDADE DE VIDA


     

    ESCÂNDALOS


     

    FMI


     

    ECONOMIA

     

    João de Andrade Neto, editor do Conversa Afiada

     

    • Só me diz uma coisa

      Por que nesse tempo a Folha, o Estadão,  O Globo e a Veja eram bons?

      Eles só começaram a publicar mentiras a partir de 01.01.2002?

      Note que não estou defendendo FH (que é uma criatura que realmente não admiro), tampouco estou defendendo a imprensa rasteira que temos, só estou ressaltando um ponto de aparente contradição (para dizer o mínimo).

       

      • Será que não é evidente.

        Se o próprio FHC se sentiu constrangido com a proteção excessiva da mídia. Simplesmente porque esta mídia joga o jogo dos que os financiam. Ou vc acha que vender jornal em bancas dá dinheiro. Como a globo iniciou a década passada pedindo emprestimos ao BNDS e hj a familia é a mais rica do Brasil ? A mídia sempre foi e sempre será o quarto poder. Jogam o jogo de quem manda e no Brasil não é diferente. Com um pouco tempo vimos quem foram os responsáveis pelo golpe de 64. Hj tudo é pautado e a pauta é de concenso (Noam Chomsky). Para entender um pouco de como as coisas funcionam, vc sabe o que foi o WTC7 em 11/09?

  44. O que esperar
    O que esperar do produto de um governo que se propõe exatamente ao que veio? A copa é apenas mais um exemplo que o Brasil que está se construindo baseia-se no enriquecimento de alguns poucos apadrinhados (grandes construtoras, companheiros políticos e bancos) gerando alguns poucos recursos a classe “operária” para garantia de votos futuros e sem nenhum legado proveitoso.
    Essa copa é exatamente o reflexo de um país que rasteja a movimentos lentos em direção a um futuro que não vai nunca chegar… Sem educação, desenvolvimento, legado, nada que reflita no futuro.
    É uma pena que ainda muitos não conseguem enxergar isso e vêem na distribuição imediata de renda a solução para um país melhor, sem observar que sem desenvolvimento e educação, nos tornaremos num país a cada dia mais “igual” e menos desenvolvido. Onde recursos são gerados para se darem nas mãos dos outros países, quebrando e rebaixando a cada dia um país cheio de oportunidades mas sem nenhuma possibilidade.

    • VOCÊ ESTÁ MAL INFORMADO!

      A Copa é apenas um dos investimentos que o Brasil está fazendo com grandes retornos para a nossa sociedade, bastando saber que só o faturamento que a Receita Federal terá nos ingressos na Copa resultaram em mais de sete bilhões de dólares, que pagarão os investimentos e restaram ainda dinheiro.

      Vamos falar um pouco de educação, já que você vem falando sobre isto.

      Dilma, há pouco tempo, ainda declarou que “a educação é o passaparte para o futuro do País “

      E não ficou apenas no discurso. De fato, já se noticiou que ” o governo já entregou quase 1,3 mil creches e que outras 3,1 mil estãoem construção. As escolas públicas em tempo integral devem chegar a 60 mil em 2014, e 300 mil professores alfabetizadores estão fazendo cursos de formação. Ela ainda falou da reformulação do Ensino Médio, do Pronatec, do Prouni, do Fies e do Ciência sem Fronteiras, que deverá distribuir 101 mil bolsas até o fim deste ano.”

      E mais:” o Programa de Ensino Integral, a presidenta destacou que crianças e adolescentes de 49 mil escolas públicas do país têm educação em dois turnos. E a meta, ao fim de 2014, é chegar a 60 mil unidades beneficiadas. E esses colégios são frequentados, em sua maioria, por beneficiários do Bolsa Família.”

      Asseverou ainda a nossa presidenta que ” 300 mil professores alfabetizadores já estão fazendo os cursos, de dois anos, que nós oferecemos para aperfeiçoar os métodos de ensino, conhecer novas técnicas e ajudar cada criança deste país a chegar aos oito anos já sabendo ler e a fazer as operações básicas de matemática. Além do professor alfabetizador, já estamos oferecendo também, para 400 mil professores do Ensino Médio, cursos de formação. (…) A base dessa transformação que queremos fazer também no Ensino Médio do país começa com a melhoria na formação dos nossos professores – esses profissionais tão dedicados, que são o alicerce da educação em qualquer país”

      Lembrou, ainda, nossa presidenta que “em dez anos, nós dobramos o número de matrículas nas universidades federais, que agora somam mais de 1 milhão de matrículas. Isso só foi possível, graças ao nosso esforço para expandir a Rede Federal de Ensino Superior no Brasil, abrindo novos campos e criando novas universidades”

      Não posso deixar de informar-lhe, inclusive para aqueles que tem idéia fixa na Copa, que o governo Lula e Dilma  criou 16 universidades federais, batendo todos os recordes. Ainda, que o FHC, que talvez você defenda, não criou nenhuma. Criou Zero universiades.

      Ainda há bolsas de estudos oferecidas pelo governo federal, como O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), que tem por objetivo alunos cursando uma escolas particulares.É um financiamento, objetivando que o aluno possa conseguir sua graduação, sem se preocupar com o pagamento de mensalidades, que somente serao pagas depois de um certo tempo que terminar o curso.

      O objetivo do financiamento é fazer com que os alunos possam realizar a graduação, sem pagar mensalidades, que devem ser pagas somente após a conclusão do curso. 

      Ainda há o ProUni  – Programa Universidade para Todos que possibilita bolsas de estudos aos estudantes que desejam ingressar em instituição de ensino particular, que podem ser integrais ou parciais, relativamente ao preço das mensalidades. Estas bolsas são obtidas no ENEM, que este ano bateu o recorde de inscrições, nove milhões e meio de estudantes. O ENEM, além da obtenção do ProUni, é passaporte para universidades, pois que substituem o vestibular.

      Tem tanta coisa para expor.

      Você já ouviu falar no CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, lá do MEC, Pois bem,  há bolsas de estudos de pós-graduação em dezenas e dezenas de áreas, inclusive para pós doutorados. Ainda, bolsas de estudos também para doutorados. Não vou declinar todos, mas os programas neste aspectos, mas são muitos. Há ainda que se lembrar do CNPQ, onde o governo federal oferece milhares de tipos de pesquisas, inclusive com a colaboração de outros países.

      Vou parar por aqui, Ricardo, porque minha esposa quer ir para fazer compras no supermercado.

      Parece que você só pensa naquilo, na COPA, COPA. COPA, COPA…..

      Sai desta. O Brasil tem muito, mas muito mesmo, em todas as áreas, inclusive, como demonstrei na educação.

      Viva o Brasil.

      • Posso até estar mal informado…
        Antes de tudo, gostaria de deixar claro que sou apartidário aqui. Seria muito bom se o Brasil se dividisse em somente dois lados: Direita e Esquerda, ou Liberal e Conservador, etc. Mas estamos muito longe disso, pois em ambos os lados, se fazem concessões absurdas em troca de votos para se atingirem interesses pessoais e não do “povo”.
        Maluf, PMDB, Collor e agora Kassab, façam-me o favor. Vai me dizer que essas alianças são necessárias mesmo?
        Com relação aos números, você foi ao mercado e deve ter visto que o preço dos alimentos subiu um pouquinho. Deve ser por isso que cogitou-se tirar do índice de inflação o impacto dos alimentos… Uma notícia no mínimo interessante.
        Não preciso de estatística para notar que o meu orçamento com alimentação subiu em no mínimo 30%, isso sem contar que antes gastava mais, pois tenho dois filhos pequenos e eles eram bebês.
        Não estou falando de 10 anos atrás, estou falando de dois anos para cá. Isso é preocupante!
        Além disso, o nosso IDH, reconhecendo que diminuímos em muito o indice de pobreza (o que é um feito bom desse governo) só tem caído. Atualmente ocupamos o 85o Lugar (Em 2001 era o 69o).
        Sem falar nos números que mostram o crescimento econômico. Enquanto a China em desaceleração, cresce a 7,5% e a Índia com todos os problemas culturais e sociais, cresce a 3,8%, o Brasil cresceu 2,3% ano passado.
        Bom, acho que poderíamos estar numa situação melhor, e acho que o governo atual tem grande parcela nisso.

  45. Pessimismo alardeado

    Não se trata de pessimismo quando entramos nos hospitais e não conseguimos atendimento, nem tão pouco quando precisamos de transporte urbano ou interestadual, rodoviário ou aéreo. A educação é um caos total e nossas estradas, o que dizer? Muito tem que ser feito antes de investir em portos fora do país ou emprestar dinheiro para outras nações. Dentro desta ótica é que se deve fazer juízo de valores, priorisar o que  realmente é prioritário.

    • COMPREENSÃO E PACIÊNCIA

      Durante décadas e décadas, e eu presenciei-as todas,  pois sou já idoso, posso lhe dizer que ficaram para trás muitas questões não resolvidas, por vezes atrapalhadas para que não fossem efetivamente resolvidas.

      A Ditadura foi um dos pontos mais cruciais para que a nossa educação fosse desmanchada e abandonada, no sentido de que nosso povo mergulhasse na escuridão da ignorância.

      Também, foi lá na Ditadura que houve o grande incentivo ao urbanismo, deixando longe o sonho de uma reforma agrária, não que castigasse os proprietários de terras, que esmagasse a propriedade, mas que possibilitasse que os brasileiros pudessem, através de uma agricultura familiar, sobreviver com dignidade e ainda produzir para a fartura em nosso país. Mesmo assim, a agricultura familiar é responsável, saiba disto, por cerca de 80% aproximadamente da produção alimentar do País.

      O incentivo ao urbanismo trouxe-nos graves problemas com a infra-estrutura urbana, a mobilidade urbana, o saneamento básico, tudo que hoje estamos colhendo de produtos ruins foi nascido lá há muito tempo, deixando décadas no abandono sem que nada fosse feito.

      Depois veio o neoliberalismo que buscou apequenar o estado, deixando que a iniciativa privada resolvesse estas questões todas que você está expondo.

      Mas não resolveram. Ao contrário, apenas ganharam e muito dinheiro, deixando o povo, máxime os trabalhadores em situação caótica.

      O ingresso das multinacionais no País estão levando cerca de 80 bilhões de dólares anualmente para outros países. O rentismo embolsa todo o lucro do trabalho.

      Todas as questões muito bem colocadas por você existem, é verdade. Talvez estejam um pouco exacerbadas, mas estão aí. E são frutos de décadas e décadas de erros.

      Porém, o Brasil está renascendo há dez anos. Cada vez mais podemos ver o progresso chegando, embora tenhamos graves problemas. Não vou expor as conquistas de nosso povo durante essa última década, pois seria muito exaustivo.

      Mas é importante que tenhamos compreensão e paciência, já que os erros graves cometidos, no passado, como, v.gratia, a preferência pelo transporte por veículos, que nos legaram estradas pavimentadas e de difícil conservação, com a expulsão do trasnporte ferroviário. Já o aumento do urbanismo em um País com uma potencial territorial de quase continente. Isto tudo está sendo, devagar, solucionado.

      Ademais, há, no contexto das questões que você apresentou, também a participação da competência dos municípios e estados, já que estamos em uma federação, onde o governo federal tem que respeitar a autonomia dos demais entes federativos e, ainda, não tem condições de resolver todos os problemas existentes sozinho. Há que se dar as mãos e juntarmos forças para melhorar nosso País.

      O atual governo está legando ao País um equilíbrio social muito melhor do que o que existia. E a educação e saúde ainda melhor do que existia ( talvez você não tenha visto como era ).

       

       

      • Está melhor do que era.

        Aplausos para tal comentário, somente a sabedoria das cãs para colocar com tanta precisão e competencia a luz aos menos vividos que estamos progredindo e não regredindo. Parabéns.

      • Excelente comentário.

        Queria parabenizá-lo pelo excelente comentário e perguntar se posso compartilhar dando o devido crédito.

  46. Pessimismo efêmero

    Entendo que a maior parte desse comportamento é uma espécie de recaída de parte da população, mal comparando, como acontece com o dependente. A valorização e o desenvolvimento geral que assistimos hoje, tanto do país quanto do nosso povo, é tão visível e flagrante que só tolos tentam escondê-la.  Acho que seria demais pretender que de uma hora para outra, após sofrerem séculos de privações, exclusões e indiferenças por parte de vários governos, a população pudesse estar totalmente segura de que tudo isso é realmente sério e não uma pegadinha. Penso que os alarmistas de plantão percebendo essa incerteza atacaram no ponto ainda fragilizado dessa camada da população e conseguiram algumas adesões. O antídoto para essa recaída já começou a ser aplicado, ainda que tarde, nos contra ataques liderados pela Presidenta Dilma, por Lula e pelo ex-retardado PT, que começa a mostrar uma postura mais combativa. O efeito alarmista está passando e a população atingida está retornando aos poucos a realidade. A oposição deve perde voz e credibilidade em proporção muito maior do que já tinha perdido e se Deus permitir retomaremos e martelaremos o nosso discurso para que a população reconheça as outras importantíssimas vitórias conquistadas, que são totalmente independentes do legado vitorioso que o projeto e o investimento feito para Copa ratificará. 

  47. As respostas pouco divulgadas

    Precisamos é unir forças, pois vai ser assim de govero a gover e o que vai mudar??? Acorde brasileiro para o positivismo.  Como mudaremos nosso País se só maltratamos os governos eleitos, se fomos nós que o colocamos lá? O que vale mais, o carater?? o partido?? Ou a diginidade humana?? Deus pediu par que orasemos pelos nossos governantes, e o que você e eu temos feito a respeito?? Vamos minha gente, caminar para frente como bons patriotas e por amar esse nosso Brasil rico e cheio de vida apesar do caos que se arrola, lutemos e avancemos rumo ao futur tal vez não nosso, mas dos nossos filhos ou netos.  Acredito sim num Brasil democrata, e cheio de vida=) A bíblia diz que vivemos 70 ou 80 Salmos tem pessoas ultrapassando os 100 anos de vida=) Pra frente BRASIL!!!!        

  48. Eu só acho justificável que

    Eu só acho justificável que Dilma perdesse a reeleição por uma revolução política; pela medida do cidadão abstrato que destrói o poder precedente da velha sociedade e esta consolida a sua missão de possuidora do extrato da atividade individual.

    A classe dominante, portanto, não pode ser derrubada de outro modo senão pelas mudanças de circunstancias da nova sociedade, tendo em vista  que o atual sistema é parasitário do seu movimento histórico.

    A força tarefa da oposição consiste precisamente em antecipar-se ao processo revolucionário, e levá-lo artificialmente a uma crise do governo sem as condições de uma revolução social.

  49. Colheita maldita.

    Essa briga de idiotas entre Petistas e Tucanos tá mais velha e gagá que o proprio Fidel.

    O Pt perdeu a chance de fazer história e ser marcado como “O Partido” no Brasil. Começou bem, mas logo mais, fez tudo errado. Se perdeu. Perdeu o bonde. Vacilou bravo.

    Se lambuzou na maionese da corrupção. Tá colhendo o que plantou.

    Quem vota no Pt hoje em dia ou é “interessado” ou é tolo. Se tem bom senso, odeia, não por causa da mídia vendida de todos os lados, mas sim porque não quer ver mais incompetentes/corruptos de plantão.

    O PSDB que se cuide pra não errar igual.

    • Puxa vida!!! é comum encontrar pessoas como você, analfabetas!

      Nossa é muito doloroso, mas comum, encontrar pessoas como você, que nunca leram sobre a história desse país, nunca sequer se preocuparam em compreender a realidade de nossa politica, das instituições e de suas estruturas culturais.

      Você precisa estudar um pouco mais!!!

    • Carlone, quem escorregou na

      Carlone, quem escorregou na maionese foi você… com o pretexto de criticar sem fundamento, como fazem todos os coxinhas, você escreve algo do tipo “Essa briga de idiotas entre Petistas e Tucanos tá mais velha e gagá que o proprio Fidel.”. Vai ler e estudar um pouquinho mais. Você está fora de prumo…

    • Vc mesmo deu a resposta.

      Ódio…

      Expressões sem conteúdo, discriminatórias e de pouca reflexão. O eterno cego que não quer ver. Produto de leitura de manchetes sem sequer ler a notícia e muito menos investigar o conteúdo. Novos tempos virão, o Brasil já é referência em blogs que permitem a análise sob vários viéses, não para vc, infelizmente ódio é de difícil cura porque nos deixa cegos. 

  50. Cai o dogma!

    “provavelmente não se dará o devido valor a um feito extraordinariamente superior…”

    A privatização! Aeroportos privatizados conseguirão entregar obras a tempo! Fora portos e estradas, que ficarão prontos depois.

    Cai finalmente um dogma do PT!

    • Privatização ou Concessão

      Caro amigo, o governo não privatizou os aeroportos, o que houve foi uma concessão ou seja, o Estado ainda é o dono do patrimonio este vai ser administrado e usado por uma empresa privada ou consorcio pubico-privado, esta concessão é por tempo determinado, depois deste periodo o Estado volta a administrar este patrimonio. Privatização é quando o Estado se desfaz do patrimonio e ele passa a ser particular. Como exemplo de privatização temos a Embraer, Embratel, Vale do Rio Doce, CSN, etc.

    • Privatização ou Concessão

      Caro amigo, o governo não privatizou os aeroportos, o que houve foi uma concessão ou seja, o Estado ainda é o dono do patrimonio este vai ser administrado e usado por uma empresa privada ou consorcio pubico-privado, esta concessão é por tempo determinado, depois deste periodo o Estado volta a administrar este patrimonio. Privatização é quando o Estado se desfaz do patrimonio e ele passa a ser particular. Como exemplo de privatização temos a Embraer, Embratel, Vale do Rio Doce, CSN, etc.

    • Privatização ou Concessão

      Caro amigo, o governo não privatizou os aeroportos, o que houve foi uma concessão ou seja, o Estado ainda é o dono do patrimonio este vai ser administrado e usado por uma empresa privada ou consorcio pubico-privado, esta concessão é por tempo determinado, depois deste periodo o Estado volta a administrar este patrimonio. Privatização é quando o Estado se desfaz do patrimonio e ele passa a ser particular. Como exemplo de privatização temos a Embraer, Embratel, Vale do Rio Doce, CSN, etc.

  51. Definitivamente o governo

    Definitivamente o governo perdeu a batalha da comunicação. Mentiras e slogans de campanha da oposição são  difundidos como se fossem verdades absolutas. Quem tenta mostrar o contrario, é logo desqualificado. O facebook é um inferno. Só tem coxinha mal intecionado e completamente ignorante (estou sendo elegante nos adjetivos) em materia de tudo. A Dilma pode até ganhar essa eleição. Mas só por que  candidato da oposição e o partido dele já foram testados e desaprovados. São tão ruins, tão ruins, que é melhor ficar  como quem esta fazendo alguma coisa, mesmo que essa coisa seja pouco reconhecida.  Prá piorar, a Dilma não tem carisma nem capacidade de liderança. É uma sargentona teimosa  e pouco preocupada com o futuro do PT. A gente só atura ela, por causa do Lula, que é a maior e mais lucida  liderança desse pais. Tô doida que 2014 acabe logo … 

  52. Bastante tendencioso esse

    Bastante tendencioso esse artigo, pois dá a entender que todos os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio foram atingidos, o que não é o caso. Nos quesitos “desenvolvimento sustentável” e “igualdade de gênero”, por exemplo, o Brasil vai muito mal e provavelmente não vai atingir os objetivos para 2015.

    • Sei
      Além de afundar uma plataforma e tentar mudar o nome da Petrobrás, o governo tucano desmontou a empresa preparando para a privatização. Lula e Dilma recuperaram os investimentos e devolveram a empresa ao topo do setor. #CurtaAnaJulia · C

       

    • A questão do Copo com água.

      Todos temos conciência de que não é o ideal. A questão é criticar olhando para frente e não permitir o retrocesso sob o pretexto que não está funcionando. Esse é o objetivo dos reacionários e privilegiados que sequer permitem uma imprensa pluralista e progressista. Os movimentos sociais politizados fazem pressão para que as mudanças não parem por aí, porem não admitem o retrocesso. Precisamos de novas idèiais e lideranças com propostas de interesse nacional, pensando em um Brasil para o povo brasileiro e não para os eternos 30%. Nenhuma nação cresce sem a base da pirâmide como formadora do PIB. O Brasil é grande e soberano, exemplo de democracia.

    • A questão do Copo com água.

      Todos temos conciência de que não é o ideal. A questão é criticar olhando para frente e não permitir o retrocesso sob o pretexto que não está funcionando. Esse é o objetivo dos reacionários e privilegiados que sequer permitem uma imprensa pluralista e progressista. Os movimentos sociais politizados fazem pressão para que as mudanças não parem por aí, porem não admitem o retrocesso. Precisamos de novas idèiais e lideranças com propostas de interesse nacional, pensando em um Brasil para o povo brasileiro e não para os eternos 30%. Nenhuma nação cresce sem a base da pirâmide como formadora do PIB. O Brasil é grande e soberano, exemplo de democracia.

    • tendencioso?

      Como você colocou: “provavelmente”  não vai atingir os objetivos em 2015. Ou seja, mera suposição, mero exercício de imaginação puxando para baixo.O Brasil tem se mostrado supreendente nos últimos 12 anos. A urubulogia previu altas catástrofes, um tal de não vai ficar pronto a tempo,  um tal de não vai conseguir, o país vai explodir, etc, e… eis o que estamos vendo: uma inauguração atrás da outra. É uma coisa de cinema. Hoje mesmo vi, ao vivo, pela Internet a entrega de duas obras grandiosas no RJ. E ainda mais 565 moradias do Minha Casa, Minha Vida. Vi as pessoas falando, contando suas histórias, de como lutaram para conseguir valer os seus direitos, e da felicidade e tudo mais. Procure não subestimar o poder de realização de uma grande Mulher e sua Equipe. Passo a passo vamos subindo em direção ao pódium das nações. Estou impressionada com tantas Obras, e de tudo que é tipo, neste Brasil. Estou nutrindo em mim um amor-próprio nunca dantes experimentado. É o que vejo. É o que sinto.

  53. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome