Câmara retoma votação da denúncia contra Temer em clima de tensão

https://www.youtube.com/watch?v=6xb6dsgTQuw width:700 height:394
 
Jornal GGN – A Câmara retomou a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer por corrupção passiva por volta das 15h desta quarta-feira (02). Foi preciso recuperar a contagem de votos suficientes para o quorum necessário de 342 deputados, porque a primeira sessão foi encerrada, após cerca de cinco horas de debates e discussões. 
 
Ainda na reabertura da sessão, o cenário apertou para o presidente, com a contagem de apenas 270 presentes no plenário. Uma nova pressão foi necessária para os 456 deputados que estavam na Casa, mas não na sala principal da Câmara. Pouco menos de 20 minutos, e o quórum foi recuperado.
 
Os parlamentares iniciaram a segunda etapa com mais debates, desta vez, sobre como se daria a votação. Partidos estabeleceram que eram preciso dois deputados falarem a favor e outros dois contra. O clima de tensão teve início quando o deputado Wladimir Costa (Solidariedade -PA), do lado governista, chamou o PT de “organização criminosa” e de “imoral”. 
 
Em seguida, o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) lembrou que Temer foi quem recebeu Joesley Batista para tratar de temas “escusos” e que a denúncia da Procuradoria-Geral da República trazia provas “robustas”. O líder do PT, deputado Carlos Zarattini, sugeriu, então que o Plenário ouvisse Rodrigo Rocha Loures, que teria “muito a dizer” sobre a denúncia contra Temer.
 
Loures foi o assessor de Michel Temer e um dos eixos de acusação que hoje recai contra o mandatário peemedebista, ambos alvos dos grampos dos executivos da JBS, incluindo Joesley Batista. O deputado foi pego com um mala de dinheiro.
 
A partir de agora, as bancadas orientam os parlamentares a votarem. A partir da manifestação dos líderes, deve ter início a votação, com chamada nominal. Até o momento, o PT orientou o voto contra o arquivamento da denúncia e o PMDB a favor. Já o PSDB liberou a bancada, mas publicamente preferiu dizer que orienta contra o relatório que barra o processo.
 
Os deputados irão manifestar seus votos pelo microfone, a partir de uma chamada nominal que será feita. A ordem seguirá uma alternância de estados da região Norte e Sul. De acordo com a Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara, a ordem será a seguinte:
 
Ordem de votação no processo de votação do parecer que pede o arquivamento do processo que abertura de investigação contra o presidente Michel Temer
 
Em seguida, mais informações.
 
Leia mais:

 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome