Bolsonaro provoca nova aglomeração em Brasília

Em meio à crise política e de saúde pública, presidente leva filhos e ministros para saudar manifestantes na rampa do Palácio do Planalto

Esta não é a primeira vez que Bolsonaro leva a aglomeração em Brasília. Foto: José Cruz/Agência Brasil

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro voltou a participar de manifestações em Brasília, em meio à pandemia do coronavírus. Além de considerar os manifestos “democráticos”, o presidente disse esperar que a epidemia passe logo.

“Manifestação pura da democracia. Estou muito honrado com isso. O governo federal tem dado todo o apoio para atender as pessoas que contraíram o vírus e esperamos brevemente ficar livre dessa questão, para o bem de todos nós. O Brasil, tenho certeza, certeza, voltará mais forte”, declarou, segundo informações do jornal Folha de São Paulo.

“Queremos fazer um Brasil melhor para todos, agradeço a esse povo maravilhoso que está aqui, ao qual devo lealdade absoluta. É aquele que deve ditar as nossas normas e nosso norte. É o que precisamos: política ao lado do povo, tendo o povo como patrão”, comentou o presidente, onde voltou a rezar a cartilha do populismo.

Embora tenha acenado ao Congresso ao falar em proporcionar “dias melhores para a nossa população, em especial pelos poderes Legislativo e Executivo”, Bolsonaro não falou do Judiciário, que tem barrado diversas das medidas tomadas por ele, como o impedimento da nomeação de Alexandre Barragem para a Diretoria-Geral da Polícia Federal.

Além dos filhos Eduardo e Carlos Bolsonaro, o presidente saudou os manifestantes junto dos ministros Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral da Presidência), Bento Albuquerque (Minas e Energia), Tereza Cristina (Agricultura), Onyx Lorenzoni (Cidadania), Wagner Rosário (Controladoria-Geral da União), André Mendonça (Justiça) e Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia).

Leia também:  GGN Covid 19: continuam aumentando casos no Brasil, mas curva começa a se acomodar

 

Leia Também
O populismo é anti-instituição e se perpetua com a crise, diz Deborah Duprat
Generais do governo são contra indicação de militar para Ministério da Saúde
Após “quem mandou matar Bolsonaro?”, PF reafirma que Adélio agiu sozinho
GGN prepara dossiê sobre trajetória de Sergio Moro. Saiba como apoiar

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome