Datafolha mostra que oposição não tem votos para o impeachment de Dilma

Jornal GGN – Pesquisa Datafolha com 324 deputados federais, realizada entre 19 e 28 de outubro, mostra que a oposição ao governo Dilma Rousseff (PT) não tem sequer metade dos votos necessários para aprovar o impeachment da presidente em plenário, caso a discussão chegue a este ponto.

Pela legislação recomendada pelo Supremo Tribunal Federal, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), precisa acatar o pedido de impeachment e levá-lo a uma comissão especial, formada por representantes de todos os partidos, que deverão autorizar o debate sobre o afastamento de Dilma no plenário. Se isso ocorrer, a oposição precisa de 2/3 dos votos da Câmara (342, portanto), para deflagar o processo contra Dilma.

Passada essa etapa, o processo seguirá para o Senado, que será presidido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski. Mas na Casa comandada por Renan Calheiros (PMDB), a oposição à Dilma também não possui a quantidade de votos necessária ao impeachment.

“Entre os deputados que aceitaram participar da consulta, 39% disseram que votarão a favor da abertura do processo se a questão for levada ao plenário da Câmara. Outros 32% afirmaram que votarão contra. E 29% dos consultados não se posicionaram nessa questão. Preferiram não responder ou disseram que não tinham posição formada sobre o tema”, publicou a Folha nesta sexta-feira (30).

No universo analisado pela Folha (que quase se aproxima dos dois terços da Câmara), 29% de indecisos representam, na prática, 94 deputados. Se todos eles decidissem somar forças com a oposição (39% representa 127 deputados), o resultado seria uma frente de 221 parlamentares a favor do impeachment de Dilma, número abaixo dos 342 necessários.

Se a pesquisa for lida pelo prisma da proporcionalidade, esses 29% de indecisos somados integralmente aos 39% a favor do impeachment representariam, num universo de 513 deputados, 348 parlamentares contra Dilma. A oposição, então, venceria por seis votos de diferença, apenas. Mas precisaria da ajuda de quase 100% dos que hoje estão indecisos.

No Senado, a oposição também precisaria de dois terços de apoio para derrubar Dilma do poder, ou seja, de 54 de 81 votos disponíveis na Casa. O Datafolha ouviu 51 senadores sobre o impeachment de Dilma, e o resultado também foi mais favorável à presidente do que à oposição.

“O maior grupo (43%) disse que vota contra o afastamento definitivo, caso a Câmara abra um processo de impeachment. Os que prometeram votar a favor somam 37%. E 20% dos senadores não se posicionaram.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora