O crescimento do “Fora Temer” poderá desequilibrar o jogo

A campanha “Fora Temer” está crescendo em uma velocidade surpreendente. Não se trata mais de mero esperneio. Caminha para se tornar elemento relevante, capaz de desequilibrar o jogo político.

***

O golpe político encaixa-se perfeitamente na estratégia denominada de “teoria do choque” – desvendado pela escritora e ativista Naomi Klein.

https://www.youtube.com/watch?v=Y4p6MvwpUeo]

A estratégia foi desenvolvida pela Escola de Economia de Chicago e consiste em se valer de grandes tragédias – terremotos, guerras, golpes de estado, hiperinflação – para trabalho de desconstrução do passado, desarticulação do normal político para impor rapidamente um receituário radical, como se fosse a única rota de salvação.

Esse modelo de choque estreou no Chile de Pinochet, foi aplicado no Iraque, após a derrubada de Sadam Hussein e, quase sempre, significou o desmonte do que existia de redes sociais ou de políticas autônomas de desenvolvimento sem conseguir construir uma alternativa eficiente em seu lugar.

Essa teoria também foi aplicada com sucesso em Nova Orleans, após o furacão Katrina. Com a região totalmente destruída, rapidamente implantou-se um novo sistema educacional. Em vez de recuperar as escolas públicas destruídas, ofereceram bônus para matrículas em escolas privadas, a seco, sem nenhuma espécie de planejamento e sem coordenação pública. Destruiu o sistema de ensino local.

***

Segundo Naomi, a estratégia consiste, primeiro, na desconstrução diuturna do passado, dos conceitos que vigoraram até então, e do aprofundamento da crise, até a opinião pública assimilar a percepção de que se instaurou a total falta de perspectivas. Sobre esse caos, diz Naomi, apresentam-se os três pontos que conduzirão o país rumo à salvação: livre fluxo de capitais, redução dos programas sociais, e desregulação total com privatização selvagem. E tudo tem que ser implementado rapidamente, para impedir a reorganização das forças e ideias contrárias. Coincidência com o quadro brasileiro? Evidente que não.

Leia também:  Com menos de cinco meses de governo, a era Bolsonaro estaria no fim?

O livro é bem anterior ao golpe. A ida de Aloysio Nunes ao Senado norte-americano, em pleno processo do impeachment, a visita do Procurador Geral da República (PGR) ao Departamento de Estado, em pleno início da estratégia de desestabilização, a receita salvadora apresentada, composta exatamente dos três pontos registrados no livro de Naomi – são tão sem imaginação que nem cuidaram de tropicalizar a receita -. todo esse conjunto não é mera coincidência.

***

Analisarei o tema em um próximo Xadrez.

O que importa, no momento, é que está se formando uma onda na opinião pública que poderá desequilibrar o jogo.

Não há sinal de que o “Fora Temer” irá arrefecer. Nos próximos dias entrarão na pauta do Senado os temas fiscais, o avanço nos direitos dos aposentados a seco, sem negociação. Além disso, a mera presença de pessoas como Geddel e Padilha falando em nome do governo – ao lado de Temer – é um estímulo diário à revolta e indignação da opinião pública. É vergonhoso! Não há outro termo. É de dar ânsia de vômito!

O “Fora Temer” está vindo acompanhado de um desnudamento gradativo das artimanhas do golpe.

Há luz à frente, e não é apenas o da locomotiva chegando na contramão.

[video:https://www.youtube.com/watch?v=QD0deZAQmL0

139 comentários

  1. Vigilante desde a aurora. O

    Vigilante desde a aurora. O Fora Temer ja esta consolidado Luis,perda de tempo discutir sobre esta posicao.No seu ultimo Xadrez,quando corretamente assinalou que a “rapaziada voltava a ter o protagonismo e a juventude a mil por hora”anotei que a fatura estava liquidada e o caixao fechado.A informacao que voce traz,que pessoas como Gedel e Padilha desandam a falar em nome do governo,e um claro sinal que a situacao ja esta fora de controle,e eles sao sabedores disto.Sao ladroes mas de bobos nada teem.Vao continuar apostando na radicalizacao da repressao,captaneada pelo General Sergio E.e o carequinha fascista da Justica,apressando sobremaneira o fim do ciclo.O envio agora das reformas previdenciaria e trabalhista,alem da casca de banana do PSDB,e tambem um sinal mais que evidente de um governo que nao tem mais nada a perder.Tiro de Misericórdia.

  2. Pessoal .. importante: não dá tempo!

    Há muito tempo acompanh o blog do Nassif. Fico bastante tempo concentrado nos comentários. As vezes leio o post e no intervalo de algum trabalho vou para os comentários. Sou um “zézinho” perto do que muita gente fala e expõem seus pensamentos por aqui. Mas tenho uma opinião e tenho colocado em prática desde que começou as traquinagens da direita para derrubr a Dilma. Eu boto a boca no trombone. Pego matérias daqui e envio por e-mail, coloco no face, imprimo e dou para as pessoas lerem no trem, no ônibus etc. Tem dado muito certo. A evangelização tem dado certo. Já peguei comentários aqui tão interessantes que mandei junto com o post. É o único jeito de falar sobre essa melequeira, essa nojeira. Temos que fazer mais do que ficar aqui comentando, expondo pontos de vista  e as vezes até trocando farpas. Normal. É boa essa exposição de pontos de vista. Mas não dá tempo! Temos que evangelizar. O JN e o restinho da mídiaPIG estão fazendo isso todo santo dia. Temos que pegar posts aqui do Nassif e de outros blogos progressitas e mandar por e-mail. A Cida, que trabalha aqui na minha casa há 8 anos, é petista. Marido e os 2 filhos também. Mesmo sabendo disso mando e-mail para os meninos dela (um de 19 e outro de 23 anos). E eles lêem! Sei por que ela comenta comigo o assunto. Dias atras ela falou sobre a tentativa de proibir o filme Aquarius para mnores 18 anos. Precisamos divulgar por e-mail, por face, xerocar e entregar na mão do porteiro do prédio etc.. Desculpe se muita gente já está fazendo isso. abraços a Todos

    • Parabéns pela coragem

      Lendo uma entrevista esta semana com uma filosofa francesa sobre a questão da representividade politica, ela lembra que nos, cidadãos, não devemos e não podemos esperar que politicos resolvam tudo por nos. E neste momento em que a Globo, sobretudo ela e suas radios, tomaram o destino do Pais em suas mãos, temos mais que em qualquer outro momento, desfazer sua propaganda politica.

      “Ser corajoso é por vezes suportar e então romper com que esta ai”. Fala da filosofa e cientista politica Cyntia Fleury.

      Abraços.

    • Não assisti ontem!
      Quer dizer
      Não assisti ontem!
      Quer dizer que ele entendeu que se esconder e ser vaiado é ainda pior do que aparecer e ser vaiado?
      Nossa…
      Então cachorro velho pode sim aprender truque novo, hein.

    • Vânia

      Até me lembrei do ditado : “Quem com ferro fere, com ferro será ferido” e as vezes o ferimento pode ser tão grande, que redundará em morte.

      A ex presidente Dilma foi vaiada na abertura da Copa, da forma mais infame que se pode ser. Agora o Golpista, nem em público pode aparecer. Será que ainda está levando o Michaelzinho na escola ? llllll

    • Compartilhando das vaias com o Temer-golpista

      Como não assisti à abertuda do Jogos Olimpicos não tinha visto essa cena. O que chama atenção é o esforço da primeira-golpista em aplaudir bem forte o marido-golpista numa tentativa patética de superar a enorme vaia. Não da para dizer que ela não seja solidaria.

  3. Não é xadrez. É Poker!

    Nassif,

    Peço desculpas, mas não consigo concordar.

    Nesse tipo de história há, nem tanto um jogo que suponha equilíbio, mas uma espécie de disputa sem regras, em termos bárbaros.  O Fora está aí já com esse apelido consolidado e quando a gente pensa que ganhou uma batalha, na verdade essa já foi ganha pelo pessoal de lá. Vale mais quem blefa mais e melhor. O tal do Fora está aí para ser queimado -já que blefa mal e transpira medo – e cairá conforme o previsível roteiro. Na sequencia é que virão os “verdadeiros salvadores” com suas soluções mágicas quando a coisa piorar de vez. Agora, nesse ponto, é luta livre, já que o pessoal do golpe ainda não entrou em acordo sobre como dividir o espólio. É como um bando de piratas depois de atacar um navio… não há regras pre-estabelecidas que funcionem…

  4. O vice vigarista decorativo

    e golpista, vai endurecer na repressão (já fala em convocar militares para conter a “onda de vandalismo”), isso é certo; a dúvida que fica é se nos comportaremos novamente como bunda-moles como até agora… sim… porque esse golpe de estado só se efetivou pois nós o deixamos navegar em águas brandas, deixamos que os ratos que acompanham MiShell Temer na empreitada golpista fizessem o que bem entendessem com o Brasil.

    • Irônico que a filha de

      Irônico que a filha de D.PEdro I teve o seu próprio Temer, o seu tio Michel… ops, não, era Miguel !!

      Mas ao contrário de nós, Portugal derrotou o usurpador.

      O Máximo que podemos fazer é derrubar Temer para entrar coisa pior… Dilma foi vencida já.

  5. Dessa vez a Globo perde
    Primeiro irão pra cima do Lula mas será um tiro no pé, com uma possível prisão do ex presidente esse país explode em manifestações.
    Depois vão inventar outras mentiras pra desviar o foco do governo Temer mas não vão conseguir por causa da Internet e de jornalistas como o Nassif.
    Resumo: Dessa vez a Globo perde

  6. Parece que Temer e sua

    Parece que Temer e sua camarilha não contavam com essa reação. Talvez pensassem: “O PT está desgastado, suas lideranças acossadas pela Lava a Jato, a classe média alvoraçada………..”agora é nóis e mais ninguém”.

    Só não contavam com a “astúcia” do povão e agora irão ver o que é bom para a tosse. A tendência é que mais mais se espalhe país afora esse sentimento de revolta pelos 54 milhões de votos surrupiados. 

    Lascou-se, mordomo de filme de terror!

    • Acho essa resistência

      Acho essa resistência extremamente tardia, deviamos ter feito isso entre a votação na  câmara e essa última do dia 31. 

      Não temos mais caminhos… não temos ninguém na linha de sucessão. Eles apenas controlam o tempo para dar o pé em Temer na hora certa e botar um Tucano.

      Eles não contavam com isso, e até certo ponto, estavam certos. Quem podia contar que resistiriamos quando não adianta nada se nos acomodamos quando adiantava alguma coisa…

      Talvez o problema fosse a Dilma. Muitos não queriam ela de volta…

       

  7. Se aumentarem a repressão,

    Se aumentarem a repressão, pior, aumenta a revolta.

    Parece que o Alkimin já percebeu  isso em SP, a conta da violência da PM só está caindo no colo dele.Ele andou reclamando com assessores

    Quero mais que esse país convulsione.

    O Requião anda tão revoltado que está pregando abertamente a guerra civil. Segundo disse “Preparem as trincheiras, o país vai entrar em guerra civil”

    Estou adorando, coxinhas e golpistas merecem tudo de ruim.

    Está certo ! Já que tomaram o país no grito, tem que ter o contra golpe mais forte ainda

    Pena que eu não tenha vinte anos a menos. O meu foco preferido seria derrubar uma torre da transmissão da globo, e deixar essa emissora pelo menos 24hs fora do ar. Molezinha de fazer.

    • Infelizmente, a guerra civil

      Infelizmente, a guerra civil poderá sofrer intervenção externa. E aí entrarão em jogo objetivos imperialistas que desde a independência do Brasil rondam nosso país, à procura de uma brecha para dividi-lo e destruí-lo. A proclamação da República, contrariando as expectativas gerais, não foi capaz de fracionar o território brasileiro em diversos pequenos países, liquidando com um gigante latino que sempre se mostrou com ambiciosos projetos próprios. Mas o perigo persiste talvez com mais intensidade, com o avanço da capacidade inimiga de iludir as massas de qualquer país. Nossas Forças Armadas teriam capacidade de detectar e equacionar estes perigosos aspectos, bem como de enfrentá-los? Por vezes as manifestações políticas de militares os fazem parecer pueris e enganáveis com extrema facilidade. Que se lembrem do que disse Floriano ao ser indagado como receberia os ingleses, se eles trouxessem ajuda militar a seu governo: “À bala!”.

    • Hoje tenho o coxinha como uma
      Hoje tenho o coxinha como uma figura execrável, abjeta, detestável, nojenta, horrorosa em todos os sentidos.

      Uma cambada de egoístas, pessoas más e extremamente ignorantes. Hoje não consigo disfarçar a satisfação de ver alguns desse bando comendo o pão que o diabo amassou, está lindo de ver o desespero para vender carros e apartamentos, ou mesmo os negócios indo de mal a pior.

      Uma hora a fatura da imbecilidade teria que chegar.

  8. Teoria do Choque

    Nassif: você está na rota certa. Parabéns!

    Fico no aguardo da sua análise, em “um próximo xadrez”, para estudar e aprender dessa estratégia do celerado Aluysio e sua patota.

    Enquanto isto vamos incrementar o “Fora Temer”, clamor repetido de quando ele era Secretário de Segurança e aprendeu a “conviver com ladrões”.

    Agora, não podemos esquecer que se Aluysio esteve no Departamento de Estado norteamericano costurando acordos, se nessa negociação não entrou o aliciamento dos nossos militares, através dos ministros da Defesa, da Justiça e da Segurança, especialmente deste último.

    Inclusive um plano “B”. Se os milicos não aceitarem aderir, mesmo com a promessa de transferir para as Forças Armadas um terço dos 80 bilhões que serão retirados dos Programas Sociais, num ato de decência e patriotismo que não encontramos na maioria do Judiciário, se recusarem, ainda restaria a ação direta da IV Armada, que já está no limite das nossas água territoriais.

    Dizia um saudoso e querido amigo que os canalhas não têm nem ética, nem decência, nem Pátria. Por isto aplaudem os planos mercadológicos do PSDB/DEM/PPS, onde só o lucro justifica suas existências.

    Espero que seu “xadrez” chegue logo, brevíssimo. Bem antes do “xadrez” do Verdugo de Curitiba sobre o Lula.

  9. Foram 54 milhões de votos que

    Foram 54 milhões de votos que a esquerda e os Democratas deram a Dilma.

    Se apena 10% desse contingente se revoltar, fudeu ! Não para um golpista em pé.

    5,5 milhões de pessoas com disposição para gritar fora Temer, e disposição para o enfrentamento, não ficará pedra,sobre pedra. 

    O povo é igual a gado, não sabe a força que tem.

    O gado fica preso e limitado por frágeis cercas

  10. Aplicação da doutrina militar Choque & Pavor no Brasil

    Ofereço à leitura este artigo,

    no qual continuo a tratar de como a dominação, e consequentemente a via de emancipação, é psicopolítica. O desafio e a oportunidade é a teoria social e a filosofia aceitarem que a infraestrutura é mental.

    https://www.academia.edu/27453335/Informação_comunicação_e_psicopol%C3%ADtica_sobre_a_estratégia_do_conhecimento_e_compreensão_quase_totais_e_absolutos_do_self_do_interlocutor_e_do_ambiente_Cap%C3%ADtulo_Livro_Informação_e_Gestão_ensino_pesquisa_e_extensão_Brasil_2016_

    Com amor, e a alegria da gratiodão, evo

  11. Fora Temer baiano

    Nassif, eu não compartilho tanto do teu otimismo. Há protestos no ritmo que não foi visto nem mesmo nas vésperas do infame 17 de abril, mas eu vejo que basicamente são os mesmos que já estão na luta pela democracia, embora haja uma ou outra adesão. Mas o adensamento de tais atos não é fato tão concreto quanto gostaríamos de imaginar ou fazer. A base social que elegeu Dilma é a que está mais exposta a mensagens de pastores, da mídia e principalmente à crise econômica. Nós não estamos dialogando com essa base e basicamente a classe C, D e E que está indo nos protestos são os movimentos de luta por moradia e terra, bem como os jovens do Bolsa Família e das políticas de acesso à universidade. É a parte das classes A e B ainda progressista, como um José Trajano, uma Dra. Kenarik, que engrossa esses atos.

    Os protestos pelo #ForaTemer em Salvador estão muito intensos. Desde a confirmação do golpe, no dia 31 de agosto, eu fui em quatro atos, incluindo o Grito dos Excluídos. E tiveram mais dois. Essa foi a quantidade de atos grandes de rua que foram feitos entre o afastamento em maio e a confirmação do impeachment, onde muitos esperaram uma delação salvadora contra Temer ou já tinham entregue os pontos. Nos atos, eu começo a sentir a presença mais intensa de jovens estudantes que se chocaram com a repressão e foram formados em um ambiente mais livre em que as escolas passam a ser mais democráticas (antes do governo petista na Bahia, a indicação dos diretores era política), bem como com perspectivas de futuro, de acesso à universidade. Essa juventude é a que deve ser mais atingida, tendo piores condições de estudo, empregos de má qualidade, aposentadoria prolongada. Essa indignação que deve ser uma grande catalisadora e que muita gente ainda não está consciente.

    O problema é que o grosso da base social que acompanha os candidatos presidenciais do PT desde 2006 não está nas ruas, muito menos mobilizada. No campo, ela não encontra lideranças para mobilizá-los pois não há sindicatos tão fortes e o PT tem compromissos por conta das políticas de alianças. Nas cidades, a crise econômica atingiu pesadamente as classes C, D e E, com pessoas detentoras de empregos de baixa produtividade, que estão perdendo empregos, endividadas e com acesso a serviços públicos de baixa qualidade, bem como acesso ao discurso da mídia hegemônica e dos pastores evangélicos. No banco em que trabalho, uma das melhores clientes, vendedora de cosméticos (de empresas que não ajudaram nesse momento difícil) precisou fazer uma renegociação diante da bola de neve do cartão de crédito que se tornou a alternativa mais acessíveis. A copeira do banco não quis participar da resistência, mesmo sendo do interior beneficiado pelo Bolsa Família, aumentos reais do salário mínimo, construção de cisternas, dentre outras iniciativas, depois de enfrentar as dificuldades do SUS com um irmão que veio a falecer. Isso sem contar com a conjuntura local em que um prefeito obteve um aumento de arrecadação absurdo sem nenhuma constestação pelo fato de a mídia ser controlada por ele (TV Bahia) ou por aliados  (Record, SBT, Band), vendendo a imagem de melhor prefeito do Brasil. Talvez seja um recorte local, mas desse jeito não vai ter #ForaTemer

    No Grito dos Excluídos, a conjuntura eleitoral influiu muito, com muitos candidatos a vereador com materiais de campanha. Mas eu continuo vendo os mesmos rostos de todas as manifestações que são no centro de Salvador, em que a mobilidade não é boa. Há muitos jovens, mas há muitos que foram formados no combate à oligarquia carlista. As bandeiras vão de bandeiras do PCB até as bandeiras do PT. A esquerda baiana apesar das divergências nunca registrou grandes ódios e isso é positivo para produzir uma resistência efetiva. O grande desafio é levar o #ForaTemer para o povão em tempo hábil para um enfraquecimento do governo, conseguir escapar dos ataques da mídia e do judiciário, forçar resultados negativos nas eleições municipais para o consórcio golpista e empurrá-lo até a queda, o que qualquer reforma mal acordada pode produzir.

  12. Mercado, Naomi e Temer

        Extrapolar a teoria de Naomi Klein, para a situação brasileira, é um tremendo exagero retórico, no momento, a crise teria que aprofundar-se muito mais, para que todas as variaveis fossem possiveis.

        Quanto ao “mercado”, aos possiveis investidores, o “Fora Temer” sendo extensivamente veiculado pelas midias não brasileiras, esta assustando tanto quanto o ativismo judicial, pois mostra que as expectativas referentes a economia ,não serão suportadas pelo atual governo, pois ele é fraco, tanto no executivo como no legislativo, e o judiciario, para quem vê de fora, e tem capital, considera-se que o ativismo judicial, a “Lava – Jato ” ( Car Wash ) em particular, “virou o fio “, a extensão dela por mais um ano, somada a ofensiva sobre os fundos de pensão, colocou os possiveis investidores em alerta, qualquer previsibilidade, preço de ativos, desapareceu, tipo longo prazo Brasil, é de 30 dias.

         Analistas e investidores não são burros, quantificam o “Fora Temer” em expectativa negativa, mas tambem tem consciencia que  eleições gerais, no momento, são inviaveis, a avaliação desta proposta fica restrita a uma bandeira de oposição, nada alem disto como efetiva, mas quantificavel como mais uma variavel negativa, portanto, de novo, é permanecer no curto prazo e hedgeado, para saida rapida, pois o negócio é o seguinte :

         Ninguem, nem o PIG, o anti-PIG, os “sujos”, o Meirelles/ Golgfajn, IMF, minha tia, sequer meu cachorro, possuem condição de afirmar que Temer dure até 2018, aliás nem os ” do mercado” ( Nós, os quais a esquerdinha ama culpar por tudo, incluindo as merdas que eles fazem ), tem idéia do que irá ocorrer a semana que vem.

          Como disse hoje um colega brasileiro, de banco internacional : O Brasil está movediço, estamos saindo fora.

    • Nós avisamos
      Junior,

      Assino embaixo. O curioso é o mercado – tão “esperto” – ter pensado que ia ser diferente:
      – capivara de Temer
      – garrote que Cunha tem no pescoço dele
      – capivara de todo ministério, ali colocado para ter foro no STF
      – debilidade jurídico-política da sua ascensão via golpeachment
      – agenda ultra-liberal – sem diálogo
      – negociatas com os ativos do Estado alienados.
      Nós vimos falando isso – Nassif, eu e outros aqui – antes mesmo de Dilma ser afastada.
      Até gente cuja opinião prezo, como o André Araujo, caiu nesse canto de seria.
      Sereia?!
      Mais para bagre…
      O Brasil não é mais aquele em que se resolvia tudo em gabinete, como nos 70.
      Pro bem e pro mal.
      O mercado estava melhor como?
      Com Dilma + Nelson Barbosa – se se tivesse eliminado Cunha e deixado Dilma assumir o 2o governo?
      Ou com esse gabinete que, além de não mandar nada como o anterior, é “movediço”?
      Vejo pelo meu cunhado, economista “de mercado” em SP, egresso da PUC-Rio:
      -o wishful thinking dessa gente, tipo ele e Mônica de Bolle, turvou o tão propalado “pragmatismo” do mercado.
      Se deixaram contaminar pelo ódio visceral de classe aos governos do PT.
      “Ódio visceral”?
      Bad for business!

      PS: aliás, meu caro, nessa análise parece que finalmente o Estado foi mais ágil que o mercado. Ou melhor: os Estados. O sinal das diplomacias no G20 foi inequívoco.

      Dá uma passada lá no meu blog pessoal e veja o post sobre Temer na China. Não saiu aqui no GGN. A primeira versão era séria. Aí fui atualizando conforme chegavam novidades da China. Não teve como terminar com seriedade…

  13. Não sou tão otimista. A Globo

    Não sou tão otimista. A Globo transformou em bosta o cérebro da maioria dos brasileiros. Custo a crer que essa bosta vai sofrer alguma metamorfose antes de uns bons 20 anos. Mas espero estar enganado…

  14. A oligarquia está subestimando a juventude e o povo em geral

    Acho que a oligarquia está subestimando a juventude e o povo em geral. Pensou que daria um golpe ou criaria uma farsa (se preferirem) e ela seria digerida facilmente pelo povo. Com o auxílio inestimável de nossa mídia hegemônica mentirosa. Só tem um pequeno detalhe. Os tempos são outros. Muitas pessoas, especialmente os jovens não se informam via mídia hegemônica (incluindo Jornal Nacional). Por isso estão mais bem informados e podem reverter essa farsa. A cada medida impopular do governo enterino (com “e”) as manifestações vão aumentar. Essa manifestações podem chegar a um ponto sem retorno fácil. Com consequências ruins até para os oligarcas que tanto investiram no golpe. Essas consequências incluem a desmoralização dos partidos que participaram do golpe, incluindo a justiça e a mídia hegemônica que funcionam como sicárias dos oligarcas. Se a oligarquia fingir que está tudo bem, pode correr o risco de uma Revolução Francesa aqui nos trópicos. Não gostaria de ser parte da oligarquia quando isso acontecer. Se os oligarcas forem sábios (duvido) vão buscar eleições gerais o mais rápido possível. O país sofre de uma crise extrema de representatividade. Em todos os níveis, incluindo um Judiciário caríssimo e super tendencioso.

    • Jovens não fazem mais do que

      Jovens não fazem mais do que obrigação em nos tirar desse buraco em que ele nos meteram.

      Não esqueci que esse pessoal botou fogo no país 3 anos atrás. Eram crianças com menos de 5 anos quando Lula entrou, e ávidos por novidades, incendiaram esse país. 

      Quando eles viram que ninguém seria mais prejudicado do que eles, parece que acordaram, mas já era tarde !!!

  15. O desprezo pela história,
    O desprezo pela história, pela filosofia, e por toda a área que esteja fora do pragmátismo, levou o mundo a não entender o que está ocorrendo, portanto, incapaz de oferecer soluções.

    Após os avanços democráticos conseguidos pelos movimentos da década de sessenta, o sistema se armou para deter novas conquistas e reduzir as que foram alcançadas.

    Para isso domesticou os instintos transformadores criando padrões exclusivistas, definitivos do bom, justo, perfeito e acabado, condicionando as populações a serem defensoras dos interesses do sistema, e não questionadoras do que nos é posto.

    Pouco importa que esses interesses sejam representados por A ou B. Quanto menor projeção tiver o líder, melhor para o sistema implementar seus objetivos. Temer, se não implementar as medidas que reduzam os diretos – político e social -, e a diminuição do Estado cairá por apenas um sopro igualmente ao que acontece com todos os títeres.

    Líderes e grandes riscos da falta deles

    Nos conflitos do passado estiveram presentes grandes líderes que puderem compreender a insatisfação das populações e apresentar caminhos alternativos para solucionar os atritos. Pela liderança, têm a força aglutinadora que mantêm as populações organizadas, diminuindo os riscos de formação de turbas.

    O processo de Catarse

    Um povo sem cidadania derruba presidentes a cada minuto.

    Sem cidadania a sensação de não pertencimento está sempre presente. O cidadão se sente isolado, desprovido de representatividade. Essa condição gera a necessidade tanto de criar heróis quanto a de derrubar governo.

    É a conhecida necessidade de “catarse”

    E catarse coletiva a história conhece. É a turba que se forma, que é contra tudo e todos, sem liderança, sem rumo e sem responsabilidades

    Sempre após catarses coletivas surgem lideres extremamente radicais, todos eles com o discurso moralista de direita, contra a corrupção, e pelo justiciamento. São perseguidores da população.

    O risco da turba é que ela não discute ideias, discute pessoas.

    Maginalizaram a política e sempre que isso ocorreu “líderes” como Collor, Janio, Berlusconi, Trump, e tantos outros radicais de direita entram em cena.

    A mídia é a principal responsável pela ascenção destes energumenos que aparecem com o discurso da apolitica, da negação dela, e são eleitos pela classe mais ignorante que se tem; não precisa nominá-la, todos sabem onde eles são bem votados.

    Criam monstros, e depois se fazem de desentendidos, perplexos e ressentidos.

    Não precisava nem estarem atentos às lições de história, que aliás, o mainstream odeia, e sensibilidade mínima às noções elementares de contato social e psicologia, bastava usar a lógica cientifica.

    Que venham os Trump e os Bolsonaro, o mundo está precisando deles para ser despertado da ignorância.

    Os movimentos de rua terão o reflexo que a grande mídia quer, infelizmente.

  16. Aguardar um pouco

    Aguardar que o “fora Temer” envolva o pacote completo, principalmente os tucanos hospedeiros e todos os verdadeiros responsáveis pelo Golpe. A queda precipitada de Temer vai apenas manter o impeachment y provocar eleição indireta da câmara, colocando os tucanos no poder, e achando que com isso possuirão legitimidade.

  17. Dilma

    Após o processo no Senado onde as provas do motivo do impeachment foram inexistentes, conforme perícia daquele órgão, e após anúncio de leis para evitar-se impeachment, pelo mesmo motivo, contra o Temer, a Dilma não poderia entrar com pedido de anulação do processo no STF.?

    Soma-se a isto o fato de não ser cassada para as próximas eleições, provando-se assim a inexistência do real motivo do seu impedimento.Ainda na pré-votação na Câmara, o Lewandovisck  dizia que após o processo caberia questionamento e que àquela época o STF se posicionava somente quanto o rito.

    O que mudou ?

    • MRE

      O que será que mudou heim? Se a maioria da câmara e do Senado apoiou a cassação?

      É de chorar mesmo, com os vira casacas em algumas semanas. Podres Poderes !

  18. Temer não tem prestigio é um

    Temer não tem prestigio é um traidor,  vão segura-lo até janeiro depois ele sai do jogo, para que  possa  realizar eleições indiretas como determina a constituição. Ai o congresso colocará um nome mais forte para continuar com as reformas. Eleições diretas só em 2018, até lá muita luta.

  19. A reforma que Temerreilles

    A reforma que Temerreilles quer impor sem ter tido votos pra isso – eis a fronteira que vai determinar se Temer é implodido ou continua até 2018. Pedalada fiscal, lei de responsabilidade, crédito sei lá o que = tudo isso é grego pro povo. Agora falar que homem e mulher só se aposentará com 65 anos e quem estiver até com 50 anos terá que trabalhar 50 por cento a mais do tempo que falta e se entendi quem estiver com 49 anos vai ser premiado e só verá aposentadoria com 65 anos mesmo se tiver 30 anos contribuindo. Aí será a prova dos nove do povo = se nem isso fizer a população chiar e se juntar aos que já estão se manifestando, aí merece o prêmio de povo bovino do século. E quem puder, procure o aeroporto mais próximo e tente a vida em um país menos incivilizado. 

     

     

  20. PMDB: nenhum voto, nunca mais
    O movimento Fora Temer precisa vir acompanhado de um boicote radical ao PMDB nas urnas, até sua completa extinção.

    Um raciocínio rápido ajuda a entender o problema: 54,5 milhões de pessoas que elegeram Dilma elegeram também o mais corrupto e inepto Congresso de todos os tempos, comandado pelo PMDB.

    Não basta só derrotar Temer, é preciso acabar com o PMDB.

    • Será que há representação do povo nas “casas” senado e câmara?
      Dos 511 deputados que participaram da votação históricamente vergonhosa, apenas 34 tiveram votos suficientes para se elegerem sozinhos.  Os outros 477 votantes não tiveram voto suficiente para conquistar o mandato diretamente. Valeram-se da soma dos votos recebidos pelo partido ou por outros candidatos de suas legendas ou coligações, eleitos ou não.  http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/so-35-deputados-se-elegeram-com-a-propria-votacao/  No senado a mesma coisa, dos 80 senadores, onze foram eleitos sem nenhum voto, dez chegaram pela suplência, como o Perrela do helicóptero com meia tonelada de cocaína, conclusão, o poder que deveria emanar do povo, não emana do povo em hipótese nenhuma, não há uma DEMOCRACIA, há uma cleptocracia onde quem manda são os ladrões do povo, os quais não querem reforma política, pois isso acabaria com a farra dos eleitos sem um único voto.  http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/com-cassacao-de-delcidio-cresce-a-bancada-dos-sem-votos-no-senado/ Essa é a realidade, o povo quer eleições diretas já, sem a menor mediação manipulativa da Globo ou BAND ou qualquer outra rede pertencente à elite rica e corrupta nos debates entre os candidatos, que os debates sejam pela internet e sejam longos o suficientes para a participação direta do povo pela rede de computadores, chega de enganação. Globo golpista filha da ….

        • Sem voto obrigatório é mais fácil comprá-lo

          Pense em um vereador inescrupuloso que compra votos e precisa de 1000 votos para se eleger em uma cidade.

          Se 1000 eleitores tiverem a obrigação de votar, outros candidatos terão parte destes votos, a disputa é mais difícil. Ele terá mais dificuldade de comprar 1000 votos pois, alé de mais caro, quando mais gente vender, maior o risco de descobrirem e ele ser cassado.

          Sem a obrigação vai votar quem quer e, em uma eleição desmotivada onde 50%-60% não votaria, esse candidato a vereador se elegeria com 400 votos em vez de 1000. É mais fácil quem compra voto se eleger comprando os 400 votos do que os adversários honestos que encontraram um eleitor cético sem motivação para votar conscientemente.

          O mesmo raciocínio vale para deputado federal e até senador em alguns casos. Muitos não compram votos diretamente, mas financiam os estaduais que lhes trazem votos, os vereadores que fazem a campanha para ele no município e recebem dinheiro para fazer a campanha, além de apoio inclusive financeiro nas eleições municipais. É lá na ponta que se compra voto, ainda que disfarçado, tipo pagando para colocar faixa na casa (é proibido, mas é o que mais rola por baixo do pano), pagando panfleteiros, etc. Ou então apenas fazendo aquele trabalho junto a conhecidos: “Não tem candidato? Vota no meu”.

          Note que os deputados federais eleitos, principalmente os mais votados, tem votação difusa no estado em vários municípios, em vez de se eleger só com os votos de uma cidade, um bairro, uma classe, uma base eleitoral que realmente ele represente.

          Filosoficamente sou contra o voto ser tratado como uma obrigação (na verdade a sanção hoje é apenas uma pequena multa para quem não vota), mas é preciso levar em conta o contexto da realidade para não piorar mais ainda o que já está péssimo.

      • Eles não nos representam.

        Ricardo, qual o parlamentar, que efetivamente tenha conciência de que deveriam legislar na defesa de seus eleitores, bases, a da sociedade civil, como um todo ?

        Este energúmeno Senador Cristovão Buarque, ao ser questionado pelo repórter Eraldo Pereira , se estaria representando o pensamento e a vontade de seus eleitores, ao votar pelo impeachmento da Presidenta Dilma(e essa toupeira, foi eleito pelo voto de petistas, partido do qual ele desligou-se, mas não devolveu o mandato)ele respondeu taxativa e covardemente: Eu sei que meus eleitores, não querem que eu vote pelo SIM ao impeachment, mas, eu vou votar assim mesmo, pois o Senador sou eu, e eles… 

  21. Quem será……………………….

    Com o fora Temer, quem será o próximo salvador da Pátria. Dito alguns nomes; Eduardo Paes, Rodrigo Maia, Álvaro Dias,Geraldo Alckmin; ou a fraca Marina?

  22. Pepe Escobar – facebook

    GOLDMAN BRAZIL SACHS

    Despite regime change, Brazil’s economy continues to linger in Total Devastation territory.

    But some devastations are better than others – and better for others. After reading Goldman Sachs’s latest report on Brazil, here’s what we find as recommendations:

    “A deep, permanent, large structural fiscal adjustment remains front-and-center on the policy agenda to restore both domestic and external balance.”

    “Fiscal adjustment” is code to shock therapy-style savage privatization and shock and awe destruction of social programs and workers’ rights. Goldman couches it as “a deep fiscal adjustment that would elevate public sector savings”.

    Goldman estimates that, “returning to a primary surplus level that stabilizes the debt dynamics (around 2.5% of GDP) will take likely 4-5 years, or perhaps longer.”

    That’s the preferred timetable for the Brazilian oligarchies behind the coup, assuming Temer The Usurper lasts until 2018 and then a corruption-ridden Parliament picks the next President.

    Brazil’s depression gets worse by the month. BUT the stock market is booming. Why? Because Central Bank-created “liquidity” – as in QE, especially from the US – loves a market that offers “incremental yield” such as Brazil’s.

    Wall Street – and Goldman – are now effectively in charge of Brazil’s Central Bank and the Ministry of Finance. They – and the compradors they control – are in charge. The rest is details.

    No wonder Joe Biden has been the latest to effusively praise the coup – following the State Dept., which was into it from the start.

    Obama at least refused the embarrassment of face time with Temer The Usurper at the G20 – where Temer was at best a silent extra in a Made in China pair of brown shoes.

  23. Pra cima da globo

    Li um comentário muito pertinente ontem: “Os manifestantes precisam se concentrar também em cima da globo. Desarticula-la. Forçá-la a mostrar o que realmente está acontecendo. É preciso trazê-la para o lado de cá.”

    • globo = GOLPE

      “É preciso trazê-la para o lado de cá” – Como assim? Quem escreveu isto não entendeu nada. Não deveria explicar isto, mas a globo É O GOLPE!

    • A Globo é parte, mas o que o unifica o povo é luta por direitos

      Nada é mais importante agora do que cada um ser mais um nas manifestações “Fora Temer”, “Diretas Já” e “Nenhum direito a menos”. A Globo cai de podre junto.

      É o povo em massa indo pra cima (com determinação mas pacificamente, para atrair mais gente e para as causas se sobreporem a cenas de confronto) que amedronta os políticos para recuarem nas votações de arrocho e perda de direitos. Veja que golpista que tem mandato parlamentar quer esconder reforma da previdência até passar as eleiçoes.

      Só o povo em massa nas ruas defendendo seus direitos é que afunda a Globo porta-voz da perda de direitos.

      Só o povo em massa nas ruas que pode construir uma democracia participativa de verdade.

      A Globo é o câncer da democracia, mas o povo que ficou apático diante do golpe dos corruptos, não vai sair de casa se a causa de uma manifestação for só ser contra a Globo.

    • Descontruir a mídia é descontruir o GOLPE

      “””4 princípios invioláveis que devem ser usados com total coesão para quem for as ruas pela verdade e justiça e não for COOPTADO pela rede Golpe e associados:

      1 – Clamem pela Democracia. A Palavra de ordem sobre todas as outras se chama D E M O C R A C I A . 
      2 – Usem a bandeira da Brasil. Se repropriem deste símbolo. 
      3 – Exaltem D i l m a V a n a R o u s s e f f. Personificação da democracia, da resistência e coragem inquebrantável. Refaçam a narrativa! urgentemente. 
      4 – Deflagrem o golpismo , a farsa dos meios de comunicação, sobretudo a Rede “Golpe” todos os outros também. Desconstrua a marca.”” Por Gilberto Mauro

  24. O problema já não é mais o

    O problema já não é mais o Sr. Fora Temer, e sim o que virá depois.

     

    e se aplicarem outro “golpe”, elevando Serra et caterva para presidência, interino!

     

    Acho que está faltando mais enfase no pedido de novas eleições.

  25. É de arrepiar. O caos como justificativa para a tomada do poder

    Naomi Klein. Seu livro A Doutrina do Choque, foi traduzido para vários idiomas. 

    No Brasil, foi traduzido por Vania Maria Cury:

    https://faltahistoria.com.br/2016/03/21/a-doutrina-do-choque/

     

    Também causou polêmicas. O  historiador e jornalista Johan Norberg, defensor do capitalismo global, não gosta dessa doutrina do choque de Klein:

    http://www.libertarianismo.org/index.php/videos/farsa-chamada-doutrina-choque-johan-norberg-vs-naomi-klein/

     

  26. Comparo a atual situação do

    Comparo a atual situação do país ao apartheid na África do Sul, lá uma minoria branca dominava a esmagadora maioria negra na base do chicote (armas) sem dó nem piedade a ponto do próprio capitalismo (empresas se retiraram e provocaram a maior queda do PIB registrada na história da região) retirar seu apoio ao governo racista.

    No Brasil, uma minoria (mídia, maçonaria, judiciário, MPF, PF e políticos conservadores e corruptos) resolveu tomar o poder de assalto, na mão grande, aplicando o golpe mais cara de pau da história da humanidade contando que bastava a ogeriza à esquerda e ao PT que em verdade estão restrita à setores de classe média e ricos.

    O cálculo dos golpistas foi errado e temos um país conflagrado caminhando a passos largos para a total desintegração quem sabe guerra civil podendo descambar numa (mais uma) tenebrosa ditadura militar.

     

     

  27. Os homens são semelhantes na

    Os homens são semelhantes na aparência, porém, poderão ser muito diferenes pra história. Vejam um exemplo: Alexandre Magno, foi um trande homem enquanto que Michel Temer, foi um grande traidor. FORA TEMER, TRAIDOR

  28. A tendência é de que a

    A tendência é de que a oposição ao golpe no Brasil se internacionalize. Democracia de verdade e independência das nações são demandas cada vez mais fortes no mundo, e embustes e falsas promessas já não podem contê-las com a mesma eficácia. A Europa já estava a dar sinais de que não suporta mais as imposições estadunidenses. A Inglaterra deu sinal de que retomou seu destino nas próprias mãos. Um sentimento de anseio por independência  percorre todo o continente europeu. Os europeus não vão deixar de perceber que o tacão que trouxe ao Brasil seu golpe de Estado, é o mesmo que lhes traz dominados com sufocantes imposições. E poderão denunciar o pacote inteiro, o mesmo destino, lá e cá.

    • Severino

      Gostei mt do seu comentário ! e concordo totalmente c/ ele, apesar dos lideres atuais fazerem deboche quando alguém, menciona isto. Querem por a culpa totalmente em Dima e o PT, como se o país fosse uma ilha.

  29.  
    Aliado do ‘prefeitim’

     

    Aliado do ‘prefeitim’ ACMalvadeza Neto é chamado de “porco preguiçoso com boca de jacaré para para comer propinas”!
    Ô quadrilha de mafiosos, sô!
    Entenda

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    FUNARO: GEDDEL TEM BOCA DE JACARÉ PARA RECEBER

    O empresário Lúcio Funaro, preso na Lava Jato como suposto operador de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do próprio PMDB, fez uma revelação constrangedora, numa mensagem trocada com Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal; “Ele é boca de jacaré para receber e carneirinho para trabalhar e ainda reclamão”, escreveu Funaro, referindo-se a Geddel Vieira Lima, um dos ministros mais influentes de Michel Temer, que cobrava a liberação de R$ 330 milhões para o grupo J. Malucceli; Funaro ainda chamou Geddel de “porco” e disse que poderia “dar porrada” nele; o ministro, que pode ser o próximo a cair, afirmou não ter qualquer influência na liberação de recursos do FI-FGTS

    8 DE SETEMBRO DE 2016 ÀS 05:35

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/253968/Funaro-Geddel-tem-boca-de-jacar%C3%A9-para-receber.htm

  30. Fora Temer

    Acompanhei  a abertura dos jogos paraolimpicos e foi constrangedora a presença de Temer.  Ele estava abrindo um evento para atletas com deficiência, no lugar da governante que, de fato,  desenvolveu boas politicas de inclusão e que trabalhou, junto com Lula, para trazer a copa e os jogos olimpicos para o Brasil. O grito de fora Temer foi proporcional à cara de pau do golpista.    

  31. Um contraponto. Novas eleições, para quê?
    A situação política atual me lembra ACM que em 1982 teve o seu candidato a governador morto em um acidente aéreo faltando 45 dias para as eleições. Ele disse, naquele ocasião, vou escolher um desconhecido e fazê – lo governador. Bingo.

    Mais recentemente, a Globo fez a mesma coisa com Collor.

    Para os que pedem eleições já, digo que a desmobilização popular é tão grande, que o descrédito dos partidos e dos políticos é enorme e, digo ainda, que o domínio da grande mídia é tão hegemônico que eles farão presidente o nome que quiserem.

    A derrubada de Dilma, sem crime definido, o apoio de maioria avassaladora do Congresso, da totalidade do STF e da mídia tradicional, dos órgãos patronais e classistas confirmam as afirmações acima.

    Novas eleições vão legitimar o golpe.

    Lembrem – se o golpe, propriamente dito, não foi contra Dilma, e sim contra as mudanças que ela procurou implementar.

    • Me permita discordar
      A eleição de Collor foi um processo de construção de uma imagem que envolveu toda a midia.E em um tempo que a hegemonia da Globo era enorme.Hoje apesar ainda de ter um grande poder de influencia ja não é o mesmo para que possa tentar construir mais um Collor.Tem um descrédito grande e junto com a audiencia caindo rapidamente.Não tem mais alados com algum peso que componham com ela(Folha,Estadão,Abril/Veja e afins todos falidos).E agora a internet que mesmo não sendo ainda o contraponto de tamanho ideal, mas mesmo assim tem sido de suma importancia em até desconstruir alguns discursos e fundamentos da elite.Me pergunto quem vai concorrer com o velho Lula,que cresce na proporção que lhe batem,ou acham que sua prisão ou cassação de seus direitos politicos o tiram do pareo ? Oque as ruas mosrtram é que ha uma profunda insatisfaçào da quebra do jogo democratico e que pode ganhar volume assim que os que ascederam de patamar nos governos do PT,principalmente Lula verem suas conquistas sendo desfeitas.Ate parte da classe media tambem não aceitara isto.Quem a midia lançara mão para em 2 anos de caos e que seja de seu extrato,de confiança da elite do qual faz parte ? Todos os seus expoentes estão queimados,do picole de xuxu,o playboy de Minas,de Silvio Santos a Luciano Hulk ? Novas eleições é golpe ? Mas este ja foi dado de forma irreversivel, e que mostra despudoradamente que é um golpe.Nossa alternativa mais plausivel e possivel é com o cenario que temos é tentar via eleições reestabelecer a democracia,e torna-la um patrimonio imutavel.

    • Concordo integralmente,

      Concordo integralmente, Assis. E tem mais: com urnas eletrônicas elegem quem quizer, legitimando o golpe com uma “votação” esmagadora. 

       

       

      • Esse papo de urna eletrônica é conversa da Direita!

        A urna eletrônica é usada desde 1996. Se pudesse mesmo ser manipulada a votação nelas o PSDB não perderia uma eleição desde esse ano (inclusive em 2002), e nem o PT iria pro segundo turno nas 4 eleições presidenciais que disputou. As urnas eletrônicas são usadas desde 1996 e o discurso de que há fraude na votação delas só começou nos governos do PT. Nessa eu não caio. Teoria da conspiração pra ajudar a Direita, isso sim!

    • Isso. Os progressistas estão

      Isso. Os progressistas estão errando novamente e são tão teleguiados quanto os que chamam de massificados. Erraram em 2013, quando romantizaram aquelas orquestradas passeatas e se colocaram contra a assembleia constituinte proposta por Dilma. E estão errando agora quando defendem o diretas já, que é extensão do golpe. O que têm que ser defendidos é a anulação do impeachment sem crime de responsabilidade e consequente retorno de Dilma. O que têm que ser defendidos são 54 milhões de votos e o regime presidencialista, já que o parlamentarismo já foi amplamente rejeitado no Brasil e por mais de uma vez. O que tem que ser defendida é a democracia, porque as eleições já são diretas, só precisam continuar sendo.

    • O golpe aconteceu e nada o legitimará

      O golpe aconteceu, está executado e nada o legitimará, pois não há como legitimá-lo. Foi golpe e pronto, digam o que disserem em contrário Temer, Aécio, Janot, STF e todo o resto da curriola.

      Novas eleições pelo menos permitirão discutir ideias. Fico pensando no Ciro Gomes destruindo o idiota do Bolsonaro em rede nacional. Imagino o Cristovam Buarque calado, engolindo em seco sem ter o que responder, com as descomposturas que o Lula lhe passaria. Pelo menos seria o povo escolhendo. Se quisessem escolher mal azar, que sofram pelas suas escolhas, e não pelas escolhas que Temer, Aécio, Serra e Cunha fizeram em nome dos próprios interesses escusos e alegam ser em nome do povo.

      Agora sem eleições, sem contraponto e sem a vontade do povo, veremos Temer cada vez mais acossado pelos seus próprios sicários corruptos, até que estes arrumem algum motivo qualquer pra tirá-lo do poder e instituir um parlamentarismo, ou semipresidencialismo, como propõe o Serra. Sem novas eleições a marcha do golpe continua – e seu rumo é sempre contra o povo.

    • Assis, também considero que

      Assis, também considero que eleições com esse sistema viciado e corrupto por si só não resolve nada. Esse sistema elegeu Collor, FHC (até eu votei nele para Senador, há uns 250 anos), Cunha, Feliciano, Bolsonaro, Tiririca etc. etc.. Ah! mas isso representa a sociedade brasileira. Representa nada, os candidatos podem até ser representativos enquanto candidatos. Após serem eleitos representam eles mesmos, ou o governo que os compra, ou a oposição que paga mais. Marta, Telmario, Cristovam, Tiririca e…muitos, muitos mais, podem representar qualquer coisa menos seus eleitores. Mas há saida sem eleições? A ditadura do proletariado? Um ditador bom? Existem essas coisas? Ficamos mobilizados e esperando eleições para quando? E mobilização com que objetivo?  Sempre fui contra a saída de Dilma, legítima presidenta eleita e reeleita. Deveria cumprir seu mandato até 2018. Mas meu desejo foi vitimado por uma coisa real, um golpe. Minha presidenta não governa mais. E nesse ambiente pra lá de kafkiano, meu desejo é de novas eleições não para legitimar o golpe, mas para desqualificá-lo. Isso seria possível se fossem mudadas a regras. Sempre achei um pouco demagógica a fala daqueles que querem diminuir o nº de deputados e senadores. Quinhentos e poucos deputados não seriam um absurdo num país com as nossas dimensões. E se realmente eles trabalhassem em prol do país, não seria uma maravilha? Mudei totalmente de opinião após assistir 2 circos de horrores, na câmara e no senado. Ficou explícito que quem comanda o baixo clero aprova o que quer. Se o nº fosse reduzido para 1/3, 150/180 deputados, o baixo clero seria extinto. Outra coisa que ficou explicita no circo foi a herança familiar do voto, geração após geração, “em defesa da família”. Os que se dizem orgulhos de estarem lá há 3, 4, 5…legislaturas. Isso só ocorre por causa de reeleição permitida. 150/180 deputados eleitos, sem chance de reeleição, mesmo que fossem 150/180 cunhas, seria um mal temporário e mais fácil de serem fiscalizados. Sendo todos cunhas mais dificilmente haveria a formação de uma quadrilha pois todos almejariam ser o Cunha. Concluindo, minha opinião: Mobilização popular para mudança das regras, com diminuição para 1/3 dos cargos legislativos, sem reeleição. A seguir, eleições gerais em todos os níveis.

      PS.: Estou bem desperto, porém seguramente sonhando.

  32. Tem uma maneira sim de Temer

    Tem uma maneira sim de Temer continuar presidente, ser aplaudido em atos públicos, e até ser reeleito em 2018. Primeiramente…ele teria que montar um novo Ministério, que na esfera política contemplasse os 2 lados, por exemplo que lá estivessem Lula e FHC ou legítimos representantes. A parte técnica não teria maiores problemas, não é tão difícil assim, pessoas competentes existem e muitas. E segundamente que suas medidas beneficiassem os que mais necessitam de benefício e não o contrário. E dispenso qualquer comentário dos que acham que isso é esmola, dar o peixe em vez de  ensinar a pescar, populismo, comunismo, etc., etc..A esses sugiro que se esclareçam com uma tal de ONU e não com nossos comentaristas econômicos alojados na “grande” imprensa. Também aqueles que não são tão necessitados, mas que gostam de um jantar fora de vez em quando, uma viagem a Miami vez por outra, marchar na Paulista de verde-amarelo “porque essa é a cor da nossa bandeira”, que não sejam contrariados em seus direitos duramente conquistados. Com os 1% ele pode passar batido, esses têm um poder de aderência em qualquer situação, basta ver que vicejou, e como!, na Russia Soviética Comunista, que Deus a tenha. O problema é que para agir dessa maneira Temer teria de possuir um poder parecido com o de Midas, e ele achava que tinha. E quando começou a por em prática, meio como aquela estória da natureza do escorpião e do sapo, tudo o que põe a mão se tranforma em uma coisa bem fedida, parte da qual levou inclusive para seu ministério, a exemplo do boca de jacaré. E a pessoa que, pela própria natureza só produz a coisa fedida, deve ser privada (sem trocadilho) dessa capacidade, motivo de tantos gritos de “fora”, que aumentará até o dia em que isso acontecerá, que seja em breve.

    • Utopia não combina com política.

      Caro Eduardo, lamento contradizê-lo, na sua utopia, de que este Presidente “traíra” até o último cabelo, fosse capáz de fazer  um governo de conciliação nacional, e/ou compor-se aos demais partidos, que quisessem ser parceiros de um projeto de salvação nacional.

      Temer é a mais completa tradução do fisiologismo PMDBista, partido que fundado por um “sonhador” o Ulisses Guimarães, depois da morte dele, fisiolizou-se e sempre negociou seu apôio a qualquer governo situacionista, e a cessão da Vice-Presidência ao Temer, foi senão o maior, o mais perigoso ato do PT, ao coloca-lo ao lado de uma pessoa íntegra e trabalhadora, como a Dilma, no qual ele ficou durante o 1* mandato, e neste poucos meses do 2* mandato, sempre à espreita, do melhor momento, de dar “o bote” traiçoeiro, e derrubar a Presidenta, para assumir, e dar aos seus, o reembôlso pelo financiamento da campanha dos seus pares PMDBistas.

      Então, é pura utopia, pensar na hipótese, deste energúmeno, de convidar pessoas notáveis e íntergras, para governar o país, pois seu(dele e de alguns aliados, especialmente PSDBistas) é pura e simplesmente, “entregar” a nação e suas riquesas minerais, a quem eles já prometeram, venderam e falta entregar.  

      • Raí, agradeço pelo que você

        Raí, agradeço pelo que você leu do que escrevi, mas você não foi até o final. Não o condeno pois realmente começar lendo que Temer poderia ser um presidente minimamente aceito já é uma temeridade e achar que ele poderia ser aclamado em público e reeleito em 2018 só para napoleões com uma camisa de força. Claro que não pretendo ter a ironia fina do Nassif mas colocar Lula e FHC num mesmo ministério não é utopia, quem falar isso seriamente é um napoleão que reside em Marte. Concordo com tudo que você escreveu, exceto que esta me contradizendo.

         

  33.  
    [Ainda sobre o DEMoTucano

     

    [Ainda sobre o DEMoTucano ACMalvadeza Neto aliado do Geddel do CUnha na roubalheira da CEF]

    ***

    Juíza antipetista proíbe candidata à Prefeitura de Salvador de chamar ACM Neto de “golpista”; o povo já apelidou-o de “Golpinho”

    Por eminente e impávida jornalista Conceição Lemes

    07 de setembro de 2016 às 23p5

    (…)

    FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.viomundo.com.br/denuncias/juiza-antipetista-proibe-candidata-a-prefeitura-de-salvador-de-chamar-acm-neto-de-golpista-o-povo-ja-apelidou-o-de-golpinho.html#comment-977565

  34. a mídia passa os “comandos” dos cientistas políticos dos partido

    A grande mídia ja percebeu o aumento do FORA TEMER sobretudo com a adesão da classe média esta é a única capaz de reverter o retrocesso histórico que o Brasil entrou…a prova disso é a matéria da UOL na qual a câmara dos deputados está tendenciosa a defenestrar Cunha…para debelar as DIRETAS JÁ. Acredito ser tarde de mais trocar a cabeça de Cunha pelo silêncio das ruas.

  35. Fora Temer!

    Em todos esses anos, desde a ditadura militar, que pelo o visto, divulgado, debatido, sabido e suposto, com uma competente auditoria em todas as empresas e instituições, públicas e privadas, objetivando contabilizar superfaturamentos, roubalheiras, propinas, desvios, sonegações, supersalários, desnecessárias obras e serviços, desnecessárias contratações terceirizadas, evasões de divisas e outras mais, é bem possível que o total de grana do Estado que sai pelo ralo, grana que poderia ir para saúde, educação, ciência, tecnologia e defesa, ultrapassaria a metade do PIB. Ultrapassa a R$ 3 trilhões.

    No resumo da tragédia, se aparece uma fada desavisada interrompendo essa sideral roubalheira, com certeza que a economia do Brasil entraria em súbito colapso. Travaria. Milhares seriam postos na rua junto com milhares de falidos. Seria o caos. Tragicamente, a economia é movida pela corrupção. Semelhante ao que existe em todo mundo capitalista. Portanto, a corrupção seletiva que os golpistas estão se esforçando para divulgar, visando selvagem perseguição e destruição de Lula/PT, bem como, deposição de Dilma/PT, não é nada diante do que existe. A real roubalheira nunca será investigada. Claro.

    Mas, no final das contas, quem sustenta toda a sideral roubalheira existente, sempre é o povo, trabalhando duro e com baixos salários. Ficando com quase nada da fantástica riqueza que produz. Inclusive, pagando altos impostos. Verdadeiros escravos dos tempos modernos.

    Propositalmente posto inculto, alienado e despolitizado, pouco sabe de sua real exploração pelas elites dominantes. Apesar disso, o povo não é burro, e já está percebendo que os golpistas removeram Dilma Rousseff que não rouba e não é entreguista, para colocarem em seu lugar um indivíduo sob graves suspeitas e acusações de roubalheiras. Além do que, declarado entreguista.  Prometendo retirar inúmeros direitos sociais adquiridos. Inclusive, diversas privatizações, jogando no olho da rua, milhares de trabalhadores e de falidos. Besta, o povão não é. Fora a quadrilha. Fora golpistas. Fora Temer!

  36. parada

    Uma coisa curiosa na vaia generalisada nas arquibancadas em Brasilia.

    Supostamente, o povo das mesmas é convidado, e, se convidado por esse “governo”, cuidadosamente selecionado.

    Se cuidadosamente selecionado, podemos supor uma forte parcela de militares e seus familiares.

    E se, mesmo com a seleção cuidadosa, houve a vaia, as coisas estão ficando interessantes.

  37. O problema é quye eles estão

    O problema é quye eles estão sempre um passo a nossa frente.

    Duvido que Temer chegue a dezembro de 2018, duvido que não passe de Dezembro de 2017.

    Será substituído por um governo eleito por esse congresso ultraconservador, que terá uma “pseudo-legitimidade”(Legitimidade conferida pela constituição sendo respeitada, mas pseudo pq a queda de Dilma continua não-constitucional.) que Temer não tem. E terá maior facilidade em fazer as reformas que Temer se proponha, alido ao centrão… só não conseguirá se o PMDB, se sentindo traído for para a oposição, mesmo assim, o PMDB se esvaziará profundamente, com uma boa parte do partido indo para o PSDB, que viraria o maior partido do Brasil…

    Meu medo com o Fora Temer é virar massa de manobra de Tucano.

  38. O comêço do fim, do que nem deveria ter começado

    Naomi Klein, mesmo sem sequer imaginar que sua tese, fosse decifrar a atual situação brasileira, traçou a anos atrás, este estudo, que explica o que acontece em qualquer lugar, quando a “ordem natural das coisas” ou dos acontecimentos, como cantou Caetano,é transformada radicalmente, de forma abrúpta e/ou por golpes institucionais,

    Estes processos, começam sempre, com pequenas manifestações em organizações sociais, ou em grupos estudantís, sindicais,às veses apolíticos, mas que têm a extraordinária capacidade de multiplicar-se e ser ampliada, noutros segmentos sociais, e sempre chega a um ponto, em que é impossível conter, mesmo que aqueles que se sentem ameaçados por tal “avalanche” de descontentamento na sociedade,usem de forças repressivas, que só aumentam a impopularidade, e causam repúdio na sociedade.

    Só lembrando, que embora os fatos atuais, não tenham muita coisa com os primeiros movimentos sociais ocorridos naquele 13 de junho de 2013, foi aquele estopim, que parecia apenas mais uma rebelião estudantil, contra o aumento das passagens de ônibus na capital paulistana, que foi se irradiando, se espalhando, convencendo aos indiferentes, e que terminou sendo “assumida”pela direita, e pela mídia, que convenceu a um Congresso não representativo da sociedade brasileira, e por uma oposição incapáz de aceitar a derrota na disputa Presidencial, pela 4@ eleição consecutiva, que incorporou aquelas manifestações, inicialmente apolíticas, para fazerem dos manifestantes, seus “cavalos de Tróia” e ao comandarem estes ingênuos estudantes, como uma manada, transformaram uma gestão que poderia ser complementar ao primeiro e bem sucedido governo Dilma, impossibilitando-a de cumprir sua(dela)missão constitucional, terminando com este inconstitucional impeachment.

    Tudo isso, mostra-nos que o que está ocorrendo, com este governo impôsto à fôrça, e desacreditado por mais de 70% da população,tende a ficar cada dia mais impopular, e sem as condições objetivas, para governar, sem apôio popular, e sendo criticado, repudiado, ameaçado em quaisquer lugar e situações, não tendo a menor condição de se sustentar, e mais dia, menos dia, vai ceder às pressões populares, pois sua administração fica cada dia menos sustentável.

    Tudo isso, que nem deveria ter chegado neste ponto, poderia ter sido evitado, se os Poderes Judiciário e Legislativo, tivessem se atido a cumprir a Constituição, e deixar que a vontade popular, fosse cumprida, e agora, como explica a Naomi Klein, vai ser difícil evitar que o “Fora Temer” e a pressão por novas eleições, vençam este retrocesso político, que tenta manter-se no governo, sem a menor aceitação popular.   

  39. Mais uma vez,o Profesor e

    Mais uma vez,o Profesor e o aluno tem opiniões divergentes.Diz o Professor peremptoriamente:”O crescimento do “Fora Temer” poderá desequilibrar o jogo.Em aparte ao Professor,o aluno pondera:Poderá não,já desequilibrou.E o tempo,senhor absoluto da razão,decidirá a quem ele acolhe.É sobre este aspecto que está focando o meu comentário.O resto,apesar do mais profundo respeito que tenho ao Professor,é espuma.Para enfatizar o que digo,duvido que o Padrinho vestido de Papai Noel,entregue a Michelzinho seu presente natalino,que as mentes mais poluidas daqui devem imaginar o que seja. 

  40. Cunha e o Sinuca de Bico

    No jogo de sinuca há a famosa jogada do sinuca de bico onde a bola da vez  é encoberta por outra bola qualquer obrigando o jogador a fazer quase um milagre para não tocar essa bola que a encobre. Pois é isso que acontece agora com a cassasão de Eduardo Cunha. Se não for cassado, imaginem o que acontecerá em Brasilia com os deputados tamanha a onda de revolta do povo nas ruas. Se for cassado, Eduardo Cunha pode botar a boca do trombone e fazer um estrago de dimensões inimagináveis nessa turma que o dão sustentação. Qualquer que seja o resultado desse processo, Temer estará mais ainda fragilizado. Se Cunha cai o povo continuará com, Agora é Temer! Se Cunha fica ai podem de um só tacada sair os dois expulsos pelo povo e assim levar mais gente de roldão.

  41. Velha mídia, o Fora Temer! E as Diretas Já!

    Só de pensar que em um evento organizado para 7 de setembro na Capital Federal com Temer houve Fora Temer! Já se sabe que não temos um Presidente capaz de exercer o cargo que sonhou para si. Nem com controle total do evento se conseguiu evitar vaias e Fora Temer!

    A popularidade de Temer é muito baixa e não se tem um Brasil dividido como no pré-Impeachment.

    Lá no Fora Dilma o Brasil andava dividido, os democratas X os verde-amarelos cooptados pela velha mídia capitaneada pela Rede Globo e seus satélites Band, Folha, Veja, Estadão e poucos mais. No Fora Temer não há o Fica Temer. Só há uma manifestação: Fora Temer!

    Depois do Ministério apresentado, de propostas como as reformas da previdência e trabalhista, que aos poucos chegam à boca do povo via redes sociais, só ficou ao lado de Temer uma parcela diminuta da população, àquela que incorporou um ódio tão doentio ao PT ou que defende a liberalização total da economia.

    Temer tem ainda uma marca forte, que é fugir do embate com a população.

    Não diz quase nenhuma palavra. Na abertura das Olimpíadas e Paralimpíadas quase se escondeu e no final do evento Olímpico, sequer apareceu, promovendo um vexame internacional. Não desfila de carro aberto no 7 de setembro, etc.

    E para piorar vai para a China e fica de escanteio na foto dos Presidentes do G 20. Até é colocado como Representante do Brasil na lista dos participantes do evento, ao invés de ter seu nome citado.

    Acima de tudo ele é um refém da narrativa que se desenhou como prioriadade para derrubar Dilma: a corrupção. Exaustiva a ação da Imprensa, bem sabemos, parecia que só quase este tema interessava ao país.

    E, assume o Poder um multi delatado na Operação Lava-Jato e ficha suja conforme decisão do TRE paulista. Lava-Jato que é uma Operação muito valorizada por aqueles que foram às ruas pedir o Impeachment de Dilma.

    O tiro no pé da velha mídia está dado. Chegou o multi delatado na Lava-Jato ao Poder.

    Temer é o Presidente Ficha Suja. Sendo a corrupção um mote diário no imaginário do cidadão médio brasileiro, ele não tem salvação.

    Toda a parcela da população que percebeu se tratar de um Golpe de Estado contra Dilma não tem o menor apreço por Temer, o traidor.

    E a parcela da população, que bradava contra a “corrupção petista”, que a velha mídia e a Lava-Jato fazia o papel de conferir veracidade, também, não está do seu lado, ele é, afinal, multi delatado na Lava-Jato e Ficha Suja na Lei da Ficha Limpa. 

    Sem contar seu Ministério de figuras, também, carimbadas da Lava-Jato. 

    Para a velha mídia caberá um caminho: criar um candidato de fora do campo político, quando vingar as Diretas Já.

    Temos uma parcela considerável da população que não acredita mais em políticos e na Política.

    Ela (a velha mídia) não tem o candidato ainda, confiável para os seus planos de vencer o pleito? Seria Sérgio Moro um candidato ideal? 

    Ele pouco fala. Será que aguentaria o tranco de uma Campanha Eleitoral?

    No momento a estratégia da velha mídia me parece ser, trabalhar por dois flancos paralelos e coincidentes:

    1) Atrasar o máximo possível a saída de Temer para realizar o máximo de reformas neoliberais e privatizações possíveis com Temer mesmo (até não dar mais para segurar o Diretas Já!);

    Lembram-se do grande comício pelas Diretas Já no ano de 1984 em 25 de janeiro, que a Rede Globo tratou como, apenas uma festa de aniversário da cidade de São Paulo? Por hora se fará de desentendida a velha mídia, como em 1984, até que precise apoiar um candidato.

    2) Continuar a perseguição ao PT, Lula e Dilma e as esquerdas, para que no momento de uma nova Eleição presidencial se possa ter uma criminalização forte do candidato progressista, ligado às esquerdas, aos democratas e nacionalistas, ele estaria do lado não só de corruptos, mas de “baderneiros”, de pessoas violentas, dos black blocks, etc. Narrativas que presenciamos nestes dias de manifestações Fora Temer!.

    Passo nesta direção de continuar a criminalização do PT está sendo dado com a nova Operação da Polícia Federal Greenfield e os fundos de pensão.

    Prática idêntica a da lava-Jato só modificando o interesse.

    Do Pré-sal para os fundos de pensão.

    O tema é o mesmo: a corrupção. O alvo é o mesmo: o PT. A seletividade continua: escolhe-se entre pessoas as que devem ou não devem ser postas nos noticiários e investigadas, as escolhidas: pessoas de algum modo ligadas ao PT. O interesse central o mesmo: a privatização, na Lava-Jato do Pré-Sal, na Greenfield dos fundos de pensão.

    É interessante notar que a velha mídia vai intensificar o ataque à oposição nestes tempos para esconder do noticiário, deixar em segundo plano as reformas neoliberais que deseja ver postas em prática logo, antes do inexorável Diretas Já.

    Continuar com a temática da corrupção, continuar a centrar o alvo no PT, e em Lula, preferencialmente. Desviar da discussão na Internet, zap zap, redes sociais o que seria essencial discutir: as reformas neoliberais sem voto da população para tanto, e que só se consegue aprovar com um Presidente sem legitimidade como Temer.

    O Fora Temer não precisa deixar de existir, é até bom, na lógica da velha mídia, por quê?

    Mais um modo de desviar o foco dos intentos maiores do Golpe: privatizações e reformas neoliberais.

    O jogo da velha mídia é repetitivo. Corre contra o tempo. E, no final, vai tentar se sair bem na foto.

    E, sabemos, que nos tempos atuais já não se pode mais confiar nesta possiblidade.

    Ainda mais em se pensando que a velha mídia vai defender, sem muita cerimônia, as reformas trabalhista e da Previdência.

    P.S.: Com as Diretas Já ganhando força, cai por terra qualquer tentativa do Presidente do TSE Gilmar Mendes manobrar para tirar Temer e realizar uma Eleição indireta via Congresso em benefício do PSDB. É um fato novo que me veio a cabeça. 

  42. Se o fara temer bobear

    Se o fora conha bobear, antes de quqalquer coisa, o desgoverno globo do traíra e incomparível temer, leia-se cunha/temer porque o segundo só representa o primeiro, com o gedeel e o eliseu padilha venderão a petrobrás e farão a “reforma da previdência”.

    Informação sobre estes senhores, favor ir ao google.

    Não seria o caso do janot fazer uma denuncia ao stf?

  43. Alguém algum dia me chamou

    Alguém algum dia me chamou aqui nesse espaço,de Rei dos Chatos.E sou,reconheço.Comentarios de Redes Sociais,não deveriam ultrapassar mais que 20 linhas.Conheci um que era 15,não sei se ainda é.Além,vamos por assim dizer,colocar freios em muitos comentarias prolixos,evitaria também que alguns deles transforme o blog em sucucursal do Google.Objetividade,apesar de dificil,é um maiores legados da Lingua Portuguesa.Tão importante é,que em certas situações,ganha-se tempo e dinheiro.

  44. Ah,me esqueci.E pouparia

    Ah,me esqueci.E pouparia trabalho a Da.Lourdes Nassif,que honra o sobrenome que tem,pois,ao certo,tem muito outros afazeres a dar vencimento.

  45. O que fazer para além do Fora Temer?

    Tenho preocupações quanto ao discurso “fácil” de que as manifestações pelo “Fora Temer” por si só levarão os golpistas (as corporações estrangeiras e seus vassalos no parlamento e justiça) a se renderem.

    Até quando continuaremos a ir para as ruas, apanhando aqui ou acolá de uma polícia fascistas, em que suas lideranças são ligadas ao crime ou aos golpistas? Isso por si só vai levar o Congresso e o STF, por exemplo, a terem suas consciências condoídas? Ou vão sentar e esperar seu esvaziamento como já aconteceu antes da consumação do Golpe. Pior, eles esperarão por mais uma reunião de acordo, onde me salvo aqui e eles ali, mas, o lado “caracu” é sempre o nosso?

    É Golpe e todos sabem, aqui e “nos estrangeiros”. Porém os países da cúpula nunca reconhecerão o Golpe oficialmente, pois o Golpe interessa as mesmas corporações que os tem sobre domínio. Como coloca Márcio Valley, os EUA não passam do exército das corporações, que só age para elas lucrarem. Eu já digo que quem manda no Obama, não é a Michelle e nem o Congresso americano, são as mesmas corporações que financiam os golpes aqui e acolá. O povo americano está em uma merda pior do que a nossa, aliás, nossa dívida representa 66% do PIB, a americana passa dos 100%, está nos 104%, o Japão alcança a marca dos 229% graças as mesmas corporações. Só perdemos para China, 44% e para a Rússia, 17%. A Índia está em 67% do PIB. Os países do BRICS estão melhores do que os do G7. É isso que querem destruir.

    O fato é, vamos mudar o quadro só gritando “Fora Temer”, ou teremos que, no processo das ruas, ir para além das passeatas? Não defendo as quebradeiras, isso eles farão e irão por a culpa na gente. O que fazer? Lembro de uma entrevista do Vladimir Palmeiras, que em uma das passeatas de 68, alguém propôs sair pela contramão do trânsito. Paralisou a cidade e impediu que o exército chegasse por conta do engarrafamento. Na realidade o que temos que fazer é que doa em seus bolsos. Só se preocupam quando provoca “prejuízo”. Em uma das greves do Metro, os funcionários, lá pelos anos 90, liberaram as catracas e o povo viajou de graça. Isso incomoda! Não houve violência e o povo adorou. Precisamos de mais atitudes assim, pois na hora da negociação, mesmo que “caracu” no mínimo o gargalo será mais fino.

  46. Comentário fora de pauta

    Prezados,

    Considero este artigo precipitado, publicado extemporaneamente. Em suma: sendo um prognóstico e muito próximo de um simples ‘palpite’ ou ‘chute’, não o considero deigno de maior atenção ou comentários analíticos.

    Acabo de ler uma notícia, dando conta e que o PGR, Rodrigo Janot, e o ministro (sic) do STF, Gilmar Mendes trocam farpas e mandam recados por meio do PIG/PPV. A meu ver isso não passa de outro capítulo ou ‘ato’ do jogo de cena constante em que os doutos se envolvem, usando o PIG/PPV como palco. Acertei nas análises anteriores.

     

  47. O povo não tolera líderes fracos!

    O povo não tolera líderes fracos!

    O governo temer está com os dias contados. Dificilmente chegará até 2018, ainda mais com as pautas antipopulares que estão previstas. Após as eleições municipais sua base governista oportunista vai debandar com a mesma velocidade que abandonou o governo petista. Esse presidente ilegítimo e golpista vai provar seu próprio veneno. E o primeiro a traí-lo será Eduardo Cunha.

     

    • Se ele – Temer – eu fosse,

      Se ele – Temer – eu fosse, teria renunciado ao cargo dez minutos depois de batido o martelo no Senado. Salvaria a sua biografia o que inclui não permitir que o país mergulhe no caos que a banca quer onde a única coisa que importa é o controle da inflação – único inimigo letal dos banqueiros – e lastrear ativos podres com privatizações pra lá de capciosas como foi visto nos tempos de FHC.

      Temer servirá de escada a Serra, o “José Piñera” paulista, que depois de comandar todos os desmontes, jogando tudo nas costas dele – Temer – se apresentará em 2018, cinicamente como “o salvador da pátria”, e, a exemplo da Besta apocalíptica, “enganará a muitos”; à maioria simples, que é o bastante. E Temer será tido como uma porcaria.

      Não há outra saída! O sistema foi criado pra isso.

      Bem vindo à República da Irresponsabilidade! Onde ninguém tem compromisso além das próximas 24 horas.

      A política tradicional acabou; o Judiciário só pensa em salários e homenagens dos irmãos Marinho da Globo; estes só se interessam em manter o sonho de ser um Slim brasileiro; e os banqueiros por trás de tudo… só pen$am naquilo!

      Em tempo: Temer não é de Eduardo Cunha. Temer, a menos que seja um gênio a altura de Darth SIdious (Guerra nas Estrelas) não é de ninguém. É só um rolete a ser chupado e cuspido.

      • O Temer é um imbecil!

        O Temer é um imbecil! Ao invés de tentar fingir ser essa “salvação nacional” que o PIG tenta forjar, ele fica criando crises desnecessárias. Não ter nomeado nenhuma mulher para os ministérios foi de uma estupidez atroz, criou um constrangimento desnecessário, era só pedir para a Flávia Piovesan assumir algum ministério de fachada que estaria resolvido esse problema.

        Além disso, ter nomeado o mendoncinha para o ministério da educação foi mais uma imbecilidade. Mais uma vez, ao invés de evitar confrontos desnecessários, resolvem ter a primeira reunião oficial do ministro da educação com o alexandre frota.

        Dentre tantos outros absurdos. É um governo que tem tudo para dar errado, que só dificulta o trabalho dos golpistas em vestir a túnica do salvador da pátria nessa tranqueira que assumiu o planalto. Será uma tarefa gigantesca tentar salvar esse governo ilegítimo.

  48. O mal dos estrategistas de

    O mal dos estrategistas de gabinete, os burocratas radicais, é que eles sempre priorizam as fórmulas e desprezam o principal: o fator humano. E aí vem os acidentes de percurso.
    A ideia deu certo no Chile porque, entre outras coisas o Chile tem uma fossa submarina gigantesca ao longo do país, e os submarinos soviéticos da época passeavam nela com tranquilidade assustadora. Como resultado? logo depois do golpe contra Allende a aristocracia chilena foi coberta de mimos dos Estados Unidos. Além de ser uma experiência pioneira, logo desconhecida nos manuais, houve como financiar a tranquilidade dos chilenos, pais que até hoje não alcançou os níveis médios de riqueza e muito menos o padrão europeu, como seria de se esperar se aquilo tivesse dado o que propunham os Chicago Boys.
    Em 1970, nos meus cafundós aqui das minhas serras, interior deste meu que é o menor estado da Federação a política prometia uma virada espetacular, acabando o comando de uma facção política de mais de duas décadas. Parecia que finalmente a Ditadura iria implantar aqui a democracia sem povo, tão ao gosto dos “iluminados” que detesta gente. Mantiveram a proibição de dois partidos aliados aos governos centrais, e o de oposição, o MDB,  foi desencorajado em apresentar candidato. Mas a turma por aqui é meio teimosinha, desde que peitou o governo colonial em 1656 por conta de excesso de impostos, quando o município sequer existia. Além de uma diligente oficial notária que conhecia a Lei e sabia que legalmente nada havia contra o registro da candidatura do MDB, e concluiu o dito registro, o então verdadeiro líder, que se achava preso, comandou a mais espetacular vitória de que tenho notícia, mais espetacular até que a de Brizola para o Governo do Estado do Rio de Janeiro, doze anos depois. Os burocratas do Estado Maior do Exército esqueceram de combinar com o povo.
    O poder é o poder! Mas tem limites, né?

    • Chile
      Na verdade, o PIB per capita chileno é ~ 23 mil dólares, um pouco abaixo da Grécia e Hungria, mas acima da Romênia, três membros da União Europeia.

      Além disso, é o maior da América do Sul e 50% maior do que o brasileiro (~15 mil). Então eu diria que economicamente o Chile atingiu sim um nível invejável de riqueza, que o Brasil precisará de algumas décadas para alcançar.

      • Chile: questionamento equivocado

        -> Na verdade, o PIB per capita chileno é ~ 23 mil dólares,

        tiro na água. neoliberalismo jamais produz inclusão social, só aumento da desigualdade.

        PIB per capita é péssimo índice para aferir desigualdade. é apenas uma média que nada revela sobre o que de fato importa: a distribuição da renda.

        índice de Gini: Chile: 50,45 (2013)

        fonte: http://www.indexmundi.com/facts/indicators/SI.POV.GINI/rankings

        Brasil……..: 52,87 (2013)

        Bolívia…….: 48,06 (2013)

        Equador….: 47,29 (2013)

        Argentina..: 42,28 (2013)

        Uruguai…. : 41,87 (2013)

        Noruega… : 25,90 (2012)

         “El problema de la desigualdad es que vivimos en un país burbuja, donde mientras un pequeño grupo vive mejor que los ricos de Suiza, el 50 % de los trabajadores gana menos de $ 250.000 y en el 65 % de los hogares el ingreso mensual autónomo por persona es menor a $ 203.000 (Casen 2011).”

        fonte: http://www.elmostrador.cl/noticias/opinion/2013/04/10/desigualdad-en-chile-el-problema-son-los-super-ricos/

        • Porém, Gini não é um

          Porém, Gini não é um indicador bom para o nível de prosperidade econômica. A Bolívia tem um índice melhor do que o brasileiro, porém os bolivianos vêem ao Brasil em busca de uma vida melhor, com desigualdade (e escravidão) e tudo. IDH é um índice composto que representa melhor a qualidade de vida de um povo, não apenas a econômica. De novo, apenas o Chile (42°) e a Argentina (40°) estão entre os países sul-americanos com índice de desenvolvimento muito alto, mais de trinta posições acima do Brasil e maior até do que Portugal. Não estou minimizando Gini – e de novo, o Brasil perde para o Chile – mas pessoas de todas as classes sociais migram para países com alto nível de desigualdade social, como Qatar e Emirados Árabes Unidos (e Brasil), de novo, em busca de uma vida melhor.

  49. Há um pequeno senão, esta teoria não contempla o risco.

    Talvez o grande furo desta teoria proposta pela “teoria do choque” de Naomi Klein esteja na não abordagem técnica que se chama o “Efeito de Escala”. Explico melhor, quando abordamos na física qualquer tipo de efeito tem-se que necessariamente levar em conta a escala do meio em que se quer aplicar este fenomeno. Exemplificando mais ainda, quando se analisa o efeito da tensão superficial na água, vemos claramente que pequenos insetos podem realmente CAMINHAR SOBRE A ÁGUA, pois a tensão superficial não é rompida pelo peso deste inseto e ele pode caminhar sobre a superfície. Quando se procura transladar este efeito para seres maiores claramente o efeito não ocorre, ou seja, um homem não consegue caminhar sobre a água pois rapidamente a tensão superficial é rompida e ele afunda.

    O que estou querendo dizer é que nas sociedades se tem o mesmo efeito, quando se tem economias pouco significativas nos seus mais diversos aspectos, qualquer problema que surja na presença de um golpe mal executado é rapidamente absorvido pelas forças dominantes do Império. Porém devido ao grau de importância do Brasil e principalmente pelo grau de fechamento da nossa economia uma falha numa tentativa de golpe claramente e expressamente patrocinada pelas forças do Império (pode ser veladamente e sem uma clara definição de apoio) pode levar a um grande problema para os mesmos.

    Uma tentativa direta de golpe pelo Império, pode levar a uma ruptura tanto pela esquerda como pela extrema direita com consequências nefastas para a geopolítica mundial. A capacidade industrial brasileira, mesmo que dependente de tecnologia importada pode num governo extremamente nacionalista e com uma ruptura clara com as forças imperialistas dominantes, pode levar a uma mobilização do povo brasileiro que alinhado com novos parceiros desestabiliza totalmente o equilíbrio de forças do continente sul-americano.

    Uma desestabilização no Brasil ao ponto de se ter uma ruptura com os laços da sociedade moderna, podem facilmente criar algo muitas vezes mais perigoso para o Império do que por exemplo uma Coreia do Norte!

    O Brasil é um dos poucos países dependentes que pode se tornar praticamente independente sem que isto traga grandes problemas a sua população. Praticamente produzimos tudo, e o que não é produzido pode facilmente com todos os excedentes que se tem ser importado via qualquer forma.

    Não podemos esquecer que somos mais de duzentos milhões de pessoas, não podemos esquecer que há neste grande número de habitantes uma quantidade razoável de técnicos que se dadas as condições podem produzir tudo aquilo que importamos sem grandes problemas nas substituições destas importações.

    O que estou falando é claro e facilmente verificável na nossa história que mostra que os saltos qualitativos que se deram na indústria brasileira foram exatamente quando as grandes nações por problemas militares (primeira e segunda guerra) não puderam manter o fluxo de exportação para o Brasil.

    Somos um país em que a segurança alimentar não é um problema, ou mesmo, é uma solução. Se houvesse um fechamento de nossas fronteiras tranquilamente o que falta produzir no nosso país com a mão de obra qualificada em termos de nível superior, se fosse mobilizada num tipo de esforço de guerra em três ou quatro anos estaria produzindo qualquer coisa que fosse necessária.

    Além desta autonomia advinda do porte da nossa economia, com a quantidade de fronteiras que temos é praticamente impossível o bloqueio.

    Em resumo, um golpe mal executado no Brasil pode gerar um contra-golpe muitas vezes mais poderoso que o primeiro, e voltando ao título que coloquei no texto, os problemas e o risco que o Império vê num golpe sem sucesso no Brasil é muito maior do que as vantagens que ele pode usufruir, por isto podemos ver que a imprensa internacional aceitou com facilidade o discurso do golpe, e não haverá facilmente apoio à radicalização do mesmo se contrariar a vontade de grande parte da população.

    Como diria o saudoso, Leonel de Moura Brizola: “O Brasil é  muito grande para a burguesia brasileira fugir para Miami”

    • A vulnerabilidade…

      …desta hipótese é o antinacionalismo dessas camadas técnicas. Não sei se essa turma do Mickey toparia fazer um esforço de guerra para consertar o país. Já ouvi de muita gente que eles queriam que o Brasil abrisse mão de sua soberania, não gastasse um centavo em forças armadas e fosse um protetorado da terra do Mickey. É patético, mas foram esses que se vestiram com as cores da bandeira e foram às ruas entregar o país ao parente estadunidense.

  50. Colaborando com o Fora
    FORA O QUE SE DEVE TEMER

    “Nossa desigualdade, seja pela indiferença de uma elite vampiresca

    e míope, seja pelo desprezo de uma classe média boçal e tola, é uma

    continuidade direta com a escravidão nunca assumida efetivamente e

    nunca criticada em sua continuidade até os dias de hoje.”

    (Jessé Souza, A Radiografia do Golpe, LeYa, 2016)

    No poder rentista da sociedade brasileira atual, os aspectos financeiros prevalecem sobre tudo e todos demais valores e mesmo nas relações entre pessoas, como prova temos a proeminência do Banco Central sobre as instituições nacionais, quer produtivas, quer comerciais, o que se dirá então das científicas, tecnológicas e educacionais.

    Por isso, a contabilidade do Governo, que ao contrário do que se divulga nada tem da gestão familiar, é constante manchete da imprensa, quer para denegrir um dirigente quer para exigir maiores juros, quando não para imputar “crimes de responsabilidade”.

    O que verdadeiramente deve importar, para a vida e o desenvolvimento da sociedade, é o padrão social, sua formação, sua evolução, a transformação das relações que caracterizam o estágio da civilização brasileira. Refiro-me, em especial, ao conjunto formador do Poder Nacional, com seus ranços escravagistas, sua submissão ao sistema financeiro internacional (a banca), sua restrição, quando não despudorado vetado, à manifestação das ideias e à liberdade individual.

    O fato é que o Brasil está sendo dirigido pelos representantes da banca, da bíblia e do boi, um nada divertido BBB.

    Vamos desvendá-los, pois a comunicação de massa, a mídia brasileira, tudo frauda, distorce e engana, pelo interesse destes poderosos.

    O poder sempre procura destruir ou manietar suas possíveis oposições, desde sempre, seja com as invasões armadas, com as excomunhões, os bloqueios e as chantagens de toda natureza. Em meados do século XX, os recursos tecnológicos da informação – produção, codificação, transmissão e recepção de dados – passaram a ser amplamente e com proficiência utilizados, principalmente pelo sistema financeiro internacional. Releva neste campo a espionagem, a desinformação, e tudo que levou ao empoderamento de uma ação judicial e o desmonte da maior e mais tecnologicamente bem sucedida empresa brasileira, nominalmente a Lava Jato e a Petrobrás.

    Nem posso dizer que seja novidade a apropriação do poder nacional por um segmento privado, está toda nossa história a demonstrar. Este segmento é, nessas últimas duas a três décadas, a banca. O que poderia ser surpreendente, se não conhecêssemos nossa formação histórica, é a não coetânea união da banca com a bíblia.

    Tomemos o exemplo da educação. A bíblia a quer dogmática e exclusiva, pouco importa sua capacitação operacional para as necessidades de uma civilização pós industrial, o que seria do interesse da banca.

    Mas para a sociedade não interessa nem uma nem outra. Desejamos uma educação com objetivo libertário, inclusivo, transformador e criador, que dela surjam verdadeiros cidadãos, patriotas, conhecedores de nossa realidade e com capacidade de melhorá-la.

    Mas o que faz esta bíblia? Estigmatiza, como ideológica, não fosse a religião uma ideologia, a educação crítica. Para isso conta com partidos formalmente constituídos que apresentam projetos em prol do imobilismo, quando não do próprio retrocesso. Veja, por exemplo, o Projeto do PSC, apoiado pelo PRB, PSDC e outros meramente oportunistas, que é denominado “Escola sem Partido”. No próprio título do projeto já está definida sua ideologia não crítica, alienante. Ou não há uma Partido de Deus senhor Bispo Crivella? Senhor Pastor Malafaia?

    Cuidemos de outra fraude: a família. O professor Gérard Delille, da Universidade de Florença, em livro recente (L’Économie de Dieu, Les Belles Lettres, 2015), afirma que a “família em Roma era antes um conceito de poder do que de parentesco biológico”. Efetivamente, a palavra latina “familia”, donde a expressão “pater familias”, o dirigente, tem a mesma raiz de “famulus”, empregado, servo, abrigado sob a única e mesma direção. Pode-se dizer que o conceito de família sempre acompanhou mais os bens do que os sentimentos. Mas estes partidos da bíblia procuram demonizar as uniões afetivas, as relações por interesses diversos dos bens. Nada cristão, diria eu.

    Por último o boi. Herança escravagista de nossa sociedade, em pleno século XXI, como até bem pouco eram as empregadas domésticas e contra seu novo status, idêntico a qualquer trabalhador, tantas mãos perfurmadas bateram panelas.

    Este governo usurpador que se instala no País, com o golpe da banca, da bíblia, do boi e dos interesses geoestrategicos norteamericanos, definitivamente não beneficia o Brasil e nos ameaça, como já ocorre em São Paulo, com repressão, intimidação e o silêncio, que por duas vezes buscaram impor na Empresa Brasileira de Comunicações.

    Fora com o que devemos realmente temer e não as fantasias bolivarianas.

    Pedro Augusto Pinho, avô, administrador aposentado

  51. FORA O QUE SE DEVE
    FORA O QUE SE DEVE TEMER

    “Nossa desigualdade, seja pela indiferença de uma elite vampiresca
    e míope, seja pelo desprezo de uma classe média boçal e tola, é uma
    continuidade direta com a escravidão nunca assumida efetivamente e
    nunca criticada em sua continuidade até os dias de hoje.”
    (Jessé Souza, A Radiografia do Golpe, LeYa, 2016)

    No poder rentista da sociedade brasileira atual, os aspectos financeiros prevalecem sobre tudo e todos demais valores e mesmo nas relações entre pessoas, como prova temos a proeminência do Banco Central sobre as instituições nacionais, quer produtivas, quer comerciais, o que se dirá então das científicas, tecnológicas e educacionais.
    Por isso, a contabilidade do Governo, que ao contrário do que se divulga nada tem da gestão familiar, é constante manchete da imprensa, quer para denegrir um dirigente quer para exigir maiores juros, quando não para imputar “crimes de responsabilidade”.
    O que verdadeiramente deve importar, para a vida e o desenvolvimento da sociedade, é o padrão social, sua formação, sua evolução, a transformação das relações que caracterizam o estágio da civilização brasileira. Refiro-me, em especial, ao conjunto formador do Poder Nacional, com seus ranços escravagistas, sua submissão ao sistema financeiro internacional (a banca), sua restrição, quando não despudorado vetado, à manifestação das ideias e à liberdade individual.
    O fato é que o Brasil está sendo dirigido pelos representantes da banca, da bíblia e do boi, um nada divertido BBB.
    Vamos desvendá-los, pois a comunicação de massa, a mídia brasileira, tudo frauda, distorce e engana, pelo interesse destes poderosos.
    O poder sempre procura destruir ou manietar suas possíveis oposições, desde sempre, seja com as invasões armadas, com as excomunhões, os bloqueios e as chantagens de toda natureza. Em meados do século XX, os recursos tecnológicos da informação – produção, codificação, transmissão e recepção de dados – passaram a ser amplamente e com proficiência utilizados, principalmente pelo sistema financeiro internacional. Releva neste campo a espionagem, a desinformação, e tudo que levou ao empoderamento de uma ação judicial e o desmonte da maior e mais tecnologicamente bem sucedida empresa brasileira, nominalmente a Lava Jato e a Petrobrás.
    Nem posso dizer que seja novidade a apropriação do poder nacional por um segmento privado, está toda nossa história a demonstrar. Este segmento é, nessas últimas duas a três décadas, a banca. O que poderia ser surpreendente, se não conhecêssemos nossa formação histórica, é a não coetânea união da banca com a bíblia.
    Tomemos o exemplo da educação. A bíblia a quer dogmática e exclusiva, pouco importa sua capacitação operacional para as necessidades de uma civilização pós industrial, o que seria do interesse da banca.
    Mas para a sociedade não interessa nem uma nem outra. Desejamos uma educação com objetivo libertário, inclusivo, transformador e criador, que dela surjam verdadeiros cidadãos, patriotas, conhecedores de nossa realidade e com capacidade de melhorá-la.
    Mas o que faz esta bíblia? Estigmatiza, como ideológica, não fosse a religião uma ideologia, a educação crítica. Para isso conta com partidos formalmente constituídos que apresentam projetos em prol do imobilismo, quando não do próprio retrocesso. Veja, por exemplo, o Projeto do PSC, apoiado pelo PRB, PSDC e outros meramente oportunistas, que é denominado “Escola sem Partido”. No próprio título do projeto já está definida sua ideologia não crítica, alienante. Ou não há uma Partido de Deus senhor Bispo Crivella?
    Cuidemos de outra fraude: a família. O professor Gérard Delille, da Universidade de Florença, em livro recente (L’Économie de Dieu, Les Belles Lettres, 2015), afirma que a “família em Roma era antes um conceito de poder do que de parentesco biológico”. Efetivamente, a palavra latina “familia”, donde a expressão “pater familias”, o dirigente, tem a mesma raiz de “famulus”, empregado, servo, abrigado sob a única e mesma direção. Pode-se dizer que o conceito de família sempre acompanhou mais os bens do que os sentimentos. Mas estes partidos da bíblia procuram demonizar as uniões afetivas, as relações por interesses diversos dos bens. Nada cristão, diria eu.
    Por último o boi. Herança escravagista de nossa sociedade, em pleno século XXI, como até bem pouco eram as empregadas domésticas e contra seu novo status, idêntico a qualquer trabalhador, tantas mãos perfurmadas bateram panelas.
    Este governo usurpador que se instala no País, com o golpe da banca, da bíblia, do boi e dos interesses geoestrategicos norteamericanos, definitivamente não beneficia o Brasil e nos ameaça, como já ocorre em São Paulo, com repressão, intimidação e o silêncio, que por duas vezes buscaram impor na Empresa Brasileira de Comunicações.
    Fora com o que devemos realmente temer e não as fantasias bolivarianas.
    Pedro Augusto Pinho, administrador aposentado

  52. O documentario “the power of

    O documentario “the power of nightmares” de Adam Curtis mostra como depois da queda da URSS os conservadores americanos precisavam de um novo inimigo e elegeram o terrorismo islamico que era financiado pelos EUA no Iraque. A ideia de que existia uma unica celula terrorista comandada por bin laden veio de uma delação premiada de um estrangeiro que se a delação não fosse aceita seria extraditado do país, para dar peso as acusações foi induzido pelos procuradores a inventar umaassociação criminosa pela formação de quadrilha, truque que já tinha sido usado pela procuradoria ou FBI para prender mafiosos. Pode ser truque de exportação.

  53. Veja você senhora

    Veja você senhora Da.Lourdes,a que honra o sobrenome que tem.Meus comentarios são tão diferenciados dos demais,que,vamos por assim dizer,há uma certa difuculdade de estrelalos.

  54. Um detalhe a se analisar é

    Um detalhe a se analisar é que esta onda vem justamente num mês em que as pessoas estarão discutindo eleições municipais. Algumas inclusive com possibilidade de segundo turno o que alongaria o debate. Para mim, o resultado geral das eleições municipais, principalmente nas grandes capitais, vai ser determinante para o futuro próximo.

  55. Primeiramente #ForaTemer

    Segundamente, pra que essa teoria do choque tenha sucesso, tem que combinar com os “russos”. Parece que  gente que não esta querendo colaborar. Umas 40 pessoas mais ou menos …

  56. Vala comum da História

    Eh, doto, (doto mesmo) Janot, parece que o pau que deu em Chico vai dar também em Francisco. Acho que o senhor não contava com isso, né, amiguinho do Aécio Delatado por Corrupção. Pode sorrir de forma cínica, achar que, até o momento, foi vitorioso, mas não foi. A sua maior obra está sangrando o  Brasil e senhor já tem um lugar reservado na vala comum da História.

  57. Encontro com Fátima Bernardes ♪ 08/09/2016

    http://gshow.globo.com/programas/encontro-com-fatima-bernardes/episodio/2016/09/08/fabiula-nascimento-fernando-fernandes-e-johnny-hooker-participam-do-encontro.html#video-5290701

    Camisetas dos músicos.

    Tecladista: “Fora Temer”

    Baterista: “Quem não tem voto caça com golpe”

    ,

    Não conhecia, mas virei fã desses caras ♥

    http://www.brasilpost.com.br/2016/09/08/johnny-hooker-encontro-_n_11911878.html

      • Temer não chega a páscoa de

        Temer não chega a páscoa de 2017, mas dura até o fim do ano !!

        Eleições indiretas e algum Tucano no poder, com legitimidade para tocar a bagaça !!!

         

  58. Sinceramente Nassif, vc se

    Sinceramente Nassif, vc se engana, a luz no fim do túnel é o trem, é um PSDB no poder por meio de eleições indiretas e conferido de legitimidade !!

  59. a luz que sobe do abismo

    O xadrez da batalha de Stalingrado do impeachment

    Luis Nassif, 20/03/2016

    “O inverno rigoroso é o aprofundamento da crise, podendo chegar a um ponto crítico em meados do próximo semestre. Os grandes grupos econômicos apoiarão qualquer acordo que coloque fim à guerra política. Poderá ser saída com Michel Temer, novas eleições ou mesmo saída com Dilma.”

    o inverno é agora. Dilma foi afastada. Temer não tem legitimidade tampouco credibilidade. a chamas da crise econômica consomem o país. o povo sem medo ocupa as ruas.

    no xadrez do Brasil do golpe do impeachment, como fazer o peão vencer em onze lances?

    chegou a hora de rejuvenescer!

    .

  60. Repetindo comentário de julho
    Eu penso que farão o golpe dentro do golpe:
    04/07/2016 – 21:04

    1) a saída de Temer no início do próximo ano;

    2) escolha, prevista em lei, pelo congresso, do presidente que substituirá a ausência da presidenta impintimada e do vice, que irá renunciar ou ser impedido;

    3) aprovação da unificação das eleições (municipais, estaduais, Federal) para 2020, eleições seguintes à deste ano;

    4) ainda dentro da reforma política, a proibição de reeleição (que aparentemente poderia dar credibilidade à eleição indireta do novo presidente da República) e a definição do prazo do mandato para cinco anos;

    5) ao novo presidente, eleito indiretamente pelo atual congresso conservador, estaria assegurado a realização do desmonte do Estado, e das conquistas trabalhistas e sociais, do início de 2017 à Janeiro de 2021, sem riscos de uma intercorrência provocada pela vontade do povo nas urnas.

    • O raciocínio está muito bem construído

      Mas falta combinar o item 5 com o povo. Se Temer cair (e tudo indica que irá), e entrar outro agente de desmonte do Estado escolhido pelo congresso que cometeu o golpeachement para continuar a obra (no sentido de “obrar”) de Temer e seus asseclas… 

  61. O crescimento do “Fora Temer” poderá desequilibrar o jogo

                                                       FORA TEMER – DIRETAS JÁ!
    A maioria dos brasileiros quer novas eleições para presidente, mas isso não vai acontecer
    a menos que a maioria de nós não reconheça a legitimidade do governo de Michel Temer. Junte-se à campanha para deixar o povo decidir quem deve liderar o nosso país e envie para todos:
                                                                ASSINE A PETIÇÃO
    Apenas 13% dos brasileiros apoiam este governo – isso não é democracia! Nós somos o único
    movimento no país que pode chegar a oito milhões de pessoas nas próximas horas.
    Vamos construir o maior apelo para eleições antecipadas já visto –
    junte-se agora e conte para todos:
    https://secure.avaaz.org/po/brasil_fora_temer_loc/?bzyaReb&v=81113&cl=10643515481&_checksum=c5711c90725c5738635c7c4248c340d6fc05ccf9320b64aab6b6abc77e0c03f7

    Grande parte da nossa elite política é corrupta. Mas, ao menos, sempre tivemos
    a chance de escolher quem deveria nos liderar. Na semana passada o Congresso
    substituiu a presidente por um homem “Ficha Suja” que está atacando o
    direito das pessoas.
    Essa é nossa chance! Assine agora e compartilhe com todos — vamos liderar um
    movimento que forçará novas eleições:

  62. O que houve?

    Os grande juristas nacionais e internacionais, disseram foi golpe…

    E por que passou?

    Uma parcela da elite e seus aliados disseram que estava era a hora de voltar ao poder e então dane-se a DEMOCRACIA…

    Amor a pátria, dignidade e honra NÃO É O FORTE DELES!

    Oportunistas –  isto os define melhor…

    Graças a audácia de um canalha conseguiram impor seu intento…

    Quanto tempo até que um outro canalha se imponha à republica?

    Demonstraram por A + B que NÃO HÁ LEI!

    Não há como esconder isso, o resto será conquistado PELA VIOLÊNCIA, não pelo respeito…

    Quem vai respeitar isso?

    Quem vai respeitar o STF, o guardião da constituição, que assistiu como eu, pela TV o cunha fazer o que fez, mas isto não tem valor nos autos…

    Todos que estão na condições de jogo, SABE O QUE ACONTECEU – pode-se fingir, mas não OMITIR ISSO…

    Uns se calaram por conveniência e outros por interesse.

    Estamos num equilíbrio fino, mas quem dará as cartas no LADO ESCURO DO PODER?

    Será respeitado?

    Até quando…

    Então o que teremos?

    Jogos de interesses…

    Até o dia em que este EQUILÍBRIO HIPÓCRITA SE DESFAZER, diante da cobiça e audácia de um futuro canalha, que pode ainda ser ele mesmo…

    Ai vamos medir forças na partilha dos bens…

    Quem será altruísta e deixar riquezas dos brasileiros para outros canalhas?

    A única certeza que eu tenho, é que vi começar e hoje testemunho que todos eles corromperam e traíram a constituição…

    Como isso vai terminar, eu não sei, mas MUITO PROVAVELMENTE NÃO SEREMOS MAIS A NAÇÃO QUE CONHECEMOS HOJE E SEU DESTINO hoje eu arriscaria a dizer que é se tornar NO MÍNIMO 2 outros países…

    A quem interessaria uma nação gigante na AMÉRICA DO SUL?

    Dois ou três países são mais fáceis de conduzir…

    O Brasil se ferrou!

  63. a luz que sobe do abismo (2)

    um espectro ronda o Brasil. o espectro de Junho de 2013. inútil tentar conjurar-me. tremam ao ouvir o meu nome. chegou a hora de rejuvenescer! Fora Temer! Diretas Já! salve o Povo Brasileiro! .

  64. O que faz o FORA TEMER

    O que faz o FORA TEMER crescer dia a dia é a lógica e a honestidade inerentes à maioria das pessoas. À medida em que a poeira vai baixando e as informações vão se consolidando, torna-se mais claro para a maioria das pessoas que é golpe, porque o raciocínio lógico conduz a essa conclusão.

    Há que se observar mais um fato curioso, que corrobora essa afirmação.

    – No universo crescente dos que consideram que é golpe, encontram-se pessoas com diferentes opiniões sobre o PT e sobre Dilma, e que sempre, algumas vezes ou nunca votaram no PT. Ouço com frequência pessoas dizerem que não votaram no PT, não gostam do PT, não aprovam o seu governo, mas mesmo assim consideram que o que houve foi um golpe.

    – No universo dos que consideram o impeachment legítimo, todos têm sobre os governos do PT e sobre Dilma conceitos extremamente ruins, muitos demonstram ódio contra o partido, seus políticos e seus eleitores e muitos têm vínculos fortes com partidos e políticos que fazem oposição ao PT.  Até hoje, nunca ouvi ninguém dizer que votou no PT, mas reconhece a legitimidade do impeachment.

    Seria insano acreditar que praticamente nenhum eleitor do PT é suficientemente honesto para admitir que, apesar de ter votado ou apoiar o PT, considera que o impeachment é legal.

    Donde concluo que aqueles que consideram o impeachment legítimo, propositadamente ou não, não avaliam o processo com a devida imparcialidade.  

     

  65. Greve geral já!

    Greve geral já.

    Tem que parar tudo.

    A economia tem que ficar paralisada.

    A elite deste país tem que sentir no bolso.

    É a única maneira de se mexer com esta elite podre.

    Os trabalhadores unidos tem a força necessária para colocar a elite de joelhos.

  66. “Fora Temer” é golpe ainda que ele seja golpista e traidor

     

    Luis Nassif,

    Recentemente o site até fez um esforço de mudar a cantilena ou a catilinária que aqui se reprete exaustivamente. Esqueceu-se um pouco o Ministério Público, esqueceu-se o Poder Judiciário, esqueceu-se a grande mídia e se deu destaque a dois posts com foco bem distintos dos seus e dos originários de não se pode negar bons comentários pinçados aqui e ali. Pelo menos foi assim que eu entendi o post “o golpe de São Paulo Ltda. contra o Brasil, por arkx” de quarta-feira, 07/09/2016 às 07:55, aqui no seu blog com texto de Arkx e o post “Caminhos cruzados da política e da economia, por Andre Araujo” de quarta-feira, 07/09/2016 às 12:37, aqui no seu blog com texto de Andre Araujo.

    O endereço do post “o golpe de São Paulo Ltda. contra o Brasil, por arkx” é:

    http://jornalggn.com.br/blog/arkx/o-golpe-de-sao-paulo-ltda-contra-o-brasil-por-arkx

    E o endereço do post “Caminhos cruzados da política e da economia, por Andre Araujo” é:

    http://jornalggn.com.br/noticia/caminhos-cruzados-da-politica-e-da-economia-por-andre-araujo

    Para quem está acostumado a fazer o giro de 360 graus para voltar a caminhar na mesma direção e sentido, o giro de 180 graus foi realmente uma surpresa. Minha surpresa e também alegria entretanto, durou pouco; Este seu post “O crescimento do “Fora Temer” poderá desequilibrar o jogo” de quinta-feira, 08/09/2016 às 07:06, parece indicar que você já voltou a dar a volta de 360 graus só que agora ela se faz em dois tempos. Espero que não seja o peso da idade.

    É claro que neste post há muito de economia uma vez que o livro de Naomi Klein é um livro sobre economia, ou melhor, um livro sobre economia política nome que era dado a disciplina quando era estudada em priscas eras. Não faz sentido, entretanto, utilizar os argumentos do livro no contexto de uma frase como a que transcrevo a seguir:

    “A ida de Aloysio Nunes ao Senado norte-americano, em pleno processo do impeachment, a visita do Procurador Geral da República (PGR) ao Departamento de Estado, em pleno início da estratégia de desestabilização, a receita salvadora apresentada [livre fluxo de capitais, redução dos programas sociais, e desregulação total com privatização selvagem], composta exatamente dos três pontos registrados no livro de Naomi”

    Só caberia trazer o livro de Naomi Klein para o nosso contexto se se entendesse que o “Fora Temer” como uma etapa precursora do caos. Sim, porque “Fora Temer”, por mais vil que o presidente antes interino e agora definitivo as custas do golpe, Michel Temer, tenha sido, é tão golpe como o “Fora Dilma”. No entanto, o crescimento do “Fora Temer” está sendo visto como alvissareiro.

    Querer ter o apoio ou a predileção dos defensores das manifestações de junho de 2013, não fará um bom serviço ao blog, pois como eu insisto em dizer aquelas manifestações podiam ser caracterizada como não tendo nada de novo a não ser as redes sociais e nada de bom a não ser manifestações em si como prova de exercício da democracia.

    Aquelas manifestações em especial na modalidade que vigou em um segundo momento com uma série de reivindicações desencontradas e para a qual não se permitia a identificação de partidos primava pelo desconhecimento e apresentava resquícios do fascismo.

    Para mim é deseducador em vez de analisar a consistência do movimento “Fora Temer” trazer para objeto de debate a força desse movimento como se o bem supremo a ser conquistado não fosse a melhora da nossa democracia, mas a mera expulsão da arena política daqueles que um grupo ou vários grupos, em contingente bem menor do que o total da população eleitoreira, consideram que não podem governar.

    Eu avalio que há um grupo interessado em roubar do cidadão brasileiro um dos maiores poderes que lhe é concedido: o direito de dar um voto com o mesmo valor de qualquer outro para escolher um presidente com plenos poderes, ou seja, cabe a qualquer cidadão o direito de escolher um presidente em um regime presidencialista pleno. A se realizar o “Fora Temer” nós encaminharíamos rapidamente para o parlamentarismo.

    Se o “Fora Temer” crescer, no ano que vem Michel Temer renuncia e se quiser ele vira primeiro ministro. É verdade que seria uma manifestação muito acintosa de desrespeito à população que poderia se revoltar de modo incontrolável. Trata-se, entretanto de medida possível de ser tomada coso a economia se recupere. E Michel Temer, por mais competente que possa ter sido e ele demonstrou essa competência ao ver triunfar o impeachment.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 08/09/2016

    • o acordão da Lava Jato

      ->“Fora Temer” é golpe ainda que ele seja golpista e traidor

      ->mas a mera expulsão da arena política daqueles que um grupo ou vários grupos, em contingente bem menor do que o total da população eleitoreira, consideram que não podem governar.

      Clever,

      nada a ver. são duas situações totalmente distintas:

      1. um movimento pedindo o afastamento de um governo legitimamente eleito;

      2. outra bem diferente é o caso que temos agora no Brasil, de um governo golpista, usurpador do poder através de um processo absurdamente viciado, para fazer um acordão a fim de justificar o abafamento da Lava Jato e, ainda por cima, aplicar um programa derrotado por quatro vezes consecutivas nas urnas.

      temos mais é que exigir sim: Fora Temer!

      abraços

      .

      • Fora Dilma é contra eleitor, Fora Temer é contra representação

         

        Arkx (sexta-feira, 09/09/2016 às 16:15),

        Na minha concepção as manifestações pelo “Fora Dilma”, que eram também contra o PT e contra a corrupção, no que diz respeito ao “Fora Dilma”, eram próprias daqueles que não respeitam a democracia direta.

        Eleito um candidato cabe aos perdedores esperarem a próxima eleição para ver se podem tirar um eleito de que eles não gostem. Se houver um caso explícito de corrupção também cabe mandar embora o governante via o impeachment. E a Justiça Eleitoral também poderia tirar um mandato se demonstrado que havia um impedimento legal para a candidatura.

        Há ainda um caso único em que eu considero que a Justiça Eleitoral pode cassar um político eleito pelo povo por ato anterior ao mandato e que é a prova de compra de voto. E a prova de compra de voto tem que ser provada contra o candidato. Não vale provar que um cabo eleitoral tenha comprado voto. Atos de terceiros devem provocar uma sanção violenta, mas contra terceiros.

        Nesse sentido, eu considero que salvo se Gilmar Mendes tivesse fazendo toda a arruaça no STE apenas para ajudar o PT, isto é, ele continuava questionando o financiamento da campanha da presidenta Dilma Rousseff apenas para criar expectativas e assim evitar que a proposta de impeachment tomasse ímpeto, a atitude de Gilmar Mendes se equivaleria as dos manifestantes e equivaleria a um posicionamento de quem despreza a democracia direta na sua forma mais expressiva de manifestação que é a eleição de um presidente da República.

        E do mesmo modo eu entendo o “Fora Temer” como uma manifestação de quem não aceita a democracia representativa. Não condeno as manifestações tanto do “Fora Dilma” como o “Fora Temer” por elas em si. O direito de manifestação é sagrado e as manifestações em si são parte do processo democrático, sendo sempre por mim consideradas como manifestações de vida da democracia. Agora o objetivo tanto do “Fora Dilma” como do “Fora Temer” está maculado pelo desprezo à representação e ao voto do eleitor.

        É preciso primeiro ver falhas em nossa democracia e ver um caminho para corrigir essas falhar, mas devemos estar atento para o fato de que a principal força da democracia é a crença nas instituições que a fundam. Se o impeachment não puder ser avaliado pelo STF, é preciso que se avance no sentido de se corrigir esse defeito. Eu particularmente avalio que o STF, como protetor da Constituição, não pode permitir que um inocente seja condenado por qualquer dos poderes.

        Então quem é pelo “Fora Temer” não respeita a democracia representativa e não crê no funcionamento das nossas instituições. Para uma pessoa que pensa assim tudo é permitido. E evidentemente para quem pensa assim não há nenhum problema no “Fora Temer”.

        Eu penso diferente. Importo mais em saber porque o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff ocorreu, e como evitar uma situação semelhante no futuro e o que se pode fazer para reverter não só o impeachment como também a péssima situação em que a esquerda ficou.

        Clever Mendes de Oliveira

        BH, 12/09/2016

    • Abaixo o golpe, fora todos os golpistas

      Clever,

      Concordo em discordar.

      Fora Temer é limitado, mas a via institucional não é saída pra nada.

      O problema do “Fora Temer” é sua limitação prática: a derrubada de Temer, por si só, não é o fim do golpe… O fim fo golpe é acabar com os golpistas em todas as instituições. Todos que conspiraram para roubar os 54 milhões de votos das eleições de 2014. Fora, Temer, volta Dilma. 

      E o direito ao voto é apenas uma migalha que, quando convém, é revogado… Brasil, país dos golpes

      A via institucional só serve pra maquiar a ditadura em que vivemos. Ditadura do interesse da minoria contra o interesse da maioria

      Ditadura do interesse individual X Interesse da coletividade

      Ditadura do interesse dos patrões (patrão é o dono dos meios, não o intermediário Zé da esquina) X Interesse dos trabalhadores

       

      Saudações

      • Sempre haverá sujeira para se limpar no eleitor e no eleito

         

        Ingrid Mariana (domingo, 11/09/2016 às 13:53),

        Não que eu concorde com a sua discordância, mas não descarto de todo o seu argumento. As regras do jogo precisam ser aperfeiçoadas mas o cumprimento delas é obrigatório.

        Eu só considero alguém culpado de algum crime depois que há contra ele uma condenação transitada em julgado. É uma forma de respeitar a instituição do Poder Judiciário. Ainda que eu saiba que o Poder Judiciário é formado por conservadores em sua grande maioria, muitos machistas, ou com outras características até desmerecedoras do judiciário, eu avalio que o respeito aos poderes constituídos é condição fundamental para a aceitação no sentido de compreensão do sistema em que vivemos.

        Há dois tipos que aceitam o sistema: os que aceitam o sistema exatamente como o sistema é e aqueles que querem mudanças no sistema. Entre os que querem mudanças há também os que querem mudanças que, em minha percepção, são para piorar o sistema. São exemplos de propostas que, em meu entendimento, pioram a nossa democracia: as eleições distritais majoritárias ou distritais mistas (defendo as eleições distritais exclusivamente proporcionais), a proposta de parlamentarismo, a proposta de voto não obrigatório (assim como é obrigatório o ensino fundamental deve ser obrigatório o voto, como um instrumento de aprendizado e de entendimento da cidadania) etc.

        Do meu ponto de vista quem não acredita nas instituições fica em uma situação sem saída, a menos que a saída proposta seja a destruição do modelo existente. É uma posição diferente de quem aceita o sistema e propõe aperfeiçoamentos. Aceitar o sistema significa aceitar quando ele é favorável aos meus desejos e o aceitar quando ele é contra.

        Eu entendo que a presidenta Dilma Rousseff não cometeu crime de responsabilidade e que o STF deveria julgar um impeachment onde não houvesse o crime. Se, entretanto, o STF achar que ele não pode julgar o impeachment, eu posso criticar o STF, mas não posso querer que o STF acabe.

        A mesma coisa se dará se o STF considerar que ele pode julgar o impeachment e que na avaliação dele a presidenta Dilma Rousseff cometeu crime de responsabilidade. Esse até é um entendimento muito próximo do que eu penso e que já foi expresso pelo ministro Luis Roberto Barroso que considerou que é praticamente impossível um presidente da República não cometer um ato que possa ser considerado crime de responsabilidade. E mesmo pensando assim, isto é, mesmo achando quase impossível de se mostrar que a ex-presidenta Dilma Rousseff não cometeu crime, eu não deixo de considerar que o impeachment da presidenta Dilma Rousseff foi um golpe.

        Tal entendimento não significa que eu seja favorável ao impeachment do presidente antes interino e agora definitivo as custas do golpe, Michel Temer, pois considero que um presidente culpado pode ser inocentado pelo Senado Federal (Não creio possível é que um inocente seja condenado), nem que eu seja favorável a que ele seja derrubado somente porque ele é golpista. A acusação de golpista é da prática política. E mesmo de um estudo acadêmico o termo, apresentando argumentos bem fundamentados, também caberia ser usado.

        Na política a acusação de golpista está bem justificada no texto de José Arthur Giannotti e que apareceu na Folha de S. Paulo de quinta-feira, 17/05/2001. Aliás o próprio título do artigo apresenta a justificativa. O artigo chama-se “Acusar o inimigo de imoral é arma política, instrumento para anular o ser político do adversário”. Na Folha de S. Paulo o artigo saiu com o título “O dedo em riste do jornalismo moral” e pode ser visto no seguinte endereço:

        http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz1705200109.htm

        É dentro deste contexto que eu considero que o Fora Temer é tão equivocado como o Fora Dilma, embora todos os dois tinham todo o direito de se realizar. É tática política que para o bem da democracia não poderia vingar.

        Há um comentário que eu fiz junto ao que Arkx me enviou sexta-feira, 09/09/2016 às 16:15, em que eu esclareço também um pouco sobre esse meu entendimento.

        E enviei segunda-feira, 12/09/2016 às 13:52, um comentário para corrigir o final do meu primeiro comentário, que também esclarece mais minha opinião. Esse meu comentário estava pronto na noite de sábado, mas como estava muito cansado deixei para o enviar no dia seguinte. Estava no interior e no domingo não tive tempo de o enviar só o podendo fazer hoje. Se o enviasse ele teria aparecido antes do seu e talvez ajudasse a mais bem entender a minha manifestação. Faço esse histórico porque um aspecto que eu aponto no Fora Temer, mas esse não é o mais importante, é que há uma limitação no resultado a ser alcançado. Lá no meu comentário em que eu corrijo o final do comentário anterior, e eu já dissera também no primeiro comentário, a limitação que eu apresento são os resultados desconhecidos que podem vir do Fora Temer. Não é, entretanto, o fator mais importante para eu ficar contra o Fora Temer.

        Você apresenta como limitação não se poder ficar livre de todos que conspiraram. O problema que eu vejo é que a limpeza geral só pode ser feita pela justiça ou pelo voto e ela nunca será geral. Sempre haverá os que vão conspirar. E de qualquer forma será bastante demorado o processo de limpeza seja a limpeza feita pela justiça seja a limpeza feita pelo voto.

        A democracia demanda de nós também paciência, embora os que perdem por esperar não são pessoas como a maioria de nós que temos condições e tempo para fazer comentários em blogs e para participar de manifestações. É triste no fim apresentar como único argumento o ter que esperar ou o ter paciência, mas eu não saberia fazer de outra forma

        Clever Mendes de Oliveira

        BH, 12/09/2016

    • Uma correção para a última frase do último parágrafo

       

      Luis Nassif,

      O último parágrafo do meu comentário acima ficou truncado. A frase final que ficou sem sentido fora pensada primeiro como início de um parágrafo e logo em seguida foi descartada porque vi que iria espichar bastante o parágrafo, pois imaginei abordar duas questões e que seriam os efeitos de uma renúncia antes de 2017 e depois de 2017 e os efeitos da introdução do parlamentarismo.

      Para evitar escrever um parágrafo muito grande, eu inverti a ordem do que eu pretendia dizer, mas com a incumbência de simplesmente ou eliminar a frase final que estava incompleta ou a transformar em um novo parágrafo com um detalhamento mais apurado do que eu tinha a dizer. Pelo adiantado da hora o mais aconselhável era descartar a última frase, o que eu esqueci de fazer.

      De todo modo retomo a última frase repetindo-a e a completando-a. Assim diria que o presidente antes interino e agora definitivo as custas do golpe, Michel Temer, por mais competente que possa ter sido, e ele demonstrou essa competência ao ver triunfar o impeachment, não teria como se opor ao “Fora Temer” se a economia não se recuperasse, e isso acabaria levando o país para uma sinuca de bico, onde ninguém saberia o que seria melhor para o Brasil.

      No atual momento em que não se sabe com detalhe porque o Brasil chegou na atual situação econômica não se pode descartar como errada ou adotar como correta qualquer alternativa seja no campo econômico seja no campo político. Na verdade, não creio que se possa até mesmo decidir sobre qual seria a alternativa menos ruim para o Brasil. A renúncia com a respectiva queda do presidente antes interino e agora definitivo as custas do golpe, Michel Temer, antes de 2017, levaria o pais para uma eleição nacional em que qualquer um aventureiro poderia ser o vencedor. Só que além do risco de se eleger um aventureiro, seja o eleito quem quer que ele seja, não se vê para esse novo ungido alguma disponibilidade de tempo que lhe permita adotar uma política adequada para o Brasil nos dois anos restantes.

      A queda em 2017, também provocaria transtorno no Brasil. De certo modo, ainda que fosse camuflado toda a situação favoreceria a que se levasse o pais para o parlamentarismo com todas as cargas negativas que o Parlamentarismo tem principalmente no Brasil ainda mais em uma situação em que haveria uma forte rejeição da população em relação aos parlamentares.

      Clever Mendes de Oliveira

      BH, 12/09/2016

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome