Wanderley e a espiral de violência que se prenuncia

Em 1962, o jovem Wanderley Guilherme dos Santos escreveu um texto premonitório prevendo o golpe de Estado – que ocorreria dois anos depois.

Quais as diferenças substanciais entre o Brasil de 1962 e o de 2016? Foi  a primeira pergunta que lhe fiz no Brasilianas de ontem à noite.

Sua resposta foi objetiva: são dois países completamente diferentes. O de 1962 tinha 6 milhões de eleitores; o de 2016 115 milhões, constituindo uma das maiores democracias do planeta.

O de 1962 não tinha sociedade civil, movimentos populares. Em determinado momento, Wanderley foi conhecer as míticas Ligas Camponesas. E constatou que eram praticamente inexistentes, servindo apenas como álibi para a direita utilizar o fantasma do comunismo.

Hoje em dia, o país está coalhado de organizações sociais, movimentos populares, sociedade civil. Politicamente, centro-oeste, norte, parte do Nordeste se integraram ao mercado de consumo, de opinião e político.

Mesmos os chamados partidos nanicos têm uma função civilizatória relevante, ao integrar na política partidária os grupos dos cafundós do país, que antes resolviam suas questões a bala ou a facadas.

Aliás, Wanderley tem uma opinião bastante singular sobre esses grupos e sobre os políticos religiosos. Constatou ele que esses políticos têm muito mais afinidade com seu meio e com seus eleitores do que os políticos de centros mais avançados.

Na opinião de Wanderley, a representação política é eficiente no plano municipal, um pouco menos no plano estadual e quase inexistente no plano federal, conforme se pode conferir no episódio dantesco da votação do impeachment na Câmara,

Mas faltam pesquisas para mostrar como a atuação desses políticos, no plano nacional, é percebida por seus eleitores no plano municipal.

O grande problema da corrupção política está nas matérias analisadas pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral) diz ele. É o sistema eleitoral, com suas possibilidades de coligações e de venda de horários gratuitos que abiu espaço para a corrupção. O financiamento de campanha sempre se dá pelo caixa 2, diz ele. Mas a roubalheira não está no financiamento em si, na empresa que dá e no partido que recebe. O problema é o que acontece no decorrer desse processo, na passagem pelas várias mãos, permitindo golpes de enriquecimento pessoal.

Quando se pergunta se a democracia está ameaçada pelos novos tempos, sua resposta é rápida: a democracia foi derrubada no processo de afastamento de Dilma.

Wanderley não tem dúvidas de que nos próximos meses haverá uma escalada de violência. Os movimentos sociais e demais setores não aceitarão perdas, retornar ao patamar anterior, e o governo insistirá nesse jogo. A cada movimento de um lado haverá a reação do outro, em um crescendo incontrolável até que chegue a um grau de temperatura que será resolvido de outras maneiras.

Não tem ilusões quanto a possibilidade de um pacto que reduza o ódio e permita uma travessia mais calma porque, para ele, a única figura externa capaz de mediar os conflitos seria Lula. Mas ele foi imprudentemente massacrado pelas forças políticas. Não existe no horizonte nenhuma figura pública que possa preencher esse vácuo.

É igualmente pessimista em relação ao futuro da política. Para ele, a queda do Muro de Berlim foi o sinal definitivo do início de uma nova idade média, com a predominância do individualismo exacerbado, da busca do sucesso individual. Não se ilude muito com a militância dos secundaristas, com seus propósitos nobres. Acha que à medida que foram crescendo, os apelos para o sucesso individual se sobreporão aos princípios da solidariedade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

73 comentários

  1.  
    ‘A ponte para o fu(tu)ro’

     

    ‘A ponte para o fu(tu)ro’ que ‘vaza’ a nação em frangalhos!
    E os bandidos usurpadores golpistas são interinos!
    Imagine o que farão quando…

    $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

    Romero Jucá anuncia equipe no Planejamento e extingue secretaria ligada ao PAC

    (…)
    Jucá assumiu o Planejamento indicado pelo presidente em exercício Michel Temer, que vem recebendo críticas porque o senador licenciado é investigado pela operação Lava Jato. 
    (…)
    O ministro anunciou ainda a extinção da Secretaria do Programa de Aceleração do Crescimento (Sepac), que agora se chamará Secretaria de Desenvolvimento e Infraestrutura. 
    (…)
    O G1 procurou o Ministério do Planejamento para saber se a decisão de mudar o nome da secretaria indica que o governo não predente dar continuidade ao PAC. A assessoria do ministério informou, porém, que não era possível responder à questão neste momento.
    (…)
    Jucá anunciou o economista Manoel Pires para a presidência do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Pires era secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda. Hoje, o Ipea é comandado por Jessé de Souza.
    (…)

    FONTE [IMUNDA!]: http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/05/juca-anuncia-equipe-no-planejamento-e-extingue-secretaria-ligada-ao-pac.html

  2. Excelente
    O programa e o teu texto.

    Assusta, mas diante do embrulho no estômago dos dias, da trairagem, decepções e apequenamento de tudo e de quem menos se espera, ainda temos pessoas lúcidas analisando e pensando sem o embotamento das paixões. Mas ainda vivos com, e por causa, delas. Imprescindíveis, sabemos.

    Fico orgulhoso, de não conter as lágrimas, quando vejo a bravura da meninada. Mas choro sentido por também achar que esta será uma rápida chuva de verão. Logo serão envolvidos pelas demandas: da vida, do mercado, das disputas por espaços mais e mais exíguos à medida que avancem na vida acadêmica e profissional. Poucos terão fôlego para maratonas. A maioria correrá os 100 metros e cairá na rotina e na vida autômata e acomodada. Assim como seus pais…

    É. Perto do fundo do poço, só uma pequena réstia de esperança: a de conseguir sobreviver a isso…

    A ver.

  3.  
    Devido à ganância inerente

     

    Devido à ganância inerente ao Homem, o Comunismo é um erro bem intencionado,  e o Capitalismo é um erro com requintes de perversidade.

  4. O que está me preocupando um

    O que está me preocupando um pouco, é que não estou vendo nenhum movimento aqui na base, nas comunidades, entre as pessoas mais simples.

    Converso com muitas pessoas desse grupo social, e uma parcela considerável ainda não sabe o que está ocorrendo no pais.

    Muitos não sabem que quem está governando é o Temer e não a Dilma, principalmente as pessoas acima dos 50 anos

    Se essa base não se movimentar, não se revoltar, não sair às ruas, a chance do golpe prosperar é muito grande.

    Porque ninguém faz mais barulho, cria mais tumulto, revolta, quebra quebra para chamar atenção, do que essa turma daqui.

    Por enquanto como nada foi afetado, modificado, as coisa estão funcionando normalmente, para esse grupo está tudo normal.

    De qualquer forma, vamos aguardar !

    • Não acho que devamos

      Não acho que devamos aguardar. 

      Todos aqueles que são contra o golpe devem agir, no sentido de resistir e se manifestar, além de propagar, esclarecer e incentivar essa resistência, imediatamente.

      Tirei este texto, interessantíssimo, do Viomundo do Azenha:

      O GOLPE E A DOUTRINA DO CHOQUE

      por Ernesto de Carvalho

      É importante entender o que está acontecendo. Tem muita gente perplexa com o número de medidas absurdas tomadas de imediato pelo governo golpista.

      Ministros corruptos, o fim do Ministério da Cultura, da representação de mulheres, da população negra etc etc.

      Dá até a impressão de que os golpistas estariam cometendo algum erro, exagerando, pois pareceria óbvio que isso gerará muita insatisfação e revolta, que é escancarado demais. Mas não é assim que funciona.

      O golpe está utilizando uma doutrina de guerra conhecida, a doutrina do “shock and awe” (choque e pavor), muito explicitada e comentada na época da invasão americana do Iraque em 2003.

      Quem não conhece procure no Wikipedia.

      A doutrina do choque é baseada na idéia de executar uma série de ações rápidas, no uso avassalador da força no começo da batalha, para “paralisar a compreensão do adversário e destruir sua vontade de lutar”.

      É assim que se tomam medidas aparentemente desproporcionais. O resultado é deixar o inimigo (no caso, nós) paralisado, atônito, ou em pânico. Isto é um gesto deliberado, calculado, estudado. E funciona.

      Olhe ao seu redor. O que mais se escuta é “é absurdo demais o que está acontecendo”, “meu deus eu não consigo nem mexer direito, é tanta destruição”, “como podem tão rápido terem feito tantos absurdos?”, e gente perguntando quando é a próxima manifestação, sem obter resposta.

      Pois eles sabem exatamente o que estão fazendo. Estão em guerra contra uma boa parte da população. A resposta adequada é não se surpreender (já escrevi sobre isso antes, a importância de não se surpreender) e manter o foco, não desesperar.

      O objetivo do golpe agora é deixar as pessoas paralisadas durante este período de impeachment para justamente evitar ao máximo as manifestações.

      Os golpistas planejaram isso por meses, se não anos, por isso o ar de confiança que sempre exibiram.

      Colocaram todas as peças no tabuleiro: chocar a população mais à esquerda diante de uma verdadeira hecatombe institucional, blindar os resultados desastrosos do processo com uma mídia completamente e explicitamente investida no golpe (a Globo principalmente) e abertamente posicionar os mecanismos de repressão mais eficazes e truculentos para conter qualquer resposta organizada.

      O Ministério da Justiça fundido com o de Direitos Humanos é que nem uma placa “cuidado cão-guarda”. Não é por princípio que colocaram o advogado de facção criminosa, é por cálculo. Do ponto de vista deles, não há outra opção, é isso. É guerra.

      Se fizessem menos do que isso, numa tentativa de conciliar, a nossa resposta seria muito maior, porque não estaríamos atônitas e atônitos. A guerra tem as suas técnicas seculares. Essa é uma delas.

      É preciso acordar, deixar o choque passar e ir à luta sem medo. Luta.

      Não asfixie o seu espaço de representação, tornando-o apenas espaço de estarrecimento perante o absurdo. Não fique sozinha/o. Não lamente, lute. Simplesmente manter-se informado/a do absurdo mais recente é a pior coisa que você pode fazer.

      Converse com as pessoas, mas não no sentido de apontar “o absurdo”, mas sim no sentido de buscar ações concretas.

      No meu caso, eu perdi a vergonha, em qualquer lugar falo para as pessoas sobre o que está acontecendo, aponto a culpa que a Globo tem na história, falo da necessidade de parar de assisti-la.

      Nunca abro o registro da resignação. É pequeno, é simbólico, mas é um gesto. Perturba a narrativa.

      Tenha uma agenda clara das manifestações e reuniões às quais você vai comparecer. E saiba quais são as suas principais redes de mobilização.

      Instale o Telegram e use o e-mail encriptado.

      As bombas caem por todos os lados, mas você tem que focar em uma de cada vez, sem perder o fôlego.

      Uma dessas bombas, por exemplo, é o fim do Ministério da Cultura. É preciso mobilizar-se contra isso. Não falta gente revoltada.

      Essas pessoas só precisam de um lugar e uma hora para protestar. Sem medo.

      Agradeço ao Carlos Henrique por ter me lembrado da doutrina do choque.

       

  5. Sempre achei a queda do “muro

    Sempre achei a queda do “muro de Berlim ” uma  temeridade. Alemães matam impiedosamente milhares de pessoas. Põe o mundo em polvorosa por cinco anos, aí botam o muro abaixo e V ira todo mundo capitalista. A Europa está se ferrando e nInguém sabe porque. Pelo menos temos Cuba que aguentou firme e não permitiu, a duras penas, que seu “muro” fosse colocado abaixo. Viva Cuba!!!

     

    • muro de Berlin

      Eu costumo fazer uma pergunta: Vc acha que o mundo melhorou depois da queda do Muro de Berlin?? Guerra da Sérvia, guerra da Bósnia, Talibã ISIS . . .

    • O pior da queda e do colapso

      O pior da queda e do colapso do mundo comunista foi dar uma justificativa “moral” ao egoísmo da sociedade ocidental conservadora capitalista, como previra J. K. Galbraith. A partir daí a ambição desmedida, o egoísmo, o subir na vida a qualquer custo se tornaram valores equiparados (ou, conforme a narrativa, até superiores) à solidariedade, à preocupação com a desigualdade e ao estado de bem estar social, criando os zumbis neoliberais e seus zumbizinhos já na 2a geração.

  6. De paróquias e cafundós

    É, é realmente uma coisa a se observar, como o desmonte de programas federais da era Lula-Dilma afetará as pequenas (e não menos as periferias de médias e grandes) municipalidades que dependem muito mais do governo central do que do de seus estados, e como o poder paroquial irá reagir às tesouradas do golpe, que estão objetivando exclusivamente o “saneamento” das contas da macroeconomia.

    Em ano de eleições municipais, agora e principalmente após o julgamento do impedimento pelo Senado, não se deve subestimar as conseqüências políticas de cortes brutais no SUS, no Mais Médicos, no Bolsa Família, no apoio à agricultura familiar/cooperativa e outras “irrigações” de investimentos em infra-estrutura e serviços sociais canalizadas diretamente de uma ponta a outra.

    E isso sem falar nos efeitos de uma possível “remodelação autoritária” dos benefícios da Previdência, né?

  7. Nassif, estou estudando sobre

    Nassif, estou estudando sobre as Ligas Camponesas. Pode me informar qual foi o texto de Wanderley a qual você se refere aqui?

    • Prezado Maxwell, 
      se me

      Prezado Maxwell, 

      se me permitir, recomendo-lhe um exaustivo trabalho sobre as Ligas Camponesas do Brasil, que deve sair em segunda edição neste mês de maio/início de abril, pela Editora da PUC Goiás. O autor é Athos Magno Costa e Silva, e o título do livro é: “O Estado e o Campo no Brasil 1930-1964. Revolução conservadora das elites e luta pela terra na retaguarda do país”.  O livro mostra as lutas das Ligas, que se dedicaram mais aos camponeses, a sua posição política, sua força e sua debilidade, sua disputa com o PCB, a Igreja Católica e o governo João Goulart, que se dedicaram mais à organização dos assalariados agrícolas, em sindicatos. As Ligas eram muito descentralizadas,  uma “organizaação” próxima da concepção luxemburguista , o que gerou, no final de 1963, uma reação de seus dirigentes, propondo a implantação de uma  organização de tipo leninista.

       

       

  8. O Congresso que aprovou o

    O Congresso que aprovou o começo do golpe em 17 de abril é assim porque o eleitor quis. Parece um paradoxo, mas o problema da nossa democracia em estado de hibernação é o povo despreparado que elege quem o quer manter burro, e cria-se o círculo vivcioso. Aí a mídia, capitaneada pela globo, nada de braçada e faz o que bem entende em defesa dos interesses da nobreza sem título que é dona do Brasil, é só ver que na primeira eleição para presidente após a “redemocratização” o candidato da globo foi eleito.  Aquilo que o Mano Brown falou sobre a favela ter virado as costas para Dilma é uma triste realidade. Domingo o que vimos na passeata paulistana foi classe média esclarecida. Não existia “povão” pelas ruas de Sampa protestando contra os piratas que pretendem ferrar o povão…

    • PS – Não sei, mas imagino que

      PS – Não sei, mas imagino que se pesquisarem o panelaço de domingo contra temer talvez constatem que ele ocorreu quase  apenas em bairros de classe média. Eu, pelo menos, soube de silêncio total em 2 bairros e em um deles -pasmem!- houve gente gritando “fora, Dilma”.

  9. Quem está mais preparado para

    Quem está mais preparado para o golpe? A população? (Movimentos Sociais, Centrais Sindicais, MST, MTST) ou os golpistas. Um amigo disse que haverá muitas mortes, que será um banho de sangue. Os Golpistas colocam na justiça, um cara pior que o Moro, usando de todas e mais algumas truculências, tem a cara do Mussolini. Os movimentos mais articulados precisam de ir ao encontro da população, nas fábricas, estações de metrô. Os artistas e pessoas que estão ocupando os espaços culturais precisa de ir com o carro de som fazer shows em portas de fábricas, bairros periféricos e distribuir material denunciando o golpe, a rede ainda é muito pouco, tem que ter panfletagem.(Não panfletar sozinho, tem muito facista organizado pela FIESP/GRUPOS DE EXTERMÍNIO, prontos para bater e matar) é preciso ter cuidado. Artistas nas ruas, povo nas ruas.NÃO AO GOLPE!

  10. Well, os conspiradores são

    Well, os conspiradores são obviamente um grupo de criminosos com o objetivo claro de devolver o seu país para o tempo do Império e botar os escravos (todos os que vivem de salário) “no lugar deles”, uma mentalidade tipicamente medieval aonde eles acreditam verdadeiramente ser mais do que os outros. Isso obviamente é incompatível com uma democracia moderna então um conflito sério é inevitável.

  11. Caro Nassif,

    Eu sempre acreditei que Lula seria uma salvação para o capitalismo brasileiro, pois é óbvio que uma sociedade não consegue estabilidade política e econômica convivendo com tanta desigualdade social e injustiças.  Mais cedo ou mais tarde as contradições explodem e cria-se o caos. Por esta razão eu virei um Lulista, pelo simples fato de que via em Lula uma etapa civilizatória importante no caminho para se construir uma sociadade baseada na solidariedade entre seus membros, aquilo que considero como Socialismo. 

    Penso que os 12 anos de PT no governo avançaram neste sentido.  Hoje qualquer tentativa de retroceder vai encontrar muita resistência, podendo chegar ao enfrentamento militar em última instância.  Quem decidirá isto serão as direções dos movimentos populares  e os detentores do poder formal na sociedade.  Até agora o que se vê é que os que detém este poder formal estão surdos e mudos. O STF que deveiria ter um poder moderador  está claramente jogando nas hostes da elite golpista e anti-povo, transformando-se a si mesmo em uma justiça golpista. 

    O perigo é claríssimo.  Dizia a poeta Violeta Paja que quando os pobres não tem na terra alguém que ouça suas palavras, eles dirigem estas palavras aos céus na esperança infinita de encontrar uma vida melhor.

    Por outro lado a História tem mostrado que os pobres quando não encontam uma reposta  nem dos terra nem dos do céu, eles dirigem sua raiva contra os do cima, e isto apesar de ser revolucionário, nem sempre resulta em uma revolução vitoriosa.  Na verdade às vezes até resulta em regimes muito mais antedemocráticos.

    Por tudo isto não poderia deixar de concordar com Wanderlei Gulherme.  

    Como já disse em outros posts, eu só espero que as lideranças dos pobres, agricultores,  desempregados e trabalhadores em geral, não traiam suas bases e não tenham medo de ir para o enfrentamento, pois toda tentativa de evitar a violência agora resultará em muito mais violência contra o povo, agora e no futuro.

    Medo de ocorram mortes? Ora, o que mais se vê no Brasil hoje é a morte diuturna da população.  Nos últimos 30 anos matamos mais gente no Brasil do que os americanos mataram no Iraque ou no Vietnã.

  12. Ah, só pra complementar

    “Quando se pergunta se a democracia está ameaçada pelos novos tempos, sua resposta é rápida: a democracia foi derrubada no processo de afastamento de Dilma.”

    Tempos atrás, da primeira vez que vi essa opinião do Wanderley, achei um tanto descabida. Hoje não acho, não. Muito pelo contrário.

    No ano passado, ao se disseminar a viabilidade do impedimento sem justa causa, não foi difícil constatar que a nossa democracia caía doente, nada muito grave, mas com um quadro infeccioso que requeria maiores cuidados. Infelizmente, ao longo do ano esse “quadro clínico” só veio a piorar. E quando da instauração do processo na Câmara… UTI. E em 17 de abril… coma!

    A admissibilidade pelo Senado, se não alterou esse quadro, serviu como um atestado de “desengano” à nossa democracia, com o dia do julgamento passando a ser apenas o dia em que aparelhos que dão última sustenção de vida a ela serão… desligados.

    O câncer parlamentar, tomando o governo, alastrou-se demais, a ponto de usurpar inclusive o outro corpo que integra o Estado, o judiciário, a ponto de o golpe tornar-se um “ato jurídico perfeito”, um único, como origem de todos os que se seguirão. Enfim.

    Enfim, mão à palmatória ao Wanderley: na verdade, a nossa democracia, como Inês, é morta, só falta assinarem o atestado de óbito.

    E o que nos resta agora? Nos resta opor-se como sociedade, como frente ampla, organizando as ruas reais e simbólicas, reorganizando na sociedade a democracia contra um Estado que já se inaugura, pra mim sem nenhuma sombra de dúvida, ditadorial.

     

     

  13. Desespero

    O que eu vejo é um desespero da direita e principalmente do Globo em não conseguir achar um discurso que encaixe, empolgue a população(ordem e progresso, remete a ditadura, péssima escolha do Michelzinho kkkkk). A solução inicial é essa truculência contra todas as classes e movimentos oposicionistas o que acabou gerando um efeito ainda pior. sabendo que nos não temos a mídia televisiva temos de encontrar meios da população como um todo perceberem o que está ocorrendo; uma grande paralisação, uma grande passeata algo que chame a atenção do mundo não apenas do Brasil que faça com que eles fiquem ainda mais acuados. A reprovação mundial é uma preocupaç˜zo concreta e deve ser muito explorada conta esses que toamaram o governo.

  14. Choque e pavor

    Tem se falado muito que o governo golpista está usando a tática de guerra chamada Choque e Pavor, que foi usada numa guerra convencional, a do Iraque, e que estaria sendo usada também nessa Guerra 5.0 no Brasil. Refiro-me a esta saraivda de medidas que estão deixando a população aturdida, anesteziada e sem condições de reação, alguém tem links sobre o tema

     

  15. Ocupaçoes podem ser a saída

    Como leigo, e baseado apenas na minha opinião de leigo, esse movimento de ocupações de escolas por estudantes parece estar ganhando corpo e talvez tenhamos muito a aprender com eles. Vejam que esse movimento não se restringiu a SP, mas também há  no RJ e o no RS. Se esses projetos de desvinculações orçamentárias vingarem, não haverá outro jeito senão a ocupação de escolas, hospitais, postos de saúde, secretarias e até ministérios para forçar o fim desta movimento aviltante de reforma constitucional por um pretenso governo sem qualquer legitimidade.

    Se não nos unirmos e não ocuparmos o que a CF1988 nos garantiu e que conquistamos até agora, perderemos tudo. O Prof. Wanderley pode estar desanimado sim, todos estamos, mas não podemos descansar, temos que resistir até o fim, nos inspirando nos Russos de Stalingrado.

  16. Compartilho com o Prof.

    Compartilho com o Prof. Wanderley o pessimismo quanto ao curto e medio prazo.

    Mas nao quanto ao longo prazo e às novas geraçoes.

    Ele, apesar de cientista fora de serie, deve sofrer daquele pequeno bias de “antigamente era melhor”.

    A mudança fundamental com a queda do muro de Berlim nao foi tanto o crescimento do individualismo per se mas a implantaçao geral do neo-liberalismo e do Estado minimo.

    Sem a ameaça dos “vermelhos” e de revoltas populares, o “1%” e seus Estados capturados se sentiram livres para erodir todas as conquitas dos “30 gloriosos” anos do pos-guerra e o Estado do bem-estar social.

    Acabou a necessidade de ser/parecer civilizado. Nao havia mais alternativa.

    Mas se a escalada do individualismo fosse irreversivel, nao teriamos tido a chegada de Lula à presidencia depois do neo-liberalismo desastrado e mal implantado dos anos 90.

    As novas geraçoes tem conceitos estranhos às antigas, como trabalhos colaborativos, estruturas em rede, financiamento coletivo tipo kickstarter, etc.

    Tudo isso é contrario ao individualismo que assusta Wanderley – e a mim.

    Talvez quando chegue à idade dele meu pessimismo aumente.

    Certamente meu pessimismo é hoje muito maior do que quando tinha 20 anos.

    Mas, como o liberalismo selvagem é incompativel com a democracia, partindo da premissa que haja ainda minimos vestigios de democracia, acredito numa reversao no futuro.

    Mas, de fato, no curto e medio prazo o panorama pro Brasil é sombrio.

    Mais uma vez a culpa é da miopia de nossa elite. A pior do mundo.

    • Meu caro Romulus,

      bem lembrado desta nova filosofia do compartilhamento via rede.  Isto é uma grande novidade e tem algo de muito revolucionário, apesar das esquerdas não conseguirem ver. Mas eu sei que mais cedo ou mais tarde elas verão pois no passado elas também não viam como eram transformardoras as ideias do verdes, do feminismo, da liberdade sexual. Mas no fim tiveram que ver o que não queriam. Eu me lembro em 68 quando eles diziam, menosprezando: ah! isto são ideias da pequena burguesia, não tem nada a ver com o proletariado. Grande engano, sabemos hoje.

      Eu sou muito otimista de que nós conseguiremos ultrapassar este momento e continuaremos nossa marcha civilizatória. Mas não podemos ter medo de enfrentar o bicho papão.

    • Na verdade o liberalismo não

      Na verdade o liberalismo não é ruim. Só que o que está sendo aplicado no seu país não é liberalismo, o que Temer e os conspiradores estão tentando implantar é uma versão atualizada e grosseira de feudalismo aonde se assume que um pequeno grupo manda e os outros, escravos, são obrigados a obedecer. O único modelo de país que se encaixa na mentalidade deles é uma gigantesca “plantation” com milhares de escravos e um pequeno grupo supervisionando, aonde toda a produção é para exportação.

      • falou o discurso imperialista!

        O liberalismo morreu há muito tempo, mais precisamente as uns 100 anos(a setença de morte foi escrita por um defensor do capitalismo, Keynes!). O que sobrou é uma retorica politica e muitas vezes imperialista, com o pessoal do seu país vindo dizer para os ‘bárbaros’ que liberalismo (dos outros) é bom (para os EUA)

    • O problema é que no longo

      O problema é que no longo prazo não teremos mais nada para construir um país !!!

      Todos os meios nos serão tirados no curto e médio prazos !!!!

      Afinal, no longo prazo, como tiraremos o pré-sal e a Petrobrás dos americanos ??

      Vamos é tomar muita bomba na cabeça !!!

  17. Perguntar não ofende

    Bastam 2 votos para o Senado barrar o impedimento de Dilma. Se Serra saiu pra ser ministro e Kátia Abreu deixou de ser ministra, então a volta de Dilma são favas contadas, certo?

    • Não, ainda não são contadas,

      Mas um bom trabalho poderá levar a isto.  Só não acho que com isto tenha que se parar o movimento de resistência e se preparar para o embate, qualquer que seja necessário.

    • De onde tirou isso ? o que

      De onde tirou isso ? o que são favas contadas é o afastamente em definitivo de Dilma.

      Serra sai e entra seu suplente, que vota igual. Até pq ele pode voltar so senado só para votar se for o caso.

      Houveram vários senadores que se abstiveram, como Jader Barbalho, por ex, que certamente votará contra.

       

      • A conta não é que o governo

        A conta não é que o governo precisa virar dois votos. A conta é o governo precisa conquistar 6 votos, para chegar aos 28.

        Supondo que Renan não vote,aí precisa chegar a 27e virar 5.

        Temer tem 55 votos, mas por ex, terá o voto do suplente do Delcídio, que é do PSC, vai para 56. O Voto do Barbalho possivelmente vai para Temer, já que o filho dele é ministro, 57. Aí já precisam de 4. E tem Renan, que se Temer ficar ameaçado, pode votar a favor, 58…

        KA volta ao Senado ? Volta, mas o suplente dela é do PT. Se ela votar contra o impeachment, fica simplesmente no 0x0. 

        Acho que a única chance do governo voltar é se o governo Temer for um desastre, alguns OPORTUNISTAS mudarem o seu voto para não se queimar junto com Temer

        . Romário, Crivella e Cristóvam(Menos esse, já que a vingança o motiva) são 3 que acredito que possam mudar os votos. Romário acredito que se esse governo se mostrar desastroso, vai ser o primeiro a ir para a oposição.

        A Galera que falou que votava pela admissibilidade, com um discurso em cima do muro, que o governo terá tempo de se defender, etc, vai querer agradinho do Temer, que se não vier, pode mudar…

        Acho que o principal obstáculo para Dilma voltar é GM, que se sentir que Dilma tem chances de reverter, cassa a chapa.

        • Muito bem colocado,

          Votou-se no Senado a admissibilidade da discussão sobre o assunto, ainda não se votou a culpabilidade da presidente. Aqui reside uma diferença muito grande. Senadores no processo de discussão podem ser convencidos a mudar de posição como é o caso do Romário e do professor Cristóvan Buarque. Não é tão simples assim conseguir dois terços do Senado. O Lula tem um grande papel neste jogo.   O que não dá é ver direções do PT jogando a toalha antes de findo primeiro round.

        • O Povo Nas Ruas, Antes Que Tardia

          O caminho mais curto para derrubar o golpe é Dilma conseguir os 28 votos no senado, mas para tanto é necessário o povo nas ruas e para que isso aconteça é preciso organizar o comando que unifique a agenda, a coordenação e a comunicação, através da internet, com divulgação multi fragmentada em portais, blogs e tudo mais que permitir conectar pessoas ao comando unificado e à ação agendada.

          Para todo domingo deveríamos já estar programando “passeios” contra o golpe e em defesa da Democracia, na Paulista,  Copacabana, Esplanada, Praça de Liberdade, etc., em crescendo, focando o golpe, a globo golpista e a reforma política necessária.

  18. E……………

    Em minha análise, que não é de especialista em pisicologia de massas, o tempo vai fechar.

    O autor relata as diferenças entre os anos de 1964 e 2016, e de fato as diferenças são enormes. Hoje com a internet  ficou mais dificil manipular, pois se tentam fazê-lo e plantar notícias falsas, é so consultgar outras fontes que não as de então, participantes e interessadas nos golpes.

    A massa que ascendeu a outros patamares, não irá permitir que os ganhos sociais sejam suprimidos, apesazr da lavagem cerebral e omissões que os ditos PIGs irão encetar.

    Assim, quero crer que o aturo quando diz – ” …  de que nos próximos meses haverá uma escalada de violências”, não tenham a menor dúvida, pois irão os que rasgaram a Constituição, colher o que plantaram!

    Outro ponto a considerar é que, não devemos menosprezar os interesses externos, que se formos para uma guerra civil, estaremos fazendo o jogo deles, qual seja – ” dividir para saquear”!!!

  19. Gigante adormecido

    Pais com a 5a maior extensão teritorial e hoje com mais de 200 milhoes de habitantes, uma das maiores economias do planeta, uma diversidade de fazer inveja e extremamente rico em recursos minerais e agropecuaria.

    Uma nação deste tamanho tem uma força inerente que nem mesmo nossa intelectualidade sabe pelo mero motivo que este imenso país mal foi dimensionado. Alguem minimamente honesto intelectualmente acredita que este golpe provinciano tem condições de “pacificar” este país, depois que uma geração sentiu o revigorante vento da liberdade e cidadania?

    Eu não tenho dúvidas, o ovo da serpente esta chocado e quando o golpe for concretizado (desligarem o aparelho da UTI) com a cumplicidade do supremo, uma força  até então desconhecida irá explodir deixando até o mais otimista (ou pessimista dependendo do lado) surpreso. E ai o efeito “bidê” acontecerá com força, não tenham dúvidas.

  20. Gosto do Professor Wanderley,

    Gosto do Professor Wanderley, mas achei suas falas muito confusas, fica um pouco dificil de acompanhar o raciocínio, é pouco didático.

    E achei que faltou aprofundar sobre o que ele pensa da Dilma. Ele disse que achava o Jango um político sagaz, mas e a Dilma ?

     

  21. De joelhos

    A leitura local vale pra mundial: a democracia está de joelhos e não serve mais. O mundo vive o fim de uma era e está em trabalho de parto. Cadê o Alexandre Weber pra falar sobre a precessão dos equinócios?

  22. Não sou vidente, mas arrisco

    Não sou vidente, mas arrisco que a falência da democracia como a conhecemos, em escala mundial, é útil para os poderosos fomentarem mais confrontos e desovarem estoques de armamentos. No Brasil, acredito que a (indi)gestão Temer vai deixar a esquerda perplexa e a direita indignada, ou vice-versa; tanto faz, e ser engolida pela própria esperteza, já que não tem nenhuma sabedoria. Triste será se, em vez de vencermos o egoísmo em que cada qual só quer conseguir seu pirão primeiro, dependermos de um terremoto ou ameaça terrorista aos jogos do Rio 2016 para acordarmos de vez a cidadania.

  23. OS TAIS CAQUINHOS

    Depois de quebrarem tudo, nós, os mais miúdos, cataremos os tais caquinhos e, com eles, quebraremos cada cabeça de golpistas que conhecermos.  Só assim teremos o nosso BRASIL de volta!

  24. Infelizmente, no exato momento em que aqui estamos a

    discutir as ideias do Professor Wanderley Guilherme, sai no Brasil247 a noticia de que o o deputado José Guimarães (PT-CE), que foi líder do governo Dilma, defendeu novas eleições nas redes sociais; “Penso que está na hora de defendermos eleições já! Os golpistas não reúnem condições de governabilidade social! Vamos pras ruas!”,diz ele.

    É incrível a facilidade com que  este senhor se ajoelha ao arbítrio, e insiste em uma proposta que leva à submissão e aceitação do golpe como fato consumado, aceitando que se corte o pescoço de Dilma.  

    Pelo jeito, lutar para este senhor é coisa impensável. Isto é um ato de traição à vontade com que Dilma tem demonstrado querer defender o seu mandato. 

    Será que este senhor não se dá conta de que jornadas de lutas neste momento, mesmo que ao final não consigamos ter Dilma de volta, são, a médio prazo, a única forma de dar coesão e consciência politica para amplos setores da população? Será que ele não se dá conta que foi isto que o PT  se recusou terminantemente a faze durante 12 anos de poder?

    Com gente assim dentro do PT, os golpistas devem estar felizes para sempre.

  25. Resisitir!

    O pessimismo do Wanderley tem justificativa. O capitalismo conspira de todas as formas para desmobilizar, estupidificar, anestesiar e reduzir à impotência todos os que vão sendo paulatinamente espoliados de seus direitos, quando já os tiveram. Pior ainda num país como o nosso, ainda às voltas com as sequelas de uma colonização predatória e escravista.

    Mas há alguns sinais de esperança. Movimentos como o Podemos, o Ocuppy Wall Street, as “marchas dos pinguins” no Chile; o sucesso de uma candidatura como a do Sanders nos EUA (que foi muito mais longe que se poderia sonhar), mostram que sempre pode irromper algum acontecimento novo.

    O capitalismo induz à competição, ao individualismo, ao isolamento. Mas a experiência do ativismo nos jovens abre a eles uma dimensão de vida que oferece emoção, grandeza, transcendência – que eles dificilmente irão esquecer, mesmo quando tiverem que gastar todo o tempo disponível lutando para pagar as próprias contas. 

    O “governo” Temer fará piorar rapidamente a vida de grandes massas. É preciso resistir de todas as formas contra ele. Ajudar a politizar os jovens sublevados nas escolas públicas é um bom caminho. Difundir narrativas contra-hegemônicas; alimentá-los com textos curtos, vídeos, sugestões de filmes, etc., é fácil e interessante. Eles suplicam por mais aulas de filosofia e sociologia. Quem se habilita a produzir conteúdos para eles?

    • Dandara, você abordou pontos essenciais….

      “a experiência do ativismo nos jovens abre a eles uma dimensão de vida que oferece emoção, grandeza, transcendência – que eles dificilmente irão esquecer, mesmo quando tiverem que gastar todo o tempo disponível lutando para pagar as próprias contas. “

      “Difundir narrativas contra-hegemônicas; alimentá-los com textos curtos, vídeos, sugestões de filmes, etc., é fácil e interessante. Eles suplicam por mais aulas de filosofia e sociologia.”

      É claro que tudo isto já vem sendo feito por todos nós na internete, mas penso como você, os jovens necessitam de conteúdos próprios, mais apropriados a eles. Para dizer a verdade eu não tenho a menor ideia de como isto pode ser feito, mas sinto que precisa ser feito.  Talvez um site colaborativo pudesse ser de grande ajuda neste processo de criação.

    • sem esquecer de Londres

      Sempre resta a esperença, nem tudo está perdido!

      Não vamos esquecer da vitoria do novo prefeito de Londres.

      Os Londrinos querem a cidade de volta e que não seja somente dos investidores estrangeiros.

      Não esquercer que Madri, Barcelona e Paris têm tambem lideranças de esquerda!

  26. pessimismo da razão,
    otimismo

    pessimismo da razão,

    otimismo da vontade,

    disse gramsci na luta contra os fascistas –

    os nossos golpistas enveredam pélo autoritarismo meio

    genocida contra os direitos conquistados nos úkltimos governos populares…

    dizem que a expressão a “esperança venceu o medo”

    veio do místico san juan de la cruz… 

    spinoza diz que não há esperança sem medo nem medo sem esperança….

    quem espera teme(r), espera enquanto teme(r|

    o grande suassuna disse que os otimistas são tolos,

    os pessimistas são chatos.

    – melhor é ser realista esperançoso, sintetizou…

    temos as conquistas dos governos populares, talvez já

    impregnadas no espírito da soceidade por pelo menos uma geração…

    outro mundo é possível e necessário, concluiiram os

    participantes do forum social mundial, copiando gramsci,

    após mais de quinze  anos de luta…….

    aprofiundar a praxis, prática, diferenças entre  tática

    – o agora, a práxis – e a estratégia, talvez a utopia……

    jamais subesTimar a força e a crueldade da direita fascista…

    mas pessoal e socialmente a saída é a resisrtencia permanente…

    – nada, nem nenhuma mudança, deve parecer impossível…

     

     

     

     

  27. Para pensar

    Em 1917, conforme os jornais da epoca atestam, Portugal foi tomada por uma forte tempestade, mas, logo apos, o Sol girou em seu proprio eixo, aproximou-se violentamente e em grande velocidade rumo a Terra e secou tudo e todos, imediatamente, com suavidade e sem machucar os olhos das pessoas que assistiam.

    A Rainha da Paz , entao, proferiu: “A Russia espalhara seus erros pelo mundo, mas por fim, o meu Imaculado Coracao triunfara”.

  28. Nova realidades
    O golpe se deu por intresses estrategicos e economicos.O Brasil hoje se insere como peçá mito importante no jogo dominante.Mas ha outras questões a serem levantadas,como o papel do capitalismo e da midia que hoje estão em queda vertiginosa junto as populações dis grandes centros,Europa e ate nos EUA.A internet veio como contra ponto a midia tradicional,e vem crescendo em declinio da tradicional.E por serem mais sensiveis ao seu publico,e face a internet detonaram o golpe no Brasil,ja colocando governos em saias justas.Aqui todos sabem os erros cometidos pelo PT e Dilma(a autonomia do poder judiciario como todo,do STF a PF foi “suicidada” com o golpe.Nem a esquerda e muito menos a direita farão isto).Houve um aporte de dinheiro muito grande para a pesada campanga na internet e na midia tradicional,que resultou neste congresso conservador e que com muita propina,chantagem e ameaças derrubou a presidente,com percentual do MP e da PF ideologizados e com forte sentimento classista que viam o PT como o grande mal a ser derrubado.E o STF ? Acovardou,aliou-se a onda,ou foi “pressionado”? Consequencia do golpe foi a união das esquerdas e movimentos sociais,despertou setores da sociedade que estavam quietos,alguns decepcionados com os rumos do governo,alguns ate do governo Lula.A reaçào esta forte,mobilizada nào mais pelas forças que apoiam o governo.O governo Temer ja nasce morto,bem como seu ministerio e as lideranças politicas.Mas mesmo neste caos, a figura de Lula continua forte.Queiram ou não,gostem ou não as discussões sobre o Brasil hoje passam tambem pelas mãos dele.

  29. Entrevista com o Prof.Wanderley

    Não gostei da entrevista. Achei o Prof. pessimista demais. Eu gosto de história e vejo a história como cíclica, de muas momentos e bons momentos. Alguem poderia imaginar durante a Ditadura que um dia o Lula seria eleito presidente? ~?Duvido…E o Pt acabou? Ontem fiu uma reunião no PT e só vi jovens com planejamento, ccom vontade de resistir e me senti meio fora do meu tempo…Nunca vi tanta garotada..

  30. Nada Acontece Por Acaso, É Preciso Fazer Acontecer

    Por que os blogs sujos, os partidos e movimentos sociais, não organizam de fato uma central efetiva de comando (não essas megas frentes políticas organizadas apenas para falarem em acontecer: “teremos o maior 1º de maio da história…”. Que “esquecem” de organizar a estrutura operacional necessária ao fazer acontecer), para planejar e coordenar as ações de resistência ao golpe, através de comunicação, principalmente através da internet, canalizando e focando assim, a revolta que permeia crescentemente parte significativa da sociedade brasileira, sem norte e comando, completamente acéfala em núcleos, maiores e menores, estanques e descoordenados, para combater os golpistas usurpadores e a globo e fazer acontecer a reforma política mais que necessária. 

    É preciso um comando centralizado de comunicação, para informar e desencadear coordenadamente o processo de resistência, pois apenas o povo na rua derruba a ditadura, o resto é conversa mole para boi dormir, e por falar em boi dormindo, o que está esperando Rui Falcão para pedir demissão e deixar alguém com capacidade de ação, assumir o comando do PT?

  31. A representação no plano

    A representação no plano municipal tem os mesmíssimos vícios dos outros dois federativos.

    Muda-se os financiadores de campanhas, apenas.

    O elemento corruptor do engenho democrático é o mesmo: a prevalência do dinheiro com seus respectivos donos.

    Assim, domina os setores imobiliário, de transportes, altas atividades comerciais.

    A única diferença para as outras duas dimensões federativas é a maior familiaridade com as figurinhas públicas.

    Aqui em Beagá, por exemplo, nos anos dourados da primeira década deste século quase bairros inteiros foram arrasados.

    Por quê? Facilidades para alteração do zoneamento urbano obtidas desde a década 70 na câmara de vereadores.

     

  32. Falência Moral e Ética do Brasil

    Vaza por todos os poros a falência moral e ética do Brasil e seus representantes.

    Não se analisou a motivação da ação do Presidênte da Câmara dos Deputados Federais, Waldir Maranhão, exigindo que lhe pagassem o pau para ele integrar ao script do processo de impedimento que está sendo urdido por ambas as partes, mas que se mostram velhacamente antagônicas. Farsa rocambolesca e circence.

    Só um ingênuo para pensar que num país onde 90% senão 110% dos envolvidos com o governo brasileiro estão enfiados até o pescoço em falcatruas penais e devem satisfações com a justiça não existe uma luta de vida e morte para escapar da punição e da cadeia, assim, mesmo a mídia e a net não falando, fica claro e evidente que o atual processo foi montado para que não desse em condenação a nenhum dos bandidos que assaltaram o povo e a nação, livrando-os de penas e punições.

    O Maranhão pegou o bonde andando e quis receber sua parte para manter a farsa do impeachment que irá absolver a todos, os articuladores não contavam com sua ousadia, e cá entre nós, se você quer vencer é preciso ser ousado, anulando a votação ele conseguiu o seu intento. Agora que já foi devidamente integrado e recompensado pode continuar na presidência.

    O roteiro do Golpe, que é útil para a pizza na esplanada, mas que sucumbe o Brasil nas trevas e liquida de vêz com o povo, esta sendo executado, como se vê, aos trancos e barrancos. Com surpresas de todos os lados, mas com um só intento, passar a conta de forma final e inexorável para o Brasil e sua população.

    O Nassif, dono do espaço colaborativo aqui, deve estar inteirado de alguns destes detalhes que estão sendo omitidos, mas que transparecem nestes momentos singulares, como a anulação de sessões pelo Maranhão e outros, mas colabora para o andamento da farsa. Os dois lados, tanto o governo da dona Dilma, como a oposição, vejam que existem condenados de todas as cores, remam para o mesmo objetivo. A democracia brasileira foi liquidada e enterrada, o que exigirá uma luta imensa para a sua retomada.

    Por outro lado, como a solução para os problemas reais do Brasil e sua população escapa ao alcance intelectual dos bandidos que estão fugindo da cadeia, ou seja, a formulação de política pública que entregue Rumo, Norte e Estrela para o Brasil, quando conseguirem o seu intento de absolvição, já terão destruído todas as condições anteriores de um desenvolvimento saudável e pacífico.

    O Brasil e seu povo não merecem isto, uma injustiça sem tamanho está sendo perpetrada contra nós, a vingança será maligna.

  33. O Brasil não precisa de eleições, precisa de Norte, Rumo e Estre

    Com um governo que dê Rumo, Norte e Estrela o Brasil sai do buraco.

    Mas para isto é preciso que a Presidência da República se concientize disto.

    Temer, acorda!

  34. A esquerda brasileira insiste em não amadurecer

    Depois dos erros grosseiros em economia, gestão administrativa e em política, depois de passar 13 anos e meio sem promover nenhuma reforma sequer para modernizar o país, depois de polarizarem a população por meio de um discurso maniqueísta do nós contra eles, ao invés de qualquer auto-crítica, se vê aqui uma ameça de violência nas ruas… Qual tipo de credibilidade o PT ou mesmo a esquerda pretendem ter perante a sociedade com isso? Se o impeachment é golpe ou não, é um assunto para o STF, e vai ser preciso um malabarismo enorme para explicar porque o próprio Lewandowsky, amigo pessoal da família de Lula, teria se tornado golpista. A receita para a eterna adolescência é nunca reconhecer seus próprios erros e sempre acusar os outros por eles. Será lamentável se depois de tudo o que aconteceu a esquerda brasileira ainda assim se recursar a chegar à maioridade. 

  35. Erro crasso
    Já comentei aqui que o artigo contém um erro crasso, que demonstra a capacidade mínima de raciocínio dos “apeados”. Não são 115 milhões de eleitores, mas 144 milhões! Ou seja, de fato os apoiadores de Dilma nunca passaram de 1/3 do eleitorado. Enquanto 54 milhões a apoiaram, 90 milhões ou votaram no outro candidato, ou repudiaram ambos. Nesse sentido quem quer que ganhasse já teria uma maioria contra si. Erros não seriam perdoados. E não o foram. O resultado está aí é é inexorável. Quem quiser acreditar que ” há chances de volta” melhor mandar cartinhas pro papai Noel, porque o jogo acabou.

    • Punição exemplar

      Se o povo vencer e Dilma retornar ao poder (o processo no Senado ainda está em aberto), o 1º ato deveria ser a prisão preventiva imediata de Temer e todos os seus “ministros”, com base na Lei de Segurança Nacional.

      • O que justificaria essa

        O que justificaria essa prisão que não se justificativa antes ??

        E dilma teria apoio para isso ??

        Se bem que o ideal seria isso, mas a extensão aos membros do STF e principalmente o chfe do GSI, mas aí é que são elas…

        • Em menos de uma semana de
          Em menos de uma semana de governo golpista, Temer e sua equipe cometeram uma tal quantidade de crimes lesa pátria que tornará o país ingovernável quando forem apeados do poder, o que deve ocorrer em breve.

          Devem ser enquadrados, no mínimo, pelos incisos I e II, do artigo 1o da LSN (7170):

          Art. 1º – Esta Lei prevê os crimes que lesam ou expõem a perigo de lesão:
          I – a integridade territorial e a soberania nacional;
          Il – o regime representativo e democrático, a Federação e o Estado de Direito;
          Ill – a pessoa dos chefes dos Poderes da União.

          • Não discordo de você quanto a

            Não discordo de você quanto a prisão mcn, mas acho que se fosse para prenderem alguém por crime de lesa pátria, já teriam prendido muito antes do impeachment… os procuradores que vem e vão dos Estados Unidos e quando veem prendem o Almirante que comandava o programa Nuclear, além disso, essa galera grampeou a Presidência e não deu em nada !!!

            Fosse por crime de lesa pátria, pelo menos o Moro e o pessoal da lava-jato já deveriam estar presos… o governo golpista talvez a gente tivesse que esperar eles tomarem posse para cometerem os crimes e serem presos… se bem que Temer conspirava abertamente pelo cargo máximo contra a presidente, e com severos indícios de participação estrangeira na conspiração…

            A LSN, pelo menos no contexto da redemocratização, “não pegou”. Se fosse ser leava a sério MESMO, prenderia-se PSDB, DEM e PMDB quase totalmente…

             

    • Crassos erros

      Prezado Paulo Perez,

      perfeito, realmente há um erro, concordo com você. Mas – creio que concordará comigo – no seu comentário também há erros: dois, para ser mais exato. (1º) Você escreveu que “de fato os apoiadores de Dilma NUNCA passaram de 1/3 do eleitorado”. Como assim? No 2º turno das eleições de 2010 a Dilma obteve 56,05% dos votos, o que representa mais de 1/3 do eleitorado. (2º) Você escreveu: “enquanto 54 milhões a apoiaram, 90 milhões ou votaram no outro candidato, ou repudiaram ambos”. Em outras palavras, você escreveu que só há duas opções – que se excluem mutuamente, daí vem os “ou’s” – de enquadramento daqueles que não votaram em Dilma: (i) 90 milhões votaram no outro candidato, ou seja, em Aécio; (ii) 90 milhões repudiaram ambos. Como é sabido, Aécio teve aproximadamente 51 milhões de votos e não 90 milhões de votos. Ademais, como são 144 milhões de eleitores, isso quer dizer que aproximadamente 39 milhões repudiaram ambos, uma vez que o total daqueles que votaram em Dilma e Aécio é 105 milhões aproximadamente – isto é: 144.000.000 – 105.000.000 = 39.000.000, que não votaram nem em um, nem em outro. 

      Claro que você pode alegar: “eu quis dizer que 90 milhões ou repudiaram Dilma, visto que 90 milhões não votaram nela, ou repudiram Aécio, visto que 90 milhões não votaram nele, ou seja, não se trata de “repúdio”, mas de “repúdios” – não é um repúdio concomitante contra ambos, são repúdios alternados e independentes em relação aos dois candidatos”. Tudo bem. Mas mesmo assim prevalece algum nível de erro, pois o texto não está bem escrito, é inexato.

       

       

    • Erro crasso: na democracia se
      Erro crasso: na democracia se ganha pela maioria de votos dos candidatos individualmente e não com a soma dos derrotados.

  36. Não aguento mais tanta

    Não aguento mais tanta loucura.

    Alguem pode me explicar porque o PT não entrou com ações populares para suspender a posse de ministros como esse? ou como aqueles envolvidos em corrupção e investigados, como fizeram com o Lula? Tem explicação? Claro que o STF iria viabilizar os ministros, mas pelo menos fazia os ministros do STF assinarem pelo golpe preto no branco (registro da história), avalizando um bando de corruptos assumindo ministerio, bloqueava um governo ilegítimo. Obrigava o STF a meter a mão na lama que ajudou a afundar o país.

    Porque o PT não faz nada? ou o resto da esquerda no parlamento e senado?

    A verdade é que não podemos esperar mais nada do PT, está completamente vergado e desorientado. Nem o Lula diz nada, convocando, falando como ele faz tão bem. Precisamos de lideranças URGENTE no campo popular, não penso que o envelhecido e burocratizado PT seja capaz de congregar e liderar a imensa multidão que se manifesta hoje em todos os lugares do Brasil contra o golpe e por democracia.
    Nestes tempos de transição, porque são tempos de reconstrução da esquerda, transição do inferno para alguma coisa melhor, necessita-se mais que nunca de novas caras, capazes de construir um “agendão” com todas essa forças vivas que tem saído na rua e dado a cara a tapa para combater o retrocesso.

    • Lula, Onde esta voce? Porque

      Lula, Onde esta voce? Porque voce não fala? Porque voce não lidera o pessoal na rua? Porque voce não chama o pessoal pra marchar? Artisitas, cientistas, mulheres já se mobilizam. os sem-teto estão vindo a seguir. mas preciamsos de uma voz forte. Onde você está?

      Quando a hora capital se aproxima , não se apequene!

      Mandela foi preso na Africa do Sul. E daí? Quando sai, lidera seu povo para a liberdade. Dilma foi presa, e deu a cara ao tapa!

      Fale, lidere, não se acovarde nesta hora. A hora é esta!

      O TEMPO NÃO PÁRA.

    • Falcão, Se Toca, O Seu Tempo Passou.

      Porque o “presidente” do PT é o Rui Falcão, aquele das notinhas (prima irmã do controle remoto) a “grande imprensa”, cuja mais intensa atividade é de “adiantar” informações ao monopólio da mídia golpista, como hoje em relação as resoluções meia-trava, tomadas em mais uma das reuniões burocráticas comandadas pelo “presidente” Falcão.

      É exatamente isso, a permanência de Falcão no comando do PT, que explica tudo e mais, sobre a atuação do setor orgânico do partido, hoje, que só de fato continua existindo, apesar do massacre executado pela camarilha jurídico-midiática, graças a militância, interligada via internet e blogs “sujos”, que o mantém vivo na realidade das ruas, lojas, becos, padarias, vielas, serviços, escolas, igrejas, atividades, etc.

      Afinal, o que espera ou falta entender ainda, Falcão, para pedir o boné e dar lugar a alguém que possa ser atuante e melhor sintonizado com o seculo XXI e as necessidades de ação requeridas?

      Está lá no Rio o promissor Damous, sem mandato, dando sopa, o que esperam para substituírem Falcão que, pelo andar da carruagem, espera eternizar-se no cargo, pensando-o vitalício. 

  37. De golpe em golpe, a História se repete

    Será que ninguém vai bater panela contra a violência do Estado contra o povo?

  38. REFLEXÃO PARA UM PROJETO
    REFLEXÃO PARA UM PROJETO NACIONAL

    Aos amigos, tudo; aos indiferentes, nada; aos inimigos, a lei
    (Máxima da corrupção)

    Minha geração viveu quatro golpes. O que tirou Getúlio Vargas do poder executivo em 1945. A Presidência foi assumida por José Linhares, então Presidente do Supremo Tribunal Federal, que extinguiu o Conselho de Economia Popular, criado por Vargas, mas manteve a Lei Antitruste, um dos motivos da destituição.
    O segundo golpe foi dado contra o mesmo Presidente Vargas, levando-o ao suicídio, em 1954, sendo substituído por João Café Filho, que nomeou para Ministro da Fazenda Eugênio Gudin. Dispensada qualquer outra informação sobre a linha da política econômica.
    Em 1964, novamente os militares, cujo protagonismo fora fundamental nos anteriores, destituem o Presidente João Goulart, colocando na condução econômica do País, Roberto de Oliveira Campos, mas uma vez dispensando comentários. Mas este terceiro golpe sofre dois outros golpes, como diriam os golpistas do Supremo Tribunal Federal, interna corporis, que levou ao poder militares nacionalistas, que promoveram o desenvolvimento econômico e tecnológico brasileiro.
    Chegamos ao quarto golpe, o primeiro sem a participação militar, mas como em todos os anteriores com a presença dos Estados Unidos da América (EUA). Aquele país, financiando, planejando, treinando brasileiros, constituindo no Brasil organizações prógolpistas, teve sempre atuação fundamental para o sucesso dos golpes. Isto não é antiamericanismo nem esquerdismo, é a simples leitura dos documentos que os órgãos públicos dos EUA colocam disponíveis.
    O golpe do impeachment da Presidente Dilma Rousseff foi executado principalmente pelos poderes Legislativo e Judiciário, com o forte apoio da chamada grande imprensa, em especial da televisão, e do novo poder, oriundo da Constituição de 1988, o Ministério Público. Esta articulação permitiu o êxito dos golpistas. Pelos antecedentes e pela composição do primeiro ministério do golpe, nada surpreende suas manifestações pelas privatizações, limitações ou extinções de direitos sociais, de cidadania e da economia popular.
    A pergunta que me faço: por que a Nação Brasileira deixou, em tão curto tempo, que quatro golpes paralisassem, eliminassem e afrontassem suas conquistas e seus direitos? Por que os próprios condutores dos Projetos Nacionalistas e Populares não reagiram a tempo?
    Certamente não é uma resposta simples. Nem tenho a pretensão de ter qualquer resposta. Pretendo, apenas, trazer uma reflexão para a construção de um Projeto Nacional de maior consistência, capaz de chegar à alma do povo, chamá-lo em nova ameaça à ação, à defesa, ao não conformismo.
    Historiadores, sociólogos, juristas, pensadores de diversas áreas do saber tem se debruçado na análise do Estado Brasileiro. Para não citar os vivos, lembro apenas Câmara Cascudo, Nelson Carneiro, Octávio Ianni, Florestan Fernandes, Darcy Ribeiro e Celso Furtado.
    Administrador aposentado aprendi que o sucesso de um plano, sua eficaz e satisfatória realização, começa na própria maneira de organizá-lo. Um plano que envolva toda estrutura institucional terá muito mais força e chegará mais facilmente ao êxito do que aquele construído pelos mais capazes, pelos gabinetes de gênios.
    Não me resta dúvida a necessidade deste Projeto Nacional. Mas seria possível numa sociedade que, dos bancos escolares até a morte, é imbuída de um raciocínio dualista. Que acredita que o Estado e o mercado são forças antagônicas, sendo o primeiro corrupto, senão maldoso, e o segundo sempre virtuoso? Que é da “índole brasileira” o jeitinho? Como se não o houvesse em todo mundo dentro de suas variações culturais? Há muito o que desmitificar na construção deste Projeto. Esta é, a meu ver, a grande missão política, fora ou dentro do Governo.
    Dedico esta reflexão às mulheres e aos negros que se encontram agora fora do governo, na figura da mulher negra, lutadora, nacionalista, que por oitenta anos assombrou os que colonizavam sua nação, a Rainha Nzinga.
    Pedro Augusto Pinho, administrador aposentado

  39. Vamos à luta, temos muitas chances!!!

    Sociedade mobilizada com ocupações de escolas, locais públicos, principalmente aqueles ligados ao ex-ministério da cultura. 

    Pressão e mais pressão. 

    A conta tem que ser feita considerando que as quatro abstenções votarão pró-impeachement (talvez nem todos):

    – Jader Barbalho : pró-golpe 

    – Sandra Braga: indecisa (marido se declarou contra o golpe)

    – Pedro Chaves – suplente de Delcídio (não conheço, para mim é uma incógnita)

    – Renan Calheiros – outra incógnita

    Se estes se juntarem aos golpistas, eles passam a ter 59 votos. 

    Logo, a briga é inveter 5 votos!

    Essa é a luta. Se as ondas de manifestações e resistências continuarem neste nível, temos grandes chances. 

     

    Quanto ao STF, se eles tiverem que decidir inicialmente se a decisão é exclusivamente política ou se comporta abordagem jurídica antes de entrarem no mérido da tipificação de crime, estamos enrrascados.

  40. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome