Marina e o mito do cavaleiro solitário


Atualizado às 15:00

Todo fim de ciclo político abre espaço para os outsiders da política.

São períodos em que ocorre um aumento da inclusão, da participação popular e os mecanismos políticos tradicionais não mais dão conta da nova demanda. Há o descrédito em relação à política e, no seu rastro, o cavaleiro solitário, cavalgando o discurso moralista e trazendo a esperança  da grande freada de arrumação.

Fazem parte dessa mitologia políticos como Jânio Quadros, Fernando Collor e, agora, Marina Silva.

***

Tornam-se fenômenos populares, o canal por onde desaguará a insatisfação popular com o velho modelo.

No poder, isolam-se por falta de estrutura partidária ou mesmo de quadros em qualidade e quantidade suficiente para dar conta ro recado de administrar um país complexo como o Brasil.

Com poucos meses de mandato, a população percebe que não ocorrerá o milagre da transformação política brasileira e se desencantará com o salvador. Sem base política, sem o canal direto com o povo, perdem o comando e trazem a crise política. 

***

Desde a redemocratização de 1945 o Brasil tornou-se um país difícil de administrar, dada a complexidade de forças e setores envolvidos. Só é administrável através das composições políticas.

Na última década, a complicação ficou maior porque floresceram uma nova sociedade civil, novas classes de incluídos e o fantasma da hiperinflação (e dos pacotes econômicos) não mais funcionava como agente organizador das expectativas e de desarme das resistências.

***

O maior momento de Marina foi quando, na OMC (Organização Mundial de Comércio) defendeu a o direito do Brasil proibir a importação de pneus. No episódio Cessna descobre-se um sócio oculto do ex-governador Eduardo Campos, que enriqueceu com incentivos fiscais (do estado de Pernambuco) justamente para a importação de pneus.

Leia também:  Recessão e o terraplanismo de economistas e empresários, por Luis Nassif

***

Não apenas isso.

Sua vida profissional indica uma personalidade teimosa e desagregadora.

Começou a vida política com Chico Mendes. Depois, rompeu com ele e aderiu ao PT. Foi parceira de Jorge Vianna, governador do Acre. Rompeu com Jorge, tornou-se MInistra de Lula.

Teve embates com a então Ministra-Chefe da Casa Civil Dilma Rousseff acerca da exploração da energia na Amazonia. Perdia os embates nas reuniões Ministeriais, mas criava enormes empecilhos no licenciamento ambiental.

Nas reuniões ministeriais, jamais abria mão de posições. Quando derrotada, se auto-vitimizava e, nos bastidores, jogava contra as decisões com as quais não concordava.

Saiu do governo Lula no dia em que anunciou seus planos para a Amazonia e Lula entregou a gestão para Roberto Mangabeira Unger.

***

Saiu do governo, entrou no PV e promoveu um racha no partido. Tentou montar a Rede, juntou-se com o PSB e criou conflitos de monta com os principais auxiliares de Campos.

A teimosia em geral estava a serviço de ideias e conceitos totalmente anticientíficos.

Combateu as pesquisas em células tronco. Em 2010, em uma famosa entrevista no Colégio Marista, em Brasilia, anunciou que proibiria ensinar Darwin nas escolas, por ser a favor do criacionismo.

Se o país resolver insistir na aposta no personagem salvador, só há uma coisa a dizer: bem feito!

Relativizando a posição de Marina sobre o criacionismo e a célula tronco

FOLHA – Antes de mudar de partido, a sra. mudou de religião, de católica para evangélica. No ano passado, equiparou a teoria da evolução de Charles Darwin ao criacionismo, que atribui a origem da vida a Deus. Entre fé e ciência, a sra. fica com a fé?

Leia também:  Amanhã: Fundação João Mangabeira discute o Estado de Direito e a Democracia

MARINA SILVA – Houve um completo mal-entendido. Fui dar palestra em uma universidade adventista, que é uma faculdade confessional. A legislação brasileira permite as escolas e as faculdades confessionais, que têm o direito de fazer a abordagem do ensino a partir da perspectiva religiosa.

Um jovem me perguntou o que eu achava de as escolas adventistas ensinarem o criacionismo. Respondi que, desde que ensine também a teoria da evolução, não vejo problema. A partir daí, as pessoas começaram a dizer que eu estava defendendo o criacionismo. Sou professora, nunca defendi essa tese e nem me considero criacionista. Porque o criacionismo é uma tentativa de explicação como se fosse científica para responder a questão da criação em oposição ao evolucionismo. Apenas acredito em Deus, é uma questão de fé. Nunca tive dificuldade em respeitar e me relacionar com os ateus, com pessoas que professam outras crenças ou outra forma de pensar diferente da minha.

https://www.youtube.com/watch?v=CkVuq9qIYKM

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

259 comentários

  1. “Um povo ignorante é o

    “Um povo ignorante é o instrumento cego de sua própria destruição” – Simon Bolívar.

    “Um povo que desconhece sua própria história está condenado a repeti-la” – Che Guevara

    “Não raro um povo, na ânsia de se livrar de um mal imediato se atira nos braços de um mal ainda pior” – Maquiavel

    ” A única coisa que o home aprende com a história é que ele não aprende nada com ela” – Hegel

    Tem mais, de autores de todas as vertentes, tipos e cores, mas por hora penso que essas frases ilustram bem o momento atual da eleição brasileira. 

    Penso da mesma forma que o Nassif: se o país escolher um novo Jãnio e Collor não poderá se queixar das consequencias que sobre ele se abater. Escolheu seu caminho. Que pague o preço sem murmurar, perdeu esse direito porque foi avisado.

    Tenho claro também que a ilusão durará no máximo 6 meses (até os desmandos começarem a fazer vítimas) e que tudo acabará em vale de lágrimas. Os conservadores (através de Mainardi e FHC) já visaram que serão oposição desde o primeiro dia o que significa que vão botá-la para correr na primeira oportunidade.

  2. Aplausos !!! Genial !!! Genialmente simples e clara.

    A melhor descrição de nosso momento e de Marina que li até agora. 

    • Realmente muito bom o artigo

      Acabei de passar em uma banca de jornal aqui no RJ e vi estampado: “Marina pretende tirar prioridade do pré-sal” abaixo estava escrito: “..Já conversa com usineiros sobre etanol”. É isso mesmo? Vamos reviver o ciclo do álcool onde os usineiros decidem se produzem açucar ou combustível, dependendo de para onde aponta o mercado?

      O Jornal? Recuso-me a escrever o nome, mas é partidário do PSDB.

  3. Coitado do Brasil…

    …foi o que pensei. Este é um momento crucial, em que se deve aprofundar todas as alianças de D. Marina, sem deixar de lado os defensores dos “créditos de carbono”, mundo afora e aqui dentro…Olho vivo na Amazônia!

  4. Nassif, dá uma corrigida no texto

    “Saiu do governo, entrou no PV e promoveu um racha no partido. Tentou montar a Rede, juntou-se com o PSDB e criou conflitos de monta com os principais auxiliares de Campos.”

    Deve ser PSB.

  5. Aí está a história da

    Aí está a história da trajetória política de Marina que deixa claro a sua dificuldade em agregar.

    Se alguém acredita que esse perfil é errado que aponte.

    Se alguém discorda dos dados e fatos citados por Nassif que os apresente.

    Duvido que os marinistas do blog se apresentem.

  6. o dia em que Dilma foi escolhida presidente da república

    éramos cinco pessoas, entre elas Lula, Marisa e Dilma: e eu assisti Dilma ser escolhida candidata à presidência da república do Brasil em 2008: nem o PT nem os aliados sabiam… mas deu certo.

  7. terceira geração

    Pobre inocente

    O avô acreditou no papo de Jânio.

    O pai no de Collor

    O filho no de Marina.

    Marina que não gosta de política, mas é  desde a tenra idade.

    Marina que brigou com Chico,  que já foi catequista da Igreja católica,  mas sei lá,  mudou de religião,  que foi mal votada na última eleição no eu estado, que brigou com o PT, com o PT,  que foi uma Ministra do Meio ambiente meia boca, que não conseguiu assinaturas para fundar um partido, que fala mal do País no exterior, etc.

    O PlayBook do Leblon pelo menos é mais autêntico. 

    • os detalhes da cena

      Nem o Lula nem a Dilma vão desmentir. Diante dessa cena inusitada dentro da piscina da Granja do Torto, sob a Lua, dei-me conta da fragilidade do ser humano quando um acontecimento banal se constitui em um acontecimento político. Essa fragilidade é minha e de todos nós. Não é possível conter o fluxo dos acontecimentos. Soube depois que essa alternativa já vinha sendo analisada mas naquele momento ela foi realizada. Lula anunciou, saiu da piscina e foi se sentar em uma cadeira. Dilma também saiu da piscina, tomou nas mãos algumas planilhas, sentou ao lado de Lula para tratar de dados do PAC. E era sábado à noite. 

  8. A verdade é que o ciclo

    A verdade é que o ciclo político iniciado com a redemocratização(e aprofundado no governo Lula)ainda não chegou ao fim. Falta, porém, coragem ao PT para concluí-lo.

    O sentimento de desilusão tomou conta do páis no governo Dilma, devida à falta de liderança da presidente e sua péssima escolha de ministros. O pragmatismo dilmista é corolário da covardia petista, que tornou o governo refém do fisiologismo pmdbista e da pauta definida pela grande mídia.

    O grande dilema brasileiro é a falta de alternativas, pois apenas o PT possui quadros, base social e estrutura partidária necessária para promover essas mudanças, mas não o faz, em partes por covardia, comodismo e pelo puro oportunismo de certos quadros do partido.

    Nota-se nessas eleições que, embora desiludido com o governo petista, tampouco os brasileiros pretendem regredir ao modelo tucano, e o entusiasmo com a retórica vazia de Marina é apenas passageira. Vai crescendo também o desgaste da narrativa anti-PT, sustentáculo do único discurso que a elite brasileira é capaz de produzir.

    O grande mistério continua sendo São Paulo, onde a população parece satisfeita com o governo corrupto e incompetente que tem. O ciclo político desse desastre não parece ter fim.

    • análise política precisa

      “O sentimento de desilusão tomou conta do páis no governo Dilma, devida à falta de liderança da presidente e sua péssima escolha de ministros. O pragmatismo dilmista é corolário da covardia petista, que tornou o governo refém do fisiologismo pmdbista e da pauta definida pela grande mídia.

      O grande dilema brasileiro é a falta de alternativas, pois apenas o PT possui quadros, base social e estrutura partidária necessária para promover essas mudanças, mas não o faz, em partes por covardia, comodismo e pelo puro oportunismo de certos quadros do partido.”

      Ou… o PT possuía quadros, base social e estrutura partidária necessários para promover essas mudanças.

    • A verdade é que o ciclo…

      Parabéns, Datrona,

      Em poucas e bem alinhavadas palavras, você analisou muito bem a situação, fruto da covardia do PT e das péssimas escolhas de Dilma e sua subserviência à chantagem da base aliada. Se não conseguirem descontruir Marina a tempo, vão pagar por esses erros.

  9. Faltou dizer que Marina já

    Faltou dizer que Marina já está atuando para desagregar o PSDB, com seus acenos para o Serra.

    A mulher é um fenômeno da desagregação, é o que ela mais sabe fazer.

    • Se ela convocar o Serra para

      Se ela convocar o Serra para seu possível governo, o PT poderá tirar do bolso, em breve, a sua valiosíssima carta coringa que tantas vezes lhe fora muito útil e até ajudou de forma decisiva na vitória sobre o adversário, ou seja, a carta da privatização da Petrobrás. Seria uma das providencioas que o Serra estaria doidinho para fazer.E para convencer o distinto público disso, seria ó mostrar FHC naquele famoso video falando que o privatizador é o Serra.

       

  10. Venha o que vier!

    Nassif,

    De fato, essas figuras que marcaram – e com Marina na presidência poderemos ter mais um exemplo – a nossa história recente são o fruto de uma imaginação inconsequente dos eleitores brasileiros, salvacionista mesmo, a imaginar que nossas querelas possam ser resolvidas do dia para a noite.

    Aliás, como ando vendo, pouco do que a Marina vem propondo tem relevância no atual quadro sócio-econômico brasileiro ou mesmo vem ao encontro daquilo que os manifestantes do meio do ano passado andaram pleiteando.

    E como você bem o observa: sem base parlamentar substancial que venha a lhe dar apoio no Congresso, ficará à deriva lá na Presidência.

    E olhem que digo isso sem qualquer partidarismo, pois sobrevivo muito bem com qualquer dos partidos lá no poder.

    Mas, sinceramente, Marina no Planalto, para mim, é um mergulho num escuro ainda mais incógnito do que o que andaram a disseminar que seria o PT no poder federal.

    Seja como for, que venha o que vier – e, espero, que a escolha do povo não se volte contra o próprio povo.

    Um abraço.

    A.R.

  11. A comprovação de crime eleitoral

    Marina:

    “William, nós tínhamos informação de que era um empréstimo e que seria feito ressarcimento no prazo legal, o pode ser feito até o encerramento da campanha…”

    Ora  Marina, empréstimo não é “ressarcido” nem pago. Se é pago, é aluguel, não empréstimos.

    1) Só empresa de taxi aéreo pode alugar aeronaves.

    2)  Resolução nº 23.406, de 3 de abril de 2014 – 
    Art. 23.  Os bens e/ou serviços estimáveis em dinheiro doados por pessoas físicas e jurídicas devem constituir produto de seu próprio serviço, de suas atividades econômicas e,

  12. Se no historico dela são

    Se no historico dela são típicos rompimentos com paaarceiros de ocasião, quanto tempo levará esse “namoro” com a dona Maria Alice Setubal?

  13. Imperdível

    Bonner:
    – Quando a união de opostos se dá com a senhora, então é em prol do Brasil. Mas quando se dá com seus adversários, é velha política?

    Marina:
    – Você está trabalhando com apenas um lado da moeda.

    rsrsrsrsrsrsrrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrrs

    É aquele velho ditado:

    Pimenta no….

  14. Marina é o sintoma do beco

    Marina é o sintoma do beco que os partidos estão no Brasil. Reformas profundas – como tributária, da justiça e outras – são exigidas, mas a população não crê que pt nem psdb irão fazê-las. Aí se apegam a uma figura que parece não pertencer ao sistema partidário. O resultado é desastroso. Mas culpar só culpar o eleitor é injusto. Os partidos que estão no topo da pirâmide também tem culpa. Com uma diferença = o eleitor  do andar de baixo sofre na carne com o seu erro ( como pagou  com o confisco criminoso de Collor. Tinha 16 anos na época e estudava em escola paga. Quae metade da minha turma teve que sair). Esse final do Nassif me soa quase como ‘eleitor burro, não sabe nem votar.’ Acho que seria mais produtivo ver o porquê dele não votar nem em pt ou psdb – que representam problemas e soluções conhecidos. 

    Mas creio que Dilma leva no segundo turno, principalmente em função do investimento do governo dela na ampliação dos programas sociais- que considero que foi o único acerto do governo dela. Mas será votação apertada. 

  15. O que será ??

    Nassif,

    Com a acreana, a quem critico há anos, existe somente uma certeza, um retrocesso monumental que será imposto ao país – interrupção de diversas grandes obras em andamento para a habitual auditoria de araque; os programas sociais serão enxugados de maneira lenta, mas enxugados;  uma drástica e bastante prejudicial mudança nas diretrizes de política externa;  a privatização da Petrobras (já deve ter muita gente esfregando as mãos neste momento), política de valorização do salário mínimo, bye bye,e pelo lado da $$$, juros no céu.

    Outra certeza- Caso prevaleça o NÃO a Lula/ PT/ DR no plebiscito de outubro, ninguém poderá reclamar. 

    Quem torce pela acreana esperta são os fabricantes de velas, porque hidrelétricas, nem em sonho.

  16. O diabo nunca se apresenta feio como ele é.

    Se o desastre se efetivar, com eleição desta conservadora, que ela fique até o último minuto do seu mandato, e quem a elegeu não venha pedir socorro para mim tirá-la que nem fizeram com o Collor de Melo A desempenhar este erro me recuso novamente.

    Isto se não renunciar antes do fim do mandato que nem fez o homem da vassourinha: Jânio Quadros.

    Para a burguesia que a apóia a vísivel e a invísivel – boa parte dela sonegadora de impostos – que seja vítima de sua ganância e ideologia.

    Quem não aprende com a história, repete os mesmos erros.

    Que além da mídia,  agora temos igrejas petencostais – iosentas de impostos – que se transformaram em partidos políticos de fato, e querem usar o Estado para impor seu obscurantismo e sua crenças.

     

    • Por flar em diabo, uma trova

      Por flar em diabo, uma trova nordentina:

      O DIABO (que não é nenhum bobo) FEZ O INFERNO COM OS MENLHORES

  17. “Se o país resolver insistir

    “Se o país resolver insistir na aposta no personagem salvador, só há uma coisa a dizer: bem feito!”

     

    O Nassif termina seu texto com essa frase.

    Num momento como o atual, quando todos os brasileiros conscientes politicamente ja entenderam o risco que o pais corre com a eleição de mais um novo messianico salvador, vem a mente o velho ditado:

    “Cada Povo Tem o Governo que Merece”.

    Mas sera que o povo merece mesmo a trombada que esta para ocorrer?

    Talvez sim, talvez não.Eis a questão.

    Mudei de uma cidade grande para um vilarejo onde todos se conheciam.

    Assistiamos o mais mal carater da localidade,sabido por todos, se eleger a vereador.

    Em poucos dias trocava a bicicleta por um carro importado.

    Candidatava-se na proxima eleição.

    Todo mundo tinha visto o estranho enriquecimento, mas mesmo assim era reeleito.

    Um amigo, pedreiro, pobre, honesto,honestissimo se candidatou, acreditando que o melhor seria possivel.

    Passando em frente a um bar lotado, foi chamado pelas pessoas que ali estavam bebendo cerveja.

    Entrou e pediu a sua, acreditando que seria uma oportunidade para expor as suas ideias.

    Falou, falou,não sei se ouvido com atenção e em seguida pediu a conta para pagar a sua bebida.

    Foi interrompido por todos:

    “E a nossa, não vai pagar?”

    “Não devo, nem legalmente posso”, foi sua resposta, provocando uma imennsa gargalhada de todos, que ainda diziam:

    “É voce ainda acredita que podera ganhar a eleição sem nem pagar nossa cerveja?”

    Esta historia é real, apesar de achar que não são todos que pensam assim. 

    Contudo, atualmente, o povo brasileiro tem uma desculpa: nem nos tempos do nazismo na Alemanha a sociedade sofreu um processo de lavagem cerebral tão brutal.

  18. Aventureira

    Marina é aventureira política? Sim. Creido que todos os frequentadores do blog sabem disso. E o povão que está desencantado com a política? Provavelmente não. Ontem, estava eu dentro de um ônibus lotado, duas senhoras comentavam: não entendo nada que a Dilma fala, já a Marina como fala bem, tranquila e fala o que a gente entende. Resumo: a Dilma se comunica com fumaça e quando abre a boca se dirige aos militantes.

  19. Não há consequência para quem não responde por elas

    Numa família sempre existe (embora apenas durante algum tempo da sua vida) aquele que acorda sem horário obrigatório; que deixa no chão a sua roupa suja sabendo que em pouco tempo ela estará dobradinha e limpinha acima da sua cama; cama cheirosinha com lençóis limpos. No horário de almoço pega as melhores partes do frango e, na hora do lanche, reclama de qualquer coisa manifestando insatisfação com os pais. Faz “política” pelo Facebook com os coleguinhas virtuais que nem conhece direito. Existe às vezes a tia, que mora em casa.

    Num país tem muita gente assim, que joga lixo na rua sabendo que “alguém” irá limpar; que grita “vtnc” para a Presidenta sabendo que “ninguém” irá puni-lo; que é anti político, pois nem imagina – nem quer saber – como um país do tamanho do Brasil é administrado; sabe apenas que alguém retira o lixo, lhe fornece água quente para tomar banho e leva a sua correspondência para casa. Vive a vida através das experiências de outros, na tela da TV. Normalmente, não paga imposto nenhum.

    Chegando uma nova eleição o sujeito fica agitado, metido ao extremo, pois o seu voto vale o mesmo que o voto do Gunter (que mora na cobertura deste blog), acenando com dúvidas e mistério, gostando de ser paparicado até chegar a hora da votação. Fica metido quando chega alguém desesperado com panfletos, ou postando situações neste blog, tentando influenciar o “seu voto”.

    Depois da eleição, não importa, alguém irá recolher o lixo na rua e lhe fornecer água quente. Se não for assim, o político de plantão enfrentará a ira deste eleitor.

    • Depende de quem ganhará. Se

      Depende de quem ganhará. Se seu voto egoista for minoritário, realmente a cena se repete. Entretanto, se seu voto for majoritário, pode ser que o lixeiro desempregado o encontre na esquina com uma faca na mão, desesperado por mais uma dose de crack…

  20. MARINA SILVA E O CAVALEIRO SOLITÁRIO

    NA ENTREVISTA e responde a pergunta do Jornalisa Willian Bonner: Marina Silva: Em primeiro lugar, mais uma vez eu quero trazer as informações para que a gente possa trabalhar com a realidade dos fatos. Uma questão fundamental: nós somos diferentes e a nova política sabe trabalhar na diversidade e na diferença. Agora, o fato do Beto ter uma posição diferente da minha em relação a transgênico em um aspecto. Há uma lenda de que eu sou contra os transgênicos. Mas isso não é verdade. Sabe o que que eu defendia quando era ministra do Meio Ambiente? O modelo de coexistência, o que significa áreas com transgênico e áreas livres de transgênico. Infelizmente no Congresso Nacional não passou a proposta do modelo de coexistência.

       “eu não sou contra os transgênicos. E eu digo: Aí já é demais.

       Em que pese ser pior sobre Chico Mendes. Eu li o livro de Klester Cavalcanti “Viúvas da Terra”.  Assassinatos, mortes e corpos queimados. UM HORROR!!.  O HORROR!

  21. Creio que Marina terá, nestas

    Creio que Marina terá, nestas eleições, trajetória parecida à que teve Celso Russomano quando se candidatou a prefeito de São Paulo. Quanto mais fala, mais rejeição consegue. Capaz que termine o primeiro turno em terceiro lugar. Isso se o outro pastor evangélico não a ultrapassar também.

  22. Desesperada, direita tenta reeditar 1960 e 1989 em 2014

    LAMENTAVELMENTE A HISTÓRIA SE REPETE – Algumas pessoas ficam cheias de dedos para comentar sobre o processo eleitoral atual. Não é hora para omissões. A história brasileira é que subsidia o conteúdo desse texto.

    Em 1960 Jânio Quadros se elegeu presidente da república pelo PTN (com o apoio da UDN). O PTN era um micro partido que nem de longe estava no centro da política nacional, como estavam a própria UDN, o PSD e o PTB.

    Em 1989 Fernando Collor de Mello se elegeu presidente da república pelo PRN. O PRN era um micro partido que com muito gosto abraçou as pretensões da “nova política” de Collor, egresso da ARENA, do PDS e do PMDB.

    Em 2014 a direita quer repetir o fenômeno com uma candidatura laranja, que usa o PSB como barriga de aluguel e que um dia depois da eleição irá para o micro partido Rede, espécie de PTN ou PRN dos dias de hoje.

    Tanto Jânio Quadros quanto Collor se auto definiam como figuras acima dos partidos tradicionais. Criticavam a política em si, os partidos políticos e os próprios políticos.

    Se apresentavam como mui dignos representantes da “nova política” que iria sanear e moralizar o Brasil…

    É o mesmo discurso falso, cínico e mentiroso da moça lá do Acre.

    A Rede, que sequer foi criada ainda, o PTN e o PRN tem em comum o fato de serem legendas pequenas e sem contornos ideológicos e programáticos bem definidos.

    Em 1961, sem conseguir uma base de apoio minimamente confiável no Congresso Nacional, Jânio renuncia e mergulha o país numa violenta crise institucional.

    O golpe só não vei ali mesmo graças a atuação corajosa e certeira do então governador gaúcho, Leonel Brizola, e da sua Campanha da Legalidade que garantiu a posse constitucional de João Goulart.

    Em 1992 Collor sofreu um impeachment, muito mais por ter se isolado no Congresso e por estar num partido pequeno e irrelevante como o PRN.

    A história está aí para quem quiser ver e estudar.

    Àqueles que negam a política e os partidos políticos, ao contrário do que dizem, deseducam as massas e são os verdadeiros representantes das ideias mais reacionárias que se possa imaginar.

    Em outras palavras, são apenas farsantes.

    Farsantes com um discurso falsamente moderno que se coloca acima da política, acima dos partidos, acima dos políticos e acima das instituições.

    Não existe nada mais conservador e de extrema direita do que esse messianismo que falsamente paira acima de tudo e de todos.

    Marina Silva é uma espécie de Jânio Quadros ou de Fernando Collor de Mello. Nada mais do que isto.

    Cabe àqueles que tem um mínimo de conhecimento histórico, impedir que o Brasil de 2014 caia novamente numa aventura da extrema direita.

  23. QUESTIONAMENTO

    Prezado(a)s leitore(a)s,

     

    O comentário fica devendo os aspectos da identidade e da história da candidata Marina Silva, nascida em condições adversas nos seringais do Acre e que se projetou no mundo politico, defendendo idéias ambientais que contrariam profundamente os interesses econômicos. Creio eu, que o diabo não tão ruim quanto pintado acima. É só isso, o Brasil esta “marinando”, acima de tudo, pelos deméritos de seus concorrentes. Quem sabe, até o fechamento das urnas muita coisa acontecerá. Quem viver verá…

     

     

     

    • Ideias ambientais?

      Eu prefiro quem consiga conviver com novas tecnologias por opção, combatendo os excessos à essas neo convertidas que já começam até mesmo a “aceitar” transgênicos e outras coisa. Tenha paciência!

    • O diabo não parece tão ruim

      O diabo não parece tão ruim porque ele mente com primor…Embarca nessa pra ver o que é bom pra tosse…

    • Exatamente, Gerson!

      Exatamente, Gerson! Infelizmente penso da mesma forma, enquanto este maldito império existir não haverá sossego para ninguém nesse mundo.

  24. ERUNDINA E O PARADOXO!

    Fico pasmo com a atitude de Erundina – a quem tinha até hoje grande respeito pela sua postura –  quando aceita comandar a campanha da candidata do paradoxo, Marina da Silva. Ora, não aceitou Maluf, mas está aceitando a direita mais extremada do País. Não há desculpas. Os socialistas estão pensando que irão dar o golpe do baú, traindo depois a direita que os apoia, irá ver que estarão sós e desolados. Sempre precisaram dos companheiros, não dos “amigos” arrumados de ocasião..

    Ora, um dos aspectos mais contestados por partidos socialistas é a perda do comando do governo no Banco Central, o que está sendo anunciado por Neca, uma das grandes fortunas que apoiam Marina e que representa os interesses do sistema financeiro.

    Ora, Erundina, como você me decepciona! Nem mesmo FHC atreveu-se, ao seu tempo, retirar do governo o direito de fazer a política econômica, que será perdida com a entrega do BC aos banqueiros.

    Erundina entrou nesta de paradoxo?

    • Vocês não entenderam até hoje

      Vocês não entenderam até hoje a posição da Erundina. Ela não aceitou Maluf, porque queria uma foto pública com Lula. Queria que ele fosse lá beijar a mão dela. Como o Maluf teve isso e ela não, ela rompeu.

  25. E tem um rompimento ainda

    E tem um rompimento ainda maior na vida de Marina. Ela era católica (li em algum que sua formação universitária foi paga pela Igreja Católica) e tornou-se pastora de uma igreja evangélica. Certo que a religiosidade é de foro íntimo de cada um mas é um dado a mais na sua história de rupturas.

  26. Vote certo

    Ao acomodados que preferem ficar sentado e deixar o país com esta presidenta,  acordem?  Mensalão, petrobras,  porto e aeroporto em cuba,  investimentos em outros países, inflação e está tudo bem? Se marina ganhar e não fizer nada,  o povo tira ela do poder. 

    • Quero fatos e dados

      Não dados de jogo. Dados de números, informação. Qual o real problema de investir em outros países? A quantas anda a inflação, hoje e quanto era o índice antes desse governo. Quanto ao  mentirão que tu chamas de de mensalão, quem roubou o que de quem? Era dinheiro público? E a Petrobrás? Tem um ex diretor sendo investigado, tem o caso da refinaria de Pasadena sendo desmontado dia a dia (se não sabes, já está dando lucro esta refinaria). Responda por favor, mas com fatos e dados consistentes. Não me venha com discurso marineiro de plantão.

    • Você quer discutir estes

      Você quer discutir estes pontos de vista ou apenas repetir, tal qual um papagaio, o que diz a mídia?

      Onde está a inflação que você apregoa? Os índices inflacionários apontam que ela está dentro da meta e caindo…

      Quanto a Petrobras, melhor nem falar nada. A empresa vale hoje, em preços de mercado, cerca de 7 vezes mais do que valia quando o PT chegou ao governo. O lucro dela é cerca de 4 vezes maior e ainda, neste período, houve a descoberta do pré-sal, inegavelmente, o grande feito tecnológico de nosso país em todos os tempos. Me aponte uma façanha maior do que esta? Estamos montados (se os outros não entregarem) em mais de 30 bilhões de barris de petróleo, que podem ser o início de jma nova era de desenvolvimento no Brasil. Somente o leilão do campo de LIbra (ainda que eu discorde do mesmo) rendeu aos cofre públicos 15 bilhões de reais. A Petrobras hoje financia projetos em quase todos os setores da vida brasileira. Você vai a um cinema assistir um filme brasileiro, está lá o logo da empresa. Você vai visitar um museu, está lá o logo da empresa. Projetos na área ambiental (já que está tanto na moda) praticamente só existem no Brasil devido aos patrocinios da Petrobras (Tamar e outros). Vá às universidades públicas (e privadas também) e verás quanto dinheiro é colocado pela empresa no desenvolvimento de projetos científicos e tecnológicos. A empresa tem um plano de investimentos no Brasil que supera os 200 bilhões de dólares para os próximos anos.

      Quanto aos portos e aeroportos em Cuba, eu somente posso lhe desejar boa sorte na vida, pois esta é uma afirmação de quem não tem nenhum argumento para criticar o governo atual. É repetição pura e simples do que diz a mídia.

      Ah…ia me esquecendo. Quanto ao mensalão, o tempo ainda vai nos colocar diante da verdade. Se você acompanhou aqui o desenrolar de todo o processo, verá que não foi bem como você pensa que foi (faço isto levando em consideração que você acompanhou o julgamento atarvés do show na TV) .

    • vote certo

      Droga, se o povo votar mal, azar do povo, não tem nada que derrubar a presidente para sanar os erros cometidos! Isto é golpe! Caso eleja esta triste figura, suportem-na pelos 4 anos do mandato, para aprenderem a votar coretamente na próxima. Chega de golpes!

       

       

    • E os americanos terão,

      E os americanos terão, finalmente, uma boa desculpa para nos encher com um tapete de bombas humanitárias…

  27. Dois pesos, duas medidas!!

    Caro Nassif,

    Quem foi o cavaleiro solitário em 2010?

    A propósito aquela era uma das “virtudes” da “gestora”, não estar ligada ao núcleo criminoso do PT. Na verdade a candidata Dilma era a amazona solitária porque toda a cupula do PARTIDO (parafraseando os manos daquela facção criminosa), ou estavam presos, ou estavam umbilicalmente ligados aos presos!!!  Aquilo sim foi a criação de um mito!!! Eleger uma pessoa sem a menor prática política para capitanear este barco multicultura de tantas matrizes e matizes!!!

    A democracia vive uma crise e não é a metodologia de guerrilha que irá unir o país, que bem ou mal, se faz representar políticamente pelo seu congresso nacional. ENGODO foi a DILMA, tristemente digo isso, pois hoje, com 41 anos é a primeira vez que não vou votar no PT e mais ainda fazer campanha contra, pois os bons continuam calados!!!!

    • padrão troll

      Argumento padrão troll, nunca votou no PT, sempre fez campanha contra os governos progressistas. Era isto, diz, agora os duendes da florestas me converteram portanto…

    • Faço minhas as palavras da
      Faço minhas as palavras da filha de Chico Mendes. O Governo Dilma tem problemas, mas não tenho dúvidas de que lado ele está. A importância dele só mais na frente veremos. Seu governo foi o tempo da plantação. É preciso esperar o da colheita. Mas para os que querem mudar de lado diante das dificuldades, que se mudem. Só não vale dizer que foi enganado. O governo Dilma jamais traiu nenhum dos seus compromissos. Quanto a outra candidata. Melhor nem falar. Parafraseando um certo alguém, o tempo é o senhor da razão.

    • Meu caro, teu desespero

      Meu caro, teu desespero marineiro ou psbista, mostra claramente de que lado estás. Pelo teu discurso tu não votou em Dilma quando afirma que : ” Eleger uma pessoa sem a menor prática política para capitanear este barco multicultura de tantas matrizes e matizes!!!”, esta é prova definitiva de que nunca votastes no Partido dos Trabalhadores e pelo teu ódio estampado em tuas declarações de que ” a cupula do partido da facção criminosa ( no caso o PT), ou estavam presos ou umbilicalmente ligados aos presos”, o que reforça mais uma vez que nunquinha da silva Vossa Excelencia votou nos “cumpanheiros”. Acho que voce perdeu a chance de ficar  calado ou sem o frisson nos dedos no teclado do computador.

       Gostaria de saber na verdade quem pagou ou financiou o avião que causou a morte do Eduardo Campos. Também gostaria de saber para onde foi o dinheiro do comitê do PSB montado para a campanha de Eduardo, pois segundo os dirigentes  do PSB, um “novo” comitê foi montado pra Marina , inclusive com outro CNPJ . E as doações no CNPJ anterior ( do Eduardo), serão transferidos para o comitê da Marina ? Quem, adquire alguma empresa ou negócio é responsável pelo Ativo e pelo Passivo da empresa ou negócio.

      • Auto destrutivos

        Caro Luiz Cunha,

        Lembro-me ter sido um cabo eleitoral do PT desde que me interessei por política, ainda no grêmio estudantil Nilo Peçanha da Antiga ETF/MT, assim o foi também no bloco de Economia da UFMT lá pelos idos de 92, trouxe comigo esta bandeira quando comecei a minha vida profissional em 96, sempre defendendo o projeto do PT.
        Hoje, quando lembro que fui hostilizado em alguns grupos sociais e taxado de xiita por defender a mudança, pregando o fim da era tucana, acabo traçando um paralelo com os dias atuais aqui, pois falar em mudança neste espaço, que alhures foi bem mais policromático, é chamar para si esse patrulhamento ideológico.
        O PT envelheceu!! Acredite meu caro e está ficando mais feio que o PSDB!
        Hoje quero mudar de novo. Chega de tanta desculpa para a prevaricação!
        Como eu gostaria que aparecesse um novo Amaury Ribeiro Jr e escrutinar todos os meganegócios que envolveram a maior empresa brasileira. Eu juro que faria o que fiz com o exemplar da Privataria Tucana, enviaria para todos os meus contatos! Aí seria fácil ir para um segundo turno com o Aécio! A Marina lavaria a égua!
        Que pena que o PSDB gastou a Regina Duarte nas campanhas passadas, porque hoje, sim, o PT me dá MEDO!
        Não vejo a Marina com sangue nas mãos!

    • Parabéns pelo comentário. Não

      Parabéns pelo comentário. Não precisa ser jornalista nem ter toda a retórica deles para dizer a verdade!!!

    • Não fala que votou na Dilma não…

      … porque os fanáticos não aceitam. É o que mais irrita um sectário fanático: alguém que mude de ideia após uma experiência que não deu certo.

      Aliás, tudo que o Nassif fala de negativo da Marina (muitas coisas eu concordo) aplica-se inteiramente à nossa atual administradora, que está fazendo um péssimo governo.

      Quando falam que a Marina vai fazer ajuste fiscal, é até mais um motivo para votar nela, consertar as lambanças que a atual equipe econômica fez nos últimos quatro anos. É, para eles o correto é como está hoje: dar jabá p/montadora estrangeira e inflar bolha imobiliária com endividamento irresponsável, e reabrindo parcelamento tributário de seis em seis meses, fazendo do trouxa quem paga em dia.

      Quanto a votar no PT, votei três vezes: 2002, 2006 e 2010. Só errei na última. Sem problema. Em 2002 era hora de mudar, agora também é.

      Se a Marina não der certo, a gente vota em outro daqui a 4 anos. É assim que funciona o sistema. Quem tem compromisso eterno com o erro é fanático, burro ou jabazeiro. Parabéns por não ser nenhum dos três.

      PS: Essa campanha “criança esperança” que surgiu aqui no blog de “tirei três votos da Marina hoje” é uma das coisas mais patéticas que assisti nos últimos tempos…

       

    • Muito crível.

      Com 41 anos, logo fez 18 em 1991. Então pode votar no Lula em 1989, 1994, 1998, 2002, 2006 e na Dilma em 2010.

      Com todos esses anos de eleitor do PT, não aprendeu nada amigo?

      Apenas nos últimos 4 anos desenvolveu este discurso psdebista de

      “núcleo criminoso do PT”,

      “cúpula do partido daquela facção criminosa”,

      “a democracia vive uma crise”

      Caraco! parece Control-C Control-V da Veja. Para um eleitor historicamente petista aprendeu o linguajar rápido…

      Hehehehehehe.

       

  28. O ESQUECIMENTO
    PPreferências§1234567890-=Backspace Tabqwertyuiop[] Return  capslockasdfghjkl;’ shift`zxcvbnm,./shift  English  Deutsch Español Français Italiano Português Русский alt alt  Preferências

    Parabenizar  o Luiz  Nassif  pela visao apresentada do mito Marina, uma  grande  verdade revelada.  

    A história tem revelado que o povo brasileiro esquece de tudo de 12  em 12 anos, ou seja  o que era ruim vira bom. no caso da Maria especificamente, sem nenhum estrutura partidadaria e pelo seu histórico dificilmente  conseguiria  governar o Brasil, a historia ja nos revelou isso com Janio Quados, mais tarde com Collor e agora com a Marina, pena que o povo brasileiro nao tem conhecimento histórico, ou ainda  persiste  na visao messeanica aparesentada pelo Nassif.

  29. Ando olhando muito para as

    Ando olhando muito para as entrevistas de Marina, esses dias, e lendo as diversas análises.

    Marina não consegue dialogar com um entrevistador arrogante, sem ignora-lo rispidamente (“não está claro para você, maseu  vou deixar claro para o telespectador”), como seria possível dialogar com uma eventual oposição, forças opostas, etc.?

    Marina não consegue ouvir um gracejo sobre sua silhueta sem se sentir incomodada, como ela encararia a avalanche de insultos que a mídia e a internet passaram a direcionar-lhe, cedo ou tarde, em um eventual governo?

    Marina beira ao delírio ao pressupor que, magicamente, o voto irá resolver a complexidade da política brasileira, exposta neste artigo. Declarações como “os nossos parlamentares serão eleitos pela sociedade brasileira que já fará uma parte da reforma [política], a partir da escolha que fizer”, no debate da Band (muito bem extraída pelo Eduardo Jorge que, aliás, se não for presidente, poderia pensar no ramo da entrevista), não têm base no racional, mas numa espécie de pensamento positivo (bem parecido com a seleção que perdeu de 7×1, se me permitem a comparação futebolística…). No raciocínio de Marina parece não haver a análise, mas a esperança, apenas. Esperança é bom, mas esperar baseado no nada é o que, tradicionalmente, chamamos de preguiça, loucura, irresponsabilidade… Isso não combina com as qualidades que deveriam ter um presidente.

    Marina delira ou Marina é uma professora? Conta ótimas estórias para cativar o seus alunos, resgatando a memória afetiva destes para facilitar a aprendizagem do conteúdo. A questão é que bons e maus professores usam essa metodologia pedagógica. Geralmente, como alunos, gostamos de ambos, mas só o bom professor consegue facilitar a aprendizagem. Que conteúdo Marina está ensinando aos eleitores? O do Itaú, o da Natura, o do agronegócio, o do fundamentalismo religioso? A mim, não parece ser o da sustentabilidade…

    • Karla , acredito que gracejo

      Karla , acredito que gracejo , preconceito e agreções verbais , não vá pertubar a Marina , ela que passou por sérias dificuldades na vida at´pe chegar aqui , é uma sobrevivente . Seria bom repetir sua história de vida , pois muitos aqui do sudeste /sul não tem a noção da vida la no grotões deste pais …

      • Armando, não desconheço a

        Armando, não desconheço a história de Marina. Aliás, admiro e é por admira-la que me enerva tantas contradições (supondo-se que as decisões atuais de Marina não sejam má-fé) em seu discurso/retórica, já há algum tempo. Espero que Marina, nessa corrida eleitoral, não transfigure sua história (como fez com a de Chico Mendes no último debate), para justificar/atender seus interesses/projetos atuais.

        Acontece que um eleitor atento e vendo além do desejo pela saída do PT do governo federal (pelo motivo que for), não tem dificuldade em identificar que o que Marina fala não é o que Marina pratica (sei que isso não é novidade entre políticos, mas é sintomático em quem se propõe a ser o novo). Isso, nas questões mais prosaicas como nas interações em debates e entrevistas, o que pensar de questões de estado?

        As questões políticas atuais não irão se desfazer como mágica, com a eleição de Marina, uma eleição não é o final de um desenho da Disney, que, ao se vencer o “mal”, espanta-se o temporal e a primavera se estabelece. Marina terá que lidar com as questões atuais no dia-a-dia, para além da retórica. Ano passado, assisti uma palestra dela, aqui na Paraíba (aliás, cresci nos rincões do MA, PI, PE e RN) em que um jovem eleitor dela disse algo como: Marina, se você for eleita e tiver dificuldades no congresso, use a rede nacional pra nos chamar, que nós a apoiamos.

        A minha questão é: que interesses Marina está levando à presidência? Os desse eleitor ou os do Itaú, Natura, etc.? Nada que Marina fez (e muito do que disse), desde que entrou na disputa presidencial, me faz avaliar que ela possa usar o apoio desse jovem eleitor para o interesse dele. E, quando esse jovem eleitor se der conta disso? Marina cairá? E quem se beneficiará disso? Ao meu ver será só mais uma profunda ferida política no Brasil que passaremos mais longos anos lambendo para sarar.

        Penso que se a mudança política está lenta com o PT, voltaremos mais alguns postos, com bem pouco combustível para seguir a jornada, com um eventual governo Marina (não PSB, ou Rede…).

  30. A Marina que se cuide (e nós

    A Marina que se cuide (e nós principalmente): “O DIABO” (que não é nuhum bobo) “FEZ O INFERNO COM OS MELHORES”

    Trova nordestina.

  31. Mesmo desconfiando, se Marina

    Mesmo desconfiando, se Marina vencer, torcerei por um bom governo.

    Se o país andar pra trás, torcerei por um apredizado da sociedade.

    Por bem ou por mal, nunca a população esteve tão interessada em política. Com a internet, os fatos não serão esquecidos e apagados como aconteciam na época que eram publicados apenas em papel.

     

  32. [  Fazem parte dessa

    [  Fazem parte dessa mitologia políticos como Jânio Quadros, Fernando Collor e, agora, Marina Silva.]  lembrar desses que venceram apenas incentivva mais os marireneiros. Deveria lembrar do Lula praricamente só, puxando uma cachorrinha magra , querendo petulantemente ser presidente e, obviamente, derrtoado. Para vencer, teve que se juntar com vencedores como Sarney, Renan, jader Barbalho, Maluf, etc.

  33. Eu acho que é fogo de palha mas vocês me assustam.

    Concordo com o Nassif e com quase todos, ela não tem estrutura partidária, experiência administrativa, é desagregadora, mistura religião com política, não conseguirá governabilidade e esse blá blá blá todo, mas…. E essa história do povo? Até ontem sabia votar e agora não sabe mais? O povo esta sendo enganado por ela? O povo pode ser enganado? Até ontem o povo sempre acertava…E se der tudo errado (o que é provável), revanchismo neles? E se esta tudo bem com o país porque não querem mais o PT nem o PSDB? Entendi…Ou melhor, não entendi nada, gente aparentemente culta com ódio do povo porque escolheu outro candidato. É a democracia gente, lembram? Alternância, as vezes dá certo, as vezes dá errado, querem a volta do arbítrio? Implantá-lo? Eu não estou assustado, duvido que ela vença. Gente muito estranha por aqui.

  34. [  Desde a redemocratização

    [  Desde a redemocratização de 1945 o Brasil tornou-se um país difícil de administrar] tanto isso é faldo que FHC tem um pasta 007 cheia de diploma de bível superior, enquanto Lula com apensas primário não fez governo pior. De fato, quando Golbery e turma dizia que Lula seria o maior presidente do Brasil, exatamente por que iria o entragar o Basil de tal sorte que toidas as insituições iriam ter sua própria dinãmica já definida para quase todo sempre. Nem precisava de ninguém fazer anda além do que o que sempre fez e ninguém iria entrar para fazer diferente. Por isso, por exemplo, o MEC nem precisa ir em universidade pública alguma para saber com andas as coisas, já sabe que anda e anda como sempre andou dessde da Gloriosa e ninguém pode fazer nada diferente disto. E se tentar se meter, pode até levar tapa

    • Podia digitar melhor

      se é pra falar mal dos outros só pq estudaram apenas até a 4ª série, podia pelo menos fazer o esforço de digitar direito.

  35. Cena cômica

    Éramos cinco em torno da mesa no andar de cima do Palácio da Alvorada, em espaço próximo aos cômodos ocupados por Lula e Marisa. A mesa estava muito bem posta. Sentamos e durante o jantar tive a coragem de comentar o desempenho do Ministro do Desenvolvimento Social Patrus Ananias, a iniciativa do Senador Eduardo Suplicy com o Renda Mínima depois Renda Básica de Cidadania e sobre os benefícios previdenciários como parte do conjunto de políticas da seguridade social. Dilma fechou o cenho e Lula me sinalizou que o meu lugar na mesa era acessório, marginal. Percebi que o que eu dizia não era conveniente mas como cientista social e gestora governamental em políticas sociais desde o primeiro governo civil, me senti obrigada a comentar. Senti vivamente que as políticas sociais não tinham lugar central no debate político. Observo que o Bolsa Família, o ProUni e o FIES foram programas instituidos no primeiro mandato do governo Lula. Quando me refiro às políticas sociais, estou me referindo à articulação intragovernamental de políticas públicas. Devido ao número excessivo de Ministérios e Secretarias (divididos entre a base aliada) e a justaposição decorrente de programas tornou-se inviável priorizar a questão social. Foi mantida a concepção de Rede de Proteção Social. 

    P.S. Tanto no período da cena inusitada quanto no período da cena cômica eu já havia sido afastada da Casa Civil por ter defendido os direitos de aposentados e o adiamento da Reforma do Regime Geral da Previdência Social no Forum Nacional da Previdência Social, posição apoiada por todas as Centrais Sindicais. Eu me encontrava no subsolo do Palácio do Planalto sem uma mesa e um computador, sem faltar nenhum dia, e estar sob a observação de Diogo Mainardi e colegas do jornalismo marrom. Diante disso, precisamos ter cuidado para não fazermos comentários que não possam dar o direito à candidata Marina Silva de se defender. A Veja já se posicionou pela desconstrução da candidatura de Marina. E o jornalista Diogo Mainardi e o mainardismo voltaram à cena, a outra cena, como se referia Freud, a cena latente.

  36. referência para análise dos acontecimentos políticos

    Agamben: O pensamento é a coragem do desespero

    Publicado em 28/08/2014 | Deixe um comentário

    Juliette Cerf entrevista Giorgio Agamben.

    Nascido em Roma em 1942, Giorgio Agamben tem uma trajetória peculiar. Nos anos de formação, o jovem estudante de Direito andava com artistas e intelectuais agrupados em torno da autora Elsa Morante. Uma Dolce Vita? Um momento de amizades intensas, em todo caso. Giorgio Agamben apareceu como o apóstolo Filipe em O Evangelho segundo são Mateus (1964) de Pier Paolo Pasolini. Pouco a pouco, o jurista virou-se para a filosofia, após um seminário de Heidegger em Thor-en-Provence. Então ele lançou-se sobre a edição das obras de Walter Benjamin, um pensador que nunca esteve longe de seu pensamento, bem como Guy Debord e Michel Foucault. Giorgio Agamben tornou-se, assim, familiarizado com um sentido messiânico da História, uma crítica à sociedade do espetáculo, e uma resistência ao biopoder, o controle que as autoridades exercem sobre a vida – mais propriamente dos corpos dos cidadãos. Poético, tal como político, seu pensamento escava as camadas em busca de evidências arqueológicas, fazendo o seu caminho de volta através do turbilhão do tempo, até as origens das palavras. Autor de uma série de obras reunidas sob o título latino Homo sacer, Agamben percorre a terra da lei, da religião e da literatura, mas agora se recusa a ir… para os Estados Unidos, para evitar ser submetido a seus controles biométricos. Em oposição a essa redução de um homem aos seus dados biológicos, Agamben propõe uma exploração do campo de possibilidades. Nesta entrevista a Juliette Cerf em Trastevere, o filósofo italiano contesta quem o vê como pessimista, cita Marx e sustenta: “condições desesperadoras da sociedade em que vivo me enchem de esperança”. Confira:

    *   *   *

    Berlusconi caiu, como vários outros líderes europeus. Tendo escrito sobre a soberania, quais os pensamentos que esta situação sem precedentes provocar em você? 

    O poder público está perdendo legitimidade. A suspeita mútua se desenvolveu entre as autoridades e os cidadãos. Essa desconfiança crescente tem derrubado alguns regimes. As democracias são muito preocupadas: de que outra forma se poderia explicar que elas têm uma política de segurança duas vezes pior do que o fascismo italiano teve? Aos olhos do poder, cada cidadão é um terrorista em potencial. Nunca se esqueça de que o dispositivo biométrico, que em breve será inserido na carteira de identidade de cada cidadão, em primeiro lugar, foi criado para controlar os criminosos reincidentes.

    Essa crise está ligada ao fato de que a economia tem roubado um caminho na política? 

    Para usar o vocabulário da medicina antiga, a crise marca o momento decisivo da enfermidade. Mas hoje, a crise não é mais temporária: é a própria condução do capitalismo, seu motor interno. A crise está continuamente em curso, uma vez que, assim como outros mecanismos de exceção, permite que as autoridades imponham medidas que nunca seriam capazes de fazer funcionar em um período normal. A crise corresponde perfeitamente – por mais engraçado que possa parecer – ao que as pessoas na União Soviética costumavam chamar de “a revolução permanente”.

    A teologia desempenha um papel muito importante em sua reflexão de hoje. Por que isso? 

    Os projetos de pesquisa que eu tenho recentemente realizado mostraram-me que as nossas sociedades modernas, que afirmam ser seculares, são, pelo contrário, regidas por conceitos teológicos secularizados, que agem de forma muito mais poderosa, uma vez que não estamos conscientes de sua existência. Nós nunca vamos entender o que está acontecendo hoje, se não entendermos que o capitalismo é, na realidade, uma religião. E, como disse Walter Benjamin, é a mais feroz de todas as religiões, porque não permite a expiação… Tome a palavra “fé”, geralmente reservado à esfera religiosa. O termo grego correspondente a este nos Evangelhos é pistis. Um historiador da religião, tentando entender o significado desta palavra, foi dar um passeio em Atenas um dia quando de repente ele viu uma placa com as palavras “Trapeza tes pisteos”. Ele foi até a placa, e percebeu que esta era de um banco: Trapeza tes pisteos significa: “banco de crédito”. Isto foi esclarecedor o suficiente.

    O que essa história nos diz? 

    Pistis, fé, é o crédito que temos com Deus e que a palavra de Deus tem conosco. E há uma grande esfera em nossa sociedade que gira inteiramente em torno do crédito. Esta esfera é o dinheiro, e o banco é o seu templo. Como você sabe, o dinheiro nada mais é que um crédito: em notas em dólares e libras (mas não sobre o euro, e que deveriam ter levantado as sobrancelhas…), você ainda pode ler que o banco central vai pagar ao portador o equivalente a este crédito. A crise foi desencadeada por uma série de operações com créditos que foram dezenas de vezes re-vendidos antes que pudessem ser realizados. Na gestão de crédito, o Banco – que tomou o lugar da Igreja e dos seus sacerdotes – manipula-se a fé e a confiança do homem. Se a política está hoje em retirada, é porque o poder financeiro, substituindo a religião, raptou toda a fé e toda a esperança. É por isso que eu estou realizando uma pesquisa sobre a religião e a lei: a arqueologia parece-me ser a melhor maneira de acessar o presente. Os europeus não podem acessar o seu presente sem julgarem o seu passado.

    O que é este método arqueológico? 

    É uma pesquisa sobre a archè, que em grego significa “início” e “mandamento”. Em nossa tradição, o início é tanto o que dá origem a algo como também é o que comanda sua história. Mas essa origem não pode ser datada ou cronologicamente situada: é uma força que continua a agir no presente, assim como a infância que, de acordo com a psicanálise, determina a atividade mental do adulto, ou como a forma com que o big bang, de acordo com os astrofísicos, deu origem ao Universo e continua em expansão até hoje. O exemplo que tipifica esse método seria a transformação do animal para o humano (antropogênese), ou seja, um evento que se imagina, necessariamente, deve ter ocorrido, mas não terminou de uma vez por todas: o homem é sempre tornar-se humano, e, portanto, também continua a ser inumano, animal. A filosofia não é uma disciplina acadêmica, mas uma forma de medir-se em direção a este evento, que nunca deixa de ter lugar e que determina a humanidade e a desumanidade da humanidade: perguntas muito importantes, na minha opinião.

    Essa visão de tornar-se humano, em suas obras, não é bastante pessimista? 

    Estou muito feliz que você me fez essa pergunta, já que muitas vezes eu encontro com pessoas que me chamam de pessimista. Em primeiro lugar, em um nível pessoal, isto não é verdade em todos os casos. Em segundo lugar, os conceitos de pessimismo e de otimismo não têm nada a ver com o pensamento. Debord citou muitas vezes uma carta de Marx, dizendo que “as condições desesperadoras da sociedade em que vivo me enchem de esperança”. Qualquer pensamento radical sempre adota a posição mais extrema de desespero. Simone Weil disse: “Eu não gosto daquelas pessoas que aquecem seus corações com esperanças vazias”. Pensamento, para mim, é exatamente isso: a coragem do desespero. E isso não está na altura do otimismo?

    De acordo com você, ser contemporâneo significa perceber a escuridão de sua época e não a sua luz. Como devemos entender essa ideia? 

    Ser contemporâneo é responder ao apelo que a escuridão da época faz para nós. No Universo em expansão, o espaço que nos separa das galáxias mais distantes está crescendo a tal velocidade que a luz de suas estrelas nunca poderia chegar até nós. Perceber, em meio à escuridão, esta luz que tenta nos atingir, mas não pode – isso é o que significa ser contemporâneo. O presente é a coisa mais difícil para vivermos. Porque uma origem, eu repito, não se limita ao passado: é um turbilhão, de acordo com a imagem muito fina de Benjamin, um abismo no presente. E somos atraídos para este abismo. É por isso que o presente é, por excelência, a única coisa que resta não vivida.

    Quem é o supremo contemporâneo – o poeta? Ou o filósofo? 

    Minha tendência é não opor a poesia à filosofia, no sentido de que essas duas experiências tem lugar dentro da linguagem. A casa de verdade é a linguagem, e eu desconfiaria de qualquer filósofo que iria deixá-la para outros – filólogos ou poetas – cuidarem desta casa. Devemos cuidar da linguagem, e eu acredito que um dos problemas essenciais com os meios de comunicação é que eles não mostram tanta preocupação. O jornalista também é responsável pela linguagem, e será por ela julgado.

    Como é o seu mais recente trabalho sobre a liturgia nos dá uma chave para o presente? 

    Analisar liturgia é colocar o dedo sobre uma imensa mudança em nossa maneira de representar existência. No mundo antigo, a existência estava ali – algo presente.  Na liturgia cristã, o homem é o que ele deve ser e deve ser o que ele é. Hoje, não temos outra representação da realidade do que a operacional, o efetivo. Nós já não concebemos uma existência sem sentido. O que não é eficaz – viável, governável – não é real. A próxima tarefa da filosofia é pensar em uma política e uma ética que são liberados dos conceitos do dever e da eficácia.

    Pensando na inoperosidade, por exemplo?

    A insistência no trabalho e na produção é uma maldição. A esquerda foi para o caminho errado quando adotou estas categorias, que estão no centro do capitalismo. Mas devemos especificar que inoperosidade, da forma como a concebo, não é nem inércia, nem uma marcha lenta. Precisamos nos libertar do trabalho, em um sentido ativo – eu gosto muito da palavra em francês désoeuvrer. Esta é uma atividade que faz todas as tarefas sociais da economia, do direito e da religião inoperosas, libertando-os, assim, para outros usos possíveis. Precisamente por isso é apropriado para a humanidade: escrever um poema que escapa a função comunicativa da linguagem; ou falar ou dar um beijo, alterando, assim, a função da boca, que serve em primeiro lugar para comer. Em sua Ética a Nicômaco, Aristóteles perguntou a si mesmo se a humanidade tem uma tarefa. O trabalho do flautista é tocar a flauta, e o trabalho do sapateiro é fazer sapatos, mas há um trabalho do homem como tal? Ele então desenvolveu a sua hipótese segundo a qual o homem, talvez, nasce sem qualquer tarefa, mas ele logo abandona este estado. No entanto, esta hipótese nos leva ao cerne do que é ser humano. O ser humano é o animal que não tem trabalho: ele não tem tarefa biológica, não tem uma função claramente prescrita. Só um ser poderoso tem a capacidade de não ser poderoso. O homem pode fazer tudo, mas não tem que fazer nada.

    Você estudou Direito, mas toda a sua filosofia procura, de certa forma, se libertar da lei. 

    Saindo da escola secundária, eu tinha apenas um desejo – escrever. Mas o que isso significa? Para escrever – o que? Este foi, creio eu, um desejo de possibilidade na minha vida. O que eu queria não era a “escrever”, mas “ser capaz de” escrever. É um gesto inconscientemente filosófico: a busca de possibilidades em sua vida, o que é uma boa definição de filosofia. A lei é, aparentemente, o contrário: é uma questão de necessidade, não de possibilidade. Mas quando eu estudei direito, era porque eu não poderia, é claro, ter sido capaz de acessar o possível sem passar no teste do necessário. Em qualquer caso, os meus estudos de direito tornaram-se muito úteis para mim. Poder desencadeou conceitos políticos em favor dos conceitos jurídicos. A esfera jurídica não pára de expandir-se: eles fazem leis sobre tudo, em domínios onde isto teria sido inconcebível. Esta proliferação de lei é perigosa: nas nossas sociedades democráticas, não há nada que não é regulamentado. Juristas árabes me ensinaram algo que eu gostei muito. Eles representam a lei como uma espécie de árvore, em que em um extremo está o que é proibido e, no outro, o que é obrigatório. Para eles, o papel do jurista situa-se entre estes dois extremos: ou seja, abordando tudo o que se pode fazer sem sanção jurídica. Esta zona de liberdade nunca para de estreitar-se, enquanto que deveria ser expandida.

    Em 1997, no primeiro volume de sua série Homo Sacer, você disse que o campo de concentração é a norma do nosso espaço político. De Atenas a Auschwitz… 

    Tenho sido muito criticado por essa idéia, que o campo tem substituído a cidade como o nomos (norma, lei) da modernidade. Eu não estava olhando para o campo como um fato histórico, mas como a matriz oculta da nossa sociedade. O que é um campo? É uma parte do território que existe fora da ordem jurídico-política, a materialização do estado de exceção. Hoje, o estado de exceção e a despolitização penetraram tudo. É o espaço sob vigilância CCTV [circuito interno de monitoramento] nas cidades de hoje, públicas ou privadas, interiores ou exteriores? Novos espaços estão sendo criados: o modelo israelense de território ocupado, composto por todas essas barreiras, excluindo os palestinos, foi transposto para Dubai para criar ilhas hiper-seguras de turismo…

    Em que fase está o Homo sacer? 

    Quando comecei esta série, o que me interessou foi a relação entre a lei e a vida. Em nossa cultura, a noção de vida nunca é definida, mas é incessantemente dividida: há a vida como ela é caracterizada politicamente (bios), a vida natural comum a todos os animais (zoé), a vida vegetativa, a vida social, etc. Talvez pudéssemos chegar a uma forma de vida que resiste a tais divisões? Atualmente, estou escrevendo o último volume de Homo sacer. Giacometti disse uma coisa que eu realmente gostei: você nunca termina uma pintura, você a abandona. Suas pinturas não estão acabadas, seu potencial nunca se esgota. Gostaria que o mesmo fosse verdade sobre Homo sacer, para ser abandonado, mas nunca terminado. Além disso, eu acho que a filosofia não deve consistir-se demais em afirmações teóricas – a teoria deve, por vezes, mostrar a sua insuficiência.

    É esta a razão pela qual em seus ensaios teóricos você tem sempre escrito textos mais curtos, mais poéticos?

    Sim, exatamente isso. Estes dois registros de escrita não ficam em contradição, e espero que muitas vezes até mesmo se cruzem. Foi a partir de um grande livro, O Reino e a Glória, uma genealogia do governo e da economia, que eu fui fortemente atingido por essa noção de inoperosidade, o que eu tentei desenvolver de forma mais concreta em outros textos. Esses caminhos cruzados são todos o prazer de escrever e de pensar.

    * Publicado originalmente em francês no Télérama, e em inglês no Blog da Verso, em 17 de junho de 2014; tradução de Pedro Lucas Dulci, para o Outras Palavras.

    ***

    Todos os títulos de Giorgio Agamben publicados no Brasil pela Boitempo já estão disponíveis em ebooks, com preços até metade do preço do livro impresso. Confira:

    Estado de exceção [Homo Sacer, II, 1] * PDF (Travessa | Google)

    O reino e a glória [Homo Sacer, II, 2] * ePub (Amazon | Travessa)

    Opus Dei [Homo Sacer, II, 5] * epub (Amazon Travessa |  Google)

    O que resta de Auschwitz [Homo Sacer, III] * PDF (Travessa Google)

    Altíssima pobreza [Homo Sacer IV, 1] * (Lançamento! Breve em ebook)

    Profanações * PDF (Travessa | Google)

    ***

    Giorgio Agamben nasceu em Roma em 1942. Considerado um dos principais intelectuais de sua geração, deu cursos em várias universidades europeias e norte-americanas, recusando-se a prosseguir lecionando na New York University em protesto à política de segurança dos Estados Unidos. Responsável pela edição italiana das obras de Walter Benjamin, é autor, entre outros, de Estado de exceção (2005), Profanações (2007), O que resta de Auschwitz (2008), O reino e a glória (2011), Opus dei (2013) e Altíssima pobreza (2014). Colabora com oBlog da Boitempo esporadicamente.

     

     

  37. “Sua vida profissional indica

    “Sua vida profissional indica uma personalidade teimosa e desagregadora..com Chico Mendes…rompeu com ele Rompeu com Jorge…Teve embates com a então Ministra-Chefe da Casa Civil Dilma Rousseff… Perdia… mas criava enormes empecilhos… jamais abria mão de posições… Quando derrotada…jogava contra as decisões com as quais não concordava… no PV….promoveu um racha no partido….criou conflitos com os principais auxiliares de Campos.A teimosia estava a serviço de ideias e conceitos totalmente anticientíficos. .”

    Como dizia o cavaleiro  fantasma ao cowboy desordeiro e beberrão na velha canção:

    “Cuidado, companheiro, ou tu virás prá onde eu vim
    Se não mudas de vida tu terás o mesmo fim
    Querer pegar no fogaréu um rebanho no céu”
    Y-pi-a-ê, y-pi-a-ô, correndo pelo céu…”

    “Cavaleiro do Céu”(Ghost Riders in The Sky”) de Sam Jones, versão de Haroldo Barbosa

    Milton Nascimento

    http://www.youtube.com/watch?v=CJBBstnmLrk

  38. Quem criou o monstro Marina

    Quem criou o monstro Marina foi o próprio PT, agora a cria vai engolir e acabar com o ciclo do criador……

    E no dia que Lula partir será o começo do fim do partido, pois Lula, com sua presença messiânica, inibe qualquer postulante para ser seu sucessor……

    O PT está se afundando do alto de sua arrogância, seu discurso ficou antigo……continuam com as mesmas práticas de anos atrás, dos feitos como a inclusão social e comparações com o PSDB, isso mostra que não entenderam em nada as manifestações do ano passado!

      • Acho que vc não acompanha o

        Acho que vc não acompanha o que está acontecendo com a eleição?? Marina vai levar e ponto!

        Pode chorar o leite derramado…..

        Mas pelo jeito vc é a comentarista dos comentaristas?

        Não vai conseguir escrever algo substancial…..

        • Pior são vocês que vão chorar

          Pior são vocês que vão chorar depois pela escolha “inteligente” que estão fazendo. Eu vou rir. Vou estar muito bem acomodada na oposição porque foi lá que passei quase toda minha vida, novidade para mim é ser situação. Gosto de ser oposição, confesso que tenho até saudade, portanto, estar na oposição depois de ter sido situação e deixado tantas realizações para o país, é uma glória. Agora, vocês, nós já sabemos o que fizeram para o país. Por isso, nos aguarde, se o povo que usa viseira decidir por comer capim, vamos ensinar a vocês o que é uma oposição de verdade.

  39. Discordo em parte Nassif. Em

    Discordo em parte Nassif. Em razão do fervor religioso que Marina Silva exibe e da maneira simples como ela carrega a Bíblia debaixo do braço e fala diretamente ao coração dos seus seguidores, a candidata do PSB lembra menos um “cavaleiro solitário” (do tipo valentão, como Fernando Collor) do que um beato. Marina Silva não é apenas uma candidata a Presidente. Ela pretende ser uma condutora de almas, uma mulher escolhida por Deus para guiar seu rebanho ao novo Brasil prometido. Nesse sentido, ela me parece menos um “cavaleiro solitário” e mais uma espécie de Antonio Conselheiro de saias que acredita que o Brasil pode ser ou é uma imensa Canudos em que a palavra do lider é Lei e está acima do bem e do mal. A candidata do PSB merece, portanto, o epiteto de a “anacorata sombria” da disputa presidencial de 2014. 

  40. Marina

    Nassif, com todo o respeito, mas a quase totalidade de suas matérias objetiva a defesa do governo petista. Lamentável que assim o faça na medida em que joga para debaixo do tapete a vergonhosa corrupção que se instalou no Brasil, claro que antes havia, mas nas proporções atuais, jamais foi vista. Votei no LULAPITU e na DILMAPETROBRÁS e o que seu viu é o lamentável estado de coisas existentes, dentre elas a miséria disfarça pelo bolsa miséria onde quarenta milhões de pessoas vivem dela, sinal bem claro que o desemprego é alarmante. Então, fale do bem e do mal de todos os governos, mas não pince fatos de pouco ounenhum relevancia. 

    • Será que antes não havia

      Será que antes não havia corrupção? ou ninguem a procurava ? Não se acha algo, se não se procura. É o que faziam os governantes anteriores à Lula/Dilma. Ah! meu senhor, existe alguma coisa melhor que a VEJA para se ler e a GLOBO para se ouvir. É só procurar !!!!!

  41. Concepção pouco democrática
    Tudo bem fazer campanha contra a Marina. Mas o texto deixa transparecer uma concepção da política pouco democrática. Ora, se o país “só é administrável através das composições políticas”, isso de cara já limita as escolhas do eleitor. Só quem parte de uma ampla composição política pode governar? Isso não seria um parlamentarismo às avessas? Ou seja, primeiro vem a composição, depois a eleição. A consequência lógica desse raciocínio é a impossibilidade de se promover mudanças no país, pois se o que vale são as composições prévias, também não seria possível alterar a composição para favorecer outro projeto político.Identifico justamente na correlação de forças políticas hegemônica o grande problema do país atualmente. Ela impede reformas democratizantes e se abre apenas para reformas regressivas (ou, melhor dizendo, contrarreformas), como as da previdência. Marina Silva, evidentemente, não conseguirá alterar essa situação. E aí, vejo problema oposto ao apontado por Nassif. Ela fará a composição política similiar àquela feita por Dilma. Por que o PMDB não iria aderir ao seu governo?Meu palpite é: o governo Marina não enfrentará uma crise política ou institucional. Seu problema será outro, o mesmo que teríamos com Aécio ou Dilma: a continuidade da hegemonia neoliberal.

    • E vc tem no retrato do seu

      E vc tem no retrato do seu perfil o capitão america………………….!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  42. Olha Nassif, pra mim ela já

    Olha Nassif, pra mim ela já ganhou. Torcerei por um bom governo dela, embora saiba que será muito difícil que ela consiga fazê-lo. Meu maior temor é o descrédito da esquerda com um mal governo dela, o que faria ressurgir firme e forte, como grande salvadora da pátria, a mais reacionária direita de todos os tempos. Digo mais, o PT e a esquerda de uma forma geral, não se levantarão tão cedo após um fiasco no governo Marina.

      • Meu voto

        Meu voto é na Dilma e por isso eu temo que um governo ruim de Marina acabe com a esquerda de uma forma geral.

    • DE ESQUERDA ?

      Marina é de esquerda ? A pergunta não é irônica, nem retórica…Não sei mesmo onde ela se coloca, pois fala o tempo todo em convergência ( o novo termo para  o que ela chama de toma-lá-dá-cá) com os” bons” de todos os partidos, destacando José Serra! No debate ela puxou a orelha do “radicalismo da esquerda”, como se estivesse olhando de fora.

      Isso, claro, sem falar nas escolhas que fez para o comando da economia. Sei lá, não sei…

    • Comentário mais equivocado

      Comentário mais equivocado que esse é dificil. Se Marina ganhar, será no segundo turno contra a Dilma. PSDB vai para a segunda divisão, e o PT comanda a oposição. Ou seja, diante do fracasso retumbante de um governo Osmarina, o povo pedirá a volta do Lula.

      • Tomara que você esteja certo,

        Tomara que você esteja certo, mas temo que em um mau governo dela acabem por responsabilizar o PT e a esquerda de modo geral. O PT por ter deixado uma “herança maldita”, a esquerda, errôneamente representada na Marina, por demonstrar que tanto ela quanto o PT seriam responsáveis por maus resultados do país. Aí é que surge a direita reacionária como a tábua de salvação para todos os males, junto com seus Reinaldos e afins.

  43. Marina e o mito do Cavalheiro solitário.

    Tenho pena dos Jovens, que dos 15 anos aos 17anos, ganharam o direito de exercer sua cidadania de direito  à votar

    opcionalmente. Más dos 18anos adiante são obrigados a exercerem este mesmo direito, isto tem que acabar, e o meu direito

    à candidatarme a um cargo eletivo sem que eu esteja  filiado a qualquer partido posso? não, tambem esta errado. Na verdade

    não temos partidos fortes e pragmaticos, a culpa não é minha nem sua, enquanto percistir o fisiologismo  em nossos quadros

    partidários vai acontesendo isso aí.

  44. A Marina pode ser tudo isso

    A Marina pode ser tudo isso que estão dizendo e mais aquilo outro que ainda não se sabe. Mas o problema está no outro lado do balcão: pq o governo e o PT insistem nessa política de feijão-com-arroz muito mais com medo de fazer a comida queimar do que tentar fazer uma comida gostosa, ou melhor, inovadora? Alguma coisa que chame a juventude, os movimentos sociais, os diversos agrupamentos constituídos ou em constituição? Não fez nada disso. Passou esses anos da Dilma jogando de lado, esperando o tempo passar e agora tomou um gol aos 35′ do 2º tempo. Será que consegue empatar e virar? Talvez, mas fácil não vai ser.   

  45. Outra brilhante narrativa da

    Outra brilhante narrativa da nossa realidade. E perspectivas caso o bom senso não prevaleça. Estou surpreso com a reunião de tantos sonegadores em torno da única alternativa que lhes sobrou para manter seus costumes: não pagarem o que devem aos cofres públicos. Por outro lado, a certeza de que as torneiras lhes serão abertas, caso vitoriosa a “nova política”. Essa que o PIG sempre apoia e patrocina. E diz que se decepciona. Vive decepcionado. Há doze anos não quebramos, temos obras para todos os lados, Poupança, empregos e oportunidades jamais imaginadas, um governo sob vigilância cerrada – e isso é bom – e que paga pelas alianças que fez para governar, ferozmene combatida pelos sonegadores e outros delinquentes. Pela coalisão já campanha podemos imaginar de onde sairão os melhores da ilusionista. Um deles já não está mais aqui, deixou um avião e o exemplo de seriedade. Com um negócio de 18,5 milhões de reais entre usineiros endividados e proprietários não identificados para nos afiançar a seriedade da “nova política” agora sob o comando da D. Marina e do seu espólio.

     

  46. Não dá certo

    Marina não vai da certo. Vamos desistir dessa ideia que Marina vai ganhar para o povo aprender. 

    O Brasil não suporta mais perder tempo com estes falsos salvadores da patria.

    • Se a banca quebrar…

      Se a banca quebrar, Grazie, a Neca Setúbal e seus iguais nada perderão.

      O FHC já mostrou, e a Marina como “ótima” pupila já deve haver aprendido como se faz um gigantesco e abrangente PROER.

      Quanto à MALTA?

      Ora, bolas!

      Morra de fome!

  47. NASSIF é PT ou PSDB

    Olá Nassif

    Este já é o terceiro artigo que publica mostrando o lado negativo de Marina, que diga-se de passagem é o mesmo que foi dito sobre Dilma (teimosa e desagregadora), ressaltando que devemos nos ater ao lado positivo da política café-com-leite que se instaurou no Brasil (PT X PSDB), o bom e velho “tá ruim mas tá bom”.

    O mesmo foi dito sobre Lula, como se a vitória do mesmo faria o Brasil se tornar um país comunista! … a velha técnica de amendontrar a população e assim manipulá-la (O Governo Bush o fez com maestria).

    Como um bom jornalista mais do que ninguém você deve saber que por mais que se venda a idéia que o presidente tem o poder absoluto de mudar o país sabemos que a democracia não funciona assim (a ditadura sim).

    Só os iludidos votam em alguém se baseando na “propaganda de margarina” que é apresentado no horário político de cada um (provavelmente a grande parte que postou os comentários anteriores).

    Pois saiba Nassif, que o novo eleitor, jovem e informado, sabe separar a realidade das ilusões e sabe que quem brinca com as ilusões do velho eleitor, usando velhos mitos de herói e mocinho, são os velhos partidos e ideologias, das quais você demostra compartilhar.

    Votarei em Marina, não por que a mesmo chegará em seu cavalo branco e salvará o Brasil dos males que o aflinge, e sim por que acretido que a mesma será capaz de tomar decisões mais realistas e menos ilusórias referentes a nossa economia atual, que preza o pregresso pelo progresso devastando todo o que se encontra pela frente, doa a quem doer, e assim produzindo falsos resultados momentâneos de lucro, melhoria e estabilidade; pois um dia não haverá mais espaço/grãos/água para criar tanto gado a preço de banana ou buraco profundo o suficiente para sugar petróleo/minérios. 

    Nassif, pare de subestimar os leitores e use argumentos mais concretos e menos “ilusórios” para defender os seus partidos preferidos, senão logo veremos chamadas como: “Dilma é mais bonita que Marina” / “Dilma é de Deus e Marina é do Capeta!” em plena página sobre Política!

     

    • Então vote na Marina

      mas depois não venha aqui reclamar do que acontecer, especialmente o que acontecer a você.

      Digo isso por que pelo texto não é membro da burguesia rentista que vai se dar muito bem.

    • “Não acredito em partidos e

      “Não acredito em partidos e ideologia”,mais vai eleger marina por um partido da velha politica.

      “Como um bom jornalista mais do que ninguém você deve saber que por mais que se venda a idéia que o presidente tem o poder absoluto de mudar o país sabemos que a democracia não funciona assim”

      Ja ta falando que ela não vai fazer merda nenhuma,é claro quem vai governar é o itau!

       

      “Votarei em Marina, não por que a mesmo chegará em seu cavalo branco e salvará o Brasil dos males que o aflinge, e sim por que acretido que a mesma será capaz de tomar decisões mais realistas e menos ilusórias referentes a nossa economia atual, que preza o pregresso pelo progresso devastando todo o que se encontra pela frente, doa a quem doer, e assim produzindo falsos resultados momentâneos de lucro, melhoria e estabilidade; pois um dia não haverá mais espaço/grãos/água para criar tanto gado a preço de banana ou buraco profundo o suficiente para sugar petróleo/minérios. ”

      Esse trecho gostaria que voce apresentasse os dados de analistas serios que comprovem o caos da economia e todo esse BlaBlabla…

      Marinaticos atenham apenas no criterio que odeiam o PT,é menos ridiculo.

    • “Votarei em Marina, não por

      “Votarei em Marina, não por que a mesmo chegará em seu cavalo branco e salvará o Brasil dos males que o aflinge, e sim por que acretido que a mesma será capaz de tomar decisões mais realistas e menos ilusórias referentes a nossa economia atua”

        Meu amigo, guarde uma expressão: “TRIPÉ ECONÔMICO”. Se Marina for eleita, você vai ouvir muito nela, talvez mais que seu (futuro-ex) patrão.

  48.  
    Nassif, compartilho do

     

    Nassif, compartilho do mesmo receio. As pessoas parecem nao ter nocao do que significa a expressao “ajuste fiscal” saida da boca de gente como Gianetti e Lara Resende. Caso a  Marina venca, e o futuro mostre mais uma vez que a midia ainda eh o quarto poder de fato capaz de mudar o animo das pessoas, eu estarei com a minha mente tranquila ao lebrar que eu militei SIM para que esse desastre nao acontecesse. Provavelemnte muitos vao se lembrar que seguiram a onda a que paira acima de todos e farao a famosa cara de vaidade, ou pior, ficaram nervosos e serao agressivos com que ousar lembrar o quao foram bobos ao cair no papo paz e amor.

    • É isso aqui ainda é uma

      É isso aqui ainda é uma democrácia meu caro , elegendo Marina não estaremos dando carta branca para a digníssima , temos os outros poderes da república e que são indepedentes , o que infelizmente não é o que dezeja quem esta no poder agora e até o STF ja esta cooptado . Quem quer que ganhe deve fazer uma reforma politíca profunda , o que foi prometido por Lula e Dilma , mas nada aconteceu até hoje .

  49. Me parece haver um tom

    Me parece haver um tom fatalista no post e mais ainda nos comentarios. Como se fosse certa a eleicao de Marina. 

  50. Porque hoje é sexta feira,

    Porque hoje é sexta feira, dia nacional da zoação, brindo-lhes com a opinião arrazoada do amado mestre Prof. Hariovaldo de Almeida Prado em mais um texto alvissareiro!kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

     

     

    Marina Silva é a melhor opção para remir o país

    29 de agosto de 2014

    Marina Silva e FHC. Só os melhores participarão de seu governo

    Nós do sítio, que sempre fomos isentos e imparciais, nunca tendo aqui demostrado preferências por nenhum candidato, chegamos no momento em que temos que optar pela candidatura mais viável para defenestrar a malta comunista que se instalou no poder há mais de uma década. Sendo assim, após receber um telefonema do meu querido primo, cuja mulher está trabalhando voluntariamente nesta campanha eleitoral, visando somente o bem comum, sem o menor interesse para ela e para a nossa família; e tendo refletido longamente sobre isso e após conferir o saldo de nossa conta numerada na Suíça, decidimos que Marina Silva é a melhor opção, como já indicou o cavaleiro Andrea Calabi, que sabe muito bem o que é melhor para os homens de bem.

     

    Como diz o adágio, diga-me com quem andas e eu lhe direi quem és. Portanto, não há como negar que a sacerdotisa do Acre é agora uma mulher boa, não de nascimento, mas pelo milagre da conversão. Aleluia. Vamos com ela, com muita fé, governar somente com os melhores, espargir o liberalismo verde pelos quatro cantos da nação, mostrando a gentalha o que corretamente lhes cabe, para que, acomodados em seu lugar, não queiram consumir os recursos naturais e nem ameaçar o estilo de vida dos homens bons.

    Já estamos participando a partir deste momento da equipe do futuro governo marinista – embora antes já tivéssemos emprestado um jatinho para a campanha, até agora não devolvido -, somente neste momento passamos a fazê-lo oficialmente. Já selecionamos os seguintes quadros, dentre os melhores, para integrar a selecta equipe que tomará posse dia primeiro de janeiro próximo com Marina:

    FHC – Relações ExterioresJosé Serra – SaúdeAndré Lara Rezende – Banco CentralNeca Setubal – Receita FederalEducação – Eduardo GiannettiCultura – Silas MalafaiaComunicações – Quem a Globo indicarIgualdade de Gênero – Marco Antônio FelicianoPrivatizações – Luiz Carlos Mendonça de BarrosEconomia – Roberto SetubalEsportes – Luiz Felipe Scolari

     

  51. A verdade é, aquele que

    A verdade é, aquele que vencer esta eleição terá muitos, mas muitos desafios pela frente, o País está rumo ao colapso e não se resolve da noite para o dia. Sinceramente muitos falando que Marina mistura religião a política, ainda não vi isso, não a vi falando de Deus em seus discursos e algumas de suas propostas são totalmente contrárias as posições religiosas em geral, é só pesquisar e irão saber do que estou falando.

    Outra, no mundo há diversos exemplos de presidentes e ex presidentes evangélicos que não misturaram as coisas, um deles e Barack Obama.

    Tenho pesquisado muito Marina nestes últimos dias pois minha pretencao de voto é dela, vejo muitos, mas muitos meios de comunicação a criticando, especulando falando muitas coisas, levando o eleitor a tirar conclusões errôneas. 

    Neste sentido creio que os meios de comunicação tinham sim que falar dos candidatos de modo a informar e não de incentivar ou manipular a população, que no Brasil a maior parte é de uma população que não gosta de ler e se leva fácil as opiniões alheias.

    Se Marina ou outro candidato ganhar será sim um governo de muitas dificuldades, o governo deixado pelo PT vai exigir muito trabalho e não será tarefa fácil, depois vão dizer que o incompetente é o governo atual e neste momento se esquecem que todo governo teve um histórico.

    Como quando Lula pegou o governo FHC, e ele foi o salvador da Pátria se olharmos o histórico sabemos muito bem que o FHC muito fez para deixá-lo em uma boa situação para o próximo governante.

    • É isso colega , vamos cerrar

      É isso colega , vamos cerrar fileira com Marina , ela é o que de melhor temos no momento .

    • A Marina pode ser uma boa

      A Marina pode ser uma boa opção daqui 4 ou 8 anos. Agora não . Vai ser massacrada. E pelo seu histórico, romperá definitivamente com todos que descordarem dela. Até com seu próprio vice. E tome cuidado com as fontes das informaçõs que vem buscando.. Principalmente com os estadunidenses.

      • Lionel

        Me divirto quando vejo antigos eleitores do PSDB pulando a cerca.

        A candidatura de Marina enterrou de uma vez o PSDB.

        É o caso da comentarista acima e de alguns outros que frequentam esse blog.

        Estão dando de mão beijada a hegemonia ao PT.

    • Se a mídia apóia, caia fora.

      Se a mídia apóia, caia fora. É roubada ! A imprensa só pensa nos seus anunciantes e em sí mesmo. Quem conhece a história do Brasil, sabe disto e mt bem.

  52. Hoje conseguir reverter três

    Hoje conseguir reverter três pessoas que estavam encantadas com a Marina, com a simples informação de quem está por trás da canditada.

    Um banqueiro, um empresário, e uma possível participação de ONGs internacionais tentando interferir no desenvolvimento do país.

    A grande maioria do povão não conhecem esse detalhes.

    O que todos disseram ” Ah é, é ! eu não sabia”

    Pois então fique sabendo.

    Estou fazendo a minha parte.

     

    • ótimo.

      Estou com a meta de ganhar pelo menos 10 votos para a Dilma. No caso da da Marina é só falar da Neca, arrocho fiscal, desemprego, desvalorização do salários, enfim a crise nas costas do povo.

  53. Um elenco enorme de defeitos

    Um elenco enorme de defeitos de Marina ai elencada e as qualidades ? Ela seria participe de algum mensalão ? E sua participação nas estatais enquanto petista , existem provas de sua participação em algumas armações como a da Petrobrás ? Desvios de verbas públicas , existe algum envolvimento dela ?  Então amigo , o povo quer justamente pessoas limpas  , chega de maracutaias sem fim , chega de insegurança pública , o povo quer saneamento básico , educação e saúde , chega de PT e PSDB , PMDB , se tiver alguem destes partidos com o nome limpo e bom de trabalho que se una a Marina , o Brasil precisa de gente boa .

     

    • Gente boa que demonstra como

      Gente boa que demonstra como vai lidar com as diferenças e críticas. Impossível vc não perceber como sua candidata se comporta.

    • Um elenco enorme de defeitos

      …inocente, se não fizer “acertos” com essas forças e não tiver o apoio da big imprensa rentista/colonizada, vai pro saco, ou seja, leva um impeachment. Anota aí. Depois não diz que não avisei.

    • Papo furado de piguinho amestrado

      Partícipe de mensalão?

      Tanto quanto Dilma e Lula, já que fazia parte do mesmo PT “mensaleiro” e por ele foi eleita, com os mesmos recursos de coalizão de campanha.

      Provas de “armações” da Petrobrás?

      Tanto quanto Dilma e Lula.

      Desvio de verbas públicas?

      Tanto quanto Dilma e Lula.

      O povo quer saneamento básico , educação e saúde?

      Pois é, o maior índice do PIB em educação, além de royalties do pré-sal para eles, além do Mais Médicos e de um SUS ativo, lembrando que saneamento, saúde e educação(e segurança)  são atribuições municipais, estaduais e federais. O federal está fazendo mais que a sua parte. Já Marina alia-se ao pessoal que derrubou a CPMF da saúde (criada por Jatene com FHC que se apropriou dela para outras “coisas”).

      Ou seja, não sabe nada, além da manchetaria que lê na míRdia, aliada ao capital predador que usará Marina “competentemente” e levará o Brasil (e os brasileiros) novamente ao atraso gerado em mais de 5 séculos pelo mesmo tipo de “zelite” medíocre.

       

       

    • Marina

      A Marina Silva e um “Cavalo de Troia” que sera dado pelos banqueiros ao povo Brasileiro,veja quem elaborou o seu programa de governo,foi uma socia do maior banco privado do pais,o mesmo que deve ao governo federal impostos por compras de outros bancos.Marina Silva obdece a esta pessoa fielmente ,no debate da Bandeirantes,a socia do Banco,mandou que candidata retirar o oculos vermelho que usava,foi atendida prontamente.

      Logicamente o governo atual não é correto,mas teve elementos de seu partido julgado e condenado,pelo supremo,por juizes indicados pelo propio governo.Foi uma vanço,mas e o resto.Sera que a Marina vai cobrar as dividas dos Bancos ou vaientregar o controle do Banco Central aos Banqueiros.A Marina Silva alugou seus fundamentos ,para prestar um desserviço a Nação,nos não estamos votando no que pensa;estamos votando na concentraçao de terras,do controle ecologico externo,seus maiores financiadores são ONGS externas,nos banqueiros que relutam a dimiuir juros.Temos que pensar muito bem.

      Marina e uma fada,mas esta sozinha,sem partido,e com falsos amigos,que sempre pariciparam de todos os governos e apenas um meio do passado dos anos 60 voltar ao poder.

       

       

       

    • Mas, então, quais são as qualidades?

      O texto não elenca só defeitos. Citou o maior momento de Marina, quando na OMC defendeu o direito do Brasil de proibir a importação de pneus. Mas, independente disso, no seu comentário, Armando Botelho, ainda faltou falar quais são as qualidades dela. Só foi citado o que ela não fez e, com isso, concluiu que ela é uma pessoa limpa, e até pode ser. Mas para governar, ela precisará de apoio, considerando o sistema político imperfeito ainda vigente. E é para isso que o texto alerta, considerando que seu histórico (o da Marina) até então é de desagregação. Vide o racha recente que criou no próprio partido pelo qual concorre, que agora está se dissipando, justamente por interesses político-partidários, considerando sua posição atual nas pesquisas eleitorais. Nada de novo!

    • O porteiro do meu prédio.

      O zelador do meu prédio tem todas as qualidades que voce enumera no seu comentário. Ele é igualzinho à Marina no que se refere à honestidade.

      Mas eu não votaria nele nem para síndico do prédio.

    •  Um emaranhado (uma rede) de

       Um emaranhado (uma rede) de associações com projetos ambientais de exploração sustentável da floresta e outros da espécie.

       À frente de tais projetos a fina flor da aristocracia financeira e empresarial (daqui e d’além mar).

       Marina, esposo e assessores, igualmente associados, cuidando dos aspectos formais, regulamentares.

       O partido que  viiabilizaou a sua carreira política (suporte financeiro incluído) foi alvejado pelo mensalão, perdendo lideranças importantes que hoje fazem falta ao país. Marina escapou do tiroteio. Deixou o  governo. Deixou o PT como se dele nunca tivesse sido. Saiu limpinha, aura de pureza, sem qq mancha.

       Apresenta-se em 2010 como candidata ficha limpa, imaculada,  patrimônio declarado modesto, (a rigor, modestíssimo). Maravilha!!.

       No limbo desde 2010, retorna à cena em ano eleitoral. Por problemas seu e do seu grupo, não consegue viabilizar a sua Rede. Mas, por sorte, surge um culpado: a mão pesada do PT (como ouvi isso qdo o TSE negou o registro).

       Aterriza num partido já estruturado e com aspirante à presidência. Torna-se a vice ideal até o trágico acidente, do qual escapou. Assume o posto principal em clima de comoção e êxtase. De novo, e agora com a providência divina no meio, a  candidata limpa, imaculada, perfeita para o “contra tudo o que está aí”. Explode nas intenções de voto, contando ainda com uma colaboração nada desprezível:  a culpa do PT e da Dilma na sabotagem que matou o Eduardo, espalhada sem cerimônia à boca pequena. Milhões “marinaram”. Podem elegê-la. 

      Há risco à governabilidade caso assuma à Presidência?  Nenhum. Os bilionários ambientalistas, seus parceiros de longa data na proteção da floresta, cuidarão de tudo.

       O Brasil, enfim, da Nova Política.  Com as bençãos da comunidade internacional.

      E os brasileiros/?  Para eles, os velhos ajustes em versão reforçada, as medidas impopulares e radicais. E quem duvidar disso para continuar embalando sonhos, recomendo prestar mais atenção nas declarações de membros da  sua equipe econômica (os melhores do ramo), comandados por Neca do Itaú.

  54. A mídia tem culpa por

    A mídia tem culpa por desacreditar a política, não ser imparcial e não mostrar realizações de Dilma.

    Mas, a meu ver, o PT errou por dançar a música tocada e imposta pela mídia.

    A maior parcela do povo ainda é ignorante em política e demais temas, além de não ter acesso à internet, no que, o PT deveria ter feito algo em 12 anos para ajudar esta parcela do povo a digerir melhor as informações da mídia.

    Sempre citei a criação de um jornal informativo ou o uso do horário partidário para mostrar realizações. Isso pode, não é proibido, então por que não fizeram? Uma vez encontrei um vereador do PT e fui lhe falar sobre a Veja; ele iniciou seu discuros dizendo: “a veja é uma boa revista…” Percebi o espírito da coisa e encerrei o bate papo….

    Nisto, o partido poderia inclusive mostrar como é importante ter paciência e acreditar no longo prazo, contrariando a mídia com seu mantra sobre a alternância de poder. Ora, com alternância nada se anda, os egos se estribucham e desandam com programas e progressos.

    Outro ponto que acredito importante; infelizmente grande parte do povo brasileiro ainda se prende muito à questão moral e religiosa. Isso empaca qualquer progresso, uma vez que acredito que melhor que um santo padre honesto mas que só reza, é um político desonesto que realiza obras e programas. Não que eu ache Marina honesta ou Dilma desonesta, é literalmente o oposto.

    Para finalizar, uma comparação que faz toda a diferença em termos de Estado: Enquanto Dilma vai no jatinho de campanha discutindo Shakespeare, Marina vai lendo Salmos.

    Só isto basta!

    É 13 outra vez e ganharemos, com dificuldade, com suor e lágrimas, mas ganharemos.

  55. Pelo teor de vários

    Pelo teor de vários comentários abaixo, já dá pra notar que boa parte de quem acredita na Veja mudou de lado e agora está com a Marina.

    Continuam a ser os mesmos comentários sem argumentos válidos, com base na boataria, dados falsos e falta de sentido (confesso que dei risada quando li que “corrupção assim jamais foi vista”… realmente, esse é o ponto: jamais foi VISTA!). Só mudou o candidato.

    Pobre Brasil.

  56. Está tão ruim assim?

    Concordo com o texto e me pergunto:

    Diante de um quadro como este na disputa presidencial. Teríamos razão para nos jogar num abismo?

    O candidato do morto PSDB (+1988 – + 2014) com seu playboy mineiro do Leblon, já sabemos o que vinha fazer.

    Nota: À aqueles que tinham entre 25 à 30 anos entre 1994 e 2002, façam uma reflexão de como estavam suas vidas e comparem no hoje após Lula e Dilma.

    Já a candidata da Rede ou será PSB, é um verdadeiro salto no abismo. Uma candidata que mesmo fazendo apologia de negação a política, se postula a um cargo político. Sinceramente não entendo como ela governará. Prega um socialismo diferente do PT, mas se alia abertamente a grandes milionários do setor financeiro. Já estou até vendo o BC independente e SELIC a um 30%. E ainda faz oposição ao agronegócio. Importante setor da economia.

    DESTA FORMA, ESTOU COM O NASSIF. SE FIZEREM ISSO SERÁ BEM FEITO.

     

     

     

  57. espero que os jornalistas de respeito do país continuem a lê-lo

    Nassif, que análise excepcional!

    Um marinista poderia dizer que fazes uma análise “personalista”. Mas que outro tipo de análise cabe de Marina, por sua trajetória, e pelo teor que ela vem dando a suas propostas, pedindo que votem nela pela novidade (e descompromisso) e pela aura sedutora (e, como Lula, carismática, mas no seu oposto, messiânica) que representa? 

    Só divirjo em um ponto: não acho que a sociedade ou o eleitorado brasileiro mereçam esse desfecho. Um tal nível de alienação é um resultado mais ou menos esperável da demonização da política e dos partidos, e do tratamento irreflexivo e inconsequente que se dá à questão da governabildiade no país. De quem é a responsabilidade por essa leviandade? Quem forma a opinião pública? Quem entranhou em nossa classe média as noções tacanhas de éitca e corrupção (excelentemente explorados em um post de ontem)? Sem dúvida, há um papel do sistema educacional, fixado em uma versão cri-crítica, pseudo-marxista, de nossa história. Mas acho que o grosso da conta devia recair sobre os líderes de nossa imprensa. 

     

  58. Pois é, Nassif, se o pior

    Pois é, Nassif, se o pior acontecer também direi “bem feito”. A burrice sempre cobra um preço alto, muito alto! Depois não adiantará apelar para os céus. Porque Deus, se existir, tem mais o que fazer. Afinal Ele tem um universo inteiro para administrar, ora bolas!

  59. excelente post.
    aliás,

    excelente post.

    aliás, histórico,

    marquemm bem.

    alguém – nassif –  alertou com dados objetivos e históicos sobre  o que pode ocorrrer na economia brasileira.

    acho que a questão até que não é pessoal contra marina.”

    o problema é a equipe economica que a rodeia e propoõe a retomada de uma “jestão” tucana  pré -lula.

    bem feito para quem só vai notar depois que essa visão neoliberal da economia quebrou o país tres vezs.

  60. No futuro…

    Vou guardar esse post no meu computador para mostrar daqui uns anos. Se a previsão estiver errada ( o que duvido), ótimo, fazemos todos um mea culpa, senão, vamos todos entoar um belo: avisamos.

    Por ora já vou guardando um dinheirinho no colchão, por que banco nem pensar!.

  61. Eu só não concordo com o “bem

    Eu só não concordo com o “bem feito” porque vai sobrar pra mim, famíliares, amigos e um monte de gente que percebeu o engôdo e não embarcou nele. Foi exatamente assim na aventura O Caçador de Marajás. Porém se alguém vier reclamar de alguma coisa pro meu lado, vou perguntar: “Você votou em quem?”. A depender da resposta, vou dizer: Bem Feito!

  62. O petismo se entrega quando

    O petismo se entrega quando quem se opôe ao seu projeto de poder é defenestrado pela patrulha petista.

    De uma hora para a outra quem era aliado e só elogios passa a ser o diabo.

    Virou crime de lesa pátria se opor ao PT.

    O Papo de democracia só dura ate a possibilidade de perder a eleição.

    • ” Aliança LiberaL, apocrifa”

      ” Aliança LiberaL, apocrifa” lesa á patria seria vender o BC, a PetrobraX, C.E.F, B.B, Embrapa. Assim como fez o glorioso PSDB/DEM, com a Vale, o Banestado, Teles…etc…etc…etc… Já imaginou essa trupe ver da noite pro dia (05/10/2014 ~ 01/01/2015), ver engordar sua conta bancária 400 bilhões de dólares? Que maravilha seria pra eles, que desgraça para o povo brasileiro! Vote em Marina e leve o Aécio junto! Ou vice-versa, a escolha e toda sua!

  63. Dilma vai vencer

    Todo entusiasmo das pesquisas que dão vitória para Marina no segundo turno pode ser frustrado. Sequer há consenso no PSB quanto à estratégia de campanha e ao projeto de governo, que presume-se que seja alinhado com a galera do mercado e da sua irmã siamesa, a grande mídia. 

    Ocorre que há nos eleitores ainda muita dúvida e insegurança sobre um possível governo Marina (não seria governo PSB, pois este apenas empresta a sigla), principalmente em razão do seu fundamentalismo ambiental (as florestas e cavernas nos esperam) e religioso (criacionismo à vista).

    Na hora do voto, após muita coisa vir à tona no horário eleitoral e nos debates, muitos eleitores (de Marina, indecisos e mesmo alguns anti-PT) não vão arriscar e serão conservadores para votar e dar continuidade ao atual governo.

    • Deus lhe ouça! Tenha até

      Deus lhe ouça! Tenha até calafrios só de pensar no retrocesso que será o desgoverno desses “marineiros”. Depois de tanta luta para conseguirmos um pouquinho de inclusão, um pouco mais de Universidades Públicas, Escolas Técnicas…pobre Petrobrás, Banco do Brasil, Caixa … 

  64. o mito marina

    Infelizmente VC ta certo e eu concordo plenamente, resta saber como sera o fim go governo marina com renuncia ou impedimento.

  65. Premonição.

    Nassif, entendo e concordo com os sentimentos que você expressa neste post. Quem teve governos de  Dutra, Janio Quadros, Collor de Mello, FHC, se optar por Marina vai merecer seu resultado, bem feito! Os profetas destes cavaleiros solitários sempre estiveram movidos por interesses menores e faturaram alto com as desgraças da grande massa de crédulos deste país. Nada mais exemplar que as campanhas de Lacerda e outras vozes(pig), que resultaram nos governos militares. O povão ganhou uma ditdura e a família marinho ganhou o butim do império de Chateaubriamd, Um retrógrado monopolista da mídia brasileira foi substituido por um império ainda mais nefasto e voraz. Marina mais uma vez é o instumento,que está a serviço do grande capital que se acostumou espoliar a nação. Desta vez os mentores nem se escondem 

  66. “Se o país resolver insistir

    “Se o país resolver insistir na aposta no personagem salvador, só há uma coisa a dizer: bem feito!”

    “Bem feito” para quem Nassif? Para “o país”? Quem é “o país”?

    Com certeza não vai ser “bem feito” para as forças conservadoras. Essas querem mais é a regressão. Essas ganham em qualquer conjuntura, ainda mais na incerteza.

    Com certeza também não vai ser “bem feito” para o povo. Esse é o elo mais fraco. O povo é o sacrificado de sempre.

    O “bem feito” deve ser para a classe política, ou para uma parte dela. É isso?

  67. excelente………………mas não trazendo o fim

    trazendo a repetição de um ciclo que começou com o surgimento do “tucanato”, com Mario Covas desarticulando todo sistema de ensino paulista, seguido por muitos, tendo  sido o marco zero de uma mídia 100% favorável à desinformação e ensino dirigido………………………………..e deu no que deu, “privataria”

    dinheiro bom é dinheiro privado, não o do Estado

    é assim que pensa a juventude que apoia mudanças, pois o que os jovens pensam vem de lá, daquela época, criados sem vontade de pensar ou refletir

    reparem que o nível de satisfação com a vida entre eles é alto, porque pensam pouco, sem muito alcance, considerando o muito que ainda precisa ser feito no Brasil ou exatamente como aconteceu posteriormente, com a privataria, com todos ávidos por resultados imediatos e sem a mínima preocupação com a desorganização que a mudança poderia acarretar, como acarretou

    hoje, com Marina, e não exatamente por ela, vai se repetir

  68. Meu voto é na

    Meu voto é na Dilma.

    Objetivamente o que me interessa foram os resultados do Governo Dilma que, a meu ver, são os melhores que eu pude perceber, sentir e vivenciar em meus 55 anos. Há uma série de problemas a serem resolvidos, mas  todos os problemas não se resolvem em poucos anos, em função da dimensão territorial e histórica de nosso país . De modo que este governo segue com o meu voto e certamente quando eleito estarei exigindo os avanços necessários.

    Fundamentalmente para mim o que importa é o pré-sal e a riqueza que nele está depositada para as próximas gerações. Me interessa que o Brasil seja soberano nesta área, que haja o fortalecimento da Petrobrás e que a interferência estrangeira fique afastada. O que está em jogo nessas eleições é isso. Com o pré-sal o Brasil não é e não será o mesmo. Seremos alvo da cobiça estrangeira da mesma forma que o Oriente Médio e no meu entendimento é fundamental termos um governante potente, com formação técnica e que possa enfrentar o desafio de garantir ao país a riqueza que lhe pertence, fortalecendo laços com outros países como fez a Dilma ao criar o BRICS.

    Penso que aqueles, como o Luis Nassif, que formam opinião pública, devem apontar o significado das consequências de um governo Marina. Sra. Marina Silva com boa ou má fé, para mim não importa, formou uma equipe de assessores com uma linha de pensamento econômico à direita, misturado com um discurso de sustentabilidade ambiental que só desfavorece aos setores mais pobres da sociedade e que não me interessam em absoluto.  O discurso da não política  e do não partido, a prática de um partido de aluguel, a total falta de base,pois não há militantes já que não há partido.. enfim.. toda essa baboseira, lembra e muito o discurso do Collor em sua campanha em 89.  Este é um fillme que conheço seu enredo e desfecho e não estou nenhum um pouco interessada em vê-lo novamente O pior, naquela época, logo após a posse do Collor,  era ver seus eleitores chorando quando souberam  do confisco das gordas poupanças … eu não sabia se ria (o bem-feito do Nassif ) ou se chorava junto, tamanha dó da alienação e ingenuidade que se abateu por toda a classe média, principalmente a mais abastada.

    Aposto minhas fichas no Plebiscito Popular por uma Constituição Exclusiva e Soberana para o Sistema Político  e a continuidade do Governo Dilma.

     

    • Concordp

      Concordo Sônia. Tenho 48 anos e sei que pessoas de nossa idade que viveram o “antes” e o “depois” sabem pesar muito bem quem trouxe verdadeiros avanços para este país. Pobre daquele que só pensa em política 15 ou 30 dias antes do pleito. É bombardeado por notícias de todo tipo, boas e más, e não consegue ver o óbvio. Voto na Dilma por ter observado ao longo da sua gestão e a do ex-presidente LULA, a melhoria na qualidade de vida e oportunidades aos brasileiros.

      • Tenho 45 anos e no momento em

        Tenho 45 anos e no momento em que tinha que dar a arrancada na minha vida (meus 20 anos), peguei a “Fernandécada de 90” (royalties para Carlos Lessa).

        Marina? Nããããããoooo, obrigado!

         

  69. Vejo um pouco aqui, tanto na

    Vejo um pouco aqui, tanto na análise como nos comentários, o preconceito que Lula sofreu nas suas eleições, quando candidato antes de se eleger…..

    O mundo é redondo…..

    • Lula era diferente

      Com a devida vênia, discordo.

      A Lula faltava apenas experiência administrativa. De resto, era muito diferente de Marina. Estável, maleável, pragmático, excelente negociador, visionário, coerente sem ser rígido, líder de um grande partido, e com apoio em amplos segmentos organizados da sociedade. Não vou falar de seus defeitos, pois aqui isso não vem ao caso; o que importa notar é que existe sim uma diferença, e é nela que Nassif aparentemente está se baseando para emitir seu posicionamento.

      • Agora lendo a complementação

        Agora lendo a complementação de sua idéia, retiro o que disse em resposta anterior;  corrijo para ” falou e disse”

  70. Gravíssimo erro no texto

    (Disclaimer – a quem interessar possa) – sou eleitor da Dilma e não trabalho em campanha de Marina nem de nenhum candidato a nada.
    Nassif, por favor, essa acusação é gravíssima – “Em 2010, em uma famosa entrevista no Colégio Marista, em Brasilia, anunciou que proibiria ensinar Darwin nas escolas, por ser a favor do criacionismo.”
    Ela respondeu isso com veemencia no Roda Viva de 2010 e desafiou os jornalistas a mostrarem a fonte.
    PIOR: A TV CULTURA REMOVEU OS VIDEOS DESSE RODA VIVA DE SEU SITE E DO YOUTUBE.
    Ela deixa claríssimo que elogiou a atitude do colégio religioso em ensinar o criacionismo (o que já faziam) e introduzir Darwin no currículo!
    [video:https://www.youtube.com/watch?v=ERs-0uRaiRk%5D

    Um dos piores momentos de Paulo Moreira Leite, que a acusa sem provas, e chama ela de mentirosa.

  71. Marina e Neca

    p { margin-bottom: 0.25cm; line-height: 120%; }

    Uma imagem traz tudo o que capta, basta ser analisada em sua inteireza para trazer de um único ponto a sua interação com o todo. Cada pixel, no caso de uma fotografia, retém a síntese da imagem captada. Sobrevém daí a arte fotográfica, o instante que universaliza uma realidade em sua completude de luzes e sombras e escancara a intenção, seja a do fotógrafo, seja a da própria imagem transbordante de significado.

    A fotografia abaixo nos mostra o reencontro de duas amigas cuja amizade está perfeitamente definida. É, sem dúvida, uma grande amizade, que extrapola o mero reencontro casual, transcendendo do hábito social do simples afago para uma coincidência de emoções, de ideias e de confidências. O sorriso de Marina Silva abriu-se como uma flor em seu estado de maior fulgor, ultrapassando o rosto e atingindo os olhos e toda a sua cabeça. Sua testa alisa-se jovialmente. Não havendo nenhuma rusga, ela está totalmente entregue à amiga. Seus olhos contraídos buscam o fundo do olhar de Neca, o qual vem de cima e escapa do paralelo do olhar de Marina se mantendo arqueada para trás. É mais alta? Não é esse o caso, pois é superior socialmente a Marina, e a distância do abraço é mensurado por ela, no posicionamento de seu corpo. Ao contrário do sorriso de Marina, o dela é comedido, estudado e calibrado. Enquanto Marina atropela-se para um reencontro pleno, Neca busca a exata medida para aguardar o corpo entregue de Marina. Esse distanciamento indica que Marina está procurando a maior proteção possível, mas encontra um pequeno obstáculo, pois sua entrega não condiz com a postura corporal de Neca, que se mantém distanciada de um sorriso tão puro e demasiado.

    Neca é multimilionária e certamente possui diversas empregadas domésticas, estando muito experimentada em tratar com subalternas com o mesmo tipo físico de Marina. Ou seja, amizade sim, porém dentro de determinado padrão que institui o respeito entre pessoas de classes diferentes, ou seja, entre empregada e patroa. Evidentemente, as empregadas domésticas de Neca não são louras, altas e com olhos azuis. São brasileiras típicas, miscigenadas e, portanto, no entender de Neca, deve existir um certo distanciamento que as mantenham dentro de uma linha intransponível. Afinal, ela é a patroa e suas ordens devem ser rigorosamente cumpridas.

    A fotografia abaixo mostra claramente essas diferenças. Para Neca, a esperança de ter uma presidente sobre seu controle, que possa servir a ela e a sua classe, é por demasiado interessante. Uma oportunidade única de transferir o controle de seu mundo pessoal para o controle dos mundos sociais, econômicos e políticos do país. Pois, sem dúvida alguma, já inferiu que Marina lhe é totalmente subserviente.

    Marina, por sua vez, também deseja esse tipo relacionamento, pois, em sua fantasia, Neca está ombro a ombro com ela, o que a faz sentir-se acolhida num mundo novo do qual jamais participou. São duas amigas inseparáveis que tudo farão para manterem-se unidas num lindo projeto para o Brasil. Todas as suas diferenças estão diluídas por uma amizade indestrutível, embora já saibamos de antemão que quem tem de fato a ganhar é Neca, posto que se sente superior aos pobres do país, que devem servir aos poderosos e jamais tomarem o controle sobre as altas questões nacionais, historicamente proporcionadoras do bem-estar dos ricos, com exceção dos períodos de mandato de Lula e de Dilma. A fotografia é, portanto, prenhe de significado. Observe-se, outrossim, que a vestimenta das duas amigas são parecidas. Estão entre brancas e perolizadas. E o colar de Neca tem as mesmas proporções do colar de Marina. Até nisso as duas amigas se combinaram.

  72. Bem feito? Mas a culpa é de quem?

    A análise a respeito de Marina Silva pode até estar correta, embora se baseie, a meu ver, em uma premissa que não é, necessariamente, verdadeira: a de que seu comportamento no poder seria o mesmo que tem sido até agora.

    Mas o que quero dizer é outra coisa: não está certo colocar a culpa no eleitor. Se o país não está vendo opção melhor que Marina Silva, fazendo-se abstração da abrupta exclusão de Eduardo Campos, é demérito das forças políticas tradicionais, que não souberam se reinventar, não souberam se comunicar, não souberam atender aos anseios da sociedade. O governo atual teve chance de promover uma reforma política e não o fez. A oposição tucana não conseguiu vender, e talvez nem formular, um projeto de país alternativo, convincente. O eleitor vai correr para onde?

    E desta vez não dá para jogar a culpa na mídia tradicional: o sentimento pró-Marina é anterior ao acidente que vitimou Eduardo Campos; quando se configurou, anos atrás, ela estava a anos-luz de representar o establishemt econômico, o conservadorismo burguês ou o antipetismo. 

    Cabe observar que é também por uma fatalidade que o ciclo do PT corre o risco de ser abreviado. Sem a queda do avião, Campos manteria a candidatura, Marina continuaria nas sombras e Dilma seria reeleita. Em 2018, Campos seria o favorito para suceder Dilma. Nessa hipótese, teríamos uma transição ordenada para o novo ciclo. Por outro lado, e retomando nosso argumento principal, mesmo nas condições atuais, sem Eduardo Campos, o fenômeno Marina não precisaria existir. Bastaria que as forças políticas já organizadas fossem capazes de compreender os novos tempos.

    • “O governo atual teve  chance

      “O governo atual teve  chance de promover uma reforma política e não o fez” Quando ? Com o ” Mensalão” , tal qual uma faca em seu pescoço?  Com a imprensa martelando noite e dia o “maior roubo do século” ? Ingenuidade pouca é bobagem….Como é tão fácil falar, némemo?

      • Francisco e Lenita

        “As manifestações de junho de 2013 poderiam ter sido um presente para o partido e para Dilma. Com mais de um ano de antecedência, vinha o aviso das ruas: o povo já tem pão, já tem escola, já tem luz; falta participação.

        Sabia-se que, fechado o ciclo de inclusão – promovido pelas políticas sociais de Lula e Dilma – apareceria em cena um novo cidadão, mais exigente em relação aos serviços públicos, mais consciente em relação aos seus próprios direitos, mais cético em relação às instituições convencionais da democracia representativa.

        A onda Marina Silva é a comprovação maior de como os partidos – tanto o PT quanto o PSDB – afastaram-se dos intelectuais e do sentimento das ruas.

        Hoje em dia, é comum ouvir de líderes partidários críticas a Dilma, por não ter interpretado devidamente o sentimento das ruas. Mas o próprio PT tratou a insatisfação popular como uma tentativa de golpe ou da direita ou de grupos de extrema esquerda. Quem ousasse dar legitimidade à insatisfação das ruas era execrado. Julgaram que o novo cidadão ainda levaria alguns anos para emergir. Não tiveram o menor sentimento de urgência.

        Aliás, não conseguiram sequer divulgar – até agora – avanços inegáveis que aconteceram em diversas políticas públicas.

        Do lado do PSDB, nem se diga. Desde Mário Covas o partido perdeu totalmente o sentimento de povo. As manifestações de junho mereceram apenas algumas análises óbvias de FHC e nenhuma forma de ação.

        Com essa insensibilidade ampla, a bandeira do aprofundamento democrático e da democracia digital ficou exclusiva de Marina Silva – fortalecida pela demonização da política patrocinada esses anos todos pelos grupos de mídia.”

        Francisco e Lenita: o texto acima, do Nassif, é de três dias atrás. Meu comentário apenas vai na direção do que ele escreveu.

    • IRONIA DO DESTINO, FALTA SUSTENTABILIDADE

      “O governo atual teve chance de promover uma reforma política e não o fez.”

      Por onde andaste? Marte?

      Seja benvindo e não esqueça do velho deitado: “não conte com o ovo no fiofó da galinha”, ainda mais que continuam errando lapidarmente o olhar no movimento de junho/13 e o pesar do enterrocídio de agosto/14, com ascensão da Marineca, da cavalgada das Walkirias a insustentável leveza do ser, tudo em menos de 30 dias.

      Quem sobreviver à queda ou estiver no terraço apreciando o curso da natureza, verá.  

         

  73. Previsão

    Nassif

    A Marina vai ganhar, PONTO.

    Assim como o Collor, e tudo bem! Neste momento teremos então uma explosão de esperança.

    No entanto este sentimento será frustrado, como você mesmo disse, em pouco tempo.

    Entretanto, ao menos teremos tido a esperança. Ao menos uma probabilidade de sucesso estará embutida nas fichas que apostaremos nas urnas.

    Provavelmente ela decepcionará e não será a salvadora. Contudo teremos mais uma vez tentando. O mérito está em entar a mudança. Agora repetir a dose com o PT, NESTE MOMENTO, isso sim seria decidirmos por fracasso presumido.

    Não é por capacidade técnica nem as qualidades morais de um partido ou do outro, pois são amostras todas do mesmo saco de bolinhas Brasil. Falharemos porque nosso problema é conjectural e precisa de mais tempo e esforço para resolver. Não há solução mágica. A solução é muito estudo e infra-estrutura (China, Coréia, etc).

    O que a Marina traz de novo é a boa vontade de mostrar serviço que apenas quem está fora possui, em oposição ao poder pelo poder.

     

    • Como assim “Marina já ganhou?! Nada disso.

      Que história é essa de Marina vai ganhar? Desce da mesa! Primeiro, ela precisa ganhar. Não tem nada ganho, nada. Ainda tem um bom volume de água para rolar. Quanto à esperança que ela diz trazer, é de confusão e piora do Brasil. Você não vê quem a está acompanhando?

      • Quem está acompanhando

        Quem está acompanhando Marina? Quem está acompanhando Dilma? Não importa, pois são equipes tecnicamente equivalentes. O que muda é o propósito!!

        Trabalhar para manter o poder pelo poder ou trabalhar para mostrar serviço e tentar depois pensar em manter o poder?

    • Átila, 
      sua concepção de

      Átila, 

      sua concepção de mudança, então é contraditória, você afirma a necessidade de mais tempo para mudanças. NHisto estamos de acordo, mudar a história é simk demorado. Entretanto, ao considerar que a Marina poderá mudar, mas carece de mais tempo, você está dizendo que tirar o PT é abortar a mudança que está em curso. Ou o mais tempo só vale para Marina? Falo aqui como eleitora e lutadora por uma sociedade mais igulitária e justa. Nesta condição, tenho que dizer também que Marina em absoluto apresenta uma promessa neste sentido. Marina é ainda mais à direita que o PT. Aliás, ela é a própria direita que tenta se disfarçar com manto de santidade. Este discurso de união é o maior dos mantras para a alienação. Governar é agir dentro da política e não à margem dela. Foi justamente por ter claro esta regra que o PT se desviou do projeto original porque compreendeu a necessidade de fazer alianças, dada a realidade do país. Gerir este imenso continente de pessoas despo0litizadas, que não apenas não sabem votar e, por isto, escolhem diferentes siglas para marcarem nas urnas as suas “representações”, bem como esta criação desenfreada de siglas são sintomas desta alienação. Para lidar com o problema dentro do governo o PT fez as alianças, talvez  erradas, mas era o que tinha disponível e, parece que o que a história sugeria. Poderia ter feito outra escolha, como a da radicalização e solicitação de ação dos MS… Agora este discurso de negação das contradições sociais e de classe que Marina sustenta é o fim da política. Parece mais com totalitarismo, fascismo, Ui.

      • Explico: Brasil precisa de

        Explico: Brasil precisa de mais tempo, e estamos falando de 30 anos para virar competitivo realmente. Estamos falando em uma nova geração qualificada (educação) e uma infinidade de obras (infra-estrutura).

        O importante é que ao longo destes 30 anos não haja um monopólio no poder, pois teremos o poder pelo poder, ações populistais mais do que ações que levem o Brasil para o futuro.

        A alternancia no poder (ou no mínimo renovação constante de ideias) é capaz de trazer  o melhor dos grupos que se alternem ao poder.

         

        Se a Dilma apresentasse um cenário mais realista mostrando que entende a situação real do Brasil e apresentasse propostas reais para mudar o necessário, poderia ser uma boa alternativa. Infelizmente ela ainda não mostrou isso e deixou que a Marina o fizesse.

    • Não é bem assim…

      O problema não é só conjuntura e Marina oferece caminhos muito diferentes do PT, no plano econômico.

      Marina defende, por exemplo, a independência do Banco Central. Tal medida, provavelmente, acarretará no aumento da taxa de juros.

      O PT gasta, todos os anos, aproximadamente 40% do orçamento geral da União nos juros e amoritzações da dívida. Em 2013, foram 718 bilhões de reais com isso. A independência do BACEN irá aumentar esse custo em alguns bilhões… Dependendo da taxa de juros, o aumento será entre 200 e 300 bilhões.

      Aí eu pergunto: como Marina realizar os avanços sociais que promete (escola em tempo integral, passe livre aos estudantes), com bem menos receita? Algo entre 200 e 300 bilhões a menos no orçamento anual…

      Nem com um bom PPA ela conseguirá aprovar LDO no cogresso para isso!

      Vou mais longe: como Marina irá manter os avanços sociais do atual governo, nessa situação?

      Marina defende uma política economica liberal, que tem impacto nos gastos sociais. Seu governo é de direita, talvez mais direita que o PSDB. Representa, portanto, um retrocesso. 

      Continuar com o PT, em minha opinião, é uma alternativa melhor. 

      Quanto à insatisfação popular, seria melhor que a sociedade tentasse uma mudança de uma forma diferente. Presões populares para a reforma política é uma ótima ideia.

      Aí sim poderíamos dizer: “Contudo teremos mais uma vez tentando. O mérito está em entar a mudança. “

      Porque o voto em Marina não representa nenhuma tentativa de mudança, para todo aquele que entende o mínimo de POLÍTICA.

      • Você não pode tomar um dado

        Você não pode tomar um dado só (orçamento para juros) como parâmetro único. A simples confiança do empresário e do exterior no país podem facilmente compensar com investimento, permitindo ao BACEN reduzir a taxa de juros. A equação não pode ser simplificada apenas para mostrar números pontuais.

         

        Você fala em pressões populares… nunca vi no mundo um movimento mais massivo que de jun-13. E deste movimento nada mudou do ponto de vista de reforma política.

        Agora que me fala em avanços sociais, bom, avanços sociais são impagáveis em um país quebrado e não competitivo. Então passa a ser questão de tempo os avanços sociais regredirem se não houver desenvolvimento real e avanço da economia.

         

    • Meu caro,
      Não se trata de uma

      Meu caro,

      Não se trata de uma mera aposta de botequim, cuja “esperança” é ganhar cem reais e o pior que pode acontecer é perder os cinco reais que se apostou.

      Trata-se de dar um cheque em branco ao destino de um país em que tudo pode acabar em retrocesso que pode levar anos – ANOS! – para ser corrigido.

      • O retrocesso de anos já está

        O retrocesso de anos já está chegando com a Dilma.

        Vide “O Fim do Brasil”

        Agora, o problema não é a Dilma, são suas ideias. A capacidade de se adaptar é a base da sobrevivência. Ela mostrou não ter a velocidade para se adaptar necessária.

    • “Assim como o Collor, e tudo

      “Assim como o Collor, e tudo bem! Neste momento teremos então uma explosão de esperança. (…) Provavelmente ela decepcionará e não será a salvadora. Contudo teremos mais uma vez tentando.”

        PUTZ!!! E ainda assim pra você tudo bem??? Entendi porque seu apelido é Átila.

  74. Artigo parte de uma premissa muita falsa.

    Não houve em hipótese alguma a idéia de cilco ventilada por esta artigo.

    Mais, Dilma e Lula, graças às suas infinitas conecessões não foram apiados do poder de forma irregular, apesar das inúmeras tentativas em suas formas as mais variadas possível.

    Dizer que os tiveram o poder de fazer reforma política e etc parece-me motivo de piada. Se sem mecher em certos vespeiros já passaram pelo que passaram, se o PSDB pinta e borda e nada acontece, está mais do que evidente que a melhor extratégia foi a adotada. Estão comendo pelas beiradas e se quiça Dilma for reeeleita, Lula se candidatar e ganhar em 2018, … aí sim teremos quase uma geração de brasileiros que ascendeu graças aos dois. Então lá terão que tomar uma postura de mudança ou de volta ao passado.

    Mesmo assim os dois ainda não terão poder pra fazer reforma politica, nem ir pra cima desta mídia podre, que representa um brasileiro de 5ª categoria, um brasil afavelada, de novelas, ..

  75. O lado “positivo” é que

    O lado “positivo” é que diferente do que ocorrreu com o Collor, as redes sociais vão registrar e gravar aqueles que apoiaram (e deram voto pra) Marina.

  76. Agora, vejo que era melhor

    Agora, vejo que era melhor para todo mundo a Marina ter conseguido fazer seu partido “não partido”, a Rede. Não precisava entra no PSB desestruturando um partido sério, noves fora sua recente inclinação para a direita. E dava tempo para o país discutir a “nova política” da dita cuja.

    Eu tenho para mim que ela seria desnudada em sua retórica mistificadora. O novo em Marina passa apenas pela forma. O conteúdo é, ou vento, ou conservadorismo conhecido. Daí eu peço toda hora para que o Wilson a analise do ponto de vista de sua teoria da “bomba semiótica”.

    Mas de qualque forma, poderia trazer discussão interessante em relação à participação do cidadão via internet. Mesmo que ficasse claro a fragilidade de suas propostas, o saldo do debate seria bom.

    Mas com pouco tempo para se dicutir o real significada da sua candidatura, fica dificil fugir do embate  “mistificação desinformada da figura Marina versus desqualificação pessoal da mesma”. 

     

  77. Marina estará ajudando a

    Marina estará ajudando a destruir todo um projeto de país que, mesmo com os problemas existentes, tem dado certo.

    Ela e sua trupe de homens bons tipo Serra, Bornhausens, Heraclitos, Mão Santa, Micarla et caterva conseguirá colocar na conta do PT todo o descalabro que virá e reforçará na população a crença de que o PT destruiu o país, colaborando para que a esquerda fique ausente do poder por muitos e muitos anos.

    Como diz a Cristiana Castro, Marina é a consorte do JB.

  78. Mordam o beiço…

    É triste ler tanta mesquinharia. As redes sociais têm dado essa possiblidade de se conhecer a “opinião pública” (ou será, do público?) em todas as suas facetas. Se Marina é quixotesca, teimosa e incomformada, tanto melhor! É isso que eu quero para o meu país, alguém com vergonha na cara. Se não conseguir governar “por falta de quadros” (que argumento cretino esse) é porque meu voto foi certo mesmo!

    Basta pegar em cada órgão e instituição pública desse país funcionários de carreira e metê-los nos ministérios, autarquias, fundações e o diabo a quatro. Não vai ser por falta de quadros que o país vai parar. E, por incrível que pareça, tenho que dar razão ao filósofo contemporâneo Tiririca: Pior do que tá, não fica!

    PSDB estabilizou a economia e o PT trouxe muitos avanços? Sim, de acordo! Mas a que custo? A corrupção é um câncer tão arraigado em nossa cultura, que a metástase é quase inevitável. Marina é a cura? Talvez não, mas pelo menos é a terapia!