Xadrez do coordenador da cooperação internacional

Vladimir Aras é o procurador responsável pela Cooperação Internacional na Procuradoria Geral da República. Além de ter-se tornado o principal estudioso brasileiro da matéria, Vladimir tem um amplo histórico de atuação penal, inclusive com participação ativa na Operação Banestado.

É um dos poucos procuradores da Procuradoria Geral da República que não se esconde de conversas de esclarecimento e não pratica o direito à informação do inimigo.

Conversei por hora e meia com ele em Brasília, para entender melhor alguns pontos da cooperação internacional e do seu principal mote: a luta contra as drogas.

Abaixo, um resumo da entrevista, em que a palavra é de Aras:

Sobre políticas internacionais antidroga

Passou a hora de rever ideias do governo Nixon, que inspiraram  a atual política contra drogas.

A comunidade internacional sempre teve idas e vindas em relação ao tema. As primeiras proibições foram em países islâmicos, na nossa idade média. As primeiras proibições globais começaram no século 20, com a Lei Seca, contra o álcool. Em 1961 houve a Convenção Única e em 1988 o Plano Global. Ali começa a luta contra lavagem de dinheiro.

Nos anos 70, com Nixon, os EUA lançaram a guerra contra as drogas. Chegaram a violar o direito internacional para capturar Manuel Noriega, presidente do Panamá. E ele deveria ter sido extraditado.

Esse tipo de combate às drogas gera mais crimes do que impede.

A organização criminosa de narcotráfico segue uma lógica empresarial, uma lógica capitalista. Para isso tem alguns métodos convencionais de corrupção e tem seus próprios métodos. Se tiver um opositor, a quem recorrer? Certamente não será ao CADE (Conselho Administrativo de Direito Econômico). Ou recorre à polícia corrompida ou usa seus próprios meios.

Sobre os cartéis do narcotráfico

Nos últimos anos, os cartéis estão progredindo visando controlar todo o ciclo da droga. Dificilmente o setor é invadido por “empreendedores” de fora. Só ocorre quando surge uma nova rota, que passa a ser ocupada por um cara que já tenha sua frota operando.

A Cooperação com países ibero-americanos surgiu com o Acordo de Bogotá, com foco no tráfico interoceânico, saindo por containers rumo aos portos europeus.

Constatou-se que o modelo mais rentável de transporte eram as pequenas embarcações interoceânicas, os iates. Em 2012 um veleiro adernou em Aracaju com 300 kg de cocaína. Ocorreu que a Polícia Federal não tem lancha e a Marinha dispõe de poucas embarcações.

Leia também:  Governo não encontra pedido de cooperação entre Lava Jato e EUA

Hoje em dia há uma rota aérea para a América Central, rotas terrestres da Bolívia, Colômbia, rota marítima para Portugal, os chamados rios de dinheiro, na Amazônia, por onde o tráfico vai até os portos brasileiros.

Sobre o processo penal

O excesso de população no sistema prisional se deve à luta contra as drogas e alguns problemas no nosso processo penal.

O processo penal brasileiro mantém o formato do século 19. Hoje em dia, fala-se em direito penal mínimo, na lógica da intervenção mínima, se atendo apenas aos fatos impactantes do interesse público. Para funcionar teria que dar margem ao procurador para propor ou não as ações. No entanto, o Código atual, de 1942, estipula que todo crime tem que ser investigado, uma utopia impossível até em estados totalitários.

Uma vez proposta a ação penal, não se pode desistir. Se o MP pedir absolvição, o juiz pode condenar. Se o MP recorrer da sentença, aceitar os argumentos da defesa e mudar de ideia, não pode desistir: é obrigado a ir até o final. Essa é a resultante do chamado Princípio da Obrigatoriedade da Ação Penal.

No Reino Unido, o MP baixa diretrizes dizendo quais os requisitos observados para propor a ação penal.  O mesmo é praticado nos Estados Unidos.

Esses temas compõem a chamada análise econômica do direito – ao lado de outros, como o princípio da insignificância. Não só abrem espaço para a discricionariedade da ação penal, mas também para os acordos penais.

O MP poderia fechar um acordo com quem propõe a ação, matando o inquérito. Por exemplo, acordo penal de primeira audiência para pequenos furtos. Mas o código de processos impede.

Sobre a cooperação internacional

A Convenção da OCDE sobre cooperação administrativa em matéria tributária, não é penal.

Já o papel da Cooperação de Inteligência Financeira, da qual faz parte a COAF, é de controle não penal da legitimidade do dinheiro que circula no sistema financeiro global. Trata-se de uma cooperação direta entre os órgãos de controle.

Existe uma malha policial tradicional, coordenada pela Interpol. E uma malha jurídica, constituída pelo MPF, pelas aduanas, órgãos fiscais e agências anticorrupção, tipo CGU.

E existe a interação entre as várias entidades.

Leia também:  A encruzilhada econômica chamada Paulo Guedes, por Luis Nassif

A Convenção da OCDE para cooperação administrativa em matéria tributária, por exemplo, liga fiscos globais.

Se um brasileiro tiver conta em banco de país signatário, a partir de setembro de 2018 haverá comunicação automática às autoridades fiscais brasileiras.

Desde 1o de janeiro esse acordo já está assinado com a Suiça. Mas ainda não foi automatizado. De qualquer modo, a Receita já pode obter informações sobre as contas de lá.

Sobre a cooperação intermediária

Surgiu na Europa como 3o momento da cooperação internacional.

Momento 1 – Cooperação por via diplomática. As primeiras cooperações surgiram 15 séculos antes de Cristo, entre o Egito e uma das civilizações da época. Servia só para extradição e dependiam do agente diplomático.

Momento 2 –  A partir dos anos 60, com o incremento da complexidade das relações jurídicas na globalização, mais comércio, mais dinheiro limpo e sujo indo e vindo, houve a necessidade de se montar estruturas mais fluidas. Saem os diplomatas e entram os órgãos especializados. Aíí surgem as autoridades centrais.

A primeira, criada no final dos anos 60, foi a Procuradoria Geral da República em 1968 para gerir a Lei de Alimentos. O Brasil já era parte da Convenção de NY de 1956 de cobrança de pensão. Em 1965 decreto indicando a PGR em Brasília. E em 68 a Lei dos Alimentos para PGR.

Em 1993 Tratado Brasil-Itália em matéria penal (não a extradicional) foi o primeiro tratado bilateral e foi indicado o Ministério da Justiça como autoridade central. Em 1994, para Portugal, foi indicada a PGR.

Na maior parte dos tratados ficou sendo MJ. Em 2009, com Lula, o Tratado Brasil-Canadá colocou a PGR como autoridade central. Como tal, o PGR apenas carimba, pois se trata de ato puramente cartorial.

A Cooperação internacional é um trecho do processo penal. E  a Constituição dá autonomia ao MPF no processo penal, assim como ao Judiciário. É matéria estatal, puramente governamental, porque envolve atribuições constitucionais de outras instituições.

Momento 3 – a cooperação direta. Nesse caso, não tem mais a autoridade central ou diplomática. No entanto, no Brasil não existe cooperação direta válida para fins processuais penais. Não é possível ao MPF validar provas com MPs de outro país. Assim como não é possível o juiz estrangeiro mandar provas diretamente para o juiz brasileiro.

Hoje, é usado só para fins da inteligência, mas é o futuro da cooperação. Posso saber de um colega o que ele tem no computador e a informação poderá servir de elemento de inteligência, mas não de prova.

Leia também:  Aras defende vacinação obrigatória contra Covid-19 pelo governo Bolsonaro

Nos cibercrimes há mais flexibildade.

Por exemplo, suponha situação em que FBI identifica que pai degenerado vendendo fotos do filho, e prometendo a pedófilos. Para interromper o crime, haveria necessidade da denúncia passar pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, pelo Ministério da Justiça no Brasil e pela PGR.

Por isso, muitas vezes a polícia recebe diretamente a informação, usa diretamente nos autos e realiza as diligências.

Já há alguma jurisprudência no TRF1 TRF4 para cooperação direta na criminalidade instantânea. 

Sobre as informações sobre Petrobras

Na viagem que a PGR fez aos Estados Unidos, não fomos entregar documentação. Não foram reuniões de trabalho. A troca de papéis é pelo canal formal. O que houve foram reuniões para acertar cursos de capacitação de procuradores, preparação de seminário internacional sobre terrorismo.

Na mesma viagem foram Deltan e Carlos Fernando (procuradores da Lava Jato), com uma agenda distinta do PGR.  Mas s investigações fora da cooperação internacional. Todas as provas que obtivemos nos EUA foi pelos canais formais.

Há pedidos dos americanos que ainda estão pendentes de atendimento. 16 países fizeram requerimentos para obter informações sobre as empresas brasileiras. Alguns foram atendidos, outros não, mas a autoridade central aí é o Ministério da Justiça

Todas as informações – inclusive sobre a Eletronuclear, que você perguntou – foram levantadas pelos procuradores, não pela PGR.

Quanto aos acordos com autoridades norte-americanas, depende de cada pessoa. O cidadão é livre, recebe a notícia que está sendo investigado nos EUA. Os advogados entram em contato com as autoridades norte-americanas e fazem acordo.

No Ministério Público há procuradores de direita e de esquerda, mas não há traidores do país.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

48 comentários

  1. Não tenho como discordar de

    Não tenho como discordar de nada, exceto um ponto….

    “No Ministério Público há procuradores de direita e de esquerda, mas não há traidores do país.”

    Quando um procurador “proteje” um corrupto, por hipótese, do psdb – ele está enfraquecendo a pátria, tirando do povo o que fortaleceria o povo.

    Frase bonita, tem efeito, mas não traduz a prática…

  2. A história ñ absolverá a Lava Jato

    A Lava Jato atuou deliberadamente pra criar o clima que permitiu o golpe de 2016 (o timing de Sérgio Moro já foi analisado aqui).

    A Lava Jato disse expressamente que a) combatia o “capitalismo de compadrio”, que segundo eles era praticado nas empresas brasileiras; e que n) era pró mercado, justificando dessa forma o desmonte do setor de engenharia nacional.

    A Lava Jato busca holofotes para os seus protagonistas às custas da auto estima e da imagem nacional.

    A Lava Jato caga pro país e já disse com todas as letras que somos uma nação de degenerados, enquanto os estadunidense são valorosos e corretos.

    Só posso concluir que ali no MPF o que mais existe é traidor do país, é gente que tem vergonha de ser brasileiro e faz de tudo para se descolar de nós e agradar a cúpula do Poder global.

    • Se a seletividade punitiva e

      Se a seletividade punitiva e a falta de compromisso com a economia real da Lava Jato chegar ao BNDS estaremos fudidos.

      Consultorias especializadas dizem que os procuradores estão sedentos pelo grupo JBS e que se eles conseguirem entrar nele podemos esperar a quebra da pecuária brasileira com a arroba descendo aos R$ 80,00 e desemprego jamais visto no campo.

      E digo isso com a convicção de que a Lava Jato não está nem aí pra corrupção, mas que só quer holofotes a todo custo, além de destruir as empresas nacionais sem se importar com as consequências, seja lá por qual motivo for.

  3. E quem é o dono dessa Cooperativa?

    Quem são os cuperados?

    Sei. O Lennon também sabia, segundo o Maluco Beleza.

    Diria o Mala italiano que o Brasil não é famoso por seus juristas, mas por suas dançarinas, O Gilmar Mendes não sai da Europa. Qualquer boca livre ele tá lá, na garapa. Pense num garapeiro nato, é o Gigi.

    O que ele acha dessa Cuperativa Jaboticaba dativa?

  4. Passou da hora é do cidadão comum acordar!

    Interessante as credenciais do entrevistado : “Vladimir Aras é o procurador responsável pela Cooperação Internacional na Procuradoria Geral da República. “….tem um amplo histórico de atuação penal, inclusive com participação ativa na Operação Banestado.”

    Atuação da PGR, Cooperação Internacional, Caso Banestado….Operação lava jato….. Precisa desenhar, minha gente? Isso é o Brasil-em-ação na sua mais pura tradução. Ah…se o país fosse sério e tivesse um povo conectado com a realidade dos fatos.. Sim, porque as idéias nem sempre correspondem à realidade dos fatos, simples assim.. Apesar de todo o esforço, quem não conhece o BR que o compre do jeitinho que é vendido. Eu, pessoalmente, prefiro é  encarar a realidade do jeito que ela é !

     

  5. Dá um tempo Nassif! Se o cara

    Dá um tempo Nassif! Se o cara é o responsável pela “cooperação” internacional, é lógico que é vendido. Deixa de ser poliana. Palhaçada. Esse cara é um Moro mais sofisticado. Para enganar quem fica nessa.

    Não há a menor dúvida, e se ficar será que é ou não é, o Império come e já era. A coisa está muito clara. Não tem xadrez nenhum, é a piranhagem do intreguismo puro e simples. Porra dá um tempo!

    Mais um caozeiro a enganar o Nassif. Joga fora esse post vaselina e vamos para o pau. Que perda de tempo

    • Curto e grosso: é “piranhagem” mesmo!

      Caraca !!!!! Juliano, nessa do ” post vaselina”, “piranhagem do intreguismo” e “o Império come e já era” você foi fundo e cravou ! Morri de rir aqui, apesar da situação ser triste pacas…prá todos nós. 

    • “não se esconde…”

      Realmente, para responder assim não precisa se esconder mesmo!! Mas o Nassif ta só fazendo o trabalho dele: não dá pra ele entrevistar um figurão desses, não gostar do produto e ignorar a entrevista, como fariam certas empresas “mais bem estabelecidas no ramo”. Afinal, quem sabe não da pra conseguir uma entrevista mais bem sucedida no futuro? Jornalismo é uma ramificação da politica.

  6. Se entendi direito o Dalanhol

    Se entendi direito o Dalanhol e o Carlos Fernando  foram com agenda separada para os EUA.

    Praticamente explicado o caso da Eletronuclear…

     

  7. Mentalidade direta dos anos

    Mentalidade direta dos anos 70.  Nao sabia que ja existe procurador tao avancado assim.

  8. sentide de estado? o seu estado de bem estar!!!!!

    De uma expressão da língua do Dante para este senhor que não é de direita nem esquerda nem de cima nem de baixo:

    “Predica bene ma razzola male”

    Aguardo a entrega da Amazônia para o bem do país e a salvação da alma….tamos fu..

  9. Olha só ai na foto o tipo, o perfil dos nosso procuradores do MP

     

     

     

    Olha só ai na foto o tipo, o perfil dos nosso procuradores do MP, com exceções claro, mas no geral são isso ai: burros até dizer chega

     

    Espero que o Nassif encare essa fala do Aras como direito de resposta de janota, o que é natural.

    Esses caras não foram preparados para defender o interesse nacional, nem sabem o que é traição à patria, prensam que  defender o interesse nacional é ficar de quatro pro Tio Sam…o que o MPF fez senão destruir a nossa geopolitica, os mercados que o Brasil conquistou mundo afora a patir de Lula…que abusrda a fala desse procurador…como o Nassif caiu nessa, heim…creio que sua  intenção ao publicar isso seja apenas a de dar direito de resposta a esses traidores, claro, jamais assumirão a trairagem, talvez nem saibam o que é isso, nunca estudaram isso, ah sim, estudaram, nos EUA, para a defesa dos interesses americanos.

    O xadrez a ser desvendado está em vários documentos e peças e fatos as serem juntadas no tabuleiro,e há muitos…ou será que Hillary cooptou Marcelo TAss por nada só porque ela se encantou pela careca dele..vai ver que a NSA espionou Dilma e a Petrobrás assim sem motivo..o que fez o MPF senão referendar inclusive os vazamentos como o grampo contra Dilma..onde estava o MPF, onde estava o Dalanhol senão feito uma Maria Louca convocando coxinhas nas ruas para dar o golpe de Estado…..os caras conspiraram contra a democracia e o Estado democrático de direito e vem com esse blablabla que vejo nada mais nada menos como um direito de resposta para enganar trouxas…será que vão devolver a vida de Dona Marisa, mais um caso como da EScola Base, quem foi o responsavel senão, dentre eles, o MPF, aliás, o ponto-chave para destruição do nosso pais, …e se isso não for crime de traição é o que mesmo heim….

    .absurdo e totalmente tacanho este ponto de vista do procurador..o que tem feito o MPF senão referendar os abusos de Moro e da midia entreguista…basta fazer um levantamento e isso não vem de agora…,,o que dizer do papel e do paper de Moro, publicado em 2004 em que ele defende a desnacionalização da economia nacional, ou seja, defende o entreguismo. E Moro não fez isso sozinho, a encomenda está ai e só foi possivel com a ajuda do MPF. E os cursos de treinamento que estes funcionários publicos fizeram nos EUA estão no contexto da dominação americana da qual faz parte o desmonte de paises no Oreinte Médio, com a cooptação de funcionários, …com o vim da guerra fria a desculpa dos EUA para continuar cooptando funcionarios publicos e subjgando ovos  foi o combate ao tráfico internaciional de drogas e assim plantou bases militares mundo afora…,.depois os EUA se sofistica e vem com o bláblá de combater ditaduras no Oriente Medio desde que não se inclua ai a ditadura da aliadissima Arabia Saudita….os EUA sempre achou uma brecha para cooptar funcionarios publicos e lideranças e, no brasil, a desculpa para a dominação foi o combate a corrupção como se eles americianos fossem uns santos…e ai o Brasil, com ajuda do MPF entrega a Petrobrás, entrega o Brasil, destroi a democracia  … .e ai vem esse procurador com essa conversa fiada…..menos ne meu caro…..

    Nassif que tal fazer um contraponto a essa fala do Aras, seria bom uma entrevista com o cientista Moniz Bandeira, cai na fala mole desse procurador não, claro que ele não vai entregar o ouro, fora alguns, como o Aragão, a coorporação vai sempre puxar brasa prá própria sardinha, não tá nem ai para o pais…..não defendem o interesse nacional e agora vão todos se lascar pois o pais tá indo a falencia,…o Trump veio com outra politica, totalmente protecionista e isolacionista e agora o MPF quer tirar o corpo fora porque sabe que traiu o pais, sabe que pisou na bola…só falta prender ou matar o Lula para completar a trairagem….é claro que o MPF jamais vai assumir os crimes de lesa-pátria que tem tem praticado, é tudo muito dissimulado….não dá prá acreditar nessa conversa prá boi dormir: ah, não somos traidores….hum,,,e se fossem, como seria heim…pintaram e bordaram, aramaram contra a democracia, serviram, junto as demais Instituições convertidas em Organizações Criminosas, em conluio com a midia bandida e o mercado comandado pelas famosas forças ocultas conspiraram,..procuradores foram as passeatas pro-golpe, proibiram o debate nas universidades, prenderam reitores e agora vem com essa resposta ridicula; sim apenas, isso, direito de resposta de resposta de traidroes que jamais vestirção a carpuça: são covardes e medrosos, isso sim

    ocomentos secretos mostram que Trump herdou FBI com muitos poderes ocultos

    http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Internacional/Documentos-secretos-mostram-que-Trump-herdou-FBI-com-muitos-poderes-ocultos/6/37657

    A Lava Jato para promover a “limpeza ideológica”

    http://www.blogdacidadania.com.br/2016/02/objetivo-da-lava-jato-e-promover-limpeza-ideologica-antiesquerda/

    Folha: em 2004 Moro planejou a Lava Jato 

    http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/12/1723856-escrito-em-2004-artigo-de-moro-sobre-operacao-na-italia-espelha-lava-jato.shtml

     

    Nassif, olha só o perfil de nossos procuradores, e não para por ai, eles formam um conluio com a PF, midia, juizes como Moro…cai nessa não…..esses procuradores foram fundamentais para o golpe de estado, foram uteis aos interesses americanos, esses caras não sabem o que é defender o interesse nacional, não sacam patavina de geopolitica e por isso viram como crime os esforços de Lula para alavancar as empreiteiras nacionais e ganhar mercadas mundo afora…viram como crime o Brasil ser importante nação no conserto das nações, foi isso que eles trairam: e não sabem…nem vão assumir a trairagem…

    Procurador que pretendia celebrar morte de Marisa com champagne já desejou queimar Dilma Rousseff viva

    EM MINAS

    Corregedoria do MP investigará procurador que pediu a morte de Marisa

    Rômulo Paiva Filho escreveu no Facebook: “Morre logo, peste! Quero abrir logo o meu champagne”

    De O Tempo

    O procurador de Justiça de Minas Gerais Rômulo Paiva Filho será investigado pela Corregedoria-Geral do Ministério Público do Estado depois de compartilhar no Facebook uma reportagem sobre a ex-primeira dama Marisa Letícia e escrever uma mensagem desejando sua morte. “Morre logo, peste! Quero abrir logo o meu champagne”, disse Filho, na rede social.

    O perfil do procurador foi apagado após a repercussão do caso. A assessoria de imprensa do MPMG informou, na noite desta sexta-feira (3), que a Corregedoria-Geral está apurando os fatos e vai tomar as providências cabíveis.

     

    Essa não é a primeira vez que Rômulo Paiva Filho se envolve em uma polêmica com questões políticas na internet. Em 2016, ele publicou um texto insinuando que a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) deveria ser morta durante a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos.

    “Quem vai acender a pira olímpica? Eu sugiro dar um banho de gasolina na Dilma, tacar fogo com a tocha e mandar ela correr em direção à pira. Que tal?, afirmou, também pelo Facebook.

    Morte de Marisa

    Marisa Letícia Lula da Silva, de 66 anos, mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, morreu nesta sexta-feira (3), no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internada desde a última terça-feira (24), vítima de complicações de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). Boletim médico informou que Marisa morreu às 18p7.

    Ela deixa quatro filhos, um de seu primeiro casamento e três do casamento com Lula.

      

    http://www.viomundo.com.br/denuncias/procurador-que-pretendia-celebrar-a-morte-de-marisa-com-champagne-ja-desejou-queimar-dilma-rousseff-viva-mp-diz-que-vai-investiga-lo.html

     

  10. Xadrez do coordenador da cooperação internacional

    -> É um dos poucos procuradores da Procuradoria Geral da República que não se esconde de conversas de esclarecimento e não pratica o direito à informação do inimigo.

    -> No Ministério Público há procuradores de direita e de esquerda, mas não há traidores do país.

    você vai lendo, considerando algo aqui, relevando alguma coisa ali, tentando ponderar, principalmente em virtude da apresentação positiva do procurador feita no início do post.

    e aí termina com esta tragédia!

    é como um membro da plutocracia brasileira afirmar o mesmo. um presidente do Itaú, da Vale, da Rede Globo declarando que não são traidores do país. sim! mas de qual país? do “país” deles! pois se consideram donos do Brasil.

    é como um Ministro do STF garantindo a isenção dos sorteios e que o Judiciário institucionalmente não se tornou venal, seletivo, classista e corporativo.

    é como um membro do batalhão de choque da PM afirmar que não são um instrumento de opressão.

    óbvio que não se trata de propor o contrário, que afirmasse que são sim traidores do país! mas por que sempre fazer a defesa de modo tão direto e categórico?

    as instituições brasileiras, como um todo, estão completamente disfuncionais. o golpe do impeachment não apenas revelou isto como fez com que se degradassem ainda mais. e ainda é um processo em curso.

    este país terá que ser reconstruído de alto a baixo. ou melhor: de baixo para cima, de dentro para fora.

    perdidas em sua bolha pessoal de vaidade e arrogância, as pessoas literalmente não estão se agüentando em pé. atrás da fachada de imponência, o status é completamente outro. remedinhos e remedinhos. o corpo implorando por socorro. o emocional em frangalhos. as dificuldades de concentração mental. as insônias e todo tipo de mal estar.

    todos e todos estão explodindo. ou melhor: implodindo.

    o sofrimento do Brasil, que já está sendo enorme, nem sequer começou. vai ser necessário chegarmos ao grau mais brutal de terra arrasada. talvez só assim a sociedade consiga se reconciliar com sua própria realidade.

    dá medo…

    .

  11. Sinto-me humilhado como brasileiro e cidadão ao ver que com o…

    Sinto-me humilhado como brasileiro e cidadão ao ver que com o dinheiro dos meus impostos são pagos funcionários públicos (e muito bem pagos) como esses membros do Ministério Público Federal que destroem a economia do país e suas instituições democráticas. Lançam milhões de brasileiros no desemprego, perseguem as principais empresas nacionais para satisfazer suas vaidades pessoais e agradar gringos. 

    Sabujos! Mereciam, todos os envolvidos nessas cooperações internacionais entreguistas, serem condenados por crimes de lesa pátria. Esse Ministério Público Federal é o exemplo pronto e acabado da degradação das instituições nacionais. Representam mais um ingrediente desse caldo de caos que o Brasil está imerso.

  12. Nassif deu direito de

    Nassif deu direito de resposta ao procurador. A meu ver, não foi convincente. Se há procuradores de esquerda, evidente que não serão traidores. Os de direita podem ou não ser traidores. Para bom entendedor, ficou claro que elementos da lava jato atuaram contra os interesses nacionais. A cooperativa que tomou o poder é claramente traidora e entreguista. É natural esperar que funcionários dessas instituições alinhados à direita fiquem mais propensos a aceitar e praticar essa ideologia  Como também é ingênuo acreditar que os norte americanos não tirem o máximo de proveito dessa política do caos que ajudaram a implantar em nosso país.  

  13. Aa proposito…

    Sobre a pratica do “direito aa informacao do inimigo”:  o governo dos EUA sistematicamente apagou meu nome de TUDO que eu encostei nos ultimos 10 anos.

  14. Pela metade

    O Procurador-geral da Republica Rodrigo Janot na época do governo Dilma deu declarações em que dizia que a PGR não tinha nada a ver com o problema das empresas nacionais falirem. O MPF e Sergio Moro jamais demonstraram quaisquer preocupações com as empresas que investigavam. Ao contrario, parece que sentiam prazer em vê-las quebrando pouco a pouco.

    O caso da Eletronuclear ainda precisa ser esclarecido. A quem serviu a prisão do comandante Othon e o estancamento da construção do submarino com propulsão nuclear nacional ?

    Lembrando das audiências dos advogados de Lula, eram estranhas as reações exarcebadas de Sergio Moro, toda vez que a defesa perguntou sobre a cooperação da Lava Jato com os Estados Unidos. Não, essa historia ainda precisa ser bem contada.

  15. Vou comentar sem ter lido

    Vou comentar sem ter lido tudo, pelo seguinte motivo: ele não vai revelar o que não possa ser revelado. Obviamente vai manter as versões convenientes.

    • Vale a pena ler tudo, o item

      Vale a pena ler tudo, o item eh meio autista (e primitivo como se ele tivesse tomado uma maquina do tempo dos anos 70 e caido aqui.  Ele fala “ah, mas o Deltran e Carlos Fernando tinham agenda propria” tao casualmente que fica o elefante na sala e ele nao ve!

  16. Essa última frame do texto,

    Essa última frame do texto, da maneira como foi escrita ou mesmo dita pelo tal procurador se foi, soa como um atestado de culpa dado pelo inconsciente como ato falho de Freud.

  17. De um Portal internacional
    Caro Nassif Com toda certeza você conhece o Réseau Voltaire, talvez o mais importante expositor da cena internacional. Transcrevo o que estes Procuradores certamente desconhecem e que são fundamentais para que tem a pretensão de caminhar por estas rotas. Thierry Meyssan ercreveu recentemente sobre a equipe de defesa de Trump. Sem uma compreensão das lutas geopolíticas só farão papel de bobos ou traidores como se supõe.

    Os sorrisos da Senhora May
    Thierry Meyssan

    Enquanto a entronização de Donald Trump abre uma nova era nas relações internacionais, cada um dos Estados tenta reposicionar-se. Contudo, o governo britânico, o qual viu ser-lhe imposto o Brexit por referendum, busca conciliar os interesses da sua classe dirigente com os do seu povo. Para o conseguir, a Primeiro-Ministro Theresa May explora opções contraditórias.
    Rede Voltaire | Damasco (Síria) | 3 de Fevereiro de 2017

    As coisas nunca são simples. A mudança de Administração em Washington deverá levar à erradicação dos Irmãos Muçulmanos e do conjunto dos grupos jiadistas que eles formaram. O novo Presidente não esperou mais que uma semana para publicar um Memorandum sobre a maneira de combater realmente o Daesh (E.I.). No entanto, os aliados dos EUA não concordam em alinhar-se facilmente nesta viragem de 180° de uma política da qual eles aprenderam a sacar os dividendos.

    O Reino Unido encara diferentes opções que se lhe oferecem com o Brexit : seja aproximar-se da potência económica ascendente, a China, seja recriar a aliança anglosaxónica e formar um directório mundial com os Estados Unidos. Problemas : os Chineses têm uma péssima recordação da colonização britânica e mostram em Hong Kong que não têm a intenção de levar mais longe o acordo « Um país, dois sistemas », enquanto os Norte-americanos esperam substituir por um renascimento comercial o seu imperialismo militar.

    Com Donald Trump declinando de momento o convite de Londres, a Primeiroministro Theresa May precipitou-se para o outro lado do Atlântico. Durante um surpreendente discurso pronunciado diante dos congressistas republicanos em Filadélfia, ela lembrou a História comum dos dois Estados e a influência internacional da Commonwealth ; para concluir que ela estava pronta a refazer com o Presidente Trump o par Reagan-Thatcher, o qual dominou o mundo ocidental durante os anos 80.

    Ao encontrar-se com o Presidente Trump, a Primeiro-Ministro desfez-se toda em sorrisos. Ela congratulou-se com o anúncio do seu anfitrião sobre um acordo comercial bilateral, o primeiro do seu mandato. No entanto, este só poderá entrar em vigor uma vez o Reino Unido saído da União Europeia, quer dizer, não antes de um a dois anos.

    Não tendo a certeza de ter sido convincente, a Srª May continuou a sua viagem para a Turquia. Aquando do seu encontro com o Presidente Recep Tayyip Erdoğan ela anunciou, é claro, um desenvolvimento do comércio bilateral. Mas, não era este o objectivo da sua visita. O essencial das conversações versou sobre a maneira como Londres e Ancara poderiam conjuntamente beneficiar da União Europeia, a partir do exterior.

    Antes de mais, no entanto, ela começou por felicitar o ditador por ter, brilhantemente, defendido a democracia aquando do abominável golpe de Estado de 15 de Julho último ; na realidade uma tentativa de assassinato do Presidente Erdoğan comanditada pela CIA. Na altura, o embaixador britânico já tinha sido o primeiro a virar a casaca e a celebrar a vitória do « Estado de Direito ».

    A última jogada do Foreign Office é a de regular o conflito cipriota obtendo nisso direitos económicos especiais para a Turquia. Desta maneira, Ancara poderia aproveitar-se do mercado comum Europeu sem ter de aderir à União. E, isto permitiria a Londres utilizar este privilégio para continuar a comerciar com a União para além do Brexit. Uma ideia, é certo, astuciosa mas que não transpira boa fé e não inspira a confiança que a Srª May, ela própria, exige de Bruxelas para negociar o Brexit.

    Theresa May inquietou-se com a reaproximação russo-turca, apesar do antagonismo secular entre as duas partes. Tendo compreendido que as negociações de Astana não visavam reconciliar os pontos de vista dos Sírios, mas, sim permitir à Turquia dar um primeiro passo em direcção a Damasco, ela procurou perturbar esta aliança nascente. Aos seus olhos, o problema não era que Erdogan se prepare para abraçar o Presidente al-Assad, depois de o ter longamente atacado, mas que o faça sob a orientação do grande rival russo.

    A propósito da Síria, Londres poderia ajudar a lutar contra os Curdos se Ancara lhe deixasse o contrôlo dos jiadistas ; uma proposta totalmente contraditória com aquela que foi feita aos « Americanos ». Pouco importa, é um costume histórico da « pérfida Albion » o de manter discursos diferentes segundo os seus interlocutores e ver com o tempo o que funciona ou não.
    Thierry Meyssan

    Tradução Alva

  18. “No Ministério Público há

    “No Ministério Público há procuradores de direita e de esquerda, mas não há traidores do país”

    Bom, para começar se o Dallagnol e o Carlos Fernando foram aos Estados Unidos com agenda própria e a margem da Procuradoria já trairam o país desrespeitando as suas leis. E se  Aras admite procuradores de direita e esquerda há traição ao preceito da imparcialidade previsto na Constituição.

    O resto é a destruição que se vê na economia e a participação ativa da Lava Jato no golpe que foi feito a partir do modelo paraguaio made in Estados Unidos. Como adicional o macartismo que instituiram e que começa a levar suas vítimas mais frágeis à morte.

    Pro inferno com o corporativismo desses almofadinhas que brincam com as instituições do país e com a vida dos brasileiros. A traição maior ao pais que estão fazendo é a destruição do Poder Judiciário e de todo o  aparato de segurança que a Justiça, como um poder, deveria oferecer a nação brasileira. 

    Há traidores da pátria sim no Ministério Público. 

  19. “No MP não há traidores da pátria”. POÑRA, IMAGINA SE TIVESSE.

    “No MP não há traidores da pátria”. POÑRA, IMAGINA SE TIVESSE.

    Na verdade, para se analisar a frase do Procurador ele precisaria especificar a qual país se refere, o que não consta do texto. Aliás, sobre “respeito à soberania do Brasil” por parte do MPF, é preciso lembrar a tentativa de sequestro de um refugiado, pelo MPF acumpliciado com uma juíza de primeira instância, para passar por cima do STF e da Presidência da República, fazendo negociata suja com outro país. Acaso não participou desta negociata o tal Procurador?

  20. Cooperação

    Colaboração. A troco de quê? A serviço de que interesses? Do Brasil? De país estrangeiro? Nessa segunda hipótese não seria traição? É admissível uma pessoa, uma empresa, um órgão público colocar os interesses de outro país acima dos do Brasil, sob qualquer pretexto? Em outros países isso seria inaceitável. Quanto aos argumentos do procurador, seria preciso muito mais do que boa vontade, muita ingenuidade para aceitá-los sem contestação. Viva o Brasil!…

  21. Sarcasmo
    Tudo bem, você mostrou a defesa deles. Mas de todas as evidências que já temos tanto da imprensa alternativa quanto da oligopolizada, dos historiadores, analistas, wikileaks, etc, esse cidadão só pode estar caçoando da nossa cara. Vimos encontros ilegais, troca de informações, o próprio PGR passou sobre a Petrobras e eletronuclear. Isso na cara dura e desvendado até pela imprensa tradicional. Não havia como os nosso investigadores fazerem essa teia e foi feita justamente no setor que nos é essencial como nação. Vários analistas ligaram os pontos e vem esse camarada e ainda nega tudo, construindo outro discurso, generalizando ao invés de assimilar as questões/irregularidades ou discuti – las (ora, que tipo de “canais legais” foram utilizados, se não foram através do M. da justiça)? Parece o discurso do Moro e do TRF 4 confirmando as conduções coercitivas, a tortura na prisão, as delações sem provas objetivas/ documentos, uma puxando a outra e cheia de teorias e contradições. Paciência. É muita cara de pau. Pra mim essa gente pode não ser muita coisa, mas com certeza traidora é.

  22. Que xadrez esquisito,foge ao

    Que xadrez esquisito,foge ao estilo e linha adotado por Nassif,fiquei confuso,vou “turbinar” meu QI !!!

  23. Ingenuo ou incompetente

    … com o benefício do espaço curto para temas diversos e complexos, o nivel superficial e ingenuo dessa analise não condiz com o que se espera de um funcionário nessa posição. Se ele realmente acredita no que diz, tipo as instituições estão funcionando, estamos realmente perdidos. singela sugestão: para se analisar um processo, veja o resultado dele.

  24. Nassif, francamente, Nassif…

    Por tudo que já foi debatido aqui, eu só posso dizer o seguinte:

    – Sobre tráfico internacional o procurador sabe tanto quanto um taxista (sem ofensa aos taxistas)… Tráfico internacional em pequenas embarcações é de doer…eu nem vou perder tempo, já falamos sobre isso aqui…

     

    – Sobre os outros temas abordados, o seu trabalho Nassif não nos permite atacá-lo em sua honra, mas essa conversa fiada com o procurador, se fosse em qualquer outro veículo levantaria sérias desconfianças…

     

    Mas tudo bem, você tem um crédito enorme, mas por favor, não abusa…

  25. PS:

    Nassif, muito cuidado com o que você ouve desse pessoal do mp(f)…

    A teoria dele sobre a economia do direito (mínima intervenção) é um embuste…

    Foi justamente esse empoderamento do mp nos EUA, com os “acordos de culpa” (plea of guilty) que gerou a maior onda de encarceiramento desde 1980 (370 mil presos) até hoje (3 milhões de presos)…

    Esse argumento que usa o envelhecimento do processo penal (tese furada, porque esse mesmo processo penal serviu para garantias de criminosos brancos e ricos até hoje) é que vai dotar o mp de maiores poderes que já tem…

    Cuidado com as armadilhas, meu caro…consulte antes alguém que entenda do assunto…esse pessoal do mp e do judiciário não estão de brincadeira, até Her Himler ficaria com medo deles…

    Nosso problema legal não são as leis, mas sim como e contra quem são aplicadas…

    Esse hipócrita sabe disso e estava usando você para contrabendear a tese dele…

    Fica esperto, caro Nassif…

  26. Não convenceu.

    Todos os artigos da série Xadrez são interessantes. Menos esse.

    Estou de acordo com os 39 (até aqui) comentários.

  27. Bem-vinda a sinceridade!

    “No Ministério Público há procuradores de direita e de esquerda, mas não há traidores do país.”

    Existe algum traidor que admita sê-lo? “Se eu te escondo a verdade, baby, é pra te proteger da solidão…” (Cazuza)

  28. Se este cidadão “teve

    Se este cidadão “teve participação ativa na operação Banestado” (aquela que não prendeu ninguém e ainda forneceu elementos para criar a vaza-jato), então esta matéria está completamente sob suspeita.

  29. A fina flor do golpe vai mais uma vez aos EUA prestar contas.

    A fina flor do golpe vai mais uma vez aos EUA prestar contas. Ah, segundo o Janot(a) a Lava Jato é pró-mercado, disse ele isso em Davos, o Brasil virou essa coisa bizarra nas mãos desses traidores, a Dona Carmem e cia fecharão bons negócios e voltarão com muitos empregos para os brasileiros. Bando de fdp. Me desculpem o palavrão mas não consegui me conter.

    O que o Brasil ganha com essa palhaçada de funcionários toscos e traidores do interesse nacional? Trump com seu protecioismo extremo e seu lema PRIMEIRO O MEU PIRÃO, deve estar sorrindo de orelha a orelha.

     

    Moro e Cármen Lucia falarão sobre Lava Jato em Nova York; acompanhe no InfoMoney Evento, que debaterá os efeitos da operação no quadro institucional brasileiro, será realizado pela UM BRASIL em parceria com as universidades norte-americanas Columbia e News School nos dias 6 e 7 de fevereiro

     

    http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/6096940/moro-carmen-lucia-falarao-sobre-lava-jato-nova-york-acompanhe

     

  30. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome