Coronavírus: Alemanha relata o maior aumento de mortes desde abril

A maior economia da Europa, em um bloqueio parcial desde 2 de novembro, registrou 18.487 novas infecções e 261 mortes por dia, disse o Instituto Robert Koch de doenças infecciosas.

Foto Deutsche Welle

Jornal GGN – A Alemanha relatou o maior aumento nas mortes relacionadas ao COVID-19 desde abril, quando seu ministro da saúde alertou que o número de infecções diárias ainda não havia caído o suficiente para nivelar a curva.

A maior economia da Europa, em um bloqueio parcial desde 2 de novembro, registrou 18.487 novas infecções e 261 mortes por dia, disse o Instituto Robert Koch de doenças infecciosas.

A chanceler Angela Merkel disse que o bloqueio emergencial de um mês, que inclui o fechamento de restaurantes, academias e teatros, foi necessário para reverter um aumento nos casos de coronavírus que podem sobrecarregar hospitais.

“Os números estão aumentando, mas não tão fortemente”, disse o ministro da Saúde, Jens Spahn, à emissora alemã RTL. “Isso é encorajador, mas não é suficiente.”

Mesmo que o número de novas infecções diárias confirmadas tenha permanecido abaixo de 20.000 por quatro dias consecutivos, o número de mortes tem aumentado e os hospitais estão relatando maior ocupação de cuidados intensivos, disse Spahn.

“Definitivamente, estamos vendo sinais de mudança, mas ainda não podemos falar de uma reversão da tendência”, disse ele, acrescentando que o número de mortes e os pacientes que precisam de cuidados intensivos cairiam apenas se os números de infecção caíssem significativamente.

Ao contrário de seu primeiro bloqueio no início deste ano, a Alemanha está mantendo suas escolas e creches abertas para que os pais possam trabalhar e limitar os danos a uma economia que deverá sofrer sua pior recessão desde a Segunda Guerra Mundial.

Leia também:  Anvisa decide no domingo de manhã se libera vacinas da Sinovac e Astrazeneca

O presidente do Sindicato de Professores da Alemanha disse, no entanto, que pelo menos 300.000 alunos e mais de 40.000 professores estão atualmente em quarentena, seja porque tiveram o vírus ou porque entraram em contato com um indivíduo infectado.

Com informações do The Guardian.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Lamentamos, mas feliz da Alemanha e muitos outro países que tem uma presidente responsável com sua população ate não ter Vacina-Corona vírus orienta se cuidar quando sair use “Mascara”, infelizmente no Brasil o povo é órfão não temos presidente mas sim um “caçador” DE POLÍTICOS DE esquerda.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome