Caixa volta a suspender financiamento de imóveis da linha Pró-Cotista

minha_casa_minha_vida_bruno_peres_ministerio_das_cidades.jpg
 
Foto: Bruno Peres/Ministério das Cidades
 
Jornal GGN – A Caixa Econômica Federal voltou a suspender as novas operações da linha de crédito Pró-Cotista, que utiliza recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), pouco mais de um mês depois da liberação de R$ 2,5 bilhões adicionais para esta linha de financiamento.
 
A Caixa justificou a medida afirmando que a suspensão foi adotada  “em razão do comprometimento total do orçamento disponibilizado pelo Conselho Curador do FGTS para o exercício de 2017”. O financiamento já havia sido suspenso em maio, também por falta de recursos, mas retomado após a liberação do Ministério das Cidades.
 
A linha Pró-Cotista é a mais barata depois do Minha Casa, Minha Vida, com juros de 7,85% a 8,85% ao ano. 

De acordo com o Ministério do Planejamento, um novo aporte de recursos para a linha está sendo estudando, além de afirmar que pró-cotista tem surpreendido positivamente e superado os limites i previstos, o que seria um bom sinal de recuperação do segmento do mercado. 
 
Inicialmente, o orçamento para a linha neste ano era de R$ 5 bilhões, valor aprovado no ano passado pelo conselho do fundo. Depois, em maio, a Caixa deixou de aceitar propostas, já que este total já estava contratado ou em fase de análise.
 
A Caixa diz que estas suspensões são comuns e que, em 2016, também foi necessário o remanejamento de recursos para suprir a procura por financiamentos. 
 
A linha de crédito Pró-Cotista pode ser acessada somente por trabalhadores com ao menos três anos de vínculo com o FGTS, que estão empregados e com saldo na conta do fundo de pelo menos 10% do valor do imóvel.
 
O teto de financiamento do imóvel é de R$ 950 mil para São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Distrito Federal, e de R$ 800 mil para os outros estados, sem limite de renda. 
 
Assine
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Sigam o dinheiro, somente e nada mais:

    “Caixa Econômica Federal voltou a suspender as novas operações da linha de crédito Pró-Cotista, que utiliza recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), pouco mais de um mês depois da liberação de R$ 2,5 bilhões adicionais para esta linha de financiamento”:

    E os “2 e meio bilhoes adicionais” pra ESSA, e ESSA SOMENTE linha de financiamento?

    Eles vao enfiar no rabo de quem?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome