Xadrez da contagem regressiva para 2018

Peça 1 – o jogo das expectativas sucessivas

Uma das retóricas recorrentes dos “cabeças de planilha” é a criação das expectativas sucessivas. Monta-se uma política monetária e fiscal que mata qualquer possibilidade de recuperação da economia e vende-se o mito da “lição de casa”. Ou seja, se cortar o leite da merenda escolar, a aposentadoria dos velhinhos, as políticas de renda mínima, se atingirá a prosperidade eterna, na qual todos ganharão.

Aplica-se o arrocho, e nada. Alega-se então que a lição de casa não foi suficientemente radical. Aplica-se nova rodada de cortes em cima dos direitos dos mais fracos, e nada. Até o momento em que o tecido social se esgarça, a paciência geral se esgota, as distorções econômicas se avolumam e o plano vai por água abaixo – por uma crise cambial, por uma crise fiscal, por terremotos sociais, por uma reação política.

Consumado o fracasso, a culpa é atribuía à falta de vontade dos pecadores, que não ousaram cumprir a penitência até o final.

Já se chegou a esse estágio.

Peça 2 – A lógica do pacote Meirelles-Ilan-Coimbra-Bolle:

Primeiro, vendeu-se o peixe de que a queda de Dilma Rousseff e a aprovação de leis que desmontassem a Previdência Social e a legislação trabalhista promoveriam o milagre do crescimento. A racionália é a seguinte:

1      A fada das expectativas despertará o espírito animal do empresário. Voltarão os investimentos assim que a confiança for restabelecida.

2      O gatilho da recuperação da confiança é a redução da dívida bruta como proporção do PIB e a redução da inflação.

3      Alcançados esses objetivos, as agências de risco melhorarão a nota do país e os investimentos voltarão abundantes.

A partir daí, desenhou-se a seguintes política:

1.Arrocho fiscal e social

Amarrou-se o crescimento das despesas públicas com a PEC 55 e, agora, com a reforma da Previdência. A lógica era conter o crescimento da divida cortando despesas e investimentos.

2.Internacionalização da economia

Com a Lava Jato e a Procuradoria Geral da República montou-se uma ofensiva deliberada para destruição do setor de infraestrutura nacional, tanto interna quanto externamente abrindo espaço para a invasão estrangeira – sem nenhum conhecimento sobre a lógica das empreiteiras internacionais.

3.Aumento da taxa real de juros

Manteve-se a taxa Selic em níveis estratosféricos, mesmo com a queda das expectativas inflacionárias. Com esses níveis de taxas de juros, e queda da receita fiscal, aumenta a relação dívida/PIB.

Peça 3 – as medidas econômicas

Toda a lógica dos investimentos é a seguintes:

1.     O investidor olha a demanda interna ou externa, que pode ser o consumo das famílias, as concessões públicas, o mercado exportador.

2.     Encontrando condições de mercado atraentes, aí então analisa os fundamentos econômicos do país, através das agências de risco, que balizarão o custo da captação de investimentos.

Por aqui, os gênios da planilha inverteram tudo.

1.     Para melhorar a avaliação das agências, cortaram despesas e investimentos públicos, ampliando a recessão e pulverizando a demanda interna. As perdas com a queda das receitas fiscais superaram a suposta economia nos cortes de despesas. Mataram o mercado para atrair investimentos!

Leia também:  Recessão e o terraplanismo de economistas e empresários, por Luis Nassif

2.     Criou-se um quadro social de absoluta instabilidade, com os massacres nos presídios, a rebelião da Polícia Militar, as greves do funcionalismo, e estados em situação crítica. A percepção que se tem hoje é de um desmanche do país.

3.     Não se atuou sobre nenhum dos fatores de demanda: não reativou a cadeia do petróleo e gás, porque, por ideologia, é contra políticas industriais; esvaziou o BNDES, porque, por ideologia, é contra financiamento público; montou um cerco implacável contra as empresas brasileiras porque, por ideologia, é contra os campeões nacionais.

Se você coloca feijão preto, paio, linguiça e orelha em uma panela, o resultado será uma feijoada. A feijoada de Temer-Meirelles éóbvia:

1.     Aumento brutal do desemprego.

2.     Crise fiscal dos estados.

3.     Aumento do déficit da União e dos Estados, porque os cortes de despesas produziram uma queda mais que proporcional nas receitas.

4.     Aumento generalizado da insatisfação da opinião pública, acirrada pelas revelações sobre a corrupção do grupo que assumiu o poder – tanto a camarilha de Temer quanto o PSDB.

Peça 4 – as consequências econômicas

1      Ontem o Banco Central apresentou a prévia do desempenho do PIB em 2016: – 4,18%. Agora fala-se em recuperação “na ponta” no 2o semestre. Significa que nem se espera, na média, recuperação da economia em 2017. Estão matando dez anos na vida do país.

2      As agências de risco se recusam a melhorar a avaliação do país porque constataram que o maior fator de déficit fiscal é o baixo dinamismo da economia, e não vislumbraram nenhuma ação do governo visando reativá-la.

3      O último Indicador de Clima Econômico apontou o Brasil como o país com as menores expectativas dos agentes econômicos, abaixo da Rússia, da União Europeia, do próprio Reino Unido abalado pelo Brexi
t.

Não se espere autocrítica desses economistas. Quando as políticas não dão resultado, a realidade é que está errada. Ontem, a economista Mônica de Bolle – que defendeu a tese da “dominância fiscal” para explicar porque a inflação não caia, depois de choques tarifários e cambiais gigantescos – dizia para os seus alunos da CBN que o espírito animal ainda não despertou porque os sacrifícios até agora foram insuficientes.

Peça 5 – as medidas sociais e políticas

Montou-se um pacto da aceitação da corrupção do grupo de Temer em troca da entrega do trabalho de desmonte da Previdência, das políticas sociais e da legislação trabalhista.

Observa-se, então, uma mistura fatal:

1.     Na ponta social, um projeto de reforma da Previdência que inviabiliza a Previdência. A lógica da Previdência é solidária: as contribuições de hoje garantem os contribuintes de ontem. Com a proposta em curso, haverá um desestímulo monumental dos entrantes, em manter-se na Previdência Social. Corre-se o risco, dentro de algum tempo, de ter-se apenas aposentados, sem os contribuintes que deveriam garanti-los.

Leia também:  Professoras que estudaram 200 edições do Jornal Nacional mostram como cena de avião marcou “silenciamento” de Lula

2.     Na ponta política, um liberou geral para matar. Diariamente o país é sacudido por assaltos à luz do dia por parte de Ministros e membros da camarilha de Temer. A Procuradoria Geral da República monta seu jogo de cena, controlando o ritmo das investigações com operações que jamais resultam em denúncias. E a mídia faz o seu jogo, denunciando os casos mais ostensivos, mas poupando os seus.

Como pretender impor sacrifícios dessa ordem à população, sem nenhuma perspectiva de melhora na economia, e com o assalto aos direitos sociais sendo comandado pelo que de mais corrupto a política brasileira produziu no período democrático?

Peça 6 – as consequências políticas

Desde a redemocratização, havia duas forças políticas no país – PSDB e PT – e dois grupos de coalizão – DEM e PMDB.

O PSDB conseguia manter sob controle a classe média, enquanto o PT ajudava a institucionalizar movimentos sociais e esquerdas em geral. O PT saiu da posição radical e se tornou um partido socialdemocrata. Alijado do espaço, o PSDB tentou ocupar espaço mais à direita.

De qualquer modo, durante mais de duas décadas, eram duas muralhas romanas para impedir a invasão bárbara do baixo clero do Congresso, ainda que pagando o preço alto do presidencialismo de coalizão.

A perseguição implacável da Lava Jato-mídia a Lula e ao PT, produziu o seguinte resultado:

1.A volta de Lula

A campanha Moro-Janot-mídia virou o fio. A perseguição implacável a Lula não logrou encontrar nada que o incriminasse. Mas conseguiu quase inviabilizá-lo como agente de um futuro pacto político, dado o grau de radicalização que se formou em torno de sua imagem.

2.O fim de Temer, o breve

Michel Temer morreu antes de ter sido. Não tem nível, carisma, empatia. Sua imagem pública passa sempre a intenção da pequena malandragem, da falta de reflexos para responder aos problemas que acometem a presidência. Deve ter virtudes como amigo, para justificar a escandalosa proteção que lhe devotam grandes figuras, como Celso Antônio Bandeira de Mello e Antônio Mariz de Oliveira que, em nome da amizade, esquecem o compromisso com o país. Afinal, este é o conceito do brasileiro cordial ao qual se referia Sérgio Buarque de Hollanda.

3.O fim do PSDB.

A última pesquisa da CNT esqueceu José Serra, por irrelevante. Manteve Aécio Neves e Geraldo Alckmin. Ambos amargam um quarto lugar, atrás de Marina Silva e da ultradireita selvagem de Bolsonaro.

4.O fim do PT

Desde a AP 470, as melhores cabeças do PT foram guilhotinadas pela ação política do Ministério Público Federal com a mídia. Hoje, se tem um partido aos pedaços, sem fôlego e legitimidade para cumprir o papel de organizador das esquerdas.

Leia também:  Lula pede a íntegra de depoimento do delator que disse ter sido 'coagido' a 'construir um relato' sobre sítio

5. O fenômeno Bolsonaro

Quem imaginava que Michel Temer representasse o fim de linha para a política brasileira, não viu nada. Bolsonaro tem uma piscina olímpica pela frente, para nadar à vontade. E quando ganhar massa crítica, levará de cambulhada a mídia e o Judiciário.

Foi assim nos Estados Unidos, mesmo tendo, ao contrário do Brasil, uma imprensa de opinião zelosa na defesa dos avanços civilizatórios, sendo atropelada pelo dinossauro Donald Trump. No Brasil, não vá se esperar nenhuma reação eficaz de uma imprensa superficial, rasa, sem moral sequer para confrontar movimentos selvagens de opinião e que abrigou a ultradireita mais selvagem nas suas páginas, para efeitos comerciais de ir na onda.

6. A desmoralização do Supremo

No STF (Supremo Tribunal Federal), atrás dos “likes” das redes sociais, o Ministro Luís Roberto Barroso induz o tribunal a condenar o Estado a indenizar presos por condição carcerária degradante.

Barroso endossa os controles draconianos de gastos públicos que, por seus impactos em segurança, saúde e educação, acelerarão o desmonte do país como comunidade civilizada, com a situação dos presídios sendo a marca mais cruel da barbárie.

Em vez de medidas que decidam no atacado, para livrar a cara adota esse varejo ridículo que, no máximo, irá gerar uma indústria da indenização, ao fazer a multa recair sobre o Estado, e não sobre governantes, administradores e funcionários de presídios.

7. O esgotamento da Lava Jato

Na Lava Jato, a perseguição a Lula virou o fio – e a prova está na recuperação de seus índices de popularidade e da queda radical das lideranças tucanas. O que se pretenderá daqui para frente? Continuar a perseguição, insistir nos abusos? Promover condenação sem provas cabais?

Um dado curioso é que os jornalões, pela primeira vez, começam a abrir espaço para as denúncias dos advogados do Lula, contra a perseguição movida por Sérgio Moro. A intenção é óbvia: enfraquecer gradativamente Moro para que não invista sobre seus aliados.

Por outro lado, os principais suspeitos com foro privilegiado, submetidos à seletividade de Janot, reduz-se substancialmente a capacidade da operação de continuar gerando fatos políticos.

Peça 7 – aguardando 2018

Com essa crise generalizada das instituições, toda energia, daqui para frente, será em função de 2018.

Do lado da mídia e da Lava Jato, haverá a intensificação dos esforços para anular Lula.

Por outro lado, o pacto mídia-PSDB-mercado demonstrou não ter a menor condição de gerar nenhuma expectativa positiva, nenhum projeto de país. Falta-lhes imaginação criadora, diagnósticos mais complexos sobre o país, sensibilidade para entender a complexidade social e econômica do país.

2018 já começou! Para o bem ou para o mal!

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

89 comentários

  1. Cavalo do inglês

    Contam a estória do cavalo do inglês que estava quase treinado para viver sem comer quando morreu.

    Aqui irão morrer: o cavalo, os burros, as galinhas e consequenetmente os coxinhas.

  2. Isso, claro, partindo do princípio que ainda vai existir 2018

    Recuperando meu comentário no último Xadrez, antes de recuperar minha senha:

     

    Então, apertados pela realidade doméstica, por uma economia que não reagirá e um cenário externo em que ninguém investirá no Brasil ou em lugar algum até que Trump pare de tuitar e comece a implantar uma política econômica (o que não deve acontecer tão cedo), só resta uma saída ao grupo aboletado nos três Poderes, que envolve:

    – A inviabilização das eleições presidenciais de 2018
    – A militarização, colocando o Brasil num Estado de Sítio virtual (já que o Estado de Sítio real não acontecerá por obra e graça do artigo 60 parágrafo 1, a inscrição na lápide da Constituição de 1988)
    – Uma reforma constitucional, ou uma nova Constituição, que (i) traga as Forças Armadas para dentro da política (ii) impeça a eleição de chefes de Estado que não estejam comprometidos com o bando (parlamentarismo?)

     

    Pode ser que a coalizão golpista continue fazendo lip service e falando em democracia e em eleições. Pode ser que digam que, com o fim das reformas ultraliberais, não mexerão mais na Constituição. Pode ser que continuem dizendo que veneram o Estado de Direito. Pode ser.

    Mas ninguém dá golpe pra ficar 2 anos no governo e devover assim, de mão beijada, a quem foi golpeado. E, numa situação em que a coalizão golpista não só não tem candidato competitivo mas corre o risco de se dissolver entre a extrema-direita e um lulismo cada dia mais radicalizado, a solução é simples: não tenha eleições.

     

    Também haveriam eleições em 1965. O cadáver de JK espera até hoje.

  3. O cavalo (de tróia) dos irmãos Marinho

    Uma aula de economia, sem o economês. Uma análise lúcida do panorama político. Discordo, humildemente, da análise final do pacto mídia-psdb-mercado.Entendo que esse pacto alcançou seus objetivos fundamentais: 1 – destruiu um projeto de nação que estava em andamento, para esse fim usou sua arma letal: o neoliberalismo. 2 – destruiu os pilares que davam sustentação ao governo do PT, dentro do jogo estabelecido pelas oligarquias. Quanto ao déficit político, este pode ser zerado com o impedimento de Lula para 2018, conforme indicado por Nassif, posto que estamos sob a ditadura do judiciário, oculto no pacto. Zerado o déficit político, tudo pode acontecer, mas não é improvável o seguinte cenário: a Rede Globo mobiliza seu exército de zumbis – se Bolsonaro adquirir massa crítica, condição posta por Nassif, os irmãos Marinho indicam o vice. Mais um lance no tabuleiro, e tomam o poder em definitivo.  

     

  4. Eu fico pensando numa outra

    Eu fico pensando numa outra coisa: SE houver 2018 e não for uma marmelada como eram aquelas “eleições” através do colégio eleitora ou não for implantado um parlamentarismo bananeiro que tornará o presidente figura decorativa, como a sociedade poderá se livrar da herança maldita que seriam as nomeações para o stf?

  5. Xadrez bastante sucinto e

    Xadrez bastante sucinto e direto.

    No campo da política, faltou analisar a possibilidade de uma nova manobra parlamentarista. Se, nos anos 60, o objetivo era, primeiramente, impedir a posse de Goulart, e acabou resultando apenas na diminuição de seus poderes, o mesmo casuísmo poderá ser utilizado, diante da inevitabilidade da vitória eleitoral de Lula, se houver eleições.

    Mas ainda creio que Lula será condenado por Sérgio Moro – ou, de alguma forma, impedido de se candidatar por alguma chicana jurídica dessa pocilga que é o STF.

    Quanto à economia…”os sacrifícios ainda não foram suficientes”.

    Eu, como outros 13 milhões de compatriotas, já perdi o emprego, já torrei as parcas economias, já perdi as esperanças…

    O que será necessário para chegar ao “suficiente”?

    Nos oferecer aos feitores como mão-de-obra escrava?

    Suicídio coletivo?

    Que porra de “sacrifício suficiente” é esse?

  6. Ainda bem que você citou

    Ainda bem que você citou Bolsonaro, Nassif.  Hj, me surpreendo com uma postagem banal sobre tal sujeito no facebook de um amigo e com a grande quantidade de defensores, quase todos evangélicos.  Minha esperança é que a popularidade de Bolsonaro ganhe fermento antes do tempo, para depois murchar.  Minha desesperança é que estamos vivendo em uma sociedade doente, em que o fundo do abismo não é o limite, mas o objetivo. Ou seja, serão anos de pesadelo pela frente.

  7. O Supremo Circo Federal, a grande mídia e os corruptos

    A cada dia que passa, o Supremo Circo Federal revela explicitamente, pra quem ainda tinha dúvidas, que participou e participa do Golpe desde lá quando o Jucá dizia ao Machado, que havia um grande acordo nacional “com a mídia, com o STF e com tudo”.  

    “Que Deus tenha misericórdia desta nação.” (Eduardo Cunha)

    Tem muita gente que conheço e sei que bateu panela, que está preocupadíssima com sua sonhada aposentadoria e seus suados trocadinhos que pagou durante anos ao INSS. Estão com o c* na mão! Estão se sentindo lesados.

    Quer saber? F * da-se!!!

    Conheço outros tantos, pobres,  que votaram em Doria porque “ele não é político” e, hoje estão perdendo o transporte escolar e o leite que ganhavam nas escolas municipais.

    Quer saber? F * da-se!!!

  8. De saída,o comentarista WG
    De saída,o comentarista WG matou a charada:Um comentário de economia sem economês,caracterizado pelo nada que não se saiba,especialmente o desmonte do Estado Social Brasileiro.O Xadrez deve ter ficado nas masmorras de Curitiba,ficando caracterizado que essa história de Xadrez esgotou-se por completo,e eu perguntaria com toda humildade possivel.O que tem o artigo para nominar-se de Xadrez?Com relação a Lula,uma no cravo outra na ferradura,ainda esperançoso na viabilidade de um Fernando Haddad por exemplo.A obrigatoriedade de anotar que sem o apoio de Lula,senão o próprio,no campo das esquerdas ou do que resta delas,quem se aventurar,a sova é certa.Não se lê por essas plagas qualquer coisa dos tipos Xadrez,Xilindró,Cadeia,Atrás das Grades ou até a infeliz da Cana Dura,que não se encontre o nome do Ministro Luís Roberto Barroso.Problemas de ordem pessoal não combina com o bom e correto jornalismo, corre-se o risco de comprometer todo sentido do texto.Nada de novo no front,de velho o Xadrez e o Ministro Barroso.

  9. Então….

    Coisas que tenho observado:

     

    (Antes de tudo, informo que sou leigo. Falo apenas usando a lógica, a partir do que observo, sejam das notícias ou do que ouço das pessoas).

     

    1) Tenho notado uma grande oferta de “empréstimos”. Não de “financiamentos”, mas de emprestimos. Em suma, faz-se uma propaganda imensa de que “juros caíram” (tese já desmentida ontem…), então, oferecem-se empréstimos a supostos juros baixos. Então, não é mais nem “a prestação que cabe no bolso!”. Isso porquê o bolso está vazio! Não há renda, e algum gênio está apostando que o povo, desempregado e sem dinheiro, vai pegar dinheiro de agiota oficializado e isso vai fazer a economia rodar!!! Sai o bolsa família e entra o empréstimo do banqueiro.

     

    2) Dai vem a minha hipótese da “indústria da inflação”. Vivemos um mercado produtivo cada vez mais concentrado (eufemismo neoliberal para monopolizado). Se vamos a um grande supermercado, este é de uma rede multinacional, que tem como concorrentes outras 2 a 3 redes multinacionais. Dentro destes mercados, sempre os mesmos produtos, dos mesmos fabricantes “globais” (fica chique dizer “globais”, não acham?). Então vamos lá, minhas percepções. Ao longo da minha vida, sempre observei isso: é o dinheiro começar a sobrar mais um pouquinho, basta eu perceber que posso comprar uma coisinha a mais, ou um produto de uma qualidadezinha um pouco melhor, que os preços sobem. Leva em torno de 3 meses. SEMPRE! O que percebo: há um aumento do salário mínimo, por exemplo, há o aumento de renda, empresários do monopólio aumentam os preços. A renda familiar não consegue pagar o básico (“a gente não quer só comida….”), entra o cartão de crédito, o cheque especial, o crédito consignado…

    Meu ponto é o seguinte: havendo renda não há necessidade de empréstimo. Se houvesse uma real concorrência entre produtores e vendedores, ao contrário dos oligopólios que temos na realidade, seria mais difícil ter inflação. Falo isso porque, sinceramente, esses movimentos parecem sempre orquestrados… Lembra um outro oligopólio combinando notícias de capas de revista e de jornal….

     

    3) Fiz uma coisa hoje cada vez mais rara em minha vida: assisti TV aberta. Pareceu um estupro à alma (ou um insulto à inteligência). Uma IMENSA quantidade de anúncios do governo federal (sic), uma lavagem cerebral tentando te convencer de que é prova de amizade você entregar até o que você não tem!!! Essa questão da Previdência, exposta pelo articulista, eu já ouvi por aí: para quê pagar previdência se eu NUNCA vou receber? Pra quê pagar impostos se o dinheiro só vai para pagar juros? (Sim, já há pessoas enxergando que o dinheiro some nos juros da dívida, e não na corrupção… Aumentem a propaganda, por favor, pq tá ficando difícil de enganar o povão….).

     

    Concluindo, 2018 ainda está longe, embora já tenha começado. Alguns pontos colocados pelo Nassif, embora sejam fatos, em bom português, o Homer não vai entender. A princípio, vejo Lula em 2018, seguido de um Congresso pior ou igual ao atual. Caso seja eleito, seguindo as regras atuais, não governará. E, sinceramente, caso seja eleito e refém de um congresso pior que o atual, será perseguido 8 vezes mais que agora e será massacrado pela mídia e pelo judiciário. Fiquem de olho no vice…

     

    Remember Temer….

     

     

    PS: o suposto “fim de Temer” está pra nascer. Sinceramente, minha grande decepção com as “esquerdas”. Prometeram uma série de chavões como “não vai ter golpe, vai ter luta” e o máximo que ocorreu foram uns desorganizados atos “Fora Temer”. Ok, Fora Temer. Mas o que acontece em seguida? O certo, que já não vejo mais como acontecer: Fora Temer através da anulação do impeachment, posto que este foi ilegal, Volta (Querida) Dilma, restabelece-se a República, desfaz-se TUDO que o governo ilegítimo fez (autojustificável), e eleições em 2018 normalmente. Agora, querer isso com o povo entorpecido pela maior máquina de controle mental e comportamental já inventada, com esse STF e esse congresso… O país acabou. E acabou porque sofreu um golpe, no sentido mais literal dessa palavra.

  10. O ” Impedido” de Tróia

      Sobre as condições economicas, nem vale a pena comentar, a Macroeconomia, Contabilidade Nacional, Economia Politica, foram substituidas pela simplória econometria, matéria onde tudo vale, basta modificar o referencial prova-se o que se quiser, raramente funciona no mundo real, mas que as equações são “bonitas” e os gráficos gerados uma “gracinha”, aliás são ótimas ferramentas para auxiliar a venda de “papéis” para os parvos, e para politicos tambem.

       Quanto ao Cap.( Reserva – reprovado na ECEME – sindicalista familiar * ) Bolsonaro, a piscina a qual ele pode nadar, nela ele assemelha-se a um “coelho” das provas de fundo, ele é util neste momento de “corrida”, o de bater de frente, abrir caminho, surfar na onda, não por ele criada, mas pelas atuais contingências – burro ele não é, muito menos “maluco” – mas ele sabe que não tem poder de galvanizar uma sociedade em torno dele, mas sabe que pode abrir para outros mais qualificados e ainda externos ao ambiente politico – “outsiders estrelados” .

        Bolsonaro é um “cavalo de Tróia”, um “recon ativo” e dispensavel, pois existem pessoas muito mais capazes do que ele, que estão se “criando” – dois deles são visiveis, estão se “montando”, inclusive com um esquema de midia de massa – visando, caso a situação mostre-se compativel, “caronear” o nobre deputado pelo Rio de Janeiro, uma personagem histrionica, chegada a devaneios de autoridade, com telhado de vidro ( como qualquer deputado ), é facilmente substituivel por uma personalidade respeitavel, quieta, transpirando autoridade, oriunda do estamento social, que de acordo com atuais pesquisas é considerado um dos mais “confiaveis”, os militares.

         Glossário :

         Impedido : De origem trata-se do militar de serviços auxiliares, os “sem tropa”, já de alguns anos tambem refere-se a militares de “carreira” que não progridem, são reprovados em cursos e portanto “morrem” na patente.

         Sindicalista familiar :  Quem iniciou, nos anos 80/90, o que hj. são estas “greves” de PMs, utilizando suas familias para tal operação, foi o Cap. Jair Bolsonaro, a época estudante da ECEME, era o governo Sarney.

          P.S.: 2018 não é a “final”, será o começo, do que não sei, mas que a democracia correrá sério risco, não tenho duvida.

  11. Discordo sobre Lula

    Lula está longe de carregar alguma imagem de radicalização. Ao contrário, foram seus perseguidores que ficaram com esta pecha. De Lula ficou a imagem do líder conciliador, que até se aventurou na política internacional e conseguiu aqui resultados econômicos que são incontestes. Poderia haver um pacto político sem ele? Quem se atreveria? 

    E vamos ser realistas: Bolsonaro só sobrevive na penumbra. Deixe que ele fale e se ofereça. Perderá quilos de votos a cada minuto. Não tem marqueteiro que dê jeito.

    • Jurandir!

      Todo cuidado é pouco com a velha mídia. Quem quase elegeu Aécio pode eleger Bolsonaro.

      Eu penso que Marketing no Brasil se tornou algo coletivo, é um processo de convencimento da população média. O Impeachment tinha apoio de uma imensa maioria dos brasileiros.

      Os meios de comunicação de massas oligopolizados e as redes sociais produziram milhões e milhões de anti-petistas em 2015/2016 com a propaganda do caos e da corrupção de um só partido: o PT, e colocou ainda a máxima no ar (máxima mentirosa): “Governo do PT, o mais corrupto da História.” 

      Justamente o Governo Dilma, da Presidenta honesta e a pessoa que jamais freou qualquer investigação de seu Governo. 

      Levar o brasileiro médio para a extrema-direita em direção à candidatura Bolsonaro não é impossível, não. 

      Em 2014 tínhamos taxas de desemprego de 4,8 em dezembro, a menor da História, consumo recorde, Miami era só querer e só se enxergava o caos no imaginário dos brasileiros teleguiados (midotizados) e que acreditavam nas postagens apócrifas das redes sociais. 

      No Brasil nada é certeza. Nem se vai ter Eleição em 2018. Nem se a queda do Temer não vem antes de 31 de dezembro de 2018.

      O brasileiro se tornou um sujeito imprevisível. Não bate panela. Não se manifesta mais nas ruas. Não sabe fazer nada mais do que reclamar e dizer que tudo é culpa dos políticos, mas não faz nada para mudar a Política, para exigir mudança concreta. É só na base da espera, 2018 a gente vota noutro candidato ou naquele que a gente já experimentou e foi bom. 

      Agora, quem foi capaz de tomar as ruas em 2013, 2014, 2015, 2016 sem um Norte, sem uma lucidez do que queria não se incomoda com mais nada, deixa acontecer e parece acreditar que nada está acontecendo de ruim, que é tudo invenção de algum “petista” maluco. Acredita que é só rezar que melhora. 

      O controle do brasileiro médio com a mídia oligopolizada que temos, capitaneado pela Rede Globo e o processo de endurecimento do Golpe está em marcha, Exército nas ruas, Polícia Militar pronta para radicalizar e se necessário bater até em coxinha, se este se atrever a se manifestar.

      Construir o Bolsonaro como Salvador da Pátria não custa muito. Ele tem eleitorado possível na mesma faixa de Lula, se os evangélicos neopentecostais apostarem nele. Junta com a classe média tradicional e seu ódio classista, seu individualismo, sua seletividade meritocrática, seu medo de perda da distinção e pronto. 

      Bolsonaro incorporando um discurso meritocrático e de prosperidade pelo esforço próprio, pelo empreendedorismo, pela dedicação ao trabalho, um discurso messiânico e cristão pode vingar em 2018. 

      O Sistema produz Collor, produz até Temer (ele tinha imagem de bom político, de sujeito capaz no decorrer do processo de Impeachment – a mídia é capaz de tudo).

      Talvez, não se avance para uma candidatura Bolsonaro, apenas na falta de outra, mas a extrema-direita que Governa o Brasil vai manter viva a chama Bolsonaro se preciso for, sem dó nem piedade. 

      Imaginemos o processamento do ódio coletivo contra Lula numa campanha eleitoral antecipada para 2017, se Lula lançar sua candidatura em abril, como sonha o Senador Lindhenberg Farias. Imaginemos se a Lava-Jato não conseguir impedir sua candidatura o que farão para ele não ganhar. 

      Bolsonaro encarna a imagem do sujeito que não está metido em corrupção. É um sujeito aventureiro e sem medo de se colocar como defensor de um tipo de brasileiro médio e preconceituoso e anti-Direitos Humanos, de se valer de métodos nada humanistas e sem nenhuma cerimônia. E, certamente, todo o oligopólio midiático brasileiro, se precisar derrotar Lula vai incensá-lo. 

      Se Aécio quase levou com o currículo dele todo enlameado de corrupção, Bolsonaro pode, também. 

      A Rede Globo anda podendo tudo no Brasil, até silenciar o brasileiro médio. Até destruir o Brasil com o silêncio provocado. 

      Elegeu Collor não vai ser capaz de eleger Bolsonaro? Ou chegar bem perto do objetivo? 

      A questão hoje é que se a economia e os indicadores sociais continuarem descendo ladeira abaixo pode haver uma convulsão social e um descontrole total por parte do Estado para conter um levante popular contra Temer e seu Governo. 

      Só que temos um oligopólio midiático e a Rede Globo pode construir uma narrativa e encampar uma saída radical para o problema que ela mesma criou, até via retomada do Poder pelos militares, até pedindo antecipação de Eleição, se impugnarem a candidatura Lula.

      Bolsonaro em segundo lugar nas pesquisas? É com esse que eu vou. 

      E quem seria seu contraponto?

      Ciro Gomes? Daria tempo dele ser observado e ficar conhecido dos brasileiros. Mídia ele nunca terá, esta é  a realidade nua e crua. Lula tem o recall de seu Governo. A saudade coletiva. Ciro tem o quê? 

      Esperemos os próximos passos do Golpe. O pensado está em ação, Temer faz o serviço sujo, e entrega o Poder depois, para os tucanos em 2018. 

      Só que os tucanos vão se desvencilhar como da imagem de parceiros de Temer, tem Ministros no Governo, até o Serra está lá. E o Aécio tem a imagem colada na corrupção e Alckmin não deslancha, é o candidato dos paulistas, da soberba dos paulistas e dos contrários ao Nordeste aos nordestinos, imagem que não tem como apagar. Serra é outro com denúncias de corrupção até o pescoço. 

      Bolsonaro é um outsider. Apagar suas relações, nos votos no Congresso, com Temer e o caos generalizado de seu Governo isto a velha mídia faz. 

      Ai é que reside o perigo maior. 

      Se a população foi levada a crer que a política no Brasil é sinônimo de corrupção pela mídia oligopólica e se nenhum político da extrema-direita econômica, ao menos, daqui para frente ou no apoio incondicional ao Governo Temer tem a possibilidade de se enxergar como sujeito honesto, se partidários do PMDB e PSDB estão se sujando por completo para se livrarem das investigações da Lava-Jato e surge um sujeito que não está denunciado na Operação, imagina o marketing dele. 

      Não se ouve falar que Bolsonaro será colocado na Lava-Jato, que será investigado de alguma coisa para além de questões de direitos humanos, ele será blindado, pelo que tudo indica, até outubro de 2018. 

      Ele pode ser a salvação do Golpe, se não for possível impedir eleições. A Marina se mostrou muito inconsistente nos debates e não conseguiu se manter em 2014 no páreo final do segundo turno com todas as chances do mundo dadas a ela.

      Já Bolsonaro pode emplacar no lugar da Marina, ele já está em pré-campanha pelo Brasil, se a velha mídia ver que com ele não tem queda em pesquisa eleitoral, que não cai a máscara desejada pela Rede Globo, antes das urnas. 

      Não subestimemos a velha média e o Sistema a ela ligado. Esse Sistema quase elegeu o Aécio, o candidato com o currículo mais marcado pela corrupção e mais anti-meritocrático de todos (o filhinho do titio Tancredo, o playboy do Leblon) e, por mais incrível que pareça, com os votos dos brasileiros mais arraigados aos princípios da meritocracia e os mais indignados contra os “políticos corruptos”. Opostos a mídia oligopólica juntou!

      Eleger Bolsonaro? A Rede Globo e a velha mídia são capazes. Todo cuidado é pouco. 

      São ideias que me vieram.

      Abraço,

      Alexandre!

      • Parabéns!

        Parabéns pelo post, Alexandre. Acabei de escrever quase a mesma coisa, com alguns outros argumentos, e ao seguir a leitura dei de cara com o seu post. À guisa de defesa, digo apenas que não havia lido antes, houve só concordância de pensamento. Se alguém elogiar meu post, sinta-se à vontade para assumir os elogios. Se alguém criticar-me, deixe as críticas para mim, pois deverei ter escrito algo questionável, o que você não fez. Felicitações pela lucidez (ou estamos birutas juntos)!

    • Quantos minutos sobrevive Bolsonaro ao horário político?

      Bem colocado, Jurandir. Quantos minutos sobrevive Bolsonaro ao horário político quando o público souber que ele foi demitido do Exército por desonra ao tentar sabotar o abastecimento de água do Rio de Janeiro?

      Um picareta como Fernando Collor pode ter vencido no tempo do monopólio absoluto da Globo. Hoje em dia, é muito difícil que Bolsonaro vá muito além dos melhores resultados de Enéas.

      Aliás, ele já está demonstrando seus pés de barro: apenas 25% do seus eleitores na pesquisa são mulheres.

  12. Bom texto com um erro significativo

    Quem pensa que o Partido dos Trabalhadores está morto e enterrado está rotundamente enganado. 

    Em primeiro lugar tem um cidadão chamado Luiz Inácio Lula da Silva – que concorrendo ou não manterá unificada a base petista. A questão dos resultados eleitorais do ano passado, onde o PT perdeu metade das prefeituras, também ajuda a confundir as pessoas. Vamos explicar: eleição municipal não tem absoluta e rigorosamente nada a ver com eleição presidencial. Se tivesse algo a ver o PMDB elegeria sempre o presidente da república e o PT jamais teria sequer chegado perto do Palácio do Planalto. 

    Em 2002 o PT tinha menos prefeituras do que tem hoje (era apenas o 8º partido em número de prefeituras) e a grande coalisão governista – encabeçada por Serra, PSDB, PMDB e PFL (atual DEM) – tinha o controle de incríveis 60% dos municípios do país. Esses 60% de municípios, acrescidos ao montante dos outros partidos que orbitavam a candidatura do Serra, chegavam a praticamente 75% de controle sobre os municípios brasileiros. Nada adiantou para a direita pois Lula venceu do mesmo jeito. 

    Ou seja, é uma ilusão imaginar que o PT está acabado. Não está e está apenas tratando de reagrupar forças para o embate do ano que vem. Lançará vários candidatos a governador e terá em Lula o grande General puxador de votos para o Senado, para as Assembleias Legislativas e para a Câmara dos Deputados. 

    Por fim, superestimam o Bozonaro. Diferentemente de Donald Trump, que concorreu por um partido poderosíssimo, presente em todos os recantos dos EUA (Partido Republicano), Bozonaro é filiado a um partido sem expressão alguma.

    Mesmo que Trump tivesse mantido o discurso que fez no ano passado, a certeza é de que se tivesse concorrido como candidato independente, ao invés de concorrer pelo poderoso Partido Republicano, jamais teria alcançado a vitória e a Casa Branca. 

    • Como sempre…

      Concordo com quase tudo o que você diz, Diogo. O único ponto falho é achar que o Bolsonaro não vai pra frente porque não tem atrás de si um partido de peso. Ora, o Collor, você sabe, foi eleito pelo tradicionalíssimo PRN. Um partido que desapareceu da mesma maneira que surgiu. Pessoalmente, acho muito difícil o Bolsonaro ser eleito para algum cargo executivo. Ele está mais para um Enéas ultrareacionário (cujo partido também pouca gente se lembra). Ele é asqueroso até para a direita tucana. A não ser que ganhe apoio maciço dos partidos de direita (algo pouco provável) e da mídia, suas chances são, felizmente, limitadíssimas.

      Mas, esperava muito mais da CUT. Cadê as greves gerais que deveriam ter começado no dia seguinte ao golpe? Cadê as convocações de desobediência civil? Cadê as manifestações nas ruas. Participei de umas três, mas não vi nenhum resultado prático. Vi, sim, a população de São Paulo cometer um suicídio político ao votar num sujeito que, com nem dois meses de cadeira, consegue ser pior do que o Kassab e o Pitta juntos.

      Além disso, a vida segue (não dá para largar tudo e ir para a rua, quando ir para a rua não resulta em nada).

  13. Se vocês tivessem um mínimo

    Se vocês tivessem um mínimo de balls, vocês atirariam na cabeça de um “economista” tão canalha ao ponto de ele insistir em destruir o país e continuar insistindo que ele está certo e que a única saída é destruir ainda mais.

    Eu estava pensando que os representantes da direita brasileira seriam ou absurdamente estúpidos ou  realmente canalhas traidores do próprio país… Mas parece que eles são ambos. Vocês só saem de uma situação dessas com um milagre ou com guerra civil.

    • Uma minoria violenta partindo

      Uma minoria violenta partindo da esquerda é exatamente o que os estrategistas do golpe querem; é justamente por isto que os patetas que nos governam são tão patetas… tão explícitos… 

       

      … o povo brasileiro – o povão – tem que se fazer valer; na cabeça machista da elite, o povo, ao apoiar a lava-jato e o golpe, assumiu a posição de a p… da “elite brasileira”; se o povo não fizer a elite o temer, jamais haverá democracia de verdade porque a elite vai se sentir a vontade pra exercitar toda sua irresponsabilidade. 

      Quanto ao terço progressistas da classe média caso se lançasse a ser vanguarda de uma revolução, seria simplesmente eliminada e o terço conservador da classe média iria se regozijar com isto.

      O povo tem que alcançar sua maioridade e tomar a história do país em suas mãos – essa é a única saída e este deveria ser o objetivo do terço progressista da classe média. A questão é como ajudar o povo a fazer isto?

  14. A chance de Bolsonoro

    A chance de Bolsonoro estara´ligado ao desempenho de Trump = se no meio do ano que vem os EUA tiverem bombando economicamente, aumenta muito a chance dele. CAso contrário, os EUA  crescerem menos e a inflação estourar, Bolsonaro some. 

  15. Talvez Nassif deva encerrar a

    Talvez Nassif deva encerrar a série xadrez.

    Não há mais o que analisar no Brasil, porque o Brasil deixou de existir. Temer promete liberar geral a venda de terras aos estrangeiros, de modo que acredito até num esfacelamento territorial do país, vingando o País do Sul, com capital na República de Curitiba, o sudeste com SP, RJ, MG e talvez ES e Bahia, a Amazônia internacionalizada e o Nordeste voltando aos tempos negros da fome. Quatro países diferentes, cada um com seu cada um.

    Vejo de uma forma até infantil as reclamações do blogueiro quanto à inexistência de um “projeto de país”. Hoje está tão claro que esses assaltantes que tomaram o poder não querem saber do Brasil, não são do Brasil, não estão nem aí para o Brasil. O povo toca seu dia a dia, trabalha quando tem trabalho, se diverte, que ninguém é de ferro, sua um verão infernal e faz planos para o Carnaval, pra quando o Carnaval chegar…

    Pra mim, hoje, só resta a esperança (provavelmente inútil) de ver Moro pendurado numa forca, ao lado dos Marinho e de toda essa camarilha do mal que assombra Brasilia. Do STF só espero uma renúncia coletiva, em nome da vergonha na cara, porque não há mais ponto de retorno.

    E o povo da luta? O povo é forte, somos 207 milhões de pessoas e vamos sobreviver, de um jeito ou de outro. Até porque, do jeito que o mundo está não teremos para onde ir. A coxinhada que adora Miami, tem que enfiar o rabo entre as pernas e ficar quietinha, porque tudo que o Trump não quer é “essa gente bronzeada” baixando nos states.

     

     

    • Brasil Vilipendiado

      Eu tenho a msma opinião. No fundo o PSDB daqui do SE nem sabe onde fica o Brasil. Serra sabe lá o que é Brasil. Alkimin idem, Aécio idem> Serra conhece um país chmado Mooca onde ele se empanturra de spaghetti. Eles no fundo qurem que o país se exploda. Essa turma deveria ser presa por traição. Concordo inteiramente com a Zuleika.

    • A Direita ficará feliz de Nassif sair de cena

      Mesmo entendendo o que quis dizer a comentarista, esse tipo de comentário só fortalece o inimigo.

      No dia 30 de junho de 2015, o jornalista Luciano Martins Costa escreveu seu último artigo de análise e crítica de mídia, no porta Observatório da Imprensa. No segundo parágrafo do último artigo postado por LMC no OI, intitulado “Isto é uma despedida” lê-se:

      “Os motivos que levam à interrupção desta jornada são muitos, entre os quais não é possível fazer uma hierarquia de relevâncias. Talvez fosse possível contornar alguns deles, mas há uma causa que não pode ignorada: não há muito mais o que se analisar na mídia informativa brasileira.”

      Desde então o OI vem minguando exponencialmente e hoje praticamente ninguém lê o que é publicado lá. Luiz Egypto e outros grandes analistas deixaram de escrever e postar matérias no portal. Mesmo antes do golpe de Estado, a TV Brasil interrompeu a versão televisiva do OI. E o que nós, leitores, espectadores, cidadãos ganhos com isso? Nada! Ao contrário, perdemos a oprtunidade de ler e ouvir análises críticas sobre atuação dos veículos de mídia; perdemos a oportunidade de assistir aos debates que marcaram a fase áurea do OI na TV. Portanto não faz sentido pedir a Luís Nassif para encerrar a série de crônicas intitulada “O Xadrz do golpe”.

       

    • Muito bom comentário.

      Muito bom comentário. Especialmente o terceiro parágrafo.

      Apenas acrescento que o enforcado não deveria ser apenas o moro, mas toda a lava rato, o stf, os juízes e procuradores que não são funcionários públicos mas políticos, toda a camarilha temer e todos os marinhos, até os bisnetos, se tiver.

      No congreso e senado prisão basta ou teremos que gastar muita corda.

      Pensando bem, corda é mais barata do que a hospedagem em presídios.

  16. Se não houver um movimento

    Se não houver um movimento amplo de união em torno da candidatura de Lula e de sua proteção contra os abusos do golpe, Bolsonaro será o novo presidente em 2018. Podem crer que será exatamente isso. Só não vê isso quem não quer, é algo que está claro para todos verem. 

  17. Quem turbina o Bolsonaro?

    Procurando espaço para crescer e se popularizar, no dia 12 de maio de 2016 o Jair Bolsonaro se batiza no Rio Jordão.

    A partir daí é turbinado nas pesquisas, içando como bandeira assuntos de tipo comportamental, de “bons costumes”, fazendo contraposição aos esquerdistas mais “modernosos”, captando assim grande parte do voto evangélico e conservador da sociedade, que anos atrás acreditava em Lula e nas bandeiras da nação brasileira com justiça social. Há tempo que se discute neste blog a importância desta situação.

    A rede Globo magistralmente, nas suas novelas e programas ao vivo, assume bandeiras modernas em relação a assuntos comportamentais, mas, com base em personagens um pouco caricatos ou exagerados. A Globo se apresenta moderna e colorida para os modernosos consumistas e neoliberais, mas afasta aos conservadores comportamentais do povo evangélico, já não apenas para as suas próprias redes de TV e programas – que hoje proliferam, mas para uma vertente política perigosa e explosiva, como a proposta pelo Bolsonaro.

    As eleições do Rio de Janeiro colocaram isso em evidencia, confrontando um Brasil mais “Mauricinho” – digamos assim, contra um Brasil mais “modernoso” em termos comportamentais – também digamos assim. Em nenhum desses oponentes aparecem como prioritárias as bandeiras mais importantes: da nação e da justiça social. A Globo consegue despistar a grande parte da população brasileira sobre a verdadeira disputa política que vive o Brasil.

    Bolsonaro será usado na luta paralela, lateral, minando as forças do Lula contra o verdadeiro mal que aflige o Brasil: O poder econômico global. O verdadeiro candidato da direita será o delfim João Dória (o Merval já o está proclamando), preparado e lançado pelas entidades empresariais, sendo tucano e, por tanto, com pleno apoio do PIG e dos EUA.

    a) A rede Globo dá um destaque caricato à esquerda comportamental modernosa;

     b) A maior parte população rejeita – por agora – esse tipo de “esquerda”, moderna demais para um país de terceiro mundo e que ainda nem é um país soberano;

    c) Bolsonaro ganha mais votos do setor evangélico ou comportamentalmente conservador, em geral. Votos estes que antes foram do Lula;

     d) Levando esses votos espertamente para o conjunto da direita (ou anti-PT), exatamente onde o verdadeiro combate se trava, e muita gente acaba votando inadvertidamente contra o Brasil nação e contra a justiça social.

    Brasil não consegue sair desse dilema, que gerou maioria na eleição para Presidente, mas absoluta minoria no legislativo.

    Bolsonaro só vai sair da cena política quando não tiver ninguém para chamara para a briga, quando recolhido na sua insignificância, quando modernosos parem de cuspir nele, quando a esquerda política levante como prioritárias as bandeiras da nação autônoma e da justiça social.

    Devemos recuperar as cores verde e amarela, que espertamente os coxinhas tiraram de nós, paradoxalmente, para entregar a nação ao mundo global. É o Brazil acabando com Brasil, usando de várias armas e frentes de combate.

  18. Xadrez do pós 2018

    Peça 1: A economia arrochada ao extremo, consumidores ( que ainda tenham emprego ) comprando nos supermercados mais baratos, os produtos mais básicos apenas, feijão com farinha e olha lá.

    Montadoras de carros demitindo a rodo, e os carros velhos sendo ” ressuscitados “, corcel I, fiat 147, gol quadrado, com as oficinas mecânicas lotadas tentando restaurar peças de museu. As estradas invadidas por motocicletas, pois com a explosão dos preços dos combustíveis, ficou inviável ao cidadão comum andar todos os dias de carro.

    Para economizar, o brasileiro deixa de ter filhos, adia o plano do casamento, tornando a taxa de natalidade uma das mais baixas das Américas, que só perde para o Canadá. A frente de todos os estados, ganha SP, com a mais baixa taxa de natalidade do país e uma das mais baixas do planeta, graças a um desemprego explosivo. a longo prazo isto impacta o fechamento de contas da  previdência, mas a estas alturas o brasileiro médio  já não se importa mais com a previdência da qual foi praticamente excluído.

    Talvez seja até bom que assim seja, de termos baixa taxa de natalidade, pois se além de crise econômica tivessemos explosão demográfica, em pouco tempo o Brasil se tornaria uma Nigéria,  ou uma Ruanda, com guerra civil, e miséria extrema. ao menos alguma coisa está sob controle.

     

    Peça 2 Violência explodindo no pais, com ES como exemplo. O governo negando e a midia abafando tudo. Não só em estados isolados, mas em todos os estados em geral, aumento de crimes, assustam a população.

     

    Peça 3 Por um ” milagre “conseguem reeleger Lula. Mas era apenas um engodo.Na verdade isto foi planejado pela elite como uma emboscada.  A elite, frustrada com a alta popularidade de Lula, decide dar cordas para ele se enforcar. Lula re-eleito, tem de governar com a camisa de forças da PEC da morte, e com um congresso igual ou pior do que o que aí está. Isto, sem contar que a Lava Jato ressuscitada perseguirá Lula e cada obra que ele tentar inaugurar, e Lula não terá empreiteira nenhuma disposta a trabalhar com ele, por medo da Lava Jato.

    O verdadeiro medo da elite é que Lula se torne um mártir, um mito, uma lenda, que perdure por séculos, servindo de bandeira sempre para defender o povo oprimido. Para evitarem isto, querem não só indiciar Lula, mas desacreditá-lo de vez junto à população.

    Sem nenhum partido disposto a aliar-se a Lula, novamente por medo da Lava Jato, Lula governa sozinho, contra tudo e contra todos, a mídia batendo brutalmente contra ele, e o congresso, lhe negando todo e qualquer apoio, o Judiciário perseguindo-lhe , o supremo impedindo todas as suas nomeações,  e Ministério Público impedindo-o de governar por completo, bloqueando-lhe qualquer decisão que ele tome.  A cada dois meses a midia promovendo uma mega passeata do ” fora Lula “.

    Some-se isto a falta de habilidade de Lula em nomear sucessores, e a tragédia está feita. A elite, de olho nisto, enviará a Lula muitos ” Joaquins Barbosa,” disfarçados de ” cumpanheiros “, para entrarem de cavalos de tróia nas nomeações e detonarem o governo Lula de dentro para fora.

    Lula com seu republicanismo, com certeza reconduz Janot pela milésima vez ao cargo, honrando a lista tríplice, e a quebradeira de empresas continua. O PIB consegue cair mais ainda do que hoje, somando-se mais de uma década de depressão brutal.

    Nem a entrega do pre sal, Lula não consegue reverter a estas alturas. E mesmo que conseguisse, a Lava Jato paralisa a Petrobrás inviabilizando qualquer atividade dela.

    Tudo isto para satisfazer a obsessão da elite de acabar com a popularidade de Lula. Deixam ele governar, destroem o país, e põe a culpa nele, vendo depois, a popularidade de Lula e o país desabarem. Risco de guerra civil pelo menos localizada em alguns estados, e tudo o mais.

    Para reagir a tão longa crise, a taxa de natalidade cai mais ainda, superando a China e países com menor taxa de natalidade do mundo. Mas a esta altura, o brasileiro já não se importa com mais nada, menos ainda com isto.

    Novamente, a mídia  põe a culpa de todo desastre em Lula, que já de idade avançada  talvez não aguente tamanha pressão. Os coxinhas acreditam em tudo que a mídia fala.

     

     

    Peça 4 Talvez, no auge da impopularidade devido ao governo sabotado de Lula, conseguem um impeachment e colocam outro presidente mais trapalhão e incompetente do que MT, uma versão do  MT só que  turbinado, A crise continua, a queda do PIB prossegue. Os militares se recusam a dar um golpe e assumir o poder, mesmo com amplas parcelas da população implorando por isto, pois o abacaxi é mais espinhoso do que parece.

     

    Peça 5 O Império bate palmas de alegria, Conseguiu saquear o pre sal, ao mesmo tempo que destruiu definitivamente o Brasil como concorrente. Fez política de terra arrasada, como na Líbia. O Brasil dificilmente se aliará aos BRICs de novo, e o Império dá pulinhos de alegria. A midia sugere uma saída… Mais neoliberalismo ? Mais arrocho ? Talvez sim, pelo menos na cabeça deles esta é a solução para ” todos os males “.

     

    Peça 6, Com quase todas as indústrias nacionais quebradas, e as que não quebraram fugindo do país levando sua matriz para o exterior, o PIB continua em queda livre por décadas e séculos. As multinacionais se negam a investir aqui, frustrando as expectativas neoliberais. Quando não precisarem mais dos procuradores, talvez extingam o ministério público, não sem antes cortar a estabilidade dos altos servidores públicos para impedir que criem asas de novo. O medo de investir no Brasil, afasta investidores por séculos.

    Peça 7 Daqui há alguns séculos, historiadores estudam a história do Brasil neste período e não acreditam que um país, perdido em disputas internas, permitiu o suicidio econômico de uma nação com 200 milhões de habitantes, e uma das maiores do mundo em território. Um país cheio de cidades fantasma, com pequena população é o que sobrou, pois mesmo as quedas livres, um dia encontram um ponto de estabilização,um fundo do poço. A economia, a infra estrutura,  retornam ao século XIX, e talvez a população do Brasil também. A  elite que sobrou, viverá enclausurada em condomínios fortalezas, semelhantes aos antigos castelos, temendo pela a violência, pois as cidades fantasmas, poderão se tornar inseguras, devido à falta de pessoas, a falta de lei e à falta do estado, que foi implodido com a crise. A nata da elite, os super ricos,  o 1% mais rico, se refugiam em Miami, para assistir de camarote o circo pegar fogo, mas continuam enriquecendo com os juros estratosféricos títulos do tesouro e acima de tudo continuam controlando o Brasil.

     

     

    Peça 7 Baseado na história do Brasil daqui há algumas décadas ou séculos, talvez algum escritor escreva um livro ou roteiro de filme pós apocalíptico de grande sucesso de bilheteria, no qual o Império faturará milhões. As pessoas do Império  vão dizer que seria impossível acontecer algo assim, e vão achar que é só ficção.

    Outros escritores talvez escrevam  filmes  de comédia baseados em nossa história, algo como : ” Os reaças  trapalhões,”, ou ” Corra que os coxinhas  vem aí ” , filmes de estrondoso sucesso na bilheteria.

  19. O Paraguai é aqui – II
    O que acontecer a Lugo acontecerá a Lula: o Paraguai ė aqui.

    Com essa classe dominante secularmente golpista, anti-democracia, anti-nação, anti-povo, rapineira, lesa-påtria, corrupta e blindada por um conluio midiático-penal que lhe garante roubar no atacado bem como transportar toneladas de cocaina sem problema, não há saida nem aqui nem no Paraguai.

    Com esse ajuntamento de ladrőes que tomou de assalto o poder e que sö se preocupa em instrumentalizar o Estado e as Intituiçoes para roubar e mais e se blindar, não haverá cura nem restauraçăo do tecido social, pelo contrårio, continuaremos a atravessar a pinguela para o inferno: o Paraguai é aqui.

    Lugo ė amplo favorito no Paraguai.

    http://www.bbc.com/portuguese/brasil-37614529

    “Lugo x Cartes

    A alta popularidade de Lugo contrasta com a alta rejeição do atual presidente.

    Pesquisa divulgada em agosto pelo jornal paraguaio “Ultima Hora” sobre a eleição de de abril de 2018 mostrava o ex-bispo disparado na frente dos demais potenciais concorrentes, com 40% de intenções de voto em Assunção e 50% nas outras principais cidades do país. Já Cartes tinha menos de 10%. No Paraguai, a disputa se encerra em apenas um turno.
    Outro levantamento recente mostrou que mais de 70% dos entrevistados avaliam o governo atual como ruim ou péssimo.

    Isso tambėm

    Lembram-se do helicoca dos Perrela, aquela aeronave com meia tonelada de coca….a par disso, o foco do conluio midiåtico-penal é Lugo sic Lula.

    Engenheiro da OAS explica a Moro que triplex não é de Lula

    http://www.ocafezinho.com/2017/02/16/engenheiro-da-oas-explica-moro-que-triplex-nao-e-de-lula/

    PF apreende de novo aeronave em MG com quase meia tonelada de coca

    http://www.ocafezinho.com/2017/02/16/pf-apreende-de-novo-aeronave-em-mg-com-quase-meia-tonelada-de-coca/

    O MP, a delaçăo premiada e as razões da instabilidade

    http://www.ocafezinho.com/2017/02/16/o-mp-delacao-premiada-e-as-razoes-da-instabilidade/

    O negöcio ė se blindar: Temer indica advogado de Aécio para substituir o tmbm tucano Alexandre Moraes que ganharå o cargo de ministro do STF

    A hipocrisia de Carlos Veloso, o tucano que Temer indicou para a pasta da Justiça

    http://www.ocafezinho.com/2017/02/16/hipocrisia-de-carlos-velloso-o-tucano-que-temer-nomeou-para-pasta-da-justica

    Lula convoca a militância

    https://www.youtube.com/watch?v=adThWpJHts

    Sobre desintegração de paises mundo afora

    A Líbia hoje

    http://mobile.opovo.com.br/noticias/mundo/ae/2017/01/forcas-leais-ao-autoproclamado-premie-da-libia-tomam-controle-de-minis.html

      • Sim….por sermos tāo
        Sim….por sermos tāo pröximos – quem sabe vingança de Solano Lopez – o Paraguai virou espelho dos golpistas…mas que fique claro que essa destruiçao de paises vai além do Paraguai, ou seja, acontece a nivel global carece de explicação que talvez passe por mecanismos dos mercado vs grandes corporaçoes em busca do ouro a qualquer preço vs geopolitica = paises como os EUA defendendo seus próprios interesses e a ralé que se lasque: Honduras….Libia….Iraque….Siria…

        Nessa queda de pedras de domino sic dominö o Brasil caiu. E pensar que poucos paises tem a riqueza que temos: sol…agua….solo…energia…petroleo..

        E pensar que muitos paises desejariam ter pelo menos uma pequena fraçao da riqueza que nos foi presenteada pela natureza, eles năo tem mas, por outro lado, tem o que nao temos: uma elite pensante que tem projeto pro pais e pensa a naçao do ponto de vista da geopolitica e do interesse nacional.

        Quanto a nös, o que temos senăo uma classe dominante dotada de instintos primitivos.

        Não passa pelo cabeçao de uma classe dominante como a nossa compartilhar a riqueza que temos, muito menos imaginam oferecer vida digna ao povo….em paises como o Australia e Canadá a riqueza é compartilhada enquanto aqui temos uma rapinagem que dura seculos e basta que um governo tente mudar isso para que ela classe dominante dê um golpe. Assim não dá.

  20. O Paraguai é aqui
    Para saber o que vai acontecer no Brasil sempre observo o que está rolando no Paraguai onde o crime organizado, tal como no Brasil, tomou de assalto o poder. Lugo, tal como Lula, é amplo favorito por representarem politicas inclusivas: o que acontecer a Lugo acontecerå a Lula:

    https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2016/12/17/justica-eleitoral-diz-que-lugo-nao-pode-se-candidatar-as-eleicoes-no-paraguai.htm

    Justiça eleitoral diz que Lugo não pode se candidatar às eleições no Paraguai

    Neste sábado, o Partido Popular Tekojoja, um dos que formam a Frente Guasú, ratificou em uma assembleia o apoio à candidatura presidencial de Lugo pela via de uma emenda na Constituição, informou em comunicado.

    A coalizão considera que a candidatura de Lugo é “um passo decisivo para a volta de um governo inclusivo no Paraguai”.

    Por sua parte, o governante Partido Colorado pediu em novembro para que seus representantes promovam ações judiciais contra a campanha de Lugo, e afirmou que o ex-presidente se encontra “inabilitado” para uma nova candidatura.”

    Sobre desintegraçao de paises mundo afora

    O Iraque hoje

    http://brasil.elpais.com/tag/irak/a

  21. ROOSELVET foi perseguido

    ROOSELVET foi perseguido pelos políticos conservadores e pela mídia. Respondeu a CPI e acusações de corrupção inclusive eleitoral. Foi acusado de comunistas também. Recebeu os EUA quebrado, falido, arrasado e sem perpectivas após a crise de 1929. Recebeu-o “de joelhos e o pôs de pé ” (segundo seu mais importante biógrafo) e o tornou na maior potencia mundial. Foi 4 (quatro) vezes seguidas eleito presidente dos EUA. Só não foi a 5a. vez porque faleceu durante o 4o. mandato…

    Era admirador de Getúlio Vargas.

    “ROOSEVELT SE LEVANTOU DE UMA CADEIRA DE RODAS PARA ERGUER UMA NAÇÃO QUE ESTAVA DE JOELHOS”

  22. Contagem Regressiva para (não ter eleição em) 2018

    Vislumbrando as mesmas conjecturas, o que me fica mais evidente é que não haverá eleições em 2018.

    A estratégia desse xadrez na verdade será um “reforma” política – mudando muito para ficar tudo como está – propondo as ideias dos atuais ocupantes do Poder, tais como: voto distrital, semiparlamentarismo, unificação das eleições em todos os níveis, mandato de cinco anos, fim da reeleição, nova regulação do financiamento privado, etc.. Logo, Contagem Regressiva para (não ter eleição em) 2018!

    Veremos…Eleições só em 2020!

  23. menos, Bolsonaro é piada.

    menos, Bolsonaro é piada. Apesar de idolatrado pela direita hidrófoba, ainda é um outsider. Quando abre a boca para a massa, piora. Um líder fascista não basta ser canalha, tem que ter um certo nível. Bolsonaro está há leguas de um Mussolini.

    No cenário de hoje, o golpe só se sustenta pela força, ou seja, pela NÃO eleição de 2018.

    O que não é bom sinal…

  24. Bolsonaro esta sendo bancado com muita $$$$$

    Bolsonaro faz campanha abrangente na internet. Ele tem bots e comentaristas atuando incansavelmente em todos os grandes sites, forums e redes sociais. Nao me parece ser coisa de militantes apaixonados apenas. Suspeito que tem gente investindo um bom dinheiro para manter essa campanha diuturna em todos esses sites.

  25. Além de ter que lidar com a

    Além de ter que lidar com a herança maldita das nomeações para o stf e agravamento do aparelhamento do estado pelo pior da direita, o futuro presidente (se houver 2018…) terá a herança maldita das alterações feitas na constituição e também um estado “mínimo” devido ao entreguismo de patrimônio e riquezas. Como o eleitorado brasileiro é altamente qualificado em fazer asneiras, é difícil acreditar que um congresso melhor do este saia das urnas. Vamos falar claro: estamos “jodidos” porque a esta altura estamos precisando mesmo é de uma “ditadura esclarecida e nacionalista”. Esta última ideia aí é resultado do delírio causado pelo desânimo diante do quadro geral…

  26. Só há uma saída

    A única saída é o enfrentamento. Pelas vias democráticas, ou seja, esperar 2018 para novas eleições é um engodo, é exatamente isso que os usurpadores esperam, essas pesquisas que dão Lula em 1o. lugar são como a cenoura que se coloca na frente do burro para que ele ande, ande e não alcance a cenoura.

    As pessoas patriotas neste país, que somos nós contrários aos golpistas, necessitamos de uma liderança que nos organize para que ações relevantes sejam tomadas como paralisações gerais, passeatas gigantescas, desobediência civil, visando tornar impraticável esse desgoverno, temos que esculachá-los diariamente, mas só poderemos obter êxito se estivermos unidos e com o principal motivo em mente derrubar Temer, sua camarilhae a mídia sua apoiadora.

    Tá faltando ação, chega de análises e conjecturas, isso não nos levará a nada, apenas a continuar aceitando de forma passiva essa destrução que está ocorrendo. Não cabe mais o jargão Ah, eu avisei, Ah porque não batem panelas agora! Isso serve apenas para nos sentirmos “vingados” interiormente porque não participamos daqueles atos.

    O momento exige enfrentamento não mais essa aceitação “rebelde” e no fundo hipócrita

     

     

  27. ei velhinho  ..como diria

    ei velhinho  ..como diria pernalonga  ..vc esta estressado ?me pareceu em pânico !

    Veja assim, qto mais BOLSONARO cresce, mais a direita ajuizada e centro vão querer LULA

    Vdd é q seu texto passou a impresão de alguém que, de tanta pendência e problema, não sabe por onde priorizar

    Agora, começar falando das idéias de BOILE ?!  ..aquela moçoila lançada, não sei opor quem, pra substituir P.Leme nas bobagens que se vomita na mídia diariamente ?

    Aliás, em parte ela tava certa qdo falava da dominancia fiscal  ..mas NEM ELA sabia aonde  ..ela dizia que a divida era grande, e ao se aumentar juros, a divida aumentava ainda mais  ..e o risco junto ..e mais juros teriam que ser despejados pra aclamar os agentes  ..numa ciranda sem fim (isso até puxarem sua orelha via A.C.Pastores da USP  ..outro cujas idéias se rivalizam com a juventude de Sarney ou Niemeyer)

    ..o que BOILE NÂO VIA (e ainde não ve) hoje já se fala, se fala que JUROS SELIC não serve pra conter nossa inflação ESTRUTURAL, a nossa realidade, aonde os problemas são outros, mais sofisticados (como indexação, moeda fraca, custo da infra, cartelização etc)

    • Boile não seria aquele

      Boile não seria aquele reservatório para armazenar água quente?

      Pelo menos este boile serve para alguma coisa.

  28. Τάνταλος

    A maldição de Tântalo paira sobre a camarilha e seus associados (Peça 1 e 2 do Xadrez)…

     

    “…Embora cercado de tudo o que é essencial à vida, à sobrevivência e às necessidades interiores, o espírito humano é insaciável. Não consegue usufruir da abundância daquilo que o rodeia, porque os ventos dos desejos afastam o que está ao alcance da mão. Está constantemente buscando mais, sem sequer usufruir do que lhe está próximo. Essa é uma eterna condenação, que tortura e suplicia. Seu olhar visa a um horizonte sempre mais longínquo.

    Ao mesmo tempo, um paradoxo leva-o a sobreviver porque é a ansiedade e o desejo de infinito que o sustentam. É filho dos deuses, como Tântalo, mas habita um frágil corpo material que lhe impõe limites. E, nessa dupla realidade, vive o embate das lutas diárias, andando na terra, com o olhar voltado para o infinito. …” (em Oscar Luis Brisolara, FURG)

  29. A contagem regressiva para 2018

    O que vemos no Brasil é uma lição do clássico SunTzu.

    A tomada de uma país financiada externamente e roido pelos vendidos.

    Desde os primórdios da operação engendrada na “República dos Estados Unidos de Curitiba” o objetivo era claro. O desmonte do país como nação pela tomada do poder por elementos financiados e com o apoio de atores diversos já de antemão preparados ou associados oportunamente.

    A notória condução dos trabalhos visando a destruição de um partido e sua liderança maior, a brutal capacidade de aliados de estrada ou acolhidos foram marcos esquecidos ao longo dos anos nas análises efetuadas mascaradas pelo foguetório da mídia a bombardear diariamente a “massa de manobra”.

    Estamos entregues a um conluio entre entreguistas e bandidos políticos, sob o comando de um multi delatado, STF movendo-se ao sabor de seu capataz, o MPF é manobrado por uma minoria politicamente interessada e o Congresso atua pela massa dos 300, não de Esparta mas de delatados.

    Entregue a cabeça de Lula o torquemada se exila em sua pátria adotiva, o país entra em convulsão e as FFAA tomam o poder.

    Mais 21 anos de chumbo para o Brasil dilacerado, comprado e ao nivel de 100 anos atrás. 

    Um falso brilhante ?

     

  30. aliás, outra da BOILE
    Li

    aliás, outra da BOILE

    Li certa vez ela dizendo mais ou menos que : “..ou o BRASIl faria o que ela receita ..ou o país continuaria a ser o que sempre foi, um país MEDÍOCRE..”  ..e isso pq tentava forçar as suas teses nada digeríveis e comprovadas (apenas achadas)

    Medícore, veja bem  ..foi isso o que ela disse ..Nação jovem ..a oitava economia do mundo (sem artifícios)  ..sexta por destino (quetão de CP)..das primeiras numa pá de setores ..inclusive na alimentação MUNDIAL

    …um país que sofreu o que sofreu (toda sorte de ATENTADO econômico vindo dos poderosos ..que teve toda sorte de desafios históricos ..ameaças ora vindas da Europa, ora dos EUA) ..e pra BOILE, um país medíocre 

    ..depois disso  ..não quis mais de saber o que ela pensa ..já deu pra entender qual era a da Tiririca de Cabelo Pig-maleão  ..queria aparecer ..melhor se tivesse tirado a roupa

  31. Constituição de 88 rasgada

    Creio ser fundamental analizar o país após reformas que praticamente extingue a CF 88. A PEC 55/241 praticamente mata a Constituição, não dá margem para nenhum governante estabelecer políticas públicas. Creio que a mesma é flagrantemente inconstitucional, mas o STF é partícipe do golpe, não irá declarar a inconstitucionalidade da emenda. Aliado à reforma draconiana da previdencia (que implodirá a previdência), a reforma trabalhista, o país ficará totalmente ingovernável. Caso Lula não se torne inelegível e seja o vencedor em 2018 terá que encontrar soluções para lidar com um país desfigurado.

  32. Constituição de 88 rasgada

    Creio ser fundamental analizar o país após reformas que praticamente extingue a CF 88. A PEC 55/241 praticamente mata a Constituição, não dá margem para nenhum governante estabelecer políticas públicas. Creio que a mesma é flagrantemente inconstitucional, mas o STF é partícipe do golpe, não irá declarar a inconstitucionalidade da emenda. Aliado à reforma draconiana da previdencia (que implodirá a previdência), a reforma trabalhista, o país ficará totalmente ingovernável. Caso Lula não se torne inelegível e seja o vencedor em 2018 terá que encontrar soluções para lidar com um país desfigurado.

  33. O fator de crescimento de candidatos de ultra-direita

    Bolsonaro é preocupante num Pais de analfabetos funcionais e politicos. Assim como a extrema direita tem levado tempo para chegar à presidência na França, e pela primeira vez pode conseguir o feito, Bolsonaro também é um projeto para o futuro. Se houver eleições diretas em 2018, aquele ou aquela que for eleito se não conseguir reverter a atual situação caotica do Pais, estara pavimentando a estrada para tipos como Bolsonaro chegarem à presidência no futuro proximo.

    No post do Miguel do Rosario de quarta-feira, o comentarista Zé Guimarães defende Sergio Moro de suas responsabilidades na Lava Jato, atribuindo ao juiz do Parana sua perseguição ideologica a Lula “às pressões que Moro sofre para condenar Lula”.

    Discordo em parte dessa analise porque Sergio Moro ja demonstrou quais são seus interesses e não faz apenas “o serviço encomendado”. Arrolou D. Marisa como ré na Lava Jato por pura perversidade. Sergio Moro ja demonstrou nos vazamentos de conversas privadas e no tititi com Aécio e José Serra e, mais recentemente, tomando a defesa de Michel Temer nas investidas de Eduardo Cunha, que ele tem lado sim, tem feito uma caça ao PT e ao Lula porque isso o promove face uma certa opinião publica(da) brasileira. E se esta dificil de condenar Lula rapidamente, como espera a Globo, é porque os advogados de Lula tem combatido corajosamente e implacavelmente os metodos de acusação do proprio juiz das Araucarias.

  34. Chapa Ciro presidente e Haddad vice…

    Chapa Ciro presidente e Haddad vice…

    O Lula é um conciliador, se for eleito em 2018 arrastará a esquerda e toda a sua base social à conciliação com a casa grande que promoveu o golpe. O presidencialismo de coalizão acabou. É pura ilusão acreditar que uma vitória do Lula trará paz e prosperidade ao país, muito pelo contrário, os aparelhos do dispositivo golpista estarão operando a pleno vapor no supremo, no judiciário, na mídia e em todos os setores da direita.

    Por outro lado, o PT e a esquerda não conseguiram reagir ao golpe e sofreram uma derrota humilhante nas eleições municipais de 2016. Uma coisa é certa, a esquerda não tem musculatura para enfrentar a ascensão da direita brasileira na atual conjuntura.

    Essa eleição precisa ser resolvida já no primeiro turno com a esquerda unida e coesa em torno de um programa unificado numa frente de esquerda. O Lula tem o apoio de parcela considerável da esquerda, enquanto o Ciro tem a retórica que atinge em cheio a classe média. Essa união Lula, PT e Ciro poderá varrer a direita nas próximas eleições.

    O sentimento generalizado no país é de cansaço, muita gente já não aguenta ouvir falar em Lula, PT, PSDB ou qualquer coisa que lembre a atual política. Isso significa que quem representar uma alternativa a tudo o que está aí leva o jogo. Ou seja, será a eleição de um “outsider”.

    É nesse contexto que a candidatura do Ciro cai como uma luva. É uma tendência mundial a vitória de outsiders e no Brasil não será diferente.  Portanto, se a esquerda e todo o campo progressista quer virar o jogo, a única alternativa é uma chapa Ciro presidente e Haddad vice tendo o Lula como cabo eleitoral.

    • Haddad? O experimentalista ?

      Haddad? O experimentalista ?  ..tais brincando  ..vc não ouviu as ruas não ?!

      Haddad, aquele autocratico que insistiu em implementar em SP programas que o POVO não queria ? pior  ..inúmeros deles que JAMAIS deram resultados ? copiados indiscriminadamente do estrangeiro ..não lembra ? ..eu te ajudo 

      – CICLOVIA numa cidade de topografia confusa

      – uso despadronizado de CORREDORES de onibus que não só NÂO aumentaram a velo dos coletivos (como prometido), bem como agravaram em inúmeros pontos, o transito  ..criminalizando ainda o motorista

      – instituição do vale travesti, pixador e imigrante  ..cmo se isso fosse atribuição duma cidade

      – redução CRIMINOSA da velocidade dos veículos – AUMENTANDO o custo BRASIL e a ineficîência em cidade SEM transporte de massa  ..visando, dizia, melhorar a segurança das MOTOS  ..mas escondendo que um dos objetivos vialbiliza o GOOGLE que corre pelo automação dos condutores (que só vai funcionar com carro a 40 km/h)

      – USO indevido da INDUSTRIA da multa como complemento de receita municipal  ..chegando a multar até depois da MEIA noite quem avança em semaforo vermelho aonde não se tem segurança pública

      – AUMENTO, acima da INFLAÇÃO, do IPTU (sou testemunha)

      – Não escancarar o processo MAFIOSO de formação do preço das tarifas de transporte público (75% da frota na mão dum cara) e de limpeza e varrição das ruas

      – permitir com que parte da sua administração insuflasse – ou desse de ombros – diante da INVASÂO de terrenos públicos e/ou particulares que abundaram por todos estes anos

      – tentar implementar, numa cidade carente de tudo, um programa social de TRATAMENTO dw viciado, como na cracolândia

      ..realmente  ..melhor eu ficar por aqui e não falar do LIXO que se transformou o centro da cidade  ..ou dos buracos que as regionais deixaram espalhados (embora aqui acho que foi terrorismo destes funcionários públicos que gravitando como moscas o mel, nunca mudam independente da facção eleita)

      • Nova roupagem ou a mesma de antes, mas mais transparente?

         

        Romanelli (sexta-feira, 17/02/2017 às 10:18),

        Você era mais presente aqui em tempos passados. Naquela época eu tinha você como alguém de esquerda com ideias que para mim eram equivocadas. Agora você me reaparece com uma cantilena que lembra as catilinárias da direita.

        O que aconteceu? No período de ausência – a menos que você esteve presente como um anônimo – você andou fazendo algum retiro ideológico que transformou totalmente suas ideeias, ou já naquela época as suas idéias eram as mesmas de hoje?

        Eu, se fosse você, as mudaria.

        Clever Mendes de OIiveira

        BH, 18/02/2017

    • A direita está atraindo a classe média a passos largos…

      A direita está atraindo a classe média a passos largos. É melhor tomar muito cuidado com 2018. Discursos chauvinistas só funcionam com quem já é convertido. A esquerda e  o PT superestimam o poder que possuem. 2018 pode terminar como as eleições 2016 que elegeu políticos como Dória, Greca, Kalil e Crivela…

    • Bem meu caro Wilton,é a chapa

      Bem meu caro Wilton,é a chapa dos sonhos de muita gente boa.Se você fizesse uma pequena inversão,acertaria na mosca.

  35. Grande Maranhão

    Com o perdão dos maranhenses, o Brasil se tornou um grande Maranhão sarneysiano.

    Todos os comentários pressupõem a persistencia da normalidade democrática, com insituições funionando, e com bom senso funcionando de peso e contrapeso. Isso já não é mais real.  É claro que com os atuais atores e com a legisação vigente, o país é ingovernável seja com Lula ou com qualquer outro messias ou salvador da pátria.

    Não vejo com o país sair desse “maranhismo” sem uma ruptura. Se o candidato eleito (se deixarem) assumir, ele tem de imediatamente romper e obliterar as estruturas que levaram o país a ser este grande Maranhão sarneysiano. Pelo jogo atual só poderá concretizar sua pesidencia se tiver 1) uma votação avassaladora e 2) o congresso na mão e muito obediente. Esses dois em aliança: Varrem a podridão do STF, a PGR, a Globo.

    De Maranhão sarneysiano, passaremos a uma Venezuela chavista.

  36. Gigantesco deboche oficial

     

    Nesse excelente artigo “Xadrez da contagem regressiva para 20128”, o Jornalista Luis Nassif, foca análise em importantes agentes integrantes do desmonte da economia do Brasil, cruelmente capitaneada pelos golpistas, incompetentes e traidores da Pátria. Que aos olhos do povo, politicamente ignorante e acostumado com a abundância de alternativas e de empregos dos tempos dos governos Lula/PT e Dilma/PT – depara agora as duras penas – com o brusco fim das oportunidades e do amplo emprego, com variadas ações visando supressão de sagrados direitos adquiridos. Depara também, com muitas inseguranças e incertezas, inclusive, para com o futuro de seus filhos. Tudo isso e muito mais, diante de impunes corrupções de poderosos golpistas, acima das leis, livres, ricos e alegres. Gigantesco deboche oficial. 

  37. O PT representativo não

    O PT representativo não representa mais. Quando concorre, perde. Não concorrendo se une até com o DEM em troca de carguinhos em mesas. Pergunte ao Rodrigo Maia quem tem dúvida. O PT militante está quieto, por prudência. O mesmo acontece com o povão não petista. Eu mesmo já critiquei essa inanicão, tipo “vamos às ruas”, “povo alienado”, “anestesiados pela Globo”, etc. etc.. Só que as ruas não dão comida, que mesmo de pior qualidade, ainda chega. Greve ? É uma poderosa arma se o país não está em recessão. Hoje seria uma boa justificativa para os empresários demitirem mais do que já estão fazendo e teriam apoio do judiciário, partícipe do golpe. Mas a prudência que ainda mantém a paz será dissolvida a medida em que forem sendo implementadas as políticas anti-sociais e comece a “fartura” de alimentos. Nesse cenário mesmo que haja eleicões, não seja alijado, queira se candidatar e ganhe, o que  poderá fazer Lula ? Presidencialismo de coalizão de novo ? Com Jucás, Renans, Eunicios e Agripinos e bencão da Globo ? Quantos deputados e senadores o PT elegerá ? Ganhará com 90% e terá a forca popular para governar ou será com 51% ? O mais provável é que chegaremos a paz do Espírito Santo. Convulsão social, exército nas ruas, deposicão do presidente para salvar a democracia, o país, manter a ordem, etc.,etc,…Se Lula não for eleito o Espírito Santo chegará mais rápido e se o eleito for Bolsonaro o Exército já vem junto. Por ignorância, por ingenuidade, nunca concordei com o tal Pacto cantado em prosa e verso pelo Nassif. Hoje penso diferente. Por terem exercido o cargo, não só eles, mas com eles, em pessoa ou representados, sentados a uma mesa: Sarney, Collor, FHC, Lula e Dilma. O Pacto ou o sangue, os porões, as trevas.

  38. Acho que agora o GGN podia

    Acho que agora o GGN podia fazer um “powerpoint” referente as eleições de 2018 em que todas as setas apontam pra Lula. rsrsrs

  39. Subestimar o PSDB

    Mesma coisa aconteceu na eleição municipal de São Paulo… Dória tinha 8% em agosto… Pesquisa agora não quer dizer nada, Lula com 99,9% estará inabilitado a concorrer já no segundo semestre(condenação por Moro e TRF) ou estará preso.

    Esse golpe não foi dado para perderem em 2018, Bolsonaro não terá estrutura nem tempo de TV, será massacrado, na esquerda ninguém é viável. O PSDB vai eleger o presidente e acredito que ele se chama Alckmin. Caso Alckmin e Aécio estejam impopulares a solução Dória será colocada em prática.

    A Lava Jato só existe até condenar Lula em 2a instancia ou prende-lo.

    Subestimar o PSDB é ingenuidade… a eleição está ganha para eles.

     

     

     

    • bem observado ..o golpe não

      bem observado ..o golpe não foi dado pra eles perderem, afinal, O PSDB esta no comando e sem votos, tendo perdido nas urnas

      ..se não conseguirem, os tucanos tem plano B, C, D etc

      Aliás, duvida  ..tudo nesta terra de Maria virou propina ..cretinos criminalizaram a RAZÂO da política (o toma lá da cá SIM) ..até apoio LEGÌTIMO por simpatia, projetos e/ou idéias, compromissos,  virou crime

      ..emtão, e o apoio do ITAU a Marina, aquilo era namoro, amizade ou bigamia ?  ..não vejo ninguém falar nada a respeito 

    • Concordo

      Concordo com o colegal.

      Lembro que na reeleição de Dilma foi vaticinado aqui no blog que estávamos próximos do fim do PSDB. Naquela ocasião, de acordo com diversas pesquisas de opinião, Aécio ficaria fora do segundo turno. Não apenas foi para o segundo turno, mas a diferença de votos entre Dilma e o tucano foi pequena.

      Como lembrado pelo colega, Dória foi um fenômeno parecido. 

      Pensar no fim  de partidos como o PT e o PSDB, que nos últimos anos foram os fiéis da balança na política nacional, é um equívoco. Tais partidos podem sofrer perdas consideráveis, mas fatalmente conseguirão se recuperar.

      Trata-se do que alguns teóricos chamam de trajetória da dependência (path dependence). 

      Esse jogo partidário (PT x PSDB) continuará por muito tempo o mesmo. Será preciso muitos Moros, Janots, Mendes, etc, para que algo seja alterado estruturamente.

    • Subestimar o PSDB… e a Globo?

      Em grande parte, o post é irrepreensível. Mas discordo quando coloca Alckmin à frente, ele é um político cuja base é estática, o interior de SP. Não tem cacife para almejar chefia do Executivo, mesmo tendo a esperteza malazartiana de dominar pelas bordas o PSDB paulista. Mas o Brasil é outra hstória, para isto o cacife necessário é sempre outro.

      Qual? A saber, a benedição dos meios de comunicação de massa, leia-se veículos da grande imprensa e Organizações Globo. Não adianta milhares de teses sobre como a internet está diminuindo a audiência destes veículos, para decidir o rumo da política brasileira tem de ter acesso à população iletrada e majoritária, para implantar-lhe a idéia que deve vencer. Questão simples: em uma comunidade pobre há mais computadores ou televisores? Pois é, na classe média poder-se-ia pensar no impacto da internet, mas ela ainda é embrionária na sociedade empobrecida do Brasil. Ali, instrução é o que se aprende vendo JN e novelas, ouvindo as “vozes críticas” dos apresentadores de auditório milionários que são “do bem”, pois ajudam os pobres a ganharem um avião de prêmios, a reformar seu carro velho, etc. Aí não tem erro, basta olhar para os polegares destes senhores da opinião nacional e ver se estão pra cima ou para baixo. Só os ungidos receberão a dádiva.

      Dito isto, penso que estes veículos estão, quase unanimemente, com rota traçada para favorecer a direita financeira neoliberal representada zelosamente pelo PSDB. Hoje, ela está mal representada por Aécio, mas não vejo nada que uma campanha maciça de factóides positivos e bombardeio de viés unívoco não possa reverter. Principalmente se ocorrer sobre terra arrasada, com Lula preso (impedido de candidatar-se não basta, precisa demolir o mito senão ele escolhe alguém para ganhar em seu lugar). Tirando o mito Lula, não há mais ninguém com força para tentar bater de frente com a opinião publicada. Nem mesmo o político Lula. O resto da esquerda é letra-morta, não vale um cibazol. Aliás, houvesse uma chance concreta de vencer novamente uma eleição, começariam a brigar nos bastidores desde agora. Se hipoteticamente Lula pudesse concorrer, seu maior problema viria deste “fogo-amigo”.

      Acho que o sonho de consumo dos fabricantes de feitores de escravos da Nação será um segundo turno entre a direita neoliberal (aecista? morolista?) e a extrema-direita, a exemplo do que vem ocorrendo no mundo desenvolvido. Bolsonaro já atingiu o teto eleitoral, mas começa-se a falar de um perigo real, a possibilidade dos neopentecostais apresentarem finalmente uma candidatura viável, talvez oriunda do mundo Jurídico. Isto daria a um vencedor tucano o polimento “ético” desejado por uma votação grandiosa, a exemplo de Jacques Chirac, eleito com mais votos do que jamais teria na vida, frente à perspectiva de uma vitória de Jean-Marie Le Pen. Já imaginou ter de votar massivamente em Aécio para evitar algo ainda pior? Pois vejo cada vez mais provável que tal pesadelo aconteça. E aí concordo com o Nassif, o jogo já está em curso. Façam suas apostas!

  40. Não há duvida sobre 2018.

    Não há duvida sobre 2018. Lula virá enorme, do tamanho do brasil e nada o segurará – um tsunami de votos.

    Mas falta muito ainda. A luta hj é pela anulação do impeachment. retorno de Dilma vana a seu local merecido. Aprendamos a lutar nesse campo. a batalha ocorre todo dia. Golpistas ridicualrizados e envergohados junto a todas suas familias,

    sem crime, sem impeachment.

    O carnaval se aproxima e as ruas cantarão:  oleee olê olê oláaaaaa, voltaaaaa DILMAAAAA!

    o povo é a chave. o poder nasce em cada um de nós. abriremos os portões.Não

    vai levar 21 anos de novo.

     

    Pro corrigir, reDILMA-se!

  41. Mas já começou 2018 Nassif ?
    Mas já começou 2018 Nassif ? Estamos em fevereiro!Não está muito à frente ?Cuidado para não se empolgar com as análises !!

    • Comentário nada a ver,o
      Comentário nada a ver,o próprio título diz,CONTAGEM regressiva para 2018,não quer dizer q já chegoueu q se empolguei !

  42. Teem-se nesse imbróglio

    Teem-se nesse imbróglio todo,uma pergunta que merece ser respondida.Se se a marcação cerrada,sem treguas e sem garapa,sobre o Ministro Barroso se caracteriza por má conduta e desvio de função,tenho o sagrado direito de saber uma bobagenzinha.E a carcereira Carmen Lucia?E o boca-rota Gilmar Mendes?E o Juiz de merda Celso de Melo?E o que mata no peito,dá um banho de cuia e joga para dentro,e no recreio,toca guitarra,Luiz Fux?E o pueril pedinte de favores de Construtoras e colecionador de oculos,Dias Tofolli?E o diarreico Luiz Fachin?E o afrouxado Ricardo Lewandowski?E a que disse que não tinha provas,mas tinha o direito de condenar,Rosa Weber?Esses avalizadores de Golpes,fazem exatamente o que de diferente do Ministro Barroso?Antes que anoiteça,devo informar que os advogados do Blog,são S T,Zé Guimaraes e Eduardo Outro.Assim sendo,nem vem que não tem.

    • Idade chegando memória
      Idade chegando memória falhando.E o Ministro Teori Zavaski,in memurium,que só colocou Eduardo Cunha no Xadrez,diferente daquele que aqui pousa diariamente,depois que lhe entregou a encomenda?

  43. A guerra assimétrica já conta

    A guerra assimétrica já conta com um filme global às vesperas da eleição “ensinando ao povo quem são os mocinhos e os bandidos”. Nunca antes nesse país um fato jurídico que virou um fato político que virará um fato histórico foi filmado com tanta precocidade. Será que querem induzir o desfecho? Pode isso, Arnaldo? 

  44. Emblemas do caos de 2018

    Caro Nassif,

     

    Conversando com um cidadão dos EUA pela Internet, de perfil liberal e ativista político, ele me contava que uma grande preocupação de muitos como ele é o extraordinário poder da comunidade de inteligência norte-americana, a qual assume a condição de Estado dentro do Estado, controlando tudo e todos “em nome da segurança nacional”. Ele tem elementos (segundo afirmação que me fez) para supor que essa comunidade poderá levar Trump à renúncia já no próximo ano! O vazamento recente de informações que levaram um importante assessor a ser afastado por ter feito contatos com a embaixada russa muito antes das eleições é, segundo esse conhecido, a primeira “tacada” (first strike). A conferir!

    Por aqui, recebo informações de que o Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, está em estado permanente de guerra civil! Na guerra entre a polícia/milícia e os traficantes, além do tiroteio incessante (já dura um mês, com breves pausas), pessoas estão assistindo, completamente impotentes, policiais a paisana invadirem suas casas, destruirem tudo, fazerem buracos nas paredes para poder alvejar “os bandidos” em posições estratégicas, além de consumirem tudo (alimentos, bebidas, etc.) que encontram. É óbvio que nada disso aparece na grande mídia. Um desses moradores, que exerce um papel de liderança, já não tem qualquer esperança de ação do poder público para fazer com que essa situação de terror tenha um fim. O que resta a fazer, então? A guerra, a guerra, ele diz, já que muitos moradores percebem que “precisam” de uma arma para defender a si e aos seus.

    E lá nos rincões distantes? Índios guarani expulsos de suas terras por jagunços a serviço de latifundiários e muito mais…

     

     

  45. Xadrez da contagem regressiva para 2018

    esta é uma contagem regressiva  para um futuro que nunca existirá. 2018 continua para sempre um ano longe demais. uma visão de futuro cujo único projeto é uma volta impossível ao passado.

    não haverá retorno ao paraíso perdido do big-bang das commodities.

    a economia mundial está à beira de um novo colapso, desta vez provocado pela crise da dívida privada na China.

    nenhum país pode se desenvolver mantendo-se como exportador de matéria-prima.

    a mudança climática se agrava em todo o planeta. no Brasil, a ponta deste iceberg é a crise hídrica  e em sua camada mais profunda há uma epidemia de distúrbios do sono.

    a representação política faliu. por um lado, uma Direita sem qualquer pudor em ser canalha, do outro uma Ex-querda pelega e perdida. nós no meio desse nó, sem ninguém mais saber como desatá-lo.

    a plutocracia brasileira forjou as condições para o impensável. já não haverá nenhuma retomada da economia, a não ser pela aplicações das duras, necessárias e inadiáveis “medidas populares”. fazer o grande capital pagar a conta de uma crise gerada por ele e só a ele beneficiando.

    tanto no mundo quanto no Brasil precisamos de um novo Breton Woods. estamos todos entre Roosevelt ou Hitler x Stálin.

    corremos o alto risco de um Trump tupiniquim. mas nenhum Capitão Bolsonaro se encaixa no perfil. menos ainda Dória. tampouco Mouros, Jobims e assemelhados. nem mesmo alguém saído do fundamentalismo religioso.

    mas pode até ser um general preparado, ponderado, inteligente e carismático. um novo Geisel, mas com apelo popular e bandeira nacionalista.

    de um jeito ou de outro, por bem ou por mal, assim como nos EUA o pântano precisa ser drenado, no Brasil não chegaremos a lugar algum sem dragar este atoleiro.

    .

    • Há mais além da direita canalha, da ex-querda pelega e de nós

       

      Arkx (sexta-feira, 17/02/2017 às 15:53),

      Temos discutido muito ultimamente e ao que me parece nem eu sei o que você quis dizer nem você parece compreender o que eu tenho dito. Uso a frase que transcrevo a seguir e que eu tomo como o cerne do seu entendimento sobre a realidade política e que me parece imprecisa e equivocada. Você diz:

      “a representação política faliu. por um lado, uma Direita sem qualquer pudor em ser canalha, do outro uma Ex-querda pelega e perdida. nós no meio desse nó, sem ninguém mais saber como desatá-lo”.

      Primeiro eu considero que você não é bem preciso na sua frase. Você estaria tratando o Brasil com exclusividade ou você está referindo à realidade mundial em que no seu entendimento a representação política faliu, em que a direita é canalha às escâncaras e a ex-querda é pelega e perdida. E você complementa dizendo que “nós [estamos] [a concordância é mais com o pronome que você utilizou embora eu não me considere nem da direita canalha nem da ex-querda pelega e perdida] no meio desse nó, sem ninguém mais saber como desatá-lo”.

      Precisando, entretanto, a sua afirmação, seja para a realidade política mundial, seja para a realidade política brasileira, eu considero a sua afirmação equivocada porque avalio que o instituto da representação, a menos que a direita tenha força suficiente para apropriar-se com exclusividade dele, deverá permanecer por séculos. A representação não faliu. Ela é apenas disfuncional e a disfuncionalidade da representação político-democrática é diretamente proporcional a desigualdade social e econômica dentro de uma realidade política nacional qualquer. Quanto menos desigual um país, mais funcional é a democracia representativa.

      E avalio também que você nos (Mais uma vez usei a mesma pessoa pronominal porque não me incluo nas duas outras opções que você apresenta) superestima nos parágrafos seguintes ao mostrar capacidades que nós, que nos colocamos entre a Direita Canalha e a Ex-querda Pelega e Perdida, teríamos para alterar a realidade político democrática.

      A direita canalha é muito grande e, dada a disfuncionalidade da representação político democrática em uma economia capitalista, ela se agiganta. E o inverso ocorre com a ex-querda pelega e perdida que, diante da disfuncionalidade da representação político democrática em um pais de grande desigualdade de renda, encolhe-se.

      E ainda mais, é importante perceber que, incluindo-me ou não nele, o “nós no meio desse nó, sem ninguém mais saber como desatá-lo” e uma fração imperceptível espremida entre os outros dois grupos, esses sim com percentual mais expressivo na representação.

      Então o cerne da nossa discordância é que eu não considero a representação falida. Eu avalio como necessário todo esforço em direção ao aperfeiçoamento da representação político democrática. Aperfeiçoar não só o instituo em si como também mecanismos que combatam a disfuncionalidade da representação, ou seja, que combatam a desigualdade social e econômica.

      Para mim, considerar a representação política como falida leva ao anacoretismo para aqueles que percebam a dificuldade de se realizar alterações profundas na realidade a partir de um grupo de expressão tão diminuta. Ao se perceberem ínfimos e inermes optam pela solidão e afastamento social.

      De todo modo, eu me disponho a mudar de opinião se você apresentar algum país no mundo democrático ocidental onde já se tenha chegado à conclusão de que a representação faliu. Salvo se a declaração de morte da representação tenha sido dita pela direita canalha ou pela ex-querda pelega e perdida.

      Enfim se na sua frase que eu reproduzi você quis dizer o que eu expressei no meu comentário, eu considero que você está equivocado.

      E lembrar que o quadro “Commodities – Media Geral” é muito bom. Para o entendimento da nossa realidade mais recente seria necessário um detalhamento mensal a partir de 2008. O Brasil terá vivido duas experiências distintas. A primeira ligada ao períodos de 2009 e 2010 e a segunda a partir de 2011. Ao detalhar por mês e ao fazer o detalhamento colocar ao lado dados relativamente a algumas moedas como a do Brasil, da Rússia e da África do Sul, vai-se perceber uma relação muito grande dos preços das commodities com as crises cambiais que as moedas dos países mencionados atravessaram, principalmente de 2013 até dezembro de 2015.

      De dezembro de 2015 em diante, as commodities param de cair e o que surge como um grande problema é a promessa de dar continuidade, em quatro etapas durante 2016, à elevação da taxa de juros do prime rate pelo Fed. Promessa que não se realizou e que permitiu que ao longo de 2016 as moedas de periferia que haviam despencados em janeiro de 2016 se recuperassem, sendo que os países que se encontravam em situação mais estável foram capazes de criar mecanismos de controle cambial para impedir uma valorização maior da sua moeda.

      Clever Mendes de Oliveira

      BH, 18/02/2017

  46. Não é o Brasil, é o mundo

    A Guerra Fria está de volta. EUA / OTAN vs China / Rússia. Com um tremendo agravante: tanto um como outro são hoje muito mais poderosos, economicamente, do que a URSS, quando a primeira GF começou. Aliás, a União Soviética vinha de uma guerra em que, exceto as indústrias pesadas e ligadas à guerra, tudo o mais havia sido mobilizado para o esforço de combate, e o capital excasseava, violentamente consumido pela guerra.

    Os EUA diuturnamente proclamam, por seus altos funcionários, políticos e grandes líderes empresariais, que são e não pretendem deixar de ser “líderes” (entenda-se donos) do mundo, e que quem se opõe a isso é inimigo. Tolamente, o PT, Lula, Dilma e boa parte das esquerdas acharam que podiam ajudar a construir a multipolaridade do mundo e que os americanos seriam complacentes com um governo a um só tempo esquerdista e independentista. E não prestaram atenção aos sinais mais do que claros do que já vinha ocorrendo em toda América Latina e em outras partes do mundo. Depois da derrubada do Lugo, o PT deveria ter partido para uma ofensiva para desmontar o oligopólio midiático, acabar com a enorme concentração de poder em algumas poucas empresas e diminuir a penetração, pela via da oferta de alternativas nacionais e limitação de banda (para tornar menos atrativos) para serviços de “rede social” estrangeiros, fulcro de vários golpes em outros países. Não se trata de impor censura, mas simplesmente retirar de empresas estrangeiras o poder de influenciar na opinião pública nacional, porque é sabido que Facebook e outros são extremamente lenientes com falsas notícias oriundas da direita, e nem tanto assim quando a origem é a esquerda.

    O Brasil é uma pedra importante no Xadrez da II Guerra Fria. E novamente nós seremos massacrados, como 50 atrás, porque, como naquela época, nós da esquerda avaliamos o cenário interno e externo equivocadamente. 

    “…Será que nunca faremos senão confirmar

    A incompetência da América católica

    Que sempre precisará de ridículos tiranosSerá, será, que será?Que será, que será?Será que esta minha estúpida retóricaTerá que soar, terá que se ouvirPor mais zil anos… …Ou então cada paisano e cada capatazCom sua burrice fará jorrar sangue demaisNos pantanais, nas cidadesCaatingas e nos gerais…” ?

  47. Para onde?

    Nassif,

    O que a Lava Jato destruiu de fato? A reunião entre empreiteiras e administração pública representava um das maiores redes de poder no país, ligada também ao setor de óleo e gás, e isso foi desarticulado pela força tarefa.

    Mas as outras redes de influência e poder continuam operando, como os bancos, os planos de saúde, os grupos de educação, o setor agropecuário, etc. O governo está desconjuntado, o que faz do momento uma oportunidade para a realização de interesses setoriais em detrimento de uma visão abrangente.

    Em um cenário negativo (porque o Brasil de hoje tem importância geopolítica para o Ocidente pela questão energética), a disfunção institucional tende ser intensificada. Isso se traduz em termos sociais (violência, desmonte de serviços públicos) e políticos. No último caso, Bolsonaro será uma escolha ideal – colocar mais lenha no fogo.

    A estratégia é minar o país de tal forma que se perca a capacidade de gerir os próprios recursos naturais.

  48. O povo

    Nassif é bom em xadrez. Já deu pra perceber. Mas neste daqui faltou uma peça que pode mudar o jogo. O POVO.

    Nosso povo é muito passivo. Aceita tudo bovinamente. Mas, com o que este (des)doverno vem promovendo e prometendo, não me assustaria se o povo começasse a se mexer. Lentamente, é bem a verdade! Mas é o povo quem dirá o futuro a partir de 2018. Ciro Gomes? Com a sua retórica do enfrentamento? Lula? Mesmo desgastado por tantos anos figurando nas páginas policiciais dos jornalões não terá tantas condições de ser o conciliador como no seu primeiro mandato. Marina Silva? Muito sem sal. E o povo, com todo o perdão das mulheres que leem este comentario, anda meio que desconfiado de um um governo feminino depois de Dilma. Aécio? Não tem moral nem em Minas. Com tantas delações, na hora H vai aparecer aquele podre que falatava para jogar a pá de cal na história deste mineiroca. José Serra e Alckimim? Nem com muito botox e maquiagem da grande mídia conseguem convencer o resto do país.

    Eu deposito minhas fichas em Roberto Requião se ele conseguir viabilizar sua candidatura. É um nome de centro, de coalisão que deve conseguir unir o país.

  49. Um grande lider

    Com toda esta confusão e desmoralização e destruição do país só restará colocar, quer queiram ou não queiram, um grande e excepcional político em ação. Um lider natural e poderoso. Um super político. Tem algum?

    Caso contrário continuará o terrível “depois do golpe o caos”, como  previsto.e confirmado, rumo a desgraça.. 

    Teremos que suplicar que o LULA pegue este abaxaxi. É o único com a capacidade, e que capacidade, de levantar de volta o país. 

    Se quisermos, 2018 pode ser a salvação., 

  50. O mundo político já entendeu,

    O mundo político já entendeu, falta convencer o playboy irresponsável de Minas, que só Lula pode unificar o país, senão vamos para a sabotagem total, para o conflito velado, para as trairagens e por fim para uma guerra fria civil.

    Mas antes eles tem de vender o Brasil.

    Lula 2018. É o povo de novo.

  51. Organizadores da esquerda?

    “Desde a AP 470, as melhores cabeças do PT foram guilhotinadas pela ação política do Ministério Público Federal com a mídia. Hoje, se tem um partido aos pedaços, sem fôlego e legitimidade para cumprir o papel de organizador das esquerdas.”    –   (Peça 6 intem 4 Fim do PT)

    O PT gosta de supervalorizar seus “prejuizos”. A AP 470 penalizou José Dirceu, Genoino, JP Cunha, Delubio e Silvinho Land Rover. A Lavajato condenou José Dirceu e André Vargas e mantém presos Antonio Palocci e Paulo Ferreira. E mais ninguem do PT por enquanto.

    Dos 8 (OITO) petistas, 3 (TRÊS) são relevantes: Dirceu, Genoino e Palocci. Os restantes (CINCO) são coadjuvantes de 5ª categoria. Esse nº não demonstra punição preferencial ao Partido.

    Afirmar que aí estão as melhores cabeças é um exagero desmoralizante para o próprio PT ou significa que o PT não tem é ninguem e, no fundo, vive da imagem e carisma de Lula.

     

    • Já os verdadeiramente

      Já os verdadeiramente corruptos, seus amigos de partido, o PSDB, estão todos numa boa, o Serra com seus 23 milhões de reais na Suiça, pode dormir tranquilo, pois tá tudo dominado. 

  52. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome