O impeachment é aposta do Brasil improdutivo

Aposta no impeachment quem se beneficia diretamente dele e não faz parte do país produtivo, afetado por crises econômicas

Está na hora de dar um intervalo no golpismo, um arrefecimento nessa disputa ideológica anacrônica e se começar a pensar seriamente no próximo tempo do jogo.

A insistência no impeachment, por parte de Gilmar Mendes e de setores do PSDB já ultrapassou os limites de qualquer razoabilidade. A intervenção do STF (Supremo Tribunal Federal) e as manifestações gerais de condenação ao impeachment, o racha no PMDB, o desmonte da imagem de Michel Temer, comprovam que o impeachment é o caminho mais traumático para o país.

A insistência na tese parte de um tipo específico de pessoa: 1) a que vai obter ganhos pessoais e políticos com o grupo que ascender e que 2) faz parte do país improdutivo, não afetado por crises econômicas.

Integra esse grupo de privilegiados-a-salvo-de-crises inclusive o presidente da FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) Paulo Skaf cuja fonte de receita são aluguéis e a pilotagem da FIESP. Verdadeiros industriais, como os representados pela ABIMAQ (Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos) e IEDI (Instituto de Estudos de Desenvolvimento da Indústria) defendem a estabilização rápida do jogo político para permitir à economia respirar.

***

A disputa para enquadrar o novo Ministro da Fazenda Nelson Barbosa na esquerda ou na nova matriz econômica (como se os erros do período Guido Mantega fossem fruto de qualquer matriz) é ridícula.

Com Joaquim Levy ou Nelson Barbosa, o trabalho é o mesmo, de reduzir na medida do possível os gastos de custeio, aprovar a CPMF e dar sequencias às propostas de reforma fiscal. Não é 0,2 ponto percentual a mais ou a menos no superávit primário que define a ideologia de um ou outro.

***

Leia também:  Recessão e o terraplanismo de economistas e empresários, por Luis Nassif

Nesses momentos de mudanças, o mercado age sempre com comportamento de manada. Não significa que a sabedoria esteja com a tendência majoritária. Pelo contrário, os verdadeiros campeões são os que sabem jogar no contra fluxo.

Quem sabe das coisas conhece o pensamento de Nelson Barbosa. Sabe que ele foi o principal comandante das medidas anticíclicas de 2008 – que impediram que o país afundasse com a crise global – e não teve participação nos desastres dos dois últimos anos do governo Dilma. Sabe que tem um pensamento articulado e pouco propenso a aventuras.

Nos primeiros momentos, no entanto, a visão dominante era a de um aloprado fiscal no comando da Fazenda. A Bolsa cai, o dólar sobe e os profissionais realizam lucro.

Depois, haverá um momento de calmaria com o dólar refluindo.

***

As análises iniciais do mercado e de jornalistas financeiros sobre os desafios de Nelson Barbosa são típicas de quem não consegue ir além dos limites da planilha. São críticas sem nenhum realismo.

Uma estratégia bem-sucedida precisa ser consistente do ponto de vista macroeconômico, e factível, do ponto de vista político e social.

Por exemplo:

1.     Se o maior fator de desequilíbrio é a queda de receitas, que ameaça inviabilizar União e estados, é evidente que estanca-la é prioridade número 1.

2.     É evidente que não há o menos espaço para aventuras fiscais e nem a menor possibilidade de sair do embrulho fiscal sem uma CPMF.

3.     Propostas de fim das transferências constitucionais são inviáveis politicamente, selvagens e política e juridicamente inviáveis, no atual estágio de desenvolvimento nacional. A não ser que as Forças Armadas concordem em voltar ao poder. 

104 comentários

  1. Um tiro no proprio pé dado pelos idiotas de sempre

    As elites (FIESP – CNI e as outras federações da Indústria dos estados), capitanearam o pedido irresponsável de Impeachment da Presidente Dilma sorrateiramente, é óbvio, e insuflaram os idiotas a saírem às ruas para serem seus arautos, tendo as Organizações Globo, Folha, Estadão e outros órgãos de imprensa menos expressivos que estes, como os seus porta-vozes. Com isto estão levando a economia do país às brecas. Será que já perceberam que foi um tiro no próprio pé que deram? Idiotas para isto, infelizmente, sempre existirão. 

    • Seu discurso é o de quem não

      Seu discurso é o de quem não sabe o que diz ou – o que seria muito pior – quer enganar quem o lê ou ouve. Quer dizer então que foram as tais elites (sempre elas!) que levaram o país às brecas? Ou foi o governo irresponsável, ruinoso e corrupto de Dilma Roussef? Quem tem o poder na mão é que define o rumo da economia, meu caro, a verdadeira elite é o governo.

      • Sim, sempre elas, as elites,

        Sim, sempre elas, as elites,  levaram o Brasil às brecas, quando não tiveram o controle da Nação em suas mãos, e quando tiveram, também, entregando as riquezas da Nação a troco de banana. Sempre elas, desde priscas eras, quando se viram privadas do controle do Brasil, dispuseram-se a golpear os governos que distribuíam um pouco mais as benesses que sempre elas tiveram, com os menos afortunados. Sim, sempre elas desde que me lembro, 1954, quando derrubaram Getúlio Vargas e tentavam tomar o poder a força tendo a sua frente o golpista nº 1 na época, do Brasil, o Sr. Carlos Lacerda. Sim, sempre elas, quando em 1964, enfim, conseguiram derrubar um governo popular, com a desfaçatez de dizer que era um governo comunista. Veja bem, você sim que me parece um desinformado, talvez não saiba que João Goulart era um latifundiário, e, portanto, impossível de querer no país o comunismo. Ele só tentou fazer uma reforma agrária que o Brasil necessita desde que se tornou “independente”, e nunca fez. Ele só tentou diminuir a remessa de lucros das empresas multinacionais que se esbanjavam em mandar todo o seu lucro para os países de origem. Governo ruinoso da Dilma, quando? Existe alguma acusação de roubo feito por ela? Onde, me diga. Parece que sem informação ou tendencioso não sou eu mas o senhor. Provem algo contra ela e a condenem. Mas, até o presente momento nada foi provado. Golpistas de primeira linha é que, como sempre, querem tomar o poder à força já que no voto não conseguem. Foi sempre assim. 

        BOAS FESTAS E UM FELIZ ANO NOVO PARA VOCÊ E PARA OS DA SUA TCHURMA. 

  2. Impeachment significa Improdutivo ???

    O que dizer de um ano COM  DILMA… foi produtivo ??? Prefiro o IMPRODUTIVO SEM DILMA…!!!

  3. Golpe vem de fora e não terá refresco enquanto não esmagado.

    Não vai ter intervalo no Golpe enquanto ele não for esmagado pelas forças populares. Por detrás do Golpe está aquela potência do Norte, interessadíssima em abocanhar para sí o nosso petroleo. Portanto, desmascarar juízes “justiceiros” apenas contra a Petrobrás, investigar e desbaratar a rede de financiamento dos Milleniums , Retardados On-Line, Coxinha na Rua e outros perigosos hilários é tarefa de todo democrata brasiieiro.

  4. “A insistência na tese parte

    “A insistência na tese parte de um tipo específico de pessoa: 1) a que vai obter ganhos pessoais e políticos com o grupo que ascender e que 2) faz parte do país improdutivo, não afetado por crises econômicas”.

     

    Gilmar Mendes:

    1) Será que vai ganhar pouco com a expansão do seu IDP por todo o país, às custas de uma “ajudinha” pública?

    2) Talvez ele já tenha superado a fase da improdutividade. Agora ele faz parte do país contraprodutivo.

  5. Acredito que o objetivo

    Acredito que o objetivo principal desse grupo com o golpe, é salvar o próprio lombo.

    Porque, mais cedo ou mais tarde, até por pressão externa, o chicote vai bater também no lombo do Francisco.

    Não vai ter como o Janot segurar e justificar as falcatruas do PSDB, sem denunciar membros desse grupo.

    Acho que um dos objetivos do Aécio com o golpe, além de suas fantasias de ser presidente, é salvar o próprio lombo do que virá na Lava Jato.

    • Ou quem sabe, Aécio e sua

      Ou quem sabe, Aécio e sua gang, já tomaram conhecimento de algumas denuncias que foram feitas na delação que envolvem os oposicionista graduados.

    • O melhor para o Brasil é o Impeachment

      Independente dos motivos dos políticos da oposição, o fato é, que nos momentos onde o impeachment começou a ganhar força, as principais ações e a bolsa de valores começaram a subir e o dólar cair. Independente de oposição e aliado ou direita e esquerda, os investidores não vão apostar no Brasil enquanto não tiver uma mudança no governo, eles não acreditam que o governo Dilma é capaz de administrar o pais (não só os investidores, mas 70% da população não acredita que ela é capaz segundo pesquisas), e, infelizmente, se esses investidores não voltarem a investir aqui, o índice de desemprego e a inflação vai continuar a subir e o Brasil irá perder toda a credibilidade que conquistou nos últimos 20 anos.

      Independente de impeachment ou anulação do mandato pelas denuncias no TSE, ela precisa sair e que assume o Michel Temer mesmo ou que ocorra novas eleições (mesmo correndo o grave risco do Lula ganhar), mas, se a presidente continuar no cargo, vamos ser obrigados a enfrentar essa crise até o final do mandato dela e nos preocupar se conseguiremos estar empregados até lá.

      E se está na constituição, não é golpe.

  6. grande sacada….
    é isso

    grande sacada….

    é isso mesmo.

    não é de graça que um dos principais articuladores

    desse brasil improdutivo é o aócio never e o paulo skaf…

    pode crer…

    esta  casta improdutiva é a que pertence a um pequeno bloco rentista.

    dia desses um comentarista falou algo interessane, que tem a ver

     com isso e com nossas tradições patrimonialistas e tb com a situação hodierna….

    é o elevado número de cursos de direito, em detrimento do ensino ligado à produção…. 

    criam-se castas de golpistas qie, parece,  não têm mais nada que fazer senão

    golpear as instiuições….

    criam-se sucedaneos de chatôs e cunhas  et catervas

    a tres por dois a inventar chantagens e chantagens contra os governos

    e em benefício de interesses obscuros nacionais e internacionais…

     

  7. Hipocrisia ou mentira?

    Qual é a causa do desarranjo economico, de quem é a responsabilidade? Qual era o valor patrimonial da Petrobras em 2003 e agora em 2015? Qual a volorizacao dos fundos de pensao de empresas estatais – FGTS de trabalhadores – nos ultimos 10 anos? Porque toda a cupula petista foi condenada ou enfrenta processos na justica? 13 anos é tempo suficiente para resolver problemas nacionais como: seguranca, saude, educacao, infraestrura? A administracao petista nos ultimos 13 anos é considerada como eficiente e economica com os recursos do contribuinte? Há desperdicio de dinheiro dos contribuintes com projetos superfaturados? Houve dinheiro de caixa dois e oriundo de corrupcao no financiamento de campanha eleitoral do PT para presidente da republica nas ultimas 3 eleicoes ganhas pelo PT? As diretorias executivas de todas as empresas estatais, primeiro, segundo e terceiro escaloes da administracao publica sao indicadas com algum criteiro de merito ou competencia? As agencias e orgaos publicos administradas por politicos petistas e aliados sao consideradas “balcoes de negocios” que privilegiam amigos e compadres que contribuem com dinheiro oriundo de superfaturamento e propina para politicos e partidos politicos? É justificavel a evolucao patrimonial no periodo de ocupacao de cargos publicos dos dirigentes partidarios petistas e aliados, notavelmente de Lula e sua familia e dos ministros de estado e seus familiares? Como é que dormem, encaram amigos, familiares e a comunidade, todos os responsaveis pela crise que literalmente quebrou o Brasil, destruindo empregos, poupanca, investimentos, riqueza por ganancia pessoal e enriquecimento ilicito? Depois de tantas mentiras gravadas por Lula e sua trupe, voce ainda acredita em sua bondade e inocencia? Responda sinceramente a cada uma destas perguntas.

  8. O segredo do negócio é o sigilo e não a propaganda

    Já podemos começar a esquecer o assunto impeachment.

    Além de tantos outros fatores que levam a esta conclusão há o fato de que a saída de Levy, por si só, trouxe um alívio à população e isto será brevemente comprovado em pesquisas.

    Quando a presidente aferir sua popularidade novamente perceberá o quanto de negatividade havia na presença deste Levy como ministro da economia. Ela provavelmente vai arrepender-se de não tê-lo demitido logo no final do 1o semestre. Teria ela poupado muitos aborrecimentos, a si e ao povo.

    A reação do “mercado” era esperada. Esse “mercado” não é composto por atividade produtiva. A queda é pura especulação na bolsa que apenas migra para o US$. Acho que já escrevi aqui que a bolsa de valores, num país onde as empresas são essecialmente familiares, somente atende aos interesses de especuladores, os quais possuem informação privilegiada. A subida ou descida da bolsa não aponta absolutamente nada em termos de economia neste país.

    As variações do dólar são temporárias. O dólar cairá assim que começar a cair a taxa básica de juros, porque quando isto acontecer os recursos serão remanejados para a produção. É preciso criar e divulgar um plano progressivo de redução das taxas de juros. Talvez 0,25% nos primeiros 2 meses e depois 0,50% nos 4 meses seguintes. Isto prefixado, animaria o setor produtivo.

    Os bancos, aproveitando-se de uma taxa mais alta nos primeiros meses, liberariam crédito para aproveitar os juros em patamar superior. Haveria maior produção, que poderia ser distribuída ao consumo nos 4 meses seguintes a um crédito pessoa física / consumidor mais favorável.

    Acredito que se deva esquecer a cpmf por enquanto. O ano já está encerrado e o resultado de caixa já está definido. Para 2016 a cpmf viria no 2o semestre, caso se perceba que é inevitável.

    No mais, Barbosa deve andar  “de botas calçadas”. Há serpentes na grama e vão atacar. Silêncio, firmeza e sobriedade, mas sobretudo deveria evitar as tais “falas”, principalmente com gringos. Os gringos simpatizam com o método Levy, porque lá isto funciona. Para nós isto não serve. Então sempre criticam duramente nossos métodos.

    Seria bom se pudessemos sair desta crise sem depender muito do comércio exterior. Há os que estão falando bem de Macri. Eu não confiaria na Argentina como parceira. Se é certo que nós vivemos em crise, eles por lá vivem em turbulência política. Macri, com poucos dias de governo já está colecionando inimigos. Vai ficar engessado.

    E tomara que Dilma seja coerente com suas palavras. Se quer o fogo brando que aceite a demora para que a janta fique pronta. E que saiba defender o seu ministro das pedradas que certamente ele vai levar do tucanato aloprado. Por isso digo, é hora de fazer os planos, enquanto os intelectuais almofadinhas estão de férias.

    E tenho dito!

  9. Na economia do Brasil, o

    Na economia do Brasil, o presidente é o maestro e o ministro da fazenda é o solista. Não adianta o solista ser até um gênio se o maestro não saber conduzir, não saber quando dimininuir ou aumentar o ritmo. Há dois exemplos claros disto = Guido e Levy. Os dois, quando o regente foi Lula, executaram muito bem a parte que lhes cabia na economia, pois Lula sabia o que queria e como chegar lá e uma habilidade incrível de contornar os problemas que surgiam entre a partida até a chegada. Dilma até agora mostrou-se um péssimo maestro. E o que dá medo é que ela sempre faz trapalhadas quando num ambiente menos hostil, como está agora depois da decisão do STF, que praticamente enterrou o impeachment – embora não devamos subestimar a capacidade desse governo de trazer à vida vários mortos ( FHC, DEM, etc ) 

  10. Sr Nassif

    Sr Nassif.,fora os políticos e alguns espertalhões, que, por vaidade pessol ou “paura”, pois, a certeza da impunidade vai, pouco a pouco perdendo espaço,  estão tentando inviabilizar o Brasil,  ninguém mais aplaude o”status quo”.

    Não está em jogo, a competência técnica deste sr. que assumiu a Fazenda.

    O buraco é mais em baixo e o sr. sabe muito bem disso.

    A sra. Presidenta também sabe,  que a  “Fazenda” é “coisa sensível feito cristal”.

    O nome tem que agradar os mercados, tanto local, quanto além mar.

    Quando isto não  acontece , é sempre assim, parece novela da globo: dolar sobe, bolsa cai e os espertalhões acima mencionados, ganham com isso.

    O Brasil, sempre perde.

    O ex-presidente Lula, pode ser tudo que falam dele , e é, mas burro não. Já teria solucionado isso “de cátedra” !!!!

    Agora, PT,PSDB, e demais nomes mencionados na matéria…”farinha do mesmo saco”. Não me venha com defesas parciais de A ou B !!!!

    Uma coisa é TV ou é o “backstage” 

    Esse “embrolho” instaurado”, é coisa de “cachorro grande”, voraz e sempre com muito apetite.

    A nós, brasileiros, só nos resta “acender velas”, para que o STF, último guardião da galáxia”, esteja fora de tudo isso, pois, quem poderia fazer algo, por exemplo : mídia séria, OAB, Fiesp e outras “espes e bestes “, ou estão disputando interesses, ou estão na chamada  “zona de conforto da omissão”.

     

     

     

  11. Se não exite motivo para
    Se não exite motivo para impeachment, e se os impincheiros não tem qualquer proposta para o País, fica bem clara a tentativa de assalto: “Anda logo, passa o Governo pra cá.”

  12. o impeachment é aposta do Brasil improdutivo

    Cada um desses elementos citados tem o seu interesse particular de aposta no impeachment:-  o PAULO SKAF, não quer largar o osso da FIESP e quer se manter na mídia para se cacifar no PMDB, para ser o candidato a GOVERNADOR em 2018. Quando o MANTEGA, erradamente, deu subsídios as indústrias da FIESP, o  SKAF não veio a público criticar o MANTEGA e nem pediu a sua saída; – o PSDB, capitaneado pelo grupo do AÉCIO, quer desgatar o governo e se possível derrubar a chapa eleita, inlcuindo o TEMER, para que haja nova eleição e aí ele, AÉCIO, aparecerá como o principal candidato da oposição, derrubando o ALCHIMIM; – o CUNHA, quer salvar a pele e continuar mamando num governo da opoisção; – o GILMAR quer manter seus previlégios num governo TUCANO e vomitar seu ódio pelo PT, (sem querer aqui defender o PT). A sua ira é tanta que ele acusa juízes como CELSO MELO, MARCO AÚRÉLIO, CARMEN LÚCIA, LUIZ FUX, de estarem a serviço da DILMA e do governo do PT, quando eles (os juízes) defendem que o SENADO terá o poder de parar o processo do impeachment ,após a câmara, vir se posicionar a favor.

    Nenhum deles estão olhando o interesse do PAÍS e do povo brasileiro.

    Esperem 2018 e com uma proposta melhor de governança, conquistem o voto do povo.

  13. O confronto está posto e
    O confronto está posto e claro.
    A direita bombardeou e impediu que até mesmo medidas neoliberais fossem tomadas (po Levy)
    Que não se tente colocar o conflito no colo das esquerddas.
    Política anticíclica não seria tomada pela direita.
    O governo terá que assumir medidas de esquerda, como as anticíclicas.
    Botar as cartas na mesa para se evitar que se pense que é tudo a nesma coisa.
    As manifestações de apoio e as contrárias ao governo deixaram claro que existem lados. Política anticíclica e política de contenção tem lado, e são opostos.
    A própria citação do nome de Skaff, como rentista, e o das empresas industriais citadas, como desenvolvimentisas, demostra que se tem lado.

  14. O golpe proposto por quem nunca trabalhou.

    O cara que vivia a velejar nas aguas oceanicas do RJ, foi trazido para Minas quando o avô que era governador mineiro, que quando faleceu deixou um apenas um apt. na praça da liberdade, onde viva com a dona Risoleta Neves, eu uma casa em S. João Del Rei, uma homem publico que acompanei desde de minha infancia, desde de a morte de Getulio, um ser Humano honesto e onrrado, que se foi dexando saudades, e para tristeza nossa deixa um neto politico que nunca fez nada nem no estado que governou, como deputado e senador é um parasita que até agora não diz ao que veio, alias diz sim vim par pranejar um golpe e levar mais dinheiro, porque só que o levei dos cofres mineiro nã é suficiente, para forrar meu caixão.

     

  15. Insanidade ou Deboche

    Caro Sr. Nassif, me recuso acreditar nesta materia que o Sr. de escrever.

    O Impeachement desta presidente despreparada, não pode ser considerado pelo Sr. como um golpe, pois ela cometeu um crime, como o Sr. bem sabe, Crime de Responsabilidade fiscal atravez de pedaladas absurdas.

     

  16. Os objetivos podem ser até os
    Os objetivos podem ser até os mesmos.
    Mas, os caminhos são completamente distintos e opostos.
    Um prega cortes absolutos (retração) e o outro, aumento da produção (expansão).
    Um defende o desemprego, o outro mais emprego para gerar receitas novas.
    Um defende menos escolas públicas, outro aprova o ‘mais médicos”.
    Um lado defende que os aumentos do salário mínimo são exorbitantes, …

    • Acorda

      1- vender o Brasil: PT nao quis fazer privatizacoes/concessões no periodo de bonanca, sob o argumento de privar os bens nacionais (so se for pros empreiteiros)…Agora, tem q trazer investidores no periodo de baixa. Logo, tera que ‘vender mais barato’

      2- sucatear o Brasil: obrigado PT por destruir um dos poucos orgulhos nacional. Petrobras a maior investidora desse pais nao tem dinheiro, reputacao e uma divida monstruosa. Quebrou o setor pretolifero brasileiro.

      acorda Paco!!! Acorda nassif! Vai rpo chao de fabrica e sinta o que eh ser um empresario nesse pais!!! Eh facil falar em pobres, mas politico de aumentar salario minimo sem prosutividade, so aumenta custos => maior inflacao….. Logo, infelizmente os pobres entregarao tudo o q ganharam nos ultimos anos!!!

      parem com esse conflito de classes. Um pais sem empresarios, nao existe!!!!!

       

      acor

      • acorda ?

        …. sou empresário, pago meus impostos e tenho a consciência de que, se não houvesse tanta sonegação e corrupção, minha carga tributária seria bem menor…. Dê-se ao trabalho de esmiuçar a Operação Zelotes e você vai ver lá metade da Fiesp desviando um dinheiro absurdo … Sangram o país e depois reclamam que não tem infraestrutura ….

         

        Quanto à Petrobras, você precisa de uma aula de história, … a quase totalidade dos bandidos que tentaram afundar nossa maior empresa foram colocados lá pelos demo-tucanos nos anos 80 e 90, ….  viraram funcionários de carreira e continuaram roubando, patrocinados pelos pmdbistas da vez, ….  subornando um congresso corrupto ….   Quando vc diz que esse governo quebrou o setor petrolífero no Brasil, retorne aos anos 80 e 90 e veja o crime que foi cometido contra a Petrobrás pelos artífices do #ogolpedosladrões …. Tivemos um presidente que colocou o próprio genro para presidir a Petrobrás e liquidar a empresa para que pudesse ser vendida baratinho. Só não conseguiu porque os funcionários e os sindicatos de classe impediram..

        A receita neo liberal de aumentar os juros e sucatear a produção é que sufoca os empresários que caem na armadilha dos financiamentos bancários, …   

        Conflito de classes é coisa do século passado, … de gente atrasada !  Meus funcionários e eu pertencemos à mesma classe, …   a classe dos brasileiros consciêntes….

          • nivelar por baixo…

            … provavelmente acha que todo empresário é reacionário, golpista, contra o bolsa família, … e quer mais é que os empregados se explodam,….  raciocínio de coxinha, …. quanto ao nome da minha empresa, … não é da sua conta !

          • continuo nao acreditando em voce.

             Infelizmente nao consigo acentuar as palavras porque meu teclado esta com problemas, mas vou tentar escrever assim mesmo. Nenhum empresario que gere emprego de verdade, podendo ser micro, pequeno ou de que porte for acredita nesse governo. Ninguem suporta a volta da inflacao e mas aumento de impostos. Quem vai pagar a conta infelizmente vao ser os trabalhadores, nao tem jeito, contra a incompetencia nao ha solucao, so demissao. Voce deve ser funcionario publico, la voces nao precisa disso. 

          • Peraí

            Deixa eu ver se eu entendi: a prioridade não é cortar gastos e diminuir a margem, mas só demissões? O grande empresariado nacional só gosta de luxo e facilidades. Reclama de tributos, encargos, burocracia e do governo mas pe o primeiro a criar artimanhas para recolher menos tributos, contratar empregados via PJs e demitir ao primeiro sinal de risco aos lucros e dividendos. Tem muito empresário que acredita sim nesse governo. O problema é que, além dos erros do governo, a oposição joga para “quanto pior, melhor”, unica chance de chegar ao poder. Estimulam a instabilidade econômica (ou alguém aqui se esqueceu da “pauta-bomba”?) e política e flertam com o golpismo travestido de impeachment por improbidade administrativa decorrente de fraudes contábeis utilizadas (pasmem) para manter os gastos sociais do governo – e não indo para os bolsos de ninguém. Tempos bicudos os nossos.

  17. Sem partido

    Nassif,

    pare de fazer lobby pro governo. Nao sou PT nem PSDB.

    1- acredito na tese do impeachment pois eh muito claro que um governante nao pode gastar mais do que arrecada. Assim como o presidente de um clube de futebol ate o sindico se um predio. Governo Dilma vai deixar a relacao divida/ pib perto de 70%, quase algo que impagável

    2- nelson barbosa participou ativamente das ‘politicas anticiclicas’ do governo Lula e Dilma. Nao deram certo!!!!! O pais nao caiu naquela epoca pra tomar um tombo muito pior hj. Se vc nao acredita, compare com os dados dos ultimos anos… Isso nao eh uma opinjao eh fato!!!!

    discurso de crescimento e geracao de empregos eh bonito. So que o Brasil nao consegue e nunca pagou a conta. O governo caiu na real!!! Sem ajuste fiscal, nao tem credibilidade, sem credibilidade nao ha investimento….. Sem investimento, vc nao aumenta a producao e tb nao ha aumento de produtividade!!!

    producao industrial brasileira em itens esta no mesmo nive de 2004, so q hj empregamos 2 milhoes de pessoas a mais. Eh triste, mas so nos restara inflacao e desemprego!

    destruiram o nosso pais!!!!

     

  18. Golpismo puro

     

    Como a oposição só critica tudo que o governo tenta e se dizem preocupados com País, porque ao inves de brigar o tempo todo não propoe medidas de crescimento e de soluções.

    O ditado para a oposição é clara. Quanto pior melhor.

    O Eduardo Cunha ta mais sujo que pau de galinheiro, Michel Temer não sabe o que fazer mais para tomar o poder.

    Bando de imcompetentes que só estão pensando em salvar sua pele e se manter na mamata.

    De um lado estão um bando de golpistas que fazem manobras para se manterem e nunca pensam no povo ou no pais.

    • Golpismo puro

      Cumpanheira Carmen “LULA” da Silva = a RECÍPROCA é verdadeira , seu discursinho populista também serve para a Oposição  ==  Infelizmente, após a era PT, o Brasil está sendo  considerado o país mais corruPTo do mundo. E VIVA A CPMF.

  19. Diagnosticado a central do

    Diagnosticado a central do golpe paraguaio em SP as conclusões são óbvias:

    O estado de SP por sua força econômica e política é fonte constante de desestabilização política da federação, sua pauta específica nem sempre coincide com a do resto do país.

    O nordeste sabe disso durante os governos petistas teve destacado crescimento com a visão descentralizada de desenvolvimento, não à toa a maior resistência ao golpismo vem dessa região.

    A insistência do conservadorismo paulista na volta ao poder pela trapaça pode deflagrar no país uma espécie de guerra de secessão tupiniquim pois os interesses opostos são poderosos e ninguém vai querer perder.

  20. Para concluir;A receita
    Para concluir;
    A receita teórica para sair da crise está posta no livro de Thomas Piketty.
    Releitura:
    1- Os governos não têm como cortar substancialmente os seus gastos;
    2- Necessidade dos governos estimularem a produção com financiamento público;
    3 – Não há dinheiro em caixa;
    4 – Os governos teriam que onerar a taxação dos 1% mais ricos.
    Conclusão:
    A – Os congressos, submissos aos seus financiadores, não aprovarão tal medida;
    B – Alternâncias de governos em cada eleição, como estão ocorrendo pelo mundo;
    C – Insegurança politica, econômica e social;
    D – Os conflitos de ruas retornarão.

    • Violino

      Pode esquecer, amigo. O governo Dilma trata o Brasil como um violino, pegou-o com a esquerda mas toca com a direita, para o desânimo de eleitores antigos do PT como eu. 

  21. Nassif,

    tenho passado maus momentos no meio desse imbloglio. Você tem razão, há tanto a fazer, tanto a produzir, tanto a se desenvolver, mas estão fazendo o País se desmilinguir numa insanidade sem precedentes.

    Participo de reuniões desastrosas, equivocadas, que exageram uma situação que, sim, reconhecemos ser pesada, mas que não poderá ser superada sem a participação de quem produz.

    Ministros, modelos, BACEN, variam soluções em torno do mesmo tema, pouco mudam ou mudariam o estado da economia. É um tanto faz, nota seis e meio. O que importa mesmo é tirar do horizonte a ideia de um impeachment que só poderá acontecer como golpe e não como feito constitucional. Então, por que insistem. Seria apenas para aprofundar o que crise já é? 

    Beneficiar-se como entre escombros? Vejo colunistas e economistas, antes neutros, equilibrados, hoje, insistindo na tese do impeachment escorados em que Dilma está incapacitada de governar. Pergunto a esses luminares: tentaram dar-lhe uma folga de, pelo menos, um mês para o governo explicitar suas ações futuras?

    • Não acredito que ninguém que

      Não acredito que ninguém que seja inteligente, que tenha integridade e seja honesto, com cultura política mediana e com discernimento para raciocinar levando em conta as lições da História, esteja a favor do golpe em sua versão paraguaia. Não falo das pessoas comuns, que têm mais o que fazer do que andarem a saber de como gira o mundo político, e sobre isso têm convicções sempre provisórias e nada permanentes. Permito-me olhar com extrema desconfiança e desprezo toda e qualquer pessoa de influência social e política que assim o quer. O mínimo que pode ela ser é uma pessoa que encobre sua ignorancia com a capa da extrema irresponsabilidade. Mesmo o mais entranhado e ortodoxo discípulo da Escola de Chicago, não estaria a favor de tamanha estupidez.

    • O  impeachment não se

      O  impeachment não se respalda apenas nos fracasso e derrocada econômicos, mas sim, numa declaração do povo brasileiro de que não aceitaremos mais essa corrupção emanada do governo atual. E seja qual for o governo – direita, esquerda ou central, não acitaremos lideranças que conduzem o meu País de forma partidária, sem escrúpulos, sem ética e imoralmente, destruindo as nossas instituições  e poderes constituídos. Basta à corrupção. O Brasil se ergueerá sem os corruptos no Poder.

      • Os corruptos são os golpistas

        O impeachment é uma retaliação de um corrupto comprovado (com contas na Suiça, provas materiais e tudo mais) contra um governo que não aceitou protegê-lo.

        Os corruptos da oposição foram apoiar o corrupto golpista para proteger-se das delações e denúncia que pesam sobre sí.

        E você vem dizer que o golpe é contra a corrupção??!!

        O golpe é dos corruptos, pelos corruptos e para os corruptos.

        E você defendendo os corrptos.

      • O augusto Sr. Valmir,

        provavelmente, está falando de um século de história do Brasil, pois não. Nomeações na BR em 1997, compra de votos para a reeleição, privatização a preços de banana com direito a devolução das ações ao BNDES, US$ 600 bihões em paraísos fiscais há décadas. Ah, o “seu” País … entendi.

    • Acho que esses caras

      Acho que esses caras receberam adiantado das multinacionais de petroleo e gas prometendo ganhar as eleições. Como não ganharam agora fazem qualquer coisa para entregar o prometido. Acho que é isso.

  22. Improdutivo?

    Quem ao longo de  mais de 11 anos aumentou a dívida interna até alcançar o numero absurdo de mais de 2, 7 trilhões?

    Má gestão das estatais e aparelhamento como nunca visto antes?

    Este governo tinha a maioria no congresso e devido suas trapalhadas cavou a própria cova. Não adianta colocar a culpa na oposição ou a  fatores externos. Auto crítica é dever de qualquer gestão. O Brasileiro esta cansado diante de tanta soberba e arrogância frente a uma incompetência  nítida e cristalina.  Por mim o impeachment poderia ser por uma multa de trânsito, estou pouco me lixando. Muitos dos meus amigos estão desempregados, a empresa em que trabalho ao longo de 25 anos nunca atrasou um pagamento e hoje esta com dificuladades de acertar sua folha mesmo demitindo mais de 30% dos funcionários. O trabalhador comum ; o brasileiro médio não liga para discursos de direita ou esquerda. Só na cabeça de intelectuais de mesa de bar para acreditar que o povo assume algum posicionamento ideologico. O Brasileiro comum quer educação, emprego e saude. Quer seu carro zero na garagem de sua casa própria com todo conforto burgues que a classe média pode proporcionar. O Brasileiro comum não liga para socilaismo, luta de classes, liberalismo, capitalismo ou qualquer “ismo”.  Não há discurso que faça o povo acreditar que este governo seja merecedor de ser salvo e terminar seu mandato depois de tantos erros, corrupção e incompetência.

  23. Quando Paulo Skaf ingressou

    Quando Paulo Skaf ingressou no PSB, tive uma pequena esperança de ver um empresariado progressista. Mas depois constatou-se que a direita mais reacionária de todas se havia apropriado da sigla irremediavelmente. Skaf representa o há de mais nocivo politicamente entre os empresários. Descanse em paz, o anonimato lhe seja leve.

  24. A conta não fecha

    Nassif,

    se não mexer de forma considerável na taxa de juros do bacen, a conta não fecha mesmo se a oposição desistir do golpe e o congresso aprovar todas as medidas de ajuste fiscal do governo, inclusive cpmf.

  25. o natal dos golpistas
    Enquanto os trabalhadores passarão o Natal preocupados se terão o emprego de volta, se não serão dispensados no inicio do ano que vem, os golpistas passarao muito bem as festas nas suas fazendas, mansões ou NY ou Paris.

    Muita comida e bebida.

    Eles têm as rendas garantidas pelo juros dos titulos e alugueis.

    Porque deveriam se preocupar?

    • Isso mesmo…
      São essses os

      Isso mesmo…

      São essses os donos de empreeiteiras e banqueiros que o PT ajudou a enriquece-los muito nos últimos anos…

      Ah não…os empreeiteiros estão presos….que pena….

      Puta discursinho idiota….ta loko !

    • Isso mesmo…
      São essses os

      Isso mesmo…

      São essses os donos de empreeiteiras e banqueiros que o PT ajudou a enriquece-los muito nos últimos anos…

      Ah não…os empreeiteiros estão presos….que pena….

      Puta discursinho idiota….ta loko !

  26. IL Vero

    É Verdade… A oposição deve deixar de tentar o golpe… Pois o Golpe Já Foi dado por este Governo…. A cada dia que passa mais parecemos com a GRANDE VENEZUELA cuja os resultados são cobiçados por todos os países que sonham em se tornar paíse Facistas Bolivarianos… é uma pena…. quem irá sofre é o Povo, que não é representado por nenhum partido… Triste fim de um sonho de Grandeza….

  27. Eu acho tudo bom.

    Agora, um dos caras que pariu o governo que não se paga está voltando ao batente. Deixemos Nelson Barbosa trabalhar livremente. Estou curioso. Ou não –  o mercado já imagina o que vem por aí. 

    Eu só gostaria de propor uma única lei: o Presidente  e Ministros da Fazenda e Planejamento que entregarem o país em situação pior do que no início de seus mandatos (mais inflação, mais desemprego, maior dívida pública, queda nos índices internacionais de confiança e IDH) serão encarcerados em cela comum até que a situação volte ao patamar anterior. Ficaria proibida a troca de Ministro da Fazenda e Planejamento durante o mandato, assim como impeachment por incompetência. Vai levar no lombo até o final do mandato. Se levar 10 anos para o Brasil voltar ao normal, ficam 10 anos vendo o sol nascer quadrado.

    Olha que interessante: é uma forma de o governo e seus teóricos começarem a ser responsabilizados pelas “viagens” teóricas, sejam elas de “direita” ou de “esquerda” (esses termos que não querem dizer coisa alguma pra quem realmente entende alguma coisa do assunto). Medida necessária, agora que o mandato para Presidente encurtou para 5 anos e sem reeleição: neguinho vai botar pra quebrar, porque a zika vai cair no lombo do próximo, inevitavelmente. O Brasil, em termos de instituições, só anda pra trás. É a geração de políticos mais incompetente, analfabeta e corrupta que já passou.

    Menos Estado, pelo amor de Deus! Ou alguém que saiba fazer contas, porque, aparentemente, não é o caso do Barbosão.

     

  28. Não tem mais salvação com esse governo.

    Que golpe??? eu não entendo porque vcs defendem tanto esse governo, a Dilma acabou com a economia, fez tudo que não podia e agora querem que o povo pague por sua incompetência, o minimo que ela tinha que fazer era uma reforma na casa, reduzir os gastos publicos e depois pensa em uma forma de aumentar o crescimento, mas não a primeira coisa que o governo pensa e em fazer o povo pagar o pato. ninguem acredita mais no governo do PT , ou muda ou vai continuar essa draga até as proximas eleições..

    • Ridículo

      A economia já esteve muito pior no governo FHC. Aliás, mesmo com toda a crise que é produzida em sua maior parte pela instabilidade provocada pela oposição e o terrorismo espalhado pela mídia, ainda estamos bem melhor do que em qualquer momento do segundo mandato do FHC.

      Aí vem a coxinhada dizer que é melhor trocar a Dilma pelos mesmos ratos que estavam no governo FHC? A troco de quê? Só para parar as investigações e colocar no poder a corja corrupta incompetente do PSDB, DEM e dos piores setores do PMDB?

      Não passarão!

    • Paulo Skaf aplaudiu seu comentário!

      Skaf é quem leva o “pato” (nesse caso, o boneco) para os patos o aplaudirem.

      “Na realidade, o setor empresarial foi o maior beneficiado pela expansão fiscal do primeiro governo Dilma Rousseff, que se deu essencialmente pela via das desonerações tributárias e outras formas pouco criteriosas de subsídios às suas margens de lucro. Desonerações que, diferentemente dos numerosos itens aprovados no ajuste fiscal de 2015, que já bateram –direta ou indiretamente– no bolso dos trabalhadores, ainda não foram eliminadas pelo Congresso. Além disso, assim como em quase todos os países da OCDE, até 1995 também se tributavam dividendos no Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) no Brasil. De acordo com outra pesquisa recente de Orair e Gobetti do Ipea, essa isenção de IRPF sobre os lucros convertidos em renda pessoal é o principal fator que explica por que os brasileiros que ganham mais de R$ 1,3 milhão por ano pagam apenas 6,7% em impostos, em comparação a uma média de 11,8% pelos que ganham entre R$ 162,7 mil e R$ 325,4 mil.”  

  29. Por que insistem em um movimento tão absurdo?

    Esta tentativa de golpe não é razoável. Não tem lógica. É um risco acima do aceitável em política. 

    Só existe uma explicação para esta insanidade:

    MEDO DE SEREM PRESOS.

    Os golpistas dormem todo dia com o título daquele filme de suspense retumbando nas suas cabeças:

    I know what you did last summer

     

  30. Faço um apanhado das notícias

    Faço um apanhado das notícias das ultimas horas e creio que mudanças no Brasil é algo impossível via “democracia”.Tramam a larga,assim como roubam,e o grande causador das angústias que estão por vir é o supreminho e seus onze malandros seguidos de um procurador malandro mór.Porque esse procurador não pediu antes uma atitude contra um bandido presidente da Câmara e quando o fez os onze malandros resolvem tirar férias?
    Sabemos todos o caminho do congresso e da casa da mulher cega surda e muda urge pois uma marcha´do POVO por esses caminhos.Nestes dois locais se trama,se rouba e mentem desavergonhadamente.O Brasil foi ocupado a séculos por uma grande Máfia e os Capos usam togas e ostentam títulos de doutores.

  31. E os 90% ?

    E a opinião dos 90% que não aprovam o governo, não conta?

    E os milhões que foram vítimas desse embuste, desse estelionato eleitora, essa opinião não conta?

     

    • Mas que argumentação mais

      Mas que argumentação mais abestalhada, rapaz. Se não sabes, nosso sistema é PRESIDENCIALISTA. Aprovação ou desaprovação não enseja nada em termos institucionais. Se pertinente tal expediente nenhum governante chegaria ao fim do mandato. Chegaríamos, enfim, ao caos tão almejado por alguns. 

      O problema, meu caro, é que vocês  não tem a mínima competência de discutir essas questões com base em postulados válidos, sensatos e honestos. Só sabem mesmo é esculhambar, agredir e personalizar as críticas. Os “raciocínios” partem da suprema presunção de que nesse embate não há “o outro lado”  que não aceita a quebra das regras do jogo na base do grito. Composto por pessoas que também pagam seus impostos, querem um país melhor e que  não se furtam a criticar o que merece ser criticado. 

       

       

  32. Cunha, livre e solto, define

    Cunha, livre e solto, define o prazo e o resultado da votação do impeachment

     

     

    Acreditem.

    Lambrecado, lambuzado, denunciado e provado, o sr. Eduardo Cunha apareceu ontem na TV Câmara para posar de “estadista do golpe”.

    Sua “entrevista” foi ao ar  à noite e será nauseantemente repetida todos os dias desta semana.

    Disse, no programa,  que “até março” o impeachment, que nem mesmo a primeira comissão de análise tem formada, depois da decisão do STF que anulou sua manobra, estará terminado.

    E, claro, Dilma Rousseff, deposta.

    Cunha já antecipa o resultado da votação: “O governo não tem mais do que 200 votos (de 513)”.

    Bem, como só precisa de 171 votos, talvez Cunha esteja dizendo que terá “acabado” por falta de número para continuar.

    Mas não.

    Ele prevê degradação e caos para o seu “feliz ano novo”.

    Tudo será muito rápido, diz ele.

    Tudo é muito rápido para os canalhas ousados e muito lento para os “republicanistas suicidas”.

    O Supremo nem sequer analisou a denúncia apresentada há quatro meses (sim, há quatro meses, no dia 20 de agosto!) contra Cunha por corrupção, mas, segundo ele, neste mesmo tempo se pode depor alguém eleito por alegadas irregularidades contábeis. Vejam, contábeis, por que não há acusação de ter-se apropriado de nenhum centavo, quanto mais ter enviado para a Suíça, como fez ele.

    E cinco meses terá em março o processo ético contra ele – isso se vier a prosperar – por ter mentido sobre suas contas na Suíça.

    Nem sequer o pedido urgente de afastar o homem que, na presidência da Câmara, é chamado de “delinquente” e líder de um “grupo criminoso” de deputados mereceu apreciação judicial.

    A toque de caixa, só o golpe. E não mais rápido ainda só porque lhe faltam ainda os votos necessários, que o “grupo de criminosos” ainda não conseguiu arrebanhar, mas espera conseguir, lançando o país na ingovernabilidade.

    Não basta que os canalhas sejam ousados, é precisos que os bons não sejam suficientemente bons para terem coragem.

    A democracia e a liberdade não são insetos que mereçam que os nossos doutos juízes se dediquem lentamente a examinar em suas minúcias e que, quando o virem exterminado, possam dizer: ah, mas temos aqui um exemplar conservado e estudos completos sobre sua morfologia.

    São valores, princípios, e a Justiça não porta apenas uma balança, mas também uma espada para defendê-los.

    O indigitado “delinquente” e seu “grupo criminoso” operam em completo escárnio ao Judiciário, que anda às voltas com seus panetones, pernis e belos vinhos.

     

  33. De pauladas e cenouras

    O Nassif escreveu:

    “Nesses momentos de mudanças, o mercado age sempre com comportamento de manada. Não significa que a sabedoria esteja com a tendência majoritária. Pelo contrário, os verdadeiros campeões são os que sabem jogar no contra fluxo.”

    Para um ganhar é preciso que outros percam, estes trouxas da oposição ainda não perceberam que estão sempre do lado errado KKKKKK!!!!!!!!!!

  34. o impeachment é aposta do Brasil improdutivo

    No país do absurdo, onde está as 500 maiores filiais das 500 maiores empresas do mundo (o que nunca alavancou nossa produtividade, tecnologia, nem mercado internacional), ficamos batendo nas empresas genuinamente brasileiras. Várias multinacionais são citadas em casos dre corrupção, fazem acordos de leniência à revelia e não tem um único representante preso ou com pedido de prisão expedido. Já os representantes das empresas nacionais?! Quyando veremos delações premiadas dos presidentes de Alstom, Siemens,  BHT Offshore, Bombadier e outras dezenas. Acorda país de inocentes. Comece a usar o cerebro. Ou nunca sairemos disto!!! 

  35. Prá que Presidenta?

    Que pena do comentário pago…. Esqueceu do 1,5 milhão de brasileiros que perderam o emprego e os milhares de empreendedores que pagam juros hoje estratosféricos e lutam para sobreviver hoje. Dólar a R$ 4,00, déficit orçamentário, Inflação de dois dígitos, PIB em retração, corrupçaõ em todas as empresas onde o governo participa. Para que precisamos de presidente??? 

  36. Quanto pior melhor é a aposta.

    Lamentavelmente, movidos por interesses pessoais, grande parte da população se deixa levar por informações pontuais e de interesse da grande mídia representante da minoria que a décadas vem se locupletando e informando de acordo com os seus interesses. 

    Raríssimas são as análises que não sejam tendenciosas, e pior, divulgam de forma irresponsável qualquer notícia que lhes convém, e não querem aceitar o direito de resposta, normal em qualquer democracia, chamando de cerceamento.

    Ao invés de propalarem que este governo está fazendo o maior combate a corrupção já visto neste país, alegam que se trata do governo mais corrupto. Quem acredita que a corrupção começou agora, confundem combate e consequentemente divulgação com existência. No entanto, aquilo que não está na alçada do nosso governo, Fifa/CBF/ Traffic/GLOBO, pouco se aprofundam.

    É quase impossível conviver com um congresso corrupto como o nosso, salvo brilhantes exceções, poucos pensam de forma macro, poucos estão representando os seus eleitores e o país. Ninguém duvida de que para se obter algum sucesso tem que ter o “toma lá, dá cá”. A nossa presidenta não é boa nisso e ai está a grande dificuldade.

    A situação está difícil por várias razões e não só pela politica econômica empregada. senão vejamos:

    Em um ano, o  preço do petróleo caiu de 110 dólares para 37 dólares o barril.

    Todas as grandes empreiteiras do país estão paradas ou quase.

    Crise hídrica com consequências avassaladoras.

    Comodities com preços no chão. 

    A quem interessa acabar com a democracia, criar toda esta instabilidade pretendendo o impedimento do governo democraticamente eleito e que vem, como nunca, combatendo a corrupção.. Com certeza somente aqueles que pretendem voltar aos tempos em que tudo podiam sem receio de punição.

     

  37. Apoiar a CPMF é uma reverência à incompetência

    Apoiar-se quase que única e exclusivamente na criação de um imposto para corrigir erros estúpidos, que poderiam ter sido evitados com uma condução de profissionais capacitados é incentivar e compactuar com o despreparo e imediatismo político-administrativo.

    Assim como o planalto se cercou de jurístas renomados para debater a tese de um impeachment, por que não recorre a economistas renomados e não partidários para em conjunto estabelecer uma linha de atuação coerente e uníssona ?

    Fazer política é isso, é muitas vezes contrariar o seu interesse e suas características pessoais por um objetivo maior, a nossa presidente tem muito a aprender, o problema é que ela não é aberta ao aprendizado e esse tipo de gestão não existe mais.

     

  38. Brasil improdutivo…???

    Improdutivo eh bancar um governo, onde seu maior crime eh gastar acima do que arrecada, essa eh a base do impeachment. Aumento de impostos e criação de novo(s) (CPMF), e vem me dizer que quem esta patrocinando, sao improdutivos!!! Eh não ver a realidade do pais. Cito como exemplo a escolha do novo ministro da fazendo um dos pais da “nova matriz” economica, principal causa para queda da bolsa e do pessimismo dos empresarios, ou esses seriam tb improdutivos. Estamo nessa situação pela propria imcompetencia e falta de gestão da presidente, so isso ja basta para um processo de impeachment….

  39. Nunca mais…

    Numca mais perderei um minuto sequer ouvindo coisas de qualquer um destes politicos de direito – Gilmar mendes e rede globo e todos os politicos de fato que estiveram neste empreitada!

    SÃO UM ATRAZO!

     

  40. Golpismo

    Acho interessante quando vejo pessoas falando em golpismo. O impeachment é um instrumento Constitucional que visa proteger a Democracia e está, muito bem, positivado em nossa Carta Magna. Bradar aos quatro vendos este mantra soa, a qualquer mente minimamente desenvolvida, um pouco, senão muito, raso. Até o presente momente não vi, ouvi ou li nenhum argumento júridico consistente que corrobora com o pensamento do “golpismo”. 

    • Mentes reduzidas se torna presa fáceis

      Se você não consegue entender a tentativa de gople em percurso é porque tem a mente reduzida, se tornando presa fácil para nossa imprensa suja e partidária.
       

      • Não tenho mente reduzida e
        Não tenho mente reduzida e não acho que o impedimento de um governo que praticou crimes de responsabilidade seja golpe. Mente reduzida tem quem votou nessa senhora que é literalmente uma besta. Não sabe ser política, se diz economista mas age como se não fosse, não sabe falar de nada e não tem nem capacidade intelectual para entender seus próprios discursos. Ela sim tem uma mente bem pequena, pequeniníssima!

  41. em defesa da desesperança

    há hoje duas coisas indefensáveis: o impeachment e o governo de Dilma Rousseff.

    talvez tenha chegado a hora de superar a esperança. autorizar-se à  desesperança ou pelo menos não linchar quem a ela se autoriza. quero afirmar aqui que, para enfrentar o desafio de construir um projeto político para o país, a esperança não é mais tão importante. acho mesmo que é supervalorizada.

    talvez tenha chegado o momento de compreender que, diante de tal conjuntura, é preciso fazer o muito mais difícil: criar/lutar mesmo sem esperança. o que vai costurar os rasgos do Brasil não é a esperança, mas a nossa capacidade de enfrentar os conflitos mesmo quando sabemos que vamos perder. ou lutar mesmo quando já está perdido.

    fazer sem acreditar. fazer como imperativo ético.

    http://brasil.elpais.com/brasil/2015/12/21/opinion/1450710896_273452.html

    .

  42. A campanha pelo impeachment é

    A campanha pelo impeachment é o capítulo mais infame da mixórdia em que se transformou o processo político do país. Por irresponsabilidade cívica e rasteiros interesses políticos-eleitoreiros querem instrumentalizar um dispositivo de absoluta excepcionalidade em algo banal. 

    A democracia é um sistema que embute incertezas. Periodicamente os eleitores e eleitoras exercitam seus direitos de voto apostando em candidatos e programas que avaliam como melhores. Assomarão o Poder os mais votados. Ponto. O que se seguirá,  ninguém sabe. 

    No regime presidencialista, ao contrário do parlamentarista, não há previsão para interrupção de mandatos por motivos de má gestão e/ou impopularidade dos governantes. Só os chamados inapropriadamente “crimes” de responsabilidade ensejam tal possibilidade. Incide em argumento tolos, se não mesmo idiotas, quem argui popularidade como causa para saída tão extrema. 

    No presente caso, os que insistem em impedir a ferro e fogo, ou seja, sem embasamento na legislação pertinente querem apenas acuar o governo num processo já  de antecipação da campanha de 2018. O país? Ora, o país que se exploda.

    Patéticas, beirando o ridículo, o chorôrô de alguns insatisfeitos apelando para subjetivismos do tipo: “nos matamos de trabalhar para pagar nossas contas e sustentar um governo improdutivo e blá blá blá…..” Gente do tipo que acha que o Brasil se resume e só existe para consumar suas aspirações legítimas ou ilegítimas. 

    Os apelos lunáticos por “intervenção militar constitucional(sic)” é a expressão das carências políticas e até pessoais desse tipo de contestador que vê as  Forças Armadas como uma guarda pretoriana a serviço da manutenção dos seus privilégios e assegurar a distância entre eles e o populacho. 

     

     

    • Pelo visto…

      Você sequer leu a denúncia, que é repleta de dados e não versa sobre impopularidade.

      O ato governamental existiu, isso é ponto pacífico. Nem mesmo a acusada nega o fato.  Aliás, os dois Ministros que assumiram ontem dizem que a dívida tem que ser paga, portanto, a reconhecem.

      Tanto existiu que há defesa. Defesa em duas linhas que são verdadeiras aberrações.

      A primeira linha é a do “fim justificam os meios”. É dizer que tal endividamento junto a bancos públicos sem autorização do Congresso em não conformidade com a LRF e com a Lei 1079/50 foi para manter programas sociais em funcionamento. Isso é mais ou menos como dizer que você pode roubar um carro se for para levar seu filho a um hospital e não houver uma ambulância a disposição.

      A outra linha da defesa é a do “todo mundo faz”, que é mais ou menos o seguinte, dois fulanos tiveram que estacionar seus carros em vagas proibidas por poucos minutos, o guardinha chegou e mandou sair e não multou. Aí chega o terceiro, estaciona uma carreta de tres eixos num local proibido, desengata o cavalo, vai embora, volta tres dias depois, encontra usa carreta multada e reclama que está sendo enjustiçado porque os outros dois cometeram o mesmo crime e não foram punidos da mesma maneira.

      • Na tua acusação citas que seria como roubar um carro.

        Estás acusando Dilma de ladra? É o que se entende na tua colocação. E bem sabes que ninguém roubou nada nestas artimanhas contábeis. Foi só um pega daqui para retornar depois de um dinheiro que simplesmente andou por vias diversas nos meandros das contas governamentais.

        • Ok

          Então o cara não roubou mais o carro. Apenas tomou-o emprestado sem o conhecimento do dono e pretende devolver em breve.

          Sim, ainda tem que devolver, porque se você acompanhou a posse dos novos ministros sabe que a unica dúvida é se devolve este ano ou no ano que vem.

          E tem que devolver, porque esse dinheiro é o dinheiro do pequeno poupador que deixa seu dinheirinho na poupança da caixa ou do BB e pior, o FGTS que é do trabalhador que espera que ele esteja lá quando for autorizado a sacarpor qualquer motivo.

      • Pelo visto não leste os meu

        Pelo visto não leste os meu comentário; se leu, não entendeu; se leu, entendeu e retruca em bases falsa, incidiu em desonestidade intelectual. 

        Minha crítica foi para a interposição de motivos para o impeachment fora do escopo legal que é a Lei de Improbidade. Não entrei, nem entro no mérito, porque não sou especialista. Entretanto, já li varias manifestações de juristas e técnicos renomados afirmando que não há base o processo. Entre a manifestação deles e a tua ficarei com quem mesmo?

         

         

  43. Quem diria…

    O PT lutando pra aprovar a CPMF (estou me sentido na era “maldita” de FHC), Privatizando ops! concedendo estatais a iniciativa privada e largando o Cunha para sustentar seu governo nas mãos de Renan, que responde a 6 processos de investigação.

    Um Feliz 2016.

  44. Skaf, o “sem-indústria”, é outra obra de Lula

    Uma bomba que ninguém quis escutar

      Por Alberto Dines em 28/09/2004 na edição 296  Não mereceu chamada na primeira página – saiu no lugar habitual, com o destaque de sempre –, mas a matéria do repórter Josias de Souza na Folha de S.Paulo de domingo (19/9, pág. A15) é uma peça clássica de jornalismo investigativo. Uma ‘bomba’ de alto teor: ‘Novo Presidente da FIESP é um ‘sem-indústria’’. Paulo Skaf, que ganhou as eleições mais disputadas na poderosíssima Federação das Indústrias do Estado de S.Paulo, não é industrial. Fortemente apoiado pelo governo federal, além de ser um empresário sem empresa (na tradição do velho peleguismo patronal dos tempos de Vargas), Skaf deve à Previdência, à Receita Federal e aos antigos funcionários. Sua fonte de renda é o aluguel do maquinário que pertencia à antiga indústria têxtil conforme minucia a matéria.

    A revelação é estarrecedora. E não apenas pela esmerada investigação do repórter. Trata-se também de uma implacável radiografia da mais importante organização empresarial brasileira, um dos baluartes da nossa renovação política e econômica.

    Mais surpreendente do que a burla sobre o currículo daquele que deveria ser o industrial-modelo é a constatação de que o grosso da imprensa brasileira continua rigorosamente incapaz de investigar qualquer coisa que não venha empacotado como ‘dossiê’ secreto, grampo ou disquete surrupiado.

    Esta dependência dos vazamentos retirou de nossos grandes veículos não apenas a sua curiosidade – ferramenta básica para a sua sobrevivência – mas a capacidade de satisfazer a curiosidade dos leitores.

    Quando começou a badalada disputa pela presidência da Fiesp com o declarado apoio do governo ao até então desconhecido Paulo Skaf, não ocorreu a ninguém fazer o perfil biográfico desta desconhecida estrela no mundo da indústria. Ninguém poderia prever que da pesquisa surgiria a constatação de que o empresário-modelo era um modelo a não ser imitado. O que se exige de uma imprensa minimamente comprometida com a transparência é a busca de um mínimo de transparência.

    Novo em folha

    Pode-se entender as razões que levam o nosso patronato midiático a desinteressar-se da exposição dos seus camaradas na área industrial, comercial ou bancária. Mas esse pacto, digamos, corporativo deve estender-se aos jornalistas? Se a mídia confere um status privilegiado ao empresariado tem o direito de investigar a classe política?

    A resposta está na matéria da Folha. Não interessa saber se houve discussões prévias no andar de cima antes da publicação da reportagem. Interessa que a matéria foi publicada. Mesmo depois de conhecidos os resultados do pleito na Fiesp, uma semana antes da posse do novo presidente, é importante saber como as coisas se processam atrás dos cortinados dos suntuosos escritórios da Avenida Paulista.

    Mais estarrecedor do que este flagrante de corpo inteiro do novo presidente da Fiesp foi o silêncio que se seguiu à sua divulgação – exceto pela carta que publicou no mesmo jornal (Painel do Leitor, pág A3) na terça-feira (21/9). E não apenas nos demais veículos furados pelaFolha, mas na própria Folha furadora [veja abaixo as íntegras da carta de Skaf e da matéria que a motivou].

    Nove dias depois das revelações de Josias de Souza (véspera da posse do novo presidente da Fiesp), a Folha entrevistou Skaf com toda a solenidade e, também, com toda a sua capacidade de ser inocente (segunda-feira, 27/9, pág. B3). Como se fosse um dos nossos capitães da indústria, padrão inconteste de sucesso ou campeão do desenvolvimento e da luta contra o desemprego, o presidente Paulo Skaf é reapresentado novinho em folha prometendo ir a Brasília todas as semanas.

    Ainda bem. Conhecida a sua agenda, não haverá desculpa para os silêncios.

    ***

    Carta de Paulo Skaf à Folha

    Copyright ‘Painel do Leitor’, Folha de S.Paulo, 21/9/04

    ‘O artigo publicado por Josias de Souza no domingo passado nesta Folha (‘Novo presidente da Fiesp é um ‘sem-indústria’, Brasil, pág. A15), apesar do tom acusatório, não consegue apontar nenhuma irregularidade ou ilegalidade em meus negócios ou em minha conduta empresarial. Ao contrário, mostra-me como um industrial que enfrenta os mesmos problemas que atingem todos os empresários e que é obrigado a recorrer a parcelamento legal para honrar seus compromissos. Esse parcelamento, pago rigorosamente em dia, tem garantia real: um terreno com valor muitas vezes superior ao total do débito. Não deixei dívida pendente. Tenho, hoje, 49 anos. Aos 18 assumi a responsabilidade de minha indústria e o fiz com êxito: a empresa alugava 500 metros quadrados na zona leste paulistana e, anos depois, passou a ocupar um complexo próprio de 172 mil m2 em Pindamonhangaba (SP).Quando decidi dedicar-me à atividade sindical e à defesa dos interesses do meu setor, mudei o foco de minha atividade empresarial. Tenho orgulho de ter ajudado o setor têxtil a transformar um déficit de US$ 1,2 bilhão em superávit de cerca de US$ 1 bilhão, bem como de ter estimulado a geração de 150 mil empregos, além da valorização da moda brasileira. Isso foi possível graças à articulação de toda a cadeia têxtil brasileira. Ao assumir a Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), a entidade contava com menos de cem associados. Deixo-a com mais de 4.000. Sou acionista e vice-presidente de uma das maiores empresas têxteis do país -a Paramount Lansul S.A. Mesmo assim, o colunista da Folha me tacha de ‘sem-indústria’. Sem dúvida, não é essa a opinião dos industriais de São Paulo que me elegeram para a honrosa função de presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.’ Paulo Skaf, presidente eleito da Fiesp (São Paulo, SP)’

    A matéria do repórter

    ‘Novo presidente da Fiesp é um ‘sem-indústria’’, de Josias de Souza, copyright Folha de S.Paulo, 19/09/04

    ‘Skaf Indústria Têxtil Ltda., eis o nome da empresa de Paulo Antonio Skaf, o presidente eleito da Fiesp. Tem sede em São Paulo e filial em Pindamonhangaba. Figura nos cadastros da Receita Federal como firma ‘ativa’. No mundo real, foi à breca.

    Sob a biografia de sucesso no ramo do sindicalismo patronal, Paulo Skaf esconde um infortúnio que deslustra o currículo do homem de negócios. No próximo dia 27, a Fiesp passará às mãos de um ‘sem-indústria’.

    A ficha de inscrição da chapa que triunfou na Fiesp informa que, além de dono da Skaf Indústria, Paulo Skaf é vice-presidente do conselho administrativo da Paramount Lansul S.A., empresa do amigo Fuad Mattar.

    ‘Eu convidei o Paulo [Skaf] para o conselho há uns seis, oito meses’, conta Fuad Mattar. ‘Temos pelo menos uma reunião por mês. Se ele usou o nome da Paramount, isso me enche de orgulho.’

    A julgar pelo conteúdo dos computadores de Brasília, o abrigo no conselho da Paramount foi providencial para Paulo Skaf.

    De acordo com os arquivos do Ministério do Trabalho, deu-se no dia 2 de janeiro de 2001 a demissão de Janete Alves dos Santos. Era a última empregada que a Skaf Indústria Têxtil mantinha registrada no cadastro da Rais (Relação Anual de Informações Sociais). Janete recebia R$ 1.577,21 por mês quando foi para o olho da rua.

    Os terminais eletrônicos do INSS anotam o nome de outro ‘empregado’, único sobrevivente na folha salarial da companhia. Vem a ser o próprio Paulo Skaf. Em dezembro de 2001, data da última atualização dos dados, amealhava R$ 180 mensais.

    Mergulhando mais fundo nos anais do INSS, descobre-se que, ao tempo em que mantinha quadro regular de funcionários, a Skaf têxtil acumulou dívidas com a Previdência. Em abril de 1999, quando o débito somava R$ 918,6 mil, o governo, então sob FHC, decidiu bater à porta dos tribunais.

    Em agosto de 2000, a Justiça expediu mandado de penhora dos bens da indústria Skaf. Era tarde. Cinco meses antes, a empresa aderira ao Refis, o programa de parcelamento de débitos fiscais. Além da dívida com o INSS, Paulo Skaf reconheceu um passivo com a Receita. Tudo somado, o total parcelado foi a R$ 1,074 milhão.

    Sancionada por FHC em abril de 2000, a lei do Refis abriu uma janela de oportunidades. O pagamento dos tributos em atraso foi atrelado a um percentual do faturamento (1,5% no caso da indústria Skaf). Sem prazo para a quitação.

    Entre março e dezembro de 2000, a Skaf têxtil recolheu ao fisco R$ 360 mensais. A partir de janeiro de 2001, passou a pagar R$ 12 por mês.

    Adocicado pelo Refis, o passivo da firma de Paulo Skaf foi excluído do rol de pendências sujeitas a ajuizamento. Folheando o processo de cobrança movido pelo INSS (2ª Vara de Execuções Fiscais de São Paulo), o repórter descobriu que o governo tentou levar adiante a execução.

    A procuradoria do INSS alegou que, apesar do parcelamento das pendências pretéritas, a indústria Skaf deixara de efetuar o pagamento de débitos correntes de 2001. Mencionaram-se contribuições sociais incidentes sobre o 13º salário dos empregados.

    Em resposta, os advogados de Paulo Skaf levaram aos autos um documento que corrobora a atmosfera de ruína que corroeu a empresa. A peça de defesa está datada de 24 de setembro de 2002. Anota à página cinco: ‘Com relação ao 13º salário de 2001, cumpre ressaltar que a empresa não dispõe de funcionários, razão pela qual não houve obrigação de recolher contribuição social’.

    Em julho de 2003, já de olho na Fiesp, Paulo Skaf agiu como se desejasse suavizar a imagem de sua indústria. Migrou do Refis para outro programa de parcelamento, baixado sob Lula. Chama-se Paes.

    A despeito de ter sido apelidado no Ministério da Fazenda de ‘Mães’, o Paes tem regras menos concessivas que as do Refis. Um exemplo: fixa o prazo de 180 meses para liquidação dos débitos. A primeira parcela amortizada pela Skaf têxtil foi de R$ 2.000.

    Súbito, a dívida tributária da empresa minguou. Nos computadores da Receita, caiu da casa do milhão para R$ 398.189,98 (valor de maio de 2004). ‘Aproveitamos créditos decorrentes de processos administrativos e judiciais’, informa Helcio Honda, advogado do presidente eleito da Fiesp.

    O diabo é que, por ora, o INSS desconhece a compensação de créditos. Nos arquivos eletrônicos do instituto, que não dialogam com os congêneres da Receita, o débito previdenciário da firma somava na última segunda-feira R$ 977,2 mil.

    Nas palavras do advogado Honda, Paulo Skaf é ‘um patriota’. Foi por ‘seriedade’ e não por conveniência eleitoral que abdicou de um programa que o favorecia, o Refis, para ingressar em outro mais draconiano, o Paes. A dívida remanescente, diz ele, ‘será quitada em 143 meses’.

    O doutor Honda informa que a indústria de seu cliente começou a definhar na década de 90. Foi dobrada pela concorrência dos têxteis vindos da China.

    A Junta Comercial de São Paulo guarda um documento que diz muito sobre o estágio atual dos negócios do novo presidente da Fiesp, eleito sob os auspícios do Palácio do Planalto. Trata-se da ata de fundação, em maio de 1998, da empresa Turn Key Parques Empresariais Ltda.. Tem como sócios Paulo Skaf, Aref Farkouh e Cláudia Farkouh.

    A Turn Key dedica-se a alugar o maquinário que jaz nas instalações da indústria Skaf. De industrial, o novo presidente da Fiesp converteu-se em locador de utensílios têxteis. Uma atividade que, segundo o doutor Honda, proporciona lucros ‘pouco expressivos’.

    http://observatoriodaimprensa.com.br/imprensa-em-questao/uma-bomba-que-ninguem-quis-escutar/

  45. Nem tanto, nem tão pouco

    Lá vamos nós para mais uma divisão no Brasil  ? Os produtivos contra os improdutivos ?

    Era tudo que precisávamos.

    Agora podemos ter improdutivos de esquerda, poderia arrolar dezenas de pensadores que jamais produziram um parafuso e nunca pisaram num chão de fábrica ou esfregaram a barriga num balcão de comércio, e os improdutivos de direita, aqueles que usam do seu capitalpara especular.

    Teremos também, por óbvio, os produtivos de esquerda,  os cooperativados por exemplo, e os produtivos de direita, os senhores donos dos meios de produção explorando o trabalho do povo.

    Ora pois, eu sou empresário e só sou empresário porque algum dia lá atrás algum improdutivo me emprestou algum dinheiro a juros pela primeira vez. E continuam emprestando até hoje. Ou seja, ou abandonamoso capitalismo ou não há produção sem capital alheio. A não ser que, por um milagre, todos os detentores de capital resolvam empreender. 

    E assim lá vamos nós dividindo o Brasil e levando pessoas do céu ao inferno, ou vice-versa, ao sabor dos ventos.

    Skafi, que já foi a aposta de Diulma para derrubar o tucanato paulista, e isto está registrado em vídeo nas palavras da própria, agora é o inimigo improdutivo. O Zé Velloso ( o que o Zé produz ??? ), que é da Abimaq e também é funcionário do Alquimin na InvesteSP, virou o amigo produtivo. E olha que o Zé nem disse muita coisa, nem que é a favor nem contra o impeachment, só disse que se posicionar é um erro, cria inimigos desnecessários. Ele sabe como funciona, seu metier são as “relações governamentais”.

    Longe de mim defender a FIESP, mas também não serei eu a execrá-la.

    No mais, como se defende um país “produtivo” enfiando um imposto que penaliza sobremaneira a cadeia produtiva ? A tal da CPMF.

    Como se melhora ambiente de negócio tributando toda e qualquer movimentação financeira ?  

    Tributar toda e qualquer movimentação financeira significa tributar em zero qualquer coisa toda a folha de pagamento, todas as despesas operacionais e não operacionais e, supra-sumo da voracidade e da fome de dinheiro do governo, tributa-se todos os impostos e contribuições em zero alguma coisa, pois até para pagar ICMS, IPI, PIS, COFINS, IR, II, etc, etc, etc, você tem que tirar dinheiro do banco.

     

     

  46. Outro ponto de vista

    Boa tarde a todos que lêem este comentário. Gostaria de colocar minha opinião em 2 pontos ao comentário do Sr. Luis Nassif. 

    “A insistência na tese parte de um tipo específico de pessoa: 1) que vai obter ganhos pessoais com o grupo que ascender e que 2) faz parte de um país improdutivo, não afetado por crises econômicas.”

    Quem se beneficia do impeachment, são os mesmos que se beneficiam com a Dilma no poder. Não me admira os altos valores que se doam para campanhas eleitorais. No Brasil, vota para se beneficiar, ou vota para um país melhor?

    “Com Joaquim Levy ou Nelson Barbosa, o trabalho é o mesmo.”

    Concordo plenamente, para crescer o país precisa invertir, assumi tantos compromissos, que quando chega uma crise tem que ficar criando ou aumentando o imposto.

     

  47. Muito pelo contrário!

    Eu sou a favor do impeachment, e a minha aposta é de quem tá vendo o país ir para o buraco e não enxerga a menor possibilidade de sairmos dele com o Governo atual, é a aposta de quem sabe que com Dilma a frente será impossível reconquistar a confiança do mercado e do empresario novamente. É a aposta de quem sabe que ela não tem prestígio nenhum para aprovar qualquer ajuste que seja no Congresso, e não tem popularidade para impor os sacrifícios necessários à população. É isso, com Dilma permanece a falta de credibilidade inibindo investimento, e permanece o deficit fiscal porque não vai conseguir cortar nada. Não sou golpista, só estou preocupado com meu país, como todos deveriam estar. Ao invés de ficarem com esse fanatismo político, porque não assumem que este Governo foi sim muito incompetente na gestão da economia e é sim responsavel pela crise que tá só começando, e sobre as consequências de mais 3 anos sob o mesmo comando? Reflitam como Dilma pegou o país e como ela vai entregar…

  48. Claro, curto e grosso
    Vamos falar claro, curto e grosso: o golpe só interessa para aqueles que querem salvar a própria pele.

  49. os duradouros falsos binômios e a eterna conversa de boteco

    sem romper o círculo asfixiante das falsas polarizações não superaremos a atual crise, fazendo de 2015, como 1968, um ano que insiste em não terminar, nos mantendo aprisionados numa época morta da qual mais uma vez ainda não conseguimos nos libertar.

    PT x PSDB, lulismo x anti-lulismo, impeachment x defesa do governo Dilma: um ilusório e conveniente impasse binário mantém o Brasil imobilizado no meio de uma travessia,  girando em círculos numa falsa encruzilhada.

    o que cinde irredutivelmente a sociedade brasileira  é  o antagonismo entre  a velha ordem e um projeto de desenvolvimento fundado na inclusão social.

    defendendo a velha ordem estão o PSDB e o PMDB, os golpistas, os defensores do impeachment, os proto-fascistas, a mídia monopolista, as oligarquias, e, principalmente, o Brasil improdutivo: os rentistas e especuladores, um sistema financeiro e um empresariado (brasileiro ou transnacional) cujo lucro advém da apropriação dos recursos públicos através da SELIC e da “dívida” pública, das desonerações, dos incentivos fiscais, do superfaturamento, dos aditivos contratuais, dos restos a contabilizar, da sonegação e da simples recusa no recolhimento de impostos.

    entretanto, alinhados com um projeto de desenvolvimento fundado na inclusão social não estão necessariamente o PT, o lulismo e os governistas. tampouco grande parte do Brasil produtivo, seja privado, estatal ou trans-nacional. a Vale e associadas internacionais, assim como a própria Petrobrás, são empresas produtivas, mas não exatamente integradas estrategicamente a um projeto de desenvolvimento fundado na inclusão social.

    não basta ser um setor produtivo. produtivo para quem? produtivo como? os prejuízos são socializados enquanto os lucros permanecem privados.

    assim como não basta recompor o equilíbrio fiscal. recompor como? quem paga a conta? num sistema tributário regressivo sempre serão os trabalhadores e as pequenas e médias empresas os que arcam com os custos do “ajuste fiscal”.

    recompor o equilíbrio fiscal passa obrigatoriamente pela cobrança da dívida dos impostos não pagos pelos grandes grupos empresariais. qualquer proposta e ação que não privilegie isto é, para se situar no dialeto servil dos tecnocratas gordos e engravatados: conversa de boteco.

    .

  50. economia e poder

    Nassif: Eu não entendo picas de economia. Sei que a gente deve gastar menos do que ganha mas não consigo fazer. Se a macro ou a micro ou o debenture da comditi do raio dos quinto dos infernos não funciona, eu não sei. Mas que o especulador , o grande capitalista, vive de especulação e não de produção é a mais pura verdade. Quando a gasolina subiu desta última vez, o alcool passou a ser uma solução. eu vi, na Globo , o presidente dos produtores de cana dizer que subiria o preço , porque aumentou a procura. Puta merda! Se a situação exige, não dá para você sacrificar o lucro em benefíico da população? Não, eu não estou dizendo que o cara tem que dar o alcool de graça, mas pelo menos segurar o preço. O mercado vive de lucro e não poupa qualquer esforço para obte-lo. Não faz a menor questão de implodir um governo, um país e toda a sua população para manter o seu lucro cada vez mais alto. E mais, abusa da desgraça alheia. Estes caras que estão nas fotos aí , são os que menos impostos recolhem e os que mais ganham . E além de tudo, são os primeiros a se voltar contra as políticas de inserção social. Você tem toda a razão e o pior , o povão compra a história deles.

  51. Lewandowski recebe Cunha e líderes da oposição amanhã

    O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, deve receber amanhã, às 14h, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e líderes da oposição para uma audiência. Cunha pretende esclarecer pontos sobre a decisão da Corte a respeito do rito de tramitação do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. A decisão de ir ao Supremo foi definida ontem (21) após reunião de líderes.

    O principal ponto a ser questionado pelos parlamentares diz respeito à impossibilidade de formação de uma chapa avulsa para eleger a comissão especial do impeachment.

    Leia mais, no link

    http://www.jb.com.br/pais/noticias/2015/12/22/presidente-do-stf-marca-para-amanha-reuniao-com-cunha-e-lideres-da-oposicao/

  52. Aedes Aegypti – no tempo de Osvaldo Cruz e hoje

    Na Velha República, o Estado, na figura do sanitarista Osvaldo Cruz, encampou a guerra e venceu o mosquito.

    Hoje, no país do “eu não sabia”, todo mundo faz”, “a culpa é dos EUA”, o Estado diz: “População, vocês é que têm que lutar contra o mosquito, Se vira aí”. Esse é o abismo moral das gerações.

    E tem “gente” que pede mais Estado. Mais disso?! Sugestão: vamos mudar o “Ordem e Progresso” para “Não é Comigo”?

    Quer metrô? Melhor comprar uma bicicleta. Pedala aí, cidadão! Hehehe! Em fevereiro, com quase 40 graus! Hahaha!

     

     

  53. A triste caminhada para o abismo

    Em 1981, se você dissesse para economistas que o país terminaria a década com a inflação na casa de 6000% ao ano, todos, mesmo os contrários à ditadura, diriam que isso era loucura, impossível. Deu no que deu.

    Quando em 2005 começamos a dizer que o país flertava com alta de inflação e com o descontrole das contas públicas, o que ouvíamos era “nunca, o Brasil não irá voltar para isso, já sabemos que inflação é ruim”. Deu no que deu.

    Agora, estamos em 2015. Todos os prognósticos ruins se materializaram. E o Barbosão, artífice do desastre, está de volta ao comando. PT é o partido que votou contra o Real e contra a LCF. E PMDB é o partido da hiperinflação. História é destino.

    Albert Einstein: “Loucura é repetir os mesmos atos, esperando resultados diferentes.”

    Em 10 anos, estaremos implantando uma nova moeda. Mas, claro, os desenvolvimentistas dirão “culpa dos liberais!” Como sempre… E Barbosão terá uma estátua, um nu grego, colocado em frente à Unicamp.

     

     

    • Prezado,
      Tivemos 8 anos de

      Prezado,

      Tivemos 8 anos de FHC.

      3 empréstimos gigantescos do FMI, alto desemprego, racionamento de energia e inflação  a 12,5 % no final de 2002.

      Com toda campanha negativa feita pela mídia este governo, merecedor de críticas várias,  não chegou sequer perto desta

      situação deixada pelo príncipe  dos sociólogos.

      Talvez você não  tenha a noção de quão ruim estava o país em dezembro de 2002.

      Enfim.

       

  54. governo sem norte

    A,migo irritado com petistas: se acham donos da  verdade, intelectuais de botequim a se exibir por aqui, querendo falar  um portugues a Camoes, assim  aniquilam a gramatica em pior, metidos a esculachar os outrós no papo por aqui, vaidosos, fracassados, caso sejam tao versateis em politica publica e economia,  deveriam  dar sugestoes prospectivas que ajudem o  pais a ter um rumo ao progresso, pois o pt se perdeu , melou, esta fazendo agua, bonzinho e falso com a pobreza e esquecido que foi eleito pra cuidar do pais, do povo…

    tais caras sao do tipo:

    meu bolso vai bem, deus abencoe o rei…

    Meu bolso vai  mal, abaixo o rei…

    infelizes  comem mortannnndela e arrotam peru  champagne france…

  55. Interessante esses lideres da

    Interessante esses lideres da industria paulista. Parecem que são sem noção. Nos tempos da gloriosa elegeram um ex-boxeador. Hoje elegem, pelo visto, um sem-industria. Vá entender! E olha que se trata do Estado lider e mais desenvolvido do Brasil. Que elite!! Ninguem merece!

  56. Otimista

    Por aquilo que li hoje, começo a ficar otimista. 

    O Jaques Vagner falou em quatro eixos :

    – Reforma da previdência com idade mínima;

    – Flexibilização das leis trabalhistas com empregador e empregado resolvendo seus problemas;

    – simplificação tributária;

    – desburocratização;

    Com essa agenda positiva, terá apoio de todo empresariado.

    É só torcer para a porralouquice jurássica petista não travar o trabalho do cara.

     

    – 

  57. Bodes

    Agora com o Barbosa no comado da Fazenda, qual será o proximo bode expiatório desta turma campeã em “terceirizar” a incompetência?

    FHC, crise mundial, PIGs, Levy …. a lista é infinita!

     

  58. Liberdade de Expressão

    Por favor,  me explique porque somente o setor privado paga o “Pato”, uma das propostas macroeconomicamente do Sr. Barbosa é o aumento da idade na aposentadoria do setor Privado, eu gostaria de tentar entender o porque não se fala em “mexer” nas previdências públicas, porque as forças armadas continuam com aposentadoria integral, juízes tem  aposentadoria compulsória ( seria interessante explicar para o leitor o que é aposentadoria compulsória , é uma aposentadoria vergonhosa), o recesso vergonhosamente que esta tendo câmara Federal, Senado e  o STF, numa crise institucional que o governo, o Poder executivo deveria pedir sessão extraordinária para solucionar o Impeachment de uma vez e dar estabilidade econômica e politica para o Pais, caso o congresso com STF não queira as sessões extraordinárias é um problema destas instituições o importante é que o governo faça a sua parte. O Barbosa, parece que irá começar o ano com a chamada “ Agenda positiva” mas é bom frisar o eleitor que no caso : Minha Casa Minha vida o Programa será destinado para um Público chamado de Nível 2  ou seja os que estão na faixa que mais precisam não entrarão  e corre o risco dos movimentos sociais e população em geral achar que o programa será destinado para a faixa que mais precisa. Os concursos Públicos, precisam serem melhorados a forma de contratação e volto a insistir o governo sempre penaliza o Setor Privado, quem mais irá pagar a CPMF, será quem trabalha no Setor Privado, para continuar mantendo, ponto facultativo, recesso que são mais férias do que propriamente um recesso , aposentadorias publicas diferente do teto do INSS que é um absurdo. 

     

  59. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome