Coronavírus: Em novo recorde, EUA relatam mais de 88 mil casos novos

A Universidade registrou, na quinta-feira, 982 mortes no país, que é o maior número de mortes no mundo, chegando na marca de 230 mil mortes nesta pandemia.

Jornal GGN – Mais um triste recorde é estabelecido pelos Estados Unidos: foram relatados mais de 88 mil novos casos de coronavírus em 1 dia, perfazendo mais de 9 milhões de casos no país. A Universidade Johns Hopkins, em seu levantamento diário, evidenciou o marco sombrio, quando o número das últimas 24 horas superou o recorde anterior de 80 mil casos, na quarta-feira.

A Universidade também registrou, na quinta-feira, 982 mortes no país, que é o maior número de mortes no mundo, chegando na marca de 230 mil mortes nesta pandemia. O alerta de especialistas é de que, até o final do ano, o número de mortes nos Estados Unidos pode dobrar para 400 mil.

O presidente Donald Trump, que minimizou a pandemia desde o início, liberou novas inverdades no início da semana, quando alegou incorretamente que os Estados Unidos estão ‘dobrando a curva’, mesmo com os casos de Covid-19 em todo o país continuam a quebrar recordes.

Com informações do HuffPost

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Coronavírus: Nos EUA, médicos pedem que Trump coopere com Biden

3 comentários

  1. Solução para o povo dos EUA está ao alcance de todos. O problema é furar o bloqueio da midia e cia farmaceuticas:

    International Journal of Antimicrobial Agents

    COVID-19 outpatients – early risk-stratified treatment with zinc plus low dose hydroxychloroquine and azithromycin: a retrospective case series study

    https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0924857920304258

    Primeiro estudo ambulatorial COVID-19 com base na estratificação de risco e tratamento antiviral precoce no início da doença

    A hidroxicloroquina em dose baixa em combinação com zinco e azitromicina provou ser uma abordagem terapêutica eficaz contra COVID-19

    Taxas de hospitalização significativamente reduzidas no grupo de tratamento

    Taxas de mortalidade reduzidas no grupo de tratamento

    Dados de referência públicos independentes de 377 pacientes confirmados com COVID-19 da mesma comunidade foram usados ​​como controle não tratado. 4 de 141 pacientes tratados (2,8%) foram hospitalizados, o que foi significativamente menor (p <0,001) em comparação com 58 de 377 pacientes não tratados (15,4%) (odds ratio 0,16, IC 95% 0,06-0,5). Um paciente (0,7%) morreu no grupo de tratamento versus 13 pacientes (3,5%) no grupo não tratado (odds ratio 0,2, IC 95% 0,03-1,5; p = 0,12). Não houve efeitos colaterais cardíacos.

    Mesmo assim a mídia norte-americana esconde esses dados do público.

    Tratamento precoce tem a capacidade de acabar com a pandemia mas a mídia não deixa o povo saber.

  2. Ué? colar pesquisa médica revisada por pares e publicada em revista médica é censurada agora?

    Não fizeram isso nas pesquisas anteriores que apontavam não eficácia. Como o leitor vai decidir se notícia é escondida pela censura obtusa dos meios de comunicação?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome