Coronavírus: Espanha coloca hospitais privados a serviço da comunidade

Os conselheiros de saúde de todas as comunidades autônomas terão "todos os meios necessários" do sistema privado para enfrentar a epidemia.

Ministro da Saúde Espanha, Salvadodr Illa. Foto Andrea Comas / Quality

Jornal GGN – Na Espanha, o governo decidiu por novas medidas drásticas para tentar conter a epidemia de coronavírus em seu território. O ministro da Saúde Salvado Illa, anunciou na noite deste domingo, quatro medidas de enorme importância para conter o surto. Uma delas envolve a intervenção na saúde privada para colocá-la a serviço do Sistema Nacional de Saúde. Segundo o decreto, os conselheiros de saúde de todas as comunidades autônomas terão ‘todos os meios necessários’ do sistema privado para enfrentar a epidemia.

O governo decidiu adotar medidas sem precedentes em questões de saúde na história recente da Espanha, anunciou o ministro Salvador Illa nesta noite de domingo. O primeiro, de enorme importância, envolve a intervenção da saúde privada para colocá-la a serviço do Sistema Nacional de Saúde. Os conselheiros de saúde de todas as comunidades autônomas terão “todos os meios necessários” do sistema privado para enfrentar a epidemia.

Além disso, o ministro anunciou que todos os espaços públicos e privados ‘também podem estar habilitados’, e se for necessário serão transformados temporariamente em locais de assistência para cuidar dos doentes.

Uma das medidas é de cunho trabalhista, que tem por objetivo reforçar os recursos humanos dos centros de saúde. A medida estabelece que todos os alunos do quarto ano de residência de especialidades como medicina interna, medicina intensiva e geriatria, entre outros, terão seus contratos prorrogados. É também permitido contratar médicos que não concluíram sua especialidade após a aprovação nos exames de residentes.

Leia também:  Brasil teria um terço das mortes por coronavírus se Bolsonaro não fosse irresponsável

Outra ordem visa garantir o Sistema Nacional de Saúde tenha todo o necessário na luta contra o coronavírus. O governo dá às empresas e indivíduos um prazo de 48 horas para fabricar materiais como equipamentos de diagnóstico, máscaras, óculos de proteção, luvas e outros produtos médicos e farmacológicos, com ameaças de sanção aos que não realizarem.

A última ordem diz respeito às regras sobre o ‘fornecimento de informações e dados’ sobre a evolução da epidemia. A partir de agora, de acordo com o ministro da Saúde, os dados serão oferecidos apenas uma vez ao dia, para evitar confusões.

Com informações do El Pais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. Nassif: só espero que os espanhois não sigam o exemplo do governo de Brasilia. É que isto já estava previsto nos planos do pessoal do MessiasDoBras. O SUS vai “alugar” os hospitais de primeira linha pra atender exclusivamente a elite e os VerdeSauvas. A custa do erário público. Enquanto a Povalha será assistida pelo deficiente sistema do INSS, segundo os planos de GueGué e do meliante TogaSuja. O Mercado e aquela ArmaConspiradora estão de acordo. E se não aceitarem os Milicianos do Queiroz e a ForçaTarefa que foi pro Ceará cuidarão da patota. Viva Pindorama…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome