Xadrez da Lava Jato contra Darth Vader

A estratégia do governo interino está cada vez mais clara. É uma estratégia de assalto aos cofres públicos, com dois movimentos devidamente agendados no tempo: no primeiro, este ano, saca-se contra o presente na esperança de, no segundo movimento, pagar a conta na forma de redução dos gastos com educação e saúde.

Peça 1 – Saque contra o presente

É um conjunto de medidas que pressionarão ainda mais a dívida pública.

Assalto ao orçamento

No caso do mundo político, a ampliação do déficit público para garantir as emendas individuais dos parlamentares – aquelas em que eles apresentam o projeto a ser bancado e o dinheiro já vem carimbado – em detrimento dos projetos em que os beneficiários são difusos. Ressalva apenas para o Bolsa Família, por conta dos seus impactos nas eleições municipais especialmente do Nordeste.

Segundo reportagem de Gustavo Patu e Daniele lima, da Folha (http://goo.gl/r0mgcc),  apenas em junho foram destinados R$ 669 milhões para emendas parlamentares individuais, contra R$ 57 milhões de junho do ano passado.  A estratégia do governo interino é liberar de R$ 3 milhões a R$ 4 milhões para cada parlamentar pavimentar as próximas eleições municipais.

Assalto à dívida pública

Para o mercado, a desaceleração da queda da taxa Selic e a volta do binômio juros altos-câmbio baixo. Ainda conseguirão legitimar as propostas de auditoria da dívida interna.

Assalto na privatização

Nos negócios privados, uma privatização a toque de caixa, queima a seco, sem nenhuma estratégia de valorização prévia dos ativos ou de visão estratégica setorial. Esse modelo está sendo acelerado com o projeto de lei Tasso Jereissati – praticamente impedindo a recuperação de empresas em dificuldades – e a tentativa da equipe econômica de retirar os direitos trabalhistas da relação de credores preferenciais, em caso de venda de ativos.

Peça central desse jogo é o fim do sistema de partilha no pré-sal, a maior tacada do período.

O nível de atividade

A apreciação do câmbio abortará a recuperação da indústria via exportações. Em contrapartida, barateará as importações, ajudando a controlar a inflação. Isso, mais alguma distensão nos gastos públicos, trará algum alívio na frente econômica nos próximos meses. Repete-se pela enésima vez o populismo cambial das eras FHC, Lula e Dilma, com um novo voo de galinha da economia.

Leia também:  Juiz entende que MPF adulterou diálogos entre Temer e Joesley e absolve ex-presidente

Peça 2 – saque contra o futuro

Em troca dessas liberalidades, a encomenda a ser entregue é o tal limite para gastos orçamentários que, na prática, significará congelar o orçamento nos mais baixos níveis de gastos das últimas décadas, impedindo até a recuperação futura, com a volta do crescimento do PIB. E também medidas irreversíveis em relação ao pré-sal, à Petrobras e às empresas públicas.

Para que os investidores acreditem na promessa, ela terá que ser viável no longo prazo, resistir a eleições e a pressões da população sobre seus parlamentares, resistir à falta de legitimidade e às denúncias contra o governo interino.

E garantir isso, quem há de?

Há dois imensos desafios pela frente: as investigações da Lava Jato e as eleições de 2018.

Peça 3 – as vulnerabilidades da turma de Temer.

A mídia anda sempre em um fio da navalha, entre a instrumentalização da notícia e a credibilidade perante seus leitores. Nas últimas décadas a mídia atravessou inúmeras vezes a linha vermelha. Mas nada embute risco maior do que fechar os olhos às manobras dos atuais inquilinos do poder. Ainda mais devido ao fato de terem sido alçados ao comando do país por uma cruzada supostamente moralizadora.

Numa ponta, há o apoio ao governo interino. Na outra, o olhar vigilante de seus leitores. Entre ambos, as verbas da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência da República). Quanto custa colocar a credibilidade em risco? Uma coisa era manipular a credibilidade para algo simpático aos olhos dos leitores: a demonização do PT. Outra, distinta, é arriscar a ser vista como cúmplice do grupo de Temer.

Por enquanto, a estratégia tem sido de soltar um ou outro petardo, mas sem insistir na cobrança. Depois, conceder um período de graça aos suspeitos.

Leia também:  Como a Lava Jato inventou uma segunda pena para prender Lula, por Luis Nassif

É o caso de Eliseu Padilha. Desde que se tornou o dono do cofre mais cobiçado – as verbas publicitárias de todas as estatais – passou a ser poupado pela mídia. Mas é tão notoriamente suspeito que chegará o momento que a mídia não poderá mais deixar passar em branco as denúncias. Principalmente porque, na outra ponta, há a parceria com a Lava Jato, que não parece disposta a refluir contra o PMDB, mesmo após a queda da Dilma.

Peça 4: o fator Lava Jato

O embate entre o establishment e a Lava Jato foi bem descrito pelo cientista político Marcos Nobre em artigo no Valor (http://goo.gl/wj4hjD).

1.      O primeiro ataque foi do Procurador Geral da República Rodrigo Janot, com a divulgação dos grampos de Sérgio Machado comprometendo toda a cúpula do PMDB.

2.      Com a negativa do STF de autorizar as prisões – e a constatação de que Janot tinha pouco a apresentar além das conversas grampeadas – houve o contra-ataque e a tentativa de pedir seu impedimento, além do projeto de lei visando penalizar quem der início à persecução penal sem justa causa e a retirada da urgência das dez medidas do Ministério Público contra a corrupção.

3.      A reação foi a operação de São Paulo ordenando a prisão de várias pessoas, dentre as quais o ex-Ministro Paulo Bernardo.

4.      O establishment reagiu com a decisão do Ministro Dias Toffoli de ordenar a libertação de Bernardo, acusando a Polícia Federal de ter invadido a casa de uma senadora, com foro privilegiado. Limitar a possibilidade de se decretar a prisão de pessoas sem privilégio de foro significa inibir ainda mais a possibilidade de prender pessoas com privilégio de foro.

5.      Novo contra-ataque na última operação, com a prisão de pessoas que haviam sido detidas na operação anterior e artigos na imprensa de procuradores da Lava Jato desancando Toffoli.

Peça 5 – o fator Darth Vader

A participação de Toffoli revela que a reação contra a Lava Jato tem sido liderada, fundamentalmente, pelo Ministro Gilmar Mendes. Toffoli jamais ousaria uma medida com tal repercussão política, se não tivesse o endosso total de seu guru.

Leia também:  Educação não pode ser vista como panaceia para acabar com a desigualdade

O jantar de terça feira passada, entre Gilmar, Temer, o Ministro João Otávio de Noronha (do STJ, Dias Toffoli, José Serra e Aécio Neves, provavelmente teve mais ingredientes do que acepipes e vinhos finos.

Dentre todos os personagens do mundo político e jurídico tucanos, apenas Gilmar tem peito e fôlego para as grandes jogadas táticas.

Não se surpreenda se, proximamente, a Lava Jato ingressar na sua guerra final contra o Darth Vader – como Gilmar é tratado em alguns círculos do Ministério Público.

Peça 6 – o fator Temer

A cada dia que passa, mais o interino Michel Temer é picado pela mosca azul. O curto período de interinato mostrou uma personalidade volátil , que caminha conduzida pelos ventos do momento.

A exaustão com a crise o fortalece no meio empresarial e midiático. É a velha máxima do ruim com ele, pior sem ele. A consolidação de Temer passa, inevitavelmente, por jogar ao mar sua velha turma e se aproximar cada vez mais do figurino PSDB. É nesse contexto que o jantar de terça fica repleto de significados.

Esse aggiornamento de Temer não se dará sem sangue e ranger de dentes. Eduardo Cunha continua sendo uma bomba ambulante. E alguns movimentos recentes de Romero Jucá – tentando defender Janot das arremetidas de Renan – indicam que já estão sentindo o óleo sendo esquentado na frigideira.

E aí se chega à incógnita de 2018, com os limites de gastos surtindo efeito nos serviços da saúde, educação, segurança; e com a recuperação econômica mais uma vez sendo vôo de galinha, abortado pela apreciação cambial e pela manutenção da política monetária de Ilan Golfjan. Será provavelmente vitoriosa a candidatura que basear sua plataforma no desmonte dos malfeitos do período.

Quem paga a aposta?

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

45 comentários

  1. reitero sugestão pro Blog (que já tinha feito pelo Contato GGN)

    uma campanha (fixa) de contribuições financeiras mais ou menos parecida com, p. ex., a de Socialista Morena, a de Outras Palavras/Outras Mídias, etc. etc Também porque, para visitantes, muito tempo passa até a Moderação liberar ou não uma postagem, certamente por necessidade de mais pessoal estagiário, equipe, etc. Ponho aqui somente porque me parece que pelo Contato não se tem nenhuma sinalização (Fico mais na seçao diária Multimidia do Dia – que o pessoal participante bem que poderia frequentar e prestigiar mais). Lamento que meu pedido de recadastramento tenha sido recusado, mesmo eu estando me vigiando pra não fugir ou contrariar do que me parece ser a linha editorial (nalgumas) seções estritamente políticas (mea culpa por passadas gafes e impropriedades).

  2. Falencia Total

    Estamos a poucos pasos da falencia total de insttuições publicas. O povo literalmente ja passa fome, endividaddos ao extremo, sem esperanças e sem pilastras istitucionais atantes para se apoiar neste momento tão extremo e dificil.

    Temos que deixar de reclamar em BLOG´s e Paginas da NET porque isso não irá resolver nossso problemas, por isso peço encarecidamente que LEIAs Minha petição, assinem e divulguem, o tempo é curto pata tanta cois que se deve fazer antes que caiamos no precipicio que se anucia. Estamos literalmente entrando em colapso total, nas instituições, na politica e principalmente pelo povo que ja passa fome. Por favor, sem nenhuma intenção politica de minha parte LEIAM esta PETIÇÃO, Assinem, Participem e divulguem. Precisamos fazer algo mais real pelo país e deixar de somente reclamar em blpogs e paginas. Escolhi o Avaaz para divulgação, não dei se eles tem origem em algum partido mas isso não me interessa porque os fins são o que realmente importam.

     Ao STF e MPF: Vejam o padecimento do Povo deste paisPETIÇÃO DA MARCHA DA VERGONHA – POVO ENVERGONHADO (Transformando o Brasil em um país de Respeito) Elaboramos esta PETIÇÃO…SECURE.AVAAZ.ORG  

     

    • Fascismo?

      esta campanha tem pontos até piores que os do documento fascista “10 Medidas Contra Corrupção” do famigerado MPF…

      ruim. RUIM!

      Democracia e garantia à defesa, sempre! Pré-condenação, não!

      Já bastam os desmandos da #MidiaBandida e comparsas federais, estaduais, etc…

      :/

  3. bom, muito bom!

    Sou obrigado a concordar com Nassif.

    Como um pais como o nosso cai nas garras dessa gente!

    Tem algo muito errado!

  4. Eu penso que farão o golpe dentro do golpe:
    Eu penso que farão o golpe dentro do golpe:

    1) a saída de Temer no início do próximo ano;

    2) escolha, prevista em lei, pelo congresso, do presidente que substituirá a ausência da presidenta impintimada e do vice, que irá renunciar ou ser impedido;

    3) aprovação da unificação das eleições (municipais, estaduais, Federal) para 2020, eleições seguintes à deste ano;

    4) ainda dentro da reforma política, a proibição de reeleição (que aparentemente poderia dar credibilidade à eleição indireta do novo presidente da República) e a definição do prazo do mandato para cinco anos;

    5) ao novo presidente, eleito indiretamente pelo atual congresso conservador, estaria assegurado a realização do desmonte do Estado, e das conquistas trabalhistas e sociais, do início de 2017 à Janeiro de 2021, sem riscos de uma intercorrência provocada pela vontade do povo nas urnas.

    • Concordo.

      Bela proposta. Obs.: se a gente que não é golpista o que eles podem fazer, imagina que está no comando do Golpe.

      Acho que o Nassif se empolgou no final e esqueceu de considerar a possibilidade de não ter eleições em 2018*.

      O bom dessa proposta é que não precisa nem prender o Lula.

      *”Será provavelmente vitoriosa a candidatura que basear sua plataforma no desmonte dos malfeitos do período.”

      Lembram-se da história de que não haveria golpe. Pois é, agora acreditam que terá eleições presidenciais em 2018. Pelo andar da carruagem não terá.

      Não esqueçamos. Cético no pensamento e otimista na ação.

      Ou, como diria o ditado oriental, mesmo quando vai lutar contra a lebre o tigre usa toda sua força. E nesse caso, as forças democráticas estão lutando contra um mastodonte.

    • Infelizmente acho isso também

      Infelizmente acho isso também e aposto que estão preparando tudo pro serra. Minha única dúvida é se o usurpador será aguentado até o final do ano. Em condições normais, não.Mas do jeito que estão as coisas, devem lhe dar um refresco, ainda mais com eleição em outubro. 

  5. Pago apra ver se a Lava Jato

    Pago apra ver se a Lava Jato vai mesmo investir contra Gilmar Mendes. Duvido que o façam. Vejo notícias de procuradores e delegados querendo indiciar gente do STJ, principalmente um juiz que já concedeu habeas corpus para gente presa pela operação. mas daí a chegar em GM vai muito. Por outro lado, aqui mesmo no GGN já li notícias de mudanças de equipes de delegados ligadas à Lava Jato, logo depois da reunião entre o ministro da justiça e Sérgio Moro.

  6. Quando vejo falar sobre midia
    Quando vejo falar sobre midia e o risco que correm fico sem saber se fala do Brasil ou de um país escandinavo onde 2/3 da população tem ensino superior e a televisão é peça de decoração nas salas de estar.

    Não é tudo, óbvio que não. Boa parte da população instruída (com grau superior) tem o juízo crítico de um verme. Aqui, claro.

    Estudamos em faculdades particulares vendedoras de diplomas. Nossas melhores universidades – umas 4 ou 5 – estão em péssimas classificações.

    É corriqueiro encontrar dentre cidadãos com 20 ou mais anos de estudo leitores de revista Veja, ouvintes de Arnaldo Jabour, Diogo Mainard etc.

    São tolos pedantes.

    Temos aí, portanto, a já clássica distância acentuada entre dirigentes e dirigidos. O que acontece em Brasília, os parlamentares com suas verbas, por exemplo, 3% da população toma conhecimento.

    Outro ponto: se porventura um coxinha deixar de ler a Folha você acha que ele a trocará por quem? Pelo ggn?

    .

    Esse é um golpe pouco compreendido até por quem supostamente possui razoável perspicácia. Não há boas análises, mas chutes de partidários.

    .

    O país nunca foi estável, sólido, resiliente. Somos um barquinho à deriva no oceano, ou uma cabaninha mal construída na floresta.

    Quando faz sol nós todos nos divertimos aqui, na China, Bolívia, Russia. Todos incluem pobres pelo consumo. Todos incham suas classes médias.

    Aqui – outra prova da ignorância brutal – vira o enorme feito messiânico.

    Todavia, quando faz inverno é que se nota – ou se pode notar – o acanhado estágio de nossas condições, nosso barquinho furado, nossa cabaninha malequipada.

    O judiciário, por exemplo, com milhoes de processos a julgar, a cultura da tortura policial (a PM já é uma coisa estúpida), as dengues, os mega congestionamentos, 40% da população empregada informalmente, carga tributária altamente regressiva etc etc etc.

    Enfim, nosso passo civilizatorio vacilante, cruel, imbecil.

    Ps: Só uma pequena pista para os senhores: famílias riquíssimas e cheias de poder são frequentes na história de vários estados.

    Não passarmos por crises e revoltas capazes de reduzir um pouco de sua força explica mais da atual circunstância que muitos textos por aí.

  7. Não tem consistência

    Um golpe grosseiro como este e sob o comando da globo, que foi a esponsável irresponsável por tudo isso de crise e jogar para cima um turminha de gravata ingênua e imbecil, não merece comentários de continuidade.

    Fala-se do vento, do nada concreto, tentando achar coerencia em ações que nas e nunca tiveram coerência, nem por parte da globo, dona do desastre. A globo só perderá com este seu governo cunha/temer/gilmar.

    O caos se estabelece ante a não ação do stf e da não defesa da constituição. Todos perderão inclusive eles.

    Há que se desfazer o golpe. É a única solução.

  8. A politica economica está

    A politica economica está equivocada, incompleta e desalinhada com a atual situação financeira global. Politicas de austeridade a seco estão fora de moda na propria Europa, EUA e Japão. É preciso temperar austeridade com crescimento.

    Cortar desperdicios no orçamento federal, aliviar substancialmente a situação financeira dos Estados MAS exigir drastico corte dos orçamentos estaduais das Assembleias, só a de Minas gasta sozinha R$1,3 bilhões anuais, dos TJ, o do Rio tem metade do numero de desembargadores de São Paulo e a arrecadação é um quinto da de São Paulo, está obviamente inchado , auditoria nos contratos de terceieização pelo TCU, os TC estaduais devem ficar de fora, ao mesmo tempo jogar R$1 trilhão em obras publicas , acabar as mais de 1.000 inacabadas, colocar saeamento em no minimo 50 milhões de pessoas, no Brasil 110 milhões não tem sanemaento, mais 4 milhões de moradias, só ai alivia grande parte do desemprego.

    Um acordo de Livre Comercio e Investimentos com os EUA e Canada pode trazer 300 a 400 bilhões de dolares de investimentos novos para o Brasil, esse acordo pode incluir o Mercosul e o compromisso do Brasil de ser um ativo participante da solução da crise venezuelana, garanti com tudo isso uma linha de credito stand by do FMI-Banco Mundial de 200 bilhões, ai o crescimento do PIB vai a 8% ao ano nos proximos 4 anos.

    • Prezado André
      Faço alguns

      Prezado André

      Faço alguns comentários, a fim de complementar suas observações

       

      1 – A justiça brasileira é um ralo destampado: consome 1.3% do PIB (quase 90% do dinheiro so para pagar salários), tem mais servidores do que a média dos outros países; e agora também produz destruição, ao iniviabilizar empresas brasileiras (será que o wilileaks não mostra que alguns sujeitos, principalmente alguns juizes, são agentes da CIA). Estes dados podem ser encontrados em Carta Capital ( http://www.cartacapital.com.br/revista/873/caro-e-ineficiente-7271.hmtl

      2 – Eu fico cismado com acordos bilaterais (é uma tara do chanceler entreguista) porque vamos ficar com as bugigangas

    • André,”Um acordo de Livre

      André,

      “Um acordo de Livre Comercio e Investimentos com os EUA e Canada pode trazer 300 a 400 bilhões de dolares de investimentos novos para o Brasil, esse acordo pode incluir o Mercosul e o compromisso do Brasil de ser um ativo participante da solução da crise venezuelana, garanti com tudo isso uma linha de credito stand by do FMI-Banco Mundial de 200 bilhões, ai o crescimento do PIB vai a 8% ao ano nos proximos 4 anos.”

       

      Dois pontos que não fazem sentido, no seus sempre lógicos e esclarecidos comentários; nestes discordo completamente do trecho que cita:

       

      1. Um acordo de livre comércio, configura uma redução bastante alta das arrecadações do Estado – em alguns países isso significa cerca de 5% do total (não saberia dizer o quanto seria a brasileira).

      1.1. O livre comércio é agora defendido pelos tais países que fala, depois de décadas de protecionismo e aperfeiçoamento de seus itens exportáveis (o que não ocorre com o Brasil, neste momento). É um acordo lucrativo de mão única; desejo explicito do Zé da Serra. Este, em minha modesta opinião, caracteriza como mais um item de assalto aos cofres públicos e à Nação (dentre a frente articulada com esse fim, como descreve Nassif – ficou faltando este).

       

      2. Os tais investimentos, parecem-me mais um aluguel a preço bastante alto desses 300/400 US$ bi. Veja os retornos de lucros ao exterior desses investidores, por tecnologia ultrapassada e práticas reprováveis, danosas ao Estado e ao Consumidor cometidos pela Telefonica, HSBC, Montadoras de Autos (as montadoras são exemplo bem acabado dos malefícios que excedem o pretenso beneficio).

      2.1. Isso falando no item anterior de instituições que empregam em trabalho de fato e não dos puros especuladores de moeda com suas arbitragens e oportunismo.

    • Pode?

      “…Um acordo de Livre Comercio e Investimentos com os EUA e Canada pode…”

      Pode? … pode sim…e seremos um lindo México sul-americano.

       

      Ainda não descobri se o Araújo é Mr. Hyde e o Andre o Dr. Jekyll… ou vice-versa.

  9. Qorpo Fechado ou Bacamarte, o dr.
    http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ua000284.pdf ATO PRIMEIRO Brás(entrando) — Quem diabo está nesta casa!? (muito admirado.) Por um dos reposteiros vi aqui a Satanás com olhos adiante e pernas atrás! Depois vi Judas Iscariotes, que andava a trotes! Por uma janela, a Micaela abrindo a boca degamela! Mas o meu rapaz, o meu Ferrabrás; o meu contimpina, que de dia dorme, e de noite maquina! Oh! Esse, nem por sombras me quer aparecer, ou eu pude ver! Bárbaros! Assassinos! Traidores! Que tudo me roubam! Comem como burros; como cavalos; e depois querem que eu trabalhe para sustentá-los! Infames! Poluem a honra das famílias! Divorciam esposos para massacrá-los, e a seu gosto fruírem seus bens! Escravizam em vez de libertarem… Hei de lançar por terra tão indigno governo! Ou hão de os governantes e governados terem direitos e deveres, ou nenhum governo durará no poder mais que treze meses! A Nação, cujo espírito será como o de um só homem, – os inutilizará, a todos embrutecendo ou a cabeça fedendo! Ainda não estão satisfeitos estes entes ( a que chamam Governo porque ocupam as posições oficiais ) com os milhões de desgraças que têm ocasionado!? Quererão bilhões, trilhões! Assassinos, traidores de sua Pátria! Até onde chegará a vossa perversidade? E até que ponto subirá também, ou a que extensão alcançará a vingança do supremo Arquiteto do Universo!? Tremei, malvados! A trombeta final não tardará muito a tocar a voz: — Sejam queimados e reduzidos a cinzas!

  10. Minha futurologia

    1) Dilma não volta. Um presidente fraco interessa ao parlamento. O PT sai de vítima e pode sonhar com 2018. 

    2) O pmdb prepara-se para capitanear uma constituinte em 18. Pretextos: a nossa está “velha”. A crise está braba. Etc. 

    3) Cancelamento das eleições de 18, indicando mandato de 5 anos e tentando garantir o eterno protagonismo do grande capital. 

    4) o povo nas ruas não se avoluma, pois precisam de um efeito cascata, um círculo virtuoso que só a mídia senhoril consegue. As redes sociais foram superestimadas (por ora)**

    ** destaque para as chamadas no jn do tipo: “as redes sociais combinaram um movimento espontâneo amanhã as 19 na paulista”. 

    Abracos.

    Parabéns pelo blog. 

  11. Quem dará o Golpe no Brasil?

    Um golpe de duas cabeças está em curso no Brasil.

    O Grande Irmão do Norte está como sempre a comandá-lo e, também como sempre, tem a Venus Platinada como um farol a iluminar seu caminho em terras brasilis.

    Antes de avançar nessa análise, vamos as suas premissas.

    1)      Ninguém luta pelo poder para entregá-lo a outrem.

    2)      A história do Brasil é marcada pela disputa entre dois projetos:

    a)    Dependente, elitista e modernizante;

    b)   Soberano, desenvolvimentista e inclusivo.

    Obs.: A regra no Brasil é o golpe porque é assim que o primeiro projeto, por razões óbvias, consegue vingar.

    3)      O Brasil não é uma ilha, esse Golpe está associado a um projeto geopolítico americano, logo, seu comandado direta ou indiretamente vem de fora (EUA).

    4)      Há três forças em disputa, duas pleiteando a hegemonia do Golpe em curso. A terceira, popular (democrática) agoniza no Senado.

    5)      O Golpe em curso ainda não se consolidou. As duas forças que disputam o projeto dependente dos EUA são:

    a) Mercado/PSDB (STF) – Globo;

    b) “Estado”/MPF(PF) – Globo.

    Observações:

    01 – Quem acredita que o PMDB está na disputa, não se deu conta que o Poder é um meio para se atingir um fim – o projeto histórico em disputa no Brasil. O PMDB não hegemoniza nenhum dos dois projetos, fica balançando entre eles para alcançar o Poder como se ele fosse um fim em si mesmo (daí as alianças com PSBD (UDN) e PT (PTB) que antagonizam politicamente a disputa entre os dois projetos).

    02 – O “não vem ao caso” está a serviço do PSDB (vide a relação com Alckmin – seu candidato e seu ex-secretário), resta saber se a mosca azul irá transformá-lo num escorpião. Isso porque na minha hipótese ele não lidera a Lava Jato, quem detém a liderança (luta pelo Poder) são os Procuradores (o “procuradorismo”, como bem definiu Fornazieri). E aí entra a Mosca Azul e o Escorpião, pois, caso o Juiz queira continuar na ribalta terá que enfrentar o Supremo (Gilmar/PSDB) de um lado e o MPF de outro, e aí vale a premissa “1” (ninguém luta pelo poder para cede-lo a outrem).

    Diante disso, volta-se a pergunta: quem dará o Golpe no Brasil?

    Os “procuradoristas” (estatistas/corporativistas) ou os “mercadistas” (neoliberais)?

    Um deles é comando por políticos e outro por burocratas. Logo, o primeiro é mais autoritário que o segundo. Ambos, porém, defendem um projeto comum: dependente, elitista e modernizante.

    Diante disso, não custa perguntar:

    Será que os iluminados burocratas querem ensinar os países escandinavos a promover desenvolvimento sem democracia?

    Será que os iluminados mercadistas querem voltar ao passado e ensinar a Henry Ford que a demanda não puxa o investimento num círculo virtuoso* (para o mercado capitalista)?

    Por outro lado, também cabe a pergunta: o que fazer?

    Será que o povo mais uma vez abrirá mão de seu Poder (a democracia)?

    Será que as forças políticas que o representam serão incapazes, mais uma vez, de se unirem para lhes apontar uma direção estratégica?

    Aos democratas resta a unidade na diversidade.

    O “Fora Temer” une, mas não mobiliza o povo. “Para que tirar se é tudo igual?”

    É preciso ir além, apontar não o meio, a democracia, mas o fim: a soberania, o desenvolvimento e a inclusão social.

    Não vamos auditar a dívida? Vamos continuar pagando a maior taxa de juros do Planeta? Continuaremos a ser um dos únicos países do mundo a não taxar os rendimentos de capital? Aceitaremos o oligopólio do mercado midiático (com propriedade cruzada – rádio, TV, Jornal, Revista, Portal na Internet)? Continuaremos a aceitar que funcionários públicos ganhem acima do teto constitucional? Aceitaremos que um vereador ganhe mais que uma professora? Abriremos mão do Pré-Sal para financiar nossa educação, saúde e cultura (Como, quanto isso representa, quando será aplicado? A população está sabendo disso?)

    * A Ford em 1908 produzia um carro a cada 12 horas, em 1913 a cada 93 minutos, e em 1925, um carro a cada 15 segundos(!). Seu preço despenca de U$ 825,00 em 1908; para U$ 360 em 1916, e U$ 290,00 em 1927. Além disso, houve uma redução da jornada de trabalho de 9 horas para 8 com 5 dias de trabalho por semana, um aumento no salário-mínimo diário de US$ 2,34 para US$ 5, e a repartição de parte do controle acionário. Em 1926 suas fábricas, empregavam 150.000 pessoas, fabricando 2 milhões de carros por ano. (SZEZERBICKI, et all.; 2004).

  12. Na queda de braço entre a

    Na queda de braço entre a turma do Darth Vaider e a Lava-jato, com toda certeza ganhará o lado sombrio da Força. Pela Constituição, quem julga um membro do STF é o próprio STF, em caso de crime comum, e, em sede de crime de responsabilidade, o Senado Federal. Ademais, quem autoriza a abertura de inquérito contra um membro do STF também é um membro do STF. O que os procuradores podem usar como arma contra esse tipo de poder? Pouca coisa, talvez vazar alguma delação na mídia, que não dará grande ênfase ao seu conteúdo e a notícia cairá no esquecimento geral, como já está caindo a própria delação do Sérgio Machado, ninguém mais fala dela. Os procuradores da força-tarefa da Lava-jato ainda faziam cursinho para passar no exame da Ordem quando Darth Vaider concedia  dois heabeas corpus  em menos de 48 horas para soltar o banqueiro Daniel Dantas. Os caras de Curitiba e o Doutor Janot não dão nem para o começo…

  13. Na queda de braço entre a

    Na queda de braço entre a turma do Darth Vaider e a Lava-jato, com toda certeza ganhará o lado sombrio da Força. Pela Constituição, quem julga um membro do STF é o próprio STF, em caso de crime comum, e, em sede de crime de responsabilidade, o Senado Federal. Ademais, quem autoriza a abertura de inquérito contra um membro do STF também é um membro do STF. O que os procuradores podem usar como arma contra esse tipo de poder? Pouca coisa, talvez vazar alguma delação na mídia, que não dará grande ênfase ao seu conteúdo e a notícia cairá no esquecimento geral, como já está caindo a própria delação do Sérgio Machado, ninguém mais fala dela. Os procuradores da força-tarefa da Lava-jato ainda faziam cursinho para passar no exame da Ordem quando Darth Vaider concedia  dois heabeas corpus  em menos de 48 horas para soltar o banqueiro Daniel Dantas. Os caras de Curitiba e o Doutor Janot não dão nem para o começo…

  14. Temer é o governo do ESTADO
    Temer é o governo do ESTADO DO BEM ESTAR CAPITAL em
    Detrimento do bem estar social,vejam que em NENHUM
    momento se age pensando no MELHOR para o povo,são
    NEGÓCIOS E NEGÓCIOS,PRIVATIZAÇÕES e etc…

  15. “Há dois imensos desafios

    “Há dois imensos desafios pela frente: as investigações da Lava Jato e as eleições de 2018.”

    A Lava Jato só não acabou porque ainda não conseguiu fechar seu objetivo com “chave de ouro”: Prender e inabilitar politicamente Lula, que é o foco. Mudará completamente com a degola final de Dilma pelo Senado, e, se conseguirem finalmente prender Lula, ela acaba no dia seguinte.

    Este é um golpe “paraguaio legítimo”, típico das elites latrino-americanas.

    • “Parece mas não é.”

      Meu caro debatedor,

      prender Lula pode gerar “efeito multiplicador” contrário ao supostamente  pretendido. Nesse sentido, afora o fato em si, isto é, a restrição de liberdade em si,  seria “melhor” para o próprio Lula.

      Vamos pensar que prisão é “restrição de liberdade” e não “eliminação” da liberdade. E restrição de liberdade serve para o que mesmo? Trabalhos forçados numa montanha de pedras?… 

       

      Daí, podemos “concluir” “provisoriamente” ( com ou sem “prisão provisória”)  que   talvez, note bem, talvez!,  o melhor é continuar nesse “jogo”, qual seja, o jogo a possibilidade da prisão de Lula a todo instante. 

       

      Tudo isso é o que  “parece” .

      “Parece mas não é”.

  16. Infelizmente Dilma não é uma líder

    Infelizmente Dilma não é uma líder, mal assessorada e mau informada da situação do país deixou que outras pessoas a substituissem no comando do Brasil

    Temer não tem um pingo de liderança, se a opinião pública falar mal dele, se reverte na hora o que quer que ele tenha aprovado

    A Globo não tem domínio sobre os intelectuais do país, nas universidades e na internet o governo Temer está sendo massacrado e entrará para a história como o “Golpista da Corrupção”, os formadores de opinião sequer dão crédito ao seu governo, tanto é verdade que não tem ninguém com conhecimento suficiente para ajudá-lo em seu governo, a não ser o Henrique meirelres que trabalha para si e para os bancos assim como trabalhava como Joaquim levy

    Diferente da Dilma que tinha bastantes pessoas e não ouvia ninguém

    Se Dilma oscilava entre a incerteza de sua política para enfrentamenteo da crise mundial o governo Temer continua levando a bola como se o problema fosse interno, míope e quase cego pros problemas externos ao brasil, ainda nomeia o vampiro brasileiro para o ministério das relações exteriores, sabedo que uma aproximação com a economia americana neste momento, pode ser que, ou estejamos entrando numa cova como a pátria mexicana, ou vamos finaciar uma nova “era de ouro” americana com o resgate dos ativos do país gerados pelo governo Lula em retorno aos EUA e a nossa consequente miséria.

    Do STF não se pode esperar mais nada Gilmar é o comandante supremo, um mesquinho comandando atoleimados

    E o principal problema de todos os tempos do país, o Congresso Nacional, esse saco de gatos de oportunistas não possui NINGUÉM com autoridade ou força suficiente para dirigir a nação, Ciro Gomes não consegue convencer a esquerda, Aécio neves está enrolado na lava-jato e só não foi preso por causa do Gilmar, Marina Silva não tem proposta para o país e só quer ganhar o poder, a esperança está em um único homem: Lula

    O PT é o partido da corrupção sem dúvida, mas não porque é corrupto, em números é um dos partidos menos corruptos do Brasil, só que estava no poder, foi corrompido, colocou pessoas execráveis em seu quadros (delcídio, do PSDB é um exemplo) e se deixou levar e se arrastar pelo Congresso nacional pro mar de lama da compra de votos e desvio de recursos públicos e esse ainda é o principal problema do país 

    Dissociar Lula dessa situação é que são elas…

     

    http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2016-06/brasil-fecha-726-mil-vagas-de-trabalho-com-carteira-assinada-em-maio

    http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2016/06/1784293-recuo-no-emprego-e-transitorio-diz-presidente-do-banco-central-dos-eua.shtml

    http://www.ocafezinho.com/2015/06/11/por-que-o-mcce-parou-de-fazer-ranking-da-corrupcao-por-partido/

     

     

     

     

  17. o lado negro da força

    no banquete macabro de hienas e abutres devorando a Democracia brasileira, o usurpador Temer é apenas o suspeito mordomo.

    impopular e ainda assim inelegível, o governo interino traz na bandeja uma nova ordem liberal para o antigo projeto da lumpen burguesia: Estado máximo para os 1% e brutal e rápida espoliação aos restantes. austericídio para o povo e abundância fiscal para a plutocracia. ponte de retorno ao passado para a sociedade e saque a descoberto contra o futuro para beneficiar sua base parlamentar.

    a cada tacada financeira inviabiliza-se a recuperação da economia e se aprofunda a crise. trata-se somente de maximizar a rapinagem e tramar alguma saída à la Brasil para a Lava Jato.

    mas a quem servem exatamente os Cruzados de Curitiba? a crise atirou a política no revolto e incessante movimento multipolar. a incontrolável complexidade do curso dos fatos destroça as falsas dicotomias que interditavam o debate político: governismo x contra-governismo, lulismo x anti-lulismo, PT x PSDB. rompeu-se o paralisante paradigma do pensamento binário.

    mas onde está exatamente o lado negro da força? até mesmo alguns dos mais calorosos amigos do Presidente Lula já compreenderam termos chegado a atual visão do inferno por reduzir a política a não mais que uma ação entre amigos. e reconhecem que apesar de toda a hipocrisia, ainda assim a Lava Jato rende alguma homenagem à virtude (link).

    se Dilma garante ter os votos necessários para debelar o golpeachment no Congresso, parte dos lulistas parecem já terem desistido do “Fora Temer”. simetricamente ao corporativismo das guangues parlamentares, anseiam também por estancar a sangria das investigações e por uma restauração ao status pré Lava Jato. de olho em 2018 não enxergam que este continua sendo um ano longe demais.

    “A Democracia não é algo que se conquista em definitivo. Todo santo dia, daqui prá frente, nós todos temos que ter consciência, que é algo precioso que nós temos que manter”

    Dilma Roussef, entrevista ao DCM, 01/07/2016

    .

    • fundaram o Império ganancio

      fundaram o Império ganancio das financeiras… como iremos refundar a republica? a ordem é imposta. vamos conquista-la novamente.

      • o lado negro da força (2)

        ->”como iremos refundar a republica?”

        ato “Calamidade Olímpica” em passeata no centro histórico do Rio de Janeiro. poucos manifestantes, pouca puliça. o velho e novo modelo de movimento social marcham juntos, mas com séculos de distância um do outro – ainda assim compartilhando os antigos vícios.

        líderes do MTST tangem o “seu povo”. secundaristas se uniformizam como Black Blocs. PM assumem formação de caldeirão de Hamburgo.

        incidente: liderança autoritária acusa m@scAr@dos de “não organizarem ninguém e se aproveitarem da manifestação dos outros”. mas como se os secundaristas estão na ocupação das escolas e da Secretaria de Educação? por outro lado, os Black Blocs não esquecem e não perdoam agressão policial recente, estão sedentos de confronto, confundindo tática com estratégia.

        no plano nacional, a Frente contra o golpe também já não se unifica: MST é contra novas eleições.

        o que a Velha e a Nova Esquerda ainda não conseguem compreender é que não há ninguém para organizar. o próprio movimento cresce autonomamente desde seu interior, se desenvolve e se configura. não há também que se conquistar qualquer apoio da população, nem mesmo sua passividade complacente: é preciso fazer de modo a não haver mais população. a população nunca foi objeto do governo sem antes ser o seu produto. ela deixa de existir como tal, tão logo deixe de ser governável.

         

  18. mestre yoda sempre alerta que

    mestre yoda sempre alerta que a ação do lado sombrio da força obscurece a percepção de eventos presentes e futuros. o lado sombrio da força opera em brasilia desde 2006, com seus principais agentes realizando tacadas sutis, profundas e com uma paciencia de quem tem a certeza de que no futuro trunfarão . a plateia viu o lado luz, enxergou um pais que passou a sentir orgulho de si mesmo, que viu um futuro no qual os retrocessos não teriam espaços para reaparecerem. mas eis que o lado sombrio lança a sua espessa noite pelo o pais e nos faz viver um pesadelo. seria injusto chamar os jilmares da vida de darth vader. eles são palpatines, vorazes da politica mais obscura. darth vader somos nós que nao vimos o obvio, que  nos deixamos manipular…tá certo que o lado sombrio da força obscureceu o nosso julgamento. a força estava com os siths.

    • Guera nas estrelas brasileira

      Li embevecido os comentários antes do seu, ritac, cheios de palavras bonitas e ideias complexas das quais não captei p… nenhuma, mas o seu, ah, o seu comentário, penso que entendi. Gilmar Danta…, ops, Mendes, na minha modesta, está longe de Palpatine, não passa de um Grande Jabba, o que não o torna menos perigoso.

       

      • Jabba no universo de star


        Jabba no universo de star wars é um gangster, um contrabandista, atua nos subterraneos da economia e da politica. no universo expandido Jabba fez bons negocios quando Palpatine ascendeu ao poder e formou o imperio galactico. Palpatine atua nas instituições da republica, é um senador por Nabbo. mas nas horas vagas é Darth Sidious,que toca a politica mais rasteira, fazendo aliados e depois os abandona pelo o caminho.. Jabba sempre na espreita esperando as benesses de algum manda chuva que tem muito poder. de fato vivemos uma guerra nas estrelas versão brasil. nem george lucas imaginou algo parecido.

  19. O poder e a moeda

    Este post e principalmente os comentários expõe a disputa pelo PODER no Brasil.

    Acontece que no mundo Capitalista, onde o dinheiro fiduciário lançado contra a sexualidade econômicamente produtiva impera, não se discutir o controle da Moeda e o seu uso pelo Brasil, torna todas as discussões infantis e inócuas.

    Assim, sem mais delongas afirmo que: Enquanto o governo Brasileiro e o seu povo não assumirem o controle do dinheiro e da moeda que por aqui circula, não teremos condições mínimas e necessárias para romper com a escravidão e a expoliação a que são submetidos o povo brasileiro e o Brasil.

    Não existe soberania que valha o nome, sem o controle de território com moeda autônoma.

    Os Ingleses, que faziam parte da comunidade econômica européia, votaram pela saída justamente para poderem usar uma política cambial autônoma que favorecesse seu povo e a Inglaterra. A Libra perde valor a uma velocidade nunca antes vista e a Inglaterra ganha competitividade e poder para competir com a Europa e o Mundo.

    A Selic, pornograficamente alta, é a escaramuça usada pelos que nos exploram e a usam como instrumento para fomentar o complexo de inferioridade que domina a população, fazem isto alterando o valor da moeda em benefício próprio.

    Quando a questão é dinheiro, o que importa é a quantidade e esta é controlada por interesses alienígenas contrários ao do povo e da nação, assim, uma mudança real só ocorrerá com a recuperação do controle da moeda e do dinheiro que usamos.

    Como esta discussão não foi sequer mencionada ainda por aqui, vamos continuar na mesma toada por muito tempo ainda.

    Vivemos em tempos interessantes.

  20. “O trabalho sujo” para limpar a “ameaça comunista”…

    Olá debatedores,

     

    vamos jogar um “veneno” nesse debate com a seguinte hipótese:

     

    -Na verdade, na verdada, na verdade,  a presidenta Dilma “aceitou” ser provisoriamente ou até “definitivamente,  afastada do cargo possibilitando a realização de um “serviço sujo” aqui no QUINTAL, com suas “vantagens comparativas”.

    Isso porque, o Brasil, oh meu Brasil! –  com o seu complexo de vira lata – ainda é um QUINTAL que se diz “soberano”.

    A propósito, a “soberania” à moda do Estado moderno tipo europeu, já não é mais a mesma… Encontra-se em processo de putrefação.

    -Lembremos que “soberania estatal”, a rigor e em tese, é uma “forma” de cooptar a soberania individual para formar um ESTADO.

    Esse “estadão” (ops…) esse Estado delimita território, estabelece língua, moeda, povo etc que se dizem  “oficiais” para que tudo, como num ato de “mágica cosmológica qualquer”,  possa  “fluir” para o bom desenvolvimento da “sociedade”. E o  “melhor”  é que essa “sociedade” ( que não a de Saint Simon, mas de Comte e seguidores)  esteja “carregada de valores” com a ajuda, por exemplo, de uma “religião” de “preferência”…

    Qual é a sua religião? 

    A propósito, a música da chuva ameríndia é algo dos “animais” locais? Quem sabe não seria melhor é ouvir os “cantos jesuítas”. Algo mais “erudito”, mais “pitagoriano”,por exemplo. Enfim, “coisa do mundo civilizado”…

     

    Alguns ainda acreditam no vocábulo “nação” .E eu fico me perguntando:

    Como ainda acredita nisso? Nesse “coisa” criada lá nos idos da revolução francesa que já começa “enganando” a própria “ideia de nação”?.

    E ainda, fora do do contexto dos “Estados Unidos do Brasil,  “escravocrata”? Francamente….

    Ora, ora, ora, senhores debatedores! Ao fundo, o vocábulo  deveria ser substituido por “enganação” até lá mesmo, nos tempos da revolução francesa “contra a propriedade feudal”.. kkkkkkkkk( aqui cabe o kkkkkkk).

     

    -Alguns ainda “acreditam” em “instituições sólidas” e supostamente “imparciais” ou isentas, que buscam manter a ORDEM pública, dentro de certo ORDENAMENTO JURÍDICO.

    De fato, conseguem fazer isso. Mas não é só isso!

    “Pague 2 e leve 3”!

    Elas, as instituições sólidas como  um citoplasma, um complexo lameloso,  também propagam “cultura” de “ordem pública ou do “bem comum” para o bem da “nação”, devidamente, enquadrada em certos “valores”. kkkkk

    Resta saber de onde vem essa “cultura”

    Especula-se que talvez tenha a ajuda daquele monstro sagrado que vive em algum lugar e que só os economistas de escol o conhecem pessoalmente: O “mercado”…

     

    Bom, vou para aqui  com essa hipótese.

    Evidentemente, respeitando sua excelência, a única presidente atual do Brasil( em quem eu votei).

    Talvez, ela não tev  escolha a não ser ter que “aceitar” mais essa manobra “política” aqui no QUINTAL dos golpes.

     

     

     

     

  21. Guerra cambial, é o que a Inglaterra está fazendo com o Brexit

    Já aqui estamos valorizando o Real!!!!

    Tá na cara que estão entregando o Brasil! Só não enxerga quem é muito otário.

    Agora, o que dá para ser feito para impedir isto?

    Não só a Inglaterra está desvalorizando como se não houvesse amanhã, a China  e o Japão também.

    • Ouro, o dinheiro vencedor de crises

      Cem zonas francas de cem hectares por este brasilzão afora, onde só se aceita pagamento em moeda metálica e o Brasil estaria em uma liga só dele no mundo hoje, não fazem porque não querem.

      The Gold Standard: Friend Of The Middle Class

       

      It has been theoretically demonstrated and seen in general practice that a monetary system of 100% metallic money devoid of central banking checks monetary inflation, prevents a general rise in the price level, and eliminates the dreaded business cycle while making all sorts of monetary mischief nearly impossible.  A gold standard is not only economically superior to any paper money scheme, but is morally just, which is why it is hated by the politically well-connected, academics, politicians, and the rest of the Establishment.

      Often not discussed, however, even by its proponents is the beneficial effect that “hard money” has for the middle class.

      It is not a coincidence that since the U.S. left the last vestiges of the gold standard in 1971with President Nixon’s nefarious decision to no longer redeem international central bank payments in gold, real wages for Americans have stagnated.  Nixon’s decision to put the nation on an irredeemable paper money standard set it on a course of economic ruination, which is why he should have been hounded from office not for his role in the bungled, petty cover up at the Watergate.

       

      Stagnating wage rates have been confirmed by a number of studies, take, for instance one from the Pew Research Center which states that “today’s average hourly wage has just about the same purchasing power as it did in 1979. . . . [I]n real terms the average wage peaked more than 40 years ago: The $4.03-an-hour rate recorded in January 1973 has the same purchasing power as $22.41 would today.”*

      While the absence of the gold standard has impoverished laborers, it has benefitted (not surprisingly) the very wealthy – hence, the reason why it was abandoned, as the Pew Study reports: “What gains have been made, have gone to the upper income brackets.  Since 2000, usual weekly wages have fallen 3.7% (in real terms) among workers in the lowest tenth of the earnings distribution, and 3% among the lowest quarter.  But among people near the top of the distribution, real wages have risen 9.7%.”

      Of course, this was part of Nixon’s plan: redistribution of wealth from the middle class and low income groups via money printing to the political class.  Such a scheme, however, could have only happened if the gold standard was eliminated.

      Since the start of the abominable Obama Administration in 2009, the adjusted monetary base of the U.S. rose from $1.772 trillion to $3.966 trillion as of March 16, 2016.  Of course, even these unfathomable figures as well as all other information supplied by the dominant media and government cannot be trusted.  It, therefore, can be safely assumed that the real money supply is more than officially reported.

      Money, like every other good, is subjected to the immutable law of supply and demand.  Every increase in the money supply reduces the purchasing power of the monetary units which are already in circulation.  Naturally, since wages are paid in dollars, increases in the supply of them will decrease their purchasing power.  Thus, while nominal wages have gone up as the Pew Study shows, real wages (what wages can purchase) have stagnated.

      The decline in real wages over the decades from profligate money printing has resulted in lower standard of living for wage earners and those living on fixed incomes. The rise in two income families is, in part, a consequence of a paper money economy and the fact that the financial survival of families now requires two incomes.  Two-income families have also profound cultural implications which are now manifesting themselves.

      There has been much talk throughout the current presidential campaign about the financial decline of the middle class.  Candidates on the Left naturally talk of subsidies and more redistribution of wealth while those on the Right have called for tax cuts. While tax reduction of any kind is always welcomed and leads to economic growth, a sound monetary policy is just as important for a revitalization of the middle class.  Moreover, a return to honest money does not require any expansion of government spending or debt.

      If policy makers truly want to improve the condition of the middle class, which consists primarily of wage earners, a return to a monetary order of “hard money” is an economic and moral necessity.

  22. A Republica Velha e o berlusconismo como o novo

    Agora que o PT esta sendo tratado como cachorro morto e não reage, Darth Vader vai até o fim em sua cruzada para pôr fim à Lava Jato do procuradorismo. Janot ainda vai acabar so em Brasilia, com sua Lava Jato nas mãos. E na proxima eleição da Procuradoria Geral da Republica, sera eleito quem o presidente decidir. Adeus republicanismo. Ah não ser que… Janot tenha mais cartas nas mangas…. Em que gaveta estarão os grampos com Michel Temer? Estranho que nenhuma conversa de Temer tenha vazado até aqui. E não vazarão tão cedo, pelo que vimos nas novas peças trocadas na força-tarefa da Lava Jato pelo ministro da justiça.

    Ja sobre Temer, tenho a impresssão que ele não pretende se deixar ejectar da presidência facilmente. Ao contrario do que muitos estão acreditando, ele não somente resistira até 2018, como é bem possivel que tente uma eleição (ainda que hoje esteja impedido juridicamente)… Ai depende muito de como ira se livrar de Eduardo Cunha, da Lava Jato e Rodrigo Janot e de muitos penduricalhos em seu caminho, mas que o homem se acha talhado para grandes cargos (à proposito de Fernando Henrique Cardoso, é também megalomano), acha que é. E o Brasil caiu, então, nas mãos do que mais retrogado poderia cair. Bem-vindos à idade da não inocência.

  23. Saber que estamos submissos,

    Saber que estamos submissos, seduzidos e fundados por poderes mágicos todos sabem. Mas qual recomeço distingue a liberdade com a luz do mundo e é bem maior que o dinheiro e o miserável que o descreve num papel?

    Religião necessária mata, e o dinheiro em si é o preço para se fazer atividades sociais. 

    A moral dos tempos não começa. Assim é o poder invisível do valor. Ele existe, mas ninguém quer saber com quem ele está no espaço. Por isso nada de novo acontece no princípio dos dias, e nenhuma punição é possível a quem nos rouba a própria condição.

    Faço aqui um diálogo dividido pelo número de surdos e mudos; para mim é como uma barreira em relação ao fazer – face as trevas dos outros serem as testemunhas – nada existe sem o nível do valor para todos.

    Mais importante que dizer a forma vazia das pessoas é colocar as ações nos fatos que não se vêem; que as nações passem a desenvolver a estrutura do espirito que lhes dão poder de referência para fazer as coisas externas, ela gerencia as limitações carnais – disto é o seu valor.

    O valor é a vitória do espiritual decifrado sobre o mercado comum.

  24. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome