O estupro permanente da notícia

Há dois tipos de leitores de jornais: os que querem se informar, e os que querem ler apenas aquilo que lhes agrada. Os primeiros, são leitores; os segundos, torcedores.

Nos últimos anos, os grandes grupos jornalísticos abriram mão dos leitores. A notícia tornou-se uma ferramenta de guerra, que, como em toda guerra, pode ser estuprada, manipulada, distorcida.

***

Há inúmeros temas relevantes para se criticar Dilma, Lula e o PT: os erros da política econômica, o envelhecimento das ideias, a falta de propostas novas, o aparelhamento de muitas áreas, os problemas enfrentados pela Petrobras.

Mas, aparentemente, entre Pulitzer e William Randolph Hearst – o pai do jornalismo marrom -, a grande imprensa brasileira escolheu o segundo.

***

O Estado de S. Paulo, o augusto Estadão, que historicamente se colocava como um baluarte conservador, mas respeitador dos fatos, divulgou em sua versão online a manchete de que a Petrobras destruira gravações de reuniões do Conselho de Administração para sumir com provas.

O repórter entregou uma matéria responsável. Consultou dois diretores que lhe asseguraram que não era hábito, mesmo, guardar gravações de reuniões de Conselho. Serviam apenas para instruir as atas. Depois das atas escritas, as gravações eram destruídas. Só depois que estourou a Lava Jato é que decidiu-se preservar as gravações, caso houvesse necessidade.

Ao longo do dia, a manchete foi desmentida por diversos veículos online. No dia seguinte, na edição impressa, manteve-se o enfoque errado.

Em outros tempos, poucos saberiam. Na era da Internet, o erro já tinha se espalhado. Ao insistir em mantê-lo os editores expuseram o jornal e sua história a milhares de leitores que já tinham conferido os desmentidos.

***

Leia também:  Recessão e o terraplanismo de economistas e empresários, por Luis Nassif

O mesmo aconteceu com a revista Época, em conluio com procuradores da República do Distrito Federal.

Desde que saiu da presidência, Lula assumiu o compromisso público de aproximar-se da África e trabalhar negócios brasileiros por lá. Por seu lado, há décadas a Construtora Odebrecht investiu na área e em outros países emergentes. Hoje em dia, atua em 28 países construindo todo tipo de obra.

Finalmente, há décadas o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) dispõe de uma linha de financiamento às exportações de produtos e serviços, o Proex, da qual o maior cliente – por ser a empreiteira brasileira com mais obras no exterior – é a própria Odebrecht.

***

No entanto, procuradores irresponsáveis foram investigar as obras da Odebrecht no exterior e montaram um inquérito com base nos seguintes fatos:

Lula visitou Gana e dois meses depois a Odebrecht conquistou um projeto por lá. Os procuradores tentaram criminalizar o que se tratava de uma estratégia bem sucedida. E ligaram a visita de Lula ao fato da Odebrecht ter conseguido um financiamento do BNDES – sendo que ela já tem 35 financiamentos, para suas obras internacionais.

Esse conluio mídia-procuradores teve repercussão em todos os jornais.

Os jornais atingiram seus objetivos políticos. Mas o jornalismo saiu mais uma vez sangrando do episódio. E mostrou que não há diferença mais entre blogs partidários e jornais.

102 comentários

  1. Vitória de Pirro

    Não acho que se atingiu o objetivo político. Vão tentar, mas é tão ridícula a tentativa que se desfará no ar, restando apenas a vergonha que temos de nosso judiciário. A Época já não vale nada mesmo.

  2. “Os jornais atingiram seus

    “Os jornais atingiram seus objetivos políticos. Mas o jornalismo saiu mais uma vez sangrando do episódio. E mostrou que não há diferença mais entre blogs partidários e jornais.”

    Não era isso o que pretendia a Dna. Judith de Brito, em sua declaração sobre a postura da mídia nativa, como partido de oposição?

    Basta apenas um ou vários “porcoradores” e uma revista “éporca”, para criar um factóide de ampla repercussão, para fornecer “argumentos” a paneleiros e coxinhas.

    A bola da vez agora é o marqueteiro do partido. Nessa toada, daqui a algum tempo, se um petista peidar no elevador vai ser acusado de crime ambiental.

  3. O estupro propriamente dito tem punição, né não?

    Tem lei pra punir.

    Enquanto não houver …

    O resto já sabemos, pelo menos uma parte da população já sabe, que FOI, É, SERÁ sempre assim.

    Tem lei contra isso, que puna esse tipo de estupro?

    E o estuprador pode andar livre pelas bancas, sites etc.

    Eu conheço seu rosto… faço o que pra denunciál-o? A quem ?

    Há, portanto, estupros e estupros.

    E há quem goste de ser vítima deles.

    Parece.

  4. A imbecilização é um projeto de longo prazo

    Os jornais assumiram de vez a vinculação aos interesses dos grupos político/econômicos que são os seus financiadores/mantenedores sem maiores prúridos confiados naquilo que dizia Roberto Campos,  antigo herói do liberalismo tupiniquim: ” A burrice tem um passado glorioso e um futuro promissor”.

    De qualquer forma faltou combinar com a parcela crítica dos leitores que teimam em negar sua condição de gado.

  5. Nassif, depois de anos de

    Nassif, depois de anos de peneiramento nao sei se eh possivel dizer que ha leitores de jornais que busquem se inf ormar. Estes ha muito passaram pela peneira ao notarem o partidarismo jornalistico. Quem sobrou eh cascalho, areia literalmente grossa e sem capacidade de agregacao, discurso hidrofobo. Ou seja, soh ha, aparentemente,  um tipo de leitor, o torcedor. Este soh ve fanatismo nos outros, mas eh capaz de beber agua de merda soh pelo prazer de ser anti.

    • Exemplo da canalhice que

      Exemplo da canalhice que passou a ser recorrente diuturno na mídia golpista:

      http://observatoriodaimprensa.com.br/radio/a-liberdade-de-um-lado-so/:

      “Na sexta-feira (17/4), o repórter Fausto Macedo, do Estado de S.Paulo, publicou em seu blog que a mulher do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, Giselda de Lima, possui renda mensal de R$ 300 mil. Sua renda é de R$ 3 mil por mês.
       

      Uma informação como essa é fundamental para formar a opinião dos leitores sobre a inocência ou culpabilidade da pessoa que é objeto da notícia. O texto errado (ver aqui reprodução da revista Forum) foi multiplicado nas redes sociais. A correção, só viu quem voltou ao blog para ler uma notinha de rodapé.” “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma…” de Joseph Pulitzer

       

  6. Esperar o que dessa gente disposta a tudo?

    Cenas de uma campanha eleitoral que continua…

    ”Nesta quarta-feira, 23, um fato chamou a atenção no meio do ato pró-Aécio em São Paulo: o jornalista Fernão Lara Mesquista, herdeiro do jornal “O Estado de São Paulo”, caminhou pelas ruas com o cartaz “Foda-se a Venezuela”.

    Convocado por dirigentes do PSDB, o ato teve gritos de “Viva a PM” e xingamentos à presidenta Dilma Rousseff (PT). Parece que os militantes tucanos estão sendo bem adestrados dissemando um discurso de preconceito e ódio.” Miguel do Rosário, editor de O Cafezinho.

  7. Não há maior estupro à

    Não há maior estupro à democracia que o monopólio da mídia.

    Esse sim, o estupro- mor.

    Dentro dele cabem os citados no texto.

    A democracia respira por aparelhos ( pelo jornalismo independente na internet , ao qual, infelizmente, só têm acesso os cidadãos mais esclarecidos ).

     

     

  8. O problema de quem pega o touro pelo chifre…

    Com o HC conferido aos presos da Lava Jato, ficou claro que Moro e a grande Imprensa familiar, componentes do mesmo time e buscando os mesmos resultados, deveriam voltar à carga… Novos depoimentos de quem, aparentemente, já falou tudo que tinha para falar, mas que sabe que o show must go on. Nada importa… nem que as ações da Petrobras tenham se valorizarado em 50% nos últimos meses e muito menos que o chamado “movimento das ruas” tenha recrudescido. Decidiram pegar o touro pelo chifre… E agora, não conseguem mais larga-lo! 

  9. No caso do Lula só tapado

    No caso do Lula só tapado acredita nessas reporcagens, se esquecem do lobby que o clinton fez sobre o sivam? Quando disse que os estados unidos não poderiam abrir mão de um projeto de um bilhão de dolares por que geraria empregos por lá? No caso dele o problema era de espionagem mesmo, se pedissem dariam aquelas tralhas de graça pro fhc, mas ele fez o que? O problema desse pessoal do jornalismo coxinha é que acha que está lidando com gente obtusa, mas esse tempo passoum eles é que estão em extinção, com seu jornalismo jurrasico e maledicente.

  10. O governo também ajuda.

    O governo também ajuda. Sabendo que está sob fogo cerrado, que a oposição irresponsável quer achar pelo em ovo, por que raios alguém não diz pra não apagar nenhuma foto, não destruir nenhum papel ? Me lembra o caso do Cardoso com um dos advogados da lava-jato. Cardoso alega que esqueceram de colocar na agenda dele esse encontro. Com tanto funcionário, tanto aspone, não tem um pra alertar o ministro desse problema? É muita ingenuidade pra um governo – e aí você entende porque gente como Cunha e Renan deitam e rolam sobre Dilma. 

  11. Nassif, concordo

    Nassif, concordo com a sua análise sobre a grande-gorda-mídia. Pratica-se um jornalismo de esgoto? Sim. É totalitária e se compora como porta voz dos barões escravocratas? Sim. Mas dou outro lado, isto é, do governo e do PT, inclusive do próprio Lula, temo o que? Um governo que perdeu a noção do ridículo. Esse governo é uma piada, é de dar pena. A Dilma se comporta como uma mediadora de uma assembleia estudantil. O PT. O PT desde o midiático escandalo do “mensalão” não faz outra coisa a não ser produzir noticias para a grande mídia e caminha a passos largos para o seu fim. Quem diria, os escandalos do PT da fôlego economico à grande mídia. O Lula. Fala fala fala……. 

  12. Minha curiosidade é saber

    Minha curiosidade é saber quem ainda compra jornal, qual sua idade etc.?

    Acho que o objetivo de uma matéria manipulada como o da revista época não é atingir o pequeno contigente de leitores da revista, ninguém lê época; o objetivo é disseminar uma mentira e ver o que acontece, principalmente, à imagem de Lula alvo da globo por sua competência política rumo a 2018.

    • Jornal de Papel.

      O perfil do leitor atual dos jornais e conservador, tem escolaridade alta, boa situação financeira, geralmente é empreendedor ou empresário, enfim, é quem gera emprego além do governo. Isso é muito contraditório porque idependente dos jornais serem tendenciosos, eles estão é muito ruins mesmo, tecnicamente ruins, com matérias ridículas, são mal escritos, objetos  desinteressantes e dispensáveis.

  13. O duro é que o estuprador não

    O duro é que o estuprador não para de fazer vítimas. E se delicia com que faz. No jornalismo, os jornalistas – que tem lado – são críticos com seus pares e manifestam publicamente pontos discordantes. Até que ponto a vaidade ou pretensão de ter razão e mostrar que o outro é que está errado, contibui para esse acirramento, também não sei. O que sei é que os jornalistas que admiro e sigo escrevem com uma competência invejável. Parece a verdade lhes acompanhar sempre, daí, talvez, a facilidade para expor. Por outro lado, os oponentes, fazem de tudo para esconder o que está escancarado e se desdobram para dar vida às suas ilações ou desconfianças. Como raramente se concretizam, a raiva e ódio movem seus instintos. Esse mesmo ódio é facilmente encontrado nas lojas. Não é muita coincidência? O duro é quando você tem 90% dos seus amigos e familiares jogando a favor dos coxinhas fazendo você pensar, será que eu estou certo em seguir a minha consciência, as minhas convicções? Afinal, pertencemos àquela classe tão bem definida pela Marilena e sabemos no que resulta discussões com ignorantes sobre o funcionamento da coisa publica. Não é fácil enfrentar quem vem com a bíblia dizendo Deus é amor e somos todos irmãos, com os olhos crispados de ódio e palavras amargas contra um inimigo esculpido também nos cultos dominicais.

  14. Tenso

    Clima tenso!!!! Muita interresses escusos, muita manipulação de informação e mentiras que tanto repetidas são tomadas como verdades!!!! O Ministério Publico atua pró – PSDB e ficou provado neste caso do ex presidente Lula que ele simplesmente plantou um denúncia para jogar na tentar suja – lo perante os leitores desta mídia imunda. Mais esperar o que do Ministério Publico, CNJ e outros orgãos que deviam defender o povo? Quem são seus integrantes? São burgueses que se “apoderam” do poder que um cargo publico lhe confere para defende o status quo de sua classe…..

  15.  
    … De ‘miniSTÉRIO’ Público

     

    … De ‘miniSTÉRIO’ Público &$ outras mentiras, o golpe jurídico-midiático ainda ora em curso…

    ######################

    … Se o *achacador-mor não foi detido (sic) por conta dos seus crimes pregressos e recentes, será o responsável por bater o martelo do impedimento da presidente!
    *eduardo ‘CUnha’ do ‘Aécio Furnas Forever’!
    Sob a chancela dos 300-400 congêneres picaretas do Congresso Nacional!
    O apátrida não merece a menor credibilidade!
    E deve ser tratado como inimigo insidioso e rasteiro!…

    NUMDISSE?! CUNHA DIZ QUE IMPEACHMENT NÃO SERÁ DESCARTADO DE IMEDIATO

    Presidente da Câmara, que chegou a defender que não havia base jurídica para um pedido de impeachment e descartou sem ler um pedido do deputado Jair Bolsonaro, afirmou agora à bancada tucana que a Casa contratará pareceres jurídicos independentes, como fez o partido

    3 DE MAIO DE 2015 ÀS 08:06

    (…)

    FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/poder/179373/Cunha-diz-que-impeachment-n%C3%A3o-ser%C3%A1-descartado-de-imediato.htm

  16. Esse tipo de leitor é um caso

    Esse tipo de leitor é um caso a ser estudado,  afinal, foi a imprensa que formatou a cabeça dele assim ou já era assim e a imprensa só está dizendo aquilo o que realmente ele quer ouvir? Porque,  diante de uma notícia totalmente atravessada não adianta você ir com argumentos claros, lógicos, quase implorando para que ele reflita, pense para ver que a “verdade” que ele leu não é a verdade ou é uma verdade distorcida.  Ele finca pé,  se recusa a refletir e ainda diz que você é que foi abduzido por uma seita perigosa,  etc

  17. Imprensa…empresa

    Nassif,

    Seus artigos sobre Teoria da Informação sempre transpiram pesquisa e seriedade. Desde que não se brigue contra ela, tudo parte da pesquisa. Daí, sempre se poder ler o diferenciado, o inédito. Isso nos dá prazer real. E, em se tratando do Brasil, nos informa. 

    Você escreve: 

    Nos últimos anos, os grandes grupos jornalísticos abriram mão dos leitores. A notícia tornou-se uma ferramenta de guerra, que, como em toda guerra, pode ser estuprada, manipulada, distorcida.

    Veja o que acontecia em 1917

    …Na Câmara o Barbosa Lima Sobrinho, o Heitor Lira. Da Rua [jornal fundado em 1914] , o representante da Câmara era o capixaba chamado Geraldo. Não havia repórter junto ao Ministério da Justiça. Havia os comunicados oficiais. Os próprios ministros tinham interesse em fazer propaganda de si mesmos. E relativamente, à propaganda do Brasil no exterior, pelo menos durante o tempo que o Nilo Peçanha esteve lá, era feita assim: eles chamavam no ministério que era ali no Itamarati, na Mal. Floriano, e chamava o diretor da agência. O Ramos ia lá e o Nilo Peçanha apresentava o papel. O Ramos trazia aquele papel transmitia-o para Paris, escrevendo embaixo Agência Havas. E colocava Times em Londres, Matin, Figaro. E os jornais lá de fora publicavam aquilo. No dia seguinte, a Havas mandava para todos os jornais daqui: o Governo brasileiro, nos jornais tais tais e tais receberam muitos elogios da imprensa internacional. Depois mandava a conta da matéria paga publicada nos jornais. (in, Luís Werneck de Castro – Arquivo sonoro do autor) 

    Você não acha que deveríamos trocar “nos últimos anos” para “no último século?”

    Concluo com três itens:

    1) nossa imprensa não existe para informar mas para interferir;

    2) não vivemos nada além do que a consequência catastrófica dos interesses alienígenas das agências de propaganda e de notícia;  

    3) como a qualidade do leitor despencou “ça va de soi”, a imprensa perdeu o respeito por tudo. Sobrertudo da nacionalidade. Mas ela morrerá antes da gente.    

     

     

    • Vc foi ao ponto. A

      Vc foi ao ponto. A manipulação que vemos hj vem de muito. Eu diria que veio do berço. A origem dos jornais brasileiros é de folhetos que defendiam interesses de grupos. A evolução ocorreu ao redor deste ponto. Se, no início, os folhetins eram totalmente dependentes de seus grupos criadores e financiadores, hj eles são fornecedores de serviço de influência social aos que se dispuderem a pagar. A notícia sempre foi um produto negociado primeiramente aos grupos de interesse.

  18. Ao serviço de qual poder?

    Os meios de comunicação mais importantes do Brasil, aqui conhecidos como sendo parte do PIG, são extremamente influenciáveis (e cada vez mais) pelo poder econômico do anunciante/patrocinador. Extrai dinheiro do poder econômico – em forma de apoio – e do poder político, como extorsão. Ele se nutre então pelo apetite voraz do capitalismo global e pela covardia interminável do poder político, perante as “regras” vigentes da democracia moderna.

    O QUADRO ATUAL:

    Estou imaginando três funções principais atribuíveis aos grandes meios de comunicação (PIG), e elas são:

    Divertir – Acho que, tirando apenas o constante conteúdo ideológico, é um tipo de função que a gente consegue administrar através do botão do controle automático. Há escolha e, ainda, outras opções ao vivo de divertimento, sim precisarmos destes meios. Divertir é a parte mais corrente do veículo ou produto principal, para a maior parte da população menos esclarecida, através da qual são inseridas, como pílulas, outras funções secundárias, como aquelas de aspecto político e cultural, normalmente seguindo tendências globais e consumistas.

    Informar – Existe uma editorialização extrema do conteúdo e, como é notória, uma parcialidade aberta e descarada. As informações do exterior são pequenos pacotes de conteúdo, distribuídos ao mundo desde centrais poderosas e monopólicas. Em pouco tempo de divulgação, não mais de 10 ou 15 fatos “pinçados” são colocados à população, fatos estes editados sempre numa única direção e interesse.

    Comunicar – Embora este termo seja muito abrangente, será colocada aqui com sendo a atividade de levar a mensagem ideológica do poder (governo popular ou poder econômico) ao povo, através de fatos; pronunciamentos; estatísticas e mensagens diversas, que alimentam o sentimento político de cada individuo.

    Em todos os três aspectos citados acima, o poder popular ou governo democrático é superado amplamente pelo poder econômico global. Quando o governo é das elites, então não há conflito nenhum de interesses, e as funções seguem o mesmo conteúdo. De algum modo, paradoxalmente, as teses democráticas sempre indicam que a democracia “avança” enquanto o poder popular é afastado das atividades da comunicação com o seu povo. Assim, não há como vencer nesta batalha pela comunicação.

    SUGESTÕES:

    As prioridades de um governo popular seguem a ordem prioritária inversa das funções acima citadas:

    Comunicar: O governo deve criar redes, tipo BBC (UK), e levar diretamente a sua comunicação para o povo, sem passar por meios privados (e, junto com isso, sem legitimar aos olhos do povo a função de comunicação ao PIG). Nunca mais fazer debates por rede privada, mas apenas pela rede pública. Ao invés de formar cadeia de TV e rádio, simplesmente desligar as redes do PIG e deixar que o povo seja comunicado por redes do governo. Se estas são insuficientes, então se deve investir para chegar a todo o território nacional. È inconcebível ter que pedir permissão á Globo para fazer comunicados ao povo (apenas entre a novela e o futebol, para não atrapalhar?). Isso é prioritário, a primeira obra do PAC, do primeiro PAC! Tirar a discussão política séria das entranhas do PIG, deixando-o nu, apenas como sendo um negócio de diversão e falsidade e com interesses apenas econômicos. Não deve ser deixada nenhuma aparência destes meios virem “serviços de utilidade pública”. Tirar qualquer mistura de público e privado. Se isso não for feito, a comunicação do governo é atropelada pela comunicação do poder global, perante o povo brasileiro.

    Informar: Criar informativos diários que adquiram credibilidade perante o povo, a través do tempo. O povo não pode ser obrigado, mas sim pode ser apresentada uma alternativa pública (do tipo BBC), desde uma perspectiva diferente, democrática, imparcial, e educativa.

    Divertir: Melhorar o conteúdo cultural e educativo, para uma boa programação pública.

    O poder público deverá então investir para chegar com bom sinal a toda a nação, e destinar o dinheiro atualmente gasto em emissoras privadas, em melhorar a sua comunicação com o povo brasileiro. Este sistema, junto com os ministérios de educação e de cultura, deverá ajudar a gerar um novo sentimento na juventude, um sentimento de nação.

    • Tem a TV Brasil, Alexis, com

      Tem a TV Brasil, Alexis, com a mesma vocação da BBC. É o braço de televisão da EBC – Empresa Brasileira de Comunicação. Os conselhos de ambas (TV Brasil e EBC) são absolutamente democráticos e transparentes. Eu acompanho desde sua criação, em 2007, e na minha opinião, está cada vez melhor, tanto em qualidade técnica – imagem e som – quanto em conteúdo.

       

      Tem, em sua grade, programas para todos os gostos, Jornalismo – diário e temático -, Entretenimento, Cultura, Arte (Cinema, Música), infantis, família, religião, seriado (adorei o “Os Pequenos Crimes de Agatha Christie”), novela, programas de debates e entrevistas… inclusive nosso querido Luis Nassif está lá, às Segundas-Feiras, 20:00hs, com o “Brasilinas.org”.

       

      Fora que a EBC fomenta e promove fortemente as produções locais. E não tem propaganda comercial, o que é um enorme alívio para os olhos e ouvidos: nada de cores e sons berrando “compre isso, compre aquilo, seja assim, seja assado”, rs…

       

      Quem quiser dar uma xeretada, tanto no funcionamento da EBC e da TV Brasil quanto na programação da TV:

       

      http://tvbrasil.ebc.com.br/

      http://www.ebc.com.br/

  19. Para Folha, normal é ocultar dinheiro

    Aí hoje nos deparamos com uma manchete da Folha de São Paulo sobre uma suposta investigação contra o João Santanna, “marqueteiro do PT”, nas palavras do jornal. Uma história sem pé nem cabeça, sem juntar lé com cré. Primeiro, diz que o PT assumiu uma divisa da campanha do Haddad (normal, né? Estranho seria dar o calote) e parcelou em várias vezes. Depois relaciona isso ao fato dele ter feito a campanha para presidente em Angola (campanha vencedora aliás) e ter trazido os recursos faturados ao Brasil, e pago imposto sobre isso. Como assim? O sujeito vira suspeito por ter prestado serviço no exterior, ganhado dinheiro com isso e trazido os recursos DENTRO DA LEI????? Ai vem a pérola da Folha que deveria entrar para a antologia dos offs sem noção, cada vez mais comuns:

     

    “Três especialistas em finanças ouvidos pela reportagem, sob a condição de anonimato, dizem que não é comum o “internamento” (remessa de dinheiro do exterior para o Brasil), mesmo sendo legal, por causa da elevada carga tributária e da burocracia brasileira para alguém que tem negócios no exterior. A operação foi intermediada pelo Bradesco e declarada ao Banco Central”.

    Ou seja, se ele tivesse deixado o dinheiro no exterior, sem pagar imposto e sem declarar ao estava tudo certo para a Folha e seus especialistas em finanças. Estamos bem.

    • “Três especialistas em

      “Três especialistas em finanças ouvidos pela reportagem, sob a condição de anonimato”

      Hahahahaha! Sensacional isso! Os “anonimos especialistas”  dizem que o “normal” é sonegar e não internar o dinheiro no Brasil legalmente.

      Será que um desses “especialistas” é o Youssef ?

      Ou são os contadores da Famiglia Frias que indicaram aos patrões que sonegassem alguns mihões de dólares no HSBC suiço??

      Agora sabemos: Tudo “normal”.

      É Máfia mesmo!

       

  20. jornalismo crápula

    Avulta entre nós este tipo de jornalismo, o que não é de causar espanto face ser produto de uma industria na mão de uma máfia, desde tempos remotos, A saudável participação dos meios eletrônicos atual só desmascara a mídia e seus atores criminosos. Louvor a Nassif, Paulo Henrique Amorim, Kotscho, Paulo Moreira Leite, Rodrigo Vianna  e demais abnegados que conduzem uma leitura diferenciada, comprometida com suas ideias e com os fatos. Os vaaks. mervais. hommres, sardembergues, leitões se destacam na grande massa que escolheram seus patrões numa disputa contra a notícia.

  21. Fazendo as contas

    Ontem,o Estadão e a Globo escandalizaram o mundo com a revelação de que alguns acusados na Lava Jato haviam visitado mais de 2.200 vezes a Petrobras entre 2000 e 2014. Claro que se esqueceram de dizer que, em 2000, o governo era do PSDB, mas tudo bem: esquecimentos acontecem.  Todavia, se esqueceram também de fazer umas continhas. Se são dez os acusados, a média de visitas foi de 220 cada um. Uns foram mais, outros menos. Acontece que, entre 2000 e 2014, se passaram nada menos que 168 meses, ou 728 semanas. Ou seja, cada um dos acusados, representando interesses milionários nos negócios com a Petrobras, visitou a empresa uma vez por mes, ou melhor, catorze vezes por ano.Que horror, não? Se fosse diretor de firma com contratos com a estatal, demitiria esses acusados, por incompetência e desídia. Um bom funcionário teria de ir pelo menos o dobro de vezes, para dizer o mínimo.

    • concordo plenamente

      As pessoas pararam de raciocinar. A notícia pode ser a mais idiota em termos numéricos. Irelevante mesmo. As pessoas fazem um estardalhaço danado. por uma chuva de copo de água. Aja paciência.

  22. Sobre essa matéria envolvendo

    Sobre essa matéria envolvendo Lula e Odebrect vi alguns comentários dizendo que nem mesmo o JN se interessou pelo caso. Acontece que hoje nós teremos o Fantástico. Por certo será nesse programa que a sanha maldita contra Lula vai arreganhar os dentes, pra variar. Ou seja, não deixaram de comentar a mentira no Jn por acaso. Quem estiver vivo até de noite deste dia poderá assistir mais um espetáculo.

  23. Midia

    Aí então, você abre seu e-mail e encontra: veja, globo e estadão quase que implorando que você assine ou retome sua assinatura (proibi o envio do estadão mesmo tendo mais 2 meses de assinatura – isso há mais de 10 anos atrás) e, como já disse, remeto tudo com um prazer quase sexual para o lixo e exclusão.

  24. O termo estupro ainda é suave

    O termo estupro ainda é suave para definir a produção de certo tipo de imprensa engajada. Mas quem estupra é porque não tem nenhum pudor. É isso: imprensa despudorada. 

    O que hoje no Brasil se afiguraria nos EUA como conspiração: se irmanaram quatro instâncias com o fito de perseguirem um partido e seus líderes. Três estatais: Ministério Público, Polícia Federal e um Juiz Federal,  e uma privada: a imprensa. Atuam de forma mais afinada que a Filarmônica de Berlim. 

    Claro que isso não subentende que estou afirmando uma precoce inocência dos envolvidos, e sim, que as denúncias, inquéritos e condução de processos são abertos e conduzidos de forma açodada e singularizada. Essas duas últimas iniciativas impetradas pela PF, investigação do ex-marqueteiro João Santana, e o pedido de inquérito feito pelo MPF do DF contra Lula, são exemplos claros, insofismáveis, do direcionamento infame do que um dos imberbes procuradores federais -Deltan Dallagnol – proclama de forma altissonante  “guerra a corrupção”. 

    A nação, nesse sentido, está sendo enganada. Criam um clima de terror, de clamor público,  para poderem justificar um macartismo em pleno século XXI e,  en passant, posarem de heróis, mocinhos. 

    O que se espera é que o Supremo ponha ordem nessa bagunça. 

     

    • Punição

      Claro que a mídia aproveitou o fato para fazer o alarde, já que seu alvo eh Lula, potencial candidato  a presidente (eleito, se a candidatura se concretizar).  Mas, quem vai dar a merecidissima punição aos procuradores, que gastaram os altíssimos, porque imerecidos, salários que lhes pagamos para fazer política partidária e irresponsável?

    • De fato, o cara se acha um

      De fato, o cara se acha um reizinho. Infelizmente, eles são, de fato, inimputáveis e o risco que corremos é enorme. Se eu soubesse que poderia ser dona do país só com um concurso público, teria feito faculdade de direito.

  25. Há leitor de Jornal mas não existe Jornal diário para ser lido.

    Andei pensando outro dia, o Jornal ser de Direita ou Esquerda politicamente não interferiria na possibilidade de ter circulação ou não dele e na quantidade de leitores em bom número.

    Pensemos.

    A velha mídia impressa está num caminho sem volta. Escolheu uma radicalidade extrema contra o Governo Federal e aos poucos foi se complicando, afinal quem pode ser leitor de Jornal geralmente está mais preparado para buscar informação de qualidade e honesta do que Folha e Estadão nos oferecem hoje, mesmo que o editorial do jornal contenha um viés pró-mercado, uma defesa do Estado mínimo e o leitor seja de esquerda, mesmo que seja um Jornal de direita, centro ou esquerda.

    E qualidade falta nesses “órgãos de imprensa”. O leitor mais interessado em Política, Economia, conjuntura brasileira e internacional, que se interessa por um caderno de Cultura, quase sempre, quer mais que um antipetismo doentio ou ver colunistas do jornal jurarem que estamos prestes a ver o Governo implantar uma Ditadura Comunista no Brasil.

    Os leitores habituais quase todos se perderam, eles desistiram, desistem dessas publicações.

    O leitor possível que sobra, hoje, à velha mídia é o “midiota”, aquele que acredita em qualquer coisa, e vive mais no smartphone conectado no ZAP do que outra coisa.

    Porém, para ler as manchetes PT isto, PT aquilo eles não precisam mais comprar jornal, afinal, ler o que eles já sabem décor e salteado é perda de tempo.

    Esses leitores pegam “informações” num site, por exemplo, o Antagonista ou na Veja online, no Folha Política e já se resolve tudo. A compartilhação é imediata e nem precisa ler o conteúdo inteiro e refletir a veracidade da informação postada. A manchete já diz o que se precisa para compartilhar nas redes sociais. Compartilha e pronto.

    Então ficou assim: nós, possíveis leitores de um bom jornal, não os lemos mais e pela falta de credibilidade total deles nem no futuro leremos, já se tornaram inimigos irreconciliáveis. E o “midiota” os abandona, gradativamente, porque de tão repetitiva a coisa e tendo a mesma informação toda de graça na Internet não precisa mais deles para compartilhar a “verdade” que eles foram levados a acreditar por aqueles que hoje se desesperam em busca de sobrevivência: a mídia impressa, como a Folha, que sonha sobrevida derrubando o PT do Poder.

    Um mito não verdadeiro.

    Não é verdade que não existam leitores de Jornal falta é jornal para os leitores lerem. Em São Paulo uma cidade que contando a Região Metropolitana tem 24 milhões de habitantes poderia ter um Jornal diário de qualidade ao menos, não é verdade?

    Ai é que entra a questão: neste hiato todo como não foram capazes, as esquerdas aliadas do Governo Federal e com circulação em Brasília, de criar um jornal diário de grande circulação aliado do Governo, não confundir com chapa branca como Folha e Estadão em relação ao PSDB paulista e o Governador Alckmin, e sim, um jornal que fosse lido pelo trabalhador e não tivesse esse maniqueísmo absurdo de anti-petismo dos jornais Folha e Estadão. Jornal que primaria por qualidade, seria investigativo, crítico, responsável e patriótico acima de tudo.

    Jornal que nesta hora seria um contraponto à Folha e Estadão e estaria defendendo o mandato da Presidenta Dilma, pelo fato irrefutável, ela foi Eleita democraticamente e em eleições limpas, sem contar a sua honestidade e o fato de que o mandato dela começou em 1 de janeiro de 2015, e, juridicamente, pelo que escutamos/lemos de juristas renomados, aprendemos que fatos possíveis de cassação do mandato teriam de ocorrer nesta legislatura e não no primeiro mandato. Estaria contrapondo com qualidade jornalística toda a “politização” anti-LULA que estes últimos tempos, pós a impossibilidade de Impitman, nasceu, para combater a ferro e fogo LULA candidato em 2018 e com chances significativa de vitória.

    E jornal que já estaria formando opinião pública para além da velha mídia e com credibilidade maior, porque fundado no pilar básico do Jornalismo, utilizar com responsabilidade e Ética o que se aprende numa Faculdade de Jornalismo e de Comunicação. 

  26. Lula vai à padaria…

    Procuradores investigaram a ida do ex-presidente Lula à padaria da esquina. Apuraram que ele comprou duas bombas (de chocolate), duas bisnagas e seis pãezinhos. Um absurdo!

     

  27. O preço que se paga

    O preço que se pagará por estimular a revolta não será barato! Mesmo que a direita entre no poder não há como desacelerar os costumes de críticas assim tão fácil. Eles sofrerão de seu próprio veneno. Aliás os blogueiros de direita estão brigando entre eles! O que está acontecendo?

  28. Vale Tudo

    Depois do impitimam frustrado, estão focando em 2018.

    É um vale tudo, sinal que tem muito tubarão nestas águas….

    Quanto ao “tráfico” de influência do Lula para o fianciamento de obras na África, vai ser mais um tiro no pé desta imprensa entreguista. 

    O brasileiro saberá muito bem diferenciar que é muito mais benéfico, para o País, um ex-presidente servir de interlocutor para empresas brasileiras no exterior, do que outro que fica tramando e “encomendando” parecereres para derrubar a Presidência.

    Para fechar a questão, é só entrevistar a família de um trabalhador da Odebrecht, trabalhando em obras no exterior, e indagar se eles estão insatisfeitos com este emprego.

      • engano seu

        por isso que a globo,veja etc quer derruba-la pelo fato do lula e dilma nao ter aceitado dar dinheiro dos cofres publicos pra essas revistas e redes.

  29. Vamos dar nome aos estupradores da notícia no Brazil

    Os nomes das famílias estupradoras da notícia são todas as famílias que, que serviram a ditadura e se serviram da mesma. Foram cevadas, tiveram as concessões dos generais, mantidos no poder pela tortura.

    Frias, Marinhos, Mesquitas, Civitas e além de numerosas outras espalhadas pelo país.

    E a ditadura querem retornar.

     

  30. Conhecimento da Verdade

    O conhecimento da verdade é um longo caminho de busca. Vemos o partidarismo procurando prevalecer a sua verdade sobre a do outro (oposição). Mas o que mesmo deve importar é o princípio de Justiça, a ordem, o progresso e a ética quando nos deparamos com o princípio de Igualdade então, não devemos esquecer o de Fraternidade. Somente a Verdade Liberta, dos mentirosos de toda espécie, dos mal intencionados, dos hipócritas, dos mistificadores, dos contários às leis cósmicas. 

  31. Respondi a um colega de

    Respondi a um colega de fórum, abaixo, mas achei legal colocar como tópico também (mesmo correndo o risco de “chover no molhado”, de falar algo que todo mundo já sabe. Lá vai:

     

    Tem a TV Brasil, Alexis, com a mesma vocação da BBC. É o braço de televisão da EBC – Empresa Brasileira de Comunicação. Os conselhos de ambas (TV Brasil e EBC) são absolutamente democráticos e transparentes. Eu acompanho desde sua criação, em 2007, e na minha opinião, está cada vez melhor, tanto em qualidade técnica – imagem e som – quanto em conteúdo.

     

    Tem, em sua grade, programas para todos os gostos, Jornalismo – diário e temático -, Entretenimento, Cultura, Arte (Cinema, Música), esporte, infantis, família, religião, seriado (adorei o “Os Pequenos Crimes de Agatha Christie”), novela, programas de debates e entrevistas… inclusive nosso querido Luis Nassif está lá, às Segundas-Feiras, 20:00hs, com o “Brasilianas.org”.

     

    Fora que a EBC fomenta e promove fortemente as produções locais. E não tem propaganda comercial, o que é um enorme alívio para os olhos e ouvidos: nada de cores e sons berrando “compre isso, compre aquilo, seja assim, seja assado”, rs…

     

    Quem quiser dar uma xeretada, tanto no funcionamento da EBC e da TV Brasil quanto na programação da TV:

     

    http://tvbrasil.ebc.com.br/

    http://www.ebc.com.br/

  32. TROCADILHO DE UM SÁBIO

    TROCADILHO DE UM SÁBIO CHINES 

    Veja que está chegando a época que a Veja e a Época sucumbiram antes da época esperada.

  33. Os coxinhas só vão dar-se
    Os coxinhas só vão dar-se conta quando estiverem trabalhando 5 horas a mais, pra ganhar 40% a menos, sem poder tirar férias.

  34. Lula

    O fato de seu nome constar na midia constantemente é fruto do que ele vendeu e o que nos compramos e estamos pagando. Portanto o choro é livre para quem quizer e melhor lhe aprouver.

  35. Os militantes do PT, estão

    Os militantes do PT, estão aguardando ansiosamente Lula sair no Fantástico hoje, com a  história dos lixos Isto é e Veja,  para fazer uma   visita no projac!!!!!

  36. A ditadura foi distorcida

    A ditadura foi distorcida como arma de matar, no entanto se pergunta matar quem? Logicamente que por tras de cada regime de governo tem algo que chama atenção, Vamos partir do principio de que na ditadura pouco se podia falar ou fazer e os que fizeram alguma coisa eram guerrilheiros e que ai estão hoje roubando a sociedade como se ela tivesse culpa do regime no qual eles foram torturados por serem indelinquentes, A inda assim podemos ver que não existe nenhum ex-presidente militar  rico depois que comandou o pais, tinha-mus escolas publicas boas segurança aceitavel hospitais funcionando e outras coisas mais, para fechar esta passagem podemos afirmar que os que falam mau da ditadura eram os indelinquentes do passado. (o proximo regime de governo chamado democracia distorceu a ditadura )

    Saimos então da ditadura para uma tal de democracia bom o que foi que aconteceu a imprensa começou a poder falar e quando fala os que estão no poder não suporta a imprensa da tal democracia que tanto lutaram ou seja queriam uma democracia onde roubar fosse a coisa mais simples e que não fosse nescassario colocar a publico, vamos ver os hospitais não funcionam a segurança está corrompida es escolas estão analfabetas mais mesmo na democracia o Sr. lula quis calar a boca de bores casoy em uma intrevista ou seja numa democracia ai vamos lá todo presidente que passa hoje no poder 4 ou 8 anos fica milionario inclusive seus filhos e esposa ai me vem algume dizer que a imprensa distorçe as coisas não ela chama de ladrão quem é ladrão o que não pode é falar que o ladrão teve desvio de condulta tem que falar que é LADRÃO E QUE ROUBOU.

     

    E como podemos fechar este comentário (saimos de uma ditadura e entramos numa escravidão sem fim e como se resolver isto com carinho a quem nus rouba e brsil precisa mais uma vez de uma LEI AUREA E MAIS UMA VEZ TER UMA NOVA INDEPENDENCIA E ISTO SO OCORRE COM LUTA PARTIR PARA BRIGA MESMO E MOSTRAR A FORÇA QUE TEMOS até porque o nosso hino diz que somos gigantes pela propia natureza,  Mais  estamos sendo conssumidos pelos (ANÕES DO ORÇAMENTO, ANÕES DO MENSALÃO, ANÕES DA PETROBRAS,) que gigantes somos então? 

     

    É hora de retirar do horoscopo o novo signo que estes politicos ladrões colocou para a população o signo de (OTARIANO)

  37. A ditadura foi distorcida

    A ditadura foi distorcida como arma de matar, no entanto se pergunta matar quem? Logicamente que por tras de cada regime de governo tem algo que chama atenção, Vamos partir do principio de que na ditadura pouco se podia falar ou fazer e os que fizeram alguma coisa eram guerrilheiros e que ai estão hoje roubando a sociedade como se ela tivesse culpa do regime no qual eles foram torturados por serem indelinquentes, A inda assim podemos ver que não existe nenhum ex-presidente militar  rico depois que comandou o pais, tinha-mus escolas publicas boas segurança aceitavel hospitais funcionando e outras coisas mais, para fechar esta passagem podemos afirmar que os que falam mau da ditadura eram os indelinquentes do passado. (o proximo regime de governo chamado democracia distorceu a ditadura )

    Saimos então da ditadura para uma tal de democracia bom o que foi que aconteceu a imprensa começou a poder falar e quando fala os que estão no poder não suporta a imprensa da tal democracia que tanto lutaram ou seja queriam uma democracia onde roubar fosse a coisa mais simples e que não fosse nescassario colocar a publico, vamos ver os hospitais não funcionam a segurança está corrompida es escolas estão analfabetas mais mesmo na democracia o Sr. lula quis calar a boca de bores casoy em uma intrevista ou seja numa democracia ai vamos lá todo presidente que passa hoje no poder 4 ou 8 anos fica milionario inclusive seus filhos e esposa ai me vem algume dizer que a imprensa distorçe as coisas não ela chama de ladrão quem é ladrão o que não pode é falar que o ladrão teve desvio de condulta tem que falar que é LADRÃO E QUE ROUBOU.

     

    E como podemos fechar este comentário (saimos de uma ditadura e entramos numa escravidão sem fim e como se resolver isto com carinho a quem nus rouba e brsil precisa mais uma vez de uma LEI AUREA E MAIS UMA VEZ TER UMA NOVA INDEPENDENCIA E ISTO SO OCORRE COM LUTA PARTIR PARA BRIGA MESMO E MOSTRAR A FORÇA QUE TEMOS até porque o nosso hino diz que somos gigantes pela propia natureza,  Mais  estamos sendo conssumidos pelos (ANÕES DO ORÇAMENTO, ANÕES DO MENSALÃO, ANÕES DA PETROBRAS,) que gigantes somos então? 

     

    É hora de retirar do horoscopo o novo signo que estes politicos ladrões colocou para a população o signo de (OTARIANO)

    • Se na ditadura havia mesmo

      Se na ditadura havia mesmo “escolas públicas boas”, você, Manoel miguel (seria uma mistura de mané com migué?), não estudou em nenhuma delas.

      • Quero só alertar a voce que

        Quero só alertar a voce que deve ser inteligente  quando se escreve  nome própio  ou mesmo depois de uma virgula a letra é MAIUCULA  seu mobral em que escola voce estudou? 

        •   Meu caro, sendo o dono de

            Meu caro, sendo o dono de um comentário com pontuação tão pavorosa eu diria, assim en passant, que você não é exatamente alguém indicado para fazer correções de português – apesar do seu nome.

            A propósito, seu (sic) própio nickname contém um nome iniciando em maiúscula, outro em minúscula… tudo bem, você deve ser um dos caras mais espertos que foram na Paulista democraticamente pedir golpe militar.

          • Pois é…

            Pois é… concluí a mesma coisa, mas achei que não valeria o trabalho de retrucar o “letrado” sujeito…

            Ps.: não só a pontuação como a concordância e a ortografia estão sofríveis igualmente.

            Mais um belo exemplar do boobus vitimado pelo processo de formação de zumbis por parte da grande imprensa. Amostra melhor não há.

  38. Fornecedores para estupro da notícia

    Procurador investigado por corregedoria vaza informações

    Jornal i9

    01/05/2015 22p2 – Atualizado em 01/05/2015 22p2Procurador investigado por corregedoria vaza informações contra Lula em Revista

     

     

    .content_text_46117 a{}.content_text_46117 a:hover, .content_text_46117 p a:hover,.content_text_46117 p a:hover,.content_text_46117 p a:hover,.content_text_46117 p a:hover,.content_text_46117 p a:hover,.content_text_46117 p a:hover{}
    .content_text_46117 p, .content_text_46117 p a{}
    .content_text_46117 p, .content_text_46117 p a{}
    .content_text_46117 p, .content_text_46117 p a{}
    .content_text_46117 p, .content_text_46117 p a{}
    .content_text_46117 p, .content_text_46117 p a{}
    .content_text_46117 p, .content_text_46117 p a{}
    .content_text_46117 p {}
    Fabiano Portilho

     

     

    .content_text_461[…]ver mais

    Jornal i9

    01/05/2015 22p2 – Atualizado em 01/05/2015 22p2

    Procurador investigado por corregedoria vaza informações contra Lula em Revista

    Fabiano Portilho

     

    O Procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes do 4º Ofício de Combate à Corrupção do Distrito Federal que estranhamente entregou uma suposta investigação para a Revista Época do conglomerado Rede Globo contra o ex-presidente Lula, foi investigado por perseguição e falta de provas nas acusações feita ao ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) de Alagoas em 2012, sobre um suposto desvio da ordem de 5 milhões de reais que deveriam ser investidos na reforma da Unidade de Emergência Dr. Armando Lages, hoje Hospital Geral do Estado (HGE).

    Decisão

    Diante de tal situação, submetemos o Egrégio Conselho Nacional do Ministério Público, a presente representação, contra o Sr. Anselmo Henrique Cordeiro Lopes, Procurador da República e, julgando-se a mesmo procedente, seja-lhe aplicado a merecida corrigenda funcional, por ser da mais lídima Justiça.

    Vazamento

    A revista Época da Rede Globo que está chegando às bancas traz uma reportagem exclusiva com o título “Lula, o Operador”. Subtítulo: “O Ministério Público abre investigação contra o petista por tráfico internacional de influência. Ele é suspeito de ajudar a construtora Odebrecht a ganhar contratos na América Latina e na África com dinheiro do BNDES”.

    Assim como o Juiz Federal, Sérgio Fernando Moro (Lava Jato), o Procurador Cordeiro Lopes mantém uma Coluna de “fofocas” na Folha de São Paulo, acompanhe

     

    O jovem Procurador é formado em Bacharel em Direito pela USP, Especialista em Direito Constitucional pela UNISUL, Mestre em Direito Constitucional pela Universidade de Sevilha, Procurador da República, Professor de Direito da Faculdade da Amazônia Ocidental, Ex-Procurador-Chefe da República no Acre, Ex-Procurador Regional dos Direitos do Cidadão no Acre, Ex-Procurador da Fazenda Nacional, hoje ele está lotado no 4º Ofício de Combate à Corrupção do Distrito Federal.

    O procurador pertence a família de advogados Cordeiro Lopes, aquela mesma empresa que foi investigada desde 1997 pelo Ministério Público Estadual por ter sido contratada pelo Detran sem licitação e por meio de contratos de emergência – a situação provocou a queda, em 2005, do então diretor do órgão, José Francisco Leigo. Em tempo o procurador seria amigo pessoal do promotor público de Campinas, assessor jurídico do PSDB, e deputado federal Carlos Sampaio.

    Empresa Cordeiro Lopes, e o prejuízo de R$ 40 milhões aos cofres públicos

    Em reportagem publicada em 2010, o estadão.com.br informou que Alckmin teria recebido informações apontando a manipulação de um pregão do Detran de 2006 que deu a empresa Cordeiro Lopes o controle dos serviços de emplacamento de carros no interior do Estado de São Paulo.

    Segundo a reportagem, a Casa Verre estaria por trás da vitória da Cordeiro Lopes em nove dos dez lotes de lacração e emplacamento de veículos do Estado, licitados no pregão de 2006.

    Segundo investigação do próprio Detran, a Cordeiro Lopes é suspeita de inflar prestações de contas dos serviços prestados ao Estado, num golpe que pode ter causado um prejuízo de R$ 40 milhões aos cofres públicos.

    O ESTADÃO – CLIQUE AQUI

    Nas Prestação de contas publicada no site Transparências mostra que a empresa Casa Verre do Grupo Cordeiro Lopes doou R$ 4 mil para a campanha à reeleição do então governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), em 2002.

    http://www.jornali9.com/noticias/denuncia/procurador-investigado-por-corregedoria-vaza-informacoes-contra-lula-em-revista

     

  39. Uma questão de

    Uma questão de silogismo

    Politicagem é nocivo à sociedade, se a politicagem quer destruir alguém, é porque esse alguém não faz parte da politicagem, logo o meu voto é nesse alguém, no caso o PT.

  40. A noticia é o universo do conhecimento.

    A notícia que notifica e informa os mal informados que ajuda a construir opiniões sem base de construções, deseja que todos se sintam perfeitamente motivados por participar do processo político desqualificado. É óbvio que todos comemos nas fontes mais diversas o noticiário diuturnamente levado por centenas de meios de comunicação. Mas não se deve subjulgar tanto assim a capacidade dos brasileiros em seu poder de síntese que usando o cadinho da razão saberá discernir o certo do errado, o leviano do sério. Algumas notícias não precisam de jornalistas ou qualquer tipo de pessoa. Ex: Lula fala num vídeo que o povo cubano é o melhor povo do mundo. Dedução lógica: Lula aprova a ditadura castrista e é a favor do comunismo. Ex: O secretário da CNBB em vídeo chama o povo reunido na PUC de Goiás para luta armada. Lá estavam diversos partidos de esquerda e o PT. Dedução lógica: A CNBB é um antro de comunistas que desejam o golpe de estado para implantar o comunismo no Brasil. Se a Oldbrech que está atolada até o pescoço na lava-jato está sendo investigada em todos os seus negócios é porque aonde há fumaça há fogo. O dinheiro que saiu do BNDES para financiar obras em outros países cuja construção ficou a cargo da Oldbrech precisa ser investigado, principalmente porque é dinheiro do povo brasileiro financiando ditaduras e mais, sem a aprovação do Congresso. A notícia é o universo do conhecimento.

  41. veja a pior de todas

    você entra no site da veja e chega dar nojo o fanatismo pelo PSDB e tanta matéria absurdas cheias de mentiras e manipulações. teve uma cara la que fez a matéria falando que o pt armou com os professores para prejudicar o governador  que é do psdb e disse que os professores atacou a policia etc. uma outra matéria também que a veja só faltou chamar os professores de vagabundos. essa veja vive de semear o ódio  e a discórdia, uma vergonha.

  42. O PIG quer estuprar o João Santana

    João Santana ensina governo a responder a mídia

    3 de maio de 2015 | 09:57 Autor: Miguel do RosárioMatéria com documentos e vídeo em : http://tijolaco.com.br/blog/?p=26593

    A resposta de João Santana esmagou brilhantemente as acusações absurdas de um setor da PF que foi tomado pelo mais absoluto partidarismo.

    O ministro da Justiça, Luiz Eduardo Cardozo, perdeu completamente o controle sobre a instituição, e isso é deveras perigoso.

    Santana esmagou a mídia também.

    E deu uma lição ao governo e ao PT.

    É preciso responder, com sentido de urgência, qualquer acusação.

    Em questão de minutos, o publicitário postou, em seu site, todos os documentos relativos a seus trabalhos, um vídeo, uma nota pública, a íntegra da entrevista à Folha.

    Ou seja, fez a “batalha da comunicação” que o governo nunca fez.

     

     

  43. Liberdade de imprensa x direito à informação

    O ‘sistema jornalístico impresso’ brasileiro esta falido desde que optou por praticar a liberdade de imprensa político-partidária em detrimento da informação dos fatos, ainda que esta última sempre incorpore um caráter opinativo também, porém, sem os excessos da liberdade de opinião publicada. Tal como publicado nesse post, parcela significativa dos leitores estão se conscientizando do descolamento ( e porque não, deslocamento) das notícias jornalísticas da realidade ‘verdadeira’, evidenciado pela distorção dos fatos e seus contextos. Essa prática manipulativa só vem reforçar a necessidade de uma regulamentação da mídia impondo, senão uma limitação, uma responsabilização civil e penal no que é publicado, haja vista que, no modelo atual de garantia constitucional da liberdade de imprensa, os meios dominantes da comunicação se julgam inimputáveis, inatingíveis e portanto livres para escreverem e dizerem o que bem entendem, blindados que estão não só pela Constituição como também pelo sistema judiciário que lhes tende a ser sempre favorável.

  44. Mais do mesmo …

    Hoje mesmo, Elio Gaspari, no O GLOBO, aproveitando seu próprio texto deveria avaliar o quão feio é para uma jovem democracia que a imprensa se comporte como os vendilhões do templo. Destruir, desde que empregos, status e facilidades sejam mantidas. Lá, manter a contribuição dos fiéis e o controle religioso e secular dos hebreus, aqui manter a vidinha de apaniguados resguardados pela respeitabilidade (poder absoluto) das Organizações .. Quais são os cordeiros que ainda veremos ser sacrificados? E quando algum de nós estiver dentre eles por estar obstando algum desejo ou agenda oculta da Malta?

    E o quanto tudo isto não está diretamente relacionado ao nosso sistema educacional? Não estou me referindo aos conteúdos, metodologias e artefatos – importantíssimos – mas GOVERNANÇA. De resto o nosso maior problema – gestão dos recursos. Como são administrados e geridos os agentes responsáveis pelo que há de mais importante nesta República. Sim, esta é outra discussão, aliás, já posta por aqui nos últimos dias. E que não frutificou, ainda. Eu diria que é a Educação, estúpido!

    Extrapolando um pouquinho, fui viajando e nada mudou apesar da intensidade desses últimos meses… Sim, eu sei. Nada disso é novidade …

    Em janeiro de 2015 foi postado no GGN um excelente artigo sobre a Veja e o poder exercido sobre seus leitores (http://jornalggn.com.br/fora-pauta/por-que-a-veja-e-tao-imperativa-e-categorica).

    Naquela ocasião comentando sobre o que seria o padrão moral dos leitores e que não se percebia mais refletido em seus comportamentos e nem correspondia à sua formação, ponderei: “… cada vez me convenço mais de que a boa formação moral estava calcada na condescendência com os mais pobres, no paternalismo, em vários atavismos que trazemos resultantes da nossa colonização, da sociedade escravocrata, etc. E que, quando os mais pobres, menos instruídos, à margem começaram a ascender, a exigir direitos – e a ser considerados nas políticas públicas -, a não mais aceitar o tratamento da Casa Grande, estes que estavam satisfeitos, passaram primeiro por um momento de estranhamento, depois de incômodo e por fim, encontraram nas publicações e jornais tradicionais eco para sua insatisfação latente e imediatamente houve um reconhecimento, uma afinidade, uma associação relevante.

    Se nós recapitularmos os últimos 03, 04 anos vamos ver que houve um crescente descontentamento refletido nos discursos e narrativas: “que engarrafamento insuportável, mas claro, agora todo mundo resolveu ter carro”; “imagina, eu chamei a atenção do trocador do ônibus, e ele retrucou; quem ele pensa que é?”; “como assim, cotas?”, “recolher FGTS para a minha ‘secretária’?”, etc. E por aí vai.

    A análise histórica do fenômeno pode nos dar os instrumentos para entendermos estas manifestações sem o fator emocional: elas refletem a dificuldade da mudança, a aversão à universalidade, o gosto pela diferenciação (claro, se eu me sentir melhor do que o outro!). Tudo muito humano.

    No entanto, estas publicações têm objetivos claros; não é somente (gerar) um incômodo; a pretensão e, aparentemente o sucesso, está em formar (forçar) opinião, fazer emergir estes sentimentos, fazer que o medo prevaleça. Sempre me lembro dos 800 empresários que deixariam o País caso Lula fosse eleito. Estão por aí, mais ricos do que nunca.

    E ressalvo nada, nada absolutamente tenho contra os ricos, os empresários, e os investidores: eles são parte importante da engrenagem para que haja trabalho e a riqueza possa ser gerada. O problema, a meu ver, é a distribuição e o tanto de exclusão que parcelas da sociedade pretendem manter, à custa de muitos, e em seu próprio benefício…”

    Comentei também sobre o filme “O Abutre” – assunto de post do Fábio de Oliveira Ribeiro – que traz um “aspecto importantíssimo relacionado a este tema: ganância; ter mais, mais, mais. Como os recursos materiais existentes são finitos, quando a distribuição me afeta, eu quero eliminar quem está tomando de mim uma parcela do que eu tinha; a despeito de eu ter muito mais do que eu realmente necessito.”

    A discussão prosseguiu enveredando pela questão da educação formal dos leitores de revistas semanais e de como havia certa incoerência em seu comportamento diante de tamanha manipulação. Alguém comentou que bastaria o leitor utilizar seu senso crítico, reconhecendo de imediato os interesses escondidos nas matérias publicadas.

    Naquela oportunidade – e poderia ser agora mesmo – disse: “… há aqui um gargalo. Este senso crítico precisa ser desenvolvido, estimulado, festejado. No entanto, como há uma massificação – pois a Veja não está sozinha em sua “doutrinação” – da linha editorial desta publicação, reforçada por outras mídias ainda mais pasteurizantes e de maior penetração, há uma “Muralha da China” a ser transposta. Quando se sabe que esta revista é distribuída em escolas para uso pelos alunos em seus trabalhos escolares, criando desde sempre um vínculo por expectativa de recompensa (imagino que sejam atribuídas notas a estes alunos), há um sério viés de massificação e de formação de opinião, ao invés de informação para formação de opinião.

    Os leitores de blogs, publicações de análise e contexto não são a moda no Brasil. Nem a média. Somos todos outliers, pontos fora da curva. Esta análise que vemos aqui, mesmo que superficial, ainda não é uma prática comum. Os que são bem formados – ou melhor, bem instruídos – nem sempre foram estimulados, quer por desinteresse quer por falta de ambiente, ao pensamento crítico. … alguns foram preparados para usufruir, vencer, exaurir e não para construir, conquistar.”

    Há um profundo patrimonialismo que ainda fundamenta nossas relações e a ascensão de parcelas populacionais até então ausentes da vida social incomodou este grupo, dominante, por modificar uma relação de dominação a meu ver camuflada por paternalismo e um bocado de condescendência.

    A mídia tornou-se porta-voz desta insatisfação e reforça o conflito resultante de nosso processo histórico, e que pode ser compreendido quando analisamos as etapas de desenvolvimento de nosso país e os atores que delas participaram. Estes atores, durante mais de 500 anos estiveram sempre nas elites – aliás, ressalve-se como bem nos esclareceu o Saraiva, classes dominantes – uma vez que à população pobre restou o trabalho e nenhuma influência sobre os destinos da nação.

    Os bucaneiros estão em ação. Onde o Judiciário? Quem nos protege?

     

      • Webster, ando distante das
        Webster, ando distante das discussões por falta de apetite.Tudo muito árido e repetitivo. Tenho a impressão de estar sempre lendo mais do mesmo… Que bom que você gostou. Obrigada pelo feedback. Abc.

        • Concordo que há muita repetição e

          aridez no blog, mas acho que é a consequência direta do que acontece fora dele.

          O que escuto na tal “classe media/alta” paulistana é de arrepiar de tão boçal (na forma)  e cretino (no fundo). Alias esta boçalidade e cretinice invadiu o blog progressivamente a partir de 2010 (obrigado Mr Serra). O que não se escreve para merecer R$ 70 K por mês!

          Então me acho obrigado de reagir publicamente para não repetir o passado. Mesmo se eu for repetitivo e árido.

          Mas entendo sua lassidão.

          • Lionel, talvez eu não tenha

            Lionel, talvez eu não tenha sido clara …

            A aridez e repetição não é do Blog, mas da conjuntura.

            Na verdade, o Blog, no que traz de diversificação e variedade, principalmente cultura, cidadania, artes em geral – de altíssima qualidade, diga-se de passagem – é que tem me dado espaço para exercitar outras formas de verbalização e de análise. 

            Minha lassidão diz respeito à política e economia, temas predominantes no Blog, mas não exclusivos. Estou por aqui diuturnamente, em outros espaços, não tão visitados. O Blog tem qualidade inequívoca; reúne pessoas de sensibilidade, competência e muita habilidade.

            É claro que os trolls e os opositores estão por aí também; mas a forma mais fácil de lidar com eles é desconcertá-los: ser educado e não dar muita atenção.  Isso os desestrutura.

            Continuo por aqui.

             

    • Sensacional Anna Dutra

      Ana Dutra, seu comentário nos dá ânimo para continuar. Aliás, você não comentou, você deu uma aula de história e a contextualizou muito bem com o atual momento, infelizmente, repleto de opiniões simplistas e de julgamentos prévios que só cegam e propagam o ódio!

      Parabéns mesmo!

    • Se o limite da Educação formal, for mau.

      Anna, permita-me uma pequena consideração, pois concordo com menos de 100% do que foi dito. É por causa do discurso de um professor da high school da Costa Leste, Estados Unidos, anos 60. Ele disse que a Educação não era tudo, que ela não salvava os povos. Usou como exemplo sua própria história. “Eu conheci o Inferno”, falou emocionado. O professor havia sido prisioneiro em um dos campos de concentração do regime nazista. Disse que os construtores desses campos eram pessoas bem-educadas, engenheiros, médicos, contadores, enfermeiros, químicos, filósofos e toda a sorte de gente letrada, educada nas melhores universidades da Alemanha. Bonner e Kamel não são gente iletrada nem ignorante. São oriundos de nossas melhores universidades. Já Miriam Catástrofe não tem essa formação toda, nem sabe ler um gráfico ou achar a tangente de uma curva, mas é ouvida e respeitada pelas bobagens e canalhices que destila todas as manhãs na TV. Por tudo isso, a Educação melhora um povo, mas se ele foi educado pela ideologia do Golpe de Primeiro de Abril, será selvagem, cruel e terá instintos assassinos. Quantos PM’s do Paraná surraram seus próprios professores? Naquela barafunda, ninguém podia identificar ninguém.

      • A história que você conta e

        A história que você conta e que é narrada pelo professor parece um típico exemplo que bem ilustra a ideia de “banalidade do mal” desenvolvida por Hannah Arendt. Está no livro Eichmann em Jerusalem. Indíviduos que acreditam ser o seu dever cumprir, com todo zelo e eficiência, as ordens superiores, movidos pelo desejo de ascenção profissional, sem questionar as implicações sociais advindas dos seus atos. E isso acontece até com pessoas do mais alto nível cultural e intelectual. Pessoas cumpridoras dos seus deveres, que pagam suas contas, tratam bem os vizinhos, dão bom dia, boa tarde etc. etc. Arendt contribui assim para desmistificar a ideia de que apenas indíviduos crueis, insanos e psicopatas são capazes de praticar atos perniciosos para toda uma nação. 

    • Muito lúcido e instigante o

      Muito lúcido e instigante o seu comentário. Discordo porém de um ponto. Aqui vai: a pobreza existe porque existe a riqueza. São dois lados de uma mesma moeda. Sendo assim, não tem o menor cabimento em um planeta à beira de um colapso causado por uma sanha consumista desembestada, indivíduos receberem 50 mil, 500 mil, um milhão, dois milhões, diversos milhões todo mês, enquanto bilhões de pessoas passam fome e vivem imersas na mais absoluta miséria mundo afora, inclusive aqui no Brasil, é claro, bem diante dos nossos olhos. Pessoas que são exploradas todos os dias justamente para viablizar a riqueza descabida de uns poucos. Pessoas que chegam a ser discriminadas e hostilizadas por receberem o bolsa família, por exemplo. Aliás, não é justamente nesse binômio riqueza para poucos versus pobreza de muitos que reside praticamente todos os problemas das pessoas, das nações, da humanidade enfim? Sejamos francos, não é essa a verdadeira questão? Ignácio Ellacuría, um brilhante filósofo jesuita, já alertava há alguns anos para uma verdade incômoda, mas também libertadora: a civilização da riqueza está chegado ao fim. Isso sem falar no próprio Marx, que “profetizou” todo esse absurdo que está nos levando de cara contra o muro . Então eu me posiciono: sou radicalmente contra os ricos e a riqueza. A quem se interessar, recomendo enfaticamente o ótimo e inspirador livro “Pequeno Tratado do Descrescimento Sereno”, do economista e filósofo francês Serge Latouche.

  45. Além da mídia

    Infelizmente a coisa não está restrita apenas a grande mídia golpista, avalio que se ela se faz de canastrona, desaforada e leviana é porque encontra proteção e cobertura em esferas superiores e por isso se acha impune. Entendo que fazer um combate rigoroso, justo, transparente e imperdoável contra o crime e a corrupção, sem nenhuma sombra de dúvida é o desejo de todos brasileiros e todas brasileiras. Porém, nos últimos anos algumas operações de combate a corrupção e ao crime organizado, que foram patrocinadas pela PF e MPF, tornaram-se um tresloucado espetáculo midiático, que os fizeram tomar rumos macabros, sem que nenhuma satisfação oficial tenha sido dada a população.

    Por esses gravíssimos fatos, solicito algumas respostas e faço uma sugestão aos órgãos fiscalizadores e controladores de diversos cargos superiores na federação:

    Porque temos que concordar em pagar altos salários a alguns magistrados, ministros, procuradores, delegados e outras autoridades federais, que quase que diariamente tem sido mencionada como omissas em relação a denúncias divulgadas sobre desmandos, abusos, preconceituosas perseguições políticas, agressões gratuitas sem provas, sem fundamentos e muitas das vezes premeditadas, que tem como alvo central a destruição da honra de várias pessoas no país e, ainda, sob as vistas grossas da grande mídia?

    Porque essas vaidosas autoridades, que desfrutam de imunidades, mordomias e uma série de vantagens e benefícios, que o exercício do cargo lhes confere, não trabalham como deveriam para honrarem a importância desses cargos e para justificarem o salário e toda a confiança que lhes foram depositadas? Porque ficam cegos a tantos fatos, enquanto toda nação enxerga que essa a sequência de arbitrariedades indica uma flagrante intenção de prejudicar, desonrar e tentar colocar as pessoas vitimadas como malfeitores, diante os olhos da população?

    Porque será que, sem nenhuma base consistente, essas autoridades insistem em massificar investigações, desrespeitar os direitos constitucionais, devassar, sem a devida comprovação, a vida, o sigilo fiscal e financeiro de cidadãos? Essa atitude prejudica flagrantemente um dos lados políticos, gerando um favorecimento pleno e explícito ao outro lado, que se mantém nadando em mar de contentamentos.

    Com esse gravíssimo comportamento, o MPF, a PF e alguns Jornais, Rádios e TVs, nos deixam a impressão que escolheram um lado político e que fecharam os olhos para o sequestro que vem sendo feito contra a imparcialidade, a transparência, a ética, a moral, a dignidade, a isenção e a justiça plena.  

    Por conta de toda essa vergonhosa afronta as leis é que eu, na condição de cidadão e de contribuinte de impostos que pagam os salários dessas omissas e improdutivas autoridades, sugiro que suspendam os identificados de suas funções até que o resultado de processos administrativos aberto contra eles tenham sido apurados rigorosamente.

  46. O midiota, “boobus”, ou o indivíduo simplório

    O midiota, “boobus”, ou o  indivíduo simplório manipulado, incapaz de revisar os seus ideais e concepções e de emitir juízo próprio acerca do que lhe é exibido, é, duplamente, o alvo e a principal vítima da imprensa. A massificação dos boobus representa a “zumbificação” criada pela mídia de massa que ora atingiu proporções inigualáveis na história recente. Algumas considerações a respeito:

    – A massa de manobra não tem consciência dessa condição de manipulado – justamente pela incapacidade de pensar fora da caixa, de “sair da Matrix”;

    – O boobus é alvo principal da imprensa de massa, que age subliminarmente através de inúmeras estratégias, conduzindo os fatos que a ela são convenientes e interessantes e omitindo os demais pontos que poderiam incomodá-la;

    – A imprensa se vale da criação de factoides, meias-verdades e mentiras deliberadas que eventualmente podem até ser contestadas e desmentidas; porém ela conta com a falta de discernimento, de raciocínio e de concatenação de ideias dos boobus. Portanto, a imprensa cria a versão que a ela interessa e a inculca no subconsciente do boobus;

    – A imprensa nunca irá abertamente declarar sua antipatia ideológica ou o seu partidarismo. Se agisse assim, estaria abdicando da suposta isenção que se arroga e incorreria inclusive em crime, dependendo do caso, se o fizesse. Pelo contrário, ela irá fazê-lo através de inúmeros mecanismos, entre eles:

    – Criando campanhas de difamação através da superexposição de indivíduos ou siglas;

    – Expondo um caso convenientemente escolhido e omitindo outros de igual proporção, ainda que estes estejam situados de modo próximo no tempo;

    – Associando nomes a eventos, ainda que maneira insinuante e não comprovada;

    – Mesclando fatos até certo ponto comprováveis, ainda que discutivelmente, com meias-verdades e mentiras. Esse recurso é usado se baseando novamente na inépcia dos midiotas em elaborar algum raciocínio um pouco mais refinado e profundo;

    – De onde vem então o partidarismo da imprensa e seus princípios ideológicos? É conveniente lembrar que, embora seja uma entidade perfeitamente identificável e isolável, a imprensa é feita de pessoas e feita por elas. Assim, se tivermos que vasculhar de onde parte a motivação e a orientação para agir, será nas cúpulas dos veículos de comunicação em massa.

    Em nome da tão famigerada “Liberdade de Imprensa”, um termo tão nobre e retumbantemente pronunciado e usado como égide para caluniar e difamar sem repreensões, a imprensa age impunemente. Qualquer tentativa de regulamentar o comportamento vil e ignóbil, ou emitir a mínima crítica que seja a esse expediente, prontamente os luminares da imprensa de massa tacham seus críticos de fomentadores do “cerceamento de liberdade de imprensa” ou censura.

    • Bueno…Providencial e muito


      Bueno…Providencial e muito bom o seu comentário. Contudo, nunca é demais lembrar que manipulações, manobras, conluios, propagandas subliminares e outros bichos do gênero não são exclusividade de apenas alguns veículos de comunicação. Estão em todos: à direìta e à esquerda; na oposição e na situação; alhures, ali e aqui; na grande imprensa e também em blogs, sujos ou limpos. É preciso vigília incessante para não ser massa de manobra, pois corremos sempre o risco de estarmos sendo manipulados justamente quando pensamos que pensamos de modo légitimo e autônomo, quando destilamos, principalmente nos nossos escritos, um certo ar de inteligência superior, supostamente por não sermos igual a uma tal maioria simplória e boba, até descobrirmos, para nosso espanto, que sim, ainda estamos dentro da matrix. Lembra aqueles contos fantásticos nos quais alguém sonha com algo terrível, acha que acordou, mas depois, para seu horror, decobre que ainda está sonhando e sendo perseguido pelo monstro.

      • Chegamos a um ponto interessante

        Concordo e inclusive já me questionei a respeito desse possível auto-engano.

        Fato é que para chegar à conclusão que a verdadeira manipulação e interesse está, de fato, na grande imprensa, e que os blogs hoje representam o contraponto ao lugar-comum que a mídia de massa propala, é preciso muita leitura e discernimento.

        E essa leitura é feita contrapondo-se lados e opiniões opostas. E, infelizmente, parece-me que a manipulação, entendida aqui não somente como o ato de divulgar só o que interessa, mas, igualmente, em mentir, está na grande imprensa. Inúmeros são os exemplos.

        Há, de fato, outros veículos que usam de expedientes condenáveis, como os que são utilizados pela grande imprensa. Só que é relevante lembrar que os veículos alternativos, que você mesmo citou, nem de longe competem com a mídia de massa em termos de penetração e alcance de audiência.

        Numericamente, se formos contrapor o público que assite ao JN, que lê jornais como a Folha, o Estado, isso sem mencionar a Veja, como ficaria o placar? Dos leitores dos blogs ditos “sujos” versus os demais leitores? É preciso muito para concluir para qual lado a balança vai pesar mais? E. partindo dessa premissa, que é a própria importância da imprensa de massa, é que a manipulação, como fenômeno de grande abrangência, é sentida.

        Assim, embora haja manipulação em qualquer veículo que se tome como exemplo, onde está o maior dano? A mentira contada para algumas centenas ou milhares, ou a mentira que abrange milhões?

        Você bem ponderou se o oposto também não ocorre. De fato, pode ocorrer. Mas, como eu afirmei, é necessário discernimento. Ou seja, pensar com a própria cabeça e não aceitar de pronto o que é lido. Não deixar que seus juízo formado de maneira rasa e baseado somente em crenças, como é o mote dos boobus, permita que você se engane pelos grandes veículos e não se dê ao benefício da dúvida, percebendo que está sendo alvo da manipulação.

        Se vale minha experiência pessoal, sou frequentador assíduo do GGN. Não leio tudo; normalmente atenho-me mais aos posts que fazem referência à mídia. Muita coisa aqui do aqui é publicado é passível de erros. Mas eu levo em consideração fatores que me levam a crer que, embora cônscio dos equívocos porventura praticados por aqui, há mais acertos do que erros, inclusive pela figura ilibada do Nassif.

    • o midiota

      Perfeita a explicação sobre o “midiota” ou “boobus”, na forma e no conteúdo.
      Lembra o que Nietzcsche considerava ser como o homem (no sentido de “pessoa”) típico de nossa civilização.
      “…o homem que recusa a responsabilidade e o desafio de se assenhorear de seu próprio ser”.
      “Ele é o homem de identidade indefinida, o homem coletivo, matéria-prima apropriada para formar as multidões fanáticas dos “fiéis” religiosos, as hostes suicidas e fratricidas dos exércitos, a turba anônima que se entrega ao febril sectarismo político e à barbárie alcoólica das festas populares”

      Incrivelmente atual.
      O boobus é esse homem coletivo, de presença majoritária hoje, como sempre.

      Abraço para todos.

  47. terceirizando a opinião

    Nassif, acredito que a questão dos leitores x torcedores tomou mais forma a partir das manifestações de 2013, que seguindo a lógica imedistista dos nossos dias, fez brotar milhões de brasileiros “altamente politizados”. Falo isso com base no que vi e li no meus grupos de convivência e nas redes sociais. Todos emitindo altos juízos e opiniões.

    Eu tenho 34 anos e o período de infância e adolescência de quem viveu nessa época numa realidade social bem precária era comer a ração da TVG sem sequer saber como questionar –  “a realidade é o que passa no canal 4”. Quem se preocupava com uma melhor formação anseava por poder comprar uma revista Veja pra ser mais culto…. aff

    Junto com as manifestações houve essa efervescência nas redes sociais e blogs, de modo que algum contraditório foi posto à mesa, ainda que de um grupo muito pequeno de pessoas e mentes com alguma condição “des-condicionada” de pensar. Esses, por sua vez (me incluo aí), começaram a difundir notícias positivas e reais, contrárias ao que se via na TV. Mas a rejeição é muito grande e você é logo taxado, provando que o jogo deu certo. Tente ser imparcial e ganhe uma estrelinha de petista. Aí vem a questão dos torcedores: a busca desenfreada por alguma notícia (verdadeira ou falsa) para comprovar que o governo é ladrão etc… Há muita, mas muita falta de informação, infelizmente. E os grupos de mídia perderam a vergonha. Eu precisaria de ajuda para desmontar uma notícia armada por não ter conhecimento de dados, fatos e números, mas o nível de algumas coisas hoje é tão básico que basta saber ler em português. O que vai determinar o julgamento é o quão preso ao jogo a pessoa está e o time que ela torce.

    Só temo que os grupos alternativos de contraponto não se percam pelo caminho, se tornando aquilo contra o que lutam. Há, por exemplo quem espere que a Record seja um instrumento para superar a hegemonia da Globo. Mas o que é a Record, senão um projeto semelhante? Assim como a Universal se assemelha à Católica? É o tal wannabe!
     

    Se antes tinhamos um grande alimentador despejando a ração diária de “opinião formada” na mente da população, hoje temos o que chamo de “terceirização da opinião” –  que são “aqueles colegas nossos que entendem de política e tem uma boa argumentação na hora do almoço. Logo, se eles leram um artigo e me enviaram pelo facebook, certamente é confiável e eu concordo com ele, e ainda vou compartilhar”

    Desculpem se as idéias estiverem um pouco desorganizadas… estou meio só ultimamente, meio isolado em minhas idéias.

    Bruno Viana

     

  48. terceirizando a opinião

    Nassif, acredito que a questão dos leitores x torcedores tomou mais forma a partir das manifestações de 2013, que seguindo a lógica imedistista dos nossos dias, fez brotar milhões de brasileiros “altamente politizados”. Falo isso com base no que vi e li no meus grupos de convivência e nas redes sociais. Todos emitindo altos juízos e opiniões.

    Eu tenho 34 anos e o período de infância e adolescência de quem viveu nessa época numa realidade social bem precária era comer a ração da TVG sem sequer saber como questionar –  “a realidade é o que passa no canal 4”. Quem se preocupava com uma melhor formação anseava por poder comprar uma revista Veja pra ser mais culto…. aff

    Junto com as manifestações houve essa efervescência nas redes sociais e blogs, de modo que algum contraditório foi posto à mesa, ainda que de um grupo muito pequeno de pessoas e mentes com alguma condição “des-condicionada” de pensar. Esses, por sua vez (me incluo aí), começaram a difundir notícias positivas e reais, contrárias ao que se via na TV. Mas a rejeição é muito grande e você é logo taxado, provando que o jogo deu certo. Tente ser imparcial e ganhe uma estrelinha de petista. Aí vem a questão dos torcedores: a busca desenfreada por alguma notícia (verdadeira ou falsa) para comprovar que o governo é ladrão etc… Há muita, mas muita falta de informação, infelizmente. E os grupos de mídia perderam a vergonha. Eu precisaria de ajuda para desmontar uma notícia armada por não ter conhecimento de dados, fatos e números, mas o nível de algumas coisas hoje é tão básico que basta saber ler em português. O que vai determinar o julgamento é o quão preso ao jogo a pessoa está e o time que ela torce.

    Só temo que os grupos alternativos de contraponto não se percam pelo caminho, se tornando aquilo contra o que lutam. Há, por exemplo quem espere que a Record seja um instrumento para superar a hegemonia da Globo. Mas o que é a Record, senão um projeto semelhante? Assim como a Universal se assemelha à Católica? É o tal wannabe! 
     

    Se antes tinhamos um grande alimentador despejando a ração diária de “opinião formada” na mente da população, hoje temos o que chamo de “terceirização da opinião” –  que são “aqueles colegas nossos que entendem de política e tem uma boa argumentação na hora do almoço. Logo, se eles leram um artigo e me enviaram pelo facebook, certamente é confiável e eu concordo com ele, e ainda vou compartilhar”

    Desculpem se as idéias estiverem um pouco desorganizadas… estou meio só ultimamente, meio isolado em minhas idéias.

    Bruno Viana

    • Verdade

      O seu penúltimo parágrafo encerra exatamente de qual fonte os boobus bebem. Muitas vezes não é nem da imprensa, exatamente, mas dessas páginas de Facebook aqui e ali que expelem qualquer post totalmente refutável e muitas vezes cheios de mentiras. A imprensa ajuda na “oficialização” do fato. Muito bom.

  49. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome