Os ecos de Dilma em Davos

Os ecos de Davos foram plenamente favoráveis à presidente Dilma Rousseff. No World Economic Forum, o mais importante evento do capitalismo mundial, sua fala recebeu elogios gerais, conforme a cobertura dos jornais brasileiros.

***

Há um sem-número de críticas quanto à forma do governo, às vulnerabilidades da política econômica, à insuficiência dos gestores. Critica-se a contabilidade criativa, a forma como foram distribuídos subsídios, as idas e vindas dos leilões de concessão.

Embora sejam críticas consistentes, elas se referem ao periférico. É evidente que, com Ministros mais eficientes, com visão técnica mais apurada, com maior abertura na discussão de políticas públicas, o caminho seria mais fácil. Mas não é o essencial. No máximo, provocam algum atraso no deslanche da economia.

***

O essencial foi dito por Dilma nos seus dois discursos: o compromisso com a responsabilidade fiscal, com o controle da inflação, com o câmbio flutuante e com os investimentos privados em áreas cruciais, como da infraestrutura. E, claro, com a construção de um país de classe média, sem a pobreza aviltante que o marcou historicamente.

***

Os discursos de Aécio Neves e Eduardo Campos trazem poucas variações em torno do mesmo tema. Os pontos em comum trazem mais informações sobre o futuro do país do que eventuais pontos de discordância: significa o alinhamento em torno de princípios consolidados.

Significa o país caminhando para um modelo similar ao europeu: um partido de centro-esquerda, nos moldes trabalhistas; outro de centro-direita, mais liberal; partidos menores ocupando o espaço da extrema esquerda e da extrema direita, mas sem comprometer a polarização.

Nem se pense que o PSDB tenha lugar cativo na centro-direita. Se não se sair bem nas próximas eleições, esse espaço poderá ser ocupado pelo PSB de Campos.

Leia também:  As eleições não mudam o jogo político e econômico imediatos, por Luis Nassif

***

O importante é que se consolidaram os princípios centrais desse modelo brasileiro.

  1. Capitalismo social, com foco nas políticas de inclusão social e de combate à miséria.
  2. Fortalecimento de um setor produtivo privado, especialmente com os programas de concessão e do pré-sal, redução de juros e melhoria do câmbio. Há muitos furos nessa caminhada, especialmente a forma como o BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) de Luciano Coutinho tratou os tais “campeões nacionais”. Mas são exageros corrigíveis.
  3. Democracia participativa. Houve um recuo no governo Dilma, com as decisões de gabinete. Mas as próprias manifestações de junho passada indicam a irreversibilidade da construção de políticas públicas coletivas, retomando o espírito da Constituição de 1988.
  4. Ênfase em investimento, inovação e educação

***

Há muitos ajustes a se fazer. Tem-se um ambiente econômico anti-empreendedorismo, um Banco Central que recuou na caminhada anterior, de romper com dogmas de mercados e contas externas pouco favoráveis. E há um rombo preocupante nas contas externas. 

Mas são problemas que a própria dinâmica da democracia brasileira tratará se acertar.

O maior desafio foram as eleições de 2010. O exorcismo de José Serra foi o desafio final para a consolidação desse modelo. Tivesse sido eleito, a economia teria parado e Serra estaria buscando os álibis nos inimigos externos. E 25 anos de construção democrática teriam ido para o fundo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

157 comentários

  1. O Nassif é um eterno otimista.

    A taxa de juros subindo, as obras da copa atrasadas, manifestações pra tudo quanto é lado, governos e prefeituras engessadas por decisões do judiciário, funcionalismo público com salários que não acompanham a inflação, crescimento do PIB que teima em ser muito mais baixo do que todas as previsões do governo a alguns anos, situação externa indefinida, Mercosul… deixa pra lá, epidemias de crack nas cidades do interior, Petrobrás cada vez mais endividada, etc. 

    Sei não. Deixo o otimismo para o Assis Ribeiro outros aqui no blog, e rezo para que estes estejam com razão. Pois, pelo que eu consigo ver por aí, o negócio parece que não tá bom não.

    • Quando alguem vem com um
      Quando alguem vem com um discurso esta tudo ruim, eu sempre faço a seguinte pergunta: sua vida piorou nos últimos anos? Pegue um grupo de 10 pessoas mais próximas, a vida de cada piorou ou melhorou?

      • Só conheço uma pessoa que a

        Só conheço uma pessoa que a vida piorou, quer dizer, não vive mais nababescamente. Ela eh investidora de mercado financeiro.

      • Aves agourentas

         Parabéns pelo comentário. Eu peço a Deus pelas “aves agourentas”, que infestam este blog.

         

      • Que bom que a sua vida e

        Que bom que a sua vida e daqueles que destina a perguntinha melhorou, cara. Torço para que continue assim e muito mais.

        Só uma pena que seu campo de visão não alcance muito mais que um palmo, característica típica do ufanismo uhuuu..!!!

        Porque se resolve perguntar para um grupo de dez “periféricos” talvez não chegue ao total do número, a chance de estarem numa cova é razoável. A polícia atira a esmo. 

        Sobretudo se for morador de regiões extremamente violentas, buracos quentíssimos, o caso da periferia de Alagos, por exemplo.

        Afinal, matamos nessa terra abençoada – embora infestada de “aves agourentas” – a sutil quantia de 50.000 por ano. Coisa poquinha. Nem preciso dizer que esse número é – na verdade – das estatísticas oficiais.

        Prosseguindo, se os dez ainda estiverem vivos, pode ser que sintam diferença no serviço de saúde, pode ser que não. Há avanços, sim, há.

        Para os minimamente realistas, não o suficiente para comemorações do nível ufanista uhuuu..!!!

        Já os pessimistas dirão que as contas não fecham hoje. Não vão fechar amanhã quando a média de idade avançar alguns anos. Quanto mais velhos, mais caro.

        Seria o caso então de pesados investimentos no tratamentos dos esgotos e resíduos, fornecer água potável. Os realistas dirão “espere aí”, avançamos.

        Já os pessimistas, está praga, informam que no ritmo atual uma cobertura razoável só daqui uma penca de décadas. Até lá muitos perecerão por motivo de doenças medievais. Cólera, por exemplo. Dengue, outro exemplo.

        Mas para quê preocupar. Os meus dez tem um trabalinho mediocre mas estável. Nossos filhotinhos cursam uma faculdade de quinta e estão agora na “zoropa” bancados por programinha eleitoreiro. 

        Nossos carrinhos financiados a perder de vista levam e trazem…

        .

        Então, de fato, prá quê achar que estamos mal.? Fé em deus e pé na tábua que o brazilzão é nosso.

        Meus filhotinhos queridos que se virem lá na frente pra resolver essas coisinhas miúdas, nem falo de política, justiça e administração pública porque é coisa de “piguentos”.

        Eu e meu grupinho de dez não temos nada a ver com isso…

        Uhuuuuu…!!!

        • Cara, seu fígado afetou o seu
          Cara, seu fígado afetou o seu cérebro, já que em nem um momento eu falei que vivemos num paraíso, falei que melhorou. E quem não ver isso e por conveniência e por inveja. Pode que minha visão nao seja a mesma que sua, pois ha tempos não leio coisas como veja, fsp et al. Talvez de la você tire esses pensamentos tão profícuos.

          • E quem só vê o que melhora

            E quem só vê o que melhora para si e para grupo próximo posso dizer que são egoístas.?

            Insensíveis com pouca noção do ambiente geral e desprovidos de consciência cívica.?

            Essas coisas todas podem afetar seu raciocínio sobre as coisas.?

            Então, e daí que melhorou se de forma geral a situação é muito ruim cara..?

            Responda isso sem rodeios…

            O índice de criminalidade aumentou bastante na última década..

            Não há saneamento adequado para dois terços da população.

            A média de congestionamento faz as pessoas desperdiçarem horas dentro de ônibus.

            A qualidade das escolas continua ridícula e número cada vez maior de professores desistem da profissão.

            E os novos não se interessam..

            Então.. Vejamos o que tem a dizer sobre isso aí.

             

          • Que argumentação

            Que argumentação rídicula!!

            Quer dizer que quem olha para os lados (os seus próximos, obviamente) está apenas tendo uma visão distorcida da realidade, certamente por causa do pequeno tamanho da amostra?

            E que tal olharmos para o universo completo? Quando 60% da população vota em um projeto de governo, é suficiente? O tamanho da amostra agora é adequado? Ou você vai simplesmente cair na esparrela de dizer que as pessoas não sabem o que é bom para elas, ou até usar o famoso clichê “o povo não sabe votar”?

            Talvez você, do alto de sua grande visão e sabedoria saiba nos orientar a todos e nos dizer o que é bom ou o que é ruim. Nós realmente não sabemos distinguir o que se passa, já que estamos cegos pela propagnda oficial, que se sobrepõe, e muito, sobre aquilo que vivemos em nossas vidas diariamente. Faça-me o favor…

            Olha, é evidente que o país precisa avançar muito. Mas lembre-se, nós somos um país pobre e a velocidade das mudanças é naturalmente baixa. Quando qualquer um de nós busca uma opção, busca uma opção individual, é óbvio, mas sempre imaginando que o bem da coletividade, para a grande maioria, passa simplesmente pela junção de um monte de interesses individuais comuns. A comparação entre os projetos é inevitável!! Tolo é aquele que prega que nada presta e que o que está aí não serve. Lamento te informar, mas o que está aí foi escolhido por nós, entre TODAS as opções possíveis!!! Faça sua campanha contra, mas apresente as opções…e esteja preparado para as críticas que virão sobre elas. Por enquanto, honestamente, na minha opinião, com todos os seus defeitos, os governos do PT fizeram muito mais pelo país do que qualquer outro governo que eu tenha experimentado (e não foram poucos…). Eu e mais 59.999.999 pensamos assim, por enquanto. 

        • E quando a taxa de criminalidade foi menor?

          Desde anos 70 a taxa cresceu e está em níveis de 50 mil óbitos (1 vietnan por ano) a muito tempo. Como a população cresceu de 90 milhões para mais de 200 milhões, a taxa de mortalidade caiu. Mas o melhor foi no social, coisa que zé coxinha classe média alta não está nem aí! As taxas de mortalidade infantil nunca foram tão baixas, a taxa de mulheres que morrem no parto cairam, a taxa de analfabetismo caiu e vá ao nordeste, hoje e pergunte pela década de 90! Eu vi as duas realidades, antes e hoje quando trabalhei lá. Para você não precisa ir tão longe. Vai ao vale do Jequitinhinha! Mas faça uma enquete entre 10 cidadãos ao acaso e pergunte como está sua vida hoje e a 15 anos atrás! Depois se for honesto volte aqui com os resultados

          • Eu acho engraçado falarem de

            Eu acho engraçado falarem de coxinha classe média alta…A postura de “defensores dos oprimidos” e na verdade comodista e a tendência a rótulos.

            Para quem vive muito mal o que é um pouco melhor é sempre bom aqui em qualquer lugar do mundo.

            Só não sei porque muitas vezes adotam a postura do “devagar e sempre” quando DE FATO o andar das coisas é lento. Sob muitos aspectos, preocupante.

            Então isso aí da taxa de homicídios crescer desde a década de 70, por exemplo, é argumento para fugir do problema, não para buscar uma solução.

          • Sanear e desmilitarizar as

            Sanear e desmilitarizar as polícias serve?

          • Sanear e desmilitarizar as

            Sanear e desmilitarizar as polícias serve?

          • É sim

            Quando elas caem! Temos de ver o passado para ver se o prexsente é melhor ou pior. Se melhorou para que voltar ao pasado? Vamos ficar com o presente pois ele vai melhorar mais ainda!

    • Sou pessimista também. E na
      Sou pessimista também. E na minha modesta opinião geralmente nao consideram nem de longe os principais e mais graves problemas do país: o sistema político, justiça e o complexo administrativo. Depois destes questões nao menos importantes: recursos para educaçao, e saúde, capacidade política para ajustar as polícias a perspectiva civil. Nao sei como se pretende abordar todos eles, mas é certo que não será no médio prazo. Assim, como avançar para outro patamar apenas com o vocabulário econométrico.?

    • E o emprego, e os salários?
      As estatísticas do IBGE mostram crescimento ininterrupto do nível de emprego e dos salários médios. Em decorrência, as vendas do comércio não param de crescer, realimentando o aumento dos empregos e dos salários. Mas isso não ocorre de maneira uniforme na sociedade: a massa salarial cresce sem parar em todas as camadas, mas muito mais rápido entre os mais pobres. Está tudo lá na PNAD do IBGE: é só fazer os cálculos. No Brasil de hoje, a riqueza dos mais ricos cresce um pouco mas entre os mais pobres acontece um crescimento chinês. Mas por que muitos de nós da classe média antiga (a de sempre) temos a impressão de que as coisas andam mal? Principalmente por três motivos: a) existe um atraso secular de infraestrutura e serviços públicos (educação, saúde, etc.) que, associado ao inchaço desordenado das cidades, gera este imenso desconforto da vida cotidiana; b) nós deixamos de ser prioridade das políticas públicas, simples assim …. e c) essa insuportável encheção de saco catastrofista de nossa mídia medíocre acaba contaminando as percepções das pessoas ao nosso redor de tal forma, que fica difícil escapar do clima de pessimismo. Mas, objetivamente e com base nos dados sobre os aspectos que mais influenciam o bem estar da maioria da população, ao meu ver é inegável que estamos de fato progredindo. Ou seja, há mais razões para otimismo do que para pessimismo.

      • “…As estatísticas do IBGE

        “…As estatísticas do IBGE mostram crescimento ininterrupto do nível de emprego e dos salários médios. Em decorrência, as vendas do comércio não param de crescer, realimentando o aumento dos empregos e dos salários…”

        Os últimos números sobre emprego já mostram estagnação, decréscimo em alguns casos. Analistas já dizem que na indústria haverá demissões. E a fonte não é a Veja, mas a Carta Capital.

        Também se pode dizer que a renda média aumentou, continuam todavia muito baixos para as necessidades básicas.

        Detalhe.: muito do que se compra não é produzido aqui. O que significa que essa retroalimentação do sistema não é tão verdade do modo que pensa.

        Em grande parte geramos riquezas para os países vendedores de tecnologia. E sem as nossas próprias inovações, somos mantidos reféns, apenas testemunhas das decisões mais importantes.

        .

        “…Mas isso não ocorre de maneira uniforme na sociedade: a massa salarial cresce sem parar em todas as camadas, mas muito mais rápido entre os mais pobres. Está tudo lá na PNAD do IBGE: é só fazer os cálculos. No Brasil de hoje, a riqueza dos mais ricos cresce um pouco mas entre os mais pobres acontece um crescimento chinês…”

        Claro, é muito mais difícil fazer aumentar o nível da renda de quem ganha até 1.000 reais por mês que aqueles acima dos 10.000. Em todo lugar do mundo é assim.

        .

        “….a) existe um atraso secular de infraestrutura e serviços públicos (educação, saúde, etc.) que, associado ao inchaço desordenado das cidades, gera este imenso desconforto da vida cotidiana;…”

        Seguramente. E junto deste fenômeno a incompetência que em TODOS os níveis da administração é a toda evidência incapaz de propor e executar melhoras substanciais.

        Não é possível digerir a imensidão de recursos aplicados na construção de estádios em Manaus, Brasília, Cuiabá e Natal. Nestas cidades os recursos poderiam ser aplicados em OUTRAS funcionalidades bem mais úteis.

        .

        “….b) nós deixamos de ser prioridade das políticas públicas, simples assim….”

        Qual é a grande política pública na saúde e educação voltada para as classes baixas.?

        .

        “….c) essa insuportável encheção de saco catastrofista de nossa mídia medíocre acaba contaminando as percepções das pessoas ao nosso redor de tal forma, que fica difícil escapar do clima de pessimismo…”

        Aqui em casa só entra a Carta Capital. Na tevê só assisto a programas esportivos, e olhe lá.

        Leio o Blog do Nassif diariamente e notícias daqui e dalí – por exemplo do site da UFMG – para demais atualizações.

        .

        “….Mas, objetivamente e com base nos dados sobre os aspectos que mais influenciam o bem estar da maioria da população, ao meu ver é inegável que estamos de fato progredindo. Ou seja, há mais razões para otimismo do que para pessimismo….”

        Do ponto de vista da renda, do emprego e de alguns confortos domésticos não há a menor sombra de dúvida que houve progressos. Sobre outros aspectos, por exemplo o turismo em algumas regiões, também melhorou.

        Mas sob a perspectiva de vários outros aspectos é plenamente possível contestar. Segurança, saúde e educação são bons exemplos, vão me desculpar muito.

        Disse e repito, saneamento básico é outro ponto. Mobilidade urbana, mais um.

        E por aí vai..

        Pode não ser o caso de pessimismo, mas certamente não é para comemoraçoes.

         

  2. Olha: somos uma democracia já

    Olha: somos uma democracia já bem consolidada, inclusive no sentido crucial para os negócios, que é o sistema de contrapesos e a previsibilidade que vem disso; temos água, sol e terra abundantes; uma imensa população cada vez mais educada, consumidora e – por favor não me chamem de eurocentrista – ocidental, o que torna nossos movimentos políticos, culturais e consumistas mais compreensíveis pelo mundo empresarial e financeiro. As ameaças anti-Brasil ou são tentativas de barganhar melhores condições para os investimentos ou são ecos das solidariedades que nossas oposições ainda despertam em alguns setores do capital ou uma miistura dos dois. Espero que o governo não as leve a sério. Tem poucos lugares no mundo melhores do que o Brasil para o investimento – pelo menos para aquele que nos interessa. 

  3. Iniciamos operação do terceiro Terminal de Regaseificação de GNL

    Petrobras – Fatos e Dados. 24 de janeiro de 2014 / 23:20 Informes

    Lançamos nesta sexta-feira (24/01), às 13p3, na malha de gasodutos brasileira, o primeiro gás regaseificado no Terminal de Regaseificação de Gás Natural Liquefeito (GNL), localizado na Baía de Todos os Santos, em Salvador, Bahia.

    O Terminal de Regaseificação da Bahia (TRBA) tem capacidade para regaseificar 14 milhões de m³/dia de gás natural. Com sua entrada em operação, nossa capacidade de regaseificação de gás natural sobe de 27 milhões de m³/dia para 41 milhões de m³/dia, quase uma vez e meia a capacidade de importação do gás da Bolívia. Atualmente, também temos em operação os terminais de regaseificação de Pecém (CE) e da Baía de Guanabara (RJ) com capacidade para regaseificar, respectivamente, 7 milhões de m³/dia e 20 milhões de m³/dia de gás natural.

    O GNL, importado de vários fornecedores em diferentes partes do mundo, destina-se ao atendimento da demanda do mercado nacional por gás natural. Seu propósito é dar maior flexibilidade e garantia ao suprimento, aumentando a segurança energética no País, condição fundamental para estimular novos investimentos.

    Com investimento de cerca de R$ 1 bilhão, o TRBA é o terceiro terminal de regaseificação de GNL do Brasil. Integrante do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Governo Federal, esse terminal começou a ser construído em 2012, foi concluído no prazo estabelecido e gerou 3.623 empregos diretos na região, registrando um índice de nacionalização de equipamentos e serviços da ordem de 90%.

    URL:

    http://fatosedados.blogspetrobras.com.br/2014/01/24/iniciamos-operacao-d

     

  4. Delfim Netto disse algo que me chamou a atenção

    http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/pagina/delfim-netto.html/

     

    Como vê o julgamento do mensalão?

    Cumpriu seu papel. Em que lugar do mundo você tem um processo com a abertura que teve aqui? Com a sociedade brasileira assistindo todas as tardes, interrompendo o crescimento, para assistir a um julgamento. A impressão que eu tenho é que a maioria não sabe o que foi julgado. Cada um dá seu palpite. Terminou como tinha de terminar.

     

     Eu compartilho da opinião do Delfim quanto ao efeito economico do julgamento

    O pior ano da economia  coincidir com o pior julgamento da historia? Seria isso a intenção colateral? Aquilo foi só uma  coincidencia?

     

  5. (5)O fortalecimento do Mercado Interno e a (6)Matriz energética

    O (5)fortalecimento do Mercado Interno é um dos ponto das virada economicamente comandada pelo ministro Guido Mantega nos  Governos do Presidente Lula e da Presidenta Dilma.
    Até a chegada do Ministro Guido Mantega toda a politica econômica girava em torno do fortalecimento das exportações, baseada em baixo salários e geração de um excedente exportador.

    Certamente a desdolarizaçao da divida interna e a redução da divida publica externa promovida pelo Governo do Presidente Lula e  a perspectiva de aumento da produção de petróleo e gás com as descobertas dos campos do pré-sal, que praticamente afastaram  o risco de crise nas contas externas, contribuíram para esta virada na condução da politica econômica.

    A (6)matriz enérgica brasileira que tem quase 45% de origem de fontes renováveis,  sendo que a participação de fontes renováveis na geração de energia elétrica é de quase 90%, além de diminuir significativamente a atual dependência da importação de petróleo e derivados, vai contribuir para o aumento de um excedente exportável de Petróleo e derivados nos próximos anos, principalmente a partir de 2017.

     

     

     

  6. Brasil

    Nassif,

    “Os discursos de Aécio Neves e Eduardo Campos trazem poucas variações em torno do mesmo tema. Os pontos em comum trazem mais informações sobre o futuro do país do que eventuais pontos de discordância: significa o alinhamento em torno de princípios consolidados.”

    Tenha paciência, onde você vê pontos comuns, é jogo de cena! Assumido um governo peessedebista, o estado seria desconstruído, como fizeram em oito anos de FHC, pois o DNA do PSDB é privatista, estado fraco, capital fortalecido, povo escanteado. Os pilares da economia hoje praticados, são universais, necessários para a igualdade de negócios entre nações, o que não pode é a preponderância do capital sobre o social e é neste caminho que o petismo tenta seguir! 

    • Brasil em centro-direita

      É uma ilusão imaginar que um governo do Psdb e Psb manteriam os princípios que o PT desenvolveu nesse 12 anos de governo. Devemos lembrar que com vitoria desses partidos a direita se torna a maioria no Congresso, não tendo mais o PT para balancear essas forças. A desconstrução dessas poucas politicas sociais e crescimento da classe média serão estancados. Um dos primeiros atos será a politica do salário minimo altos, como justificativa para melhoria dos desempenho da industria e competitividade. Já vimos essa história antes! Espero que não mais se repita, espero um crescimento da esquerda, para as mudanças avançarem.

  7. O Nassif vive em outro mundo

    No mundo real, qualquer gestor de multinacional ou que tenta atrair algum investimento produtivo para o Brasil, não consegue emplacar um projeto sequer. Tudo é mais caro de se produzir no Brasil hoje em dia, o governo maquia os resultados macroeconômicos e não há segurança jurídica.

    Os investimentos externos despencaram em 2013 e a balança comercial caiu de 20 bilhões de dólares em 2013 para parcos 2 bilhões.

    Tudo mundo está errado com relação ao Brasil, mas o governo do PT está certo… ora vamos.

    O que este país precisa é melhorar a produtividade, diminuir de 39 para 13 ministérios, como é nos Estados Unidos, e dar condições para que pequenos empreendedores consigam sobreviver. Viramos um exportador de minério de ferro e soja, no resto não somos competitivos. Esse é o mundo real do Brasil, Sr. Nassif.

    • Em 2013, os fluxos líquidos de IED alcançaram US$64 bilhões,

      —-Os investimentos estrangeiros diretos registraram ingressos líquidos de US$6,5 bilhões em dezembro. No ano, os fluxos líquidos de IED alcançaram US$64 bilhões, redução de 1,9% comparativamente ao resultado do ano anterior. A participação no capital de empresas no País, incluídas as conversões em investimentos, somou ingressos líquidos de US$41,6 bilhões e os empréstimos intercompanhias totalizaram US$22,4 bilhões, em 2013.—

      Setor Externo—Banco Central do Brasil – NOTA PARA A IMPRENSA – 24.1.2014
      I – Balanço de pagamentos – Dezembro de 2013

      O balanço de pagamentos registrou deficit de US$2,7 bilhões, em dezembro, e de US$5,9 bilhões, em 2013. As transações correntes apresentaram deficit de US$8,7 bilhões no mês. No ano, o resultado em conta corrente foi negativo em US$81,4 bilhões, equivalentes a 3,66% do PIB, comparativamente a deficit de US$54,2 bilhões, 2,41% do PIB, em 2012. No mês, a conta financeira apresentou ingressos líquidos de US$5,8 bilhões, com destaque para os ingressos líquidos de investimentos estrangeiros diretos (IED), US$6,5 bilhões. No ano, a conta financeira acumulou saldo de US$72,6 bilhões, destacando-se novamente os ingressos líquidos de IED, que atingiram US$64 bilhões.

      No mês, a conta de serviços foi deficitária em US$4,2 bilhões, comparativamente a deficit de US$4,3 bilhões em dezembro do ano anterior. Em 2013, a conta serviços registrou despesas líquidas de US$47,5 bilhões, elevação de 15,8% na comparação com 2012. As despesas líquidas com aluguel de equipamentos atingiram US$2,1 bilhões no mês e US$19,1 bilhões no ano, acréscimo de 1,7% em relação a 2012. A conta de viagens internacionais apresentou deficit de US$1,6 bilhão no mês, influenciado pelos aumentos de 3% dos gastos de estrangeiros no Brasil e de 11,5% dos gastos de brasileiros no exterior, ambos na comparação com dezembro de 2012. No ano, o saldo negativo de US$18,6 bilhões constituiu o recorde da série, aumentando 19,5% em relação ao ano anterior, com receitas e despesas atingindo os níveis máximos de US$6,7 bilhões e US$25,3 bilhões, respectivamente. As despesas líquidas com transportes somaram US$601 milhões em dezembro, acumulando deficit de US$9,8 bilhões no ano, ante US$8,8 bilhões registrados em 2012. O deficit em serviços de computação e informações atingiu US$390 milhões em dezembro e US$4,5 bilhões no ano, 16,1% acima do resultado de 2012. As remessas líquidas de royalties e licenças somaram US$270 milhões no mês e US$3,1 bilhões no ano, recuo de 2,8%, comparativamente ao ano anterior.

      As remessas líquidas de renda para o exterior somaram US$7,5 bilhões no mês, 14,4% acima do resultado de dezembro de 2012, acumulando US$39,8 bilhões em 2013, crescimento de 12,2% na comparação com o ano anterior. Em dezembro, as saídas líquidas de renda de investimento direto somaram US$5,7 bilhões, dos quais US$4,7 bilhões em remessas líquidas de lucros e dividendos. As remessas líquidas de renda de investimento em carteira totalizaram US$951 milhões, dos quais US$795 milhões referentes a juros de títulos de renda fixa. As remessas líquidas de rendas de outros investimentos somaram US$879 milhões em dezembro. No ano, os pagamentos líquidos de juros alcançaram US$14,2 bilhões, ante US$11,8 bilhões no ano anterior. As remessas totais líquidas de lucros e dividendos somaram US$26 bilhões, elevação de 8% na comparação com 2012.

      No mês, as transferências unilaterais somaram ingressos líquidos de US$400 milhões, acumulando no ano US$3,4 bilhões, aumento de 18,2% na comparação com 2012. O ingresso bruto referente à manutenção de residentes atingiu US$1,9 bilhão em 2013, situando-se 2,4% abaixo do resultado do ano anterior.

      Os investimentos brasileiros diretos no exterior somaram, em dezembro, retornos líquidos de US$164 milhões, acumulando retornos líquidos de US$3,5 bilhões em 2013, ante US$2,8 bilhões em 2012, compreendendo US$14,8 bilhões em aquisições líquidas de participação no capital de empresas no exterior, e US$18,3 bilhões em amortizações líquidas de empréstimos de intercompanhias.

      Os investimentos estrangeiros diretos registraram ingressos líquidos de US$6,5 bilhões em dezembro. No ano, os fluxos líquidos de IED alcançaram US$64 bilhões, redução de 1,9% comparativamente ao resultado do ano anterior. A participação no capital de empresas no País, incluídas as conversões em investimentos, somou ingressos líquidos de US$41,6 bilhões e os empréstimos intercompanhias totalizaram US$22,4 bilhões, em 2013.

      Os investimentos estrangeiros em carteira apresentaram saídas líquidas de US$1,1 bilhão, no mês, e ingressos líquidos de US$34,7 bilhões em 2013, comparativamente a US$16,5 bilhões, no ano anterior. Os investimentos estrangeiros em ações totalizaram ingressos líquidos de US$905 milhões no mês e de US$11,6 bilhões no ano. No mercado doméstico, os investimentos de não residentes em títulos de renda fixa apresentaram saídas líquidas de US$263 milhões no mês e ingressos líquidos de US$25,4 bilhões no ano. Os ingressos líquidos referentes a bônus da República acumularam US$522 milhões em 2013. As notes e commercial papers somaram saídas líquidas de US$1,8 bilhão em dezembro e de US$2,9 bilhões no ano. A taxa de rolagem para papéis de médio e longo prazos, excetos bônus da República, totalizou 41% em dezembro e 76% em 2013. Não houve operações em títulos de renda fixa de curto prazo negociados no exterior durante o ano.

      Os outros investimentos brasileiros no exterior resultaram em aplicações líquidas de US$1,5 bilhão em dezembro e de US$40,6 bilhões no ano, compreendendo concessões líquidas de créditos comerciais e empréstimos, US$30,5 bilhões; constituição de depósitos de bancos brasileiros no exterior, US$1,8 bilhão, e dos demais setores, US$9 bilhões.

      Os outros investimentos estrangeiros no País registraram ingressos líquidos de US$1,4 bilhão em dezembro e de US$19,7 bilhões no ano. O crédito comercial de fornecedores registrou amortizações líquidas de US$1,1 bilhão no mês e desembolsos líquidos de US$21 bilhões no ano, concentrados em operações de curto prazo. Os empréstimos de médio e longo prazos apresentaram ingressos líquidos de US$2,6 bilhões, em dezembro, e de US$1,8 bilhão no ano. A taxa de rolagem dos empréstimos diretos de médio e longo prazos somou 105% no mês e 102% em 2013. No ano, os empréstimos junto a organismos e agências totalizaram ingressos líquidos de US$1,3 bilhão e de US$460 milhões, respectivamente, enquanto os empréstimos de compradores acumularam amortizações líquidas de US$484 milhões. As amortizações líquidas de empréstimos de curto prazo atingiram US$6 milhões no ano.

      II – Reservas internacionais
      As reservas internacionais, no conceito liquidez, totalizaram US$375,8 bilhões em dezembro, redução de US$302 milhões em relação ao estoque do mês anterior. No mês, a liquidação de operações de linhas de recompra atingiu vendas líquidas de US$3,3 bilhões, enquanto o estoque totalizou US$17 bilhões. A receita de remuneração das reservas somou US$253 milhões. As variações por preços e por paridades diminuíram o estoque, respectivamente, em US$778 milhões e US$78 milhões. Na comparação anual, o estoque de reservas no conceito liquidez recuou US$2,8 bilhões, influenciado pelos decréscimos decorrentes de variações por preços, US$4,3 bilhões, e paridades, US$4,1 bilhões, enquanto as receitas de juros totalizaram US$3,4 bilhões.

      No conceito caixa, o estoque de reservas atingiu US$358,8 bilhões em dezembro, recuos de US$3,6 bilhões em relação ao mês anterior e de US$14,3 bilhões em relação a 2012.

      III – Dívida externa
      A posição da dívida externa bruta estimada para dezembro totalizou US$312 bilhões, elevação de US$4,3 bilhões em relação ao estoque de setembro de 2013. A dívida externa estimada de longo prazo atingiu US$279,2 bilhões e o estoque de curto prazo, US$32,9 bilhões, variações de US$5 bilhões e de -US$697 milhões nas mesmas bases comparativas.

      Dentre os determinantes da variação da dívida externa de longo prazo, destacaram-se as captações líquidas de empréstimos e de títulos tomados pelo governo, US$2,2 bilhões e US$1,6 bilhão, respectivamente; os empréstimos contraídos pelo setor não financeiro, US$3,6 bilhões; e as amortizações líquidas de títulos de longo prazo pelo setor financeiro de US$2,2 bilhões. A variação por paridades diminuiu o estoque em US$714 milhões.

      URL:

      http://www.bcb.gov.br/?ECOIMPEXT

    • Evolução do Investimento Estrangeiro Direto-IED

      10-12-2013 – Apresentação do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central, na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal.  (PDF – 801 KB)—-Alexandre Tombini—-Brasília DF–Banco Central do Brasil

      http://www.bcb.gov.br/?id=MAISTEXTOS&ano=2010

      20/04/2010 – Apresentação do presidente Henrique Meirelles na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado  (PDF – 833 KB)——-Henrique Meirelles——–Brasília——Publicado na Internet em 20/04/2010–Banco Central do Brasil

      http://www.bcb.gov.br/?id=MAISTEXTOS&ano=2010

       

    • Cartão BNDES atingiu o marco de R$ 10 bilhões em desembolso em 2

      Cartão BNDES
      Apenas nesse ano de 2013 os desembolsos superaram a marca de R$ 10,0 bilhões, contra pouco mais de R$ 1 milhão de desembolso no ano de 2003, beneficiando mais de 200 mil micro, pequenas e médias empresas (MPMEs) com cerca de 760 mil operações.

      Apenas em outubro essa linha de financiamento atingiu a cifra de R$ 1 bilhão em operações realizadas em um único mês. Nesses 11 anos, o Cartão BNDES já realizou mais de 2,6 milhões de operações, no valor total de R$ 38,1 bilhões, com tíquete médio de R$ 14,3 mil, atendendo empreendimentos de menor porte em 97,3 % dos municípios brasileiros.

      O Cartão BNDES consiste em uma linha de crédito rotativo e pré-aprovada exclusiva para MPMEs, com limite de até R$ 1 milhão por banco emissor (Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banrisul, Itaú, Sicoob e BRDE), taxa de juros atrativa (de 0,97% ao mês em Jan/2014) e pagamento em até 48 prestações mensais fixas.

      Com o Cartão BNDES, as MPMEs podem adquirir bens e serviços necessários aos seus negócios. Existem mais de 236 mil itens disponíveis para compra no site do Cartão. São computadores, softwares, móveis para escritório, veículos utilitários, motocicletas, materiais de construção, máquinas e equipamentos, entre outros itens.

      Caso a empresa ainda não tenha o Cartão BNDES, é muito simples solicitá-lo. Basta acessar o site http://www.cartaobndes.gov.br, clicar no menu “Solicite seu Cartão BNDES”, preencher a proposta de solicitação e encaminhá-la ao banco emissor, junto aos documentos necessários.

      Caso a empresa deseje se credenciar como fabricante ou como distribuidor para vender, ela deverá acessar o mesmo site, clicar no menu “Seja Um Fornecedor Credenciado” e preencher a proposta de credenciamento. No caso do distribuidor, a empresa deverá ser indicada por um fabricante previamente credenciado.

      URL:

      https://www.cartaobndes.gov.br/cartaobndes/PaginasCartao/Noticia.Asp?Acao=CV&Cod=125
       

    • BNDES PSI, que foi renovado até o final de 2014

      —–BNDES PSI – O principal eixo do apoio do BNDES à realização de investimentos continua sendo o programa BNDES PSI, que foi renovado e teve seu prazo de validade ampliado até o final de 2014. As melhores taxas do programa continuam sendo para inovação, de 4% ao ano.
      A prioridade dada pelo programa às micro, pequenas e médias empresas fica clara nas condições oferecidas para a aquisição de máquinas e equipamentos: taxa de 4,5% e nível de participação de até 100%. Para grandes empresas, a taxa sobe para 6% e o nível de participação máximo é de 80%.—-

      Novas políticas operacionais do BNDES mantêm impulso ao investimento
      BNDES—-18/12/2013

      • Mudanças devem estimular parceria com o mercado de crédito privado

      O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) revisou as condições oferecidas em seus financiamentos. Combinadas com a renovação do Programa BNDES de Sustentação do Investimento (BNDES PSI), as novas regras estão em linha com a principal diretriz do Banco, que é impulsionar o investimento, mas vão permitir que isso seja feito em sintonia com as prioridades do governo e de maneira mais simplificada e ágil.

      O BNDES redefiniu suas políticas operacionais, que são o conjunto de regras que regem as condições de apoio a projetos, tais como taxas de juros e nível de participação. O detalhamento completo das novas regras deve ser feito no início de janeiro.

      De maneira geral, os setores considerados mais prioritários contam com os menores custos financeiros e maior nível de participação do Banco. O BNDES também calibrou seu nível máximo de participação em financiamentos para fomentar o ingresso de outras fontes de recursos, ampliou o uso de recursos de mercado em seus financiamentos e abriu mais possibilidades de cofinanciamento de projetos com o sistema financeiro privado por meio de debêntures.

      Na área de infraestrutura, as melhores condições são oferecidas para infraestrutura logística e energética, com custos financeiros reduzidos e maior nível de participação. Condições similares estão disponíveis para as áreas de saneamento e mobilidade urbana, assim como para projetos de modernização da gestão pública.

      Na área industrial, as prioridades serão a produção de bens de capital, os setores intensivos em engenharia e conhecimento e a economia criativa. Além disso, terão prioridade ações na área de inovação, serviços técnicos e tecnológicos e operações de apoio à exportação. Projetos ligados a meio ambiente, inclusão produtiva e social e ações sociais de empresas também contam com as melhores condições oferecidas pelo Banco.

      Outro destaque das políticas operacionais é que os empreendedores poderão contar com condições mais favoráveis desde que adotem em seus projetos padrões de sustentabilidade (como certificações de eficiência energética) ou os empreendimentos sejam realizados em regiões menos desenvolvidas.

      Finalmente, as novas regras de financiamento ampliaram a prioridade dada pelo BNDES às micro, pequenas e médias empresas. Para as MPMEs, o nível máximo de participação do BNDES será sempre maior do que para as grandes empresas, podendo chegar a 90%, e até a 100% no BNDES PSI.

      BNDES PSI – O principal eixo do apoio do BNDES à realização de investimentos continua sendo o programa BNDES PSI, que foi renovado e teve seu prazo de validade ampliado até o final de 2014. As melhores taxas do programa continuam sendo para inovação, de 4% ao ano.

      A prioridade dada pelo programa às micro, pequenas e médias empresas fica clara nas condições oferecidas para a aquisição de máquinas e equipamentos: taxa de 4,5% e nível de participação de até 100%. Para grandes empresas, a taxa sobe para 6% e o nível de participação máximo é de 80%.

      Veja aqui apresentação do presidente Luciano Coutinho.

    • Sobre a Embraer Aviação Comercial

      —-A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais até 130 assentos. Cerca de 900 aviões da família ERJ 145 de jatos regionais, de 37, 44 e 50 assentos, foram entregues a companhias aéreas desde a sua introdução no mercado, em 1996.—-

      ​Embraer recebe pedido da American Airlines para até 150 aviões
      Embraer SA.—-São José dos Campos – SP, 12 de dezembro de 2013 –

      A Embraer anunciou hoje que recebeu um pedido firme da American Airlines, Inc. para 60 jatos E175. O contrato inclui opções de compra para 90 jatos E175 adicionais, tendo a encomenda um potencial total para até 150 aeronaves. Os pedidos firmes, que têm valor de USD 2,5 bilhões a preço de lista, serão incluídos na carteira de pedidos (backlog) da Embraer do quarto trimestre de 2013.

      “Estamos muito felizes com este pedido memorável da American Airlines, uma das companhias aéreas mais respeitadas e renomadas em todo o mundo. A American alcançou resultados impressionantes com a família de aeronaves ERJ 145 e temos certeza de que terá o mesmo sucesso com o E175, o avião de 76 lugares mais eficiente em consumo de combustível, de menor custo operacional e o mais confortável para os passageiros no mercado atualmente – o que faz com que o E175 seja a escolha certa para as companhias aéreas norte-americanas, comprovada com centenas de encomendas este ano”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial. “A Embraer fica honrada em fornecer à nova American o E175 e está empenhada em apoiar o desenvolvimento da nova companhia aérea, à qual desejamos grande sucesso.”

      A American Airlines vai configurar os E175 com 76 lugares, incluindo 12 assentos na primeira classe e 64 na econômica, sendo 20 com espaço extra. A entrega do primeiro avião está prevista para o primeiro trimestre de 2015.

      “Foi uma semana emocionante para a American Airlines”, disse disse Kenji Hashimoto, Vice-Presidente Sênior da American Airlines – Companhias Regionais. “Agora que concluímos nossa fusão com a US Airways, podemos entregar um produto regional de primeira linha que oferece uma cabine de Primeira Classe, cabine principal extra e Wi-Fi em voo – elementos importantes para oferecer uma excelente experiência de voo aos nossos clientes. Estes novos jatos regionais também são uma grande vitória para os funcionários da nossa subsidiária integral, e melhorarão a eficiência econômica de forma significativa ao reduzir os custos operacionais.”

      Durante o ano de 2013, incluindo este pedido da American Airlines, a Embraer recebeu encomendas firmes e opções para mais de 700 E-Jets de companhias aéreas dos Estados Unidos, tanto para geração atual quanto para os E-Jets E2.
      Como líder no segmento de jatos de 70 a 130 assentos, a Embraer continua a investir na família de E-Jets, que é utilizada por cerca de 65 companhias aéreas de 45 países. A Empresa começou a implementar uma série de melhorias para o E175, incluindo novas pontas das asas (wingtips), otimização de sistemas e refinamentos aerodinâmicos que reduzirão o consumo de combustível em até 5%. Intervalos de manutenção mais longos e melhorias de componentes vão aumentar a produtividade da aeronave com menores custos de manutenção.

      Sobre a American Airlines Group

      American Airlines Group (NASDAQ: AAL) é a holding da American Airlines e da US Airways. Juntas, contando com American Eagle e US Airways Express, as companhias aéreas operam uma média de quase 6.700 voos por dia para 339 destinos em 54 países a partir dos seus hubs em Charlotte, Chicago, Dallas/Fort Worth, Los Angeles, Miami, Nova York, Filadélfia, Phoenix e Washington D.C. Os programas de milhagem AAdvantage, da American, e Dividend Miles, da US Airways, permitem aos associados ganhar e resgatar milhas para viagens e compras diárias, bem como upgrades em voos, pacotes de férias, aluguel de carros, estadias em hotéis e outros produtos de varejo. A American é membro fundador da aliança oneworld®, cujos membros e afiliados servem 981 destinos com 14.244 voos diários para 151 países. Conecte-se com a American no Twitter @AmericanAir ou no Facebook.com/AmericanAirlines e siga a US Airways no Twitter @USAirways e no Facebook.com/USAirways.

      Sobre a Embraer Aviação Comercial

      A Embraer é líder mundial na fabricação de jatos comerciais até 130 assentos. Cerca de 900 aviões da família ERJ 145 de jatos regionais, de 37, 44 e 50 assentos, foram entregues a companhias aéreas desde a sua introdução no mercado, em 1996. A família de E-Jets inclui quatro aeronaves que têm entre 70 e 130 assentos. Com engenharia avançada, alto grau de eficiência, cabines ergonômicas e espaçosas com dois assentos por fileira, e economia operacional atraente, o E170, E175, E190 e E195 estabeleceram um novo padrão em sua categoria. Desde que os E-Jets entraram em serviço, em 2004, a Embraer recebeu mais de 1.350 pedidos firmes para esta família de aeronaves. Mais de 1.000 E-Jets foram entregues e estão voando atualmente com cerca de 65 empresas aéreas de 45 países com companhias aéreas tradicionais, regionais, operadores de turismo e baixo custo.

      Em 2013, a Embraer lançou os E-Jets E2, a segunda geração da família de E-Jets de aviões comerciais composta de três novos aviões – E175-E2, E190-E2, E195-E2 – no segmento de 70 a 130 passageiros. O E190-E2 deverá entrar em serviço no primeiro semestre de 2018. O E195-E2 está programado para entrar em serviço em 2019 enquanto o E175-E2 em 2020.

      Siga-nos no Twitter: @EmbraerSA

      URL:

      http://www.embraer.com.br/pt-BR/ImprensaEventos/Press-releases/noticias/Paginas/Embraer-recebe-pedido-da-American-Airlines-para-ate-150-avioes.aspx
       

      • Números!!!!

        Adora quando alguem esfrega números na cara dos tucanos!

        Vamos falar sério, imparcialmente agora.

        Comparativamente, não vejo UM ítem estatístico que diga que a economia ou a sociedade estão piores agora do que há 15 anos. Nada!

  8. Nassif, como diz o velho

    Nassif, como diz o velho barbudo, os indivíduos fazem a história, mas sob certas circunstâncias herdadas do passado. Assim, voce exagera quando diz que Serra comprometeria os avanços da sociedade brasileira desses últimos 25 anos. O máximo que ele conseguiria ser seria um Governo Dutra, um interregno no processo do desenvolvimento nacional. Nossos avanços, fruto da CF 88 vieram para ficar. É lógico que há diferenças entre os governos: os do PT consideram mais o aspecto trabalhista-social e a oposição  fica mais alinhada aos grandes interesses, sobretudo financeiros. A  propósito, nosso jeito brasileiro de ser é de modo a dispensar decisões extremadas, vide comparações com a sociedade e os governos argentinos. 

    Outra coisa, não é preciso mais tanta implicância com o Serra, pois ele atualmente é bananeira que já deu cacho, carta fora do baralho. Ele tratou-se de se enterrar nas duas últimas eleições que participou. Serra é passado. 

     

    Um abraço,

     

    Eneuton

  9. Nassif,
    a baixaria já começou

    Nassif,

    a baixaria já começou em Minas. Antes da Dilma vir a BH anunciar a liberação de verbas para obras de mobilidade, foram fixados cartazes por toda BH com o dizer “Dilma, chega de mentira”. Isso está de acordo com as últimas notas do PSDB, o de fixar em Dilma o rótulo de mentirosa. Se você está esperando uma eleição diferente de 2010, a única coisa que mudará será a forma da baixaria. Basta você analisar as ultimas 3 eleições em Minas (prefeitura 2008, governador 2010 e prefeito 2012).

    • Cansei de ouvir essa conversa…

      Aqui, quando alguém comeća com esse discurso, tenho uma resposta-padrão:

      “Veja os números. Vá no site do IBGE ou outro instituto sério, compare o PIB, renda per-capita, salário mínimo, taxa de inflaćão, desemprego, inflaćão, taxa de juros, crescimento econômico, dólar, volume de negócios, balanća comercial, o que você quiser. Depois compare os períodos de governo PSDB e PT e veja por si mesmo quem é que está mentindo.”

  10. O consenso no Brasil é que o

    O consenso no Brasil é que o meio jurídico desmoraliza a Justiça,  Que o meio político desmoraliza a Política e que o meio executivo desmoraliza o Poder Executivo. Nossa esperança é que o Ministro Joaquim Barbosa aceite, num dia qualquer, o convite para candidatar-se à Presidência da República. A partir daí, novas esperanças de dias melhores…

    • jaoquim

      Lamentavelmente o ministro Barbosa nao soube lidar  com o poder ( teve erros grosseiros como presidente do supremo )

  11. Bela recapitulação dos esforços do Governo Nassif

    Parabéns pelo arrazoado sintético capturando mudanças substânciais no estrato social e econômico do Brasil.

    O caminho é longo e árduo para endireitar muitos anos de aventuras e descaminhos de governos sem compromisso algum com os mais fragilizados em nossa sociedade. O Governo Dilma será lembrado, como você bem ressaltou, por seus inúmeros avanços na área Social.

    Concordo com você, que o espaço democrático para a discussão de políticas públicas ficou muito reduzido, para não dizer inexistente e que várias decisões para despertar o espírito animal empreendedor dos brasileiros foram olvidadas, bem como com o grande acrescimo de nossa carga tributárias, de 37% do PIB com um investimento baixíssimo de menos de 2% são o grande nó econômico que se não for desatado irá naufragar o atual projeto.

    Penso que a sociedade como um todo possui uma inteligência muito superior a de meia dúzia de iluminados e que com um esforço realmente coletivo muitos dissabores podem ainda serem  evitados.

    Vamos à discussão dos problemas brasileiros!

  12. Discurso da Dilma em Davos

    Foi, praticamente, o mesmo discurso de “está tudo bem” que ouvimos no final do último ano. A grande camada votante ouve essa falação e, óbviamente, acredita. Esses votantes não foram devidamente instruidos, quando na escola, para verificar se o que se diz é realmente verdade. E ela sabe disso perfeitamente.

    Há algum tempo, recebi uma foto de uma rua de Havana, Cuba, onde havia um cartaz posto pela (real) ditadura cuabana que dizia pura e simplesmente: “Estamos Bien”.

    Aqui só se copia o que é ruim.

    • Discurso da Dilma em Davos

      “Estamos Bien”, em relação ao passado recente… estamos caminhando numa direção, próxima de uma realidade plural… em relação, a falta de instrução nas escolas, pertence ao um outro grupo político que não exerceu a democracia.

      • E o que temos agora é uma

        E o que temos agora é uma democracia ??? Esta carga tributária mantida e mais ainda carregada pela atual “administração” é uma democracia?? A constante vontade de censurar a imprensa pelo nosso ilustre ex presidente Lula é uma democracia??  Usar aviões da FAB para fazer implantes é uma democracia?? Lula mexer seus pauzinhos para enriquecer o filho Lulinha é uma democracia?? Coalisões do PT com Maluf, Sarnei, Collor…é uma democracia ???

        Pra  mim é: “Nossa missão é ficar no governo por 20 anos e encher os bolsos. Tudo em nome da democracia”.

        • Em matéria de censura de

          Em matéria de censura de imprensa só perdemos para a China e a Coréia do Norte!

      • Neste verão, na falta do

        Neste verão, na falta do original, tenho sentado para tomar umas em frente a um Pão de Açucar, aqui em Pinheiros, bairro de classe média de SP. A média de mercedes, bmws, jaguares e que tais é de aproximadamente um a cada qunze segundos. Estamos toditos mui malo!.

  13. janio de freitasAs Dilmas –

    janio de freitas

    As Dilmas – FOLHA

    “A Dilma Rousseff que foi a Davos não é a Dilma Rousseff que chegou à Presidência. Não é o oposto, mas é bastante diferente. Se nos princípios ou nos fins, eis a questão. Fernando Henrique e Lula, mal ouviram falar em Davos e seu pessoal, começaram a preparar as malas. A ida de Dilma, só agora no ano final do mandato, reflete dupla concessão. Uma, na concepção de políticas governamentais que a levavam a desconsiderar Davos, convicta de um Brasil capaz de cuidar de si mesmo. Outra, no seu diagnóstico do momento vivido pelo país e, em particular, pelo governo”

     

  14. Divida Publica de estados governados por tucanos

    Porque os estados tradicionalmente governados pelos tucanos e que aplicam o famoso CHOQUE DE GESTÃO, com estado Zero, enxugamento da máquina publica, privatização, terceirização, redução de custos e milhares de outras artimanhas para economizar para bem governar, SÃO OS QUE TEM AS MAIORES DIVIDAS DO PAÍS E ELA CONTINUA CRESCENDO, AO PASSO QUE NOS ESTADOS ONDE OS TUCANOS FORAM DERROTADOS, A DIVIDA ESTÁ DECRESCENDO?

     

    ENDIVIDAMENTO DE ESTADOS

    DÍVIDA CONTRATUAL INTERNA JUNTO AO

    TESOURO NACIONAL E AO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL
     

    Saldo devedor em NOVEMBRO/2013  e  saldo devedor em DEZEMBR0/2010

    ·   Acre …………………… 2.290.109.188,78

    Alagoas ………………. 7.859.130.863,55 – 6.751.867.185,58Amapá ………………..  1.323.723.930,99Amazonas ……………  2.940.281.767,19Bahia ………………….  7.644.832.344,98 –  7.736.224.351,33Ceará ………………….  4.147.179.104,85Distrito Federal ……   2.941.362.045,52Espírito Santo ……..   3.977.031.583,23Goiás ………………… 16.155.123.868,73 – 12.572.297.130,67Maranhão ……………   2.438.511.214,16Mato Grosso ………..   4.066.896.185,38Mato Grosso Sul ….    7.057.214.284,21 – 6.537.042.185,56Minas Gerais ………. 79.897.997.646,95 – 63.262.872.055,15Pará …………………..   2.567.149.863,76Paraíba ………………   2.012.288.192,29Paraná ……………… 13.212.796.156,44Pernambuco ……….   7.262.629.083,05 – 5.560.619.001,24Piauí ………………….   1.730.735.348,28Rio Grande Norte. ..   1.247.015.487,63Rio Grande  Sul ….. 47.265.063.538,00 –  38.949.590.205,44Rio de Janeiro ……. 57.432.213.145,46 –  45.766.387.212,66Rondônia ……………   2.197.610.847,61Roraima ……………..   2.236.186.133,80Santa Catarina …… 10.948.305.868,88 – 11.646.739.051,91São Paulo ………….202.587.396.659,37 – 170.576.262.866,78Sergipe ……………….  2.344.881.281,95Tocantins ……………   1.167.594.074,81

    FONTE:  http://www4.bcb.gov.br/fis/dividas/lmunicipios.asp?estado=PE&restart=00000000000

    . . . . .

    • Essa eu respondo:

      Porque o maior “apelo” dessa política é gastar menos para equilibrar as contas. Porém, isso significa retirar recursos de áreas importantes, social e economicamente falando. Quando o PSDB fecha um centro cirúrgico numa cidade pequena, alegando que centralizar o servićo vai reduzir custos, também deixa de pagar o médico, o enfermeiro, o técnico de laboratório, e eletricista que faz manutenćão nos aparelhos. Um dinheiro que deixa de entrar deixa de ser gasto no comércio local, que por sua vez deixa de recolher impostos, pois toda uma cadeia produtiva é desativada.

      Paralelamente, o centro cirúrgico na cidade grande não é capaz de atender a toda a região e, mesmo que fosse, não há transporte eficiente para o paciente, que acaba sendo obrigado a não se tratar até que a doenća esteja em estado crítico (aumentando o custo final do tratamento).

      Da mesma forma, políticas educacionais com a mesma visão tacanha são enfiadas goela abaixo da sociedade, criando uma geraćão inteira de jovens semi-analfabetos, sem qualificaćão para o mercado, que acabam se rendendo ao desemprego ou sub-emprego, por falta de općão. Mais uma vez, diversas cadeias produtivas são estranguladas, deixando de gerar riquezas e impostos.

      As políticas de bem-estar social como a Bolsa-Família, por mais que se diga que são paternalistas, têm uma visão macro-econômica de longo prazo. Tudo bem se a mãe vai gastar mal o dinheiro por causa da secular ignorância (leia-se falta de escolarizaćão adequada) do povo brasileiro, o que importa é que de alguma forma o dinheiro circula no mercado local (e não nas bolsas de Wall Street), gera empregos e o que é mais importante: a contrapartida de que o filho desta senhora vai se manter na Escola. Uma escola ruim, ainda, cheia de deficiências, mas ainda um ambiente escolar onde, bem ou mal, é melhor que as ruas e o assédio do crack.

      Esta crianća, se não será um PHD, também não será um catador de lixo. Será alguma coisa um pouco melhor, a longo prazo. Por pior que (ainda) seja nossa escola, alguma coisa esta crianća poderá aprender, e futuramente ter um emprego um pouco melhor, gerar um pouco mais de riqueza e pagar um pouco mais de impostos, enquanto os empresários terão uma mão de obra um pouco melhor.

      E assim se constrói um país desenvolvido: aos poucos, um degrau de cada vez, sem planos mágicos ou receitas neoliberais milagrosas.

    • Essa eu respondo:

      Porque o maior “apelo” dessa política é gastar menos para equilibrar as contas. Porém, isso significa retirar recursos de áreas importantes, social e economicamente falando. Quando o PSDB fecha um centro cirúrgico numa cidade pequena, alegando que centralizar o servićo vai reduzir custos, também deixa de pagar o médico, o enfermeiro, o técnico de laboratório, e eletricista que faz manutenćão nos aparelhos. Um dinheiro que deixa de entrar deixa de ser gasto no comércio local, que por sua vez deixa de recolher impostos, pois toda uma cadeia produtiva é desativada.

      Paralelamente, o centro cirúrgico na cidade grande não é capaz de atender a toda a região e, mesmo que fosse, não há transporte eficiente para o paciente, que acaba sendo obrigado a não se tratar até que a doenća esteja em estado crítico (aumentando o custo final do tratamento).

      Da mesma forma, políticas educacionais com a mesma visão tacanha são enfiadas goela abaixo da sociedade, criando uma geraćão inteira de jovens semi-analfabetos, sem qualificaćão para o mercado, que acabam se rendendo ao desemprego ou sub-emprego, por falta de općão. Mais uma vez, diversas cadeias produtivas são estranguladas, deixando de gerar riquezas e impostos.

      As políticas de bem-estar social como a Bolsa-Família, por mais que se diga que são paternalistas, têm uma visão macro-econômica de longo prazo. Tudo bem se a mãe vai gastar mal o dinheiro por causa da secular ignorância (leia-se falta de escolarizaćão adequada) do povo brasileiro, o que importa é que de alguma forma o dinheiro circula no mercado local (e não nas bolsas de Wall Street), gera empregos e o que é mais importante: a contrapartida de que o filho desta senhora vai se manter na Escola. Uma escola ruim, ainda, cheia de deficiências, mas ainda um ambiente escolar onde, bem ou mal, é melhor que as ruas e o assédio do crack.

      Esta crianća, se não será um PHD, também não será um catador de lixo. Será alguma coisa um pouco melhor, a longo prazo. Por pior que (ainda) seja nossa escola, alguma coisa esta crianća poderá aprender, e futuramente ter um emprego um pouco melhor, gerar um pouco mais de riqueza e pagar um pouco mais de impostos, enquanto os empresários terão uma mão de obra um pouco melhor.

      E assim se constrói um país desenvolvido: aos poucos, um degrau de cada vez, sem planos mágicos ou receitas neoliberais milagrosas.

  15. ……   ha sinalizaçoes

    ……   ha sinalizaçoes positivas e outras negativas mas o ponto comum eh um so:  nao temos LIDERES – alguem q tenha coragem de fazer a ruptura com o conservadorismo retrogrado, nem na politica, nem nas empresas, nem no campo, nem na universidade.  um verdadeiro abismo interminavel.

    vivemos de BBB e novelas grotescas da globo.  e politiqueiros corruptos eh claro.

    mas este ano tem eleiçao e talvez nao dê tempo para o pessoal do rolezinho se organizar crescer para outros estados e mostrar caminhos para os 1% q detem 50% da riqueza – a turma do rolex zinho…

    q Deus olhe por nos .

  16. bom redator .

    Na Realidade os Elogios são para quem Redigiu o Discurso , mesmo que tudo que ela falou lá , esteja ocorrendo justamente o Contrario , “não vai ter copa , Empresários fogem do Brasil ” .

    • Movimento #naovaitercopa

      Movimento #naovaitercopa reúne GATOS PINGADOS

      Primeiro ato conjunto do ano contra a realização do Mundial de Futebol no Brasil caminha para o fiasco; em São Paulo, das 22 mil pessoas que confirmaram presença, através das redes sociais, menos de 1 mil compareceram efetivamente; ato ocorre na avenida Paulista; outras cidades, como Rio e Brasília, também registram baixa adesão; em Goiás, onde o ato ocorreu pela manhã, apenas 100 pessoas foram para as ruas; no Twitter e no Facebook, a repercussão das manifestações que estavam previstas para ocorrer em 32 cidades é mínima; atos deste sábado em nada lembram as manifestações que ocorreram no ano passado em todo o país

      http://www.brasil247.com/pt/247/brasil/128181/Movimento-naovaitercopa-re%C3%BAne-gatos-pingados.htm

  17. Uma agenda para o segundo mandato

    O governo Dilma é realmente bom, e apenas a oposição, a mídia aqueles influenciados por ambos têm dificuldades em aceitar isso. No entanto, o país precisa de mais que isso para sair da sua condição de emergente para finalmente alcançar uma situação de alto desenvolvimento econômico, social e humano há tanto almejada. Um segundo mandato da Dilma, sem preocupações com a reeleição, poderia ao menos tentar mexer em certos “vespeiros” que têm um imenso potencial de mudar o Brasil. Seguem algumas sugestões:

    – uma reforma tributária de verdade (ao invés de desonerações ad hoc), que taxasse mais a renda e menos o consumo, eliminando ou reduzindo as deduções para a saúde e educação privadas. Os benefícios são inúmeros: menor custo das mercadorias, diminuindo o contrabando e aumentando o potencial do varejo brasileiro; mais justiça tributária, uma vez que a taxação consumo afeta muito mais os pobres que os ricos; incentivo à classe média para ao menos experimentar os serviços públicos, uma vez que o incentivo fiscal à utilização dos serviços privados seria eliminada; entre outros.

    – apoio mais intenso à aprovação do novo código penal, com todas as suas características modernizantes, tais como a liberação do aborto até 3 meses de gravidez, a discriminalização das drogas, entre outros. O ideal seria ao menos a legalização da maconha mas acho que isso ainda está no plano dos sonhos no Brasil.

    – flexibilização/revisão da CLT (iniciativa privada) e da lei 8.112 (dos servidores públicos). Não se trata necessariamente de reduzir direitos, mas de dar mais liberdade para os atores encontrarem soluções que atendem a ambas as partes. Um exemplo são as férias: sabendo que os 30 dias são inegociáveis, a forma de gozo do benefício poderia ser muito mais flexível: por exemplo, a contagem poderia ser de 22 dias úteis, sendo que cada mês de trabalho já dá direito automaticamente a 2 dias, que poderiam ser tirados de forma fracionada. No mundo atual não há o menor cabimento em forçar o trabalhador a tirar férias em apenas dois ou três períodos por ano.

    – criação de uma agenda de aperfeiçoamento da burocracia pública: adoção de mecanismos de avaliação que realmente funcionem, valorizando os melhores servidores em detrimento dos “penduradores de paletó”; racionalização da administração, com a diminuição dos ministérios e eliminação de órgãos redundantes; criação de novo modelo de seleção de servidores públicos, que diminua o poder da “indústria dos concursos” e permita a seleção de profissionais mais adequados às necessidades da administração (ao invés dos que apenas sabem/tiveram mais tempo para decorar leis).

    – apoio a uma reforma política que permita que o país saia das armadilhas do presidencialismo de coalizão: diminuir a quantidade de partidos, mudar o modelo de doações para campanhas, simplificar os regimentos da câmara e do senado, entre outras medidas possíveis e desejáveis.

    Certamente é uma agenda ousada, e que está longe de ser um consenso. Mas o fato é que, se o governo conseguisse atacar pelo menos alguns dos pontos acima, aí sim as chances da presidenta Dilma alcançar o panteão dos presidentes memoráveis do Brasil aumentaria muito.

  18. Pessimismo profissional

    A turma do pessimismo profissional está gritando aí mas não adianta. Estamos com problema com os cinquenta milhões de ex-excluidos consumindo e indo a shoppings, com um empresariado retrogrado que não sabe o que faxer com as oportunidades e reduçào de preço de tarifas. Estamos com problema porque construimos de uma só vez o que os tucanos nos tungaram durante 10 perdidos anos e nossas construtoras estavam despreparadas depois de anos paradas e perdendo capacidade técnica e gerencial. Nosso crescimento deu uma estabilizada porque encostamos na precariedade da infraestrutura que nos dixaram e falta de técnicos, mas estamos consertando isso.

    Projeto social exemplar, lutando contra desigualdade, indo ao encontro dos miseráveis, dando escola a todos, sem distinção de renda,e treinamento tecnico como nunca, construindo um ainfrestrutra de peso, produzindo alimentos e modernizando as metropoles. Levando agua a um nordeste sedento de séculos, etc. Construindo duas das maiores hidroeletricas do mundo e duas super refinarias.

    Tudo isso com tranparencia e abertura inedita no mundo inteiro. Com a festa da copa e da olimpiada a frente, viva.

    Temos problemas, desafios e corremos os riscos de quem avança muito. É tudo que qualquer brasileiro queria.

     

    • Estamos com problema com os cinquenta milhões de ex-excluidos

      Prezado  Nassif :

      Essa  afirmaçao  nao se sustenta.  Nao existe  evidencia  desses ex-excluidos.  apenas  observaçao  do fenomeno. E  essa  observacao  é  superficial.  Com isso  seu raciocinio  se  perde.

    • Redução de preço de tarifas

      Estão brincando ao falar em redução de preço de tarifas. Meu SPU, desde que o PT assumiu já subiu 1300%. As prefeituras que o  PT assume, a primeira coisa a fazer é aumentar o IPTU e ITBI. A Presidenta anunciou redução de tarifas de luz, mas aqui em casa cada vez aumenta mais o valor. Como aposentado, tenho que pagar todas as correções acima da inflação e meu salário cada vez menor. Acordem idiotas.

       

       

      • Redução de tarifas, Maurélio Corea Silva

        Minha vizinha reclamou-me do aumento do valor de sua conta de luz. Achei interessante analisar com ela aqueles valores e procurar motivos. Se os mesmos não existissem oirira com ela à concessinária aprofundando razões e soluções. Fiquei surpresa ao constatar que seu consumo havia ampliado sobremaneira. Fizemos então os cálculos comparativamente ao mês do início da redução e fomos então procurar possíveis causas e as  encontramos na compra e uso de novos aparelhos eletro – eletrônicos: dois ventilidores novos que ficam ligados atualmente o da todo; início de uso do  computador, pre-éxistente e sem utilização, por desconhecimento da filha que por trabalhar há um ano em loja de venda de sapatos, instruui-se possibilitando seu acesso em casa; aquisição de máquina de lavar….. 

        Poderia ser este o seu caso, afinal o calor está deveras insuportável……. 

      • Não te contaram….??  o PT

        Não te contaram….??  o PT criou nova lei onde burro, de agora em diante, pagará  mais imposto……por isso que os seus subiram tanto….vc foi descoberto…… mas também vc insiste em escrever besteira…..não deu outra. Aviso amigo….contenha-se…..caso contrário, não haverá dinheiro que chegue.

         

         

         

         

      • Não te contaram….??  o PT

        Não te contaram….??  o PT criou nova lei onde burro, de agora em diante, pagará  mais imposto……por isso que os seus subiram tanto….vc foi descoberto…… mas também vc insiste em escrever besteira…..não deu outra. Aviso amigo….contenha-se…..caso contrário, não haverá dinheiro que chegue.

         

         

         

         

      • Tm 13 anos que o PT governa a

        Tm 13 anos que o PT governa a cidade onde moro e o ITBI não aumentou, continua 2% sobre o valor das transações. O que aumentou por aqui foi o preço e o padrão dos imõveis.

        Ah. O IPTU também não aumentou.

  19. A trollagem que insiste em

    A trollagem que insiste em desfiar a cartilha urubologista publicada pela grande mídia não vai conseguir um único voto neste blog. Mesmo assim insistem em uasr os comentários para tentar passar mentiras e fazer contrapropaganda do governo.

    Teria alguma eficiência com pessoas que não se informam e seguem os bordões da mídia de forma acrítica. Mas aqui eles só demonstram, com suas mentiras repetidas ad nauseam, porém sem os argumentos que deveriam acompanhar as afirmações fantasiosas, que estão sem opções. Por isso embarcam na tentativa infrutífera de negar a realidade que os cerca.

    Que bando de trouxas. Tirando a trollagem profissional, que pelo menos está ganhando seu dinheiro, eles não conseguem obter o menor resultado com suas patacoadas.

    Mas por absolutam falta de opção, vão continuar repetindo as mesmas mentiras toscas de sempre, que não convencem ninguém.

  20. Nossa presidenta

    Depois de ter lido um belo discurso não redigido por ela, claro, Dilma foi para Cuba para encontrar-se com Raul Castro, inaugurar parte de um porto e agradecer o envio de médicos, escravos de um regime que a Dilma adoraria implantar aquí no Brasil, apoiada ainda pelos governos da Venezuela, Argentina, Colombia, etc.

         Em cuba é tudo maravilhoso, veja Havana, com seu imponente casario, carrões e gente feliz! É exatamente isto que queremos para o nosso país…

            

    • Quanta ignorância!

      O Blog hoje está invadido por criaturas que, com certeza, a qualquer indício de desafio, escondem-se debaixo das saias da mamãe ou mesmo da mulher!  Recalque de ter uma mulher competente e honesta na Presidência. Homens pequenos, que fingem que não sabem que, graças a essa mulher que lutou contra ditadores, foi presa e barbaramente torturada, é que eles têm o direito de, em democracia plena, vir aqui nesse espaço, tentar enlamear o que é feito de lisura e dignidade. Covardes, invejosos e hipócritas! Querem a volta de um FHC? Que tal Aébrio Neves ? Eduardo e Marina Itaú Natura? É inacreditável! 

      • Estranho né Marly?

        Estranho…

        Alguns assuntos atraem essa pessoal mais do que de costume. Olha que comento pouco, mas leio o Blog todos os dias e quase sempre percorro todos os comentários – saltando alguns evidentemente por já conhecer suas lenga-lengas – e não é que me aparece um Delmo Oliveira clamando fora pt e dizendo que falta credibilidade internacional ao Lula ?

        “Festa estranha com gente esquisita….”

        • Volte aos comentários!

          O blog está sendo invadido por pessoas com o único e feio propósito de falar mal de Lula e Dilma. Volte aos comentários, Luis!

    • Relmente, a Dima é uma pessoa

      Relmente, a Dima é uma pessoa desqualificada intelectualmente…. Pelo menos, seus discursos não são redigidos por ANALFABETOS FUNCIONAIS COMPLETOS DE NÍVEL SUPERIOR.

    • Caro Francisco,
      Pensei muito

      Caro Francisco,

      Pensei muito antes de vir aqui comentar o seu “comentário”. De qualquer modo, só consegui pensar em umas poucas palavras para te “responder”. Seu comentário não merece sequer ser considerado. Dilma já comeu todas as criancinhas (como sabiamente nos alertou Monica Allende, durante a corrida eleitoral de 2010) que podia durante estes últimos três anos. Ela está de pança cheia. Agora apenas trate de cuidar do que é seu, pois brevemente o governo autorizará os nossos pobres camponeses a invadirem seu apartamento e socializarem todos os seus pertences e de seus parentes. Não se espante se Evo Morales, Nicolás Maduro e até Fidel Castro (é verdade, ouvi boatos de fonte fidedigna de que ele não está, de fato, doente, mas apenas escondido organizando a nova revolução comunista que ocorrerá no Brasil) vierem a se tornar governadores de novas províncias que serão criadas com a redistribuição de nossa terra entre a população pobre de toda a aAmérica Latina. Se eu fosse você, dormiria com os olhos abertos ou fugiria do país, para um lugar mais confiável. Cuidado!!

       

  21. ECOS PARA DILMA:

    ECOS DO BLOG EM 2008/2009 CHEGAM EM 2014/20015.

    A FACULDADE UNIFICADORA DA RAZÃO PURA 

          (INQUISIÇÃO DO PROBLEMA E SUA REVERSÃO)

    Um império transformou o “ambiente externo” dos países em escritas de dividas. Versão I: As nações não têm legitimidade para dominar a própria  Economia; Falta um “meio exterior”. Como fazem os seus “fins”? O “desenvolvimento do valor” surge como títulos públicos ou exportações. 

    Reversão: uma manifestação exterior alcança etapas reais, e, ao invés de ceder predicados de sujeito da moeda ao império, perfaz a forma de ser no estado. Este estado só é possível se o lado público perceber que a primeira serie dos investimentos (para controle das sociedades de capitais) é ganha com o Todo da produção sobre o sistema em si, e a segunda serie, para todo  acréscimo da realidade bruta, é o sistema em si invertido, como regressus infinitum. 

    Versão II: Temendo que lhes sejam emprestados “capital externo”, 27 nações estão em acordo prévio com um fenômeno absoluto. E claro, é a alienação em bloco, que lhes oferece a chave para a dominação ilusória do “espaço exterior”. “Nessa idéia o Euro se torna o “meio” que a UE utiliza para ter um governo controlador do direito originário ao capital.

    DIAGNOSTICO: A cada passo a UE esgota, extremamente, o espaço das fronteiras solicitadas para expansão nacional no exterior; mas os limites estão em um e o mesmo encontro – incapaz de se mover e deslocar. Essa mera fusão trará conflitos no lado territorial: Paralelamente, o real deve dar efeito a uma razão que se encarna na forma estrutural (bancos). Logo, a questão impõe determinar a realidade no exterior – em que ela referencia a si mesma.

    ECO PARA VERSÃO I:

    A Ideologia da sociedade industrial pág. 148 – “Em outras palavras, teoricamente, a transformação do homem e a natureza não tem quaisquer outros limites objetivos que não os oferecidos pela realidade bruta da natureza, sua resistência, ainda não foi vencida, ao conhecimento e ao controle… Se a razão é o denominador comum do sujeito e objeto, ela o é como síntese dos opostos. Com essa idéia, a ontologia compreendeu a tensão entre sujeito e objeto  foi saturada de concreção.”                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                    

                 

     

     

        

                                  

     

     

    NO

    EST                                         

                                                –

    Liv

     

                                 

  22.       Nunca o conceito de

          Nunca o conceito de resiliência,  o qual afirma que um ecossistema tende a retornar ao seu estado Índia quando passado por um distúrbio, se encaixara tão bem ao Brasil quanto aos 13 anos de PT no Governo. Em que pese as contradições do partido, está claro que esse boicote a Copa representa o ápice das diversas tentativas do velho Brasil retornar ao estado basal, e assim não poder se mover, mesmo que por centímetros. As transformações que ocorreram no Brasil são visíveis e isso nem os conservadores podem negar. A relutância com que alguns ainda julgam pejorativamente o programa Bolsa Família e outras ações afirmativas deve ser encarada como algo natural em sistemas em transformação. Assim, até mesmo a velha mídia deve ser inserida nesse contexto. Ela faz parte das forças que querem que o ecossistema Brasil não seja transformado, repito, mesmo que  pouco, pelo distúrbio chamado PT. Os fatores que concorrem para o retorno ao estado basal atestam que esses distúrbios vão conduzir o Brasil ao estádio de uma Venezuela, ou  Cuba, ou até uma Coreia do Norte. Obviamente, esses fatores estão sendo contrabalançados pelo peso dos distúrbios gerados pelo PT: mais emprego e renda, e o que se percebe é que cegamos no ápice da competição. De um lado o Governo e do outro os fatores que insistem em dizer que querem mudanças para que nada mude. Apesar de ainda estarmos em passos mínimos em direção ao eu não sei o que, pois nem a Escandinávia é o que eu desejo para o Brasil, é provável que os 16 anos de PT  ficarão na história do Brasil como o período em que o ambiente foi alterado, seja para o bem ou para o mal, a depender de quem tiver a dose certa de sobriedade para escrever a história.

     

     

  23. A fala da Dilma Rousseff(PT/RS) em Davos

    Só pode ser gozação. O que falta ao governo da criatura do Luís Inácio Lula da Silva(presidente no paralelo) é credibilidade Nacional e Internacional. O resto é coisa de petista apaixonado e cego, não querendo enxergar o momento que vivemos no nosso Brasil. Vamos aguardar a Copa/FIFA e outubro. PT NUNCA MAIS!!!

    • Como estamos numa democracia

      Como estamos numa democracia e eu sou democrata, você pode falar o que quiser (ainda mais na internet…), mas tem algo na sua fala que me preocupou.

      Aparentementemente você quer tirar o PT para pôr outro grupo politico no lugar (ou implantar o “regime libertário”…). Tudo bem. Vou brigar com quem tentar lhe impedir de exercer esse direito.

      Mas o normal, se você for um democrata, é conclamar esse momento “de virada” para a próxima eleição, não? Democratas tiram ou botam pessoas do poder pelo voto, certo?

      Fazer isso fora desse contexto… é revolução ou golpe.

      É revolução? (!).

      É golpe?

      É uma conclamação à desestabilização da democracia?

      Com discurso de “democracia”?

      “Forças democráticas contra a democracia”? Isso tem… nexo?

      É esse o discurso? É esse o projeto? A sério?

      Aguarde a eleição, amigo. Governe bem, nos locais onde foi eleito, mostre competencia e – principalmente – arranje voto.

      Gente bem melhor, contra governos bem piores, por motivos morais bem mais confessáveis, já foi esmagado por aparelhos do Estado – Estado que não é legitimo como esse é.

      Os contratos da Copa foram assinados por mandatários (presidente, governadores, prefeitos, deputados, senadores, vereadores), todos, TODOS eleitos pelo voto direto democrático num regime de liberdade de expressão e pluripartidarista. Como assim “não vai ter Copa?”. O voto da maioria elegeram esses representantes é “descartável”?

      Ou o seu voto é “racialmente” melhor do que o voto da maioria que elejeu essa gente toda?

    • Não custa nada a DILMA ir até

      Não custa nada a DILMA ir até o PARAGUAI e perguntar ao presidente Paraguaio, como é que o país dele cresceu 14,7% em 2013,enquanto o Brasil teve PIB “0”.

       

      • Não custa nada a DILMA ir até

        Minha mulher é paraguaia e acabo de vir de lá, eu posso responder como o Paraguai conseguiu tal êxito: com uma pusta injeção de dinheiro americano que tenta se afirmar como parceiro ao país irmão para tentar minar as políticas de integração latino-americanas, após o golpe contra Lugo, país que inclusive  possuem uma base militar  coincidentemente!

         

      • Questão de patamar

        O PIB do Paraguai é parecido com o lucro liquido médio anual da Petrobrás. Ou uma fração do seu faturamento.

        Ou menos de 2% do nosso PIB.

        Ou seja, só o que crescemos em 2013 é mais do que todo o PIB de lá.

        Talvez seja um bom país pra vc começar a dar palpites inteligentes como esse.

        Não custa nada, vai pra lá.

        • Exato!

          A instalação de uma ou duas grandes indústrias, dessas que estão acontecendo às dezenas no Brasil, ou a colheita de uma super safra feita pelos “brasiguaios” já é suficiente para que o PIB paraguaio dê um salto. Aliás, se formos usar números absolutos como parâmetro, nos últimos cinco anos minha pequena e querida cidade, que fica bem aqui no Brasil, teve o triplo do crescimento chinês, já que nesse período aqui se instalaram uma hidrelétrica e um frigorífico que fizerem o PIB do município mais que dobrar!

    • ANALFUN’s é um pouquinho

      ANALFUN’s é um pouquinho demais.

      Fica, então, a sugestão de ANALFAFUN’S para todos esses analfabetos funcionais completos de nível superior.

  24. Não é de São Paulo ?

    Estamos aí, no meio de uma falta de Governo em são paulo, impostos elevados e falta de segurança, todos aqui estão em panico e o Governador fala bonito mais não resolve nada.É como diz o trolóló isto aqui estar um trolóló.

  25. Não é de São Paulo ?

    Estamos aí, no meio de uma falta de Governo em são paulo, impostos elevados e falta de segurança, é claro que todos que pode fugir de sp foge para não morrer ,aqui todos estão em panico e o Governador fala bonito mais não resolve nada.É como diz o trolóló isto aqui estar um trolóló.

  26. Segundo o Nassif, esse time é muito bom

    Há um sem-número de críticas quanto à forma do governo, às vulnerabilidades da política econômica, à insuficiência dos gestores. Critica-se a contabilidade criativa, a forma como foram distribuídos subsídios, as idas e vindas dos leilões de concessão.

    O comentário é mais ou menos assim: nosso goleiro é frangueiro, o atacante não faz gol há cinco anos, o meio de campo não sabe passar, a defesa não sabe marcar, mas, tirando tudo isso, o resto está bom.

    O essencial foi dito por Dilma nos seus dois discursos: o compromisso com a responsabilidade fiscal (a Dilma e o inacreditável tem isso?), com o controle da inflação (a Dilma e o inacreditável tem isso?), com o câmbio flutuante (o câmbio deveria estar muito maior) e com os investimentos privados em áreas cruciais (desoneração sem nenhuma lógica e financiamento ao Sr. Eike Batista com certeza são grandes estímulos ao crescimento do investimento privado), como da infraestrutura. E, claro, com a construção de um país de classe média, sem a pobreza aviltante que o marcou historicamente.

    Ênfase em investimento, inovação (!!?!!!) e educação (!!?!!!)

    Tá brincando, né Nassif …

    • O homem grande acredita em discurso de político

      Está claro que a defesa incondicional tem seus lados fracos. Mas, essa de acreditar que a presidente Dilma fará o que está no discurso. Basta ver o que ela faz. Em Cuba vai inaugurar um porto – que segundo dizem – moderníssimo. Que eu saiba ela é presidente do Brasil. Nassif andou pelas estradas brasileiras? Esse discurso já vem de longe, mas, a realidade.

      • Porto de Mariel gera mais de

        Porto de Mariel gera mais de 150 mil empregos no Brasil e US$ 800 milhões gastos integralmente na exportação de bens e serviços

         

        As obras de modernização do Porto de Mariel e sua estrutura logística exigiram investimentos de US$ 957 milhões, sendo US$ 682 milhões financiados pelo Brasil e o restante aportados por Cuba. Para aprovação do crédito, o BNDES acordou com o governo cubano que, dos US$ 957 milhões necessários, pelo menos US$ 802 milhões fossem gastos no Brasil na compra de bens e serviços comprovadamente brasileiros. Isso proporcionou a centenas de empresas brasileiras a oportunidade de participar do empreendimento, mediante a exportação dos serviços que prestam e dos bens fabricados no Brasil.

        Mauro Hueb, diretor-superintendente em Cuba da Odebrecht, empresa brasileira responsável pelas obras em sociedade com a Quality, companhia vinculada ao governo cubano, fala da contrapartida gerada para as exportações no Brasil.

        “É importante ressaltar que US$ 800 milhões foram gastos integralmente no Brasil para financiar exportação de bens e serviços brasileiros para construção do porto e, como consequência disso, gerando algo em torno de 156 mil empregos diretos, indiretos e induzidos, quando se analisa que a partir de cada US$ 100 milhões de bens e serviços exportados do Brasil, por empresas brasileiras, geram-se algo em torno de 19,2 mil empregos diretos, indiretos e induzidos”, explicou Hueb.

        […]

        Cesário Melantonio Neto, embaixador brasileiro em Cuba, destaca os ganhos para o comércio internacional do Brasil com a maior inserção do país na América Central e no Caribe.

        “O Porto de Mariel é importante para aumentar a inserção caribenha do Brasil. Evidentemente o Brasil tem uma inserção maior no nosso entorno regional, que é a América do Sul. O Brasil tem historicamente uma inserção menor na América Central e também no Caribe. Provavelmente, com a vinda de empresas brasileiras para se instalarem no Porto de Mariel, que é um porto que oferece uma série de vantagens fiscais, mais ou menos como o modelo das zonas de processamento de exportação (ZPE) no Brasil, com sistema de drawback, sem limite de remessas para múltiplos de dividendos, haverá uma maior presença comercial do Brasil, não só em Cuba, mas em toda a região. Essa que é a importância para o Brasil do Porto de Mariel”, diz.

        http://blog.planalto.gov.br/porto-de-mariel-gera-mais-de-150-mil-empregos-no-brasil-e-us-800-milhoes-gastos-integralmente-na-exportacao-de-bens-e-servicos/

         

         

        • Ruy, Só faltou citar o fim do

          Ruy, 
          Só faltou citar o fim do “embargo” dos EUA imposto a Cuba, que por si só justifica o empreendimento…

      • Puxa Ruy usando propaganda

        Puxa Ruy usando propaganda oficial, que decadente

        O Ruy parece um oficial do partido comunista na antiga  URSS, ou da STASI.

        Não se faz mais intelectuais orgânicos como antigamente.

         

  27. ecos de Dilma em DAVOS

    Pena que não cumpriram o que sempre malhavam o FHC, O LEGITIMO REAJUSTE DA TABELA DO IMPOSTO DE RENDA ,O FIM DO FATOR PREVIDENCIARIO, A CORREÇÃO DO FGTS ETC ETC ETC , NUNCA MAIS PT. 

    • Coxinha fria frita em óleo de soja.

      Oi Vitor, enquanto você passava sua adolescência jogando viodegame no Windows 95, eu passei 8 anos sem reajuste da tabela do I.R. O que isso significa? Que minha renda não aumentava, só era corrigida um pouco abaixo dos índices inflacionários, Em outras palavras, meu imposto de renda aumentava todo ano. Onde estavam você, seu pai, sua mãe, seus avós que não saíram na Avenida Paulista para protestar? Só saíram para protestar quando a tarifa de ônibus aumentou vinte centavos sob o Haddad! Por que vocês protestaram, se faz quinze anos que você não anda de ônibus nem metrô?

      • Este Alvaro, além de saber da

        Este Alvaro, além de saber da vida do Vitor, sabe também da dos pais e até dos avós… O blog tem alguns videntes também…

  28. Só elogio

     Se  “Os ecos de Davos foram plenamente favoráveis à presidente Dilma Rousseff. No World Economic Forum, o mais importante evento do capitalismo mundial, sua fala recebeu elogios gerais, conforme a cobertura dos jornais brasileiros.”, então porque nós estamos discutindo o assunto?

    É a turma que é contra a copa? Todo mundo é a favor, mas uma minoria da minoria é contra, direito deles, mas nós vamos ficar discutindo sobre estes inexpressivos contendores.

    Viva a Dilma,  agora com aplausos no exterior e por que conhece do assunto. 

  29. Aaah,

    Ah, esses excessos de “cavalheirismos” com chutes na canela NÃO AJUDAM a elevar o tom do debate:

    “Critica-se a contabilidade criativa, a forma como foram distribuídos subsídios, as idas e vindas dos leilões de concessão. Embora sejam críticas consistentes…”

    Críticas consistentes!!!?

    Consistentes onde? Consistente e pesrsistente é a propaganda política (fora de hora e lugar.)

    Quem não entende o orçamento que pergunte como funciona; quem não entende a contabiliodadade que volte pros bancos escolares, ora, ora.

    Vão ficar deitando ideologia sem saber como a banda toca?! E ainda por cima tirando onda de sabichões!!?

    Tudo isso com condescendência para com quem não é capaz de um mínimo de reciprocidade!!?

    Ah, muito chique também!

    • “contabilidade criativa” é

      “contabilidade criativa” é uma frase que não quer dizer nada e portanto quem é acusado disso não tem como provar que é mentira.

      Repetindo essa mentira eles querem passar para o acusado (o governo) o ônus da prova, insinuando o absurdo de que o governo é que tem que provar que a contabilidade está certa.

      Até hoje nenhum dos boçais que falam em “contabilidade criativa” explicou o que é isso.

      No começo da introdução desse novo bordão nonsense dos mentirosos eles até que tentaram apontar erros na contabilidade do governo, erros que não eram erros. A medida em que cada suposto erro contábil que apontavam era analisada de forma séria a mentira era esclarecida. Não sobrou nenhuma das alegações e por isso mesmo começaram a repetir ad anuseam essa historinha de que houve “contabilidade criativa” desistindo de apontar onde haveria o erro e ficando na generalidade de uma mentira sem base factual.

      Criativa é a mente dos tucanalhas quando se trata de inventar mentiras.

  30. discurso e elogio internacional à presidente da república do Bra

    A presidente da república do Brasil é muito bem quista “lá fora”, prova são os repetidos elogios recebidos. Agora, vamos perguntar aos “doentes daqui de dentro”, dos assalariados “daqui de dentro”, da ganância dos empresários, dos atravessadores que não produzem nada a não ser especulação e inflação propositais “daqui de dentro”, dos preços dos remédios e dos tratamentos médicos “daqui de dentro”, do custo de vida “daqui de dentro”, enfim, são tantos “daqui de dentro”, que não caberia aqui neste espaço; enfim, vamos perguntar ao nosso povo trabalhador honesto e digno, se há algum elogio para a presidente da república? Em tempos em que nosso país está profundamente mergulhado em problemas complicadíssimos como a “doença pública”, sim, pois, a doença passou há muito tempo na frente da saúde, basta virar a cabeça de um lado para o outro pra se perceber que a cada 50 metros há uma farmácia. E lá está ela garantindo a festança para os ricos internacionais: bilhões dos cofres de dinheiro arrancado do povo honesto, trabalhador e digno, para fazer praças de futebol. Bilhões para campos de futebol, tem! Mas alguns milhões para sanear ou pelo menos melhorar um pouco o sistema de atendimento da doença do povo, pra isso não tem! Estranho, né? Será que a presidente da república do Brasil mereceria elogios? Não da minha pessoa.

    • Aprovação pessoal e do

      Aprovação pessoal e do governo aumentando, pesquisas de opinião apontando vitória no primeiro turno e a população sem dar a menor bola para as mentiras que os coxinhas tentam espalhar (e que só convence eles mesmos).

      Alguns mentem dizendo que o discurso da Dilma não foi bem recebido em Davos (sendo que qualquer um pode verificar que foi e o próprio Nassif reconhece no seu texto), outros por perceber que é ridícula essa negação da realidade repetem mais uma vez a cantilena mentirosa dizendo que o País está em falência sem preceber que é uma postura igualmente fantasiosa e que não convence ninguém. E tem aqueles que querem ser para lá de ridículo e querem até mandar nas escalas do avião presidencial como se entendessem de aviação mais do que a aeronáutica.

      TUDO ISSO É PROVA INEQUÍVOCA DE DESESPERO

  31. Blá blá blá’

    Meu Deus, 
    Inacreditável o que estou vendo …. Alguém assistiu no Globo News os debates?… a participação rídicula do Brasil. 
    Caro Nassif, não o conheço mas desde já fico triste com sua matéria. Me lembrei do livro 1984, onde todos eram vigiados, não havia liberdade e a história era mudada conforme interesses .. inclusive o próprio passado era apagado e implantado um falso passado. Cito o livro pq vi sua matéria e ela acho q ela deveria estar num portal de humor.. .. nem sei o que falar de sua interpretação.
    Dilma falou de um Brasil q não é o nosso .. mentiu ao falar (insistir) que é a iniciativa privada q esta bancando totalmente os estádios… kkk.. quem investiria pesado em estádios como os de NATAL e MANAUS??…  futuros elefantes brancos. Dilma minorou nosso problemas, parecia tratar-se de um “quase” paraíso. E ainda usou de expertise para fugir das perguntas do mediador,  ao estourar propositadamente o tempo de discursso repetindo coisas já faladas e vendendo gato por lebre…
    O próprio fato de ela ter ido ao forum.. foi convidada em 4 vezes, recusou 3 – nos anos anteriores….o desespero levou-a a tentar sensibilizar o mundo capitalista…. mas os grandes investidores, ao contrário do Brasil, são bem acessorados e eles sabem melhor do Brasil do que os próprios brasileiros. Pra que tentar mascarar?!
    Já a participação de Guido Mantega.. hahahaha.. pôs toda a culpa nos países desenvolvidos.. deu até papiltes econômicos sobre a China.. provocou risos no representante da China. Parecia tenso e tangenciava suas respostas…  e falava sempre na importância dos BRICs… Já o representante da África do Sul questionou o que ele próprio fazia ali numa reunião dos BRICS.. falando q o único fato q o unia aos demais países era uma sigla da moda… 

    • O que dá para entender de seu

      O que dá para entender de seu bla blá blá ridículo é que você quer criticar na marra e não tem nem argumentos nem talento para disfarçar a falta deles. Por isso fica fazendo comentários idiotas, crivados de má-fé e sem conexão com a realidade.

      Dá gosto ver a exasperação desesperada da tucanalha.

      • O rei do Ad hominem

        Velho, sério, você só rebate argumentos atacando o argumentador, desse jeito você não soma nada à conversa.

         

        • E quem disse que o Ruy e

          E quem disse que o Ruy e associados desejam  somar algo eles querem dividir e subtrair. 

    • É muito baixo nível!
      Vamos

      É muito baixo nível!

      Vamos ter que inventar uma sigla para “analfabetos funcionais de nivel superior completo”?

      ANAFUN’S?

  32. Independente do discurso

    Independente do discurso burocrático, e do texto para lá de otimista do Nassif, a realidade é a seguinte:

    Só em janeiro os fundos internacionais já tiraram de países emergente mais de US 5 bi

    E esse movimento tem sido contínuo a mais de 13 semanas, maior perído desde 2002, as quais já foram tirados mais de U$ 20 bi, sendo a América Latina a região que mais teve retirada de investimentos estrangeiros, em decorrência da expectativa da estabilização da política monetária americana, e consequente aumento dos juros e o dólar mais forte….

     

     

    • Investimento não se

      Investimento não se “tira”.

      Se você investe na construção de uma fábrica, como a BMW está fazendo aqui perto, em Araquari, ou se você compra a participação em uma empresa, você não abandona isso de um dia para o outro.

      O que está saindo é o capital especulativo, e nesse caso, acho burrice também, já que o Brasil está pagando novamente uma das maiores taxas de juros do mundo.

      • Vc diria que esse empréstimo

        Vc diria que esse empréstimo que o BNDES de 400 milhões de euros que foi tanto festejado na semana passada foi “especulativo”? Então se prepare, pois vai minguar cada vez mais…

        • Eu disse que esse dinheiro

          Eu disse que esse dinheiro que está SAINDO é capital especulativo, não investimento.

          O dinheiro que está ENTRANDO, pode ser especulativo ou para investimento. Depende para o que está sendo usado.

          • Esse tal de Zanchetta é um

            Esse tal de Zanchetta é um troll e sempre vai desconsiderar os argumentos que desmontam suas mentiras. Vai continuar repetindo a mentirada sem se importar que já esteja desmoralizada.

            Ele usa o modus operandi tucano formado por mentiras, insídia e má-fé.

  33. Ecos de Davos

    Prezado jornalista Nassif. A julgar pela entrevista que a Angela Merkel deu sobre a Dilma os ecos não foram favoráveis……ao contrário ,desfavoráveis….. ATT> Antonio J. Alves

  34. Dilma Rousseff detonou em

    Dilma Rousseff detonou em Davos… e Aécio Neves mostrou o quanto está detonado no Brasil. Ele limitou-se a atacar pessoalmente Dilma Rousseff porque não tem programa de governo ou porque estava completamente embriagado?

    • “porque não tem programa de

      “porque não tem programa de governo ou porque estava completamente embriagado?”

      Observem que falavam o mesmo de Lula.

      Quando o presidente Lula quase deportou um reporter pq o chamou de bêbado a esquerdolância aplaudiu.

      Agora ela usa o mesmo expediente, e depois fica chorando que os adversários usam de baixaria na campanha quando é ela que é baixa.

  35. Será que o PSDB vai entrar

    Será que o PSDB vai entrar com novo processo de propaganda eleitoral antecipada contra Dilma por causa do discurso em Davos?

  36. matéria escrita por nassif que tem bom conteúdo

    O que lamentavel é ver aqui pessoas que parecem nem ter lido a reportagem colocando ideologias ultrapassadas e colocando posições partidarias acima dos interces do país, ainda tenho o sonho de ver pessoa scomprometidas com o que tem de bom na politica verdadeira a que prega o bem comum.

    • A Secretaria de Comunicação

      A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República divulgou nota neste domingo (26). Confira a íntegra da nota:

      “Não é verdade que a comitiva presidencial tenha feito qualquer escala desnecessária em Lisboa.

      A escala técnica era obrigatória. Dependendo de condições climáticas, o Airbus 319 presidencial tem autonomia média em torno de 9 horas e 45 minutos, tempo insuficiente para um vôo direto entre entre Zurique e Havana. A opção por Lisboa foi a mais adequada, já que se trata do aeroporto mais a oeste no continente europeu com possibilidades de escala técnica.

      Não é verdade que a presidenta tenha passado o sábado em Lisboa. Ela lá chegou às 17p0, e lá pernoitou, seguindo viagem na manhã seguinte. A decisão de fazer um vôo diurno foi tomada pela Aeronáutica a partir da avaliação das condições meteorológicas, que permitiram que o trecho Lisboa-Havana fosse coberto no domingo em 9 horas 45 minutos.”

      • Mas a comitiva não precisa

        Mas a comitiva não precisa pagar 30 apartamentos no FOUR SEASONS e no RITZ, os dois hoteis mais caros de Lisboa.

        A Presidente ok mas porque todos tem que ficar em hotesi 5 estrelas?

  37. Os ecos de Dilma

    em DAvos ,,,,Parece que a gastança e a comilCa em Lisboa foi muito boa também! Dai-lhe dinheiro do contribuinte! Deveria se mirar no exemplo de Mujica mais afeito a simplicidade! Típico comportamento da esquerda caviar a senhora Dilma!! Literelmente deve ter rolado muito caviar! Depois vai para cuba encontrar com o grande cumpanheiro 

    • Os tucanalhas estão cada vez

      Os tucanalhas estão cada vez mais ridículos e cada vez mais mentirosos.

      Agora querem mandar que a aeronáutica no plano de vôo do avião presidencial, além de querer que a presidenta durma no albergue da juventude e jante no balcão da Pizza Hut, como se algum presidente já tivesse feito isso.

      É DESESPERO

      Por não ter o que criticar, inventam essas mentiras ridículas. Basta a Dilma fazer uma viagem e eles começam a repetir a mentira dos gastos excessivos. Em outras ocasiões fui atrás pára conferir as afirmações dessa [tu]canalha e constatei que a Dilma sempre viajou com a mesma comitiva que TODOS os outros presidentes viajavam, que por sinal não destoa das comitivas de outros presidentes de países de mesmo porte do Brasil e que a hospedagem e os gastos de viajem sempre foram iguais aos de todas viagens anteriores de todos os presidentes.

      O que mudou então para os [tu]canalhas estarem repetindo ad nauseam essa mentira de gastos excessivos?

      É DESESPERO

      Vejam o pronunciamento da presidência a respeito de mais essa mostra explícita de DESESPERO da tucanalha:

      http://blog.planalto.gov.br/nota-a-imprensa-20/

      Nota à imprensa

      A Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República divulgou nota neste domingo (26). Confira a íntegra da nota:

      “Não é verdade que a comitiva presidencial tenha feito qualquer escala desnecessária em Lisboa.

      A escala técnica era obrigatória. Dependendo de condições climáticas, o Airbus 319 presidencial tem autonomia média em torno de 9 horas e 45 minutos, tempo insuficiente para um vôo direto entre entre Zurique e Havana. A opção por Lisboa foi a mais adequada, já que se trata do aeroporto mais a oeste no continente europeu com possibilidades de escala técnica.

      Não é verdade que a presidenta tenha passado o sábado em Lisboa. Ela lá chegou às 17p0, e lá pernoitou, seguindo viagem na manhã seguinte. A decisão de fazer um vôo diurno foi tomada pela Aeronáutica a partir da avaliação das condições meteorológicas, que permitiram que o trecho Lisboa-Havana fosse coberto no domingo em 9 horas 45 minutos.”

      Secretaria de Comunicação da Presidência da República

      • Seu comentário foi ótimo Ruy.

        Seu comentário foi ótimo Ruy. Essa de “dormir no albergue da juventude e jantar no Pizza Hut foi de uma ironia excelente.

  38. Bom, 
    Eu só queria dizer que

    Bom, 

    Eu só queria dizer que quando sustentei que o caminho para o futuro passava pelo Capitalismo, me tacaram pedras.

    Mas dia sim, outro também, o Nassif posta comentários que concordam comigo. Quero ver vocês baterem nele.

    abs,

    R

     

  39. “O essencial foi dito por

    “O essencial foi dito por Dilma nos seus dois discursos: o compromisso com a responsabilidade fiscal, com o controle da inflação, com o câmbio flutuante e com os investimentos privados em áreas cruciais, como da infraestrutura “

     

    FOI DITO, MAS E A PRÁTICA? Na prática, o governo pratica a irresponsabilidade fiscal, a falta de controle da inflação (o centro da meta não serve mais pra nada). Não vale nem a pena falar de câmbio flutuante… O sr. Nassif mesmo é um dos que defende câmbio flutuante, desde que seja num determinado valor (acima de R$ 2). 

  40. Se em Davos foi só elogio

    Se  “Os ecos de Davos foram plenamente favoráveis à presidente Dilma Rousseff. No World Economic Forum, o mais importante evento do capitalismo mundial, sua fala recebeu elogios gerais, conforme a cobertura dos jornais brasileiros.”, então porque nós estamos discutindo o assunto? Tem ótima avaliação interna e agora vem uma manifestação inequivoca positiva externa, querem o que?

    Criticar o que? E se por acaso os ecos fossem negativos, teríamos aqui o aplauso do aécio e desta turminha que acha que tudo está mal. Embora tudo esteja bem e se compararmos em termos internacionais estamos ótimos.

    Se a Dilma disse que os estádios foram feitos pela empresa privada, como foram, em vez de aplausos vamos dizer que ela mentiu? Mentiu como? Com o pig e a oposição dos 3% queredo detonar tudo? Com a transparência incrivel das contas do governo, tudo aberto? Contratos mil vezes verificado pelas mps de sp.

    Os black blocs entraram aqui no blog? Eles carregam molotov no bolso, cuidado?

    Por falar em pig, vocês viram a homogeneidade do pig ao falar do atual “governo” e “presidente” do Egito. Mas os caras não deram o golpe militar brutal ontem mesmo, derrubando um presidente eleito? Não são amigos do ditador derrubado pelo povo e amiginho dos inimigos do povo do Egito, …e ganham estatus de “governo”, numa boa? São amigos do pig é claro. É dos dele. O pig adora notícia comprada de certas agencias, também compradas.

  41. O discurso é absolutamente

    O discurso é absolutamente irrelevante, a presença foi importante mas a sequencia é que conta, nenhum sinal de contenção de gastos, Lisboa com 30 apartamentos no Four Seasons e no Ritz para a cupinchada, depois parada em Cuba para doar mais dinheiro à moribunda ditadura, no Brasil o governo não controla as ruas, péssimo sinal.

    Precisa muito mais do que Davos para recuperar os US$300 bilhões que não foram investidos nos ultimos 3 anos por empresas estrangeiras. Sinais de austeridade tem fantastico retorno de imagem de qualquer Governo.

    • o bléc bloc

      O espírito blac bloc ás vezes passa acima do galmour que o aa tenta manter nos informando sobre importantes famílias da querida monoarquia do pais do churchil. Repetiu o senador dias, incrível.

    • espirito de vira latas

      O mota.

      Avisa a BW prá cancelar o investimento na construção de fábrica em SANTA CATARINA porque o BRASIL é uma merda, afinal precisamos ‘recuperar os US$300 bilhões que não foram investidos nos ultimos 3 anos por empresas estrangeiras.’

       

      Mais, ‘parada em Cuba para doar mais dinheiro à moribunda ditadura’. Se fosse prá ficar de quatro pros norte americanos aí taria tudo bem…..

    • Motta….
      É a 5ª economia do

      Motta….

      É a 5ª economia do mundo e representação de governo.

      Você queria que se hospedacem na pensão da Maria Zé Manuel, onde a gente se hospeda?

      Quer dizer, você eu não sei?

      Afinal, onde você se hospeda?

  42. Ridículos

    Esse pessoal da oposição sabe ser ridículos.

    Teria tudo pra fazer críticas ao governo de forma honesta e real,
    mas se limita a fazer crítica por fazer e sempre buscando mentiras
    e e dados distorcidos.

    Já tem gente pedindo uma oposição com padrão FIFA.

    A cada dia nota-se o distaciamento dessa oposição com a realidade
    que a sociedade brasileira vive. Uma sinalização disso é a própria
    pesquisa mostrando as intenções dos eleitores com relação a reeleição
    da Dilma, diante desse quadro a oposição se desespera e faz tolices
    monumentais, como entrar como representação contra a Dilma por falar
    com a sociedade vestida de vermelho, quando a cor da era Salmão. (não importa).
    Pedir o afastamento da Presidente por que desejou Feliz Natal aos brasileiros.
    Pedir a saída da Dilma porque ela fez escala em Portugal sem falar
    nada com a Globo ao Estadão. Gastaou de mais com a comitiva. Tinha uma pensão
    baratinha e ficou em hotel caríssimo, Tinha McDonald’s e ela foi num restaurante
    super caro. E não só ela e um monte de gente da comimitiva. Ela deveria levar
    umas 3 pessoas, mas só pra gastar nosso dinheiro, levou mais de 30 pessoas.

    Aqui pra nós, dizer que eees pessoal é ridiculo é pouco. 

    Se continuarem agindo assim sernão atropelados em outubros de forma
    vergonhosa, pois a população jea notou o quanto eles são fraquinhos.
    Fraquinhos e tolos, pois a internet tá aí mostrando tudo o que se passa
    hoje na vida do país.

     

  43. No curto prazo um pais mais justo torna-se menos eficiente

     

    Luis Nassif,

    Você diz:

    “É evidente que, com Ministros mais eficientes, com visão técnica mais apurada, com maior abertura na discussão de políticas públicas, o caminho seria mais fácil. Mas não é o essencial. No máximo, provocam algum atraso no deslanche da economia”.

    Gostei no trecho transcrito da sua conclusão: “No máximo, provocam algum atraso no deslanche da economia”. O problema foi não ter dado uma dimensão para o “algum atraso”. Algum atraso seria medido em segundos, minutos, horas, dias, semanas, meses, anos, décadas, séculos, milênios, etc.? Eu particularmente considero que “algum atraso”, neste caso, pode ser medido em segundos e talvez dê mais de um minuto.

    É claro que o tamanho de “algum atraso” dependeria do tamanho do mais. Se por “ministros mais eficientes” você está se referindo a ministros de eficiência absoluta em contraposição a ministros de ineficiência absoluta supondo que no centro da escala estariam ministros mortos e, portanto, de eficiência nula, ai talvez se poderia dar uma dimensão maior para o “algum atraso”. A ineficiência absoluta talvez seja dimensionável, mas a eficiência absoluta eu não creio que seja dimensionável em se tratando de seres humanos.

    Agora para uma realidade mundial o dimensionamento de algum atraso precisaria que se soubesse se um ministro sueco, por exemplo, seria mais eficiente do que um ministro brasileiro e então se faria comparação do quanto representaria a maior eficiência entre o ministro brasileiro e um ministro sueco. E também teria que ser dimensionado o quanto a visão técnica do ministro sueco seria mais apurada.

    Esqueci-me de referir a outro aspecto sem fornecimento de escala e que é a necessidade de maior abertura na discussão de políticas públicas. O problema ai é que vivendo há um bom tempo na comunidade europeia, é muito difícil um sueco ter maior abertura na discussão de políticas públicas do que um brasileiro.

    De todo modo, tudo isso dimensionado fica a questão em saber se o ministro sueco iria trabalhar para um país com as dimensões da Suécia ou do Brasil, com uma máquina pública com o nível de escolaridade da Suécia ou do Brasil, com uma população com o nível de escolaridade da Suécia ou do Brasil?

    No fundo não acho que o problema seja técnico. É um problema ideológico que para você traz poucas diferenças. Como problema ideológico, ele só poderá ser resolvido na eleição de 2014, ainda que para você ideologicamente todos iriam para um mesmo lugar.

    Penso que a ideologia consegue fazer mais diferença do que a competência. Há um quadro no post “Obama and the One Percent” de domingo, 26/01/2014 às 11:38 am no blog de Paul Krugman que mostra o quanto é diferente a carga tributária do IR sobre os mais ricos em um governo de Republicanos e em um governo de Democratas. O link para o post “Obama and the One Percent” é:

    http://krugman.blogs.nytimes.com/2014/01/26/obama-and-the-one-percent/?_php=true&_type=blogs&_r=0

    Enfim, para mim, competência praticamente não conta e ideologia conta, mas eu não saberia precisar o quanto conta. De todo modo enquanto puder faço as escolhas daqueles que estão mais próximos da minha ideologia. E é claro que a minha avaliação da proximidade é comparativa, avaliando uma ideologia com outra. E utilizo como critério de comparação a aproximação de uma ideologia com o princípio de justiça e a aproximação com o princípio de eficiência. Dou preferência à ideologia que sobrepõe o princípio de justiça ao princípio de eficiência, sabendo que na maiorias das vezes os dois princípios estão em oposição. Um país cresce mais rápido se ele cresce de modo desigual do que se ele cresce com mais igualdade.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 27/01/2014

    • Esqueça essa tara de

      Esqueça essa tara de igualdade e tente ser diferente (e melhor!) que os outros!

      Desigualdade não significa pobreza e igualdade não significa riqueza. Um povo pode ter igualdade, mas serem todos iguais na pobreza. Da mesma forma, outro povo pode, apesar da desigualdade, garantir um nível de vida satisfatório para os mais pobres.

      A prova disso é que a desigualdade medida pelo Coeficiente GINI, revela algumas coisas bem interessantes:

      A Etiópia é um dos países mais igualitários do mundo. É inclusive mais igualitária que a média dos países da União Européia. Outro que também está entre os mais igualitários é o Paquistão.
      Mas onde é que existe mais pobreza? No Paquistão e na Etiópia ou na União Européia?

      O Timor Leste é mais igualitário que Espanha, Canadá e França

      Bangladesh, outro país que concentra massas de miseráveis é mais igualitário que Irlanda e Nova Zelândia.

      A Índia é mais igualitária que o Japão.

      O Malawi é mais igualitário que o Reino Unido.

      • Os desprovidos da tara da igualdade precisam ser mais lógicos

         

        Calvin (segunda-feira, 27/01/2014 às 23:43),

        A sua idéia de que a luta por mais igualdade seja uma tara é o que há de novo no seu comentário. Os dados que você apresenta são muito velhos e me parece que eles estão longe de guardar qualquer relação com a sua idéia inicial.

        De todo modo, se a idéia de igualdade for uma tara, trata-se de uma tara que acomete a humanidade há muito tempo. E se considerar que em todo lugar onde os governantes são eleitos pelo povo há uma busca pela maior igualdade é de se imaginar que a tara da igualdade é apanágio da maioria e que só uma minoria é desprovida desta tara.

        Um dos esforços que os que possuem a tara pela igualdade precisam realizar é evitar que esta minoria se transforme em uma minoria excluída. E eles tem tido êxito nesta empreitada também porque quase todos Estados Democráticos de Direitos possuem regras constitucionais de proteção às minorias de tal modo que elas não sejam excluídas e sejam tratadas em um mesmo plano de igualdade.

        Entre as grandes idéias que a tara pela igualdade já produziu, eu menciono a escola fundamental obrigatória e gratuita (Alguns já evoluíram e oferecem também o ensino médio e o nível superior). Obrigatoriedade e gratuidade que só se justificam sob uma ótica humana em razão da busca de igualdade. É claro que o olhar desumano vai dizer que a obrigatoriedade do ensino fundamental é para que os melhores possam contar com uma massa de trabalhadores mais capacitados para que eles possam proporcionar mais riqueza para os melhores.

        A tara pela igualdade só consegue ter êxito se ela for feita mediante um Estado mais forte. É claro que a prevalência do olhar desumano pode utilizar o Estado no sentido contrário ao desejado pela maioria que possui a tara da igualdade. A história tem mostrado, entretanto, que o que prevalece na ação do Estado é o olhar humano em busca da igualdade. E a ação do Estado orientada pela prevalência do olhar humano e não do olhar desumano, prevalência que requer grandes esforços pela igualdade, tem sido exitosa. Assim, muitos países apresentam índices de GENI melhores do que no passado. E em razão da necessidade de recursos para se êxito na busca da igualdade, os países que melhoram o índice de GENI apresentaram no período um aumento da carga tributária, ou seja, um aumento da presença do Estado. Então, o Estado, que é um instrumento de dominação dos poderosos, produz, quanto mais ele cresce, se se mede este crescimento pela carga tributária, mais igualdade.

        Não é por outro motivo que a Alemanha, mesmo governada pela direita quando da queda do muro de Berlin, engendrou um grande esforço de desenvolvimento da parte oriental da Alemanha de tal modo que todos os habitantes dos dois territórios ficassem em condições de maior igualdade. Para isso foi preciso aumentar a carga tributária.

        Então é isto: a tara pela igualdade é dominante, não cria obstáculos à pessoas que querem ser diferentes, recomenda que as pessoas sejam boas, mas não critica as pessoas que querem ser melhores e não considera promissor as pessoas que querem ser mais fortes e ou maiores. E por fim quem luta pela igualdade imagina que os que são desprovidos da tara pela igualdade estão em minoria e devem ser protegidos para que não sejam excluídos e sabe que para alcançar o desiderato de melhorar o índice de Geni em direção a maior igualdade é necessário de um Estado forte.

        Clever Mendes de Oliveira

        BH, 28/01/2014

  44. A esquerda

    caviar literalmente come caviar e mutio pelo visto.Não repeita o dinheiro do contribuinte, mas gosta de nomear todos como burguesia maldita.E viva a esquerda caviar com suas diárias astronômicas e gastos desnecessários! Afinal de contas se economizamos com o fator previdenciário e a não correção do FGTS pela inflação, as econmias feitas tem que serem gastas com alguma coisa útil: que gastemos com jantares caríssimos e com hóteis 5 estrelas mais caros ainda! Porque com certeza todos os defensores da esquerda caviar se calam.Sim se calam! E por favor não vem com esse papinho de que as pessaos acham que esquerdista deva ser federonto e não tomar banho.Isso é resumir a esquerda caviar em muito pouco! Ser esquerda caviar é fazer o que dona Dilma fez e fará! 

  45. O ineficiente (justo) hoje pode ser o eficiente amanhã (injusto)

     

    Luis Nassif,

    Ao transcrever sua frase “É evidente que, com Ministros mais eficientes, com visão técnica mais apurada, com maior abertura na discussão de políticas públicas, o caminho seria mais fácil. Mas não é o essencial. No máximo, provocam algum atraso no deslanche da economia”, eu pensei em mostrar que sua frase, na melhor das hipóteses ou sendo bem condescendente, é apenas um truísmo. Um truísmo sem valor, pois de que adianta sabermos que ministros mais eficientes com visão técnica mais apurada nos permite encontrar o caminho mais fácil. É claro que é um truísmo para os que têm uma visão tecnicista. Os que não possuem esta visão tecnicista questionam a frase.

    Agora quanto a dizer que “com maior abertura na discussão de políticas públicas, o caminho seria mais fácil”, eu não chamaria de truísmo e muito menos consideraria este dizer como próprio de quem tem uma visão tecnicista. Até por que me parece o contrário. Um tecnicista vai dizer que o sucesso da Europa em oferecer uma vida com mais igualdade do que a que o Brasil oferece aos brasileiros é em muito decorrente da pouca abertura na discussão de políticas públicas uma vez que lá tudo já foi previamente demarcado por técnicos: a inflação não pode ser superior a 2% ao ano, a dívida pública não pode ser superior a 100% do PIB. O déficit público não pode ser superior a 3% ao ano e assim vai. Aliás, acho que a frase é mais para você agradar a gregos e troianos. Os tecnicistas foram contemplados e também vão identificar-se com o que você diz aqueles que querem uma democracia com mais participação popular nas decisões políticas.

    Enfim a sua frase que transcrevi, nem chega a ser propriamente um truísmo. Trata-se mais de senso comum ou de modismo, mas que no meu entendimento está bem próximo de uma falácia. Em resumo a frase não diz nada e se disser alguma coisa esta alguma coisa provavelmente é falaciosa.

    Faço esta complementação porque vejo com muita frequência críticas suas aos ministros de Dilma Rousseff, mas que não são críticas diretas e que são construídas com afirmações que contem modismo nem sempre consistentes. No mês passado eu ia fazer uma crítica a você junto ao post “As discussões sobre a taxa Selic” de quinta-feira, 05/12/2013 às 07:00, em que eu apontava como é frequente a sua crítica aos ministros de Dilma Rousseff com essas frases que se constituem em opinião pessoal de grande aceitação entre os comentaristas independentemente da ideologia que professam, mas que, quando bem verificadas, não passam de afirmação sem comprovação prática ou mesmo tendo na prática prova em contrário do que você afirma.

    O post “As discussões sobre a taxa Selic” originou de um comentário de conteúdo mais técnico feito pelo Henrique O. M. Reis Jr.  que questionara bastante afirmações suas junto ao post “Como o mercado enredou o Banco Central”. O endereço do post “As discussões sobre a taxa Selic” é:

    http://jornalggn.com.br/noticia/as-discussoes-sobre-a-taxa-selic

    No post “As discussões sobre a taxa Selic”, você não chega a utilizar dessa forma de argumentação. Mas em comentário que você enviou quinta-feira, 05/12/2013 às 18:50, para junto do comentário de Henrique O. M. Reis Jr, enviado quinta-feira, 05/12/2013 às 17:29, há margem para se ver uma critica indireta sem muita consistência, mas de fácil assimilação como verdadeira por um leitor mais desatento. Em seu comentário você só diz:

    “Não existe linha alguma nessa política econômica do Mantega. É improviso sobre improviso”.

    Quer dizer, mesmo que Guido Mantega fosse absolutamente avesso ao planejamento, seria impossível, dadas as condicionantes das políticas públicas no Brasil, ter-se uma política econômica sem linha ou feita na base do improviso sobre improviso. É frase, entretanto, aceita porque todo leigo sem nenhum conhecimento de políticas públicas tem uma frase assim como verdadeira. Devo ir lá no post “As discussões sobre a taxa Selic” para mencionar este post “Os ecos de Dilma em Davos” como exemplo desta crítica um tanto enviesada que você com frequência publica.

    E diria que a frase que transcrevo a seguir e retirada deste seu post “Os ecos de Dilma em Davos”, de domingo, 26/01/2014 às 06:00, tal é o grau de inconsistência ou de fragilidade que ela apresenta, foi escrita no afogadilho. Diz você:

    “Há muitos ajustes a se fazer. Tem-se um ambiente econômico anti-empreendedorismo, um Banco Central que recuou na caminhada anterior, de romper com dogmas de mercados e contas externas pouco favoráveis. E há um rombo preocupante nas contas externas”.

    A primeira inconsistência é mais de redação apressada e estilo, dando a frase um conteúdo um pouco obscuro. Ainda que soasse repetitivo eu preferiria o uso do verbo haver em lugar do verbo ter na voz passiva reflexiva. E assim eu construiria o texto acima da seguinte forma:

    “Há muitos ajustes a se fazer. HÁ um ambiente econômico anti-empreendedorismo, HÁ um Banco Central que recuou na caminhada anterior, de romper com dogmas de mercados, e Há contas externas pouco favoráveis, APRESENTANDO um rombo preocupante”.

    Do jeito que você escreveu não ficam claro os três pontos em que os reajustes precisam ser feitos: 1) no ambiente econômico anti-empreendedorismo, 2) no Banco Central e 3) nas Contas Externas.

    O problema maior na frase, entretanto, não é ter sido escrita no afogadilho transparecendo certa nebulosidade. O problema é a correção do que se afirma. Como, por exemplo, como você ficaria se tivesse que responder a questionamentos a respeito do ambiente anti-empreendedorismo no Brasil. Como falar nesse ambiente se provavelmente, excluindo a China e a Índia, o Brasil é o país onde surgiram mais novos empresários em 2013? Só não cito a China e a Índia, porque desconheço os dados daqueles países.

    E qual era a caminhada anterior do Banco Central que rompia com dogmas do mercado? Você já tratou desta questão em outros posts, mas em todos eles perdura a obscuridade como a que levou ao comentário de Henrique O. M. Reis Jr que junto com uma grande explicação sua levou ao post “As discussões sobre a taxa Selic”.

    Esta referência ao Banco Central serve até para contrapor à sua idéia de se exigir “ministros mais eficientes, com visão técnica mais apurada”. A inflação atingiu em 2013 ao teto de 6,5%. É de se imaginar que atingir ao teto é de uma eficiência a toda prova. Esta suposta eficiência, no entanto, não ocorreu quando se considera que a inflação de 2013 foi superior a de 2012. E poderia ter sido menor, para o que bastaria que o aumento do preço da gasolina tivesse sido adiado.

    Então a inflação maior em 2013 do que em 2012 é realmente prova de ineficiência dos ministros do governo. E talvez ai haja comprovação da sua afirmação sobre a ineficiência dos ministros do governo de Dilma Rousseff.

    Fico pensando se esta ineficiência do governo não foi calculada. Uma inflação maior em 2013 obriga o Banco Central a manter o aumento do juro por um prazo maior. Um aumento maior da taxa de juro vai gerar menos inflação no período da eleição e ao mesmo tempo com uma taxa Selic maior o governo terá mais margem de manobra para enfrentar a fuga de dólares. Fuga que se deve observar em razão da recuperação americana com a perspectiva de aumento do prime rate. É claro que se foi isso que ocorreu, o que eu não acredito, o governo está sendo extremamente competente.

    E que se relembre que eficiência e justiça andam em oposição. Se o governo foi eficiente em grau tão elevado ao fazer com que a inflação de 2013 fosse maior do que a de 2012, criando uma falsa justificativa para o aumento de juro em 2014, então o governo está sendo extremamente injusto com a oposição. E provavelmente também injusto com o Brasil se se ficasse demonstrado que, com juro menor e mais desvalorização cambial, uma inflação um pouco maior em 2014, ano em que provavelmente os juros americanos devem começar a subir, seria a mais benéfica para geração de emprego e permitiria manter com mais vigor o atual ritmo de melhoria da distribuição de renda no Brasil.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 27/01/2013

    • o link , se estiver correto

      o link , se estiver correto ,leva  a uma matéria de 2012  !! e  aborda uma reclamação de Dilma feita durante o CEbit da feira de Hannover ( Dilma critica enxurrada de euros),  e à réplica de Merkel falando sobre a sobrevalorização do real . Nada , absolutamente ,a ver com Davos 2014

  46. Premissas equivocadas de Luís Nassif

    O renomado jornalista se equivoca em algumas premissas:

    1) O discurso de Dilma em Davos não foi bem recebido. Veja-se a reportagem do Financial Times, importante jornal britânico de economia: http://blogs.ft.com/beyond-brics/2014/01/28/davos-wrap-em-winners-mexico-and-losers-brazil/#axzz2rtQd1wlO

    2) O PSB de Eduardo Campos é muito bem definido como de esquerda. Veja-se trecho de seu programa partidário (disponivel em http://www.psb40.org.br/fixa.asp?det=1):

    PROGRAMA

    Classes Sociais – O estabelecimento de um regime socialista acarretará a abolição do antagonismo de classe.
    Socialização – O Partido não considera socialização dos meio de produção e distribuição a simples intervenção de Estado na economia e entende que aquela só deverá ser decretada pelo voto do parlamento democraticamente constituído e executada pelos órgãos administrativos eleitos em cada empresa.
    Da Propriedade em Geral – A socialização realizar-se-á gradativamente, até a transferência, ao domínio social, de todos os bens passíveis de criar riquezas, mantida a propriedade privada nos limites da possibilidade de sua utilização pessoal, sem prejuízo do interesse coletivo.
    Da Terra- A socialização progressiva será realizada segundo a importância demográfica e econômica das regiões e a natureza de exploração rural, organizando-se fazendas nacionais e fazendas cooperativas, assistidas estas, material e tecnicamente, pelo Estado. O problema do latifúndio será resolvido por este sistema de grandes explorações, pois assim sua fragmentação trará obstáculos ao progresso social. Entretanto, dada a diversidade do desenvolvimento econômico das diferentes regiões, será facultado o parcelamento das terras da Nação em pequenas porções de usufruto individual o­nde não for viável a exploração coletiva.
    Na Indústria – Na socialização progressiva dos meios de produção industrial partir-se-á dos ramos básicos da economia.
    Do Comércio -A socialização da riqueza compreenderá a nacionalização do crédito, que ficará, assim, a serviço da produção.

    Percebe-se que, com tal programa, o PSB não se situa à direita (mais liberal), mas possivelmente até mesmo à esquerda do PT.

    3) “O maior desafio foram as eleições de 2010. O exorcismo de José Serra foi o desafio final para a consolidação desse modelo. Tivesse sido eleito, a economia teria parado e Serra estaria buscando os álibis nos inimigos externos.”.

    Com Dilma, a economia está parando (taxa média de crescimento do PIB de 2%, inadequada para uma população tão jovem como dispomos, e com inflação alta, de cerca de 6%) e o governo constantemente busca os álibis nos inimigos, externos (os “países desenvolvidos”) e internos (a “guerra psicológica da imprensa golpista”).

    Parece que o jornalista se olvidou de analisar os fatos de maneira isenta. Bela maneira para contribuir para o estado de coisas do Brasil.

    • À esquerda da direita

      1) Engraçado, os países europeus estão numa crise danada, mas tem jornais econômicos que sabem de tudo. Só não souberam ajudar o seu próprio país a não entrar na crise mundial. Eles sabem tudo o que é bom para os outros, mas nunca aplicam o mesmo remédio para o seu país de origem. E, quando os economistas do governo do seu país fazem m…. , nunca o retratam como imbecis, como tentam fazer com o governo brasileiro atual. Eu sou brasileiro, tenho nível superior, trabalho numa grande instituição e estou muito confiante no meu país. E não haverá nenhum jornalzinho do primeiro mundo que me tirará a confiança no meu país.

      2) Se o PSB é de esquerda, então ele deve ser ideologicamente canhoto. Programa socialista todos os  partidos tem. Vai ver o programa do PSDB, do DEM e principalmente do PPS. São todos socialistas. Vê se não está escrito que é tudo pelo social.

       

      3) Temos uma crise enorme lá fora, que não chegou ao Brasil. Chegou? Então só vc está sentindo. É óbvio que, só uma pessoa que nasceu em 2002 poderá criticar duramente este governo, pois não conheceu os anteriores. Agora, se a pessoa tiver um pouco mais de idade e de maturidade, ela poderá os governos anteriores com o atual. Qual era melhor para o senhor? A ditadura? Sarney? Color? FHC? Não me faça rir. 

           Se o senhor deseja contribuir para este país com uma análise isenta, faça a comparando governos. Do contrário fica uma análise vazia. Seria a mesma coisa que eu dissesse para alguém que o atleta João do Pulo, só conseguia pular 17,89 metros. Quem ouvisse e não conhecesse o esporte, pensaria logo, ele deve ser um péssimo saltador. Mas acontece que esta marca na época, deu a ele o título mundial de salto triplo, com quase meio metro a frente da marca anterior. Então, ele ganhou a medalha porque comparativamente foi o melhor. E não porque exista uma marca absoluta que algum atleta atinge é se torna o melhor. Concluindo: o governo Dilma/Lula tem defeitos, mas ainda é o melhor e eu voto no melhor. E eu não recebo bolsa família.

  47. Que tal trocarmos o discurso político-econômico?

    Ainda que este artigo tenha sido direcionado à fala da Presidente Dilma no contexto do fórum de Davos, me causa estranheza essa supervalorização da economia quando falamos de Brasil. É claro que o superávit na balança comercial e um PIB elevado são importantes, mas penso que todo texto que pretenda fazer uma análise político-econômica brasileira precisa, necessariamente, ser contundente naquilo que se mostra mais urgente em nossa realidade – a nossa crise social, que é crônica e gravíssima. Ficar falando de política e economia sem a devida ligação e ênfase com o nosso drama social é alimentar um discurso que não nos faz falta, pois já conhecemos de longa data. A meu ver, a nossa urgência passa pela política, sim, mas a partir de um processo de revisão da própria política. Não é construindo Coliseus por aí e nos projetarmos como potência econômica mundial que vamos minimizar o nosso caos doméstico. Antes disso, é um processo de dentro para fora, onde a valorização do cidadão (leia-se, todas as pessoas) é imprescindível e impostergável.

  48. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome