O desafio de enfrentar a corrupção

Um dos grandes desafios do próximo governo será reduzir a sensação de corrupção que permeia a opinião pública.

Muito já se avançou. O fortalecimento da CGU (Controladoria Geral da União), os critérios de escolha do Procurador Geral da República, a absoluta anomia do Ministério da Justiça em relação à Polícia Federal, o papel do TCU (Tribunal de Contas da União), até extrapolando de suas funções institucionais, a Lei da Transparência são provas incontestes da preocupação do governo Dilma Rousseff com o tema corrupção.

A própria sofreguidão com que Dilma reagiu às primeiras denúncias contra seu governo – demitindo liminarmente os acusados antes mesmo de comprovar sua culpa – é demonstração de sua preocupação com o tema..

***

Há uma evidente exploração do tema pelos grupos de mídia.

Além disso, o foco exclusivo no governo federal acabou criando uma barreira protetora para outros estados.

No governo de São Paulo, por exemplo, há um amplo o aparelhamento da máquina e os negócios cinzentos, devido ao enorme período de domínio da máquina por um só partido, e à leniência dos principais órgãos fiscalizadores – especialmente os grupos de mídia.

***
Mesmo assim, não se minimize o que acontece na área federal.

Sobre dirigentes da Petrobras que serviram a FHC – especialmente o polêmico Joel Rennó – sempre pairaram suspeitas, jamais comprovadas pelo controle exercido pelo governo sobre o Procurador Geral da República e a Polícia Federal. O polêmico Ricardo Sérgio, quando na diretoria do Banco do Brasil, era homem de confiança de José Serra.

Leia também:  Mais do que ninguém, eles vivem da corrupção, por Gilberto Maringoni

Significa que a prática do aparelhamento é universal. Mas em nada exime o  governo do PT das barbaridades cometidas por Paulo Roberto da Costa, enquanto diretor da Petrobras.

A alegação de que também serviu ao governo FHC em nada melhora o quadro. Um dos principais elos da cadeia de corrupção pública são funcionários de carreira, conhecedores dos meandros do negócio e dispostos a servir a qualquer senhor.

***

Uma das grandes distorções das práticas atuais é justamente o aparelhamento de diretorias de estatais, não apenas por políticos de fora dos quadros da empresa, como por funcionários de carreira apadrinhados por partidos políticos.

A melhor maneira de coibir esses abusos está na consolidação de práticas de governança corporativa.

Por também ser uma empresa de capital aberto, o Banco do Brasil consolidou essas práticas de governança. Por elas, nenhum diretor tem alçada para tomar decisões individuais. Todas as decisões são colegiadas e passa também pelos órgãos técnicos do banco.

Há diretores políticos – como o ex-senador paranaense Osmar Dias – que se integram perfeitamente às normas do banco, enriquecendo com seu conhecimento. E outros que tendo apenas interesses políticos entram e saem do banco sem nada ofercer, mas também sem nada levar.

***

Um trabalho aprofundado de controle exigiria, primeiro, o mapeamento de todas as operações sensíveis subordinadas a cada diretoria da estatal, de Ministério ou de agência reguladora. Depois, a definição das regras de governança para eliminar as decisões individuais e submeter as decisões mais polêmicas a normas técnicas da instituição.

127 comentários

  1. Há que tomar cuidado com o

    Há que tomar cuidado com o udenismo da nossa sociedade. Aqui em São Paulo, como você sugeriu, há a lógica do “o que os olhos não vêem, o coração não sente”. Meus amigos, na maioria tucanos roxos, são desse udenismo tosco e sem qualquer reflexão, daqueles que exaltam a Veja e dizem que a corrupção do atual governo é a pior da história. Quando digo que a imprensa estrábica só olha um lado, eles dizem que é mimimi. Entretanto, quando pergunto qual o prazo de conclusão das eternas obras do metro, quando pergunto quando será a inauguração das linhas e quanto é a diferença entre o custo inicial das obras e o custo final (lembrando que as obras do metro paulistano estão entre as maiores obras de infra-estrutura do pais, em custo e impacto), quanto ganha um PM em São Paulo, quanto ganha um professor, qual a colocação dos estudantes paulistas nas avaliações de ensino ou quanto a Sabesp investiu e quanto distribuiu de lucro, ninguém sabe responder. Há os caras-de-pau que dizem para eu ler o Diário Oficial se quero saber essas coisas. Há os da vergonha alheia, que são funcionários não concursados do Estado de São Paulo e criticam o aparelhamento petista no governo federal. Há os fdp que exaltam a meritocracia, sendo que sempre estudaram em colégios particulares, depois em faculdades particulares (muitas vezes de segunda classe, pq não eram dos melhores alunos da classe, por assim dizer), depois foram estudar fora, tudo isso sempre bancados pelos pais, mas quando começam a trabalhar, perto dos 30 anos (haja curso!) e com esse enorme currículo qua ganharam de presente é óbvio que não começam por baixo, exaltam sua própria capacidade de “aprender a pescar” e criticam qualquer programa de transferência de renda como “bolsa voto”.

    Enfim, acho essa sensação uma enorme besteira e acho q o problema da mídia estrábica é esse, ser estrábica. Há que denunciar os casos de corrupção, há que investigar e há que divulgar. No fundo, a imprensa estrábica é e foi um aliado dos governos do PT, pois o governo federal tem que suar para as pessoas sentirem na pele a melhora. Melhor isso que os tontos tucanos de Itu estão passando.

     

     

     

     

    • “No fundo, a imprensa

      “No fundo, a imprensa estrábica é e foi um aliado dos governos do PT, pois o governo federal tem que suar para as pessoas sentirem na pele a melhora”.

      Certo, no quesito corrupção e ética estamos sendo salvos pela inacreditável e abominável imprensa estrábica. Sem essa pressão, o PT provavelmente já teria sido contaminado de forma irreversível. E reconstruir um partido de raízes populares não é tarefa nada fácil.

      O problema são os efeitos coletarais. Quando sistematicamente a realidade é distorcida de forma negativa, os elos mais frágeis da sociedade entram em parafuso. Uma sensação de desesperança se alastra, abrindo espaço para o radicalismo de direita. É só prestar atenção nos candidatos na atual campnha eleitoral.

  2. Ao contrário do que diz o

    Ao contrário do que diz o texto, não houve fortalecimento da CGU no governo Dilma. Em julho deste ano, os próprios servidores promoveram um “abraço a CGU” em protesto contra o sucateamento que esse órgão vem passando. Os recursos para fiscalização estão acabando no meio do ano, e não há mais concursos. O quadro de servidores foi reduzido. Ninguém ouve mais falar em sorteios de municípios para auditoria.

    Os servidores da PF há anos reclamam do governo Dilma pelos mesmos motivos.

    O TCU apontou diversos casos de corrupção na Petrobras, e recomendou alteração dos contratos. Nunca teve o apoio do governo, que o vê como um inimigo.

    • Discordo do Nassif concordo com Aleandro

      Discordo do Nassif concordo com Aleandro, 

      Sinto pelo texto “contaminado” do Nassif – desilusão! Elogiar um governo tão nebuloso, tão ligado a absudos e desvios. 

      Não, não diga que é a malvada MÍDIA – “zElite mídia” – é a realidade, são dados que provam a podridão desse governo.

      Poucas são as instâncias que ainda defendem nossa “santa terrinha” – todo apoio á estas. Valha-nos!

    • A “cumpanheirada” do Bonhausen aparelhou o TCU!

      Como disse o comentarista Rafael abaixo, o udenismo de nossa classe média é quase incurável, se não for. O casal do moralismo seletivo, Aleandro e Maria Augusta são um exemplo clássico, senão forem trolls encomendados para o blog do Nassif. 

      O senhor Aleandro fala em TCU, como um orgão puro. Todos os membros são indicações partidárias. Nenhum deles são “homens bons” acima dos partidos. O insuspeito jornalista da Folha, Fernando Rodrigues, até mostrou a origem de cada um. A maioria ligada ao DEM. A “cumpanheirada” dos Bonhausen tomou contra do TCU!

    • “O quadro de servidores foi

      “O quadro de servidores foi reduzido”.

      Aqui voces pregam mais contratações de servidores,e em outro post qualquer para acusar o PT voces dizem  que ha aparelhamento do Estado ou excesso de servidores Publicos.

      voces estão tão presos na deformação diaria que so exite corrupção na esfera federal.

      que não conseguem absolver espirito do post que e a criação de mecanismo,de orgãos de combate a corrupção.  não adianta muito, se não for cobrado de todos a mesma postura de punição de investigação,e a Midia não ajuda nessa batalha se concentrado apenas na esfera federal e esquecendo os Estado,veja São Paulo trensalão,assaltos na merenda escolar,roubaanel,fraude em licitações,roubo no Detran mesmo esquema da Yeda Cruzis,em Santa Catarina mesmo Partido PSDB.Nos  temos que evoluir o assunto sobre corrupção,sem hipocresia temos que sair desse patamar de quem roubo mais o que,e justamente isso que Midia impede, dessa forma ela mantem um ativo para ser usado como massa de manobra.

    • É bom um pouco mais de

      É bom um pouco mais de respeito com a instituição pq é absurdo afirmar existir atualmente sucateamento da PF.

      A partir do governo Lula o órgão vem sofrendo repetida aprimoração, especialmente em função da vergonhosa precariedade existente antes.

      Nunca se fizeram tantos concursos, que continuam sendo realizados. Muitos DPFs se tornam Procuradores da República ou Juízes Federais, demontrando o nível de exigência da carreira.

      O que existe hoje é justa insatisfação funcional (carreira e vencimentos) de APFs e EPFs porque os DPFs passaram a ter maior relevo em virtude do poder que possuem junto aos IPLs, e inclusive com a Lei 12830/13, que deu mais autonomia para os DPFs evitando avocação ou redistribuição de IPLs sem fundamentação, ou remoções desmotivadas.

      Todas as carreiras da PF merecem aprimoramento, especialmente APFs e EPFs, mas isso está à léguas de distância do alegado sucateamento do órgão.

       

  3. Concordo com o Rafael. Eu uso

    Concordo com o Rafael. Eu uso é a palavra ciclope ao invés de estrábico. O gigante que só tem um olho. E a ironia é que essa mídia que só tem um olho para o pt e se faz de cega pro PSDB está prejudicando o próprio queridinho dela. Como não há crítica nenhuma, Alckimin se sente livre pra fazer as besteiras que faz e não ouvir nada. Foi no governo dele que fizeram a USP leste num local contaminado; que a USP quebrou. E para mim o exemplo cabal desse ciclopismo está no dia em que SP foi vítima do apagão de energia e do apagão do metrô ( que o Alckimin disse ser obra se sabotadores e não de pessoas desesperadas dentro dum metrô cozinhando no inferno que foi o verão desse ano ). No blog do Ricardo Setti ( o menciono porque, comparado com os outros blogueiros da veja, ele é moderado ), discorreu-se até não querer mais sobre o apagão elétrico, culpa do governo federal. E não houve uma linha sobre o apagão do metrô. Nada. Isso não merece o nome de jornalismo. 

     

     

    • Tática diversionista

      Desculpe Jo, mas não adianta querer justificar a corrupção de um lado (e ela existe) pela corrupção do outro lado (que também existe).

      É bem verdade que a imprensa repercuta preferencialmente os casos de corrupção do governo federal e passa em branco casos muito graves que acontecem nos Estados, em particular em São Paulo, que foi totalmente aparelhada pelo PSDB.

      Porém usar esse argumento para justificar os casos graves, como o da Petrobras, só serve para aumentar o descrédito generalizado contra toda a classe política e reforçar o apelo de candidatos aventureiros que se dizem “acima da política”.

      Se você conversar com a maioria das pessoas, o sentimento mais comum é de que todos os políticos são corruptos. O discurso de que a sujeira não é só do PT mas que seus adversários também estão sujos só reforça esse sentimento da população, além de não fazer nada para resolver o problema.

      • Nicolas, não quis justificar

        Nicolas, não quis justificar não. Para mim é uma decepção o que o pt fez em termos políticos = provou que todos os partidos são iguais quando chegam ao poder. Eu esperava que o pt seria o partido que, no poder, guiaria o Brasil para reformas cruciais = a do judiciário e a tributária. Porém, hoje vejo que esperar isso do partido é impossível. O que eu quis dizer – e talvez não tenha me expressado mal – é que o imprensa só mostra os erros do pt – e não estou dizendo que não os há -, mas nada fala do outro lado, como se o PSDB e os partidos da oposição são a encarnação da ética. 

        O que mais me deixa triste é ver que não há partido político que passe a sensação de que vai mudar de verdade o Brasil. O PT representou isso . Esse PT não existe mais. 

  4. QUANTO A CORRUPÇÃO, TUDO INDICA QUE NADA VAI MUDAR

    Todos dizem que o culpado da corrupção é o PT, logo, se pressupõe que, com a eleição de qualquer um candidato eleito da oposição a corrupção deixará de existir.  Ledo engano, a corrupção sempre existiu, e sempre existira, e antes, com certeza existiu muito mais.   Existe sim, hoje, um grande combate a toda e qualquer corrupção atraves de leis e aparelhamento do estado, fiscalizando, reprimindo e levando os culpados aos tribunais de justiça !   Todas estas medidas e ações de combate a corrupção devemos agradecer ao PT !!

    • “Todas estas medidas e ações

      “Todas estas medidas e ações de combate a corrupção devemos agradecer ao PT!!” E eu digo: é mesmo, é? Não sabia, olha!

  5. Exemplo do oriente para diminuir a corrupção

    http://globalpagoda.blogspot.com/2011/08/burmas-anti-corruption-crusader.html

    Acima é um link de um artigo em Inglês (caso queira pode me pedir que eu tento traduzir) que mostra a aplicação de um curso de auto-observação dado à funcionários do governo da Birmânia que acabou com a corrupção em alguns departamentos.

    Esta técnica de auto-observação, com resultados revolucionários para o indivíduo e para a sociedade em todos níveis, recomeçou a ser aplicada na India e no mundo depois de 2000 anos. E há importantes pessoas (a ex-presidenta da Índia Pratibha Patil é uma praticante) e políticas públicas adotando esta técnica.  Seria muito interessante levar isto para as esferas políticas, apesar que para fazer este curso a pessoa tem de estar preparado e determinado a lidar com suas imperfeições, o que não é fácil.

    No Brasil houve o primeiro curso em 1994.

    Que superamos as dificuldades e sejamos felizes.

     

     

  6. A própria abordagem do texto

    A própria abordagem do texto mostra com será difícil alcançar a redução “da sensação de corrupção que permeia a opinião pública.”

    Olhar a corrupção como uma originalidade do serviço público já demonstra a distorção das origens do problema.

    Se fosse exclusividade dos setores públicos não veríamos os últimos escândalos envolvendo a Fifa. Se fosse exclusividade de aparelhamento e falta de governança corporativa não veríamos corrupção em empresas e em governos “menos aparelhados” mundiais.

    O problema não é exatamente a corrupção e sim a escandalização feita em seu nome, o oportunismo, o enviesamento, o modelo “casa grande e senzala” e a falsa moral cristã.

    1) A corrupção graça em todos os governos e empresas mundiais. A Siemens e a Alston foram condenadas por vários governos estrangeiros, a Fifa idem, e continuam a responder processos internacionais. Importante empresário americano foi condenado na crise de 2008. Altos dirigentes japoneses idem.

    2) No Brasil a escandalização antecede, tem continuidade e se torna mais importante do que a investigação e a condenação propriamente dita. A temática sempre é direcionada aos políticos que estão em exercício, preferencialmente os de esquerda, e focada como se fosse tema atual ou exclusividade de A ou B.

    3) O mote preferencial para se submeter, manietar ou limitar governos é a escandalização do tema que é utilizado sempre em vésperas de eleições ou quando o governo anuncia medidas que vão de encontro aos interesses da grande imprensa.

    4) A falta de conhecimento, ou esquecimento, da população provocada pela escandalização e massificação dela não permite se perceber que a campanha de Jânio teve como mote a vassourinha exatamente para varrer a corrupção; não permite que seja lembrado que foi uma das grandes bandeiras para o golpe militar de 64 e que os políticos apontados como os mais corruptos no Brasil saíram ou ganharam musculatura exatamente neste período nefasto do Brasil. A Campanha de Collor foi a do “caçador de marajás” e o povo elegendo-o exatamente sendo ele um marajá.

    5) O modelo “casa grande e senzala” que inconscientemente continua afastando as classes em dois extremos distintos; os poderosos que a eles tudo é dado (inclusive a impunidade) e do outro lado a população em geral; ” aos amigos tudo, aos inimigos a lei” como disse um importante personagem da nossa política.

    6) A falsa moral cristã, a que foge dos mesmos princípios cristãos; “Quem não pecou, que atire a primeira pedra.”; e todos a atiram como se os nossos problemas fossem exclusivos dos outros (a corrupção é sempre do outro).

    7) O enviesamento é quando a imprensa e a própria justiça acusam políticos e blindam empresários ficando sedimentada na opinião pública que a corrupção é exclusividade dos agentes públicos.

    8) A falta de conhecimento e de divulgação por parte da imprensa de ações dos poderes instituídos no combate à corrupção, como a importante  Lei nº  12.846, a chamada Lei Anticorrupção, que prevê a punição para empresas envolvidas em casos de corrupção, sancionada pela presidente Dilma Rousseff  em agosto do ano passado como parte da “resposta às ruas” após a série de protestos.

    No Brasil recente foram criadas uma série de medidas que objetivam diminuir e punir a corrupção como a criação das Controladorias Gerais, a maior independência da Polícia Federal, menos ingerência direta nas escolhas do chefe do Ministério Públicos e Ministros do STF,  as leis de Transparência e o resultado foi pela primeira vez na nossa história vermos políticos de alta extirpe serem condenados. Ainda assim, pela escandalização por parte da imprensa fica a sensação de que o PT é o único partido corrupto e que a impunidade continua a favorecer as políticos. Ficou esquecido, também, os vários políticos que tiveram a suas candidaturas impedidas pela “Lei da Ficha Limpa”, como por exemplo, José Arruda, candidato ao governo do Distrito Federal.

    Para concluir, o governo criou uma série de medidas par coibir os crimes de corrupção, a justiça tem condenado políticos e os impedido de participar de eleições, crimes dessa natureza acontecem em todos os países, sejam eles democracias avançadas ou de regimes fechados, ocorre em grandes, médias e pequenas empresas, e até mesmo no dia a dia da população como os famosos “você sabe com quem está falando” e nos “agrados” dados diariamente às manicures, aos frentistas, funcionários de estabelecimentos comerciais, a aos guardas de trânsito.

    O problema ou o desfio é cultural.

    • Corrupção

      Simples assim o Brasil é hoje um dos paises mais corruptos do Mundo , os escandalos da Petrobras alimentaram de 2004 até hoje a sustentação deste governo, é um absurdo , enquanto se constroi porto em Cuba e outras coisas mais , a economia brasileira está abeira do caos , este governo conseguiu destruir até o IBGE manipulando dados, os movimentos de junho de 20013 não foram atoa e não serão em vão , o Brasil está prestes a explodir…

       

  7. A corrupção está no gene do brasileiro

    Ela é sistêmica no serviço público brasileiro e contamina o serviço privado.

    Aqui na repartiçao onde trabalho, existe um servidor que está na ativa, mas não vem trabalhar, continua recebendo seu salário regularmente de 10.000,00 por mês. Ninguém aqui faz uma denúncia, me incluo, porque não adianta, o processo é barrado nas instâncias superiores.

    • Um dia a casa cai, e este

      Um dia a casa cai, e este servidor ainda vai se sintir injustiçado, e os inumeros processos que estão represados cairão sobre ele sem dó e piedade.  Não aparecerá ninguém para defende-lo !!

      • Não existem denuncias contra ele…

        …e para píorar a sensação de desânimo em relação ao serviço público, ele já possui tempo de aposentadoria, mas não aposenta e ainda recebe o abono permanência de 1200,00 reais por mês.

         

  8. Hipocrisia

    A Dilma se vencer essa eleição vai melhorar e muito o controle sobre a Petrobrás, não tenho duvidas disso. Agora, isso não vai melhorar essa sensação de corrupção generalizada. Por que o povo, a sociedade é hipócrita. Aqui em minha cidade acompanhei um fato. Uma empresa estava cortando as calçadas para por esgoto(obras do Pac), pois os trabalhadores que cortavam as calçadas estavam cobrando pelo serviço(pra fazer bem feito/200 reais por casa). O supervisor da obra estava vendendo cimento (bem mais em conta/tirando da obra), imaginem pra cima como deve ser. Sei disso porque o meu cunhado pagou pela calçada e me ofereceram o cimento (não comprei). Vai perguntar pra esse pessoal sobre currupção, vão dizer que é um absurdo. Culpa do PT e tudo mais.

    PS. Meu cunhado é antipetista e adora falar de corrupção (nunca se roubou tanto), mas não liga de pagar propina.

    • Você disse bem, ou seja, o

      Você disse bem, ou seja, o culpado da corrupção será sempre do partido que esteja no governo, por que os corruptos assim querem que pareça.   Na verdade, o verdadeiro culpado é o povo, que só esta atras de motivos para praticar a corrupção, e só existe uma solução, fiscalizar, coibir, e punir.  A polícia esta ai para prender quem quer que seja por esta pratica delituosa, seja lá quem for !!

  9. Corrupção

    “Piove, governo ladro”.  Cem anos atrás, os italianos olhavam para o céu e comentavam a chuva com essa referência aos políticos. Lá, aquí e no mundo inteiro a história é sempre a mesma, porque a corrupção parece inerente ao ser humano, e não apenas aos governantes. Por que os supermercados precisam de tantas câmeras de vigilância e tantos seguranças?  Por que os meios de transporte precisam ter cobradores? Aliás, o mal talvez não atinja apenas os humanos: voces já repararam que os animais treinados só repetem os atos se receberem uma recompensa?  Que um burro puxa melhor uma carroça se tiver uma cenoura pendurada lá na frente? Político que fala em acabar com a corrupção é um vigarista, e como tal merece ser tratado.

  10. Um problema que atravanca o

    Um problema que atravanca o combate à corrupção é a hiopocrisia da mídia que apenas usa o assunto como forma de criar escandalos que prejudiquem seus adversários enquanto atua de maneira a promover a maior redução de danos possível quando denúncias atingem seus aliados. Oposição e mídia recorrem seletiva e hipocritamente ao tema por que não tem mais nada a que apelar.

  11. Bom, para acabar com a

    Bom, para acabar com a sensação de corrupção a única forma é se parar de investigar. Justamente o que era feito no Governo FHC e nos governos estaduais de MG e SP, por exemplo.

     

    • Tudo bem que hoje há mais

      Tudo bem que hoje há mais investigação.

      Mas ,você notou que a maioria dos envolvidos e acusados de corrupção são  do PT ou do próprio Governo?

      Como você me explica isso? É perseguição?

       

  12. Eu entendi bem? O texto dá a

    Eu entendi bem? O texto dá a entender que o governo petista vai combater a corrupção, é isso mesmo?

     

    • Não, já está combatendo.

      Não, já está combatendo. Putz, “Julinho Roberto” é nome de troll! E dos mais idiotas.

      Mas aproveito a deixa dessa sujeito aí, Nassif, eles servem para alguma coisa, para lembrar que voce não falou sobre o programa de TV da Dilma totalmente dedicado ao tema. 

      Achei sensacional. Sincero, sem demagocia, e didático. É uma tentativa de superar a abordagem subjetiva que as pessoas fazem da corrupção. Geralmente se pensa em “homens públicos virtuosos”. Mas o que uma sociedade precisa é de instituições sólidas que fiscalizem. Nesse sentido a fala de Marina deseduca, enquanto a da Dilma educa.

      Mas isso é péssimo para o pig. Perde o poder de chantagem sobre os políticos. Ela, a mídia, no lugar das instituições, quer “fiscalizar” os políticos. E a gente sabe no que dá isso. Um Demóstenes vira o vestal da república 

  13. Os desafios para se combater

    Os desafios para se combater a corrupção nas sociedades modernas são ainda maiores quando não se pode confiar nos profissionais que supostamente se prepararam para aparelhar os organismos encarregados de combatê-la. Com estabilidade de emprego ou não. Não consigo dissociar a corrupção com a forma de agir das elites secretas, também chamadas de ocultas, para as quais o engenheiro Paulo Roberto da Petrobrás fora acusado de fazer lobby. O piloto do helicóptero preto que transportava 450 kg de cocaína pertencia a uma ordem (www.youtube.com/watch?v=vU44WdGsDu0). A mesma de José Roberto Arruda e de outros que encontram facilidades nas instâncias superiores. Há quem diga que essa organização é tão poderosa que tem tentáculos que vão das igrejas ao PCC mas a preferência aos que orbitam a máquina judiciária e militar. Mas, como eu não acredito nisso, nem cito.

  14. Há casos notórios de

    Há casos notórios de corrupçao, por exemplo, contratos com ongs fajutas que governos fazem. Uma forma de eliminar esse tipo de corrupção é eliminar esses contratos indistintamente, caso contrário o custo da fiscalização individual pode ficar até maior que o da corrupção.

    Há outros tipos, por ex corrupção em obras, através de sobrepreço e/ou acertos entre empresas em licitações. Essa já é bem mais complicada. Não se pode ficar sem a obra. Quanto mais rápido se deseja fazer a obra, mais caro tem que pagar, senão ela não sai. Isso é do mercado.

    Uma boa maneira de diminuir a corrupção, pelo menos a que gera caixa 2 de campanha, seria a proibição de financiamento privado de campanha e um rígido controle dos gastos dos partidos. Eliminação dos partidos nanicos e de aluguel. Do jeito que é hoje todos têm de buscar recursos de caixa 2, todos devem recorrer aos operadores, tipo Valério, Paulo Roberto Costa, Youssef, e ai é claro que eles tem que levar a parte deles também. Ignorar isso no combate a corrupção é hipocrisia.

  15. concordo que a colusão de

    concordo que a colusão de interesses

    entre tucanos e grande mídia

    acabou secando o ninho do psdb

    cada vez mais, omitindo suas falcatruas.

    com as críticas acirradas, o

    governo trabalhista criou mecanismos

    para combater a corrupção

    e talvez, espero, saia-se melhor.

    mas enquanto não  hpouver mecanismos

    de defesa contra as falsas denúnicas,

    invenções e criações da grande míídia dita golpista –

    com a garantia do direito de resposta imediata

    e com o mesmo tempo e espaço, equivalentes, por exemplo –

    e com a redemocratização desses meios, dificilmente

    chegaremos a um ponto de equilíbrio…

    pois esse esquema udenista-denuncista permeia a história brasileira

    – vide getúlio e jango, etc.. .

    a tudo se denuncia,

    pouco se comprova,

    vide a veja e seus cúmplices.

    tudo é esquecido,mas fica na

    memória essa ideia absurda de corrupção,

    na verdade criada muitas vezes por interesses políticos…

    o macartismo midiático hodierno beira a loucura.

     

     

  16. corrupção na política é o estado islâmico brasileiro.

    A Receita Federal vai fiscalizar o cidadão brasileiro que viaja para o exterior com investimento altíssimo em tecnologia. A pergunta é: por que não fiscaliza também os políticos corruptos brasileiros – inimigos do país? 

    • O viajante brasileiro é

      O viajante brasileiro é recordista mundial em gastos no exterior. É quase um muambeiro e é um dos maiores causadores dos rombos nas contas externas.

      São os 10% mais ricos do país levando nosso dólar pra fora a troco de compras supérfluas e brega-status e tem que ser taxados e fiscalizados sim !!

      • É isso aí, a culpa é

        É isso aí, a culpa é dazelite!!

        Minha irmã ganha uns 5 mil por mês (rica!), engravidou e foi com o marido fazer o enxoval do bebê na terra do Obama.

        Gastou uns 6 mil reais.

        Tivesse comprado aqui, teria gastado mais de 20 mil.

        A Receita tem que acabar com essa farra mesmo! Pau nas grávidas! Dinheiro subsidiado só pro Eike, pra Friboi, pra Volksvagen etc! Esses sim precisam do governo!

        • Longe de mim questionar vc

          Longe de mim questionar vc por sua irmã comprar enxoval nos states, desde que ela pague todos os impostos alfandegários, IOF e demais taxas, vai do gosto de cada um… mas vestir a carapuça sobre o que falei, foi sem necessidade e despropositado. É óbvio que não me referi a casos como o teu. Falei o que qualquer especialista da área sabe… e vc misturou alhos com bugalhos sobre os empréstimos subsidiados do BNDES, nada a ver com o assunto. Vc tá um pouco confuso, deve ser a eleição… 

          • Vou esclarecer a comparação:

            Vou esclarecer a comparação: o PT hoje, odeia a classe média, apesar de só ter crescido nas grandes metrópoles por causa dela, há 20/30 anos.

            Hoje o PT só se preocupa com a Classe C e com os ricos. Para esses, não pode faltar nada. 

            Já a classe média dita tradicional, aquela que votava no PT lá nos anos 80 e 90, enquanto os pobres de então votavam em quem os patrões mandavam, essa classe média hoje é tratada a pedradas pelo PT. Instituem medidas que a atingem diretamente, o tempo todo, mas não atacam os verdadeiros donos do poder. Onde está o imposto sobre grandes fortunas, previsto em nossa constituição desde 1988 e até hoje não implementado? Até nos EUA tal tributo existe, pq não aqui? Qual o partido há mais tempo no poder desde 1988? Se os ricos não pagam, para quem sobra a conta?

            Melhor se fazer de cego, não é?

          • Vc já ouviu falar numa

            Vc já ouviu falar numa instituição chamada Congresso Nacional ? Pois bem, é de lá que se discutem as propostas de lei, afinal não estamos numa ditadura. Vejamos:

            Quem colocou a proposta do imposto na constituição foi o Plínio Arruda Sampaio, que era do PT. O projeto de lei complementar 130/2012 do PT trata do assunto, mas não avança nas comissões pois o Congresso é conservador. Tem projetos semelhantes do PSOL, do PSB, e até uma do FHC, de 1989, que parou em 2000, durante seu governo. E a proposta de reforma tributária do PT tb trata deste imposto.

            Mas não se iluda, o que seria arrecadado seria uma bobagem perto dos trilhões do orçamento anual, mas concordo que faz justiça social.

            Agora no fundo no fundo, senti um certo preconceito teu com os pobres da classe C… confessa aí, vai…

          • Pois é, sempre a velha

            Pois é, sempre a velha desculpa do “não passa no Congresso”…

            Gozado que quando foi para instituir a cobrança de contribuição social dos trabalhadores aposentados (algo que nem FHC e seus privatas ousaram fazer), aí o governo conseguiu aprovar…

            Cada um acredita no que quer. Eu, como não sou militante e não dependo de partido nenhum para pagar minhas contas, vejo que o governo tem medo de enfrentar os poderosos, e taca no lombo da classe média. Como todos os governos, aliás.

  17. Imaginemos por um momento se

    Imaginemos por um momento se nas ciências médicas a prioridade nos esforços de descobrir e criar mecanismos de cura o foco fosse quase exclusivamente nos sintomas e não nas causas. No caso da pneumonia, por exemplo, se eleger a febre como foco; o inchaço nas pernas como centro das atenções para tratar males cardíacos.

    Pois é isso o que no ocorre há séculos no país no trato desse tema corrupção,  elegendo-a como causa, às vezes até primeira, dos nossos percalços, quando na realidade é apenas sintoma de várias “doenças” dentre as quais se destacam:

    – relativismo moral;

    – individualismo;

    – herança histórica;

    – sistema político que induz a uma práxis na qual valores ficam em segundo plano;

    – inexistência ou  carência de estruturas de contrôles nas áreas pública e privada que desestimulem investidas;

    O excesso de ênfase para essa disfunção certamente encobre ânimos ideológicos. Eleva-se a prática – criminosa, ignominiosa, sem dúvidas – à condição de protagonista para deixar em segundo plano problemas e entraves outros muito mais deletérios para a sociedade. Por exemplo: no âmbito estatal, não é a corrupção que tira a comida da mesa dos pobres, evita melhorias no sistema de saúde, trava os investimentos na educação ou, regra geral, é um óbice para alcançarmos patamares maiores na qualidade de vida. Ao contrário: outras disfuncionalidades, a começar pela ineficiência e desperdícios, corroem muito mais as finanças públicas.

    E por falar em finanças públicas, ontem, instigado por um post do Nassif tratando da transparência nas contas do governo, promovi pesquisas a fim de checar uma informação envolvendo o Banco do Brasil. Nesse afã garimpei dados no site da STN-Secretaria do Tesouro Nacional que me deixaram estupefados, a exemplo dos exarados no  BSPN-Balanço do Poder Público, exercício 2013. Os Ativos e Passivos consolidados nos três escalões federativos – União, estados e municípios – perfizeram a estonteante quantia de R$ 5.656.125.663.061,32! Quanto dessa montanha de recursos são deviados pela corrupção. Não sei. Mas certamente é algo que se eclipsa frente ela. 

    “Não importa: se fosse R$ 1 já seria motivo de repulsa e repressão”, retrucariam de pronto os “moralistas” de plantão, Concordo. Mas o que está em causa não é a valoração ou não dela, corrupção, mas o irrompimento por razões políticas-ideológicas de um discurso que tenta fazê-la raiz de todos os nossos males, em especial a partir de 2003.

    Em que se transformou o debate político nesses últimos tempos? Quase que numa catarse de moralismo hipócrita; de discussões bizantinas acerca de quem roubou, rouba ou roubará mais. Enquanto isso, parafraseando o cancioneiro popular, a pátria distraída se esvai por transações bem mais letais. 

    • JB. um economista que tratou

      JB. um economista que tratou bastante deste tema dos atrasos do Governo aos bancos públicos é o Mansueto Almeida em seu blog.

      Agora ele está em campanha para o Aécio, e seus posts tem sido mais tendenciosos, mas mesmo assim ainda é um economista sérios, ex técnico do IPEA.

  18. Sensação,Nassif? 
    Nassif,nunc

    Sensação,Nassif? 

    Nassif,nunca se roubou tanto quanto hoje. 

    A única forma de diminuir a corrupção é diminuindo o tamanho do Estado.

    O que acontece na Petrobrás hoje,não aconteceria se ela fosse privada.

    Privatizando a Petrobrás,diminuiria drasticamente a corrupção e a eficiência aumentaria em proporções exponenciais,

    resultando em mais benifícios a sociedade.

    A solução é menos governo.

    A solução é o livre mercado.

     

    • Um comentário de

      Um comentário de “excelência”!

      Um colírio para nosso maculados olhos este raiar de sabedoria.

    • Quanta insanidade !

      Prezado, desde o 1º dia após a proclamação da República, que a corrupção existe, embora, nós, simples mortais, não tivéssemos conhecimento disto, pois não havia divulgação disto, por motivos óbvios.

      Não se iluda, com uma empresa do tamanho e da responsabilidade de uma Petrobrás, privatizada. Isso é utopia, e de utopia, ja chegam as promessas dos candidatos.

      Lembro-lhe que a Petrobrás é uma empresa essencial para a soberania nacional, e constitucionalmente, deve está nas mãos do Estado, ou vc. preferiria, que como ocorreu com a Vale, ela deveria ter sido “doada”para os amigos do Pres, FHC, como tentaram fazer ?

      Isso soa a insanidade !

      • Insano é o que temos hoje,

        Insano é o que temos hoje, uma Petrobras delapidada e ineficiente.

        Quanto a Vale,o que você escuta sobre ela?

         

        • Procure se informar melhor a

          Procure se informar melhor a respeito da Vale e seu lucro atual. Além de verificar o que houve no Gabão, sob a gestão Agnelli.

          Ademais, não misture as coisas. A Petrobras vem sofrendo pela questão da defasagem de preço de combustíveis, uma imposição do Governo que também considero equivocada, mas que nada tem a ver com corrupação.

           

          • Como você mesmo disse, tem a

            Como você mesmo disse, tem a ver com o Governo.

            O Governo é o problema.

            Quanto menor a interferência do Estado na economia ,maior a riqueza da nação,

            e isto vale para  qualquer país do mundo.

      • A nossa siderurgica entregue

        Getulio Vargas deve estar esperando Fernando Henrique para acertar as contas ! O velho Pica-Pau esta até hoje revirando no tumulo pelo sacrilégio dos tucanos com a sua menina dos olhos. 

      • Calma aí, companheiro! Quanto

        Calma aí, companheiro! Quanto à Petrobras, pode-se discutir, também acho que deve continuar estatal, embora o sistema de exploração durante o governo FHC tenha sido muito melhor, atraindo capital externo para investimento. Hoje a Petrobras está atolada em dívidas, precisa de muito dinheiro para explorar o pré-sal, levou um chapéu do governo, que entrou na capitalização com promessa de pagamento futuro e ainda por cima toma prejuízo na venda de combustíveis.

        A Vale já é outra história. Era aquele famoso cabide de empregos, festa para os políticos, produtividade ao rés do chão. Foi feito um leilão, quem pagou, levou. Foi um excelente negócio, hoje a Vale é das maiores empresas brasileiras, contribuindo com o desenvolvimento do país. Acho até que se tivessem dado a Vale graciosamente, seria vantajoso para o Brasil.

    • Por favor

      Por favor Elio. Pela sua análise, empresas privadas estão livres de corrupção. isto é absurdo. A corrupção na iniciativa privada é muiiiito superior que em órgãos públicos. Lembro que vi um relatório há uns meses atrás onde mostrava que a corrupção nos governos era de aproximadamente USD 80 bilhões/ano contra USD 280 bilhões na iniciativa privada.

      Privatizar a Petrobrás resultaria mais benefícios à sociedade? quer dizer a sociedade norte-americana, né?

       

      • Não disse que não há

        Não disse que não há corrupção em empresa privada. Todos os setores da sociedade estão sujeitos a corrupção.

        O que ocorre é que na empresa privada quem paga a conta é o dono dela e se não eliminar a corrupção ela fecha.

        Já na estatal quem paga a conta somos nós e ela nunca fecha.

        Com relação  a Petrobrás,quem vai usar o petróleo que ela produzir serão os brasileiros.Os americanos já tem o deles, e hoje,bem mais barato que o nosso.

        • Tolinho… corrupção interna

          Tolinho… corrupção interna numa empresa não é corrupção, é má gestão ou no máximo gestão fraudulenta, qdo envolve prejuízo a terceiros. Um bom exemplo foi o tratamento dado aos bancos privados que o FHC salvou com o seu dinheiro, muitos deles com claros indícios de gestão fraudulenta contra seus clientes. Fora a doação do Chico Lopes ao Marka do amigo Cacciola. Só um bilhão…

          As grandes fraudes e desvios do setor público tem o envolvimento de um corruptor privado. Só vc não sabe…

          • Fofinho ,,,,, existe sim

            Fofinho ,,,,, existe sim corrupção em empresa privada.

            No setor publico ou você paga ou você não entra. Vide o caso das construturas com a prefeitura de São Paulo,todas foram inocentadas.Só você não sabe…

          • Cara, vc é muito mal

            Cara, vc é muito mal informado.

            A prefeitura de SP está convocando e cobrando de todas as construtoras a dívida furtada durante os governos Serra/Kassab. Todas estão no pau…

            Volta pra sua Veja, pois aqui é um blog sério e de credibilidade.

    • Ahh, tolinho… quer dizer

      Ahh, tolinho… quer dizer que vc não sabe que a crise de 2008 que derrubou meio mundo foi provocada por bancos privados ?? E que depois descobriram os gordos e milionários benefícios que seus executivos ganhavam enquanto as poupanças dos cidadãos derretiam?

      E a Sabesp que, após sua privatização, preferiu distribuir lucros a acionistas do que investir no abastecimento de água para o povo? E o Metrô de SP, depois da PPP, que está pouco se lixando para o bem estar do usuário e onde suas empreiteiras formam cartel para sugar nosso dinheiro?

      Tadinho de vc… deve ser muito jovem, né?

      • A crise de 2008 teve como

        A crise de 2008 teve como base a atuação de Bancos do Governo que garantiam e subsidiavam a compra de imóveis para quem não tinha crédito.O governo americano incentivou essa prática junto aos bancos privados.

        Sempre que surgir uma crise em um sistema capitalista você pode ter certeza,foi culpa de interferencia governamental,guiada provavelmente por individuos que acham que tem a solução para todos os males da humanidade.

        Tenho idade suficiente para perceber que  todas as economias planejadas, por governos intervensinistas, fracassaram.

        E,pelo que me parece, países como Cuba,União Sovietica,Coréia do Norte e recentemente Venezuela e Argentina não foram suficientes para afinar seu instrumento.

    • Coloca teus móveis na rua, teu carro aberto com a chave tb

        dá logo, è a única forma de evitar que sejam roubados, ou faz como fhc , empresta tanto pra teu vizinho comprar teu carro, como ele vai vender pamonha com ele, ele vai te pagando aos poucos e tu se livra da preocupação com o carro, é uma beleza.

  19. Corrupção

    Dificil um governo enfrentar a corrupção quando os seus pares estão diretamente envolvidos. Qual o exemplo que esse governo quer dar? Sem contar nas manifestações de apoio aos pares que foram condenados e presos. 

    • Ah, entendi,

      Ah, entendi, jjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjjj……………..

      A condição “cineéquáquánon” para se combater a corrupção é não ter pares( e os ímpares?) no governo. Lascou!

      O exemplo que este governo dá é combatê-la cortando na própria carne. O ruim é ficar só na discurseira e não fazer nada. 

      Tome o exemplo de São Paulo: o que fez a respeito das denúncias de corrupção? Nada. Aliás, fez: impediu CPIs na Assembléia Legislativa. 

      As manifestações de apoio aos pares(por não aos ímpares?) como alegas é um processo mais complexo. 

  20. Combate à corrupção

    Permita-me discordar em um ponto, Luis Nassif: o governo Dilma nomeou o delator Paulo Roberto Costa para a diretoria da Petrobras, a pedido de José Janene, membro da quadrilha do mensalão. Quem faz isso pode até estar enfrentando a corrupção de um lado (onde está  a torcida), mas a alimenta por outro. Para dizer o mínimo: Dilma foi complacente com a corrupção!

      • Ela devia conhecer bem a peça

        Ela devia conhecer bem a peça desde a época do Ministério de Minas e Energia, não?

        Aliás, não foi sua demissão que azedou a relação com o PSB e Eduardo Campos?

      • Dilma tomou posse como

        Dilma tomou posse como presidente em janeiro de 2011, e Paulo Roberto Costa só deixou a Diretoria de Abastecimento da Petrobrás em abril de 2012.

        Ele permanceu nessa diretoria de 2004 a 2012.

      • já li m algum lugar que ele é

        já li m algum lugar que ele é funcionário de carreira desde 90, uma coisa assim…

        a informação pode ser vaga,

        mas é o que eu soube.

    • Informe-se antes de falar bobagens.

      Prezado, nem o governo Lula(em cuja gestão, o P.R.Costa, foi admitido na Petrobrás)nem o governo Dilma, tiveram culpa, nesta admissão. Em qualquer empresa(pública ou privada) delega-se a função de contratar/demitir qualquer func. ao Depto de Rec. Humanos, e na Petrobrás, não seria diferente. Imaginemos o Presidente da República, tendo que aprovar/desaprovar as contratações/demissões de centenas de pessoas, que acontecem diariamente ! .

      Se alguns ex-funcs(já demitidos a bem do serviço público)alguns remanescentes do governo FHC, participaram de qualquer improbidade administrativa, as investigações em curso deverão comprovar, e tenha a certeza, eles serão duramente punidos, doa a quem doer. E se há alguem neste país, que não é complacente nem conivente, com qualquer ato de corrupção, este alguem é a Pres. Dilma.

      • Raí, o Paulo Roberto Costa

        Raí, o Paulo Roberto Costa era servidor de carreira da Petrobrás.

        Entretanto, ele foi nomeado Diretor de Abastecimento da Petrobrás no governo Lula, em 2004. Essa função é extremamente importante, primeiro escalão da Petrobrás, e envolve indicação política.

        • O Sr. está enganado.

          Apesar da importancia do cargo, ele passa distante de indicação Presidencial. A Petrobrás, te m todo um organograma de recursos humanos, que sabe a hora de promover alguem dentro do seu quadro, e esta promoção passa porr diversas avaliações, exceto a ingerência da Presidencia da República, que tem coisas muito mais importantes a fazer, do que ficar aprovando ou desaprovando contratações, promoções ou demissões de funcs. de Estatais, exceto quando(como neste caso) eles prevaricam.

      • O desafio de enfrentar a corrupção


        Então, a presidente não deu aval para nomeação de um diretor das principal empresa do país? Então, tá…

        • Qual parte não ficou claro

          Qual parte não ficou claro que foi a Presidenta!,quem demitiu o Paulo Roberto Costa?

  21. CULTURA DE CORRUPÇÃO E A NOVA LEI PRO-ÉTICA

    Há uma “Cultura de Corrupção” no país, que começa com as propininhas (cervejinha pra evitar multas de trânsito ou acelerar certos processos burocráticos, etc.). A mídia está mais preocupada com a “escandalização” dos grandes fatos deixando de criar condições para o debate e reflexão das causas e soluções. Nesse sentido, a Nova Lei Anticorrupção Empresarial oferece interessantes elementos pedagógicos pra estimular uma “cultura organizacional ética”, ou seja “comportamentos éticos”, de modo mais preventivo do que corretivo/punitivo. A seguir matéria sobre palestra do Ministro do CGU no último Congresso d Compliance no Brasil.

     

    MINISTRO JORGE HAGE ADIANTA PONTOS DA REGULAMENTAÇÃO DA LEI ANTICORRUPÇÃO

    27 de junho de 2014 em Compliance Brasil

     Fonte: ConJur

    Por: Reinaldo Chaves

    A transparência das empresas em relação a doações para candidatos e partidos políticos e o comprometimento de seus diretores no combate à corrupção serão pontos analisados pelo poder público para avaliar os programas de compliance das companhias. Os critérios, que constarão no decreto que regulamentará a Lei Anticorrupção em âmbito federal, foram adiantados pelo ministro-chefe da Controladoria-Geral da União, Jorge Hage.

    “No decreto [que regulamenta a lei no âmbito federal] vão constar três pontos principais de avaliação:

    1.   a estrutura do programa,

    2.   uma aferição de efetividade e

    3.    as especificidades da empresa”,

    explicou o ministro à revista Consultor Jurídico, depois de participar da abertura do2º Congresso Internacional de Compliance, que acontece nos dias 25 e 26 de junho em São Paulo.

    Ele detalhou que, na análise da estrutura do programa de compliance, serão checados:

    1.   o comprometimento da alta direção;

    2.   os padrões de conduta e do código de ética;

    3.   a existência de treinamentos periódicos sobre o programa integridade;

    4.    se há análise periódica de riscos; a existência e divulgação de canais de denúncia;

    5.    a criação e manutenção de controles internos;

    6.   medidas disciplinares em caso de violação do programa de integridade;

    7.   e a transparência quanto a doações para candidatos e partidos políticos.

    Sobre a efetividade do programa de integridade, serão avaliadas:

    1.   a atuação do programa de integridade frente às irregularidades em tópicos como a comunicação, pronta e espontânea, do ato lesivo à administração pública;

    2.   a remoção dos funcionários envolvidos no ato lesivo antes da notificação da autoridade pública;

    3.    e a comprovação quanto à não participação, tolerância ou ciência de pessoal de alto nível da empresa.

    “E no item especificidades da empresa também será levado em conta o tamanho da empresa, porque é evidente que nem todas as companhias terão condições de ter um sistema completo de integridade. Será levado em conta, por exemplo, a quantidade de funcionários e se ela utiliza agentes intermediários, como consultores ou representantes comerciais”, conta Hage (foto).

    Questionado sobre quando a regulamentação será publicada, o ministro respondeu, com bom humor: “Aí você tem que perguntar para o [Aloizio] Mercadante”. Isso porque a regulamentação da Lei 12.846/2013 já recebeu sinal verde do Ministério da Justiça e da CGU, mas aguarda por aprovação na Casa Civil, do ministro Mercadante.

    A demora na regulamentação federal de uma lei que já está em vigor desde 29 de janeiro faz com que a interpretação dada à norma seja mais ampla do que o esperado, admite Hage. “Não havendo decreto, há espaço para uma discricionariedade maior para quem for aplicar a lei na esfera federal. Na esfera de estados e municípios, alguns já regulamentaram e isso já foi melhor resolvido, como em São Paulo”, disse.

     

     

  22.  O desafio de enfrentar a

     

    O desafio de enfrentar a corrupção é o grande desafio de todos nóis de cortar a corrupção – pecado original do desejo gula da mulher já de boa no paraíso – de cortar a corrupção na própria carne…

     

     

    e depois entonces,

    botar o dedo na ferida… do outro, o pobre coitado pego pra cristo

     

     

     

    [no detalhe]

     

  23. corrupção

    CINHEÇO CENTENAS DE PESSOAS QUE FALAM MUITO MAU DO GOVERNO NO QUE DIZ RESPEITO A CORRUPÇÃO MAS INUMEROS DESTES QUE CONHEÇO OU QUASE TODOS PREFEREM SONEGAR IMPOSTOS DAR PROPINA PARA GUARDA E OUTRAS COISAS QUE NA VERDADE SÃO A MESMA COISA E METEM O PAU NO GOVERNO.

    • o que voce mencionou tem outro nome..

      Zé Carlos

      corrupção é usar cargo publico para obter vantagem privada ( inclusive caixa 2 de campanha ).

      Dar uma propina pro guarda de transito é coisa leve, pois afeta apenas a dois individuos.

      Corrupção é ser nomeado pára a Petrobras e exigir 3 % de cada  contrato  para ser distribuidoà sua hierarquia.

      a primeira reque cadeia.

      A segunda pena de morte. ( pode ser fisica ou politica )

    • o que voce mencionou tem outro nome..

      Zé Carlos

      corrupção é usar cargo publico para obter vantagem privada ( inclusive caixa 2 de campanha ).

      Dar uma propina pro guarda de transito é coisa leve, pois afeta apenas a dois individuos.

      Corrupção é ser nomeado pára a Petrobras e exigir 3 % de cada  contrato  para ser distribuidoà sua hierarquia.

      a primeira reque cadeia.

      A segunda pena de morte. ( pode ser fisica ou politica )

  24. ..calhau do Nassif

    Nassif:

    Corrupção é inerente  ao ser humano.

    Quer seja um regime socialista, bolivariano ou capitalista  sempre haverá corrupção.

    Corrupção é   como ferrugem :  ataca  o   ferro  pela  decomposição do carbono existente  em sua composição.

    O desafio de conter  a  corrupção é o mesmo de Adão e  Eva.

    Esta na composição do ser humano.

    Corrupção deve ser combatido evitando que o oxigenio atue sobre o ferro.

           

  25. A novidade, é que agora, apura-se, e pune-se.

    Nassif e amigos. A análise foi perfeita, esclarecedora e apartidária, num momento político, em que qualquer análise “escorrega” para as cores partidárias do analista, porem faltou dizer, que o que efetivamente ocorreu desde o início das gestões petistas, quando mesmo cortando na própria carne, ao contrário do que ocorria anteriormente, todas as denúncias foram investigadas, por quem de direito, até o fim, e as punições foram alem de exemplares, aprendidas como lição pelas administrações, que passaram a ser mais cuidadosas, quando da escolha de seus quadros administrativos, mesmo quando as denúncias não procederam, e quando bons quadros foram expurgados, antes mesmo de serem  efetivamente comprovados quaisquer atos improbos.

    Instituições como a PGR, que até atendia pelo nome de Engavetadoria Geral da União; O Min.Público Federal; A Polícia Federal; O TCU e outros órgãos que antes eram “cabides de emprego”  passaram a ter toda a independencia para investigar, divulgar os resultados de suas investigações, e punir com o rigor da lei, a qualquer pessoa da sociedade civil, ou do funcionalismo público, até cometendo alguns excessos, e isso, jamais ocorreu nas adms. anteriores, como bem prova, os escandalos das privatizações, contadas(e comprovadas)no livro Privataria(Pirataria ?) Tucana, do Amauri, e nos demais casos escabrosos, envolvendo o governo FHC, que foram arquivados por quem deveria investiga-los, o Poder Judiciário, comandado por amigos dos envolvidos(G.M) entre outros juízes das mais diversas instancias.

    Hoje, efetivamente ainda tem corrupção, pois este “câncer” é quase incurável, porem ao contrário de antigamente, os casos de corrupção, propinas e atos de improbidades administrativas, quando descobertos, são divulgados, mesmo que isso afete os governantes e altere o equilíbrio entre os Poderes, que antes “abafavam” tais casos, e acabavam em pizza.

    Falta apenas, que a grande mídia, faça esta leitura de fatos, denunciando quando for o caso, porem dando o espaço para a resposta, das partes envolvidas e despartidarizando-se.

    • O Brasil mudou e mudou muito

      O Brasil mudou e mudou muito em relação ao combate à corrupção e à impunidade: CGU; Corregdorias; capacitação de funcionários para instauração de procedimentos administrativos de apuração; transparência (não apenas demonstrativa mas de fácil acesso); independência e autonomia (de fato) do MP da União e da Polícia Federal; integração desses órgãos que passam a atuar conjuntamente no fornecimento de informações e de ações.

      Como no liguajar dos economistas no que tange a inflação inercia, a corrupção ocorre porque ocorreu antes… 

       

       

    • Quem mais contribui para essa

      Quem mais contribui para essa “sensação” de muita corrupção foi a mídia velha e partidarizada que multiplica por mil a repercussão das suspeitas contra os desafetos e não repercute em nada os processos e investigações contra os seus aliados (políticos do psdb e dem, segundo o TSE, os partidos mais corruptos do país). O DEM tem sete vezes mais políticos cassados do que o PTe o PSDB tem seis vezes mais políticos cassados do que o PT. Mas a mídia velha e tucana, muito competentemente, diga-se de passagem, conseguiu convencer uma boa parte da população que o PT é o partido mais corrupto do Brasil com base simplesmente no bombardeio midiático diário (denuncismo seletivo) por mais de uma década. O fato é que o PT é comprovadamente o partido que mais combate a corrupção. Do contrário, não teria dinheiro para o Bolsa Família, para a transposição do rio São Francisco, para as construções de usinas hidrelétricas, para a construção de novas universidades, para o financiamento da agricultura familiar, para o Minha Casa Minha Vida, para as inúmeras obras de mobilidade nas grandes cidades, para o Fundo Soberano, para a criação do Banco dos Brics, para os investimentos no pré-sal e para reservas internacionais na ordem de 400 bilhões de dólares. Os governos tucanos, que sempre engavetaram as denúncias de corrupção, com a cumplicidade da mídia amiga, não conseguiu fazer nenhuma obra de porte sequer similar aos governos petistas, venderam boa parte do patrimônio público, não investiram em nada, deixaram o país às escuras durante dois anos e somente 30 bilhões de dólares na caixa das reservas internacionais do país. Precisa dizer mais? Sem mencionar o fato de que deixaram sem água a população de São Paulo, o estado mais rico da federação.

  26. CORRUPÇÃO

    Não consigo entender o que há de benéfico da anomia (desregramento) do Ministério da Justiça relativa à Polícia Federal. O senhor Nassif poderia ter explicado isto melhor.

    Sobre corrupção é importante esclarecer que existe uma variante mascarada desta prática nefasta, também – é óbvio – danosa ao erário, cuja aparência benemérita esconde interesses escusos de grupos de indivíduos disfarçados de bons moços.

    Onde eu moro, São José dos Campos – SP, existe um bom exemplo disto, a organização OSCIP (= Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) chamada DCA-BR, criada sob o pretexto de auxiliar a superintendência SAR da ANAC instalada na cidade, mas, de fato, uma espécie de albergue para reformados da FAB e aposentados do antigo CTA (hoje DCTA), aos quais paga régios salários. O pré-requisito, a condição sine qua nom para admissão na DCA-BR era (é) ser amigo do Sr. Cláudio Passos Simão, tenente-coronel engenheiro reformado, diretor da ANAC.  

    Aliás, pagava bem mais, pois fracassou na falsa missão de auxílio à SAR, e, por conseguinte, cerca de três anos depois do início de suas atividades demitiu a maioria do seu contingente. No meio tempo cada um recebeu na média R$11 mil x 36.

    A princípio a bisonha OSCIP dissipou R$45 milhões dos cofres públicos, valor do investimento inicial aplicado nela.

    Cabe a pergunta, ajudar em que uma superintendência repleta de funcionários públicos? Convém esclarecer, antes de ser superintendência a SAR era uma gerência, GGCP, tocada por um punhado de funcionários contratados, não mais que cinquenta profissionais de primeira qualidade, junto com alguns funcionários públicos, muitos deles competentes, também algo em torno de cinquenta. De gerência a superintendência nada de bom aconteceu, a não ser para a pessoa vinda de fora (um coronel reformado da FAB), nomeada superintendente, seguida pelo séquito dela, bem como para as centenas de concursados aprendizes, “substitutos” (entre aspas) dos contratados profissionais.

    Tal sorte de coisa é corrupção? Aparentemente não é, pois foi tudo feito dentro da lei, porém o efeito é igual, o dinheiro do povo é malbaratado da mesma forma.

    Decerto situações como esta devem pulular Brasil afora.

     

  27. como é que é

    O articulista, acredito que por ato falho, utilzou a expressão anomia quando se referiu ao trabalho da PF e  a relação desta com o MJ. Pelo tom aclamatório do texto, acredito que a palavra seria autonomia. O jornalisa, entretanto, acertou errando. Na acepção corrente do termo anomia ( falta de identidade e falta de objetivo) pode se entender corretamente a contribuição que o governo federal tem dado à PF, via MJ. A instiuição econtra-se totalmente desorganizada, com baixos indices de eficiência e sobretudo vivendo uma guerra interna entre as carreiras que compõe seus quadros. A PF, com certeza, não pode ser citada como exemplo de atuação exitosa do governo na seara de combate ao crime. 

  28. CORRUPÇÃO MASCARADA

    Não consigo entender o que há de benéfico da anomia (desregramento) do Ministério da Justiça relativa à Polícia Federal. O senhor Nassif poderia ter explicado isto melhor.

    Sobre corrupção é importante esclarecer que existe uma variante mascarada desta prática nefasta, também – é óbvio – danosa ao erário, cuja aparência benemérita esconde interesses escusos de grupos de indivíduos disfarçados de bons moços.

    Onde eu moro, São José dos Campos – SP, existe um bom exemplo disto, a organização OSCIP (= Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) chamada DCA-BR, criada sob o pretexto de auxiliar a superintendência SAR da ANAC instalada na cidade, mas, de fato, uma espécie de albergue para reformados da FAB e aposentados do antigo CTA (hoje DCTA), aos quais paga régios salários. O pré-requisito, a condição sine qua nom para admissão na DCA-BR era (é) ser amigo do Sr. Cláudio Passos Simão, tenente-coronel engenheiro reformado, diretor da ANAC.  

    Aliás, pagava bem mais, pois fracassou na falsa missão de auxílio à SAR, e, por conseguinte, cerca de três anos depois do início de suas atividades demitiu a maioria do seu contingente. No meio tempo cada um recebeu na média R$11 mil x 36.

    A princípio a bisonha OSCIP dissipou R$45 milhões dos cofres públicos, valor do investimento inicial aplicado nela.

    Cabe a pergunta, ajudar em que uma superintendência repleta de funcionários públicos? Convém esclarecer, antes de ser superintendência a SAR era uma gerência, GGCP, tocada por um punhado de funcionários contratados, não mais que cinquenta profissionais de primeira qualidade, junto com alguns funcionários públicos, muitos deles competentes, também algo em torno de cinquenta. De gerência a superintendência nada de bom aconteceu, a não ser para a pessoa vinda de fora (um coronel reformado da FAB), nomeada superintendente, seguida pelo séquito dela, bem como para as centenas de concursados aprendizes, “substitutos” (entre aspas) dos contratados profissionais.

    Tal sorte de coisa é corrupção? Aparentemente não é, pois foi tudo feito dentro da lei, porém o efeito é igual, o dinheiro do povo é malbaratado da mesma forma.

    Decerto situações como esta devem pulular Brasil afora.

            

    • Justamente o que eu disse em

      Justamente o que eu disse em comentário abaixo.

      Uma das formas de ajudar a diminuir a corrupção é ELIMINAR TODOS os repasses de verbas públicas para ongs e assemelhados.

      Só que é claro que isso teria consequencias. Mas sem dúvida é uma forma de minorar a corrupção.

      • Não viaja Daniel, não caia no

        Não viaja Daniel, não caia no discurso da veja e estadão. ONGs são relevantes em áreas onde o governo não alcança e tem feito a diferença em muitos aspectos na vida do brasileiro nas áreas de saúde, cultura, educação, meio ambiente e esportes. Procure se informar melhor. O mundo democrátrico trabalha com e não pode prescindir do apoio de ONGs.

        Corrupção de ONGs com dinheiro público existe sim, mas é coisa miúda e tem a ver com os desvios de caráter do ser humano para proveito pessoal. O bolo grosso da corrupção com verbas públicas está nas licitações de grandes obras e serviços (como merenda) e muitas vezes em conluio com políticos, e prejudicam milhões de pessoas.

        • “ONGs são relevantes em áreas

          “ONGs são relevantes em áreas onde o governo não alcança e tem feito a diferença em muitos aspectos na vida do brasileiro nas áreas de saúde, cultura, educação, meio ambiente e esportes”

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          Aiai, essa foi boa…

          Qualquer ONG que receba dinheiro público, em princípio é suspeita (minha opinião). Podem até existir ONGs sérias que recebem dinheiro público, mas é como cabeça de bacalhau: pouca gente já viu.

          Quer “fazer o bem”? Arranje patrocínio privado, ou coloque do seu próprio bolso. Fazer caridade com chapéu alheio é muito fácil.

          ONGs são um dos grandes escoadouros de dinheiro público. De TODOS os partidos, não estou a falar mal do governo, antes que cheguem os militontos binários com o velho “ah, mas o PSDB mimimimi…” 

          • Lamento te informar, mas o

            Lamento te informar, mas o mundo vai acabar e até este dia chegar as ONGs existirão, subsidiando todos os governos de todas as ideologias e preferências partidárias de todas as regiões do mundo. São cidadãos que possuem interesses difusos, voltados ao bem estar e na qualidade de vida dos seus pares. Bem ao contrário de vc… 

          • “São cidadãos que possuem

            “São cidadãos que possuem interesses difusos, voltados ao bem estar e na qualidade de vida dos seus pares. Bem ao contrário de vc… “

            Porque eu sou contra ONG pegar dinheiro público eu “sou contra” a qualidade de vida alheia? Que inversão de valores, hein? O que tem uma coisa a ver com a outra?

            Só na cabeça de ongueiros fanáticos, que acreditam que eles são o “bem”, são os únicos benfeitores, e quem critica é mau, insensível “à qualidade de vida de seus pares”…

             

          • De novo, porque eu sou contra

            De novo, porque eu sou contra ong receber dinheiro público? Isso faz de mim “individualista e egoísta”? 

            Alguma vez vc já me viu falando mal do bolsa família, do mais médicos ou do pronatec? Não, porque nunca o fiz. Pelo contrário, são programas fantásticos.

            E phoda discutir com militonto: pensou duferente dele, automaticamente vc é a encarnação do mal.

  29. Corruoção

          Corrupção vem do latim corruptos, que significa quebrado em pedaços. O verbo corromper significa “tornar pútrico” que significa PODRE.  Com isso concluimos que: O Estado brasileiro está podre desde o seu advento inicial, logo, não temos mais jeito  sempre vai ter gente roubando seja qual for a  gestão que estiver na ordem do dia.

  30. A guerra contra a corrupção

    A guerra contra a corrupção já se mostrou ineficaz com poucos resultados práticos. Por isso já passou da hora de descriminalizar a corrupção com um marco regulatório da corrupção.

    Com a regulamentação não veremos mais mensaleiros na prisão, não veremos propinas de 3% que sabemos que não nem para comprar uma calça de 300 reias para uma jovem. No minimo é 6% padrão Eurenice. 

    Como  não se consegue acabar com a corrupção no governo Dilma nada mais natural que regular a profissão de corrupto, assim a categoria podrá assinar carteira de trabalho ter direitos trabalhistas como :

    Tirar férias, imagina um corrupto tirando férias, menos prejuizo para o país.

    Os corruptos poderão se aposentar e usufruir todo dinheiro que roubaram da petrobrás,não vai ser nem mais necessário perder um dedo para se aposentar.

    Sindicalizar se, imagina corrupto fazendo greve para aumento de propina. O sindicato dos corruptos vão entrar na CUT.

    Partido os corruptos já tem( PT) não será necessário criar já estão todos filiados no PT.

     

    • Vc eh uma babaca mesmo, para

      Vc eh uma babaca mesmo, para pegar leve. Eh por isso que o debate nao vai pra frente. vc, como imbecil mor acha que os seus ladroes sao puros. Eis um babaca de marca maior.

    • Vamos legalizar a corrupção,

      Vamos legalizar a corrupção, daí acaba o “pobrema” hahahahahaha

      Por que será que ninguém leva essas vítimas do Instituto Mises a sério?

  31. Brasil é moderno no combate à corrupção, mas tem de avançar

     

    Luis Nassif,

    Não gosto deste tema. Creio que a informação que dispomos sobre a corrupção é em geral muito precária. E quando a fonte é o jornalismo, o nosso conhecimento fica ainda mais embotado e incapaz de perceber as nuances, pois o jornalismo apenas reverbera aprendizados formados numa cultura que não tem condições de entender o fenômeno e não é instruída para o entender e então o processo caminha para a completa obscuridade.

    Quando vejo índices de corrupção por países dá vontade de enforcar o infeliz que vem tonitruante bradar as colocações de cada país. A primeira pergunta que me surge é se não seria válido ler o quadro de cabeça para baixo. A idéia é se existiria alguma prova científica que negasse a possibilidade de os dados apresentados estivessem invertidos e os colocados em primeiro lugar fossem os últimos em matéria de corrupção.

    A minha ojeriza a esse tema se manifesta de vários modos. Eu tinha um tio que dizia que o único cargo que ele aceitaria era de imperador perpétuo do universo. Uns diziam que ele disse isso como fundamento à recusa dele quando ofereceram a ele um cargo de vereador. Outros diziam que ele aceitou o cargo na época em que o vereador era escolhido pelos grandes mentores políticos no município. Lembrei disso porque utilizava o título de imperador perpétuo do universo para dizer que se eu tivesse esse cargo a primeira lei que eu estabelecia seria a que definia que o primeiro que falasse em corrupção teria a cabeça cortada. A minha idéia era que com isso rapidamente se acabaria com a conversa sobre corrupção que é sempre uma conversa de leigos.

    Depois eu percebi que eu não poderia estabelecer uma lei tão drástica assim sem correr o risco de ser o primeiro a ter a cabeça cortada. Ai então coloquei a ressalva que poderiam falar sobre o assunto, os legisladores, os tribunais de contas, os magistrados, o ministério público e a polícia e o advogado do réu.

    Bem, ontem junto ao post “Como recuperar a confiança na economia brasileira” de quarta-feira, 24/09/2014 às 06:00, aqui no seu blog e de sua autoria eu enviei um comentário quarta-feira, 24/09/2014 às 14:30, em que eu fiz um longo preâmbulo que até pensava em transcrever aqui apenas para mencionar o livro do advogado britânico Bertrand De Speville “Superando a Corrupção – Os Fundamentos”. Havia uma resenha do livro na página D3 do jornal Valor Econômico, de segunda-feira, 23/09/2014, página D3, em que se destacava que Bertrand De Speville foi o nome principal da Comissão Independente Contra a Corrupção de Hong Kong, que no princípio dos anos 90, transformou e vitalizou o ambiente de negócios da ex-colônia por meio de severas medidas de saneamento de costumes.

    Não vou transcrever o que lá já fugiu do meu figurino de não gostar de falar sobre corrupção, mas fica a seguir o endereço do post “Como recuperar a confiança na economia brasileira”:

    http://jornalggn.com.br/noticia/como-recuperar-a-confianca-na-economia-brasileira

    E não vou transcrever porque se lá eu fiz um longo preâmbulo para dar ensejo a mencionar o livro “Superando a Corrupção – Os Fundamentos”, aqui eu já mencionei o livro e fiz também um longo preâmbulo. Observo apenas que na parte que eu ia transcrever eu também disse que talvez o advogado britânico Bertrand De Speville seja um bom assessor para que criar mecanismos mais eficazes contra a corrupção.

    De todo modo, penso que valeria um estudo mais pormenorizado sobre a corrupção. Aspectos como outras práticas criminosas associadas à corrupção que são pouco lembradas quando se fala sobre corrupção poderiam ser mais bem analisados. E alguns aspectos estatísticos da economia e da administração pública também precisariam de maior divulgação. Onde há mais corrupção em países com alta taxa de inflação ou com baixa taxa de inflação, com alto endividamento público ou com baixo endividamento público, com alta taxa de crescimento ou com baixa taxa de crescimento, etc., etc. e tal?

    Esses levantamentos propostos resultariam em análises de caráter mais técnico e eles deveriam estar vinculados a levantamentos de caráter mais emocional em que se faria em pesquisa pública um acompanhamento da percepção da população sobre corrupção vinculados a indicadores como inflação, déficit público em relação ao PIB, percentual em relação do PIB da rolagem da dívida pública, etc. (Há muitas pessoas que dizem que a maior parte da corrupção é o dinheiro que o governo paga ou repassa via juros para ricos banqueiros e rentistas), etc. e tal. É claro que ainda não dispomos de instrumental técnico que permita nos informar com precisão os índices de corrupção, mas dentro de um critério de razoabilidade seria interessante comparar os resultados do levantamento técnico com o resultado do levantamento da percepção da população para avaliar se ele guarda coerência com a realidade.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 25/09/2014

  32. Corrupção nos estados

    Acho que os MPs estaduais são, sucessivamente, corrompidos por governos de seus respectivos estados. Na Operaração Aratath, ocorrida em MT, o MP local ficou sob suspeição, sofreu uma saraivada de denuncias até hoje não elucidadas corretamente. Enfim, muitos processos politicos e de grande empresarios circunscritos a suas regiões, ficam parados nessas instâncias e não avançam. Ai temos mais que a “percepção de corrupção”, temos casos graves de corruptos notorios que nunca chegam a julgamento.

     

    • Faz 20 anos que o PSDB

      Faz 20 anos que o PSDB governa SP.

      Nesse tempo todo, alguém já viu algum Secretário de Estado do governo tucano ser importunado pelo MP paulista?

      Se em SP, estado mais “rico” e “moderno” é assim, MP totalmente cooptado pelo poder político local, imagine em outros estados, “menos desenvolvidos”.

      É o que eu sempre digo: só estudante, pessoas ingênuas e jornalistas acreditam nessa mitificação do promotor “linha de frente no combate ao crime”, “acima do bem e do mal”, “incorruptível”, “especial” em relação aos demais agentes públicos. Tem sim, um ou outro Dom Quixote (assim como em todas as instituições públicas).

      Mas a maioria dos membros do MP está mesmo é preocupada em “enricar” dando aulas em cursinhos, recebendo “auxílio alimentação” e “auxílio moradia” retroativo a trocentos anos atrás (o que sempre dá boladas de centenas de milhares de reais, em uma só tacada) etc…

  33. corrupção no Judiciário

    Se se pode classificar a corrupção por graus, eu diria que a pior das corrupções é aquela praticada por membros do poder judiciário.

    E consertar alguma coisa (qualquer coisa) em quaisquer das instâncias do Judiciário é dificílimo.

     

  34. … enquanto isso, na pobre coitada falida argentina…

    … enquanto isso, 

    na pobre coitada falida argentina…

    um professor-pesquisador argentino radicado no brasil contou ao colega que numa das viagens de filho pródigo ao rincão querido foi visitar em buenos aires a mãe, uma ferrenha peronista defensora e partidária do então presidente Carlos Menen.

    conversa vai conversa vem chegaram na discussão calorosa de mãe-e-filho sobre a política portenha atual da época, com a mãe argumentando apaixonada que o então presidente Menen era sim corrupto, ladrão, mentiroso, cometia gestão fraudulenta e malversação do dinheiro público e que tudo isso estava escandalizado na imprensa e nas denúncias no parlamento argentino e tal…

    o filho diante dessa confissão da culpa de Menen, pela mãe teimosa ardilosa, preparou o xeque-mate moral na genitora querida, pero si, osso duro de roer e de aturar no embate político:

    – e por que?, diante das notícias criminosas e das investigações [na argentina, a imprensa livre é livre leve e solta e pode fazer jornalismo investigativo a gosto sem que seja crime de lesa-pátria contra o Estado e o governo de plantão], ela ainda insistia em apoiar e defender e brigar fé cega faca afiada por um alto dignitário político peronista contumaz ladrão corrupto demagogo investigado pela justiça e manchete banal dos escândalos e mais escândalos do governo peronista nos jornais e na mídia argentina e internacional…

    e a mãe de bate pronto! respondeu ao filho pródigo:

    – todos los políticos de todos los partidos são ladrones, pero, Menen es nuestro ladrón!

    pois é… é a velha sabedoria de mãe politizada…

    • Menen es nuestro ladrón!

      JC Pompeu,  achei muito interessante a história por você compartilhada.  Eu a citei na minha página do Facebook numa discussão sobre a popularidade do ex-candidato José Roberto Arruda. Aqui em Brasília, ele era o favorito. Eis o “Nuestro ladrón”!

  35. E a parte operacional?

    Os ajustes na cúpula indicados pelo Nassif melhorariam a governança no nível tático-estratégico. Mas e no nível operacional?

    Penso que no caso das agências, deveriam ser reunidas em uma única ANR nacional, aonde TI, RH, compras, planejamento e Financeiro seriam unificados, e cada agência existente hoje viraria uma vice presidência, em sua área específica (transportes, comunicação, defesa econômica, etc.) dando sinergia e simplicação ao processo regulatório. Problemas portuários tarifários por exemplo, hoje saem da alçada da Antaq e caem no CADE, tendo que recomeçar todo o processo administrativo de cada autarquia. O mesmo serviria para os ministérios.

    Estatais não deveriam se canibalizar (BB entrando na habitação, Caixa no crédito agrícola).

    Segurança, Educação e saúde seguiriam o modelo de bem estar escandinavo, ou seja, os recursos são públicos, porém a gestão seria privada através de contratos de gestão (diretores de escolas/hospitais e reitores). Não haveria necessidade de quadroa concursados nessa área, seriam CLT pois atividade fim do Estado não é ser hospital, presídio ou escola, mas fiscalizar, regular e defender.

  36. Governança corporativa?
    Eu

    Governança corporativa?

    Eu entendi bem ou o Nassif está recomendando a adoção de regras típicas da iniciativa privada às empresas públicas?

    Não acreditam em mim? joguem “governança corporativa” no Google e vejam quem fala desse assunto.

    Em tempo: acho a sugestão ótima, concordo plenamente com sua adoção e fico feliz de ver uma proposta dessas num blog de inclinação governista.

    Mas não posso deixar de destacar que, se fosse em qualquer outro veículo, tal sugestão seria tachada de tecnocrática.

     

  37. Li quase todos os comentários

    Li quase todos os comentários e ninguém mencionou o financiamento de campanha como germe dessa corrupção de que hoje se fala tanto.

    Qualquer matuto sabe muito bem que “balaio vai, balaio volta”, mas a nossa incrível classe média diplomada entra em pânico quando se fala em proibir financiamento por parte de empresas.

    É impressionante o nível de sabujice e pretensao. Toda a preocupação dos muito ricos é essa, ou seja, se uma ou outra mudança na lei eleitoral ou em uma reforma política vai implicar ou não em perda de poder da parte deles; e, por conseguinte, ampliação da representação que melhor reflita a sociedade brasileira. Mas a cândida classe média imitadora repercute que qualquer mudança na lei eleitoral é pra favorecer o pt, o pt, o pt. A coisa é tão explícita em seus propósitos que na atual legislação chega-se a permitiir que corporações façam doações mas sindicatos não.

    Uma olhadinha rápida na composição do parlamento seria mais que suficiente pra entender a consequencia disso.

    Ou seja, não estão preocupados com corrupção coisa nenhuma, estão preocupados é com o pt. E essa raivinha toda é só porque acham que isso é chique; só porque os muito ricos iniciaram essa campanha, que, diga-se, nada mais é que projeção, afinal, é isso que nossas “zelites” venezuelanas sempre fizeram e fazem.

    Jessé de Souza deixa claro sobre a tolice das classes médias tradicionais.

    https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=lqUbAB6oBe8

    Ou seja, Nassif, se a dilma for reeleita não vai haver nenhuma diminuição de sensação de corrupção, nenhuma. Porque a oposição não tem mais nada a oferecer nem a falar. Já passaram 12 anos na oposição ao governo federal e não conseguiram formular nada. Ficam no mesmo lacerdismo, no mesmo udenismo de sempre.

    Mesmo em campanha pra pedir votos pro eleitorado só sabem falar de pt, pt, pt. No programa eleitoral deles aparece dezenas de vezes a sigla pt e uma ou outra Brasil. A única coisa que têm na cabeça é “derrubar o pt”.

    O aécio neves, coitado, não deve estar dormindo direito mesmo, está agora vendo dobrado, inclusive; está vendo dois pts, dois mensalões….

    E vão continuar assim.

    E de um modo cada vez mais cínico, porque a própria sobrevivencia deles nesse sistema que eles não querem mudar dependerá de acordos cada vez mais extremos; dosagens cada vez maiores do mesmo remédio.

    Trensalão, sabesp, cidade administrativa… Tudo vai parecer pouco.

    E se algum orgão da União for investigar, processar, mesmo que nos estreitíssimos limites de suas atribuições, vai ser logo chamado de aparelhamento, autoritarismo, stalinismo, etc., afinal, é pra isso que serve essa retórica: pra enganar trouxa. No limite vão até declarar “guerra”, quer apostar? Quer apostar que essa palavra vai aparecer cada vez mais no discurso político?

    Já passaram do limite há muito. Arrivismo é uma característica essencial dessa oposição. Voluntários disponíveis e treinados pra todo e qualquer serviço sujo tem aos montes por aí.

    Temo pelo pior.

    • Eu falei.
      Hoje em dia todos

      Eu falei.

      Hoje em dia todos os partidos que querem participar a sério do jogo eleitoral devem entrar no caixa 2, essa é a regra, senão não elege ninguem. Logo, esses mesmos partidos não podem lutar seriamente contra a corrupção, eles devem ter os tais operadores, precisam deles, não há outra forma. Claro que no meio do caminho muita gente inclusive os operadores levam o deles, até porque é tudo cx 2 mesmo.

      • Sim, Daniel, notei que você

        Sim, Daniel, notei que você tinha mencionado somente depois. Aliás, não é a primeira vez que ambos mencionamos isso.

        Mas, indo ao ponto: não creio que seja viável que uma legislatura queira mudar as regras nas quais ela obteve sucesso. Tendo a concordar que as mudanças sejam definidas pra duas ou três à frente.

        A via judicial, conforme a ação da OAB cujo o julgamento foi interrompido sine die, seduz alguns, mas me preocupa dar mais uma volta no parafuso da judicialização.

        Enfim, acho que é realista fazer uma costura política pra o congresso votar uma reforma com esse compromisso, de valer pra uma ou duas eleições à frente. Aliás, Ciro Gomes já mencionou isso algumas vezes.

        Uma constituinte exclusiva, embora seja uma ideia a considerar, me preocupa na medida em que a montanha pode vir a parir uma rato, e daqueles bem feios, gerando ainda mais frustração e deslegitimação do sistema político.

        Enfim…

        Outra coisa: mudar as estruturas políciais. Não só a federal, que hoje tem mais recursos e tem uma atuação mais destacada, mas também as estaduais. Acabar com esse negócio de uma polícia pra combater a ralé, outra pra classe média, mp e federal pra “gente importante”. A lei pra ser valorizada precisa que se diminua a impunidade que grassa no brasil em grande medida pela incapacidade das polícias em darem minimamente respostas.

  38.  
    Pelo visto, só temos um

     

    Pelo visto, só temos um caminho. Deve-se adotar nas estatais e nas empresa públicas, o exitoso procedimento adotado na empresa privada. Ou seja, aplicar a descriminalização para os casos de corrupção. Com isso, atenderiamos aos que alegam não haver corrupção em empresas privadas. Diriamos o mesmo para as estatais.

    Aliás, nos governos ditatoriais dos generais, e no governo do Fernando Henrique Cardoso, também não havia corrupção. Na ditadura utlizaram o silêncio. No governo do acadêmico professor, adotaram uma opção mais “democrática,” engavetava-se qualquer denúncia. O resultado foi ótimo, governos com baixo teores de bandidagem.

    Como propugnamos por combater também a hipocrisia, recomendo a descriminalização da maconha, digo, da corrupção, pura e simplesmente. Dessa forma seremos o primeiro país a banir por completo este malfeito, que cuida de atazanar a vida dos impuros, no planeta.

     

    Orlando

    • ..furioso..

      Orlando : para se acabar a corrupção só é necessário  vontade politica.

      nada mais.

       

      agora..esse  chavão do ‘ engavetador do FHC ‘  já  encheu.

      Será que voce pode ser um pouco mais esperto e inteligente e não ser papagaio .

      Petistas  do Brasil …cabeça não foifeita són par pentear cabelo.

      Usem sua capacidade de discernir.

      Acorda Brasil.

    • ..furioso..

      Orlando : para se acabar a corrupção só é necessário  vontade politica.

      nada mais.

       

      agora..esse  chavão do ‘ engavetador do FHC ‘  já  encheu.

      Será que voce pode ser um pouco mais esperto e inteligente e não ser papagaio .

      Petistas  do Brasil …cabeça não foifeita són par pentear cabelo.

      Usem sua capacidade de discernir.

      Acorda Brasil.

  39. Éguas da corrupção

    E que desafio…

    Sobre  este  tema ofereço-lhes o seguinte:

    Primeiro, precisamos concordar que vivemos   – ao menos em tese – numa república federativa que se constitui num  Estado democrático de direito. 

    Vale reforçar que neste primeito tópico, ou melhor, ANTES DELE,  poderemos “lavar todas as nossas éguas”, xingar, gritar, berrar, enfim, fazer o que for preciso dentro dos  limites razoabilidade comum  para defender esta ou aquela opinião. Cabem  também aqui neste primeiro momento   as conversas de bar, sobretudo, aquelas mais criativas  depois de alguns copos da bebida preferida. Sabe? Quando atingimos aquele auge no debate de ideias e  apontandos todos ou quase todos os “bandidos” que existem no Brasil. Aqui também cabe o debate mais apurado, refinado, sociológico, histórico, político, econômico – com ou sem intervenção do estado – com razão ou sem razão, natural, amadurecido ou podre, temporal ou atemporal,  enfim, como dito, lavemos nossas éguas  nesse sentido.

    Se este debate tomar proporções bem maiores a ponto de conseguir reunir dezenas, milhares, milhões de ideias, talvez, possamos fundar um NOVO ESTADO, com todas as regras daí advindas. 

    Seria , talvez, a norma pressuposta de Kelsen em ação legítima e democrática a possibilitar a positivação de toda e qualquer regra defendida nesse DEBATE INICIAL.

    Considerando-se que o debate de ideias nessa fase inicial não tenha a força de elaborar uma nova certidão de nascimento estatal, sugiro seguirmos para a próxima etapa.

    Nessa nova etapa , o sentimento de “égua lavada” já foi superado e as regras já foram postas, de forma legítima. Relembrando: aquela fase romantica descabe aqui. Já fizemos o pacto e já lavamos nossas éguas. Repito: lavar a égua no sentido de colocar tudo em “pratos limpos”. 

    Partindo-se então da abstração generalizada e necessária que REGULE nossas condutas teremos todo o arcabouço devidamente pactuado para se COMBATER a tal  corrupção. 

    E o nome pode até ser mudado. Poderíamos, por exemplo, quebrar este vocábulo em vários outros, tais como: peculato, Concussão, contrabando, descaminho, prevaricação, advocacia administrativa, sonegação de impostos, off shore, paraíso fiscal,planejamento tributário,  susidiária fajuta, minério para suíça, pesquisa eleitoral, boca de urna, transporte público- no fundo privado –  e por ai vai.   

    O próprio vocábulo corrupção poderia ser adjetivado com as palavras  PASSIVA e ATIVA . Ou seja, se de  um lado alguém recebe( passivo) do outro alguém oferece(ativo) .É toma lá , da cá. Assim, desvio recurso público quer dizer: saiu do público e foi para o privado. 

    E como já “lavamos a nossas respectivas  éguas” no debate inicial então agora é aplicar aquele pacto efetivamente!

    Nem precisaria, neste particular,   das concessões duvidosas e eternas mais conhecidas como  MÍDIA. Ou ou seja, a mídia não precisaria ficar “vendendo” notícias de corrupção de sua escolha.  A mídia poderia focar no lazer  e nos comerciais para se financiar junto ao mercado.  Focar em coisas boas e produtivas ou educativas.  Ah sim, é claro, naquele momento lá atrás do pacto, já teríamos “lavado nossas éguas” a ponto de se definir o que PODE e o que não PODE ser “noticiado”. Tudo numa boa e sem a menor censura. Aliás, NADA de censura, desde que se respeite o pacto. Também poderiamos lavar nossas éguas e democratizar as tais concessões de rádio e difusão. Sabe? Lavar a égua mesmo!

    O próprio pacto seria tão eficiente, eficaz, efetivo e impessoal  a ponto de superar nossas expectativas. Concentraríamos nossas energias na desconcentração de qualquer riqueza que não fosse devidamente pactuada. Autonomia da vontade total e respeito ao que é de todos. 

    E não é só isso. Todo e qualquer ACUSADO teria toda a possibilidade  de se defender conforme pactuado. ( lembrem-se: já lavamos nossas éguas lá atrás, portanto, aqui é fazer funcionar o que combinamos) 

    Poderiam existir CENTENAS DE RECURSOS sem o menor problema! Mesmo porque, tudo isso já foi PACTUADO lá atrás, no momento em que “lavamos nossas éguas”. Mesmo com vários recursos a “coisa” andaria, sem a menor sombra de dúvidas. Ora, cada um teria sua terra, sua propriedade e sua capacidade  para plantar e vender NO MERCADO a sua produção. Que maluco iria de encontro a isso? Cada um no seu quadrado de terra. Nessas condições a coisa funciona bem. Eventualmente, um ou outro problema acontece. Mas o sistema seria capaz de resolvê-lo com eficiência e equidade. Sem dúvidas.

    Eu acho que assim, a corrupção lato senso , como dito, seria dramaticamente reduzida no Brasil. Essa é a minha aposta.

    O único problema que vejo é exatamente a LAVAGEM DAS  ÉGUAS. Sabe como? Alguns lavam a égua outros não. Aliás, poucos lavam a égua outros nem égua tem para lavar. E ainda há aqueles que embora têm éguas, estas ainda estão sujas. Nunca foram lavadas…

    Enfim, seria mais ou menos isso. Muita égua lavada na mão de poucos. Pouca égua lavada na mão de muitos. 

    Conclui-se então que a desafio da corrupção no brasil – no sentido lato senso –  passa pela lavagem de éguas.

     

    Saudações

     

    • KKKKKKKKK

      Fantastico…

      Não consigo parar de rir!!!

      Muito bom o texto, é de um humor sublime.

      Eu não to conseguindo nem levar minha égua para pastar. Imagine só, lavar esta égua.

      Mas como tudo já está pactuado, há seu tempo tudo se resolverá!?

    • Prestidigitação econômica

      Esse papinho economês é o de sempre e visa apenas levar o país à mesma situação em que viveu por décadas: sob controle de bancos, especialmente internacionais, esmagado por dívidas e com o FMI esqudrinhando nossas contas. Inventam-se déficits, desequilíbrios, fazem algumas mágicas com números e no final é o de sempre: cortar salários, aumentar juros, enfim esmagar o povo. Tudo FARSA, para fazer-nos voltar à condição de colônia.

  40. Grnndes civilizações já se

    Grnndes civilizações já se deram conta que é melhor legalizar droga do que tentar combater. Uma conta simples mostra que se a lei fosse  pelo contrário, prender quem se recussar ser corrupto, os custos seriam muito menores

  41. A idiotizaçao do debate por meio da mais chula conversa de bar

        Não se combate o adversário levando o jogo pra onde ele quer, não se morde a isca pra pescar o pescador. Vamos ver do que estamos falando na verdade, ha não muito tempo o que era o estado ? oficialmente era a completa aliança liberal, liberal para os aliados, e era exatamente como representante desta descreveu mais abaixo, tudo era do rei ou da nobreza, inclusive o próprio chão que um súdito pisava, por aqui o corrupto mor(em termos mais modernos) desembarcou mandou escrever PR em várias casas no Rio, poderia ser traduzido como Príncipe Regente ou Ponha-se na Rua como queira, traduzindo, é meu.

          O público não existia, o  “público” de hoje era do soberano(o único),e utilizado por quem ele permitia, terceirizava isso e aquilo para evitar mais preocupações, isso também não é ideia nova. Que revolução houve por aqui para virar isso de cabeça pra baixo ? nenhuma. O que há é o processo histórico no qual ainda estamos, de conquista dos espaços que eram de uns por todos, a etapa mais importante começou a doze anos com a subida do Partido dos Trabalhadores com seu representante, é disso que se trata, o resto é se preocupar com farofa ao invés do prato principal, ou alguém acha mesmo que o problema do Brasil é o dinheiro da cervejinha ?   o problema maior é o uso do que não foi “desviado”, pra quem a estrutura do estado trabalha ? simplificando é esse o verdadeiro problema, o resto é o problema menor, claro que quanto menor este for melhor, mas a mídia foca nele exatamente para esconder o problema fundamental e transforma em solução(privatização geral,corrupção institucionalizada) a receita de desgraça para o povão(ex plebe).

         A rigor, se um petista for pego desviando dinheiro público para seu bolso é traição mas pra que exitem PSDB e DEM ? pra acabar com o novo público e devolver  pra auto intitulada “nobreza”, “o privado” para os íntimos, se possível sem ferir o que está escrito sob o rótulo de LEI, mas podemos constatar que na prática esse detalhe nem interessa, se um tucano ou demo for pego no que oficialmente é tido como “desvio de dinheiro público” é no máximo desentendimento entre eles(isso se seus pares desconhecerem a prática) quem não entendeu isso e fica com a versão dos contos de fadas tende a ser engolido nesse jogo por quem entendeu.

      O que importa então é tirar da aristocracia o controle do estado o máximo possível. Fazendo isso automaticamente já torna o que é midiaticamente descrito como corrupção algo bem mais sob controle. Corrupção então é o desvio não só de dinheiro público mas principalmente da função oficial das atribuições do estado democrático de direito, que, como já foi explicado, começou como mera ficção já que não houve ruptura com o sistema anterior que era oficialmente o oposto, a instauração da república(que como o nome diz não é privada), não trouxe nada de novo imediatamente, ainda estamos tentando concretizá-la.

    • Gão:
       
      Menos……..menos
      Voc

      Gão:

       

      Menos……..menos

      Voce  se  acha porreta.

      Mas escreve coisas que só sua vã imaginação concebe.

      Vocte tem todo direito de ter suas preferencias.

      Não atem direito de insultar minha capacidade  de  discernir.

      • Os confusos

        Eu não tenho essa pretenção de curar sua capacidade e se confundir

        por Lineu:

        “corrupção é usar cargo publico para obter vantagem privada ( inclusive caixa 2 de campanha ).

        Dar uma propina pro guarda de transito é coisa leve,”

           nem tanto, mas foi basicamente o que minha “vã filosofia” disse

        “Será que voce pode ser um pouco mais esperto e inteligente e não ser papagaio .
        Petistas  do Brasil …cabeça não foifeita són par pentear cabelo.”

          Peraê num instante petistas do brasil são papagaios que tem cabeça pra pentear cabelo, no outro um petista vira alguém que “escreve coisas que só sua vã imaginação concebe.” e se acha porreta

        “Corrupção é inerente  ao ser humano.
        Quer seja um regime socialista, bolivariano ou capitalista  sempre haverá corrupção.
        Corrupção é   como ferrugem :  ataca  o   ferro  pela  decomposição do carbono existente  em sua composição.”

        Porreta mas e quanto a isso:

        “Orlando : para se acabar a corrupção só é necessário  vontade politica.

        nada mais.”

        vocês tem mesmo uma capacidade invejável de confundimento da cuca

         

         

         

  42. Governança Petrobras

    “Uma das grandes distorções das práticas atuais é justamente o aparelhamento de diretorias de estatais, não apenas por políticos de fora dos quadros da empresa, como por funcionários de carreira apadrinhados por partidos políticos.

    A melhor maneira de coibir esses abusos está na consolidação de práticas de governança corporativa.

    Por também ser uma empresa de capital aberto, o Banco do Brasil consolidou essas práticas de governança. Por elas, nenhum diretor tem alçada para tomar decisões individuais. Todas as decisões são colegiadas e passa também pelos órgãos técnicos do banco.”

    Nassif, engano seu afirmar , mesmo que indiretamente, que não há governança nos processos decisórios da Petrobras. Todas as grandes contratações passam por uma comissão de licitação técnica, onde os integrantes informam seus CPFs e assumem responsabilidade pelo processo.

    A diretoria da empresa toma decisões baseadas no relatório dessas comissões, e o trabalho das comissões esta regulado pelo Manual Petrobras de Contratações, embasado do decreto 2.745/98, e diretamente influenciado por várias decisões do TCU advindas das inúmeras fiscalizações que o tribunal exerce dentro da empresa.

    Não existe decisão de diretor que contraria conclusões de relatórios de comissão.

    Agora, existem falhas. E como no processo da Petrobras os valores estimados de contratações são sigilosos, ao contrário das licitações do BB. Há ai uma brecha que permite a diretores ou funcionários com más intenções, permitir ganhos maiores para licitantes ( até o limite da estimativa ), e depoiis receberem propina por isso, na forma de serviços de consultoria que nunca foram prestados por exemplo, como aconteceu com o corrupto Paulo Roberto Costa…

    Se por um lado o sigilo da estimativa é bom porque garante preços menores e inibe cartéis, por outro abre esta brecha.

    Ou se muda a forma de licitar, com algum prejuízo econômico. Ou se reforça a fiscalização em cima de empreiteiras, e o mais importante, SE PUNE O CORRUPTOR , DE FORMA SEVERA, E NÃO APENAS O CORRUPTO.

    E  antes ainda se inibe a existência de pessoas más intencionadas indicadas politicamente ao não se permitir mais o financiamento privado de campanhas, o fundamento básico da Corrupção…

    O sistema da Petrobras inclusive é condizente com o novo regime de contratações – RDC, criado para a Copa, Olimpiadas e PAC….. Regime que, por sua vez, esta condizente com as melhores práticas de licitações públicas na União Européia e OCDE…..

    http://romiroribeiro.jusbrasil.com.br/artigos/112343845/o-calcanhar-de-aquiles-do-regime-diferenciado-de-contratacoes-rdc

    Note-se, também que ao assumir a presidência da Petrobras, diretores politicos, mesmo de carreira, foram trocados por Graça Foster e Dilma, inclusive o Paulo Roberto Costa, e substituidos por pessoas de confiança da Graça…

     

     

     

     

     

  43. A Verdade que nenhum político quer ouvir

     

     

    É preciso que haja mudanças constantes pondo fim no que se apegam com intenções de perpetuação no poder, chamada ” reeleição.

    No dia que os brasileiros deixarem de pensar com a barriga e sua indivicualidade, bucar se politizar participando mais ativamente e conhecendo a gestão dos poderes da administração pública com a ciência dos passo a erem tomados. Estaremos em condições de comandar o poder. Se é que esse emana do povo na verdade verdadeira.

    Enquanto isso, continuamos a ver e conviver com as bolsas, que nada mais é do que o retorno do voto de cabresto, com nova definição.

  44. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome