Como os bilionários estão redescobrindo a democracia, por Luis Nassif

É curioso o movimento dos bilionários depois do crack de 2008.

Resumidamente, a saga dos bilionários é a seguinte:

1. Décadas de desregulação dos mercados, a globalização e as revoluções tecnológicas permitiram uma concentração inédita de riqueza, com a proliferação de bilionários pelo mundo.

2. Seguindo a lógica americana, que vem desde os irmãos Grace (que bancaram as Marchas Pelo Rearmamento Moral, do Padre Peyton), muitos deles se aventuraram pelo campo político, acreditando no destino manifesto de salvar o capitalismo.

3. A crise de 2008 comprovou o fracasso do neoliberalismo e da desregulação ampla. Por outro lado, aprofundou a crise dos Estados nacionais, que a socialdemocracia não logrou reverter.

4. A descoberta das redes sociais como instrumentos de instabilização política abriu um campo enorme para a atuação dos bilionários, na desestabilização dos países que não endossavam a globalização ampla.

Dentre todos os bilionários, nenhum foi mais ativo do que os irmãos Koch, texanos da indústria petrolífera, que passaram a financiar a radicalização de direita pelo mundo, montando uma espécie de partido político nas sombras. Sua bandeira era “libertária”, isto é, contra qualquer forma de regulação do Estado.

No governo Barack Obama, ajudaram a montar estratégias para bloquear as prioridades dos democratas, especialmente no campo da saúde. O financiamento do Tea Party, o grupo ultraradical que abriu espaço, no Partido Republicano, para a ascensão de Donald Trump, foi último feito político de monta.

O jogo começou a mudar quando Chase e Elizabeth, filhos de Charles, um dos irmãos, assistiram os debates políticos e a crescente radicalização do discurso de Trump, defendendo a violência racial e policial. A eclosão de violência racial, especialmente em Dallas, ajudou a mostrar a eles que havia algo de errado. A partir daí, a nova geração entendeu que a salvação do capitalismo não estava na aposta em personagens ditatoriais, mas em um trabalho de combate à miséria e dos desequilíbrios sociais e na consolidação das ideias democráticas.

Leia também:  Lula e o jogo de soma nula, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Gradativamente, os centuriões dos Koch, os militantes que participam das redes dos irmãos, têm mudado de opinião. A guerra santa contra os inimigos foi substituída pela defesa do bipartidarismo e a necessidade de coalizões. Os novos doadores não exigem mais profissão de fé no Partido Republicano, mas foco em inovação e solução dos problemas da sociedade.

Por aí se pode entender o espanto com que a grande imprensa internacional recebeu o governo Bolsonaro.

Le Monde: “As convicções do chefe de Estado, que misturam paranoia e ódio ao socialismo, o levam a imitar a diplomacia de Donald Trump”.

The Economist: “Sr. Bolsonaro, cujo nome do meio é Messias, ou “Messias”, promete a salvação; na verdade, ele é uma ameaça para o Brasil e para a América Latina“.

The Guardian: “O movimento provocou gritos de líderes indígenas, que disseram que ameaçaram suas reservas, que representam cerca de 13% do território brasileiro, e marcaram uma concessão simbólica aos interesses agrícolas em um momento em que o desmatamento está crescendo novamente“.

Quando começarem os boicotes às commodities brasileiras, ficará claro, até para mentes mais rotundas, como os ruralistas, a parte mais atrasada do agronegócio, os malefícios causados por esse fundamentalismo religioso ignorante.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

42 comentários

  1. quando? como?

    será que haverão boicotes econômicos para tanta demência ? e no fim. é no fiofó dos remediados que tudo vai estourar mais forte. êita imbecilidade!

    LULA LIVRE!!! 

  2. O capital em si não tem

    O capital em si não tem coração.

    O que pode ter são os consumidores no país que vai importar do Brasil.

    Ora, a história da colonização europeia na África deveria nos ensinar que Direitos Humanos não são obstáculo para os negócios, se não há pressão popular para isso.

  3. O vento mudou!!!

    Gostaria imensamente de ter mais informação sobre esse movimento nos Eua e Europa.

    Relembrando a Ditadura Militar no Brasil iniciou seu fim com a eleição do presidente Carter em 1977. O vento pode mudar mais rápido no país que imaginavamos. 

  4.  Tem que rir ( de nervoso)

     Tem que rir ( de nervoso) para não chorar!!! Era só o que faltava!! Quando o dono do maior e melhor site de esquerda do país sai com uma desta, realmente não temos esperança! Amoraiza!!!! Já que vc está ai próximo, explica para o Nassif por favor como funciona este pêndulo dos donos do mundo!

    • Funciona assim, Alex:
      1.

      Funciona assim, Alex:

      1. Quando acham que as ditaduras são comunistas, apoiam a conspiração.

      2. Quando percebem que os ditadores tornam-se ameaças, apoiam a democracia.

      Esse é o pêndulo. Entendeu?

      • Uai
        Essa lógica faria sentido se Dilma fosse uma ditadora…

        Ou fossem ditaduras todos os governos de esquerda sabotados por eles, ainda que tais governos tenham seguido a risca a agenda “libertária” deles.

        Será que Obama e Clinton eram ditadores e ameaçavam o estamento ocupado pelos Koch a ponto deles parirem Trump?

        Infelizmente, Nassif esse pêndulo não se balança de forma tão simples e linear assim…

        A surpresa dos ultra ricos com os monstros que geram para administrar as crises do capitalismo sequer é nova…
        Olha o pessoal da hoescht, tyssrn krüpp e outras admiradas empresas alemãs que ajudaram a assar judeus, não sem antes explorarem até a exaustão sua força de trabalho.

        Com certeza os herdeiros detestam esse passivo histórico… mas não temos notícia que tenham renunciado as fortunas herdadas…

        O problema é que eles se “arrependem”, pagam por reconstruções de imagens corporativas e uns trocados em terapia enquanto o mundo se fode.

        Nassif e sua eterna busca do Santo Graal do capitalismo civilizado…

        Algo como um tigre vegetariano.

      • Claro que entendo, mas parece

        Claro que entendo, mas parece que vc não, ou pelo menos parece sempre perplexo com estas movimentações! Parece ter pudores com relação ao assunto.  É medo de ser chamado de nazista ou bolivariano? A compreensão dos acontecimentos está acima do fato de os principais banqueiros serem judeus. Poderiam ser qq coisa, vermelhos, verdes ou criacionistas amarelos com bolinhas roxas. Não é e nunca foi uma questão racial. Talvez cultural, mas faz parte. A banca ganha com o movimento do pendulo! A “esquerda”  e a “direita” apenas discutem, analisam e guerreiam sobre a tragetória do pendulo, mas nunca sobre parar o relógio.  Tanto Hitler quanto Maduro tem o mesmo inimigo. A unica luta agora é escancarar o poder da banca, custe a quem custar!  Porque nunca é discutido aqui que o real motivo do golpe foi o medo de o Brasil diminuir suas negociações em dolar (como estão fazendo Russia, China, Irã, India, Venezuela e Australia pensando no assunto ) através da evolução dos acordos do BRICS. Porque sendo talvez o pais mais rico do mundo em recursos naturais, temos que pagar juros escorchantes para manter o valor de nossa moeda frente a um papel pintado de verde lastreado na “bala” ? E pior , dolar lastreado também nas dividas que nos impingem ( conforme mostra o DR. Bautista Vidal em seu livro O poder dos Trópicos).  Este assunto explica e simplifica todo o restante que é apenas reflexo deste “esquema” secular. 

  5. A história da política externa permite sonhar?

    A redescoberta democartica a que o texto se refere poderia ser uma receita para além da política doméstica americana? A redescoberta da democracia pelos bilionários americanos teria eteito para a periferia? Parece que Trump está balançando. O quê mudaria pra gente se, por exemplo, a intervencionista e beligerante Hillary fosse presidente? Teremos um tipo como Alckimim ao invés de um Bolsonaro, suspeito eu. Deixar de intervir, deixar de escolher o mais entreguista? Acho que o senso de democracia não seria aplicado no nosso caso não. Democratas, Republicanos, todos têm história pra contar em relação às péssimas figuras que colocaram à frente das democracias alheias. Mesmo Sanders. Será que a mudança democática dos financiadores da maior democracia do mundo permitiria uma maior autonomia de seus vassalos? Eu sei lá. Ando descrente. Com Trump ou sem Trump, os próprios brasileiros escolheram jogar todas as possibilidades no lixo.

  6. Ruralistas são a mente mais

    Ruralistas são a mente mais atrasada da sociedade.Adoram um escravo ! Sou comerciante e convivi muito com eles.Não tem nada de folclore.São extremistas mesmo !

  7.   Mudança de opinião na

      Mudança de opinião na família Koch? Só se for nos Estados Unidos. Nosso papel é de colônia de exploração, ninguém espere algo diferente.

      Nossa redescoberta por nós mesmos, caso ocorra, será baseada na pilha de escombros do que fomos um dia, verdadeiro país do futuro do pretérito. Otimismo a essa altura ajuda a levantar da cama, mas é tristemente irreal.

  8. Será?
     
    E o amigaco dos

    Será?

     

    E o amigaco dos coroneis cearenses e tucano enrustido vai chegar na festa atrasado de novo? Logo depois de um tour pelas oropas? E os blogues que se insinuavam de esquerda querendo aderir envergonhadamente ao mefistofoles? Vão passar vergonha? 

  9. oligarquias financeiras são a negação da democracia

    a mídia que apoiou Hillary, a senhora da guerra, é a mesma que se opõe ao Trump e agora escracha Bolsonaro. Os desejos da indústria de armas tvz explique melhor o posicionamento de seus cães de guarda. O populismo-fascismo de Trump e Bolsonaro, alimentados pelos irmãos Koch, Soros e Robert Mercer, assim como a beligerância de Obama e Hillary, são faces da mesma moeda de um capitalismo pluto-bélico em estado de agonia, para o qual a democracia formal já não tem serventia alguma. 

     

  10. Pós-democracia

    A democracia, no sentido moderno do termo, i.é, welfare como resposta aos êxitos do Estado social do “socialismo realizado” (no Leste), começou a acabar com a grande crise de 1973-4, e a queda do Muro foi sua pá de cal. Não vai ser fácil reconstruíla.

  11. Pós-democracia

    A democracia, no sentido moderno do termo, i.é, welfare como resposta aos êxitos do Estado social do “socialismo realizado” (no Leste), começou a acabar com a grande crise de 1973-4, e a queda do Muro foi sua pá de cal. Não vai ser fácil reconstruíla.

  12. Nada de Novo no Front

    Na Democracia ianque, o Presidente tornou-se um mero cumpridor das políticas do Departamento de Estado ( Pentágono, complexo militar industrial…. ), tem poucas margem de manobra, já há muitos anos é livre para…concordar !!!

    Entre Democratas e Republicanos,  quem costuma ser mais intervencionista em Política Externa sao  os Democratas.. É bom nao esquecer que Kennedy deflagrou de vez o Vietnam e Nixon fez a paz e bateu em retirada.

    Pelo andar da carroça, parece mesmo que o Império bateu o martelo e quer a América latina ,  Brasil  e Venezuela em especial ,todos os cucarachas em ordem unida fornecendo  as commodities para  garantir a  Pax americana…Em troca nos dao proteçao militar contra ” os vermelhos ” !!!

     De quebra, isolam a China e conseguem petróleo numa rota tranquila  que fica a poucas horas de casa.

    Nesse jogo, como dizia Mané Garrincha, falta combinar com os russos…e com os chineses diria eu !!! 

     

  13. Daqui umas duas décadas essa

    Daqui umas duas décadas essa nova onda chega até aqui – e talvez nem haja mais Brasil, mas um monte de países depois que aqui houver uma fragmentação como na antiga Iuguslávia. 

    • Para mim, é essa a próxima

      Para mim, é essa a próxima carta a ser usada pelos EUA contra o Brasil, se preciso for. Essas briguinhas infantis entre Nordeste – Sul nas redes sociais, ora provocadas por desequilibrados, ora por robôs, podem muito bem ser substanciadas por táticas de engenharia social sub-reptícias, e o departamento de defesa americano é especialista nisso.  Com uma população manipulável como a nossa, será um prato cheio. E agora vem Bolsonaro dizer que em breve os EUA poderão ter uma base militar em nosso território.  É aguardar para ver.

      • Podem até tentar, mais diferenças regionais não levam países …

        Podem até tentar, mais diferenças regionais não levam países a secessão, a diferenças na Europa são milenares, e cada região deste tipo já passou pelo mínimo duas ou três guerras.

  14. carta do oriente

    Concordo que o BRASIL precisa contar com apoio externo pra sair dessa encrenca INSUFLADA por muito jornalista !!!

    Mas não há paciente que melhore se não ajudar a equipe médica. também.

    O DIAGNÒSTICO do JORNALISTA, pra mim, se apmara mais em esperança do que em fatos.

    ONTÈM, “Haddad namaste” veio à rede pra dizer que podemos ficar “otimistas”, pois TRUMP corre risco de impeach.

    Infelizmente, TARDA o dia em que o POVO, o cidadão comum, se dará conta da OFENSA praticada por estes gorilas que golpearam a NOSSA DEMOCRACIA.

    Há poucos dias fui assaltado  ..o garoto, armado, me levou R$ 70,00  ..não me senti afetado, mas refleti que se estivesse armado, poderia ter acertado o motoqueiro pelas costas e, quem sabe, levado-o a morte ou a paralisia  ..VALERÍA ?? me perguntei pra logo me responder, CLARO QUE NÂO !!!

    Diferente do assaltante, os GOLPISTAS (FFAA, judiciário e tentáculos, mais os EUA) me levaram  todo o DIREITO, o sonho ..toda minha esperança ..todo meu senso de cidadania, de justiça, de fé nas Instituições e no país.

    Aqui, reflito, quem destes, o assaltante, ou o MAGISTRADO e general, me deu a sensação de maior prejuízo ?? ..me ofendeu e me diminui, transformando-me num reles traço estatístico ? numa particula descartável frente a estes brucutus que agora querem nos enfiar guela abaixo seus valores e achismos ?

    Então colegas, quem sabe, quem sabe no dia em que cada um de nós deixarmos de sermos observadores, pra nos admitirmos como SUJEITO, como vítima deste circo de horrores, quem sabe neste dia as coisas mudem  ..ou então, até lá, sempre ficaremos PASSIVOS e parvos, esperando por socorro diante de BANDIDOS ARMADOS !!!!!!

    ..e não que este dia não possa chegar – o de recebermos ajuda externa – mas dificilmente – ao contrário do que escreve o autor – penso que ela não virá de quem sempre nos AGREDIU e diminuiu  ..mas talvez venha do oriente, como nos deixou claro o presidente da CHINA, na carta enigmática dada ao BOZO, em que ele fala da RESPONSABILIDADE conjunta do Brasil e China pela PAZ MUNDIAL  ..pela PAZ MUNDIAL

    “..Citado pela agência noticiosa oficial Xinhua, Xi afirmou que, como dois grandes países em desenvolvimento e importantes mercados emergentes, a China e o Brasil têm “a responsabilidade” de melhorar as suas economias, preservar a paz mundial e promover o desenvolvimento…”

  15. Para a análise ser factível,

    Para a análise ser factível, precisamos acreditar que os bilionários desejam passar a ser apenas milionários. Dá para acreditar nisso? Eu não. Se permanecerem bilionários, logo serão trilhonários. A questão não é querer, é o sistema. O capitalismo não convive mais com a democriacia, os EUA estão em decadência e os bilionários talvez estejam lendo Marx.

  16. Bilionários seguem o que seus analistas de política preveem!

    Todos estes grandes bilionários tem grandes escritórios para previsão e antecipação, e o que eles tão vendo é que o IMPERIALISMO está fazendo mais água que eles conseguem retirar.

    Quanquer equipe que tente fazer antecipação sabe que uma crise grave como está prevista para os próximos dois anos tem a capacidade de derrubar todas as linhas políticas que estão no governo, como as que estão são a extrema direita, o normal é ir para a extrema esquerda, e isto fazem os mesmo se borrarem de medo.

    Logo a análise do xadres está totalmente equivocada, é mera antecipação de posições.

    • Não tem análise nenhuma. Tem

      Não tem análise nenhuma. Tem o relato de questões factuais que estão ocorrendo na familia Koch, antes da eleição do Trump e a partir de reportagens publicadas nos Estados Unidos.

      • Então vamos recolocar o seguinte parágrafo.

        Vamos ao parágrafo chave:

        “O jogo começou a mudar quando Chase e Elizabeth, filhos de Charles, um dos irmãos, assistiram os debates políticos e a crescente radicalização do discurso de Trump, defendendo a violência racial e policial. A eclosão de violência racial, especialmente em Dallas, ajudou a mostrar a eles que havia algo de errado. A partir daí, a nova geração entendeu que a salvação do capitalismo não estava na aposta em personagens ditatoriais, mas em um trabalho de combate à miséria e dos desequilíbrios sociais e na consolidação das ideias democráticas.”

        Quer dizer que os Irmãos Koch, que financiam dezenas de Thinks Tanks, que como diz o nome servem para traçar estratégias vão se guir pelos debates políticos dos finhos sem nenhuma análise da situação internacional.

        Está claro que a economia norte-americana não tem como continuar se apoiando em governos instáveis como será o governo Bolsonaro, sendo melhor chefiar uma espécie de “detente” como a de Goubachev, porém mais segura sem mudar o regime mas admitindo somente as políticas mais politicamente corretamentas, como por exemplo, Ciro Gomes, que não questiona o regime e no lugar de baixar o salário mínimo de 1006 para 908 aumentaria para 1008, dando este enorme aumento de 2 reais para cada trabalhador brasileiro.

        Parece que o plano é simples, deixa a bugrada, achatar o máximo possível, perseguir com violência e morte toda a esquerda, eliminando fisicamente não só as estruturas de resistência mas também os resistentes.

        Depois de feito o serviço principal, qualquer coisa será melhor do que Bolsonaro, inclusive Ciro Gomes, e ele aparecerá num belo cavalo branco tirando o povo brasileiro da miséria e deixando-o na pobreza, mas antes de tudo, respeitando os contratos.

  17. Pelo que entendi da matéria,
    Pelo que entendi da matéria, a referência para a análise é a alternativa de uma revolução à esquerda para sair da crise do capitalismo. Sem entrar no mérito da crise, é inegável a crescente perda das liberdades democráticas na gestão política dos países. Também é inegável a escalada do recurso à guerra – seja entre nações, seja contra os pobres – para segurar um pouco o aprofundamento da dita crise. A China, com seu imenso exército de mão de obra, possibilitou um adiamento temporário de uma solução mais radical. Parece que a hora da decisão está mais próxima e faz sentido colocar uma saída à esquerda na mesa. Safatle tem um breve artigo falando disso em relação ao Brasil, dizendo que essa alternativa nunca foi tentada e que teria chegado a hora de tentá-la, sem pudor. Uma deflagração dessas, que não seria apenas local, traria perdas vultosas em qualquer cenário final. Caso a revolução fosse vitoriosa, uma nova sociedade poderia emergir dos escombros. Caso a reação prevalecesse, não sobraria muito a ser explorado pelos Kochs da vida. Seria inteligente portanto, essa reviravolta na estratégia de continuidade da dominação dessa gente. Dar os anéis para salvar os dedos. Nessa perspectiva, a análise do Nassif faz sentido.

  18. Olavo de Carvalho e o comunista debaixo da cama.

    Acho que estamos subestimando o Olavão. Se a gente pegar os seus escritos de 20 anos atrás, veremos que são textos inteligíveis e bem escritos, sem os termos escatológicos e a confusão mental de agora. E a entrevista dele à Carta Capital não nos leva a imaginá-lo um “Napoleão de Hospício”. O homem diz muitas coisas nas entrelinhas, e até informações inéditas. Por exemplo, cita que Herzog era um “agente duplo”, isto é, elemento do MI inglês infiltrado no movimento de esquerda brasileiro. Essa informação, ao que parece, foi compartilhada, logo depois do enforcamento do jornalista, pelo staff revolucionário. Viram então que, na ânsia de mostrarem Poder, desconsiderando o crachá que o jornalista trazia no peito, tinham feito “fogo amigo” e ofendido gravemente os verdadeiros donos do Poder (alguém lá do hemisfério Norte). E os verdadeiros donos do Poder resolveram, sem possibilidade de apelação, botar os nossos milicos no seu devido lugar de subserviência, cassado o disfarce compensatório de poder espezinhar o povão civil.

    Há um período “antes do episódio Herzog” e um período “após o episódio Herzog”.

    Mas a informação do staff não passou ao resto da tropa, que acredita até hoje (ou mais provavelmente, finge acreditar) que foram desbancados do Poder pelas maquinações da “Esquerda”, dos “comunistas underbed”. E outros, do campo democrático, acreditam, também erradamente, que a queda da ditadura se deveu a maquinações democráticas.

    Pensando bem, acho que todos os militares do baixo clero acabaram percebendo porque o regime militar veio abaixo. E agora prestam continência aos “superiores” lá do Norte, jurando que se forem perdoados não cometerão o mesmo erro. Mas como ainda não engoliram a humilhação, elegeram a “esquerda” como ersatz (não confundir com “bode expiatório”). Malham o judas achando que malham os seus humilhadores. Contradição terrível, causadora de conflitos interiores, e consequentemente de neuroses, traumas, esquizofrenia, paranoia, etc. Na mente desses coitados, convivem o ódio aos humilhadores e a necessidade de lhes bater continência…

    Vamos respeitar essa gente equivocada, caros amigos do blog, resistindo às ideias e projetos errados, mas cultivando a consideração que eles merecem, apesar de tudo. Devolver o ódio é péssimo negócio, e só ajuda os Donos do Poder. Vamos torcer para que as coisas melhorem neste ano, na certeza de que, ruim para “eles”, pior para “nós”.

  19. ativismo social de encher os olhos…

    A verdade é que 80% das pessoas da elite econômica são de DNA socialista, inclusive nos EUA, no entanto segue-se a lei de Pareto: 20% desses poderosos pregam o capitalismo dominando quase toda humanidade dentro de micros e macros regiões.

    Até no meio dos mega-ricos, possivelmente a lei é mesma, porém quando um desses abastados ousar em se rebelar contra a tradição acumulista de patrimônio, certamente é jogado em um manicômio ou na cova fraudada com cara de violência urbana.

    Entretanto alguns poucos bilionários ‘mete-o-loco’ e contribui do jeito que pode em pró do bem comum, passando despercebido da fúria capitalista de seus descendentes, a ponto de muita gente humilde não ter mais ojeriza de todos eles sem restrição.

    A política ou politicagem é só um detalhe que os super-endinheirados tradicionais vêem lá embaixo, mas o que eles realmente não conseguem enxergar é quão partes de seus semelhantes são fraternos na medida do que é quase inescapável financeiramente.

    É o caso da brasileira jovem herdeira bilionária, de vida relativamente simples e de ativismo social de encher os olhos…passando à margem até da famigerada statup da mídia fake news.

  20. piorou?

    Aqui se falou  mais ou menos 6 anosatrás  que as redes sociais se liberrtariam dos grilhões da grande mídia conservadora e conspiradora. Hoje constatamos que surgiu  um mal maior nas conclusões abaixo:

    “4. A descoberta das redes sociais como instrumentos de instabilização política abriu um campo enorme para a atuação dos bilionários, na desestabilização dos países que não endossavam a globalização ampla.”

  21. Geopolítica seletiva?

    Tenho a impressão que o contexto geopolítico fica em uma prateleira na despensa do LN. Às vezes interessa, conforme o prato que se deseja servir, usar algo da prateleira. Outras vezes, o menu recomenda que a prateleira seja esquecida.

  22. Prezados camaradas
     
    Então

    Prezados camaradas

     

    Então quer dizer que estes Koch (um dos irmãos morreu, não? Deve estar dando bom dia para o Maligno agora) entubaram o MBL de grana porque acreditam que os kataguiris têm compromisso com a Democracia, a Verdade e a Justiça

    Um velho barbudo, chamado Carlos Marques, disse uma vez que o capital não tem pátria

    O imperador Vespasiano disse que Pecunia Non Olet

    Michele Bolsonaro disse Cadê meus 24 paus?

     

    E assim vamos

  23. Tudo o que ocorre

    Tudo o que ocorre agora está sendo preparado desde 2014!!! Há até uma entrevista com um general, que permaneceu no anonimato, declarando os passos que seriam tomados e até citando o nome do Bozo. Nada de novo no fronte. Agora os States estão preparando “psicologicamente” o bananão, para entrar em guerra com a Venezuela. Nada de novo ainda,, fazem isso desde muito antes do Vietnã, como fizeram na ?Coréia, ” para lutar pela liberdade”!!!. O que ocorre agora sempre foi assim e assim permanecerá, e será acentuado, pela doação da Amazônia, pela doaação da base de Alkcântara e pela instalação de uma base militar americana no norte do país, pela doação do petróleo e pelo liberalismo “libertador”,  evidentemente para insuflar atrito com a Venezuela. Se houver mudança, o que é dificilimo. será po ái, mas com esses tanques da segunda guerra doados pelos States para desocupar espaço, e com essas Forças Armadas que sabem muito de política e golpes de estado, e pouco ou nada sobre combates de verdade,  e com os russos e iranianos em cena e do outro lado, é possível que por fim, quem acabe ocupada seja Brasília. Até lá, salve-se quem puder, porque com ess oposição!!!!???????

    • Como os bilionários estão redescobrindo a democracia

      -> Tudo o que ocorre agora está sendo preparado desde 2014!!! Há até uma entrevista com um general, que permaneceu no anonimato, declarando os passos que seriam tomados e até citando o nome do Bozo. Nada de novo no fronte.

      realmente, nada de novo.

      até mesmo porque esta matéria foi reproduzida aqui no Blog do Nassif em 14/10/2018.

      enquanto isto:

      “Desde o primeiro dia colocou a Esquerda no centro de suas prioridades. Logo ao início do governo realizou uma reunião com todos os movimentos sociais e organizações de base.

      Tentou, como sinal político, anistiar o ex-Presidente Lula ou, ao menos, que sua pena fosse reduzida e cumprida em regime domiciliar.

      Não queria um velho de quase 80 anos preso. Não serve para nada ver Lula morrer na prisão.

      Anunciou sua intenção, publicamente, na primeira semana de governo, não obteve nenhum apoio entre os grandes empresários brasileiros.

      Porque, na realidade, “Brasil Acima de Tudo” é uma bela palavra de ordem, mas a única garantia de que isso realmente ocorra é que a cabeça dos grandes empresários reflita a realidade política do país, mais ou menos.

      Quando a divisão política da sociedade não entra na cabeça dos grandes empresários, fica na mão de lojas, de grupos.

      Lamentavelmente, deu de cara com milicos soberbos que tem ojeriza de fazer política com a Esquerda. Ele tinha ojeriza do fato de não haver Esquerda em seu projeto político.

      Não há nenhum exemplo no mundo de quem tenha lutado por justas transformações sociais e não tenha se preocupado em ter a Esquerda ao seu lado. Se não se faz isto, todos acabam sendo derrotados.”

      “Um Lobo Verde-Oliva na Contra-Hegemonia. Confissões e Intimidades de um General”, autor ainda desconhecido

      .

  24. Como os bilionários estão redescobrindo a democracia

    Haddad vê uma luz de esperança: o impeachment de Trump.

    houvesse tido tamanha clarividência quando Dilma cometeu seu austericídio com o Plano Levy, talvez tudo fosse hoje diferente. mas neste caso sempre é bom nunca esquecer: tudo que já está muito ruim pode ficar ainda bem pior.

    p.s.: Haddad demonstra nada ter aprendido: o impeachment não é uma questão legal e sim política!

    definitivamente Trump confirma não ter vindo para explicar e sim para confundir. ou na verdade seria ao contrário?

    wall is coming!? mas que muro é este?

    aproveitando a peregrinação de Bibi à Terra da Promessa BolsoNazi, Trump lhe envia uma demanda para a Terra Prometida:

    “O presidente Donald Trump solicita ao primeiro-ministro Binyamin Netanyahu que este estruture sua campanha eleitoral em torno do “acordo do século” para uma paz entre Israel e Palestinos. Este pedido continua insistentemente vindo de Washington, inclusive na conversa de Netanyahu com o secretário de Estado Mike Pompeo no Brasil, em 01/01/2019.”

    Trump asks Netanyahu to make his peace plan the focal election campaign issue

    para clarear um pouco a visão geopolítica global de Haddad, um bom colírio seria o inesperado acordo entre Trump e Kim, assinado em 06/2018.

    então era possível contemplar a glória de 3 porta-aviões dos EUA navegando no Pacífico para destruir totalmente a Coréia do Norte.

    .

  25. Mentira velha

    “Os novos doadores não exigem mais profissão de fé no Partido Republicano, mas foco em inovação e solução dos problemas da sociedade.”

    Olha o que faz o peso na consciência… Mas não adianta, não faz por mal mas quem se sustenta pela iniciativa privada não consegue enxergar solução que não passe pelo lucro privado. E não é possível solução para questões públicas por nenhum olhar privatista. Esse negócio de “a iniciativa privada salva” não deu certo em lugar ou tempo nenhum. E não é difícil entender o porquê: meritocracia é mentira; globalização é mentira; e o mais óbvio: o foco no indivíduo não vê o coletivo.

    Lembrei da demente Margareth Thatcher: “Não existe esse negócio de ‘sociedade’. O que existe é indivíduo.” E isso dito quando a louca estava num cargo público, estatal, com o dever de atender às demandas de uma sociedade que ela nem era capaz de enxergar, não achava nem que existe…

    Desde quando a mentira “nós, da iniciativa privada, temos solução para questão pública” vem sendo repetida? Será que alguém ainda cai nessa?

  26. Como o Macartismo acabou de

    Como o Macartismo acabou de chegar ao Brasil (com uns 60 anos de atraso), se esse movimento mundial de “bilionários conscientes” realmente existe, estimo que chegará por aqui lá pelos ano 2080…

  27. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome