Manifestante dá banho de dólar falso em Cunha

Correção feita às 7h22 de 05/11: Tiago Ferreira, do movimento “Levante Popular da Juventude” não saiu gritando “Fora, PT!”. Esses gritos, segundo fomos informados, foi dado por um ativista pró-impeachment acampado nas imediações. O Estadão, base desta notícia, errou ao noticiar e nós erramos ao replicar.

Jornal GGN – Alvo do Conselho de Ética e da Procuradoria Geral da República, o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB), presidente da Câmara, recebeu um “banho” de dólar falso, com seu rosto estampado nas notas, enquanto concedia uma entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (4).

Segundo relatos do Estadão, o fato ocorreu no Salão Verde da Câmara dos Deputados. Um dos manifestantes gritou “Receba sua encomenda da Suíça, Cunha”, ao atirar as notas contra o rosto do parlamentar, investigado pela PGR por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro após o Ministério Público suíço confirmar a existência de quatro contas beneficiando Cunha no exterior.

O manifestante, identificado como Tiago Ferreira, de 26 anos, ligado ao movimento “Levante Popular da Juventude”, foi retirado do local pela Polícia Legislativa.  O Estadão afirmou, em sua reportagem, que o rapaz saiu gritando “Fora PT”. No entanto, integrantes do MST afirmam que os gritos não partiram dos manifestantes, e esta versão do jornal foi passada por simpatizantes de Cunha. No mesmo local, ainda há manifestantes pró-impeachment de Dilma Rousseff acampados, além de um painel recém instalado pelos deputados de oposição, que começaram a assinar um manifesto público pela saída da presidente.

Ainda de acordo com o Estadão, Cunha tentou “se manter impassível” diante do episódio. “Não vou, por causa de um militante encomendado e colocado aqui para fazer uma agressão, achar que isso vai me constranger, porque não vai. Esse provavelmente é contratado por alguém com um objetivo. Não vou pautar minha atuação por causa de um militante”, respondeu.

O Conselho de Ética, que deveria anunciar hoje o deputado responsável por relatar o pedido de cassação do mandato de Cunha por quebra de decoro parlamentar, decidiu adiar a decisão para quinta-feira (5), por volta do meio dia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora