CUT e centrais apoiam MP dos Portos, Força Sindical está isolada

O Presidente da CUT, Vagner Freitas, afirmou ao jornal Valôr Econômico que a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a União Geral dos Trabalhadores (UGT), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB); e a Nova Central Sindical apoiam a MP dos Portos, deixando isolada a Força Sindical.

O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical, deixou uma reunião no Palácio do Planalto nesta terça-feira (14), entre líderes sindicais e representantes do governo, ameaçando greve geral nos portos do país, caso uma  reivindicação sua incluída em uma emenda não seja colocada em votação pelo plenário da Câmara nesta tarde.

A emenda defendida por Paulinho da Força responde à garantia de que os trabalhadores avulsos dos portos privados não perderão seus empregos. A Força Sindical reivindica que apenas os trabalhadores cadastrados nos Órgãos Gestores de Mão de Obra (Ogmos) possam ser contratados para trabalhar nos portos. Já o presidente da CUT afirmou à publicação que as demais centrais sindicais manifestaram apoio ao relatório do senador Eduardo Braga (PMDB-AM), negociado com os sindicalistas. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome