Xadrez de Janot na estrada de Damasco e o fundo do poço

No Novo Testamento (Atos 9), quando Saulo (depois chamado Paulo) cai de seu cavalo na estrada para a cidade de Damasco e recebe a visita do próprio Jesus, se convertendo ao cristianismo.

Assim como na economia, todo processo politico caótico tem momentos de corte, uma espécie de fundo do poço, no qual há duas possibilidades subsequentes:

Alternativa A: todos os grupos majoritários se sentirem perdedores. Aí se começa a abrir o espaço para o diálogo; ou

Alternativa B: novas rodadas radicalizantes, e movimentos oportunistas ou de esperneio dos grupos que serão expelidos do poder.

Há sinais no ar, tênues embora, de que possa se estar entrando na alternativa Alternativa A. Enfatizo: sinais tênues ainda.

Ainda se está a quilômetros de distância de um referencial mínimo, que aponte os novos rumos. Mas o ciclo da subversão constitucional aparentemente começa a se esgotar.

Nesse período terrível, aconteceu de tudo, com externalidades negativas em todos os setores, novos poderosos montando uma caçada ideológica no serviço público, procuradores desvairados entrando com ações contra escolas e reuniões políticas, movimentos de ultradireita saindo das profundezas e investindo contra avanços civilizatórios e a quase consumação do mais execrável pacto político da história: o que permitiria a uma organização criminosa apossar-se do Estado brasileiro e livrar-se da Justiça em troca de reformas radicais enfiadas goela abaixo da opinião pública.

Parecia que todos os filtros de uma sociedade civilizada haviam sido desativados, até os básicos, o olhar crítico sobre os puxa-sacos, a desconfiança contra os exibicionistas, o pudor em tratar com governantes notoriamente corruptos.

A própria Lava Jato se tornou um centro escandaloso de vaidade e oportunismo, com procuradores se comportando como blogueiros teens (na expressão feliz de Nina Lemos), aproveitando a visibilidade dada pelo Ministério Público Federal para surfar no universo  das celebridades.

Figuras que deveriam estar atrás das grades, como Eliseu Padilha, Geddel Vieira Lima, Moreira Franco e o próprio Temer, e seus seguidores, como Laerte Rímoli, Elsinho Mouco, o submundo jornalístico que se manteve à tona graças a Eduardo Cunha, Aécio Neves, Michel Temer (https://goo.gl/E8Hsf3) comportavam-se como os conquistadores imbatíveis, como piratas do Caribe em cima dos destroços da Constituição.

Leia também:  Auditor preso tinha R$ 230 mil em dinheiro escondido

As delações da JBS foram como uma bomba de nêutron, desmontando toda a armação política-midiática erigida nos últimos anos, o discurso pseudomoralista que derrubou uma presidente eleita e caiu a ficha de parte do golpe, da inviabilidade de um pacto político com uma organização criminosa para promover o desmonte das redes de proteção social brasileiras.

A delação da JBS se abateu sobre o Procurador Geral da República Rodrigo Janot como a luz que derrubou Paulo do cavalo, a caminho de Damasco, e lhe mostrou o rumo. Em uma tacada só, exibiu o amadorismo exibicionista da Lava Jato e suas fixações, reassumiu o protagonismo da operação, a ponto de deixar Dallagnoll com síndrome de abstinência, passando a opinar até sobre o caso JBS para não perder espaço para o PGR.

Nos últimos dias, o portal da PGR divulgou o questionamento de leis de municípios que vetaram material sobre ideologia de gêneros nas escolas, a criação de cotas para negros nos concursos do MPF, a PFDC (Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão) encaminha pedido de informações do Alto Comissariado das Nações Unidas para o Itamaraty, sobre a inconstitucionalidade de leis que proíbem discussões sobre gênero em escola.

Os próximos capítulos permitem um pouco de fé nos novos tempos:

Peça 1 – o desembarque do PSDB

Se não há motivos para manter presa Andrea Neves, existem motivos sólidos para a prisão de Aécio Neves. Solto, ele ficará articulando com colegas do Senado e com o Ministro Gilmar Mendes maneiras de impedir as investigações.

Além disso, a prisão terá um simbolismo especial.

Como era possível a uma sociedade que se pretendia civilizada conviver com a exposição pública de Aécio, flanando sobre a Justiça, mandando adversários para a cadeia – como o episódio do jornalista Marco Aurélio  Carone -, com investigações paralisadas sobre aliados, sob suspeita de tráfico de cocaína? Como seria a democracia brasileira com a falta de limites de Aécio e seus amigos?

Leia também:  De olho na Presidência, Doria investe R$ 2 bi em região pobre de São Paulo

Sua provável prisão finalmente trará o PSDB para a realidade política, constatando a impossibilidade total de bancar uma organização presidida por Temer. Mais relevante: quebra o elo da possível parceria com o Judiciário e fecha a porta para o que parecia ser a saída planejada do impeachment.

Ao se inviabilizar politicamente, paradoxalmente, o PSDB se habilita para um passo mais maduro, em busca de entendimento. O duro é localizar no partido alguma liderança que, mesmo de longe, tenha a dimensão de um Mário Covas ou Franco Montoro.

De sobra, interrompe a articulação do chanceler Aloysio Nunes  com o governo Donald Trump, de abrir brechas para a invasão da Venezuela. A ideia fixa de Aloysio – vergastando Maduro diariamente, como se não houvesse outro tema no Itamarty – não é apenas falta de imaginação e conhecimento para outros temas diplomáticos: cumpre o roteiro do guru José Serra. Em vez da tradição diplomática pacifista brasileira, de buscar uma solução para um país que se desmancha, o papel de gendarme da volta do grande cacete norte-americano.

Aloysio e Serra se valem da perda total de substância ideológica do PSDB, da ausência de estudiosos internos, para montar suas jogadas pessoais com o Grande Irmão. São os últimos vagidos de políticos que perderam a dimensão de país.

Peça 2 – A denúncia de Michel Temer

Mal empossado presidente, Michel Temer levou para dentro do governo seus quatro operadores particulares: José Yunes, Sandro Mabel, José Felipelli e Rodrigo Loures.

A maneira como foi bajulado pelos grupos de mídia se constitui em um dos episódios mais vergonhosos da história do jornalismo, cujo ápice foi o Roda Viva com ele.

Poucos imaginavam seu nível de mediocridade e de falta de noção. E aí Deus mostrou, pelo menos uma vez, que ainda é brasileiro. Criou-se tal desorganização institucional com o golpe, que um político mais habilidoso e ousado – como o próprio Aécio – poderia ter conduzido o país ao estado de exceção amplo e se perpetuado no poder. Felizmente, se entregou a Temer a responsabilidade do pós-golpe.

A denúncia próxima da PGR contra Temer repõe nos eixos um mínimo de dignidade na política. Hoje em dia, é visível em qualquer cidadão, mesmo o menos politizado, o sentimento de vergonha de ver o país governado por uma pessoa da dimensão e do caráter de Temer e sua turma.

Leia também:  O projeto nacional e as indústrias de bem estar, por Luis Nassif

Para se acreditar em um país sério só faltaria o MPF investigar os negócios da FIFA-Globo, do IDP de GIlmar Mendes com o Tribunal de Justiça da Bahia e o enriquecimento de José Serra.

Peça 3 diretas-já ou Constituinte

A entrevista de Joesley Batista à revista Época é arrasadora. Com todas as ressalvas que se possa fazer, expõe de maneira ampla o apodrecimento final do modelo político.

Com a saída do PSDB do jogo de apoio a Temer, resta saber qual será o tamanho do centrão para resistir ao Supremo Tribunal Federal e à denúncia contra Temer e ao clamor das ruas.

Entra-se, agora, nos momentos cruciais que definirão a travessia para o novo ciclo político.

Há na mesa as seguintes alternativas:

1.     Eleições indiretas com Rodrigo Maia. Será uma tentativa de dar continuidade à quadrilha de Temer, mas com alguns acenos para setores de oposição. E eleições em 2018.

2.     Eleições indiretas com Tasso Jereissatti. A delação da JBS destruiu essa ponte.

3.     Eleições diretas-já.

Qual a resultante das eleições diretas, não se sabe. Entra-se em um daqueles momentos em que Deus joga dados e tudo pode ocorrer.

Às forças democráticas resta o desafio de construir uma alternativa política e econômica viável, os estudiosos trazendo seus diagnósticos, as lideranças conversando e definindo os contornos de um novo pacto. Ou então, o caos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

67 comentários

  1. O pior dos cenários = se

    O pior dos cenários = se permite que haja eleições diretas. Lula e Bolsonaro no segundo turno. E Bolsonaro, com dinheiro saindo pelo ladrão dado pela nossa elite que não vale nada, vence Lula. Quando falo esse meu temor, muita gente diz que eu estou delirando. E aí falo que se alguém, há três anos, previsse o cenário em que estamos, também teria sido chamado e louco. Infelizmente, nesse caos, nada, mas absolutamente nada, pode ser descartado. 

    • Falo o mesmo
      Joel, venho escrevendo a mesma coisa. Se vc estiver louco, então somos dois. Bolsonaro levaria, além do seu pequeno séquito, todos os radicalizados da direita. Mesmo os q nem sequer gostam dele, só para não ver o Lula novamente. Sei q as pesquisas nos contradizem, dão a ele um percentual muito baixo… mas e se a Globo entrar atrás pelo medo do Lula? Enfim, só acho que ele não deve ser descartado sem um exame real.

    • Seus temores não me parecem

      Seus temores não me parecem infundados

      Quando um personagem da linha de frente do golpe defende eleições geriais diretas, é prudente desconfiar.

      Se não tiveram a menor cerimônia em bancar a “pausa democrática” e implantar com sofreguidão o plano pró mercado, devem ter em mente um “jeitinho” de contornar eventuais transtornos eleitorais.

    • Olha, seu temor tem

      Olha, seu temor tem fundamento.

      Tudo que essa gente medíocre não quer é a volta de Lula. Para isso serve até apostar todas as fichas em Bolsonaro, por mais tosco e obtuso que ele seja.

  2. Apodrecimento do modelo

    Apodrecimento do modelo político? Ora, sejamos honestos. A política sempre se fez assim, desde que os sacerdotes sumerianos desviavam grãos depositados nos templos. E isto foi a mais de 5.000 anos….

    Só vejo uma razão para a Globo querer a cabeça de Temer: expôr ainda mais a imundície do sistema político, demonizando políticos e partidos. Isto abriria espaço para a solução ideal, qual seja, a ascenção de um técnico, moralmente imaculado, que assume o poder para “salvar o país” e aí empurrar goela abaixo todas as “reformas” por hora suspensas….  

    É até por isso que defendo a permanência de Temer por mais um ano. Vejo que assim o Congresso ficará paralisado e a imundície não ficará restrita ao sistema político, devendo atingir em cheio a PF, Poder Judiciário e imprensa… Quando chegar ali é que vou rir muito… Os brasileiros terão a exata noção do quanto foram feitos de idiotas…

     

  3. Lideranças conversando e

    Lideranças conversando e defininindo um novo pacto ou o caos?

    Quem são estas lideranças afinal ? Os mesmos de sempre? Infelizmente a unica liderança legitima é o povo e este, na verdade, nunca se manifestou. O Brasil cordial sempre foi resolvido através do dialogo entre as “elites responsáveis” , e a nação brasileira, se é que existe, é resolvida nestes conchavos.

    Nassif parece ainda acreditar que existem instituições e dentro delas, a exemplo de Janot que ajudou a consumar a destruição que ai esta, cristianizados nos quais repousam nossas esperanças. 

    O que mais é preciso para ver que não temos instituições nem os tais cristianizados? Quem serão os proximos na estrada de Damasco? Fux? Carmen Lucia? Moraes? Quem sabe Zeze Perella ? Ah ta….eu também quero ver a luz.

    Romper com tudo o que ai esta com conversa mole de sempre? Sem confronto?

    Mais 500 anos ouvindo a voz da razão.

  4. O episódio Mirian Leitão foi o ato inaugural do pós-Temer.

    Um dos sinais do fim da Aventura Temer foi o episódio Mirian Leitão.

    Inaugurando o pós-Temer.

    Já já se preparam outros episódios para que ao cair Temer toda a artilharia da Globo & velha mídia levem à nocaute, desejo latente, o PT, Lula e Dilma + as esquerdas de roldão.

    O pós-Temer não deve conter a hipótese Lula e esquerdas.

    Então, se jogou a isca primeira de a partir de uma não-notícia de uma Jornalista Global, supostamente agredida em um voo onde estava e haviam militantes petistas. 

    Petistas: arruaceiros, bolivarianos, violentos, antidemocratas, perigosos, etc. 

    Não podem voltar ao Poder, porque representam tudo de errado que existe e ainda são bolivarianos e radicais!

    O grande lance do momento é jogado pela Globo, ela colocou e tirou Temer e agora quer consertar a situação ao seu modo habitual.

    Vamos conseguir antecipar as eleições?

    Vamos ver a sociedade protagonista da escolha do (a) novo (a) Presidente (a)?

    Ou vamos ver a Globo comandar um discurso de que as indiretas são o correto, porque é Constitucional?

    Quem será aceito Presidente (a), qualquer um que ganhar?

    Haverá espaço para um pacto desejado, se uma das partes, a da velha mídia, radicalizar para destruir a candidatura que não lhe cai bem? 

    O Brasil pode esperar a pacificação ou vai ser uma guerra fratricida?

    Se tivermos Diretas o que vão fazer com a possibilidade de Lula vencer? Vão agir como para barrar esta hipótese?

    O Jornalismo de Guerra vai chegar ao extremo do extremo? A Pós-verdade e as não notícias serão o cardápio oferecido por Globo & velha mídia? Ou haverá uma civilizada campanha eleitoral? 

    Esperemos as cenas dos próximos capítulos. 

    • Acredito na hipótese de que o

      Acredito na hipótese de que o episódio Míriam tenha sido um dos frutos de um alentado debate em torno da construção de um plano político para que a Globo se antecipe aos acontecimentos e construa uma vanguarda de operações. Deste debate devem ter participado, além da prata da casa, ‘especialistas’ e assessores diversos, que conhecem a Globo e conhecem seu projeto de poder. Foi por isso que demorou dez dias para que Míriam tivesse realizado sua denúncia. Em primeiro lugar, devem ter elaborado uma agenda de ações preliminares que levarão a futuros procedimentos táticos. E dentro deste cronograma devem ter examinado a possibilidade de lançar o caso da Míriam, uma construção alterada de acontecimentos inteiramente prosaicos e pacíficos. Dentro da mesma estratégia, em um JN do meio da semana, chamou a atenção o anúncio do novo depoimento de Joesley, feito depois de sua volta da China, onde deve ter tratado de negócios relativos à retomada de exportação de carne dos Estados Unidos para aquele país ( ! ). O primeiro anúncio do tal noticiário global, feito como sempre em tom de urgência, foi de que Joesley teria vindo depor porque a procuradoria queria mais detalhes sobre a conta que ele abriu no exterior, de 150 milhões de reais, destinados a Lula e Dilma. Ora, da maneira como o JN emite suas muito bem manipuladas notícias, ficou bem claro para o Zé Povinho que Lula e Dilma tinham recebido dinheiro sujo de Joesley e estavam na mesma situação de Temer e Aécio. Em seguida, nesta mesma semana, vem a capa da nada sutil Veja, que mostra Lula ao centro ladeado de Temer e Aécio, todos dentro de um bote a remarem, e embaixo a frase garrafal: “Todos no mesmo barco”. Isso, já bem depois de ter ficado claro que a tal conta em nada implicava Lula ou Dilma, e que ela não teria passado de um engodo para fazer o Ministério Público Federal  aceitar com mais “entusiasmo” a delação bombástica que viria a fisgar o Temer e o Aécio. Esta aposta em perpetuar a confusão na cabeça das pessoas, logo agora que estava ficando bem claro para elas quem é quem em toda esta enrolada, se isso fizer parte da agenda neo-golpista da Globo e da mídia oligárquica em geral, parece ser uma aposta destinada ao fracasso. Todos já estão cansados de tanta armação da mídia. E as forças da resistência devem trabalhar no sentido de trazer cada vez clareza para a opinião pública.    

  5. Uma coisa é certa: a única forma de o país sair dessa crise…

    Uma coisa é certa: a única forma de o país sair dessa crise reside na unidade dos setores progressistas em torno de uma plataforma comum. Ou seja, a união entre as principais lideranças de esquerda como Requião, Flávio Dino, Lula, Haddad e Ciro Gomes numa candidatura única ao Planalto.

    O sucesso da reação ao desmonte do Estado brasileiro depende da convergência de esforços de setores comprometidos com o país. Não há espaço para rachas e disputas internas desnecessárias numa eventual frente nacionalista. O mais importante é derrotar os golpistas otimizando todos os esforços para afastar de vez o PMDB e o PSDB do Planalto e do Congresso Nacional.

    Para tanto, a saída seria a candidatura do Ciro ao Planalto com o apoio do Lula, com o ex-presidente se concentrando em eleger o maior número possível de governadores, senadores e deputados federais petistas nas eleições de 2018. Nas próximas eleições serão eleitos 54 senadores, com isso o PT, o PCdoB e o PDT deveriam fixar a meta de tentar eleger os dois senadores em cada unidade federativa, assim como eleger pelo menos metade dos 513 deputados federais.

    Poderíamos começar a mudar a composição do Senado da Seguinte forma:

    RS: Dilma Rousseff (PT) e Manuela D’ávila (PCdoB);

    PR: Gleisi Hoffmann (PT)

    SP: Eduardo Suplicy/ Fernando Haddad (PT)

    RJ: Lindberg Faria (PT) e Jandira Feghali (PCdoB)

    E assim por diante…

  6. A única saída.

    “Às forças democráticas resta o desafio de construir uma alternativa política e econômica viável, os estudiosos trazendo seus diagnósticos, as lideranças conversando e definindo os contornos de um novo pacto. Ou então, o caos”.

    Diante da série de NÃOS que leio e ouço sobre uma “alternativa viável”, percebo que se prefere o caos e ele já está aqui para ficar. Depois de dois artigos no BRD, vi impossível qualquer proposta nesse sentido. Tantas pessoas sérias que poderiam ser chamadas a construir tal alternativa, mas nenhuma presta. Bierrenbach é ruim? E Dalmo Dallari, também? Apenas se trabalha com a volta de Dilma ou a eleição de Lula já ou deixar aumentar o caos que, em 2018, havendo eleições, ele pegue o País tão ferrado, que qualquer sua ação nos fará voltar aos trilhos.

    Luminares se dividem: “pactos só são feitos com inimigos … acordos com amigos”. A semântica corre solta. Acordo não é pacto, uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Ora, ora. Quando falo que a microeconomia não chega a 2018, pois a macro já se foi há muito tempo, é sério.

    Foi mais uma aula de Nassif. Muitas ainda virão, mas no BRD esse tema não volta mais. Só para escracho.

    • Caro Rui, há uma dificuldade

      Caro Rui, há uma dificuldade de se pactuar qualquer coisa, basta ler os comentários aqui postados. Só que me parece ser exatamente isso o adubo para o acordo. Todos estivessem satisfeitos com Temer estaríamos discutindo aqui os gols da rodada. Todos estivessem de mãos dadas com Dilma ela não teria caído e nosso assunto seria mais uma vez futebol. Fosse somente eu a decidir optaria pela anulação do impedimento e retorno da presidenta. Mais rápido, mais barato e restauraria a justiça. Havendo algum óbice, proporia então uma eleição direta em todos os níveis, seguida ou não a uma Constituinte. Como Papai Noel nos abandonou há muito, essas duas possibilidades são apenas sonhos de Natal. E se alguém imaginar que um desses sonhos poder-se-ia (que mesóclise !!!) tornar real, só concretizar-se-ia (outra !!!) através de um pacto. Não vai haver retorno de Dilma porque eu quero e não é porque eu quero que haverá eleição direta. E ainda, é  ilusão imaginar que Dilma voltando ou Lula se elegendo numa direta conseguirá governança sem um acordo. A verdade é que o país está (sempre esteve ?) meio a meio. Bandeira branca dos dois lados, ou AK-47. E creio que não há muita AK-47 funcionando, daí a minha crença na saída pactuada. Pra terminar: Virou também censor do BRD só porque é o dono ? Pare com isso ! Quer escracho, é ?

  7. Deixando a profundidade de lado

    Como diria Belchior. O desmoronamento é tão grande que sequer a simbologia do ESTADO está incólume. Daí, somente uma refundação do Estado é solução. A República morreu. Salve a República! Ou é melhor uma Democracia? Porque de fato nunca a tivemos. Entendo que qualquer solução que não recupere a dignidade simbólica de nossos elementos de ESTADO, está fadada a nos manter na mesma crise. Um GOVERNO ILEGÍTIMO, um CONGRESSO COMPRADO e uma JUSTIÇA PERSECUTÓRIA e EM COMADRIOS — meu breve resumo da ópera — não justifica esse Estado que todos nós mantemos. Assim. mesmo sem haver muita oportunidade de sucesso, apenas o zerar o jogo nos recupera para o futuro a que merecemos. Eleições diretas para presidente, legilstaivo e plebescito revogatório de todas as decisões tomadas por esse conluio entre quadrilhas. DEMOCRACIA JÁ! acho que vou adotar esse lema. Bom dia a todos.

  8. A caneta

    Lembrei de uma palestra em que o palestrante eu um pequeno exemplo de como somos presos a valores materiais.Cada um segurava uma caneta e ao final de sua fala ele pediu que todos simplesmente largassem as canetas,deixassem cair no chão,a maioria levou alguns segundos para fazer isto.Estes cenarios que que o Nassif aponta são apenas possibilidades pois quantos vão largar a caneta e ou não.Qual o Tamanho da vaidade,da sede de poder,o status quo ou mesmo o medo de perder a imunidade.Juizes,delegados da PF,promotores passando por cima de direitos,rgras,leis decoro do cargo como teens buscando estar bem na selfie,dar entrevistas,angariar seguidores.Deputados e senadores de forma agora desinibida querendo quinhões cada vez maiores em troca de seus prestimos.O parlamento virou uma feira de mascates.Dificil prever com o fator vaidade e sede de poder humanos.Talvez com o povo cercando este palacio tomem consciencia que a festa acabou.

  9. regresso ao admirável mundo novo
    Em um mundo de produção e de
    distribuição em grande escala os Pequenos, com o seu fundo
    insuficiente de capital operante, vêem-se em grande desvantagem.
    Em competição com os Grandes perdem o seu capital e,
    finalmente, a sua própria existência como produtores
    independentes; os. Grandes engoliram-nos. Quando os Pequenos
    desaparecem, é cada vez maior o poder econômico que passa a
    ser manipulado por mãos cada vez menos numerosas. Sob uma
    ditadura, o Alto Negócio, tornado realizável pelo progresso
    tecnológico e pela conseqüente ruína do Pequeno Negócio, é
    controlado pelo Estado – isto é, por um grupo pequeno de chefes
    políticos e de militares, polícias e funcionários civis que lhes
    executam as ordens. Numa democracia capitalista, como os
    Estados Unidos, é controlado pelo que o Prof. C. Wright Mills
    chamou a Elite do Poder. Esta Elite do Poder emprega
    diretamente milhões de unidades de mão de obra do país nas suas
    fábricas, escritórios e armazéns; controla muitos milhões de
    outros homens, emprestando-lhes dinheiro para adquirirem os
    seus produtos e, pela sua posse dos meios de comunicação com
    as massas, influencia os pensamentos, sentimentos e ações de
    quase toda a gente. Relembrando as palavras de Winston
    Churchill, nunca tantos foram dirigidos por tão poucos. Estamos
    de fato muito distante do ideal de Jefferson : uma sociedade
    francamente livre composta de uma hierarquia de unidades que se
    autogovernam – “as repúblicas elementares das circunscrições, as
    repúblicas das comarcas, as repúblicas dos Estados e a República
    da União, formando um crescimento de autoridade.”
    Vemos, pois, que a tecnologia moderna tem conduzido à
    concentração do poder econômico e político, e ao
    desenvolvimento de uma sociedade controlada (inflexivelmente
    nos Estados totalitários, polida e imperceptivelmente nas
    democracias) pelo Alto Negócio e pelo Alto Governo.

  10. Democracia Já! Volta Dilma e Lula prá nos salvar!!!!!!

    É muito difícil não ter medo de gente ruim, principalmente quando agrupam-se e formam grupos, grupelhos, instituições, associações, irmandades e etc… Pior ainda é quando todos se juntam por qualquer motivo para atacarem x ou y. É disso que estamos falando.

     

  11. Acho que ainda há café no

    Acho que ainda há café no bule dos golpistas para ser bebido. O antipetismo ainda tem força entre a classe média para colocar gente nas ruas. Isso será combustível para grupos organizados no congresso, na mídia e entre os empresários para barrar quanquer processo de acordo. A situação precisa piorar mais um pouco antes de chegarmos a uma situação em que a grande maioria veja que não há saída que não a conversa.

    A piora é saudável para o futuro, pois vai mandar os hidrófobos de volta para as grutas de onde saíram por um bom tempo. O retorno do país ao bom caminho pressupõe a derrota dos radicais. Eles não podem participar do acordo, devem ser tratorados antes, estejam onde estiverem. O Brasil não pode conviver para sempre com aquela obrigação de bom-mocismo ao anistiar os tipos mais abjetos em nome de uma convivência pacífica. O que ganhamos ao anistiar os torturadores de 1964? hoje eles estão aí vandalizando a nação. Tivessem eles sido punidos, não teríamos as participações tão festivas de tantos grupos sociais na derrubada de alguém legitimamente eleita presidenta da república. 

  12. A Banca conseguiu a EC/95. O

    A Banca conseguiu a EC/95. O neoliberalismo está nba constituição. A bancada de 2014 no Senado que ficará até 2022 é quase capaz de segurar ele lá sozinha !!!

    Esse país está completamente morto !!! Oou o Lula vai rasgar os contratos do pré-sal ??? O Lula não foi homem para revertter a privatização da Vale, vai pegar o pré-sal de volta viente anos mais velho ???

  13. Ah! o conciliacionismo do Nassif!…

    UM. As duas alternativas iniciais apontadas pelo texto estão muito distantes de representarem as alternativas possíveis.

    DOIS. Apostar tudo na conciliação pode ser apenas uma forma trágica de enfiar a cabeça no buraco.

    TRÊS. A ideia mesma de “pacto” como caminho privilegiado da política institucional no Brasil pode ter chegado ao seu momento de exaustão. Foi isso que aconteceu na Bolívia entre 2003 e 2005, por exemplo. (A história também mostra situações de reverso do 18 Brumário…).

    QUATRO. Parece mais realista simplesmente admitir que vivemos um momento de absoluta imprevisibilidade. Mais do que isso pode ser não mais que um exercício de onanismo especulativo.

  14. Não dá para contemporizar com golpistas.

    Ou esses calhordas são eliminados da política ou cairemos na mesma esparrela que foi o pós-1984, quando nenhum golpista de 1964 foi punido (será que não aprendemos nada?). O que não pode haver em hipótese alguma é impunidade para golpista.

    Como diria o filósofo Dadinho: “Pacto (com golpista) é o carvalho!”

    Vou repetir feito matraca tantas vezes quantas forem necessárias:

    Golpista é inimigo da Democracia. Golpista é inimigo da Constituição. Golpista é inimigo da Sociedade.

    O único pacto com golpistas é com eles na cadeia, no cadafalso ou no cemitério.

    • Concordo com você e suas

      Concordo com você e suas repetições.

      – Devolução do governo à presidenta legitimamente eleita;

      – prisão de todos os golpistas a apoiadores do golpe, incluindo deputados, senadores, empresários, juizes e procuradores midiáticos a associados aos ladrões, especificamente aqueles de curitiba qe perseguem o Lula desde 2014 sem encontrarem NENHUMA prova de crime e pelo fato de blindarem vergonhosamente os verdadeiros ladrões.

      – Contra diretas e a favor da volta da Dilma. Eleições em 2018.

       

  15. Parabéns, Nassif

    Caro Nassif e leitores

    De longe, o melhor xadrez que já li durante este período de trevas.

    Merece um prêmio pela lucidez e análise clara como a luz do dia.

    Só não enxerga quem não quer…

    Uma pequena correção:

    Janot não recebeu uma luz não, meu caro, recebeu foi um raio que caiu bem em cima da sua cabeça.

    Deus reserva o melhor para este país Nassif, pode descansar o seu coração.

    Quem viver, verá.

  16. Ou é muita ingenuidade ou

    Ou é muita ingenuidade ou medo do confronto acreditar que a elite bandida vai se regenerar; óbvio que vão instrumentalizar uma solução em que mantém os seus privilégios disfarçado num discurso moderno e inclusivo, sempre foi assim, não seria diferente agora; o problema é a classe trabalhadora ainda acreditar nessas balelas, de preservar o país, a sociedade organizada, a pqp, enquanto o unico objetivo que os abutres têm na cabeça é a volta da escravidão……

    • O problema é parte significativa da classe trabalhadora…

      Seguir o que manda a FIESP por meio da Farsa Sindical, aquele “sindicato” fajuto criado pelo patronato atualmente liderado pelo Peleguinho da Farsa.

  17. Covas

    Primeiro quero tratar desse senhor que Nassif insiste em colocá-lo como grande referência.

    Montoro sim, foi um grande democrata, ser afável, confiável, patriota. Sempre o admirei. Seria um grande presidente da república. Infelizmente não deu tempo.

    Covas foi um político abjeto, enganador (me enganou em várias eleiçoes), corrupto, sim, muito corrupto. Quem criou a propinocracia em São Paulo foi o seu Covas.

    É só analisar os roubos do Rodoanel, a criação da Tejofran e seu alinhamento com a grande mídia.

    Se me lembro, nunca houve uma denúncia sequer na grande mídia sobre esses escândalos envolvendo Covas. 

    Temos notícias da gangue do Serra e Paulo Preto. Mas ela já existia pelas mãos do Covas, seu criador.

    O próprio Nassif já publicou aqui o nefasto senhor Washignton Umberto Cinel, PM que virou milionário. Sabia da sua riqueza, mas não ao ponto que Nassif descreveu.

    Ele transitou com total independência nos governos tucanos, em especial do Covas, com sua empresa de segurança Gocil.

    Voltando ao texto, eu torço e quero acreditar na segunda hipótese levantada por Nassif.

    E a minha justificativa se prende ao fato de quem está sendo o maior prejudicado com a quadrilha que assaltou o poder.

    Eles estão lá com o apoio das elites, grande mídia, Judiciario, MPF e PF. E quem está pagando a conta é maioria do povo brasileiro, mais uma vez excluído.

    Eles estão revogando a Constituição de 1988 com o golpe parlamentar, eivados de bandidos e corruptos notórios. Não se salva quase ninguém a não ser os quadros das esquerdas, com honrosas exceções.

    O que pode vir de bom nesse acordo para a grande maioria da população, se as elites não perderem nada?

    E pelo desenho do Nassif, se encaminha para essa solução, que não devemos nos iludir.

    Concordo com ele quando diz que a PGR (não acredito entretanto, que venha acontecer na situação atual) venha “investigar os negócios da FIFA-Globo, do IDP de GIlmar Mendes com o Tribunal de Justiça da Bahia e o enriquecimento de José Serra”.

    Para mim não basta só isso. Este vídeo mostra o que deve ser feito como uma das grandes tarefas, mas que não será feita com o tal acordo.

    [video:https://www.facebook.com/jornalistaslivres/videos/528712410585974/?pnref=story%5D

    Concordo plenamento com Haddad nesta entrevista no Uol.

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/06/1893437-temer-quer-aprovar-reformas-para-ter-candidato-limpo-em-2018-diz-haddad.shtml

    Se o acordo vier nessas condições, não nos interessa, pois seria o mesmo que tirar o bode da sala.

    Torço pela ruptura porque se Temer cair, a grande vitoriosa será a Globo.

    Ela se comporta com a mesma estratégia dos movimentos das Diretas Já. E sabemos no que resultou.

    E mais, com a queda de Temer os movimentos populares refluirão achando que os problemas estarão resolvidos.

    Só acredito em novos caminhos para o país com um novo projeto que revoguem todas as PECs aprovadas pelos bandidos do Congresso e instituam uma nova ordem na qual a maioria do povo brasileiro sintam-se incluídos e senhores do seu destino.

    Tudo que fuja a isso, será o mais do mesmo.

     

  18. Neste momento,nada de ser
    Neste momento,nada de ser certinho,dar a outra face pra bater,a esquerda está com
    a faca e o queijo na mão,o ACORDO é com
    o povo, com o voto,lógico q vão por o
    Rodrigo Maia lá,para assinar as safadezas,coisa q com a Dilma não passava uma. É ISSO Q TEM Q FALAR,e tem
    mais,o STF TEM Q SER COBRADO SOBRE A
    ANULAÇÃO DO IMPEACHMENT,VCS SÃO MAIS
    DOIDOS Q EU !!

  19. Projeto de lei

    De plebiscito por diretas já feito a partir de iniciativa popular, já que não da para confiar no legislativo para iniciar o processo tem que começar a tramitar. Mas com um mandato de presidência até 2020, não da para casar campanhas da presidência que leva junto todo tipo de coligados com toda sorte de abuso economico, ainda mais com a diferença entre o voto e as campanhas para eleger mandatos majoritarios e proporcionais. Melhor para os partidos disputarem a presidência e tentar levar prefeituras e resto do executivo com um projeto um pouco mais nacional do que levar bancada a rodo e a reboque do voto popular em campanhas milionárias pulverizadas em segundos com milhares de candidatos.

    Se duvidar barateia o custo das duas eleições, executivo e legislativo, reorganiza o tempo de exposição em TV, e de quebra um voto em Dilma não acaba levando a bancada Temer a presidência ao invés de uma sinergia maior de campanha entre Dilma e Haddad por exemplo.

  20. Inimigo a Ser Batido: GLOBO MARINHO. A Ser Evitado: BBUS

    Para o Brasil e os brasileiros a melhor solução é retomar de onde a classe dominante atropelou a democracia, com a justiça anulando o impeachment, por motivos mais que óbvios, escancarados, reempossando a presidente constitucionalmente eleitta, resgatando a cidadania dos votos atirados na lata de lixo, através de um pacto sustentado em quatro pontos de atuação: Retomada da economia com plano de transição, sem qualqueer interferência da ‘casa das garças’ e dos ‘patrimonialistas do estado’, reformas, trabalhista e da previdência através de negociação entre todas as partes, reforma política exclusiva e eleições em 2018 para retomada plena da democracia, contemplando a regulação da mídia.

    Como a classe dominante deixa mais que explicito não respeitar pactos, pois seus objetivos coadunam-se com o país fragilizado, dependente, desigual e periférico, só resta combatermos esse inimigo, nominando o que no momento  melhor o representa, sustenta e defenda: A família Marinho, através das organizações GLOBO.

    Não vai haver pacto, pois pacto implica em acordo entre partes e uma das partes já deu mostras de jamais ser confiável, portanto só resta o enfrentamento democrático e para o mesmo é fundamental, antes de mais nada, apontar de forma a não deixar dúbidas, sem titubeios quem é o o atual inimigo público número um do Brasil, a ser enfrentado e derrotado: A GLOBO MARINHO, sem esquecer de ficar de olho no BBUS, o patrocinador.

  21. “Pacto” é entre rivais políticos ou é c/ “Saulo/Paulo”??

    A prisão de Aécio – ainda Senador embora “afastado” (o que já não existe na Constituição) – vai claramente contra a LETRA da Constituição.

    Onde está o FLAGRANTE??

    “ACORDÃO”: COMEÇA O FIM DA LAVA JATO (“TOO BIG TO FAIL”, ESTÚPIDO!)

    Por Romulus & Núcleo Duro

    – A Medida Provisória que permite ao Banco Central celebrar acordos de leniência – secretos! – com os Bancos muda o jogo.

    – Esvazia sobremaneira o poder de chantagem da Força Tarefa da Lava a Jato – e de Palocci! – sobre o Mercado: a “bomba atômica” está em vias de virar uma…

    – … biribinha (!)

    – Esse fato – tomado isoladamente – é ruim para o PT. E para Lula (!)

    – Mas…

    – Sempre se pode contar com a estupidez dos Procuradores de Curitiba. Eles que – até agora! – ainda não entenderam que o Acordão é…

    – … I-NE-VI-TÁ-VEL!

    – Por quê?

    – Ora, “é o too big to fail, estúpido!”.

    – No caso, literalmente “estúpidos” M E S M O.

     

    LEIA MAIS »

     

  22. E brinca-se c/a ~verdadeira~ Bomba de Neutrons: Bancos!

    LAVA A JATO: “VISITA DA SAÚDE” (ANTES DA MORTE) – A DELAÇÃO DOS BANCOS POR PALOCCI

    Por Romulus & Núcleo Duro

    Aí vocês me perguntam:

    – Mas então você está tranquilo, Romulus?

    E eu respondo “tranquilamente”:

    – Não: estou APAVORADO!

    Enquanto o Dallagnol e cia. não entenderem que em Banco não se mexe (e eles não entenderam ainda, como verão mais abaixo…) e não aprenderem o que é “too big to fail”, “risco sistêmico”, corrida bancária e “alavancagem” de instituições financeiras (falidas contabilmente “de fato”), estamos correndo um ENORME risco.

    Imagina quantos novos seguidores o Dallagnol não pensa que vai ganhar no Twitter falando que “prende e arrebenta”…

    – … os Setúbal/ Aguiar/ Safra/ Dantas/ Esteves??

    Bancos:

    – Ruim com eles…

    – … HOLOCAUSTO NUCLEAR sem eles!

     

    LEIA MAIS »

     

    • Então, sou pelo holocausto nuclear, Romulus!

      Que Roma pegue fogo e arda por um bom tempo! Enquanto a classe média de merda que temos aqui não se foder de verde e amarelo, não vai aprender nada. A classe média tem que ir à lona e levar MUITO TEMPO para se recuperar, para aprender a largar mão de ser besta e apoiar golpes de estado. Se não fosse essa classe média de BOSTA, GOLPISTA, CALHORDA, FASCISTA, REACIONÁRIA e ESCROTA que temos aqui, não teríamos um décimo dos problemas que temos. Então, se for para FODER COM A CLASSE MÉDIA, sou 100% a favor.

      A classe média tem de aprender que ELA NÃO FAZ PARTE DA ELITE FINANCEIRA, ELA NÃO É CAPITALISTA, ELA NÃO DETÉM OS MEIOS DE PRODUÇÃO, ELA NÃO VIVE DE RENDA, ELA É ASSALARIADA…

      O que não da é aceitar esse raciocínio de que os bancos não podem quebrar. Esse raciocínio é canceroso. Por mim, os bancos (e muito mais) devem ser totalmente estatizados. Ou, então, o Estado tem de ter participação majoritária (95%, no mínimo) em todos os bancos estabelecidos no país. A lei da usura tem de voltar ontem. Tributar PESADAMENTE o capital especulativo. Pedágio PESADO para entrar e pedágio PESADÍSSIMO para sair.

      Por falar em classe média, o golpista-usurpador está fazendo acenos para esse grupo. Além de sugerir uma mudança no IR (para diminuir a maior alíquota), agora está ventilando fazer aquilo que 100 entre 10 coxinhas adorariam: dobrar o limite nas Lojas Franqueadas (Duty Free) de Chegada para US$ 1.000,00. Os imbecis não tem a menor ideia da função original de lojas franqueadas. A maioria dos países da OCDE – para os quais a coxinhada baba-ovo – não tem loja franqueada de chegada. Uma das únicas exceções é a Austrália. EUA, Candá, Japão, UE proíbem. Óbvio, você não vai estimular concorrência predatória no seu próprio mercado!

  23.  
    Entramos numa época

     

    Entramos numa época iluminada, não haverá mais espaço para quem só quer levar vantagens pessoais, seja político, empresário, juiz , procurador , jornalista, etc .

    Tudo de incorreto será iluminado, seja o que for e tenha o poder que tiver.  

    • Ah,  meu caro Pedro, se assim

      Ah,  meu caro Pedro, se assim sesse que bom não foria !  Ou você se refere à iluminação do Ministro Barroso ?

  24. Acordo para Anistiar Bandidos ?

    A maioria dos grandes capitalistas brasileiros têm valores escravagistas e nenhum compromisso com a construção de uma Nação Brasileira soberana, justa, evoluída social e politicamente. No geral são saqueadores e alguns são mandantes de assassinatos.

    Por serem bandidos sem escrúpulos, a elite econômica golpista usou uma reconhecida quadrilha para destruir os direitos sociais conquistados nos últimos 50 anos, vender nossos patrimônios, liquidar nossa soberania.

    O fato é que o golpe de 2016 não deu o resultado esperado. Os golpistas precisam dar um passo atrás, para num futuro breve voltarem a dar outro golpe, como tem sido constante na História do Brasil.

    Penso que será nefasta a consequência de “um grande acordo” anistiando os bandidos executores e os bandidos mandantes.  Os traidores estarão apenas se reorganizando para um novo golpe contra o Brasil.

  25. “Há na mesa as seguintes

    “Há na mesa as seguintes alternativas:

    1.     Eleições indiretas com Rodrigo Maia. Será uma tentativa de dar continuidade à quadrilha de Temer, mas com alguns acenos para setores de oposição. E eleições em 2018.

    2.     Eleições indiretas com Tasso Jereissatti. A delação da JBS destruiu essa ponte.

    3.     Eleições diretas-já.”

    Veja como é difícil fazer acordos com bandidos e golpistas. A alternativa mais correta que seria a devolução do governo e um pedido de desculpas à presidenta Dilma, a prisão de todos os golpistas sejam deputados, senadores, empresários, juízes, procuradores, policiais federais, etc etc   não está nem sobre a mesa.

    Se os golpistas não sofrerem um revés o mais duro possível sempre existirão àqueles que se sentirão tentados a aplicar um golpe contra a democracia.

     

    • Reformas sem arreglo.

      De pleno acordo, Jossimar. Quando o Congresso não aprovou as eleições diretas em 1984, um dos apoiadores do Golpe Militar, Tancredo Neves (era o favorito de João Figueiredo, dito pelo próprio ditador), que discursava pelas Diretas-Já em frente às câmeras e nos palanques, por trás confabulava com ACM, que lhe garantiu os 22 votos indiretos da Bahia, que o elegeriam. Na morte suspeita de Tancredo, Sarney, ilegalmente, assumiu a presidência “por uns dias”. à boca pequena, gente bem-informada dizia que tinha sido um tiro de 22 à queima-roupa.

      Se Tancredo assumisse, havia o risco de Ulyses Guimarães ganhar superpoderes, isso arrepiava o pêlo dos generais mais nazistas, pois sabiam que a esquerda iria aproveitaria os ventos favoráveis e iria com tudo pra cima deles. Sarney era de confiança da Ditadura, tinha sido presidente do partido que sustentava o regime assassino e entreguista. Sarney cumpriu a Constituinte, mas com mão de gato, negou a constituinte exclusiva, o que deu espaço para o Centrão e suas posições fascistas.

      Portanto, sempre que houve arreglo, o povo sifu. O professor Ildo Sauer, da Escola Politécnica da USP, que Lula nomeou para a diretoria da PETROBRAS, depois de uns dois meses no cargo foi encontrar-se com o presidente. E disse-lhe “Lula, a roubalheira na PETRO(BRAS estava escancarada. Precisamos prender os bandidos. Lula contemporizou. Alegou que não iria para cima de FHC, que o PT deveria olhar pra frente e construir um novo Brasil. Irritado, o professor da USP demitiu-se, achou que não tinha jeito. E ele estava coberto de razão. Se Lula não tivesse feito o arreglo, os atuais dirigentes do país estariam na cadeia e nós teríamos um ciclo de desenvolvimento de 30 anos seguidos.

  26. Após ler as análises precisas

    Após ler as análises precisas do Nassif é quase impossível dizer alguma coisa.

    Parabéns!

  27. A Missão de evitar o caos, a guerra civil ou a intervenção milit
    Nassif propôs um movimento de unidade progressistas “Às forças democráticas resta o desafio de construir uma alternativa política e econômica viável, os estudiosos trazendo seus diagnósticos, as lideranças conversando e definindo, os contornos de um novo pacto. Ou então, o caos.

    Já escrevi a respeito da urgência e necessidade de unir forças democráticas,
    chega de inércia, urge o tempo.

    Poucos são os que têm a nítida compreensão da gravidade e do perigo do avanço do estado de exceção e do terror de estado no Brasil.

  28. Nassif…

    Nassif,

    É como no principal diálogo do Coração das Trevas, de John Corad:
    – O horror, o horror…

    A JBS, cujo mudança o controle acionário a tornou norte-americana, emplaca uma delação do tipo ‘ficamos livres em Nova Iorque’ pagando uma multa e pronto.

    O Brasil caminha sobre a pinguela, ignorando que o futuro trará enormes desafios.

     

  29. Xadrez de Janot na estrada de Damasco e o fundo do poço

    “As Crônicas de Sarah Connor” tratam de um dilema impossível: como firmar um pacto entre humanos e ciborgues.

    John Connor, o líder da resistência, sabe que apenas com seus próprios recursos os humanos não serão capazes de vencer os ciborgues. e alguns dos ciborgues não tem mais como objetivo a extinção da Resistência, descobriram ter algo a se aperfeiçoar com os humanos.

    então os dois grupos começam a trabalhar pela mesma causa: o fim da guerra de extermínio.

    ciborgues reprogramados estão a serviço da Resistência. e o modelo mais avançado de ciborgue (T1001, upgrade do modelo T101 de metal líquido e capaz de assumir qualquer forma) pretende se juntar à resistência. complicações acontecem, os humanos o decepcionam. o T1001 decide seguir noutro rumo. sua reposta para John Connor é NÃO, mesmo que ambos quisessem uma aliança para superar o conflito.

    o T1001 volta ao passado para desenvolver uma outra IA, para se contrapor a SkyNet. esta nova IA obrigatoriamente deve incorporar valores humanos: ética e respeito à vida.

    o principal assessor de John Connor, e seu fiel protetor no passado, é um ciborgue que um dia já foi uma adolescente humana. talvez por isto seja apaixonada pelo líder da resistência, como se ciborgues fossem capazes de amar…

    o principal professor de John Henry, nome da IA desenvolvida pelo T1001, é um humano, ex agente do FBI e religioso praticante. apanhado no coração de um conflito além de sua compreensão, o “homem da Bíblia” aos poucos se rende ao espantoso desenvolvimento de uma IA incorporando características humanas.

    neste enredo onde quase todos tem algo a esconder, com muitas traições e contra-golpes, nem sempre o caminho mais óbvio conduz ao êxito.

    mas isto não passa de uma série já antiga de TV. fantasias. na realidade atual da política brasileira, tudo é ainda muito mais complexo e difícil de resolver.

    ou não?

    a realidade atual da política brasileira é que seria como uma série de TV, um thriller semiótico-linguístico, enquanto na realidade fomos apanhados no coração de uma guerra além de nossa compreensão.

    vídeo: Terminator The Sarah Connor Chronicles (2008) Season 2 Episode 19- “Today is the day”

    [video: https://www.youtube.com/watch?v=2859E0Jpxyw%5D

    .

  30. Bola fora

    Então, porque “o portal da PGR divulgou o questionamento de leis de municípios que vetaram material sobre ideologia de gêneros nas escolas, etc. etc.” já sinalizaria alguma recuperação do MP???!!! Isso tudo são questões pra lá de periféricas, que a direita assimila com tranquilidade. Os republicanos estadunidenses são bem “avançados” nesses temas e nem por isso deixam de ser a favor da máxima exploração do capital! Quanta ingenuidade! Questões de gênero significam muitíssimo pouco para o que vivemos politica, economica e socialmente. Tangenciar por esse viés é um enorme equívoco!

    Como não há motivos para manter presa a irmã, mas há para prender o Aécio? Não era ela a responsável pela montagem do esquema do irmão, principalmente no flanco midiático? Não se deve confundir o suposto achincalhe no ato da prisão com os atos pelos quais ela é responsável. Nessa batida, poderia se argumentar: prender alguém pra quê? Mas se a detenção é regular, prevista em lei e esta é rigorosamente respeitada, qual o problema? Depois de tudo o que se divulga, aqui mesmo, do que a dupla fez em Minas Gerais, não entendo a seletividade das punições. Se um é bandido, a outra é, no mínimo, cúmplice.

    A Alternativa A tem muito de “wishfull thinking” e, contraditoriamente, aceitação subliminar da pauta golpista da Globo: reforço do MP e aceitação acrítica de denúncias propagadas por um veículo do grupo.

    Bola fora.

  31. Obvio que nao vai acontecer.

    Para se acreditar em um país sério só faltaria o MPF investigar os negócios da FIFA-Globo, do IDP de GIlmar Mendes com o Tribunal de Justiça da Bahia e o enriquecimento de José Serra.

    Falta também inocentar Lula e dar parecer pela anulação do golpe.

    Obvio que nao vai acontecer.

  32. JK está para Lula assim como Mazzilli está para Temer.

    JK está para Lula assim como Mazzilli está para  Temer. Tal como Lula, JK foi acusado pela máfia midiático-penal de ser corrupto e de ser dono de triplex. Tal como Mazzilli, Temer será substituido por um Castelo Branco, mais palatável às massas ignaras. Dando sequênia ao script golpista de sempre, a direita procura erradicar do cenário politico a esquerda..,.interessante se notar que, quando o campo progressista é eleito, convive tranquilame com a direita, no entanto basta que a direita suba a rampa do Planalto, geralmente através de golpe uma vez que sem chances pelo voto, a primeira coisa que fazem é darem inicio a um processo de destruição da esquerda, o Escola Sem Partido faz parte deste marcathismo: o caso Miriam Leitão se insere nessa lógica de erradicação da esquerda através de uma campanha que visa transformar em  “terroristas” a oposição ao regime golpista, já vimos este filme.

    Em 128 anos de republica, 13 presidentes não terminaram seus mandatos, ou seja, um a cada 9 anos. E 7 golpes de Estado, ou seja, um a cada 18 anos. Temos a elite mais salafrária  do mundo, enquanto a Senzala não fizer uma coisa que nunca fez neste pais, ou seja, não se rebelar, este ciclo perverso continuará a se repetir.

     

  33. Qual é o golpe?

    O golpe era derrubar Dilma, esperar completar dois anos do mandato, derrubar o foratemer e sair gritando por eleição indireta em nome da nossa pobre constituição. E o Nassif acha que um raio caiu sobre o pgr quando Joesley fez sua delação.

    Lendo a entrevista que Joesley deu a uma revista ontem, fica claro que é a continuidade do golpe. Dizer que esse modelo de corrupção é do tempo do PT, é o mesmo que retornar de um estado de coma profundo depois de 30 anos. Acho que o Joesley  não leu ” A privataria tucana”, só pra citar os anos 1990.

    Que o golpe está em andamento, não tenho dúvida. Mas algumas peças precisam de encaixe. A prisão da irmã do Aécio é uma delas.

     

     

  34. O país pode estar mais

    O país pode estar mais próximo de um pacto político, ou melhor dizendo, mais próximo do fim do jogo, do qual o povo não participa, porque seu meio de campo, a classe média, joga contra. A economia em recessão reduz o bolo a ser repartido entre as castas poderosas, ainda que a fatia do povo seja cada vez menor. O centro avante do povo, Lula  está ameaçado de expulsão   pelo estado de exceção e pela grande mídia fascista .A crise global do capitalismo poderia ser altamente benéfica para a economia brasileira, como ocorreu em crises semelhantes no passado,   a par do crescente poder dos BRICS. O golpe de Estado de 2016  também está vinculado a esse cenário mundial, uma vez que, em um único golpe a economia brasileira foi arrastada para uma crise sem precedentes e a quadrilha que tomou o poder afastou o Brasil dos BRICS e se aproximou incondicionalmente dos norte americanos. O grande capital & grande mídia, ou seja, o deus-mercado e sua trombeta é que, de fato, jogam os dados, devidamente marcados. Nesse jogo não há regras, a única variável é o tempo e o jogo termina quando o jogador atinge seu objetivo. Janot, Moro, Gilmar, Barroso, Temer são figuras que, isoladamente, não teriam nenhum poder significativo, são os dados que o deus-mercado está jogando, marionetes com 15 minutos de fama e altos e autos privilégios. O vencedor do jogo, que tem apenas um jogador e cuja torcida nada entende ou está alheia a tudo, levará como prêmio um país-continente e tudo o que ele contém, inclusive os sonhos da torcida.   

  35. Sem pejo algum

     

    Por todas as divulgadas imoralidades, roubalheiras, inseguranças, vergonhosas ações, inclusive as entreguistas (as divulgadas), mais os nojentos projetos de retirada de direitos dos trabalhadores – finalmente – o povo e as elites estão acordando para a inviabilidade do governo Temer, escancarada aos olhos de todo o mundo, confirmado no grande desastre da economia golpista, externado na ampla descrença geral, interna e externa.

    Finalmente, Temer e sua camarilha estão com os dias contados.  Vai cair, não por ser ultrajante governo entreguista, por comandar perigosa quadrilha, ou ainda, por outras tantas sérias acusações, mas porque, a toda poderosa Globo agora parece que está querendo derrubá-lo.

    Trocando em miúdos, se a Globo resolve mudar de opinião, voltando a dar forte apoio ao ilegítimo governo golpista, e então, Temer ficaria onde está, por muito e muito tempo.

    Alguma dúvida?

    • A  pergunta é: Porque a globo

      A  pergunta é: Porque a globo resolveu derrubar o temerário?

      Alguém já disse: “quando a globo QUER é porque é RUIM para os brasileiros e quando a globo NÃO QUER é BOM para o povo brasileiro”

      A situação atual mostra isto claramente:

      – A globo Não queria a Dilma e o PT no governo e foi o principal ator de sua derrubada. Isto se mostrou péssimo para os brasileiros.

      – A globo queria o temer no governo para arrebentar com os direitos trabalhistas e previdenciários dos brasileiros. O tempo mostrou que isto foi péssimo para os brasileiros. 

      Agora a globo não quer o temer. será que achou alguém capaz de praticar maiores barbaridades ainda contra o povo?

      O que o povo brasileiro deveria querer com prioridade máxima é o fim da globo com prisão dos marinho.

       

  36. Que venha o caos!!

    Nos pactos, o povo entra com o lombo, e a elite com o chicote.

    Abaixo os pactos!!

    O que intelectuais chamam de “caos” é o levante popular que põe abaixo as instituilções apodrecidas.

    Que venha o caos!! Urgente!!

    • Roberto,
      Estou contigo e não

      Roberto,

      Estou contigo e não abro.

      Parte das classes dominantes sempre veem com esta conversa: ou o acordão ou o caos; Na verdade, o recado deles é: abram mão de todos os seus direitos, pois se insistirem nisso, correm o risco de perderem ainda mais.

      Só esquecem que eles também podem perder tudo, então é hora de as forças progressistas correr este risco.

  37. dimensão de mario covas

    Será que o senhor mario covas tinha tamanha assim? Uso letras minúsculas de propósito!

    Como professor da rede pública paulista, rejeito essa tese. Foi ali que acelerou-se o desmonte da educação pública paulista.

  38. “No Novo Testamento (Atos 9),

    “No Novo Testamento (Atos 9), quando Saulo (depois chamado Paulo) cai de seu cavalo na estrada para a cidade de Damasco e recebe a visita do próprio Jesus, se convertendo ao cristianismo.” …

    …e se tornando um dos apóstolos, talvez sendo o escolhido por Jesus, para ocupar o espaço deixado por Judas Escariotes, aquele que apesar de traidor for considerado como apóstolos por Jesus – evangelho lido hoje na igreja católica, (Jesus chamou os doze discípulos e deu-lhes poder para expulsarem os espíritos maus e para curarem todo tipo de doença e enfermidade. Estes são os nomes dos doze apóstolos: … e Judas Iscariotes, que foi o traidor de Jesus (só que ele, logo após trair viu o erro que tinha cometido e deixou claro seu arrependimento em seu auto julgamento e desocupação do lugar de apóstolo). (Mt 10, 1-4)

    O número 12, simbólico para o judaísmo, e o lugar deixado vago por Judas, pode muito bem simbolizar aqueles e aquelas que Jesus no decorrer dos tempos suscita como apóstolos. O golpe do impeachment da presidente eleita Dilma Roussef, contou com todo tipo de baixaria misógina, que pecadores, falsos lideres religiosos, “católicos” e outros mais empregam quando querem manter as mulheres sobre seu domínio. Não dá mais para se aceitar, os golpistas são MISÓGINOS LADRÕES.

    Verdadeira Política e Verdadeira Religião, respeitam a igualdade de direitos previstas na Constituição, que nada mais é que o entendimento do evangelho de Jesus Cristo.

  39. Quem descaradamente jogou

    Quem descaradamente jogou dados com a política brasileira, foram os falsos apóstolos de Deus, acreditando que passariam desapercebidos e a todos fariam de tolos, com suas “santa missa” da grobo. Oh! corja de ladrões!!

  40. FHC DÁ ULTIMATO À GLOBO? OU ACABA A LAVA JATO OU ELEGEMOS LULA?

    FHC DÁ ULTIMATO À GLOBO? OU ACABA A LAVA JATO OU ELEGEMOS LULA PRESIDENTE? (E COM LEY DE MEDIOS?)

    Por Romulus & Núcleo Duro

    Vamos para mais uma rodada de análise, pessoal?

    Destaques:

    Ouviram a última?

    – FHC “quer” (aspas!)… “Diretas Já”?!

    – Será que “quer” mesmo?

    Ou…

    – Apenas se utiliza do “fantasma” de Lula, favorito nas pesquisas ~hoje~, para dar um ultimato à Globo e aos juristocratas:

    – Ou param com a caçada e o abate da classe política (ou pelo menos dos meus amigos) ou…

    – Vem aí o governo “Lula 3”!

    – E, “depois de tudo o que vocês fizeram”, certamente desta vez com Ley de Medios (!)

    Mas…

    – O PT e Lula estão dentro ou fora do Acordão?

    – Aliás, nesse tocante (e em todos os demais…):

    – PT = Lula??

    – Blogosfera “progressista” e o “Fora Temer” ~da~ GLOBO: mais uma vez, a dificuldade/ falta de vontade de sair da pauta imposta pelo Cartel Midiático. Comem o “prato feito” – e sem reclamar muito!

     

    LEIA MAIS »

     

  41. Os envolvidos no golpe

    Os envolvidos no golpe destruíram tudo que existia e agora vão é tentar reconstruir a casa de acordo com a planta deles. O campo progressista não deve se iludir com pactos, acordos, conciliações, etc visando o “bem do brasil”. A ação de dória e alckmin e na Cracolânidia é a metáfora da coisa toda: expulsaram os indesejáveis e vão derrubando tudo para entregar à especulação imobiliária parceira.

  42. Xadrez de Janot na estrada de Damasco e o fundo do poço

    A saída lógica para essa baderna institucionalizada é a anulação do impedimento de Dilma.

    Coisa que não se espera de um stf diminuto como o que temos.

    As excelências apenas aguardam, pacholentamente, que a Globo defina a data para a saída de Fora Temer.

    Essa data depende do acerto do assim chamado congresso, para a definição do sucessor.

    Definido o nome, possivelmente o “príncipe das trevas”, garantida a entrega das encomendas, o Fora Temer é levado aos costumes. 

    Ali passará um ou dois anos na prisão e depois sairá para cuidar do filho, nesses casos vem ao caso.

    A Republiqueta de Curitiba continuará com suas operações estabanadas, ao arrepio da lei, face vivermos em uma época excepcional que possibilita o estupro constitucional legalizado.

    Não se pode duvidar de uma “subida” ao stf do ocaso legal havido no tambem reduzido tse, dando chance  a que, após a saída do Fora Temer, Dilma seja também tornada inelegível.

    Não se ponha a salvo da possibilidade do ruim piorar.

    A única saída é a movimentação popular.

    Pacto significará, como sempre, a submissão da esquerda. 

  43. Deus não joga dados, mas,

    Deus não joga dados, mas, como Ele dá liberdade para o ser humano, os dados são jogados e quando uma pessoa comete um erro grave, de qualquer forma, Deus, usa esse erro grave como uma alavanca para operar uma graça muito maior. 

    ‘ masonde foi grande o pecadofoi bem maior a graça,    para queassim como o pecado havia reinado através da morte, do mesmo modo a graça reine através da justiça para a vida eterna, por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. (Rom. 5,20b-21)

    (* 12-21: …. pois o dom de Deus supera de longe o pecado dos homens.)

     http://www.paulus.com.br/biblia-pastoral/_PYQ.HTM#GSGG 

  44. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome