Governo não tem 100% de garantia de aprovação da Reforma da Previdência


Foto: Planalto
 
Jornal GGN – A Reforma da Previdência já tem data marcada para votação na Câmara dos Deputados: será nos dias 18 e 19, última semana de atividades parlamentares antes do recesso legislativo. A conclusão do tema, colocando-o em pauta no Congresso, foi feita após a contagem de votos que o governo já tem garantido para a aprovação da matéria. 
 
Por outro lado, inseguranças e por se tratar de medida impopular, tanto o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quanto Temer preferem manter a cautela e não vem se manifestando sobre o tema, apesar da própria agenda de ambos entregar as articulações intensas nestes últimos dias.
 
Maia encontrou-se com o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, na capital paulista, nesta segunda (11). Abordado por jornalistas, afirmou que colocará a palavra final sobre quando a reforma será votada pela Câmara até quarta-feira (13) com o presidente.
 
“Olhando de hoje para a próxima terça-feira (19), não é fácil votar esta matéria”, disse. Ressaltou que se “não é fácil votar na próxima semana”, da mesma forma o governo e interessados na aprovação não têm muitas alternativas: “Se não conseguirmos votar neste ano, este tema não sai da pauta em hipótese nenhuma”.
 
A mesma cautela foi mantida pelo mandatário peemedebista, neste domingo, afirmando que está otimista de a pauta passar pela Câmara ainda neste ano, mas não fechou a possibilidade de ir para o próximo.
 
“Eu suponho que talvez seja possível [votar em 2017], mas, se não for, vamos encerrar a discussão ainda neste ano, e essa matéria da Previdência não vai parar. Se não for neste ano, será no início do ano que vem”, disse, durante conferência da Organização Mundial do Comércio (OMC).
 
Já o em breve ministro da Secretaria de Governo, deputado Carlos Marun (PMDB-MS), disse que se a reforma da Previdência não conseguir ser votada na próxima semana, terá perdido uma “batalha”, mas não a “guerra”.
 
Ao assumir a pasta de articulação política nesta quinta-feira (14), Marun estampou como um de seus objetivos a tentativa de mobilização para colocar a pauta na agenda da Câmara, com a garantia de votos suficientes, na próxima semana.
 
“Eu assumo quinta-feira com o objetivo de contribuir para que nós votemos na semana que vem. Sem dúvida alguma, se não conseguirmos, eu vou sentir a verdade: que nós perdemos uma batalha, mas não termos perdido a guerra”, disse Marun, nesta segunda.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora