Xadrez dos senhores da guerra contra o pacto nacional

Peça 1 – o vazamento da delação da Odebrecht

O Procurador Geral da República Rodrigo Janot ordenou abertura de sindicância para investigar o vazamento da delação do lobista Cláudio Monteiro, da Odebrecht.

É blefe. Como é blefe a desculpa de que há várias fontes de vazamento, não sendo possível apurar a origem do vazamento.

Dado o alto grau de octanagem da delação – que deixa em suspenso todo o mundo político – só há duas explicações para o fato do PGR não ter montado um sistema severo de controle sobre os documentos:

Hipótese 1 – o vazamento partiu da própria PGR.

Hipótese 2 – o vazamento partiu de operadores da Lava Jato, para rebater tentativas de interferência do PGR sobre a operação.

Nos dois casos, o ponto em comum é a aliança cada vez mais explícita do PGR com o PSDB.

Pela Hipótese 1, Janot estaria empenhado em implodir o esquema Michel Temer no governo para abrir espaço para o PSDB.

Pela Hipótese 2, Janot estaria interferindo na Lava Jato visando proteger as lideranças tucanas.

Há um conjunto de evidências reforçando essas hipóteses.

A primeira evidência está na ofensiva de Janot visando manter a OAS fora da delação.

Desde o início, a estratégia traçada pelos tucanos – verbalizada várias vezes por FHC e pelas tentativas de anistia ao caixa 2 lideradas por Aécio Neves – consistia em dividir as propinas em dois grupos. O primeiro grupo seria o financiamento de campanha através do caixa 2. O segundo, a corrupção propriamente dita, que consiste no recebimento de percentuais das obras feitas.

A delação da Odebrecht mirou apenas o caixa 2. A da OAS entraria pelo universo das propinas, inclusive relatando o sistema de pagamentos aos governos Geraldo Alckmin e José Serra – que, aliás, obedecia à mesma tabela de 5% cobrada por Sérgio Cabral.

Janot já brecou duas vezes as delações.

A segunda evidência no fato de, dispondo de uma enorme relação de políticos denunciados – incluindo José Serra, Geraldo Alckmin e Aécio Neves -, na segunda-feira Janot ter tirado da gaveta a denúncia contra o presidente do Senado Renan Calheiros.

Qual a lógica, em um momento em que tanto Senado quanto Supremo Tribunal Federal negociam uma distensão?

Aí, entramos na peça 2 do Xadrez, a disputa pelo pós Temer.

Peça 2 – pacto político ou guerra

O governo Temer definitivamente naufragou.

Há três perspectivas em vista.

1. Um grande pacto político que consiga brecar a crise e prepare a transição para eleições diretas.

2. A queda de Temer e a eleição indireta de um novo presidente.

3. A manutenção de um Temer repaginado, definitivamente sob a tutela do PSDB.

A primeira hipótese não interessa ao PSDB – e, por extensão, a Janot. Ao PSDB porque todas as pesquisas de opinião mostram o partido sem um candidato competitivo. A Janot porque a recomposição política – em torno de um pacto – significaria o fim da eleição direta para PGR pelo Ministério Público Federal. Janot será reconhecido no futuro, pela categoria, como o coveiro da lista tríplice.

Restam as duas hipóteses seguintes.

A menos pior das alternativas – para o PSDB – seria manter Temer como boneco de ventríloquo e operar por trás a implementação do saco de maldades do desmonte do estado social e nacional. A segunda alternativa, mais custosa, seria o PSDB assumir em uma eleição indireta.

Em ambas as situações, a aliança PSDB-Globo-PGR  teria que enfrentar a competição dos dois principais operadores do Senado, Renan e Romero Jucá.

Leia também:  STF e TSE terão que acelerar a cassação de Bolsonaro, por Luis Nassif

As ideias ainda estão no ar, sem estarem completamente assentadas, mas há uma conjunção ampla de indícios apontando na mesma direção de inviabilizar diretas e pactos:

·      Na segunda, Janot atirou em Renan.

·      Não por coincidência, na terça o Globo lançou a campanha “indiretas, já” e focou em Romero Jucá os ataques mais fortes de seu editorial. Defendeu a Constituição contra “artificialismos” – no caso, eleições diretas, que embutem esse “artificialismo” extravagante de devolver o poder ao voto.

·      No Estadão, as lideranças tucanas propõem a Temer jogar ao mar seus auxiliares restantes e casar de papel passado com o PSDB.

Não se surpreenda se o próximo alvo da PGR for Jucá, enquanto mantém em banho maria as investigações sobre a tríade tucana.

Peça 3 – o avanço do estado de exceção

Assim como o impeachment abriu uma caixa de Pandora que colocou em curto circuito todos os controles institucionais, a escalada do arbítrio ganhou vida própria.

Nos últimos dias o Exército ocupou Recife, devido a uma possível greve de soldados. Nas TVs locais, o comandante do Exército fala sobre a quantidade de soldados disponíveis para policiamento ostensivo nas principais capitais, incluindo Brasilia.

Em todos os estados, a cada dia aumenta a violência da repressão da Polícia Militar.

Está se tornando o novo normal.

No Paraná, o juiz Sérgio Moro prossegue em suas manipulações autoritárias, com o uso abusivo do poder que lhe foi conferido. Questionado pelos advogados de Lula sobre a tentativa do procurador de induzir à resposta da testemunha, simplesmente cassou o direito dos advogados de defesa. Tomou o partido da acusação sem a menor preocupação em disfarçar.

Há toda uma discussão no direito administrativo sobre o poder-dever ou dever-poder na administração pública.

Há um conceito unânime, entre os administrativistas, da prioridade do interesse público sobre o interesse particular. Ao Estado cabe atender o interesse público. O poder do agente público é um mero instrumento para o atendimento do objetivo maior, que é interesse público. Sendo assim, o poder deve se submeter aos princípios da dignidade da pessoa humana (https://goo.gl/XHlhX7).

São conceitos civilizatórios, como diria nosso “iluminista” Ministro Luís Roberto Barroso. Perdão, me enganei! O “iluminismo” apud Barroso diz que o caminho da civilização é o estado de exceção. Sobre ele, falamos mais abaixo.

Peça 4 – os dois caminhos possíveis

Há dois caminhos possíveis para o pós-Temer.

O inevitável será o grande acordo nacional, em um ponto qualquer do futuro, que garanta o enfrentamento da crise econômica e defina as bases para o novo tempo político – cujo desfecho serão as eleições diretas. A incógnita, no caso, é saber em que ponto do futuro e em que nível de esgarçamento social e econômico baixará o bom senso.

O alternativo  é o aprofundamento do desmonte do Estado sendo empurrado goela abaixo do país por um governo sem a legitimidade dos votos.

Leia também:  Celso de Mello encaminha à PGR pedido de investigação contra falas de Eduardo Bolsonaro

Trata-se de uma tática suicida – em termos de país e em termos de estratégia -, que demonstra bem a truculência e miopia dessa parte da elite brasileira que se rendeu ao protagonismo midiático.

A insistência no desmonte do Estado aprofundará ainda mais a crise.

Só quando o quadro estiver totalmente caótico, se entenderá que o único caminho será o do grande pacto que permita as saídas tradicionais: um grande programa de investimentos públicos, retomada do papel dos bancos públicos para renegociar as dívidas acumuladas do setor privado, oxigênio para os estados, retomada da cadeia do petróleo e gás, interrompendo o trabalho de destruição da economia comandado pelo Ministério Público Federal e a legitimação política para uma política isonômica de equilíbrio fiscal.

E se o tecido social chegar a tal nível de esgarçamento que leve a uma semi-guerra civil, acelerando a entrada dos militares no jogo? E se surgir um Napoleão no meio do caminho, não um maluco como Bolsonaro, mas um general articulado?

Os mediadores

A decisão final dependerá do papel dos mediadores. E quem serão os mediadores?

Os possíveis interlocutores do Senado estão sendo bombardeados por Janot e pela Globo.

O Supremo definitivamente perdeu a condição de mediação.

Lá, o Ministro Luís Roberto Barroso – aquele que em cada três entrevistas menciona seis  vezes a palavra “iluminismo” –  tornou-se o principal avalista  do estado de exceção.

Ontem, no Estadão, (https://goo.gl/eTNMdf) Barroso vestiu-se com o desprendimento dos sábios iluministas, como quem seleciona o grande gesto da mesma maneira que escolhe uma gravata da moda, e mencionou as críticas que têm recebido, considerando inevitáveis a quem, como ele, pretende “avançar com certas doses de iluminismo em locais onde ele ainda não chegou”.

Como não é de ferro, teve seu momento de Carmen Lúcia, com a frase “viver não é esperar a tempestade passar, mas aprender a dançar na chuva”. E aceitou estoicamente as incompreensões de que tem sido alvo: “Vai ficando cada dia mais difícil, porque você vai colecionando pessoas que vão ficando desagradadas. Mesmo assim, a gente tem que ’empurrar’ a história e fazer aquilo que acha certo”.

Mencionou, como alvo das incompreensões, suas bandeiras iluministas sobre aborto e relações homoafetivas, que o deixam mal apenas nos grotões, não nos salões da sociedade e da academia.

Ora, o problema desse agente da história – e do Supremo – não é o das decisões contramajoritárias – que deveriam ser o foco de sua atuação –, mas a falta de coerência, a maneira como se curvou ao clamor da turba e da mídia e se tornou um dos principais agentes do atraso mais anacrônico, o direito penal do inimigo e o desmonte da precária rede de proteção social que o país construiu.

Não se trata de um iluminista, mas de uma luminária que não consegue projetar sua luz além dos limites estreitos do seu grupo social.

A desordem institucional do país, aliás, teve início quando o Ministro Teori Zavascki ordenou a prisão de um senador, Delcídio do Amaral, atropelando a Constituição, como lembrou o cientista social Marcos Nobre em sua coluna no Valor ( https://goo.gl/i6z9Cy). A partir daí, desandou de vez o estado de direito, abrindo espaço para arbitrariedades de todos os níveis e para uma ampla subversão nas próprias instituições, da qual o exemplo mais candente é a autonomia de vôo e as seguidas provocações da força tarefa da Lava Jato ao PGR Janot.

Leia também:  Olavistas, generais e golpistas, por Aldo Fornazieri

Portanto, conte-se pouco com o Supremo para a tarefa de mediação.

Peça 5 – o caminho do acordo

A batalha civilizatória real, que decidirá nosso futuro como nação, dependerá das lideranças razoáveis começarem a desenhar o caminho do grande acordo, cuja celebração maior se dará nas eleições diretas e nos pactos a serem firmados no segundo turno.

Que as lideranças responsáveis do PT, do PSDB, do Senado e da Câmara, que os Ministros responsáveis do Supremo comecem a desarmar suas hostes e a desenhar os termos do grande pacto.

Haverá dificuldades de monta.

Uma delas, o PSDB-mídia aceitar a inevitabilidade da volta do protagonismo de Lula. O maior prejuízo imposto ao país não foi a destruição de Lula como liderança de esquerda, mas do mediador que conseguiu civilizar os movimentos populares, conter a esquerda mais radical e compor com as forças políticas e econômicas tradicionais. Lula é a única pessoa capaz de unificar todas as esquerdas e convencê-las da importância do pacto.

Outra dificuldade será o PT e as forças de esquerda aceitarem o protagonismo de FHC. Em que pese seu oportunismo e mesquinharias, tantas vezes demonstradas ao longo da campanha do impeachment, FHC ainda é a esperança de bom senso na frente golpista. Também é a única voz do PSDB com influência no mercado e no meio empresarial.

No Senado, se não forem queimados pela ação oportunista de Janot, e se a saída buscada não for a do estado de exceção, Renan Calheiros e Romero Jucá são interlocutores políticos de peso.

O empresariado precisará se recompor em torno de lideranças responsáveis. Há instituições que não perderam a respeitabilidade, como o IEDI (Instituto de Estudos de Desenvolvimento Industrial), a Abimaq (Associação Brasileira de Máquinas), a ABDIB (Associação Brasileira da Indústria de Base) entre outras, como o Instituto Ethos. A FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) terá que se desvencilhar do oportunismo rasteiro de seu presidente Paulo Skaf.

Não haverá como fugir do grande pacto, que desembocará em eleições diretas civilizadas, nas quais será possível aos dois lados explicitar seus conceitos e doutrinas, clarificar seus projetos de país, explicitar pontos em comum na grande agenda nacional.

. A única incógnita é o tamanho necessário da crise para eliminar resistências e promover a pacificação.

Espera-se que seja antes de se ter o país transformado em escombros, envolto nas guerras bárbaras.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

142 comentários

  1. Barroso e a subserviência global

    “Defendeu a Constituição contra “artificialismos” – no caso, eleições diretas, que embutem esse “sobre a tentativa , a cada dia aumenta a violm a velha desculpa de que, comdustrial), a Abimaq (Associaço sistema de pagamentosartificialismo” extravagante de devolver o poder ao voto.”

    Este trecho ficou confuso.

    *

    Sobre Luís Roberto Barroso, é aquele que anda em perfeita sintonia com os propósitos da Globo. Como a Globo é liberal nos costumes, ele também é. Como a Globo é reacionária ao extremo na questão sócioeconômica, ele também é.

    Se a Globo disser pula, ele pula; se disser rola, ele rola; se disser pega, ele pega. Simples assim.

    • Se você olhar o livro dele de

      Se você olhar o livro dele de pareceres em matéria constitucional (muito bom, por sinal), você vai achar um feito na época em que ele era advogado da Globo.

       

       

      Até aí nenhuma novidade, né.

      • culpa.

        …do merda  que escolheu este borra-botas para ministro do STF…

        Se fosse o Aragão, por muito menos botava os 3 patetas globais na jaula  por  ameaça a  segurança nacional !!

        Na Inglaterra encanaram o velho rabungento e  ele nunca  mais falou p…nenhuma !!!

         

         

    • Casa na Flórida

      Barroso perdeu a sua independência a partir do momento em que foi divulgada a compra da casa na Flórida mediante offshore da sua esposa.

      Barroso devia renunciar 

  2. Hipóteses

    A hipótese mais provável é que algo aconteça no futuro próximo :

    1- nada acontecer além da imaginação

    2- Tudo acontecer , mas  nada além do esperado

    3- As mudanças serão boas para alguns e para outros não

    4- Ficaremos à beira do abismo e aí Indiana Jones surgirá providencialmente

    5-Acordaremos dentro do abismo 

    6- A luz do fim do túnel será cortada por falta de pagamento

    7-O ano de 2017 será eliminado do calendário e em 2018 , se não houver condenação e cadeia  , Lula será eleito para um mandato de 8 anos

    7- Nenhuma destas alternativas

     

  3. Se é essa a civilização, que nos redima a barbárie…

    Nassif, respeito sua opinião, mas acho que o pessoal do psdb não volta atrás, e não porque não quer, mas porque não pode…

    Seus compromissos assumidos com os EUA não conferem margem de manobra para negociar pacto algum, até porque aos EUA interessam nosso desfacelamento, pois eles acreditam piamente que nossa nação não é inclinada a conflitos sangrentos (não nos moldes clássicos, embora adore matar os 50 mil pretos e pobres todo santo ano)…

    Os EUA acreditam, a História permite essa conclusão, que na hora do pega-pr’á-capar, nossa saída é pela sublimação do conflito, o que autoriza a imposição de regimes de força ou indiretos, todos comprometidos até a medula com o desmanche do que resta de Estado nesse país…

    Se os caras de lá (dos EUA) estão cagando e andando para direitos sociais (ver a rejeição do ObamaCare), a ponto de elegerem trump (sob a promessa de mandar tudo às favas pela criação de empregos por lá – algo parecido com o “America Works” da personagem Underwood), imagine se eles vão ligar se teremos um presidente indireto ou um napoleão esclarecido…

    Se a quadrilha do psdb der o menor sinal de que pode costurar qualquer acordo, vai ser tragada, e aí, entre servir a pátria e se servir dela, você já sabe o que eles escolherão…

    Tortura? Agressão aos direitos humanos? Chachina de pobres (e pretos)? Instrumentalização do judiciário como forma de controle social e político?

    Ahhh, isso já tem todo dia, e já estamos acostumados, ora bolas…

    450 kg de cocaína foram sopradas pelas pás do helicóptero enquanto pretinhos mofam nas cadeias como “barões do tráfico”…

    A pergunta é:

    Por que pactuar?

    O que pretendemos salvar?

    Esse capitalismo mequetrefe de periferia, destinado a comer as beiradas de algum keneysianismo, até que o paquiderme estadunidense comece a andar de novo e engolir levas de vidas e riquezas do mundo?

    Um sistema semi-representativo, destinado a dar aparência de cidadania formal a um país que comete assassinatos simbólicos e reais a cada minuto, sempre de forma seletiva e hierárquica?

     

    É isso mesmo que queremos salvar?

    É esse legado civilizatório?

    Então, caro amigo, que venham os bárbaros…

     

    Valei-me São Chico Science em seus Monólogos ao Pé do Ouvido:

    “Modernizar o passado

    É uma evolução musical
    Cadê as notas que estavam aqui
    Não preciso delas!
    Basta deixar tudo soando bem aos ouvidos
    O medo dá origem ao mal
    O homem coletivo sente a necessidade de lutar
    o orgulho, a arrogância, a glória
    Enche a imaginação de domínio
    São demônios, os que destroem o poder bravio da humanidade
    Viva Zapata!
    Viva Sandino!
    Viva Zumbi!
    Antônio Conselheiro!
    Todos os panteras negras
    Lampião, sua imagem e semelhança
    Eu tenho certeza, eles também cantaram um dia.”

  4. fazer o que na Aleppo em escombros?

    Aleppo nos dá boas vinda!

    O problema é plantar palanque em banhado, se a base está na solidez do stf, câmara, senado, pgr, a republica agrícola de Curitiba, imprensa da globo, psdb, escombros do pmdb, a única saída é voltar o relógio chamar a Dilma, reconhecer a enorme c@#@$@ deste impixi e as consequências advindas e tentar a partir deste momento caminhar nos limites da CF88 daqueles tempos. Revoguem-se as disposições em contrario.

    Para coroar a pacificação, encarcerar todos os lesa pátria em primeiro momento e em seguida paredón.

    • Compre armas e munição, você

      Compre armas e munição, você vai precisar. E na impossibilidade de fazer isso, deixe o país.

      • Os safados do congresso para

        Os safados do congresso para se defender da população aprovaram uma lei de desarmamento uns anos atrás e colocam muita dificuldade para a aquisição de armas.

        • Normal

              Quanta coragem, quanta macheza, como são “revolucionários”, claro no facebook , na frente do monitor teclando como um cara de MMA ,qualquer um vira Che Guevara, já na rua, levou um spray de pimenta de um PM, sai chorando buscando a mamãe.

               Na real, tanto a esquerda como a direita, não passam de um bando de “impedidos”, imbecilizados, que nunca viram um confronto na vidinha “revolucionária” que creem que possuem, deverião ter no minimo, caso fosse verdadeiros revolucionarios, ter vergonha de colocar uma situação como a que está ocorrendo em Aleppo, como algo que possa vir a ocorrer no Brasil, desmerecem o sacrificio de gente, mais de 10.000 pessoas que lá pereceram.

                Antes de se armarem, comprem fraldas.

      • Em boa parte por culpa dela,

        Em boa parte por culpa dela, e principalmente, por culpa do Zé da Justiça !!!

        Dilma tinha obrigação de perceber que a leniência com os desmando da PF e da Força-Tarefa da lava-jato iam levar o país para o precipício. Se o Zé da Justiça era republicano demais apra tomar alguma atitude, que mandasse ele embora !!!

         

  5. O Pais é ingovernavel com

    O Pais é ingovernavel com seis poderes (Executivo, Legislativo, Judiciario, PGR, Lava Jato e Globo).

    Qualquer novo grupo que chegar ao Poder vai ter que montar sua propria equação de governo.

    A Odebrecht demitiu 100.000 empregados e a cidade do Rio Grande tinha 20.000 operarios na construção naval, 100% para a Petrobras, hoje foram demitidos do Estaleiro Ecovix os ultimos 3.200., a construção naval acabou no Brasil.

    • Caro André, na sua opinião,

      Caro André, na sua opinião, quem está por trás dessa fase non sense da Globo de acirrar os conflitos e apoiar o fim do mundo ?

      Seriam os próprios filhos do Roberto Marinho, no caso o João Roberto que é principal interlocutor do meio político ou é coisa do Ali Kamel e os três não detêm estofo para barrá-lo ?

      Será que a Globo perdeu a noção de estrégia mínima de futuro para o País ?

       

      • Meu caro, a Globo tinha um

        Meu caro, a Globo tinha um estrategista na pessoa do Roberto Marinho, que herdou o jornal do pai Irineu Marinho com 18 anos de idade e construiu seu imperio atravessando DOZE regimes politicos diferentes, tinha um acumulo de experiencias que nenhum dos seus herdeiros remotamente pode ter. Alem disso sabia se cercar de mentes brilhantes como o dr.Jorge Serpa, um homem que formou uma mais maiores bibliotecas particulares de filosofia do Pais, intimo de todos os politicos

        desde o Presidente Dutra (avô de sua esposa), Roberto Marinho se cercava de homens como Roberto Campos,  Vicente Rao, Augusto Frederico Schmidt, Erico Verissimo, Gustavo Capanema, sua corte tinha um peso intelectual de primeira grandeza. Hoje onde estão esses cerebros? Não existem. A direção de linha foi entregue a Ali Kamel que subdelega a Merval Pereira e acaba ai. Onde está o pensador? Nem dr.Roberto, nem dr.Serpa, abre-se a porta da sala é não se ve ninguem, hoje o intelecto mais alto talvez seja o Donny di Nuccio  assessorado pela Mara Luquet..

         

        • Merval é imbatível. É um dos

          Merval é imbatível. É um dos jornalistas mais sem preparo intelectual que já vi. Uma vez meu pai o ouviu no rádio e me pergunto se ele estava bêbadorss Carlos Alberto Sadenberg deve se sentir um Keynes quando conversa com Merval [rs]. E pra píada ficar completa, esse sujeito é membro da academia brasileira de letras, preenchendo a cota Roberto Marinho da ABL – que considero o único erro de Machado de Assis rs. Tento imaginar os artigos que Reinaldo Azevedo escreveria  se um jornalista que tivesse a ‘qualidade’ de Merval, mas fosse de esquerda,pró pt, se tornasse imortal na ABL. Alias, RA não escreveu uma linha sobre essa píada que é o Merval Imortal [rsss], mas já escreveu artigos ‘demonstrando’ que Chico Buarque plagiou um trecho da peça Ricardo II de Shakespeare na música Pedaço de Mim.

          O segundo colocado é Rodrigo Constantino. Imagino que um presente de grego pra te dar,  André, nesse final de ano são os artigos de Constantino que ‘provam’ que Roosevelt foi um canalha, que fez de tudo pra tornar os EUA um país comunista, mas falhou rsssss. 

          Isso é a prova acabada que o país não tem uma elite digna desse nome em todos os campos que você imagine. E aí o único jeito é importar uma. A colombiana, quem sabe ? 

        • Obrigado pela resposta

          Obrigado pela resposta André. 

          E concordo plenamente. A Globo endoidou completamente. Está apenas defendendo causas ambientais, de minorias. 

          Nas questões macro economicas e políticas está acabando com o País. Jogando no na guerra entre os poderes e no quanto pior melhor. 

          E o mais grave é que não vemos nenhuma luz no final deste túnel. 

          Eu particularmente penso que a queda de Temer e a solução Jobim seria a menos pior, mas sinceramente, não sei é viável ou factível. 

          Quem está fazendo correto é o Eduardo Paes, que está indo para os EUA. 

          Todos, no País, que tem condições, grandes é médios empresários, intelectuais, devem seguir o mesmo caminho. 

           

    • Poder maior

      Concordo, André.

      E, talvez poderíamos dizer que o sexto é o maior poder, pois “bota” medo em todos os demais…….

    • Reforçando…

      Pesquisa realizada pelo Departamento de Competitividade e Tecnologia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Decomtec) aponta sérios problemas de endividamento e geração de caixa em uma amostra de 269 das maiores empresas da indústria de transformação.

      Essas empresas, que correspondem a 43% do faturamento do setor, encerraram o ano de 2015 devendo meio trilhão de reais, e com retração na geração de caixa de 6,6%, descontada a inflação. Metade delas está com relação dívida/Ebitda maior do que cinco, nível considerado crítico pelos analistas financeiros.

      Como consequência dos juros altos e da escalada do câmbio em 2015, as despesas financeiras cresceram 85% e ultrapassaram a capacidade de geração de caixa (Ebitda) em 20%. O lucro líquido agregado caiu 65%, e 44% das empresas da amostra sofreram prejuízo em 2015, contra 22% em 2010.

      Mantendo a atual tendência, projeta-se que o endividamento dessas empresas cresça 207% até 2020, contra 28% do Ebitda, a partir das perspectivas de mercado do relatório Focus, o que levará o agregado da amostra a uma perigosíssima relação dívida/Ebitda de 4,69 (hoje, ela é de 2,81).

      Trata-se de um cenário extremamente preocupante e comprometedor para o investimento industrial e a retomada do crescimento econômico. Para evitar que isso se confirme, e para trazer algum alívio às empresas com dificuldades financeiras, elencamos algumas propostas de políticas públicas ao final do trabalho.

      ( http://migre.me/vICp ) para visualizar o estudo Situação Econômica do País e a Deterioração Financeira da Indústria de Transformação.

    • Mragogipe tinha quatro mil,

      Mragogipe tinha quatro mil, numa cidade de 30 000, Candeias a mesma coisa. É muito desespero e eu convivo com isso de perto

    • Concordo, mas as respostas já são quase obvias…

      No 18 brumário que se aproxima, teremos:

      – PGR: cadeia por traição á pátria (“atteinte á la sureté de l ‘Etat”), escapará do paredón para ninguém ter pena dele,

      – MPF: cadeia por traição á pátria (“atteinte á la sureté de l ‘Etat”) para o grupo da Lava Jato, mais uma penca de outros por motivos diversos, para retirar qualquer veleidade de revolta; aplicação imediata do teto de salário,

      – Judiciário: aplicação imediata do teto de salário, destituição de todo o stf pelo Senado Federal, sem direito a aposentadoria. Nomeação de outro STF, com mandatos de x anos, sem possibilidade de extensão. Mais algumas maldades para a tchurma de preto entender quem manda de fato.

      – Senado e camará federal, executivo federal: novas eleições gerais,

      – Globo: suspensão das concessões de telecomunicações á pedido da Receita Federal até o pagamento de todos os DARF atrasados, mais alguns outros novos que alguem inventará. Demais canais de TV continuarão emitindo, recebendo as verbas de publicidade do setor privado. Fim da publicidade de entidades públicas federais nas mídias particulares. Implosão televisionada do Triplex da Mossac Fonseca em Paraty.

      Esqueci algo? Por favor ajudem.

      • Cadeia?

        chibatadas com sal no pelourinho.

        Falta pegar os brasileiros que foram depor nos USA contra o Estado e a Petrobras.

        A Globo encontrará sempre alguém que pague qualquer conta. Seu poder não é tanto financeiro quanto é de imagem cristalizada na população. Tal como Lula, só mesmo destruindo a imagem, o conceito plim-plim, em paralelo com uma lei de midia que impeça o remonte do trust.

        Nao se esqueça da Band, que carrega mais ódio e asco ainda.

        De resto, muito bom.

         

         

      • Não concordo com falta de

        Não concordo com falta de parédon para o PGR. Só concordo se for sustituído pela forca, mais lenta e menos honrosa…

        E eu acho que pelo menos uma centena, por baixo, merecia destino parecido. Alguns senadores, deputados, e membros da sociedade civil e da imprensa. Mas para não parecer ditatorial, devem ser enforcados os mais ligados diretamente a interesses estrangeiros. 

        E sem restrição de idade. Boa parte desses patifes já tem mais de 70 anos. Se formos livrar por isso, vamos punir quase ninguém…

        Ah, e não se pode esquecer do Zé da Justiça.

    • De antologia!

      Prezado, sua postagem toda é boa, mas a primeira frase é espetacular, antológica! Do que ela diz, não há como fugir.

    • Que acabem com a Globo

      Independentemente da coloração política, qualquer partido com um mínimo sentido de nacionalidade, de direita ou esquerda, fica prejudicado por esse acordo tático entre Globo-PGR-PSDB. Isso  porque os tucanos estão comprometidos com uma agenda de submissão aos americanos. Você já discutiu aqui a proximidade dos mesmos com os falcões do partido democrata.

      Juízes são tão mal quistos quanto os políticos, devido aos seus privilégios impensáveis em qualquer país minimamente decente. De qualquer forma, passando as leis de abuso de autoridade e revistos privilégios dados a essas castas, é possível que se comportem constitucionalmente.

      Os procuradores ainda são vistos com bons olhos porque aparecem midiaticamente como justiceiros. Sem a propaganda da rede globo, voltam a sua insignificância.

      A globo é uma instituição que atua contra os interesses do Brasil, pró EUA, muito provavelmente devido ao financiamento do grupo time-life em sua origem.

      Qualquer pacto de governabilidade, passa por acabar com o poder da Globo. Isso precisa ficar claro. Os únicos que se beneficiam do poder da globo são interesses estrangeiros. E alguém precisa tirar a Globo das mãos dos filhos do roberto marinho.

  6. Ao analisar com atenção a

    Ao analisar com atenção a situação nesse momento, o que eu estou vendo é que o Brasil já entrou no caminho sem volta de uma guerra civil. Vocês deviam ter liquidado os conspiradores a muito tempo mas não o fizeram por falta de balls, e agora esses conspiradores vão destruir o país porque eles realmente acreditam que vão conseguir escapar quando começarem os tiros nas ruas e poderão desfrutar os resultados do saque em alguma ilha paradisíaca.

    Vocês insistem em pensar em um “pacto nacional” e isso é louvável, mas infelizmente isso não funciona com selvagens. Pactos são entre grupos civilizados, não funciona quando um dos lados têm a inteligência e a visão de uma ostra e estão abertamente e escancadaramente tentando destruir o país sob o comando dos garotos de Wall Street, os marioneteiros.

     

    Comprem armas e munição, vocês vão precisar.

  7. “O inevitável será o grande

    “O inevitável será o grande acordo nacional, em um ponto qualquer do futuro, que garanta o enfrentamento da crise econômica e defina as bases para o novo tempo político – cujo desfecho serão as eleições diretas. A incógnita, no caso, é saber em que ponto do futuro e que nível de esgarçamento social e econômico, baixará o bom senso.”

     

    Não quero esse acordo. Esse acordo manterá Janot, Moro, Aécio, Alckmin, Serra, Temer, Cunha e demais golpistas fora da cadeia e com todo o lucro que amealharem nestes anos, além da manutenção de grande parte das reformas liberais e da gaarantia que os estrangeiros que compraram o país o receberão. Daqui há 30 anos, a consequencia será outro golpe.

    Prefiro a derrota completa e morte do país do que uma saída negociada com essa gente. O Golpe de hoje está acontecendo por causa do grande acordo Nacional (Anistia) de ontem.

    Se o Brasil não tiver grandeza suficiente para arrumar uma saída civilizatória, que envolva a punição DE VERDADE para os golpistas, é pq nosso povo merece PEC 241 e merece trabalhar até morrer !!!! 

     

  8. Alguns apontamentos:
    – Lula

    Alguns apontamentos:

    – Lula está fora do jogo. Primeiro, pela idade. Segundo, porque foi ele, e também Dilma, que ajudaram a armar essa bomba atômica de guerra entre Poderes. Ou será preso ou será condenado e não participará das eleições. Se participar, não terá chances, não terá dinheiro para fazer campanha. O Justus tem muito mais chances que ele. A candidata da Globo, por enquanto, é a Marina.

    – O que  a lava jato fez já se infestou por todo o País, principalmente através das “prisoes preventivas de políticos”. No Brasil interiro está havendo esse processo. Nâo se precisam mais de justificativas constitucionais. O juiz de 1 instancia ou do tribunal determina prisões preventvas de vereadores e prefeitos e acaba com a Prefeitura. Os exemplos mais recentes são de duas grandes e importantes cidade do interior de SP, Ribeirão Preto e Osasco.

    – O que essa turma deseja é que metade da população do País será de fiscais, promotores, policiais ou carcereiros, a outra metade de bandidos. É simples assim.

    – A hipótese do General Napoleão, em tese, até seria boa, porém, na prática a possibilidade é mínima. Ele teria que ter uma estratégia muito ampla e apoio de vários setores, e mais, visão social e de País. Será que existe isso nas forças armadas hoje em dia ? E alguem com coragem para isso ? Teria que, ao mesmo tempo, sufocar a Globo rapidamente e setores do judiciário e MP. Fazer expurgos maiores que foram feitos por Erdogan na Turquia. Alguem acredita que isso dará certo ? Nâo creio.

    – O que restaria de factível seria algum tipo de reunião entre Temer, Renan e Jucá, em seguida tentarem convenhcer Gilmar e FHC e irem para cima da Globo e lava jato para a guerra final. Ou então é melhor que os 3 primeiros se mudem do País, aliás, como está fazendo corretamente Eduardo Paes e todos de bom senso que detêm essa possibilidade

    – A probabilidade maior é que nada aconteça. A economia continue se esfacelando e o estado de excessão continue a vigorar com prisões e espetáculos por todo o País. Juizes, promotores e policiais caipiras do interior acreditando que estão limpando a política, etc.

    – Grandes empresários, grandes poíticos, intelectuais, pessoas de bom senso que tenham condições se mudem de País

    – Tomara que quando estivermos próximos de virar um grande Haiti talvez haja alguma sombra de bom senso para iniciar a reconstrução.

    – Ao final de tudo dirão que a culpa foi da corrupção. Podem ter certeza.

     

  9. Um xadrez apocalíptico, que

    Um xadrez apocalíptico, que aponta saídas que não são saídas, são apenas escadas para o fundo do poço.

    Imaginar um pacto entre PSDB/Mídia que não tenha como fim destruir e saquear o país é delírio; imaginar que a sociedade suportará a presença de Renan e Jucá nas negociações, igualmente delirante; considerar FHC uma voz de peso e bom senso para os mercados, juro não sei de onde seu Nassif tirou isso. E o mais sonhático de tudo: imaginar Lula com protagonismo político capaz de segurar as pontas desse país destroçado.

    É  claro que o blogueiro não pode simplesmente dizer para seus leitores: f…

    Mas também não precisa chegar às hipóteses que não têm qualquer pé na realidade de hoje. 

     

    • Minha cara, sei que já foi

      Minha cara, sei que já foi juiza.

      Por gentilez, se puder nos ajudar, o que pensa a respeito do vem ocorrendo com os juizes do Brasil, que não param de proferir decisões – a meu ver arbitrárias – de prisões preventivas contra políticos, o que vem destroçandos cidades Brasil afora, agravando ainda mais a situação economica ? É tudo efeito – manada, sindrome de Moro, medo de confrontar seu meio social ?

      Será que eles imaginam alguma estratégia em tudo isso ?

      Será que não sabem que metade da economia do País é informal, querem destrutir tudo ?

      Fico preocupado, pois o problema não é mais apenas Moro e sua turma, isso já contaminou a todos, ou a grande parte,  aparentemnte.

       

      • Só estão mostrando exatamente

        Só estão mostrando exatamente como sempre foram. Saíram todos do armário,

        Simples assim.

  10. Esse pacto nao deve incluir

    Esse pacto nao deve incluir perdão aos golpistas, PGR, MPF, corruptos e congressistas com processo na justiça. Se tiver esse pacto, deverão incluir, a reforma politica, lei de abuso de autoridade, uma nova constituição.

     

  11. Estamos num momento parecido

    Estamos num momento parecido com a solução final nazista. Explico = quando a Alemanha se deu conta que não tinha como vencer o trio Inglaterra, URSS e EUA, decidiu eliminar todos os judeus que pudesse. Essa corja que tomou o poder – personificado por Temer – desde a delação da semana passada, sabe que só por milagre chega até 2018. E por isso, como fieis soldados da elite e da globo, já aceleram o passo da solução final  pra destruir todo o capega estado de bem estar social construído duramente desde 88. E o pilar disso é a da previdência social. E o governo já deixou claro que todo aquele que tem autorização do estado para atirar – forças armadas – está fora dessa lei do sexagenário 2.0 – garantindo assim que essa atrocidade vai passar mesmo que tenha que se atirar nos ‘baderneiros’ que não compreendem que isso é necessário para o bem da nação. Dúvido que haja pacto. Já se passou faz tempo tal possibilidade. Minha sensação é que Lula não volta mais À presidência – mesmo que pra isso tenam que matá-lo. 

  12. Palavrão, palavrão

    “<i>Por que, porra, por todos os lados, é só golpe!?</i>”

    O palavrão, não é meu, esclareço. Está aqui: http://blogdoalok.blogspot.com.br/2016/12/crise-no-plano-constitucional-e-golpe.html

    É uma pergunta que a gente se faz:

    “<i>Até hoje, sempre bastou ao imperialismo ocupar a mídia e a academia, ou essas mais a Igreja, e, por essas duas vias, também o judiciário. E o capitalismo já há séculos deixa a presidência nacional para ser usada na encenação de democracia liberal: os eleitores elegiam presidentes e presidentas (embora não nem mídia nem judiciário). Em todos os cantos do planeta esse velho arranjo quase-Mostesquieano dava para o gasto. E assim o império ia sobrevivendo suficientemente sem provocar excessivo incômodo à democracia liberal.

    E agora? Não mais?</i>”

  13. Não existe acordo possível

    Não existe acordo possível com essa gente. Isto ficou absolutamente claro. São anti-nacionalistas, anti-povo, anti-democracia. São inumanos.

    Esse país só tem uma saída: a eliminação dessa gente. De agora em diante essa prioridade deve estar sempre presente, oculta, mas presente em qualquer programa de governo sério de quem se opuser a eles. Essa gente simplesmente não pode continuar respirando. Devem ser destruídos a qualquer custo.

    A era das ilusões acabou.

    • A recíproca é verdadeira

      Eles também não querem agente respirando – é o programa oculto deles. Eles querem nos eliminar quando as revoltas começarem. E não haverá leis novas para justificar isto, mas apenas juízes ao estilo Moro, mas com uma pitada a mais prazer pela violência

  14. “FHC ainda é a esperança de

    “FHC ainda é a esperança de bom senso na frente golpista. Também é a única voz do PSDB com influência no mercado e no meio empresarial.”

    Sem chance… FHC nessa altura da vida aceitar um desafio desse porte? Impossível…  Nem ha 20 anos atrás ele teria essa grandeza… Isso é papel pra um Lula, pra um Ulysses… Se ele tivesse o mínimo de decência teria impedido tudo isso dentro de seu partido, em 2014… Ele é uma farsa ambulante… O papel de FHC,  vai ser emprestar a grife que a mídia diz que ele tem, pra legitimar toda essa patifaria…

  15. “Não haverá como fugir do

    “Não haverá como fugir do grande pacto,”

    Para mim o grande pacto chama-se PORRADA.

    Chegamos a um ponto que só a PORRADA resolverá a situação. Não dá para a população contemporizar com o que temos aí: judiciário, midia, pgr, stf, camara,senado, vários políticos do pmdb e psdb, moro, lava jato, marinhos, etc etc.

    Todos estes deveriam ser, na pior da hipóteses, presos e condenados a 30 anos de cadeia no mínimo, e, na melhor, serem todos linchados em praça pública. E junto com estes, vários empresários. ex. o dono da riachuelo.

    Aí sim, depois da grande limpeza poderíamos pensar em pacto para a reconstrução daquilo que os filhos da puta mencionados acima destruíram.

    Para condução deste pacto, recomendo o Lula. Ao FHC recomendo um tiro na testa.

     

  16. Me questiono muito à respeito

    Me questiono muito à respeito do “pacto”.

    Racionalmente, entendo que pactos e acordos são saídas para qualquer impasse, algo tão lógico que o que escrevi é um baita clichê.

    Entretanto, como vislumbrar pactos com quem deseja te destruir a qualquer custo?

    Como pensar em firmar pactos com um grupo que quer estraçalhar o país em proveito próprio?

    Como segurar a orda de bárbaros de verde e amarelo, os famosos coxinhas, que a Globo e os sites de extrema-direita criaram?

    Qualquer um experimenta, em seu próprio convívio familiar, profissional ou pessoal, os dissabores de profunda divisão baseadas no rancor: famílias abaladas, amizades desfeitas, um certo macartismo profissional. Isso está evidente na realidade de cada um de nós.

    Infelizmente temo que a esperança de pacto por aqui seja algo totalmente pueril.

    O que move o ódio de tanta gente privilegiada? Qual foi a ameaça à eles para este despertar de puro ódio?

    Qual a liderança racional de direita vemos hoje?

    Mesmo FHC, sempre quer porque quer jogar lenha na fogueira do ódio. Será tudo isso uma mera inveja e um mero inconformismo com o desempenho de Lula na presidência? Será ele tão minúsculo assim? Se for, seria ele um agente capaz de integrar um pacto?

    Não consigo nutrir esperanças sobre um pacto, embora deseje demais isso.

    • Caro Sr. Álvaro: eu fiz um

      Caro Sr. Álvaro: eu fiz um acurado trabalho para saber o motivo da demonização do PT e qual o motivo dessa classe média baixa ter saído à rua tão zangada.

      Perguntei a umas cem senhoras todas coxinhas e a resposta escondida hipocritamente foi sempre a mesma: O FIM DA ESCRAVA DOMÉSTICA . Perguntei sobre todas as hipótses, mas quando tocava no termo “empregada” todas sem exceção mordiam o beiço com raiva. Não vou detalhar motivações antropológicas porque não devo neste comentário, mas essa foi noventa por cento da motivação das coxinhas contra Dilma.

      • Confirmo o que você escreveu

        Confirmo o que você escreveu sobre empregadas e acrescento mais: este pessoal baba de ódio também quando você fala em cotas em universidades, pobres andando de avião, tem ódio mortal do bolsa família –  nunca vi um reclamar do bolsa rentista – e de qualquer coisa que beneficie pobres.

        Mas, os mesmos filhos da puta vão ao ministério público querendo que o estado banque remédios mais caros e cirurgias para eles e os seus, mesmo tendo condições de pagar. Não se importam ao mínimo em tomar o lugar de alguém que não poderia pagar.

        E os promotores facilitam para eles porque sonham em frequentar os mesmos salões que os ricos, então puxam o saco deles e não os incomodam em nada, nem quando invadem áreas de preservação ambiental.

        MInha cunhada tem uma loja de sapatos femininos mais caros e m inha esposa é gerente da loja. vocês não fazem idéia do que as clientes riquinhas e aquelas que sonham em ser riquinhas dizem sobre pobres.

        Lamentear a flata de empregadas é pouco. Elas reclamam mais é dos direitos que o governo petista deu às empregadas domésticas. O que este pessoal quer são escravos.

        • Notei algumas fontes de

          Notei algumas fontes de ódio:

          – A dificuldade de se manter uma faxineira (estavam cobrando muito caro a diária e escolhendo serviço)

          – A dificuldade em se pagar uma doméstica após conquista de direitos (na época foi uma revolta só, ameaçando até colocar cartão de ponto em casa)

          – Cotas: Aonde já se viu “morenos” fazendo faculdade?

          – PROUNI e FIES: Idem

          – Jovem pobre estudando ao invés de ser mão-de-obra para “servicinhos”

          – Pobre comprando carro zero, que estava “entupindo a malha urbana”

          – Pobre usando avião: “Aeroporto está parecendo rodviária”

          – Pobre viajando à Paris, EUA, Bariloche, etc, via pacotão CVC: Me recordo bem aquele épico artigo da Danusa Leão reclamando que ir pra Paris não tinha mais graça por causa de pobres que agora iam para lá também.

          – Pobre fazendo compras no Pão de Açucar

          – Pobre com i-Phone

  17. Só existirá uma remota

    Só existirá uma remota possibilidade de acordo quando houver um mínimo equilibrio de forças. Ou seja, enquanto a globo, principal corrente da UDN, não for contrastada, nada feito.

    Seja lá quem quer que tenha vazado, foi a globo quem deu repercussão (inclusive em editorial). É bem mais provavel que tenha sido por parte dos ativistas da lava jato, que estão alinhados desde o início com a globo.

    Portanto, a estratégia de desmontar o estado social à picaretada ainda vai persistir. Depois de derrubarem quem ainda opunha alguma resistência, qualquer um com telhado de vidro nada mais é que um pato a mais a ser abatido. Acho mesmo que o fazem até com um certo regozijo (não por escrúpulos, mas por soberba).

    … E isso enquanto o Nassif se pergunta pelas “lideranças responsáveis do PSDB”…

    Ora, todos sabem que de “social democracia” o PSDB só tem a sigla atualmente. A legenda foi caminhando para a direita sempre de chantagem em chantagem. Nunca foram confiáveis aos olhos da UDN histórica.

    Assim sendo, são grandes as chances de, mais uma vez, a tucanalha ter que ser testa de ferro do desmonte da “era vargas”, afinal, já se converteram devotamente ao mercadismo e criaram intensas lealdades pessoais.

    Só falta a UDN perder a paciência de vez com o MT e a gangue dele.

    Ah, claro: e como o centrao reage; a única imprevisibilidade nesse jogo todo.

    • só tem a sigla..

      Lucinei, além deste partido só ter na sigla “social democracia” e na prática não dá exemplos disso, não se espante que no futuro esta sigla mude para esta forma: PNSB. acho que entendeu né… afinal partido que começou de centro e caminhou rápido para direita e em breve estará firmemente na EXTREMA DIREITA! quem estuda ou estudou história sabe no que estou tentando dizendo, quem buscar entender os antecedentes do Nazismo, certamente captará a mensagem! 

      • Dificil isso com o psdb

        O que o psdb defende de nacional?

        apesar de caminhar pra direita, eles caminharam pra uma direita sem compromisso com uma agenda nacionalista. são simplesmente entreguistas.

        • defesa nacional?

          Vinicius, o fato de uma sigla qualquer ter a palavra Nacional ou Social, não quer dizer nada, se formos olhar no caso do nazismo a maior bandeira deles foi a questão racial, o nacional já estava no bojo, ou seja, que eles consideravam o alemão a raça pura, aliás qualquer alemão, o nacionalismo realmente na época era muito mais valorizado do que hoje, principalmente naqueles paises europeus, no nosso caso, o nacionalismo na verdade nunca foi verdadeiro, eram e é sempre ocasional, o que eu estou tentando dizer com a “possível” sigla, é pelo caminho radical que o P$DB está caminhando (claro nada no quesito racial) mas sim no quesito antinacional, ou melhor dizendo na questão subalterna, ou capachismo mesmo em relação aos USA. Espero que tenha entendido! abraços

  18. Nao ha acordo possivel
    Lula fez acordo 14 anos atrás para não investigar os crimes de FHC e o outro lado não honrou, por que faria diferente agora?

    Quem entrar tem que prender todo mundo, STF, congresso, todos os juizes procuradores e delegados que expõe que tem lado nas redes sociais, todos que traíram a pátria sob a desculpa que for.

    Com 44% de rejeição mais a globo contra Lula nunca ira apaziguar ânimos. Nao sem o JN ir a público dizer que estavam errados e que Lula é o honesto e eles são golpistas.

    Nunca, repito, nunca isso vai acontecer

    Sugira outra coisa porque nao vai ter eleicao direta ate 2018 e mesmo la ha grande chance de não acontecer.

    • Serra é Kalil

      Trabalhei na Santa Casa SP, ótimo lugar para se trabalhar por ser super humanitário, independente de suas instalações não-médicas estarem ainda na década de 80. 

      Serra gosta da Santa Casa, e do Dr. Kalil também.

    • Concordo. Sem chance de

      Concordo. Sem chance de pacto.

      Como disse o Ciro Medeiros em seu comentário, “o Eixo não quer o pacto”.

      Daí, quem sempre esteve a serviço do “Eixo” e quem por ele ora foi subjugado não tem essa opção. 

      • É difícil falar em pacto…

        …quando nem entre meus familiares consigo conversar sobre a situação atual, política e econômica, sem que a conversa termine em briga.

        Creio que já passamos desse ponto, as caravelas foram queimadas.

        Vejo duas possibilidades: guerra civil – aí uma das partes se imporá à outra pela força – ou um fingimento geral de que tá tudo bem e Deus proverá.

        Foi bem fácil confiar em Deus na fase da bonança, quero ver quando a panela estiver vazia.

        Então, meus caros, preparemo-nos para a guerra.

        Coxinhas x Mortadelas, vamos ver…

         

  19. O provedor da Santa Casa de SP (e herdeiro do Itaú) e a PEC 55

    O provedor da Santa Casa de SP (e herdeiro do Itaú) e a PEC 55

    A revista Brasileiros que está nas bancas traz a matéria SANTO CAOS – Em entrevista à Brasileiros, o pediatra José Luiz Setúbal, 60 anos, um dos herdeiros do Banco Itaú, faz um balanço de seus 18 meses de gestão à frente da Santa Casa de São Paulo.

    Dados da reportagem – a gestão (criminosa) anterior  de Kalil Abdala, afastado e sob investigação do MP, deixou uma dívida de R$ 878 milhões, cujo serviço (juros) custam entre R$ 9 e 10 milhões/mês. Está sendo financiada pelos credores (Receita Federal, fornecedores e funcionários), dívidas trabalhistas e tributárias suspensas. Enxugamento – Desde a posse, o novo gestor demitiu 1.397 pessoas, também conhecidas por seres humanos. Havia 39 unidades de saúde, restaram 6.

    Diz o médico herdeiro do Itaú: “Somos um hospital filantrópico e atendemos 100% SUS. (…) com essa crise enorme que está no País, estamos funcionando abaixo do que deveríamos porque não há insumos. (…) Como precisamos cobrir o buraco do subfinanciamento do SUS (responsável por mais de 90% dos recursos da Santa Casa), decidimos informatizar primeiro o Hospital Santa Isabel, que também pertence à Irmandade e gera recursos, o que melhorou os resultados.”

     Quer dizer, o administrador está lá dentro há 18 meses, um hospital filantrópico, 100% SUS, mais de 90% da receita oriunda do SUS, portanto ele tem perfeita noção da situação e dos impactos (tragédia) que a PEC 55 causará ao longo dos anos a uma instituição com esse perfil. No entanto, quando perguntado, disse responder como médico. Lamento discordar, mas o Banco Itaú está alinhado com o desmonte do Estado Social, portanto a resposta não foi do médico, mas do herdeiro do Itaú:

    Como a aprovação da medida que congela o teto dos gastos públicos, a PEC 55, interferirá na crise da Santa Casa?

    Sempre respondo como médico. O Brasil é um paciente crítico. Os remédios para o paciente crítico são duros, mas devem ser tomados. Fazer quimioterapia é um remédio ruim para a pessoa, porque cai o cabelo, a pessoa fica propensa a ter outras infecções, fica fraca, mas é necessário para curar o câncer. É um pouco isso o que penso da PEC 55. O Brasil precisa tomar essas atitudes, ter coragem para enfrentar seus problemas e não varrer para debaixo do tapete. Tenho estudado o sistema de saúde do Brasil e não pode ficar como está. Minha vida profissional se deu na medicina suplementar e não sou especialista na área pública, mas acho que a governança do nosso sistema de saúde é ruim como um todo, e na área pública é ainda pior. Há um grupo liderado pelo Claudio Lottenberg, presidente do Hospital Israelita Albert Einstein, chamado Conexão Saúde, que tem estudado o assunto.

  20. Ontem o Noblat soltou uma

    Ontem o Noblat soltou uma nota dizendo que o Moro já tem a sentença do Lula.

    Irá condena-lo do inicio do próximo ano. Mas não irá prendê-lo 

    Será ?

    Não vai prender por quê, faltou culhão ? Se for verdade, a coxinhada não vai gostar

  21. O pacto é esclarecer o povão
    O pacto é esclarecer o povão o pq da terra arrasada aqui,me disseram hj q a pec do
    fim do mundo tinha q ser aprovado ,”era a mesma coisa.q.dar um cartão de crédito
    sem limites à sua mulher,vc daria? “Me perguntou ele,e o pior,era uma pessoa com curso superior e um cargo excelente em uma boa empresa,o pacto é informação e porrete se for o caso!!NASSIF É RESPONSÁVEL DEMAIS,É GUERRA NASSIFÃO !!!

  22. Li alguns artigos dizendo que

    Li alguns artigos dizendo que o vazamento teria partido da própria Odebrecht, por vingança contra a força tarefa.

    Dizem que o Moro desde o inicio da delação do Sergio, só queria saber sobre PT/Lula/Dilma.

    Para desmoralizar Moro e sua gang teriam vazado informações sore todos os partidos.

    Será ?

    Dizem que a Oderecht vai soltar mais merdelê contra pessoas importante fora do mundo politico. Com nome, e comprovante da propina.

    Vamos aguardar !!!

    • Nâo faz sentido nenhum.

      Nâo faz sentido nenhum.

      Só delatarem porque foram chantageados, a empresa iria quebrar e todos ficariam presos por muitos e muitos anos.

      Por que iriam vazar a delação e correr o risco dela ser anulada ?

      Jamais.

      Ela foi vazada para pressionar  e também em retaliação ao congresso, só isso.

      • A tese do vazamento pela Odebrecht faz sentido

         

        A tese de vazamento pela Odebrecht faz sentido.

        O ponto é mostrar quem, de fato, manda no país. Os políticos ainda acham que são eles? São apenas servidores públicos do privado. 

        Os Odebrecht svão acuar políticos, judicionário, mídia, etc. 

        Trata-se, claramente, de uma vingaça. E não uma vingaça pelas tentativas contínuas de incriminar somente o PT.  É uma vingaça contra quem sempre utilizou os “serviços” da empreiteira e agora lava as mãos.

        Lembrei de um diálogo do filme Amarelo Manga que cabe como nunca nessa situação como esa: “o ser humano é estômago e sexo“.

        A maré vai subir. 

  23. Não é querer um pacto, serão obrigados a

    Pesquisa realizada pelo Departamento de Competitividade e Tecnologia da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Decomtec) aponta sérios problemas de endividamento e geração de caixa em uma amostra de 269 das maiores empresas da indústria de transformação.

    Essas empresas, que correspondem a 43% do faturamento do setor, encerraram o ano de 2015 devendo meio trilhão de reais, e com retração na geração de caixa de 6,6%, descontada a inflação. Metade delas está com relação dívida/Ebitda maior do que cinco, nível considerado crítico pelos analistas financeiros.

    Como consequência dos juros altos e da escalada do câmbio em 2015, as despesas financeiras cresceram 85% e ultrapassaram a capacidade de geração de caixa (Ebitda) em 20%. O lucro líquido agregado caiu 65%, e 44% das empresas da amostra sofreram prejuízo em 2015, contra 22% em 2010.

    Mantendo a atual tendência, projeta-se que o endividamento dessas empresas cresça 207% até 2020, contra 28% do Ebitda, a partir das perspectivas de mercado do relatório Focus, o que levará o agregado da amostra a uma perigosíssima relação dívida/Ebitda de 4,69 (hoje, ela é de 2,81).

    Trata-se de um cenário extremamente preocupante e comprometedor para o investimento industrial e a retomada do crescimento econômico. Para evitar que isso se confirme, e para trazer algum alívio às empresas com dificuldades financeiras, elencamos algumas propostas de políticas públicas ao final do trabalho.

    ( http://migre.me/vICp ) para visualizar o estudo Situação Econômica do País e a Deterioração Financeira da Indústria de Transformação.

    • blood sacrifice

      Isto já está desenhado nos cenários dos estrategistas do Eixo City-Wal Street – é apenas um ritual de sacrifício para acelerar o movimento do país para o caos; a classe média e a elite “brasileira” são narcisistas demais para conseguir sair de seus comportamentos viciados – pense nos viciados em cocaína, eles cheiram até a morte. Os viciados em desigualdade social vão ter um fim similar, com dopamina transbordado de seus cérebros até o último minuto. 

  24. O Eixo não quer o pacto

    “FHC ainda é a esperança de bom senso na frente golpista. Também é a única voz do PSDB com influência no mercado e no meio empresarial.” Entre o bom senso e a soberba, narcisistas tendem fortemente a escolher a segunda opção – sendo o FHC o que é, ele vai continuar embriagado com próprio ego, escolhendo seus discursos como uma socialite escolhe a roupa pra ir no coquetel. Em outras palavras, ele é so um reflexo das forças que realmente pensam quais planos devem ser executados, e só reflete quando esses planos já estão em execução. 

    Como bem explicitado no texto, quem está agindo para inviabilizar o pacto são aqueles que realmente exerceram (e continuam execendo) o poder de modo a gerar toda a lambança que estamos vendo – a questão é: quem e o que está por trás da PGR? 

    O Sistema de dominação do Eixo City-Wall Street está manipulando a elite “brasileira” via PGR & Globo para inviabilizar qualquer pacto – os estrategistas do Eixo apostam que o caos e as revoltas violentas vão atrair uma repressão brutal e inédita na nossa já brutal e peculiar história, e que essa repressão vai matar centenas de milhares ou milhões de pessoas, de modo a realizar o que eles devem estar chamando ironicamente de “Brazil’s brain wash” – algo desenhado para inviabilizar a emergência de novas multinacionais e tecnologias brasileiras aptas a competir de igual pra igual contras as multinacionais do Eixo, assim como inviabilizar a disputa pelo mercado africano ao longo de seu boom populacional. 

    A questão é quais teorias estão por trás da ação do PGR e quais professores ou funcionários do Governo Federal dos EUA ensinam essas teorias – o que o Janot e outros aprendem quando vão ao exterior? O que nós estamos (ou deveríamos estar) tentando achar é algo como isto: https://www.ted.com/talks/thomas_barnett_draws_a_new_map_for_peace

    Quando nós conseguirmos achar o “o que” e “o quem” da pergunta anterior, aí nós podemos começar a pensar na estratégia de criação de discursos realmente eficazes, partindo do conhecimento que suporta as ações da PGR e que nos permitiria fazer previsões de como eles vão agir no futuro. E claro, pra conseguir o seu tão sonhado pacto, senhor Nassif, a primeira questão é entender como essas ações conseguem manipular a “elite brasileira” pra fazê-la pensar que ela não vai sujar suas finas roupas de coquetel com o próprio sangue ao longo do Brazil’s brain wash.

  25. Fazendo um resumo dos

    Fazendo um resumo dos comentarios aqui.O Brasíl esta a caminho do abismo,rumoa uma guerra civil.Tudo por causa de aecio,moro,janot e globo!

  26. Excelente análise, ótimo

    Excelente análise, ótimo texto, gostoso de ler… você tá escrevendo cada vez melhor.

    Falando em timing para o suposto acordo de salvação nacional tenho pra mim, de acordo com a tradição brasileira, que ele só virá quando o sistema bancário (e financeiro) estiver ameaçado pelo nível de inadimplência que aumenta a cada dia.

    Resumindo: quando estivermos próximos do curralito argentino e a panela da fome sendo batida, não nas varandas chiques, mas na favela será hasteada a bandeira branca.

    • Não quero acordo. Acordo

      Não quero acordo. Acordo deixará os golpistas fora da cadeia, manterá todas as políticas liberais que não inviabilizem o crescimento. (A PEC 55 deverá ser uma das poucas que irá para o ralo), e manterá todas as privatizações e entrega do pré-sal. 

      Um Acordo que será rompido no máximo 20 ou 30 anos depois dele, a direita o rasgará e continuaremos neste ciclo. O Golpe de agora é a direita rasgando o acordo político de ontem.

       

       

       

  27. Nassif, acho que você precisa

    Nassif, acho que você precisa de um calmante. Quem vazou foi o Dallagnol, obviamente, que acusou hoje o Temer de conspirar contra a Lava-jato. Pegou a delação que o deixa mais comprometido e mandou para a Globo, Veja, Folha, etc.

  28. Pacto.

    A solução proposta pelo Nassif de diálogo e reconciliação através de um pacto, me parece pura utopia, típica de pessoas com esperança e humanidade.

    Mas, …quem em sã consciência se sentaria à mesa para dialogar com traidores da pátria, que estão amealhando fortuna para deixar o país, quem adota postura a favor dos EU, sem que tenha nenhum pudor de mostrar ao povo que está traindo à pátria, como se eles fossem inalcançáveis pela justiça. E o pior é que eles tem razão a respeito da inimputabilidade, pois confiam na coparticipação da justiça.

    O fim dos direitos sociais estava na alça de mira do congresso para ser aprovado e a população elegeu seus algozes, fato que foi comemorado pela mídia podre como grande sinal de aprovação do povo em relação a um partido corrupto e que deu o golpe na democracia.

    Portanto, acredito que um povo, para que tenha direitos, como os que eram perseguidos pela constituição de 88, deve aprender, pagando pelos seus erros.

    O nosso caminho aponta para o inferno e estamos ainda longe de chegar lá. O desemprego em massa que se avizinha, a pobreza, a falta de assistência mínima por parte do estado até o momento, é só o cheiro de enxofre.

    Só vamos ter consciência de nação, depois da terra arrasada, quando as pessoas se sentirem parte de um só povo, e perceberem que, aquilo que é ruim para meu vizinho, é ruim para mim.

    Este futuro me parece distante.

    Até lá que Deus nos ajude, pois nós não estamos fazendo nada para nos ajudarmos.

    • O Brasil e o Brasileiro

      O Brasil e o Brasileiro MERECEM tudo pelo que estão passando. 

      Tudo isso começou com a nossa insatisfação com o bem do outro. A felicidade e o bem-estar uns dos outros nos impedem a maioria de nós de sermos feliz. Não basta eu estar bem, meu irmão, meu vizinho, precisam estar mal para que eu possa ser feliz.

       

       

  29. Palpite

    Nassif,
    Tenho lido satisfeito os últimos textos do xadrez.
    E vejo a idéia do pacto como algo ideal, especulativo. O Brasil está entrando em um novo estado de normalidade, preço a pagar pelo novo status geopolítico adquirido com o pré-sal.
    A indicação do Secretário de Estado do Trump reforça esse meu palpite.

  30. Gente, essa é uma leitura de

    Gente, essa é uma leitura de fôlego. Vamos colocar aqui alguns pontos:
    a) o país está no caos total, econômico, material, emocional, até cultural; b) Nassif tem razão em ver como absolutamente necessário um grande acordo em que as partes “sentem-se e conversem”…e ele tem mais razão ainda quando nesse acordo, deve-se ter o bom senso em admitir a volta do protagonismo de Lula na cena nacional, única liderança capaz de galvanizar diversos setores do pensamento político e o respeito dos movimentos sociais em geral; c) espera-se o bom senso de FHC…Nassif acredita nisso, e nesse ponto eu discordo dele respeitosamente, pois FHC abriu mão em definitivo de seu viés intelectual quando ainda estava na presidência (“esqueçam o que escrevi”), e de uma forma tão irretocável que suas intervenções públicas de lá para cá desnudam completamente uma frustração pelo fato do líder petista o derrotar na preferência popular, e inclusive ganhando mais respeito em todo o mundo diplomático internacional (FHC não consegue engolir isso); d) a troika PSDB-Globo-PGR-moleques da Lava Jato representa o “grande satã” desse momento melancólico da vida brasileira, sem enfrentar esse “grande satã” e “pisar na sua cabeça”, o Brasil está condenado a um futuro sombrio, para dizer o mínimo; e) uma enorme e lamentável escassez de verdadeiras lideranças políticas, cite-se qualquer um, com raríssimas exceções, é só mediocridade, anacronismo, atraso, rabugice, intolerância, truculência…

    •  
      Moacir mil desculpas meu

       

      Moacir mil desculpas meu caro.

      Relendo seu texto constatei meu engano. Na verdade, convergimos quanto a inutilidade e desimportancia do inútil ex-intelectual FHC. O cabra não é recomendável para qualquer acordo, compromisso, ou seja o que for, que requeira  respeito à palavra empenhada .Sobretudo, em assuntos que envolva os interesses do País. O cara é um traidor do Brasil.

      Orlando

  31. É bom deixar fixado

    É bom deixar fixado (lembrando): o MP é titular da ação penal e não dono da ação penal. Janot e tantos outros que silenciam ante ao demandos de outros políticos que não ligados aos paartidos progressistas e adversários podem e devem ser responsabilizados civil, criminal e politicamente.

  32. Caro Nassif

    Lendo o xadrez, me caiu uma ficha:  a groubo é o fator desbalanceador de todo o jogo. Como ele são praticamente hegemonicos, a vontade dos marinhos irá dar a toada.

    Então, será que não chegou o momento de uma cooperativa progresista investir na midia, pesadamente, para fazer frente a este demonio?!?!?

  33. Chega de conciliação!

    Chega de conciliação!

    Essa história de lulinha paz e amor foi que garantiu o poder desses canalhas todos. Não dá mais para ficar dependendo de conchavos palacianos. O Lula chegou a ter 80% de aprovação, ele teve a oportunidade de liderar o país inteiro contra essa corja toda, ao invés disso escolheu a via fácil e cômoda da conciliação, abrindo mão da reforma política e da democratização dos meios de comunicação. Agora estamos pagando o preço. E por sinal muito caro.

    Não acredito nessa história de pacificação. Essa corja toda destruíram a democracia brasileira, e agora querem destruir o resto do país com o fim da previdência social, ensino público, CLT e de todas as empresas nacionais. Os propósitos da Casa Grande são os piores possíveis, não merece nenhum tipo de consideração, não são confiáveis.

  34. FHC? Cruzes!

    Nassif, se FHC tivesse o que você espera dele em termos de bom senso, não teria embarcado no revanchismo de Aécio, que não trouxe, nem trará, um miligrama de poder legítimo para o PSDB. Esse senhor, assim como Barroso e Barbosa, é exatamente o que se vê dele, não tem nada de positivo guardado para ser usado quando o país precisar. Como os Bourbons, não aprendeu nada, não esqueceu nada, não perdoou nada.

  35.  
    Realmente, a rede Globo

     

    Realmente, a rede Globo ainda é capaz de provocar pesados danos ao país. Lá atrás, nos idos de 1964, seus operadores já demonstravam não ter o menor escrúpulo para lenhar com país e com sua população. Exatamente agora, repetem as mesmas operações e demonstram igual disposição criminosa. O seja estes filhos da puta são capazes de baixar ao inferno, para servir com denodo e afoiteza de capacho servil a seus patrões norte-americanos. Parece uma doença.

    Portanto não nos iludamos. Nada de stf, pgr, pf, fhc, janot, gilmar. Nenhum desses merdas  representam, por si só, bosta alguma. O que fica muito claro para mim é que estes boçais da elite de merda, que se imaginam detentores de méritos. No fundo não passam de um bando de medrosos, inseguros, frouxos e covardes. Dai sua enorme vulnerabilidade às trapaças e chantagens da mídia mafiosa. Os marinhos os manipula com relativa facilidade e visível desenvoltura. É de dá vergonha. Claro! Em quem tem alguma.

    Enquanto isso. Lá… do outro lado, do lado de lá! Isso! Do lado dos sem transporte próprio e sem motorista, sem ajuda escola, sem auxilio moradia, auxílio empregada doméstica, auxílio amante ou concubina(o) e etc. Férias duas vezes por ano, etc, e tal.. Pois bem, aqueles sem privilégios obscenos, que vivem com um salário modesto. Ainda assim, recente pesquisa do “data fôlha” aponta desconfortável demonstração de vigorosa desobediência à pregação dos poderosos marinhos e dos seus asseclas.  Onde significativa parcela da população despreza a opinião publicada, e manifesta escolher Lula para presidir o Brasil em 2018. Em resumo, enquanto os poderosos moralistas da alta burocracia se amofinam diante da opinião da globo. A população decide por livre escolha, aquele a quem lhes dá no bestunto. E, despacha os marinhos, moros e o car…. à PQosP.

    Orlando

     

  36. O que foi feito de “Vera”?

    Ha saidas para o caso brasileiro, porém um dos problemas que nos enfrentamos hoje é que a velha imprensa, com o grupo Globo na ponta, levou o Brasil a uma grande divisão e levou as pessoas a acreditarem que somente o Judiciario com o aporte do MP conseguira extirpar o mal maior do Pais, a corrupção. Muita gente nem entende de que se tratam as delações, não conhece como se da o financiamento de campanha ou caixa 2 partidario. Muitos ainda pensam que a Petrobras foi saqueada pelo PT para enriquecimento ilicito de Lula, Dirceu, Palocci etc.

    Quando pessoas criticam o Estadão por este ter contratado o historiador Leandro Karnal para sua equipe de articulistas, dizendo que agora o Estadão virou comunista é porque existe um sem-numero de gente por ai sem noção da realidade politica do Pais. Mesmo levando em conta aqueles que manipulam, que usam de ma-fé, nos temos no Brasil uma massa mal preparada, que acredita, em regra geral, em qualquer bobagem ou maluquice que se diga, principalmente quando lê.

    Acredito que se PT e PSDB entrassem num acordo para dar uma saida mais rapida à crise institucional, não seria aceito por metade da população brasileira, que ainda acredita que o impeachment não foi golpe e que não entende o processo de desmonte do Estado que estamos vivenciando.

    Portanto, o quadro que se avizinha, sem um lider carismatico como Lula – o qual ja é evidente a condenação por Sérgio Moro, sem que o CNJ ou OAB chamem atenção para a partidarização do juiz e, muito provavelmente, sem eleições diretas – continuara nada bom para os mais modestos e para a classe média deste Pais pelos proximos anos. Eh preciso pensar que sem instrução e com a velha manipulação midiatica, continuaremos um Pais de atraso.

    “Hoje essa vida só cabe
    Na palma da minha paixão
    Devera nunca se acabe,
    Abelha fazendo o seu mel
    No canto que criei,
    Nem vá dormir como pedra e esquecer
    O que foi feito de nós.”

    Milton Nascimento

  37. A primeira e única saída desta letargia social .

    Já comentei aqui diversas vezes, para sairmos dessa letargia social, deveríamos implantar milhares de rádios piratas (esqueçamos a proibição, pois no Brasil o judiciário está apodrecido e ou corrupto) em comunidades proletárias e conclamarmos a população para reagir a esta calamidade .

    Em respeito aos seus filhos, netos e futuras gerações, é fundamental uma reação armada contra todos estes exterminadores do nosso futuro .

    Atualmente a montagem (e desmontagem, caso necessário) desses equipamentos são rápidos e pouquíssimos complexos.

    Imaginamos comunidades quase inacessíveis como os morros cariocas emitindo diuturnamente a escabrosa situação política e econômica brasileira . 

    • Grande idéia Antonio Carlos

      Todos falam do poder da TV e da rede globo, porem o poder de destruir imagens, e reputaçõesde pessoas/partidos/poderes constitucionaiss etc. das emissoras locais de cidades médias e pequenas, controladas pelos membros das oligarquias locais,  são os maiores apoiadores dos golpistas e responsaveis pelas informações falsa, deturpadas, nunca levando as pessoas a pensarem com o enfoque no que realmente lhes interessam. Sempre tratando que com se fosse uma caça a pequenos marginais e desta maneira resolveriamos o país! Informações do tipo “a veja disse que o Lula é ladrão” sempre fosse verdadeira. Omitem as que lhes são contrárias. Não há nenhum contraponto a estas argumentações e vejo as pessoas em seus afazeres diários a ouvirem o que as rádios inventam, tendo suas cabeças sendo feitas, sem nenhuma contradição. 

      Dá para ouvir noticias pelo rádio sem ter que parar seus afazeres diários!  O Radio é fundamental com meio de passar idéias corretas e explicar mentiras!

      Quase todos os operários, que não sejasm de grandes indústrias (que são mais esclarecidos) ouvem rádio durante todo o dia.  

      Empregados deconstrução civil, empregadas, faxineiras, motoristas, empregados de mini empresas, jovens de familias mais pobres, donas de casa e um sem fim de´pessoas, que são tratadas como não pessosas ouvem Rádio!

      • É isso aí, Julião .
        Falei em

        É isso aí, Julião .

        Falei em emissoras implantadas em comunidades proletárias (principalmente morros), mas pode-se ampliar para apartamentos e sítios no interior .

        Poderiam ser instaladas umas 50 rádios piratas em apartamentos da Zona Sul do RJ e outras tantas nas outras grandes cidades para alertar a população sobre a tragédia que se abateu no nosso Brasil .

        Se e quando os meganhas chegassem para reprimir o aparato radiofônico poderá ser desmontado imediatamente e sem deixar vestígios .

  38. duas coissinhas só: o barroso

    duas coissinhas só: o barroso é um iluminista que só traz escuridão e a outra “é ruim heim, aceitar o protagonismo do fhc”!!!!

  39. Não é um “iluminista”, mas

    Não é um “iluminista”, mas luminaria,

     

    essa doeu, só faltou dizer que era uma lamparina (á oleo); pacto com a turma da destruição e o ociólogo só com todos na cadeia,  abusaram da paciencia do povo, que vão à ………..!!!

     

     

    • Quando era menina minha

      Quando era menina minha família tinha uma casa de praia no sul da ilha. Não havia luz elétrica. os pescadores usavam umas lamparinas a querosene que chamavam de ”pomboca”. Iluminavam mal, fediam e deixavam uma marca escura, horrível e que não se conseguia tirar da parede…

  40. Pacto

         De nada adianta torcer o nariz, ficar de mal, bater o pézinho, pois é certo que a crise irá recrudescer em todos os seus aspectos, tanto politicos como socio-economicos, então a questão não é discutir se irá ocorrer um pacto, uma concertação, seja lá que nome se dê, mas a própria dinamica da crise levará a alguma ação deste tipo, goste-se ou não, outra solução não existe, uma hora alguma força das que encontram-se no campo irá ceder, quer por derrota avizinhando-se, ou por futuro acordo, ou até mesmo pelo cansaço, não existe guerra “sem fim”.

           Qualquer pacto, por mais indigesto que venha a ser realizado, é muito melhor do que ficar em um eterno combate, que já está perdendo o sentido de continuar , a teimosia e a vaidade, tanto em individuos como em corporações, não resolve nada, somente afunda-se cada vez mais, e quem retrocede, procura acordar com o “outro”, não é covarde, e sim corajoso com visão macro de futuro.

            P.S.: ” General articulado ” – Nassif, não sei se vc. usou uma figura de linguagem, ou esta sabendo de alguma coisa, mas existe uma, diria-se “sondagem”, procurando viabilizar um candidato para 2018 que teve este posto quando no Exército, é pouco conhecido fora do meio militar, mas já possui um esquema de midia, tanto nas “redes sociais” como acesso facil a uma rede de televião nacional.

      • Não é, é curto

            E a idéia é verossimel e compreendida em tempo e atitude, pois um ” Napoleão” , um “Salvador da Patria “, será alguem que esta de fora do sistema, e “montar ” esta candidatura, de um alguem externo, demanda apoio de midia, negação dos “politicos” atuais.

            Este tempo é supostamete curto, pois é vantajoso a um possivel ” Salvador da Pátria “, pois sendo curto ele terá menos tempo de aglutinação de aliados, mas em contrapartida, como é desconhecido, poderá falar o que bem quiser, e este tempo ” curto “, irá impedir que ataques a ele sejam montados com profundidade.

             Um sério risco que corremos, são arrivistas deste porte, que em menos de 90 dias, consigam agregar votos, mesmo que com plataformas politicas completamente fora da realidade, mas como “externos”, como “novidades”, sejam eleitos.

             Minha cara, se até o Datafolha, colocou em pesquisa o nivel de rejeição de um Roberto Justus…… imagine um ex-general, cheio de marra, montado em um discurso de “ordem “, só pedindo socorro.

  41. Caro Nassif:,estas  sendo

    Caro Nassif:,estas  sendo muito otimista, ou sua visão esta turva a ponto de não vê que ja estamos nos escombros…

    se alguém ainda tem uma ideia de naçãpo pra este Pais ,esqueçam. isso aqui já era.

  42. Na sua opinião final

    vc trata de uma solução desejada por todos nós , porem a verdade é que não vejo nenhum interesse de acôrdo dos que ganham com este caos (principalmente o mercado financeiros e associados extrangeiros) e sem a anuencia deles não haverá pacto!

    Só sairá alguma proposta se houver uma pressão popular grande.

    Esta pressâo só acontecerá se houver meios de comunicação para informar a classe que mais sofre dos seus direitos/força/perpectiva de vida futura, permitindo  uma união de idéias e assim criar uma força para protesto nas ruas!

    O único meio barato, popular, rápido, movel e com alta penetração que eu conheço para estas camadas é o rádio (falo aqui das rários piratas). Desculpem-me os mais informados, mas a internet não tem a penetração do rádio.

    No rádio a palavra FALADA (com entonação propria/sotaque local/termos locais/viva/etc.), acessível a todos, que permite receber a mensagem enquanto trabalha em serviços repetitivos e sem necessidades de grande atenção, com receptores portáteis e baratos é um meio FUNDAMENTAL para dissipar uma nova informação.

     

    Sem comunicação não sairemos deste inbroglio!

  43. Quem bolou esse golpe é burro!

    O Iluminismo criou base para a Revolução Francesa…

    A revolução francesa acabou voltando a Napoleão Bonaparte…

    Vamos reiventar essa roda?

    A destriução da estrutura da educação pode acabar com a possibilidade de haver ciência no Brasil – isso não é pouco!

    Doutores e pesquisadores podem preferir trabalhar em um outro país, mais organizado, sem a violência que virá na terceira onda da PEC 55 – que será a violência social, das ruas!

    E a industria, vai contar com trabalhadores insatisfeitos e sem auto-estima, haverão ganhos de produtividade?

    E onde se escoarão a produtividade, quem a comprará?

    Quem construirá a infraestrutura?

    A China entrará de vez no mercado dos que não podem pagar por produtos mais caros! 

    E o pior de tudo…

    Todo economia será fortemente induzida a querer ter cada vez mais rentabilidade, não com trabalho, com empregos –  mas com juros!

    A agiotagem vai deitar e rolar…

  44. São tantas as hipóteses e

    São tantas as hipóteses e premissas, tantas as ilações todas em princípio eivadas de bom senso, que é difícil divisar o que possa acontecer, por mais razoabilidade que possam indicar.  Vê-se que em tudo contam só as elites políticas e as instituições de que participam e controlam. E olhe que a principal hipótese é de que tudo para acontecer o melhor, há de se chegar a um consenso que leve a eleições diretas. Em nada, nada mesmo percebe-se que possa haver protagonismo do dono dos votos: o povo. Está difícil de perceber como num clima de inflação, desemprego, afastamento do Estado como indutor do desenvolvimento, desmonte do sistema previdenciário, entrega de patrimônio público e engessamento do controle fiscal e monetário por vinte anos, que leva, tendo em conta o que está à vista e já palpável, tudo balizar por indicadores decorrentes da crise, que só podem levar a números ainda menores de tudo que se diz objetivar acelerar e corrigir. Nesse quadro de horror econômico no dizer de Viviane Forrester, os trabalhadores desempregados e com menores salários, pobres e miseráveis, a classe média que já inicia descer a ladeira, do alto onde estava, gastando em dólares podendo visitar a Disney até mais de uma vez por ano, todos em maiores números não contam, e hão de ficar esperado as decisões da elite na qual não acreditam, de quem são vítimas? É um pouco demais.

  45. DIAS MELHORES VIRÃO

    A única coisa boa de todo este sofrimento que tem sido vivenciado pelo povo brasileiro é o que se aprende ao padecer com espoliações, decepções e desilusões. Diante de cenas tétricas como o julgamento da AP-470 e as votações do impixe sem crime e da PEC da Construção do Caos (55 / 241), vale parafrasear o nobre poeta, e dizer: aqueles que aí estão, a atravancar os nossos caminhos, eles passarão, nós, passarinhos.

    Toda esta geração de políticos farsantes, herdeira da plutocracia inescrupulosa, gerada nos escombros das ditaduras, e perpetuada através da influência, cartesiana, dos vezos arcaicos de variados matizes sobre as esperanças esboçadas na Constituição Cidadã, tem hoje seus dias de ocaso, no teatro da dança dos retrocessos e da marcha da insensatez.

    O novo surgirá do vigor da coerência, com a força da dialética, parteira da História, e vencedores serão aqueles que tiverem a capacidade de agregar energia ao processo de construção coletiva que transcenderá a disseminação do ódio e as arapucas do caos.

  46. São tantas as hipóteses e

    São tantas as hipóteses e premissas, tantas as ilações todas em princípio eivadas de bom senso, que é difícil divisar o que possa acontecer, por mais razoabilidade que possam indicar.  Vê-se que em tudo contam só as elites políticas e as instituições de que participam e controlam. E olhe que a principal hipótese é de que tudo para acontecer o melhor, há de se chegar a um consenso que leve a eleições diretas. Em nada, nada mesmo percebe-se que possa haver protagonismo do dono dos votos: o povo. Está difícil de perceber como num clima de inflação, desemprego, afastamento do Estado como indutor do desenvolvimento, desmonte do sistema previdenciário, entrega de patrimônio público e engessamento do controle fiscal e monetário por vinte anos, que leva, tendo em conta o que está à vista e já palpável, tudo balizar por indicadores decorrentes da crise, que só podem levar a números ainda menores de tudo que se diz objetivar acelerar e corrigir. Nesse quadro de horror econômico no dizer de Viviane Forrester, os trabalhadores desempregados e com menores salários, pobres e miseráveis, a classe média que já inicia descer a ladeira, do alto onde estava, gastando em dólares podendo visitar a Disney até mais de uma vez por ano, todos em maiores números não contam, e hão de ficar esperado as decisões da elite na qual não acreditam, de quem são vítimas? É um pouco demais.

  47. O trem da insanidade partiu, não há mais pacto possível agora

    Nassif,

    Eu entendo sua torcida por termos um pacto nacional, porque ela também é minha. Mas não teremos um pacto nacional. Pelo menos não agora, e não com os participantes que você sugeriu.

    O trem da insanidade já saiu da estação.

    – O presidencialismo de coalizão virou presidencialismo condominial, com o Brasil criando o sistema político mais instável do mundo

    – Há uma disputa entre os Poderes para ver quem conquista, no sentido militar da palavra, o direito de saquear mais o Estado

    – O MPF, que parecia ser a única instituição mais ou menos coesa, vai entrar em guerra civil

    – O que ainda se mantinha de pé da Constituição, o pacto social, foi destroçado hoje, com a morte anunciada para a inviabilização da Previdência Social e o enterro para o retalhamento da CLT

    – O aumento da repressão vai gerando o que se espera em qualquer aumento de repressão: a violência começa a tomar conta das ruas

    E sobre o pacto? Não há e não haverá pacto tão cedo.

    – O lawfare contra Lula impede que o Barba possa trazer a esquerda para o pacto. E quando se impede que um dos lados participe de um pacto, só resta o caminho da – adivinha – violência

    – FHC conta com boa vontade da mídia e do capital, e gosta de fazer balão de ensaio de si mesmo, mas sabe que será carniça dos diversos grupos em guerra (Aécio, Serra, Alckmin) do PSDB assim que voltar ao Planalto. Ser derrubado da presidência, aos mais de 80 anos, por gente que ele considera intelectualmente inferior a ele não deve estar nos planos de fim de vida do Príncipe

    – O Senado se auto-suicidou a si mesmo

    – O empresariado nacional “mais moderno” vai querer alguma garantia de que não será transformado em animal de circo de procuradores e policiais federais para entrar num pacto. Quem dará essa garantia? Sem isso, é mais fácil fugir pra Miami e de lá aplicar em títulos do Tesouro.

    Sabemos bem como isso vai terminar, Nassif. O aventureirismo está à espreita, apenas esperando a oportunidade.

    Pode vir o chefe do Exército dizer que a arma está fora dessa, mas basta um tenente-coronel, um coronel ou um general rebelde e puf, some a “legalidade” das Forças Armadas.

    Podem vir os bonapartistas de plantão dizendo que vão disputar nas urnas etc, mas basta surgir o inevitável adiamento das presidenciais de 2018 que não conseguirão segurar, ou talvez até estimularão, os putsches.

     

    • Seu texto me fez

      Seu texto me fez refletir.

       

      Em sou contra Pactos. Prefiro a destruição definitiva do país e do seu povo caso estes sejam incapaz de encontrar uma saída civilizatória, com prisão dos golpistas e condenação a morte de parte significativa deles.

       

      Ou a Vitória sobre os golpistas, ou o país merece a morte. O que é o golpe ??? O Golpe é a direita rasgando o pacto que trouxe o país para a normalidade após o golpe militar. E até quando durará esse novo pacto ??? Ele vai durar de 10 a 30 anos, até que a direita se sinta com força suficiente para rasgá-lo de novo.

       

      O Brasil precisa sair do seu dia da marmota. Ou o país é capaz disso, ou merece ser destruído, com povo e tudo dentro.

       

      Mas digamos que venha a acontecer um pacto, infelizmente. Eu acho que ele só será possível com a morte de FHC, Lula e de alguns outros políticos, mas as mortes FUNDAMENTAIS são de Lula e FHC(FHC por causas naturais e Lula de preferência por elas, mas aí acredito menos). Só a morte deles dois acalmam os ânimos, e a morte de mais alguns políticos da velha geração, como Renan, Temer, Zé Serra, Gilmar Mendes. O Pacto será selado por gente da geração do Lindenbergh Farias.

       

      Tirando o Brizola e o Tancredo, os principais expoentes políticos da era pré-64 estavam todos mortos na época da Anistia. Brizola era novo e acho que preferiram não esperar ele morrer… Tancredo era um especialista em sobrevivência, e sua morte as vésperas da posse mostra que ele foi a exceção que confirma a regra. Juscelino, Jango, Lacerda, Costa e Silva, Castelo Branco já estavam mortos quando da pactuação anterior. Médici, assim como Tancredo, morreu logo depois. Brizola foi o líder político daquela geração que sobrou vivo, e nunca chegou a presidência, até por isso ele era muito mais intragável para a elite do que Lula.

       

      Se a saída for essa, um pacto a longo prazo, o país sairá muito pior dessa aventura do que entrou, e sem pré-sal, sem petrobrás, nem nada. E quando começar a ensaiar se recuperar, vai haver novo golpe e continuaremos neste ciclo.

      • Xadrez dos senhores da guerra contra o pacto nacional
        e aí, meu caro

        -> O Brasil precisa sair do seu dia da marmota. Ou o país é capaz disso, ou merece ser destruído, com povo e tudo dentro.

        entendo. acrescento que o Brasil já foi destruído. este é o tamanho do abismo em que nos metemos desta vez. em 1964 havia um projeto: uma “modernização conservadora”. os militares se alinharam com os EUA na guerra fria, mas também tinha algum projeto. agora não! é pura e simples pilhagem de curto prazo! banqueiros e FIESP não tem projeto. assim como ficou claro que as empreiteiras são parasitas dos recursos públicos (desde a Ditadura), o que falar dos banqueiros?! o maior dos esquemas de grande corrupção deste país tem nome: SELIC.

        -> O Pacto será selado por gente da geração do Lindenbergh Farias.

        também concordo. mas Lindinho oportunistamente, e para se fazer de bonzinho, levantou a bandeira do “Lula Já”. Lula ainda seria a grande liderança neste processo (como Brizola foi na redemocratização). mas Lula quer?

        -> Tirando o Brizola e o Tancredo, os principais expoentes políticos da era pré-64 estavam todos mortos na época da Anistia.

        na verdade, o único que não conseguiram matar foi Brizola (nunca fui brizolista, mas sempre o respeitei e admirei, sem nunca deixar de ser crítico). os demais foram todos assassinados: Castelo Branco, Costa e Silva, JK, Lacerda, Jango, Tancredo… nossa História tem sido sim um longo e repetido Dia da Marmota, sempre passamos uma borracha no passado (como também proposto nas gravações de Sérgio Machado). foi assim na destruição dos documentos da escravidão. foi assim na Lei da Anistia. mas desta vez, com este golpe, não conseguiremos fazer o mesmo. o trauma é profundo, vai ter que ser enfrentado.

        abraços

        p.s.: ouvi um pungente comentário sobre a morte de D. Paulo, que deveria nos abalar a todos: “Nosso mundo está morrendo…”. o que ainda desejamos fazer antes de morrermos? como desejamos morrer? porra! tá foda, né….
        .

        • Tudo bem Arkx ??
          Vejo duas

          Tudo bem Arkx ??

          Vejo duas saídas para esse caos. A saída “Otimista” e a minha favorita é o Brasil se afundar tanto, justamente pela falta de um modelo de nação para os golpistas, que eles vão acabar por derrotar a si mesmos. Não tem como esse Novo Brazil durar 21 a 25 anos, como o dos militares. O problema é falta de lideranças de esquerda para um novo Brasil.(acho que nisso concordamos), mas elas surgem justamente em tempos como esses… Seria derrotar o golpe e os golpistas em médio prazo, enquanto ainda fizer algum sentido e for possível rever as medids dos golpistas (Qual o sentido que faz expulsar uma petroleira estrangeira de um campo do pré-sal quando ele já tiver sido quase todo esgotado ??? Quando já tiverem tirado 70% dele ??) 

          Tem a saída do pacto, que eu abomino, que é essa balburdia durar 10 a 20 anos, a PEC 55 durar pelo menos os 10 anos previstos para ser revogável por maioria simples, o Brazil ficar bem menor do que o Brasil é hoje, e haver um novo pacto entre direita e esquerda, no qual nos dão democracia minimamente funcional em troca de ficrem com o produto da pilhagem, algo como a Anistia. Nessa saída, nos restará administrar terra arrasada e ter que começar tudo de novo, em um Brasil bem menor do que o que tinhamos antes de tudo, e sempre com ameaça da direita rasgr o pacto e começar tudo de novo.

          Quando falava que esse pacto será selado por gente da geração do Lindenbergh, não falava necessariamente dele, era apenas uma referência etária. Lindbergh fez 47 anos esses dias (8 de dezembro de 69). Nessa época, Lula já era metalúrgico, AI-5 já tinha sido promulgado, FHC já era acadêmico, em suma, ele é de outra geração…

          O que quis dizer é que Lula e FHC são pontos centrais nessa guerra. Eu acho que não é mais possível paz entre eles. E muito menos se ampliarmos a discussão para Aécio, Zé Serra, Alckmin, Dilma, Zé Dirceu, Gilmar Mendes, Temer… O país não entrará em paz enquanto essas pessoas forem ativas na vida pública. OS líderes e as principais “vítimas”(políticas) do golpe de 64 estavam mortos ou haviam abandonado a vida pública na época da anistia e redemocratização (Muitos deles por morte “matada”, diga-se de passagem…), Eu esqueci do Médici, mas ele abandonou a vida pública quando saiu da presidência (Ele era contra a anistia, diga-se de passagem), o que comprova que a paz só será possível quando os políticos mais “envolvidos” na situação estiverem mortos ou inativos. 

           

          • Xadrez dos senhores da guerra contra o pacto nacional

            ->A saída “Otimista” e a minha favorita é o Brasil se afundar tanto, justamente pela falta de um modelo de nação para os golpistas, que eles vão acabar por derrotar a si mesmos.

            isto já está acontecendo. o golpe tá podre por dentro.

            ->Não tem como esse Novo Brazil durar 21 a 25 anos, como o dos militares. O problema é falta de lideranças de esquerda para um novo Brasil.(acho que nisso concordamos), mas elas surgem justamente em tempos como esses…

            pois é… é justamente por isto que os golpistas ainda estão por aí e não na cadeia! pela falta de lideranças capazes de fazer isto! as velhas lideranças porque não querem. e as novas porque ainda não estão maduras para tanto.

            procure então entender que este é o motivo, e não qualquer outro, de minhas insistentes críticas a Lula e o lulismo. Lula ainda tem um decisivo papel histórico a desempenhar. recorde-se a turnê eleitoral dele pelo Nordeste. se estivesse fazendo isto e levantando o povo contra o golpe, já teríamos chutados estes canalhas para fora.

            abraços

            .

  48. Moro neles

    “No Paraná, o juiz Sérgio Moro prossegue em suas manipulações autoritárias, com o uso abusivo do poder que lhe foi conferido. Questionado pelos advogados de Lula sobre a tentativa do procurador de induzir à resposta da testemunha, simplesmente cassou o direito dos advogados de defesa. Tomou o partido da acusação sem a menor preocupação em disfarçar.”

    O advogado questionou , porém o juiz não acatou. Ponto final.

    • No dia em que um juiz “ponto

      No dia em que um juiz “ponto final” decretar sua prisão sem motivo não permitindo seu direito de defesa você vai entender o que o Nassif está dizendo. Por ora continue se alimentando da Globo.

  49. No Brasil não se faz pactos.
    No Brasil não se faz pactos. No máximo acertos de bastidores, às vezes mesmo de alcova e conchavos.

    Quem pensar que o lulismo e a “Carta ao povo brasileiro” foi um pacto se esquece dos motivos da derrubada de Dilma e a total desconstrução dos avanços sociais dos governos de Lula.

    Quem pensar que a Constituição de 88 foi fruto de um grande pacto, se esquece que o seu emaranhado de artigos, quase todos dependendo de regulamentação, não prosperou o que dela se esperava, além, é claro, do sempre jeitinho de muitos, como a inclusão criminosa de dois artigos por Nelson Jobim que beneficiava o capital internacional (sempre ele). Leis mais em:
    http://m.congressoemfoco.uol.com.br/noticias/o-segredo-constitucional-de-nelson-jobim-e-gastone-righi/

    Os chamados pactos foram conchavos da “casa grande” com sobra de migalhas para a “senzala”.

    Por isso somos o país de pior índice de distribuição de riqueza, um dos maiores em criminalidade, um dos líderes em baixa escolaridade, fome, saúde precária; altíssima corrupção e safadeza geral.

  50. Xadrez dos senhores da guerra contra o pacto nacional

    ateadas as chamas, o incêndio se propagou.  dos empregos às instituições, tudo é consumido pelas labaredas. desde a saúde física e mental dos brasileiros, até a própria viabilidade do Brasil como nação soberana.

    o verão é agora.

    o caos fez com que os véus fossem rasgados. todas as máscaras caíram. acabou a encenação. todos os atores se mostram como aquilo que sempre foram: personagens em busca de um autor.

    está tudo desmascarado, despudoradamente. escancarado, obscenamente.

    nenhum dos personagens tem qualquer proposta adequada para nos retirar do abismo em que fomos lançados. todos, sem exceção, são co-responsáveis por uma crise que se tornou maior do que todos eles e do que todos nós.

    nem a lumpenburguesia brasileira, nem o pivô golpista, nem Lulinha paz e amor. mesmo ao povo sem medo nas ruas falta força suficiente para pender a correlação de forças em seu favor.

    entre os escombros do Estado Democrático de Direito, com o pacto constitucional de 1988 violado, a fratura exposta entre o poder instituinte e os poderes constituídos é irreparável.

    como restaurar o tecido social rompido e a institucionalidade decomposta?

    enquanto tentam nos aniquilar pelo fogo destruidor, ainda perambulamos na escuridão.

    a economia não se recuperará, acentuando ainda mais a necrose brasileira. a guerra de famiglias prosseguirá, com cenas cada vez mais violentas de canibalismo explícito.

    a ex-querda continuará perambulando em seu labirinto. do qual jamais chegará a sair sem desvencilhar-se de suas correntes, como invertidos fios de Ariadne, mantendo-a atada ao centro da armadilha: o minotauro do lulismo.

    instalado com um golpe através de um impeachment inconstitucional, o governo Temer, é ilegítimo. assim sendo, todos seus atos e decisões são ilegítimos. portanto, todos os seus contratos, sejam de privatizações ou emendas constitucionais, devem ser sumariamente revogados assim que se reconquiste o governo.

    há reestabelecimento do Estado Democrático de Direito no Brasil que não passe por este compromisso?

    esta é pedra fundamental do pacto de reconstrução do Brasil.

    p.s.: precisamos de uma outra “linguagem política”

    .

  51. ADIVINHA QUEM VEIO PARA SER

    ADIVINHA QUEM VEIO PARA SER JANTADO?

    Qualquer pacto tem que levar em discussão o desmantelamento do atual sistema de comunicação.

    O atual predominio midiático por parte da rede globo precisa ser questionado, como foi a Standard Oil pelo governo americano, obrigando a empresa dos Rockfeller a se dividir.

    Se fizermos uma genealogia com um sistema de vazos sanguinéos, a rede globo representa as artérias por onde passa o principal fluxo de sangue. Não se dialoga com a sociedade brasileira hoje se não atravéz da Globo. É triste e doloroso reconhecer e afirmar tal coisa, mas as manifestaçõse contra Dilma e junho de 2013, não nos deixa qualquer dúvida em relação a isso. Fazer tal reconehcimento é condição sine qua nom para iniciarmos o debate e o combate.

    Os Marinho são os velhos Rockfeller da mídia brasileira e as midias alternativas ainda não possuem musculatura para lhe fazer oposição e dialogar com a grande massa ignara, a arraia miuda, embora reconheça-se a penetração do discurso lulista nesse meio, talvez em virtude da eterna nessecidade de ídolos que se tem em todas as sociedades.

    Ora, os Marinhos é uma parte importante nesse diálogo e com certeza não estão dispostos a se imolar em prol da causa maior que é a construção de um projeto nacional. Por outro lado não vejo como convece-los que se dividindo, através de uma ampla e radical reformulação dos meios de comunicação eles poderão sair ganhando com isso, logo eles, tão mal acostuamdos a cavalgar o Estado em benefício próprio.

    Se ao menos eles tivessem tido sucesso em sua investida em direção as novas mídias, como internet (Globo.com) e TV a cabao (NET)… esta ultima tiveram que vender e a outra ficou muito aquem do que pretendiam. Assim eles não tem qualquer interesse em ampliar o espaço desses novos meios no Brasil, apresentado-se como promotora do atraso em defsa própria.

    Portanto, chamar a Globo para a mesa de negociação é como ser convidado para um jantar em que sabemos de antemão que seremos a janta. Não fazer essa discussão no pacto é enganar o povo, é convidar o povo a chancelar um embuste.

    E agora Nassif?

      

     

    • Pode demorar mas nenhum

      Pode demorar mas nenhum império dura para sempre. Desejo que os herdeiros se engalfinhem a ponto de correr sangue.

  52. Crise no Brasil

    Os escritorios de advocacia especializados em “Recuperação Judicial”estão trabalhando a todo vapor,em Janeiro teremos um numero muito grande de empresas solicitando este recurso juridico.Vai ser uma calamidade.

  53. ola !!! Nassif, 
    ja era,

    ola !!! Nassif, 

    ja era, !!!

     

    vejo tudo isso como uma coisa muito bonita,

    com o pt o povão experimentou, ou bem ou mal, o gostinho de estar um pouquinho melhor,

    nao tera moro que de jeito…

    muito menos globo, viva !!!!

  54. O perigo não é um Bolsonaro

    O perigo não é um Bolsonaro ou Moro.

    O perigo é o povo não aceitar mais niguém. 

    Como diria um frentista de um posto de gasolina hoje em Brasíia: Eu quero ver o rio pegar fogo para comer peixe frito.

    Ou seja, o perigo não é o povo se revoltar para denfender um Lula preso ou condenado, por exemplo, o perigo é uma pequena parcela revoltada com isso (ou por outro motivo) atiçar a maioria revoltada com tudo e com todos.

    Uma maioria que está sendo insuflada ao ódio, e que está alimentando uma revolta inclusive aos próprios insufladores – o aperelho judiciário e a Globo.

    • Exatamente. Há um “ódio ao

      Exatamente. Há um “ódio ao político” que está sendo insuflado e que pode vir a se tornar “ódio à política”. E aí não haverá mesmo saída institucional.

  55. Esquece esse negócio de

    Esquece esse negócio de xadrez, isso é guerra…GUERRA DECLARADA por todas as forças de oposição ao projeto democrático petista. Nossos adversários depois de sucessivos fracassos concluíram que não chegariam ao poder por via eleitoral, foi então que decidiram utilizar todas as armas e todos os meios disponíveis, legais ou ilegais, para remover o PT do poder. Nós que apoiamos este projeto insistimos em não reconhecer essa situação e em ignorar essa realidade apesar de todos os sinais inquietantes que foram se desenvolvendo ao largo de todos esses anos.

    O golpe parlamentar foi a solução encontrada pelo PSDB para levar a cabo seu plano de retomar o poder central, o que guardadas as diferenças históricas era mais ou menos uma reedição da trajetória que em meados dos anos 90 os levaram por primeira vez ao poder e a liderar uma série de reformas constitucionais com vistas a mudar a ordem econômica e social do país. O PSDB em certo sentido é uma versão atualizada da velha UDN caracterizada pelo golpismo e pelo falso moralismo.  

    Dado o desgaste do governo Dilma a aventura golpista aquela altura parecia se não uma barbada, pelo menos algo bastante viável, levando-se em conta todos os recursos políticos, econômicos e mediáticos de que dispunham. A própria facilidade em avançar sobre as frágeis defesas petistas reforçou essa idéia. No entanto o Golpe não significou construir uma alternativa real, viável e estável de poder, muito pelo contrário. Em pouco tempo as fragilidades e as contradições das alianças que se estabeleceram vão se acumulando e o projeto tucano avança mais pela inércia e falta de resistência contra o Golpe do que pelas qualidades do projeto tucano.

    Por hora continuam avançando e só vão parar se e quando encontrarem resistência, portanto a idéia de um pacto é completamente descartada neste momento. E a nós só nos resta reorganizar nossas forças e preparar para as batalhas futuras que se avizinham: 1. que fazer quando o PSDB resolver rifar Temer e seu mandato tampão, e 2. como garantir condições minimamente democráticas para o pleito em 2018 ou para uma eventualidade da antecipação da disputa presidencial na hipótese de o PSDB avançar contra Temer o breve e 3. preparar-se para reverter as mudanças (pre-sal, PEC55 e o que mais vier) introduzidas desde o Golpe e reorganizar institucionalmente o pais e sua economia.

    • Condição sine qua non para

      Condição sine qua non para qualquer pacto é que sejam nulos todos os atos e decisões que ocorreram no período do golpista Temer, o breve:

      – Anulação de todos os leilões e vendas da Petrobrás

      – Anulação dos aumentos salariais e benesses diustribuidas por Temer.

      – Anulação dos leilões do pré-sal

      – Expulsar o pelego Laerte Rimoli da EBC e devolvê-la ao que era antes do golpe.

      – Anulação de qualquer decisão do Itamaraty durante o golpe

      – Anulação da aprovação das PECs do teto e da aposentadoria.

      – Devolução por parte de Michel Temer de todo o dinheiro gasto naqueles jantares oferecidos à parlamentares da base

      Entre outros atos absurdos,

      • Isso não é pacto, é quase

        Isso não é pacto, é quase impormos uma rendição incondicional aos golpistas. Vejamos: Do ponto de vista golpista, o que acho que vai acontecer  

        – Anulação de todos os leilões e vendas da Petrobrás (Inegociável) 

        – Anulação dos aumentos salariais e benesses diustribuidas por Temer.(De negociação bastante difícil. O judiciário tentará melar qualquer acordo nesse sentido, de qualquer forma, pode levar tanto tempo pra esse pacto ocorrer que já tenham outras benesses nesse meio tempo)

        – Anulação dos leilões do pré-sal (inegociável) 

        – Expulsar o pelego Laerte Rimoli da EBC e devolvê-la ao que era antes do golpe.(Negociável, por ser bem menos relevante que os outros, se é que vai existir EBC e se é que o Laerte Rimoli ainda estará vivo.

        – Anulação de qualquer decisão do Itamaraty durante o golpe (As decisões do Itamaraty reversíveis serão revertidas sem necessidade de pacto)

        – Anulação da aprovação das PECs do teto e da aposentadoria. 

        (PEC do Teto acredito que caia até pq é uma insanidade tão grande que não tem como os próprios golpistas se manterem de pé com ela por muito tempo. A economia não vai se recuperar, essa aí é só para a galera golpista e do mercado financeiro fazer o pé de meia, quanto mais demorar para rolar o pacto, mas fácil de desfazer, a da aposentadoria eu acho difícil, até pq uma reforma já era necessária. Reformas de previdência só acontecem em uma direção, que é jogar beneficios para a frente. Eu mesmo acho que ela não será tão draconiana como visto até agora. OS 49 anos são um bode na sala para depois eles virem com 45 e todo mundo dar saltos de felicidadde.

        O negócio vai ser tentar aumentar a expectativa de vida do Brasileiro para ver se ele aposenta.

        – Devolução por parte de Michel Temer de todo o dinheiro gasto naqueles jantares oferecidos à parlamentares da base: isso é uma quantia irrelevante, ninguém vai deixar de fazer um pacto por isso. Além do mais, é muito provável que quando esse pacto aconteça, a fatura tenha que ser apresentada para o Michelzinho. 

        O único pacto que vejo possível é nos darem uam democracia minimamente funcional em troca de ficarem com todos os ganhos que obtiveram no período. Algo parecido com a redemocratização pós-golpe militar. Por isso não quero pacto. Acho que dificilmente um pacto será melhor do que isso que falei, e depois de um período que pode ser 10 a 30 anos, a direita o rasgará e teremos novo golpe.

         

  56. A gente sente várias coisas

    A gente sente várias coisas num momento desses. Desolação, raiva, vergonha por esses trastes que representam as instituições brasileiras. A gente não sabe se eles tem realmente consciência do que estão fazendo, a gente ainda teima em duvidar; Mas eles sabem, sabem sim e não se importam nem um pouco. Então podemos dizer sem comiseração: não vai ter perdão. Estamos na lona, mas muitos de nós ainda tem ganas e garra para viver o que virá. Não duvidem disso. Canalhas! Canalhas! Canalhas!

    • Eles sabem muito bem.

      Eles, canalhas, canalhas, canalhas, sabem, sim, muito bem o que estão fazendo. O que não sabem e nem acreditam é que essa garra de que vc fala pode, em determinado momento da festa, agarrar-lhes o pescoço e torcê-lo. Que aqui não se usam ghilhotinas mesmo.

  57. Bom senso ??????

    Com os velhos psicopatas da ditadura, colocando o fogo da canalhice no país há tempo??? Um dos chefões da máfia criminosa é o fhc ladrão.

    Se depender de “lideranças” corruptas que só querem aparecer e cuidar somente dos próprios interesses criminosos, já éramos todos, os que resistimos ao crime.

  58. No “xadrez”

    No “xadrez” esqueceu-se do POVO, que nem pião é. Na realidade, a mssa de manobra, está acendendo a vela e clareando as idéias. Ou, continuaremos mesmo à caminho de uma UCRÂNIA bem ao gosto do agente financiador. Não basta tomar as riquezas, alvitar as empresas, destruir o patrimônio, tem que subjugar também. 

  59. “Só quando o quadro estiver

    “Só quando o quadro estiver totalmente caótico, se entenderá que o único caminho será o do grande pacto que permita as saídas tradicionais:(…)”

    Moncloa foi montado pelo Opus Dei e muito bem executado até a crise de 2008.

    Estaríamos num caminho caricato a isso?

  60. Centro esquerda! Pense em presidenciável só em 2018
    Faltam 17 dias para Temer renunciar, até a velha mídia já aceita essa nova proposta para o Brasil. Entretanto, ainda existiram 2/3 suspeitos de crimes do Congresso Nacional em plena atuação antipovo. Com toda essa carnificina, o próximo presidente terá poucas oportunidades de nortear esse País.Portanto, a centro-esquerda não pode se precipitar com projetos presidencias, e sim ajuntar o máximo de cacos que restaram do Brasil para em 2018, através de eleições que expurgaram essa escória política legislativa, reconstruir a nação.

    • Desculpe mas só posso

      Desculpe mas só posso concluir que você não depende da situação econômica do país. Você e seus filhos e netos. Eu e minha família , amigos e a maioria do povo brasileiro dependemos. Por isto não posso concordar com a destruição sistemática e bem articulada da política e a imposição de uma ditadura juridico-midiática, tão ou mais corrupta quanto . Bem talvez você desconheça os meandros do judiciário. …

      • É um comentário irônico

        É um comentário irônico e não deve ser levado a sério, na realidade é um amálgama de todas as besteiras que já ouvi sobre a atuação do PGR

        É lógico que cria revolta

        No final não sobra nada do Brasil se você notar, mas o melhor é a comparação do janot com ”heróis” nacionais e a falência total da nossa política interna e do combate parcial da corrupção

        Cansei de ouvir todos os dias e quase todas as horas sobre o “heroísmo” do mpf e do pgr

        esse comentário não deveria nem ter uma estrela sequer, mas infelizmente, resume a cabeça de muita gente no país, e gente poderosa, coloquei esses pensamentos como uma forma de alerta pro que está por vir e o quanto é importante a opinião de pessoas como Nassif pra tentar tirar essa fumaca desse jogo politico, das nossas vistas

        Desculpa pela pegadinha, posso retirar o texto se quiserem…

  61. boa analise

    Perfeita, e ja me parece que o escarçamento do tecido social está no limite. E rompe a qualquer momento e o pior sem lideranças para contrapor, por que todas ou foram destruidas ou muito fragilizadas. E nao esquecendo nao ha exercitos no mundo desde o antigo egito que possam segurar um povo quando explode. Explodem a tudo e a todos. nao Esqueçam 1954 quando levaram Getulio a morte….

  62. A ver se caberá um novo pacto

    A ver se caberá um novo pacto – outro? – e quais seus termos ou se, dado o caminho escolhido pelo cartel do conservadorismo tacanho, caminhamos para processo tal que a única coisa possível adiante será um armistício.

  63. Alguém já pensou

    Alguém já pensou no senador Álvaro Dias (ex-PSDB)…

    A possibilidade de ele se candidatar à presidência mudaria alguma projeção…

     

    ps: desculpe não ter usado o ponto de interrogação… teclado com defeito…

  64. Pacto improvável

    Muitos aspectos e questões importantes e pertinentes foram tratados, mas o cerne da análise é frágil: não há condições atuais nem no curto nem médio prazo para pactuação nenhuma, na minha opinião.

    No grau de desagregação econômica, social e política imaginado para suscitar tal pacto, o Brasil já teria submergido no autoritarismo, não necessariamente militar, mas, mais provável, civil-militar; majoritariamente civil, manejando fria e cruamente os aparelhos de repressão disponíveis – todos eles.

    Será a fujimorização do regime político-partidário do país.

    Apenas depois de se esgarçar, o que será inevitável, esse regime arbitrário e autoritário, antinacional e antipopular, dará lugar a um pacto para reconstruir o país destroçado, mas sem a maioria dos personagens atuais e antes citados.

    Afinal, este pacto de reconstrução nacional só encontrará condições para aflorar daqui a muitos anos, caso a sociedade organizada mantenha-se inerte e bestilizada, não interrompendo, AGORA, o regime autoritário em construção.

    POR ISSO DEVEMOS ENTENDER: 2017 É UM ANO DECISIVO; UM NOVO 1968; UM ANO DIVISOR DE AGUAS; UM ANO DE INFLEXÕES – OU SEJA: O ANO EM QUE OS BRASILEIROS DEVERÃO DECIDIR SE LUTAM PARA RESTAURAR A SUA DEMOCRACIA FERIDA DE MORTE OU, ALTERNATIVAMENTE, PERSISTAM NA INÉRCIA DO MOVIMENTO CÉLERE RUMO À DITADURA.

  65. E os EUA nessa história?

    Os EUA, protagonista do golpe que vivemos, não se importará, se for necessário para atender os seus interesses geopolíticos, em transformar o Brasil “em escombros, envolvo em guerras bárbaras”.

    Foi assim que fez com o Iraque, com a Líbia, com a Síria. Por que não poderá fazer com o nosso País, já transformado pelas nossas elites colonizadas, na maior República de Bananas?

     

  66. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome