Raio X da indústria automobilística 2019: mercado estagnado, por Luís Nassif

Apenas em exportações houve alguma recuperação, mas que se perdeu com a crise da Argentina, nosso maior mercado externo.

Vamos dissecar os números da indústria automobilística em 2019, dados até novembro.

Análise 1 – os números gerais

Confira a tabela. Em relação aos 12 meses acumulados até novembro de 2018 houve um crescimento de apenas 1,0% no geral, de 1,2% no segmento automóveis, queda de 2% em comerciais leves, alta de 8,8% em caminhões e queda de 4,1% em ônibus.

Em relação a novembro de 2014, a queda é trágica: 33,3% no total, 30,3% em automóveis, 40,4% em comerciais leves, 59% em caminhões e 46,2% em ônibus.

Análise 2 – os números decompostos

Vamos ver os dados de cada segmento – automóveis, caminhões e ônibus – em comparação a 2014, nos segmentos mercado interno, produção, exportações, vendas internas + exportações. Há uma queda generalizada em todos os indicadores. Apenas em exportações houve alguma recuperação, mas que se perdeu com a crise da Argentina, nosso maior mercado externo.

Análise 3 – projeções

Os dados gerais de 2019 mostram estagnação do mercado em relação a 2018. Mas há duas análises possíveis: a de que o ano começou morno, mas se acelerou no fim; ou o ano permaneceu morno até o fim.

A maneira de medir é comparar o acumulado de 12 meses até novembro de 2019 com o acumulado 3, 6 e 12 meses antes. Essas linhas indicam tendências de curto, médio e longo prazo. Se forem ascendentes, significa que dentro de algum tempo haverá recuperação proporcional das vendas; e vice-versa.

A não ser alguns sinais tímidos de recuperação das exportações, as linhas mostram um mercado estagnado ou em queda.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora