Ministério dos Esportes endossa lobby das apostas

Um dos mais daninhos lobbies do país volta a agir agora, conseguindo o apoio do Ministro dos Esportes Aldo Rebello  (PCdoB). Trata-se do lobby do bingo, que há anos tenta entrar no mercado de jogos online.

Esse lobby foi responsável por alguns dos piores escândalos recentes da República.

No governo Itamar Franco fincou um lobby pesado na Caixa Econômica Federal (CEF), que se prolongou durante o governo Fernando Henrique Cardoso. Tentou manter a influência na virada do governo Lula, através de lobistas ligados a Antonio Palocci, tudo devidamente documentado na CPI do Bingo, que montou um dos mais completos mapas da corrupção no país (http://tinyurl.com/m99t7wm).

O que despertou essa disputa foi justamente o mercado de jogos online.

A primeira parte da disputa consistiu em oferecer sistemas de computação à CEF e às loterias estaduais. Participaram da disputa grupos ligados à máfia espanhola, italiana e os norte-americanos da Gtech, ligados ao jogo de Los Angeles. Do lado brasileiro, aparece Carlinhos Cachoeira, dominando o jogo em Goiás e pretendendo entrar na CEF e em outras praças.

***

É um jogo pesado, no qual as organizações criminosas lograram cooptar políticos, publicações e autoridades públicas federais e estaduais, além der contaminar as forças policiais.

Um dos principais protagonistas desse mercado, Carlinhos Cachoeira, acumulou vasto poder político a partir da sociedade montada com a revista Veja para a propagação de escândalos que interessavam a ambos.

É da disputa em torno dos jogos online que surgem as gravações com Valdomiro Diniz e, depois, com o funcionário dos Correios, que acabou desaguando no “mensalão”.

A grande jogada de Cachoeira visava justamente o mercado de jogos online.

Leia também:  Ainda não há motivos para temer a inflação, por Luis Nassif

***

O lobby do jogo sempre se valeu de dois argumentos recorrentes em favor da sua legalização.

O primeiro, o de impedir a evasão de divisas daqueles que buscavam ou cassinos ou sites de outros países para jogar. Ora, como as transações são eletrônicas, Banco Central e Receita Federal têm amplas condições de coibir a evasão.

O segundo, o de carrear recursos para atividades beneficentes ou esportivas.

Foi em cima desse segundo argumento que a Lei Pelé criou uma estrutura nacional de clubes esportivos de todos os esportes servindo de fachada para a jogatina mais desenfreada.

***

Os jogos sempre foram utilizados para lavagem de dinheiro, como correia de transmissão do tráfico de drogas e de outras atividades criminosas paralelas.

Além de se constituírem em um problema de saúde pública: quanto mais perto do usuário, maiores as chances de criar dependências que arruinam famílias inteiras. Justamente por isso, em todos os países há restrições geográficas para a instalação de cassinos.

Não é por outro motivo que, nos Estados Unidos, só se autorizam cassinos em cidades distantes dos grandes centros urbanos. Desde 2010 o país passou a implementar legislações severas para coibir os jogos online e operações policiais comandadas pelo próprio FBI contra sites de poker online.

***

Os argumentos de Rebelo – de que a legalização permitirá montar um fundo bilionário para financiamento das atividades desportivas – repetem o bordão falacioso de sempre. Vale para qualquer atividade ilícita, até para tráfico de pessoas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

21 comentários

  1. Rebelo é do tipo que age por

    Rebelo é do tipo que age por convicção. Não sinto que aja pelo poder da grana, pelo que vai levar pela ajuda. E ele age movido por um nacionalismo primário – que daria vergonha a Policarpo Quaresma, a criação genial de Lima Barreto. 

    Rebelo é mais um dos ministros que espelham a capacidade de Dilma pra governar. 

    Dilma, provavelmente, ficará mais quatro anos. Num dos tópicos do blog, Nassif diz que Dilma terá que mudar num segundo mandato. Mas as mudanças são tão profundas, pegam o próprio jeito da presidente, que é mais fácil Bolsonaro ser menos intolerante do que Dilma mudar o seu estilo. Acho que vai ser um aprofundamento do que é, ou seja, um afundamento do Brasil.

    Por isso, no atual quadro, a vinda de Lula é urgente. É trágico um país ter que depender de um ex eleito por duas vezes, mas fazer o quê? A outras opções são piores. 

     

     

  2. Ministro avoado ministro ….

    Roberto M Almeida,

    Pode escolher quaisquer das suas  tres opções, todas perfeitamente válidas. 

    Por questão de princípio, não posso aceitar que um ministro de Estado não perceba o perigo que ele corre, assim como a exposição negativa que pode atrapalhar bastante a imagem do governo federal. 

    Conforme frisou Nassif, as justificativas para a patranha são as de sempre, ridículas, vai ajudar $$$ os esportes mais carentes, vai dar emprego a não sei quantos fulanos, vai incentivar $$$ a iniciação esportiva, etc…, tudo isto uma conversa fiada danada, conforme a turma já demonstrou na operaçaõ bingo já devidamente enterrada.

    Se o ministro for manchete por levar um jabá ( 0,1% aa já é uma fortuna), nem ele nem ninguém do governo poderá reclamar.Cabe a DRousseff sepultar esta proposta indecente.

    Caso esta irresponsabilidade venha se concretizar, mais à frente virá o tumor maior, a liberação dos cassinos, só que através de outro ministério, quem sabe o da Cultura.

    Pincei um de meus comentários de ontem.

    Um abraço

     

    “Neste caso, ou Aldo Rebelo não o avaliou corretamente, ou funciona como uma criança grande.

    Se isto vingar agora, pode vir a ser um presentaço prá oposição – em dois minutos o desclassificado do Diego Escoteguy logo fabrica uma emocionante história de tres páginas, alegando que o ministro levou, ou é suspeito de levar $$$ por ter abençoado esta jogatina, e por aí vai, tudo sem qualquer prova, mas suficiente para provocar um estrago fenomenal, um belo de um baque na imagem do governo federal.

    Vale lembrar que a sociedade brasileira não esquece o ocorrido com a Loteria Esportiva há uns anos, foi quase um trauma nacional.”   

  3. Em relação à jogatina virtual…

    É fácil o governo rastrear e coibir essa modalidade. Como esses cassinos virtuais funcionam à base do cartão de crédito (tanto para fazer apostas quanto para receber eventuais ganhos), basta colocar uma tributação especial em cima desse tipo de gasto: 120% sobre o valor apostado e 120% sobre o valor eventualmente ganho.

    De resto, a principal função dos bingos (e da jogatina) é lavagem de dinheiro. Logo, tem de ser proibido. Fora os graves problemas sociais causados pelo jogo.

    Apenas um pequeno reparo no texto do Nassif: há uma exceção nos EUA – Las Vegas. É uma cidade (relativamente grande) e que vive majoritariamente da exploração do jogo. Mas, é importante ressaltar que, para quem não vê graça em cassinos e apostas, há muitas outras opções de entretenimento na cidade e na região.

    • É realmente genial, vai dar

      É realmente genial, vai dar muito certo, o cara aposta R$100 e paga mais R$120 de imposto: custo da aposta R$220, ai ela ganha R$200 e paga mais R240 de imposto, que logica digna de um Einstein, vai chover de gente querendo apostar, não é mesmo, muitos empresarios vão montar casas de apostas porque muita gente vai querer apostar só pelo gostinho de pagar 120% de imposto na entrada e mais 120% na saida, realmente genial.

      • Caro Andre, indo ao cerne da

        Caro Andre, indo ao cerne da questão, o que acha da fala de seu amigo Aldo Rebelo ( me recordo de já tê-lo visto dizer aqui que ele era seu amigo ou ao menos conhecido) ? Será que ele foi mesmo engambelado ?

        Em teoria não vejo tanto problema, mas me parece um setor bem complexo de se estruturar.

        • Depois da invenção da

          Depois da invenção da internet qualquer pessoa residente no Brasil pode apostar online nas casas de apostas do exterior usando cartão de crédito ou débito, não é proibido. Então de nada adianta ser proibido no Brasil e permitido a partir do Brasil, de qualquer computador, apostar no exterior. Se a aposta for feita NO BRASIL, parte dos valores desta aposta FICA NO BRASIL. Então há uma perfeita logica de se praticar ess ato de forma mais favoravel ao Brasil.

          Hoje por exemplo, o acumulado de apostas em Londres nas sete grandes casas, dá a vitoria do Brasil na Copa, com a pule de 3 por 1, a melhor pule do ranking, isso nas sete casas, imagine quando arrecadaria no Brasil.

    • Uai…

      Mas a principal função dos bancos no sistema financeiro moderno também é acomodar os 600 trilhões de dólares de atividades não regulares  dentro da economia mundial que soma 60 trilhões de dólares.

      Em outras palavras, lavar dinheiro e estabelecer taxas de arbitragem para este processo.

      E aí, fechamos os bancos?

      E o mercado imobiliário?

      E o de artes? 

      E as transferências de jogadores, uma fonte de caixa dois clássica, fazemos o que, proibimos?

  4. Deve ser o tal moralismo

    Deve ser o tal moralismo mineiro.

    Eu não duvido que o setor de apostas online seja uma possibilidade de lavagem de dinheiro. Mas a pergunta é: Como pode um país que aboliu a CPMF, o único tributo que poderia funcionar como “um chip rastreador” de legalização de recursos ilícitos pode querer proibir esta ou aquela modalidade baseada em sorteios ou jogos?

    Com a CPMF você tinha uma rede de rastros de movimentações (fatos geradores) capazes de te indicar o montante movimentado, bastando uma regrinha de três.

    Mas quem se interessa em reprimir a lavagem? 

    Continuaremos a fazer com o jogo mais ou menos como fazemos com a cocaína e a cerveja?

    Pois é.

    O debate não é por aí. 

    Se formos vetar qualquer setor que sirva para tais fins temos que interditar o mercado de artes, imobiliário, artigos de luxo (carros) e claro, os bancos, as maiores lavanderias de dinheiro do planeta!

    A prudência nos indica a observação: sistemas duramente represessivos levam ao aparecimento de modalidades clandestinas cada vez mais violentas e enraizadas nos aparatos estatais.

    Cientes disto, os estadunidenses “criaram” um estado para tal fim, Nevada.

    Carlos Cachoeira não é causa do problema, é efeito, logo não podemos ser tolos a ponto de imaginar que ele deixará de existir caso a proibição permanece, e mais, que tantos outros, mais ou menos poderosos estejam por aí.

    Fica a perggunta: É mais fácil aos Estados Nacionais combaterem aquilo que é legalizado, ou é melhor combater na clandestinidade?

    Na sua escalada para achar defeitos no governo, o blogueiro anda renunciando ao seu conhecido bom senso…uma pena… para ele é óbvio.

     

     

  5. Informações reais sobre o jogo no mundo
    Prezado Luis Nassif, Sou admirador da sua coluna e por isso me vejo na obrigação de comentar. O Brasil é hoje um dos poucos países do mundo em que o jogo não é regulamentado. Como consequência, o jogo ilegal no país, somando jogo do bicho e apostas online supera R$ 20 bilhões ao ano. Esse volume é superior às apostas da Caixa e não recolhe absolutamente nada em impostos. Além disso, não é verdade que nós Estados Unidos o jogo se limita a Las Vegas. Em quase todos os territórios indígenas há cassinos, além de haver o modelo de Racino (hipódromos com casinos) em diversos estados, inclusive em Nova Iorque. Lá também o governo acaba de regulamentar as apostas online, e o mercado de jogos também inclui o que eles denominam sweepstakes, físicos e online. Não regulamentar o jogo impede a criação de políticas públicas voltadas para o jogo responsável, o que aumenta o dano social causado pela atividade. Cumpre, ainda, levantar a seguinte pergunta: a quem interessa a proibição do jogo?interessa aos ilegais e aos corruptos que recebem suborno desses ilegais, que continuam sem concorrência e sem qualquer controle estatal. Agradeço por levantar este debate. Atenciosamente, Luiz Felipe Maia

  6. Desde quando o estado brasileiro fiscalizará?

    Caro Nassif e amigos do Blog!

     

    Eu estava discutindo em outro post com o Motta em relação a liberação dos jogos e irei reproduzir aqui aspectos interessantes da lavagem:

     

    O estado brasileiro nunca se notabilizou pela fiscalização, pelo controle. Além de não fiscalizar algumas vezes toma medidas, no mínimo, discutíveis que favorecem o ambiente para coisas “estranhas” vamos dizer assim (Caso Racimec e seu personagem mais notório, por exemplo, discutido aqui mesmo no Blog). Poderia citar a entrada das máquinas caça níqueis no Brasil nos anos 60 e 70 com a máfia italiana, poderia citar o que acontece com times de futebol (olhe para a Rússia) e negócios envolvendo gado. São negócios em que a precificação do ativo é muito difícil de ser medida.

    Essas três áreas, que você citou, são terrenos fertéis para a lavagem.

    Recomendo que leia essa entrevista com o juiz aposentado Maierovitch ao terra:

     http://terramagazine.terra.com.br/semfronteiras/blog/2012/04/27/cachoeira-nao-e-preso-politico-pois-sua-ideologia-e-obter-vantagem-financeira-ilicita/

    http://www.dgabc.com.br/Noticia/418134/brasil-pode-ser-polo-da-lavagem-d

    Olha a agência Reuters noticiando lavagem no futebol:

    http://www.educacaofisica.com.br/index.php/esportes/canais-esportes/outr

    lavagem de dinheiro com gado e fazendas

    http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,lavar-dinheiro-com-gado-e-fa

    Você mencionou lavagem de dinheiro com obras de arte:

    http://www.conjur.com.br/2012-set-19/fausto-sanctis-estuda-lavagem-dinhe

    http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2014/04/obras-de-arte-podem-

    http://economia.ig.com.br/2013-05-30/eua-afirmam-que-lavagem-de-dinheiro

     

  7. MUITO BOM

    Nassif muito bom como sempre parabens pela imparcialidade costumeira denuncia o que está errado doa a quem doer, gostaria inclusive de lembrar que aquela investigação sobre gilmar menders no tribunal da BA. está para da desde fevereiro SERÁ QUE SAI?????????? aquela dos quase treze milhões.

  8. Aldo Rabelo, abra o olho !

    Aldo Rabelo, abra o olho ! Não vá atrás desses lobistas !  Tem uns que foram e se arrependeram amargamente. Basta de drogas ! Mais uma não dá!

  9. Outra mancada de Rebelo

    É a velha turma dos Bingos (testas de ferro do Jogo do Bicho), de lembranças nefastas e nenhuma contribuição aos interesses do Brasil, que está de volta.

    É bom lembrar que foi Lula, quando Presidente, que através de lei aprovada no Cogresso, enterrou esse lobby, que agora quer ressucitar e retornar.

    De todas formas, os clubes de futebol tentam evitar o seu dever cívico que é, o de pagar as suas dívidas e impostos. Simples, parcelem e paguem. Safados.

    Inacreditavel como os clubes são dirigidos por gente deshonesta, corrupta, sonegadora. Desde seus primórdios…

    Seria um retrocesso, Ministro Rebelo

    PS: Rebelo, outro ministro “imprestáve”l de Dilma.

  10. coitado…
    comunista atuando

    coitado…

    comunista atuando e dando as cartas no jogo sujo de mercado capitalista é pior que elefante branco numa loja de cristais da boêmia:

    – é catástrofe anunciada!

    como diz nosso estadista baiano compadre washington:

    – sabe de nada, inocente…

  11. A luta contra o poker…

    A luta contra o poker (e jogatina de forma geral) online nos EUA se deu por dois motivos:

    – lobby dos cassinos físicos, ameaçados pela possibilidade de perder clientes pela facilidade de se jogar de qualquer lugar do país ou do mundo.

    – dificuldade de cobrar impostos nessas transações e mercado, até pelo fato dos sites estarem em paraísos fiscais.

    E se fosse citar um terceiro motivo, botaria o moralismo, presente nesse texto do Nassif, que não difere muito de alguns textos contra as drogas que vemos por aí, vislumbrando a ruína da sociedade em caso de legalização.

    Se tem erro do ministro, é de nível estratégico, de propor uma polêmica dessas bem em época de eleição.

    • Vamos sugerir para ele o novo

      Vamos sugerir para ele o novo livro “Um jogo cada vez mais sujo”, do inglês Andrew Jennings sobre a admirável FIFA.

      Do DCM:

      “(….)

      O livro é uma paulada. Traça as relações incestuosas com a máfia italiana, com a violência carioca e com o jogo do bicho como cenário propício às falcatruas da Fifa. E chega onde quer. Livros-caixa do bicheiro Castor de Andrade apreendidos, continham mais que policiais na lista de propina:

      “Havia um nome que todo mundo conhecia. Um homem mundialmente famoso. O generoso Castor de Andrade, o rei do Carnaval, havia presenteado o chefão do futebol mundial com um camarote especial para assistir ao desfile das escolas de samba. Custo: 17.640 dólares. Estava se tornando um estilo de vida para Havelange: receber presentes de figuras duvidosas em troca de favores.”

      (…)”

  12. Pré-julgamento

    Não é questão de defender jogo, mas não estaria havendo um pré-julgamento das intenções de Aldo ?  Este argumento de “tráfico de pessoas” foi pesado e extremamente apelativo. Digamos que mereça observações e críticas, mas não de acusações fortes e ainda infundadas.

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome