Requião: Esqueçam do impeachment, que Eduardo Cunha não vai facilitar para o PSDB

Em entrevista exclusiva ao GGN, o senador Roberto Requião afirmou que o PMDB deve romper com o PT e lançar um candidato a presidente em 2018. “O sonho de Eduardo Cunha é ser esse candidato”, disse

Jornal GGN – “Esqueça dessa história de impeachment”, disse o senador Roberto Requião (PMDB). O deputado federal Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara, “não vai facilitar nada para o PSDB tomar o poder” das mãos da presidente Dilma Roussef (PT), acrescentou o ex-governador do Paraná, na manhã de quarta-feira (4). Segundo Requião, “o partido de Eduardo Cunha chama-se Eduardo Cunha” e sua intenção é ser “hegemônico” dentro do PMDB, com um único objetivo: concorrer à Presidência da República em 2018.

Em entrevista exclusiva ao GGN, Requião afirmou que existe um “sentimento” dentro do PMDB fomentando o rompimento definitivo com o PT, em um futuro não muito distante. E o senador, que já tentou ser o presidenciável do partido em outras oportunidades, é um defensor declarado desse divórcio. “Cá entre nós, a finalidade de um partido é esta, lançar um candidato em todas as instâncias públicas”, explicou. Durante a última campanha eleitoral, o presidente nacional do PMDB, Michel Temer, admitiu que há um “sentimento patriótico” nesse sentido.

Sem destacar as lideranças peemedebistas com maior potencial para concorrer ao Palácio do Planalto, Requião apenas alertou: “O sonho de Eduardo Cunha é ser esse candidato”. E ele construirá esse caminho, mesmo que tenha de passar o trator sobre outros caciques do PMDB. 

Confira a entrevista abaixo.

Jornal GGN: Senador, o que o senhor achou do parecer do jurista Ives Gandra Martins, levantando a hipótese de impeachment da presidente Dilma por culpa no caso Petrobras?

Roberto Requião: Aquilo é besteira! O parecer não tem sentido algum porque um impeachment é um juízo político. O [ex-presidente Fernado] Collor foi impeachmado pelo Congresso e absolvido pelo Supremo. É um juízo político. A rigor, tecnicamente, só seria cabível um impeachment com prova de dolo [participação intencional em crimes]. Eles estão criando um pensamento subsidiário do domínio do fato, o suposto domínio do fato.

GGN: O senhor acha que Dilma corre o risco de enfrentar esse processo de cassação agora que Eduardo Cunha preside a Câmara?

Leia também:  Comissão da Covid-19 convocará ministro da Saúde para explicar testes e vacinas

Requião: Não, acredito que não. O Eduardo Cunha, veja bem, o pessoal está entendendo mal Eduardo Cunha. O partido de Eduardo Cunha chama-se Eduardo Cunha. Cunha não vai facilitar nada para o PSDB tomar o poder. O projeto de Eduardo Cunha é ser absolutamente hegemônico no PMDB, afastar [a liderança do vice-presidente da República Michel] Temer e os outros, e tomar conta da República. A vocação é presidencial, a desse rapaz. Ele nunca vai forçar o impeachment para o PSDB e esse pessoal tomar conta do governo. Ele quer o reforço do PMDB dele.

GGN: Para isso, ele teria que isolar algumas lideranças, como o próprio presidente do partido, Michel Temer…

Requião: Exato. Ou tratorar.

GGN: E como seria isso?

Requião: Na próxima convenção do partido, que acontece no final do ano, afastar os comandos dos diretórios e ter o domínio do processo [para chegar a presidente nacional da legenda]. Este é o objetivo de Eduardo Cunha: controlar o PMDB, não o de entregar o impeachment da Dilma de bandeja para o PSDB. Portanto, esqueçam dessa história de impeachment.

GGN: Eduardo Cunha deu uma entrevista ao Estadão essa semana, deixando no ar que se houver sequelas da disputa acirrada com o PT pela presidência da Câmara, essa sequela será política. Ele indicou que caberia ao PMDB discutir, internamente, o rompimento definitivo com o PT com vistas à eleição de 2018.

Requião: Tudo isso é crível. Há esse sentimento dentro do PMDB, de lançar um candidato em 2018, não se subordinar mais ao PT. Cá entre nós, a finalidade de um partido é esta. O contrário é que é um pecado político. E esse erro vem sendo cometido [pelo PMDB] há muito tempo.

GGN: E quem seria o nome do PMDB para 2018?

Requião: O sonho de Eduardo Cunha é ser esse candidato.

GGN: E o senhor acredita que ele conseguirá?

Leia também:  Comissão da Covid-19 convocará ministro da Saúde para explicar testes e vacinas

Requião: Vamos ver como o negócio prossegue. Ninguém pode acreditar nem desacreditar de nada.

GGN: Alguns analistas destacam o Eduardo Paes [prefeito do Rio de Janeiro] como uma liderança peemedebista com potencial para ser candidato a presidente. Como o senhor avalia essa indicação?

Requião: Isso é o grupo do PMDB do Rio de Janeiro. Eu mal conheço esse Eduardo Paes…

GGN: E quanto a sua pretensão de ser candidato a presidente pelo PMDB?

Requião: Eu já tive duas vezes essa pretensão. Em uma delas [1998], o partido decidiu apoiar [a reeleição] de Fernando Henrique Cardoso e, na outra [em 2010], apoiou a Dilma. E eu também. O que eu acho é que a função política de um partido é lançar candidato em todas as instâncias públicas e, excepcionalmente, fazer uma composição.

GGN: Como está o clima no Congresso depois da reeleição de Renan Calheiros no Senado e da vitória de Eduardo Cunha na Câmara?

Requião: O clima acirrado está mais na Câmara. Lá, o que aconteceu foi o seguinte: Joaquim Levy [ministro da Fazenda] tirou de Dilma a votação que ela teria entre o eleitorado progressista do PT e PMDB. E a oposição continuou sendo a oposição. Na minha opinião, quem ganhou a eleição para a presidência da Câmara foi Joaquim Levy.

GGN: O que aconteceu, então, foi que alguns deputados não receberam bem a nomeação de Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda? A insatisfação não teria sido com indicações para outros ministérios? Uma reforma ministerial que não agradou a todos.

Requião: Não, não. Se a questão fosse a reforma ministerial, a indicação de ministros, o candidato de Dilma teria 90% dos votos. A Kátia Abreu [ministra da Agricultura] daria adesão da bancada ruralista, que é significativa na Câmara. Não foi o que aconteceu. O que aconteceu foi o desencanto com a nova orientação do governo. O termo certo é insatisfação [com a condução da política econômica]. Eles acham que não há espaço para um apolítica desejada por eles. Os que votaram na Dilma estão decepcionados. O que você acha, por exemplo, que eu estou pensando de escolherem pessoas do mercado para o Conselho de Administração e direção da Petrobras? Qual é a nova Petrobras que estão anunciando? Um instrumento de drenagem de recursos na mão da banca privada e rentistas? Não é mais a empresa estratégica do Brasil? É a empresa a serviço do capital vadio?

GGN: Mas faz sentido, senador? Como que alas progressistas do PT e PMDB, por insatisfação com as escolhas de Dilma, ou a indicação de Levy, votaram justamente em Eduardo Cunha, sabendo que ele é, no mínimo, um grande defensor de agendas conservadoras?

Requião: Eduardo Cunha era a contraposição ao Chinaglia, que seria a correia de transmissão das ideias do governo. Eduardo Cunha oferece espaço. Eles não são [do time de] Eduardo Cunha. Eles queriam deixar claro que são contra a oficialização da política do governo.

GGN: No Senado, Luiz Henrique tentou impedir a reeleição de Renan Calheiros para presidente e conseguiu 31 votos [seis a mais do que somam os partidos de oposição ao governo]. O senhor acha que esses 31 senadores vão se juntar durante a legislatura para formar um bloco de oposição maior do que Dilma enfrentou entre 2010 e 2014?

Leia também:  Comissão da Covid-19 convocará ministro da Saúde para explicar testes e vacinas

Requião: Não, o Luiz Henrique é do PMDB também. E o Senado é menor, mais sensível a pressões do governo. A presidência do Senado e da Câmara apenas presidem. No caso de um impeachment, quem decide antes é o plenário. A soberania é do plenário! A imprensa fica estabelecendo teses, mas ninguém se subordina ao Eduardo Cunha. (…) A Mesa Diretora não pode tudo. No máximo, conta com a leniência do plenário.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

79 comentários

  1. Taí a realidade dos fatos.

    Com respostas simples, porem claras e sábias, no sentido político, o Senador PMDBista, disse tudo e caba com esta sensação de insegurança política e de vazio ou vácuo de poder, que muitos sentem.

  2. “Segundo Requião, “o partido

    “Segundo Requião, “o partido de Eduardo Cunha chama-se Eduardo Cunha” e sua intenção é ser “hegemônico” dentro do PMDB, com um único objetivo: ser candidato a presidente da República em 2018″:

    Se eh que porentura existir, considerando se a improvavel possibilidade de existir, alguem decente no judiciario brasileiro, eu pediria encarecidamente e carinhosamente -pois eu ADORO JUIZES- que os processos contra Cunha vazem aa hora certa.  Cronometradamente.

  3. O último “hegemônico” do PMDB foi Jader Barbalho…

    O último que tentou ser hegemônico dentro do PMDB, visando a presidência da República, foi o senador Jader Barbalho.

    FHC tratou de lhe cortar as asinhas, sem sujar suas luvas brancas, usando pra isso a verbosidade agressiva do então senador Antonio Carlos Magalhães, na disputa pela presidência do Senado em 2001.

    A estória todos conhecemos: FHC livrou-se de uma só tacada de Jader Barbalho e seu insaciável apetite por cargos (e verbas) e de ACM e sua capacidade latente de sabotar o governo da qual era aliado.

    Quem terá astuciosidade, ou coragem (ou os dois juntos) pra abater Eduardo Cunha?

  4. Pensando bem…
    “GGN: E quem

    Pensando bem…

    “GGN: E quem seria o nome do PMDB para 2018?

    Requião: O sonho de Eduardo Cunha é ser esse candidato.”:

    Requiao, eh um prazer ver uma entrevista sua aqui!  O unico candidato de direita qualificado do Brasil para 2018 eh VOCE.

    Cunha nao tem qualificacao, e ainda tem 360 processos correndo sob Sigilo Judicial de Corrupcao, entao…

    VOCE eh o unico, repito, candidato de direita  qua li fi ca do.  (Nao que vai fazer alguma diferenca eu dizer isso.  Vamos fazer uma coisa:  quando chegar a hora, voce convida o tal Cunha pra lavar o sovaco e ser seu candidato como VICE presidente que eu me livro dele literalmente.  O que poderia dar errado?  Combinado?)

    • Cunha

      Alexandre, estou com uma sensação de que o Eduardo Cunha vai implodir o PMDB. Sua arrogância e ganância irá criar muitos desafetos, coisa que o governo poderá tirar partido.

  5. Já ouvi dizer que Eduardo

    Já ouvi dizer que Eduardo Cunha quuer mesmo ser o próximo presidente, mas não contando com as eleições de 2018. Ele fará por onde ocupar a cadeira de Dilma na qualidade de Presidente da Câmara, e pra que tal aconteça, Dilma teria que ser impedida de governar. Ficaria a cadeira entre Temmer e Cunha? Pode ser. Melhor do que nada. Aí, chegando 2018, tudo seria menos comlicado.

    • Tem uma outra opção mais

      Tem uma outra opção mais radical.

      Matar a presidenta e o seu vice.

      Como ele é o terceiro na sucessão…

      Jatinho sem freio tem um monte por aí.

      Só falta arrumar um piloto kamikaze.

       

  6. Finalmente aparece um

    Finalmente aparece um político com bagagem suficiente para me acalmar, num momento em que só leio resmungos e catastrofismos nos blogs que leio (PHA, Tijolaço, aqui, etc…).

  7. Gostei muito da entrevista do..

    Excelente entrevista do Senador Roberto Requião, gostei principalmente das respostas dadas pelo Sen.  Se o Sen. não fosse do PMDB e fosse filiado em um outro partido de esquerda e caso o Lula não fosse candidato para 2018 ( acho que Lula não irá ser o candidato) e não tendo outros políticos do naipe do Lula para candidatura, eu votaria no Sen. Requião, mas somente se ele saisse do PMDB,  pois nestes partidos, PMDB, P$DB, DEM, PIG e CIA, jamais votarei na minha vida, tirando o PT, eu passaria a votar apenas em partidos de esquerda, mesmo que estes não tivessem chances, pois já conheço o DNA destes partidos citados acima.

    Abraços Nassif.

    • É bom votar num partido de

      É bom votar num partido de esquerda que tenha a mínima possibilidade de vencer. Do contrário é dar “pérolas pros porcos”

      • Conheço muito bem

        Sou paranaense e conheço muito bem. Claro que o Requião tem os seus defeitos. Nem poderia ser diferente. Mas foi um dos melhores governadores do Paraná. Pergunte para os professores estaduais, pra começar!  Esse Beto Richa é um desastre que faz do Paraná atualmente uma verdadeira terra arrasada. Só que o Betinho Zé Bonitinho tem a conivência da grande imprensa para ocultar os seus malfeitos e a sua incompetência. Pobre Paraná. Vai levar anos para se recuperar do legado do Zé Bonitinho.

  8. GGN: Mas faz sentido,

    GGN: Mas faz sentido, senador? Como que alas progressistas do PT e PMDB, por insatisfação com as escolhas de Dilma, ou a indicação de Levy, votaram justamente em Eduardo Cunha, sabendo que ele é, no mínimo, um grande defensor de agendas conservadoras?

    Requião: Eduardo Cunha era a contraposição ao Chinaglia, que seria a correia de transmissão das ideias do governo. Eduardo Cunha oferece espaço. Eles não são [do time de] Eduardo Cunha. Eles queriam deixar claro que são contra a oficialização da política do governo.

    Eu escrevi isso num texto que o Nassif não quis publicar:

    Não se pode duvidar que as traições ao governo também ocorreram no PT, muitos tucanos optaram por Eduardo Cunha para fustigar o governo e alguns petistas em Júlio Delgado. Um motivo seria que a vitória de Chinaglia daria muita legitimidade para Levy radicalizar em seu ajuste, com isso preferiram tirar Dilma da zona de conforto, forçando-a ser a Dilma da campanha eleitoral para combater o cerco conservador. Outro motivo seria a briga interna no partido que iniciou com Marta Suplicy ou a preferência da presidente por nomes de fora da corrente majoritária em cargos estratégicos no governo.

  9. Começando a entender a

    Começando a entender a paralisia do governo..rs!

    Então era isso..rachar para rachar e não por rachar.

    Política é um “barato” tambem!E FHC se auto impichando kkkk

    Regulação da mídia faz coisas na “cara ” dos “rola bostas”.

  10. CUNHANDO A CADEIRA PRESIDENCIAL

     

    Se hover o GOLPE do impeachment de DILMA assumiria Temer traíra, PMDB, que abriria palanque para o Eduardo Cunha que como vimos tem MEIO$ para controlar a maioria do PMDB, dos partidos evangélicos, e dos  nanicos.

    Só MORO que é TUCANO e AECISTA, poderia embarreirar essa pretensão, indiciando-o na LAVA-JATO.

    Se bem que: como Cunha é uma águia na arte política, e tão crápula quanto os piores.

    É bem capaz de conseguir negociar essa isenção.

    AÍ… NAO SEI NÃO!!!!

    NÃO VAI FICAR BARATO ISSO NÃO!!!

    ELES ESTAO INDO LONGE DEMAIS!!!

    E UMA REVOTA POPULAR, PODE SURPREENDER!!!

  11. Na boa, algum cometarista

    Na boa, algum cometarista aqui e na grande mídia tinha essa visão dos fatos.

    “O clima acirrado está mais na Câmara. Lá, o que aconteceu foi o seguinte: Joaquim Levy [ministro da Fazenda] tirou de Dilma a votação que ela teria entre o eleitorado progressista do PT e PMDB. E a oposição continuou sendo a oposição. Na minha opinião, quem ganhou a eleição para a presidência da Câmara foi Joaquim Levy.”

    Caraca !!!

    Isso que é ser aninal politico, os caras enxergam onde os pobres mortais são cegos.

    pqp, perdir noites de sono por causa dessa porcaria de impeachment.

  12. boa análise do requião, tem

    boa análise do requião, tem experiencia política.

    agor dá para entender algumas reaçõe – ou falta de – do governo nessa eleição.

    deixar o cunha se armar como candidato tb seria uma boa

    manieria de facilitar a  vitória petista com lula em 2018…

  13. Eu considero o cunha o

    Eu considero o cunha o “roberto jefferson” do PMDB!

    O roberto jefferson foi importante para a elite e depois foi sacrificado.

    Se é que não teve outras recompensas…

    Junte-se a este o barbosão!

    As denúncias do roberto jefferson reverberaram os anseios da elite!

    O mensalão NUNCA teria sido o que foi se houvessem grandões expostos!

    Por falar em exposição, por onde andam na MÍDIA os empreiteiros que foram presos?

    Já, já vão virar coitadinhos, nas mãos dos curruptos petistas…

    Onde eram OBRIGADOS a pagar propina para trabalhar em paz com Deus e a familia…

  14. Aliança Liberal: a Dilma não

    Aliança Liberal: a Dilma não tem passado? Tem e muito mais digno que qualquer machista lambe botas que se conhece. O teu passado é tão valente como o dessa mulher, ou tu só ficou no mimimi, te escondendo atras das portas para não enfrentar nada? Enquanto isso, na cidado do aliança liberal, o PT da dando banho de eficiência. O partido do aliança,psdb, foi expulso por roubo de merenda escolar e outras maldades(roubo nos hospitais e tais). É assim que se conhece o malandro que nunca teve coragem, apenas se encostou e esperou a ditadura matar, torturar grandes mulheres, grandes jovens, grande´e corajosas peasoas. Tenho certeza que o currículo desses homens que atacam Dilma, deve ser uma merreca.

    • CALA A BOCA !!!

      PT DANDO BANHO DE EFICIÊNCIA ?A ONDE MINHA CARA CIDADÃ ? KKKKKKKKKKKKK NÃO FALA MERDA POR FAVOR.

  15. Ué, se Eduardo Cunha quer ser
    Ué, se Eduardo Cunha quer ser presidente, é muito mais fácil via impeachment, já que ele está na linha de sucessão do que ganhar uma eleição no voto, né! !!!!!!!!

  16. Cunha sabe que 2018 é do Lula

    Cunha sabe que 2018 é do Lula e nada e nem ninguén entre o céu e a terra  tem  pode para tirar isso.   A chance ddo CUnha é  ¨CUzinhar¨  a coisa até que a cassação obrigue que ele termine o mandato.

  17. HUM? Os paranaenses, que o …

    Os paranaenses que votarm no Beto Richa? Ãn .. E que votam maciçamento no Alvaro Botox? (Que simplemente desapareceu da mídia? não era o porta-voz? tomou doril!

  18. Será que ele fica?

    É uma raposona da política. Seu defeito principal: ser do PMDB. Porisso ele logo vai para o PSD. Puro chute. Já pensou se eu acertar? Porra, mas ninguém vai lembrar!

  19. Agora é que eu perco o sono de uma vez …

    Quem vai impichar a Dilma não é o Cunha. É a midia, derrotada  4  vezes, vai puxar o coro do golpismo. Continuo sem dormir … 

  20. Entrevista senador Roberto Requião, esqueçam do impeachment

    Sei que Requião é bem informado e com bom trânsito no PT, mas afirmar que os parlamentares petistas votaram em Cunha por conta da escolha de Joaquim Levy e aspectos da política econômica parece loucura, sei que em política, só não se viu ainda boi voar, mas isso seria demais, por que não revoltas pontuais em votações de intersse do governo federal sobre questões de política econômica??????

    • Pois é

      Pois é, Evaristo, também não concordei com essa tese. Não creio que o PT, ou parte dele tenha votado no Cunha por conta da escolha do Levy para o ministério.

  21. Resumo:…………a Dilma se

    Resumo:…………a Dilma se isolou….o Senador queimou o Eduardo Cunha….ou ele se enquadra e faz os desejos de Renam, Michel & Cia….ou vão come-lo vivo

  22. Resumo:…………a Dilma se

    Resumo:…………a Dilma se isolou….o Senador queimou o Eduardo Cunha….ou ele se enquadra e faz os desejos de Renam, Michel & Cia….ou vão come-lo vivo

  23. Requião é o unico com coragem

    Requião é o unico com coragem para enfrentar os desmandos do PSDB no parana. Enfrentou na tentativa de privatização da Copel, foi as ruas mobilizar o povo. Seus governos foram bons. O estado tinha caixa forte. Pagava as contas em dia. Hoje o estado esta quebrado. Beto Richa conseguiu quebrar o estado em quatro anos. Professores estao sem receber salarios. Fornecedores sem receber pagamentos. A imprensa em silencio, porque nao da pra responsabilizar seu antecessor. 

  24. Eu sou fã do Requião, mas não

    Eu sou fã do Requião, mas não do PMDB. Votaria nele para presidente, mas o PIG o destruiria em 4 meses. Assim, nosso maior problema é o PIG, pois qualquer presidente bem intencionado será transformado em um pateta corrupto. Temos que desmontar o cartel pig+Judiciário+PSDB  ou não existirá futuro digino para o País.

  25. Sei…  Mas o PMDB tem a

    Sei…  Mas o PMDB tem a vice-presidência, a maior bancada, muitos cargos, permite/aceita um personagem como Eduardo Cunha em seus quadros, rompe o acordo com o PT para eleição da mesa diretora da Câmara, vota em peso no Eduardo Cunha e a intenção é apenas de não deixar o Chinaglia ser “linha de transmissão” do pensamento do governo. Tá certo. A linha de transmissão agora é só do PMDB e os miquinhos amestrados do Cunha. Agora, o PMDB, com sua consistência de gelatina, detem também a presidência das 2 casas do  congresso e se preparando para estar onde sempre esteve: no governo e com mais poder de troca, digamos assim

  26. Esqueçam do Impeachment, vão

    Esqueçam do Impeachment, vão fazer a Dilma fritar no cargo 4 anos, virou “Pato Manco” com menos de 1 mes de mandato. Vai comer na mão do PMDB todos os 4 anos.

    Sensacional para uma reeleição.E a população que espere o tempo passar.

    Apertem o cintos que o LEVY Tesoura já está ai.

     

     

  27. Tai o nome para o Ministério da Justiça

    Já comentei outras vezes, O Requião deveria ser o ministro da justiça, senão ele então o Pedro Simon. Neste caso manda ele para o ministério da comunicação. São os dois grandes problemas desse governo Dilma2.

  28. A prisão relâmpago de

    A prisão relâmpago de Vaccari, com direito a pulação de muro da casa da vítima do sequestro legalizado e imagens da pulação expostas imediatamente na TV Globo, é demonstração da articulação perfeita entre golpistas do Paraná e os golpistas da Câmara. Esta prisão disfarçada aconteceu com o fim único de armar o detonador da nova CPI instalada por Cunha para a continuidade do processo de destruição da Petrobras. Impossível negar que existe uma grande trama em marchha no país, seria miopia demais. Requião, com seu estilo de moralismo sincero porém vintage, de certo modo é ingênuo, se deixa emocionar por aparências políticas que são apenas aparências.

  29. Impeachment é jogo de cena, o

    Impeachment é jogo de cena, o Cunha vai é fazer a reforma política reacionária, o que é muito mais importanjte do que preservar o mandato da Dilma, a traidora incompetente.

  30. Não acredito que o PMDB vai lançar candidato próprio…

    Não acredito que o PMDB vai lançar candidato próprio. Este partido só tem viabilidade como parasita. Foi rastejando em torno do PSDB e do PT que esse partido cresceu. Caso lance um candidato próprio à presidência automaticamente vai se transformar em vidraça. Todos os grandes esquemas de corrupção no país teve a mão suja do PMDB, seja nos governos tucanos, seja nos governos petistas. O PMDB é o partido oportunista por excelência, não chegaria aonde chegaram por conta própria.

    Quando o governo vai bem, lá estão eles para colher todos os frutos. Agora quando o governo vai mal, são os primeiros a pularem fora e atacar o governo que apoiaram. Essa é a essência do PMDB. Caso lancem candidatos a presidência serão derrotados facilmente, pois essas cobras só sabem agir nas sombras, rastejando sorrateiramente, prontos para darem o bote em quem quer que seja.

  31. Impeachment do PMDB e não do PSDB

    No caso de impeachment quem assumiria? Pela tese do Requião parece que o Aécio. Na verdade quem assume é o PMDB, esta é a linha de sucessão em caso de vacância, vice-presidente em segundo o presidente da Câmara em terceiro o presidente do Senado. De que partido é o vice-presidente, o presidente da Câmara e do Senado? No caso de impeachment que partido assume a presidência? Um detalhe, sem passar pelo voto. Fico com pena do PMDB, coitadinho, a gente faz de conta que acredita no Requião também de quem acredita nele, que partido assumiu quando Tancredo morreu?

    • impeachment

      Se ocorrer o impeachment, haverá novas eleições.

      Pois o Vice Michel Temer, só assume se tivesse decorrido 2 anos de mandato. Então, nesse caso ele assume temporariamente até ser realizado novas eleições.

       

  32. O Requião não disse,

    O Requião não disse, provavelmente por que não pode, mas a “indignação” de muitos peemedebistas* com o Levy não tem nada a ver com progressismo ou anti-neoliberalismo – tem a ver com torneiras fechadas, que não vão mais irrigar as emendas parlamentares e outras despesas nas bases dos deputados.

    * “muitos peemedebistas”: eufemismo para “baixo clero”.

  33. Legal, pelo menos uma

    Legal, pelo menos uma pontinha de esperança de um pouco mais de serenidade quanto a essa questão do impeachment

  34. Legal, pelo menos uma

    Legal, pelo menos uma pontinha de esperança de um pouco mais de serenidade quanto a essa questão do impeachment

  35. Sorte.

    Essa será a sorte da Dilma. Faz sentido. O PMDB tem que ter candidato, já passou da ora. O PT só ganha 2018 com Lula, se for candidato. O melhor para o PT seria lançar Haddad, perdendo deixaria seu nome em evidência é o novo que todos falam. 

  36. Eduardo Cunha, candidato a

    Eduardo Cunha, candidato a presidente? Conta outra. O cara não resiste a 1 mês de debate e campanha com tanto esqueleto no armário.

      • resposta

        nao entendeu ?? temer nao assume nada quem assume sao os militares que a globosta ama tanto !!

      • O impeachment é só para a

        O impeachment é só para a presidente . A consideração sobre Eduardo Cunha é para a eleição de 2018 .

  37. O Requião não disse,

    O Requião não disse, provavelmente por que não pode, mas a “indignação” de muitos peemedebistas* com o Levy não tem nada a ver com progressismo ou anti-neoliberalismo – tem a ver com torneiras fechadas, que não vão mais irrigar as emendas parlamentares e outras despesas nas bases dos deputados.

    * “muitos peemedebistas”: eufemismo para “baixo clero”.

    • Faz muito mais sentido essa

      Faz muito mais sentido essa hipótese do que dizer que esses 267 deputados ou mesmo apenas uma parte significativa deles ainda que minoritária tivesse tanto gosto assim por políticas econômicas heterodoxas e que valorizassem renda e emprego.

  38. “Não acredito que o PMDB vai

    “Não acredito que o PMDB vai lançar candidato próprio. Este partido só tem viabilidade como parasita.”

    Isso é verdade, mas é apenas uma parte do problema. A outra parte é a seguinte:

    “Eu mal conheço esse Eduardo Paes…” (Senador Roberto Requião)

    E provavelmente “mal conhece” qualquer liderança do PMDB que não seja do Paraná. O Eduardo Paes, por sua vez, possivelmente “mal conhece” o Requião – ou, se conhece, acha que só tem expressão no Paraná.

    Em resumo, o PMDB não é um partido – são vinte e sete partidos, cada um deles com muito ciúme dos outros vinte e seis, e nada disposto a permitir que um dirigente de um estado ganhe proeminência sobre os dos outros estados.

    Então, se o Eduardo Cunha for candidato, terá uma excelente votação no Rio de Janeiro. E uma votação de partido pequeno em cada um dos outros estados da federação.

    • entrevista do Requião

       Coitado, sabe nada do PMDB. Parasita são os sanguessugas PT e PSDB que vivem às custas dos Peemedebistas!

       

  39. Não vão lançar

    O jogo do PMDB é o seguinte: Eles governam nos bastidores, e o PT leva a culpa. O PT é a vitrine que leva pedradas pelos desmandos do PMDB.

    O PMDB emperrou a PEC anti escravidão, emplacou o novo código (des) florestal, aprovam todo tipo de lei ruralista, e o PT não pode falar nada. O “congresso” emperrou a pauta das votações por 3 meses para forçar Lula a nomear o pessoal da petrobrás que os “congressistas ” queriam. Se o PMDB é maioria no Congresso, por que não impediu este trancamento da pauta? De novo o PT levou a culpa.

    O PMDB achou o jogo perfeito para governar nas sombras.

    Se o PT saísse de cena quem iria levar levar a culpa ?

    Não faz sentido o PMDB lançar um candidato.  PT continuará se cadidatando a presidência e o PMDB continuará vice, como têm feito até hoje.

    • Exatamente

      Perfeito… é isso mesmo.

      Sempre nas sombras e sempre no governo, seja o PSOL, seja o DEM, o PMDB é sempre governo, até em prefeituras essa é a orientação que seguem.

  40. Sou fã de roberto Requião

    O Roberto Requião é corajoso, independente moralmente, tanto que foi reiteradamente perseguido pelo Judiciário do Paraná.  Ele seria um grande Presidente da República. Aqui no Paraná foi um grande governador tanto na Educação, como na Saúde e tambem na política Pública da Mata Ciliar – um dos melhores projetos na área ambiental que se tem notícias.

    • RR

      Maria Noeli Faé tem razão. Requião seria uma grande presidente da República. Assim eu o pensava quando ele em início de carreira. Grande será sempre. Mas presidente da República, nunca. É corajoso até o momento em que se depara com um confrontante e se é reiteradamente perseguido pelo Judiciário, isso não lhe confere a adjetivação de independente moralmente. Se sabe que pessoas perseguidas pelo Judiciário, boas biscas é que não são. 

  41. Muito boa a entrevista do Senador Requião.
    Muito interessante a entrevista realizada como o Senador Requião, Senador cuja Capital é a Cidade Modelo do País. Tomará que o Eduardo Cunha consiga aprovar o ORÇAMENTO IMPOSITIVO que diminuirá em muito o fisiologismo político, além de melhorar a SAÚDE DO PAÍS, pois 50% das emendas parlamentares terão que ser aplicadas obrigatoriamente neste setor. Que no fim do ano de 2015, na Convenção do PMDB este rompa com o Governo da Presidente Dilma Rousseff. O MDB, atual PMDB, partido mais diretórios municipais no Brasil atingindo grande parte dos mais de 5500 Municípios, ou seja, com grande força política nos rincões deste País Continental. Que o PMDB SAIA DAS SOMBRAS E INDIQUE CANDIDATO PRÓPRIO PARA AS ELEIÇÕES DE 2018! Hoje o PMDB ocupa os segundo, terceiro e quarto cargo mais importantes da Federação, Vice-Presidência da República, Presidência da Câmara e Presidência do Senado Federal NÃO É UM PARTIDO PARA FICAR NAS SOMBRAS DE NENHUMA OUTRA SIGLA PARTIDÁRIA!

    • Curitiba FOI modelo, numa

      Curitiba FOI modelo, numa epoca de propaganda do Lerner para trazer a industrialização para o Parana. Hoje uma das cidades mais violoentas do MUNDO, junto com BH e Porto Alegre.

    • Fisiologismo político é o

      Fisiologismo político é o sobrenome do PMDB, ou o senhor está vivendo em outra dimensão, caro Fábio.
       

      Eduardo Cunha é um monstro gestado nos intestinos do PMDB e vai destilar muito veneno na casa.

      Comparar com o Severino Cavalcanti, cuja capacidade intelectual equipara-se aos protozoários, é forçar a barra, porque o Cunha é mais liso que bagre na lama.

      Quem vai se dar bem é a indústria farmacêutica ao vender medicamentos para náuseas causadas pelas asneiras proferidas pelo presidente da Câmara dos Deputados.

  42. Não haverá impeachment sem sangue. Quem se habilita?

    Eduardo Cunha é qualquer coisa, menos estúpido. Não teria chance contra o PSDB, a imprensa golpista não confia nelo. Apenas o promoveu como promoveu e depois crucificou o Severino. Ele pode participar do impeachment se tiver assinado pela liderança tucana compromisso em dominar a PREVI, o BB, os demais fundos de pensão das estatais e o setor elétrico. É disso que se trata. Quem rouba nas sombras jamais sofre impeachment. Mas quem adquire inimizade com a imprensa empresarial, está futucado e mal pago. Em caso de impeachment, teriam de derrubar também o Michel Temer. Ele foi leal ao PSDB no octênio FHC, mas jamais dariam a presidência de mão-beijada para ele. Se houver impeachment, vão tratar de botar o Temer no barco, sem perdão. Mas falando sério, há possibilidade de impeachment? Dilma está ferrada, seu ministério é de direita, não terá apoio da militância. Mas permitir que ela seja derrubada assim, sem mais nem menos, Dilma não é o Collor, o PT não é o PRN e além do mais, muitos expoentes do PT têm experiência militar. Quem se arrisca? Em 1964 pensaram que os militares ficariam dois anos e dariam o fora. Gostaram tanto que ficaram 20 anos. Vão facilitar para o PMDB? Nunquinha.

  43. hipótese de impeachment da presidente Dilma

     

    Na hipótese de impeachment da presidente Dilma, segundo a constituição brasileira e leis que regem o pais, quem assume a presidência Michel Temmer ?

  44. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome