Deputados reagem à fala de Guedes sobre AI-5, por Natália Bignon

Vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA) afirmou que as falas de Guedes apontam uma tendência do Governo de extrema direita comandado por Jair Bolsonaro.

Deputados reagem à fala de Guedes sobre AI-5

por Natália Bignon

As declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, a respeito da adoção de medidas para conter uma ida do povo às ruas causou a indignação de congressistas nesta terça-feira (26). Durante uma coletiva de imprensa realizada em Washington, o ministro chamou o ex-presidente Lula de “irresponsável”, acusou-o de polarizar a política brasileira e disse a jornalistas: “não se assustem se alguém pedir o AI-5” diante desse cenário.

Vice-líder do PCdoB, deputado federal Márcio Jerry (MA) afirmou que as falas de Guedes apontam uma tendência do Governo de extrema direita comandado por Jair Bolsonaro. “Referências recorrentes ao AI-5 por expoentes do governo revelam graves e inaceitáveis ameaças à democracia. Incapaz de apontar saídas para a crise na economia, Guedes arrota arrogância e imita a estupidez de Eduardo Bolsonaro na defesa do famigerado AI-5. Pregações absurdas e descabidas que devem ser respondidas com vigor e indignação”, defendeu.

Citando o sistema neoliberal adotado por Augusto Pinochet, no Chile, e as referências de Paulo Guedes para o modelo econômico do país, Margarida Salomão (PT-MG) destacou o desprezo pelo regime democrático. “Quem não teve pudor em trabalhar para a sanguinária ditadura chilena realmente não verá problema em um novo AI-5. O governo Bolsonaro é uma coleção de figuras sem noção, sem qualquer apreço pela democracia”.

Outra a comentar o flerte de Guedes com a ditadura foi a deputada Érika Kokay (PT-DF). “O ministro da Fazenda de Bolsonaro chamou de “insanidade” Lula convocar o povo a ir às ruas pra defender o Brasil, a democracia e os direitos. Para conter protestos, o discípulo de Pinochet defendeu AI-5 e justificou licença para matar manifestantes”.

Leia também:  Bolsonaro veta perdão a Igrejas mas pede que Congresso derrube o veto

Presidente estadual do PDT, André Figueiredo (CE) classificou como um novo vexame a fala do ministro. “Vergonhoso termos que conviver com ameaças à nossa democracia por parte de um lacaio do sistema financeiro. Traduzindo: “ou entrega tudo ou vem a ditadura”. Vai pensando que vai ser assim…”, retrucou.

Outro a recordar as consequências históricas trazidas pela edição do ato institucional foi Camilo Capiberibe (PSB-AP). “É preciso refrescar a memória dos que hoje pedem intervenção militar que em 1964, além da opressão contra os opositores do golpe, os civis que conspiraram contra a democracia e viabilizaram a ruptura institucional também foram banidos”.

Em defesa da democracia, o presidente do Solidariedade, deputado federal Paulinho da Força (SP), usou o Twitter para deixar clara sua contrariedade à fala de Guedes. “AI-5 é ditadura! Eduardo Bolsonaro ameaça o povo brasileiro ao mencionar a volta de um dos período mais cruéis da história, marcado por arrocho salarial, prisões, torturas e assassinatos. Proposta de garoto mimado deve ser repudiado por todos os democratas”.

Já o líder do PSOL na Câmara, Ivan Valente comparou Guedes ao ditador Augusto Pinochet. “Não se assustem se alguém pedir o AI-5”, disse Paulo Guedes. Sua agenda econômica é tão execrável contra os pobres que somente um regime autoritário pode implantá-la sem resistência. Guedes aprendeu com Pinochet que neoliberalismo combina com ditadura e resolveu fazer ameaças”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Não se assustem se a testa desse vagabundo for alvo de um projétil de AK-47.

    E viva a Lua. Passa logo, Prima, pro outro lado do Sol!

  2. Novamente um imbecil integrante deste simulacro de governo arrota bravata escondido no brother SAM.
    Mais um covarde que tenta manipular criminosamente a economia do brasil apenas para beneficio dos grupelhos que representa, dos banqueiros sedentos de lucro a magnatas da educação privada e lideres infames de seitas neopentecostais.
    Uma escória.
    E cabe aos responsáveis por zelar pela democracia (falo do congresso Nacional, STF e associações de classe) disparar para esta população atualmente cafetizada pelas redes sociais uma campanha nacional, que informe as trágicas consequencias de barbaridaes como este ignóbil AI5.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome