Maia desmente que Congresso pressionou Bolsonaro a aprovar R$ 2 bi a fundo

Projeto partiu do próprio governo. Após repercussão negativa, Bolsonaro disse que poderia vetar, o que não foi feito, usando a justificativa de que poderia sofrer impeachment. Maia negou possibilidade

Foto: Carolina Antunes/PR

Jornal GGN – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, afirmou nesta sexta-feira (20) que o presidente Jair Bolsonaro “não precisa se preocupar” com o impeachment. O recado de Maia foi em resposta a uma suposta retaliação dos parlamentares em veto ou sanções do mandatário a medidas do Congresso.

O deputado tentou reduzir o tom de richa adotado por Bolsonaro, quando comentou sobre a possibilidade de vetar o projeto de recursos para o fundo eleitoral. “O Congresso pode entender que eu, ao vetar [o fundo], atentei contra este dispositivo constitucional e instalar um processo de impeachment contra mim. E daí?”, disse Bolsonaro.

A resposta do mandatário foi uma tentativa para justificar o fato de ele ter aprovado a liberação dos R$ 2 bilhões, proposta que saiu do próprio governo e que, após a ampla repercussão negativa, Bolsonaro tratou de responsabilizar os parlamentares e chegou a aventar a possibilidade de que ele vetaria a medida. O que não foi feito.

Ao comentar o seu recuo em aprovar o fundo de R$ 2 bilhões para o fundo eleitoral, Bolsonaro justificou que se ele não fizesse isso, poderia sofrer impeachment. O presidente da Câmara, contudo, desmentiu o presidente.

“O presidente da República pode vetar ou sancionar a sua própria proposta. Ele não precisa se preocupar com nada disso [impeachment]”, disse Maia, ao blog de Natuza Nery, do G1.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaro e o desafio impossível de impedir que antigos aliados comecem a falar

1 comentário

  1. Licença Poética (KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK) Rodrigo Maia começava a ser vendido pela Imprensa Ideologizada e Partidária deste país, como a saída viável, o equilíbrio, a possibilidade contra Extremos, a liderança dentro do Congresso, a possibilidade de Parlamentarismo para voltar o Poder à normalidade ditatorial fascista travestida como Democracia e Redemocracia. Novamente muito acreditavam. Inocentes e Malandros. Então a exigência para aprovação dos interesses do Governo que se instalava: a Regulamentação definitiva do Fundo Partidário nos moldes e valores instituídos pela Presidenta Dilma, ou seja, não apenas aqueles ‘mixos’ 1,4 bilhão de reais mas 4 Bilhões de reais ou algo em torno de US$ 1.000.000.000,00. Pegou muito mal, mas muito mal mesmo. Ainda mais no país de 14.000.000 DE DESEMPREGADOS. E agora, qual a saída? Reduzir para “apenas” 2 Bilhões de reais !! Mas continua fedendo, fedendo demais !!! Qual a saída? Ninguém quer ser o ‘Pai da criança’. Querem jogar nas costas do Presidente, uma política e um financiamento que Ele sempre foi declaradamente contra. Mas isto pode, caro Rodrigo Maia? A novidade da Velha Politica. Pobre país rico. Mas de muito fácil explicação.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome