Maia lança Observatório da intervenção no Rio

 
Jornal GGN – O Observatório Legislativo da Intervenção Federal na Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro (Olerj) foi lançado hoje no Rio, com a presença de Rodrigo Maia, presidente da Câmara e deputado federal pelo estado. No lançamento, o tema tratado foi educação, debatendo o assunto com secretários municipais.
 
Na pauta a questão da evasão escolar, valorização de professores, tempo integral e como tornar a escola mais atrativa para os estudantes, sem entrar no tema intervenção e educação.
 
No ato de criação do Observatório, a justificativa da Mesa Diretora da Câmara era a aprovação do decreto interventivo de Temer, publicado no dia 21, mesma data do ato que tornou necessária a formalização do Olerj para acompanhamento das medidas que serão implementadas no estado.

 
Segundo consta, o fórum será responsável pela coleta de dados e análise, com a ‘realização colaborativa de estudos, avaliações e pesquisas, bem como de promoção da transparência dos resultados e da participação e controle social da ações referentes à intervenção’.
 
No discurso de abertura, Rodrigo Maia disse que educação é importante para diminuir a violência e que o observatório não tem fins eleitorais. Ele disse que o fórum, que deve ser instalado semana que vem, tem função técnica dentro do Parlamento.
 
‘O observatório é um órgão de fiscalização do Parlamento, quem utiliza esse trabalho são os deputados. A gente quer um observatório com base técnica para dar subsídio ao Parlamento e à sociedade. São técnicos da casa, pesquisadores. O trabalho é fiscalizar a implementação do planejando e fomentar a produção de pesquisa. Vamos trabalhar em conjunto com os indicadores de violência, de educação,  saúde, para que a gente possa interagir, acompanhar e, dentro do observatório, fazer também propostas, porque o Parlamento é a casa das leis’, disse ele.
 
Jandira Feghali (PCdoB), que também é do Rio, afirmou que a iniciativa é importante. Mas para ela, o importante é que os órgãos tenham acesso aos dados oficiais das operações. ‘O observatório deve ser um órgão de controle, fiscalizado, monitoramento e que deve alcançar os dados oficiais da intervenção. Isso é fundamental, porque a sociedade não tem acesso. [O observatório] É quem pode dar transparência à sociedade de todos os dados orçamentários, metas, objetivos, medidas’, afirmou.
 
A deputada disse também que os parlamentares pretendem criar uma comissão externa da Câmara para acompanhar a intervenção militar no Rio. 
 
Maia, por seu turno, disse que a intervebnção é uma medida extrema já em vigor e agora o trabalho dos parlamentares é acompanhar as ações. Garantiu ainda que em breve o interventor vai apresentar o planejamento.
 
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  MDB anuncia Simone Tebet para concorrer à presidência do Senado

2 comentários

  1. Está bom !
    Não vai adiantar

    Está bom !

    Não vai adiantar porra nenhuma, os milicos vão fazer o que quiserem e não vai dá em nada.

    Atá porque, vão esculachar um bando de crioulos e brancos pobres.

    Palhaçada desse Botafogo, ficou magoado com o Temer, que com essa jogada tirou sua chance de governar o estado. O discurso da segurança pertence ao vampirão,

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome