Dilma tem o rumo, mas não tem o método

Ontem participei de um evento de empresa que atua no mercado de alimentos. Sua divisão de alimentos cresceu 10% no ano passado, mais que o mercado. Está bem posicionada nas grandes redes de supermercados, tem liderança nos pequenos estabelecimentos, e começa a crescer nos restaurantes populares. Ou seja, está otimamente posicionada para capturar o enorme crescimento da renda e da inclusão laboral da classe C.

No entanto, havia um clima pesado de pessimismo no ar por parte de seus revendedores. Medo que o Brasil se torne uma Venezuela. Medo que venha um confisco de poupança como Collor. Medo que, se Dilma for reeleita, o país entre na mesma espiral que em 2002. Um medo supersticioso que os dirigentes da empresa diagnosticaram como “midiatite”: doença que provoca mal estar e depressão devido à ingestão excessiva de manchetes econômicas pessimistas.

***

Trata-se do chamado tiro no pé.

Primeiro, por derrubar o estado de espirito nacional, impactando diretamente as campanhas publicitárias. Depois, por desmoralizar algo que nunca foi tão necessário quanto agora: a crítica consistente.

***

A crítica a ser feita é contra o estilo centralizador e voluntarista da presidente Dilma Rousseff, com um norte consistente mas um modelo desanimador de implementação de políticas.

***

Por exemplo, há o diagnóstico claro de que um dos principais problemas das obras públicas é a ausência de uma metodologia de preparação do projeto executivo.

A Empresa de Planejamento e Logística (EPL) foi criada justamente para oferecer essa estrutura. Seu criador, Bernardo Figueiredo prometia que o avião conseguiria velocidade de cruzeiro a partir de 2015.  Foi atropelado pela pressa de Dilma em obter resultados.

Leia também:  Xadrez dos capítulos a serem acompanhados nos próximos dias, por Luis Nassif

***

No PAC, Dilma montou sistemas de avaliação, modelos exemplares de interação com estados e municípios, despertando a esperança de arejar a administração pública. O mesmo ocorreu com o plano de recriação da indústria naval.

O modelo de partilha do pre-sal e o papel conferido à Petrobras, de centro de uma política industrial do petróleo, ainda serão reconhecidos como dois feitos estruturantes do futuro.

Em todos esses casos, a ação tinha foco e estava ao alcance dos olhos de seu principal gestor, a própria Dilma.

***

Quando tornou-se presidente, Dilma quis preservar a primazia da autoria, mas agora trabalhando em uma realidade extremamente complexa. A ela não basta o fato de que o presidente tem mérito em qualquer realização de seus ministros. Ela quer a participação direta em todos os planos e o mérito de todos os feitos do seu governo.

***

Não dá.

Atrasou inúmeros projetos por pretender opinar  em detalhes. Não deu liberdade a nenhum Ministro para construir sua própria obra e voar. Não deu voz aos fóruns criados para definir políticas de desenvolvimento. Tomou decisões intempestivas em áreas de extrema complexidade – como o modelo elétrico – sem  ouvir as partes envolvidas. Tomou decisões de profundo impacto fiscal – como  desoneração do IPI para o setor automobilístico – sem encaixá-las em uma política setorial.

***

Dilma tem o rumo, mais que seus competidores. Mas não tem o método. E não se trata de falta de conhecimento, mas da sua própria incapacidade para domar seu temperamento.

Bastaria sinais firmes de mudança de estilo para recuperar a esperança perdida.

161 comentários

  1. DRousseff 2014

    Nassif,

    ´Não é a primeira vez que ocorre esta crítica aqui no blog.

    DRousseff acerta muito, exerce um poder centralizador em patamar difíciil de ser comparado a qualquer governo de país considerado grande e, assim, sempre fica uma coisa prá trás.

    Chega ao limite da imprudência um país como o patropi, com incontáveis questões nas mais diversas áreas, ser tocado por uma só pessoa, e aqui não critico apenas a pessoa de DRousseff, mas também aqueles em que ela confia e ouve – não é possível que ela não ouça ninguém.

    Não há dúvida quanto aos perigos que esta estratégia de vôo solo oferece. 

    A prpósito, é por conta deste estilo que existem diversos ministros que fazem tanto para o governo federal quanto eu, daqui de um distante RJ.

  2. GERENCIAMENTO

    O Brasil carece, há longos e pongos anos, de Planejaemtno de curto ( 5 anos), médio (15 anos)  e de longo (30 anos)  prazos. Levando em conta restrições políticas, financeiras, administrativas, regionais, culturais, etc, etc. Ou continua com ares de improvisação. 

  3. A guerra já começou…

    A guerra das eleições já começou….

    Lá vem a Globo de novo com mensagens subliminares em ano de eleições! Vocês já viram o novo “logo” da Novela das 7??? Igualzinho ao de 2010 em que se comemorou 45 anos de Rede Globo… Vejam os “logos” e tirem as suas conclusões!!!

    • Coerência

      implacavel,

      Um governo que é capaz de permitir um vazamento como este, a a partir de uma PF diretamente ligada a um ministro inerte, abaixo da crítica, um zé ninguém muitíssimo bem remunerado, merece receber qualquer tipo de golpe baixo. 

      Um governo que não é capaz de responder a nenhum ataque vindo dos seus adversários, inclusive os ataques fake, merece ligar a televisão e utilizar o controle remoto para assistir a esta baixaria.

      Um governo banana como este, que representa um partido que é uma verdadeira bananeira, só tem chance de vitória em outubro porque aos candidatos de oposição são muito fracos.

      Se este partido de situação notoriamente fraquíssimo com parlamentares ainda mais fracos, o PT, perder em função da perversa combinação guerra de informação x total e absoluta omissão,  só volta ao poder no ano 3000, tempo mais do que suficiente para as intermináveis discussões nas bases.

      E viva o brasilsil de bloco de situação tonto e que não sabe prá onde anda, bloco de situação irresponsável.

      Abaixo a matéria que a situação deve estar se orgulhando por ter produzido.

      Um abraço 

       

       

       

      PF ENTREGOU PADILHA DE BANDEJA A SEUS ALGOZES

       

      O vazamento seletivo de um trecho da Operação Lava Jato produziu os efeitos esperados; Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, recebeu um disparo – talvez letal – que ecoou na Folha, do Globo, no Estado de S. Paulo e em vários portais; “Padilha indicou executivo para doleiro”, diz uma manchete; “PF liga ex-ministro Padilha a empresa de doleiro preso”, aponta outra; a questão número 1 é: o candidato que representa a maior esperança do PT para destronar o PSDB em São Paulo sobreviverá a este ataque?; a segunda pergunta, mais intrigante, vem em seguida: foi fogo amigo?

       

      25 DE ABRIL DE 2014 ÀS 06:57

       

      247 – Por essa, nem Geraldo Alckmin, nem Paulo Skaf, nem Gilberto Kassab poderiam esperar. Muito menos os principais veículos da mídia familiar no Brasil, que têm feito oposição sistemática e militante ao Partido dos Trabalhadores. Ganharam um presente, diretamente de Brasília.

      Da Polícia Federal, subordinada ao ministro José Eduardo Cardozo, partiu um vazamento seletivo sobre a Operação Lava-Jato que atingiu em cheio a campanha do ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha – nome no qual o ex-presidente Lula e o PT depositam a maior esperança para conquistar o governo de São Paulo, dando fim a um ciclo de 20 anos do PSDB no poder.

      Ao vazar o trecho de um relatório que aponta que Padilha indicou o executivo Marcus Cezar de Moura para o laboratório Labogen, ligado ao doleiro Alberto Yousseff, preso na operação, a Polícia Federal entregou, de bandeja, a cabeça de Padilha a seus inimigos.

      Os resultados foram os esperados. Três manchetes, que poderão ser amplamente exploradas na campanha eleitoral deste ano.

      Da Folha, a mensagem direta: “PF liga ex-ministro Padilha a empresa de doleiro preso”.

      Do Globo, outro petardo: “Padilha indicou executivo para doleiro, apura PF”. No Estado de S. Paulo, quase o mesmo: “Padilha indicou executivo para doleiro, aponta PF”.

      Padilha, naturalmente, negou qualquer associação com o doleiro Alberto Youssef. “Repudio envolvimento do meu nome e esclareço que não indiquei nenhuma pessoa para Labogen. Se como diz a PF, envolvidos se preocupavam com autoridades fiscalizadoras, só poderiam se referir aos mecanismos de controle criados por mim no Ministério da Saúde. A prova maior disso é que nunca existiu contrato com a Labogen e nunca houve desembolso por parte do Ministério da Saúde”, disse ele, em postagem nas redes sociais.

      No entanto, é óbvio que a candidatura Padilha sofreu um duro revés, antes mesmo de atingir velocidade de cruzeiro. A primeira questão é: ele sobreviverá à adversidade? A segunda é mais intrigante: terá sido fogo amigo?

       

      • (Um governo que é capaz de

        (Um governo que é capaz de permitir um vazamento como este, a a partir de uma PF diretamente ligada)

        Meu amigo Alfredo, ainda não estamos em Cuba não…estamos no caminho…mas se existe denuncia deve ser apurada…esse negocio de pegar quem denunciou só funciona em Cuba e na Russia heiN!

         

        (Um governo que não é capaz de responder a nenhum ataque vindo dos seus adversários, inclusive os ataques fake, m)

        Mas o PT num adora montar dossie de difamação? Ou contra eles não vale?

        Te pergunto amigo, quantos empregos diretos você gera? Você tem alguma empresa ou presta serviços que dependem do aquecimento da economia ou tem um empreguinho publico com o “seu” garantido?

        Quem depende da economia filho, ta vendo o buraco que nós estamos entrando e JA se sabia que iriamos entrar. Porque o sr. nove dedos não fez as reformas que deveriam ter sido feitas. A gerentona, de fato, pegou uma herança maldita e ainda prejudicou o que funciona.

        Pra resumir: o PT foi contra a constituição e contra o plano real! Que presidente ira manter uma pessoa como o sr. Guido Mantega num cargo tão importante se não for para mandar da forma que o presidente quiser? CHEGA DE PT!!!!!!!!!

        • PT rsrsrs

          Cristian não cadastrado,

          Não estamos em Cuba, o vazamento é fake e foi provocado por um órgão que quer aumento de salários de qq maneira, apesar de ter rejeitado o oferecido, procure se informar.

          Dossiê de difamação montado por aquele partido rsrsrs? Me mostre onde estão.

          Depois que operei, só tenho o meu empreguinho público com o meu salário sem qualquer tipo de ajuste  há dez anos.

          Já dependi da economia, só que em época bem diferente da atual, esta de agora ene vezes melhor. Hoje, no setor em que atuei, só os incompetentes reclamam.

          Quanto a Guido Mantega, já sei, estás lendo o The Economist e, pior, acreditando naquele blábláblá. Agora alguém disse que ele será trocado pelo Tombini, amnhâ por mm ou por você, e assim segue a procissão.

        • Comentário circence, quando o
          Comentário circence, quando o sujeito começa a citar Cuba, Venezuela, Chaves e etc, o cansaço aparece.

          O que me diz então sobre a ação democrática das “otoridades” na liberdadelandia contra os manifestantes do Occupy Wall Street?

  4. O “PT DA DILMA”…

    O tucano Zé Cardoso vai derrubar o Padilha e a Dilma numa cacetada só.
    E a culpa é da Dilma. Lula jamais indicou o zé pra ministro. Ele o conhece.

    O “PT” da Dilma é um caso perdido. Não tem mais jeito.

      

  5. Nassif pode ter razão

    O Nassif pode ter razão nos pontos que comenta. Não tenho conhecimentos nem meios de obtê-los, mas nada disto abaixaria a frebre provocada pela “midiatite” que ele diagnostica no início do post.

    Não adianta resolver nenhum destes problemas, caso existam, pois os objetivos da mídia são outros e vão continuar com o bombardeio.

  6. Diante das circunstancias

    Diante das circunstancias politicas atuais, esse post representa o mais importantes editorial da historia deste blog.

    Entre todas as incompetências citadas, faltou a mais preocupante, isto é, a dificuldade do governo para se comunicar, falar sobre suas metas, apontar suas dificuldades, apresentar defesas contra acusações.

    Na ausência total de canais de comunicação,esse blog era um dos poucos espaços onde as razões do governo poderiam ser entendidas.

    Ate isso esta perdendo.

    E se continuar assim vai perder também as eleições, para desgraça do pais.

    Apesar de todas as fraquezas do governo petista, a volta da direita significara um grave risco ao nosso futuro.

    Em países com níveis de desenvolvimento semelhantes não existe uma direita comprometida com interesses nacionais.

    Por força de alianças e interesses econômicos interligados esse segmento politico acaba sempre orientado por diretrizes vindas do exterior.

    O principal alvo sera, evidentemente,  o controle de nosso petróleo.

    Isso sem falar em quebras de direitos trabalhistas e de politicas de “austeridade” já conhecidas.

    Dona Dilma tem todos os defeitos apontados pelo Nassif e outros mais.

    Não existe mediocridade maior de que as medidas de Dona Marta, no ministerio da cultura ou as ações de um Mercadante, um Cardozo ou do ministro das comunicações.

    Porem melhor com eles de que nas mãos de um governo comandado por um playboy mineiro ou  um novo playboy do nordeste.

    O Brasil poderia andar mais depressa.

    É verdade.

    Mas controlado pelos aventureiros políticos que se apresentam, caminhara rapidamente para atras.

     

    • Blog crítico

      autonomo,

      Aqui no blog, a péssima comunicação do governo federal já foi motivo de inúmeros comentários, assim como a inoperância de diversos dos 39 ministros – em muitos casos por medo mesmo, já que muitos deles se apresentam como verdadeiras nulidades, um deles Paulo Bernardo.

      Procure nos arquivos e certamente encontrará os posts e as críticas a que me refiro, até porque muitas delas partiram de mim.. 

      Sobre o resto de seu comentário, concordo, mas prefiro não comentar neste momento.

  7. Traduzindo o meu Cândido Nassif

    Basta a presidente Dilma se “enquadrar” no figurino e todos os problemas estarão resolvidos. É tem gente no PT que concorda com isso. E por isso, em vez de fazer a luta política no caso do Mentirão insistiu na defesa técnica. Deu no que deu.

    A bola de ontem, foi André Vargas – a cúpula recomenda a renúncia dele –

    Hoje a bola da vez é envolver Alexandre Padilha – vai recomendar a renúncia da candidatura a governador? -.

    Amanhã recomendam a renúncia da presidente Dilma a reeleição.

    Não me causaria nenhuma surpresa. Basta o dono do PT – Luis Inácio Lula da Silva – manda os cordeirinhos obedecem.

    Triste!

    Mas é a verdade nua e crua.

    O que fazer?

    Desde ontem, José Dirceu lançar a sua candidatura a presidente do partido.

     

     

     

     

    • Dono de partido

      Brigulino,

      E desde quando, desde qual dia partido político passou a ter dono?

      Quem tem dono é time de futebol de várzea, o que o PT tem é um presidente frouxo e incompetente, este Rui Falcão -dentre outras pérolas, duas, aquele comportamento rasteiro na CPI do Cachoeira e agora, a pedir pelamordedeus a renúncia de um dos seus, é ou não é um fracasso ambulante como líder partidário? E uma bancada parlamentar que chega a dar pena, quase todos ali à espera de um minuto de glória no JN e a se aproveitarem das benesses que o cargo temporário oferece.  

      • A vida como ela é

        As coisas como elas são!

        No papel é óbvio que nemhum partido tem dono. Na prática muitos tem. Uns são donos absolutos, outros são donos de diretórios regionais, estaduais e municipais.

        Exemplos: O PSB é de Eduardo Campos, o PMDB tem vários donos, PSDB idem e por aí vai.

        Pior que o PT está seguindo pelo mesmo caminho. Lula manda o partido obedece!

        Repito: Triste!

        É por isso que vou me filiar ao PT, para no outro dia lançar a candidatura de José Dirceu a presidência e começar fazer oposição a reeleita presidente Dilma Roussef.

        O Brasil precisa de uma oposição de verdade, não de uma oposição incompetente e sem projetos que temos hoje.

      • Ao ler o seu comentário

        Ao ler o seu comentário (principalmente a primeira questão), Alice e Pollyana respiraram aliviadas.

  8. Um excelente artigo para fundamentar meu comentário abaixo.

    Mídia corporativa e Instituto Millenium, aliados dos EUA, usam ‘indignados úteis’ para transformar o Brasil numa nova Venezuela 

     

    Instituto Millenium
    organograma feito por Colin Edward Brayton

    Quando se fala em Lei de Meios; quando se faz o programa Mais Médicos trazendo médicos do exterior, em sua grande maioria de Cuba, para realizar trabalhos em áreas em que nossos médicos brasileiros se recusam a trabalhar; quando se participa ativamente do Mercosul e se toma atitudes independentes dos EUA, como a crítica severa – o verdadeiro pito – que a presidenta Dilma passou no presidente Obama, a respeito da espionagem estadunidense; quando o governo age desse modo, a mídia corporativa o acusa de estar “Venezuelando” o Brasil.

    Mas quem está querendo transformar o Brasil numa Venezuela (não no que o chavismo e a revolução bolivariana trouxeram de positivo para aquele país – fim do analfabetismo, assistência médica, participação popular no governo, fim da subserviência aos EUA ), quem está querendo fazer a venezuelização do Brasil é a mídia corporativa, que estimula diariamente o preconceito – evidenciado na reação dos médicos brasileiros à importação de estrangeiros pelo programa Mais Médicos -, a ocupação dos antigos espaços nobres pelos emergentes, essa “gente diferenciada” que tomou de vez aeroportos, shoppings, restaurantes, antes frequentados apenas pelos que em geral têm como medida de suas vidas os EUA, e que hoje se ressentem da dificuldade de encontrar mão de obra barata, ou até em condições análogas à de escravidão…

    A partir do Instituto Millenium, eles estão montando seus exércitos com pistoleiros, antigos e recém recrutados (não vou citar nomes, pois todos sabem quem são eles) para diariamente disparar contra o governo.

    Basta visitar a página de comentários de qualquer um desses recrutas, soldados ou oficiais do porcalismo (palavra divulgada por este blog – sorry, o diabo é sábio não porque é diabo, mas porque é velho…) vendidos para ver o efeito devastador que causam na cabeça daqueles que chamo, desde 2005, de “indignados úteis” (leia abaixo postagem de 2006 sobre eles), zumbis ressentidos, que se alimentam de ódio e recalque diante do empoderamento de milhões de brasileiros.

    Abro parêntese: Também sobre esse tema dos indignados, leia esta postagem  de 2008 “Nem Civita lê a Veja” em que o editor da revista e presidente do Grupo Abril, Roberto Civita, defende o  governo Lula e define assim os leitores de Veja:

     

     

    Roberto Civita: “… Os leitores clamam, (…), querem que a sua revista se indigne. Eles querem. Os brasileiros, hoje, não posso falar de outras partes do planeta, mas os leitores de Veja querem a indignação de Veja. Eles ficam irritados conosco quando não nos indignamos. Estou tentando explicar, não justificar. Acho que Veja se encontra toda semana na difícil posição, de um lado, de saber que reportagem é reportagem e opinião é opinião, sendo que não tem editoriais além daquele da frente; e, de outro, sabendo que os leitores…”Fecho parêntese.

    Leia agora a postagem sobre os indignados úteis, de 2006: 

     

    O país dos ‘indignados úteis’
     
    “Lula e o mensalão, os males do Brasil são”
    – Mantra dos Indignados úteis
    Quando criei a expressão nunca imaginei que pessoas tão inteligentes, espertas, cultas e interessantes um dia parariam aqui neste blog. Mas, foi só eu fazer a postagem aqui abaixo sobre o divertido blog do Reinaldo Azevedo, para elas aparecerem. Como borboletas monarcas, chegaram aqui em panapaná. Sem cerimônia invadiram a área de comentários, mas, especialmente, entupiram minha modesta caixa postal com suas mensagens raivosas.

    Muitos indignados por serem chamados de “indignados úteis” – embora a designação não atinja a todos. O “indignado útil” não é um indignado qualquer. Nem é – como eles parecem crer – todo aquele que critica o presidente e quer vê-lo longe do Palácio do Planalto, porque acha que Alckmin (ou outro candidato qualquer) será melhor para o país.

    O “indignado útil” é uma categoria especial dentro da classe dos indignados. Guarda parentesco com o “inocente útil”, usado como massa de manobra. Dois aspectos os diferenciam: primeiro, o “indignado útil” não tem nada de inocente; segundo, o “inocente útil” achava que agia para o bem do Brasil, já o “indignado útil” quer que o Brasil se dane, o que ele deseja é ferrar Lula e o PT – ou, no dizer honesto de seu porta-voz, “ver-se livre dessa raça pelos próximos 30 anos”.

    Se ainda não está claro, dou um exemplo de “indignado útil”: Diogo Mainardi. Basta ler sua última coluna, onde ele declara que vai tapar o nariz e votar em Alckmin, mesmo achando que “Geraldo Alckmin é um mau candidato, tem um mau partido e, se eleito, será um mau presidente”. O país que se dane, desde que Lula e o PT saiam do poder. Eis o “indignado útil”.

    http://blogdomello.blogspot.com.br/2014/04/midia-corporativa-e-instituto-millenium.html

    • Ze ruela Cardoso é aquele

      Ze ruela Cardoso é aquele militar de uma foto , que fez a alegria do PiG e coxinhas,   empunhando  uma espada na comemoração do 7 de setembro aparenta estar a enfia-la nas costas de Dilma.

      Acorda Dilma.

      O problema é que ela não tem qualquer traquejo político e se aliou a traíras zé ruelas.

       

  9. As vezes algumas palavras

    As vezes algumas palavras duras e diretas ditas por amigos, fazem um bem enorme para a alma! 

  10. Os rumos e as metas dos governos do PT

    Então o que é o novo?

    O novo no nosso país é o que já foi velho e agora recentemente enterrado nas nações chamadas desenvolvidas; inclusão social, baixos índices de desemprego e redução da pobreza e extinção da miséria se constituiu no primeiro plano (rumos e metas) de desenvolvimento do governo do PT e se inicia com Lula.

    Esse é um processo que ainda está sendo feito e corre o risco de haver retrocesso nesta caminhada, caso não haja a reeleição de Dilma, como já preconizaram alguns dos economistas que dão lastro ao pensamento oposicionista do governo do PT ao afirmarem que o nosso atual índice de emprego é inflacionário e que o governo gasta muito com as políticas de inclusão.

    Sobre a infraestrutura como o segundo plano (rumos e metas)  de desenvolvimento que o PT tem exercitado, após a sua primeira meta de erradicar a miséria e pobreza:

    1) Qualquer análise sistêmica observará que o desmonte da nossa infraestrutura se deu no meio do período militar e se manteve nos governos seguintes até a chegada do PT ao governo, e apenas para citar o verdadeiro “apagão” elétrico no governo FHC;

    2) É uma injustiça e má fé citar os nossos problemas no setor da infraestrutura e colocá-los no colo do atual governo quando, quando há muito tempo não se via a melhoria deste setor até a chegada de Lula ao poder. São as inaugurações de várias hidrelétricas e outras matrizes energéticas, vários leilões vitoriosos para os portos, aeroportos e estradas, a retomada do importante meio ferroviário com as ferrovias Leste – Oeste, e a Norte – Sul com as suas várias “espinhas” (ramais perpendiculares).

    Ainda sobre o “novo”

    O terceiro plano (rumos e metas)  de desenvolvimento do projeto do PT se dá na área da educação, e aqui já se podem observar as inúmeras inaugurações de escolas técnicas e novas Universidades, a melhoria da disponibilização de recursos federais para que municípios e estados invistam no setor educacional de suas responsabilidades. A vitória do governo na disputa pela destinação dos riquíssimos royalties do petróleo para a área da educação. A criação de um salário mínimo para os professores muito mais alto do que era pago anteriormente. Os vários planos de acesso às universidades, o financiamento público para alunos, as cotas, o Enem, são inúmeras medidas que irão permitir e facilitar o acesso de todos a esta carente e destruída área importantíssima para o desenvolvimento de qualquer país.

    O quarto plano (rumos e metas)  de desenvolvimento se dá na área de diversificar a economia pelas diversas regiões do país, e mesmo o candidato Eduardo Campos deveria agradecer e mencionar tudo o que o Governo Federal fez para a sua região (nordeste) e mais especificamente para o seu estado de Pernambuco o que lhe proporcionou que fizesse um governo de “realizações” e o colocou como um suposto bom gestor.

    Portanto, o “novo” está sendo feito e qualquer tentava de se buscar o outro “novo” sem que antes se consolide o que está sendo feito, e mencionado acima, que é preliminar, obrigatória e essencial, uma verdadeira condição “sine qua non” para o desenvolvimento, cairemos nos mesmos erros de governos anteriores que priorizando com sofismas o que estava à frente, o que era o “novo”, permitiu que a educação, saúde e transportes públicos fossem sucateados, provocou a imensa massa de desempregados e manteve os altos índices de miséria e pobreza que o Brasil viveu até tempos bem recentes.

  11. Eu acho que ela precisa

    Eu acho que ela precisa liderar sua equipe. liderar seu povo. É o que se espera do Príncipe.

    Não sei quem é o autor, mas acho este um bom conceito de liderança:

    “o líder deve contribuir para que seus liderados observem freqüentemente o seu próprio comportamento pessoal e profissional, buscando identificar os seus próprios pontos fortes e os pontos fracos, direcionando-os para a busca de melhorias contínuas, tanto no aspecto técnico quanto no comportamental. Precisa ajudar as pessoas a encararem a realidade e mobilizá-las para que façam mudanças, a assumirem a responsabilidade pelo próprio desenvolvimento e resultados para que façam hoje além do que fizeram ontem e para que despertem para novos desafios a cada dia.”

     

    O Rei, o Vaidoso, o Bêbado, o Homem de negócios, eram bizarros. 

    O Acendedor de lampiões era o único que se ocupava de outra coisa que não ele próprio.

     

     

  12. Eu acho que ela precisa

    Eu acho que ela precisa liderar sua equipe. liderar seu povo. É o que se espera do Príncipe.

    Não sei quem é o autor, mas acho este um bom conceito de liderança:

    “o líder deve contribuir para que seus liderados observem freqüentemente o seu próprio comportamento pessoal e profissional, buscando identificar os seus próprios pontos fortes e os pontos fracos, direcionando-os para a busca de melhorias contínuas, tanto no aspecto técnico quanto no comportamental. Precisa ajudar as pessoas a encararem a realidade e mobilizá-las para que façam mudanças, a assumirem a responsabilidade pelo próprio desenvolvimento e resultados para que façam hoje além do que fizeram ontem e para que despertem para novos desafios a cada dia.”

     

    O Rei, o Vaidoso, o Bêbado, o Homem de negócios, eram bizarros. 

    O Acendedor de lampiões era o único que se ocupava de outra coisa que não ele próprio.

     

     

  13. O caráter centralizador tem

    O caráter centralizador tem um motivo claro: geralmente, o brasileiro, quando tem oportunidade, rouba. É só ver a quantidade de escândalos diários (não seria esse um motivo por que a federação brasileira, por si só, é tão centralizada?). Daí ela ( se acha exceção e não rouba), não confia em ninguém. 

  14. Dilma suas qualidades e seus defeitos

    Pode ser que me engane, mas todo mundo quer se livrar da Dilma.

    O movimento volta Lula vai aumentar muito, hoje seu maior inimigo.

    Dilma é honesta e tem estômago, não confia nos motivos dos aliados!

    Quem centraliza leva 100% dos méritos, mas fica com 200% dos erros.

    O custo pessoal de ser Presidente está ficando cada vez maior!

     

    • Engano total

      Auditor não casdtrado,

      Você está reondamente enganado, deve acreditar de joelhos nas fantásticas “interpretações” das recentes pesquisas de opinião, você não pode ser auditor.

      Prá te ajudar- movimento Lula só existe na cabeça de camundongos ou das ratazanas de oposição, de DRousseff você demonstra não entender uma linha, em resumo, você é um tucano que não tem em quem votar.

      • Há conrovérsias

        Reconhecer os erros não é ser tucano e ao não reconhecê-los corremos o risco de sermos classificados como avestruzes.

        • Engano

          Helio não cadastrado,

          Em minha opinião, o comentário a que critiquei não tem qualquer sinal de reconhecimento de erros, é de tucano enrustido, e quanto à síndrome do avestruz, não comigo – acompanhe o blog.

  15. Dilma suas qualidades e seus defeitos

    Pode ser que me engane, mas todo mundo quer se livrar da Dilma.

    O movimento volta Lula vai aumentar muito, hoje seu maior inimigo.

    Dilma é honesta e tem estômago, não confia nos motivos dos aliados!

    Quem centraliza leva 100% dos méritos, mas fica com 200% dos erros.

    O custo pessoal de ser Presidente está ficando cada vez maior!

     

  16. No início do governo, ela

    No início do governo, ela enfrentou muitos problemas de greves de servidores. Foi intransigente . Demorou demais para negociar. Deixou engrossar a fileira dos descontentes. A maioria dos servidores que pertencem ao PGPE – Plano Geral de Cargos do Poder Executivo conseguiram 15% de reajuste salarial para ser pago em 3 anos, ou seja 5% de reajuste ao ano.

    Foram muitas manifestações e a demora excessiva para negociar com os grevistas abriu espaço para outras categorias que aproveitaram a oportunidade de engrossar a fileira dos descontentes. O poder judiciária reivindicava mais de 50% de aumento, depois de muitos protestos foram obrigados a aceitar também os mesmos 15%.  Os cargos considerados  carreira de estado – TCU, CGU, Receita Federal, Bacen, STN, SOF etc – também reivindicavam reajustes. Foram chamados de sangue azul pela Presidenta. Criou ai um grupo de insatisfeitos. 

    As agências reguladoras não aceitaram o acordo dos 15% e extenderam os protestos por muito tempo. O mais grave foi o caso da  Polícia Federal. Eles também não aceitaram o reajuste. Eles exigem uma total reestruturação das carreiras. Na época ouvi dizer que o pedido deles elevaria o salário de um agente federal ao que recebe um delegado da PF, por volta de 15 mil, e o salário dos delegados iria ao correspondente de um promotor do MP, por volta de 25 mil. Naquele momento, não teria como  a Dilma conceder tal aumento, pois reabriria o movimento grevista já encerrado com a grande maioria do PGPE. Também faltou disposição para negociar e conduzir a questão. Criou-se um movimento de descontentamento muito grande dentro da PF com o governo. Talvez, explique o “vazamento” de informações sobre o Padilha e outras operações recentes da PF. 

    O governo ficará marcado pelos protestos que iniciaram no primeiro ano de seu mandato. Inicialmente reivindicações grevistas de servidores, depois os protestos contra a corrupção e copa.

    Que a Dilma tem boa intenção e bons planos para o Brasil, não tenho dúvidas.Mas quanto sua capacidade de delegar decisões, desarmar e/ou resolver focos de conflito rapidamente antes que deflagrem, não tenho certeza. 

  17. Dilma tem rumo e tem método.

    A manipulação é que está criando a noção de falta de rumo e método.

    Quando vou buscar a minha filha no colégio converso com alguns pais. A ladainha é idêntica ao que sai na mídia.

    Bolsa família eleitoreira, ninguém quer trabalhar, eu digo: – Como? Se os índices de emprego são recordes?

    O Brasil está parado. Respondo: – Como? Se grandes obras de infraestrutura estão sendo realizadas e a qui mesmo em Salvador inúmeras obras de infraestrutura viária estão sendo vistas?

    Trata-se da maior campanha difamatória da mídia contra o governo e contra o país.

    Os blogs alternativos têm que se posicionar com firmeza porque não se trata de apenas exercer o jornalismo independente, é preciso se descolar do negativismo contaminador e que está servindo de pauta.

    • (Bolsa família eleitoreira,

      (Bolsa família eleitoreira, ninguém quer trabalhar, eu digo: – Como? Se os índices de emprego são recordes?)…Faça uma análise mais profunda e me diga qual a renda per capita desses empregos?? Você faz idéia da renda per capita???  Ou vai vim falando do PIB do Brasil (lógico, com 200 milhões de pessoas aqui dentro é natural que seja grande, mas e a renda per capita), e o IDH ? Ja ouviu falar ou conhece?

      (O Brasil está parado. Respondo: – Como? Se grandes obras de infraestrutura estão sendo realizadas e a qui mesmo em Salvador inúmeras obras de infraestrutura viária estão sendo vistas?) Tudo custeado pelo governo. Quem é louco neste momento de investir um unico centavo num país onde a governante acha que pode dar uma canetada e resolver os problemas??? Só quem tem uma folha de pagamento e tem que escolher entre investir forçado ou demitir? (provavelmente, o amigo deve ser servidor publico federal e tem a vida tranquilinha sem nem imaginar o que de fato ela é)

      (Trata-se da maior campanha difamatória da mídia contra o governo e contra o país.) Todos os outros são os culpados, menos eles mesmo né? Como fica chato dizer que a culpa é de FHC (faz muito tempo né, embora estão ensaiando…os próximos discursos vão ser na época de fhc e no periodo do PT..porque da gerentona num da pra comprar nada né).

      (Os blogs alternativos têm que se posicionar com firmeza porque não se trata de apenas exercer o jornalismo independente, é preciso se descolar do negativismo contaminador e que está servindo de pauta.) E eu ja acho que algumas pessoas ou tem que começar a enxergar os fatos como são ou, provavelmente, tem alguma boquinha e alguma tetinha em algum lugar e querem se manter la, qual será?

       

      Cristian

      • Salvação do blog

        Cristian Barone não cadastrado,

        Ainda bem que você baixou por aqui, assim poderá explicar pros burraldos daqui o que significa este tal de IDH.

        Investir forçado deve ser mesmo uma dureza, quilômetro de estrada a 10 milhões é risco demais, certo ?

        Quanto a enxergar os fatos como eles são, quais e como seriam eles? Saia do muro e traga estas suas certezas. 

    • Assisnão seja mais realista

      Assis

      não seja mais realista que o rei. De pessoas muito próximas a Dilma, e que querem o seu bem, tenho recebido apoio por fazer a crítica que tem que ser feita. Dela próprio já tive o reconhecimento de que aqui se pratica a crítica de quem quer ver a melhoria do governo.  Estou na linha de frente contra todas as manobras golpistas. Mas não me peça alinhamento cego de militante. Eu nao me baseio em jornais. Faço minhas observações conversando com pessoas, com ministros, com mebros do governo, com empresários, com sindicalistas, com educadores, procuradores, juízes.

      • Disso,

        se pode fazer a seguinte ilação: a Tia Dilma sempre passa por este blog. E não será surpresa se ela também comenta  por aqui usando algum, digamos, pseudônimo. 

      • Voce tem todos os méritos

        Voce tem todos os méritos Nassif.

        Realmente voce antecipou lá atrás, no início do Governo, essa postura da Dilma, bem como diversos erros dela como a questão das isenções sem planejamento, a questão da gasolina/etanol, os campeoes do bndes, etc…

        O nosso papel deve ser mesmo este, de fomentar o debate e fazer a crítica consistente ao Governo, que se continuar na ilusão de perfeição caira do cavalo muito mais rápido.

      • Metendo a colher onde não devia

        Nassif, meu Cândido

        Você tem autoridade intelectual e mais ainda Moral para fazer críticas a presidente Dilma ou a qualquer outra autoridade, seja de qual setor seja – governo, oposição, juduciário, legislativo etc -. Mas, no momento acho que você está absolutamente errado – não nas críticas – mas, na ilusão que:

        Se Dilma fizer isso…

        Se Dilma fizer aquilo…

        Se Dilma fizer aquilo acolá…

        Preste atenção:

        SE Dilma fizer o ” Sertão virar mar e o Mar virar Sertão “, essa oposiçãozinha de MERDA vai criticar do mesmo jeito. Portanto você continua iludido se quiser. 

        Essa é a verdade e ponto final!

         

        • Creio que posição do blog e a

          Creio que posição do blog e a nossa deve ser de buscar o melhor para o País independente do que a oposição pensa. Neste sentido é sempre útil críticas construtivas ao Governo Dilma, coisa que o Nassif tem feito com maestria há bastante tempo. Ele antecipou muitas dessas críticas que agora estão virando quase que consensos.

      • Nassif.

        Você tem todo o meu respeito e admiração.

        Sou um colaborador, mais que um comentarista. É dessa forma a minha participação assídua neste blog, o qual reputo o mais confiável da internet.

        Portanto, não lhe peço alinhamento cego de militante, mesmo porque também faço criticas ao governo aqui neste espaço.

        O fato a que me refiro é que se tem muito pouco espaço nas mídias (tradicional e alternativa) para contraponto às mentiras que saem ditas pelos quatro cantos.

        Apenas um alerta para não ceder à tentação de se seguir correntes majoritárias neste mundo tão dicotômico e maniqueísta, principalmente nos aspectos econômicos onde foi dito que o Brasil vai mal e fomos um dos países que mais cresceram no ano passado.

    • Mas manipulação sempre houve,

      Mas manipulação sempre houve, Assis. Desde o primeiro ano do primeiro mandato de Lula o pig bate nos governos do PT. 

      A diferença é que Lula defendia seu governo no debate político. E delegava poder para isso a cada um de seus ministros e subordinados. 

      A impressão que se tem é que a Dilma desistiu de aprender a fazer política, talvez inibida pelo fato de que nunca chegará ao nível de seu padrinho, um gênio político. Daí resolveu esmerar-se em sua especialidade, a de gestora séria e competente.

      Talvez por isso não está admitindo um errinho sequer de gestão. E como nos informa o Nassif, quer participar de cada detalhe de cada projeto.

      Ser presidente como Lula ensinou é ser o maestro, o regente de bons músicos, nos quais ele tem que confiar. A Dilma quer reger e tocar os instrumentos. Daí põe “músicos” omissos como o Cardoso e o Paulo Bernardo

  18. Uma pergunta?

    Toda reportagem vejo crescimento acima de 10%, como o PIB cresceu somente 2,1%. Então tem setores da economia com crescimento negativo?

    E a Dilma tem método e tem rumo.

     

    • A matéria fala de uma empresa

      A matéria fala de uma empresa de um setor.

      Sempre tem empresa crescendo 10, 20% e empresas quebrando. Atividade empresarial é de alto risco, sempre foi.

      Mas também existem setores crescendo mais e outros decrescendo.

      • No meio empresarial em que

        No meio empresarial em que ando, caro Quireza, a midiatite tem pegado pra valer desde março ou abril de 2003. Sou, de forma, bem ligado à CDL em minha cidade, tipicamente de comerciantes e pequenos prestadores de serviço… não ouvi até hoje um só elogio ao governo do PT. Umzinho, sequer. No entanto todos tem crescido.

        A mídia, ou seus proprietários, venceu. Essa é que é a realidade. O governo do PT esqueceu de que “não baste ser a mulher do Cesar; tem de parecer que é a mulher do César!” Torçamos pelo menos pior doravante.

      • PIB

        O PIB é avaliado considerando a perda da inflação?

        Porque é difícil entender, num país com taxa de desemprego baixa, o salário mínimo ser reajustado em 5% aa, se não tem empresas desempregando, então é porque estão crescendo acima de 5%. 

        Ou então, empresas capitalistas estão levando prejuízo para ajudar os trabalhadores…

        Por isto é que o PIB está mal calculado.

        • O crescimento do PIB é sempre

          O crescimento do PIB é sempre real, ou seja, acima da inflação.  Por ex, se o PIB cresceu 2,5% e a inflação do ano foi de 6%, significa basicamente que o crescimento nominal foi de, em torno de 8,5%, já que, porcentagem, a conta de somar é aproximada.

          Existe sim, algumas empresas que operam muitos periodos no vermelho. Atividade empresaria não é como ganhar salário todo més, requer planejamento bem maior. Mas é claro que com prejuizos consistentes ninguem aguenta sobreviver.

  19. Se Lula não voltar, o Brasil já era.

     

    Dilma não aguenta mais um mandato nessa posição subalterna à mídia. E o Brasil não aguenta mais ser apedrejado sem que ninguém possa defendê-lo. O PT que sentou em berço esplêndido depois que chegou ao poder também não conseguirá se manter como aquele partido do povo.

    Adeus, salário mínimo, adeus Petrobras, adeus consumo de geladeiras, adeus viagem à terra natal, adeus empregos. Adeus mundo cruel.

  20. Dúvida quanto a abrangência

    Concordo que exista a manipulação na velha mídia, e não dá pra negar seu impacto, mas hoje eu tenho muito menos medo disso do que a 15 anos atrás.

    Por mais que a velha mídia bombardeie a cabeça do povo com manipulação, a abrangência desse ataque é cada vez menor.

    Nós que somos “classe média” vivenciamos isso muito mais de perto, pois fazemos parte da classe que mais consome esse tipo de mídia, frequentamos mais ambientes povoados pela classe média, como um escritório por exemplo.

    Tirando a parcela dessa classe que não se deixa alienar, sobra o mesmo eleitorado da direita de sempre, que não faz uma análise crítica da situação e apenas consome a informação da velha mídia.

    E pelo que eu vejo no meu âmbito pessoal, no meu pequeno universo de amigos do Facebook por exemplo, eu noto que existem mais pessoas saindo desse círculo vicioso de alienação do que entrando. Quando alguém deixa de agir como um torcedor, defendendo cegamente o seu “lado”, e começa a ser um cidadão pensante e questionante é muito mais fácil fazê-lo mudar de lado.

    E é nosso dever continuar com esse processo lento e contínuo de formiga, de desmentir boatos e notícias enganosas. E viva a iinternet e as redes sociais!

     

    • Disse tudo, trata-se mesmo de
      Disse tudo, trata-se mesmo de um trabalho de formiguinha.

      Os fanáticos de direita tem afastado os neutros com seus discursos de ódio. Sobraram apenas os irremediáveis, que passam o dia a repercutir o que diz a Globo e a mídia corporativa em geral. Com esses, já desisti de qualquer argumentação.

      Os neutros já notam bem o quão tendencioso está o noticiário, o quanto as “famiglias” estão pesando a mão.
      Perguntas simples, em geral, os fazem perceber que existe sim um contraponto ao jogral da velha mídia.

      Um que fazemos pensar, que conseguimos despertar nele um senso mais critico e, ptincipalmente a total ausência de propostas por parte da oposição, já eh lucro.

      Nota: percebo que, aos poucos o racionamento de água em SP vai se tornando um tema bombástico entre os neutros.

    • escreveu muito bem. Ainda há

      escreveu muito bem. Ainda há pessoas que acham que a velha mídia não tem mais o poder que tinha. Infelizmente a nossa presidenta é uma, porque acredita mais no controle remoto.

      Tenho certeza que se não fosse o terrorismo diário da mídia o Brasil estaria muito melhor do que está e a DILMA seria reeleita vom uns 70% dos votos. A mídia, associada ao PSDB e STF/MPF estao impedindo o PT de governar.

      Além do mais, estão criando expectativas negativas nos negócios, principalmente os pequenos, que são administrados muitas vezes por pessoas que não tem conhecimento técnico e administram empiricamente. O mau humor destes uma hora chega nos médios, que chega nos grandes.

      Vejam o que a mídia fez quando o BC baixou a selic para 7,25. mesmo com a inflação controlada, gritavam o dia inteiro que a inflação estava descontrolada e arregbentaria o país. Teve até uma palhaça usando colar de tomate perante o brasil inteiro. Aí, O BC aumentou os juros para mais de 10% e acalmaram um pouco. mas, diariamente falam a palavra inflação umas vinte vezes para manter o BC nas cordas.

      Acorda Dilma. Controle remoto não resolve. Lei de médios pode ajudarr. Cobrar impostos e investir menos em publicidade pode deixar muitos nervosos, mas já seria uma reação.

       

  21. chefe de Estado ou Governo

    Acumular a chefia de Estado e Governo, é demais, ninguém aguenta…

     

    Penso que a Presidenta deveria estar focado na chefia de governo. Uma chapa com Lula/Dilma, Presidente e Vice, creio que seria o ideal.

  22. Dilma, o  poste.
    Comandada

    Dilma, o  poste.

    Comandada por Lula.

    Lula conversador e preguiçoso.

    Dilma, a  dama de ferro, elogiosamente comparada à Margaret Thatcher.

    Dilma, centralizadora .

    Dilma (governo) sem rumo.

    Agora

    Dilma sem método.

    Ouvimos isso repetidamente na grande mídia.

    • Caro Assis, voce tem sido o

      Caro Assis, voce tem sido o contraponto  mais veloz

      e incisivo ao Nassif. Por vezes, desnuda-o.

      Um comentarista alcunhado de “autônomo” chegou ao

      ponto de afirmar que este “editorial” foi o melhor que

      o Nassif escreveu nos últimos tempos.  Exageros à parte,

      deve ter passado batido pelos seus  que, neste caso,

      defendem justamente o oposto e deixam o dono do blog

      pendurado na brocha. Mas este sabe onde faz lenha.

  23. Pessimismo individualista

    O poder se funda sobre o pessimismo individualista.

    Olvidar as premissas básicas em que se assenta nossa sociedade não constuma trazer bons augurios.

    Querer subverter a ordem existente sem colocar nada no seu lugar costuma dar problemas.

    O governo do povo, no Brasil, está sendo manejado por amadores.

    A elite que nos explora e açambarca penhoradamente agradece.

    Acorda, Dilma!

    • Giordano Bruno em Oxford

      Dando suporte, temos em Giordano Bruno o que é a evolução do livro o Príncipe do Machiavel, em De Vinculis en genere.

      Ninguém no mainstream vai citar, mas é o que todos usam. Vamos para um novo acordo, um novo conscenso, um onde o povo  e a nação possam ter voz e direitos, não somente deveres.

      Nem …, nem ninguém mais, vai falar sobre isto, mas é o que funciona no mundo político moderno.

       

      Colado de <http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/a-ordem-natural-da-economia-politica-por-belluzzo#comment-644965>

      Reflections on the De vinculis in genere , by Giordano Bruno

      At Oxford University, Giordano Bruno’s brief, obscure but very profound work, De vinculis in genere , is considered a cornerstone of modern political thought on the par with Machiavelli’s Prince.

      In fact, many Anglo Saxon and Middle European historians and intellectuals consider De vinculis in genere modernity’s most intelligent and insightful political work. The LondonSchool of Economics uses it as a core text because of its usefulness in understanding behavior patterns in contemporary social life.

      Man, created by nature as a being who “desires” and tries to find fulfillment and completion outside of himself, is at the centre of Giordano Bruno’s work. Man’s desire is of a connective nature, it seeks union, and thus is primarily erotic – in the most spiritual and all comprehensive meaning of the word – and is capable of accepting both instinctual elements and ethereal and mystical contemplations.

      For this reason, among its many characteristics, the Eros is capable of creating fanciful mental images both in one’s own mind(as originator) and in that of others (those who as loved ones benefit from their lovers’Eros ). This is because the Eros is an experience that can kindle and spill over into psyche of other persons. In interpersonal relations this capacity for erotic suggestion allows for the creation of links and ties as for example, and in various forms, between two lovers, two friends, among members of a group or a political party, between a leader and his followers. And in politics it is the Eros – and not reason as Aristotle would have it – that is the essence of the connective tissue that ties together all of the parts of the whole, meaning society.

      Seen from this angle, the point of encounter between those who wield power and those who yield it finds a place of compensation and equilibrium – the so-called consensus. A politician does not base his decisions so much on force and violence as on the art of consensus. And a politician can achieve this if the will of the people is taken into account. Government with consensus on reciprocal guarantees – that’s what we see in advanced democratic systems, notwithstanding any distortions.

      Evolved democratic countries usually commission sophisticated and detailed market research on everything: to interpret the tastes and tendencies of their citizens and, above all, to understand their hidden desires, their secret pleasures.

      Advertising is full of erotic messages, some blatant, some subliminal. It is government by manipulation of the consumers and by lifestyle inducements. Basically, the shift from Machiavelli’s logic to Bruno’s consists in a recalibration of the image of man and how he functions in society.

      From Machiavelli’s brute force with an infinite potential for vice and virtue to Bruno’s capacity for desires and infinity. The driving mechanism is the Eros, in all its variations, and its grasp on the rational and the imaginary mind. It is imagination that conquers the political throne, not force. And so the politician becomes the clockmaker of man’s dreams and aspirations, of clubs, associations and social groups. His aim is to create, identify, channel and guide the desires that spring from man’s erotic nature.

      In addition to reflection, this system also has an “operating” element. It is here that the philosopher/politician takes on the roles of artist/magician. A modern leader takes command, but not in the rigid Machiavellian way nor in Gramsci’s variation of party-prince. For Bruno, gaining and maintaining power is a “magical” operation (in the true sense of the word) because while the end is the same (having control of the situation) what changes is the means (persuasion). Just like a lover casts a magic net around the object-subject of his love with gestures, words, services and gifts, so “society’s magician” casts the net of his fantastic vision over the world to capture his “prey” by means of his consent.

      In Machiavelli’s republican vision, the citizen is, at the most, a complacent subject, in Bruno’s the citizen is a lover to be conquered and tied. Bruno calls this chain of operations “vincolare” (to win) and his procedures are given the generic name for ties, that is “vincula”. Politics is not the Machiavellian science of command and power but the art to understand how to manipulate the mind of people and individuals.

      Bruno deals with the problem from the manipulator’s point of view. He is the theoretician par excellence of modern politics.

      Centuries later, it will be up to Sigmund Freud (in his famous work on mass psychology and analysis of the ego, 1921) to study the same psychological phenomena and the relation between power from the point of view of individuals (and not politicians) the masses and the individual.

      While Machiavelli’s Prince is the ancestor of the adventurer-politician, Bruno’s magician is the prototype for the impersonal systems of mass media, self-censorship, global manipulation and brain trusts that fascinate and control the masses of western democracies.

      The magician’s capacity to control citizens is in direct proportion to his knowledge of them and his ability to tap into what they desire the most. And this applies both to groups of citizens taken as a whole and to each individual citizen. All of humanity filters through the love-Eros funnel, which is deemed stronger than the will. (It is in this sense that Bruno is Nietzsche and nihilism’s strongest adversary because the love-Eros principle is a universal one that ties everything in the universe to everything in the universe and thus to its creator to whom everything is tied. The desire for power of Nietzsche’s man finds fulfillment in the abyss into which he sinks due to a lack of support or ulterior goals. Bruno’s erotic man, however, is not lubricious or satanic. He can love wealth, sex, and power in its many forms, both erotically and voluptuously, but these dimensions, which – ultimately – are only marginal ones do not extinguish his drive. According to Bruno, everything leads back to love as the vital essence of the universe. What about jealousy? It is the self-love of someone who does not tolerate superiority or quality in others. Modesty? It is love of honesty. Hate? It is the opposite of love. In neo-platonic terms, Bruno leads all forms of emotion, sentiment and humanity back to the Eros , the one and only daemon magnus . If all of this is but a variation on a single theme and everything leads back to the universal Eros , those who possess and understand it are capable of possessing and dominating everything in the world, even inter-personal and inter-subjective relationships.

      The De vinculis in genere lists, studies and interprets (from a magical and interested point of view) every type of relationship possible between individuals and groups of individuals. Therefore, it is an encyclopaedic catalogue, a practical manual – in fact, the manual – to achieve this superior form of knowledge that unites science and art in a supreme synthesis.

      Bruno’s magician is the well where all the subterranean rivers of the individual and social Eros come together in an infinite network of connections.

      In the US (the western democracy whose internal policies have applied and still apply the procedures described in Bruno’s book) the search for power and its affirmation is made on the basis of consensus.

      Man’s Eros, imagination and faith are the three foundations of this detailed work of progressive connection. They are the three pillars upon which every day research institutes labour incessantly to monitor American social changes. Politicians and financiers view the outcomes of these studies as oracles and they use them to develop their strategies.

      In 1974, after the first serious tensions in the Middle East and the oil crisis, the Gallup Institute, after a poll, indicated that 56% of the American population held entertainers in greater esteem than politicians, perhaps because the latter are more willing to compromise than certain celluloid gunslingers. If we revisit the US’s history we will see that among the politicians that followed the poll we find as president the former actor Ronald Reagan and the current governor of California, Schwarzenegger, he too a former actor. 

      Power moulds and re-moulds until its takes on the shape of the beloved or the lover because its reason for being is its survival, and widening towards erotic and spiritual satisfaction.

      Nowadays consensus is the democratic weapon that in this way allows for increasing development of the parts with reciprocal enjoyment and zero bloodshed. But much more could be said about this consensual “orgasm” between elected politicians and electoral body. As Wilhelm Reich pointed out in his work on mass psychology and Fascism, it is an orgasm that under the Nazi and Stalinist regimes became a collective trance.

      To what degree this Bruno type of universal erotic coupling of both politics and society is democratic in content is still a matter of debate and reflection among the scholars of the London university, given their fear of dictatorial, totalitarian or even populist deviations in its application.

      These academics, and among them Dahrendorf, and the now deceased Eliade and his disciple Couliano, are just the latest scholars to consider the De vinculis in genere a masterpiece.

      The first to recognize the importance of Bruno’s text were the Rosicrucians, as indicated in the texts of P. Arnold and F. A. Yates on the movement’s history.

  24. Engana-se o bloguista ao

    Engana-se o bloguista ao afirmar que Dilma tem rumo, mas não tem método. Simplesmente Didi Carabina não tem nem uma coisa nem outra. Sabe o que falta nela Nassif? Competência. Condição necessária e suficiente a um chefe de Estado. Requisito “sine qua nom” para governar um País que infelizmente a atual presidente nem o seu antecessor jamais tiveram ou terão. 

    Essa senhora pela sua arrogância quando muito deveria ocupar o cargo de sargento de milícia. Se ela tivesse discernimento bastante escolheria você para coordenador da campanha à reeleição ao invés do “terópodas coelurossauros Franklin Martins.”  

    • Presidente competente

      Carlos Alberto não cadastrado,

      Tens razão, competente mesmo é o neto mineirim rsrsrs

      O camarada já ganhou um monte de cabelos brancos sem que tenha chegado ao horário eleitoral, carrega como vice o também competentíssimo ladrão de bancois ANFerreira e tem como curinga Armínio Fraga, aquele que efetivamente governaria o patropi, ou você realmente acredita que o mineirim preguiçoso de cabeça vazia não seria devidamente engulido pela meia dúzia que o teria colocado lá?

      Um pouco de realidade não faz mal a ninguém, e só não falo do outro neto herdeiro pelo fato de ele ser carta fora do baralho. 

      • Menos, por favor.

        Essa história de refutar o que um indivíduo diz mostrando que o outro cara é uma merda não cola mais. Todo mundo sabe da história do rapaz. fica parecendo que pelo fato dele fazer merda automaticamente a Dilma está imune. Menos, por favor.

        • Crítica

          evandro,

          Se ele diz que DRoussef é incompetente para a presidência, é pressuposto que a pessoa prefira o outro, daí eu ter dado a minha opinião sobre o outro, opinião da qual você aparentemente concorda.

          Quanto ao mineirim, ele não faz m.. automaticamente, pois nem disto ele é capaz.

          Você participa do blog há bastante tempo, logo, não  deve ter lido comentário meu na base do ” o meu é ladrão, mas o teu roubou mais”.

          Um abraço

          • Como ?

            Alfredo, esse seu pressuposto é absurdo. A pessoa pode perfeitamente achar a Dilma incompetente e os demais candidatos igualmente ruins, ou ainda piores. É para isso que existem os votos nulo e em branco. Pressupor que “a pessoa prefira o outro” porque critica a Dilma não faz o menor sentido. 

          • Debate

            Carlos Pinheiro,

            Quando alguém participa de debate político, é ou não é pressuposto que ela pretenda votar em alguém?  Mas concordo que, ainda assim, a pessoa pode optar pelo branco ou nulo, o meu caso até que seja abolido o voto obrigatório, em minha opinião uma excrescência totalmente incompatível com democracia.

            Gosto do debate político porque entendo o contraditório como o que existe de melhor para a evolução e melhor compreensão de qualquer idéia. 

             

             

             

          • Voto obrigatório e debate político

            OK, Alfredo. Também considero o voto obrigatório algo que, se algum dia se justificou, não tem mais porque ser mantido. Quanto ao outro ponto, eu apenas quis salientar que a crítica – ou mesmo o desencanto – com um candidato não significa, necessariamente, preferência por qualquer outro. A pessoa pode participar do debate político justamente apontando, por exemplo, a falta de alternativas interessantes (como é o caso da atual oposição, que parece sem discurso e sem idéias).   

  25. Dilma

    Nassif, você também foi atacado pela “midiatite”, “Dilma tem o rumo, mas, (porém, todavia, contudo) não tem o método”

    Tenha paciência, “até tu brutus”!

    Acha você que é possível mudar uma cultura do executar “sem projeto” e atrasar o cronograma, em meia dúzia de anos?

    Você já trabalhou em empresa privada pra ver o caráter do “vamos que vamos” em suas obras, muitas vezes mal feitas e atrasando uma barbaridade?

    Claro que temos de melhorar muito em nossos projetos e em nossos prazos, mas não é um crime só do governo!

    Não tenho dúvidas em afirmar que a mídia é hoje o maior câncro da vida nacional, pois tem um poder descomunal e um interesse público zero!

  26. Rumo e Método

    Pior a OPOSIÇÃO INSANA. NÃO TEM RUMO NEM MÉTODO. Aliás, tem Método, fundado em Maquiavel. DESTRUIR O OPONENTE (como FIM). NÃO IMPORTA DE QUE MANEIRA…  Mais. Tenho mais medo DA DIREITA EXTREMA, que da ESQUERDA REVOLUCIONÁRIA…

  27. O Problema Não É [Só a] Dilma…

    Bom dia.

    O problema não é [só] Dilma e sua visão engessada da política. O maior problema está nas escolhas (quem as faz?) e na Governabilidade. Hoje, no Blogue do CAf, ele diz, textualmente, que “o Zé Pianista via derrubar a Presidente” (detalhes aqui). Perguntei, la: “Não será ela mesma que se vai derrubar?”.
    O que | quem a obriga a manter o quinta?

    • Escolhas

      Morvan,

      No início de seu governo, DRousseff não escolheu alguns de seus muitos ministros, um deles o da Justiça – foi como que obrigada a ficar com o grupo.

      No entanto, a partir de um certo tempo, digamos que dois anos, a metade de um mandato,não é compreensível que aqueles que chegaram de paraquedas e demonstram fragilidades incabíveis para um ministro, o caso nítido de JECardozo. Qual será o motivo para que o incompetente permaneça por lá ? Não vale dizer que é o fato de ele ser, como Paulo Bernardo e outros, um dos ministros amestrados. 

       

        

    • Força Dilma!

      Com certeza a mais honesta de todos os dirigentes dos países desse nosso planeta!!!  Daí os muitos problemas que ela enfrenta!!!   VIVA DILMA!!!!!   DILMA 2014 !!!!! 

  28. Sempre achei seus comentários

    Sempre achei seus comentários tendenciosos à favor do governo. Mas dessa vez julgo a análise correta. Como converso com alguns amigos, nem todos no PT são corruptos. Realmente têm interesse na mudança do “status” do país. O problema é que são muito fracos em termos de formação gerencial e acadêmica. Muita gente acha que dá prá levar um país só no discurso. Mas não dá. E esse negócio de achar me lembra a conversa informal que tive com um engenheiro num vôo para Brasília. Ele comentava que muitos dos pedreiros que a gente contrata informalmente prá uma obrinha egressam de empresas de construção civil. Umas constroem prédios. Outras casas. Aí o pedreiro que construía prédios gasta material que vc constrói 2 casas. O que fazia casas resolver fazer um prédio e ele desaba. Tudo isso pq acham que dá prá fazer algo só olhando e que sabem tudo. Falta o conhecimento técnico e de formação. Esse é que é o problema dos “quadros” do PT. Tem boa vontade, mas não tem conhecimento técnico.

  29. Quando tempo leva…

    A maioria das pessoas não tem idéia de quanto tempo leva para tirar do papel um projeto médio, isso contando que vc já tenha um projeto executivo pronto.

    Um grande projeto, entre produção de projeto executivo e execução propriamente, é muito tempo, entra governo, sai governo e não termina.

    Temos aí 12 anos de continuidade, deu pra concluir bons projetos mas é pouco tempo. Acredito que o próximo governo terá boa maturidade para trabalhar com metodologias na gestão pública.

    Não conheço mas já li a respeito de um sistema centralizado de gestão de projetos que o governo Dilma implantou que é fantástico, mas tem que amadurecer, cirar massa crítica, não é da noite pro dia.

    Implantar e trabalhar com metodologia no setor público não é nada fácil. Um trabalho descomunal de mudança de cultura. Não se pode esperar resultados imediatos.

    Trabalhar com todo mundo contra é muito difícil, mais ainda com fogo amigo.

  30. Entrou uma língua paga aqui

    Entrou uma língua paga aqui que não tem ideias a não ser rebater os comentários dos outros, né Cristian Barone. O pior é que nos toma e nos mede pelas suas atitudes. Faça críticas sensatas, aproveite o debate, coloque seus pontos de vista de forma educada, aqui nãoi é espaço pra baixaria não.

  31. Presidenta Dilma

    Caro Nassif, você fala em inexistência de método quando, na verdade, falta é muita competência ou safadeza na medida em que Estádios foram construídos em valores dobrados aqueles de outros paises que receberam o evento. Enfim, não criou nenhuma infra estrutura durável (Trem Bala, Transposição do Rio São Francisco e etc e tal). Enfim, Lula e Dilma estão no poder fazem quase doze anos e o Brasil continua na estaca zero em relação a educação, saúde, habitação, segurança e etc. e tal. Enquanto isso, JK, em cinco anos, tirou o Brasil de um atraso de cinquenta anos. Aliás, de Sarney da Dilma, só há que se aplaudir o Itamar Franco e mais ninguém. E viva nossa querida Poços de Caldas.

  32. FOGO AMIGO É ISTO AÍ …

    CGU COBRA PUNIÇÃO POR CONTRATO COM ODEBRECHT

     

    Ministro Jorge Hage defende punição aos responsáveis por contrato da Petrobras de US$ 825 milhões com empresa de Marcelo Odebrecht; firmado em 2010 para prestação de serviços em 10 países nas áreas de segurança e meio ambiente, acordo é suspeito de superfaturamento, com preços inflados em até 1.000%

     

    25 DE ABRIL DE 2014 ÀS 09:57

     

    247 – O ministro Jorge Hage, da Controladoria-Geral da União (CGU), cobra da Petrobras punição aos responsáveis por contrato de US$ 825 milhões firmado com a Odebrecht.

    O acordo com a companhia de Marcelo Odebrecht, firmado em 2010 para prestação de serviços em 10 países nas áreas de segurança e meio ambiente, é suspeito de superfaturamento, com preços inflados em até 1.000%. Na época do contrato, a Petrobrás era presidida por José Sergio Gabrielli.

    Além de Pasadena, o contrato previa serviços em unidades no Japão, Argentina, Colômbia, Paraguai, Uruguai, Chile Equador, Bolívia e Brasil.

     

     

      

     

    • Alguém lembra da CGU do  FHC

      Alguém lembra da CGU do  FHC cobrando punição da direção da Petrobrás os absurdos contratos feitos para transforma-la em Petrobrax?

      O Brasil mudou e muito. Os empresários brasileiros não. Continuam conservadores, votando no Psdb, acreditando e contribuindo para esse pessimismo que a imprensa passa para oo seus leitores.

      • Foram 50 milhões de gasto

        Foram 50 milhões de gasto somente para definir o nome e o logotipo.

        Isso sim foi dinheiro jogado fora…

        E sempre é bom lembrar da plataforma de um bilhão que foi ao fundo do mar sem ter gerado um único emprego no país e sem produzir uma gota de pétróleo. Festival de incompetência tucana.

  33. Quase tudo depende do aumento da produção de petróleo

    O Governo do Presidente Lula, realizou o ajuste das contas públicas e das contas externas, agora falta o ajuste dos juros da Selic e afastar definitivamente o risco de crise nas contas externas.

    O aumento da produção de petróleo e gás, que deve ocorrer no próximo anos irá permitir um maior equilíbrio nas contas externas. que somado ao atual patamar das Reservas Cambiais, irá afastar definitivamente o risco de crise nas contas externas.

    Um erro do copom, que se precipitou diante do atual ajuste na política monetária nos EUA, reverteu quase todo o processo que ajuste dos juros da Selic para a média dos juros internacionais.

    A redução do custo da tarifa de energia elétrica, a desoneração da folha de pagamento,a correção gradual dos preço do óleo diesel, e a correção da taxa de câmbio, tem permitido compensar parte do atual processo de aperto monetário que está sendo realizado pelo copom, e estamos evitando o inferno do desemprego e da recessão.

    O aumento da produção de petróleo e derivados nos próximos anos certamente vai contribuir para a redução dos juros da Selic, ao permitir um maior superávit na Balança Comercial e um aumento dos investimentos estrangeiros direto na produção de bens e serviços.

    anexo:

    Nossa produção de petróleo e gás no Brasil cresceu 35% desde 2002. E crescerá ainda mais.

    Petrobras fatos e dados—21.Abr.2014

    Nossa produção de petróleo cresceu cerca de 430 mil barris por dia, ou aproximadamente 30% nos últimos 11 anos. Em 2002, produzimos 1,5 milhão de barris de petróleo por dia (bpd) e, em 2013, produzimos 1,9 milhão de bpd. Levando em conta o gás natural, o crescimento da produção de barris de óleo equivalente (petróleo e gás), de 2002 a 2013, foi de 1,7 milhão de barris de óleo equivalente por dia para 2,3 milhões de barris, ou seja, cerca de 600 mil barris de petróleo ou 35%.

    Melhor ainda, com determinação, investimentos e muita tecnologia  apresentamos em 2007 ao Brasil e ao mundo a descoberta de petróleo e gás na camada do pré-Sal. Novas jazidas foram sucessivamente sendo descobertas e rapidamente óleo novo foi colocado no mercado com produção crescente, compensando o declínio natural dos campos das demais bacias produtoras. Neste ano, a produção crescerá 7,5% iniciando-se novo e duradouro ciclo de crescimento da produção, gerando riquezas para o país e caixa para cumprirmos todos os nossos compromissos.

    Nessa nova jornada, para 2018 a produção de petróleo prevista é de 3,2 milhões barris bpd e, em 2020, nossa produção será de 4,2 milhões bpd. Se consideramos petróleo e gás natural, a produção registrada em 2013 foi de 2,3 milhões de barris de óleo equivalente (boe) por dia e subirá para 3,9 milhões de boe em 2018 e 5,2 milhões em 2020.

    url:

    http://www.petrobras.com.br/fatos-e-dados/nossa-producao-de-petroleo-e-gas-no-brasil-cresceu-35-desde-2002-e-crescera-ainda-mais.htm

     

     

  34. Balela

    É grande o número de empresas, inclusive multinacionais de peso, que não investiram por descrédito. Hoje, correm atrás do prejuízo incrementando suas linhas de produção e aumentando suas equipes de vendas. Pelo descrito, essa empresa mencionada por Nassif cresceu 10% por osmose e não por competência e, alem de tudo, trabalha com a possibilidade de parar de crescer por falta de competência da Presidenta Dilma Roussef…

  35. Direto pro abismo

    Há tempo que procuro uma alternativa que tenha rumo e método. Não vejo uma assim.

    Pior que ir ineficientemente no rumo certo é ir eficientemente no rumo errado, que é a oposição.

  36. Midiatite que nada. A

    Midiatite que nada. A situação está ficando é feia, e a imprensa tem o papel e o dever de informar a população. Aliás, tem mostrado é pouco, nós, aqueles reles mortais que trbalham e não vevem às custas das tetas do governo como os petistas, estamos sentido na pele a onflaão em disparada, o aumento da violência, da impunidade, de tudo. E não tem mais como vir com aquele desculpa esfarrapada da “herança maldida”, já que esse governo do PT é herança de outro governo do PT

    O PT é quem está perdido, vendo seu castelo de areia se desmanchar e não tem mais como esconder a sujeira debaixo do tapete. O modelo do PT está falido, fez-se a festa, agora chegou a conta. Não existe almoço gratis, alguém tem que pagar a conta.

     

    • >> estamos sentido na pele a

      >> estamos sentido na pele a onflaão em disparada, o aumento da violência, da impunidade, de tudo.

      O governo federal não é responsável por resolver “tudo”. Impunidade é assunto do judiciário, segurança é assunto dos governos estaduais… enfim… uma hora reclama que o governo centraliza, depois reclamam que ele se mete pouco no assunto que é dos outros. Eita gente indecisa…

  37. Muito bom

    Seus artigos estão cada vez melhores Nassif.

     

    Você podia fazer mais artigos com críticas construtivas.

     

    Para mim esta faltando uma análise mais aprofundada por setor ou iniciativa do governo.

     

    Em geral o governo Dilma é um governo que quer fazer o certo mais na hora de executar faz tudo de forma centralizadora e autocrática. Como não existe salvador da pátria sempre aparece um furo que ela não poderia prever.

     

    O resultado são consequencias que ou anulam o resultado pretendido ou pioram a situação.

     

    Um exemplo típico são as desonerações tributárias. O governo Dilma conseguiu o milagre de – por não realizar um amplo debate sobre a política tributária no Brasil – reduzir alíquotas, dar isenções e aumentar a carga tributária bruta. Ela recebeu do governo Lula uma carga de 33,2% do PIB em 2010 e em 2011 a carga tinha aumentado para 34,9%, em 2012 para 36,3% e em 2013 vai fechar em 37,4%. Maior do que o auge do governo Lula de 35,8% em 2008. Sendo que em 2008 a economia brasileira cresceu 5,8% e em 2013 somente 2,3%.

     

    Ou seja as medidas na área tributária do governo Dilma foram tão doidas que em um momento de desaceleração do crescimento e crise externa o governo toma o rumo correto e tenta reduzir impostos para setores que estavam mais expostos a concorrencia externa. Porém acaba aumentanto a carga. É impressionante

     

    Exemplo mais prático disso foi o caso da desoneração da folha. Vários setores contemplados trabalhavam majoritariamente com mão de obra terceirizada. Assim ao mudar a base tributária para o faturamento o governo Dilma aumentou cobrança de impostos sobre estes setores. A para piorar criou um tributo comulativo indo na direção contrária das tentativas de reforma que vinham acontecendo que visavam reduzir a comulatividade dos impostos. Não sei se é incompetência, excesso de confiança ou se é má intenção mesmo.

    Espero que seja excesso de confiança, de se achar dona da verdade como você afirma Nassif.

  38. Dilma tem o rumo

    Ao tomar posse Dilma tinha que escolher uma forma de governar. Hoje, 40 meses depois, sabemos qual foi o caminho: opção pelo atendimento aos mais nefastos políticos em troca de duvidoso apoio, opção pelo poder economico, mesmo em detrimento dos interesses nacionais, opção por não enfrentar os grandes problemas do serviço público, como a burocracia, a incompetència e o desperdício do dinheiro público, opção por projetos eleitoreiros como o Minha Casa, Minha Vida.

    Não houve a diretriz de ser um governo eficiente e produtivo, o pouco que foi conseguido de melhora na governança se deve a ações isoladas de ministros mais diligentes.

    O grande pecado do governo Dilma foi não presidir o Brasil, Dilma é uma gerenciadora de projetos, não tem visão  de estadista. A qualidade de seu governo tem sido decrescente, ano a ano.

    Rezemos com muita fé aos três santos brasileiros, Paulina, Galvão e Anchieta, para que o próximo governo seja, pelo menos, humilde e bem intencionado.

    • O que os arautos do PT omitem

      O que os arautos do PT omitem é que seus governos foram sustentados pela odiosa direita que apoiou os militares, sarnei, collor e fhc, denominados por Heloisa Helena como os “delinquentes da política nacional”, o que lhe valeu a sumária expulsão do Partidão… Lula teve até a “cortesia” de não considerar Sarnei uma “pessoa comum” quando do escândalo do uso de helicóptero do governo do maranhão para suas voagens particulares, e a “imprensa golpista” simplesmente assimilou esse elogio como mais uma das “verdades” lulistas.

      Renan Calheiros está sendo a tábua de salvação de dilma na questão da cpi da petrobrás.

      Para eleger dilma ele fez o maior loteamento do estado brasileiro da história brasileira (ou mundial), permitindo a corrupção desenfreada no governo, cujos escândalos a obrigam à relutante “faxina” nos ministérios …

      Fica clara a desonestidade intelectual de alguns ao afirmar que todas as denúncias feitas pela “imprensa” sejam falsas e apenas voltadas para derrubar o governo do PT. Ora, no governo FHC foram feitas centenas de denúncias na imprensa, a diferença é que naquele tempo a “turma do butim” não foi pega, como foram os companheiros de agora.

      Os corruptos que apoiaram  FHC são os mesmos de Lula e Dilma, e foram aceitos pois se o presidente quiser roubar sozinho como pretendeu o Collor, eles tiram rapidinho.

      Então, a divisão entre PSDB-PT é mero discurso de ambos os lados, pois todos representam a entrega do estado brasileiro aos curruptos de sempre. A “coisa” é a mesma, so mudam os atores…

      Entretanto, houve avanços em ambos os períodos, pois é resabido que sem a estabilização da moeda os benefícios proporcionados pelo governo Lula às classes mais pobres não teria sido possível, ou seria muito inferior. 

      Por fim, e por honestidade intelectual, há que se lembrar a diferença entre as crises internacionais dos anos 90 e  a bonança da economia internacional em 2004-2008, a permitir a formação das grandes reservas internacionais pelo BC.

      Infelizmente, a grande maioria das análises sobre os governos PSDB-PT ficam polarizadas como inferno-céu, ou anjo-demônio. quem critica o PSDB é taxado como lulista e quem critica o PT é taxado como direitista e reacionário contra os pobres. Pouquíssimos analistas têm houve avanços nos dois períodos, mas também corrupção ampla, geral e irrestrita nos dois governos (PSDB-PT). 

      E quem vê os erros dos dois lados, como fica? E quem não vê nesses dois lados, nem nas demais opções disponíveis no cenário eleitoral, uma postura coerente com os desafios da Nação?

       

       

       

       

      • Requião só têm legenda com certeza da Dilma perder

        Vai depender da velocidade com que os PMDBistas vão perceber que com a Dilma só perderão o poder.

        Ai abre o espaço para a chapa Requião – Ciro, onde a governabilidade não irá depender de uma coalizão nefasta como a que se sustenta hoje no congresso.

        Pasadena é a chave do negócio.

        Vão apurar se houve corrupção, ou não? Pasadena neutralizou o Lula.

  39. Será mesmo?

    “A crítica a ser feita é contra o estilo centralizador e voluntarista da presidente Dilma Rousseff”. Será mesmo, Nassif? Adiantaria delegar a grupo de gestão assim fraco?

    Infelizmente, os comentários aqui não impedem que percebamos vulnerabilidades muito maiores neste governo do que nos dois mandatos de Lula. Isto, numa conjuntura econômica, hoje em dia, mais tranquila do que a passada por Lula no pós-2008.

    Gestão para crescimento e desenvolvimento não se obtém apenas com rumo correto, mas com ações concretas que mobilizem a sociedade e nela provoquem ânimo.

    Não houvesse isso, PT, Lula e Dilma não teriam sobrevivo à sanha das folhas e telas cotidianas com o episódio do mensalão e tantos outros, fabricados ou não, na volúpia da manutenção do acordo de elites.

    Não irei enumerar as tantas expressões intelectuais no Ministério anterior. Lembro apenas dois: Márcio Bastos e Franklin Martins. Compare-os com o que temos hoje.

    Se Dilma tem um rumo, Nassif, poucos sabem ou reconhecem qual ele é. Talvez mesmo sua equipe não tenha alcance político e intelectual para entendê-lo.

    Digo mais: mesmo os ataques na mídia são menos intensos do que no passado. Após reconhecerem o brutal e bem sucedido processo de inserção social realizado, e isto é unanimidade não burra, mas forçada, oposição e mídia entregaram de bandeja a reeleição para Dilma.

    Na minha opinião, hoje, profundamente comprometida.

     

  40. Por isso que ela tem que sair

    Atrasou inúmeros projetos por pretender opinar  em detalhes. Não deu liberdade a nenhum Ministro para construir sua própria obra e voar. Não deu voz aos fóruns criados para definir políticas de desenvolvimento. Tomou decisões intempestivas em áreas de extrema complexidade – como o modelo elétrico – sem  ouvir as partes envolvidas. Tomou decisões de profundo impacto fiscal – como  desoneração do IPI para o setor automobilístico – sem encaixá-las em uma política setorial.

    Acredito (pela biografia) na honestidade dela, mas apenas esse trecho (como no comentário do Daniel ontem) já deixa claro que ela não uma líder competente. O Lula, infinitamente menos preparado em termos técnicos, era. O diretor da Nasa não tem que saber projetar um foguete, ele em que ser um líder que extraia o melhor de quem está na atividade fim.

    Outra coisa Nassif, esse papo de midiazinha malvada já deu o que tinha que dar. O Lula foi sacaneado pela mídia 90% do mandato, e não se via nenhum empresário com o grau de pessimismo de hoje. O pessimismo das pessoas tem fundamento sim. Agora se vierem falar que o Campo e o Aécio são duas m., por enquanto concordo, mas como a natureza da reeleição é referendo do primeiro mandato, nesse aspecto o dela foi muito mal.

    Se ela mudar de ideia e aceitar as críticas, tem data até outubro p/fazer isso. Toda a abordagem da assunto Petrobrás pelo governo é simplesmente catastrófica. P/fanáticos serve, mas para quem espera um Presidente da República que funcione, faça-me um favor, o governo dela vai de mal a pior…

     

     

     

    • Centralização

      LC,

      Quanto ao viés centralizador de DR, não cabe questão, ma squanto à interferência no setor elétrico, não é correto dizer que DR fez tudo sem ouvir niinguém.

      Comparar Lula com DR como líder ou personagem política é ato surrealista, me diga um que possa equiparar-se a ele, aí incluídos os líderes do exterior.

      Quanto à midiazinha malvada, o seu argumento é perfeito há até dois meses atrás, e tinha boa parte do empresariado contra o governo de Lula e torcendo pelos tucanos.

      Quanto ao assunto Petrobras, o governo e a própria empresa deram um incompreensível espaço para a oposição, que ocupou a televisão com as mentiras mais deslavadas e todos da situação a fazerem cara de paisagem. A comunicação do governo federal precisa ser comandada´por pessoa independente, o que não ocorreu até agora.  

      Quanto a acreditar na honestidade  apenas pela biografia, socorro.

      • Quanto à midiazinha malvada,

        Quanto à midiazinha malvada, o seu argumento é perfeito há até dois meses atrás, e tinha boa parte do empresariado contra o governo de Lula e torcendo pelos tucanos.

        Alfredo, o Lula entreva em praticamente qualquer associação de empresários a hora que quisesse e saia de lá aplaudido. Empresário quer é ganhar grana e ter estabilidade. O resto é papo furado. Não sei onde você mora, mas enxergar tucano escondido debaixo da cama (como muitos no blog fazem) é coisa de paulista e de mineiro. Aqui no RJ isso não existe. Quem dá a pauta sempre é o governo (seja qual for o partido), a Veja fez 30 capas de mensalão e a influência disso em 2006 foi ZERO.

        O estilo Dilma introduziu grande instabilidade no sistema, eu que estou há vinte anos na máquina considero que temos atualmente a pior chefia já colocada aqui (menos técnica e mais indecisa), e isso em um órgão que praticamente não tem interferência política. Não quero nem pensar o que está acontecendo nos órgãos mais aparelhados.

        Quanto a Petrobrás, não sei o que aconteceu, mas o ponto fundamental é justamente esse, quando se vê pessoas mais esclarecidas com dúvidas sinceras, ou quando você vê jornalista mal intencionado procurando gerar crise e tendo sucesso, é porque o governo foi incompetente em explicar o que aconteceu. E, colega, governo que não sabe se explicar/comunicar é gerador de crise e de instabilidade sim.

        • RJ e Lula &DR

          LC,

          Obrigado pelo retorno.

          Também sou do RJ, e quase todos os empresários cariocas que conheço são radicalmente contra os governos de Lula e Dilma.

          Acabo de chegar de um local frequentado somente frequentado por gente de bom nível (???) , e a conversa hoje foi sobre política, ocasião em que aprendi que o filho de Lula é sócio da Friboi, que o Lula saiu com mais de 100 milhões de dólares ao final de seu governo, que FHC salvou o país, além de ter criado o Bolsa Famíia, que DR é búlgara, que houve um desfalque de 10 bilhões de dólares em Pasadena, que o pré-sal ist e aquil e sei lá o que mais.

          Pode parecer piada, mas esta sempre foi a realidade de uma fatia da cidade que você talvez não conheça, a fatia da $$$.

          Quanto à sua opinião sobre DRousseff, discordo inteiramente quanto aos aspectos mencionados, mas opinião é opinião.

          Quanto à comunicação do governo federal, repetiste o que eu disse.

    • Por isso que ela tem Não que sair

      Boa tarde.
      “…O Lula, infinitamente menos preparado em termos técnicos, era. O diretor da Nasa não tem que saber projetar um foguete, ele em que ser um líder que extraia o melhor de quem está na atividade fim…”.

      Amigo, concordo com o que você exara no bojo do texto. Mas não concordo com o título fatal. Ela, a Presidente, tem é que entrar; entrar no [bom] jogo político. Aprender a discordar sem queimar navios. Política, no sentido puro. Quanto ao Lula, nós já somos muito felizes com um. Não temos o direito de ter, a cada século, um Lula. Esqueçamo-lo por ora. É Dilma, mesmo com a sua pouca mobilidade. Ela aprende ou aprende.
       

  41. O que me parece é que neste

    O que me parece é que neste momento fica fácil procurar “guampa em cabeça de cavalo”. Desfilar teses acerca daquilo que “nós experientes sabemos” e o cenário real.

    No que “nós experientes sabemos” procuramos mostra que se Dilma não se eleger, nós avisamos. Mostramos o caminho. Ela não foi por nós. Por isto ela sofrerá o revés. O povo viu o que fizemos por ela agora ela vai se dar mal.

    No cenário real, temos um mercado em atividade, uma presidenta insuspeita de currupção. Opção pelos menos favorecidos, não só financeiramente, mas antes de mais nada, aos que querem liderdade na Internet, os que querem liberdade para PF. Um STF justo. Os que querem um tempo em que os bons vençam os maus nos terrenos competitivos.

    Mas não queremos isto. “Nós experientes  sabemos” que a presidenta tem que dizer o que é conveniente não importa se é verdade. Ela tem que lutar, se possível usar a máquina para aniquilar os inimigos. Afinal sempre foi assim.

    Mas no cenário, “nós experientes deveríamos saber” que se não nos posicionarmos com inteligencia, se usarmos do fogo amigo para justificar o “eu te disse”, seremos os principais atingidos.

    A luta é entre o Liberal e o Social. Os gandes grupos de comunicação apoiam o Liberal. Eles tem direito a escolhas. 

    Os pequenos grupos apoiam o Social. Se não tomarem uma posição adequada verão suas pretenções minimizadas se não excluidas pelos grandes grupos. Dentre, tem aqueles que estão mais preucupados em saber se suas convicções “vingarão”: Eu te disse!!! Eu te disse!!! Eu te disse!!!!.

    A eleição é uma porta de madeira. Não importa se a madeira brilha. O que importa é quem está por trás desta porta. Abra a posta errada e conforme o cenário,perca o direito de reclamar, da porta certa e da porta errada.

     

  42. Não é só os empresários que

    Não é só os empresários que estão pessimistas com o Brasil não. De uns tempos para cá tenho observado que o Nassif também se deixou contaminar. Colocar a Dilma no mesmo patamar do pózinho Aécio e do traíra Campos  só pode ter sido contaminação pela imprensa.

    Por sorte a grande maioria do povo brasileiro não lê jornais e aos poucos deixa de se informar pelo Jornal Nacional. Aqui pra baixo não tem ninguém pessimista não. E as sucessivas quedas de audiência e circulação de jornais significa exatamente isso. Cansamos de noticias ruins e resolvemos olhar a nossa volta. Conhecendo as nossas cidades sabemos como funciona o sistema político e entendemos que a corrupção não nasceu com o PT no Brasil.

    E não é que queremos ficar desinformados. Cansamos do péssimo jornalismo movido por interesses das corporações financeiras e ideologias pessoais  e não de informação. Cansamos de ouvir que os estádios da Copa não ficariam prontos e eles estão aí. Cansamos de ouvir que os médicos cubanos iriam matar brasileiros e e a saúde melhorou. Cansamos de ouvir que o tomate representa indice de inflação. Cansamos de ver Aécios, Dias e Maias denunciar corrupção sabendo que  não são investigados e  denunciados porque são privilegiados pelo aparelhamento do estado que fizeram durante as centenas de anos em que o grupo que representam esteve no poder no Brasil.

    Esses empresários mal informados que não conseguem enxergar o mercado e o país a sua volta deixa antever claramente porque o parque industrial brasileiro tem regredido. Não é ao governo ou à presidente que falta visão. Falta visão aos empresários e iniciativa a classe empresarial brasileira que ao invés de fazer negócios se mete a  fazer seus investimentos baseados nas suas preferências politicas pessoais.

    No blog Tijolaço tem o esquema organizacional do Instituto Millenium. Globo, Estadão e Abril tem representantes na direção deste instituto que tem como patrono FHC e que recebeu 1 milhão de dólares do Congresso americano. É por isso que o Brasil “está mal” e uma presidente que assume um erro invonluntário na Petrobrás é colocada na berlinda.

     

  43. A dura guerra da realidade contra o ilusionismo neoliberal

    PLENO EMPREGO, RENDA DO TRABALHO E DIMINUIÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS – O Brasil atual tem um projeto político e econômico bem definido, com vários avanços e alguns recuos em diferentes setores, mas com um rumo nítido e cristalino, construído a duras penas através de um governo de coalizão capitaneado pelo Partido dos Trabalhadores, antes sob a liderança de Lula, e posteriormente sob o comando de Dilma Rousseff.

    Este projeto consiste na inclusão social de amplos setores da coletividade na espiral do consumo mínimo de bens antes restritos a 15, talvez 20% dos habitantes do país. Note-se que ainda hoje há um contingente considerável de cidadãos que vivem em estado de subconsumo, longe das condições mínimas de dignidade que se possa imaginar.

    O saldo histórico da construção do Brasil foi um país industrializado mas brutalmente desigual e segregacionista, além de racista (de forma velada) e com picos de um moralismo tacanho que surge sempre que um governo mais à esquerda se apresenta (vide o segundo governo de Getúlio Vargas, o governo de João Goulart, de Lula e agora de Dilma).

    A famosa expressão ‘Belíndia’ retratava exemplarmente o saldo da perversa concentração de renda, de bens e de serviços que persistia no Brasil até pouco tempo. Com intensidade tímida no primeiro mandato de Lula, acelerada no segundo (em especial após o Crash de 15 de setembro de 2008) e mantida por Dilma, vê-se hoje um projeto político robusto, palpável, mensurável e bem determinado.

    Trata-se de um notável empreendimento de inclusão social de dezenas de milhões de pessoas através de diversos programas sociais, também da criação de outros programas de inclusão dos jovens no meio universitário e, principalmente, de um projeto que tem como tripé inquebrantável o emprego, a diminuição da desigualdade social e os aumentos reais do salário mínimo (que aumentam a renda do trabalho ao servirem de parâmetro para o aumento real dos dissídios das classes laborais).

    Este corretíssimo tripé, construído pela coalizão hegemonizada pelo Partido dos Trabalhadores, constitui-se na viga mestra que presta sustentação política ao governo federal. O sucesso de Lula, antes, e de Dilma Rousseff, agora, deve-se ao já citado tripé econômico-político do pleno emprego, da diminuição da desigualdade social e do aumento da renda do trabalho na proporção do PIB.

    Não é a toa que o salário mínimo atual tem o maior poder de compra dos últimos 30 anos. Tampouco é a toa o fato de que a desigualdade social medida pelo Índice de Gini encontra-se hoje no menor patamar dos últimos 50 anos. Paradoxalmente, isto é bom e ruim ao mesmo tempo.

    Bom porque mostra que o nítido rumo e o decidido impulso firmado pela atual coalizão governamental avançaram muito no combate às chagas históricas que sempre infernizaram a vida do povo brasileiro. Ruim, e instigante, porque expõe de forma até cruel o tamanho gigantesco do passivo social acumulado ao longo de décadas e que, apesar dos incontestáveis avanços dos últimos dez anos, ainda clamam por soluções de maior efetividade.

    É possível perceber também que hoje o país se defronta com problemas diametralmente diferentes dos quais se defrontava na década de 90, e nas anteriores também. Vivenciamos agora as ‘dores do parto’ de uma sociedade que se conscientizou de seus direitos, que está muito mais exigente, que não se conforma com paliativos de qualquer espécie. E isto é ótimo!

    Até pouco tempo o problema era o desemprego galopante, o arrocho salarial, as taxas de juros com picos acima de 30% ao ano, a ALCA sendo gestada a pleno vapor, a dívida externa impagável, dívidas igualmente impagáveis com o FMI e com o Clube de Paris, brutal concentração de renda, imposto inflacionário, um país apequenado no cenário internacional e que era representado por governos que somente tinham olhos e gestos voltados para setores minoritários.

    Os problemas e as reclamações hoje se sofisticaram. A infraestrutura, por exemplo, é uma das mais importantes pautas na agenda nacional (houve um triste tempo em que se lamentava a incompetência talvez atávica, geradora de Apagões e que tais…). Vejamos a questão dos aeroportos.

    Em 2002 o número de passageiros ficava em torno de 30 milhões ao ano. Deveremos fechar 2014 com um impressionante contingente de 120 milhões de passageiros por ano! Um aumento de 300% em pouco mais de dez anos! Poder-se-ia falar também de outros tantos setores que hoje reclamam de uma infraestrutura adequada, pois este tema hoje é que está prejudicando importantes setores da sociedade.

    O caso das refinarias de petróleo, por exemplo, salta aos olhos. Como é possível que o Brasil tenha ficado mais de 30 anos sem inaugurar uma única refinaria sequer? Pois bem, hoje temos 04 refinarias sendo construídas. São elas as refinarias de Abreu e Lima em Pernambuco (80% concluída), o Complexo do Comperj no Rio de Janeiro (60% concluído) e as refinarias Premium I no Maranhão (em fase de licenciamento ambiental) e Premium II no Ceará (10% de conclusão).

    Ou seja, o Brasil de hoje (segundo maior canteiro de obras do mundo) corre contra o tempo para suprir as carências de infraestrutura, para suprir a imensa lacuna originada num país que deixou de investir em infraestrutura durante longos 30 anos.

    Notem, por fim, a questão da Transposição do Rio São Francisco. Desde os tempos de D. Pedro II haviam projetos para fazer essa transposição, mas nunca antes na história deste país alguém se dignou a tocar esse estratégico projeto. Iniciado no governo Lula, o empreendimento encontra-se hoje com mais de 56% das obras concluídas.

    Mais alguns dados que desmentem o senso comum são necessários para o correto debate sobre o momento atual do Brasil. O senso comum teleguiado pela ‘grande mídia’ insiste em falácias a respeito do governo Dilma. Uma delas diz respeito a “perda de credibilidade internacional” do Brasil. Nada mais falso. Seguem os índices reais e indesmentíveis:

    1) Investimento Estrangeiro Direto no Brasil 

    -Oito anos de FHC (1995/2002) = U$ 163 bilhões;
    -Oito anos de Lula (2003/2010) = U$ 216 bilhões;
    -Apenas três anos de Dilma (2011/2013) = U$ 196 bilhões.

    Onde está a “crise de credibilidade” que a oposição fracassada e a mídia venal pintam todo o santo dia contra o governo Dilma? É justamente o contrário! Outra do pérola do senso comum, que alcança inclusive experimentados jornalistas e analistas econômicos é a de dizer que os governos do PT estimularam um hipotético “consumismo”, em detrimento dos investimentos. Vamos aos fatos: 

    2) Indicadores acumulados nestes 11 anos (2003-2013) de governo federal comandado pelo Partido dos Trabalhadores

    -Formação Bruta de Capital Fixo (investimentos): 86,7% 
    -Consumo das Famílias: 60,4% 
    -Produto Interno Bruto: 45,6%

    É absolutamente fantasioso dizer que nos períodos de governos do PT o investimento tenha ficado em segundo plano. É igualmente fantasioso dizer que a economia brasileira está atrelada em um hipotético “consumismo” exagerado, que seria bancado em detrimento do investimento. Os dados, mais uma vez, são indesmentíveis!

    Este é, em linhas gerais, o quadro atual do país, com novos problemas, mais sofisticados e de resolução as vezes muito mais demorada e complexa. O rumo está definido, o tripé do pleno emprego, da diminuição das desigualdades sociais e dos aumentos salariais das classes laborais são o dínamo de um país ainda marcado pelo subconsumo e por deficiências históricas de grande monta. O projeto econômico e político atual é nítido e cristalino, impossível é não compreender para onde estamos a caminhar!

    Ocorre que este rumo correto, de grande abrangência e de grande significado, construído pela coalizão capitaneada pelo PT, sofre feroz oposição desde sempre, e daqui para frente a ferocidade da oposição neoliberal aumentará na mesma proporção em que aumente a velocidade e o ímpeto do governo federal em direção do aumento da renda das classes laborais, da diminuição da desigualdade social e do aumento das oportunidades criadas através de cotas sociais e étnicas e da expansão do ensino técnico e universitário. 

    É preciso vencer essa ferocidade e seguir no rumo nítido da mudança iniciada com êxito em 2003. É preciso intensificar essa mudança iniciada em 2003, qualificá-la, aumentar o ritmo destas corretas mudanças, mas não interromper este virtuoso ciclo! 

    É disso que o Brasil precisa, se é que pretendemos ainda construir um país minimamente civilizado e que não seja uma imensa nação onde apenas 20% de seus habitantes possam se dar ao luxo de ter direitos. Para realizar este propósito será necessário empreender uma verdadeira guerra. A guerra da realidade concreta e objetiva dos fatos contra as falácias e o mundo virtual e fictício que uns e outros tentam construir aqui no Brasil.

  44. A Presidenta, que já cursou

    A Presidenta, que já cursou pós-graduação na Unicamp, deveria cercar-se mais de colegas de universidade, igual Lula fez, e deixar de lado um pouco a aconselhagem ortodoxa que dominou seu governo. Isto porque, tem deixado de lado o tão básico e Keynesiano conceito da incerteza e da expectativa como modeladores da atividade econômica.

    Lula não esqueceu disso, só lembrar dele, no auge da crise de 2008, dizendo que ela seria uma “marolinha”, conseguindo manter alto o nível de investimento e consumo.

    Já Dilma, começou seu mandato falando em “crise internacional”, anunciando com pompa ajustes orçamentários, cortando gastos substanciais. Quando o funcionalismo entrou em greve, a mesma conversa, crise e mais crise. Não é de se assustar se o nosso setor produtivo também ficou contaminado com a mentalidade de crise.

    Outro erro é a volatividade das decisões governamentais. Em um ponto, fala-se em redução da Selic, desvalorização do câmbio e reforma do setor elétrico para melhorar a competitividade do setor industrial. Um pouco mais tarde, os juros retornam ao patamar inicial, o real se valoriza novamente (ou não se desvaloriza suficientemente), e o represamento nos preços de combustíveis enforca a indústria (setor que o governo tinha a missão de proteger) sucro-alcooleira.

    Esta bipolaridade governamental causa incerteza, e incerteza sempre foi, pelo menos na teoria heterodoxa, um fator que deprime a atividade econômica. Excluindo os empresários que sempre se colocam em relação de “ganha-ganha” com o governo, quando o pequeno e médio empreendedor não sabe se daqui há um ano os juros estarão a 7% ou 15%, se o dólar estará a R$ 1,60 ou R$ 2,45, qualquer investimento se torna uma aventura de alto risco.

    Por último, tem-se o fator relacionamento mídia/área econômica do governo. Aquela não quer investimento nem crescimento. Quer juros altos e inflação baixa para que a turma do rentismo (que ela própria integra) ganhe em todas as frentes. O noticiário, então, é essencialmente negativo, principalmente quando se refere a inflação e a atividade econômica.

    A área econômica deste governo não sabe modelar expectativas. Não só a líder máxima, mas Mantega também possui uma agenda recessiva. Não consegue fornecer o contraponto, pelo contrário, só sabe falar em corte de gastos, superávit primário, juros, tudo conforme o parâmetro unidimensional focado no combate a inflação.

    O problema é que, a ortodoxia econômica é um consenso porque existe uma oligopólio midiático que propaga este consenso no dia-a-dia. Se na academia existe um racha entre economistas clássicos, neoclássicos, keynesianos e neo-keyneasianos, o colunismo econômico é um altar onde se glorificam as ideias de Friedman e dos Chicago Boys como dogmas sagrados. Assim, o que deveria ser uma ciência humana se torna ciência exata, e qualquer governo que opte pela heterodoxia é considerado herege, suscetível a queimar nas labaredas do inferno.

    Destarte, o PT, quando deixou de lado a luta pela desconcentração dos meios de comunicação, consentiu com este panorama onde a máquina governamental é refém do ataque diário dos mercadistas incrustados na Globo News, CBN, Folha de SP, Veja, e etc. etc. Não há controle remoto que salve. 

     

  45. Criticas construtivas……

    Os nível dos comentários, está bem elevado, e tirando um ou outro mais exaltado, pode-se dizer que é ótimo o nível!

    Assim, me junto a voces e tambem comento.

    Sobre a critica ao centralismo da administração Dilma, concordo com o comentario do XZ,  quuando diz “O caráter centralizador tem um motivo claro: geralmente, o brasileiro, quando tem oportunidade, rouba. É só ver a quantidade de escândalos diários (não seria esse um motivo por que a federação brasileira, por si só, é tão centralizada?.

    Não entendo e não sou especialista em gestão publica, e por isto deixo a cargo dos expert estes comentários.

    Mas a verdade nua e crua é que, os menos privilegiados tiveram alguma oportunidade no governo do PT, e caso se desgaste, ou não tenha o apoio e a critica séria aos erros cometidos, lamentavelmente perdera o governo, o que será uma catástrofe para os citados.

    Sobre os empresários, banqueiros, enfim os capitalistas de modo geral, estão a fazerem, como sempre, fazendo suas chantagens, como ouvi ainda pouco e relato.

    As montadoras querem mais isenções, e elasticidade de prazos para venda de automoveis, do contrário irão demitir.

    Como estamos em ano eleitoral, da-lhe chantagem!!!!!!

  46. Parece que as prioridades

    Parece que as prioridades estão niveladas, ainda que por cima.

    A Presidenta está determinada. Ela é a mais teimosa das teimosas. Quer porque quer erradicar a miséria do país.

    A infraestrutura é atualmente prioridade 0 do governo de esquerda. Canteiros de obra pra todo lado. A economia está superaquecida e até se estabilizar, vai ter que contar com muita boa ou má vontade dos trilhardários empresários brasileiros.

    A globo já não tem taanto poder assim; 

    Esse otimismo exagerado, como considera a oposição,  é a má vontade e a roda presa pelos corruptos do psdb

  47. Lenita

    Gostaria muito de saber o que anda acontecendo com o Nassif, Será que fui cortada? Não tenho mais como fazer o Login. O site jamais responde meus emails. Agora não tenho mais como entrar. É ! Se tudo isto é devido ao novo Marco Civil, ou novas regras, pq elas não foram expressadas para os membros. Tenho de aguardar na fila e sei que jamais terei meus comentários publicados, pois a censura chegou, justo qdo imaginamos que teríamos mais liberdade.

    Obrigado

     

    Lenita

    • Problema com Autenticação

      Boa tarde.

      “… Não tenho mais como fazer o Login. O site jamais responde meus emails. Agora não tenho mais como entrar. É ! Se tudo isto é devido ao novo Marco Civil, ou novas regras, pq elas não foram expressadas para os membros…”.

      Lenita, padeço de pelo menos um dos problemas que você cita: minha senha não confere, nunca. Eu utilizo o recurso de recuperar a senha, do próprio sítio. Tem um problema com a caixa do texto, com caracteres especiais, que seja. Aproveito e peço aos mantenedores que vejam isso, encarecidamente.
       

  48. O ponto fraco de Dilma é ser

    O ponto fraco de Dilma é ser julgada com as fantasias da economia…

    Algumas pessoas potencializaram a ideia de que a esquerda (do proletariado) já não é um movimento de formar o sistema de valor do trabalho para o modus operandi padronizar a produção. 

    Pensam que ser de esquerda é apenas encrencar com os babaquinhas de direita no governo e nas estatais, como quem goza da cara de quem não tem ideologia; e, na produção o objetivo dos homens seja só atuar entre si enquanto os bancos produzem a economia de certo modo trocando as suas atividades.

    O problema da competência depende primeiro de pensar a natureza da medida que transforma-se no instrumento dos meios reais que têm – na sua totalidade – a função de reproduzir as mudanças da organização interna das relações sociais dos países.

    Esquerda e direita resume a divisão da ideologia mundial, oposição entre capital ou valor do trabalho: oposto representado para o Estado, ou, como está, o valor do trabalho expressa o desenvolvimento do sistema financeiro. Onde cada passo do presidente é condicionado por esta base de projeção.

    Enfrentar a questão de políticos juntos e misturados que são derrubados pela taxa SELIC enquanto eleitos, e não criticar o vazio de valor (para reprodução da existência física dos projetos) à direita com o capitalismo, é melhor fazer um emaranhado de coisas mesmo; e constituir o seu próprio controle sobre a submissão.  

    • O ponto fraco de Dilma é ser (Resposta)

      Boa tarde.

      “… Pensam que ser de esquerda é apenas encrencar com os babaquinhas de direita no governo e nas estatais, como quem goza da cara de quem não tem ideologia;…”.
      Muito importante o seu enfoque. Mas uma pergunta não cala: não foi a própria esquerda que se tornou “gerente” da crise, aqui e algures? Veja (sem trocadilhos) só, por exemplo, o “socialista” Hollande! O capitalista, o rentista, que sejam, estão só fazendo o seu papel. A esquerda foi quem descaracterizou. Quiseram ser confiáveis ao rentismo. ‘Gora guenta. Eu voto Dilma por falta de opção, mesmo sem aderir ao “Volta, Lula”. E para finalizar, Nassif, continue sendo o grande e independente analista. Você enaltece o bom jornalismo.
       

      • “Mas uma pergunta não cala:

        “Mas uma pergunta não cala: não foi a própria esquerda que se tornou “gerente” da crise, aqui e algures?”

        Esquerda e direira dependem do plano de Estado e não de quem está o administrando ou de quem está de fora. No momento todos os políticos estão à direita dos capitalistas – sem poder.

        Os meios que dispõe o serviço público é o princípio da vontade, por isso se vê os extremos de pobreza de uma política dupla.

        A inteligência politica é política porque pensa dentro destes limites da política. O díficil é compreender os males sociais da pilhagem da política em si, porque estão longe de ver que Estado se assenta na fonte dos males da política de mercado, e não como pode ser sobre a lei natural de oposição da sociedade civil – o sistema de um mundo moderno em conjunto com a esfera neutra do Estado para expressão da propriedade privada.

        Procurar os males da sociedade neste Estado que está ai não é inteligência, visto que os interesses individuais do poder político cessa exatamente onde começa as boas intenções da sua impotência administiva.

  49. dilma dilema sem lema no caminho suave nave: eu vi a ema e-m-a

    “Dilma tem o rumo, mais que seus competidores. Mas não tem o método. E não se trata de falta de conhecimento, mas da sua própria incapacidade para domar seu temperamento.”

    É procedimento legal orgânico obrigatório universal no serviço público, nas diversas instãncias governamentais, fazer exame médico-psicológico admissional para ingressar na carreira dos negócios de estado… aqui em sampa já vi professora chorando injuriada por não obter aprovação médica de trabalho para exercer o magistério: seja por obesidade, por problemas na voz e nas cordas vocais, por sintomas visíveis de varizes nas pernas e complicações futuras no sistema circulatório e, também, por problemas emocionais e nervosos de tal ordem e gravidade que podem por em risco as crianças na sala de aula sob sua responsabilidade e orientação psicopedagógica, além da aprendizagem escolar. Algumas dessas professoras demonstram serem ótimas profissionais, mas, infelizmente, apresentam sintomas e doenças, diagnosticadas a tempo no exame médico admissional, que a lei orgãnica do estado não permite o ingresso na carreira pública. Claro que não é definitivo. O profissional determinado, ciente de seus direitos e com gana de vencer e conseguir seu lugar ao sol do estado pode se tratar, se cuidar e realizar, depois de um certo tempo, novamente os exames de trabalho para admissão nos negócios de estado. E então obter sucesso, antes tarde que nunca.

    Na governança democrática também funciona assim…

    Modos que, seu “nassif tancredo” deu a senha para detonar e salvar a lavoura arcaica petista e deu, juntamente, o cisma político para o lema de campanha à reeleição da dilma, condensada minimalisticamente, à moda do exaustivo aerotrem nanico, numa única promessa do marketing eleitoral:

    “Companheiros e companheiras, se eu for reeleita presidenta, prometo de coração temperança, mente aberta e temperamento megera domada… a mudança à chinesa do meu governo e da gestão dos negócios de estado; prometo à nação brasileira mudar da água pro vinho! Muito obrigado a todos e até a vitória final nas urnas!”

     

     

  50. Bom, ou bem são nomeados

    Bom, ou bem são nomeados “ministrins “para agradar a base, e aí tem mesmo que manter o freio, ou se nomeiam ministros com o mínimo de competência para agir com rédea frouxa.

  51. Do excelente blog

    Do excelente blog terragoyazes.zip.net, uma análise cortante e certeira do Alberto Bilac:

     

    “…Um exemplo cristalino dessa guinada à direita foi o tratamento dado pelo governo às pautas reivindicatórias do movimento sindical e, de forma emblemática, dos servidores públicos. Acostumado a um diálogo respeitoso durante os governos Lula, os sindicatos se surpreenderam com a arrogância e a dureza de Dilma no processo de negociação. Quando a negociação era com as interlocutoras do governo, os sindicalistas descobriram que as ministras Miriam Belchior, Ideli Salvati e Gleisi Hofmann eram mais duras e inflexíveis que a própria presidente. Ouvi, à época, de mais de um militante do movimento sindical: mas esse é o nosso governo? Esse é o mesmo governo que nós elegemos e que daria continuidade ao governo Lula? Além de bater, de forma dura e desrespeitosa, em todo o movimento sindical durante o processo de negociação, Dilma fez, no serviço público, uma inflexão pendular inversa ao que Lula fizera: ao invés de continuar reconstruindo o serviço público e reforçar o poder decisório do Estado na eterna briga com as elites predatórias, Dilma se rendeu à chantagem midiática e empresarial. Estupefação e desencanto foram as reações dos sindicalistas e servidores públicos: ontem, tratados por Lula como parceiros no processo de reconstrução do Estado, dilapidado pelo tucanato; hoje, tratados por Dilma como adversários e inimigos.

    O que aconteceu? perguntava-se à época. Dilma havia sucumbido à síndrome de Estocolmo, aquela em que a vítima se apaixona pelo algoz e introjeta em si todos os valores que até então combatia? Ou Dilma havia se rendido à realpolitik e se convencido que governar com as elites e a mídia era menos custoso e menos desgastante? O fato é que Dilma, refugiada num discurso técnico e gerencial, beijara a cruz do Deus-mercado, passando a repudiar a ação política, como se isso fosse possível no cargo de presidente da República. Para não deixar dúvidas quanto aos novos aliados do governo, Dilma completara a inflexão iniciada lá atrás, quando resolveu afrontar sindicalistas e servidores públicos: passou a conceder gordas e generosas desonerações a setores empresariais variados, os mesmos que até há pouco, mordiam-lhe os calcanhares; os mesmos que sempre bradaram pelo Estado mínimo.

    Agora, com a voz rouca da ruas chegando até os salões do Planalto, Dilma deve estar se perguntando: o que deu errado? Esse movimento do Passe Livre, já vitorioso em seu embate principal de redução das tarifas, pode dar-se por satisfeito e se desmobilizar. Ou pode também, financiado e orquestrado pelos novos aliados de Dilma (elite empresarial e mídia parcial e golpista, com uma mãozinha da CIA, é claro) partir pra cima do governo Dilma e exigir-lhe, com acusações difusas, o impeachment. Tardiamente, Dilma descobrirá que errou. E descobrirá também que não é Lula, já que seus interlocutores escolhidos são outros.

    Uma voz sensata no governo pode lançar o pedido de socorro aos únicos segmentos que podem salvá-la, se a sanha e a escalada golpistas continuarem: os movimentos sociais, os sindicatos, as centrais sindicais e os servidores públicos. Trágica ironia. Nessa hora, seguramente, ouviremos de sindicalistas e servidores públicos o desabafo: é, dona Dilma, nada como um dia após o outro, com uma noite no meio…e correrão a salvá-la, ainda que a contragosto. Pois, sindicalistas e servidores públicos, sabem bem pra que lado a banda toca. E quem são, de fato, aliados e inimigos.

    Salvarão Dilma mas apresentarão a fatura ao PT e à Base Aliada: Em 2014, com Dilma, não dá!

  52. gestão tecnocrata e apolitica

    Hoje não existe ministro políttico. Todos são tecnocratas e apoliticos. Resultado: Dilma desmorona e o pais perde grandeees oportunidades de crescimento. 

    Está pintando Campos no segundo turno com Dilma e aí… bem Dilma perde.

    • Remédio

      Edson,

      Só uma informação, qual é o artista que está pintando esta sua idéia rsrsrsrsrs ?

      Mal “casaram”, e o neto herdeiro pernambucano já bate cabeça com a  “noiva” acreana, ou seja, é a autêntica chapa, ou melhor, nau dos desesperados, chapa que em condiçõe normais não faz placê, e o artista ao qual ainda desconheço resolve pintá-la num 2º turno prá depois seguir para a vitória, fantástico.

      Não tomar o remédio pela manhã dá nisto, delírio, convulsões, etc…, não se maltrate desta maneira.    
       

  53. ÊÊÊ!!! mundão véi discuncertado !!!

    …se são aqueles os medos da equipe de vendas desta empresa, é bom que ela a troque imediatamente, pois  não estão apenas com midiatite, estão com midialose, que é um estado terminal da midiatite, mais ou menos do que esta padecendo a nossa oposição.

    É impressionante, ver pessoas esclarecidas como as que aqui comentam,  verem a nossa situação com tamanho pessimismo…impressionante.

    A nossa presidente esta fazendo um grande governo, nos trazendo conquistas históricas, que nem LULA, nos trouxe.

    Estabelecer  conceitos, baseado nas insatisfaões de uma minoria, cujo horizionte visual não vai além de seus umbigos, é de fazer o meu amigo Colemar dizer: ” ÊÊÊ!!! mundão véi discuncertado !!!”…o Colemar também costuma dizer:  “Te libertas e conhecerás a verdade”.

     

    • Parabéns!

      É assim que penso e assim devem agir aqueles que admiram Dilma. É fácil, muito comodamente fora dos conflitos, apontarmos os erros. Mas é difícil para quem está no comando, administrar a avalanche de problemas do cargo. Acho que muitos estão sendo inocentes úteis aos incompetentes da oposição. Quais seriam os MÉTODOS dos que concorrem com ela?  Na minha opinião, nem métodos terão. Terão a soberba e a vaidade do cargo. Dois mauricinhos netinhos de velhas raposas, querendo manobrar e vender o país. Cruz Credo!!!!

  54. A questão é: será que ainda há tempo?

    Sim, porque estamos a apenas cinco meses das eleições. As variáveis com potencial de desgaste deverão se destacar mais que as promissoras, em especial as esperadas “manifestações da Copa”, hoje uma espécie de “Santo Graal” que, por fim, ensejará condições políticas para que a candidatura da presidenta entre numa espiral de queda.

    Apesar da crítica expressa no texto ser técnica sua leitura, por raqzões óbvias, deve ser feita pelo viés político. 

    Meu medo é que chegue no trágico “agora Inês é morta”. 
     

    • Final de junho, prazo final das convenções

      O deslinde está perto.

      Esticar mais põe em risco o Brasil, não interessa a ninguém, nem a elite açambarcadora, nem as oposições e nem ao governo.

      Mas que ia ser interessante ver o circo pegar fogo do lado de fora, ia.

  55. Você já pensou que nós, como

    Você já pensou que nós, como sociedade, e que ainda não conseguimos ser nação, talvez não tenhamos estofo suficiente para gerar um governante de alto nível?

    Essa pode ser uma possibilidade terrível, mas talvez o governante que queiramos não exista porque nós como sociedade não sejamos capazes de produzí-lo.

    Rumo e método são importantes, mas acho que mais importante que isso é,  algo que não vejo em nenhum político de destaque na mídia, estofo, substância.

    Não há o tal do punch, Nassif.

    Rumo, método e o mais importante de tudo, PUNCH.

    • Governo de alto nível é factivel

      Basta vontade política.

      Têm que colocar gente do ramo para a coisa funcionar.

      Por exemplo, 14 ministérios e 72 secretarias.

      Moleza para quem sabe, impossível para os outros.

  56. Empresários por empresários,

    Empresários por empresários, fico com a opinião da Dona Luiza Trajano – “Esta é a década do varejo!”

  57. E o caráter?

    O importante pra mim é que a Dilma tem caráter, é honesta e trabalha muito.

    Ela é criticada por dizer a verdade no caso de Pasadena, queriam que ela fosse mais “esperta” politicamnte do que honesta?

    Ela é criticada por ter tentado trazer as taxas de juros do país para um patamar civilizado !

    Ela é criticada por tentado baixar as tarifas de energia elétrica, no que foi boicotada até pela ANEEL !

    Ela é criticada por dar andamento à realização da Copa e das Olimpíadas no país !

     

     

    Um país cheio de políticos desonestos, governadores ineptos, jornalistas inescrupolosos, uma imprensa sórdida e economistas teóricos e a Geni da vez tem de ser a Presidenta?

  58. Rumo à parede?

    Não basta ter rumo, a direção não pode ser a parede.

    Rumo protecionista, com subsídios e relaxamento fiscal pode não ser o desejo de muita gente.

  59. ‘…Tomou decisões

    ‘…Tomou decisões intempestivas em áreas de extrema complexidade – como o modelo elétrico – sem  ouvir as partes envolvidas. Tomou decisões de profundo impacto fiscal – como  desoneração do IPI para o setor automobilístico – sem encaixá-las em uma política setorial.’

    Agora, por causa da redução das tarifas e do IPI dos automóveis, que podem até ter sido decididas intempestivamente, o NASSIF quer crucificar a DILMA. E aredução dos juros em 2011/12, foi um erro também ?!? É o fim da picada…. Sai prá lá TUCANÃO !!

     “ANOS tuKKKânus LEWINSKYânus NUNCA MAIS !!! NO PASSARÁN !! VIVA GENOÍNO !! VIVA ZÈ DIRCEU !! VIVA A LIBERDADE, A DEMOCRACIA E A LEGALIDADE !! VIVA LULA !! VIVA DILMA !! VIVA O PT !! VIVA O BRASIL SOBERANO !! LIBERDADE PARA JULIAN ASSANGE, BRADLEY MANNING E EDWARD SNOWDEN JÁ !! FORA YOANI e MÉDICOS COXINHAS !! ABAIXO A DITADURA DO STF DE 4 PARA A GLOBO !! ABAIXO A GRANDE MÍDIA CORPORATIVA, SEU DEUS ‘MERCADO’ & TODOS OS SEUS LACAIOS & ASSECLAS CORRUPTOS INIMPUTÁVEIS !! CPI DA PRIVATARIA TUCANA, JÁ !! LEI DE MÍDIAS, JÁ !! “O BRASIL PARA TODOS não passa no SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO – O que passa SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO é um  braZil-Zil-Zil para TOLOS”

  60. Nem o Dr. Ferraferra…

    …Nem o Dr. Ferraferra, ilustre pesquisador de disturbios psicomental, da UNINCRA ( Umiversidade Independente do Crato ) no Ceará , soube ainda explicar esta patologia: o anti-petismo radical, uma deformação psíquica, que esta levando certos indivíduos a sentirem ódio pelo PT e seus membros, a tal ponto, do sujeito, em momentos de crise, afirmar que o PT não fez nada nestes anos em que esta no poder. Pode ???

    O Dr. Ferraferra ainda não explica, mas, já esta obtendo sucesso no tratamento, adotando o seguinte procediento: enfia a cabeça do maluco num vaso sanitário e dá descarga, isto, três vezes ao dia. O cara não sara totalmente, mas para de falar asneiras.

    Chegou a esta conduta, depois de saber que em São Paulo, um portador desta psicose, vendo que não haveria golpe, ou possibilidade de derrotar o PT nas urnas, se suicidou. Encontraram-no, no banheiro, nú, com a bunda pra cima,  a cabeça dentro do vaso sanitário e a descarga ligada. No espelho do armariozinho um bilhete: “Vou mas volto”. A família contratou um vigário para que reze uma missa todas sextas-feiras, na esperança que ele mude de idéia, e se acostume logo com o fogo dos infernos.

     

  61. Nem o Dr. Ferraferra…

    …Nem o Dr. Ferraferra, ilustre pesquisador de disturbios psicomental, da UNINCRA ( Umiversidade Independente do Crato ) no Ceará , soube ainda explicar esta patologia: o anti-petismo radical, uma deformação psíquica, que esta levando certos indivíduos a sentirem ódio pelo PT e seus membros, a tal ponto, do sujeito, em momentos de crise, afirmar que o PT não fez nada nestes anos em que esta no poder. Pode ???

    O Dr. Ferraferra ainda não explica, mas, já esta obtendo sucesso no tratamento, adotando o seguinte procediento: enfia a cabeça do maluco num vaso sanitário e dá descarga, isto, três vezes ao dia. O cara não sara totalmente, mas para de falar asneiras.

    Chegou a esta conduta, depois de saber que em São Paulo, um portador desta psicose, vendo que não haveria golpe, ou possibilidade de derrotar o PT nas urnas, se suicidou. Encontraram-no, no banheiro, nú, com a bunda pra cima,  a cabeça dentro do vaso sanitário e a descarga ligada. No espelho do armariozinho um bilhete: “Vou mas volto”. A família contratou um vigário para que reze uma missa todas sextas-feiras, na esperança que ele mude de idéia, e se acostume logo com o fogo dos infernos.

     

  62. parece que os pobrema de comunicação

    parece que os pobrema de comunicação do governo federal ruim de dar notícia boa pro povão contaminam a titularidade da análise crítica política do blog ggn-nassif que incorre de falar difícil pomposo gongórico pra nóis aqui da periferia desletrada; seria tão mais de fácil e direta e reta compreensão:

    Dilma tem o rumo, mas não tem o prumo. 

    ou até um

    Dilma tem o rumo certo, mas não tem o jeitinho brasileiro.

    ou então mais poético operante (o povão gosta…)

    Dilma tem o rumo, mas não tem a estrela-guia.

    ou ainda num embolado repente na praça é nossa

    Dilma tem a rima, mas não tem o ritmo (just in time).

     

  63. Arte do Possível

    Para falar de modo simples e claro: o governo Dilma não é uma maravilha, mas sua reeleição é a melhor alternativa disponível. Sejamos coerentes: das opções possíveis na próxima eleição presidencial, votar na releição é a menos ruim. Vale lembrar que política é a arte do possível, e que os candidatos da dita oposição representam retrocesso.

  64. Caro Nassif e demais
    Dilma

    Caro Nassif e demais

    Dilma tem sim o curso e tem sim  o método.

    Mas curso e método se alteram constantemente. Mas, meta é sempre a mesma, melhorar para o povo, distribuir melhor as riquezas, que o Brasil seja para todos brasileiros, e isso não é fácil.

    Há grupos quinhentistas poderosos, eles não querem mudanças, o Brasil arcaico, é excelente para eles. Mas adoram falar em humanismo.

    Governar de acordo com os tucanos é fácil. Os quinhentistas sabem disso.

    Governar de acordo com o povo, não é fácil, os tucanos e demais quinhentistas, fogem disso.

    Parabéns ao artigo do Diogo Costa.

    Saudações

     

  65. Concordo com sua análise

    Concordo com sua análise Nassif e acho que a falta de método decorre da própria formação política da Presidenta, que evidentemente não percorreu os caminhos de Lula, animal político por excelência, negociador incansável e disposto sempre a ouvir todos. A escola do sindicalismo foi a grande formadora do ex-presidente.

    No entanto devo destacar que no governo anterior isso que você chama de método muitas vezes era trombeteado como defeito de Lula,  assembleísmo, excessivo espírito conciliador e por isso também recebia pau de todo o aparato midiático tradicional, que passava uma imagem de um Lula indeciso e voltado aos pactos. Dilma tem rumo sim, sabe onde quer chegar, percorre um caminho de fortalecimento do país em um cenário internacional muito complicado, mas também peca por não ter uma equipe de ministros robusta, o que acho é escolha pessoal. Penso que a Presidenta deveria delegar muito mais para ter espaço para fazer política, digo, a grande política.

    O que não pode é ter ministros do calibre de um José Eduardo Cardoso ocupando uma pasta fundamental como a da justiça ou de Paulo Bernardo, um invisível, ambos com um temor reverencial à Globo e aos jornalões no resguardo de suas posições de poder futuras.

    No entanto Dilma solidificou uma imagem de suma importância neste seu gerencialismo exacerbado que é a da absoluta rigidez em relação à corrupção (menos pros jornalões), aos desmandos e à politicagem velhaca proveniente do PMDB. Caso seja eleita precisará ter nomes fortes na Justiça, nas Comunicações, na Comunicação Social, na Fazenda, além de um presidente do BC mais resoluto no embate com a banca apoiada maciçamente pela mídia.

     

    • Consciência

      Talvez porque eu sempre senti uma falta de consciência do que está acontecendo à sua volta na Dilma eu insista na frase : Acorda, Dilma!

      Uma explicação para isto está neste artigo que fala das regras que o nosso cérebro usa para pensar, com base na ciência. O último item é consiência.

      Mind maths: Five laws that rule the brain

      (Image: Dan Page) 

      How could an equation or formula ever hope to capture something as complex and beautiful as the human mind? In a sense we’ve long been describing the brain with numbers – 86 billion neurons, 1200 cubic centimetres, 1400 grams. But you might expect that more ambitious attempts to explain the brain with mathematics would be doomed to failure. 

      Yet over the last few years, neuroscientists have built a mathematical framework for understanding many aspects of the brain.
      Read more

      NETWORK ARCHITECTURE

      Small world with big connections

      The brain is highly interconnected, with a networked architecture that makes the perfect platform for our mental gymnastics
      Read more

      POWER LAW DISTRIBUTION

      Your brain teeters on the edge of chaos

      How come the cascades of impulses that spread throughout the brain don’t turn into out-of-control avalanches?
      Read more

      PREDICTION

      Your personal prediction machine

      The brain’s crystal ball may arise from a blend of cunning statistics and a technique that minimises surprises, linked to the laws of thermodynamics
      Read more

      ATTENTION

      Battles for attention fought in the brain

      The way different neural networks compete for dominance echoes the battle for survival between predators and prey – the result may be your wandering mind
      Read more

      CONSCIOUSNESS

      The sum of consciousness

      The brain is constantly drawing links between every bit of information that hits our senses – is this what allows us to be aware of what we see?

       

  66. Ou seja:
    Dilma é centralizadora e mandona e, quando as coisas não dão certo, procura jogar a culpa em algum subalterno.Um doce de pessoa.
    O principal problema dela, é que não parece competente.
    Mesmo que fosse, isso já seria suficiente para afundar sua candidatura.

  67. A governança tem reservas, para usar na hora certa.
    O silêncio que às veses, o governo federal deixa transparecer, é fruto de um programa de governo que não precisa de visibilidade excessiva, nem de palanques eleitorais fora de época, porem quando chegar a hora da “onça beber água” esta “reserva” será usada na sua real e necessária extenção.
    Está na natureza da Presidenta, trabalhar à moda mineira, e não à moda sensacionalista, indo de encontro àqueles a quem a nação tem uma dívida social, ainda distante de ser paga, ou seja, governar olhando as pessoas e não as pretensões puramente eleitorais.
    Que dá nervoso, ver um Ministro da Justiça, ser “engolido” em suas atribuições constitucionais, por juizinhos de 1/2 tijela do STF, ah, isso dá, porem aqueles tempos em que o Ministro da Justiça, era um simples articulador político do Presidente da República, já não existe; Que dá nos nervos, ver um Ministro das Comunicações ser um mero representante da grande mídia, no Palácio do Planalto, ah isso tambem é verdade. Porem o pior é ver tantos ministérios e cargos no 1º escalão federal, serem entregues aos partidos aliados, e em troca disso, sequer podemos contar com o apôio efetivo destes parlamentares, nas horas difíceis, e ainda termos um vice-Presidente, que só é aliado nas horas boas, nas más, ele arrega e sai pela tangente.
    Passou da hora, da Dilma usar suas armas, e usa-las sem medo de ser feliz. Para isso, ela pode contar com o apôio de quem colocou-a lá, o povão, que viu seu dia-a-dia melhorar.

  68. Dilma tem rumo e método

    Dilma tem o rumo, mais que seus competidores. Mas não tem o método.

    Dilma tem rumo sim e além de rumo tem método: eternizar a miséria, porque os 25% da população beneficiados pelo Bolsa Família são o seguro de vida do PT. Ótimo o BF sugerido ao Lula pelo Marconi Perillo, mas esse é o tipo de programa que já ao lançar você tem de planejar como reduzir a população que depende dele. Para ser mais efetiva no seu método, basta que a nossa Big Sister encha as cidades de posters com seu rosto babilônico, apontando para baixo e dizendo: tens o BF porque também tens a Big Sister, que te ama e nunca irá te desamparar.

     

  69. > Ela quer a participação

    > Ela quer a participação direta em todos os planos e o mérito de todos os feitos do seu governo.

    Dilma só está sendo o que sempre foi. Pode ter sido competente como burocrata (ser competente nem é algo tão difícil assim; basta ter o conhecimento necessário e, evidentemente, a vontade de ser), mas se competência gerencial fosse tudo, ao invés de eleições seria melhor contratarmos logo um CEO. Um país não é uma empresa e nem mesmo uma repartição pública gigante. Espero que o primeiro mandato pífio de Dilma Roussef seja a pá de cal nesse gerentismo que vem empobrecendo o debate político nacional desde o Collorido. E que ela, uma vez reeleita (e vai ser), seja a responsável por enterrar de vez essa conversa mole de “competência vs. incompetência”. Enquanto os gerentistas discutem quem é mais competentes, permanece inalterado o quadro de cinquenta mil homicidios por ano. Em qualquer lugar do mundo, debelar essa catástrofe, que enche de medo o dia a dia dos cidadãos, seria o assunto a dominar o debate político. No Brasil, é praticamente um tabu. Alguém sabe o que Dilma Roussef, Aécio Neves ou Eduardo Campos pensam a respeito? Alguma coisa devem ter a dizer, mas é secundário no seu discurso.

  70. Acho que nosso país não

    Acho que nosso país não merece se render à banca com Aécio Neves e nem com Eduardo Campos, abrindo mão de conquistas tão importantes como as dos últimos 10 anos. Também acho que com Campos ou Aécio estaremos em um caminho de volatilidade política e social que resultará em muito sangue pelas ruas.

  71. Nenhum país dá certo, com uma mídia como a nossa

    O governo está sitiado, o país está sob o bombardeio de notícias ruins, a maioria mentirosas. Como decolar assim ? Não existe na história da humanidade, nenhuma nação que tenha dado certo, sob permanente campanha midiática de destruição de seu governo.

    • Pingos nos iiiiis

      A mídia não existe para derrubar o governo, ela existe para apoiar a elite que governa mantendo o povo dócil e obediênte e para isso inocula forte doses de pessimismo em suas mensagens.

      É o pessimismo individualista que mantém as elites no poder.

      • Sobre elites

        Gaetano Mosca, em 1896 ensinava que todas as sociedades, das primitivas às mais cultas e fortes, possuem duas classes de pessoas: A dos governantes e a  dos governados. A primeira, menos numerosa, cumpre funções públicas, monopoliza o poder e goza as vantagens inerentes a ela, enquanto a segunda, mais numerosa, é dirigida e regulada pela primeira, de modo mais ou menos legal, arbitrário ou violento. Complementando a idéia, mais tarde, outro pensador Vilfredo Pareto estendeu o conceito falando de uma classe “superior”, que detêm o poder político e o econômico, a que deu o nome de ELITE.

        ***************************************

        A teoria das elites surgiu no final do século 19 tendo como fundador o filósofo e pensador político italiano, Gaetano Mosca (1858-1941). Em seu livro “Elementi di Scienza Política” (1896), Mosca estabeleceu os pressupostos do elitismo ao salientar que em toda sociedade, seja ela arcaica, antiga ou moderna, existe sempre uma minoria que é detentora do poder em detrimento de uma maioria que dele está privado.

        Os poderes econômicos, ideológicos e políticos são igualmente importantes, mas em seus escritos Mosca deu ênfase à força política das elites. O restrito grupo de pessoas que a detém também pode ser denominado de classe dirigente.

        De acordo com esta teoria as sociedades estão divididas entre dois grupos: os governantes e os governados. Os governantes são menos numerosos, monopolizam o poder e impõem sua vontade valendo-se de métodos legítimos ou arbitrários e violentos ao restante da sociedade.

        Governantes e governandos

        O conceito de divisão do poder entre governantes e governados, porém, não é algo novo e consta nos escritos de muitos filósofos e pensadores antigos e modernos (MaquiavelMontesquieu, Karl Marx, entre outros).

        Entretanto, a originalidade da teoria das elites formulada por Mosca, advém da preocupação em explicar que a classe dirigente (ou seja, os governantes) constitui uma minoria detentora do poder pelo fato de serem mais organizados.

        Desse modo, seja por afinidade de interesses ou por outros motivos, os membros da classe dirigente constituem um grupo homogêneo e solidário entre si, em contraposição aos membros mais numerosos da sociedade, que se encontram divididos, desarticulados e consequentemente, desorganizados.

        Importante enfatizar também que, segundo o estudo realizado por Mosca, a dominação política exercida por um grupo minoritário dentro da sociedade pode ser presenciada em qualquer sistema de governo: ditadura ou democracia.

        Desigualdades sociais

        Depois que Gaetano Mosca formulou a teoria das elites, outros pensadores sociais empregaram o termo “elite” de maneira diversa, dando origem a novos conceitos e teorias. No campo das ciências sociais, por exemplo, o estudo das elites políticas beneficiou o desenvolvimento da ciência política.

        Neste aspecto, devemos considerar os estudos do economista e sociólogo, Vilfredo Pareto (1848-1923), que publicou dois estudos importantes: “Manual de Economia Política” (1906) e “Tratado de Sociologia Geral” (1916). No “Tratado de Sociologia Geral”, Pareto se preocupou com o estudo da interação social entre as diversas classes de elites, cujas mais importantes, segundo ele, são: as elites políticas e as elites econômicas.

        O mais importante destaque do estudo é o processo de decadência das elites, observado por Pareto,ou seja, historicamente as elites lutam entre si e se sucedem umas às outras no exercício da dominação política.

        Pareto também chama a atenção para o fato de que, em qualquer sociedade, os homens são desiguais. As desigualdades entre os indivíduos contribuem diretamente para o surgimento das elites.

        Pareto tinha convicção na superioridade das elites econômicas e políticas porque acreditava que as desigualdades sociais faziam parte da “ordem natural” das coisas. Devido à sua intransigente defesa da dominação das elites, e também por ser um crítico contumaz de qualquer forma de regime socialista, Pareto é apontado como o ideólogo precursor do fascismo. Não obstante, ele nunca aderiu formalmente ao regime fascista italiano.

        Oligarquias partidárias

        Os estudos de Mosca e Pareto serviram de base para formulação de novas teorias das elites. Dentro deste campo de pesquisa, cabe destacar o estudo do sociólogo alemão Robert Michels (1876-1936), “Partidos Políticos: um Estudo Sociológico das Tendências Oligárquicas da Democracia Contemporânea” (1912). Neste estudo, Michels analisou a dinâmica inerente à política democrática a partir da observação dos partidos políticos de massa.

        Com base em evidências empíricas demonstrou que mesmo dentro das organizações partidárias que funcionam num sistema político democrático, há fortes tendências à elitização, ou seja, concentração de poder num grupo restrito de pessoas. Michels chamou essa tendência à elitização de “lei de ferro das oligarquias”.

        A maior contribuição da teoria das elites formulada por Michels se refere ao fato, inusitado e paradoxal, de que a elitização ocorre até mesmo no interior das organizações comprometidas com os princípios de igualdade e democracia, ou seja, os partidos políticos de massa.

        O conceito de elitização e “lei de ferro das oligarquias” também pode ser aplicado aos sindicatos, corporações e grandes organizações sociais. Uma organização, partido político ou movimento social podem surgir em decorrência de verdadeiros objetivos igualitários e democráticos, porém, com o passar do tempo, a tendência à elitização ou oligarquização se manifesta.

        Outras definições

        Fora do campo dos estudos acadêmicos o termo “elite” é usado para se referir aos grupos hierarquicamente superiores dentro de uma organização burocrática; o exemplo mais comum é a referência às certas unidades militares dentro das Forças Armadas.

        Também é comum denominar de elite os grupos que estão situados em posições sociais superiores como acontece com as classes sociais, detentoras de poder econômico. Outras referências genéricas são aplicadas às organizações burocráticas e empresariais.

        Renato Cancian, Especial para a Página 3 Pedagogia & Comunicação é cientista social, mestre em sociologia-política e doutorando em ciências sociais. É autor do livro ?Comissão Justiça e Paz de São Paulo: gênese e atuação política – 1972-1985?.

        *************************

        The manipulator himself may not surrender to any emotional inclinations. Like a tantric yogi he must keep his own feelings completely under control from start to finish. For this reason well-developed egocentricity is a necessary characteristic for a good manipulator. He is permitted only one love: narcissism (philautia), and according to Bruno only a tiny elite possesses the ability needed, because the majority of people surrender to uncontrolled emotions.***************** 

    • Correto. O petismo não

      Correto. O petismo não apredeu a lição zero do fidelismo. Mídia contra vai para paredon e a favor contruiu mais se não houver

  72. Qual serah o QI de Dilma ?

    Qual serah o QI de Dilma ? Nao eh por nada nao, mas as vezes ela me parece muito confusa, digamos.

  73. O maior problema da Dilma é o

    O maior problema da Dilma é o Lula.

     

    “Presidentes Lulas” aparecem uma vez a cada seculo, e olhe lá…

     

    E a comparação por ser sucessora do Lula é inevitável.

     

    Fica difícil mesmo.

  74. …assim falou Zé de Tustra…

    “Deus quando criou a humanidade e deu ao homem o livre arbítrio, nunca iria imaginar que alguns destes o iriam utilizar para transformar a imbeilidade em uma ideologia, uma filosofia de vida, se tivesse imaginado, com certeza, teria parado a sua criação ao criar os asnos.”

    Citei este pensamento deste célebre pensador, porque me lembrei que há em nosso meio, pessoas que acham bonito, pior, aplaudem,  um grupo político que busca o poder em nosso país, e para o qual,  a  meta principal de governo é um salario mínimo de cem dólares.

    Se o Zé…de Tustra, tivesse conhecido estas pessoas, acharia que Deus teria parado a sua criação ao criar os vermes.

  75. Um bom administrador escolhe bons conselheiros.

    No caso Pasadena, Dilma errou ao querer colocar a culpa em alguém de dentro da Petrobras. Alguém que havia negado acesso às clausulas do contrato.  Ela disse que se soubesse não teria concordado.  Seŕa? O próprio Nassif mostrou que cláusulas como estas são comuns em contratos empresariais.  Dilma age de forma impensada e acaba se enredando.  Este diretor Cerveró, pelo que entendi, não teve culpa nenhuma e no entanto foi agora demitido.  Por quê?  Ora que confusão ela aprontou.  E ainda deu armas aos inimigos.   Quem está aconselhando a Dilma?  Ela tem que demitir é este conselheiro de meia tigela, pois a presidenta não precisa, de sopetão, dar satisfação a esta imprensa nojenta.  Pense 10 vezes ante de falar.  Vejo que o  Padilha, é exatamente o contrário, é mais ao estilo Lula.  O caso Pasadena,  tem tudo para ser um grande blefe da oposição golpista e no entanto foi um negócio que poderia ter sido bom se não fosse pela crise financeira e pela descoberta do Présal.

  76. Ah como eu gosto do meu robozinho…

    Eu tenho um robozinho que resolve todos os comandos de submissão pelo controle remoto.

    Reassimilei o robozinho a um ser verdadeiro e abstrato e, como ser individual no seu trabalho ele sabia como devolver ao próprio homem o mundo e as suas relações sociais.

    Ao Mundo referia-se para abstração da prática real. Isso consiste em converter a divisão do homem na sua vida empírica em homens públicos; a transferência do Estado presente dentro da ordem mundial seria o valor da sociedade.

    Entenda-se: a sua consciência não seria um investimento externo, mas uma emancipação política que transforma as forças do Estado (que está sem rumo) num ser-espécie, com os meios da existência humana. 

    O espírito especulativo tem sido mais criativo que o robozinho submisso.

  77. Pessoas inteligentes.

    A vários tipos de inteligência, conheço pessoas inteligentíssimas em uma área específica e senso comum no resto. A outro fato interessante entre os mais inteligentes, constumam ser arrogantes. Afinal o cara sabe tudo, não precisa aprender mais nada. A pessoa inteligente tem que ter umildade para aprender e evoluir. Espero que a Dilma que é com certeza o melhor pro Brasil nesse momento, que representa uma proposta que talvez não tenha todos os requisitos da boa gestão, com projetos etc, porem tem o bom senso de quem ama o Brasil, tenha a umildade de aprender.

    • erro de portugues
      Cuidado com a ortografia e importante para passar credibilidade ao que se pensa. Espero que tenha a “UMILDADE” de reconhecer e corrgir.

  78. Lula elegeu seu Poste e seus cachorros pra fazer xixi nele.
    Resumindo o texto, Dilma não passa de um poste. Um poste até sofisticado daqueles do tempo do onça, usados nas praças na década de quarenta com desenhos requintados desenhados por urbanista clássicos. Hoje,estes postes não passam de velharias, pois só tem valor para os colecionadores e saudosistas. Dilma é um poste velho adaptado na política,que não sabe discursar , não tem eloquência. Dilma é uma pedra bruta, sem capacidade de se expressar em público, em que pese seu esforço feito inutilmente para aguentar os auto falantes da mídia que pesa em sua estrutura de arquitetura de elite que remonta aos tempos da década de quarenta. Dilma tem alma conservadora moldada em sua infância quando frequentava colégios elitistas de classe média alta do naipe do Sion. Dilma faz lembrar o ditado que diz ensina a criança no caminho em que se deve andar e quando for grande não se desviará dele. Dilma jamais gostaria de ver suas netas revivendo o que ela viveu nos aparelhos de subversão, onde rolava tudo para disputar uma liderança dentro movimento. Os tempos mudaram e Dilma vê seu tempo de subversão como algo que não não deve ser repetido ou ensinado para seus netos e netas. Dilma descobriu o sabor do conservadorismo aliado a terceira idade. Por outro lado, Lula exagerou na DOSE quando escolheu uma sexagenária economista de carteirinha do Conselho Regional , tecnocrata de plantão em seu Governo,um POSTE para sucedê-lo na PR. Lula só esqueceu de dizer para Dilma que assim como a elegeria como seu poste, também elegeria junto seus cachorros para fazer xixi no poste.

  79. Dilma ainda será considerada a melhor presidente da república

    A midia apresenta críticas pouco consistentes e a imaginação das pessoas acaba dando credibilidade a elas.

    O caso Pasadena por exemplo. Será que um conselho deve rever todas as informações de documentos com mais de 4000 páginas. Empresários como Gerdau faziam parte do conselho e também aprovaram a aquisição. Além disso técnicos e consultorias internacionais avaliaram o preço do empreendimento.

    Se considerarmos o valor da dívida pública da época do governoFHC e reajustarmos pela Selic, veremos que a dívida até diminuiu e diminuiria mais se o governo não pagasse alguns pontos porcentuais a mais que a selic no lançamento de títulos públicos.

    O governo procurou diminuir o juros ao consumidor reduzindo o juros dos bancos públicos e o juros imobiliários. Isso estimulou o crescimento do pais.

    O governo renegociou os contratos do setor energético de forma coerente, agora se  ocorreram imprevistos como a falta de chuvas, a conta deve aumentar mesmo.

    Houve a diminuição de tributos para grandes empregadoras de mão de obra, o que acho correto.

     

     

    O programa minha casa minha vida é um sucesso.

    Agora o governo de sp prorrogou a concessão da bandeirantes que tem uma tarifa superestimada e ninguém fala nada.

    Mas mais importante que tudo é que a Dilma é uma cidadão exemplar, que ada mais quer que o melhor para as pessoas e para o país. 

    Na verdade não merecemos um presidenta como ela, mas ganhamos ela e devemos nos orgulhar disso..

     

  80. Para o povo, deter um cargo

    Para o povo, deter um cargo político é um privilégio. Por isso exige que o titular tenha humildade, sobretudo ao pedir votos. 

    E faz parte da nossa cultura machista que mulheres sejam pouco agressivas, podem até comandar, mas sem levantar o tom. 

    Foram trágicos os destinos de muitas mulheres marcantes na história, a começar por Joana D’Arc. Faço votos que não seja este o destino da presidente.

  81. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome