É preferível um Aécio na mão que duas Marinas voando

A aposta em Marina Silva é de alto risco por várias razões.

Dilma Rousseff e Aécio Neves representam forças claras e explícitas e são personalidades racionais.

Dilma defende um neo-desenvolvimentismo com uma atuação proativa do Estado e Aécio a volta ao neoliberalismo de Fernando Henrique Cardoso.

Em 2011, o pânico em relação à inflação tirou Dilma do prumo. Mas ela tem ideias claras sobre o país e sobre o que quer: política industrial, investimentos em infraestrutura, aprofundamento do social.

Podem ser apontados inúmeros vícios de gestão, mas também tem feitos consagradores, como a própria política do pré-sal, a construção da indústria naval, o Pronatec, Brasil Sem Miséria e um conjunto de obras – especialmente na área de energia.

Mesmo sua teimosia mais arraigada não chega perto do risco da desestabilização – apesar do terrorismo praticado por parte do mercado.

***

Com Aécio, a economia será submetida novamente a uma política de arrocho fiscal. Haverá refluxo na atuação do BNDES, fim das políticas de incentivo fiscal, redução da ênfase nas políticas sociais, interrupção no processo de reaparelhamento técnico do Estado. Se venderá novamente o peixe da “lição de casa” e do pote de ouro no fim do arco-íris.

Assim como FHC, Aécio estará ausente do dia a dia. Mas certamente se cercará de um Ministério de primeira grandeza e há uma lógica econômica por trás de suas propostas.

Até onde pretenderá chegar com o desmonte do Estado social, é uma incógnita. Mas age com racionalidade.

***

Leia também:  Silvio Almeida, o intelectual da era pós-Bolsonaro

Já Marina é uma incógnita completa.

Primeiro, pelos grupos que a cercam e que querem um pedaço desse latifúndio. E ela não tem um grupo para chamar de seu, a não ser para o tema restrito do meio ambiente.

Haverá uma disputa dura para saber quem a levará pela mão: economistas de mercado, os grandes empresários paulistas, ambientalistas radicais, os egressos do PSB e – se Marina se consolidar – os trânsfugas do PSDB paulista.

***

O segundo dado é o mais confuso: a personalidade de Marina que nunca foi de admitir ser conduzida por ninguém.

Os que conviveram com Marina no governo reforçam algumas características:

  1. Dificuldade em entender economias industriais.

  2. Baixo pique operacional. Praticamente não conseguiu colocar de pé nenhuma de suas propostas à frente do Ministério do Meio Ambiente.

  3. Jogo de cintura nenhum.

Tudo isso seria contornável, não fosse um aspecto de sua personalidade: teimosia e voluntarismo exacerbados. No governo Lula era quase impossível a outros Ministros definir pactos com Marina. Nas vezes em que era derrotada, costumava se auto-vitimizar.

Os empresários paulistas que apoiaram sua candidatura estavam atrás do símbolo político, o Lula de saias, o Avatar dos novos tempos. Vice de Eduardo Campos seria o melhor dos mundos, pois o presidente asseguraria a racionalidade do governo.

Colocaram como seus porta-vozes economistas, importaram o brasilianista André Lara Rezende, que encontrou a melhor síntese para casar o livre mercadismo com as propostas ambientalistas de Marina: o país não pode crescer para não comprometer o equilíbrio do meio ambiente mundial. Quem chegou, chegou, quem não chegou não chega mais.

Leia também:  A encruzilhada econômica chamada Paulo Guedes, por Luis Nassif

***

Experiências recentes do país indicam que o componente pessoal, a psicologia individual é um ponto relevante na análise de figuras públicas.

Resta saber se o país está disposto a pagar para ver.

Para os mercadistas: aguardem um mês de campanha antes de iniciar a cristianização de Aécio, para poder entender melhor a personalidade de Marina.

É preferível um Aécio na mão que duas Marinas voando.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

290 comentários

  1.  “o país não pode crescer

     “o país não pode crescer para não comprometer o equilíbrio do meio ambiente mundial. Quem chegou, chegou, quem não chegou não chega mais”

     

    Cristo nos livre disso!

  2. O Eleitor

    Com todo o respeito que tenho ao Luis Nassif, discordo completamente de duas Marinas voando e o Aécio nas mãos, vou vice-versa, por: a um, até hoje não mostraram-me um único feito do senhor Aécio Neves que seja relevante ao Estado de Minas, pois ao Brasil, quando da votação do Marco Civil da Internet, quis ser contra por achar que beneficiaria a presidenta da República: quer dizer, os seus interesses acima de quaisquer beneplácitos ao Povo Brasileiro; a dois, Minas Gerais, se se chuta o chão, se colhe ferro: isso é uma verdade universal: basta visitar Itabirito, por exemplo, onde há uma estátua do Orson Welles. Lá se chuta o chão e se colhe ferro, mas a malha de metrô é uma vergonha, ou seja, até onde eu tenho de notícias dos Mineiros, aécio foi um zero à esquerda quando de suas políticas de hipertrofiar o estado, sem a legalidade de concursos públicos; a três, comparar Aécio à Dilma é inversaMENTE proporcional, como o texto aí de cima: uma é ECONOMISTA; quer o recrudesCIMENTO do Estado; o outro, é de abertura; a presidenta tem um diploma e exerce a sua ciência (quer o Nassif goste ou não de suas decisões econômicas), o outro não diz de onde veio nem para onde vai a não ser para tomar “medidas impopulares”. Sabemos das impolutas medidas impopulares de Fhc quando, em meio a uma crise financeira sem precedentes, disse, em “cadeia” (ops!) nacional, que aumentaria TODOS os impostos em 5%, TODOS. Fhc é o guru de Aécio que, por tabela, tem por guru o que é chique-chique chamar de “think tank” a redação d’O Globo ocular dos interesses alheios ao Povo Brasileiro. Dados esses dados (que não são de gamão nem os do William Bonner), não há dúvidas de que a oposição terá de se reestruturar e tentar uma dimensão mais realista só em 2018. Até lá, Dilma Lá. 

     

     

    • Vá a Pernambuco e retire o
      Vá a Pernambuco e retire o que é obra de investimentos federais e depois me diga o que sobra do Eduardo…

      Vá ao Rio e faça a mesma coisa…

      Lá atrás o Lula e a patotinha do ABC viu um futuro adversario no tucano (não importa nesse post se é bom ou ruim) e mirou no Estado.

      Resultado: não tem nada aqui como não há em qualquer outro a não ser quando investe o governo federal.

      Nesse aspecto nosso campeão das urnas é formidável.

    • Mais um a não entender o que fez e faz

      Eu vivia me perguntando o que Aécio Neves teria estudado, qual sua area, pois de suas incursões politicas não da para saber o que ele fez (se pensarmos que sua grande obra é a mudança do centro politico do governo mineiro e a construção de aeroportos privados com dinheiro publico, diria que era engeheiro), mas apostei, pensando na falta de originalidade de sua trajetoria que devia ou ter feito Direito ou Economia…  

  3. Giannetti é doido de jogar pedra na lua

    Giannetti é doido de jogar pedro na lua. 

    Guru de Marina defende aumento da carne e do leite: chamem o Caiado de volta!

    Autor: Fernando Britto

    Enquanto Eduardo Campos e Marina Silva discutem transversalidades e disrupturas para fazer o “programa”do estranho casal a candidatura posta ou deposta do pernambucano, o colunista Paulo Moreira Leite, da Isto é, descobriu que Eduardo Giannetti, seu principal assessor econômico – ao ponto de falar por ela na Folha de S. Paulo, semana passada – defende o aumento do preço do leite e  da carne, porque têm alto custo ambiental.

    Quando li a matéria no Conversa Afiada, que reproduziu o artigo de Moreira Leite na Istoé, juro que não acreditei, que ambos me perdoem. Escreve Moreira Leite:

    “Apontado como o mais influente conselheiro econômico de Marina Silva, autorizado inclusive a dar entrevistas nessa condição, Eduardo Gianetti da Fonseca elaborou uma formula muito peculiar para executar o programa de desenvolvimento com sustentabilidade, talvez a meta mais associada a líder da Rede. Lembrando que o gado brasileiro responde por emissão de gases que geram grande quantidade de C02, Gianetti afirma que, para evitar novos desastres ambientais, preocupação central de Marina Silva, “o preço da carne vai ter de ser muito caro, o leite terá de ficar mais caro.” 

    Tentei achar o texto do livro na internet, para chegar. Nada.

    Mas achei uma matéria daÉpoca Negócios, de dezembro de 2009, onde o indigitado marinista afirma literalmente isso, para compensar as emissões de gases do efeito estufa pelo rebanho – diríamos pela via da “vaca “Vitória”- e também em relação às viagens de avião, pelo lançamento de CO2 na atmosfera.

    Transcrevo:

    “Do mesmo modo, a emissão de gases pelo rebanho mundial de bovinos, suínos e aves supera a da frota de automóveis de todo o planeta – mas seu custo ambiental não é levado em conta na formação de preços dos alimentos à base de proteína animal. Para Gianetti, isso vai ter de ser corrigido. Consequentemente, carne e leite ficarão mais caros.”

    Pobre brasileiro: mal começou a poder comer carne e a comprar passagem de avião no crediário, já querem acabar com a sua festa.

    Em compensação, defendendo o aumento da carne e do leite, já podem chamar de volta o ruralista Ronaldo Caiado, que tinha sido tangido para longe com a chegada de Marina. Com um programa de governo destes, Caiado volta e adere à “nova política”!

    Bem tem razão o Paulo Moreira Leite quando diz, em seu artigo:

    “Por trás dessa visão de desenvolvimento e sustentabilidade, encontra-se um ponto de vista externo ao Brasil e aos brasileiros. É uma noção que vem de fora e envolve nosso lugar na história da humanidade. 

    É fácil entender qual é: os países pobres, com seus bilhões de habitantes, consumistas insaciáveis (Gianetti chega a falar em “corrida armamentista do consumo”) se tornaram uma ameaça a estabilidade e ao futuro do planeta. Diz Gianetti:

    “Criamos no mundo moderno um sistema que é quase uma regra de convivência: você busca situações e posses que deem a você algum tipo de admiração, de respeito, daqueles que estão a seu redor. Contrapartida disso, quando se espalha e se massifica em escala planetária, na China, na Índia, no Brasil, é a destruição irreparável da natureza.”

    Você reparou: quando chineses, indianos e brasileiros entram no mercado de consumo, ocorre o apocalipse: “a destruição irreparável da natureza.”

    Será mesmo da natureza que o assessor de Marina Silva está falando?”

    http://tijolaco.com.br/blog/?p=9641

     

    • Então o leite e a carne e a

      Então o leite e a carne e a carne aumentam, daí a classe média e os mais pobres procurarão alternativas. Resultado: a explosão do preço do ovo e até da banana, que é muito boa pra comer com arroz e feijão, supondo que o preço do arroz e feijão também não sofram explosão, por que começarão a comer, também, mais arroz com feijão pra compensar a falta de carne… A fórmula brilhante de Gianetti foi copíada daquela que o regime militar usou pra controlar o consumo de gasolina depois que estourou a crise do petróleo: aumentar preços. Quem podia pagar, abastecia, quem não podia, deixava o carro na garagem. O mesmo príncipio do plano Collor: quem tinha mais, tinha gordura pra queimar; os que tinham menos, se ferraram de verde e amarelo.

        • Puts, tá vendo? Então vamo

          Puts, tá vendo? Então vamo entuxá arroz na moçada. Vamos ensinar a comer de pauzinho, assim reduzimos também a poluição que a indústria de talheres provoca.

    • Gases

      Povo brasileiro, cuidado para não soltarem muitos gases, pois a Marina irá elaborar um projeto proibindo a população de “aliviarem a pressão”. Eles podem causar desastres ecológicos.

  4. Marina é uma incógnita completa

    Marina é uma incógnita completa. Está onde está porque ainda não foi preciso abrir a boca, não foi preciso dizer ao que veio e o que fará se assumir a presidencia. Por enquanto ela está flutuando na comoção da perda de ECampos como se este fosse um santo salvador da pátria. Daqui a pouco teremos  as suas inserções no horário político e aí sim começam a ser mostradas as figuras de governo com ou sem máscaras. Nosso povo já começou a ficar escolado, já sabe definir o que é embuste e o que é verdadeiro. Na minha opinião, nem com muita maquiagem (facial e eleitoral), Marina vai conseguir penetrar nas classes menos abastadas do país. Estes já sabem a resposta para uma pergunra que Lula tem feito no rádio: Como foi sua vida nos últimos 12 anos? Melhorou ou piorou?

    • Marina não é uma incognita: Esta tudo tão claro!

      Marina não é uma incognita: Esta tudo tão claro! Claro que ela vai se beneficiar desse “mistério” em torno dela. Por isso espero que oeleitorado tome consciência do tal “mistério” a tempo, o que, se depender da Globo e cia isso não ocorrerá e ela será vendida como uma espécie de Collor-II que veio tirar o Brasil das mãos dos “petralhas”.  Estranho que ela tenha caido do céu para rentistas, Soros e CIA assim pertinho do dia da votação, sem que se tenha tempo para que o eleitor saiba a quem ela serve de fato, por isso Itaú, Globo e mundo financeiro agradecem e nos bastdores festejam a morte de Campos.  Política econômica: O conservadorismo de Marina Silva, esta coletânea de links tira o véu da “Santa Marina”.

      http://jornalggn.com.br/blog/iv-avatar/politica-economica-o-conservadorismo-de-marina-silva

    • A minha vida  de empregado

      A minha vida  de empregado metalurgico foi boa nos ultimos doze anos, como sempre o foi também antes desse período.

      Minha preocupação , de vez que eu não me iludo nem me deslumbro com distribuição de espelhinhos , criação de copa do mundo e nem Carnaval, desde 2003 é de como será a vida para meus filhos e netos se esse governo continuar dando as cartas.

      • A sua vida de empregado

        Se você é realmente metalúrgico, está mentindo. A sua vida não pode ter sido boa até 2002. Havia desemprego e arrocho salaria. Há não ser: que você fosse puxa saco dos superiores, e informante das articulações sindicais dentro da fabrica. Nesse caso o emprego estava garantido, e horas extras não trabalhada incorporadas ao salário.

    • O boi peida e o pobre paga o pato, viajar de avião nem pensar
      Esse Giannetti é um sem noção, olha só o que diz:”(…) “Comer um bife é uma extravagância do ponto de vista ambiental.” (página 72).  Outra “extravagância” que o incomoda envolve as viagens de avião. Referindo-se a um benefício que só muito recentemente perdeu caráter luxuoso, para se transformar num progresso acessível a muitos brasileiros, provocando uma irritação nem sempre justificada em cidadãos que passaram a enfrentar filas nos aeroportos, Gianetti fala: “Pegar um avião para atravessar o Atlântico é uma extravagância sem tamanho, do ponto de vista ambiental. Você emite mais dióxido de carbono do que um indiano durante uma vida.”(página 71). É curioso ouvir de um dos profetas da globalização a todo preço uma queixa contra as “extravagâncias” das viagens aéreas(…)” http://www.istoe.com.br/colunas-e-blogs/coluna/331822_GURU+DE+MARINA+DISSE+QUE+E+PRECISO+AUMENTAR+A+CARNE+E+O+LEITE

  5. Discordo quanto à colocação

    Discordo quanto à colocação de Aécio na lista de preferíveis, pois tanto Marina quanto Aécio trarão insegurança, desconforto, incógnitas… 

    Em relação à Marina acrescento a sua (dela) interpretação messiânica, altamente perigosa e inconseqüente.

    Quanto ao Aécio – um “playboy”, “bon vivant”- além dos perigos neo-libarais e pró-mercado apontados, acresça-se seu senso irresponsável e também inconseqüente.

  6. Estou totalmente perdido em

    Estou totalmente perdido em tentar apenas deslumbrar o Brasil de 2015. Nada é claro porque quase ninguém diz nada de forma objetiva. Com Dilma tenho ainda um deslumbre pelo país em construção, mas não encontro respostas sobre questões econômicas diante da nova realidade mundial de profunda crise européia e incógnita japonesa. Com Aécio, vejo somente o financismo que não entende de política monetaria e pensa em atrelar os seus capitais ao dólar sem entender do problema de hierarquização de valores no mundo. 

    Com Marina: nada. Somente uma idéia de Blairismo (política financista com traços sociais de tranferencia de renda, mas desmonte do serviços de estado) com traços germânicos ecológicos adaptado a realidade brasileira. O mairo problema pra mim é que a Marina poderá fazer tudo o que o financismo prega sem se preoculpar com as consequencias disso por pura inabilidade sua de ser gestora. O desenvolvimento dentro do seus financismo ecológico é parasita. Devemos nos preocupar com o meio ambiente (no mundo já consumimos mais entre Janeiro-Agosto do que deveriamos no ano total), mas quero vê-la pregando a distribuição do poder econômico com a equipe atual! E ver isso dentro da realidade brasileira no mundo é dose, pois não resolveremos nada por sermos muito pequenos dentro da realidade de produção global. O que sobra como consequência de sua falta de visão de país e sua ingenuidade advindo de sua ideologia é o desmonte da capacidade de articulação e integração de políticas públicas pelo estado, e a degradação de qualquer forma do meio ambiente pela tranformação legislativa-economica a favor da concentracão e centralizacão do capital. O caso mais real disso é a gritaria ao redor de Belo Monte, que por não poder atuar através de reservatórios e sim de fios d’água mantém nosso setor enegético dependente do mercado monopolizado e de São Pedro. Chega a ser loucura pensar que não haverá mundanças climáticas no mundo se o Brasil parar, como se a produção em nível mundial e degradaçãoo do meio ambiente dependesse do Brasil. Isso só criará problemas futuros com explosão de preços a cada boom mundial no qual o Brasil e sua população não tem o menor controle. Só pagaremos os preços, pois ficaremos ainda mais dependentes de uma matriz energética imediatista para tapar buracos emergenciais, o que é pior para inflação e o própro meio ambiente. Essa falta de visão integrada de Marina sustentada por discursos subjetivos e que encantam o eleitorado cansado da velha política é muiiito ruim para o Brasil. É uma ilusão do povo pensar nela como uma antiga petista sem apegos a vícios. Sua visão dá sustentação a imobilidade social que aflige o país.

    Estou sendo sincero aqui: sei que o Brasil precisa de uma reforma política e de maior participação social com aqeles que querem participar. Em termos econonômicos, reforma monetária, acerto de câmbio e transparencia e reforma na política fiscal. Precisa reformar o seu estado e retirar os vícios que permitam uma elite se procriar, manter ganhos multiplicados de salarios colados no estado, com aplicações destes ganhos em paraísos fiscais para serem realocados em nossa economia real atrelados a dólar, e grande parte aplicados em nossa dívida pública criada na saída do plano real. Essa elite quer receber rendimentos acima de 5% sobre a inflação e rompeu com o governo em 2011, que decidu não pagar os juros diante do agravamento da economia européia. O governo agira diferentemente de 2008, e a elite que controla grande parte da produção de riqueza inflacionou os seus preços que foram colocados como parte da política de recuperação de salários mínimos do governo desde 2007. O povo quer melhores serviços, mas estes somente virão com a queda do pagamento dos juros aos rentistas, com a quebra do vicío de pagamentos multiplos de salarios a elite sentada principalmente, não somente, no judiciario e órgãos burocraticos no estado, e quebra do esquema financeiros para sonegação de impostos e manobras juridico-contabeis pra esconder riqueza da elite. Sem estas reformas no estado diante da plena crise da incapacidade do MUNDO em gerar recursos para alimentar os ganhos em capital de sua elite alimentadas pelos vícios na maioria do Ocidente pós 80, o Brasil não encontrará respostas para suas questões atuais. O PT dilmista tentou comprar briga com o poder econômico segurando e desestruturando cadeia de preços para tentar sair de parte destes vícios. Sua sobrevivência diante de tal realidade é quase que um milagre. Desmonte de tudo o que está sendo feito por questões ideológicas serão muito ruins para o país. 

     

     

  7. Ambos, Marina e Aécio, são

    Ambos, Marina e Aécio, são bombas que estão armadas, logo não são incógnitas.

    Aécio desmontará o estado, com apoio sólido no congresso, no que for possível. Sua fragilidade frente ao que determina o sistema neoliberal se aproxima do que foi FHC, sem a musculatura acadêmica desse.

    Marina desmontará o estado pela total falta de apoio no congresso.

    Isso é o que apostam os mercadistas que apoiam a ambos.

  8. “Mas certamente se cercará de

    “Mas certamente se cercará de um Ministério de primeira grandeza e há uma lógica econômica por trás de suas proposta”.

    Tá difícil de acreditar nisso, principalmente baseando-se no governo fhc e no do Aécio/Anastasia aqui em Minas.

    • Pegue o alho e a estaca!

      Concordo. Lembra da turma do FHC na Fazenda, BC ? Aquela mesma que preparou as privatizações !!! Pensei que não veria nunca mais esse pessoal dentro do Estado.

  9. luiz nassif

    QUEM SÓ ACREDITA NO PASSADO SINISTRO, NÃO APRENDEU NADA E ESTÁ MORTO.

    O PAÍS QUE NÃO ACREDITA NO FUTURO TAMBÉM JÁ MORREU.

    SE QUISER 100% DE CERTEZA VOTE EM DELFIN NETTO, DO “MILAGRE BRASILEIRO”. FHC E AÉCIO SÃO FILHOS DELE.

  10. Pra mim Marina Silva não é

    Pra mim Marina Silva não é uma incognita. É um joguete do Banco Itaú e outros bancos, talvez até o grupo Soros:

    Já estão falando como se no governo. Neca Setubal dá entrevistas. Não é a coordenadora do Programa de Marina Silva? Como pode? Assim, na cara dura!

    Enfim, candidata do sistema fianceiro. Incognita para mim não é.

    1- George Soros

     

    http://www.ocafezinho.com/2014/08/21/uma-boa-teoria-de-conspiracao/

    2- Itau:

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/poderepolitica/2014/08/1504058-entrevista-com-neca-setubal.shtml

    A coisa já está  tão, assim,”definida”, que até já dá entrevista” sobre como será o governo”.

    • Ah,  também Marina não é uma

      Ah,  também Marina não é uma incógnita em sua sede de poder e vaidade. Ela se vende  e vendeu aí. Facil facil.

  11. Discordo

    Discordo do autor. Tudo bem que as idéias da Dilma e do Aécio sejam claras, todavia, nem o PSDB e nem o PT conseguiram combater uma das mais graves chagas da política brasileira, qual seja, a CORRUPÇÃO. Tanto o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso quanto o ex-Presidente Lula e a atual Presidente do Brasil, Dilma Rousself, se envolveram em escândalos que ainda permanecem sem explicação, pois, como tudo no Brasil, acabaram em pizza. Entretanto, até hoje não apareceu (pelo menos publicamente) nada que pudesse manchar a imagem da Marina Silva (se tiver, por favor me avisem). Diante disso, acredito que é preferível alguém rígido, que governe com honestidade, sem se preocupar se está agradando a A, B ou C, do que ter governante muito aberto principalmente para retribuir possíveis favores obtidos em prol da eleição ou reeleição.

    • Esse negócio de corrupção é

      Esse negócio de corrupção é uma falácia.

      Marina teve seu marido denunciado pelo deputado Aldo Rebelo por contrabando de maderia, avaliada em R$ 8 milhões.

      No governo do PT a Polícia Federal realizou uma quantidade absurdamente maior de operações que na época de FHC.

      As pessoas que ocuparam a procuradoria geral da república no governo do PT tiveram toda liberdade de atuação. Nunca nenhum deles foi chamado de “engavetador geral da república” como no governo FHC

      O mensalão, que seria o “maior escândalo de corrupção” da história do Brasil tem valores que são fichinha perto dos escândalos do metrô de SP ou da privataria tucana.

      Dilma nunca foi envolvida diretamente em nenhum escândalo de corrupção. Tentaram jogar o caso de Pasadena no colo dela, mas o próprio TCU demonstrou que ela não tinha responsabilidade sobre o prejuízo. Alias, Pasadena está dando lucro.

      Várias pessoas do governo Dilma, denunciadas por corrupção, acabaram sendo inocentadas pela justiça, por absoluta falta de provas ou de consistência na acusação.

      Enquanto que no governo FHC a imprensa escondia o que podia e só mostrava quando não tinha mais jeito, nos governos do PT qualquer denúncia é “escândalo”, mesmo que não tenha consistência nenhuma.

      O Manchetômetro (procure no Google) mostra o tamanho da disparidade entre o tratamento da mídia com a Dilma em relação aos demais candidatos.

      Muitos dos tucanos que denunciam a “corrupção” do PT estão envolvidos em seus próprios escândalos, mas que recebem pouco ou nenhum destaque na mídia.

      • Corrupção à vista! é o grito

        Corrupção à vista! é o grito de guerra para a direita agir e manter/retomar o poder. O mais curioso é que não gritam pelos corruptores. Por que será?

    • Prezado Marcelo Eugenio Bomfim de Aguiar

      Talvez vc nao saiba por causa da falta de divulgaçao, mas o governo do pres. Lula criou a Controladoria Geral da Uniao e outros orgaos de combate à corrupçao alem de equipar a  Policia Federal como jamais havia acontecido antes. Por outro lado, um dos principais mecanismos de controle da movimentaçao financeira era a CPMF, que foi combatida e derrubada com a ajuda de gente como o sr Skaf, que anda se vangloriando disso no programa eleitoral gratuito.  Outro ponto fraco de nosso sistema é o ministerio publico, principalmente a nivel estadual, como pudemos constatar com o “esquecimento” suspeito da documentaçao sobre o escandalo Alston-Siemens pelo “perdedor” (antonimo de procurador, claro!) Rodrigo de Grandis e o arquivamento do processo por improbidade adminstrativa pelo desvio de verba do Sus pelo ex-gov Aecio, gentilmente feito pelo chefe do mp mineiro, aliás, escolhido pelo proprio Aecio.  Outro ponto importante é a leniencia da Justiça, com a concessao de habeas corpus a notorios corruptos como Salvatore Cacciola pelo magnanimo Marco Aurelio Mello.  Se vc quer que a corrupçao seja combatida,  tem que cobrar tambem uma reformulaçao da justiça, pois sem isto, nada que se faça a nivel de governo será suficiente.  Mas obviamente,  a liberdade de votar é sua.  Sugiro apenas que vc nao se apegue somente à este item na escolha do seu candidato. O país nao pode so ficar combatendo corrupçao,  temos que garantir que haja realizaçoes que melhorem a vida do cidadao.

    • Infelizmente a corrupção é

      Infelizmente a corrupção é uma praga que sempre vai existir, agora não podemos ser ingênuo de acreditar que o Brasil de hoje é mais corrupto do que há 20 anos. Quais eram os mecanismos para detectar corrupção no passado, quais foram as denúncias ou mesmo, quem foi preso ou pego roubando? Não existia a corrupção?

    • Olha a proporção.

      Prezado, toda a corrupção deve ser castigada, ponto. Mas no frigir dos ovos, ela corresponde a menos de 10% do PIB. Já a sonegação está calculada em um custo de mais ou menos o triplo da corrupção, e ninguém fala nada, porque em sua maioria, vem da nossa “moderna” classe dirigente.

      O que pessoas como você têm que aprender, é que alguém governará e produzirá políticas econômicas e públicas que afetarão diretamente nossas vidas. Devido às decisões de governo tomadas, os assalariados e empresários viverão melhor ou pior. E é esse o raciocínio que há de ser usado, pois o “Brasil” é uma construção, já os brasileiros são a realidade, não adianta um ir bem e o outro mal.

      Lembre-se, a vida é uma só, e o que eles querem (me refiro aos verdadeiros poderosos e a grande mídia), é que nós fiquemos contando a ladroagem, principalmente dos políticos, que em sua maioria são “empregados” dos verdadeiros poderosos, na base do meu candidato roubou mil e o teu mil e quinhentos, enquanto as verdadeiras questões ficam mimetizadas, ocultadas.

      Penso hoje em dia que não existe o melhor político ou o melhor governo, o que existe é quem lhe prejudicará menos, deixará você e sua família com a sensação de segurança, principalmente econômica. Não fique contando o varejinho dos trombadinhas, claro que eles devem ser combatidos, mas o mais importante é olhar para toda a paisagem. Capice? 

       

  12. Marina provocou divisão no

    Marina provocou divisão no PT, no PV, Rede e PSB. Se for eleita, vai dividir o Brasil. Vai desestabilizar o pais e criar a  oportunidade, para levarem a Amazônia embora, quem sabe se concretizará a denúncia de Orlando Villas Boas sobre o território YANOMAMI.

  13. Nassif, o pior é a incognita

    Nassif, o pior é a incognita política.  Mariana é apoiada por uma organização denominada ASPOBRAS, ligada a um movimento denominado Political Organization of the World Government. Mas quais são as idéias apregoadas por estas organizações? Vejamos:
    ” ASPOBRAS e a Political Organization of the World Government não são entidades oficiais ligadas a nenhum governo de nenhum país.
    Mas para atuar em qualquer país é necessário que o país pretendido autorize o seu funcionamento.MAS OS PAÍSES QUE NÃO ACEITAM A POLITICAL ORGANIZATION OF THE WORLD GOVERNMENT, ELA ESCOLHE NOMES DE LÍDERES E AJUDA A ELEGER COMO SEUS REPRESENTANTES E DEPOIS DE ELEITOS A POLITICAL ORGANIZATION OF THE WORLD GOVERNMENT IMPLANTA AS SUAS PRÓPRIAS LEIS.”

     Esta tal de Aspobras tem representantes em toda a América Latina, todos ou quase todos pastores evangélicos. No site da tal organização, há , lá pelas tantas, uma chamada para que os membros ajudem na formação da Rede. Apesar do lider ser de uma tosquise atroz , as idéias da organização são bem claras:”A ASPOBRAS não tem religião, não defenderá siglas ou títulos de igrejas, mas se conduzirá em todas as suas medidas como base fundamental na BIBLIA SAGRADA. Os seus membros e sócios, terão que se comportarem de acordo com o que está escrito na BIBLIA SAGRADA e será seguido como norma de conduta o Novo Testamento. JESUS CRISTO é o modelo a ser seguido em todas as decisões. Para a ASPOBRAS, a BÍBLIA SAGRADA está acima da Constituição do Brasil e nenhuma lei que fira os princípios SAGRADOS pode ter valor para os seus membros, sócios, seguidores e vogais, convidados especiais,  convidados representativos, membros de células, intercessores convidados, guerreiros Espirituais e intercessores do PROJETO da ASPOBRAS. A ASPOBRAS, lutará para que a Constitução do Brasil se adeque a BIBLIA SAGRADA.”

     

     

  14. O poder, a glória e a derrota.

    Em 2002 Lula e sua patota tomaram o poder pelo voto da classe média para fazer as reformas que o país clamava. Zero. Nada foi feito. Navegou nos mares de FHC com o plano econômico que foi contra e o chamou de plano eleitoreiro. Até hoje ele continua, mesmo com todas as incompetências estapafúrdias de Dilma. Desde Lula até hoje somente sujeira, roubos, aparelhamento do Estado, do judiciário, da polícia federal, perseguição política, dossiês falsos, estupidez em negociatas como Pasadena, porto em Cuba, e por ai vai, porque se fosse enumerar tantos descalabros do petismo teria de encher mil páginas. O uso do poder criou no PT uma sensação de que podem tudo, se continuarem a despejar migalhas na população pobre que continua pobre em todos os aspectos: Sem saúde, educação, moradia, infraestrutura e sem trabalho. Trabalhar para quê se o governo sustenta. Nos tempos de Lula houve o glamour da uma economia mundial em alta até 2008. Dali para frente tudo desmoronou como um castelo de cartas. Diz um ditado: “Um burro carregado de açúcar até a boca é doce”, ou seja, quando se precisou mostrar competência para navegar em mares bravios o petismo fracassou e vem afundando o país com sua política de populismo barato, represando preços e maquiando contabilidades. Por tudo isso é que esta chegando a derrota nas urnas. Seja com Marina ou com Aécio, pouco importa. Quem apostou no Lula em 2002 terá coragem de apostar em Marina, caso ela passe para o segundo turno. O que não pode é continuar esta política do “Três para mim, um para você”, muito semelhantes do malufismo do qual são adeptos: “Rouba mas faz”. Chega de petismo e de roubalheira descarada. Chegou a hora de mudar e vai mudar, porque mais vale uma nova tentativa do que duas velhas promessas. 

    •  
      “aparelhamento do Estado,

       

      “aparelhamento do Estado, do judiciário, da polícia federal, perseguição política, dossiês falsos, estupidez em negociatas como Pasadena, porto em Cuba”

       

      NAAAAAAAAAAOOO DAH Nassif.

      • Outra perola mais peroluda

        Outra perola mais peroluda ainda:

        “Quem apostou no Lula em 2002 terá coragem de apostar em Marina, caso ela passe para o segundo turno”!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

        • Ivan tão tentando reviver a

          Ivan tão tentando reviver a eleição de 2002 ! e como farsa,ta rolando até uma estória que marina é o lula de saiaskkkk

          pode! em 2010 não se podia votar na Dilma pois era o Lula que ia governar agora me saem com essa!

           

          eita o que a midia não vende para tirar o PT do governo kkkk

      • Aparelhamento do Estado, com

        Aparelhamento do Estado, com contratação de medicos, professores, policiais

        Do judiciario, onde finalmente poderosos são condenados (ainda timido)

        Policia federal Com mais policiais, melhores salarios e teconologia

        Persiguição Politica? Nossa aq no brasil até xingar a presidente pode sem ser perturbado

        DOssiês Falsos, vc esta falando do Serra?

         

    • Vem cá, o aparelhamento que o

      Vem cá, o aparelhamento que o psdb promoveu aqui no Estado do Tukanistão do Sul não te incomoda não? (O Tukanistão do Norte é aquele estado onde aeroportos apareciam miraculosamente em terras de parentes do governardor).

    • Antes de resolver “mudar” só

      Antes de resolver “mudar” só por mudar. Não seria melhor conhecer quais seriam as propostas de mudança? Sabe quais são elas?

      Lembrando que “mudar” não é sinônimo de “melhorar” em nenhum dicionário que eu conheço.

    • Antônio Barbosa, você é

      Antônio Barbosa, você é doido, ou é burro, ou é as duas coisas juntas? Nunca vi tanta cegueira em uma pessoa só. Seu caso é de internação em um manicômio. 

    • Putz!!! Realmente o Nassif é

      Putz!!! Realmente o Nassif é um democrata…

      Ler essas bobagens aqui… era a última coisa que esperava…

      Com tamanha alienação não da pra argumentar…

      Antonio Barbosa é o Reinaldo Azevedo disfarçado…kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      XÔ!!!!! Aqui élugar de debates sérios…

  15. Roberto Amaral vai engolir Gianneti e André Lara Rezende?

    A partir do min 8:48 o Mino Carta diz quem é Andre Lara Rezende

    [video:https://www.youtube.com/watch?v=kgeKE-fCQdg%5D

    Giannetti defendeu dias atrás, em palestra na UNICAMP, ensino superior pago. Também defende a autonomia formal do Banco Central se bem que, num primeiro momento, essa autonomia seria apenas de fato, como defende tmbm Marina. Defensor do estado minimo para o povão e máximo para essa secular elite burra e predatória, o outro guru de Marina, o André Lara Rezende, que ficou rico da noite pro dia na privataria tucana, não tem nada a ver com Roberto Amaral, presidente do PSB. 

    Salseiro no PSB: Amaral detona gurus de Marina

    “De um lado estará o nosso adversário estratégico, o campo conservador, que trabalha sob o marco da tragédia que foi o governo neoliberal de FHC, definido como exemplar por Mailson, Malan, Armínio
    Fraga, Lara Rezende, Gianetti e outros, incensados no cotidiano pela mídia vassala. Do outro lado, o campo progressista”, diz ele; o problema é que Lara Resende e Giannetti são hoje os principais conselheiros de Marina Silva

    247 – PSB e Rede ainda terão aparar muitas arestas. Ontem, o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, publicou artigo em que combate duramente os principais conselheiros de Marina Silva no PSB: Eduardo Giannetti da Fonseca e André Lara Resende. Leia abaixo:

    De tática e de estratégia

    A eleição presidencial, do ponto de vista político-ideológico, será travada em condições mais difíceis para o campo progressista.

    http://www.sinal.org.br/brasilia/downloads/contraponto_05_11_2013.htm

    • Banco Itaú é que dá as cartas e não o PSB

      PSB e Rede ainda terão aparar muitas arestas. Ontem, o vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, publicou artigo em que combate duramente os principais conselheiros de Marina Silva no PSB: Eduardo Giannetti da Fonseca e André Lara Resende.

      Esse dois ai foram indicados pelo Banco Itáu

  16. MARINA SILVA

    SE VOCE QUISER APOSTAR NO PASSADO SINISTRO PORQUE JÁ CONHECE — VOCE JÁ MORREU

     

    UM PAÍS SEM FUTURO (CLARO, NUNCA SE MOSTRARÁ COMPLETAMENTE) TAMBÉM JÁ MORREU.

     

    SUGIRO QUE VOTE EM DELFIM NETTO, CONHECIDO ATOR DE “O MILAGRE BRASILEIRO”. FHC E AÉCIO SÃO SEUS FILHOTES.

  17. Já estou pensando seriamente

    Já estou pensando seriamente em votar no Aécio no primeiro turno… (e na Dilma no segundo)…

     

    Explico: Aécio no segundo turno é igual ao Serra: não ganha nem a pau… A maioria dos votos da Marina são votos de pessoas ‘que estão de saco cheio de política’ (ah, se soubessem da verdade…)

     

    Agora, se a Marina for para o segundo turno, acredito que a maioria dos votos do Aécio (que na verdade são votos anti-PT) vão para ela, e a chance de se perder a eleição para o Itaú cresce…

     

    De pensar que a eleição estava ganha um mês atrás…

    • Essa proposta do voto útil é de FHC

      Espertinho vc heim, colocando aqui uma proposta de FHC…humm..

      Os progressistas que tendem a votar noutros candidatos tem que votar logo é em Dilma para evitar que esse pais naufrague nas mãos dos Giannet, André Lara Rezende e Itaú da vida

      • Sugiro você procurar meu

        Sugiro você procurar meu login no google adicionando à busca o seguinte: “site:luisnassif.com.br” (que indicará para buscar apenas no site do Nassif) e veja meus comentários dos últimos anos…

         

        Sempre foram à favor do PT (com exceção da banda podre: Vargas, Mercadante e Bernardo)… Só para deixar claro: não sou petista… Voto no PT por falta de alternativa, mas não sou radical ‘de esquerda’ (como se o PT fosse esquerda)…

         

        É ingenuidade achar que a Dilma vai ganhar no primeiro turno…

        De minha parte, acredito que a ida de Marina para o segundo turno é muio pior… A chance da mídia apoiar ela (spoiler: é o que vai acontecer) e conseguir fazer com que ganhe as eleições (lembre-se da bolinha de papel) é grande…

        Assim como existe uma parte do eleitorado que nunca votaria no Aécio, existe outra que nunca votaria no PT… E Marina pode ganhar fácil todos esse votos…

  18. Não dá pra comparar…

    …a Marina com o Aécio.

     

    Aécio está protegido pela elite.  Há quem defenda um político como o Aécio NEVER.  Basta ver o concurso de marchinhas que entenderão o PÓ ROYAL.

    A elite está inquieta por ver o PT continuar no poder.

    E a única frente com chances de competir são dissidentes do PT.

    Então, só resta apelar ao candidato que se assemelha em comportamento e caráter com a Elite Brasileira. – Mas o presidenciavel AECIO NEVER.   Não tem chances.

    Mais uma vez, mais um ciclo e mais uma rodada o PT continuará no AR.

     

    • Por que eles tem medo do Lula?

      Nessa ânsia de tirar o PT do poder a qualquer custo, qualquer um serve, foi assim que quando de uma campanha para prefeito de SP, após uma longa campanha de demonização contra o PT, conseguiram eleger Maluf e, na sequência, vieram Celso Pitta, Serra, Kassab. O mercado financeiro, rentistas, especuladores em geral e mídia sabem que se Dilma ganhar, Lula pode voltar em 2018, daí que estão tocando o terror para eleger um candidato da oposição, que seja Marina ou Aécio, no fundo no fundo preferem este mas, sem chanches, foi abandonado. Por que eles tem medo do Lula?  Resposta: Lula é lider de fato, conversa com o povo, este entende o que ele fala, o que coloca a midia em situação de desespero, sobre isso, segue link para texto de Emir Sader

      http://www.cartamaior.com.br/?/Blog/Blog-do-Emir/Por-que-eles-tem-medo-do-Lula-/2/27152

  19. Não se preocupe Nassif, a

    Não se preocupe Nassif, a Marina não aguentou nem um dia como candidata e ja criou o maior caos entre os seus.

    No caso de eleita seu governo não duraria muitos dias. Alias, menos que o do Collor.

  20. Marina
    Essa cambalhota na corrida eleitoral tende, na reta final, a favorecer a re-eleição de Dilma. Aliás, na minha opinião, será necessario um esforço ainda maior da mídia, seja nacional (Globo, Folha, etc.) como a a internacional (The Economist à frente) para reverter a vitória de Dilma. Concordo que Marina, apesar da simpatia de parte da classe média e dos jovens, deixara clara suas carências como gestora e como política. O ódio que ela alimenta pelo PT não a ajudará em nada. Aécio não tem envergadura para assumir a presidência. No caso de sua eleição, veremos o renascimento do que tivemos de pior na era FHC.

  21. meu voto é só meu

    vou votar na Dila novamente porque sou de certo ponto bem informado, consigo ver se não tudo o que está acontecendo pelo menos um pouco eu vejo, um exemplo claro disso é saber que a grande impresa está contra o PT por interesses comerciais e não ideologicos um bom exemplo e a regulamentação da imprensa que colocou a globo nitidamente fasendo campanha para Aécio.

  22. Descordo

    Marina possui um histórico limpo na política, algo não encontrado com o candidato Aécio, defendido pelo colunista. Além disso Marina vem  na tragetória presidenciável a alguns anos. Vale lembrar que foi o atual governo quem puxou seu tapete e impediu sua candidatura. As perceguições acompanham Marina a muito tempo, afinal de contas os medíocres não tem interesse em mudar o atual cenário brasileiro, como demostra o artigo acima. Uma pena, pois começa novamente o discurso do medo da mudança. Agora é hora de ACORDAR E ACREDITAR NA DEMOCRACIA.

  23. Os machistas que conheço não

    Os machistas que conheço não cansam de falar: “Mulher que gosta de comandar, não tem capacidade de ouvir. Gosta de decidir sozinha”.

  24. Se Marina ganhar o Brasil

    Se Marina ganhar o Brasil terá dias turbulentos, ela não teria base parlamentar e social (até possui base social, mas sem organicidade, dividida entre religiosos e libertários, sem foco), em 2012 não elegeu um prefeito sequer da tal “Rede” e Haddad “roubou-lhe” a nova política.

    Para conseguir governar, o PT teria que ser o “PMDB” da Marina, já que o PT deve continuar crescendo no legislativo e o PMDB deve diminuir (privilégio que Lula e Dilma não tiveram), o PT faria oposição, não teria cargos e apoiaria os projetos que condizem com seu programa partidário. O que manteve o PT durante muito tempo forte em Porto Alegre era porque tinha o PDT brizolista fazendo linha auxiliar no legislativo. 

    Em 2010 Marina foi inflada pelas circunstâncias, os tucanos (principalmente de Minas) não aceitaram Serra atropelar Aécio (o momento era do Aécio), os petistas (mais ideológicos) não aceitaram o vale tudo das alianças e Dilma ainda era uma interrogação, com isso se beneficiou de toda essa insatisfação…

    Marina será cristianizada pelo PSB, uma parte vai para Dilma e a outra para o Aécio. Vão me dizer que seu apoio está nos “sem partido”, má notícia pois não é um apoio sólido que desmancha facilmente e anda de acordo com a direção do vento. As próprias manifestações que ela convocou durante a Copa foram um fiasco…

    • Marina seria mais fraca do que foi Collor

      Ela não tem base de sustentação nenuuma, o Congresso é que terá superpoderes que, para derrubá-la bastaria querer, deve ser por isso que colocaram um ruralista como vice dela, no caso dela sofrer impeachment tá tudo em casa

  25. É preferível uma Dilma Roussef,que dois Aécios ou várias Marinas

    Discordo desta análise reducionista (quero ver a matéria – a ser feita – pelo  Nassif, que analise Dilma e Aécio. Tendo ele se posicionado em relação à Marina, já não há desculpas para que não o faça em relação a estes outros candidatos).

    Assim, a manchete, segundo eu penso – e com uma análise mais ampla -, deveria ser, é preferível uma Dilma Roussef a dois Aécios ou várias Marinas, porque ai sim, se estaria analisando todas as possibilidades eleitorais e escolhendo a melhor.

    Não é de hoje este comportamento dúbio do Nassif, em relação ao Aécio Neves (anoto que ele usou a expressão preferível), o qual entendo como equivocado.

    Pelas análises do governo do candidato do PSDB, em Minas Gerais, que, no campo da livre expressão, tolheu as manifestações contrárias, no administrativo, admitiu sem concurso mais de 100.000 servidores (LC 100 declarada inconstitucional pelo STF) e no que se refere a seara pessoal, construiu os aeroportos de Cláudio e Montezuma, tornam impossível qualificar tal forma de governar como sendo baseada em gestão minimamente competente, e sim, em uma administração esquizofrênica, em que se promovem alguns avanços pontuais para que se possa ter uma imagem publica favorável (isso com a ajuda da mídia cooptada) e assim esconder o estrago que as distorções de sua politica pessoal econômica e administrativa causaram ao Estado.

    No caso, em relação a Marina, cujo governo em tese não iria diferir muito de um Aécio, que, justamente por não dispor de uma base parlamentar que dê sustentação a seu governo,  que seria possível barrar muitas loucuras que eventualmente ela quisesse fazer, neste caso, já teríamos know-how, vide a  experiência com Fernando Collor de Mello.

    Em contrapartida, o partido de Aécio é forte e articulado com muitas forças cooptáveis do Congresso e este sim poderia fazer um estrago enorme tanto na estruturação econômica quanto nos direitos sociais.

    Desta forma, a Marina, é um estrago em potencial, já com Aécio, a destruição do Estado brasileiro independente e auto sustentável e com uma estrutura ainda que incipiente de garantias sociais, seria total e inapelavelmente destruído.

    Em face disso, volto ao primeiro parágrafo, e, retirada a falácia da teimosia como fator negativo do governo capaz de alterar as diretrizes postas, não tenho reparos a politica da Presidenta Dilma Roussef, que manteve o pleno emprego, o aumento real dos salários e os investimentos pesados em infraestrutura,   em um cenário mundial absolutamente hostil, e, mais, está, aos poucos, criando um formidável sistema de proteção social e inclusão da classe menos favorecida que, isto sim, nos permitirá, num futuro próximo que tenhamos imenso orgulho deste país, pelo modo como trata seus cidadãos.

    • Também concordo com você!

      Achei sem lógica essa matéria do Nassif, preferir “medidas impopulares” que na resposta do Aécio são “medidas necessárias”???

      O que vai acontecer é diminuição no aumento do salário mínimo, pronunciada pelo Armíno Fraga, que foi Minsitro da Fazenda do FHC e é cotado para ser no Aécio. Fora o risco de privatização de empresas e setores estratégicos. Os países escandinávos não fazem isso, e tem os melhores índices de idh entre outros.

    • Sergio ,não podemos esquecer

      Sergio ,não podemos esquecer que aécio é mineiro . Poços de Caldas fica em Minas … Logo tá explicado…

    • Não adianta a militância

      Não adianta a militância diária contra as práticas ortodoxas, contra os juros altos e contra tudo o que o Aécio representa em relação à política econômica. O artigo acima não faz nenhuma defesa de Aécio. Mostra dois projetos de governo: o neodesenvolvimentista e o mercadista. E diz que, se é para ter um candidato mercadista, melhor o Aécio do que a incógnita da Marina. Em nenhum momento se diz que Aécio é melhor alternativa que Dilma. Mas não adianta.

      • Não sou militância, por outro lado…

        Caro Nassif

         

        Conheces-me bem a longa data desde o tempo do portal, e sabes muito bem que não sou militante do PT nem caio de amores por candidato nenhum, porém tenho alguns princípios básicos que acho imprescindíveis para a nação brasileira. Por exemplo, estou trabalhando num texto sobre petróleo apertado (o chamado petróleo de xisto) que mostra quanto é valioso o nosso pré-sal e qualquer ação contra este será um ato de lesa pátria, e qualquer ato contra este e a Petrobrás como um fator de desenvolvimento nacional me cala fundo.

        Logo por conta destes princípios vejo somente na candidatura Dilma uma forma de manter este país num rumo de um futuro maior para as gerações futuras.

        Vejo também ações contra a geração hidrelétrica no nosso país como outro grande fator de inibição de um futuro sustentável e rico em energia para todos. Não escrevi sobre a última grande pesquisa que foi realizada em 8 (oito) grandes reservatórios brasileiros que com uma equipe de mais de 100 pesquisadores de diversas universidades brasileiras mostraram que a lenda de que geração de energia por hidrelétrica é limpinha na Noruega e suja nos trópicos é uma imensa mentira.

        De novo vejo na Presidente Dilma a única pessoa capaz de encarar estas mentiras e permitir que não se vá cair no apagão de crescimento e de diminuição da pobreza.

        São fatos que a longo prazo terão repercussões não no fluxo de caixa do Estado Brasileiro, mas num projeto maior para meus filhos e netos.

        Vejo que ultimamente estás preocupado com desajustes de um a dois anos que poderão ser corrigidos no futuro, mas um Aécio Neves ou uma Marina seriam fatos que tirariam de rota um caminho mais consistente ao futuro. Até coloquei como uma provocação que estás te ATUCANANDO, pois preocupado com desajustes que podem ser corrigidos num prazo relativamente curto deixa de lado uma política mais consistente colocando um Aécio como uma opção viável.

        Colocas neste teu chororô contra os teus fiéis leitores e colaboradores uma acusação de militância, ou seja, um bom desaforo, e diz de forma inocente que não disseste em nenhum momento quer Aécio seria uma alternativa a Dilma, mas já na manchete escreves que é melhor um Aécio do que uma Marina, para os mais desavisados é clara a mensagem, O AÉCIO NÃO É TÃO RUIM.

        Desculpe-me, depois da aula de manchetes capciosas que recebemos da imprensa brasileira, não me venha fazer uma defesa simplesmente acusando quem não está a teu favor.

        Poderia dizer que utilizaste a famosa falácia Argumentum ad hominem contra os teus colaboradores, e acho que deves inclusive pedir desculpa a todos que foram atingidos por ela, pois sabes perfeitamente que quem constrói este teu jornal são estes “militantes”.

        Vou parar por aqui, mas conforme o andar da carreta posso seguir mais um pouco.

        • Rogerio
          que argumentum ad

          Rogerio

          que argumentum ad hominem é esse? A militância a que me referi é a minha, contra a ortodoxia. Você me deve por duas leituras incorretas do que escrevi.

          • Depende da forma que é lido!

            Depende da forma que é lido! Para mim está claro uma recriminação aos leitores e comentaristas algo que nunca esperaria da tua parte, pois sabe que a construção do Jornal GGN depende de todos.

            Agora que fique claro, não precisamos criticar os aliados para provar aos adversários que somos imparciais, os adversários sempre serão adversários e os aliados poderão se tornar adversários.

            Há muitos anos escrevi que por mais que um governo de esquerda se abaixasse e bajulasse os opressores, eles nunca seriam convidados para almoçar num jantar familiar.

            Em resumo, podemos até pegar um artigo de um adversário comentar e elogiar o que está certo, criticando o que está errado, mas jamais tomar a frente e dizer: Olha rapaziada oque encontrei de errado!

            Não sou repórter e acredito que nenhum órgão de imprensa deva mentir, mas daí dar armas e pretexto a mentirosos isto também é incorreto, não precisa deixe que eles achem.

      • Não obstante tuas ponderadas

        Não obstante tuas ponderadas razões, discordo novamente do teu entendimento Nassif. Em passant, adoto os fundamentos expostos por Rogerio Maestri , e mais…

        Primeiro, com o título do post  – É preferível um Aécio na mão do que duas Marinas voando – referências de forma excepcional o candidato Aécio Neves, sendo que, esta análise poderá ser vendida pelo grupo tucano, em sua matéria propagandística – claro, com a devida ênfase ao fato que “reconhecido economista e blogueiro simpático ao governo”, se manifestou no sentido que….

        Segundo, ao preferir o candidato tucano em detrimento de Marina, tu o qualificas e o potencializa como possível Presidente, por que somente se prefere algo factível, em outros termos, na mídia esta fórmula é largamente utilizada para alavancar um candidato que esteja em desvantagem em relação aos primeiros colocados.

        Ora, em uma  eleição que, nesse momento, deixou de ser polarizada, a exclusão de um dos postulantes numa análise, é claramente prejudicial a este que é colocado na berlinda.

        Claro, não desconheço que na tua análise inicialmente descreve em termos latos e restritos ao aspecto econômico, as propostas de Dilma e Aécio, mas fazes isto apenas como forma de diferenciar  esta em relação aos outros dois candidatos.

        Ou seja, colocas os eleitores de Marina e os de Aécio num lado e os de Dilma no outro, como se o programa dos referidos candidatos pudesse ser reduzido a duas vertentes, neodesenvolvimentistas e mercadistas.

        Observo, por outro lado que, de  tudo o que elogias no governo Dilma, nada ficaria de pé num governo Aécio, in verbis:

        – Podem ser apontados inúmeros vícios de gestão, mas também tem feitos consagradores, a própria política do pré-sal, a construção da indústria naval, o Pronatec, Brasil Sem Miséria e um conjunto de obras – especialmente na área de energia.

        De outra banda em relação ao próprio Aécio dizes:

        a economia será submetida novamente a uma política de arrocho fiscal. Haverá refluxo na atuação do BNDES, fim das políticas de incentivo fiscal, redução da ênfase nas políticas sociais, interrupção no processo de reaparelhamento técnico do Estado.

        Com base nestes dados acima, o que restará do Brasil tal como o entendemos hoje, após um governo, como dizes, neoliberal do Aécio, e, perante esta constatação,  definitivamente, não entendo o que restou para preferir.

        Sintomático em relação ao acima exposto é uma de tuas conclusões: Até onde pretenderá chegar com o desmonte do Estado social, é uma incógnita. Mas age com racionalidade.

        Desculpa Nassif, mas agir com racionalidade no desmonte do estado social, na minha opinião, é crime lesa humanidade, pois o prejuízo social é mensurado tolerado medido e aceito como inevitável para o bem do mercado – quem sabe depois poderá ser dito em relação aos milhões que morrerem em decorrência deste desmonte, desculpem pelo transtorno, mas estamos tornando viável este país.

        Por fim, como já foi muitas vezes cobrado da Folha de São Paulo, do Estadão, do O Globo, e de outros meios de comunicação, gostaria que manifestasse tua posição pessoal em relação aos candidatos, até mesmo neutralidade ou indiferença.

        Isso claro, sem abrir mão da análise crítica, que tens te caracterizado nestes anos.   

         

  26. Nossa, como diria Lula em

    Nossa, como diria Lula em 2002 A ESPERANÇA VAI VENCER O MEDO, o modelo do PT foi bom, mas já se esgotou, esta na hora do proximo passo,  vamos tentar esse passo com a MARINA!!!!!

  27. Embora goste da pessoa de

    Embora goste da pessoa de Dilma, estava refletindo muito meu voto com tendência a Eduardo Campos. Porém, nesses dias que se seguem, estou igual a Regina Duarte, morrendo de medo de ter Marina como Presidente da República, na medida em que, pra mim, ela só passa insegurança. Ontem mesmo, ao vê-la fingindo um choro ao falar de Eduardo Campos, senti nela uma disimulação, afinal, na hora de chorar ela fez o contrário, ora sorrindo com os selfies, ora de costas para o caixão, em cima do carro do corpo de bombeiros, erguendo os braços como se em campanha estivesse.

    Então, a única esperança que me resta agora está nos próximos capítulos dessa novela, com a possibilidade de Dilma subir nas pesquisas.

  28. Tanto o PT quanto o PSDB dão

    Tanto o PT quanto o PSDB dão a cara a tapa, mas o que mais acho corrupto é o PMDB e este ninguem fala. Ninguem fala ou escreve que o PMDB vive como parasita sugando nossas energias financeiras com suas imposições a criação de novos cargos e ministérios para abrigar seus discípulos do mal, ameaçando, caso contrário, não apoiar o crescimento nacional. Porque ninguem critica este partido de oportunistas que não dão a cara para bater, mas trabalham nos bastidores do mal?

    • É verdade. Mas o PMDB vem

      É verdade. Mas o PMDB vem perdendo participação, tanto no congresso quando nos estados e municípios, eleição após eleição. Reforma política não sai principalmente porque o PMDB não quer perder a “boquinha”. Mas vai chegar um momento em que a trajetória descendente do PMDB não vai mais permitir ao partido dar as cartas no congresso.

  29. A não ser pela “obsessiva

    A não ser pela “obsessiva obsessão” do Dr. Otavinho (Folha) em derrubar o Lula (o problema dele é com o Lula e não com o PT ou Dilma…), não consigo enxergar seriedade na suposta adesão da grande Imprensa Familiar (entenda-se, Rede Globo) na candidatura Marina. Sem suporte Partidário, a Globo sabe que corre o risco de elegê-la, como fez com Collor, mas na primiera crise mais grave, perde-la. Ainda acredito que a ideia (que pode sim, fugir do controle…) é usar Marina para levar Aécio ao 2o Turno. Mas… como Aécio sumiu do noticiário, pode ser que, por falta de opção, Marina acabe sendo a opção anti-PT. E, neste caso, seja o que Deus quiser…

  30. O Nassif Atucanou?

    Estou vendo uma série de inserções meio estranhas do Nassif nas últimas semanas, o que será que aconteceu, ATUCANOU?

    • O Nassif Atucanou?

      Não é que ele “atucanou”…

      Deve estar preocupado porque as próprias pesquisas indicam que é melhor o Aécio para ser batido pela Dilma em um provável 2o Turno…pra ele deve ser melhor “torcer” pelo Aécio do que a Marina, que as pesquisas indicam que derrotariam a Dilma na possibilidade de um 2o Turno entre as duas…explicado?    🙂

      20 anos de PSDB e PT no governo federal já me bastam. Ao contrário do que setores da imprensa tentam convencer, a Marina não me faz medo e terá meu voto.

  31. Depois do entreguismo dos

    Depois do entreguismo dos governos do Sr. Cardoso, querer trazer de volta o PSDB é 

    uma irresponsabilidade.

    O PSDB com Aécio Cunha é a barriga de aluguel de George Soros através de Armínio Fraga, de dupla cidadania,

    uma norte-americana.

    Com o PSDB o Brasil será o quintal dos EUA. Petrobrás, Caixa, Banco do Brasil e BNDES serão privatizados

    Numa análise do Sr. Aécio Cunha pela moral burguesa o mesmo será desaprovado.

    A política econômica de Aécio Neves será igual a de Marina senão pior.

    O Brasil tirará os sapatos muitas vezes perante os EUA. A base de Alcântara será norte-americana?

    Feliz o país que pode dar mais um mandato para Dilma Roussef.

    Que o país não pode errar nesta eleição votando nos pangarés de nossa burguesia.

    Para a burguesia aqui hospedada chegar ao governo usará até o Partido Socialista Brasileiro.

    Nossa burguesia extrativista da nossa mão-de-obra não tem nenhum compromisso com o país e seu povo.

    Fora de Dilma. Será o caos.

    Com Dilma até a vitória!!!

     

  32. Marina e Aércio

    É preciso esperar a Campanha Eleitoral deslanchar para a gente ter mais ideia sobre a competência dos dois mais fortes adversários políticos de Dilma pois os mesmos vão a guerra pelo segundo lugar nas pesquisa eleitorais mas a Marina não está contando com a artilharia de Serra que é o rei dos dossiês e se nas vésperas da eleição Neves não passar Silva nas pesquisas, o bombardeio começará. Será se Marina também se submetesse a entrevista de Bonner e Patrícia Poeta para vermos ela suporta pressão.

  33. Nassif tem toda razão, porém

    Nassif tem toda razão, porém “não teria preço” ver o Aécio fora do segundo turno. Imaginem que beleza !!!

  34. Eu simplesmente não entendo

    Eu simplesmente não entendo quem declara o voto incondicional na Marina neste momento.

    DEPOIS de algum tempo de campanha, DEPOIS de uma boa quantidade de programas eleitorais, até dá pra aceitar.

    Alguém sabe as propostas dela para educação? Sabe a sua posição em relação ao pré-sal? E a questão energética? Vai dar continuidade as obras da Dilma? E os programas sociais? E o Mais Médicos?

    Tem 1 milhão de questões que precisam ser respondidas.

  35. Não sou partidário de nenhum

    Não sou partidário de nenhum dos três, mas julguei esta matéria como sendo tendenciosa e superficial.

  36. Se Marina é uma incógnita,

    Se Marina é uma incógnita, Aécio é o atraso. O “Ministério de primeira grandeza” teria, além dos velhos caciques do PSDB, a volta das cabeças coroadas dos Demos (ou UDN, ou Arena, ou PDF, ou PFL). Bacana, não???

  37. Propaganda explícita
    Seu texto não lembra, nem de longe, uma opinião. Trata-se de explícita propaganda pró-Dilma. Lamentável.

  38. A Candidata Dilma é a mais preparada !

    Obrigado José Nassif , pelo gentil espaço em seu Bolg !

    Temos que analisar os Candidatos à Presidência  do Brasil? No meu ponto de vista, o Governo do PT, mesmo com tantos escânadalos que ocorreram não foram sulficientes para tirarem os Méritos da Presidenta Dillma Rousseff; Ao contrário , só a fez triunfar ainda mais. Exemplo a sabatina do JN, que foi patética e desastrosa por parte de seus Apresentadores deste  importante Jornal, subestimando o potencial da Candidata do PT?

    Quanto a Marina Silva, só agradeço por ter ultrapassado o Candidato Tucano! É bem provável, que Ela passará para o 2º Turno,  juntamente com a Candidata do PT. E o povo já não acredita mais no que é vinculado na mídia, as tendências em  manipular querendo subestimar o Potencial das duas Candidatas!…

  39. Se eleita, não termina o governo

    Se Marina for eleita ela não termina o governo. Vai transformar o país em tamanho caos que vão apeá-la, para o vice assumir e retornar o país à governabilidade.

    Se terminar o mandato será com um país paralisado, sem a menor força pra governar, tomar decisões importantes ou propor qualquer rumo que seja. Será a estagnação institucional.

  40. Obras de Pernambuco
    Sou engenheiro e trabalho na Compesa- Companhia Pernambucana de Saneamento e fiscalizei obras com financiamento federal tal com o Sistema Pirapama o qual teve um custo de mais de R$ 500.000.000,00 e foi possível observar que a contrapartida do governo estadual foi de 5% enquanto o normal é que a parte que os outros Estados aplicam chaga a 20%, e além disso, os 5 eram emprestados pela Caixa Econômica ou pelo BNDS. Os financiamentos do Ministério das Cidades eram a Fundo Perdido. Estou na Obra do Sistema Adutor do Agreste, avaliada em mais de R$ 2,5 Bilhões e as condições de financiamento são as mesmas de outras obras aqui no Estado e assim Pernambuco foi muito beneficiado.

  41. Ache os erros na frase abaixo

    Ache os erros na frase abaixo (passatempo apenas para quem tem um mínimo de conhecimento em leitura de teoria econômica – os demais, incluindo o autor da passagem, podem deixar de lado e pular para o 3o paragrafo, se acharem que vale a leitura):

    “Dilma Rousseff e Aécio Neves representam forças claras e explícitas e são personalidades racionais. Dilma defende um neo-desenvolvimentismo com uma atuação proativa do Estado e Aécio a volta ao neoliberalismo de Fernando Henrique Cardoso.”

    O único comentário a fazer a respeito da idéia de fundo do artigo: o fenômeno Marina (do qual não comungo) traz o desespero do esvaziamento de votos para a situação.  A tentativa aqui de desqualificar Marina, dizendo que Aécio é melhor do que ela, na verdade quer dizer outra coisa: que Aécio é jogador já conhecido e, portanto, mais fácil (do ponto de vista da coordenação de campanha do PT) de ser combatido em um eventual segundo turno. Marina é algo totalmente novo e com potencial enorme de dano núcleo de poder do PT (não às idéias socialistas, diga-se, mas apenas ao projeto de poder em curso). Daí a necessidade de desqualificá-la a todo custo.

    Recomendo a todos, tendo em vista o objetivo deste artigo, de assistirem ao filme “Mercado de Notícias”, no qual, aliás, o autor deste artigo faz loquaz participação. 

    • “Ache os erros na frase

      “Ache os erros na frase abaixo (passatempo apenas para quem tem um mínimo de conhecimento em leitura de teoria econômica – os demais, incluindo o autor da passagem, podem deixar de lado e pular para o 3o paragrafo, se acharem que vale a leitura”:

      Sua demonstracao de conhecimento de teoria economica eh dizer que “do ponto de vista da coordenacao de campanha” (!) Marina tem potencial de fazer estrago nao aas “ideias socialistas” mas ao “projeto de poder”???????

      Uau.  Brilhante…

  42. Dilma aprovou mais leis trabalhistas que Lula

    Política de aumento real para salário mínimo, lei que amplia aviso prévio para 90 dias e lei que cria certidão de débito trabalhista são alguns exemplos.

     Brasília – O governo da presidenta Dilma Rousseff aprovou mais leis e políticas públicas favoráveis aos interesses dos trabalhadores do que o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: foram pelo menos 14 proposições criando ou recuperando direitos, contra nove do seu antecessor. Quem afirma é o jornalista e analista político Antônio Augusto Queiroz, diretor de Documentação do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), o órgão que assessora mais de 900 entidades sindicais dos trabalhadores com o objetivo de transformar em normas legais as reivindicações predominantes, majoritárias e consensuais da classe.
     
    Os dados, segundo ele, contrariam a visão predominante no movimento sindical, de que o governo Lula privilegiou mais os trabalhadores do que sua sucessora. “A percepção do movimento em relação ao governo da presidenta Dilma é um tanto quanto distorcida. Talvez pelo fato dela não ter dialogado diretamente com a mesma frequência que o Lula, deu a impressão de que deixava em segundo plano esses atores importantes”, avalia o diretor do Diap.
     
    Para o analista político, Dilma designou integrantes da sua equipe, com poder de decisão, para dialogar com os trabalhadores e movimentos sociais, especialmente dentre os quadros do Ministério do Trabalho e da Secretaria Geral da Presidência da República. E isso resultou em avanços significativos para a classe. “Nós temos um conjunto de leis em favor dos trabalhadores, tanto quantitativa quanto qualitativamente, muito mais consistente do que no governo Lula, ainda que algumas tenham sido iniciadas no governo dele”, afirma.
     
    Como exemplos concretos, ele cita a Lei 12.382/11, que institui a política de aumento real para o salário mínimo até 2015, e a Lei 12.506/11, que amplia o aviso prévio de 30 para 90 dias. E também a Lei 12.382/11, que cria a Certidão Negativa de Débito Trabalhista. “Essa lei exige que qualquer prestador de serviço ou qualquer empresa que venda produtos ao governo apresente uma certidão negativa de débitos trabalhistas, um salto fabuloso”, esclarece.

    A aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 72, a PEC das Domésticas, é outra medida legislativa conquistada pelo governo Dilma que o analista político destaca. “A PEC das Domésticas fecha um ciclo do ponto de vista de corrigir distorções e injustiças da classe trabalhadora. Os trabalhadores do campo e da cidade já tinham os mesmos direitos, mas os domésticos estavam apartados desses direitos”, justifica.

    Ele acrescenta, ainda, a PEC 81, que determina a desapropriação, sem qualquer indenização, de propriedades empresas urbanas ou rurais em que se constate a prática de trabalho escravo ou análogo. E comemora a criação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) que matriculou mais de 7,5 milhões em cursos técnicos e de qualificação em mais de 400 áreas do conhecimento. “A criação do Pronatec é um salto extraordinário do ponto de vista de dar condição de empregabilidade a um contingente expressivo de pessoas que, sem essa oportunidade, dificilmente ingressaria no mercado de trabalho”, argumenta.

    Para o analista, foi este conjunto de leis aprovadas com empenho do governo da presidenta que permitiu que, mesmo em um quadro de crise econômica mundial, o Brasil conseguisse atingir a marca de 20 milhões de empregos com carteira assinada formalizados nos últimos 12 anos. “Isso significa dar cidadania a um número de trabalhadores que equivale à população do Chile. Não é algo que se possa subestimar”, destaca ele.

    • E o mais preocupante, em

      E o mais preocupante, em quanto tempo o País quebrará? E se for Marina: Chegará até o segundo ano sem cair ou ser derrubada?

  43. Gostei do “apesar”

    Nassif, o que de melhor extrai-se da sua análise sobre as candidaturas, é um dos parágrafos finais de suas considerações, aonde você escreve: “Apesar do terrorismo de certos setores do mercado, com a Dilma, não corremos nenhum risco, de desestabilização”

    Com esta coordenada economica em mente, nenhum setor deveria temer a continuidade deste governo eminentemente social e inclusivo, pois foi este caminho, que nos fez atravessar sem muitas dificuldades, a tempestade que abalou o mundo ocidental, causando desemprego e conturbações sociais, em 90% dos países ocidentais.

    Nas atuais circunstancias, o neo-desenvolvimentismo da Presidenta Dilma, mesmo com suas atuações de gerentona, que não delega poderes ao seu staff, preferino centralizar o máximo as decisões e ações governamentais, é preferível à volta do pouco saudoso neo-liberalismo de tempos recentes, dos governos PSDBistas, que quase quebraram o país, e é prometido pelo Aécio, como um novo recomêço, ou ao aventureirismo de uma pessoa sectária e xiíta, como a Marina.

  44. o petismo já está se

    o petismo já está se reduzindo aos argumentos da direita dos anos 90: “ninguém sabe como será o governo deles!”, “o país vai se desestabilizar!”, “são radicais sem experiência!”;

    talvez se a Marina escrever uma “Carta ao povo brasileiro” se compromentendo a fazer tudo o que os bancos e as grandes transnacionais querem, esse povo se acalme.

    • o petismo já está se

      Verdade, Lucas J.

      Já é latente o medo deles de terem a Marina em um provável 2o Turno. Certamente preferem o Aécio.

    • Nem precisa. Basta listar de

      Nem precisa. Basta listar de forma clara o que pretende fazer, de que forma e como isso seria melhor do que as soluções adotadas até agora. Mas, de preferência, falando português, sem “sonháticos”, “democratizar a democracia” ou “sustentar a sustentabilidade”.

    • Só está faltando…

      Contratar Regina Duarte para gravar depoimentos.

      É uma lástima estarmos vendo novamente discursos de medo por medo de discursos.

      O que deu certo em 1989 não deu certo em 2002 e como conscientização e informação só aumentam, provavelmente não dará certo em 2014.

    • “decifra-me ou te devoro” (eu não, tô fora)

      O “petismo” no caso, é o Nassif? Sim porque é ele quem coloca sua ansiedade sobre o que seria o país governado pela icógnita Marina.

      Eu sinceramente, tenho provocado, inultimente, diga-se de passagem, os declarados eleitores dela a tentar fazer com que o “mistério” Marina seja decifrado. Supondo que eles decidiram o voto emcima dos projetos que ela certamente tentará implementar.

      É isso o que mais interessa. O que quer fazer, Marina, como presidente do Brasil? Quanto mais passa o tempo sem maiores esclarecimentos, mais se conclui que ela quer ser eleita na base do “voces não sabem muito bem o que eu seria como presidente, nem eu, mas vamos sonhar?” O Nasif, como bom mineiro, entre o sonho e o pesadelo, prefere a realidade.

      PS: Na área econômica o Nassif começou a decifrar aqui, ao mostrar a semelhança entre os gurus da Marina e do Aécio, respectivamente, Gianetti e Armínio. Mas tudo bem, vamos admitir que apesar disso ela representa a “terceira via”. Só que para nos convencer disso é preciso argumentos, e não poses, caras e bocas. Estou no aguardo  

  45. Dilma é a melhor opção!

    Nassif, você foi contundente, acho que do jeito que as coisas caminham, Dilma Roussef é a melhor opção hoje em dia para continuar a governar nosso país, ela enfrentou uma crise brava e soube se sair até que muito bem e o melhor dela, é que nos 4 anos não passou para a iniciativa privada nada que foi construido com o nosso dinheiro, usou outra maneira do que aquela que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que acabou doando todas as grandes empresas brasileiras, que causou  um desemprego nunca visto nesse país!!

  46. O PT se mostrou uma quadrilha, boa parte, felizmente, presa.

    Salvo algumas obscuras exceções, as principais cabeças do plano de perpetuação do poder que o PT conseguiu implementar no Brasil culminou com  sua cúpula algemada no fundo de uma cela.

    O aparelhamento das empresas públicas com o único fim de sangrar seus recursos para criar um “colchão” financeiro capaz de comprar quelquer poderoso que estivesse à venda funcionou durante um bom tempo e é imperativo criar mecanismos para que isso não ocorra novamente.

    A Petrobrás é a prova mais cristalina e inegável disso.

    Vivemos esses últimos anos sob a ditadura da corrupção que aprova ações governamentais de acordo com os interesses de grupos diversos. Para conseguir prosperar é preciso estar pronto para a concorrência desleal das Visanets, dos BMGs da vida. Os incontáveis escândalos provam isso.

    Não existe discussão ideológica. O PT tem a seu favor a devoção cega e emocional de uma parte da população, o ódio pelos Liberais (que investem a vida numa empresa e dão emprego a quase todos esses críticos), o paternalismo enganoso que nega todos os direitos fundamentais, se apropria dos recursos e dá em troca um “troco”.

    Temos que varrer essas práticas de todas as instâncias do poder no Brasil. 

    Governos “do povo” que se adaptam facilmente aos palácios, às comitivas, aos hotéis de alto luxo, às regalias que sempre criticaram normalmente se tornam cada vez mais propensos a simplesmente governar para os seus amigos e perseguir seus críticos ou quem não concorda como “inimigos do país”. Eu já vi esse filme e tinha uma foto de um documento do Ministério da Justiça, Divisão de Censura de diversões Públicas.

    Qualquer opção é mais segura.

    Joguem suas pedras.

      • Isso mesmo. Temos que prender

        Isso mesmo. Temos que prender todos os corruptos. Não comparar quem é menos, quem rouba mas faz, quem rouba pra mim, etc.

        Queria ver a torcida do PT dizer claramente que quer TODOS os corruptos e os grupos que eles representam fora do poder.

        Gostaria muito de ver o Governo investir pesado numa revisão total de todos os processos administrativos de todos os poderes e instâncias para fechar as brechas que permitem essa roubalheira generalizada.

        Os poderosos da atualidade já criam Leis e processos com as devidas brechas para atender aos seus interesses. Vide MP 8243.

        • Eu tb sou uma indignada, como

          Eu tb sou uma indignada, como vc. Indignada poor saber que todos os crimes cometidos pelo PSDB/DEM jamais foram julgados. Indignada pelo, este sim, aparelhamento feito por esses partidos, com tanto dinheiro que compram todas as consciências, seja do STF indo à procuradores, e outros tribunais. O que jamais me sai da cabeça, no momento,  é a história do Helicóptero cheio de droga, pertencente a um deputado federal e que não houve nenhuma investigação. Será que foi pq o sr. deputado era amigo do rei de MG ? E o processo s/ o cartel do metrô, que foi parado durante a campanha eleitoral? E a sindicância s/ a verba destinada à sta Casa, que não foi repassada e ainda somente terá a sindicância acabada após as eleições. E vc vem com toda sua indignação pelo Mensalão? que todos sabemos o que foi e de que modo foi o julgamento. O Ilmo presidente JB até já pediu aposentadoria, pois terminou sua missão por lá. E os mensalistas do PSDB/DEM sendo julgados pela justiça Mineira, a mesma que já liberou até o helicóptero. Eu teria vergonha de escrever o que o sr. escreveu.

    • Fábio, está provado que o “mensalão’ não existiu

      Informe-se por favor, não seja papagaio do PIG. Aqui um link para uma coletânea de artigos sobre o assunto

      http://www.lexometro.blogspot.com.br/2014/04/coletanea-mensalao.html

      Não houve uso de recursos públicos,muito menos se registrou qualquer prejuízo a quem que seja, não há crime nenhum que possa ser atribuído aos réus, houve sim, caixa 2 eleitoral para financiamento de candidatos da base do governo, o que é muito de diferente de compra de votos de deputados eleitos, isso(compra de congressistas) não existiu, tá mais do que provado que isso é uma invencionice da mídia empresarial.  O TCU reconheceu a legalidade da Operação Visanet, perícias foram feitas e nada de errado foi constatado, inclusive o serviço contratado(de publicidade) foi devidamente prestado, sendo que as provas da inocência do réus foram ocultadas por Barbosa durante o julgamento, daí a indignação das pessoas que defendem a isenção da justiça e lutam por um julgamento técnico e juridicamente aceitável. Justiça boa é justiça justa, o que não foi o caso dessa farsa montada pela grande mídia e sua infinita sede de vingança, como pode esse criminoso aparato midiático-penal fazer o que bem entende para salvaguardar seus próprios interesses. Já no caso do mensalão tucano, houve sim uso de recursos públicos, isso tá provado,  mas gente fina é outra coisa, né.

       

      • Olha, essa discussão é chata

        Olha, essa discussão é chata e repetitiva porque os fatos são fatos. Os pontos de vista são inúmeros.

        Com todo o respeito:

         Houve caixa 2 porque a origem era ilícita. Era fruto de desvios ou “contribuições escusas”.

        Os mensaleiros recebiam na boca do caixa, com imagem filmada e não declararam os valores.

        O Lula, quando “descobriu” e viu as provas disse que foi uma “facada nas costas”. Contratou uma estagiária de jornalismo para fingir que o entrevistava com perguntas prontas e respostas ensaiadas.

        Pra mim, quem lida com dinheiro sujo não pode ter essa condecendência da população.

        Me sinto num país com 33% de pessoas que consideram corrupção uam coisa justificável. Espero que você não seja uma delas.

        Meu medo é que esse grupo se junte com os que acham que os militares deviam voltar, que a polícia tem que matar os bandidos ou que que os ricos devem dar seu dinheiro para os pobres.

        Estamos num ambiente de alienação fanática muito perigosa. Tenho certeza de que muitos aceitariam ser Governados por um grupo carismático e pouco democrático. Esse filme começa numa revolução e termina num paredão.

  47. Vocês já leram a MP 8243 que

    Vocês já leram a MP 8243 que a Sra Dilma aprovou? Se leram não entenderam o que está por vir.

    • Os trolls de Serra cairam de cabeça na campanha de Marina

      Leia, pesquise antes de comentar asneiras, foram conselhos que criaram o SUS e prestaram pranges serviços ao pais mediante a particiapação popular, ou vc nunca ouviu falar também em Orçamento Participativo, mais antigo do que garanguejo andar prá trás. Parece que os trolls do Serra cairam de cabeça na campanha da Marina:

      Sistema Nacional de Participação Ssocial não afronta prerrogativas

       

      Por Gilson Dipp,  no Conjur

      O Decreto 8.243, de 23 de maio de 2014, que institui a Política Nacional de Participação Social – PNPS e o Sistema Nacional de Participação Social – SNPS, além de não afrontar ou usurpar poder ou prerrogativa do Legislativo e nem evidenciar irracionalidade administrativa, abuso ou excesso, oferece à opinião pública proposições de diálogo e de participação.

      Cabe desde logo ter claro que a democracia — com a qual tanto críticos quanto defensores do decreto concordam — não se esgota em edição de leis pelo Parlamento, nem em eleições para designar os representantes. Como processo diário e contínuo, constitui o governo do povo, pelo povo e para o povo.

      Por essa razão, pode o Executivo adotar as medidas concretas, em face do que a Constituição e as leis lhe encarregam e lhe permitem, assim como as que seu programa de governo exige. Com isso, resgata compromisso público pelo qual poderia ser politicamente e até judicialmente demandado. De fato, até mesmo a doutrina constitucional reconhece que promessas de campanha podem gerar direitos ao administrado, por elas respondendo o político que as formula e que por elas se elege.

      Desse modo, a iniciativa da presidente da República, ao formatar sua administração com o modelo de execução participativa, como lhe parecer adequado ao conjunto das diretrizes de seu governo e do próprio programa do partido pelo qual se elegeu, cumpre também suas obrigações políticas e administrativas.

      O ato questionado efetivamente veicula ideias de corte político-ideológico, dando acento à participação social, para que a administração pública receba a vitalidade das aspirações de seus integrantes, muitas vezes alijados da participação direta.

      A essência do decreto, nessa linha, é a definição das diretrizes gerais e dosobjetivos da PNPS. Quanto às diretrizes, fica patente a preocupação de fazer inserir nas políticas a cargo da administração pública o reconhecimento do direito à participação e parceria com as forças da sociedade civil. Quanto aosobjetivos, refletem a opção política de eleger a participação como método de governo. Ou seja, essas diretrizes e esses objetivos caracterizam a metodologia escolhida pelo governo, em um quadro inerente ao regime democrático.

      Não se pode negar ao presidente da República o poder de editar decretos para a fiel execução da lei ou impedi-lo de organizar o Poder Executivo, nos limites ditados pela Constituição. A invocação, pelo decreto, do artigo 84, incisos IV e VI, alínea ‘a’, da Constituição, seja como regulamentação da Lei 10.683/2003, seja como regulamento autônomo da organização do Poder Executivo, é inatacável.

      O artigo 84 da Constituição confere ao presidente da República o poder desancionar, promulgar e fazer publicar as leis, bem como expedir decretos e regulamentos para sua fiel execução e dispor mediante decreto sobre organização e funcionamento da administração federal, quando não implicar aumento de despesa nem criação ou extinção de órgãos públicos. Assim, a presidente está investida da autoridade de imprimir à administração as diretivas que lhe parecerem adequadas.

      De outro lado, o artigo 3°, caput, e inciso I, da Lei 10.683/2003, dispôs que a Secretaria-Geral da Presidência da República tem por função, entre outras,assistir o presidente da República no relacionamento e articulação com as entidades da sociedade civil e na criação e implementação de instrumentos de consulta e participação popular de interesse do Poder Executivo. E no artigo 17 da mesma lei, também invocado, assumiu o Poder Executivo um compromisso formal com a transparência administrativa.

      O conjunto dessas normativas mostra que a proposta da presidente da República tem dois significados claros. Primeiro, transformar em ato específico o propósito de privilegiar a participação direta da sociedade na formulação e execução das políticas públicas. Depois, cumprir um programa de governo, naturalmente ligado ao programa do partido pelo qual foi eleita a presidente. Um e outro são fundamentos lógicos necessários para a exata compreensão da razão e forma do decreto.

      Outra anotação se mostra decisiva. De acordo como artigo 5º do decreto, os órgãos e entidades da administração pública federal direta e indireta deverão, respeitadas as especificidades de cada caso, considerar as instâncias e os mecanismos de participação social para a formulação, a execução, o monitoramento e a avaliação de seus programas e políticas públicas. Isso significa dizer que considerá-los como agentes democraticamente necessários é uma obrigação da administração, se as especificidades de cada caso o admitirem ou não o impedirem. Essa ressalva afasta irracionalidades da operação administrativa nas hipóteses em que a participação direta não contribui efetivamente para a melhoria do serviço ou pode prejudicá-lo.

      A própria Mesa de Monitoramento de Demandas Sociais, incluída no decreto como modalidade de atuação administrativa em face dos movimentos sociais, se integra na concepção mais moderna de solução de conflitos por via de conciliação e negociação extrajudicial, o que, no âmbito do Conselho Nacional de Justiça, foi erigido como política oficial e recomendação expressa. Ou seja, a adoção desses mecanismos de pacificação, além de afinada com as diretrizes de outros Poderes, reflete mais uma vez uma política de aceitação de forças sociais informais como representação do poder popular, sem qualquer diminuição das instituições legais.

      O decreto deve, assim, ser lido nessa perspectiva. As críticas que se elevam contra sua redação podem ter conteúdo técnico-formal, hipótese em que assim deverão ser debatidas. Mas as reservas não terão outro significado se estiverem baseadas em discordância politico-ideológica, quando serão insuficientes para contestação do ato pela via formal.

      No entanto, foi com base nesse viés que o Parlamento — tanto a Câmara dos Deputados quanto o Senado Federal —, através de diversos Projetos de Decreto Legislativo (PDC 1491, PDC 1492 e PDC 1494 na Câmara e PDC 117 Senado), teceu duros questionamentos ao decreto.

      Um dos argumentos veiculados nesses projetos é o de que arregimentar a sociedade civil em favor da administração subtrairia a base de representação do Parlamento. Essa sustentação escorrega em dois pontos: em primeiro lugar, na insegurança quanto à representatividade real dos parlamentares. Em segundo lugar, na concepção equivocada de uma democracia ainda presa à pura formalidade de escolha dos representantes.

      A arguição de que o decreto visa implodir a democracia representativa não tem qualquer fundamento formal, limitando-se a mera crítica defensiva de alguns parlamentares diante da fragilidade de suas bases políticas ou eleitorais. O decreto não impede nem erige obstáculos à participação eleitoral nem tolhe a propaganda ou a mobilização dos partidos. Também não prejudica as demais formas de participação do eleitor pela via do plebiscito, referendo ou iniciativa popular, mecanismos que permanecem inalterados.

      Que o decreto não cria órgão ou cargos públicos ou eleve a despesa pública, a simples leitura desarmada de seus termos desmente a afirmação dos parlamentares que contra ele se insurgiram.

      O aspecto mais sintomático de uma ofensiva ideológica está em dizer que o Executivo busca perpetuar sua influência política junto aos movimentos sociais, imunizando-os de possíveis alterações institucionais ou eleitorais. O argumento pode até ser considerado, mas não tem força para imputar ao decreto a pecha de inconstitucionalidade, já que não é vedado ao titular de poder cercar-se de sustentação política bastante a lhe garantir a continuidade do seu exercício. Essa cooptação, própria da atividade politico-ideológica, não viola regra ou normativo algum. Afinal, mesmo em termos formais, representa uma iniciativa legitima do Executivo, que recebeu o mandato da maioria dos eleitores.

      As fundamentações expostas nos projetos também não vão além do discurso retórico quando alegam que o decreto inviabiliza a participação dos cidadãos que não se incluem nos mecanismos de participação social. Pode o Poder Executivo arregimentar seus eleitores, em legítima sustentação de suas ações e nos limites da legalidade, sem qualquer lesão aos poderes do Legislativo ou do Judiciário.

      http://www.conjur.com.br/2014-jul-11/gilson-dipp-sistema-participacao-social-respeita-prerrogativas

       

  48. Aí Nassif, será curioso

    Aí Nassif, será curioso acompanhar como o mercado financeiro, e demais representantes do PIB, irão reagir à subida da Marina. De um lado a tentação imensa de por os bagrinhos do PT de volta ao seu lugar de simples figurantes no jogo do poder. Do outro a lógica bastante clara do risco das indefinições da Marina…Mas tem outro aspecto que me parece relevante: a parcela do PiB que está com a Marina de maneira sistemática e faz algum tempo é essa “vanguarda financeira” que não costuma deixar quirera para mais ninguém, como vimos nos governos FHC, especialmente no 2º termo. Se eu fosse industrial ou empreiteiro não estaria muito confortável nessa expectativa. 

    • Sinuca de bico,

      Roberto, é o que sobrou para parcelas importantes do PIB. Posso estar muito enganado, caro, mas somente restará, ainda que disfarçadamente, fazer as pazes com Dilma. Apelarem para uma mediação de Lula. Arriscar todas as fichas em Aécio e dar Marina no segundo será fatal. Como o Nassif diz, se ganhar, sabe-se lá o que virá.

      Minha impressão é que já estão nas planilhas contando os ganhos que tiveram nos últimos 12 anos. Mesmo setores mais cambaleantes não quebraram, fizeram maquinações, apelaram ao BNDES, e infiltrando-se no fisiologismo do PMDB podem voltar a se dar bem, mesmo com Dilma.

      Nos corredores do PIB a que tenho acesso, ou através de seus falastrões porta-vozes, o terror está instalado depois do último Datafolha. O próximo, com a campanha na TV já mais avançada, poderá demonstrar isso. Abraço

      • É isso mesmo Rui. E na boca

        É isso mesmo Rui. E na boca dela essa historia de Bacen independente, no povo que a cerca, é a independência da vanguarda financeira diante do resto do país. Estou até curioso para saber se/quando o Daniel Dantas vai aparecer nessa historia. Qdo esses caras entram em campo só nasce grama no quintal deles, o resto vira deserto.   

  49. 2002 Lula tomou o poder…

    Antonio barbosa, como pode um ser falar tanta bobagemem poucas linhas: Que o Lula tomou o governo, no obm sentido foi com os votos e foi um show… Dizer que receberu maravilhas. É uma grande bobagem. Inflação altíssima, desemprego elevadíssimo, tudo sucateado, privatizado quase tudo… 

    O início pro Lula foi dificílimo, eu estiver em Brasilia e presenciei a morte de uma dep federal do PT do PI, eleita pelas mais pobres do PI, e que devido as amargas doses que o Lula precisou adotar, eu mesmo não concordei com elas, mas hoje admito que ele estava certo. Claro que eu preferia que ele tivesse alcançado isso que conseguiiu ou mais cortando dos poderosos e não sacrificando os mais pobres. MAs é inegável que o resultado final foi bom ou até ótimo para o povão, poderia ser melhor? Siim, poderia… mas com a corrupção impregnada (deixada pelo (s) governo (s) anteriores, judiciário do jeito que é, congresso de ‘picaretas” como o próprio Lula afirmou antes de ser presidente…. Ainda assim fez muito: infraestrutura, educação, saúde… enfim em tudo o que tem feito. 

    Até mesmo a saúde que é a principal reclamação do povo e ocm razão. o FHC com CPMF aplicava menos que o Lula em saúde. Mesmo tirando o CPMF os governos petistas continuaram aplicando cada vez mais na saúde, mas se a população não consegue fiscalizar o que os estados e municipios fazem com os recursos, a culpa não pode ser atribuida ao governo federal….   Se toca! acorda!

     

  50. O que Marina representa

    Assistindo a esse processo todo da candidatura da Marina, fica claro que os grupos conservadores estão esperando algumas novas pesquisas para desembarcar de vez de Aécio. 

    A Globo já desembarcou. Ela adora esses candidatos acima do bem e do mal, mas com uma fragilidade partidária imensa, para elegê-los e manipulá-los. 

    Marina representa o conservadorismo internacional, com a roupagem malandra do ambientalismo, e por isso está mais à direita de Aécio. Ela representa um desejo da elite financeira de unificar e docilizar corpos e mentes do mundo todo para um discurso único. Já não se trata do capitalismo ou não. Se trata de uma fase avançada de apropriação dos recursos, cujo discurso se ampara no verdismo para questionar a própria noção de soberania nacional. 

    Impossível observar Marina e seu espectro político e não lembrar daquele filme “Sob o Domínio do Mal”.

    • Maria teria que obedecer ao mercado ou cai fora

      O vice da Marina é da área do agronegócio, a estratégia é colocá-la fora do cargo se não obedecer. Obedecer ou cai fora.

    • A entrega da soberânia

      Também tenho esta impressão, que o governo da Marina, com o Feldamm e o que ele representa, levam o grau de entrega das riquezas nacionais a um novo patamar.

      Se trata de liquidar não estatais e empresa públicas, mas de entregar o próprio pais, seu território, sua soberânia, seu orgulho nacional.

      Coisa desconhecida ainda no planeta, que só existe pronta e acabada na cabeça dos que comungam pelo governo mundial, nas mãos de uma elite invisível, que não responde a nada nem a ninguém, ou seja, dotadas do privilégio mais absoluto possível e por isto mesmo portadores do ódio absoluto de todos por eles submetidos, o que os automaticamente autorizam a matar crianças e mulheres com misseis de última geração para garantir suas integridades.

      A Marina saiu muito melhor do que a encomenda rsrsrsrs…

  51. Ontem Marina assumiu que é

    Ontem Marina assumiu que é uma candidatura de direita, nem Aécio havia tido coragem de assumir o compromisso com a proposta do Banco Central independente, pois Marina assumiu o compromisso.

    Isso significa que o poder legitimado pelo voto abre mão de fazer política monetária e entrega o Banco Central ao controle do mercado financeiro.

    A pergunta que fica: O PSB concorda com isso?

    • O câmbio e a política monetária

      A discussão do papel das políticas monetárias e em especial o câmbio é de vital importância para o Brasil e sua população.

      Se a candidatura da Marina trouxer para o primeiro plano o papel do Banco Central, seu poder de comando na vida diária dos brasileiros e a quem servem suas decisões, já terá sido um feito surpreendente, pois os que controlam e dominam o monetarismo brasileiros mais querem é permanecer nas sombras, ocultos com seus ganhos pornográficos em cima dos  brasileiros. A última coisa que desejam é uma discussão aberta, pública e esclarecedora dos mecanismos perversos e desleais usados de maneira insidiosa contra nossa gente.

      Que venha a discussão para que o PSB possa colocar seus argumentos.

      • Conversa fiada, quem tem um

        Conversa fiada, quem tem um pouco de informação sobre o assunto sabe que a tal “independência do Banco Central” sempre foi o sonho de consumo dos neoliberais e da banca, ao avalizar essa proposta o PSB pode rasgar a fantasia e tirar a máscara, assim como jogar na lata do lixo a história do partido que sempre foi alinhada às teses de esquerda.

  52. EU PREFIRO UMA MARINA NA MÃO

    Sejamos coerentes, Dilma não tem mais fôlego para governar o país, ela parece um fantoche nas mãos do Lula, seu eterno “padrinho”. Aécio representa o que já passou e o retorno da velha política liberal e reacionária. Mariana representa o “novo”,a conquista das passeatas recentes, o depertar de uma nação adormecida, a resposta necessária e coerente a política vigente.

    • Não é muita irresposabilidade

      Não é muita irresposabilidade votar em alguém só por se autodenominar “o novo”? Será que o caso Collor não ensinou nada?

      Analise as propostas, veja o plano de governo, veja as alianças, estude o passado (experiência administrativa, resultados obtidos), e daí decida seu voto de forma consciente.

    • Vemos com frequência alguns

      Vemos com frequência alguns raciocínios que têm como base o substrato psicológico que a ação renitente da mídia  conseguiu implantar nos cérebros. Tais pessoas não têm condições de se informar adequadamente sobre os fatos e as questões relevantes.  Tem gente que forma sua opinião a partir de noticiários contaminados e de artigos e matérias encomendados pelo interesse político da direita brasileira. Estas pessoas podem até desenvolver pensamentos altruístas, podem até se julgar de esquerda, podem até ser radicais em seus princípios idealistas, mas não tem consciência de que seu pensamento é condicionado e suas ações vão, inevitavelmente, servir aos propósitos da direita, ao fim e ao cabo.

  53. Nassif tá de brincadeira

     

    Nassif, por favor, não se ofenda com o título, mas tudo que você falou sobre a sofrível Marina também se aplica à atual Presidente.

    Dilma defende um neo-desenvolvimentismo com uma atuação proativa do Estado

    (dessenvolvimentismo sem crescimento, atuação do Estado caótica e incapacitante p/setor privado)

    Podem ser apontados inúmeros vícios de gestão

    (concordo com você, é disparado a pior gestão pública dos últimos vinte anos)

    Até onde pretenderá chegar com o desmonte do Estado social, é uma incógnita.

    O Aécio pode até desmontar o Estado social, mas o que vai desmontá-lo com do mesmo modo com a Dilma é manter essa Equipe econômica fantasticamente incompetente.

    Jogo de cintura nenhum.

    E a Dilma, tem jogo de cintura?

    Experiências recentes do país indicam que o componente pessoal, a psicologia individual é um ponto relevante na análise de figuras públicas.

    É exatamente por isso que Dilma tem que sair.

     

    PS: Ao Mauro Brasil, da ultima vez que verifiquei, a eleição é entre Aécio e Dilma. Essa eleição que você falou de Aécio/FHC e Dilma/Lula ainda não sei quando vai ser. Por favor refaça os gráficos comparando só o período Dilma, porque fica mais honesto intelectualmente. 

    • Mais honesto intelectualmente?

      Discordo. O que se está comparando são duas visões de governo bem distintas. Comparar só o perído Dilma com quem, com o Aécio? Isso é honestidade intelectual? Honestidade intelectual seria assumir a indigência intelectual.

      • Mais do que isso!

        Muitos dos gráficos abaixo pegam a gestão da Dilma, vários vão até a metade de 2014!

        O problema dos Tucanos é que a realidade teima em ter um viés pró Petista…

      • Mauro Brasil é do VOLTA LULA

        Deve ser por isso que só coloca os gráficos a partir de 2002, e não a partir de 2011.

        Quanto ao seu título, não sou aecista não, vou de Marina no segunto turno p/tirar a sua patroa de lá.

        PS: entretanto, caso o Aécio vá p/segundo turno, aí vc está certo, sou aecista…

         

  54. Lula/Dilma X FHC/Aécio: Vamos comparar?

    Macroeconomia

      
     Salário médio

     

      Desemprego

     

      Dívida interna

      Dívida externa

     

     Reservas cambiais

     

     

    Quem desindustrializou o Brasil?

     

     

     

    • Torturando os numeros.
      Os

      Torturando os numeros.

      Os conceitos e métodos mudaram com  o decorrer do tempo.

      Compara FHC x Itamar-Color.

      Hoje o conceito de empregado e a pessoa que o vizinho disse um obrigado.

      Mudou a metodologia de mensuração da divida publica, hoje (em 2007mudou ) se descarta a divida em mãos do BC, que  não é pouca coisa, 1 trilhão mais que toda a divida publica do periodo FHC esta escondido.

      Mesmo assim usar % do PIB não é a forma mais honesta, já que o gasto publico é somado duas vezes na formala do PIB.

      Salário médio mudou também a metodologia, tanto que ate 2012 a média salarial era inferior a de 2002.

      De resto os numeros da economia que ainda sejam superiores devem se a conjuntura externa favorável tanto a mudança destas pioram e muito o desempenho da economia.

      IBGE ta em greve para não mostrar os numeros ruins do governo.

       

       

        • O problema é que o petismo

          O problema é que o petismo acredita que a realidade mudou por causa da propaganda do governo.

          Agora a modinha é racionalizar o PIB para desculpar a recessão.

          Recessão mas com desenvolvimento. 

        • Não tem nada haver com opção

          Não tem nada haver com opção politica tem haver com honestidade e ética, coisa que vocês nunca vão ter.

  55. Sério?

    Basicamente você diz que é melhor ficar com o velho PT x PMDB , Esquerda x Direita, A Política do Café-com-Leite, o toma-lá dá-cá de Leis, Ministérios, Etc… pois tudo que é novo/desconhecido assusta e sendo assim: TÁ RUIM MAS TÁ BOM !

    Sério Luís ?!?!

     

    Dicas para o próximo artigo:

    “Fica Sarney! – tá ruim mas tá bom”

    “Fica Ditadura! – tá ruim mas tá bom”

    “Fica Corrupção! – tá ruim mas tá bom”

    “Fica Inflação! – tá ruim mas tá bom”

    “Fica Pobreza! – tá ruim mas tá bom”

    “Fica Violência! – tá ruim mas tá bom”

     

     

    • Fica Corrupção???

      Avanços da transparência, do controle e do combate à corrupção

      Antônio Augusto de Queiroz *

      No governo Dilma, podemos mencionar a sanção:

      1) à Lei nº 12.525/2011, conhecida como Lei Geral de Acesso à Informação;

      2) à Lei nº 12.813/2013, que trata do conflito de interesse;

      3) à Lei nº 12.846/2013, que trata da responsabilização administrativa e civil da pessoa jurídica pela prática de atos contra a administração pública, possibilitando, pela primeira vez na legislação brasileira, a punição do corruptor.

      No aspecto da transparência deve-se lembrar, ainda, a promulgação da Emenda à Constituição nº 76/2013, que aboliu o voto secreto na cassação de mandatos de parlamentares federais (deputado ou senador) e na apreciação de vetos presidenciais, permitindo ao representante conhecer os votos de seus representantes, inclusive em questões políticas.

      Na dimensão do controle das ações multifacetadas do poder público – dentro do sistema de freios e contrapesos próprios da divisão das funções dos poderes – também devemos lembrar, nestes últimos anos, o fortalecimento de pelo menos cinco instituições, cuja missão é também o combate à corrupção: i) as Cortes de Contas (TCU e tribunais de contas dos Estados), ii) o Ministério Público, iii) os Sistemas e Controle Interno, iv) a Advocacia-Geral da União, e v) a Controladoria-Geral.

      No governo Lula, no campo da transparência, registramos a criação do Portal da Transparência, a ampliação do governo eletrônico para prestação de serviços ao cidadão e do pregão eletrônico para promover as compras do governo, e o fortalecimento dos órgãos de controle, como ampliação das atribuições e responsabilidades da CGU, que passou a fiscalizar Estados e Municípios que recebem verbas federais.

      No combate à corrupção e as fraudes eleitorais, também na gestão do governo Lula, cabe destacar a sanção:

      a) à Lei nº 12.034/2009, que acrescenta parágrafos ao art. 41-A da Lei 9.504/1997 para ampliar o prazo de denúncia e explicitar a captação do sufrágio, ao aceitar como conduta ilícita a evidência do dolo;

      b) à Lei Complementar nº 131/2009, conhecida como Lei Capiberibe, que obriga todos os entes federativos (União, Estados, Distrito Federal e os Municípios) a debaterem com a sociedade suas propostas orçamentárias e tornarem públicas, em tempo real, todas as suas despesas; e

      c) à Lei Complementar nº 135/2010, de iniciativa popular, conhecida como ficha limpa, que leva em consideração a vida pregressa dos candidatos no momento de sua inscrição como candidato às eleições.

      Registre-se, ainda no Governo Lula, o envio ao Congresso de uma série de projetos, recentemente transformados em lei, que permitem à sociedade, à imprensa e aos órgãos de controle o livre acesso a dados e informações. Ou seja, leis que facilitam a identificação e a denúncia de desvio de conduta ou prática de corrupção, bem como a punição e fornecem os meios para punição dos culpados.

  56. Povo masoquista?

    A Marina seguia um caminho com a rede. De repente, havia uma pedra no meio do caminho, então, pegou um atalho, uma trilha portuguesa bem tortuosa. 

    Daí, fui ler o seu( do Eduardo)  plano de governo e  até cheguei a comentar aqui no Nassif. Pra mim soou como um acorde dodecafônico sem tônica. Uma sambarylovismo lato senso que admite infinitas interpretações cromáticas. Pulei fora.

    Já o  plano do Sr. Aécio parece dar  choque! E eu não gosto muito de choques. 

    E por falar nisso,  carrego comigo uma dúvida cruel. Fico pensando e não encontro saída. Vou compartilhar essa dúvida com os nobres colegas comentaristas. Quem sabe alguém me aponta uma luz no final do túnel que não seja um trem em nossa direção?

    Travei no seguinte raciocínio do candidato sr. Aécio.

    Ele disse que se eleito tomará  “medidas impopulares”. Bom, eu acho que eu mesmo vi ele dizendo isso numa programa. Ou pelo menos pipocando por ai nos meios de comunicação, na internet etc. Enfim, tenho comigo que ele disse isso.( se eu estiver equivocado, por gentileza, desconsiderem a minha dúvida) 

    Prosseguindo.

    Daí, abri a minha bíblia sagrada, isto é,  a constituição da RES pública federativa do brasil  de 1988. De cara, li: Dos princípios fundamentais:

    Art 1(…)

    I (…)

    II

    III

    IV

    V

    Parágrafo único: Heureca! ops, eita!

    Todo o PODER emana do POVO, QUE O EXERCE  por meio de REPRESENTANTES ELEITOS OU DIRETAMENTE, nos termos desta Constituição. Logo em seguida, fui lendo os artigos 2, 3 , 4, mormente o 5, que trata dos NOSSOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS. 

    Daí, passei a pensar no seguinte: Ue, porque eu, que faço parte do povo de onde o poder emana e que é exercido por um representante eleito PELO MEU VOTO , bem como o dos demais cidadãos, votaria num canditado que vai tomar medidas contra mim, isto é, impopulares?

    Daí, passei a me perguntar se é possível , ou bem melhor, legítimo, um candidato, no uso do choque, tomar uma medida impopular e ainda sim, seguir o CONTRATO SOCIAL.

    Enfim, fiquei com esse parafuso na cabeça. Não estou encontrando saída. E olha que eu não sou incapaz, doido, retardado ou débio mental, imbecil a ponto conduzir-me de forma masoquista.

    No plano  de sua excelência também encontrei sambarylovismo. Todavia, não encontrei choque nem tão pouco qualquer sinal de medida impopular. Pelo menos essa foi a minha humilde percepção.

  57. Nassif sempre pragmático (ou

    Nassif sempre pragmático (ou seria programático?). O adversario a ser batido, depois da pesquisa, é Marina.

  58. Ironia?

    Marina tem chances claras de chegar ao Planalto emulando o antigo PT. O que é sua “nova política” senão a promessa de moralizar a prática política, igual o seu ex-partido prometia antes de chegar ao Planalto?

    Por sinal, as classes médias jovens, urbanas e com ensino superior (incompleto ou não), que agora estão com ela, votaram maciçamente em Lula em 2002. Coincidência? Creio que não.

    Mas claro, como todo simulacro, as esperanças depositadas em Marina não tem tanto fundamento, pelo menos para essa questão de “fazer diferente”. Ao contrário do PT de outrora, Marina não tem militância capilarizada, apoio articulado de movimentos sociais e sindicatos de âmbito nacional, nem base sólida no meio acadêmico.

    Quem a elege pensando em “nova política” corre o risco de pagar mico. Mas cabe aqui especial destaque para esse quadro de disfuncionalidade que o “pacto de elites” lulista trouxe para o país. Se os eleitores estão dispostos a votar numa opção menos “sólida”, é porque as outras mais sólidas falharam em satisfazer seus anseios.

    Quando o PT, mesmo dispondo de largo aparato para tentar convencer a opinião pública, abriu mão da pressão política das ruas em favor de concentrar-se exclusivamente no apoio de gabinete, de certa forma equiparou-se aos outros partidos que não possuem base social alguma, desencantando e deixando órfão um setor da sociedade que, de forma desorganizada e destrambelhada, saiu para as ruas em junho do ano passado e hoje vai de Marina para tirar o PT do poder.

    Não é a toa que Marina é ex-petista. Alguém imagina um ex-tucano ou ex-peemedebista convencendo alguém da “nova política”? De certa forma, para o grande público (não estou discutindo se isso corresponde a verdade ou não), e assim como Suplicy (que é bastante popular nos setores em que ela também o é), Marina ainda carrega o DNA do antigo petismo, o que traz votos sem dúvidas. É como se ela ainda fosse, para este eleitor, a Marina militante do Chico Mendes, ao contrário do “Novo PT”.

    Por isso, me parece que falar de Gianetti, ou de Andre Lara Resende não comoverá essas pessoas facilmente. A questão não é só insatisfação com os rumos econômicos. Se assim fosse, Aécio já teria decolado um pouco mais. É mais comum do que parece eleições se resolverem sem economia sendo o principal, como ocorreu com o Piñera que não elegeu sucessora com a economia indo bem, ou Obama que se reelegeu com a economia patinando.

    A raiz da insatisfação das classes médias urbanas com Dilma, então, vai desde o desencanto pelo fato do partido adotar práticas tradicionais que suas lideranças enchiam a boca para condenar (como o “Mensalão”), até os acordos políticos com Sarney e Calheiros, que Marina jura de pés juntos que não fará.

    A prevalência da tese que os manifestantes eram “coxinhas” teleguiados, ou que a ojeriza da classe média ao lulismo deve-se exclusivamente ao preconceito de classe (uma tese estranha, já que ela votou em peso em Lula em 2002), então, afastou-os definitivamente do PT, tornando Marina favorita em eventual segundo turno contra Dilma.

    A meu ver, a chance maior de ela perder é se o establishment resolver atacá-la com todas suas forças em favor de Aécio, ou por boicote do seu partido temporário, que provavelmente arrefecerá se Marina se mantiver forte nas pesquisas (eles não gostam dela, mas também não são bobos). 

    • A quem interessa desconstruir Marina?

      Muito lúcido seu comentário, Tagutti. Você citou um dia facebook do Rudá… Vc pode me adicionar no facebook?

      E a frase “cuidado com o que vc deseja, pode se realizar” na verdade foi usada primeiro por você. Eu é que parafraseei passando-a para título de um coment.

      x-x-x-x-x-x-x-x

      É claro que a insatisfação não é apenas com os rumos econômicos (baixo crescimento, reconcentração de renda), mas também direitos humanos e difusos, gestão e eficiência de serviços públicos e, mais recentemente, política externa.

      E acho curiosa essa campanha que julga ser anti-Marina chamando-a de “liberal”, “mercadista”, “direita”, etc. Por que não aceitar que não existe Fim da História e que a população brasileira, cada vez mais classe média, pode justamente desejar um menor centralismo?

      Em todos os países onde ao longo do século XX houve implementação de Welfare State aconteceu isso… Com exceção do Japão, onde o mais bem sucedido projeto de distribuição de renda (menor índice de Gini em países não socialistas) foi implantado pelo Partido Liberal (menor percentual de funcionários públicos em países da OCDE.)

      A doutrina social-liberal superou, pelo menos por ora, a social-democrata na maior parte do Mundo. É só o neoliberalismo que é utópico, o social-liberalismo é compatível, p.ex., com as teses atuais de Piketty. E é o modelo que predomina nas economias mais dinâmicas da OCDE.

      Não sei porque as pessoas ficam tão céticas quanto à possibilidade de uma candidatura PSB. Isso é autoengano.

      PSB não é rejeição ao PT. Não se deve confundir crítica construtiva e desejo por mudança com “ódio ao PT”.

      PT fará parte de eventual governo de Marina e isso nem petistas negam.

      Há muitos elementos para prever uma eleição mais apertada este ano. Não em resultados de 1º turno, mas em expectativas de vitória.

      E sim, Marina recupera bandeiras do PT que foram deixadas de lado. Como o PT em 2002 recuperou bandeiras que o PSDB deixou de lado. 

      E tudo isso é positivo. Sinal de amadurecimento da população brasileira.

      Se o Establishment desconstruirá Marina? Acho que não. Se em simulação de 2º turno ela tem 65 x 25 junto à classe média (o que derruba mais um mito de “classe média malvada e preconceituosa”), que mídia arriscará sua imagem junto ao grande público?

      Atacar alguém que tem apenas 11% de rejeição não é impossível. Mas parece antidemocrático, antirepublicano. É querer manter o país dividido em ‘nós x eles’.

      A quem interessa desconstruir Marina?

      1) Agronegócio nas margens da fronteira de expansão agrícola (mas tudo pode se acomodar, o PMDB fará parte de qualquer governo.)

      2) Quadros partidários que precisarão ceder algum espaço (e longe de ser “total”, posto que o PSB-Rede não é grande) para a incorporação de alguns novos pensamentos.

      De resto, ninguém teme Marina, pelo que ela pode ser o Plano B da maioria e inclusive um ponto de apoio para a construção de uma sociedade menos conflituosa (é estranho reclamar que ela “não cede” depois de tantas “cessões” de FHC e PT ao longo das décadas.)

       

      •  
        Pq essa vitimizacao da

         

        Pq essa vitimizacao da MArina Gunter?  O jogo politico e os juizos fazem parte de algo que eh a vera e nao eh para qualquer um. Se ela nao aguenta o que Lula, Dilma, FHC, Aecio, sofrem no dia a dia, entao nao serve para brincar no Play. Desconstruir Marina? Como se ela nao contribuisse e muito para a sua auto-desconstrucao nao eh mesmo?

        • Mostrar a quem interessa desconstruir

          é “brincar no play”.

          Autovitimização (e autodesconstrução de si mesmo) quem faz no dia-a-dia é quem passa a vida dizendo “Oh céus, oh PIG, oh classe média, oh governabilidade, oh vida”

          São necessárias tantas muletas que agora até a Carta Capital abre espaço para o PSoL criticar Marina. E Brasil 247 publica textos da Veja (ou algo assim, não leio nenhum dos dois, ouvi falar.)

          Falaram-me que a campanha deste ano seria cheia de hoaxs, baixarias, ódio.

          O que eu vejo é que virou um mar de piadas-prontas.

          E não está sendo Marina que as está oferecendo.

          •  
            Autovitimização? Gunter eu

             

            Autovitimização? Gunter eu soh posso julgar que vc estah de má vontade ao dizer isso. Vc realmente acredita que a midia não inventa nada para demonizar o PT, que ela tem usado de todo o tipo de coisa para arranhar ainda mais o partido? Não se trata de se autovitimar, isso é constatação que até pesquisa de anchete vem confirmando. Mas eu entendo que depois que o Brasil do PT fez aliança com Putin, o “Malvadeza durão”, vc esteja com mais ojeriza ao PT. Essa ojeriza é tão grande que chega a levar voê a contradição. Detestar putin pela seu vies autoritário (e nisso eu tenho que concordar) contra as liberdades individuais, como na causa LGBTS, e ao mesmo tenta vestir Marina Silva, a que já disse ser contra o casamento Gay ( e nem vem com essa de plebiscito) e outras bandeiras progressistas. 

            Eu tenho conhecimento na causa ambiental, e aprendi que nem tudo que se diz e se publica com alarde é verdade. A bandeira verde, na forma que Marina defende é uma lástima pq passa ao largo de fundamentação séria. Bom, vc pode achar que o PT se auto vitimização, mas não enxergar vitimização da MArina ao sair do PT, ao rachar o PV, etc. Isso é sua opção. Mas sejamos francos, como bem explicitou o colega Alexandre Tambeli, esse jogo é duro, não é pra ficar no sonho utópico de que tudo vai se resolver apenas fazendo com que as pessoas deixem de comprar carne.

            Se a ficha falsa de Dilma, o grampo sem audio, a sede da Esalq com fazendo do filho do Lula, a “amante do Lula”, Dilma Sapatão, Aécio cheirador, Aécio traficante de diamante, são exemplos de que quem é pessoa pública está sujeito a isso. No começo eu bradava por discernimento, mas depois eu fui vendo que isso faz parte do jogo. Se a MArina não tem peito para entrar, e se prefere se vitimizar, é  opção dela.

      • Do modo como você maneja

        Do modo como você maneja esses grandes objetos ideológicos (social-liberalismo, social-democracia e neoliberalismo) parece simples e fácil o cidadão escolher aquele que mais lhe apetece como se estivesse entre três maças num sacolão.

        “Ah…sim, bacana, vamos agora ao welfare state”. Não existe isso em lugar nenhum do mundo, do japão à escandinávia. As características de um estado são definidas desde sua mais tenra idade. Mudanças são super complicadas e de longuíssimo prazo, quando é possível acontecer.

        O segundo problema, que na verdade precede o anterior, é entender o significado destes objetos, a maneira de executá-los na prática, as nuances… Você parece entender alguma coisinha a respeito do assunto, e o grosso da população?

        .

        A maior dificuldade da Marina é a ausência de quadros para fazer o devido uso da máquina. Ela pode ser a intelectual do século, possuir ótimo conjunto de conhecimentos sobre política, cultura e astronomia, se não juntar do seu lado quem opere e ponha o projeto em andamento pode esquecer eventuais capacidades e virtudes.