Se Levy tocar, Dilma dança

Ministérios são locais de acertos políticos. Sem minimizar a competência técnica, é onde se montam as alianças com partidos e grupos de interesse – dos setores econômicos aos sociais.

Não se governa isolando-se em uma frente única – seja de esquerda ou de direita.

Mas há uma área crucial que é a econômica. É por aí que se define o ritmo do governo. De certo modo, é o gestor econômico que seleciona as prioridades, não apenas nos limites orçamentários, mas nos critérios de cortes.

Aparentemente, DIlma Rousseff desistiu de ser a solista da economia. Faz bem. Mas não pode abrir a mão da regência. E deve conter sua principal característica: a dos gestos heróicos.

Quando assumiu, pretendeu dar um choque na inflação. Derrubou a atividade econômica.

Depois, decidiu dar um choque nos juros. Trouxe a taxa Selic para razoabilíssimos 7,5% ao ano. Ao primeiro sinal de inflação (provocada por choques internacionais em preços de alimentos), piscou e resolveu dar novo choque na inflação.

Quando o PIB arriou novamente, resolveu dar um choque de crescimento. E arrebentou com as contas públicas.

A próxima etapa da presidente dependerá de quem colocar na Fazenda – que é o MInistério que comanda de fato os instrumentos macroeconômicos.

Os perfis de executivos

Vamos entender melhor perfis de executivos.

Há o CEO, o executivo com visão estratégica da empresa, que sabe medir a relevância de cada área, definir prioridades, montar um plano estratégico e colocá-lo em operação.

Leia também:  Confissões confirmam Golpe de 2016, por Márcia Lia

E há o financeiro ampliado. É o executivo com bom domínio sobre as contas, capaz de analisar os planos do CEO, avaliar sua viabilidade, propor ajustes etc. Tem domínio sobre as contas mas não sobre a lógica da empresa.

Nos anos 80 e 90 tivemos casos de empresas colocadas sob as ordens do financeiro. Saiu cortando custos, desmontou departamento essenciais, em pouco tempo conseguiu colocar a empresa no azul. Para equilibrar rapidamente as contas, deixou a empresa com um nível de faturamento incompatível com os desafios de disputar mercado. E a empresa quebrou.

É mais ou menos o dilema entre colocar ou Joaquim Levy ou Nelson Barbosa na Fazenda. Segundo alguns jornais, Levy adiantou que quer carta branca. Se entregar a Joaquim Levy, ele será o regente indemissível e virá um novo choque pela frente.

Choque fiscal significará derrubar ainda mais uma demanda já precária. Efetuará os cortes para uma previsão xis de PIB. Os cortes ampliarão a queda do PIB e obrigarão a mais cortes – se o PIB, e não a meta de superávit for a variável de ajuste.

Significará ampliar de forma radical os cortes nos ministérios, interrompendo programas.relevantes – que já estão afetados pelo contingenciamento branco da atual Secretaria do Tesouro. Significará enfraquecer todos os demais Ministérios.

Levy é o homem de custos.

Não se espere dele definir o que é ou não é prioritário. Ele tem cabeça de contador – no melhor mas no mais restritivo sentido. Não tem a menor sensibilidade ou conhecimento para selecionar programas essenciais para o desenvolvimento (de ciência e tecnologia a programas sociais).

Sua estratégia única é a de mercado: basta aumentar o superávit e cortar investimentos públicos que o espaço será automaticamente ocupado pelo setor privado.

Leia também:  O jogo dos juros, o impacto na economia e na Globo, por Luis Nassif

Poderá garantir a manutenção do grau de investimento a um preço caríssimo. E não trará para Dilma o apoio do mercado ou da economia. A economia desabará, as tensões sociais se ampliarão.

Tudo isso em um quadro em que a oposição busca o impeachment. Quando o tiroteio se ampliar, as passeatas em favor da Dilma terão apenas funcionários da Standard & Poors. Aliás, nem eles, porque se definidas metas de superávit radicais, não serão cumpridas.

Nelson Barbosa é defensor de um ajuste gradual. Nelson já antecipou sua estratégia, definindo tetos para os diversos tipos de gasto em um horizonte factível de médio prazo.

Ele não é homem de mercado, como Levy, mas é interlocutor que o mercado respeita.

As agências de risco não querem gestos heróicos. Com os erros monumentais cometidos na crise da Argentina de Cavallo, sabem que gestos heróicos têm desdobramentos trágicos. O que garante a confiabilidade das políticas fiscais são planos claros e politicamente viáveis, metas factíveis de médio prazo que, ano a ano, sejam cumpridas.

Levy seria o melhor solista para monitorar o plano, para avaliar a sua consistência. No Banco Central, poderá ser o grande transformador que faltava, para uma política consistente com a Fazenda, de mudar a estrutura de títulos públicos e fazer nova investida para a trazer a Selic para níveis civilizados.

Se colocá-lo como maestro, a orquestra toca e Dilma dança.

94 comentários

  1. A impressão que eu tenho é

    A impressão que eu tenho é que Levy não aceitaria um cargo em que não tivesse o poder de cortar gastos. Chefiar o BC não chega a ser bem isso. Só consigo entender sua nomeação como uma concessão aos mercados financeiros em termos de cortes de gastos. Não creio também que este possa estar subordinado a Nelson Barbosa para cumprir a sua tarefa.

  2. E depois da dança voltará

    E depois da dança voltará para seu emprego garantido no bancão. Simples assim. O resto que se exploda.

  3. Enfim, alguém alerta para

    Enfim, alguém alerta para quem é Joaquim Levi.

    PHD pela escola de Chicago. Já diz tudo. Além disso foi do FMI e aluno de Armínio Fraga

    Parece que o PT tem amor pelos Joaquim

  4. Dança

    Dança sozinha, Nassif. Perde o que lhe resta do apoio dos que votaram nela e começam a se sentir enganados. Como disse, Ciro: “com um ministério desse, ela se reeleger foi um milagre”. O ministério continua a ser ouvido e a influenciar todas as mancadas  a que estamos assistindo, inclusive com o vazamento de notícias para a mídia, justamente por quem, na Casa Civil, deveria zelar pelo sigilo.

  5. Se Levy tocar, Dilma está salva

    O problema brasileiro nem de longe é igual ao espanhol ou português. Não existe essa história de que a nossa inflação foi provocada por choque externo, pois se fosse o caso ela não seria tão persistente com atividade econômica tão baixa. Nossa inflação é prioritariamente de serviços, provocada por uma política de descontrole da oferta monetária, política de crédito com emissão de moeda sem base na arrecadação, e intervenção no mercado de trabalho.

    Não sei se Nelson Barbosa seria bom ou não, mas é claro que tem de haver um choque depois de 4 anos desastrosos de política econômica. Estou falando contra meu interesse pessoal, mas é claro que os gastos governamentais tem que ser contidos. Isso deu certo em 2003, e vai dar certo agora.

    A demanda irá se recuperar rapidamente assim que houve rumo na economia e os ajustes forem feitos.

    Falta ainda a Petrobrás, quase destruída nesse governo, vamos ver se a Dilma mantém a amiguinha dela na Presidência da empresa, que é no mínimo incompetente e não percebeu o que está acontecendo por lá. Estarrecedor o virtual silêncio do blog em relação às picaratagens relatadas na Mídia, esqueçam um pouco a Veja e o Sérgio Moro e foquem na gestão da Petrobrás. Vamos concordar que, se não houve desonestidade, então a gestão da empresa simplesmente não consegue manter um orçamento dentro do estimado, o que é um desastre.

    Não existe programa social sem arrecadação saldável, e quem garante isso hoje em dia no Brasil quase foi exterminado pelo primeiro mandato do atual governo. Concordo com a tese de que o país não estará bem se o andar de baixo não estiver bem, mas a sociedade que produz também precisa de um governo que não atrapalhe.

    PS: Se soubesse que a Equipe Econômica seria a que está para ser anunciada, teria votado na Dilma…

    • LC,
      Tinha jurado dar uma

      LC,

      Tinha jurado dar uma pausa no blog. Só leitura e reflexões. Mas teus comentários me fazem “ferver” o sangue.

       Quem disse, ou mesmo só palpitou, que a nossa inflação foi provocada por choque externo? 

      Tu escreves: “Nossa inflação é prioritariamente de serviços, provocada por uma política de descontrole da oferta monetária, política de crédito com emissão de moeda sem base na arrecadação, e intervenção no mercado de trabalho”.

      Definição desse teu “diagnóstico”: samba do aprendiz de economista lelé da cuca. Vamos traduzir: a inflação está em processo de alta pelo aumentos dos preços dos serviços que por sua vez foram originários de uma oferta monetária(diaboéisso?), ou seja, o BACEN emitiu mais moeda e por consequência colégios, cabeleleiros, táxis, restaurante aumentaram seus preços. No samba, a emissão está diretamente relacionada com a arrecadação. Morri!

      Aí vem o troço de que a Petrobrás quase foi destruída e blá blá….

      Amigo, tenho o maior respeito pela opinião de outros, mas convenhamos….esse teu comentário….Sabe aquele mote de “se beber não dirija…..” Vale também para comentar, sabia?

      Com todo o respeito, claro.

  6. Se desafinar pode dançar

    Segundo essa analise, parece que trocamos Gianetti por Levy… Dilma sabe o que esta fazendo ? Deve saber, tudo isso deve ter sido discutido e rediscutido com assessores, ministros, Lula. A decisao final pode ter sido dela, o que não me parece completamente, mas o nome não chegou até ela por acaso. Olha a conjuntura politica [econômica] que vivemos! 

    Matenga tinha la seus pontos fracos, mas era um ministro eminentemente petista. Levy me parece mais da banda da Marina ou do Aécio e sendo assim, se não houver consenso em pontos chaves, a banda vai tocar em descompasso. Mas quem vai dançar ao final ? 

     

    • Justamente

      Justamente, o problema está nos atuais assessores e ministros, Maria Luiza. Estou falando dos ditos “da casa”, os mais próximos. Piores não poderiam ser, em matéria de ideias aproveitáveis.

  7. O desastre mesmo é achar que
    O desastre mesmo é achar que o salvamento da lavoura pertence aos economistas e suas idéias parciais e segmentadas e nao à capacidade de governo que, aí sim, concebe um plano, define uma estratégia, possui métodos…

    Como diria o nobre poeta, o desastre sulamericano está na soma das instituições frágeis com governantes incompetentes. Nestes, um engano de duplo grau: nao sabem que nao sabem governar.

    Enfim, a questão não é o xis ou o ipsilon, mas a coordenação simultânea de uma serie de atividades de variados tipos e de média ou grande complexidade, em alguns casos a mudança das leis, noutros a descentralização, sempre o controle da agenda…

  8. Nelson Barbosa na Fazenda, a melhor opção

    O melhor grau de investimento é a renda aumentando e o pleno emprego, mercado financeiro virou um agente instabilizador de governos.

    O que o Brasil mais precisa é fazer ajustes na política industrial. Mantega foi um irresponsável, o maior fiasco brasileiro nos últimos anos foram aquelas desonerações que serviram apenas para capitalizar quem já tinha muito capital, pior que a Dilma acreditou que poderia reduzir custos sem antes 1º descentralizar o capital e fortalecer o CADE proibindo grandes fusões, aquisições e uniões empresarias.

    Se tiver carta branca Joaquim Levy pode realizar o sonho dos conservadores de impor ao PT uma expressiva derrota nas próximas eleições, ao inviablizar o programa de governo vencedor das eleições.

    • Penso exatamente como você!

      Penso exatamente como você! Está mais do que na hora  dela acordar,pedir o “boné” e ir embora de vez!

      • Ta confusa, Virginia?

        O Nassif nao pensa como vc, ele votou na Dilma. Nao confunda wishifull thinking com sua ojerija. Claro que vc gostaria que o Nassif pensasse como vc, mas pelo post, acho que deu pra perceber que o Nassif está alertando a presidenta para que ela considere melhor suas escolhas.  Em nenhum momento o Nassif sugeriu que ela pegasse o boné e fosse embora.  Aguarde até  2018 pra vc votar mais uma vez e se for o caso, retirar o PT do poder.  A menos que vc faça parte deste povo ignobil e golpista, o que penso nao ser o caso.

  9. 9 entre cada 10 economistas

    9 entre cada 10 economistas postulantes as vagas na equipe economica são formados e seguem a orientação do Mainstream. Não existem um que vá contra o que o Mercado quer. Existem aqueles que vão menos ou mais. Pelo que entendi os dois dançam a valsa da austeriada, Levy e Barbosa, mas o útlimo parece  dançar Alegro enquanto o último é mais dolente. 

    PS: q quantidade de posts com títulos dando a enteder que Dilma vai se ferrar caso ela não faça isso ou aquilo soa além da frieza  jornalistica e parece vontade de pautar. Mas pode ser só impressão, né messs?

     

    • A esquerda que busca a

      A esquerda que busca a Inglaterra como inspiração é fogo.

      Você diz que 9 entre 10 economistas trabalham a favor do mainstream. Claro! O décimo é favorável a uma economia socialista, portanto sem espaço em uma democracia de mercado como a nossa. Portanto, nenhuma novidade na afirmação.

      Dividir os restantes entre os que vão menos e vão mais demonstra uma notável acuidade  da nossa intelectual. Dois séculos e tanto de discussões econômicas sobre a melhor forma de trabalhar a economia, e ela reduz a esses magníficos: os que vão menos e os que vão mais, os que dançam allgero e os que são dolentes.

      Chamar de frieza jornalística gritos desesperados para evitar a ortodoxia é de uma frieza oxfordiana. E achar que tudo é “vontade de pautar” é uma descoberta notável: evidente que é vontade de pautar, sim. Só que desenvolvimentistas ou mercadistas fundamentam sua “vontade de pautar” com argumentos. 

      Seria exigir demais da madame que argumentasse?

       

       

  10. Matrix reloaded

    O tal mercado ja deixou mais que claro que só vai ficar satisfeito com desemprego, afinal, os “salários subiram demais”. Todas as medidas que o Nassif chama jocosamente de “heroicas” tiveram uma inspiração clara, preservar emprego e renda. E é aí que mora o “caos da economia”: o pleno emprego.

    Quando a oposição estava fazendo o estrago tinha todo apoio da mídia e do mercado. Não há porque ter a menor dúvida de que o terrorismo econômico vai persistir, seja por “razões” eleitorais, seja por interesse do mercado.

    E quem cimenta essa dobradinha é a mídia. Eu chamo esse bloco de matrix. Ou seja, rentistas, mídia golpista e oposição aristocrática e o centrão.

    Os neuróticos de guerra fria e os fanáticos religiosos estão ainda mais um pouco à direita, mas com bom trânsito na matrix também, embora não integrerm o núcleo diretor.

  11. Muito bom
    Estou acompanhando seu blog e acho muito bom podermos tercuma opinião que não seja apenS destes que se dizem jornalistas e são contra o governo e apenS querem atrapalhar o país. Parabéns!

  12. qua qua qua

    Se Levy tocar, Dilma dança e o Brasileiro se ferra.

    Esta foi à economia tocada por 500 anos e quem quebrou a regra foi Lula e Dilma se perdeu em seus conhecimentos e base de formação na economia, fazendo a química entre o que governo anterior fez e ela pensa ser a economia, nenhum ministério funcionou e nem a economia, quanto mais nem termino o que mesmo começou, lá no PAC.

    O pobre Lula soube como qualquer cidadão neste Brasil que corta custo não funciona e ele usou o trivial, receita. Gasta o que tem. Gasta o que recebe O salario é a receita e se gasta, guarda e investe no necessário, se é para lembrar podemos dizer a defesa dos tampar buracos nas rodovias que ele fez no fim de ano e foi uma guerra na mídia e politica, mais foi à urgência. Uma politica economia não se faz pontual. Pessoal. Esta base e formação da Dilma esta ultrapassada e as muitas variáveis tem mais consequências. Custo somente.

    A base tem de ser receita e politica, também o custo e olhar o geral. Lembrando quando o “economista” falava em manter a inflação baixa e ganhos mesmo concordando com o cambio ruim.

    O problema eh Dilma não meter o dedo, como foi com Lula e ditar o que quer e escutar para decidir. Sem fazer ações pontuais ou mirabolantes. A economia esta com tantas variáveis, no estagio que o Brasil esta, que um só algoritmo já não funciona com administração e tendo um presidente que é a rainha da cocada preta fica difícil.

    Tem que ser presidente e apontar a direção, cercar de dados informativos e gente que faca o trabalho econômico. Dar vida aos ministérios para nas diferenças e ideias o Brasil avançar.

    Com este olhar ate parece que a Dilma é o próprio obstáculo para um Brasil melhor.

    Ate pode ser!

      

     

  13. Ora bolas.

     

    Não sou economista, mas pergunto: Joaquim Levy vai cortar onde? É isso que precisa ser dito. Onde vai cortar cara pálida? Quem olhar a composição do orçamento vai observar que quase metade do orçamento da União já é com pagamento da dívida, incluíndo o serviço da dívida. Uns trinta por cento são com a previdência, aí você tem os percentuais constitucionais da Saúde e Educação, Segurança e já passamos de noventa por cento. E aí? Vai cortar onde? Por que não aumentam o valor da meta da inflação e economizam com a redução da SELIC? Não se economizaria muito mais do que o ridículo corte na “máquina”? Até parece que a máquina gasta algo de substancial.

    Eu vejo jornalistas de Economia aí escalados pela Globo dizendo que tem que cortar custos da “máquina” e etc.. Do que eu parcamente sei, os custos da Administração não atingem 2% do orçamento. Continua a pegunta: Levy vai cortar onde? Onde Levy? Sobrou aumentar impostos, cortar nos programas sociais e nos investimentos estruturantes do PAC. Tudo isso em nome da inflação abaixo de 6,5 por cento. Esse número cabalístico determina quem trabalha e quem fica desempregado, Se o salário real aumenta ou diminui. Se o país cresce o fica estagnado como a Europa e os EUA.

    O que eu gostaria de entender é isso: O país não precisa de investimentos? Então que se aumente o teto da inflação, a meta, e se mantenham os gastos nas obras e despesas relacionadas ao crescimento da capacidade competitiva e desenvolvimentista. É óbvio que esses gastos se reduzirão no futuro, pois eles não serão eternos. São grandes agora devido às décadas de abandono, mas valem o sacrifício nesse momento Justificam os frutos que virão depois. 

    É o que eu acho.

    • Numa democracia o que os

      Numa democracia o que os técnicos acham é mera sugestão, o que o eleitor DECIDE é o que será feito. Dilma foi eleita por mim para não ser Aécio, ser Dilma. Se está precisando de corte em alguma coisa, corte até o osso na propaganda pública. Serve para quê?

      Uma entrevista coletiva de cinco a dez minutos por semana, precedida de um a dois minutos de prestação de contas, em cadeia nacional, sai melhor que cevar os filhos de Roberto Marinho.

       

  14. a historia nao foi bem esta.
    a historia nao foi bem esta. A economia estava superaquecida em 2010, isto estava claro.

    Se houve um erro de conducao da economia foi no recente aperto monetario.

    Mas verdade seja dita, o bc nao fez nenhum choque, foi gradual

    • Eu duvido q o problema atual
      Eu duvido q o problema atual maior da economia brasileira, que eh o atual patamar da Selic, tenha sido mero erro tecnico do governo e nao um problema politico.

      A necessaria desvalorizacao da moeda que ocorreria com os juros baixos, num cenario em que o FED terminou a politica de injecao de liquidez, nao casa com reeleicao.

      O populismo cambial ainda eh a maior arma politica de quem esta no governo, ainda mais depois de um ano conturbado que tivemos entre junho/2013 e junho/2014.

      Pra nao falar em meta de inflacao que seria descumprida, segundo maior fetiche depois da meta fiscal.

    • O ajuste das finanças mundiais em 2008 ajudou o Lula

      Não enxergo como você nenhum erro de monta na condução da economia, as condições das finanças brasileiras, face a conjuntura interna e externa que produziu um cenário totalmente diverso da era Lula.

      Concordo que dá para se fazer mais no Brasil, mas para isto é necessário uma fé que não existe nos agentes da economia real do Brasil, isto porque a Dilma não sinaliza com clareza, inteligência e precisão o rumo que o Brasil irá trilhar, para conseguir ter mais confiança e maior auto-estima será preciso que ela mude seu modo de ser nesta área.

      Por falar em auto-estima, no governo Lula esta era uma das principais boutades sobre o Brasil e os brasileiros, sem uma auto-confiança pujante estão aquém de suas capacidades, não se pode arriscar em manobras ousadas, pioneiras e novas. O medo de perder, mata a chance de ganhar.

      Para que não existam dúvidas sobre o que o governo Dilma persegue é preciso que ela e sua equipe, com sua liderança e poder, forneça as coordenadas, assim, sem dúvidas sobre onde chegaremos, as ações serão planejadas e executadas.

      Ninguém acerta todas, mas, o Brasil é rico, alegre e de bom astral, pode falhar e corrigir erros muitas vêzes. Tenho fé que desta vêz será diferente.

       

      • resposta ao Alexandre Weber

        Na verdade, meu caro Alexandre, quem espalha esse medo na população e no mercado não é o governo, não é a Dilma, e sim a imprensa, que de forma irresponsável prega a desgraça. Faz de forma sistemática as pessoas acreditarem que o Brasil está quebrado e que o governo não tem norte, não tem competencia para resolver os problemas inerentes. São os inigos do Brasil.

      • Pois eh, a Dilma nao sinaliza
        Pois eh, a Dilma nao sinaliza com clareza.

        Ok, nas isto eh.bom ou ruim?

        Depende. Eu considero q o mercado, no atual modelo, na duvida, foge pra selic.

        E isto eh ruim, o q esta entrega crescimento zero este ano.

        Por outro lado, se aliado aos malabarismos fiscais do governo Dilma, ainda tivessemos mantidos as.baixas taxas de juros, com inflacao alta, seria um paraiso.

        E pq? Na duvida, um governo maluco e taxas de juros reais negativas, vc vai pra onde?

        Imobiliza.

        Investe.

        A saida nao eh o governo arrumar a casa.

        A saida eh ter coragem e esculhambar de vez, que vai dar certo.

        Pode apostar.

  15. Não haverá estrela

    Nassif

    A política econômica não será definida por uma cabeça. A diretriz política caberá à Dilma e os três (Levy, Barbosa e Tombini) viabilizarão em sinergia. 

  16. Alice “ACORDOU”…

    Normalmente eu gosto das análises do Nassif. Quando acho que ele viaja demais eu prefiro nem comentar. Certos posts são para os que já foram devidamente catequizados pela malta petista.

    No que refere-se às medidas tomadas por Rousseff nos últimos dias o Noblat foi bem mais feliz. Acho até que pelo fato de não ter que “amaciar” para os pobres eleitores de Rousseff que, de boa fé, foram vitimas de mais um estelionato eleitoral brasileiro.

    Noblat nos diz a verdade, nua e crua (cruel?????): “ACABOU A BRINCADEIRA, MEUS “QUERIDOS”!!!!!!!”  É o chute no traseiro dos “amadores” e dos incompetentes. Agora vai ser a hora da verdade e de fazer aquilo que, tantas vezes, os encabrestados pelo maquiavélico assistencialismo governamental petista ouviram que NÃO SERIA FEITO, pois obra do DEMÔNIO CAPITALISTA. Pobre brasileiro…

    Agora, Kátia “UDR” Abreu, foi demais até para o mais arraigado “aecista”. Bom, agora já temos certeza de que rumos o pais vai tomar para voltar ao mundo real. O resto, como diria o conterrâneo Ciro “big mouth” Gomes: “É bom pra otário’.

    É claro que, “até o mundo mineral” sabe, que Rousseff e lulla vão “adoçar” a boca dos incautos e empreguistas com alguns ministérios de “segunda” e “terceira” linha. Sem “pobrema”.

     

     

     

    • O seu paraíso…

      O seu “paraíso” sonhado e desejado seria o Aécio estar no comando do país.

      Aí, sim, teríamos um grande futuro!

      Você não quer, não merece e não vai ser levado a sério, posto que, é tão risível quanto os seus iguais.

      • Paraíso???

        Paraíso para quem tem competência e produz é os EUA. Não imagino quem possa achar isso aqui sob a batuta do PT como tal. Talvez cubanos, venezuelanos (nem todos) ou bolivianos. Nem argentino acharia.

        Mas tu deve ser advogado para usar “posto que” como se significasse “uma vez que”… Alguém me ensinou no 1º grau, quer dizer “apesar de”… A menos que tenham feito mais uma lei, tipo essa da “PRESIDENTA”…

        Tragam advogados cubanos e dispensem do exame de ordem, afinal eles também não sabem português…

      • Paraíso???

        Paraíso para quem tem competência e produz é os EUA. Não imagino quem possa achar isso aqui sob a batuta do PT como tal. Talvez cubanos, venezuelanos (nem todos) ou bolivianos. Nem argentino acharia.

        Mas tu deve ser advogado para usar “posto que” como se significasse “uma vez que”… Alguém me ensinou no 1º grau, quer dizer “apesar de”… A menos que tenham feito mais uma lei, tipo essa da “PRESIDENTA”…

        Tragam advogados cubanos e dispensem do exame de ordem, afinal eles também não sabem português…

  17. A presidenta Dilma precisa

    A presidenta Dilma precisa ser ousada na economia e se mostrar uma VERDADEIRA ESTADISTA: o governo gasta entre juros e amortizações R$ 1,1 trilhão de reais por ano. O melhor corte de gastos seria uma redução expressiva na taxa Selic rapidamente, tributar as grandes fortunas, aumentar a isenção do IR Pessoa Física, aliviando a classe média da brutal carga tributária e acabar com o fator previdenciário: aposentados e pensionistas gastariam mais e impulsionariam a já combalida economia brasileira. Deixar o câmbio perto de R$ 3,00, impulsionando o setor de exportações e diminuindo o buraco das contas externas. Usar as reservas cambiais para evitar fortes oscilações no câmbio. Os países desenvolvidos têm juros negativos; a China acaba de reduzir sua taxa de juros. Precisamos buscar a menor Selic possível: acredito que uma selic de 7%a.a. criaria uma expectativa positiva nos empresários, que investiriam mais e os consumidores comprariam mais, fortalecendo nosso mercado consumidor, um ativo preciosíssimo neste momento de forte crise da economia mundial.

    • Fabiana C para o MF!

      Fabiana, perfeito o comentário.

      Visão de Estado.

      Onde você escreve? Você existe de verdade?

      Parabéns!

      Economia com E maiúsculo.

      Enquanto isso, alguns tentam justificar mais um cabeça-de-planilha do bra de bradesco.

       

       

       

  18. Resumo: o Aécio é quem estava

    Resumo: o Aécio é quem estava certo? A Dilma mentia, e agora ela vai fazer o que o Aécio preconizava?

    Como o Lula foi no vácuo do FHC…

    Ah, tá… mais uma vez vão no vácuo dos tucanos…

    • A realidade pós-eleições…

      Grande síntese “Stan”! É exatamente isso!!! O PT continua o que o PSDB começou e faz o marketing, colhendo a safra. Diz que a oposição mente, mas na seqüência corre para abordar a mentira, mudando a legislação se necessário. A consolidação da “futebolização” da política partidária brasileira pós-eleições presidenciais de 2014 impede que as pessoas enxerguem o óbvio: Que a “Privataria Tucana” possibilitou os louros da pseudoglória de Lula e do PT! Qualquer favorecimento ao setor privado em qualquer aspecto que fosse com o intuito de viabilizar a privatização parcial ocorrida no governo FHC, mostrou-se muito mais barato para o povo brasileiro, no médio prazo, do que a sua manutenção na esfera pública, vide Petrobras. Não fossem “entregues” ao empresariado e estariam caindo de podre, mandando a conta para o povão pagar. Daí o ressentimento pela privatização. Imaginem todas aquelas empresas pagando propinas!!! Disse consolidação de futebolização acima porque esse processo é cultural e brasileiro, está amadurecendo há muito tempo. Quer ver?!? Desde que o “coitadismo católico tupiniquim” encontrou um eco e virou assunto de botequim, sermão de encontro religioso, partido político ou ONG. O que é isso??? Na vida real é torcer pelo pior time, mais fraco, incompetente, falador. Basta que seja um COITADO(?!?) para poder tudo, justificar qualquer coisa. Preferem ganhar o jogo de 1 X 0, aos 46 minutos do segundo tempo, com gol de mão e em impedimento do que jogar muito bem e merecer um placar de 7 X 1. Mas o que está me chamando a atenção é o engajamento do articulista: Ignora solenemente a ética e a legislação. Se ambos favorecem seus interesses, viva a ética e a legalidade. Se os contrariam, é golpismo!!! Primário demais… Sobre um cara que manda um recado com freqüência: “LER ANTES DE COMENTAR”. A impressão que tenho, é de que o cara pode até ter lido, mas entende muito pouco ou quase nada…

    • “Vácuo Tucano”, Faz Sentido

      “vácuo tucano”, faz todo sentido, já “ir no”, não, afinal como explicar vácuo com os menores índices de desemprego da história, inclusão de dezenas de milhões de brasileiros na cidadania e o Brasil não mais quebrar desde então, mesmo com crise econômica mundial histórica, jamais vista desde 1929?

  19. As escolham revelam coerência e racionalidade próprias de Dilma

     

    Luis Nassif,

    Não sei o que você quis dizer com a presidenta Dilma Rousseff “deve conter sua principal característica: a dos gestos heroicos”. Só que na sequência você diz:

    “Quando assumiu, pretendeu dar um choque na inflação. Derrubou a atividade econômica”.

    O que se aparenta é que para você o choque na inflação constitui em exemplo de gesto heroico. E que este gesto heroico do choque na inflação derrubou a atividade econômica.

    Penso que não há exemplo maior de afirmação inconsistente do que esta que você lançou logo no início do seu post.

    Alguém precisa debruçar-se sobre os anos pós crise no Brasil para saber quais as medidas foram corretas e quais foram erradas. É uma análise que requer tempo e paciência e muito conhecimento econômico. Como leigo que sou, eu realmente não me aventuro nesta empreitada. Há algumas informações e percepções muito evidentes que mostram bem como você está sendo superficial, ou seria melhor dizer perfunctório, em querer dizer que Dilma Rousseff pretendeu em uma medida heroica dar um choque na inflação e com isso derrubou a atividade econômica.

    Há três ou dois equívocos na sua afirmação, que talvez no espírito do seu post “Contabilidade criativa à mineira e o crime de responsabilidade de Dilma” de quinta-feira, 20/11/2014 às 12:25, eu devesse qualificar como aberrações. O endereço do post “Contabilidade criativa à mineira e o crime de responsabilidade de Dilma” é:

    http://jornalggn.com.br/noticia/contabilidade-criativa-a-mineira-e-o-crime-de-responsabilidade-de-dilma

    Ainda mais que como se depreende do título que eu dei ao meu comentário enviado sexta-feira, 21/11/2014 às 01:37, não se deve entender por aberrações nenhum palavrão na medida que você apoiou a candidata que segundo você as cometeu no seu primeiro governo.

    De todo modo utilizando o termo aberração no sentido que você aparenta dar ao termo, diria que a sua primeira aberração foi dizer que foi um gesto heroico dar um choque na inflação. A segunda aberração foi considerar que a presidenta Dilma Rousseff quis dar um choque na inflação. E a terceira aberração foi dizer que foi isso que derrubou a inflação.

    Como você é músico talvez eu tenha que repetir aqui o que eu disse para Motta Araujo junto a comentário dele enviado quarta-feira, 08/10/2014 às 11:05, para junto do comentário de DanielQuireza enviado quarta-feira, 08/10/2014 às 10:09, lá no post “O Ministério da Fazenda, Aécio e um psicólogo amador, por J. Carlos de Assis” de quarta-feira, 08/10/2014 às 08:33, aqui no seu blog e originado de artigo de José Carlos de Assis. O post “O Ministério da Fazenda, Aécio e um psicólogo amador, por J. Carlos de Assis” pode ser visto no seguinte endereço:

    http://jornalggn.com.br/noticia/o-ministerio-da-fazenda-aecio-e-um-psicologo-amador-por-j-carlos-de-assis

    O que eu disse no meu comentário para Motta Araujo e que considero que você deve repetir como a um refrão musicado foi referir a equipe econômica do governo Dilma Rousseff como keynesianos. Repito então o título que eu dei ao meu comentário:

    “Diga lá meu irmão, eles são keynesianos, eles são keynesianos…”

    Disse isso para Motta Araujo porque ele tratava a equipe econômica como marxista. Uma aberração de entendimento da economia que é preciso muito preconceito antipetista próprio de Motta Araujo para ousar dizer, ainda mais partindo de pessoa que mesmo não sendo economista tem nível superior de conhecimento econômico. E digo isso para você porque é uma aberração um keynesiano querer impor um choque de inflação. A menos que reconhecendo a total falta de carisma de que é possuidora, a presidenta Dilma Rousseff fosse alertada pelo marqueteiro que a única forma dela ficar bem com a população mesmo que isso fosse ruim para o Brasil era reduzir a inflação para a meta. Não há, entretanto, indicativos de que medidas em direção ao choque de inflação foram tomadas no governo da presidenta Dilma Rousseff. Trata-se de alegação de absoluta improcedência. No início de governo houve apenas continuidade das medidas de ajuste na economia iniciadas ainda no primeiro semestre de 2010 e que reduziram a taxa de crescimento do terceiro e quarto trimestre de 2010 a valores anualizados inferiores a 4% ao ano. E houve algumas medidas macro prudenciais para fazer frente com a bolha na construção civil que a equipe do BC já conseguira detectar em 2009.

    E se o governo não teve êxito em tudo que fez nos dois primeiros anos muito se deve a seca que ocorreu no oeste americano e que elevou o preço das commodities impedindo uma maior correção do dólar como foi tentado pelo governo e elevando a taxa de inflação a um patamar que requeria correções para mais na taxa de juros. Ainda assim, a queda de crescimento da economia que foi uma constante nos primeiros dois anos do governo da presidenta Dilma Rousseff ocorreu de modo controlado de tal modo que entre o quarto trimestre de 2011 e o terceiro trimestre de 2012, a economia crescia a uma taxa de 0,1% comparando um trimestre com o trimestre imediatamente anterior. Só que já no quarto trimestre de 2012 e primeiro e segundo trimestre de 2013, o Brasil crescia a taxas expressivas, sendo que este crescimento era observado também na Formação Bruta de Capital Fixo, como eu mostrei em comentário que eu enviei terça-feira, 14/10/2014 às 12:42, para Francy Lisboa lá no post “A íntegra do debate entre Guido e Armínio na Globonews” de terça-feira, 14/10/2014 às 12:14, aqui no seu blog com a chamada sua para o programa da Mirian Leitão na Globo News em que se puseram frente a frente Guido Mantega e Armínio Fraga. Deixo o link direto para o meu comentário:

    http://jornalggn.com.br/comment/471955#comment-471955

    E o relançamento da economia que começava a tomar pé foi inexplicavelmente abortado no terceiro trimestre de 2013. Entender o que aconteceu no terceiro trimestre de 2013 é tarefa que toma tempo e engenho. À falta de um ou de outro ninguém se aventura.

    De algum modo, é bom observar algumas incoerências que lhe ocorrem com um simples passar do tempo. Este seu post é um pouco diferente do seu post “As boas e más notícias sobre os novos Ministros” de sábado, 22/11/2014 às 08:58. Ali parecia que você via os novos ministros como uma boa notícia. A má notícia seria algo como um gesto heroico da presidenta Dilma Rousseff de não combinar previamente com os escolhidos. O endereço do post “As boas e más notícias sobre os novos Ministros” é:

    http://jornalggn.com.br/noticia/as-boas-e-mas-noticias-sobre-os-novos-ministros?page=1

    Deixei lá na segunda página porque é lá que se encontra o meu comentário crítico ao que você diz sobre a escolha dos dois ministros. Lá com pouco tempo para análise montou todo um comentário em uma pirraça. Agora monta uma série de argumentos para dizer que a escolha está errada.

    Não tendo conseguido relançar a economia, como tudo dava a entender que conseguiria depois de ter consertado os equívocos cometidos pela equipe econômica do governo Lula – equívocos que se diga de passagem foram necessários para assegurar a eleição de Dilma Rousseff – a presidenta Dilma Rousseff está realmente sob o controle da mídia e do mercado. Ainda mais que recaem sob o partido dela o peso do julgamento da Ação Penal 470 e o peso do escândalo da Petrobras.

    Há um grupo que defende que se não houvesse indicado o ex-ministro Joaquim Benedito Barbosa Gomes para compor o STF e se procurasse esconder o escândalo da Petrobras, a presidenta Dilma Rousseff poderia governar em águas muito menos turbulentas. Talvez fosse melhor para ela, mas o Brasil não teria obtido a nova interpretação do crime de corrupção que de certo modo quando se trata de funcionários públicos com a gama de poderes de um deputado federal foi equiparado ao crime de caixa dois, mas sofrendo a pena mais pesada do crime de corrupção e nem exposto de forma ampla o que ocorre nas entranhas da Petrobras.

    E lembro aqui que foi importante para impor uma interpretação em relação ao julgamento da Ação Penal 470, a atuação do ministro Enrique Ricardo Lewandowski em especial na bela exposição da declaração de voto dele na sessão do dia 20/09/2012, como se pode ver no vídeo no endereço a seguir:

    http://www.youtube.com/watch?v=m6uyOzTG2T8

    A escolha dos ministros deve ser compreendida dentro das circunstâncias que restringem a ação da presidenta Dilma Rousseff. Sem muita margem de manobra há que se reconhecer que ela fez duas escolhas que a deixam mais próxima de realizar um governo dentro de um modelo de racionalidade e coerência que é mais consistente com características da personalidade dela. E não um governo de emoção chegando às raias da inconsistência como foi o governo de Lula, mas que podia contar com um bom estoque de carisma para enfrentar o preconceito que contra ele aflorava de todos os recantos.

    Clever Mendes de Oliveira

    BH, 23/11/2014

  20. Algum idiota acredita que o

    Algum idiota acredita que o Brasil está na iminência de uma crise fiscal??????????

    Há 15 anos as contas do país tem superávit, pior é a bomba que o governador eleito de Minas Gerais Fernando Pimentel recebeu dos tucanos e terá que desarmar, Minas tem déficit fiscal.

    Pimentel precisará muito do apoio da Dilma, por isso tende a ser um importante conselheiro da presidenta principalmente para desmascarar a farsa que é o PSDB (que esse tal mercado se espelha).

  21. A inversão das prioridades

    E meus coleguinhas do PT se rasgando por causa da Kátia Abreu, fazendo abaixo assinado, o escambau por causa da p…. do Ministério da Agricultura. Tenho receio de que haja suicídio coletivo convocado nas redes sociais contra a Kátia Abreu. 

  22. O remédio mais amargo é aquele que dá resultado.

    Diz um ditado que: “É melhor prevenir do que remediar” e outro que diz: “O que não pode ser consertado, remediado está”. O quadro econômico em que Dilma colocou o Brasil com sua política de favorecimentos a países comunistas e movimentos sociais só podia dar no desastre anunciado. Agora busca desesperadamente alternativas para tampar os rombos que ela mesmo fez e isso não se faz com medidas paliativas. Me lembro bem quando FHC entrou no governo e disse: “Vamos ajustar a economia, mas iremos sacrificar a classe média”. E foi o que ele fez. Nada de aumento, redução de salários e desemprego. Foi necessário, sim foi, mas ninguém aguenta isto por tanto tempo e foram oito anos de arrocho. Por isso muitos como eu votaram no Lula que dizia: “Vou fazer reforma tributária, vou escalonar o imposto de renda, vou fazer a reforma política e trabalhista”. E nós trouxas acreditamos. Ele simplesmente pegou o plano do PSDB, enfiou em baixo do braço e aprofundou as medidas de FHC e sua equipe econômica. Ah sim, claro, criou o maior curral eleitoral da história da humanidade tirando dinheiro da classe média e dando aos vagabundos que nunca fizeram nada para merecer esse dinheiro. Ralar ninguém quer, mas bolsas-esmolas é tudo de bom. Sim é, mas tem seu preço e este é o preço que pagamos. ESTAGNAÇÃO. O PT é um partido de incompetentes por excelência. 

  23. Atualizando

    LISTA DO PAREDÃO REVOLUCIONÁRIO (provisória)

    1 – Antigo regime PMDBista
    2 – Petistas/tucanos
    3 – Armínio Fraga, Eduardo Giannetti, Joaquim Levy e toda a hoste de apologistas da burguesia neoliberal
    4 – Família Marinho
    5 – Líderes do agronegócio
    6 – Lobão
    7 – Banqueiros
    8 – Racistas, homofóbicos, viúvas da ditadura e reacionários em geral
    9 – Pequena burguesia universitária
    10 – Qualquer militante de esquerda julgado insuficientemente stalinista

     

    https://www.facebook.com/PSTAL57

  24. “Quando assumiu, pretendeu

    “Quando assumiu, pretendeu dar um choque na inflação. Derrubou a atividade econômica.

    Depois, decidiu dar um choque nos juros. Trouxe a taxa Selic para razoabilíssimos 7,5% ao ano. Ao primeiro sinal de inflação (provocada por choques internacionais em preços de alimentos), piscou e resolveu dar novo choque na inflação.

    Quando o PIB arriou novamente, resolveu dar um choque de crescimento. E arrebentou com as contas públicas.”

     

    Aqui, no Cearazinho de açucar, noiz chama isso de: NÃO DAR UMA DENTRO…

  25. O governo atual não tem outra

    O governo atual não tem outra escolha a não ser abandonar a economia política de gastos públicos e partir para uma política econômica austera. No estado de semiestagnação em que se encontra a economia braslieira a melhor escolha será passar a regência para  Joaquim Levy  e Dilma dançar. A continuar com esse crescimento médio anual em torno de 0,7% que já dura dez anos o Brasil vai demorar 100 anos para dobrar sua renda per capita segundo artigo publicado pela Revista de Economia Política e Estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI). 

    • Resposta ao carlos Alberto

      ´Primeiro que a roubalheira como já ficou claro vem de há muitas décadas, e, nessa está o psdb de FHC. Segundo Carlos Alberto acontecendo o que Voc~e está pregando, Você ficará desempregado. Concorda?

  26. Já era sabido isso, só estava querendo enganar os petistas

    Isso já era sabido, agora que acabram as eleições, vem um banho de realidade, a incompetência desse governo corrupto para governar o país, as lambanças na economia, qualquer um que conhece um pouquinho sabe que estava tudo errado. Agora vocês que votaram nesse bando, são cumplices da roubalheira da Petrobrás e do afundamento do país.Não entendo como alguém culto poderia votar nesses bandidos e incompetentes, que querem transformar o país em um bloco bolivariano.

  27. O escolhido

    O escolhido para MF precisa fazer os devidos controles como inflação, superavit primário, controle de custos e ser apoiado pelo mercado, com isso o país rapidinho voltará a crescer.   

  28. Não creio que seja de mínima

    Não creio que seja de mínima importância o motivo pelo qual a Dilma levará o Levy ao cargo de Ministro; o que realmente importa é caso a hipótese seja verdadeira, como fazer política que possa vir desagradar ao sistema financeiro? O Levy n£ao irá se queimar por um governo petista, vai?

    A Dilma é DILMAIS, porém é esperta demais ou burra demais.

     

  29. Quem gasta mais do que

    Quem gasta mais do que arrecada quebra um dia. Esse é o caminho do Brasil atual se nada for feito.

    Estamos com deficit primário pela primeira vez. As contas não estão fechando

    O governo está desesperado para mudar as regras do superavit, o que seria .mais um passo para o abismo.

    Estamos com déficit comercial. E para piorar estamos com crescimento zero por dois anos.

    Salva-se a baixa taxa de desemprego. 

    Se os custos não forem cortados, se não atrairem investimentos privados na infra estrutura, a tendência é piorar.

     

  30. Na minha modesta opinião:
    1.

    Na minha modesta opinião:

    1. Dilma monta um ministério da Casa Civil forte, com status semelhante a gabinete de primeiro-ministro.

    2. Dilma deixa essa Casa Civil montar o ministério e governar. 

    3. Dilma fica no papel figurativo e simbólico dos monarcas no parlamentarismo monárquico.

    Esse negócio de cabe ao presidente isso, é atribuição do presidente aquilo é muito bonito, mas só até o ponto em que não estraga o governo. Se ela não sabe jogar, podem ter certeza que tem quem sabe. Se insistir em fazer uma coisa que não sabe e não consegue a coisa pode desandar mais ainda.

    • Dilma sabe fazer mas está

      Dilma sabe fazer mas está atrelada a um dispositivo político conservador e covarde. Se ela não fizer, ficará igual ao Lula até quando surgiu o escândalo do mensalão.

  31. O escolhido

    O escolhido tem que fazer os devidos controles como inflação, superavit primário, redução de custos e ser agradável ao mercado, com isso o país volta a crescer. 

  32. O escolhido

    O escolhido tem que fazer os devidos controles como inflação, superavit primário, redução de custos e ser agradável ao mercado, com isso o país volta a crescer. 

  33. DESCUBRA QUEM É O BURRO DA FOTO

    Por falar em escolher os cortes…
     

    VEM AÍ AUMENTO DE IMPOSTOS!

    PODEMOS FAZER UMA REVOLUÇÃO ECONÔMICA NESSE PAÍS!

    CHEGA DE ISENÇÕES PARA A ESPECULAÇÃO FINANCEIRA E IMOBILIÁRA!

    O governo promoveu uma grande DESONERAÇÃO de impostos na economia, como forma de enfrentar a crise e preservar empregos. Por isso vivemos hoje numa economia com pleno emprego! Essa desoneração, principalmente para contratação de funcionários, era uma necessidade histórica, que o Brasil conseguiu superar. Agora precisaremos de um ajuste fiscal, com aumento de impostos em outros setores. A questão é: ONDE AUMENTAR OS IMPOSTOS?

    QUEM DEVE PAGAR MAIS É O SETOR ESPECULADOR, NÃO O PRODUTIVO!

    A sociedade precisa participar desse debate, para que o peso da máquina pública não caia sobre seus ombros, como sempre. Precisamos estudar, estudar, e estudar…

    O que você acha que os políticos e os especuladores estão fazendo nesse momento? Eles estão estudando, debatendo, planejando, mobilizando-se, e agindo, para que quem se ferre, continue sendo os que têm preguiça de estudar, debater o problema, e se mobilizar. Afinal, quem é que sempre puxa a carroça?

    Trabalhadores e empresários precisam se unir nessa discussão, pois têm interesses iguais. Se a indústria e o comércio receberem aumento de impostos, os produtos ficam mais caros. Se a renda do trabalhador receber essa carga tributária maior, ele diminuirá seu consumo, fazendo com que a indústria e o comércio vendam menos! Quem deve pagar mais impostos são os especuladores, essa classe energúmena, que precisamos conhecer a fundo.

    CONHEÇA A ESPECULAÇÃO!

    Os especuladores, sejam financeiros ou imobiliários, assemelham-se a vermes, que sugam os nutrientes de um organismo, sem nada contribuir para seu funcionamento. Eles equivalem à antiga nobreza feudal, uma classe parasitária, que explorava o povo, sem contribuir em absolutamente nada para o desenvolvimento do país.

    Vivemos uma verdadeira guerra político-econômica no mundo, onde confrontam-se o setor produtivo e a especulação, ou DITADURA DO MERCADO, se preferirem. Não somos contra o mercado, que vem a ser muito útil na economia; o que não podemos permitir é que sua irracionalidade governe o país.

    O mercado é igual um cavalo de carroça com viseiras, que só consegue ver o lucro imediato. Por isso permitiram desmatar 70% das áreas de preservação no complexo Cantareira em São Paulo, além de grande parte da Amazônia; e agora estão enfrentando uma crise de abastecimento d’àgua sem precedentes; que deve estar apenas começando; e pode trazer uma recessão violenta e duradoura, na medida em que os alimentos ficarem mais caros, e não sobrar dinheiro para comprar outros bens. Tudo em nome do lucro imediato, da valorização das ações, da “racionalidade” do mercado. Saibam mais sobre os motivos da seca:

    https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/photos/a.300951956707140.1073741826.300330306769305/535066293295704/?type=3&theater

    “RACIONALIDADE” DO MERCADO = ABERRAÇÃO INTELECTUAL!

    Um país não pode ser governado por pessoas ambiciosas, que só se preocupam consigo mesmas. Quem não negocia sua influência, para ficar rico? Tanto políticos, quanto especuladores, estão pouco se lixando para o país e o futuro, quando surgem oportunidades para ficarem multi milionários. Uma pessoa normalmente leva cerca de pelo menos 40 anos, para poder ter uma chance dessas, e isso durará por mais uns 30 anos. Ou seja, a corrupção pensa num curto espaço de tempo, enquanto o país precisa ser governado em função de séculos.

    Quando os interesses pessoais são colocados acima dos interesses do país, reduzimos a administração para esse período de tempo subjetivo, e fechamos os olhos (cavalo de carroça com viseiras) para aquilo que mais interessa, o futuro das próximas gerações. As dificuldades que vivemos hoje, são frutos principalmente do que foi feito de 50 anos pra lá; e não tanto por culpa do que está sendo feito agora!

    MAS COMO ACABAR COM ISSO?

    Ah, essa é a grande questão! Precisamos deixar de acreditar em papai noel, saci pererê, rede globo, revista veja, partido honesto, político perfeito, etc. Achar que um político vai dar jeito no país, é algo tão ingênuo, que beira a imbecilidade! Primeiro, porque não existem santos; e segundo, porque todo o Congresso Nacional precisaria ser santo também. Ou seja, só existe uma forma eficaz e duradora, de impedir que os políticos sejam seduzidos pelo poder econômico:

    O POVO DEVE TER DIREITO DE PARTICIPAR DAS DECISÕES POLÍTICAS!

    Vejam, e comprovem como funciona no exterior:

    https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/photos/a.300951956707140.1073741826.300330306769305/503107126491621/?type=3&theater

    Nos Estados Unidos os políticos só podem aumentar impostos convocando plebiscitos:

    http://ballotpedia.org/California_Constitution

    Art 13 C, seção 2, C:

    “Qualquer imposição de imposto em geral, estendido, ou aumentado, sem a aprovação do eleitor, por qualquer governo local de 1 de Janeiro de 1995, em diante e antes da data de vigência deste artigo, deverão continuar a ser imposta, somente se aprovado por maioria de votos dos eleitores, que decidirão em uma eleição sobre a questão da imposição”

    Veja o que fariam com um assunto desses na parte mais rica da Europa:

    https://www.facebook.com/democracia.direta.brasileira/photos/a.300951956707140.1073741826.300330306769305/312667208868948/?type=3&theater

    Agora você já sabe o que exigir em seus cartazes, quando houver protestos; ou mesmo quando postar na internet, e conversar com seus amigos. Precisasamos de:

    MAIS DEMOCRACIA

    DIREITO DE CASSAR OS POLÍTICOS

    DIREITO DE CONVOCAR PLEBISCITOS

    Por que vocês acham, que os impostos dos países desenvolvidos incidem muito mais sobre a renda, principalmente na medida em que ela se eleva? Você acha justo tributar mais a produção e o emprego? Por que a especulação financeira e imobiliária é praticamente ISENTA DE IMPOSTOS?

    COMO ISSO ACONTECE?

    É simples! Antes de qualquer coisa, eles precisam imbecilizar o povo, principalmente com um péssimo sistema de ensino, inclusive universitário. Somente assim, as pessoas chegam ao ponto de acreditar em coisas como o saci, o papai noel, a rede globo, a revista veja, etc.

    A ESPECULAÇÃO FINANCEIRA

    Depois disso fica fácil! A especulação financeira ataca, subornando a mídia e setores do governo, para aumentarem os juros. Isso numa economia como a nossa, que tem riquezas sobrando para serem produzidas, recursos sobrando nos bancos para serem emprestados, e o consumo não chega nem a 20% da Europa e EUA! Olha, tem que molhar a mão de muita gente, pra se aumentar os juros no Brasil; onde o consumo está baixíssimo. Por isso eles têm exigido um banco central independente, pra facilitar o trambique. Coisas que são teorizadas lá pras bandas de Harvard, para nos enfiar goela abaixo suas “ordens”…

    A especulação financeira também ataca negociando com ações. Eles desembarcam em determinado país com um saco de alguns bilhões de dólares, e compram ações de uma empresa ou outra. Isso faz com que suas ações subam de preço, por causa da procura desses papeis. Quando estão valorizados ao máximo, o especulador vende tudo o que tem. Aí entra a lei da oferta novamente, como muitos papeis foram vendidos, eles passam a sobrar no mercado. Com a oferta maior que a procura, o preço das ações dessas empresas despencam, e por vezes as levam à falência; mas nessa altura da falcatrua, o especulador já vendeu todas as suas ações pelo melhor preço,..

    A ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

    Essa é uma das mais antigas práticas de parasitismo econômico, com raízes no início da civilização; mas que se fortificaram na idade média, no sistema feudalista; onde quem tinha terras, escravizava o povo, pelo fato de não haver a alternativa de novas áreas para serem exploradas. Os EUA ultrapassaram economicamente a Europa em pouco tempo após sua independência, porque deram prioridade à indústria e ao sistema de ensino; mas, principalmente, porque havia terras novas para se explorar. Ou seja, quem quisesse construir uma casa para sua família, bastava ir mais para o oeste, que as terras não tinham dono! Economizando na compra do terreno, sobrava dinheiro no bolso do trabalhador, que podia consumir muito acima dos padrões europeus, transformando sua indústria e comércio numa verdadeira locomotiva. Quem tem alguma dúvida, leia o livro

    “A HISTÓRIA DA ECONOMIA AMERICANA”

    Editora Record

    É incontestável, são os americanos falando deles mesmos, e dos motivos de seu sucesso! Seguir os passos dos americanos e europeus, significa fazer o que eles fizeram no passado, não o que fazem agora, como pregam os entreguistas. Países europeus, como a Alemanha de hoje, chegam a garantir por lei o direito de moradia a seus habitantes, que quando não conseguem pagar o aluguel, recebem ajuda do governo. E cada centavo que o governo dá de auxílio ao povo, retorna para sua indústria e comércio. Aliás, a elite político-econômica americana foi das primeiras a perceber, que produzir (INDÚSTRIA, MERCADO SAUDÁVEL DE AÇÕES) dá muito mais dinheiro, que especular e explorar a miséria dos outros…

    A especulação imobiliária age territorialmente, como um vírus invadindo um organismo. Eles têm dinheiro sobrando, são pessoas ricas e influentes, com raízes em nossa “elite agrária colonial”. Compram terras ao lado da área urbana das cidades, onde ainda não tem iluminação, água e esgoto públicos. Essas áreas são compradas por um preço baixíssimo, muitas vezes por apenas alguns milésimos do valor de um terreno na zona urbana. O problema é que essas terras não são compradas para a agricultura, mas sim para a especulação. E só são vendidas, quando não tem mais terrenos à venda na parte urbana, elevando centenas de vezes o preço do imóvel rural, que compensará agora ser transformado em urbano.

    E, adivinhe!

    AS ÁREAS RURAIS PARA ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA NÃO PAGAM IMPOSTO ALGUM!

    É isso mesmo! Volte lá em cima, na foto desse link, e reflita sobre quem é o burro, que arca com toda aquela carga tributária. Se não conseguir descobrir, olhe no espelho. Não tenha dúvida, somos todos nós, que não fazemos parte da elite agrária. Veja o link abaixo e comprove:

    http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9393.htm#anexo

    Não é falha na visão! Propriedades rurais abaixo de 50 hectares (ha) são isentas de imposto. Ora, mas 50 ha são meio milhão de metros quadrados. Dá pra fazer meia dúzia de bairros inteiros de loteamentos! Ou seja, se o sujeito tem uma grana razoável sobrando, a lei permite que ele compre terras em volta das cidades, grudadas aos locais urbanizados, numa área superior a um bairro inteiro; e deixe a área criando mato, até que não tenha mais terrenos urbanos pra se vender; tudo isso SEM PAGAR IMPOSTOS!

    Ora, mas que espécie de país é esse, que permite e estimula um verdadeiro CRIME CONTRA A ECONOMIA POPULAR? Que espécie de empresários temos, que pagam a campanha política de ladrões, para manter esse trambique, que acaba com seu próprio mercado consumidor?

    O QUE PODE SER FEITO CONTRA A ESPECULAÇÃO FINANCEIRA E IMOBILIÁRIA

    CONTRA A ESPECULAÇÃO FINANCEIRA

    O ideal é que fosse feito uma CONFERÊNCIA PARTICIPATIVA DE CONSENSO sobre o assunto, como no link postado atrás, da mesma forma como se faz na parte mais rica da Europa. Por isso devemos exigir a CONSTITUINTE EXCLUSIVA PARA O SISTEMA POLÍTICO, que terá ampla participação do povo, e não deixa de ser uma conferência participativa. Através dela, poderemos propor que esse tipo de debate público, oficial, aberto, transmitido pelas TVs, e amplamente divulgado na mídia, seja introduzido em nossa legislação, por iniciativa dos políticos, e também do povo, através da convocação de plebiscito.

    O debate é necessário, para se chegar a um consenso do que vem a ser normal, para se ganhar cobrando juros, ou investindo em ações. Ele também pode ser feito ao nível do Congresso Nacional. Porém, só com muita indignação e protestos populares focados, conseguiríamos aprovar algo nesse sentido. A partir daí, devemos estabelecer um teto para essas transações, e criar o

    IMPOSTO SOBRE ESPECULAÇÃO FINANCEIRA!

    Esse imposto deveria ter uma alíquota até 99,9%. Por exemplo, se estabelecêssemos que o razoável seria lucrar em um ano o equivalente a 10% do capital investido em ações; e o absurdo seria lucrar nesse período um montante acima de 30% do capital investido. O que ultrapassasse essa marca de 10% começaria a ser tributado com uma alíquota de 5%, digamos; até 99,9%, para que o lucro real não excedesse a talvez 35%. Achamos conveniente, que haja essa margem, para que o retorno dos investimentos não fique congelado ou tabelado, mas apenas seja tributado com justiça. O mesmo deve ser feito em relação aos juros, que igualmente não podem ficar tabelados…

    CONTRA A ESPECULAÇÃO IMOBILIÁRIA

    Podemos e devemos reservar as áreas próximas da cidade para agricultura destinada ao município. Essas áreas não precisam ser muito grandes, basta reservar para isso uma distância de 1.000 metros a partir da área urbana. Dentro dessa faixa , o que pertencer à prefeitura, deverá ser entregue em comodato, para todos que queiram, poder plantar lavouras como feijão, batata, hortaliças, etc. O que pertencer a particulares, independente do tamanho, deverá ter o imóvel avaliado pelo preço do metro quadrado dos terrenos urbanos mais próximos, e recolhido a título de ITR um valor equivalente a 10% do IPTU do município. Imóveis rurais que estiverem entre dois bairros, devem pagar ITR equivalente a 20% do IPTU municipal.

    Com uma única canetada dessas, conseguiríamos:

    1) Que o preço dos terrenos despencassem. Porque os especuladores começariam a vender suas propriedades, para não ter que pagar o imposto.

    2) Criar milhares de pequenos proprietários, que explorariam a área de alguma forma, e não se incomodariam em pagar esse imposto, que ainda é extremamente baixo, elevando nossa arrecadação.

    3) Que várias áreas de terra fossem devolvidas às prefeituras, por não haver interesse dos proprietários em mantê-las, pagando impostos.

    4) Economizar recursos formidáveis para as prefeituras, que com o comodato poderiam receber o pagamento em alimentos e utilizá-los na merenda escolar.

    5) Dinamizar assustadoramente o mercado interno, fortalecendo nossas empresas. Na medida em que sobraria mais dinheiro no bolso do trabalhador, para consumir.

    6) Acabar com os conflitos sociais no campo e nas cidades, reduzindo drasticamente a criminalidade. Na medida em que todos conseguiriam comprar um pedaço pequeno de área rural por cerca de 5 mil reais ou até menos, pra fazer sua moradia e manter sua subsistência.

    LINKS RELACIONADOS:

    França aprova imposto sobre grandes fortunas, já existente em diversos países desenvolvidos:

    http://pensadoranonimo.com.br/aprovado-na-franca-imposto-de-75-sobre-grandes-fortunas/

     

  34. dilma já falou que as

    dilma já falou que as circunstancias economicas

    de agora não são identicas ás ocorridas na era palocci.

    para  mim, seria uma urpresa se ela  optasse  por  

     um   perfil como o desse levy.

  35. “Seo Nassif” Parece que me

    “Seo Nassif” Parece que me deu um clik, acendeu-se uma luzinha. E euestou começando a entender qual é a sua. Se é o que estou pensando, Parabéns ! Apesar de estar um pouquinho forte purdimais, né?

    • Então por favor nos explique.

      Então por favor nos explique. Sério, nos dê uma dica.
      Muitos aqui não estão entendendo esse “fogo amigo” nestas ultimas semanas aqui no blog.

      Tambem desconfiei que o Nassif está mandando algum recado, não é do feitio dele ser tão crítico como tem sido, e isso chega a ser até meio “assustador”.

      O Nassif  (em minha opinião) tem um bom senso ímpar, as vezes passa um pouco do ponto, as vezes poderia ser mais incisivo, mas são casos isolados e nunca tão contundentes como têm sido essas analises sobre o futuro da política econômica.

      E se o Nassif não tem colocado as coisas com todas as letras, tenho certeza que um bom motivo ele tem.

      Agradeço se puder dar alguma pista Lenita, eu ficaria mais tranquilo se puder entender o que se passa.

       

  36. 2015 ano de Desafios e Oportunidades

     

          Quem gera riquezas; a mão de obra, capital ou a junção dos dois? Independente de quem a Presidenta escolha, a grande gestora deve ser a Presidenta, os mais de 50 % que votaram nela, espera isso e como somos uma democracia nós os restante que não votamos nela, neste madato, também esperamos isso dela. Esperamos que ela saiba ser uma grande gestora e ao mesmo tempo articuladora, coloque as pessoas certas e as retire na hora certa se for necessário. Que seus olhos sejam como uma chefe de Familia, que olha o que é mais necessário, onde pode ser cortado custos, chamar os movimentos sociais para participar: um exemplo seria o bolsa familia, o Estado não deveria tomar conta sozinho, os movimentos sociais poderiam participar junto, uma especie de ” Vicentinos” Acompanhar as familias, em todo o seu contexto, filhos, saúde, educação e mercado de trabalho e na hora esta familia estiver pronta para voar deixa-la voar… No Funcionalismo Público esta na hora de repensar o que é ser servidor Público. No Brasil não cabe mais aposentadoria no setor Público de 10, 15 mil, juiz com aposentadoria compulsória, recesso estendido por um período longo. Nos feriados, ponto facultativo, algumas funções que trabalham 6 horas por dia e por outro lado setores do nosso dia-dia desvalorizado, a policia comunitaria, Eduacação de base e saúde, esses profissionais precisam serm bem remunedos e motivados. São ele que formam uma mão de obra Pensante, capaz, competitiva e que chega na Universidade estimula os alunos a arriscarem, empreenderem e não somente pensar na carreira pública, no Estado Pai e mãe, Pai FHC, Pai Lula e Mãe Dilma, Casa, Comida e tudo sem um custo. è dever do Estado qualificar a mão de obra e não deixar esta tarefa para as Empresas, o Papel da Empresa é produzir e ser competitiva. O EStado precisará em 2015 fazer com que os Empresários arrisquem mais, que aquele ” leão” que tem dentro do Empresário Empreendedor saia novamente e isso será bom, Varios trabalhadores que passaram para classe C estão querendo uma oportunidade para Empreender e já estão começando a ensinar aos seus filhos que não Há Pai FHC,Lula e mãe Dilma, que temos que fazer a nossa parte, e como? Se você não pode ter 2, 3 filhos tenha 1, se quer um carro caro, compre um que caiba no seu orçamento e se possível poupe e compre a vista. Assuma todos os dias a responsabilidade que é nossa de sermos Brasileiros, e é claro e tomara que ela corte gasto sim, com cautela e sabedoria porque tripé da Economia é bem viosto pelos investidores e nenhum investidor economico investirá dinheiro sem esse tripé. Dilma sendo uma boa Gestora algo que não foi no 1º mandato, fazendo reformas que todos nós já sabemos que é necessário, ajudando a quebrar paradigmas, estimulando a moçada a Empreender, pense nesta moçada do ITA, Poli que depois de formados estudam para entrarem na Petrobras sendo que eles formados com 23, 24 anos podem arriscar e quem sabe surgir novos , facebooks, Sony,Microsoft, Merck, e ajudar as proximas gerações acreditarem que é possível, investir no Brasil que as regras não seram mudadas, a Mão de obra cada vez mais capacitada, O empreendedorismo estimulado. E o Governo… Apenas um Bom Gestor.

     

    Obs: Nassif, este seu texto em relação ao anterior ficou mais apartidario, instrutivo. Valeu!

  37. 2015 ano de Desafios e Oportunidades

     

          Quem gera riquezas; a mão de obra, capital ou a junção dos dois? Independente de quem a Presidenta escolha, a grande gestora deve ser a Presidenta, os mais de 50 % que votaram nela, espera isso e como somos uma democracia nós os restante que não votamos nela, neste madato, também esperamos isso dela. Esperamos que ela saiba ser uma grande gestora e ao mesmo tempo articuladora, coloque as pessoas certas e as retire na hora certa se for necessário. Que seus olhos sejam como uma chefe de Familia, que olha o que é mais necessário, onde pode ser cortado custos, chamar os movimentos sociais para participar: um exemplo seria o bolsa familia, o Estado não deveria tomar conta sozinho, os movimentos sociais poderiam participar junto, uma especie de ” Vicentinos” Acompanhar as familias, em todo o seu contexto, filhos, saúde, educação e mercado de trabalho e na hora esta familia estiver pronta para voar deixa-la voar… No Funcionalismo Público esta na hora de repensar o que é ser servidor Público. No Brasil não cabe mais aposentadoria no setor Público de 10, 15 mil, juiz com aposentadoria compulsória, recesso estendido por um período longo. Nos feriados, ponto facultativo, algumas funções que trabalham 6 horas por dia e por outro lado setores do nosso dia-dia desvalorizado, a policia comunitaria, Eduacação de base e saúde, esses profissionais precisam serm bem remunedos e motivados. São ele que formam uma mão de obra Pensante, capaz, competitiva e que chega na Universidade estimula os alunos a arriscarem, empreenderem e não somente pensar na carreira pública, no Estado Pai e mãe, Pai FHC, Pai Lula e Mãe Dilma, Casa, Comida e tudo sem um custo. è dever do Estado qualificar a mão de obra e não deixar esta tarefa para as Empresas, o Papel da Empresa é produzir e ser competitiva. O EStado precisará em 2015 fazer com que os Empresários arrisquem mais, que aquele ” leão” que tem dentro do Empresário Empreendedor saia novamente e isso será bom, Varios trabalhadores que passaram para classe C estão querendo uma oportunidade para Empreender e já estão começando a ensinar aos seus filhos que não Há Pai FHC,Lula e mãe Dilma, que temos que fazer a nossa parte, e como? Se você não pode ter 2, 3 filhos tenha 1, se quer um carro caro, compre um que caiba no seu orçamento e se possível poupe e compre a vista. Assuma todos os dias a responsabilidade que é nossa de sermos Brasileiros, e é claro e tomara que ela corte gasto sim, com cautela e sabedoria porque tripé da Economia é bem viosto pelos investidores e nenhum investidor economico investirá dinheiro sem esse tripé. Dilma sendo uma boa Gestora algo que não foi no 1º mandato, fazendo reformas que todos nós já sabemos que é necessário, ajudando a quebrar paradigmas, estimulando a moçada a Empreender, pense nesta moçada do ITA, Poli que depois de formados estudam para entrarem na Petrobras sendo que eles formados com 23, 24 anos podem arriscar e quem sabe surgir novos , facebooks, Sony,Microsoft, Merck, e ajudar as proximas gerações acreditarem que é possível, investir no Brasil que as regras não seram mudadas, a Mão de obra cada vez mais capacitada, O empreendedorismo estimulado. E o Governo… Apenas um Bom Gestor.

     

    Obs: Nassif, este seu texto em relação ao anterior ficou mais apartidario, instrutivo. Valeu!

  38. 2015 ano de Desafios e Oportunidades

     

          Quem gera riquezas; a mão de obra, capital ou a junção dos dois? Independente de quem a Presidenta escolha, a grande gestora deve ser a Presidenta, os mais de 50 % que votaram nela, espera isso e como somos uma democracia nós os restante que não votamos nela, neste madato, também esperamos isso dela. Esperamos que ela saiba ser uma grande gestora e ao mesmo tempo articuladora, coloque as pessoas certas e as retire na hora certa se for necessário. Que seus olhos sejam como uma chefe de Familia, que olha o que é mais necessário, onde pode ser cortado custos, chamar os movimentos sociais para participar: um exemplo seria o bolsa familia, o Estado não deveria tomar conta sozinho, os movimentos sociais poderiam participar junto, uma especie de ” Vicentinos” Acompanhar as familias, em todo o seu contexto, filhos, saúde, educação e mercado de trabalho e na hora esta familia estiver pronta para voar deixa-la voar… No Funcionalismo Público esta na hora de repensar o que é ser servidor Público. No Brasil não cabe mais aposentadoria no setor Público de 10, 15 mil, juiz com aposentadoria compulsória, recesso estendido por um período longo. Nos feriados, ponto facultativo, algumas funções que trabalham 6 horas por dia e por outro lado setores do nosso dia-dia desvalorizado, a policia comunitaria, Eduacação de base e saúde, esses profissionais precisam serm bem remunedos e motivados. São ele que formam uma mão de obra Pensante, capaz, competitiva e que chega na Universidade estimula os alunos a arriscarem, empreenderem e não somente pensar na carreira pública, no Estado Pai e mãe, Pai FHC, Pai Lula e Mãe Dilma, Casa, Comida e tudo sem um custo. è dever do Estado qualificar a mão de obra e não deixar esta tarefa para as Empresas, o Papel da Empresa é produzir e ser competitiva. O EStado precisará em 2015 fazer com que os Empresários arrisquem mais, que aquele ” leão” que tem dentro do Empresário Empreendedor saia novamente e isso será bom, Varios trabalhadores que passaram para classe C estão querendo uma oportunidade para Empreender e já estão começando a ensinar aos seus filhos que não Há Pai FHC,Lula e mãe Dilma, que temos que fazer a nossa parte, e como? Se você não pode ter 2, 3 filhos tenha 1, se quer um carro caro, compre um que caiba no seu orçamento e se possível poupe e compre a vista. Assuma todos os dias a responsabilidade que é nossa de sermos Brasileiros, e é claro e tomara que ela corte gasto sim, com cautela e sabedoria porque tripé da Economia é bem viosto pelos investidores e nenhum investidor economico investirá dinheiro sem esse tripé. Dilma sendo uma boa Gestora algo que não foi no 1º mandato, fazendo reformas que todos nós já sabemos que é necessário, ajudando a quebrar paradigmas, estimulando a moçada a Empreender, pense nesta moçada do ITA, Poli que depois de formados estudam para entrarem na Petrobras sendo que eles formados com 23, 24 anos podem arriscar e quem sabe surgir novos , facebooks, Sony,Microsoft, Merck, e ajudar as proximas gerações acreditarem que é possível, investir no Brasil que as regras não seram mudadas, a Mão de obra cada vez mais capacitada, O empreendedorismo estimulado. E o Governo… Apenas um Bom Gestor.

     

    Obs: Nassif, este seu texto em relação ao anterior ficou mais apartidario, instrutivo. Valeu!

  39.      A verdade que todos

         A verdade que todos estão cansados de tantos…

        Nassif, entendo suas preocupações, mas acho que este governo deveria ter feito um ministerio “equilibrado” no 1 mandado, não acredito que Dilma abrirá mão de tomar as decisões finais.

       Como falei, neste governo os ministros mais importantes serão o da SECOM(comunicação) e Casa Civil(politico), as piores decisões são sempre por falta dos dois ministerios.

      Veja este ultimo do TSE, com um governo bem assessorado o Ministro seria reconduzido. 

       Acho que Dilma está tentando retomar a dicotomia (ortodoxo X hetero) que tanto deu certo no governo Lula.

     

    • outra verdade

      Repara que tem sempre 1 ou 2 nomes do Bradesco na pauta.

      Ela deve estar sofrendo pra conseguir conciliar os interesses de todas as bandas. Devem ser uns 5 vetores atuando em direções diversas, e no fim, o melhor é colocar técnicos do que políticos, aí sim, deixar o assunto para a casa civil..

  40. Em um futuro não tão distante

    Em um futuro não tão distante a Presidenta Dilma lamentará profundamente o dia em que conduziu esse cidadão ao Ministério outrora comandado por Mantega. O tempo é senhor da razão.

  41. Fritura

    Levy já é ‘bombardeado’ por petistas antes de ser oficializado na Fazenda

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2014/11/1552238-levy-ja-e-bombardeado-por-petistas-antes-de-ser-oficializado-na-fazenda.shtml

    Convidado para assumir o Ministério da Fazenda, Joaquim Levy coleciona críticas de ministros atuais de Dilma Rousseff e tem sido alvo de petistas, que nos bastidores tentam reverter a indicação. Eles argumentam que Levy tem perfil liberal e é contra a política de valorização do salário mínimo.

    Um dos principais adversários de Levy no governo Lula foi justamente Guido Mantega, então presidente do BNDES e hoje titular demissionário da Fazenda.

    Em março de 2006, Mantega acusou Joaquim Levy, então secretário do Tesouro Nacional, de ter uma visão “conservadora, não sintonizada com a política social do governo Lula”. Os programas sociais são a principal vitrine dos 12 anos dos governos Lula e Dilma.

  42. Alhos e bugalhos, ou, pelas barbas do profeta

    Dilma nunca pretendeu dar um ‘choque’ na inflação. Isto é uma rotunda falácia. Dezenas, centenas de vezes quando foi perguntada, no início de 2011, a respeito do tamanho do ajuste que seria necessário para barrar a inflação, Dilma disse que faria um ajuste gradual para que o remédio não matasse o paciente. 

     

    E foi justamente o que foi feito em 2011, quando a inflação oficial fechou em 6,50 por cento (teto da meta). Nassif queria que Dilma tivesse permitido o estouro da meta? É isso? Se for, então tem que dizer com todas as letras, sem tergiversações. 

     

    As pressões inflacionárias no governo Dilma tem a ver com a benéfica desvalorização cambial que ela vem fazendo desde o primeiro minuto do seu governo em janeiro de 2011. Ela recebeu de Lula um câmbio de R$ 1,65 por dólar e hoje o câmbio, desvalorizado, está em R$ 2,55 por dólar. Óbvio que isto pressionou a inflação!

     

    No mais, e que o sr. Nassif não diz e nem mesmo procura fazer uma reportagem, temos a questão da brutal queda no valor das principais comodities, queda que varia entre 20 e 35 por cento de 2012 para cá. Não é a toa que as exportações brasileiras não crescem mesmo com a desvalorização de mais de 50 por cento da nossa moeda. 

     

    O resto é o Luar de Paquetá…

     

    A propósito, porque Nassif está tão aborrecido com o hipotético nome de Levy na Fazenda? Ele tanto trucidou Guido Mantega nos últimos anos, sendo que o legado deste é o pleno emprego, a inflação controlada, a melhoria da renda das classes laborais e políticas anticíclicas absolutamente corretas, então, porque criticar o antagonista de Guido?

     

    Será que o Nassif não lembra que Guido Mantega é Ministro da Fazenda desde o primeiro mandato de Lula? Será que não lembra que Arno Augustin é Secretário do Tesouro Nacional desde o início do segundo mandato de Lula?

     

    Será que não sabe que esse negócio de superávit primário é uma idiotice sem nexo, ainda mais num contexto de ferrenha crise econômica internacional? Afinal de contas, quantos são os países do G20 que possuem hoje, e desde 2008, o tal de superávit primário?

    • Verdade FACTUAL…

      “Todos nós, brasileiros, desejamos, neste momento, que a senhora seja iluminada ao escolher sua nova equipe de trabalho, a começar por uma equipe econômica independente, experiente e comprovada, que resgate a confiança e credibilidade ao seu governo”

                                                                      Marta Suplicy – Senadora PT…

       

       

      “De Sarney a Kátia Abreu: uma tragédia brasileira”

      http://www.cartacapital.com.br/blogs/leandro-fortes/de-sarney-a-katia-abreu-uma-tragedia-brasileira

       

       

      “Acabou a brincadeira. Saem os amadores progressistas, desenvolvimentistas, esquerdistas – e lambanceiros – e entram em campo os profissionais do poder”

                                                                     Ricardo Noblat.

       

       

  43. Infelizmente, arrependimento

    Infelizmente, arrependimento tardio …

     

    E nem bem acabou a eleição e já começo a me arrepender de ter votado na DILMA!

    Eu penso assim: se é para ter um governo liberal pró-mercado e blá blá blá blá … é preferível um governo autêntico, e neste caso em terras brasilis o PSDB é mais apropriado e quem melhor representa esta linha de ideário.

    Não votei, pela segunda vez, na DILMA para que ela represente este receituário.

    Da primeira vez, já foi dificil conviver com atitiudes covardes da DILMA … não ter enfrentado a regulação da midia, ter iniciado o enfrentamento ao rentismo e logo em seguida voltar a tras, por causa do colar de tomate da Ana Maria Braga …

    Se continuar a seguir esta linha, vou fazer coro junto a oposição. 

     

     

    •  
      Estou decepcionado com a

       

      Estou decepcionado com a Dilma, mas não me arrependo do voto…

      O PSDB seria muito pior… Sempre!

       

      Resta esperar os seus 4 anos, pra ver se foi acertada ou não a cartada dada…

  44. Chocado! pelo artigo recheado de choques pra todos os gostos…

    depois do choque da leitura profunda desta chocante análise político-econômica,

    uma singela conclusão… chocante!

    se, a saber,

    no Oriente Médio, extremistas islâmicos unidos do Mundo Islã Sem Fronteiras e nadando nos petrodólares árabes criaram – no vácuo do Estado caótico provocado por guerras civis tribais religiosas – criaram o Estado Islâmico.

    na América do Sul, perigas, o extremismo teimoso de Dilma.2 no seu Mundo Só Seu e afundando nos petrodólares saindo pelo ladrão do mar de lama criar no segundo governo o Estado de Choque!

  45. Salvação

    O governo Lula foi, em grande parte, salvo pelo caseiro Francenildo (que mereceria uma homenagem). O primeiro governo Dilma não foi pior porque a mídia, querendo atrapalhar, ajudou e muito, ao também nos livrar da influência nefasta  permanente do mesmo ministro. Infelizmente, sua idéias influíram na parte errada da política econômica, a começar do  desnecessário corte efetuado no início do governo.  Corte que prejudicou a economia nos quatro anos seguintes. Todos sabemos a quem me refiro. Mas não é que a mesma “doença”, com “virus” modificado, voltou a assolar o governo. O artigo de Ricardo Melo, na FSP/UOL foi “na mosca”: Governo novo, Ideias velhas.  

  46. Comparando Arno e Levy

    Apontado como solução para os problemas fiscais do Brasil, Joaquim Levy coleciona uma série de indicadores piores no período que foi secretário do Tesouro do que Arno Augustin. Em abril de 2006, último ano que Levy esteve a frente do Tesouro, o prazo médio dos títulos do Tesouro emitidos foi de 24,4 meses, muito abaixo dos 51,8 meses de Arno em setembro. O custo médio da Dívida Pública Federal passou de 14% nos tempos de Levy, mas tem se mantido em torno de 11% nos últimos meses. Além disso, a relação dívida/pib é menor hoje (35,93%) do que ao final da gestão Levy (47,7%).

  47. Confio na timoneira, ela aguenta a pressão!

    Calma lá, pessoal. Nada de abandonar o navio por conta de uma forte tempestade. Aí sim, a embarcação vai a pique!

    Também não dá para cair no discurso da oposição. Oposição tucana é para isso mesmo, pintar um quadro desesperador e apostar que o pior vá acontecer.

    É bom lembrar: política se faz… fazendo política. Tem pressão, muita pressão e… mais pressão. E se de lá vem pressão, tem de fazer pressão do lado de cá, para recompor o equilíbrio de forças. A conjuntura é um dado objetivo, mas pode ser modificada!

    Não dá para se assustar com a pressão, ela é inevitável.  E Dilma não é mulher de se assustar. Ela tem fibra. Vai resistir o repuxo!

    Na área econômica a pressão é maior, mais cruel. Existem muitos interesses em jogo. Alguns legítimos, outros não. É na política econômica que se define crescimento e distribuição. E tem esse paradoxo: quem quer crescer não pensa em distribuir (se não, como acumular?), por outro lado ( o social) sem crescimento a distribuição é afetada.

    E tem a questão tática. Com a Lava a Jato e o golpismo midiático e tucano, Dilma tem de ser tática. A estratégia é para depois, na calmaria.

    Agora tem de serenar ânimos, mediar conflitos, pensar em governabilidade. Quiçá a tática seja reforçar a legitimidade do mandato (evitar o golpe), para isso empregando, no momento, um política econômica mais tragável pelo mercado.

    Não é a escolha tática de um ministro que vai definir tudo.  O que vai importar é a afirmação da estratégia ao longo do tempo.

    Confio na timoneira. Aliás, por isso votei nela!

    Pode dar errado? Sim, pode, como tudo na vida. Mas pode dar certo para os brasileiros (mundo do trabalho), como deu nos últimos 12 anos.

    Recado aos petistas: não acuem Dilma. Concentrem energia em punir os petistas eventualmente envolvidos na Lava a Jato, como sugeriu o Tarso Genro. E tratem de fazer a reforma política!

  48. Nomes excelentes são os de

    Nomes excelentes são os de futuros ministros econômicos? 

    Pelo que a história conta os economistas são cabeças-duras em questão de múltiplos de tempo. Eles nunca agem benignamente em relação a sociedade privada; fazem um muro ao redor, como se nós fossemos ovelhas dos banqueiros.

    Temos que colocar luzes sobre a panela que começa a ferver no curral que não pode ser investigado!

    O perigo institucional do momento não é Dilma mandar, é essa meritocracia da economia que vai mandar por ela.

    As ancoras da memória se soltaram, e acusam Dilma de não dialogar o desenvolvimento posterior.

    Por que os ministros não podem procurar Dilma com objetivos do que há de verdadeiro; ou ela tem que ir a imprensa, por exemplo, para transmitir a eles que o BACEN está provocando inflação e aumento de juros por conta própria?

    Infelizmente, a área econômica não vai assumir o que é certo e errado por seu conteúdo, se as pesquisas pressupõem que a sua doutrina fictícia será criticada – assim, ao exame das pesquisas a mídia pode dizer e os economistas privados podem confirmar que a governante é a culpada dos males feitos deles, sequer autênticos.  

    A sobrevivência é para os mais aptos ao sustento do mercado, e não para as ovelhas que se reproduzem?

    Por que não uma operação tipo lava-jato neste modelo do Banco Central? Posto que ninguém consegue dialogar sobre a eficiência do presidente do BC; afinal não tendo nada de real por termo intermediário, qual a linguagem para o circulo social? Taxa de juros? Isso põe mesmo em ridículo a mistica de uso dos números financeiros para os rentístas, nada mais.

    O Banco Central não tem substância real e não está a altura do papel que exerce para o país!

    O governo precisa apenas amadurecer sua própria autoridade motora no controle da economia para extrair uma combinação social, como disse Aristóteles, de ser movente e movido (números coincidentes com ideias). 

    À Dilma cabe preencher as lacunas da autoridade social entre os ministérios da fazenda e o Banco Central, antes que aconteça a causa dos juros: por si só a própria eliminação do Estado. A função do poder executivo é marcadamente a dialética de mandar executar o seu programa de governo, fruto de análise da natureza métrica!

  49. E p q Ciro Gomes não aparece no GGN do Nassif???

    Pergunta já feita no ar e… silencio total.Nem o Blog, Equipe dizem se já convidaram ou não.Ele entende,e por dentro,mas do q jornalistas p/mais especializados que sejam.Claro,todos podem contribuir,jornalista econômico,Economista, inte- grante de mais de um Governo como Ciro Gomes.Mas q é muito estranho não aparecer p/aqui no GGN/Nassif,é estra-nhíssimo.Viram o rapido debate num Roda Viva antigo entre Nassif e Ciro Gomes? Alguém levou pro lado pessoal?Ciro é estabanado,mas numa longa entrevista numa tv do Ceará-vi youtube-ele cita atitude de Severino Cavalcanti,atitude elo- giosa(de pouca divulgação).Detalhe,CG teve violentíssima briga c/Severino Cavalcanti- parente de meu pai -Mas tem a hombridade de não ter falado nada negativo,nem referência a desentendimento com S.C., CG mostra-se tbém de gran- diosidade, de generosidade q talvez poucos conheçam.E que nem todos têm.

  50. Encruzilhada

    VALDO CRUZ

    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/196965-dilma-a-juiza.shtml

    O articulista da Folha não é páreo para LN.No entanto o que está sendo dito abaixo aconteceu, são fatos.Ou não?

    ………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

    No primeiro mandato, só deu a linha desenvolvimentista. Se gerou desemprego baixo e renda do trabalho em alta, deixou inflação elevada, juros salgados, rombo nas contas externas e crescimento medíocre. Mistura explosiva e pronta para destruir as conquistas sociais.

  51. A Kátia Abreu para Agricultura também é de doer…

    A Kátia Abreu para Agricultura também é de doer… Parece que a presidenta Dilma está cometendo os mesmos erros do primeiro mandato. Os brasileiros que saíram às ruas para elegê-la merecem um pouco mais de consideração.

  52. “Não sejamos escravos da realidade”/Ciro Gomes

    (parafraseio ex-colunista da FSP).Há extrema cautela na escolha do novo Ministério.Há conselheiros(provavelmente ou- tros).A presidenta não vive nem só,nem isolada(à parte,o temperamento de cada um,não sabemos qual o temperamento dela,só conjecturas).É muita precipitação ou um presunçoso julgamento avaliar esta ou aquela opção q Dilma tem,estiver prestes a ter,ou vir a ter.E mudanças mais à frente – não sabemos.Uma cabeça q não pensa só em Economia seria ou é Ciro Gomes(provavelmente está sendo um de seus atuais conselheiros).Estranhíssimo é q nessas futurologias,”é de doer” tal ou qual nome,”ótima” escolha tal e qual nome,não apareça artigo dele, C.G. neste Blog – Ele recusou?- E por quê? -Ele foi ou não foi convidado? – E por quê?

  53. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome