Para entender melhor a queda das exportações para os EUA

Enquanto os 9 produtos de maior peso representam 55,7% das exportações para a China, para os EUA representam apenas 29,7%

Vamos por partes.

Primeiro, não se pode negar a importância cada vez maior da China no fluxo de comércio do Brasil e na formação de saldos comerciais. Nem negar a importância cada vez menor dose EUA nas exportações totais do país.

No quadro abaixo, você confere. Enquanto a China saltou de 20,55% das exportações para 33,42% no acumulado até agosto, em relação ao mesmo período do ano passado, os EUA caíram de 17,12% para 12,21%.

Enquanto a China responde por 72,38% do saldo comercial, os Estados Unidos participa com -6,14% – ou seja, gera déficit comercial.

Além disso, a diplomacia comercial brasileira é totalmente submissa a Donald Trump. Fez concessões aos produtores americanos, sem nenhuma contrapartida do governo Trump.

Mas quando se analisa especificamente a queda das exportações brasileiras para os EUA, é necessário pontuar os efeitos do Covid-19 na economia.

Em relação às exportações totais, no acumulado do ano para a China houve aumento de 14,04% – em relação ao mesmo período do ano passado. Para os Estados Unidos, queda de 17,9%.

Para ambos os países, a maior queda foi em derivados de petróleo, devido à paralisação da aviação civil e do trânsito interno em geral. Mas, enquanto para os EUA o Brasil exporta óleos combustíveis, para a China exporta óleo bruto. Essa é uma diferença essencial. As exportações para a China são essencialmente de commodities; para os EUA são mais diversificadas. Além disso, a China é consumidora de commodities agrícolas; os EUA são produtores e, como tal, competidores do Brasil.

A maior alta nas exportações para os Estados Unidos foi de equipamentos de engenharia civil; para a China, de soja.

Leia também:  Coronavírus: EUA tem quase 500 mil casos em uma semana; Europa enfrenta novos bloqueios

Enquanto os 9 produtos de maior peso representam 55,7% das exportações para a China, para os EUA representam apenas 29,7%,

 

 

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

4 comentários

  1. Cinco vezes a população dos (EUA) a China (um bilhão e meio de habitantes) maior população do planeta e a mais desenvolvida conquistando a supremacia sócio-política-econômica e cientifica de todo planeta com suas gestões com crescimento acima 6%a.a. desde 1994 com sua “Social Democracia de Esquerda” que deve ser respeitada e exemplo a ser seguido pelo Brasil.

    9
    1
  2. E TEM BABACA esperando que os EUA algum dia venham a fazer algum FAVOR aos Brasileiros. NUNCA fizeram NADA a não ser impor DITADURAS E NOS ROUBAR. Agora estão levando a Petrobras , de graça.
    APROVEITO para pedir aos ECONOMISTAS deste grupo que façam o que tem que ser feito:
    1 – EXPLIQUEM a essa turma do governo atual que o BRASIL tem SÓ 30 milhões de CONSUMIDORES , OU SEJA, gente que pode comer que quer, quando quer, onde quer. que pode ir a CINEMA , TEATRO, FUTEBOL, RESTAURANTES, que pode VIAJAR de avião, de ônibus, que tem CARRO (E PODE ABASTECER), QUE TEM POUPANÇA E INVESTIMENTOS. que pode comprar eletroeletrônicos, roupas, etc, etc, etc,

    QUE O BRASIL TEM 180 MILHÕES de Trabalhadores(já sem direitos e quiase ESCRAVOS) , Pobres e MISERÁVEIS que GANHAM MENOS DE TRES SALÁRIOS MÍNIMOS, ou seja, suficiente apenas para se alimentar, pagar moradia(aluguel/prestação) E ALGUNS, água, luz e outros a conta do celular dos filhos.
    VEJAM E CONFIRMEM PELAS DECLARAÇÕES DE IMPOSTO DE RENDA.
    NÃO TEMOS CONSUMIDORES……….SEM CONSUMIDORES NÃO HÁ ECONOMIA EM CRESCIMENTO.
    PEÇAM QUE A IMPRENSA PARE DE MENTIR

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome